Page 1

www.diariodepernambuco.com.br/política

Te le fo ne : 2122.7508 e-mail : politica.pe@dabr.com.br

P E R NA M B U C O DIARIOdeP

Editor: Suetoni Souto Maior Editores-assistentes: Andrea Pinheiro, Glauce Gouveia e Kauê Diniz

Recife, QUI - 08/05/2014

POLÍTICA diario político

marisagibson.pe@dabr.com.br diariodepernambuco.com.br

Pauta urgente

Governador vai a Brasília hoje negociar com ministro de Transportes modelo definito para projeto que desafogará a BR-101 Norte

Um matou, no Rio de Janeiro, com um rojão, o cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, em fevereiro passado. O outro, na última sexta-feira, assassinou, ao jogar uma privada do alto do Estádio do Arruda, no Recife, o torcedor do Sport Paulo Ricardo Gomes da Silva. Em comum, além da pouca idade, 23 anos, a profissão de auxiliar de serviços gerais e um futuro sem perspectivas, próximo da violência bárbara que cometeram. A distância física entre Caio Silva de Souza (morador de Nilópolis) e Everton Felipe Santiago de Santana (morador do Recife) é de 2,3 mil quilômetros, mas as vidas de ambos os aproximam, repletas das dificuldades e da falta de oportunidades enfrentadas pelos jovens de origem humilde. Nada justifica o comportamento que tiveram mas o Brasil, em ano de eleição presidencial, precisa discutir com profundidade problemas que aparentemente possam ter sido resolvidos. A realidade das ruas, das drogas, da falta de educação de qualidade e da crescente violência urbana coloca em xeque não apenas as ações dos recentes governos, mas também a imagem de que o brasileiro é um povo gentil por natureza, com um sorriso no rosto apesar de tudo. A situação é bem mais complexa do que essa visão romântica e deve ser incluída na pauta dos presidenciáveis. Por todo o Brasil, crescem novos Caios e Evertons que buscam na exteriorização da violência um escoadouro para suas frustrações, diante de uma sociedade do consumo na qual a pessoa é avaliada pelo que pode comprar e possuir.

JAIRO LIMA ESPECIAL PARA O DIARIO politica.pe@dabr.com.br

O

projeto do Arco Metropolitano de Pernambuco pode ter uma definição ainda hoje. O governador João Lyra Neto (PSB) e o secretário João Bosco (Infraestrutura) embarcaram para Brasília, onde se encontram com o ministro Cesar Borges (Transportes) para negociarem um possível modelo definitivo do edital que viabilizará a obra. As divergências tiveram início quando o projeto apresentado no edital pelo Departamento Nacional de Trânsito de Infraestrutura (DNIT) apontava para construção em uma Área de Proteção Ambiental (APA), o que não foi aprovado pela Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH). A costura de Lyra ainda pretende aparar qualquer ares-

Expozebu Uma comitiva de pecuaristas pernambucanos, liderada pelo presidente da Sociedade Nordestina dos Criadores, Emanuel Rocha, está hoje em Uberaba para prestigiar a visita que o ex-governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB) fará à Expozebu, a maior feira do setor no país.

Os advogados do deputado em Nova York propuseram à Promotoria da cidade uma multa de R$ 2,2 milhões

ta que tenha ficado entre o governo federal e governo estadual depois da confirmação da pré-candidatura de Eduardo Campos (PSB) à Presidência da República contra a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Para deixar o clima ainda mais desconfortável, no final do mês de março, o Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu um primeiro edital lançado pelo próprio Dnit, alegando que não constatava clareza na apresentação de vida últil da estrada ou pontos de interseção com outras rodovias existentes. O encontro aconteceu devido à intervenção da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, que, na prática, libera os recursos para execução da obra através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O projeto apresentado pelo Dnit previa 77 quilômetros de rodovia expressa de 20 anos de vida útil, ligando as zonas da Mata Norte e Sul, com orçamento estimado em aproximadamente R$ 1 bilhão. Até o final da tarde de ontem, segundo a assessoria da CPRH, o corpo técnico do órgão trabalhava em projetos alternativos para serem apresentados na reunião de

ALUISIO MOREIRA/SEI

hoje pelo governador e secretário. O projeto alternativo é considerado mais oneroso, o que estaria dificultando o andamento do processo. A rota é uma alternativa à BR-101 Norte para desafogar o trânsito no complexo industrial - mais de 10 indústrias na área de Goiana, Itapissuma e Igarassu, incluindo a montadora Fiat/Crysler.

Miriam Belchior foi quem interviu para que a conversa de hoje entre Lyra e Borges acontecesse

Pai e filha, juntos, em outdoors

Só deu para o café Ontem, depois de servir a primeira rodada de café na Câmara Municipal do Recife, o garçon Jô ficou surpreso: ao voltar para o plenário com uma bandeja com água, a sessão já havia acabado. E tem sido assim todas as quartasfeiras, porque os vereadores, que vão concorrer a um mandato de deputado, querem sair cedo para ir para o interior fazer campanha.

JO CALAZANS/ESP.DP/DA PRESS

JOÃO VÍTOR PASCOAL ESPECIAL PARA O DIARIO politica.pe@dabr.com.br

PAULO PAIVA/DP/D.A PRESS

Há uma crença de que política e futebol não é uma boa mistura. Pois bem, Felipão anunciou os 23 jogadores que vão integrar a Seleção Brasileira para o Mundial, que terá o Maracanã como palco da grande final. Pois é, o Maracanã não é mais estádio, é arena, mas a derrota de 1950 do Brasil para o Uruguai continua intacta na memória nacional, mexendo com o brio de muitos torcedores. Em menor proporção do que acontecia no passado, o desempenho da seleção pode ou não beneficiar os governos. No pentacampeonato, em 2002, o então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) assistiu o jogador Vampeta fazer sucessivas cambalhotas na rampa do Palácio do Planalto, mas nem por isso elegeu seu sucessor. Quem ganhou a eleição foi Lula, que derrotou o tucano José Serra. Agora, 12 anos depois, a seleção jogando novamente em casa, quem está exposta é a presidente Dilma Rousseff (PT), correndo todos os riscos, a começar pela possibilidade real dos protestos de junho de 2013 serem reeditados, podendo terminar com a vitória ou derrota do Brasil. São 220 milhões de torcedores com um olho nos jogos e o outro nas ruas. Pois é, esse possível hexacampeonato está mais com cheiro de urna do que de futebol.

Maluf tenta acordo para não ser preso

Pressa para destravar o Arco Metropolitano

por marisa gibson

Dilma e os 23

B2

Lideranças políticas do estado continuam utilizando brechas jurídicas para expor outdoors nas ruas e chegar ao eleitor. Ontem, vários outdoors foram espalhados nas ruas do Recife com imagens do governador João Lyra (PSB) e de sua filha, a deputada estadual Raquel Lyra (PSB), précandidata à reeleição, com mensagem dela: “Pernambuco segue em frente. Parabéns João Lyra, governador do estado. Com você, Pernambuco continua em boas mãos”. A propaganda ressalta a influência f luência de Raquel junto ao governador com o “V” de vitória e usa termos adotados pelo PSB como “continuidade” e “seguir frente”, mas o Tribunal Regional Eleitoral informou, por meio da assessoria, que só vai dar início à fiscalização a partir de 6 de

julho ou se provocado pelo Ministério Público Eleitoral. A proibição de outdoors, ao final, provoca divergências entre advogados e órgãos fiscalizadores e não funciona na prática. De acordo com o advogado especialista em direito eleitoral, Bruno Batista, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mudou o panorama do que é considerado propagan-

da antecipada. “Se a pessoa já exerce um cargo, e põe um outdoor sem que haja o pedido expresso de voto ou sem mencionar as eleições, o TSE tem considerado que não há irregularidade”, disse. Já a advogada eleitoral Fernanda Caprio, que atua em São Paulo, avalia que tal tipo de publicidade só beneficia os nomes de mais recursos.

A deputada e pré-candidata à reeleição Raquel Lyra e o pai, João Lyra, fazem o “V” de vitória em imagem do outdoor

Fiat dp 08 05 2014 b  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you