Page 1

Escola Básica 2,3 Sá Couto

Realizado por:

Beatriz Silva/nº3/6ºM Adelaide Bela/nº1/6ºM Gisela Matos/nº8/6ºM Miguel Santos/nº16/6ºM

Professora Responsável: Regina Maria Pinto Coelho

1


História 5 – Que chato! O João recebeu de presente “aquele” telemóvel. Há muito que o desejava! Entusiasmado, lançou-se ao trabalho. Num instante os números dos amigos “voaram” para dentro de memória. No dia seguinte, recebeu uma mensagem “liga-me”. Não conhecia o número, não ligou. A mensagem repetiu-se, e repetiuse, e repetiu-se …. Noite e dia, dia e noite estava sempre a ouvir «pi pi pi pi pi», os seus ouvidos e a sua cabeça quase que EXPLODIAM. Mas não ligou, só pensava que podia ser um rapaz/rapariga que lhe queria fazer mal, mas os pais não o deixavam telefonar… Mas houve um dia, que ele decidiu ligar. Marcaram um encontro, atrás de um prédio numa noite de luar. Na noite do encontro, sentiu passos «pum pum pum», desatou a correr com medo, mas como ficou muito cansado foi apanhado e levaram-no para uma casa solitária. Os pais estranhando o João não estar em casa, decidiram ligar-lhe, mas como ele não atendia decidiram chamar a polícia. Naquela casa, João foi forçado a dar dinheiro, repetindo vezes e vezes sem conta que tinha! Num abrir e fechar de olhos a polícia descobriu o João deitado num colchão e os ladrões, estes foram logo apanhados. João muito triste nunca mais quis um telemóvel, e por isso aprendeu que nunca deve atender os números que não conhece mesmo que eles nos chateiem.

2


3


Escola EB 2,3 Sá Couto - Espinho

Ano Lectivo 2009/2010 Ano: 6º Turma: M Trabalho Realizado por: - Nº2 Ana Catarina - Nº4 Bruna - Nº11 Mafalda

Professora Responsável: Regina Maria Pinto Coelho

1


História 5: Que chato! O João recebeu de presente “aquele” telemóvel. Há muito que o desejava! Entusiasmado, lançou-se ao trabalho. Num instante, os números dos amigos voaram para dentro da memória. No dia seguinte, recebeu a mensagem “ liga-me”. Não conhecia o número, não ligou. A mensagem repetiu-se, repetiu-se e repetiu-se…… O João cansado de receber estas mensagens decidiu ligar ao número pedido. Quando atenderam ouviu-se a voz de um homem, João estava confuso, e perguntou “quem fala?” e a voz respondeu “sou um amigo do teu pai, há muito que te queria conhecer, o teu pai falou-me muito de ti”. João disse “ bem, para que querias que te ligasse?” o homem respondeu “ olha eu estou a querer ligar-te porque saber a tua morada. Dásma?”O João disse que sim. Passado alguns dias, o João recebeu uma mensagem a dizer” vem encontrar-te comigo ao café da tua rua”. O João não estava com o telemóvel, o pai dele passou e viu o telemóvel com a mensagem. Curioso o pai do João, foi à beira do filho e perguntou-lhe” quem é esta pessoa, João?”ele respondeu “ é um amigo teu, pai”. O pai do João percebeu logo do que se tratava e disse ao filho” João estás a ser enganado, este não é nenhum amigo meu. É uma pessoa má que está a tentar enganar-te”. João disse”e agora o que faço, pai?, o pai disse” agora a única opção é mudares de número” O João mudou de número e nunca mais teve problemas destes.

2


3


Trabalho realizado por Fl€vio Mendes n•7 e Eduardo Costa n•6 – 6• M Escola EB2,3 S€ Couto Espinho


Internet Segura Ol€! O meu nome • Real Virtual. A minha fam‚lia e os meus amigos conhecem-me por Real, j€ para a malta dos chats e dos jogos da internet, sou simplesmente o Virtual. Como Real sou pequeno, moreno, t‚mido, mas Virtual faƒo de conta… O menino Real Virtual era um rapaz igual a qualquer um da sua idade. O Real Virtual tinha 11 anos andava no 6• ano, gostava de jogar futebol e era adepto do Benfica. A madrinha do Real Virtual ofereceu-lhe no anivers€rio um computador port€til, era algo que o Real Virtual j€ desejava h€ muito tempo, pois ele queria comunicar com os amigos no Messenger. Logo que recebeu o computador a primeira coisa que fez foi criar um perfil no Messenger. O Real virtual nas aulas de Formaƒ„o C…vica j€ tinha abordado o tema Internet segura e sabia qual o perigo de conversar no Messenger com estranhos e de fornecer dados pessoais, assim para sua seguranƒa criou um perfil com um nome fict…cio, o nome que escolheu foi “Virtual”. Apesar de usar um nome fict…cio ele sabe que n„o est€ totalmente seguro, sabe que deve evitar dar informaƒˆes sobre os seus dados pessoais, como: o nome verdadeiro, a sua morada e idade ou a escola que frequenta, etc. Um dia depois das aulas o Real Virtual foi para o Messenger e recebeu um convite para adicionar ‰ sua lista de contactos uma pessoa com o nick name “O Benfiquista”. O Real Virtual como era adepto do Benfica adicionou-o, as conversas desta pessoa eram muito estranhas, pois pedia que o Virtual se encontrasse com ele. Nas aulas de Formaƒ„o C…vica j€ tinham falado sobre o perigo destes convites pela Internet e o Virtual n„o aceitou o perigoso convite e bloqueou na sua lista do Messenger este contacto. Logo de seguida enviou um e-mail a todos os seus amigos a denunciar esta situaƒ„o e a alert€-los para este perigo.

Trabalho realizado por Fl€vio Mendes n•7 e Eduardo Costa n•6 – 6• M Escola EB2,3 S€ Couto Espinho


Ilustração

Trabalho realizado por Fl€vio Mendes n•7 e Eduardo Costa n•6 – 6• M Escola EB2,3 S€ Couto Espinho


Escola EB 2,3 Sá Couto - Espinho

Ano Lectivo 2009/2010 Ano: 6º Turma: M Trabalho Realizado por : - Nº21Tiago Évora - Nº10 João Silva - Nº19 Ruben - Nº13 Manuel Gomes

Professora Responsável: Regina Maria Pinto Coelho

1


HistŠria 5 – Que chato! O Jo…o recebeu de presente “aquele” telemˆvel. H€ muito que o desejava! Entusiasmado, lanƒou-se ao trabalho. Num instante os n‰meros dos amigos “voaram” para dentro de memˆria. No dia seguinte, recebeu uma mensagem “liga-me”. N…o conhecia o n‰mero, n…o ligou. A mensagem repetiuse, e repetiu-se, e repetiu-se …. Com o passar do dia o Jo„o ficava cada vez mais nervoso, quem seria a pessoa que estava sempre a mandar a mesma mensagem “liga-me”. No dia seguinte as mensagens continuavam a chegar ‰ caixa de correio do telemŠvel “pi” “pi”… “pi” pi”… “pi”. Mas houve uma altura em que ganhou coragem e ligou. Era um homem, dizia que queria muito falar com ele. Marcaram um encontro logo para a manh„ seguinte. Œ hora do encontro o Jo„o l€ estava, sentado num banco do parque. Veio um desconhecido ter com ele, disse que era a pessoa que andava a mandar-lhe mensagens. Afinal era um conhecido de um amigo dele. Era mais velho, j€ tinha ouvido falar dele, chamava-se Tiago, andava sempre a armar confusˆes e tinha uns amigos do piorio. Mas enfim, ficaram amigos, ele ensinou-lhe muitas coisas, mas nenhuma era agrad€vel. Como Jo„o n„o queria fazer coisas m€s disse-lhe que j€ n„o queria ser mais amigo dele e fazer parte do seu grupo, o Tiago n„o gostou e ameaƒou-o. No dia seguinte l€ estava ele a mandar as mesmas mensagens “LIGA-ME”. O Jo„o j€ estava farto daquelas mensagens e foi contar ao pai que estava a receber mensagens de desconhecidos. O pai disse para deitar o cart„o com o n•mero de telemŠvel fora. As liƒˆes que aprendemos foram: Nunca devemos responder ou ligar ‰s mensagens enviadas por desconhecidos!

Ilustraƒ„o 2


3


Escola EB 2, 3 Sรก Couto - Espinho

Ano Lectivo 2009/2010

Ano: 6ยบ Turma: M Trabalho realizado por: - Nยบ 9 Jessica Pinho - Nยบ 14 Marta Silva

Professora Responsรกvel: Regina Maria Pinto Coelho 1


Histˆria 1: Agente Duplo

Ol€! O meu nome • Real Virtual. A minha fam‚lia e os meus amigos conhecem-me por Real, j€ a malta dos chats e dos jogos, na Internet, sou simplesmente o Virtual. Como Real, sou pequeno, moreno, t‚mido, mas como Virtual faƒo de conta… que sou giro, fixe, loiro e tenho uns lindos olhos azuis. Gosto de falar nos chats porque posso ser aquilo que sempre quis ser! Podemos conhecer pessoas muito interessantes, mas será que elas são como dizem!? Eu acho que não! E eu? Será que serei aquilo que digo!? Talvez goste de inventar uma segunda personalidade! Melhor é dizermos aquilo que somos realmente, e nunca confiar nas pessoas que estão no lado de lá, porque nunca sabemos quem são e o que pretendem fazer.

2


Escola EB 2, 3 Sรก Couto - Espinho

Ano Lectivo 2009/2010

Ano: 6ยบ Turma: M Nยบ12 Nome: Manuel Antรณnio Faria Gomes

Professora Responsรกvel: Regina Maria Pinto Coelho

1


Hist€ria 5: Que chato!

O Jo€o recebeu de presente “aquele telem‚vel”. H„ muito que o desejava! Entusiasmado, lan…ou-se ao trabalho. Num instante, os n†meros dos amigos “voaram” para dentro da mem‚ria. No dia seguinte, recebeu a mensagem “ligame”. N€o conhecia o n†mero, n€o ligou. A mensagem repetiu-se, e repetiu-se e repetiu-se. Com tanta insist•ncia acabou por enviar uma mensagem a pedir que se identificasse e ele respondeu: - Ol‚! Eu chamo-me Roberto e gostava de te conhecer. Tenho 11 anos. Gosto de fazer tudo, mas principalmente de jogar futebol. Tens alguma rede social? Responde-me. No dia seguinte, respondeu-lhe: - Sou o Joƒo, gosto de fazer tudo e tamb„m gosto muito de jogar futebol. Tenho 11 anos. E tenho o MNS, e o HI5. Um dia o tal Roberto marcou um encontro e o Joƒo compareceu, s€ que nƒo sabia o que lhe ia acontecer. Para seu espanto, quando l‚ chegou apercebeu-se de que o Roberto, tinha afinal 20 anos… Mas, quando descobriu j‚ era tarde demais pois, o Roberto tencionava rapt‚-lo e conseguiu. O Roberto s€ lhe queria mal, pois, h‚ muito tempo tentara assaltar a loja dos pais de Joƒo e estes, ao apanharem-no em flagrante delito entregaram-no † pol‡cia. Este por„m, ap€s v‚rios anos preso, foi libertado e decidiu vingar-se em Joƒo, de todos os anos de vida em que se viu privado da sua liberdade. O Joƒo com medo s€ dizia: - Mƒe, quero a minha mƒe! Ao fim do dia os pais deram pela falta do Joƒo e procuraram-no por tudo quanto era s‡tio, at„ que encontraram o seu telem€vel e foram verificar as ˆltimas mensagens recebidas e enviadas. Repararam que, ele tinha enviado e recebido muitas mensagens a um tal Roberto, o qual nƒo conheciam, pois nƒo fazia parte do seu c‡rculo de amigos e apressadamente comunicaram este facto † pol‡cia, a qual iniciou de imediato as buscas. Tanto procuraram at„ que encontraram o esconderijo do Roberto. As estrat„gias da pol‡cia foram tƒo eficazes e r‚pidas que, o Roberto nƒo teve hip€tese de escapar ao cerco que lhe fizeram, acabando por desistir e entregar o Joƒo aos pais. Com tudo o que aconteceu, o Joƒo aprendeu que nunca se deve ligar, enviar mensagens, identificar-se e marcar encontros com pessoas desconhecidas. Nome: Manuel Ant€nio Faria Gomes Ano: 6‰M N‡: 12 Professora Respons„vel: Regina Maria Pinto Coelho 2

Geração Movel  

Geração Movel