Issuu on Google+


MOJU >> 02 Índice

>> 03

>> 03

Editorial

>> 04, 05

Como tudo começou

>> 06, 07

Abril Bandas Mil

>> 08, 09

Encontros Moju

>> 10 >> 11, 12, 13, 14 >> 15 >> 16, 17 >> 18, 19, 20, 21 >> 22, 23

Nucleo Internacional

Semana da Juventude Entrevista Voluntariado

>> 25

Paredes Limpas

>> 29, 30, 31

Olhares Rap’ública Bom Suceso

>> 32

Cinema de Bairro

>> 33

GIP

>> 34, 35

Mojuão

>> 36

Galinha de Natal

>> 37

Agradecimentos

>> 38, 39

»editorial

Moju contra a Sida

Setembro Verde

>> 28

“acreditamos que os jo-

Carnaval

>> 24

>> 26, 27

aumentado e as mudanças que se têm feito sentir na sociedade trazem novos desafios aos quais não iremos virar as costas.

Apoios

“MOJU, SOU EU E ÉS TU”

É com imenso orgulho que escrevo estas curtas linhas, numa data tão importante para a Associação. A verdade é que apesar destes cinco anos, como entidade formalmente constituída, somos ainda uma Associação jovem, constituída por jovens e para os jovens. Mas somos, acima de tudo, um grupo de pessoas que se foi juntando e que continua a crescer por acreditar no potencial da juventude em construir um mundo melhor. Claro que já não estamos naquela fase da vida em que acreditamos que podemos mudar o mundo, mas continuamos a acreditar que podemos contribuir para uma pequena melhoria na nossa comunidade. É com esta convicção que nos entregamos no nosso dia-a-dia, porque acreditamos que os jovens têm um papel fundamental na construção do futuro. Apesar de não ter estado presente na época da sua constituição, sei que a MOJU surgiu da vontade de fazer algo útil e diferente no nosso concelho, em prol e em conjunto com os jovens. Foi por me rever nesta dinâmica que me associei a este movimento e passados cinco anos muito foi conseguido, mas muito há ainda por fazer. O nível de exigência tem

vens têm um papel fundamental na construção do futuro

Muitos projetos foram concretizados, outros ficaram no papel, e outros continuam ainda a ser trabalhados. Apesar de não refletir todo o trabalho que foi desenvolvido ao longo destes anos, pois para tal seria necessária uma edição com muitas mais páginas, aqui ficam registados os principais momentos da MOJU. O que nunca será possível partilhar de forma fidedigna é o verdadeiro valor desta Associação, pois esse reside nas pessoas e nos seus sonhos, algo que apenas se pode valorizar quando se acredita, e para acreditar é preciso conhecer. Apenas com a crença daqueles que conhecem verdadeiramente o espírito que emana do nosso “J”, o que aqui apresentamos foi possível, a todos esses se deve tudo, inclusivamente a nossa existência. A todos esses um enorme bem-haja por acreditarem que é preciso “Não ter medo da queda. Foi assim que se construiu a sociedade, não pela prudência dos que marcham, mas pela ousadia dos que sonham.” (Rubem Alves). Saudações Associativas e Juvenis, Nuno António


>> 05

COMO TUDO COMEÇOU... Programa Juventude em Ação A ideia de criação da MOJU surge em 2006 com a participação de um grupo de jovens olhanenses numa ação de divulgação e informação do anterior «Programa Juventude», atual «Programa Juventude em Ação». Esta iniciativa, intitulada «A Viajar Também se Aprende», tomou lugar na CJO e daí nasceu a ideia de criar algo, ainda sem saber ao certo o quê, mas o “bichinho” ficou e desde então não tem parado. Contact Making Seminar Do pouco conhecimento sobre o mundo do associativismo resultou em Outubro de 2006 o primeiro projeto da Associação, ainda enquanto grupo informal de jovens. A iniciativa intitulada

“O dia 16 de Outubro de 2007 ficará para sempre marcado”

«Contact Making Seminar» contou com parceiros de sete países da União Europeia e foi financiada pelo antigo «Programa Juventude». O objetivo foi ganhar experiência e estabelecer contactos para futuras iniciativas. Podemos dizer que funcionou! Constituição O dia 16 de Outubro de 2007 ficará para sempre marcado. Foi neste dia que nasceu a «Associação Movimento Juvenil em Olhão», a MOJU! A história da criação é longa, mas nasce do empenho daqueles que durante quase dois anos criaram, inicialmente um grupo informal, e daqueles que durante esse tempo foram “recrutados” e que agora formam um grupo unido de amigos que pretende ser

cada vez maior. E depois da constituição, claro … a FESTA!!! Primeiras Eleições As eleições para os primeiros órgãos sociais da MOJU decorreram a 1 de Dezembro de 2007. Os sócios votaram na mesa de eleições montada numa das salas da Sociedade Recreativa Olhanense, parceiro fundamental no início da vida da Associação. Com apenas uma lista a sufrágio, foi sem grande surpresa (100% dos votos) que a lista A foi eleita para gerir a MOJU durante os dois primeiros anos da sua vida. A tomada de posse foi realizada logo após o fecho da urna e da contagem de votos pelos membros da comissão instaladora.


MOJU >> 06 Abril Bandas Mil

ABRIL BANDAS MIL Para além do concurso de bandas, o «Abril Bandas Mil» (ABM) pretende ser um espaço de convívio e partilha dando a oportunidade a bandas de garagem para subir ao palco e apresentar temas originais. A primeira edição, em 2008, percorreu três freguesias de Olhão (Casa do Povo de Moncarapacho, Cinema Topázio na Fuzeta e Clube Oriental de Pechão, finalizando o concurso no Jardim Pescador Olhanense com a participação dos PESTE & SIDA como banda convidada.

Das nove bandas participantes foram apuradas para a final, os «Fora da Bóia», os «A Rose for Anne», os «Dog Days» e a banda da terra, «Punk C’Mantega», vencedora da primeira edição. Na segunda edição em 2010, com o slogan «Sai da Sombra», a cidade cubista acolheu 12 bandas nacionais com estilos vários, desde o Hip-Hop ao Metal. A Casa do Povo de Moncarapacho foi o palco da iniciativa. A final teve mais uma vez a ria como plano de fundo, contando com cerca de 5 mil pessoas que aplaudiram a banda vencedora «Dharma Project» de Almada, e os finalistas «Betão Armada» e «Murder Case». A banda convidada deu o concerto do ano em Olhão: os «Tara Perdida», a celebrar o seu 20º aniversário.

“Na terceira edição

desafiámos todos a “molhar-se” numa chuva de bandas!

A terceira edição foi concentrada num único fim-de-semana, três dias seguidos no espaço centenário da Sociedade Recreativa Progresso Olhanense, culminando com os vencedores «Mascra» e os finalistas «Genoma 3.14» e «Plant», que juntamente com a banda convidada – «OLudo» - levaram ao rubro a plateia na grande final. Em 2014 estaremos de volta com a promessa de mais inovação. Fica atento atento e até lá “sai da sombra!”

Todos os anos tenho a sensação que o nível de exigência das bandas concorrentes irá ser inferior ao ano anterior, ou que pelo facto de sermos uma cidade/região desprovida de iniciativas deste género, concorrem menos bandas. Mas não, claramente não podia estar mais enganado! As bandas têm cada vez mais qualidade e chegam de vários pontos do país. Os prémios obviamente ajudam, uma vez que este ano conseguimos oferecer uma gravação no Zipmix, o que demonstra o interesse do estúdio olhanense em registar a banda vencedora, para que tenham melhor aceitação no mercado. Orgulho-me da equipa voluntária que este ano teve trabalho redobrado devido ao mau tempo. Quem se lembra de mover tudo do Jardim Pescador Olhanense para a Recreativa “pobre”que nos acolheu com o maior carinho e simpatia?! Como tal, tenho a dizer neste artigo de opinião que estou disponível para a edição de 2014. Abraços! João Baptista – Coordenador ABM


>> 09

ENCONTROS MOJU Todos os anos, nos tradicionais ENCONTROS MOJU, os sócios reúnem-se para debater os assuntos da Associação. Para além dos episódios de lazer, de que são exemplo os concorridos peddy pappers, os desafios da MOJU são tema de reflexão. 1.º ENCONTRO Invasão a ALCOUTIM

“MOMENTOS DE CONSTRUÇÃO”

“Foi um fim-de-semana pleno de partilha, descoberta e euforia, em que pessoas que mal se conheciam se descobriram num frenesim de jogos, debates e muitas emoções. Foi nesta exaltante dinâmica de grupo que comecei a acreditar na força que aquele “J” estampado no símbolo cubista da nossa cidade pode ter. Foi no seio deste grupo de pessoas que me senti motivado a, pelo menos, tentar fazer algo pela cultura juvenil da nossa cidade”. Testemunho de Nuno António, participante no I Encontro MOJU

2.º ENCONTRO Relax na ARRIFANA

3.º ENCONTRO o regresso a ALCOUTIM

“Já há muito que tentava procurar saber um pouco mais de como seria esta Associação e os seus ideais. Participava por vezes nas suas atividades mas sempre como mero espectador, até ao dia que um grande amigo meu “me fez a cabeça” para participar no 2.º Encontro. Descobri que afinal os Moju’s são muito mais que os “Meos”, têm mais ideias e muito mais fibra. São pessoas com uma vontade enorme de fazer algo diferente e ao mesmo tempo educativo para os jovens da nossa idade e não só”.

“Foi uma experiência única, memorável, com muita diversão, ação e movimento criativo. É como uma espécie de Cimeira Juvenil em debate de ideias e fundamentos para uma batalha sábia em prós e contras com a evolução positiva deste movimento em crescimento e aprendizagem. Um dos objetivos foi também a comemoração de mais um ano realizado com muita luta e muita orgânica neste núcleo de jovens empreendedores. Só sente quem está presente, por isso não percam a próxima!”

Testemunho de Vasco Cabrita, participante no II Encontro MOJU

Testemunho de Marco Santos, participante no III Encontro MOJU

“Só sente quem está presente, por isso não percam a próxima”

“O meu primeiro Encontro foi uma autêntica surpresa! Só pensava em festa; um grupo de jovens com a Pousada só para nós, muita diversão, bebida, namorar muito, praia, diretas, enfim... um cheirinho a passagem de ano. Estamos cá todos com o mesmo objetivo: partilhar ideias, sonhos, projetos, dar o nosso contributo a esta associação e à nossa cidade... dar um pouco de nós aos outros e sermos felizes com o que fazemos!” Testemunho de Micaela Cabrita, participante no II Encontro MOJU


MOJU >> 10 Mó Carnaval

>> 11

MÓ CARNAVAL

NÚCLEO INTERNACIONAL

Com a intenção de recuperar os antigos bailes de Carnaval em Olhão surgiu o «Mó Carnaval». A MOJU juntou-se à Sociedade Recreativa Progresso Olhanense e à Associação de Estudantes da Escola Secundária de Olhão.

A MOJU é uma associação juvenil de âmbito local, apartidária e não sindical, constituída por um grupo de jovens crentes da importância da participação dos jovens na construção da sociedade.

Uma nova experiência - ser coordenador de um projeto, mas claro que contei com a ajuda de muita gente para levar avante esta iniciativa. Depois de muita azáfama com toda a preparação e rigor nas diversas indumentárias carnavalescas, eis que chegou a hora de abrir as portas da Recreativa Progresso. O salão esgotou e contou na sua primeira atuação com os «Ginga Show»; todos mascarados a rigor, desde Homens da Luta a 3 Vacas com os seus Talhantes. Na última grande atuação os «Pimba Chique»: Ivete Mangalho e Rolinhas. Muita animação e vários espetáculos numa noite recheada de multidão e que foi ponto alto do Carnaval 2012 em Olhão. Roberto Prazeres – Coordenador (estagiário) do Mó Carnaval

É uma Organização Não Governamental, sem fins lucrativos, inscrita no Registo Nacional das Associações Juvenis, membro da Federação Nacional das Associações Juvenis e membro observador da YEU – Youth for Exchange and Understanding, uma organização internacional que pretende promover a mobilidade de jovens a nível europeu. A MOJU é parceira de um conjunto de associações/organizações que resultam na organização e participação de diversas iniciativas a nível Europeu, como intercâmbios, formação, campos internacionais de trabalho e campos de voluntariado jovem.

“...experienciar novas

culturas e realidades pelo contacto com outros jovens da Europa

O Núcleo Internacional da MOJU tem feito parte da história da associação desde o seu início. Foi em 2006 que a MOJU, ainda como grupo informal de jovens, realizou o seu primeiro evento internacional. Considerado como o motor do começo da MOJU, este evento reuniu vários jovens de diferentes associações europeias com o objetivo de partilhar boas práticas de associativismo. Ao longo do tempo, a nossa associação tem marcado presença assídua em intercâmbios juvenis, formações e seminários nos mais diversos pontos da Europa. No final de 2011 a MOJU foi aceite como membro observador da rede internacional de associações europeias YEU – «Youth for Exchange and Understanding», que tem assento no Fórum Europeu da Juventude em Bruxelas, Bélgica. Esta parceria abre assim um enorme leque de oportunidades aos nossos sócios e voluntários de experienciar novas culturas e realidades pelo contacto com outros jovens da Europa.

Em Outubro recebemos duas jovens da Lituânia e Bélgica durante onze meses através do projeto SVE – Serviço de Voluntariado Europeu (financiado pelo Programa Juventude em Ação). Neste período as voluntárias vão desenvolver actividades de acordo com os objetivos da Associação, bem como experienciar a vida Lusitana e Mojuense. Estamos convictos que a MOJU continuará a criar e a desenvolver atividades que vão ao encontro das expetativas dos jovens, ajudando-os a desenvolverem-se como pessoas e como cidadãos europeus ativos, numa Europa mais justa, solidária e multicultural. João Dias Coordenador do Núcleo Internacional


MOJU >> 12 Núcleo Internacional

INTERCÂMBIOS / CURSOS DE FORMAÇÃO Fevereiro 2007 – Mollina (Espanha) CREATIVE ORGANIZER – formação para organização de intercâmbios juvenis que promovam uma cultura de paz CREATIVE LEADERSHIP – formação em gestão de organizações juvenis e comunicação em rede Maio 2007 – Estrasburgo (França) STUDY SESSION – metodologias e práticas para facilitadores em diálogo intercultural e inter-religiosos em intercâmbios juvenis Agosto 2007 – Azerbaijão YOU AND ME IN EUROPE – Convenção Internacional da YEU com participação de 42 jovens de 17 países diferentes. A MOJU representou Portugal

“Foi uma viagem que não conteve apenas um enriquecimento cultural e pessoal, mas também esteve repleta de novidades e aventuras que aconselho a todos os jovens” João Dias

Outubro 2007 – Hungria COLORS OF DEMOCRACY – Intercâmbio Internacional sobre os processos democráticos europeus Fevereiro 2008 – Mollina (Espanha) CREATIVE ORGANIZER – formação para organização e avaliação de projetos

Outubro 2008 – Kiev (Ucrânia) EUROPEAN YOUTH FÓRUM – Fórum Europeu de Juventude. Foi discutido o futuro do setor da juventude no âmbito do Conselho da Europa

“O evento representou uma grande oportunidade de trabalho em rede, juntamente com outras organizações que promovem o trabalho juvenil…” Sérgio Cabrita Outubro 2008 – Sardenha (Itália) YOUTH EXCHANGE – energias renováveis

“A ideia final que fica é: assim que puder vou a outro! Vale a pena!” Sara Tavares

Maio 2009 – Durres (Albânia) YOUTH EXCHANGE – Coexistência pacífica das religiões como meio de luta à discriminação religiosa Dezembro 2009/ Janeiro 2010 – Olhão e Faro (Portugal) YOUTH EXCHANGE – Do outro lado da Ponte Europeia Abril/Maio 2011 – Tolo (Grécia) CREATIVE ORGANIZER – Jovens a organizar intercâmbios juvenis

“Aproveita as oportunidades, escreve mais uma história na tua vida” Mónica Moreira Outubro 2011 – Portimão (Portugal) Seminário para construção de pontes de cooperação - desenvolvimento e gestão de estratégias locais Dezembro 2011 – Faro (Portugal) Juntos na construção de espaços de participação - Curso de Formação de cogestão de estruturas a nível local Fevereiro 2012 – Leskovac (Sérvia) Curso de Formação Internacional – Creativity in Activity

“Fico super contente por ter embarcado nesta aventura que me permitiu crescer como pessoa, ver o mundo e os outros de outra forma” Carlos Sousa

Maio de 2012 - Aljezur (Portugal) Intercâmbio Juvenil – Stop Unemployment: Challenges and Opportunities in Europe Outubro 2012 – Alcoutim (Portugal) YOUTH EXCHANGE – Shake your body! O Desporto e atividades de exterior como forma de promoção da educação na saúde

“Aproveita as oportunidades, escreve mais uma história na tua vida ”


>> 15

MOJU CONTRA A SIDA Foram dois anos a consciencializar os mais jovens numa parceria com as escolas de Olhão. Porque a SIDA não é um problema só dos outros… Mais de 7 mil novas infeções de VIH por dia em 2009. No mesmo ano, em Portugal, encontravam-se notificados 37

A MOJU é, desde Fevereiro de 2012, acreditada no Serviço de Voluntariado Europeu (EVS – European Voluntary Service). A meta é promover a mobilidade de jovens a nível internacional. A MOJU está habilitada a receber e enviar jovens para participar em programas de voluntariado ao nível da Europa e possibilita aos jovens europeus uma experiência de voluntariado num país diferente do seu, por períodos que podem ir de duas semanas a doze meses.

Em Outubro de 2012 recebemos os primeiros voluntários do SVE, num projeto com a duração de 11 meses intitulado «Volunteering to Promote Youth (Active) Participation». Neste projeto duas jovens voluntárias, da Bélgica e Lituânia, vão ser envolvidas nas atividades e projetos da Associação e serão incentivadas a desenvolver os seus próprios projetos. O SVE é uma grande oportunidade para desenvolver habilidades pessoais dos voluntários e criar situações de aprendizagem, através de métodos de Educação Não-Formal. Os voluntários estão em contacto direto com comunidades, culturas e línguas diferentes, o que acarreta benefícios tanto para a comunidade como para o voluntário.

“Se tens interesse em

participar numa experiência de voluntariado internacional não deixes de nos contactar

Iniciativa financiada pelo Programa Juventude em Ação

201 casos de infeção. Querendo passar a mensagem que a SIDA não é um problema só dos outros, a MOJU, em 2010 juntou-se às escolas de Olhão a lutar pela nossa geração. Usámos a energia e criatividade dos alunos do 3º ciclo e secundário. Foram desenvolvidos teatros de marionetas, trocas de papéis, cartazes, panfletos e momentos de reflexão, que nos fizeram concluir o quão valiosos são estes módicos passos na luta contra esta doença. Após dois anos cremos que muito trabalho ficou por fazer e desafiamos os jovens a deixar

a sua marca e juntarem-se à MOJU na luta CONTRA A SIDA. Mónica Moreira - Coordenadora do Projeto «MOJU Contra a SIDA»

Financiado por:


MOJU >> 16 Semana da Juventude

>> 17

Dar voz à Juventude…

SEMANA DA JUVENTUDE Para além de representar a essência MOJU, a «Semana da Juventude» afirma-se sobretudo como um espaço para os jovens desenvolverem a sua identidade. De jovens para jovens…

Esta iniciativa, assim como a própria MOJU, nasceu da necessidade sentida, enquanto jovens pertencentes a uma comunidade onde a juventude não encontrava atividades à sua medida. Perante o vazio de atividades, só contrariado por algumas iniciativas pontuais de outras instituições, o grupo de jovens que formou inicialmente a Associação deu o mote para dar forma a um novo espírito de intervenção em Olhão.

O sucesso da iniciativa está patente, não apenas na sua repetição anual, como também na evolução e transformação que o conceito tem sofrido desde então, também fruto das parcerias estabelecidas. Este projeto, que colocou centenas de jovens em contacto com diversas áreas de interesse, pretende ser uma expressão do voluntariado e participação juvenil.

A «Semana da Juventude» aproximou pessoas, ideias e instituições, clarificando não só aquilo que nos une: os valores da participação, liberdade, inclusão, como também aquilo que nos diferencia, colocando à prova a nossa capacidade de trabalhar em equipa, reconhecendo os outros na sua individualidade e procurando cada vez mais soluções que respeitam os diferentes interesses e formas de estar.

Numa organização conjunta com:

Com o intuito de valorizar e dinamizar a juventude do concelho olhanense, e no âmbito da comemoração do primeiro aniversário da Associação, o Projeto «Semana da Juventude» surgiu em Outubro de 2008. Apesar de não se tratar de um conceito novo este projeto representa a essência dos valores da MOJU – atividades desenvolvidas por jovens para os jovens.

“Um espaço de projeção

e de experimentação para todos os jovens

Este princípio permitiu à «Semana da Juventude», que conta já com quatro edições, afirmar-se como um espaço de projeção e de experimentação para todos os jovens que procuram oportunidades para desenvolver a sua identidade.

“A Semana da Juventude aproximou pessoas, ideias e instituições”

A caminho da 5ª edição é necessário repensar o que pretendemos e a forma como queremos que esta iniciativa seja dinamizada. Na sua génese está uma genuína vontade de dar voz à juventude e envolvê-la em todo o processo de organização; desde o planeamento até à avaliação. Só com uma verdadeira cultura de participação podemos levar a estes jovens a oportunidade de adquirir esta experiência única e enriquecedora que é a de um voluntário que dá o seu melhor e apenas por uma simples razão: porque acredita que o seu contributo faz a diferença e serve muito mais um interesse pessoal de superação e valorização do que uma vontade institucional de projeção. Luís Tavares - Coordenador da 2.ª, 3.ª e 4.ª «Semana da Juventude»


MOJU >> 18 Entrevista Presidentes MOJU

>> 19

ENTREVISTA

PRESIDENTES MOJU Prestes a completar cinco anos a MOJU é uma associação de jovens e para os jovens de Olhão. O envolvimento juvenil e a participação ativa na sociedade são bandeiras desta associação que trabalha para que a voz dos jovens seja ouvida. Envolver a juventude e promover o voluntariado não é tarefa fácil, mas as portas estão sempre abertas para novos desafios. A criatividade é o limite numa associação que tem vindo a «agitar» Olhão, sendo já reconhecida pelo espírito e cultura MOJU a quem ninguém é alheio. O mote não é em vão, porque «MOJU sou eu e és tu!»

“Queremos que a juventude de Olhão

seja mais ouvida e queremos participar ativamente na construção e desenvolvimento da nossa cidade

Quais os grandes obstáculos nestes cinco anos? Ana Leal: Principalmente a burocracia. A legislação para a criação de associações juvenis é incomparável ao resto da Europa. Aqui são precisos 20 associados para fazer uma associação juvenil. Em Espanha são três… Queremos uma Juventude Ativa, mas é tudo muito burocrático, tanto que para a criação de uma associação juvenil, ou seja, para jovens a partir dos 14 anos, é necessário o pagamento de uma escritura pública no valor de 600 euros. Quem são os jovens que têm dinheiro para fazer uma escritura pública? Mas pronto, ultrapassámos isso. Quais são os grandes pilares que regem a MOJU? AL: A promoção da participação ativa dos jovens é o pilar que nos faz ter a porta aberta a qualquer jovem que queira participar ativamente na sociedade e que queira apresentar o seu projeto e fazer alguma coisa por Olhão. Queremos que a juventude seja mais ouvida e queremos participar ativamente na construção e desenvolvimento da nossa cidade. A partir daqui a criatividade é o limite...


MOJU >> 20 Entrevista Presidentes MOJU

>> 21

Uma das grandes metas é «agitar» a vida juvenil em Olhão. Como se «agitam as águas» numa sociedade pouco participativa?

a nível, local, regional, nacional e até internacional, uma referência na mobilização dos jovens. Só temos motivos para estar orgulhosos.

AL: A dificuldade é às vezes nos recursos que precisamos para mobilizar os mais novos. A participação juvenil não começa na organização, mas sim na participação, e o que precisamos é de um apoio real para ter disponibilidade para promover essa participação aos mais novos. Gostávamos de envolver mais jovens, mas é difícil, precisamos de tempo e de recursos para fomentar a participação ativa dos jovens.

A MOJU aproveita grande parte dos fundos disponíveis. Sentem que as outras associações juvenis estão mais paradas ou é a MOJU que se mexe mais?

Promover esta participação passa sobretudo pela escola... AL: Sim, e nesse aspeto somos uma referência para as escolas no envolvimento e participação juvenil. A MOJU é hoje em dia, quer

Nuno António: Julgo que a diferença é que na MOJU somos mais. Nas outras associações existe capacidade e competência, não têm é tanta gente. Agora, como é óbvio, para fazermos atividades o recurso financeiro é importante. E é claro que se existem linhas disponíveis tentamos ir buscar apoios, mas o intuito não é o dinheiro, mas sim atribuir o tal recurso que nos permite trazer outros recursos materiais e humanos para concretizar projetos. Neste sentido também implementámos uma estrutura de núcleos de trabalho, que podem não fazer parte dos órgãos sociais, mas que contribuem para as diferentes áreas. Inclusivé esta direção têm um conjunto de assessores para determinadas áreas, isso mostra-nos que somos 30 envolvidos de forma voluntária. AL: Não podemos também esquecer que um bom indicador é a nossa renovação dos cargos sociais. Muitas vezes nas outras associações não há essa renovação e as pessoas acabam por ter outras prioridades e afastar-se, consequentemente as associações acabam por ficar presas a um ou dois que as mantêm, ou então acabam por morrer. Essa renovação é muito importante porque a associação nunca é identificada a uma pessoa, mas a várias. Ou seja, sócios e voluntários podem dentro da sua área de formação desen-

volver competências e em simultâneo ajudar a associação… Luís Tavares: Sim, e o que permite esta capacidade de penetrar na comunidade é realmente a cultura. O Espírito MOJU é uma cultura que nos faz ter uma identidade própria, liga-nos afetivamente aos valores da associação. Valores como: democracia, participação, envolvimento, partilha das tarefas; isso faz com que as pessoas se sintam valorizadas e importantes. A associação não é o interesse pessoal de ninguém; neste momento é um património, um bem de Olhão. Qual a importância do voluntariado na MOJU? AL: Temos cerca de 12 projetos atualmente onde apenas um não é voluntário. Está tudo dito; sem voluntários a associação não funciona. NA: O voluntariado é a base. As pessoas que vierem têm que vir porque acreditam e não porque estão à espera de receber algo em troca. Mas a verdade é que vamos conseguindo mobilizar voluntários, isto apesar de ser um processo moroso. Tentamos cativar as pessoas atribuindo responsabilidade, pois não podemos ver um voluntário como um mero executante de uma tarefa, senão desinteressa-se e já não vem. O «Bom Sucesso» é um dos principais estandartes da MOJU. O que é que este projeto faz pelos jovens de Olhão? AL: Em números implica 3 anos de atividade com 5

pessoas praticamente a tempo inteiro que recorreu a estágios profissionais e curriculares. Estamos a falar de 37 atividades e mais de 750 participantes. Estamos quase no final de um projeto que permitiu trabalhar ao nível da inclusão social com jovens que não tinham realmente oportunidades. Criámos respostas em Olhão que não existiam. Temos cerca de 30 jovens a quem promovemos o sucesso escolar e temos permitido que os jovens não abandonem a escola, ou que regressem. Estes jovens Já não são as mesmas pessoas, podem viver nos mesmos meios, mas já não olham para a realidade deles da mesma forma e é esta transformação que a longo prazo é um grande investimento para o futuro. A sede é também uma segunda casa para muitos… LT: Para os jovens que beneficiam do projeto o «Bom Sucesso» é uma segunda casa e para alguns é uma primeira casa... Está sempre cá

alguém, numa casa onde há modelos positivos, desde os monitores às atividades desenvolvidas. A verdade é que cerca de 40 jovens passam mais tempo aqui (nas atividades do projeto) do que em casa. A MOJU é uma grande família? LT: A MOJU é uma família com tudo o que isso implica. Com todos os grandes momentos de felicidade e partilha, mas também de conflitos, compreensão e superação. Quem está de fora pensa que isto é um grupo de amigos que formou uma associação e está totalmente errado. São pessoas que não tinham qualquer laço; estas pessoas são amigas por se encontrarem na associação e pelo sentido de missão pela terra em que vivem. Nuno, o 1º encontro MOJU marcou um novo interesse na tua vida: o associativismo juvenil. Passados três anos és presidente… NA: A minha primeira participação na MOJU deu-se no 1º Encontro em Janeiro de 2008. Já tinha tido contactos com o associativismo na secundária e universidade, mas aqui revi-me nos ideais das pessoas e senti que havia vontade de espicaçar, de fazer coisas! Estou neste momento a 100% porque acredito de facto que estamos cá para os desafios do futuro. E quais são os desafios para o futuro? NA: Este ano, e pela primeira vez tivemos o serviço de voluntariado europeu; este foi o primeiro desafio. Outro será a continuidade do projeto «Bom

Sucesso». Depois, algo que sinto que faz falta, é que as associações juvenis se unam e façam uma federação das associações do Algarve. Isto é fundamental, pois precisamos de uma estrutura deste género para que as associações possam ter voz, visto que existe um grande desrespeito pela lei que rege a participação juvenil na sociedade. Atualmente, e a título de exemplo, são poucos os municípios no Algarve que têm Concelhos Municipais de Juventude… Se existe obrigatoriedade porque é que não funciona? O Algarve é das únicas regiões em que o movimento juvenil está em decréscimo e temos que fazermo-nos ouvir e representar.


MOJU >> 22 Voluntariado

VOLUNTÁRIO.MOJU A força motriz que sempre motivou e desenvolveu a MOJU foi o voluntariado, maioritariamente desenvolvido pelos seus associados, mas também por outros colaboradores que se interessaram pela filosofia dos projetos e Associação.

Neste sentido surgiu o Projeto «voluntário.moju», com o objetivo de “premiar” todos os sócios que efetuem voluntariado no âmbito das iniciativas da Associação. O voluntariado é assim “premiado” através de um sistema de pontos atribuídos pela MOJU, conforme o trabalho desenvolvido. Estes ponts podem depois ser trocados por benefícios para o associado. O sistema de pontos começou a ser implementado em 2012, numa versão experimental, e já atribuiu alguns benefícios aos sócios mais ativos durante o ano.

CAMPO DE VOLUNTARIADO «VERÃO VERDE MOJU» O «Verão Verde MOJU» foi um pequeno contributo para a preservação ambiental da zona protegida da Ria Formosa.

“Para 2013 prometemos novidades, por isso não deixes de participar!”

Este contributo materializou-se através de um conjunto de iniciativas desenvolvidas por um grupo de 20 voluntários de todo o país, no âmbito do programa «Campos de Voluntariado Jovem» do IPJ, durante o verão de 2011. Das atividades constam uma ação de limpeza na Ilha da Armona, a limpeza de espaços florestais para a prevenção de incêndios no Parque Natural da Ria Formosa e a sensibilização para a importância da preservação de espécies florestais e animais autóctones do Parque Natural da Ria Formosa. O campo culminou com a apresentação de ações de sensibilização dirigidas à comunidade olhanense integradas na comemoração do Dia Internacional da Juventude.

Financiado por:


MOJU >> 24 Voluntariado

>> 25

AÇÃO PARA SUSTENTABILIDADE FLORESTAL «SETEMBRO VERDE» Este foi um projeto realizado no âmbito da comemoração do Ano Internacional da Juventude, do Ano Internacional das Florestas, do Ano Europeu do Voluntariado e dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (de onde se destaca o objetivo número 7, assegurar a sustentabilidade ambiental). O «Setembro Verde» partiu do conhecimento de que a atitude, a consciência cívica e o comportamento de cada indivíduo influencia o meio onde este se insere e move, como tal a sustentabilidade ambiental, nomeadamente a florestal, é uma questão transversal que merece ser tratada através de processos de sensibilização abrangentes a toda uma comunidade.

Através do feedback dado pelos participantes do «Setembro Verde» é fácil concluir que a experiência foi muito positiva e as metodologias utilizadas e atividades foram um sucesso, sendo eficazes na concretização dos objetivos propostos. Também a capacidade de mobilizar um número considerável de voluntários para cada atividade se revelou fulcral para o seu sucesso. O seu contributo não se esgota no trabalho que lhes foi proposto, mas revela-se também no enorme esforço, empenho e motivação que sempre mostraram. Com este projeto conseguiu-se aproximar a população alvo das questões ambientais e consciencializar para os problemas que afetam a flora e a fauna algarvia, ao mesmo tempo que se enalteceram os

benefícios que a sustentabilidade florestal pode trazer a todos nós. Sofia Justino, Eliana Calixto e Mónica Moreira - Coordenadoras «Setembro Verde»

“A atitude, a consciên-

cia cívica e o comportamento de cada indivíduo influencia o meio onde este se insere

CAMPO INTERNACIONAL DE TRABALHO «PAREDES LIMPAS» Com a temática de Graffitis Walls a MOJU recebeu em Olhão, entre 6 e 14 de Setembro de 2010, 17 jovens provenientes de 10 países, com idades entre os 18 e 28 anos. O objetivo foi remover os tags (assinaturas) da cidade, no intuito de sensibilizar para a diferença entre arte e a poluição visual e atos de vandalismo. A colaboração dos jovens writters foi fundamental na remoção dos tags. Os jovens conheceram em pormenor a cidade de Olhão, perceberam quais as principais áreas vandalizadas e, em parceria com a Câmara Municipal de Olhão, o Instituto Português da Juventude e as empresas parceiras, selecionaram as zonas onde trabalharam para remoção dos tags que poluem visualmente a cidade. “Gostava que os jovens aqui de Olhão, e de outras cidades, participassem mais nestas iniciativas porque isto não é para o mal da nossa sociedade, isto são iniciativas para conseguirmos melhorar a vida de todos nós”. David Santos

Financiado por:


>> 27

«OLHARES SEM PRECONCEITO» O «Olhares Sem Preconceito» nasceu em 2008 e desde então viaja pelas diferentes culturas das gentes de várias nacionalidades que escolheram Olhão para viver. Tendo como base o diálogo intercultural, este projeto promove o conhecimento sobre as diferentes culturas, vivências, tradições e realidades das comunidades imigrantes no concelho de Olhão. Decorrendo entre 2008 e 2009 este projeto promoveu diversas mostras culturais das comunidades residentes em Olhão; Brasil, Cabo Verde, Índia, Moldávia, Ucrânia e Roménia.

“Este projeto promoveu diversas mostras culturais das comunidades residentes em Olhão”

Este ciclo de mostras culturais das comunidades imigrantes mais representativas culminou com a realização do «Festival Intercultural Olhares Sem Preconceito» entre 18 e 20 de Setembro de 2009. Ao longo de três dias quem passou pelo Coreto de Olhão teve a oportunidade de provar iguarias de países como o Brasil, Cabo Verde, Angola, Índia, Ucrânia e Portugal; de se divertir com a animação da capoeira, danças brasileiras, gregas, romenas, cabo-verdianas; de experimentar momentos de relaxamento com yoga e de assistir a concertos nunca antes vistos em Olhão, como os dos famosos Terrakota, Danae e Paulo Sousa.

Esta sessão de encerramento contou com a parceria de várias associações de imigrantes da região e o apoio dos CLAII’s (Centros Locais de Apoio à Integração dos Imigrantes), convidando a comunidade local a participar no sonho de que este projeto fosse o primeiro de muitos eventos a realizar no concelho para a valorização da interculturalidade e a integração de quem chega ao nosso país.

O sucesso do «Olhares Sem Preconceito» levou à realização, em 2011, do «Festival Olhares», onde ao longo de três dias as atenções se voltaram a centrar nas diferentes comunidades imigrantes do concelho. Numa Europa em construção, que se quer de todos e para todos, acreditamos que a promoção do diálogo intercultural é essencial para um futuro com sociedades inclusivas.


MOJU >> 28 RAP’ÚBLICA

>> 29

RAP’ÚBLICA Rap’Pública é uma curtametragem que teve como primeiro objetivo assinalar a comemoração do Centenário da República Portuguesa.

BOM SUCESSO Servindo este assunto de pretexto para que, de forma metafórica nos questionemos sobre os princípios que regeram as mudanças de regime em Portugal, no que se tornou a nossa sociedade e o seu modelo de vida, a forma como vivemos, a forma como escolhemos quem tem o poder, a forma como quem tem o poder escolhe gerir o mesmo. Todo o processo criativo deste docu mentário foi democrático, comunitário

e faseado, pois todo o grupo de jovens, bem como o realizador, participaram na sua criação e execução do início ao fim. Esta forma de trabalhar contribuiu não só para uma consciencialização da atualidade polÍtica, económica e social, como também permitiu que o grupo pudesse vislumbrar um pouco do trabalho de produção e execução em meios audiovisuais.

Promover a inclusão social, fomentar o empreendedorismo juvenil e combater a desestruturação familiar são algumas das metas do «Bom Sucesso». Mais de 750 jovens já beneficiaram do projeto. A MOJU (entidade promotora) em parceria com a Câmara Municipal de Olhão, a Comissão de Proteção de Jovens e Crianças (CPCJ) de Olhão, a PSP, o Instituto Português da Juventude, o Centro de Novas Oportunidades da Escola Secundária de Olhão e as escolas Alberto Iria, João da Rosa, Paula Nogueira e Secundária de Olhão, responderam ao desafio do programa «Escolhas» e criaram o «Bom Sucesso». Objetivo: semear a transformação social. As ideias chave são estimular os jovens em risco, ou já em abandono escolar (muitos deles provenientes de bairros sociais,) a perspetivarem a vida para além do dia-a-dia; a serem capazes de escolher um percurso e lutarem por ele; a consciencializarem-se que no futuro é necessário assumir muito mais responsabilidades e não deverão desperdiçar as oportunidades com que se deparam na atualidade. A tónica acentua-se no aumento das habilitações escolares e profissionais, promover a inclusão social, o empreendedorismo juvenil e combater a desestruturação familiar.


MOJU >> 30 Bom Sucesso

>> 31

Um projeto com resultados visíveis… Em 2 anos e meio de atividades: Mais de 750 jovens, familiares e outros beneficiaram do Projeto «Bom Sucesso» [PBS]. Mais de 300 jovens e 21 familiares contribuem para os nossos objetivos. 11 reintegrações escolares 9 redefinições de percurso escolar dos jovens 5 jovens que concluíram 12º ano com o apoio do PBS

Como o Bom Sucesso mudou a minha vida…

5 jovens que concluíram 9º ano com o apoio do PBS

20 jovens realizaram 1 experiência profissional

4 familiares inseridos em formação profissional

291 jovens beneficiaram das oficinas de prevenção da gravidez na adolescência

11 integrações profissionais

71 jovens participaram nas atividades desportivas

26 jovens conseguiram atingir o sucesso escolar com o apoio do PBS 35 jovens com melhorias ao nível do comportamento e assiduidade (22 acompanhados em tutoria escolar e 13 melhoraram comportamento e assiduidade com oficinas de educação não formal)

“O «Bom Sucesso» mudou a minha vida! ”

“… estava sem fazer nada, estava na rua como os amigos mas não fazíamos nada”. Alexandre Oliveira “… a minha vida melhorou muito. Na escola deixei de faltar ao respeito às auxiliares e aos professores; em casa passei a ajudar a minha mãe. As pessoas no projeto preocupam-se comigo”. André Canas “…ensinou-me a maneira correta de lidar com várias situações na minha vida…” Bruno Santos “Para mim o «Bom Sucesso» foi o melhor que me aconteceu até hoje na minha vida. Com o «Bom Sucesso» fui a sítios que nunca pensei ir, conheci pessoas que nunca pensei conhecer, no geral gosto muito de estar aqui”. Daniel José

“Dá um rumo à tua vida”

“O meu comportamento, a forma de estar na vida e as minhas ações”. Hernâni Machado “Aprendi a fazer contas e agora estou a aprender a ler. Antes do «Bom Sucesso» brincava na rua, agora tenho um sítio para brincar”. Inês Paulino “… ir a sítios que de outro modo não tinha visitado”. Luana Mateus “Ajudou-me a estudar e a passar de ano…” Marcelo Canjungo “Passei a ter apoio escolar, o que me ajudou na escola”. Márcia Canjungo

“… ajudou a subir muito as minhas notas”. Daniel Marques

“Ajudou-me a estudar para ter boas notas, aprendi a tocar guitarra e ocupa-me os tempos livres com atividades”. Paulo Ribeiro

“O «Bom Sucesso» mudou a minha vida! Ajudou-me … a conviver de uma forma mais saudável com as pessoas”. Diogo Mira

“Mudou a minha maneira de estar, o meu comportamento e a forma de falar com as pessoas”. Ruben Santos

“Para mim o projeto «Bom Sucesso» é a minha segunda casa.” Fábio Canas


>> 33

“tivemos a oportunidade de trabalhar com equipamentos profissionais”

GIP - GABINETE DE INSERÇÃO PROFISSIONAL Apoiar a reinserção de desempregados no mercado de trabalho é agora também objetivo da MOJU.

O que pode esperar do GIP?

Com o objetivo de apoiar os desempregados locais, a MOJU procedeu a uma candidatura para instalação de um Gabinete de Inserção Profissional (GIP) no concelho. O objetivo é apoiar jovens e adultos desempregados na definição do seu percurso de inserção ou reinserção no mercado de trabalho, desenvolvendo a sua ação em estreita articulação com os centros de emprego:

- Sessões de divulgação de cursos, formações e workshops promovidos não só pelo IEFP como pela MOJU, visando dotar de competências ajustadas para o ingresso no mundo do trabalho;

- Informação profissional para jovens e adultos desempregados; - Apoio na procura ativa de emprego;

CINEMA DE BAIRRO No âmbito do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social, a Fundação INATEL associou-se ao Instituto da Segurança Social para a realização do projeto social e artístico «Cinema de Bairro». A MOJU foi entidade parceira.

Com esta iniciativa tivemos a oportunidade de trabalhar com equipamentos profissionais, como por exemplo uma máquina de filmar e aprender a montar e tratar de um filme. Também pudemos conhecer pessoas excelentes. Foi uma iniciativa muito boa porque deu oportunidade aos jovens (que vivem e cresceram de uma maneira diferente e com algumas dificuldades no seu dia-a dia) para mostrar à sociedade o quão difícil é a vida no “Bairro”. Aqui nem tudo o que parece é. Somos pobres, mas felizes, porque sabemos que dinheiro não dá felicidade. E apesar disto sou do povo que luta diariamente e procura contribuir para que o mundo melhore.

- Divulgação e informação de medidas de apoio ao emprego, qualificação e empreendedorismo; Quero agradecer principalmente à Ana Leal, Sérgio Miguel e Luís Tavares por me terem dado esta oportunidade para mostrar às pessoas que, por vezes a vida não é um mar de rosas, é como nadar no mar, nadas e parece que ainda estás no mesmo sítio. No entanto não podemos desistir, pois a vida não acaba quando caímos, mas faz-nos crescer quando nos levantamos. Desejo sorte e muita felicidade a todos os portugueses que conseguem erguer-se e sobreviver a todas as dificuldades e obstáculos da vida. Obrigado “MOJU” e “Projeto Bom Sucesso”. David Santos

- Sessões de informação, divulgação e acompanhamento às empresas de medidas e apoios à contratação de desempregados; - Identificação de potenciais contextos profissionais em articulação com o setor empresarial; -Divulgação de programas comunitários que promovam a mobilidade profissional no espaço europeu.

Financiado por:

- Um atendimento personalizado e atento; - Auxílio em todas as questões;

- Ajuda na atualização e aperfeiçoamento do Curriculum Vitae, assim como na elaboração de cartas de apresentação.


MOJU >> 34 São MOJUão

SÃO MOJUão Reavivar as tradições dos Santos Populares em Olhão é uma realidade já com dois anos. O «São MOJUão» sai à rua em Junho para promover o convívio e identidade dos olhanenses. A iniciativa surgiu com o intuito de revitalizar as festas populares de São João que tradicionalmente se realizavam em Olhão, promovendo o convívio multigeracional entre os membros da associação e a população em geral. Trata-se de uma homenagem às tradições populares da nossa terra. “Este é um projeto que me toca especialmente porque uma das minhas recordações de verão mais vincadas, da minha juventude, eram as grandes festas de São João que se realizavam por toda a cidade. Foi pois com bastante agrado que me vi envolvido na organização do projeto «São MOJUão», que pretende essencialmente reavivar essa tradição e identidade do povo olhanense. Fiquei especialmente feliz quando verifiquei este ano a realização de mais festas do género dentro do concelho; esse era o nosso objetivo e isto indica-nos que estamos no caminho certo”. Hélio Santos - Coordenador do Projeto São MOJUão

“A tradição voltou a sair à rua”


MOJU >> 36 Gal(inha)a de Natal

GAL(inh)A DE NATAL O Natal é mote para análise e comemoração na associação. Os prémios «Mó» são já uma realidade numa Gala que premeia o espírito MOJU e não deixa passar em branco a época festiva. Chegado o fim do ano é hora de fazer um balanço. A convite da época natalícia é também tempo de celebrar a união. Mas não só de reflexão e celebração se fazem os últimos dias do ano para os sócios da MOJU. É nesta época que se dá o reboliço das nomeações para os afamados prémios «MÓ» onde são eleitos os sócios vencedores das diversas categorias a concurso. Uns ficam mais, outros menos felizes... Mas, o mais importante é que se trata de um processo democrático, onde todos têm direito de votar nos seus eleitos e onde todos se podem ver nomeados nas diversas categorias, mesmo que não o desejem… Quem serão os vencedores deste ano? A não perder esta iniciativa que será divulgada numa rede social perto de ti…

Agradecimentos

textos

Ana Leal | David Santos | Eliana Calixto | Hélio Santos | Joana Germano |

Numa fase em que a conjuntura nacional conduz a uma diminuição do investimento público em praticamente todas as áreas, incluindo o setor da Juventude, é reforçada a importância do Associativismo Juvenil enquanto ferramenta de construção da sociedade e de educação para a democracia, pois é a este nível que se verifica um maior balanço positivo entre os recursos disponíveis e os resultados alcançados. Exemplo disso são as iniciativas aqui apresentadas, onde muito é realizado com muito pouco, o que apenas é possível pela crença de que tudo se pode quando se quer e pela persistência de quem acredita que é possível mudar, mesmo que para tal seja necessário dar, sem pensar em receber.

Joana Matos | João Baptista | João Dias | Luís Tavares | Marco Santos | Micaela Cabrita | Mónica Moreira | Nuno António | Roberto Prazeres | Sofia Justino | Vasco Cabrita

testemunhos

Alexandre Oliveira | André Canas | Bruno Santos | Carlos Sousa |

Neste sentido, não seria possível terminar esta edição comemorativa dos 5 anos da MOJU sem deixar a devida palavra de apreço a todos aqueles que ao longo destes cinco anos contribuíram para o desenvolvimento da Associação. A maior força da MOJU sempre veio da união em torno de causas comuns. Sempre veio dessa união o nosso verdadeiro valor e será, certamente, dessa união que irão surgir as estratégias necessárias para enfrentar os desafios do futuro.

Daniel José | Daniel Marques | João Dias |

Estamos aqui, não apenas pelo mérito das ações do passado, mas também porque acreditamos nas possibilidades do futuro. Um futuro melhor, onde os jovens desempenham um papel fundamental na construção da sociedade, uma sociedade mais justa, mais solidária e mais capaz de atender aos interesses e necessidades de cada um e de cada grupo.

Mónica Moreira | Paulo Ribeiro |

MOJU SOU EU E ÉS TU!

Carlos Sousa | David Santos |

Diogo Mira | Fábio Canas | Hernâni Machado | Inês Paulino | Leonardo Machado | Luana Mateus | Marcelo Canjungo | Márcia Canjungo | Marco Santos | Marco do Vale | Rúben Santos |Sara Tavares | Sérgio Cabrita | Vasco Cabrita

fotografia

Hugo Charrão| Roberto Prazeres A Direção entrevista e edição de textos

16 Outubro 2012 © MOJU – Associação Movimento Juvenil em Olhão www.mojuolhao.com www.mojuolhao.blogspot.com moju@mojuolhao.com

Joana Germano design e paginação

Hugo Charrão | Hugo Moreira


MOJU >> 38

>> 39

Apoios Ao longo destes 5 anos nada seria possível sem o apoio de inúmeras entidades, às quais deixamos expressos estimados agradecimentos: Agencia Nacional para a gestão do programa Juventude em Ação Agrupamento de Escolas João da Rosa

Associação dos Ucranianos no Algarve

Casa do povo de Moncarapacho

Associação Imigrantes Romenos e Moldavos Algarve

Capoeira Raízes

Federação Nacional das Associações Juvenis

Associação para o Planeamento da Família

Miau Miau Mó

Agrupamento de Escolas Dr. João Lúcio

Ministério da Cultura

Centro de Aconselhamento e Deteção Precoce da Infeção HIV/SIDA

Restaurante “Kinkas” Mobilar Restaurante “O Franguinho”

H Menon Mix Modelo

Américo Ribeiro Publicidade Ar Publicidade

Centro Regional para a Inovação do Algarve

Art Bar

Charrão Studio

Autoridade Florestal Nacional

Centro de Apoio à Vida

Banda O Ludo

Conselho Nacional de Juventude

Almargem

RIAS

Imoart Os Leões de Olhão Instituto de Emprego e Formação Profissional Instituto de Droga e da Toxicodependência

Secretaria de Estado da Cultura Núcleo da Cruz Vermelha da Fuseta Núcleo da Cruz Vermelha de Olhão

Secção de Estudantes Africanos da Universidade do Algarve

OntheRocks

Secção de BTT “Os Leões de Olhão”

Os Olhanenses

Sociedade recreativa Olhanense

Parque Natural da Ria Formosa

Sociedade Recreativa Progresso Olhanense

IPDJ

Algarfresa Barranqueiro & Estevão Lda.

Decap Art Inatel

Árvore de Culturas Best travel Olhão

Direção Regional de Educação do Algarve Jornal Olhanense

Associação de Brasileiros do Algarve Caixa de Crédito Agrícola de Olhão

Papelaria Clinar

Docas Club

Sporting Clube Olhanense

Joseph Morgan

ADAPO Associação de Estudantes da Escola Secundaria de Olhão

Realce Pneus

Grupo de Escoteiros n.6 Centro de Novas Oportunidades Olhão Ginásio Clube Olhanense

Associação Rockresta

Agrupamento de Escolas José Carlos da Maia

Ria Shopping

Grupo Motard de pechão

Agrupamento de Escolas Alberto Iria

Agrupamento de Escolas de Moncarapacho

Raminhos& filhos Lda. Live Music Instrumentos Musicais

Centro de Saúde de Olhão Agrupamento de Escolas Paula Nogueira

Junta de Freguesia de Moncarapacho

Cais Club

Ecoteca

Câmara Municipal de Olhão

Edi Martins

Casa da Juventude de Olhão

Eliarte

Catita Bar

Escola Secundária Dr. Francisco Fernandes Lopes

Polícia de Segurança Pública de Olhão Skindealers

JP Custom Guitars Programa Escolhas

Universidade do Algarve

Junta da Freguesia de Olhão Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão

Pronto-a-comer Azinha

Associação de Surdos do Algarve

Punk c`Mantega Rádio Televisão Atlântico

Escola de Rock do Algarve Carlos Sousa – Fotógrafo

Voodoo Pickles

Junta de Freguesia de Quelfes

CPCJ de Olhão Associação de Estudantes da Universidade do Algarve

Vídeo Attack

Junta da Freguesia de Pechão

Youth for Exchange and Understanding

Junta de Freguesia da Fuseta Rádio Universidade do Algarve


Associação Movimento Juvenil em Olhão

Com o apoio da Direção Regional de Cultura do Algarve


Mojurnal #5