Issuu on Google+

IndependĂŞncia

Financeira de AaZ


sumário 01 a educação para a independência financeira

9

02 independência financeira é uma escolha sua!

17

03 o que é o dinheiro e o valor do trabalho

27

04 como eu faço o meu dinheiro

35

05 você é um projeto “faça você mesmo”

47

06 seu projeto “faça você mesmo”

57

07 como transformar sua carreira em um negócio

103

08 uso inteligente do dinheiro - orçamento

119

09 uso inteligente do dinheiro - fluxo de caixa

129

10 uso inteligente do dinheiro - balanço financeiro

137

11

o consumidor inteligente

149

12

casa própria, educação e previdência

163


13 aposentadoria ou independência financeira?

171

14 o investidor inteligente

183

15 investindo com inteligência

197

16 uma conversa franca para casais

219

17 a educação financeira do seu filho

225

18 as melhores coisas que o dinheiro pode fazer

241


CAPÍTULO 1

a educação para a

independência financeira

Ganhar a vida não é mais suficiente. O trabalho tem de nos permitir viver a vida também. Peter F. Drucker


a educação para a independência financeira Ganhar a vida não é mais suficiente. O trabalho tem de nos permitir viver a vida também. Peter F. Drucker

O dinheiro é uma das coisas mais poderosas que existem, humanamente falando. Especialmente em nossa sociedade ocidental, é o principal meio pelo qual podemos suprir a maioria das nossas necessidades e satisfazer os nossos desejos, ao menos parte deles. Pode se transformar em alimentos, roupas, moradia, energia, mobilidade, comunicação, educação, saúde, segurança, lazer, cultura, arte, entretenimento, qualidade de vida e tantas outras coisas quantas pudermos imaginar. O dinheiro está por toda parte e dificilmente alguém poderia afirmar que passa um dia sequer sem ser beneficiado por ele, ainda que indiretamente. O dinheiro nos encontra antes mesmo de nascermos, através dos preparativos feitos para nossa chegada, nos acompanha durante toda a nossa caminhada ao longo da vida e está presente até mesmo no momento da nossa partida. Portanto, além de poderoso, o dinheiro é uma das coisas mais importantes na vida de uma pessoa. De fato, grande parte da nossa felicidade depende da nossa capacidade de obter e preservar dinheiro suficiente para atender às nossas necessidades.

As coisas que o dinheiro pode fazer As pessoas que conseguem obter dinheiro suficiente, e até além de suas necessidades, descobrem que também podem ter mais tempo para si mesmas e para suas famílias, tempo

11


CAPÍTULO 2

independência financeira é uma escolha sua!

Sempre que se vê um empreendimento com sucesso, é porque alguém antes tomou uma decisão destemida. Peter F. Drucker


independência financeira é uma escolha sua! Sempre que se vê um empreendimento com sucesso, é porque alguém antes tomou uma decisão destemida. Peter F. Drucker

Se não tiver nascido em berço de ouro, herdado uma grande fortuna ou sido premiado pela loteria (uma chance de um para muitos milhões), você tem que trabalhar e talvez até dar duro para obter o dinheiro suficiente para satisfazer suas necessidades e desejos e, eventualmente, das pessoas que estão sob seus cuidados.

Dependência ou independência? A verdade é que a maioria das pessoas sofre de dependência financeira, quando o contrário seria o ideal. Verdade que se agrava para muitos com o fato de que o dinheiro costuma acabar antes de findar o mês. Então, ao invés de independência financeira, boa parte das pessoas vive um quadro de dependência financeira, e alguns até de escravidão financeira. Para fechar suas contas, dependem de tomar dinheiro emprestado, utilizando os limites do cheque especial, entrando no crédito rotativo dos cartões de crédito ou fazendo empréstimos em bancos. A escravidão ocorre quando alguns chegam ao ponto de só conseguir pagar os juros do dinheiro que tomaram. Assim, pagam, pagam, mas a dívida nunca acaba, sequer diminui. Algumas pessoas ficam presas por toda a sua vida nesse ciclo vicioso, de forma que o seu epitáfio, aquelas inscrições que são colocadas nos túmulos, bem que poderia ser: “Vivi pagando, morri devendo.” É triste, é duro, mas é a verdade para muitas pessoas.

19


CAPÍTULO 3

o que é o dinheiro e o valor do trabalho

“Se o dinheiro for a sua esperança de independência, você jamais a terá. A única segurança verdadeira consiste numa reserva de sabedoria, de experiência e de competência.” Henry Ford


o que é o dinheiro e o valor do trabalho “Se o dinheiro for a sua esperança de independência, você jamais a terá. A única segurança verdadeira consiste numa reserva de sabedoria, de experiência e de competência.” Henry Ford

Algumas pessoas têm a percepção equivocada de que o dinheiro é uma coisa má, de que as pessoas que têm muito dinheiro são inerentemente más, egoístas, vaidosas, arrogantes. Há muitos que pensam assim. Mas essa crença não tem nenhum fundamento. Em geral, a origem dessa percepção equivocada vem da infância, quando ainda crianças, essas pessoas ouviam dos adultos à sua volta críticas e julgamentos condenatórios às pessoas ricas, como forma de racionalizar e justificar seus fracassos financeiros. Essa é uma distorção gravíssima. A realidade demonstra que há muitas pessoas ricas que são generosas, educadas, modestas, do bem. Pessoas que utilizam sua riqueza para tornar melhor a vida de outras pessoas.

O dinheiro pode ser uma bênção A verdade é que o dinheiro não é bom nem mau. O que o torna bom ou mau é o uso que fazemos dele. É por isso que ele é grandemente atraído pelas pessoas boas. Pelas pessoas que são boas com ele. O dinheiro tende a fluir naturalmente para aquelas pessoas que conseguem usá-lo de forma mais produtiva, para criar bens e serviços, atividades produtivas que criam muitos empregos e renda, que beneficiam outras pessoas.

29


CAPÍTULO 4

como eu faço o meu dinheiro?

“O capital é como água, sempre flui por onde encontra menos obstáculos.” Delfim Netto


como eu faço o meu dinheiro? “O capital é como água, sempre flui por onde encontra menos obstáculos.” Delfim Netto

“Dinheiro atrai dinheiro, mas eu não tenho nenhum. O que eu

faço?” Percorrendo a internet em busca de um insight para superar o desafio do papel em branco e começar este capítulo e de repente, esta frase desafiadora. Boa! Muito boa pergunta para começar. Quem disse que para ganhar dinheiro é necessário ter dinheiro? Quem disse que para ganhar muito dinheiro é preciso começar com muito dinheiro?

É possível fazer dinheiro sem ter dinheiro Se fizer uma enquete com pessoas que ganharam e ganham dinheiro verá que essa limitação, não ter dinheiro, não pode ser considerada verdadeira quanto mais verdade absoluta. Dinheiro de fato atrai dinheiro, mas a maioria dos milionários do planeta começou a vida sem dinheiro. William Hewlett e David Packard fundaram a HP, a gigante mundial de computadores, com o capital de 538 dólares na garagem de uma casa. Algumas pessoas dirão então que é preciso ter uma formação acadêmica. Ter uma sólida base educacional, cursar uma universidade de primeira linha, fazer um MBA, um PhD, etc. Mas então, o que dizer de pessoas bem-sucedidas que abandonaram a escola sem concluir sua formação, como Henry Ford, fundador da Ford Motors; Thomas Edison, fundador da General Electric; Bill Gates, fundador da Microsoft; Ted Turner, fundador da CNN; Steve Jobs, fundador da Apple Computer?

37


CAPÍTULO 5

você é um projeto “faça você mesmo”

Por que você não se tornou você? Elie Wiesel


você é um projeto “faça você mesmo” Por que você não se tornou você? Elie Wiesel

Elie Wiesel, autor do livro Almas em Chama, de onde foi extraída a frase acima, é um renomado autor, prêmio Nobel da Paz, judeu que passou quando criança pelos campos de concentração nazista onde perdeu todos os seus familiares. No livro, Wiesel faz referência a uma alegoria que afirma que, quando morremos e vamos ao Criador, a pergunta que nos é feita não é por que não nos tornamos um grande líder ou um messias, ou um entendido nas ciências ou nas artes. A pergunta que nos é feita ali é: Por que você não se tornou você, aquele ser humano único que somente você poderia ter sido?

Independência financeira é um conceito pessoal Tratar sobre independência financeira, sem tratar sobre quem de fato somos ou podemos ser, seria muito pequeno e limitado. Porque o ser humano sempre vem antes do dinheiro e é muito maior do que ele. Como tratado em seção anterior, o dinheiro é apenas consequência e não causa. Quando falamos de independência financeira, não estamos falando necessariamente de riqueza. Para muitos, isso não é prioritário, nem importante. Porém, ter o suficiente para viver a vida com qualidade, estabilidade e equilíbrio, sim o é. Nesse caso, esse é o sentido de independência financeira para essas pessoas. O dinheiro que obtemos é consequência da pessoa que escolhemos ser e que vamos construindo ao longo da vida. Dos conhecimentos que adquirimos, das habilidades que desenvolvemos ou aperfeiçoamos, das experiências que vivemos. Esse patrimônio constituiu nosso maior

49


CAPÍTULO 6

seu projeto “faça você mesmo”

Sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade. Elmer Letterman


seu projeto “faça você mesmo” Sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade. Elmer Letterman

Se você fosse mais do que é,

tivesse mais do que tem e pudesse fazer

mais do que faz, este mundo não seria um pouco melhor? E não seria esta a melhor de todas motivações para você realizar sua meta da independência financeira? Certamente que sim! Todavia, para alcançar este objetivo é preciso ter, indispensavelmente, um plano pessoal para obtenção de renda. No capítulo Como Eu Faço o Meu Dinheiro, tratamos sobre as diversas formas que uma pessoa tem para ganhar dinheiro e consideramos que a maioria das pessoas inicia a sua vida profissional e econômica através de um emprego. O objetivo deste capítulo é ajudar tanto jovens que ainda não iniciaram sua carreira profissional, como pessoas que já estão ativas no mercado de trabalho - empregados, profissionais liberais, autônomos e empreendedores - a conceberem o seu projeto Faça Você Mesmo, como a base do seu plano para obtenção de renda. Os conceitos, questionamentos e ferramentas apresentados neste capítulo conduzirão a importantes reflexões, que o levarão a um maior autoconhecimento, à identificação das suas principais competências, à determinação do seu quadro ideal de vida e trabalho e à fixação de um plano objetivo para transformar seus sonhos em realidade.

59


CAPÍTULO 7

como transformar sua carreira em um negócio

Engate seu vagão numa estrela. Ralph Waldo Emerson


como transformar sua carreira em um negócio Engate seu vagão numa estrela. Ralph Waldo Emerson

“Trate de arranjar um cavalo para montar”

é outra recomen-

dação provocativa que ouvimos de Al Ries e Jack Trout, autores do livro Posicionamento.1 Segundo eles “Algumas pessoas inteligentes e ambiciosas acabam vivendo situações em que o futuro parece mais preto do que carvão. E o que é que geralmente fazem? Dão duro. Tratam de trabalhar mais duro do que os outros.” Ries e Trout observam que para essas pessoas “O segredo do sucesso está em aparecer sempre, em fazer o seu trabalho melhor do que mais ninguém. E a fama e a fortuna acabarão chegando, não é assim?”, perguntam e imediatamente respondem “Não é. Dar duro raramente leva ao sucesso, ter o olho vivo é muito melhor.” O texto prossegue em tom ácido e desafiador, afirmando que a expectativa de crescimento profissional para essas pessoas “baseia-se quase sempre na crença ingênua de que o que conta é a capacidade, e o que vale é trabalhar duro”. Ainda segundo Ries e Trout, “estas pessoas se afundam no trabalho e se matam esperando o dia em que alguém vai lhes dar um tapinha nas costas e promovê-los, em reconhecimento dos seus méritos e dos seus esforços. Mas esse dia nunca chega.” Para quantos profissionais não é exatamente essa a realidade? Têm trabalhado duro, feito o seu melhor, o seu máximo, mas suas melhores expectativas de crescimento profissional não se materializam. O tempo passa, mas as promoções não chegam. Os aumentos não vem.

105


CAPÍTULO 8

uso inteligente do dinheiro

e o orçamento

Há muita gente que confunde má gestão com destino. Kin Hubbard


uso inteligente do dinheiro e o orçamento Há muita gente que confunde má gestão com destino. Kin Hubbard

O Princípio da Conservação é uma regra irrefutável

para a construção da independência financeira. Esse princípio ensina que não é o quanto uma pessoa ganha, mas o quanto ela guarda que determina o seu futuro financeiro. Muitas pessoas ganham bastante dinheiro ao longo da vida, muitas vezes mais do que poderiam imaginar. Algumas dessas pessoas, todavia, desenvolvem, a síndrome de “andar

sobre as águas”. Passam a imaginar que terão a capacidade de ganhar dinheiro na mesma proporção indefinidamente, perdem a noção real do seu valor e começam a gastar tudo que ganham, como se o dinheiro brotasse do chão.

O princípio da conservação Esse tipo de comportamento parece ignorar que o Princípio da Conservação indica que a avaliação de quão bem está indo é o quanto se guarda daquilo que se ganha. Quem deseja construir um fundamento sólido para seu futuro financeiro precisa ter um plano objetivo para guardar parte do dinheiro que ganhar ao longo de sua vida. Esse plano objetivo para se guardar parte da renda obtida requer a compreensão de um segundo princípio, na realidade uma lei, chamada Lei de Parkinson. O entendimento dessa lei é vital para o êxito financeiro e para assegurar a acumulação de dinheiro que leva à independência financeira. De forma muito objetiva, a Lei de Parkinson indica que as despesas de uma pessoa tendem a aumentar na mesma proporção em que sua renda. Quando os rendimentos de

121


CAPÍTULO 9

uso inteligente do dinheiro

e o fluxo de caixa

Felicidade é um fluxo de caixa positivo. Fred Adler


uso inteligente do dinheiro e o fluxo de caixa Felicidade é um fluxo de caixa positivo. Fred Adler

Não basta saber quanto é preciso saber quando. Tão im-

portante quanto elaborar um orçamento pessoal ou familiar a cada mês, com a previsão das entradas e saídas, é dedicar algum tempo para traduzi-lo em um Fluxo de Caixa. O Fluxo de Caixa é uma ferramenta usada tanto para visualizar como para sincronizar ou “casar” as receitas e despesas, as entradas e saídas, ao longo do tempo. O primeiro objetivo é assegurar que não falte dinheiro no “caixa” para fazer frente aos compromissos assumidos, evitando ter que recorrer ao cheque especial, empréstimos ou financiamentos. O segundo objetivo é enxergar quando haverá disponibilidade de caixa para investimentos. Para elaborar um Fluxo de Caixa, é preciso lançar, de preferência em uma planilha, todas as entradas (as receitas), e todas as saídas (as despesas), exatamente na ordem cronológica em que acontecerão. Essa planilha deverá ter quatro colunas, sendo a primeira para Dia, a segunda para Entradas, a terceira para Saídas e a quarta para Saldo, conforme gráfico da página seguinte. É importante não esquecer de reservar na primeira linha um campo para lançar o Saldo Atual ou Inicial, o quanto há de dinheiro no caixa, no primeiro dia do mês. Se houver dívida, por exemplo, se já estiver usando o limite do cheque especial ou alguma conta vencida, o saldo será negativo. Dessa forma, o Saldo Final do Dia1 do mês será igual (=) ao Saldo Inicial (+) Total das Entradas Dia1 (–) Total das Saídas Dia1. O saldo do Dia 2 corresponderá ao Saldo Dia1 + Total das Receitas Dia2 – Total das Despesas Dia2, e assim, sucessivamente.

131


CAPÍTULO 1 0

uso inteligente do dinheiro

e o balanço financeiro

Não há maior evidência de insanidade do que fazer a mesma coisa dia após dia e esperar resultados diferentes. Albert Einstein


uso inteligente do dinheiro e o balanço financeiro Não há maior evidência de insanidade do que fazer a mesma coisa dia após dia e esperar resultados diferentes. Albert Einstein

Ganhou, empatou ou perdeu? Não se assuste. Não mudamos

o tema do livro. Não estamos falando sobre esportes. A pergunta certa é: quando fecha as suas contas no final do mês, o que ocorre? Você está ganhando, empatando ou perdendo? Se você fosse uma empresa, seria uma empresa que dá lucros, que empata ou dá prejuízo? Se o mês do Consumidor Inteligente começa com a preparação do seu Orçamento Pessoal ou Familiar e do Fluxo de Caixa correspondente, como tratado nos dois capítulos anteriores, ele termina com a realização do seu Balanço Financeiro. Quando chega o final do mês, é hora de saber exatamente onde foi gasto o dinheiro e se as metas estabelecidas no orçamento foram ou não cumpridas. Paguei (pagamos) todas as despesas? Economizei (economizamos) o suficiente? Investi (investimos) o planejado? Estou (estamos) avançando na direção dos objetivos e metas da estabilidade e independência financeira na velocidade desejada? Este é um momento valioso e indispensável para avaliar a qualidade dos gastos realizados, respondendo a questões como: Poderia (poderíamos) ter poupado mais? Ainda há algum desperdício? Estou (estamos) pagando juros? Quanto? Como evitá-los ou reduzi-los? No que exatamente está se transformando meu (nosso) dinheiro? A melhor forma para responder a estas questões e fazer esse balanço é classificar cada um dos gastos feitos, como débitos bons ou débitos maus, ativos ou passivos. As vantagens são muitas. Primeiro, permite saber exatamente onde e como gasta cada centavo. Segundo,

139


CAPÍTULO 1 1

o consumidor inteligente

Nunca melhora de estado quem muda só de lugar, mas não de vida e de hábito. Quevedo


o consumidor inteligente Nunca melhora de estado quem muda só de lugar, mas não de vida e de hábito. Quevedo

Ah! Se todos soubessem que não é tanto o quanto uma pessoa

ganha, mas o quanto ela é capaz de guardar que determina o seu futuro financeiro, como nos alertou o Princípio da Conservação nos capítulos anteriores O Uso Inteligente do Dinheiro. Esse fato traz ao centro do palco a figura do ser humano mais apto a poupar e multiplicar o seu dinheiro: O Consumidor Inteligente. O Consumidor Inteligente é que aquele que entende que dinheiro não pode ser tão bem visto pelo olhos, como o é pela mente. Por isso ele usa cada neurônio disponível na hora de pensar e planejar como gastar o seu dinheiro. É especialista em comprar mais por menos e cada real em sua mão rende muito mais que o mesmo real na mão de consumidores menos inteligentes. Quais são os segredos do Consumidor Inteligente? São poucos e simples, porém valiosos: •

Consumo Consciente

Saber Comprar

Saber Pagar

Neste capítulo, vamos considerar em detalhe cada um desses segredos.

151


CAPÍTULO 1 2

casa própria, educação e previdência

De sete em sete anos farás a remissão. Deuteronômio 15: 1


casa própria, educação e previdência Ao fim de cada sete anos serão canceladas todas as dívidas! Deuteronômio 15: 1

“Eu quero uma casa no campo”

imortalizou o poeta, a frase que car-

rega o sonho de tantos neste país: no campo, na cidade, na planicie, no planalto ou na montanha, o que importa é a casa. Quantos anseiam pelo sonho da casa própria. O que vamos tratar neste capítulo é fundamental para pessoas que sonham ter sua casa própria, um Fundo para Educação dos filhos e um Plano de Previdência para o futuro, mas não veem como fazer tudo isso simultaneamente. O estudo da cultura antiga dos judeus, famosos por sua habilidade de “fazer” dinheiro, revela que havia entre eles uma premissa de que todos os débitos deveriam pagos ou cancelados em até sete anos, o que os estimulava a não conceder crédito ou fazer dívidas por um período maior do este, por razões óbvias. Neste capítulo vamos verificar se esse princípio pode contribuir para realizar os sonhos da casa própria, do Fundo para Educação e do Plano de Previdência. A maioria das pessoas deseja ter sua casa própria. E mesmo que o investimento em imóveis possa receber críticas de alguns especialistas, essa conquista proporciona uma grande sensação de segurança, estabilidade e realização pessoal. Mas a verdade é que maioria das pessoas não dispõe dos recursos para comprar a sua casa e pagar à vista por ela. Então, não tem outro jeito, senão entrar em um financiamento de longo prazo. Teria essa prática de fixar o limite de sete anos para as dívidas algum impacto para viabilizar a casa própria e ajudar a formar o Fundo para Educação e o Plano de Previdência?

165


CAPÍTULO 1 3

aposentadoria ou independência financeira?

“Aquele que controla o presente, controla o passado. Aquele que controla o passado, controla o futuro.” George Orwell


aposentadoria ou indepêndencia financeira? “Aquele que controla o presente, controla o passado. Aquele que controla o passado, controla o futuro.” George Orwell

Só o futuro vai dizer a qualidade de nossas escolhas.

Há três grandes erros que corremos o risco de cometer: não ter vivido plenamente o passado, não viver intensamente o presente e não pensar no futuro.

É possível que você esteja entre o grupo dos privilegiados que não cometeu nenhum desses erros e está em paz com as escolhas afetivas, profissionais e econômicas que fez ao longo de sua vida. Mas para alguns, não ter vivido plenamente o passado pode significar não ter aproveitado na plenitude as oportunidades que a vida ofereceu. Não ter adquirido (ainda) uma formação acadêmica consistente; não ter construído (ainda) uma carreira profissional estável ou um negócio sólido. Significa não ter construído em torno de si mesmo uma rede de proteção financeira que assegure alguma renda, mesmo quando não está trabalhando. Resumindo, significa não ter alcançado (ainda) a independência financeira e estar vivendo com certa dificuldade, diante de um futuro econômico que pode parecer incerto ou sombrio. Muitas pessoas chegam a esse ponto por terem vivido o passado, quando era presente, sem dar atenção devida ao futuro. Por terem esquecido que, como dizia Wood Allen, “é no futuro que viverão o resto de suas vidas.” É no futuro que “estourarão” todas as questões e problemas que foram, ao longo da vida, jogados para debaixo do tapete. Esqueceram que o futuro costuma ser o tempo em que as portas da oportunidade ficam mais estreitas, a energia

173


CAPÍTULO 1 4

o investidor inteligente

“Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico.” Sêneca


o investidor inteligente

“Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico.” Sêneca

Nada supera o sabor de uma conquista, de ultrapassar a linha

de chegada e receber a bandeirada, alcançar o objetivo, realizar a meta. Ao longo deste programa, enfatizamos com insistência que todo o esforço da pessoa que deseja conquistar a independência financeira deve ser canalizado para obter dinheiro e preservar o dinheiro para ter recursos disponíveis para investi-los e multiplicá-los até que gerem uma renda maior do que a que é adquirida com o trabalho.

É preciso saber investir O outro lado desta moeda diz que não basta ter dinheiro para investir. É necessário saber investir. Investir com objetivo, estratégia e inteligência. Tudo neste mundo é regido por leis. Os corpos celestes permanecem em suas órbitas porque estão sujeitos a um conjunto de leis. Nossos corpos estão em funcionamento porque são sujeitos a um conjunto de leis da biologia, da química e da física. A própria sociedade organizada como conhecemos só pode funcionar bem porque é regida por leis. Sendo a nossa relação com o dinheiro uma realidade tão importante e poderosa e sendo o investimento correto desse dinheiro ainda mais importante para alcançar a meta da indepen-

185


CAPÍTULO 1 5

investindo com

inteligência

“Dinheiro semeia dinheiro e o primeiro franco é, muitas vezes, mais difícil de ganhar que o segundo milhão.” Jean-Jacques Rousseau


investindo com inteligência “Dinheiro semeia dinheiro e o primeiro franco é, muitas vezes, mais difícil de ganhar que o segundo milhão.” Jean-Jacques Rousseau

Quatro, três, dois, um... investir! No capítulo anterior, abordamos os princípios mais importantes que devem nortear o pensamento e as atitudes de um investidor inteligente, com o objetivo de prepará-lo para fazer investimentos inteligentes. Investimento inteligente é aquele que está alinhado com seus objetivos e cumpre um papel definido para a realização do seu projeto de vida. Para fazer investimentos inteligentes, é preciso primeiro definir objetivos para os investimentos. Em função desses objetivos, traçar suas estratégias. Isso torna o planejamento pessoal essencial em matéria de investimento, uma vez que os objetivos de vida e projetos específicos influenciam as estratégias para investir. Portanto, antes de investir, é preciso saber: Quais são meus objetivos? Para que estou acumulando dinheiro? Quanto pretendo ganhar? Posso correr algum risco? Se SIM, qual meu limite para perder? Durante quanto tempo pretendo investir? Os objetivos para investimento podem ser os mais variados: investir para saldar um compromisso; investir para fazer uma viagem; investir para comprar um imóvel; investir para trocar de carro; investir para constituir um negócio próprio; investir para formar um Fundo para a educação dos filhos; investir para a aposentadoria e outros. Para cada tipo de objetivo pode existir uma ou mais opções de investimentos adequados. Podemos ter objetivos de curto prazo e de longo prazo. Objetivos que não suportam riscos e objetivos que podem suportar algum risco. Da mesma forma, existem investimentos de curto

199


CAPรTULO 1 6

uma conversa franca para casais

Tudo que estรก no plano da realidade jรก foi sonho um dia. Leonardo da Vinci


uma conversa franca para casais Tudo que está no plano da realidade já foi sonho um dia. Leonardo da Vinci

O coração bate acelerado, as mãos ficam suadas e frias e os olhos brilham quando soa a música, as portas de igreja se abrem e ela desponta com indescritível beleza e encanto. Já experimentou esta emoção, estando no lugar do noivo ou da noiva? Ainda consegue se lembrar dos sonhos de um futuro perfeito? Onde exatamente estão em relação a eles? Este programa não estaria completo se não dedicasse um espaço para uma conversa franca com os casais que terão contato com ele. Se você é parte de um desses casais, marido ou mulher, o espaço é este e a hora é esta. Como você classificaria sua família neste exato momento? Vamos às opções: ( ) Uma família que já alcançou a estabilidade e a independência financeira e está realizando seus sonhos. ( ) Uma família que já alcançou estabilidade financeira, a independência financeira ainda não chegou, mas está avançando nessa direção. ( ) Uma família que ainda não alcançou a estabilidade financeira, mas está avançando nessa direção. ( ) Uma família que ainda não alcançou a estabilidade financeira, não está avançando nessa direção e está distante de seus sonhos. ( ) Uma família que vive uma crise financeira ou em constante crise financeira e está longe de ver seus sonhos realizados, acumulando frustrações e decepções. A vida financeira de um casal ou família tem ramificações em todas as demais dimensões

221


CAPÍTULO 1 7

a educação financeira do seu filho

“Ser pai é a arte de tornar-se desnecessário”. Anônimo


a educação financeira do seu filho “Ser pai é a arte de tornar-se desnecessário.” Anônimo

Quero ser um pai perfeito! Qual o ser humano, homem ou mulher, que tendo filhos, nunca desejou isto? Todos querem o melhor para seus filhos. Mas temos que admitir que o ideal de perfeição como pais e mães, nesta dimensão da vida, é apenas uma meta. Não há pais perfeitos, assim como não há filhos perfeitos. Simplesmente porque não há pessoas perfeitas.

Pais bons o bastante O reconhecido psicólogo e educador Bruno Bettelheim, em seu livro Uma Vida para Seu Filho, afirma que o fato de não podermos ser pais perfeitos não é relevante e nem necessário. Segundo Bettelheim, podemos ser pais bons o bastante para fazer com que nossos filhos cresçam seguros, felizes, capazes de enfrentar a vida com otimismo e responsabilidade. Afinal, não é exatamente isso que desejamos com todas as forças para nossos rebentos? É verdade que a educação de uma criança envolve diversas dimensões: social, emocional, afetiva, estética, física, intelectual, cultural, ética, espiritual, etc., e que como pais procuramos fazer o melhor em cada uma delas. Mas o que dizer da dimensão financeira da vida de nossos filhos? Alguém poderia dizer: mas eles ainda não têm uma vida financeira! Quem disse? Algum de nossos filhos vive sem alimentos, roupas, banho, energia elétrica, escola, remé-

227


CAPÍTULO 1 8

as melhores coisas que o dinheiro pode fazer

“O dinheiro deve ser apenas o mais poderoso dos nossos escravos.” Abel Bonnard


as melhores coisas que o dinheiro pode fazer O dinheiro deve ser apenas o mais poderoso dos nossos escravos.” Abel Bonnard

Pior que a convicção do não é a incerteza da dúvida. Num mundo de poucas certezas e muitas dúvidas, não poderia concluir este volume sem expressar algumas convicções pessoais relacionadas ao tema proposto. Pretendeo fazer isto, naturalmente, sem qualquer intenção de transitar no intransitável terreno das convicções pessoais do caro leitor, mas apenas chamar a atenção para a dimensão maior que contém as questões relacionadas ao dinheiro, sua importância e significado hoje, e nossa relação para com ele. Somos seres privilegiados!

Temos que reconhecer! Ainda que tenhamos muitas

limitações, somos seres privilegiados! Vivemos em um mundo generoso. A natureza produz sem preço tudo que é de fato essencial à vida. Até sobrevivemos sem carros, sem computadores, sem tevês, sem celulares. Só não sobrevivemos sem oxigênio, água, luz e algum alimento. Coisas que a natureza produz generosamente e sem preço - embora o homem tenha colocado preço em algumas delas. Essa generosidade da natureza tem algo a nos ensinar. Os elementos da natureza dão gratuitamente os seus melhores atributos e o melhor que podem fazer. As flores dão gratuitamente sua beleza e seu perfume. Durante o dia, o sol dá gratuitamente a sua luz e o seu calor. À noite, o sol empresta sua luz à lua, que também gratuitamente a reflete para nós. As abelhas fazem gratuitamente a impagável prestação de serviço de polinização e ainda transformam, também gratuitamente, o seu labor na incomparável fonte de energia e doçura que é o mel. A natureza, espelhando o Criador, ensina a generosidade de dar o melhor de si. Temos mesmo que reconhecer: somos seres privilegiados. Saúde, energia

243


247


Independência Financeira de A a Z