Issuu on Google+

PORTFÓLIO, 2013 Mónica Couto


PORTFÓLIO, 2013 Mónica Couto Trabalhos selecionados Design de Interiores


PORTFÓLIO Mónica Couto

website: http://www.behance.net/monica_couto Contacto: monicacouto.esad@gmail.com (+351) 915735210

Mónica Couto nasceu a 27 de setembro de 1989, no Porto, em Portugal. Em 2007 candidatou-se à Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos (ESAD), onde se formou. Em 2011 licenciou-se em Design de Interiores e, em 1013, tornou-se Mestre, também em Design de Interiores. Durante a realização da sua tese de Mestrado, teve o privilégio de estagiar no atelier dos Arquitectos Anónimos e, com eles, elaborar a conceção expositiva da “DUETS”, uma das exposições integradas no evento internacional Art on Chairs, inagurada a 14 de setembro de 2012, uma iniciativa enquadrada no projeto Paredes - Polo de Design de Mobiliário. Ao longo do seu percurso académico participou em diversos concursos e workshops na área de Design de Interiores, Design de Produto e Arquitetura e, em 2009/2010 juntou-se ao Erasmus Exchange Program, no Politecnico di Milano, em Itália. Para além da sua paixão por tudo aquilo que que se relacione com Design de Interiores, Mónica é também fascinada pela ideia de conhecer o mundo e, por isso, um dos seus passatempos preferidos é viajar.


8

Resumo Trabalhos selecionados:

10 16 22 28 32

Duets Casa Armário House M Spa Três Artistas, Uma Galeria Workshops:

34 38 40

Viewport Workshop Arena Selfmade Workshop Morfologias Analógicas


RESUMO Educação e formação 2011|2013 ESAD | Escola Superior de Artes e Design - Mestrado em Design de Interiores Matosinhos | Portugal 2010 | 2011 ESAD | Escola Superior de Artes e Design - Finalização da Licenciatura em Design de Interiores Matosinhos | Portugal 2009 - 2010 setembro| fevereiro Erasmus | Politecnico di Milano - Design de Interiores Milan, Italy 2007 - 2009 ESAD | Escola Superior de Artes e Design - Licenciatura em Design de Interiores Matosinhos, Portugal 2001 - 2007 ESAS | Escola Secundária Aurélia de Sousa Porto, Portugal

Experiência Setembro 2012 Atelier Arquitectos Anónimos Conceção expositiva da “DUETS”, uma das exposições integradas no evento internacional Art on Chairs, uma iniciativa enquadrada no projeto Paredes - Polo de Design de Mobiliário.

Workshops ESAD 2012 . (10 dias) “Arena Selfmade Workshop”, workshop de autoconstrução com Dagur Eggertsson, Paolo Mestriner e Massimiliano Spadoni . (10 dias) “Viewport Workshop”, workshop de autoconstrução com Sami Rintala, Paolo Mestriner e Massimiliano Spadoni


8|9

2011 . (3 dias) “A cadeira e a poética do Design”, com Riccardo Dalisi e Enrico Baleri . (1 semana) “Morfologias Analógicas”, com Arquitectos Anónimos . (1 semana) “Espaços Comerciais”, com Luís Pereira Miguel . (3 dias) “Fachadas Dinâmicas”, com António Louro

Exposições e concursos

. Participação na exposição “Semana Aberta da ESAD”, na ESAD . Participação na exposição “Um edifício na Ribeira do Porto”, na ESAD . Primeiro prémio no concurso “Barraca ae esad queima das fitas 2011” com Catarina Sinde, Filipa Freitas e Soraia Santos Aptidões e competências sociais

. Adaptação a contextos sociais diferentes . Facilidade de trabalhar em equipa . Competências de relacionamento interpessoal . Responsabilidade, companheirismo e otimismo . Ambição no trabalho . Voluntariado no Banco Alimentar Contra a Fome, desde 2009

Aptidões e competências informáticas Domínio dos software: Adobe Illustrator™ Adobe PhotoShop™

SolidWorks

Adobe inDesign™

Microsoft Office™ software

Autodesk AutoCAD

ArtRage

Google SketchUp

Rhino (iniciante)

Autodesk 3D Studio Max e renderização avançada com V-Ray

Grasshopper (iniciante)


DUETS . Uma ideia para o mundo numa cadeira: projeto de instalação com Arquitectos Anónimos, 2012

No presente trabalho foi desenvolvida uma solução de instalação temporária para a exposição Duets, uma das exposições do evento internacional Art on Chairs, uma iniciativa enquadrada no projeto Paredes - Polo de Design de Mobiliário. A instalação foi inaugurada a 14 de setembro de 2012, apresentando onze cadeiras e todo o complexo projeto que os gerou. Pretendeu-se comunicar uma narrativa poética num espaço tridimensional que veiculasse emoções, ações e valores e onde seriam aprofundadas particularmente questões relacionadas com a produtividade, o território e a cultura material, valorizando a importância da preservação de cada território, a dimensão artesanal e manual aliadas à automação assim como a relação entre cultura material e universo cultural de um sujeito associado à realização de um objeto, neste caso específico, uma cadeira. Pretendeu-se igualmente enfatizar a importância da disciplina do design, como meio diferenciador e transformador no meio social, económico e ambiental. A investigação teve como principal objetivo o desenvolvimento de uma solução de instalação temporária para a exposição Duets que permitisse albergar onze cadeiras realizadas a partir de onze duetos compostos por um designer e uma personalidade de renome internacional, assim como os suportes fotográficos e escritos resultantes das entrevistas e dos encontros entre eles. Neste trabalho, embora seja apresentado o resultado final, consequência de todas as análises realizadas nas pesquisas e trabalho de campo e por ter sido realizado para um cliente real, apresentamos todo o percurso com os incidentes e acidentes que um trabalho profissional desenvolvido em equipa exige. Foram explorados diferentes caminhos até se chegar a uma solução final, cuja consistência foi resultado de múltiplas condicionantes que se verificaram ao longo do processo.

Cultura material Territorialidade Designer de exposições Instalação Natureza


10 | 11

Duetos

Política: Aníbal Cavaco Silva - Paulo Lobo Humanitário: Ramos Horta - Riccardo Dalisi Moda e sociedade: Luciano Benetton - Luís Pereira Miguel Arquitetura: Eduardo Souto de Moura - Design Factory Cinema: Manoel de Oliveira - Paolo Deganello Fotografia: Zalmai - AA Arquitetos Anónimos Literatura: Mia Couto - Luigi Baroli Música: Mariza - Alessandro Mendini Música: Maria Bethânia - Paolo Rizzatto Desporto: José Mourinho -INDI design Desporto: Cristiano Ronaldo – Nini Andrade Silva

Programa funcional

Para uma adequada realização do projeto de instalação Duets foi necessário/a: - Um suporte para onze cadeiras - Um suporte para comunicação de onze processos produtivos relativos a onze empresas - Um suporte para comunicação de onze encontros - fotografias vídeos - Um suporte de comunicação de onze duetos - Informação técnica: legendas com a informação de cada cadeira texto e fichas técnicas do projeto Duets - Espaços lounge

Possíveis espaços de intervenção

A análise da envolvente e o levantamento de algumas das zonas mais significativas do centro histórico do Município de Paredes foram muito úteis pois, contrariamente ao que acontece normalmente, não nos foi dado um espaço específico e tivemos de propor possíveis espaços de intervenção para implementar o projeto Duets. De entre os espaços visitados foram eleitos três: primeiro a Casa da Cultura, depois o Edifício C (Farmville, cooperativa agrícola de Paredes) e, posteriormente, o Antigo Pavilhão Gimnodesportivo de Paredes, espaço onde foi finalmente implementada e inaugurada a exposição Duets .

> Mapa de Paredes com os três possíveis espaços de intervenção assinalados Antigo Pavilhão Gimnodesportivo de Paredes Novas instalações da Cooperativa Agrícola de Paredes Casa da Cultura


Apresentamos os vários momentos do projeto em cinco fases, em que as duas últimas correspondem à fase final e em obra, respetivamente, sendo que ao longo de sete meses e meio de trabalho, este foi sofrendo variadas transformações devido a fatores de caráter organizativo.

x 12

12 caixas com estrutura de madeira revestidas por diferentes materiais local: jardins da casa da cultura de Paredes 2 área (x12): 144 m

FASE 1 2012

março

abril

junho

maio FASE 2

x1

> Cronologia das diferentes fases de projeto para a instalação da exposição Duets

estrutura em madeira em processo de autoconstrução local: jardins da casa da cultura de paredes área: 137,51 m2


Duets 12 | 13

coordenadas A

B

C

D

E

vista de topo F

G

perspetiva

vista lateral

H

x1 A

B

C

D

E

F

G

H

x1

A

B

C

dia da inauguração. alterações feitas em obra local: antigo pavilhão gimnodesportivo de Paredes área: 51,88 m2

estrutura tensionada . insuflável, Build Air, Barcelona. local: edifício C D E F G H área: 150 m2

FASE 3 julho

EM OBRA agosto

setembro FASE FINAL

x1

estrutura em poliestireno expandido local: antigo pavilhão gimnodesportivo de Paredes área: 51,88 m2 em localização previamente definida pelo projeto de conjunto de Francisco Providência

13 e 14 de setembro


Duets 14 | 15

> Fotografias panorâmicas da exposição Duets > À esquerda: maquete final da instalação


CASA ARMÁRIO Projeto académico, 2012 ESAD

O presente projeto consiste na reabilitação de um edifício no centro do Porto, mais concretamente na Ribeira, situado na Rua D. Infante nº 133. Possui três entradas e a fachada Sul encontra-se situada em frente ao Rio Douro e envolvida pelo muro dos Bacalhoeiros. Para a realização deste projeto começou-se por definir uma família, preferencialmente não Portuguesa, com características fora do comum, para se projetar o interior da referida habitação de acordo com as necessidades básicas e gostos particulares dessa família. Trata-se de uma família constituída por quatro elementos, um casal, ele é médico e ela professora de música, e dois filhos rapazes. O meu projeto desenvolve-se em redor da caixa de escadas, sendo esta recuperada. Desta “nascem” elementos que dão forma às divisões, como se de abraços se tratassem, tornando o espaço mais fluido e aberto em que só mesmo por necessidade é que se fecham as portas (portas de correr). Para além da função referida, estes elementos são armários, todos eles contendo a mesma linguagem mas com diferentes formas de definir o espaço. Pretendo criar espaços abertos, cujas divisórias, quando necessárias, serão feitas a partir de mobiliário com muita arrumação (através dos armários) e cuja música e cor estarão sempre presentes. Relativamente ao programa, este é dividido em espaço público, semipúblico e privado. O espaço público ocupa um piso, a cave, e destina-se a ser alugado e utilizado por bandas. O espaço semi-público ocupa os dois pisos seguintes que se destinam ao quarto de hóspedes, à zona de trabalho da música que para além de compor dá as suas aulas particulares e a uma sala de lazer/descanso. Os restantes pisos, a partir da entrada privada, a do passadiço, destinam-se apenas à habitação para quatro pessoas, o casal e os dois filhos.

> Conceito

Programa funcional: escola de música (cave e r/c) 1 sala de ensaios 1 estudio de gravação 1 armário para arrumos 1 casa-de-banho de serviço 1 entrada 1 sala de aula 1 quarto-de-hóspedes/ sala de espera 1 casa-de-banho de apoio Zona de habitação (do primeiro ao quarto e último piso (sotão)) 1 casa-de-banho 2 escritórios 1 sala de estar 1 lavandaria/dispensa 1 cozinha 1 sala de jantar 1 suite 1 quarto 2 varandas 1 terraço


16 | 17

> Corte construtivo

> Maquete à escala 1.50

> Maquetes à escala 1.10


PRODUCED BY AN A

axonometrias

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

axonometria

cozinha

casa-de-banho e apoio à sala de aula

quarto-de-hóspedes e sala de espera

quarto

> Em cima: Axonometrias dos armários > À direita: Render do quarto-de-hóspedes/sala de espera > Renders panorâmicos

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

casa-de-banho


> Cave. Alugada e utilizada por bandas

> Em cima: Plantas ilustradas > Renders

> Sala de m煤sica e quarto-de-h贸spedes

> Escrit贸rio e sala de estar


Casa armário 20 | 21

> Lavandaria/dispensa e cozinha/

> Casa-de-banho e quarto (dos pais)

sala de jantar

> sotão. Casa-de-banho, escritório e quarto (dos filhos)

Mónica Couto 1170 Mestrado Interiores

ESAD . Escola Superior de Artes e Design

Projecto Interiores . Edifício da Ribeira

Desenhos ilustrados . plantas


HOUSE M Projeto académico, 2010 Politecnico di Milano Em colaboração com Catarina Sinde e Filipa Freitas

“La mia famiglia ed io abitiamo in un condomínio signorile in piazza Missori, a Milano, a pochi passi dal Duomo.Io ho 43 anni, mi sono laureato in giurisprudenza e da pochi anni ho aperto un piccolo studio legale.Mia moglie, invece, ha 37 anni ed è responsabile della galleria dárte Ponte Rosso, che si trova in via Brera.Abbiamo un figlio di 13 anni che frequenta le mediei n una scuola privata.Essendo molto impegnati durante il giorno, da diversi anni vive com noi una colf di 35 anni che si occupa delle faccende domestiche.La nostra giornata inizia alle 7, quando facciamo colazione tutti insieme.Mia moglie si reca alla galleria, mentre io, dopo aver accompagnato mio figlio a scuola dove vi resta fino alle 16:30 di pomeriggio, mi reco in ufficio.Verso lúna vado in pausa pranzo com i colleghi o com eventuali clienti.La mia giornata lavorativa termina verso le 18:00, quando solitamente, mi reco al chiosco di fiori Sotto casa per scambiare duer parole com il proprietário che conosco da molto tempo e per comprare composizioni floreali che mia moglie usa per abbellire il nostro apartamento.Mentre io mi trovo a lavoro, la colf aspetta mio figlio all’uscita di scuola, per riportarlo a casa o accompagnarlo agli allenamenti di cálcio.Verso le 20:00, quando anche mia moglie è tornata dalla galleria, ci sediamo a tavola perl a cena tutti insieme.Una cosa che tutti noi abbiamo in comune è la passione per il cinema, infatti molte volte di será ci piace guardare un bel film tutti insieme.Nel weekend siamo solito fare gite fuoriporta a sfondo culturale. Altre volte, invece, accompagnamo nostro figlio alle partite di cálcio della domenica.” Tendo em conta as restrições a nível da área, dimensões do edifício tentamos tirar o maior partido do uso do espaço para satisfazer as necessidades do agregado familiar em causa. Assim, pareceu-nos adequado e bastante vantajoso projetar uma habitação organizada em meios pisos. Um outro aspeto que nos pareceu importante devido às dimensões e exigências do agregado familiar foi a questão da arrumação, esta deveria existir em grande quantidade mas de uma forma quase impercetível para que não se tornasse um elemento visualmente pesado. Assim sendo, optámos por colocar essa mesma arrumação como parte constituinte da estrutura da habitação - arrumação embutida. O uso de arrumação embutida e de meios pisos permite uma maior rentabilização e aproveitamento do espaço. Em suma, foram estas as duas premissas que serviram de base a este projeto.


22 | 23

> Fachada Norte > À esquerda: Fachada Sul

> Corte longitudinal > À direita: Corte transversal


> Piso da garagem

> Plantas ilustradas

> Piso da empregada

> Piso da sala de estar/sala de cinema


House M 24 | 25

> Piso da sala de jantar

> Piso do filho

> Piso dos pais


House M 26 | 27


SPA Projeto académico, 2010 ESAD Em colaboração com Catarina Sinde e Filipa Freitas

O edifício do parque tem na sua envolvente a praia e o parque da cidade. Assim, a nossa proposta é a de levar a natureza e o ambiente balnear para a cobertura do edifício. Decidimos projectar um spa “ sanus per acqua”. seria o programa perfeito para “ilustrar” as nossas ideias e intenções. Por outras palavras, o spa iria permitir levar a natureza (parque da cidade) e a água (praia) para o interior do edifício e ao mesmo tempo combater o dia-a-dia stressante dos seus habitantes. Após uma análise crítica ao espaço evidenciámos os seus pontos positivos e os negativos. Partindo da avaliação crítica pretendemos transformar este espaço num spa valorizando os pontos positivos e melhorando os negativos. Dado que o público-alvo é a classe alta ou média-alta pensamos que o programa de um spa se adequa perfeitamente às suas necessidades. O culto do corpo, do bem-estar, da saúde, do light, do saudável… estão cada vez mais em voga e são as classes mais altas (detentoras de poder de compra) as primeiras a aderir a este tipo de programa.

Pontos negativos: - plataforma elevatória localizada na ponta oposta aos balneários para os utentes com mobilidade condicionada; - os halls de entrada são pequenos e pouco diferenciados em relação aos restantes espaços. pontos positivos: - boa localização; - vista privilegiada, sobre o parque da cidade e o mar; - espaço exterior ao ar livre; - privilégio de ter um espaço privado em casa; - boas condições de funcionamento.


28 | 29


> Planta

> Corte longitudinal

> Cortes transversais


Spa 30 | 31

> Alรงado longitudinal

> Alรงado longitudinal

> Alรงado transversal


TRÊS ARTISTAS, UMA GALERIA Projeto académico, 2010 ESAD Em colaboração com Benedita Álvares Ribeiro, Catarina Gomes Sinde, Filipa Freitas e Mafalda Gomes Teixeira

Ao longo dos últimos anos a zona costeira de Matosinhos tem sofrido inúmeras obras de requalificação das praias como a colocação de passadiços, tratamento de esgotos e acessos garantidos para indivíduos com mobilidade reduzida. No âmbito destas alterações foi pedido aos alunos que projetassem uma galeria para uma destas praias. A praia escolhida foi a praia do paraíso, uma praia bastante rochosa e com um esgoto, ainda, a céu aberto que tem como pano de fundo a refinaria da Petrogal. Dado que apenas dispúnhamos de duas semanas para realizar o projeto formou-se um grupo de cinco pessoas que nas primeiras conversas acordaram: > Alberto Carneiro

- que seria uma só galeria para albergar as quatro obras pois, caso as condições climatéricas fossem desfavoráveis, seria um pouco incomodativo para os visitantes deslocarem-se entre as galerias; - o pavilhão deveria ser predominantemente horizontal pois as construções presentes neste local são de altura reduzida; - a galeria seria constituída por contentores de transporte marítimo reciclados, o que remete para o tão próximo Porto de Leixões. A nossa solução propõe, assim, o espaço mínimo para albergar as obras. É esta premissa que se tornará conceito do nosso projeto, a partir das dimensões das obras e das dimensões standard dos contentores construir o espaço mínimo para albergar as obras dos três artistas. É proposto, assim, um aproveitamento do passadiço prolongando-o até ao interior da galeria como se tratasse de uma passagem pela arte. Como se trata de uma construção efémera as paredes exteriores dos contentores não foram revestidas nem pintadas, assumindo-se o material. Já as interiores foram revestidas com gesso cartonado branco para que não houvesse qualquer tipo de relevo prejudicial à leitura das obras.

> Angelo de Sousa

> Helena Almeida


32 | 33

> À direita: Planta e alçado da galeria > Em baixo: Maquetes da galeria Fotomontagens da galeria


VIEWPORT WORKSHOP

Workshop Sami Rintala e Dagur Eggertsson, Paolo Mestriner, Massimiliano Spadoni, 2012

Professores: Maria Milano, Joana Santos, João Cruz, Paulo Seco, Rui Canela, Vitor Varão. Estudantes participantes: Lizzie Hamer, Giovanni Weher, Alfredo Pinto, Ana Cravo, Ana Rita Silva, Benedita Ribeiro, Bárbara Areias, Bernardo Pinto, Catarina Gomes Sinde, Diana Saraiva Pinto, Diana Pinto, Elisabete Martins, Filipa Freitas, Francesca Vita, Francisca Pereira, Francisco Rocha, Hélder Vilares, José David Coimbra, José Miguel Reis, Joana Negrão, Joana Santos, João Carvalho, Katarzina Szymanska, Leonor Magalhães, Lara Rodrigues, Luís Silva Dias, Manuela Portela, Maria João Moita, Maria Alves Dias da Silva, Maria Inês Correia, Marta Trigo, Mónica Couto, Nuno André Sousa, Patrícia Eira, Pedro Oliveira, Rui Valente, Sara Ferreira, Sérgio Oliveira, Soraia Marta, Soraia Santos, Susana Sousa, Tiago Oliveira.

Viewport workshop, foi um workshop de autoconstrução que surgiu da parceria entre a ESAD e a Câmara Municipal de Matosinhos. Foram convidados os arquitetos Rintala e Eggertsson, Mestriner e Spadoni para dinamizar o Viewport Workshop, um projeto de criação dum Wine Bar/Espaço Lounge no espaço Quadra, no Mercado Municipal de Matosinhos. O workshop de autoconstrução durou 10 dias e foi realizado por mais de 40 alunos do ensino superior, nas áreas de design de Interiores, Produto e Arquitetura. A estrutura para o Winebar que serviu de apoio ao espaço quadra nasceu do zero e o seu projeto foi desenvolvido apenas nos dois primeiros dias. Este foi pensado de acordo com o espaço envolvente, como uma extensão do edifício adjacente, tendo a mesma altura que a base do piso superior do mesmo e aproveitando ao máximo a luz natural, através da sua estrutura aberta. Foi inteiramente construído em madeira, barrotes e tábuas, conta com dois andares e o mobiliário simples (balcões, mesas e bancos) é parte integrante da sua estrutura.


34 | 35


ARENA SELFMADE WORKSHOP

Workshop Dagur Eggertsson, Paolo Mestriner, Massimiliano Spadoni, 2012

Professores: Maria Milano, Dirk Loyens, Joana Santos, João Cruz, José Castro, Paulo Pereira, Paulo Seco, Rafael Coelho, Vítor Varão. Estudantes participantes: Alba Garcia, Alexandrina Costa, Alfredo Pinto, Ana Catarina Mota, Ana Lúcia Lopes, Ana Luísa Marques, Ana Margarida Ferreira, Ana Rita Ramos, Ana Sara Oliveira, Andoni Diaz Torres, Andreia Rêgo, Bernardo Pinto, Cristiana Magalhães, Daniela Moreira, David Coimbra, Diana Pinto, Hélder Vilares, Jessica Pereira, Joana Abreu, Joana Cunha, João Pedro Almeida, José Dias Silva, José Eça de Queiroz, Jürga Zenkeviciute, Liliana Alves, Maria Alves da Silva, Maria del Carmen Reyes, Inês Ramos Correia, Marco Pereira, Margarida Leal, Marta Trigo, Martyna Rajewska, Mónica Couto, Nuno Sousa, Pablo Abad, Paulo Pereira, Raquel Fonseca, Raúl Pereira, Sandrina Rodrigues, Sara Ferreira, Soraia Santos, Telmo Silva, Teresa Mariana Martins, Ugné Raciauskaité, Vanessa Macedo.

A ESAD e a Design Factory convidaram os arquitetos Dagur Eggertsson, Paolo Mestriner e Massimiliano Spadoni para desenvolver o workshop ARENA SELFMADE, com o objetivo de construir nas instalações da Fundação EDP um anfiteatro na lógica da autoconstrução, com base no reaproveitamento e reutilização de materiais e na ligação ao contexto social e ambiental. Este workshop de autoconstrução surge na continuação do projeto Viewport, realizado pela ESAD e pela Câmara de Matosinhos em junho de 2012, que resultou na auto-construção de um winebar em frente ao Mercado Municipal, pela mão da mesma equipa de arquitetos e por cerca de 40 alunos do curso de Design de Interiores da ESAD, da Faculdade de Arquitetura do Porto, do Departamento de Arquitetura da Universidade de Coimbra, da Faculdade de Arquitetura de Melbourne (Austrália) e do Instituto Politécnico de Milão (Itália).


38 | 39


MORFOLOGIAS ANALÓGICAS, Workshop com Arquitéctos Anónimos, 2012 Bryosoa

Como primeira etapa do workshop “Morfologias Analógicas” selecionou-se uma imagem, captada através de um microscópio (Scanning electron microscope), de um fóssil briozoário que corresponde ao conceito. Nela despertou-nos as concavidades e por consequência os efeitos de luz/ sombra. Partindo de uma forma simples e maleável (folha de espuma), o quadrado, surge um elemento que, unido a semelhantes e de diferentes maneiras, cria uma malha infinita possibilitando múltiplos resultados. Ao trabalhar a profundidade como principal motivação, criámos uma malha rica, naturalmente diversa em ambas as faces, possibilitando o aproveitamento das mesmas para a criação da estrutura final. Esta assemelha-se a muitas formas existentes na natureza, que tal como elas surgiram espontaneamente.


M贸nica Couto Designer de Interiores


Portfólio MónicaCouto