Issuu on Google+

Ementa de

Vinhos Temos o orgulho de apresentar nossa carta, um apurado dos melhores rótulos de nossa Terra Lusitana, e, alguns rótulos marcantes de outros Países. Colocamos aqui também nosso outro orgulho: Somos o primeiro Restaurante da Serra da Mantiqueira e Vale do Paraíba à receber o Certificado/ Selo de condecoração da ABS - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SOMMELIERS, e pelo nosso quarto ano consecutivo, além do Prêmio de ser uma das melhores cartas do Brasil, eleito pela REVISTA PRAZERES DA MESA, nos anos 2011, 2012 e 2013. Isto significa que além de termos uma seleção de vinhos com custo e benefício corretos, temos preços corretamente colocados à você, nosso cliente, e também temos profissionais aptos a vos ajudar na escolha de vosso vinho, como taças e afins para a amada bebida milenar. Neste ano procuramos inovar ainda mais, proporcionando à você nosso cliente amigo, outra forma de também apreciar vosso vinho, sendo com à taça correta a cada vinho. Momento este proporcionado pela fabricante de Cristais Riedel. Vide nossa tabela de especificação abaixo. Beba, aproveite e aprecie com moderação. Safras e dúvidas consulte nossos colaboradores.

11


Conforme vosso vinho, taças

Conforme falamos, esta cá nossa tabela para a apreciação da taça correta Taça

Tipo - Para o vinho

Taça

Espumantes, Espumosas e de Perlage Estará em cada vinho que terá de acompanhá-la.

Taça

Bordeaux Normalmente acompanha 90% dos vinhos tintos, exceto de garrafas especiais - Bourgognes e afins. Estará em cada vinho que terá de acompanhá-la.

Tipo - Para o vinho

Taça

Tipo - Para o vinho Bourgogne Específico para os vinhos da região e alguns vinhos Portugueses. Estará em cada vinho que terá de acompanhá-la.

Vinhos Brancos Chardonnay (e alguns outros cortes de vinhos Portugueses). Estará em cada vinho que terá de acompanhá-la.

Taça

Tipo - Para o vinho

Tipo - Para o vinho Rosés e Alvarinhos Estará em cada vinho que terá de acompanhá-la.

12


REGIÕES VINÍCULAS

BAIRRADA - Já no Séc. XIX, os viajantes paravam nesta região para comerem o famoso leitão e beberem os seus afamados vinhos. A designação DOC Bairrada pode ser utilizada em Vinhos Brancos, Tintos, Rosados e Espumantes e em Aguardentes Bagaceiras. Com um clima mediterrânico/atlântico, caracterizado por Verões com dias quentes e noites frescas, a Bairrada, país das uvas, das vinhas e de grandes vinhos, é uma região de colinas suaves, soalheiras e barrentas, cujos limites naturais são os areais da orla marítima e as serras do Buçaco (Bussaco Bos Sacrum dos romanos) e a do Caramulo. Antes paravam nesta região para comerem o famoso leitão e beberem os seus afamados vinhos.

Portugal apresenta de Norte a Sul uma extensa gama de vinhos, desde o verde, de uma apetitosa frescura, até ao porto, o mais generoso do Mundo. DO ALENTEJO - “Região produtora de elevada qualidade de vinhos. O plantio da vinha nesta região remonta ao período romano, como atestam vestígios datados dessa época, nomeadamente grainhas de uvas descobertas nas ruínas de São Cucufate, perto da Vidigueira, e alguns lagares romanos. Desde a época dos romanos se produz vinhos nesta região, como atestam várias ruínas de lagares e outras instalações. Decreto de D. Afonso II em 1221 ordena o plantio de vinhas com benefício para Évora.”

DÃO - A região vitivinícolas produtora dos vinhos Doc Dão, situa-se no centronorte de Portugal, na província da Beira Alta. Na Região vitivinícolas do Dão estão já individualizadas – por produzirem vinhos com uma personalidade própria – as sub-regiões de Alva, Besteiros, castendo, Serra da Estrela, Silgueiros, Terras de Azurara e Terras de Senhorim. A fim de se aproveitar melhor as enormes potencialidades dos vinhos de qualidade da região, para além da denominação de origem “Dão”, foram oficializadas pelo novo Estatuto da Região vitivinícolas do Dão, as seguintes: - “Dão Nobre”, “Dão Novo” e “Dão Clarete”. Esta região produz, majoritariamente, Vinhos Tintos caracterizados por possuírem um teor Para tal – no tocante ao controlo – fornece selos de garantia apropriados (apostos à “cavaleiro” no gargalo da garrafa ou em contra-rótulo) aos engarrafadores autorizados e emite um certificado de Origem Regional que acompanha, sempre, os vinhos expedidos para a União Européia e exportados para países terceiros.

DO DOURO - “A designação “Douro” está reservada aos vinhos, tradicionalmente produzidos na região demarcada do Vinho do Porto. A produção de vinhos nesta região é elevada, e cerca de 50% é destinada à produção de Vinho do Porto. A restante é utilizada para a produção de vinhos de grande qualidade. Esta região, divide-se em três sub-regiões - Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior, produzindo cada uma delas vinhos com especificidades próprias. As entidades que controlam as denominações “Porto” e “Douro”, são respectivamente o Instituto do Vinho do Porto e a Casa do Douro. A elaboração do vinho na região remonta à época em que Portus Calis era colônia do Império Romano. Há registros desde 1678 de que os ingleses já eram apreciadores dos vinhos da região, tornando-se a partir do século seguinte os seus maiores importadores. A predileção inglesa era sobretudo pelo vinho fortificado que recebia aguardente vínica para melhor suportar as viagens marítimas. O Douro foi a primeira região vinícola demarcada do mundo, mediante decreto do então ministro Marquês de Pombal, em 1756.”

DE MONÇÃO E MINHO - Região Demarcada em seis sub-regiões: Monção, Lima, Basta, Braga, Amarante e Penafiel. As castas mais cultivadas são: alvarinho (que só exibe a sua alta qualidade na sub-região de Monção), loureiro (ou lourado), trajadura, azal-branco, avesso, pedernã e batoca entre as brancas, e vinhão, espadeiro, tinto-cão, brancelho, padral e borraçal entre as tintas. Dos vinhos verdes, produzem-se excelentes aguardentes, vínicas e bagaceiras. Fialho, o sarcástico e genial escritor alentejano, encontrava no vinho verde “a meiguice dos beijos e o travo inocente das amoras”.

DA ESTREMADURA - Identificada como uma das maiores regiões vitivinícolas do país em termos de área de vinha e de produção de vinho, a Estremadura abrange todos os concelhos da faixa atlântica a Norte do estuário do Tejo, confinando a Norte com a Beira e a Leste com o Ribatejo. O Vinho Regional “Estremadura”, para os vinhos tintos, brancos e rosados produzidos em toda a região, bem como o palhete de Ourém, designação recentemente reconhecida para os vinhos tintos produzidos na região de Ourém. O Vinho Regional Estremadura que hoje atinge uma cota de mercado muito significativa a nível nacional é também Indicação Geográfica para o Vinho Licoroso produzido nesta região, que de há longa data a tradição destacou.

DE TERRAS DO SADO, ALENQUER E SETÚBAL - A escassos quilômetros de Lisboa, a serra da Arrábida, situada entre Setúbal e Sesimbra, é um lugar verdadeiramente paradisíaco. Parta à descoberta desta serra e da sua área envolvente, onde, além de uma paisagem única e exemplarmente preservada, vai poder usufruir de um clima invejável. Prepare-se para deleitar-se com a riqueza monumental, natural e gastronômica de uma das mais belas regiões de Portugal.

14


Aos Vinhos Brancos, Espumosos e Rosés da Casa Tapada do Fidalgo Rosé Das castas Castelão, Syrah, Touriga Nacional, de cor salmão intenso. Com aroma intenso de frutos vermelhos. Na boca apresenta boa doçura associada a uma excelente acidez com agradável sensação de fruta fresca. Um rose fresco e aromático ideal como aperitivo ou como acompanhamento de refeições ligeiras.

BRANCOS E ROSÉ ALENTEJO Duas Castas Esporão Das castas Viosinho e Semillon, de Cor com aspecto límpido, cor citrina. O aroma intenso salienta a flor de laranjeira e a relva fresca, acompanhadas pelas notas de ameixa branca e as toranjas maduras. O paladar é cremoso e envolvente, com delicados apontamentos citrinos, e um final fresco e persistente.

Vinha da Defesa - Rosé Produzido a partir de uvas tintas, Periquita e Moreto, este vinho apresenta uma cor rosada muito viva, aroma floral a framboesas e cerejas, sabor frutado e equilibrado, com paladar leve e fresco. É ideal como aperitivo, acompanhando muito bem saladas e carnes brancas.

Espumante Monte do Pintor Branco Feito com 100% Arinto, de extrema delicadeza, finura de aroma e sabor, citrinos e minerais e frutos secos. Na boca apresenta mousse elegante, culminando num final intenso e fresco. O rótulo é de autoria do Escultor Português João Cutileiro.

Ciranda Rosé (Herdade dos Coelheiros) O Ciranda rosé combina uma uva portuguesa muito típica da região, a Trincadeira, com a emblemática Cabernet Sauvignon. O resultado é um vinho cativante, cheio de fruta vermelha. Acompanha muito bem peixe grelhado e marisco.

Restaurante Amigo do Enófilo

15


Fundação Eugênio de Almeida D.O.C Branco Das castas Antão Vaz, Arinto, Perrum e Roupeiro Fino com ligeiras nuancem de fruta (maçã verde). Muito fresco, corpo médio e bom final.

Ciranda Branco (Herdade dos Coelheiros) Fresco e aromático, em um estilo fácil de gostar, é um vinho perfeito para aperitivos ou para acompanhar peixes e entradas. Mostra um ótimo frescor e um cativante toque frutado no palato. Um branco de ótima relação qualidade/ preço, que promete ser um dos “best buys” do Alentejo. Acompanha muito bem entradas leves, carnes brancas, e frutos do Mar. Feito com às castas Arinto e Roupeiro.

Chaminé Branco Feito com 25% Antão Vaz, 32% Sauvignon Blanc, 27% Verdelho, 16% Viognier. De cor Amarelo palha clara. Com notas aromáticas de jasmim, lima e ananás, algum fumado e mineral. O palato é elegante, vívido, com notas de pêssego, citrinos e notas minerais complexantes. O final é prolongado, com uma acidez tonificante.

Régia Colheita Branco Das uvas Antão Vaz, Arinto, Perrum, Syrah. Cor amarelo palha. Aromas de frutas brancas maduras, baunilha e leve toque tostado. Na boca é seco, corpo médio, boa acidez, boa concentração de frutas e final harmônico e longo. Ideal para peixes assados, principalmente bacalhau.

Monte da Peceguina Branco De cor Palha claro no nariz apresenta Limão siciliano, notas de cascas de lima e floral. No palato é um corpo médio, com bom equilíbrio e final refrescante. Harmoniza com Salada de bacalhau, peixes grelhados, camarão empanado, torta de frango, queijos leves ou como aperitivo.

Quinta da Alorna Branco – Tejo Das castas Arinto, Fernão Pires, de cor citrina. Na boca é suave a frutos tropicais e citrinos, com boa acidez, equilibrado na boca, redondo e refrescante, termina vivo e agradável.

Verdelho Branco – Esporão Com aspecto cristalino, cor citrina esverdeada, seu aroma é vibrante, com notas tropicais e citrinas a recordar as limas e as toranjas. Na boca é fresco, elegante, com apontamentos minerais e um final longo e persistente. Restaurante Amigo do Enófilo

16


Esporão Reserva D.O.C. Branco Vinificado com uvas Roupeiro, Arinto e Antão Vaz. Revela-se um vinho rico, encorpado e equilibrado, com uma grande complexidade. Tem aroma frutado com notas de madeira, ananás, pêssego e baunilha. Vai bem com peixe gordo grelhado e ao forno ou bacalhau.

Cartuxa D.O.C.Branco Aroma delicado e fino, com notas de frutos cítricos e flores, sugestões minerais. Das castas Antão Vaz, Arinto e Roupeiro. Suave, certo corpo, ligeiro acídulo, boa profundidade e harmonia.

Esporão Private Selection D.O.C. Branco Com a assemblage das uvas Semillon, Marsanne e Roussanne, este Alentejano, envelhecido 6 meses em barricas de carvalho francês, aroma a pera e pêssegos com notas tostadas. Em boca é cremoso, encorpado mas elegante e estruturado com bom equilibrio. Final persistente. Acompanha bem o Bacalhau, peixes ensopados, pratos com curry, risoto de frutos do mar.

Paulo Laureano Reserve - Branco Feito 100% com a Uva Antão Vaz, um marco português, envelhecido 8 meses em barricas de carvalho. De cor Citrina, acompanha muito bem peixes, futos do mar, risoto. Na boca é um vinho bem equilibrado com forte estrutura. Muito frontal e fresco na entrada, mostra-se depois untuoso com forte personalidade. Final de boca longo, fresco e de extrema elegância.

Restaurante Amigo do Enófilo

17


celente complexidade e profundidade. Na boca é elegante, com boa estrutura e correto equilíbrio. Aroma com notas minerais de boa intensidade, resultando num conjunto muito agradável de grande frescura e agradável persistência.

Pêra Manca D.O.C.- Branco Muito bom aroma com notas minerais, frutado, persistente, fino e complexo. Das castas Antão Vaz e Arinto. Macio, seco com um bom corpo e um ligeiro acídulo nobre que lhe confere harmonia.

Lavradores da Feitoria Branco Confeccionado com às castas Malvasia Fina, Gouveio e Códega, Este saboroso tem um bom equilíbrio na boca, com a acidez perfeitamente integrada, com volume e um final bem agradável. Acompanha muito bem frutos mar ou como aperitivo.

BRANCOS E ROSÉ - DOURO

Altano Douro D.O.C. É produzido a partir de uvas oriundas das vinhas mais altas, com um clima mais fresco. Os enólogos procuraram obter algum contato pelicular, de modo a produzir um vinho aromático com notas de frutos tropicais e uma acidez refrescante. Das castas Malvasia Fina, Viosinho e Moscatel Galego, acompanha muito bem pratos de marisco, peixe grelhado e saladas frias de Verão. Fresquíssimo nos aromas de frutos de Verão/frutos tropicais; pêssego, damasco e ananás, que se alongam no paladar. Muito fresco e vivo na boca com notas levemente vegetais e de maçã verde, com uma boa acidez citrina límpida a dar um bom recorte final ao conjunto.

Redoma Rosado - Rosé O festejado Redoma Rosé é considerado por Jancis Robinson como o melhor rosado do mundo e sempre referenciado por todas as publicações como um dos grandes rosés de Portugal. É um vinho bem distinto da maioria dos rosés, com ótima estrutura e capacidade de envelhecimento. E com combinação de pratos com frutos do mar e peixes.

Quinta do Crasto Douro Branco De cor Citrino, feito com às uvas das castas Gouveio, Roupeiro e Cercial, no nariz é de grande frescura e intensidade aromática de notas de fruta citrina e espargos silvestres bem integrado com notas florais, que conferem uma ex-

Restaurante Amigo do Enófilo

18


Felipa Pato Espumante Outra paixão da enóloga é esta espumante. Das uvas baga e bical, sendo de Cor Salmão, com aromas de morango e framboesa. Sabor de Mouse cremosa, bolha dissolve-se na língua. Conjuga leveza e persistência com acidez mineral. Em degustação, é ótimo como aperitivos com entradas variadas.

Passadouro Branco Com as castas Viosinho, Rabigato, Códega, de cor citrina algo pálida e nariz fresco e rico em notas limonadas, acompanhadas por sugestões minerais, vegetais e alguma fruta madura, na boca é um vinho com uma estrutura agradável, onde os citrinos estão dominadores e conta com uma bela acidez, é um vinho delicado e suave que termina com uma interessante persistência.

Luis Pato - Maria Gomes Um vinho leve, fresco e aromático, perfeito para ser bebido como aperitivo ou na companhia de peixes e mariscos, com a assinatura do genial Luis Pato. Da uva Maria Gomes, este vinho combina também muito bem com peixes de água doce e mariscos. Excelente também como aperitivo.

ROSÉ - EXTREMADURA Quinta da Cortezia T. Nacional - Rosé Propositadamente não fermentado nem estagiado em barricas para realçar a pureza aromática da Touriga Nacional. É produzido com uvas selecionadas em várias parcelas de vinha para lhe conferir maior complexidade. Expressivo e refrescante aroma e sabor extremamente suave devido aos vários ácidos orgânicos naturais presentes. Acompanha muito bem Marisco, peixes, cozinha italiana e oriental e queijos frescos.

Cariz Branco Confeccionado com 60% Encruzado e 40% Cercial, de cor Amarelo brilhante com reflexos esverdeados. Com aroma de Destaque para notas cítricas com um toque mineral. Na boca Vinho fresco, frutado e com bom equilíbrio. Acompanha entradas, mariscos, peixes, saladas e pratos frios.

BRANCOS E ESPUMOSOS - BAIRRADA Luis Pato Espumante Um espumoso leve, fresco e aromático, perfeito para ser bebido como aperitivo ou na companhia de peixes e mariscos, com a assinatura do genial Luis Pato. Com um aroma intenso e uma bela coloração salmonada, ele é delicioso na boca, bem seco e refrescante, com boa concentração e grande estrutura. Encorpado e complexo, com excelente relação qualidade/preço.

Restaurante Amigo do Enófilo

19


Loureiro Muros Antigos Também um vinho de Anselmo Mendes, o “Papa” do Minho e dos vinhos verdes; este vinho é feito com 100% de uvas Loureiro. De coloração palha com nuanças verdeais. Expressivo aroma limonado, de flor de laranjeira e algum fruto tropical. Todo em equilíbrio em boca, cheio de sabor e leveza, ótima persistência. Expressivo aroma limonado, de flor de laranjeira e algum fruto tropical. Todo em equilíbrio, cheio de sabor e leveza, ótima persistência. Acompanha muito bem Sardinhas na brasa; Culinária oriental; Queijos frescos; Mexilhões ao natural.

Bossa - Vinha de doidos - Felipa Pato A enóloga é filha de outro importante produtor de vinhos, Luis Pato, e agora lançou a linha “Vinhos Doidos” inspirada, acredite, na Bossa Nova. A linha tem apenas dois vinhos (brancos, ainda por cima): o Bossa e o Nossa, feitos com uvas da casta Maria Gomes, típica da região de Bairrada. Este é um vinho simples e fácil de beber. Um autêntico vinho para dançar”, diz a enóloga Filipa Pato. É um vinho de festa, para ser consumido em boates, aniversários e casamentos. Não gosta de complexidade quando o assunto é vinho? Estão está aí uma boa pedida.

MONÇÃO/MINHO VERDES, ALVARINHOS E ESPUMOSOS Raposeira Reserva Bruto Rosé Com um estágio de aproximadamente 3 anos e elaborado sob o método tradicional, trata-se de um espumante bastante gastronômico, apesar de ser um Rosé. Apresenta cor palha clara, bolha fina e persistente, sendo relativamente frutado o quanto baste. Na boca sente-se bem a agulha, bem como uma frescura e acidez, em equilíbrio, num bom final de boca. Bom acompanhante para entradas e afins, até o fim da refeição.

Alvarinho Portal do Fidalgo Aspecto límpido, cor citrina e aroma complexo e elegante, muito mineral com notas citrinas à mistura com flores e frutos tropicais. No sabor é rico e fresco, mineral, encorpado, persistente e final longo com tipicidade marcante da casta Alvarinho.Podendo ser bebido jovem, tem grande potencial de envelhecimento em garrafa. Excelente para peixes e mariscos, acompanhando bem alguns pratos de carne. Também é ótimo como aperitivo.

Raposeira Reserva Bruto Branco Produzido através das castas Malvasia Fina, Cerceal e Tinta Roriz.De aroma frutado a maçãs e paladar persistente, é perfeito para servir como aperitivo ou digestivo.Estágio minimo de 2 anos em cave. Bom acompanhante para entradas e afins, até o fim da refeição. Restaurante Amigo do Enófilo

20


Alvarinho Palácio da Brejoeira Grande clássico de Portugal, o Palácio da Brejoeira é o nome mais famoso em Vinho Verde, uma das grandes expressões da uva Alvarinho. No início dos anos 80, mostrou ao mundo o grande potencial desta casta, produzindo um vinho muito mais refinado e elegante do que os Vinhos Verdes da época. Aromático, equilibrado, fresco e com grande presença de palato, é um vinho excelente, em estilo tradicional, que surpreende quem apenas provou outros exemplares mais comerciais de Alvarinho. Muito bem servido com peixes, carnes brancas, mariscos e frutos do mar.

Alvarinho Deu La Deu 100% da casta Alvarinho. De cor citrino, brilhante, com aroma frutado, com predominância das frutas pêssego e alperce como resultado da casta utilizada. Acompanha Mariscos, peixes e carnes brancas.

Alvarinho Quinta dos Loridos Produzido com uva de casta Alvarinho (a casta mais famosa e conhecida no mundo), colhido em 2006. 40% do mosto fermentou e estagiou 5 meses em barricas novas de carvalho francês Allier. De aroma delicado, com “nuances” de citrinos, ameixa amarela e frutos tropicais combinadas com notas substis de madeira. Na boca é rico, fresco, mineral; a acidez bem presente, está bem integrada na estrutura apresentando um final longo e persistente.

Alvarinho Muros do Melgaço - Verde Com 100% Alvarinho, envelhecido 6 meses em barricas de carvalho francês; de cor amarelo-palha muito luminoso. No aroma revela notas de casca de laranja e nuança florais, emolduradas pelos finos aportes do carvalho. Elegante, untuoso e estruturado na boca, com excelente acidez e final mineral. Acompanha muito bem Bacalhau com natas, bacalhau à Gomes de Sá, peixes e frutos do mar.

Alvarinho Rolan Com 100% Alvarinho, cor Amarelo limão com reflexos esverdeados. Confere intenso aroma floral, com notas cítricas e uma lembrança a flor de laranjeira. Boa entrada na boca. É untuoso, denso, amplo equilibrado e complexo. Com um final de boca franco, potente e com grande persistência.

Alvarinho Soalheiro Considerado o melhor Alvarinho de Portugal pela imprensa especializada, é proveniente da sub-região de Monção, que produz os melhores vinhos verdes. Delicioso, cheio de charme e frescor, mais encorpado e complexo do que os outros vinhos verdes. Acompanha muito bem peixes e carnes brancas.

Alvarinho Curtimenta Moda Antiga Sendo feito com 100% Alvarinho. Este vinho foi concebido após 10 anos com estudos sobre a fermentação pelicular desta casta em barricas, no intuito de potencializar os aromas da variedade. continua na próxima página

21


Seleção das melhores uvas com maceração, prensagem e término da fermentação em barricas de carvalho, e, maturado por 9 meses em barricas. De cor palha intenso e límpido. Rico e inebriante no olfato, com notas cítricas clássicas mescladas a tons florais e minerais. Boca volumosa, suculenta e com aristocrático final mineral. Longo e inesquecível. Acompanha frutos do mar e queijos de cabra fresco.

Aos Nossos Tintos, as Beldades

ALENTEJO TINTOS Ciranda Tinto Produzido por Herdade dos coelheiros utilizando as castas regionais: aragonez, trincadeira e syrah este alentejano tem um incrível aroma de frutas maduras, no palato é redondo e muito elegante, não passa por madeira para preservar seus aromas. Um alentejano perfeito.

TERRAS DO SADO E ALENQUER (PRÓXIMO À LISBOA) Moscatel de Setúbal Aroma intenso a moscatel, flor de laranjeira, citrinos, chá e passas; na boca, a fruta é intensa, é cheio, encorpado, com sensações de amargo-doce, tendo um final longo e persistente. Serve com Aperitivo, fresco, com uma casca de limão, a acompanhar sobremesas confeccionadas com chocolate preto ou simplesmente como digestivo, com um bom café.

Monte Velho e Monte velho Magnum Com às uvas Touriga Nacional e Syrah, de Cor vermelho rubi intenso. No nariz trás Frutas vermelhas com notas em violeta e toque de tostado. Na boca tem um Frutado, seco, bem equilibrado com taninos maduros e final persistente. Combina muito bem com Ossobuco com risoto e polenta cremosa, paleta de cordeiro com massa e salvia, picanha na brasa com purê de alho.

Cova da Ursa Chardonnay Vinho da Região de Setúbal, produzido 100% da casta Chardonnay. Estagiou durante 5 meses em barricas de madeira nova de carvalho francês Allier. Aroma rico a frutos amarelos característicos da casta Chardonnay, como o pêssego e o ananás, combinado com nuances tostadas e abaunilhadas, proveniente de contacto com a madeira francesa. Na boca, encontramos fores sabores a frutas amarelas, bem combinados com madeira, assim como uma franca acidez que lhe confere um caráter mineral e um final cheio e persistente. Servir com pratos de peixe de sabor intenso ou de carne de aves.

Garrafa de 750 ml

Garrafa de 1,5 Lts MAGNUM

22


Macio, a lembrar as quentes planícies alentejanas, mostra uma frescura agradável, taninos sedosos e macios e uma elegante e longa persistência.

Vinha da Defesa Tinto Com às uvas Touriga Nacional e Syrah, de Cor vermelho rubi intenso. No nariz trás Frutas vermelhas com notas em violeta e toque de tostado. Na boca tem um Frutado, seco, bem equilibrado com taninos maduros e final persistente. Combina muito bem com Ossobuco com risoto e polenta cremosa, paleta de cordeiro com massa e salvia, picanha na brasa com purê de alho.

Garrafa de 750 ml

Garrafa de 1,5 Lts MAGNUM

Rapariga Da Quinta Das castas: Alicante Bouschet, Aragonês e Trincadeira - Estágio: 6 meses barrica carvalho Americano e Francês. Tonalidade granada de média concentração. Aroma de boa intensidade com a fruta madura a marcar presença, madeira bem integrada no conjunto, tabaco doce com leve especiaria e cacau, baunilha leve, fumo, seguido de aroma vegetal, por vezes dá a sensação de um vinho quente e madurão, acaba com ligeiro balsâmico. À boca mostra um vinho de estrutura média, com boa acidez, enche a boca durante a prova, chocolate preto, especiaria e vegetal, talvez a enjoar um pouco com o aumento de temperatura, final longo.

Quinta da Alorna Tinto Das Castas Alicante Bouschet, Castelão, Syrah, Tinta Roriz; de cor granada. Notas de frutas vermelhas madura e um ligeiro toque de madeira. Encorpado, redondo na boca, com taninos suaves. Estagiou 4 meses em barricas de carvalho americano.

Fundação Eugênio de Almeida Tinto Fruto jovem e fresco, boa densidade, notas de vegetal seco. De cor Granada vivo, das castas Alfrocheiro, Aragonês, Castelão, Moreto, Tinta Caiada e Trincadeira. Macio e com uma ligeira adstringência, característica da juventude. Bons taninos.

Dom Martinho Tinto Das castas Aragonez 50%, Alicante Bouschet 5%, Castelao 15%, Syrah 10%, Cabernet Sauvignon 20%, feito à partir dos mesmos vinhedos que a Quinta do Carmo Reserva. O nome do vinho Dom Martinho vem do talhão do mesmo nome, localizado em Estremoz na sub-região de Borda, no Alentejo. Acompanha Carnes harmonizadas com molho de vinho. Excellente com feijoada. Queijos neutros maturados.

Paulo Laureano Clássico e Paulo Laureano Clássico Magnum Das castas Alfrocheiro, Aragonez, Trincadeira, de cor Granada intensa. Privilegia claramente a componente de aromas primários onde ressaltam notas de ameixa confitada, amoras silvestres, pimentão vermelho maduro e especiaria, tudo num conjunto equilibrado e atrativo. 23


maduros e sabor frutado. Combina com polenta mole com ossobuco, caldo verde, cozido português, bife a cavalo, carne de sol com legumes, picanha na brasa, miolo de alcatra ao alho e óleo, picanha suína , mix de queijos e embutidos.

Quinta do Mouro Tinto Sendo feito com 45% Aragonez, 30% Alicante Bouschet, 15% Touriga Nacional e 10% Cabernet Sauvignon. Vindima manual para caixas de 20kg. Maceração pré-fermentativa a frio com pisa a pé durante 2 dias. Fermentação em cubas de inox com controlo de temperatura, longa maceração pósfermentativa. Prensagem em prensa vertical. 14 meses em barricas de Carvalho Francês e Português.

Quatro castas Esporão Das castas Touriga Franca, Tinta Míuda, Cabernet Sauvignon,Alicante Bouschet; estagiou 6 meses em barricas de carvalho francês. Aspecto límpido, cor viva e concentrada. Aromas que predominam os frutos vermelhos da Touriga Franca e as especiarias da Tinta Míuda. Na boca o Cabernet Sauvignon atribuiu estrutura e elegância, e o Alicante Bouschet concedeu intensidade e equilíbrio.

Bom Juiz Carmim Vinho de aspecto cristalino, cor rubi, aroma evoluído a compota e especiarias. Na boca apresenta-se vigoroso com suaves taninos que lhe conferem um prolongado final de prova. Distinguese pelas características regionais bem marcadas. Das castas Castelão, Aragonês, Trincadeira e Tinta Caiada. Acompanha muito bem carne de caça e pratos de carne de porco tradicionais do Alentejo.

Chaminé Tinto Montado com 4% Alicante Bouschet, 50% Aragonez, 2% Cabernet Sauvignon, 2% Petit Verdot, 23% Syrah, 19% Touriga Nacional; de cor Granada vivo. Mostra-nos um aroma atraente e perfumado, com frutas vermelhas e cerejas. O paladar é macio e bem equilibrado com fruta intensa e notas de especiarias. Tem corpo e boa estrutura de taninos.

Monte Castanheiro De cor rubi, intensos frutos vermelhos no nariz com notas de flores e cereja, medianamente encorpado, fresco e bem balanceado. Taninos delicados e subtis. Excelente para acompanhar com queijos e enchidos. Das castas Cabernet Sauvignon, Aragonês, Trincadeira, Alicante Bouschet, Periquita. Estágio de 12 meses em barricas de Carvalho Francês 30% novo, engarrafado sem qualquer filtragem.

Monte da Peceguina Tinto Feito com Aragonês (35%), Alicante Bouschet (30%), Touriga Nacional (15%), Syrah (10%) e Cabernet Sauvignon (10%); De cor Rubi intenso. No nariz tem Frutas vermelhas maduras, com toque de especiarias e madeira. Na boca é equilibrado e intenso, possui taninos 24


Dona Maria O corte harmônico das variedades Alicante Bouschet, Aragonês, Cabernet Sauvignon e Syrah deram origem a um vinho rico em frutos silvestres e especiarias. No paladar é redondo, com taninos aveludados e final persistente. Estagiou em barricas de carvalho francês por doze meses.

Fundação Eugênio de Almeida Reserva Tinto Das castas Alicante Bouschet, Aragonez, Syrah; de cor rubi. Possui aromas de frutas vermelhas maduras com toques de especiarias. Na boca apresenta bom equilíbrio, com taninos elegantes e final agradável. Após a fermentação parte do lote estagia em barricas de carvalho francês e americano.

Tapada do Fidalgo Reserva e Tapada do Fidalgo Reserva Magnum Das castas Alicante Bouschet, Aragonez, Trincadeira, de cor Granada. Com aromas de boa intensidade aromática, com notas de fruta do bosque fresca associadas a ligeiras notas florais e especiarias. Na boca apresenta taninos muito macios e maduros, boa concentração. Muito persistente e elegante. Estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês. Eleito vinho tinto do ano pela revista Gula 2011.

Esporão Reserva Tinto Foi criado através da vinificação das castas Trincadeira, Aragonês e Cabernet Sauvignon. Revela um aroma de fruta madura bem integrado com carvalho americano. O sabor é intenso e profundo com taninos robustos, encorpado e com uma estrutura que lhe garante uma boa evolução na garrafa, e vai bem com carnes e queijos.

Garrafa de 750 ml

Garrafa de 1,5 Lts MAGNUM Herdade do Grous Aragonês, Alicante Bouschet, Touriga Nacional e Syrah, que após um estágio de 6 meses em barricas novas de carvalho francês, dão origem a um vinho frutado, com bom volume de boca e final persistente. A breve passagem em carvalho aporta ao vinho agradáveis notas de especiarias.

Paulo Laureano Reserve Tinto Feito com 30% Alicante Bouschet, 40% Aragonez, 30% Trincadeira; De cor granada com tonalidade bem marcante. Suave e fino, sobressaindo as características das castas envolvidas. Notas de amoras pretas, alguma ameixa em passa e cassis misturam-se de forma elegante, permitindo ainda que a madeira surja de forma muito discreta. Na boca é um vinho macio, continua na próxima página

25


fresco com uma estrutura solidamente suportada pelos taninos das castas envolvidas. Estagiou 18 meses em barricas novas de carvalho francês.

Borba Reserva Rótulo de Cortiça Tinto Das castas Alicante Bouschet, Aragonez, Castelão, Trincadeira; de cor granada, com nuances acastanhadas. Vinho com caráter nobre do Alentejo, aroma rico e cheio a frutos bem maduros, compota e especiarias. Ao sabor é um vinho macio, com ligeira adstringência, equilibrado com taninos suaves e aveludados, com corpo, onde se nota o caráter frutado e ligeira evolução, que se prolonga no final da prova. Estagiou 12 meses em carvalho francês.

J.P. Ramos Vila Santa Das castas Aragonês, Trincadeira, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon. Cor granada intensa. Aroma que sugere frutos pretos muito maduros bem casados com especiaria de barrica. Elegante e encorpado com taninos macios bem presentes. Um vinho carnudo, poderoso e cheio. Acompanha Carnes vermelhas e massas com molho de tomate.

Monte do Pintor D.O.C. Cheio, persistente, complexo e de grande finura, onde sobressai a fruta muito madura e harmoniosamente conjugada com notas de madeira de estágio. Sólido e bem estruturado, com notas balsâmicas e de especiarias e um suave fumado revelador da presença de madeira. Um alentejano moderno elegante e harmonioso; com belo equilíbrio ácido que lhe prolonga o final. Das castas Trincadeira e Aragonês. Estagiou 12 meses em barricas novas de carvalho francês Allier e 12 meses em garrafa. Foram produzidas 14.150 garrafas numeradas.

Marques de Montemor Vinho feito com Aragonez, Castelão e Touriga Nacional. Ficou 6 meses em barricas de carvalho francês. Rubi intenso e concentrado. Aromas envolventes de frutos negros, chocolate, alcaçuz e especiarias. Boca carnuda, macio e equilibrado. Ataque maduro e de longa persistência no retro-gosto. Com aromas de frutas negras envolvidas em chocolate e especiarias. Harmônico e maduro, com taninos amáveis. Acompanha bem carnes vermelhas assadas na brasa e ensopado de cordeiro.

Clementina da Quinta Chã Das castas Alicante Bouschet, Aragonez; de cor granada viva. Intenso a frutos maduros, conjugado com subtis notas da madeira do estágio. Na boca é envolvente revelando uma estrutura com taninos presentes e uma ligeira acidez responsável pelo final de boca prolongado e harmonioso.

26


Altas Quintas Desenhado com base numa selecção de uvas com elevadas concentrações, das castas Aragonez, Trincadeira e Alicante Bouschet, o vinho fermentou em balseiros de carvalho francês Seguin Moreau com temperaturas controladas a que se seguiram macerações de 30 dias. Estagiou durante 16 meses em barricas novas de carvalho francês e americano, e após uma filtração grosseira, permaneceu em garrafa, até atingir um equilíbrio e uma harmonia que permitiu o seu lançamento no mercado. Vinho de cor granada profunda, com aromas de compotas de ameixa e amoras negras, mescladas com notas de especiaria e chocolate negro. Na boca revela associado a uma forte estrutura e uma frescura surpreendente, taninos firmes mas sedosos e uma agradável, longa e persistente elegância.

Tradições Antigas de Paulo Laureano Das Castas Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Aragonez, Tinta Grossa, Trincadeira , de cor Granada intenso. Notas de frutos negros densos e frescos, alguma especiaria e exotismo. Na boca é macio, com acidez viva, equilibrado e elegante. Fim de boca muito prolongado, com taninos jovens, suaves mas irreverentes. O melhor de tudo é que este vinho foi produzido a pedido da Adega Alentejana e foram feitas apenas 4000 talhas de barro com 750 ml. Desengace num “ripanso” e fermentação em talhas de barro, durante 10 dias. Filtração inicial através da “balsa”, estágio em depósito de inox e engarrafamento outubro de 2012. Este vinho foi produzido utilizando as mesmas técnicas que os romanos utilizavam há 2.000 atrás. Deve ser consumido jovem, em até 18 meses após seu engarrafamento. O Vinho vem servido em uma Talha/Ânfora. Típica vasilha de barro romana para armazenamento de água ou vinho.

Cartuxa D.O.C. Aroma evoluído, notando-se a presença da casta Trincadeira misturada com as notas quentes da planície alentejana. Das castas Alfrocheiro, Aragonês, Castelão, Moreto, Tinta Caiada, Trincadeira. De cor granada, boa prova de boca, tudo muito afinado, floral e cheio. Este vinho, embora possa ser consumido desde já, apresenta potencial para envelhecer. Estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês.

Restaurante Amigo do Enófilo

27


Dorinna Lindemmann Produzido com 100% da uva Touriga Nacional, estagiado durante 15 meses em barricas de carvalho Frances. De cor Rubi intenso com halo purpúreo. O aroma é intenso e complexo, com ameixas e cerejas maduras, especiarias, violeta e chocolate. Ótima estrutura gustativa, com taninos finos, destacado frescor e longa persistência. Combina muito bem com Cordeiro; Ensopado de costela; Caçarola de javali, ao exemplo.

Terra do Zambujeiro De cor púrpura. Intenso no nariz com um enriquecido bouquet de frutos vermelhos. Fresco na boca, compacto na estrutura, doce com uma pitada de especiarias. Final longo. Das castas Touriga Nacional, Aragonês, Trincadeira, Alicante Bouschet, com 90 pontos datados em um total de 100 por Robert Parker.

Mouchão Clássico Das castas Alicante Bouschet, Trincadeira; de cor granada profundo. Complexo e fino, de compotas de frutos vermelhos e especiarias, com notas do estágio prolongado em tonéis de carvalho e madeiras exóticas. Macio, com algum acídulo e uma marcante estrutura, onde se revela toda a complexidade entre as características varietais e a maturação do vinho. Potentes taninos, embora suaves à degustação, permitem um vinho bem equilibrado e de forte persistência. As uvas são vinificadas em lagares com pisa a pé e controle de temperatura. Após a fermentação, o vinho estagia durante 2 a 3 anos em tonéis de madeira com mais de 40 anos e capacidade superior a 2.000 litros. Importante: Este vinho deverá ser aberto pelo menos 1 hora antes de ser degustado. Recomenda-se que seja decantado.

Herdade do Perdigão Elaborado com 15% de uva Aragonez, 80% de uva Trincadeira e 5% de uvas Cabernet Sauvignon. A Herdade do Perdigão está situada no coração do Alto Alentejo, em Monforte, combinado com o terroir e com as vinhas, contribuem para a produção de vinhos distintos e diferenciados. Este vinho só é produzido nos melhores anos vinícolas, obtido a partir das vinhas mais antigas da propriedade (22 anos). De cor granada com tons acastanhados, possui aroma de frutas negras de compota, notas vegetais, especiarias, tornando-o um vinho complexo e de longa persistência. Permanece em barricas de carvalho francês por 18 meses e 12 meses em garrafa. Acompanha carnes de caça, cordeiro, Perdiz à Portuguesa e Queijos Maduros.

Quinta do Carmo Reserva A excelente e tradicional Quinta do Carmo é uma das melhores propriedades de Portugal. Este maravilhoso Reserva é sempre indicado para todas as relações dos melhores vinhos do país. A Revista de Vinhos apontou este 2004 como o melhor vinho do Alentejo. Profundo, denso e cheio de classe, com a elegância e a complexidade que são a marca continua na próxima página

28


registrada dos tintos da propriedade que hoje pertence aos Rothschild, do Château Lafite. Combinações com carne e cordeiro.

mas fácil de beber, com um longo final. Estagiou 8 meses em barricas de carvalho francês. A ilustração do rótulo pertence ao Livro de Horas de D. Manuel I (século XVI) referente ao mês de Setembro que retrata a vindima e a ceifa na época.

Paulo Laureano Reserve Vinea Julieta Talhão 24 Das castas alfrocheiro, alicante bouschet, Tinta Grossa. De cor granada intenso, com aroma exótico, onde se misturam sensações de compotas frescas de frutos negros, especiarias, tabaco e chocolate. Na boca é macio, fresco, estruturado, profundo e longo. Este vinho mostra como uma simples mistura de castas, Alfrocheiro, Tinta Grossa e Alicante Bouschet, num bloco de vinha com mais de 25 anos, pode produzir um vinho único pleno de emoções. A estrutura do Alicante é aligeirada de forma elegante pela frescura do Alfrocheiro e da Tinta Grossa, que simultaneamente conferem uma complexidade aromática extraordinária ao conjunto. Sendo uma produção de apenas 2.900 gfas numeradas. Estágio de 12 meses em gfa para que tudo fique harmonioso e equilibrado.

Zambujeiro De cor púrpura. Intenso no nariz com um enriquecido bouquet de frutos vermelhos. Fresco na boca, compacto na estrutura, doce com uma pitada de especiarias. Final longo. Das castas Touriga Nacional, Aragonês, Trincadeira, Alicante Bouschet sendo este o 1º caldo, não leva nenhum tipo de filtragem, postado durante 2 anos em barrica de carvalho francês 100% novo, com 95 pontos datados em um total de 100 por Robert Parker.

Incógnito VRA Syrah Feito 100% Syrah, de cor vermelho muito denso e escuro. Com aroma poderoso de frutos vermelhos bem maduros e baunilha. Na boca, o paladar é um luxo, cheio de fruta doce e cremoso em grande harmonia, com taninos ricos, carvalho bem balanceado e notas de baunilha. Este é um vinho enorme, generoso com bastante profundidade e concentração para garantir longevidade na garrafa. Estagiou 8 meses barricas carvalho americano.

Vale de Ancho Reserva Tinto Das castas alicante bouschet, aragonez, de cor granada, concentrada e viva. Aromas em que a madeira em que estagiou quase não se sente no aroma, deixando surgir a fruta em toda a sua exuberância (lembra ameixa, compota), e um ligeiro toque vegetal. Em boca, prima pelo grande equilíbrio de conjunto, com a madeira perfeitamente integrada, deixando uma suave baunilha que se liga bem com o fruto maduro e os taninos nobres e firmes. É um vinho carnudo, poderoso,

Restaurante Amigo do Enófilo

29


DOURO

Mouchão 3/4 Das castas Alicante Bouschet e Trincadeira, de cor granada escuro. Seu aroma que nos fala que é mais um grande Mouchão. Cheio de fruto e doçura, notas balsâmicas mentoladas, pimentas, nuances florais. Na boca é macio e com boa acidez, fruto fresco e leve, profundo e estruturado. Um vinho de alto nível de qualidade. As uvas são vinificadas em lagares com pisa a pé e controle de temperatura. O enólogo, Engº. Paulo Laureano, todos os anos coloca os melhores lotes de vinho nos tonéis de nº 3 e de nº 4. Se o vinho evoluir bem, então é engarrafado como Tonel 3-4. Caso contrário, o vinho destes tonéis é adicionado ao dos outros e engarrafado como um Mouchão normal. Até hoje só foi possível produzir o Mouchão Tonel 3-4 nas safras 96 e 99. Esta safra tem um significado muito especial. Comemora o centenário da fundação da adega da Herdade do Mouchão.

Flor de Crasto Vila Chã 14 anos e Flor de Crasto Vila Chã 14 anos Magnum Cor rubi intensa, aroma a frutos vermelhos, que remetem a framboesas e ameixa preta. Na boca apresentase um vinho bastante frutado, equilibrado com boa estrutura e taninos ligeiros que o tornam um vinho muito agradável. Um vinho que acompanha perfeitamente carnes grelhadas e assadas. Das castas Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional, Vinhas Velhas. Garrafa de 750 ml

Perâ Manca Tinto Das castas Trincadeira e Aragonês Complexo a passas de frutas e essências das madeiras de estágio. Encorpado, com um aveludado em harmonia com os taninos. Este vinho, embora possa ser consumido desde já, apresenta potencial para envelhecer. Com 18 meses em tonéis de madeiras com mais de 50 anos. A fama se deve um pouco ao nome insólito - que significa pedra manca, ou oscilante, e é uma característica de uma formação granítica de blocos arredondados soltos sobre uma rocha firme, outro tanto pela tradição, sendo vinho trazido pela nau de Pedro Álvares.

Garrafa de 1,5 Lts MAGNUM Quinta do Crasto Douro Na elaboração deste vinho são utilizadas as castas tradicionais do Douro - Tinta Roriz, Touriga Nacional, Tinta Barroca e Touriga Franca. Sem estágio em madeira, o leva à um vinho fresco, frutado e “fácil” de beber. Cor rubi intenso, aroma a frutos vermelhos muito maduros. Na boca a fruta está bem presente, com boa estrutura e taninos ligeiros que o tornam um vinho muito agradável.

30


DouRosa Tinto Feito com 30% Touriga Franca, 30% Tinta Roriz e 40% Touriga Nacional. De cor Vermelho brilhante com reflexos granada. Aromas de frutas vermelhas silvestres como cerejas e ameixas. Frutado, corpo médio, macio com taninos delicados e boa acidez. Acompanha pratos a base de carne vermelha e queijos de sabores mais fortes.

Lavradores da Feitoria Tinto Das castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca, e, uvas provenientes de algumas das melhores quintas localizadas em varias parte do Douro. Rendimentos limitados. Colheita manual. O vinho passou alguns meses parte em tanque de aço e outra parte em Pipa de carvalho. Acompanha Carnes grelhadas e massas.

Vale da Raposa Feito com às uvas Touriga Nacional e Tinto Cão. Estagia 7 meses em barricas de carvalho francês de Allier e Névers de 2º ano. De cor rubi límpido. Encanta pelas notas delicadas de framboesa e cereja, sobre violeta e tabaco. Macio, taninos e acidez muito bem integrados e leve final de boca tostado. Acompanha Carne de porco estufada com amêndoas e ameixas; Coelho ensopado com manjerona, legumes e vinho; Perdiz assada e servida com seu jus.

Altano Tinto Das uvas Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca, uma parte da produção estagiou em barricas de Carvalho Francês de 2 anos. Ideal para o consumo no dia à dia, em momentos informais, com a família ou entre amigos. O Altano evidencia bem as suas origens, refletindo na perfeição o estilo douriense: generosa amplitude aromática de flora silvestre (rosmaninho, esteva), estrutura possante com fruto fresco e assertivo (ameixa preta, cereja), notas minerais, especiadas, tudo muito bem conjugado num final de boca harmonioso e macio. Acompanhando bem carnes de caça como Pato, até um cordeiro.

Restaurante Amigo do Enófilo

31


Conversa Niepoort Com as castas Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinto Cão, proveniente de Vinhedos de até 40 anos de idade na região do Douro. Fermentado em lagares. Fermentação malolática em cubas de aço e em barricas de carvalho (20%). 20% do vinho é maturado em barricas de carvalho por 12 meses. Acompanha Carnes vermelhas e massas.

Três Bagos Lavradores Tinto Das castas Tinta Roriz, Touriga Nacional e Touriga Franca. Tres Bagos é mais um tinto do Douro, produzido com tres uvas, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Francesa oriundas de uma seleção de 15 quintas especiais. Parte da colheita é pisada em lagares abertos e outra parte em cubas. A maior parte estagia 12 meses em vasos de aço inoxidável, enquanto uma pequena parcela matura em barricas novas de carvalho francês. Acompanha Carne e cordeiro.

Quinta do Vallado Douro De cor âmbar, composto de Touriga Nacional e Franca, mesmo sendo armazenado em barril de aço inox, tem um composto interessante de pimentas e frutas vermelhas. Combina com cozidos de caça e Bacalhau.

Quinta de La Rosa Tinto Vinho produzido das castas Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Francesa e Tinta Barroca. Aromas intensos e vinosos; vinho encorpado e final prolongado. Acompanha pratos fortes.

Quinta do Cotto Um dos mais aclamados e tradicionais vinhos de Portugal, o consagrado Quinta do Côtto foi o primeiro “Vinho de Quinta” do país. Saboroso, rico e intenso, com ótima estrutura e concentração, sempre recebe excelentes notas da imprensa especializada. É um clássico de Portugal.

Vertente Niepoort Excelente tinto de Dirk Niepoort recebeu 93 pontos da Wine Spectator na safra 2006, classificando-se entre os melhores do país. Trata-se de um vinho potente e intenso, produzido com castas locais, mostrando grande personalidade, em um estilo ideal para acompanhar comida. Harmoniza muito bem com carnes e pratos bem elaborados.

32


premiado vinho da casa, mostrando muita estrutura, riqueza de fruta e grande elegância no palato. Linda combinação com Carnes vermelhas, pratos condimentados e queijos fortes.

Roquette & Cazes Das Castas Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, tinto de grande grande projecção aromática, com notas muito limpas de frutos silvestres frescos, em excelente harmonia com notas tostadas que fazem lembrar cacau. Elegante, volumoso com taninos macios e redondos. Boa complexidade, final profundo e longo. De cor Rubi intenso, com as Uvas Touriga Nacional(60%), Tinta Roriz(25%) e Touriga Franca(15%). Acompanha bem todos os tipos de carne e caça, bem como uma grande variedade de queijos.

Passagem Douro Tinto Feito com às uvas Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz. De cor Vermelho rubi intenso. Muito aromático, com destaques para as notas frutadas, principalmente as de ameixa. Vinho muito sedutor em boca, complexo e cheio e com um final longo. Combina com carnes vermelhas e massas com molhos condimentados.

Post Scriptum (Família Altano) Feito com às castas Touriga Franca (40%), Touriga nacional (40%) e Tinta Roriz (20%), onde as uvas são provenientes da Quinta Perdiz, Quinta do Vesuvio e Quinta do Bomfim. Envelhecimento 9 meses em barricas de carvalho francês. Acompanha Carnes vermelhas e caça.

Quinta do Ataíde Feito com 100% de uvas Touriga Nacional; com 10 meses em barricas de carvalho francês; Aromas fragrantes, florais, com maior evidência de violetas, rosas e rosmaninho, também com um toque mentolado discreto e subtil. Paladar sumptuoso, pleno de amoras e ameixa preta, com notas de chocolate e especiarias, tudo sustentado por excelente acidez e taninos polidos. Acompanha desde uma caça de cordeiro até o Bacalhau.

Quinta da Pacheca Reserva Uma das mais tradicionais e históricas propriedades do Douro, a Quinta da Pacheca goza de grande prestígio em Portugal, elaborando vinhos ricos e intensos, de personalidade bem portuguesa. Este é o melhor e mais 33


florais como a violeta, os de iodo e de madeiras exóticas. Estão também presentes os aromas provenientes da sua elevage em barricas como os de especiarias. Todo este conjunto contribui para a complexidade aromática bem evidente e que tende a aumentar com o tempo. Encorpado, com acidez presente e bem equilibrada, possui taninos firmes e maduros, bem envolvidos no seu corpo. Estas suas características aliadas ao seu aroma retro nasal tornam-no num vinho cheio, poderoso, e de final persistente.

Quinta da Touriga Chã Esta Quinta foi adquirida por José Rosas, figura carismática do vinho do Porto que enquanto viveu, foi personagem preponderante nas mudanças que a região conheceu a partir dos anos 80. A Quinta tem 20ha, com 8,5ha de vinha, majoritariamente Touriga Nacional, daí o nome da Quinta. As restantes uvas são fornecidas à casa Ramos Pinto. De cor vermelho intenso com toques reflexos de cor violáceos, com aromas complexo e refinados. Notas florais, especiarias e amoras pretas bem maduras, e 16 meses em carvalho francês.

Quinta do Vallado Touriga Nacional Muito concentrado, com notas balsâmicas da madeira de carvalho, frutos vermelhos bem maduros e violeta. Muito equilibrado, muita concentração de fruta vermelha, com taninos maduros e redondos e um final longo e fresco.

Quinta do Vale da Raposa Reserva Elaborado com às uvas Estagiando 9 meses em barricas novas de carvalho francês. Rubi intenso. Desprende ao olfato, frutos confitados, nuances florais e de especiarias. Muito largo em boca, com bela trama entre taninos elegantes e acidez vigorosa. Acompanha muito bem Cabritinho assado; Leitão assado; Costelinha com canjiquinha; Tripas à moda do Porto (estufada no tacho com feijão branco, orelha, chouriço e cominho).

Herdade do Perdigão Elaborado com 15% de uva Aragonez, 80% de uva Trincadeira e 5% de uvas Cabernet Sauvignon. A Herdade do Perdigão está situada no coração do Alto Alentejo, em Monforte, combinado com o terroir e com as vinhas, contribuem para a produção de vinhos distintos e diferenciados. Este vinho só é produzido nos melhores anos vinícolas, obtido a partir das vinhas mais antigas da propriedade (22 anos). De cor granada com tons acastanhados, possui aroma de frutas negras de compota, notas vegetais, especiarias, tornando-o um vinho complexo e de longa persistência. Permanece em barricas de carvalho francês por 18 meses e 12 meses em garrafa. Acompanha carnes de caça, cordeiro, Perdiz à Portuguesa e Queijos Maduros.

Duorum Reservas Vinhas Velhas Das castas Vinhas Velhas e predominantemente Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Sousão. Estagiou durante 18 meses em barricas de carvalho francês e Americano. Cor vermelha profunda e densa. Aroma intenso dominado pelos frutos pretos muito maduros, como amora e o cassis, e onde se notam ainda os aromas 34


taninos e um longo e persistente final. Ideal para acompanhar pratos fortes de carne ou caça.

Quinta das Murças Reserva Vinhas Velhas Este vinho é resultado de uma seleção de uvas colhidas em vinhas velhas, com mais de 40 anos. Apresenta uma cor retinta, notas de frutas maduras típica das castas da região. Estruturado, ideal para acompanhar refeições mais encorpadas. Com as castas Tinta Roriz, Tinta Amarela, Tinta Barroca, Tinta Miúda, Touriga Nacional, Touriga Francesa e Sousão. De cor Vermelho denso e opaco, com reflexos violáceos. Acompanha bem desde cogumelos recheados com queijo de cabra, lombo de novilho assado, vitela a milanesa e queijos duros. De aroma complexo, com aromas de frutos vermelhos e notas de fumo. Na boca e firme e elegante com notas frutadas e tostado. Bem estruturado e equilibrado.

Garrafa de 750 ml

Garrafa de 1,5 Lts MAGNUM Pintas Character De cor rubi Intenso, com aromas de frutos negros evoluídos bem integrados com a madeira de estágio, notas de chocolate e flores, elegante e equilibrado. A boca é de muita estrutura, taninos doces e saborosos, excelente frescura, final muito vibrante e longo. Produzido com mais de 20 castas, entre elas Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Rufete, entre outras. Quinta da Romaneira Reserva O Reserva da Quinta da Romaneira é a expressão suprema do terroir desta propriedade, resultado de uma selecção criteriosa dos melhores vinhos, produzidos a partir das castas nobres da região: Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinto Cão. O Reserva apresenta fruta bastante concentrada, no nariz surge moderadamente selvagem e aromático e no final longo e fresco. Destaca-se pela sua harmonia, equilíbrio e finesse, o que lhe permitiu o reconhecimento como um mais notáveis vinhos do Douro.

Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas e Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas Magnum Como o nome sugere, este vinho é feito com uvas de vinhas velhas com uma média de idade de aproximadamente 70 anos onde podemos encontrar cerca de 30 castas diferentes. Aroma complexo com fruta muito bem integrada com madeira revelando notas de especiarias. Na boca mostra-se intenso e profundo, bem equilibrado pela firme estrutura de

Passadouro Reserva Tinto De cor púrpura profundo, com aroma intenso de especiarias, frufas pretas, minerais, pão torrado, tudo muito bem integrado. Na boca é muito rico, bem balanceado com taninos firmes cobertos com notas de fruta. Muito elegante e sofisticado, com uma impressionante complexidade, corpo sedoso, fresco e sedutor. Tem uma enorme capacidade de envelhecimento. Produzido com continua na próxima página

35


as castas: 80% com mais de 20 uvas diversas de vinhas velhas com mais de 60 anos, 15% Touriga Nacional e 5% Touriga Franca. Estagiou 18 meses em barricas de carvalho francês.

Chryseia Criado pela parceria entre Bruno Prats, antigo proprietário do Château Cos d’Estournel em Bordeaux, e a família Symington, o Chryseia já é considerado um dos melhores vinhos de Portugal. Extremamente sofisticado e elegante, com cativante bouquet floral e de frutas maduras. Na boca é concentrado, potente sedoso. Foi o primeiro tinto português a ser indicado desde sempre entre os “100 Melhores Vinhos do Mundo” pela Wine Spectator.

Casa Ferreirinha Reserva Especial Como o nome sugere, este vinho é feito com uvas de vinhas velhas. Aroma com fruta muito bem integrada com madeira revelando notas de especiarias. Intenso, bem equilibrado, estrutura de taninos e um longo e persistente final. Acompanha Carnes de caça. Quinta do Crasto Reserva Touriga Nacional Apenas engarrafado nos anos em que se atinge um alto nível de qualidade, este vinho é feito com 100% de uvas da casta Touriga Nacional. Cor viva e concentrada, aroma intenso a fruta madura com notas de boa madeira. Grande presença na boca, macio e redondo, tudo muito bem afinado. Final longo e especiado. O Quinta do Crasto Touriga Nacional obteve 96 pontos na Wine Spectator.

Quinta do Vale Meão O disputado “Barca Nova”, elaborado com as mesmas uvas que costumavam produzir o famoso Barca Velha. Concentrado, extremamente rico e potente, muito complexo, ele bateu os maiores vinhos de Portugal em uma degustação às cegas organizada pela Revista de Vinhos. Realmente fantástico, foi o tinto português indicado para a lista dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” da Wine Spectator em 2005. Vinhedos próprios localizados na Quinta do Vale Meão, com predominância de Touriga Nacional. Linda combinação para carnes, cabrito e cordeiro. Borges Grande Reserva De cor límpida, e, vermelha intenso. É produzido com às uvas Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tricadeira e Sousão. Uma produção totalmente exclusiva, sendo com 5519 garrafas numeradas, este vinho é feito em uma das melhores propriedades do Douro, estagiando 12 meses em continua na próxima página

36


barricas de carvalho francês. Aroma a frutos de baga negros, eucalipto, notas anis e minerais a transmitirem complexidade. Vinho com a acidez equilibrada e volume, suportado por taninos bem maduros que transportam sabores frutados intensos e notas tostadas que prolongam o final. Ótimo com carnes de caça e queijos variados.

Especiarias, menta, ameixa e violeta. Sabor pleno, encorpado, de taninos elegantes e fianl de boca fino e persistente.

Vinha da Ponte Grande vinho tinto, de aroma intenso a chocolate, ameixa, amoras. Sabor intenso, encorpado, aveludado e persistente. De cor Opaca, com vibrantes tons de violeta carregado. Feito através da Assemblage de diversas uvas. Vinho tinto encorpado e elegante, para carnes nobres grelhadas, vermelhas, de caça. Queijos fortes e pratos a base de molhos cremosos.

Charme Feito com as castas Tinta Roriz, Touriga Franca, um dos mais aclamados vinhos de Portugal, produzido somente em safras com condições ideais, o magnífico Charme é a resposta do Douro para os grandes vinhos da Borgonha. Elaborado com castas locais, a minúscula produção é vinificada pelo genial Dirk Niepoort de modo a resultar em um tinto incrivelmente elegante, fresco e equlibrado, com taninos sedosos e grande complexidade. Maturou 15 meses em barricas de carvalho francês. Acompanha muito bem Pato, caça e cordeiro.

Adelaide Das castas Tinta Roriz, Tinta Amarela, Touriga Franca e outras (mais de 20 variedades misturadas). Em seu aroma temos notas balsâmicas de carvalho, figo, ameixas pretas e tabaco. Na boca é encorpado, firme, maduro com taninos acetinados. Notas minerais e um final complexo e persistente muito elegante. Acompanha muito bem carnes de caça, até bacalhau em posta.

Xisto R & C Roquette e Cazes é acima de tudo um encontro de dois amigos, Jorge Roquette da Quinta do Crasto e JeanMichel Cazes do Château LynchBages. Em 2002 as duas famílias decidiram criar uma empresa e produzir um grande vinho, que fosse marcado pelas características naturais do Douro e pela experiência dos Cazes que fazem vinhos em Bordeaux há cerca de um século. Aromas intensos e ricos.

Barca Velha O Barca Velha constitui um marco na história do vinho em Portugal e uma referência mundial. Intenso, complexo, elegante e rico, é desde a sua criação em 1952, pelas mãos de Fernando Nicolau de Almeida declarado somente em anos verdadeiramente excecionais continua na próxima página

37


sendo apenas 17 no total. As uvas são maioritariamente provenientes da Quinta da Leda (Vila Nova de Foz Côa). Feito com Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinto Cão. Bela cor rubi intensa. Estagiaram apenas 250 litros em barricas francesas durante 18 meses, e com aroma rico e complexo, marcado pela presença de frutos vermelhos maduros como a ameixa, framboesa, cássis. Encontram-se também aromas balsâmicos, menta e tabaco, e nuances a especiarias (cravinho e noz). Bouquet derivado da tosta das barricas onde permaneceu durante 16 meses. Na boca, tal como no nariz, é Exuberante! Néctar dos Deuses bem estruturado, cheio e encorpado. Toque delicioso e envolvente de chocolate com taninos vivos e firmes, equilibrados com uma excelente acidez. Final de boca marcado pela fruta vermelha e de chocolate. Divinal! Servido para acompanhar pratos mais cuidados de carne, caça e alguns queijos muito bem escolhidos.

João Pato Touriga Nacional Com quase pela totalidade de Touriga Nacional, com uma pequena parcela de Baga; são vinhedos próprios na região da Bairrada. Vinificação tradicional, com controle de temperatura. Maturado em pipas de carvalho. Acompanha Carnes, pato, cordeiro, massas.

Rebel Pato Feito com Baga 100%. Maceração curta a baixa temperatura, para preservar as notas frescas de frutas. Não passa por barrica para preservar a fruta. Combina perfeitamente com aves, peixes e carnes leves. ótima companhia pra risotos, massas, pizzas.

Luis Pato Baga Touriga Nacional Tinto e Luis Pato Baga Touriga Nacional Tinto Magnum O tinto Luis Pato é o tradicional Bairrada da casa, proveniente da cepa Baga, de vinhas próprias. É envelhecido em pipas de 650 litros de carvalho francês, o que lhe confere maior equilíbrio e maciez. Trata-se de um vinho de excelente relação qualidade/preço, muito aromático, saboroso e com taninos marcantes, mas redondos. Acompanha carnes vermelhas, caça e Bacalhau.

DA BAIRRADA Vinha do Putto Tinto Feito com às castas Merlot, Syrah, Tinta Roriz e Touriga Nacional. Estaciona de 3 a 6 meses em barricas de carvalho francês. Acompanha Carnes grelhados. Embutidos. Massas.

Garrafa de 750 ml

Garrafa de 1,5 Lts MAGNUM

38


Vinhas Velhas de Luis Pato Luis Pato é o maior nome da Bairrada e talvez o maior enólogo de Portugal. O Vinha Velhas tinto mostra a casta Baga “domada”, mas cheia de potência e fruta, com uma enorme capacidade de envelhecimento - comprovada pela jornalista inglesa Jancis Robinson, que achou o da safra de 1985 tão bom que resolveu comparálo com um bom Bordeaux da mesma safra. O Bordeaux sucumbiu diante da grandiosidade do Vinhas Velhas. É uma ótima pedida para acompanhar pratos elaborados. Vinho muito aconselhado com carnes de Cordeiro (Burrego) e Leitão da Bairrada.

Quinta do Ribeirinho Pé Franco - Luis Pato Verdadeiro ícone do vinho português, o Quinta do Ribeirinho Pé Franco é um dos melhores e mais únicos vinhos do mundo. As vinhas de Baga são plantadas sem enxerto, em “pé franco”, como era feito antes da filoxera. Os rendimentos são ínfimos e a minúscula produção de cerca de 80 caixas por ano é disputadíssima. Poderoso e bastante concentrado, com uma profundidade incomum, mas grande classe e elegância, é um tinto grandioso, para durar décadas. 91 em Robert Parker.

DO DÃO Boas Vinhas De cor Vermelho rubi. Aroma intenso com destaque para frutas vermelhas e toques de cacau. Em boca revela um agradável frescor, taninos elegantes e retrogosto delicado. Excelente para acompanhar carnes vermelhas e queijos de massa mole. Um vinho muito saboroso, direto e gostoso de ser bebido.

Outrora Clássico Feito com 100% da casta Baga. Uvas parcialmente desengajadas e fermentadas lentamente em lagar com pisa a pé. Fica por um período de 24 meses em barricas de carvalho francês. De cor vermelho purpura intenso. Notas minerais, florais e chocolate negro. Especiarias completam a complexidade aromática. Na boca mostra-se muito elegante, com acidez e estruturas impares confirmando os aromas. Muito complexo. Combina com pratos com boa estrutura como leitão, carnes de caça e molhos estruturados.

Quinta da Garrida Dão Elaborado a partir de uvas selecionadas das variedades Tinta Roriz, Jaen e Touriga Nacional. O estágio de doze meses em barricas francesas e americanas permitiu obter um vinho harmônico, volumoso e com boa persistência.

39


DO ALENQUER, SETUBAL, TERRAS DO SADO E LISBOA

Quinta da Ponte da Pedrinha Feito com Touriga Nacional, Tinta Roriz e Jaen. Vinhedos localizados na região do Dão com solos graníticos. Idade média de 30 anos. Colheita a maturidade completa. O vinho amadurece 9 meses em Barricas de carvalho francês. Acompanha Carnes grelhadas e massas.

Quinta da Chocapalha A Quinta de Chocapalha é o bemsucedido projeto da talentosa enóloga Sandra Tavares da Silva, responsável pelo mítico Pintas na região do Douro. Este ótimo Cabernet Sauvignon é macio e saboroso, com boa estrutura, ótima acidez e elegante presença de madeira. Já foi eleito o melhor Cabernet Sauvignon de Portugal pela Revista de Vinhos. Muito bem com carnes vermelhas.

Quinta do Roque Dão Sendo um vinho do Dão com 100% touriga nacional, amadurece 12 meses em barricas de carvalho francês. De cor rubi muito profundo. Ao aroma é expansivo, com violeta, frutos vermelhos e caruma de pinheiro, complexo e elegante. Potente e longevo, com rica trama de taninos e longa persistência, acompanha muito bem carnes de Caça cozidas, ou até, o clássico Luso, cabrito assado.

Quinta do Pinto Sendo 100% touriga nacional, este vinho tem cor granada carregada com tons violáceos. Ao aroma têm notas intensas de violetas, juntamente com traços de frutos silvestres como groselha e amora, assim como notas de café e tabaco. Ao palato apresenta uma voluptuosa entrada com taninos elegantes e sedosos. Termina longo e elegante. Ótimo para pratos de carne vermelha e caça, assim como queijos variados.

Quinta do Penedo Das castas Touriga Nacional e Alfrocheiro. Cor intensa e bem avioletada, o nariz é cheio de frutos silvestres muito bem combinados com uma elegante especiaria e madeira, na boca é volumoso, frutado e encorpado, é um vinho guloso, notas florais evidentes e com um final médio/longo.

Lybra Syrah Nova criação da cultuada Quinta do Monte d’Oiro, Lybra é um belíssimo Syrah de grande complexidade e concentração, rivalizando os melhores vinhos produzidos no norte do Rhône. Sua maturação é dada por 10 meses em barrica de carvalho francês. Acompanha muito bem carnes de caça, como cordeiro, pato e afins.

Quinta do Perdigão Colheita Ótimo tinto elaborado com uvas Touriga Nacional (50%), Jaen (20%), Tinta Roriz (20%) e Alfrocheiro Preto (10%), todas elas classificadas como nobres na região. Recebeu a medalha de prata do concurso “O Melhor Vinho do Dão no Produtor”. Tem cor vermelho-rubi, com reflexos grená. O aroma é de ameixa preta e amora casando-se com mentolados e ervas aromáticas, com notas de pimenta e cravo. Na boca tem taninos finos, grande frescura e equilibrio. Harmônico com carnes, em especial Cordeiro (Borrego).

Restaurante Amigo do Enófilo

40


e com utilização de robô para pisa. A fermentação maloláctica e o estágio tiveram lugar em 90% de barricas novas de carvalho francês, durante 20 meses.

Só Touriga – Bacalhôa Da região da Península de Setúbal, Próximo à Lisboa, de aroma frutado, com notas florais e de baunilha. Em boca é amadeirado, floral, com taninos maduros. Envelhecido em 12 meses em barricas de carvalho francês(50%) e americano(50%).Acompanha muito bem carnes grelhadas, churrasco, massas com molhos cremosos, queijos fortes.

Palácio da Bacalhôa Tinto de aroma intenso, frutado, com notas de flor e de baunilha. Em boca é encorpado, denso, de taninos firmes e maduros, saboroso e muito encorpado. Acompanha Queijos fortes, carnes de caça, carnes nobres grelhados, aves de caça, suíno.

Quinta da Bacalhôa Vinha plantada na Quinta da Bacalhôa encontra o “terroir” ideal para a produção de excelentes vinhos - solos calcários vermelhos e bem drenados com clima ameno devido à forte influência atlântica. As castas escolhidas no encepamento da Quinta - o Cabernet Sauvignon e o Merlot beneficiam das condições naturais para uma maturação lenta e equilibrada. Com uma seleção criteriosa, contemplando numerosas provas e análises, criou-se o lote final que estagiou em barricas novas de carvalho francês 11 meses. De cor intensa rubi, o apresentam aromas de frutos encarnados combinados com aromas de madeira e menta, e uma estrutura elegante e complexa. Possui um grande potencial de envelhecimento. É o acompanhante ideal de pratos de carnes vermelhas, caça.

ESPANHA Doña Carmen Riserva Destaca-se por sua bela cor vermelho telha de muita intensidade. No nariz é excepcional por seus límpidos e complexos aromas. Sendo explendido na boca, saboroso, amplo e redondo com um potente final devido a sua grande estrutura. Combina perfeitamente com carnes de caça, carnes vermelhas com molhos fortes ou aves com recheios fortes.

ARGENTINA Catena Malbec Um grande Malbec argentino, o Catena Malbec já se tornou um verdadeiro clássico, com uma elegância e um senso de proporção raramente encontrado em outros tintos de seu país. Já foi indicado como um dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” pela Wine Spectatorum feito surpreendente para um vinho deste preço! Trata-se de um tinto encantador, com concentração e intensidade, mas também charme e muito caráter. Segundo Jancis Robinson, ele “tem a estrutura de um Bordeaux, oferece mais do que o esperado, e é tão bom!”

Chocapalha Touriga Nacional Montado sob as castas e argumentos em 15% Syrah, 30% Tinta Roriz, 55% Touriga Nacional, tem sua cor Intensa, de tonalidades violeta. À boca, apresenta uma boa estrutura com taninos bastante maduros, o que confere ao vinho um excelente corpo e um grande potencial para envelhecimento em garrafa. O final de prova é rico, elegante e longo.Este vinho foi montado sob a fermentação alcoólica foi feita em lagares, com controle de temperatura, não ultrapassando 26°C, durante 12 dias, 41


é elegante, macio e bem equilibrado. Robert Parker já descreveu seu bouquet como “quase de um borgonha” e elogiou o corpo “ concentrado e harmonioso, com taninos soberbamente maduros”. Impressionante relação qualidade/preço. Sua maturação é feita 56%, onde o corte matura por 5 meses em barricas de carvalho de segundo uso. 44% do corte matura em cubas de aço inoxidável. Acompanha carnes vermelhas grelhadas e boas caças.

D.V. Catena O excelente DV Catena Cabernet Malbec é elaborado com o emblemático corte argentino, combinando a exuberância de fruta da Malbec com a estrutura e elegância da Cabernet Sauvignon. Produzido para o mercado interno argentino, este vinho de pequena produção é exportado somente para o Brasil.

Angélica Zapata Este disputado Malbec é produzido para o mercado interno argentino, onde é cultuado e esgota-se rapidamente, alcançando preços estratosféricos em safras antigas. As uvas vêm de vinhas selecionadas, plantadas em grande altitude, com rendimentos muito baixos, que resultam em um vinho muito complexo e exuberante, com excelente presença de boca e enorme capacidade de envelhecimento.

Montes Alpha Com 91 pontos de Robert Parker em sua safra inaugural, o Montes Alpha Carmenère já desponta como uma das melhores opções desta que é a casta mais emblemática do Chile. Para Parker, trata-se de “uma soberba interpretação desta fantástica uva”. Concentrado e exuberante, como os demais vinhos da linha Montes Alpha, mostra camadas de frutas maduras e especiarias, sem com caráter excessivamente vegetal de alguns Carmenère. Promete ser um dos maiores sucessos entre os tintos chilenos.

CHILE Carmen Reserva Pinot Noir De cor rubi translúcido, em seu conjunto de aromas, confere-se frutas vermelhas maduras, baunilha, especiarias (pimenta do reino e cravo da Índia) e tostado a fruta e a madeira se equilibram. Na boca seu retrogosto com predomínio das especiarias. Boa acidez. Corpo médio. Média persistência. Perfeito com queijos, frutas secas, saladas, entradas e carnes delicadas.

BRASIL Entre Vilas Para continuarmos nossa história do SLOW FOOD, nada melhor que privilegiar e mostrar à vocês um produto de Excelência de nossa região. Este lindo vinho é feito com à Assemblage de grande parte Syrah e outros cortes menores, feito pelo Enólogo e amigo da Casa Rodrigo Veraldi, é confeccionado artesanalmente, produzido à 1.600 metros de altitude, com um clima ímpar, com verões chuvosos, invernos imensamente frios e primaveras de grandes amplitudes térmicas. Um vinho com palato marcante, ainda mais para o “terroir” singular.

Casa Lapostolle Cabernet Sauvignon Sendo a assemblage de Merlot - 85%, Cabernet Sauvignon 15%, a uva Merlot é uma das grandes especialidades da Casa Lapostolle, mostrando grande caráter varietal e profundidade. Uma das escolhas mais “sólidas” para a Wine Spectator, este saboroso tinto 42


Ementa de Bebidas CERVEJAS ESPECIAIS PORTUGAL

Carlsberg Pilsen Produzida em Portugal pela Super Bock sob licença da Carlsberg Breweries Copenhagen -Dinamarca, com padrões de elevada qualidade, Carlsberg é uma cerveja que dá prazer beber pois é equilibrada nas suas características: sabor, cor, espuma e gás. Com Teor alcoólico de 5,0%, sua cor é dourada, brilhante, espuma branca e cremosa. De aroma 100% malte e condimentada com aroma único a lúpulo.

Super Bock Original Com cor dourada, aroma rico e complexo, ligeiramente frutado. Sabor suave e moderadamente amargo. Única marca no mercado a ganhar 28 medalhas no concurso internacional Monde Selection da la Qualité, Super Bock é produzida a partir de matérias-primas selecionadas e de elevada qualidade, que lhe conferem um conjunto de características de cor, sabor, espuma e corpo que a diferenciam das restantes cervejas no mercado e que a tornam numa cerveja apetecível e largamente apreciada.

Garrafa com 250 ml

ESPANHA

Garrafa com 250 ml

Barcelona Estrella Damm É um coupage único, mescla de maltes de cevada e trigo, aromatizada com lúpulos e especiarias como coentro, casca de laranja e alcaçuz. A segunda fermentação na garrafa lhe proporciona complexidade aromática, fruta e floral, com notas doces no paladar. É uma cerveja de textura cremosa, fresca, com suave carbonatação e retrogosto agradável.

Super Bock Stout Super Bock Stout é a cerveja preta especial de Super Bock, produzida a partir de maltes especiais: malte pálido, malte de Caramelo e malte de Chocolate que lhe conferem um aroma e gosto distinto, bem como uma espuma cremosa e duradoura. Super Bock Stout difere das Cervejas Pretas existentes no mercado, dado ser mais rica em extrato, mais encorpada, com aroma e gosto mais complexo (frutado) e não tão torrado. O cuidado e o tipo de matérias primas utilizado no processo de fabrico de Super Bock Stout resultam numa equilibrada combinação entre o doce e o amargo revelando um sabor único. Um Sabor Autêntico.

Garrafa com 330 ml

Inedit Estrella Damm Cerveja lager de sabor e caráter universal, ideal para ser apreciada em qualquer momento do dia. Sua elaboração cuidadosa e qualidade na seleção das matérias primas resultam em uma cerveja refrescante, com espuma cremosa e bom aroma de lúpulo.

Garrafa com 330 ml

Garrafa com 750 ml

43


BADEN BADEN TRADICIONAL BOCK Cerveja Escura

BRASIL

Elaborada com malte e lúpulo de qualidade superior, a Baden Baden Bock é forte, possui corpo médio, cor escura, sabor adocicado e aroma tostado. O nome Bock é de origem alemã e vem de Einbock, a maneira como sua cidade de origem, Einbeck, era pronunciada na Bavária. É uma cerveja totalmente artesanal e perfeita para o inverno.

BADEN BADEN CRISTAL PILSEN/LAGER Leve, dourada e de aroma frutado. Criada há mais de 150 anos, na República Checa e, hoje, uma das cervejas mais conhecidas e produzidas do mundo, a Baden Baden Pilsen é saborosa e refrescante. Uma receita exclusiva produzida com a puríssima água das montanhas de Campos do Jordão, malte de cevada e lúpulo especialmente selecionados. Como o próprio nome diz, é preciosa como um cristal.

Garrafa com 600 ml

Cerveja Campos do Jordão de Avelã Outra Dubbel com avelã, Coloração cobre, turva e com boa formação e duração de espuma clara. Aroma de caramelo e levemente com castanhas. Na boca uma cerveja agradável.

Garrafa com 600 ml

Cerveja Campos do Jordão de Pinhão Uma Dubbel com Pinhão, sem teor alcoólico descrito no rótulo. Coloração cobre, turva e com boa formação e duração de espuma clara. Aroma de caramelo e levemente com castanhas, talvez do pinhão. Na boca uma cerveja agradável, com álcool destacado causando um aquecimento e também um sabor levemente adocicado. Uma boa cerveja dubbel que leva pinhão na receita.

CERVEJAS PEQUENAS NO TAMANHO E ESPECIAIS NO SABOR

Eisenbahn nas opções Pilsen, WeizBier e Orgânica ......... Garrafa com 330ml

CERVEJAS TRIVIAIS Heineken ............................... Garrafa com 330ml

44


REFRIGERANTES

VODKAS

lata com 350 ml

dose de 50 ml

IMPORTADAS ÁGUA

Absolut

Água Mineral (Minalba Premium) Opções com e sem gás Garrafa com 300 ml

NACIONAIS LICORES

Água das Pedras Salgadas (Portuguesa - Fonte Água das Pedras)

dose de 50 ml

IMPORTADOS

Garrafa com 250 ml............................

Drambuie, Frangélico, Amadeus

Garrafa com 750 ml.........................

SUCOS

NACIONAIS

Jarra com 300 ml

Naturais

Amareto Del Orso, Benedictine, Cointreaux, Strega

WHISKYS

dose de 50 ml

APERITIVOS

IMPORTADOS 12 ANOS

dose de 50 ml

IMPORTADOS

Ballantines, Chivas Regal, Buchanan’s, Dimple, Black Label

Bagaceira Portuguesa, Vinho do Porto (Ruby), Tequila

IMPORTADOS 8 ANOS

NACIONAIS

Red Label,Grants, J.B., J. Daniels

Campari, Steinheger, Undenberg, Martini

NACIONAIS

Bell’s, Passport, Natu Nobilis, Old Eight

Caipirinhas Drink com 150 ml Caipirinha de Pinga . ............................ Caipiroska.............................................

COGNACS

Caipiríssima.......................................... Caipiroska de Vodka

IMPORTADOS

Importada Absolut............................

dose de 50 ml

Fundador, Henessy, Remy Martin, Napoleon, Solera

EMBALAGENS POR UNIDADE

Pequena Até 400ml......................... Média Até 1000ml............................ Grande Até 7000ml. ........................

NACIONAIS

Domecq, Macieira

45


Índice EMENTA DE VINHOS........................... TIPOS DE TAÇAS ..................................... REGIÕES VINÍCULAS ............................. BRANCOS E ROSÉ - ALENTEJO .......... BRANCOS E ROSÉ - DOURO ............... ROSÉ - EXTREMADURA ........................ BRANCOS E ESPUMOSOS - BAIRRADA ................... MONÇÃO/MINHO VERDES, ALVARINHOS E ESPUMOSOS ............. TERRAS DO SADO E ALENQUER (PRÓXIMO À LISBOA) ........................... TINTOS ALENTEJO TINTOS ................................. DOURO ...................................................... DA BAIRRADA ......................................... DO DÃO ..................................................... DO ALENQUER, SETUBAL, TERRAS DO SADO E LISBOA .............. ESPANHA .................................................. ARGENTINA ............................................. CHILE .......................................................... BRASIL .......................................................

11 12 14 15 18 19 19 20 22 22 30 38 39 40 41 41 42 42

EMENTA DE BEBIDAS ......................... 43 CERVEJAS ESPECIAIS ............................ 43 e 44 CERVEJAS TRIVIAIS................................ 44 REFRIGERANTES, ÁGUA, SUCOS, WHISKYS, COGNACS, VODKAS, LICORES, APERITIVOS, EMBALAGENS ......................................... 45

46


Ementa vinhos Vila Chã.