Issuu on Google+

Associação Movimento Juvenil em Olhão

#4

2009

- 2010

www.mojuolhao.com


Indice 

02. Festival Olhares Sem Preconceito 04. TEATRO-DEBATE sobre sexualidade – “Nem muito simples... nem demasiado complicado” 08. Grafittis d`Olhão 12. 2º aniversário MOJU 15. Intercâmbio Juvenil - Across the European Bridge 16. Formação de Monitores de Campos de Férias 18. MOJU com sede 20. Projecto Bom Sucesso 24. Cinema de Bairro 28. Abril Bandas Mil – Edição 2010 32. 2ª Semana da Juventude de Olhão 38. Paredes Limpas – Campo de Trabalho Internacional 42. Passeio de BTT – Olhão Solidário 44. 3ª aniversário MOJU 46. RAP`Pública 48. 2ª Encontro MOJU – A união faz a força… 53. Seminário Abrir Horizontes – Educar para Incluir 54. Programa Para a Promoção da Saúde Sexual: MOJU contra a SIDA 57. Agradecimentos

Editorial gem

Mensa

orouvidos, p m e r e s na eito de a escola, têm o dir N s . n r e a v s jo s s, Todos os se expre stituiçõe e in d s r a e n v , e igas mod trar e igos e am tanto tê m a e d emos mos o d p o u p r g s o o n n amm que família, idades e alentos e n t u , t s r o io p e o c s, re existem as dúvida s s o n s a revelar enbições... prios, de ó r p s ó n ermos ossas des de s car as n li a p id a n u e t r s o e São op nossa es ificuldad d a s m a s la s a o c as n lidão lém frentar cio e a so s para a n o ê t il is s v O r . e des er e s ho capacida rmitem v m empen o e c p io s o f n a s o nã e da de sência e não resid renta ca a f id n v E a . o d it ce na iqueza do precon mas sim a s que a r t á is r u e q v n e o de na c e humilda luta. gafone Luígi Me

A MOJU cresceu com os jovens e faz os jovens crescer. A MOJU – Associação Movimento Juvenil em Olhão, nasceu em 2007 com o objectivo de contribuir para o desenvolvimento social e pessoal dos jovens e estimular a sua participação activa na sociedade. Constituída inicialmente por um pequeno grupo de jovens, desde então têm vindo a crescer, e tem desenvolvido actividades em diversas áreas, nomeadamente na educação, saúde, arte, desporto e cidadania. A MOJU nasceu da vontade de fazer algo útil e diferente em Olhão, considerando as necessidades e talentos da juventude. Com o passar do tempo a associação revelou ser um espaço de aprendizagem e de partilha, onde se criam laços para a vida e onde se podem experimentar diversos papéis e responsabilidades. Mais uma vez trazemos ao conhecimento público os momentos mais marcantes da nossa actividade. Nesta MOJUNOW, a 4ª publicação, vão encontrar um reflexo da dinâmica e versatilidade que nos caracteriza e podem mergulhar nos últimos dois anos de iniciativas – 2009 e 2010. Mais uma vez esta revista, é uma produção da responsabilidade dos nossos jovens. No Ano Europeu para o Voluntariado e Ano Internacional da Juventude, nunca é de mais salientar, aquela que é e sempre será a nossa maior riqueza e razão de todos os sucessos: os voluntários que têm abraçado esta missão e que continuam a acreditar numa sociedade mais solidária e inclusiva. O Presidente da Direcção Luís Tavares

1


Em 2009 Olhão voou além fronteiras com o Festival Intercultural de encerramento do projecto Olhares Sem Preconceito. Durante 3 dias Olhão foi o palco do mundo.

Festival Intercultural De 18, 19 e 20 de Setembro, o Festival Intercultural Olhares Sem Preconceito encerrou um ciclo de mostras culturais das comunidades imigrantes mais representativas com residência em Olhão. A ambição deste projecto, organizado pela MOJU desde Maio de 2008, foi dar voz, pela primeira vez no concelho, aos imigrantes através das suas mostras culturais, para que assim fosse possível criar laços e acabar com preconceitos! Com este encerramento, a MOJU, em parceria com várias associações de imigrantes da região e o apoio dos CLAII’s (Centros Locais de Apoio à Integração dos Imigrantes) pretendeu ultrapassar barreiras de cidades e convocar toda a região a participar, com o sonho de que este projecto fosse o primeiro de muitos eventos no concelho que valorizassem a interculturalidade, a integração de quem chega ao nosso país e a participação juvenil (a sua vontade de criar mais e melhores projectos para os jovens e para a sociedade em geral). O Festival Intercultural Olhares sem Preconceito cumpriu o prometido e deu, a quem decidiu passar pelo coreto de Olhão entre 18 e 20 de Setembro, boa gastronomia de países como Brasil, Cabo Verde, Angola, Índia, Ucrânia e Portugal, muita animação com capoeira, danças brasileiras, gregas, romenas, cabo-verdianas, momentos de relaxamento com yoga e concertos nunca antes vistos em Olhão, como os dos famosos Terrakota, Danae e Paulo Sousa. Este projecto contou com o apoio do Programa Juventude em Acção, da Câmara Municipal de Olhão, da Junta de Freguesia de Olhão, do Instituto Português da Juventude, do Governo Civil, da Entidade Regional de Turismo do Algarve e fundamentalmente de vários imigrantes e associações de imigrantes da região. Deixamos o link onde se pode conhecer pormenorizadamente todos os grupos que participaram neste festival http://www.moju-olhares.blogspot.com/

2

3


TEATRO-DEBATE sobre sexualidade: « Nem muito simples... nem demasiado complicado »

No dia 29 de Setembro de 2009 teve lugar, no auditório da Recreativa Progresso, uma sessão de Teatro/ Debate representada e dinamizada pelo Grupo de Teatro Profissional A USINA, com o título : « Nem muito simples... nem demasiado complicado », promovido pela MOJU- Associação Movimento Juvenil de Olhão. Tendo sido dirigido um convite a esta Escola através do gabinete do Projecto de Educação para a Saúde, decidiu-se de imediato aceitar, tendo as sessões sido distribuídas pela parte da manhã (10.30 h) e pela parte da tarde (15.30h ). Tomaram parte desta iniciativa cerca de 225 alunos e 15 professores. Estas sessões de Teatro/ Debate visam, essencialmente, abordar jovens entre os 15 e os 25 anos, retratando situações problemáticas do dia-a-dia dos adolescentes. A comunicação através do Teatro seguido de Debate, é um meio privilégiado de diálogo com a juventude que tantas dificuldades enfrenta nos assuntos do foro íntimo como a sexualidade. Foi até aconselhado continuar este projecto e alargá-lo a trabalho mais profundo sobre Educação Sexual, para a sensibilização / consciencialização / percepção do risco. A sessão de Teatro compõe-se de 7 pequenas estórias relacionadas com a sexualidade que reproduzem situações comuns no dia-a dia dos adolescentes, representadas por dois actores. Na primeira Luísa e Hugo no « Primeiro Passo » , mostram-nos como é difícil dar o primeiro passo para começar um relacionamento afectivo. Na segunda ,« Uma questão de equilíbrio » Joana e Luís, sofrem a pressão na relação e os ciúmes. Na terceira estória « Como sair desta », Patrícia e Diogo namoram há muito tempo mas ele, sentindo-se preso quer acabar a relação. Na quarta, Miguel e Marta vêm aproximar-se « Uma ocasião especial » , porque se amam mas ela considera que ainda não está pronta para consumar a relação. Na quinta estória, João e Rita encaram a sua « Primeira vez .Dançam numa festa em casa de um amigo e sabem que no 1ª andar há quartos vagos. Depois de viverem a sua primeira vez, ele fica feliz, mas ela desiludida. Na sexta , intitulada « A cada um o seu papel»,numa paragem de autocarro, um casal Paulo e Teresa comentam o que se passou na noite anterior : fizeram amor de forma protegida, mas o preservativo rompeu-se. Perante a responsabilidade de uma possível gravidez e devido à atitude leviana dele, o casal separa-se e ela fica

4

só, sem apoio. Por fim na última estória « À beira- mar », João e Carolina namoram há mais de um ano e fizeram análises para poderem deixar de usar preservativo, usando apenas a pílula .Foram de férias, mas ela acabou por ter uma aventura de uma só noite e teme ter de contar ao namorado a sua traição. Seguiu-se o debate. Os actores colocaram a questão – É fácil dar o primeiro passo? Uns alunos achavam que lhe cabia a ela e outros a ele, dar esse passo. Relativamente à segunda estória perguntou-se quem manda na relação e as opiniões dividiram-se. Sobre a terceira situação lançou-se a pergunta :É possível acabar um relacionamento sem magoar ninguém? A resposta foi unânime : É quase impossível que isso aconteça .Sobre o quarto episódio , em que ele estava preparado e ela não, apelou-se ao respeito mutuo. Na quinta estória sobre a primeira vez, questiona-se se é fácil falar de intimidades. Concluiu-se que tem a ver com a maturidade de cada um e a capacidade de saber esperar. Na sexta situação, debate-se o problema da falta de responsabilidade : Era justo ele tomar aquela atitude ?A pílula do dia seguinte poderia ter sido uma solução. Na ultima estória, discute-se, entre várias coisas, a fidelidade. Foi efectuada uma votação para escolher as três estórias mais votadas, para serem repetidas, dando ao público a possibilidade de parar a representação sempre que não estivessem de acordo com o desenrolar dos factos e atitudes .Os alunos que discordavam, eram convidados a participar na representação mudando o texto, dando assim um desfecho de acordo com a sua opinião. As estórias mais votadas foram as números quatro, cinco e sete. Na quarta, a

5


Rayssa , aluna do 11ºD, representou o papel de Marta, sugerindo que, como não se sentia preparada para consumar a relação, assumir essa atitude com frontalidade seria a única atitude a tomar. Repetida a estória cinco,a aluna Iolanda da turma 11ºF , representou o papel de Rita, afirmando face ao contexto, que sem preservativo nunca se envolveria com ninguém. Na repetição da sete, o aluno Erico que fez o papel de João, escolheu a sinceridade e a franqueza, mesmo sabendo que isso teria como consequência o fim da relação. No âmbito do Projecto da Educação para a Saúde, a vertente prioritária é a Educação Sexual e para o Ensino Secundário estão definidos os conteúdos mínimos a abordar nos três anos deste Ciclo de Ensino, sendo os principais: o género, família, parentalidade, interacção no namoro, respeito/ violência, negar pressões emocionais e sexuais, interacção interpares, comportamentos sexuais virtuais veiculados pela Internet, maus tratos (abuso físico e psicológico ) e sexualidade, projecto de vida, tendências na idade de início das relações sexuais, métodos contraceptivos e razões do seu falhanço, evolução das taxas de gravidez e consequências das doenças transmitidas sexualmente. PES (Projecto de Educação para a Saúde )  Escola Secundária de Olhão Dr. Francisco Fernandes Lopes

6

A 11 de N ovembro de 2010 Sucesso a MOJU , financia , atravé do pelo P s do Proje Cuida-te r o g r a cto Bom ma Esco do Institu lh t a o s e do Pr Portuguê duas ses ograma s da Juv sões de t entude, a eatro-de vez esta presento bate sob iniciativa u r e sexualida teve uma participa d e. Mais enorme a ção de d uma desão. C uas turm parceira ontou com as de ca s do Proje da uma d a cto Bom Escola P as quatr Sucesso o aula Nogu e scolas (Escola J eira, Esc cundária oão da R ola Alber Francisco osa, to Iria e Fernande Escola S s Lopes) e . O balanç o é extre mamente abordada positivo t s como pe anto pela la metod alunos. E s temátic ologia util speramos as izada e p poder con (Teatroa r t ic ip t inuar a u ação dos Debate) tilizar es no sentid mento do t a o f de contr erramen s nossos ibuir para ta jovens, e dade. o desenv specialme o lvinte no do mínio da sexualiSara Ta vares

7


Grafittis d’Olhão O projecto Graffitis d’ Olhão nasce de uma visão diferente sobre o Graffiti. Para a maioria da população olhanense, ao opinião sobre o graffiti é negativa pois este visto como uma forma de vandalismo e não como deveria ser vista: uma forma de arte e um veículo da expressão da criatividade de um artista diferente. A essência do Graffiti é algo marginal mas, com o tempo estes artistas têm saído da penumbra e tentam demonstrar que o Graffiti pode e deve ser uma coisa positiva, podendo mesmo ser uma mais-valia para uma comunidade. Em Olhão este fenómeno está amplamente difundido e é inegável que já é uma característica inerente à nossa Cidade, colocando-a no panorama nacional e internacional. O Projecto Graffitis d’ Olhão nasce da associação do maior difusor do Graffiti em Olhão (Dário Silva, “SEN) e de dois cidadãos admiradores desta arte (Sérgio Miguel e Rui Lopes). Tem dois objectivos principais: mudar a opinião geral sobre o graffiti e sensibilizar os jovens para o bom-senso na escolha das paredes a pintar e o que fazer.

Pretende-se fazer um conjunto de acções que promovam estes dois objectivos, durante o ano de 2009 destacaram-se as seguintes acções: 1. Lançamento do blogue alusivo ao projecto. O Blogue do projecto foi criado e mantido pelo Sérgio Miguel e pode ser visitado em http://graffitis-d-olhao.blogspot.com. Nele têm sido colocadas a iniciativas do projecto e outras notícias consideradas relevantes ou relacionadas com o projecto ou Olhão. 2. Workshop Graffitis “Mais uma forma de comunicação com a comunidade Surda” No dia 28 de Março foi realizado um Workshop muito especial pois tinha como público-alvo a comunidade surda, particularmente um grupo de jovens adolescentes surdos pertencentes à Associação de surdos do Algarve. Contou ainda com o apoio da Casa da Juventude e da Câmara Municipal de Olhão. A audição é algo que todos nós damos como adquirido e não temos percepção das barreiras que estes jovens têm que ultrapassar no seu dia-a-dia para algo tão simples como comunicar. Este workshop foi composto por dois momentos. O primeiro realizou-se na Sociedade Recreativa Olhanense e teve como objectivos promover uma interligação entre os diferentes intervenientes e apresentar o Graffiti e diferentes aspectos relacionados com esta forma de arte. Para tal, foi feita uma apresentação de diapositivos a cargo do Dário Silva sendo auxiliado por uma tradutora. O segundo momento realizou-se após o almoço de confraternização, no Jardim Pescador Olhanense. Depois de uma breve demonstração por parte do Dário, os jovens jogaram mãos à obra e

8

9


realizaram eles próprios um conjunto de graffitis de sua própria autoria. Foi uma tarde muito bem passada, em que os participantes e organização foram interagindo e comunicando da forma possível, ou seja, através de mímica e linguagem gestual. O balanço final foi francamente positivo e há que realçar que estes jovens nunca tinham pegado numa lata e conseguiram realizar algumas obras bastante interessantes. De salientar ainda a cobertura dos media desta iniciativa pois contámos com a presença de um canal de televisão e de alguns jornais. 3. Graffiti no Clube motard de Pechão Nos dias anteriores ao fim de semana de 10, 11 e 12 de Abril, fomos convidados para a realização de um graffiti promocional do 3º aniversário do Grupo Motard de Pechão na parede da sede deste grupo motard. Deste graffiti realizado pelo Dário Silva resultou um filme produzido pelo Sérgio Miguel que se tornou um sucesso no youtube com mais de 2500 visualizações. 4. 1º Encontro Regional da Rede Escolar De Técnicos Sociais Do Algarve No dia 7 de Maio, o projecto "Graffitis d' Olhão" foi apresentado a delegações de alunos e professores das Escolas Secundárias Laura Ayres (Quarteira), João de Deus (Faro) e Francisco Fernandes Lopes (Olhão) no âmbito do I Encontro da RETSA. A apresentação esteve a cargo de Rui Lopes, que abordou diferentes aspectos relacionados com o projecto, os seus objectivos e o enquadramento enquanto projecto de intervenção social.

10

A plateia, maioritariamente composta por alunos de Cursos de Técnicos de Acção Social, foi reagindo com exclamação e admiração aos diferentes graffitis existentes em Olhão e que servirão de fundo aos textos da apresentação. Outro sucesso foi o vídeo do Moto Clube de Pechão cujo refrão da música acabou por ser trauteada por alguns participantes. 5. 1º Algarve Graffiti Connection - tema Europa Foi a 9 de Maio que se juntaram writters oriundos de diferentes pontos do Algarve para promover o voto nas eleições europeias numa das entradas da Semana Académica da Universidade do Algarve. Esta foi uma iniciativa conjunta de várias entidades, nomeadamente: O Governo Civil de Faro, CNJ (Conselho Nacional da Juventude), a MOJU, a Associação Académica da Universidade do Alrgarve assim como a RUA FM e o Jornal “O Canudo”. Cada writter interpretou o tema associando-o ao seu próprio estilo e daí resultaram trabalhos espectaculares, com mensagens de apelo ao voto que não deixaram os visitantes do recinto indiferentes. Foi um dia muito produtivo em que houve a oportunidade de estreitar relações, admirar as técnicas de cada writter e mostrar como se faz um graffiti de raiz. Muitos transeuntes ficaram admirados com a iniciativa e acabaram por assistir com bastante interesse. Para breve, os mentores deste projecto estão a preparar novas iniciativas. Visite o Blogue e fique a par dos novos desenvolvimentos.

11


II Aniversário MOJU 16 de Outubro fica definitivamente marcado nos calendários como o dia MOJU. Foi neste dia que nasceu oficialmente a nossa associação, e já é tradição mojuense a comemoração do nascimento da MOJU neste dia. E foi isso que aconteceu no dia 16 de Outubro de 2009, a MOJU comemorou o seu segundo aniversário, uma data que também assinalava o fim de um ciclo na associação, já que o mandato da direcção terminava por essa altura. A direcção vigente decidiu realizar uma festa mais íntima, junto daqueles que durante os dois anos formaram a associação e deram vida a todos os projectos realizados, aqueles que mantêm verdadeiramente a associação em funcionamento, os voluntários! A festa realizou-se na nossa segunda casa, a Sociedade Recreativa Olhanense, num dos seus belos espaços, o pessoal juntou-se para partilhar as estórias, as emoções, as vivências e as recordações daquilo que foram dois anos de associação juvenil em Olhão. Juntando a boa disposição de todos ao catalisador das bebidas e ao bom som da banda olhanense o LUDO, os verdadeiros MOJUS cantaram os parabéns à sua associação e brindaram ao futuro da associação! Foi uma noite de festa, mas foi, sobretudo uma noite de brinde à amizade e de valorização do motor humano de uma associação que veio para ficar no coração de todos os presentes! Parabéns MOJU e sobretudo parabéns MOJUENSES!

12

13


CLINARa, lda. lari

Livraria Pape

uedos rindes|brinq

stas|b jornais|revi

os s e didátic

lare livros esco

Olhão pública, 112 Avenida da Re 7 93 13 97 Telef| 28

NEVES

ADMINIS TRAÇÃ DE CON DOMÍNIO O S LDA

Rua Calou

ste Gulben

kian, Lote

C, Loja 1 O

LHÃO

Telf.| 28 9 71 E.mail| neves.con 4 279 dominios@ iol.pt Desde 199 7 ao serv iço do Patrim ónio Olhane nse

Intercâmbio Juvenil - Ano Novo por João Dias

Across the European Bridge Durante os dias 27 Dezembro de 2009 a 2 Janeiro de 2010 realizou-se entre Olhão e Faro mais  uma iniciativa da MOJU em colaboração com a YEU International. Este intercâmbio juvenil intitulou-se de "Across the European Bridge" e contou com a presença de jovens Olhanenses e mais 35 jovens provenientes de diferentes países Europeus: Roménia, Polónia, Chipre, Grécia, Lituânia e Estónia. Nesta semana os participantes tiveram contacto com métodos de Educação não-Formal e também introdução a ferramentas inovadoras e creativas relacionadas com novas tecnologias. Este intercâmbio teve como principal objectivo a criação de um espaço onde os jovens pudessem trocar e explorar diferentes formas de utilizar novas tecnologias. As quais poderão ser utilizadas com propósitos educacionais para a promoção de uma sociedade activa e de uma Identidade Europeia.  Este intercâmbio envolveu diferentes autoridades  locais, onde os participantes apresentaram os resultados desta semana, desde à Câmara Municipal de Olhão e Faro, ao Governo Civil de Faro, Instituto Português da Juventude e também à comunidade local de Faro. Por último, foi num grande ambiente intercultural e de festa que celebrámos a entrada no Ano Novo de 2010 onde esperamos mais projectos e um maior envolvimento dos jovens Olhanenses.

14

15


Formação de monitores de campos de férias Olá! Somos dois alunos da Universidade do Algarve que frequentamos último ano da licenciatura do Curso de Educação Básica e faz um ano em Maio que tivemos a oportunidade de frequentar uma formação destinada a formar futuros monitores de campos de férias, essa formação foi-nos dada pela MOJU em parceria com a FNAJ (Federação Nacional das Associações Juvenis). A formação continha vários temas, como a resolução de conflitos, legislação dos campos de férias, jogos e primeiros socorros. Quando entramos para o curso ficamos com a vontade de realizar campos de férias nesse mesmo ano, foi assim que mostramos o nosso desejo à Presidente da Associação MOJU, logo tivemos a melhor das respostas, “Vamos avançar com isso!”, desde cedo tivemos a consciência de que era um grande desafio. Foi então que começamos a tratar da obtenção do alvará para a Associação MOJU, junto da entidade responsável, o IPJ (Instituto Português da Juventude).

O nosso primeiro campo de férias O nosso primeiro campo de férias surgiu logo após à nossa solicitação de alvará, mas para nosso espanto foi o IPJ a convidar-nos para realizarmos um campo de férias para crianças obesas, do Hospital Santa Maria.

Foi então que nos atiramos de cabeça ao projecto e ajudamos a MOJU em todos os passos para a realização do campo. Desde do pedido de alvará, passando pelo regulamento interno, como o projecto educativo e de animação e o respectivo plano de actividades. O campo de férias teve lugar na Arrifana, no concelho de Aljezur, na pousada da juventude, tendo em conta que se tratava de um campo residencial. O grupo era constituído por 24 jovens dos 10 aos 16 anos, todos com problemas de excesso de peso. A equipa era formada por cinco monitores, uma coordenadora, e uma vasta equipa do Hospital Santa Maria composta por uma Médica responsável por este serviço, médicos pediatras, psicólogo, nutricionistas, e fisiologistas. Podemos dizer que o primeiro campo de férias que realizamos foi muito especial, porque para além de ter sido o primeiro, o grupo com que tivemos a sorte de nos estriar era particular, necessitava de cuidados específicos, de muita atenção e apoio. Este campo ficará para sempre na nossa memória, tal como as aprendizagens adquiridas ao longo desses quinze dias. Além deste campo de férias tínhamos o objectivo de realizar mais um em Olhão, como ocupação dos tempos livres, lamentamos não termos tido o número suficiente de inscrições para podê-lo realizar, mas fica aqui em aberto a nossa vontade de querermos continuar com estes projectos.

16

Joana Belindro e Nehuen Crespi

17


A sede MOJU

18

Por Luís Tavares

Olhão tem um novo espaço de jovens para os jovens. Após dias de trabalho árduo, a Associação MOJU e todos os parceiros do Projecto Bom Sucesso, inauguraram no dia 13 de Março de 2010, um novo pólo para a juventude olhanense. O espaço Bom Sucesso será simultaneamente o centro das actividades do Projecto com o mesmo nome e servirá de quartel-general à MOJU.

Seguidamente tiveram lugar os discursos habituais. Em diferentes vozes, pudemos ouvir uma mesma expectativa: a de que a cooperação e a responsabilidade dos envolvidos nesta iniciativa, sejam a fonte de projectos de vida mais saudáveis, para jovens provenientes de meios mais desfavorecidos, e em suma, para todos os jovens que terão neste espaço um incentivo ao seu desenvolvimento enquanto pessoas.

Enquanto membro e dirigente da MOJU, apraz-me registar os momentos de grande entreajuda vividos pelas pessoas envolvidas na remodelação deste espaço. Entre estas, quero enaltecer a participação dos jovens. O percurso até ao dia da inauguração revelou que estes, quando envolvidos e responsabilizados, são capazes do melhor. Alguns professores dos Agrupamentos Escolares parceiros também deram uma grande lição de mobilização. Para além destes intervenientes, também a sociedade civil respondeu: entre outros nomes gostaria de salientar o especial contributo do nosso electricista multifacetado, Luís, do hábil pintor, "Rabica", da empresa IMOART e (mais uma vez) de todos os jovens (especialmente o David e o Roberto) e membros da MOJU, que de uma forma extremamente voluntariosa contribuíram para atingirmos o objectivo - inaugurar no dia 13 de Março.

A manhã deu também lugar à participação das alunas do curso de Cozinha da Escola EB 23 Paula Nogueira e das professoras responsáveis, que deram um gosto especial à cerimónia. Entre doces e salgados, todos os convidados provaram uma grande dose de optimismo (da equipa) na versatilidade e adequação dos espaços às actividades que doravante serão desenvolvidas. Desde a Ludoteca, ao Gabinete Juvenil e passando pelo Centro de Inclusão Digital (Cid@net) deram-se as primeiras pegadas numa história a ser contada. Uma história de vidas à espera de vida.

E assim aconteceu. Foi numa manhã quente e serena que a comunidade conheceu o novo espaço Bom Sucesso, situado junto ao Bairro das "Panteras". O sol da manhã ainda reflectia nas caras de alguns dos presentes a longa noite de finalização dos trabalhos, contudo sentia-se no ar a alegria do objectivo cumprido e a confiança numa viagem de grandes sucessos.

Neste dia houve até uma pequena demonstração do talento escondido nestes meios. Alguns jovens subiram ao palco e mostraram o seu valor. Deram vida a este momento e estou certo de que eles próprios também ganharam vida nesta manhã. Para a posteridade ficam as imagens retiradas por uma reportagem televisiva, que certamente fez e fará o orgulho de todos os que se revêm neste projecto.

A cerimónia iniciou-se com o descerramento da Placa que identifica o local do projecto e todas a entidades intervenientes no mesmo. O Dr. Pedro Calado (Director do Programa Escolhas), o Dr. António Pina (Vice-Presidente da CMO), o Hernâni (um jovem do bairro) e eu, protagonizamos um dos momentos altos da manhã. Nas nossas mãos depositamos esperanças de sonhos esquecidos. O brasão da nossa terra retirou-se ao vento, como a vela desfraldada de um barco, que agora partia rumo a um novo mar de oportunidades - o Bom Sucesso.

Pessoalmente, ficam-me imagens de participação e superação. Fica o orgulho de ser jovem, de ser de Olhão, e de sermos mais assim. Fica a inquietude de quem sabe que o sucesso da jornada, apenas se alcança pelo esforço no caminho. E ainda agora estamos de partida...e tantos destinos para mudar.

19


Projecto BOM SUCESSO

Mais de 280 jovens beneficiaram diariamente do Projecto Bom Sucesso em 2010

Em 2010 arrancou o Projecto Bom Sucesso! A MOJU - Associação Movimento Juvenil em Olhão (entidade promotora) em parceria com a Câmara Municipal de Olhão, a Comissão de Protecção de Jovens e Crianças de Olhão, a PSP, o Instituto Português da Juventude e as escolas Alberto Iria, João da Rosa, Paula Nogueira e Secundária de Olhão, responderam ao desafio do programa Escolhas e criaram o Projecto Bom Sucesso. O Programa Escolhas procura promover a inclusão social de crianças e jovens oriundos de contextos sócio-económicos vulneráveis. Assim definimos como principais objectivos para o projecto Bom Sucesso o aumento das qualificações escolares das crianças e jovens do concelho de Olhão, o combate a desestruturação familiar e a promoção do empreendedorismo juvenil através do desenvolvimento de competências pessoais, sociais e relacionais dos jovens.

20

Este projecto terá a duração de três anos e o financiamento foi atribuído pelo Programa Escolhas. Durante 2010, muito foi feito. Deixamos aqui alguns exemplos dos momentos mais marcantes: A 13 de Março de 2010 inaugurámos a nova sede da MOJU, onde fica o espaço do Projecto Bom Sucesso. É neste espaço que o projecto tem um Centro de Inclusão Digital, um Gabinete de acompanhamento Individual e Psicossocial para questões relacionadas com sexualidade, orientação escolar e/ou profissional e a ludoteca. As obras de remodelação do espaço deram origem a um espaço muito mais dinâmico e com ar jovem. O contributo de todos os parceiros, jovens e algumas entidades privadas foram fundamentais para garantir o trabalho pronto a horas da inauguração e a segurança do espaço. A iniciativa “Cinema de Bairro, no âmbito da parceria celebrada com a Fundação INATEL, permitiu que seis jovens do concelho de Olhão se tornassem realizadores de documentários das suas próprias histórias e das histórias do bairro onde habitam. As curtas metragens foram exibidas no Teatro São Luis em Lisboa, no auditório da Biblioteca Municipal e nos bairros envolvidos.

21


Projecto BOM SUCESSO

Em colaboração com o Jornal Olhanense, elaborámos 2 suplementos da Voz de Olhão com o objectivo de incentivar os jovens a escreverem e darmos a conhecer as iniciativas que estamos a desenvolver e a mudança que imprimimos nos jovens que participam nas nossas actividades. A ludoteca foi lentamente ganhando forma com o esforço dos próprios jovens, que fizeram forras para os sofás, cortinados, grafitaram e pintaram o espaço, conceberam a zona de estudo, a zona audiovisual e a parede das recordações e informações.

Com o final das férias as rotinas de estudo voltaram ao projecto, com um dia por semana dedicado a uma das disciplinas principais da escola (Matemática, Português, Inglês, Artes, História e Geografia). As tutorias, os Workshops de Educação Não Formal e de sexualidade também tiveram início nas escolas parceiras do projecto, no intuito de combater o abandono escolar, problemas de comportamentos e prevenir comportamentos sexuais de risco.

As actividades desportivas, artística e as assembleias de jovens são também fundamentais neste projecto, para a promoção de hábitos de vida saudáveis, desenvolvimento de competências sociais e de participação cívica.

Em Dezembro, o intercâmbio com os outros projectos escolhas do Algarve deu-se através da iniciativa nacional Escolhas Portas Abertas, onde 12 jovens do projecto participaram num Flash Mob regional.

O Verão foi bem animado com actividades as idas à praia, à ecoteca, as oficinas de expressão dramática, o flash mob do dia internacional da Juventude, os acampamentos e o cinema ao ar livre.

As nossas informações são sempre disponibilizadas no blogue do projecto: http://olhaobomsucesso.blogspot.com e quadrimestralmente aparecerão na Voz de Olhão (suplemento do Jornal Olhanense)

Nove jovens tiveram, pela primeira vez uma pequena experiência profissional, o que foi bastante positivo para cultivar hábitos de trabalho e de responsabilidade. O culminar das férias de verão teve dois eventos memoráveis: a actividade Limpar os tags dos muros da cidade e um acampamento selvagem como ritual de encerramento das férias e início do ano escolar.

22

23


Cinema de Bairro No âmbito do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social, a Fundação INATEL associou-se ao Instituto da Segurança Social para a realização do projecto social e artístico “Cinema de Bairro”. A MOJU foi entidade parceira.

nha feito e go que nunca ti al , vo no go al dade de fazer bairro, a ao país o meu Tive a oportuni er ec nh co a r m por cento: da aproveitei a ce . a minha cidade diferentes minha gente e rendi a ver de ap is po , va ti si ência muito po Foi uma experi e por fora. irro, por dentro ba no da vi a ângulos ingos das 10h sábados e dom s ao , im m de dar o melhor Tentei sempre às 19h.

rmamos uma rticipantes fo pa os tr ou os pectiva, eu e treia nacional Na minha pers objectivo: a es um ar nç ca al u que consegui em Lisboa. grande equipa o da Trindade tr ea T no il br A no dia 27 de e todos, o que treajuda entr en a i fo as di s te nestes os as filmagen Muito importan r e acabássem ho el m os m se s conhecês fez com que no eguimos! a tempo, e cons

24

to, pois igo neste projec m co am ar ip ic que part ação INAcer a todos os mbém há Fund ta r Quero agrade ce de ra Quero ag oporcionanseria possível. ns das ruas, pr ve jo sem eles não r ra ti a udam s iniciativas aj rizontes. TEL, pois esta o os nossos ho nd ga ar al e experiências do-nos novas mento à ande agradeci gr um , m fi r E po nesta cita” para que, “lu e qu U J O M participar mo eu possam co ns ve jo , de da tos. nestes projec nham Espero que te so!!! um Bom Suces , 19 anos Hélio Simplício

25


Cinema de Bairro

Olá, o meu nome é David Carlos do Carmo Santos mais conhecido por Rabica, tenho 21 e vivo no Bairro das Panteras em Olhão. Eu sou um dos seis jovens que participaram no projecto “Cinema de Bairro”. Foi uma iniciativa ecer em que tive a oportunidade de conh maravilhosa e muito interessante, balho multimédia. e aprender novas técnicas de tra

26

o para as pessoas que puderam ver Foi muito bom, para mim e também nais balhar com equipamentos profissio filme. Tivemos a oportunidade de tra tar de filmar e aprender a montar e tra como por exemplo uma máquina de r pessoas excelentes tais como: Ana um filme. Também pudemos conhece s (Projecto “Bom Sucesso” e “Moju”), Leal, Sérgio Miguel e Luís Tavare ntaAna Conim (Filmagens), Chico (Mo Susana (organizadora), Marta e gem), entre outros.

(que deram uma oportunidade aos jovens Foi uma iniciativa muito boa porque diferente e com algumas dificuldades vivem e cresceram de uma maneira no sociedade o quanto difícil é a vida no seu dia a dia)para mostrar há ue é. Somos pobres mas felizes porq “Bairro”. Aqui nem tudo o que parece e. E apesar disto, sou do povo que sabemos que dinheiro não dá felicidad ir para que o mundo melhore. Quero luta diariamente e procura contribu s leal, Sérgio Miguel e Luís Tavare agradecer principalmente à Ana e para mostrar às pessoas que, por me terem dado esta oportunidad e rosas, é como nadar no mar, nadas por vezes a vida não é um mar de istir, sítio. No entanto não podemos des parece que ainda estás no mesmo os, mas faz-nos crescer quando nos porque a vida não acaba quando caím que felicidade a todos os portugueses levantamos. Desejo sorte e muita los da a todas as dificuldades e obstácu conseguem erguer-se e sobreviver vida.

e “Moju”. Obrigado Projecto “Bom Sucesso” Abraços. David Santos (Rabica), 21 anos

27


Abril bandas mil – edição 2010 O projecto Abril Bandas Mil teve a sua 2ª Edição em 2010. O maior concurso de bandas do Algarve, voltou para lançar mais um nome no panorama musical Nacional - DHARMA PROJECT-  bem como, servir de palco para projectos que estão em desenvolvimento. Esta edição acolheu 12 bandas a nível Nacional, albergando vários estilos, do HipHop ao Metal, puseram ao rubro a Casa do Povo de Moncarapacho, que mais uma vez nos acolheu com toda boa vontade e espírito de equipa.  O prémio monetário de 500€, a gravação de uma demo e a actuação em palcos como, a Semana da Juventude em Olhão, Semana Académica de Faro e a próxima edição do ABM. Serviram como chamariz para cerca de 20 bandas enviarem imediatamente as maquetes. 

28

29


Abril bandas mil – edição 2010 por João Baptista - Coordenador do Projecto ABM

Três meses de preparação e cerca de 20 voluntários já quase não chegaram para toda a promoção, divulgação e produção das quatro eliminatórias e final. O Município de Olhão, como sempre, não poupou esforços a nível logístico para que tudo corresse pelo melhor, bem como, todos os outros parceiros.  A intensividade com que usámos a internet, nomeadamente as redes sociais, revelou-se bastante produtiva para chamar à atenção deste projecto.  O Facebook, hi5 e myspace, contaram com cerca de 6000 visitas durante o mês que decorreu o ABM. Perfazendo uma média diária de 190 visitas.  A final com a ria como plano de fundo, serviu de cenário para o maior palco já montado em Olhão. 

Os dez anos de carreira de João Relógio e companhia, serviram de aperitivo para o concerto do ano em Olhão, Tara Perdida.  Estes a celebrar o 20º aniversário, vieram provar ao mar de pessoas que os via e ouvia, porque é que continuam a ser das maiores bandas Nacionais.  A aposta está ganha. Se poderia ter sido diferente? Poder, podia... Mas não era a mesma coisa.   Até 2012 para a 3ª edição do ABM, que veio para ficar e melhorar... João Baptista  Coordenador ABM

do

Projecto

As cerca de 4 mil pessoas que afluiram para os concertos da grande final, foram o rastilho para que as bandas concorrentes e convidadas dessem tudo em palco para melhorar a sua apresentação, de realçar o empenho dos Punk´Mantega, vencedores da primeira edição em 2008.

30

31


2ª Semana da Juventude A Semana da Juventude de Olhão voltou em 2010. Foi durante o mês de Maio, de 17 a 23 quando começávamos a sentir o calor, que mais uma vez, pudemos revelar os talentos dos jovens em Olhão. Desta feita, a 2ª Semana da Juventude teve a importante parceria da Casa da Juventude de Olhão (pertencente à autarquia local) que contribuiu de forma impar para o sucesso da iniciativa, onde também celebrou o seu 6º aniversário. A 2ª Semana da Juventude de Olhão veio confirmar a importância e a necessidade da realização de uma iniciativa desta natureza, onde podemos ver reunidos, um conjunto de interesses e oportunidades para os jovens que estão numa fase da vida em que a palavra de ordem é – experimentar. As actividades realizadas permitiram a mais de 300 jovens experimentarem diversas áreas de interesse através dos muitos workshop`s que se realizaram: Teatro, Hip-Hop, Fotografia Digital, DJ`ing e Aulas de Guitarra Eléctrica, e aprofundaram os seus conhecimentos com a participação nos debates em que abordaram alguns dos temas mais pertinentes para a juventude: sexualidade, dependências e cidadania.

32

Nesta edição teve ainda lugar uma iniciativa totalmente original no nosso concelho: a Feira Formativa e Ocupacional. Neste local os jovens puderam encontrar diversas alternativas formativas e ocupacionais. Esta iniciativa constitui uma forma de contribuir para as tomadas de decisão que muitos jovens enfrentam não apenas no seu percurso formativo mas também ao nível da ocupação saudável dos seus tempos livres. Várias entidades tiveram aqui a oportunidade de divulgar as suas ofertas e mostrar o que de melhor se faz no âmbito da sua actividade.

33


2ª Semana da Juventude As noites desta semana tiveram especialmente dedicadas à demonstração de talentos musicais com destaque para a banda de Olhão – O Ludo e também para os Fora da Bóia, Dharma Project (Vencedores do Abril Bandas Mil) e Olive Tree Dance. Este palco foi também um espaço para revelar alguns dos talentosos trabalhos dos jovens olhanenses, nomeadamente no âmbito do Teatro, Hip-Hop e da Moda. A semana da Juventude está a afirmar-se como um espaço de diálogo, experimentação e debate, em suma, um espaço de afirmação das necessidades e interesses da juventude Olhanense. Um projecto para não perder de vista. Atreve-te!! Luís Tavares

34

35


/2011 DADE 05 PUBLICI

iados e Assoc b lu C A C

é o Clube . E este issões do nfiamos m mos e co ontos em co permite-lhe ta di re sc ac e ento em que viagens erece de é aquele grícola que of e, bem-estar, Meio de Pagam de A e é Clube e um saúd orgulho Clube quaixas de Créditos nas áreas de ociados do CA ola e sinta o rtante. as m , po Ass eiro ubes dos das C Agríc a voz é im cl rc os s to a pa to di ic ui ré tif em ia m , C Existemlube dos Assocserviços do CA Cartão que iden0 Balcões do . Para nós a su A. O C de produtos e o Clube A. Umjá a um dos 70iados. Clube A preçárioacesso ao Cartãde Grátis. Vá 0.000 Assoc ainda o al, com anuida com mais de 40 Univers r a um Clube pertence

nta ra as va b u c s e D

s: rmaçõe ais info 8 20 60 60 m a r a P 0 alizado irectaen8dimento person at h30; LinhapoD r dia, comas 8h30 às 23s 10h às 23h. s ra d ho 24 riados da 6ª feira de 2ª as, Domingos e Fe ola.pt Sábado itoagric d e r .c www

36

BE COM U L C M U ZEScia. do. O V 0 0 0 . E 4d0e0ser nosso Asso MAIS D gens

de édito ou rtão de cr %a ser um ca G é de 12,0ratado, rá de po E ito a TA ito cont €2.500, Clube A O Cartão o cartão de créd cartão de créd édito de ,640% 20 débito. N em função do a utilização de cr 12,0% a o crédito. m , de nu % N se ,6 20 ada com ba meses, à TA ros e sobre a 12 e os ju calcul o br ls so bo lo o do Se com reem de Impost acrescida

37


Campo Internacional de Trabalho Graffitis Walls por Ana Leal

A MOJU (Associação Movimento Juvenil em Olhão) estreou-se este ano na organização dos Campos Internacionais de Trabalho, uma iniciativa co-financiada pelo Instituto Português da Juventude. Com a temática de Graffitis Walls, a MOJU recebeu em Olhão, entre 6 e 14 de Setembro, 17 jovens provenientes de 10 países, com idades compreendidas entre os 18 e 28 anos. O objectivo foi remover os tags (assinaturas) da cidade, no intuito de sensibilizar para a arte e diferenciar a mesma do que é poluição visual e actos de vandalismo. A colaboração dos jovens writters foi fundamental neste processo de remoção dos tags, para que o projecto seja bem sucedido a longo prazo. Pretendeu-se também, com a realização deste campo internacional, incentivar a população local a juntar-se ao grupo na remoção dos tags, no sentido de incentivar a comunidade, a realizar à posteriori, iniciativas de limpeza dos muros da cidade.

contributo para a valorização dos grandes graffitis artísticos existentes nas ruas de Olhão, e espera ainda brevemente promover esta arte urbana, através da criação de um roteiro turístico que lhes dê destaque. Durante os dias do Campo Internacional de Trabalho, os jovens conheceram em pormenor a cidade de Olhão, perceberam quais as principais áreas vandalizadas e, em parceria com a Câmara Municipal de Olhão, o Instituto Português da Juventude e as empresas parceiras, seleccionarem as zonas onde trabalharam para remoção dos tags que poluem visualmente a cidade.

Mas como nem tudo é vandalismo, foi igualmente importante realçar os graffitis de qualidade existentes em Olhão. A MOJU mais uma vez deu um

38

39


Os jovens ficaram alojados na sede do agrupamento de escolas João da Rosa e a interacção com a juventude olhanense foi outro dos objectivos do projecto. Assim, e no âmbito da promoção da inclusão social, envolvemos os jovens da comunidade local que frequentam o projecto Bom Sucesso (promovido pela MOJU) e parte das intervenções de limpeza foram feitas nos territórios de intervenção deste. A par disso houve ainda momentos de convívio na zona baixa da cidade e na Sociedade Recreativa Olhanense. Neste último espaço foi realizada a apresentação em vídeo do trabalho desenvolvido durante o campo. Para além do co-financiado do Instituto Português da Juventude, este projecto recebeu o apoio da Câmara Municipal de Olhão, a colaboração dos jovens do Projecto Bom Sucesso (MOJU – financiado pelo Programa Escolhas), do agrupamento de escolas João da Rosa, da Sociedade Recreativa Olhanense e das empresas F. Raminhos e Filhos Lda e Decap Arte.

Hello! Palavra que mais ouvi nesta actividade “Paredes Limpas”, organizada pela associação “Moju” e pelo Projecto “Bom Sucesso”. UPS! Esqueci-me de me apresentar, eu sou o David Santos (Rabica), participei nesta maravilhosa actividade em que tive oportunidade de reaprender a falar e perceber a língua inglesa e conhecer pessoas de outras partes do mundo. Foi uma das experiências mais fixes em que participei, não só pelo facto de ter conhecido jovens super simpáticos e com muito talento, como conheci pessoas que amam a mesma arte que eu. Gostava que os jovens aqui de Olhão e de outras cidades participassem mais nestas iniciativas porque isto não é para o mal da nossa sociedade, isto são iniciativas para conseguirmos melhorar a vida de todos nós. Não tenham medo de arriscar porque quem não arrisca não petisca. Não baixem a cara, olhem de frente para o mundo e sorriam porque ninguém é mais que ninguém, somos todos diferentes e todos iguais, contem com o nosso apoio. Acreditem que aqui nada perdem, há, pelo contrário, muito a ganhar, tal como amizades e novos horizontes. Obrigado ao pessoal que trabalha comigo por me terem ajudado a acreditar que afinal também tenho talento. Testemunho de David Santos, 20 anos

40

41


Passeio BTT – Olhão Solidário Foi no dia 26 de Setembro, um Domingo, que quase duzentas pessoas se juntaram para pedalar para apoiar. O Passeio BTT – Olhão Solidário foi uma iniciativa conjunta da MOJU e da Secção de BTT “ Os Leões de Olhão”. Os objectivos desta actividade foram promover a modalidade e angariar fundos para  a nova sede da associação MOJU que acolhe o Projecto Bom Sucesso, onde dezenas  de jovens beneficiam diariamente de actividades que promovem o seu desenvolvimento pessoal e social.

O sucesso desta iniciativa deve-se naturalmente a todas a pessoas que se disponibilizaram para pedalar, às entidades que apoiaram como a Câmara Municipal de Olhão, o Agrupamento de Escolas João da Rosa, o Núcleo da Cruz Vermelha da Fuseta, a PSP e a GNR e às empresas Américo Ribeiro Publicidade, OnTheRocks e Modelo.

Esta iniciativa decorreu durante a manhã de Domingo com dois percursos distintos, um de 20 Km e outro de 40 Km. Os participantes tiveram ainda a oportunidade de conviver durante o almoço e estiveram habilitados a ganhar uma bicicleta, gentilmente oferecida pela OntheRocks. O almoço decorreu na Escola João da Rosa e não faltou boa disposição e um forte sentido de dever cumprido a favor de uma nobre causa – a inclusão social de crianças e jovens. O Passeio de BTT – Olhão Solidário fica registado como uma das primeiras iniciativas no concelho de Olhão no âmbito desta modalidade, o que deixa antever que nos próximos anos possamos assitir a novas edições.

42

43


3º Aniversário MOJU por

Sara Tavares

A nossa Associação Juvenil Movimento Juvenil em Olhão, Moju para os amigos e conhecidos, já fez 3 anos. Foram 3 anos bastante preenchidos por actividades, crescimento, amadurecimento e muitos convívios impregnados de ESPÍRITO MOJU. A festa do 3º aniversário, a 16 de Outubro de 2010, não seria com certeza uma excepção! Este ano tivemos alguns extras uma vez que associamos o nosso aniversário às comemorações do centenário da Implantação da República em Portugal, com o apoio do IPJ e também à campanha pela concretização do Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, o Roteiro 3456 da APF. Este aniversário foi tão grandioso que até tivemos que dividir o evento por dois espaços distintos! A primeira parte da festa ocorreu na Sociedade Recreativa Olhanense, onde foi aplaudido o grupo de dança hip hop Stand Up, constituído por jovens do Projecto Bom Sucesso. Apresentamos seguidamente o nosso empenho para que os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio sejam cumpridos, através da apresentação de vídeos cedidos pela Campanha Roteiro 3456. Assistimos a um agradecimento emocionado e bem-disposto do presidente da Moju, Luís Tavares ao qual se juntaram António Pina, vereador municipal da juventude e Sara Brito, directora do IPJ de Faro, mostrando as boas relações que tornam possível a concretização de bons projectos, por vezes bastante ambiciosos.

44

A grande sensação, no entanto, foi a apresentação da curta-metragem “Rap-Pública”, apresentada pelo grande dinamizador desta actividade, Fernando Cabral. Esta irreverente curta-metragem realizada e idealizada por jovens do Projecto Bom Sucesso reflecte uma visão do estado da nossa República no seu centenário. Contámos também com a apresentação da música original “Rap-Pública” de Versátil, com instrumental de Rabica e com uma demonstração de graffitti ao vivo pelo conhecido Sen. Chegou então um momento de grande entusiasmo em que o “parabéns a você” foi cantado com vozes da juventude e não só num coro animado e com muitos sorrisos. A festa não terminou por aqui. O coreto do Jardim Pescador Olhanense aqueceu ao som do Hip-Hop de Rabica e Manula (Bloco4) e ainda foram entoados grandes êxitos da música pop com Domingos & Amigos. Mais uma vez a MOJU marcou passo nesta caminhada que já vai no terceiro ano e promete continuar a mostrar toda a sua versatilidade e criatividade no domínio da intervenção sócio-cultural.

45


RAP`Pública

.

A Rap-Pública trata-se de um projecto relâmpago. Tendo em conta que desde o desafio lançado ao realizador até à sua conclusão, passaram-se somente 44 dias, nos quais foram utilizadas apenas 62 horas no total. O processo criativo deste filme foi democrático, comunitário e faseado. Pois todo o grupo de jovens bem como o realizador participaram na sua criação e execução do inicio ao fim, esta forma de trabalhar contribuiu não só para uma consciencialização da actualidade, politica, económica e social. Como também permitiu que o grupo pudesse vislumbrar um pouco do trabalho de produção e execução em meios audiovisuais. Rap-Pública é uma curta-metragem que tem por primeiro objectivo assinalar a comemoração do Centenário da Republica Portuguesa. Servindo este assunto de pretexto para que de forma metafórica nos questionemos sobre os princípios que regeram as mudanças de regime em Portugal, no que se tornou a nossa sociedade e o seu modelo de vida, a forma como vivemos, a forma como escolhemos quem tem o poder, a forma como quem tem o poder escolhe gerir o mesmo.

Numa altura em que ainda não havia nome para esta “geração à rasca”, antes de se tornar público a possibilidade de um “F.M.I.” aparecer, esta curta canta um grito desesperado de jovens que pertencem a uma classe mais desfavorecida da nossa sociedade. Fartos de serem apelidados de marginais, estes jovens vêem na Rap-Pública uma forma de protesto, reflexão, chamada de atenção e essencialmente Nove Minutos de Justiça. Justiça essa que muitas vezes em trabalho de grupo, foi personificada numa quadra de António Aleixo (Poeta Popular Algarvio): Sei que pareço um ladrão, mas há muitos que eu conheço que não parecendo o que são, são aquilo que eu pareço. É inspirada nesta quadra popular que a Rap-Pública canta, com letra música e argumento original “Oh Pátria”, um hino à revolta, à mudança, à justiça, que está e só pode estar dentro dos jovens. É a essa irreverência dentro de cada um de nós, PORTUGUESES, que se dirige o grito de um grupo de gente olhanense, que desta feita não cruza nem nunca cruzará os braços às adversidades herdadas. “Revolução agora porque é o que o país precisa…”. Fc..

46

47


II ENCONTRO MOJU Praia da Arrifana is de ouco ma p m u r nas be r vezes urar sa o c p o r a p v a a m tentav Particip é ao dia que u foi ... uito que ideais. t m a s u , á E assim e r o o s r d t já s a o Encon amigos, ção e o espect Pois é ar no 2 o mero associa ip m a o ic t a nossa c t s r e e a r ria emp ra p omeçou s a c p s e ” a u a m q como se ç i e u es . Foi aq e a cab tividad rrifana suas ac igo meu “fez-m A a n am e lugar grande ano tev e t s . e m mais e u ês dias eos, te r e t M Moju, q e s t o n e enorm que ra dura vontad o mais a it u m d u aventu m s o en a com sã a os jov Mojus essoas r p s a o o p l ã , a s a in , iv f ue eles educat ri que a fibra q o tempo Descob is m a s m e o m muit te e ao ideias e diferen o -nos lg a r e divertir ó. s s o o m de faz ã e n d ender e po idade e mpo apr , de qu e o t ã o ç nossa c m a s r dos e t demons s e ao m co de cada um a a ic m t u á is m u te ma sta. r um po tro foi idades prole de conhece s activ o O encon m d e ia r in r á it e v s de s, perm retendem faz ais atravé eriência p x e pouco m r o que p a m u e h il o e t s r ã a ç a ar ep socia pensad teress s da as iada e viam in r e c d i e o e membro f o d , ida com u em façam nossa c iação t c o a o ã s d n s s a r n o a ham ve Por fav que est ue os jo s e ven . o o q s r o r o u b iv h t m t c u e c f A m je cieu pela so rá o se ias e ob nem-se o e e r d o iv id n t t e s , a p i” c la e u a v pe sd om e ed ai-nãos e dele lgo de b a po “no v r m para ele e e t z a o ei muit tempo f s. abrita que and mesmo o a de nó e asco C V e m s u a ir d t ca ociado) diver vida de ém-ass la c e e r p ( e dade

48

49


Caros Mojuenses... Aqui estou eu, novo membro desta calorosa família, para vos falar da minha experiência nesta fantástica aventura! A qualidade que mais prezo é o meu espírito de liberdade, sendo que nunca quis associar-me a nada na minha vida. Profissionalmente, embarquei nesta aventura e vinculei-me de tal maneira que quando dei por mim estava no segundo Encontro da Moju, o meu primeiro. PRÓXIMA PARAGEM ... Arrifana. O meu primeiro Encontro Moju foi uma autêntica surpresa! Só pensava em festa, um grupo de jovens com a pousada só para nós, muita diversão, bebida, namorar muito, praia, surf, directas, enfim ... um cheirinho a passagem de ano. Foi quase ... A excitação era tanta que o meu carro foi o primeiro a chegar, com um grupo de amigos, prontos para conhecer o espírito Moju. Tudo para mim era novo e sentia-me um peixinho fora de água ... no princípio! Há medida que a família ia crescendo, as apresentações eram automáticas e após a partilha de Minis já se faziam grandes amizades. Foi o que levei deste inesquecível fim-de-semana ... aliada à diversão e borga, suou-se muito, andou-se muito, brincou-se muito, pensámos e trabalhámos muito, discutiu-se muito e até houve vezes em que a paciência e tolerância não andavam de mãos dadas. Mas, meus caros, não é isto uma família? Aprendi muito! Aprendi muito sobre o Associativismo, aprendi muito sobre o que é a MOJU, aprendi muito sobre os meus velhos e novos amigos e sobretudo, aprendi muito sobre mim! Não é fácil deitar tarde e acordar cedo, não é fácil ter horas para tudo, não é fácil cumprir com actividades a que não estava habituada, não é fácil aceitar diferentes opiniões e personalidades ...

50

Mas, se pensarmos bem, somos todos diferentes e somos todos iguais ... estamos cá todos com o mesmo objectivo: partilhar ideias, sonhos, projectos, dar o nosso contributo a esta associação e à nossa cidade ... dar um pouco de nós aos outros e sermos felizes com o que fazemos!

Ainda há muita coisa para aprender e muito para trabalhar, mas esta família não tem medo de arregaçar as mangas, ouvir muitos NÃOS e lutar contra as adversidades e obstáculos que encontramos pe4lo caminho. Porque poucos somos muitos ... e muitos também somos poucos ... Precisamos de mais mojuenses como estes que encontrei (e irei reencontrar muitas mais vezes) para que os nossos sonhos e aspirações ganham força. A juventude somos nós e temos muito para ensinar aos que virão a seguir, para que tenham as ferramentas necessárias para trabalhar e construir sempre algo melhor. Trabalhar, sem receber nada ... para além da partilha, da entreajuda, do voluntariado, do amor, da amizade, do sacrifício, da união, da cumplicidade e da força de vontade ... Aprendi, neste Encontro, o que é realmente trabalhar em equipa! É isto tudo e muito mais. Não dá para descrever, têm de sentir e de viver! Porque todos precisamos uns dos outros para continuar ... Eu estive lá, estou aqui e irei continuar a dar o meu melhor contributo par que esta família seja cada vez mais feliz! Não queremos louros nem reconhecimento ... mas sim deixar um pouco de nós e do nosso esforço para fazer os outros felizes. E porque a Moju não é só festas e festivais ... apareçam Deixem um pouco de vós e levem um pouco de nós ... sejam voluntários e ajudem a Moju a crescer. Que 2011 traga muitas mais aventuras e sucesso à MOJU! Ansiosamente á espera do próximo encontro ...

Micaela Cabrita (recém-associada)

51


Seminário Abrir Horizontes Educar para Incluir Esta foi uma iniciativa do Município de Olhão, no âmbito do Ano Europeu do Combate à Pobreza e Exclusão Social. A organização deste evento, onde participam vários especialistas, foi da Rede Social de Olhão em parceria com a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Olhão e a Associação MOJU. Com o encontro pretendeu-se fomentar um espaço de partilha, reflexão e avaliação sobre a problemática do abandono escolar e exclusão social, mediante a apresentação de boas práticas e experiências inovadoras de intervenção social, com base no desenvolvimento de competências pessoais e sociais de jovens em risco. A participação neste seminário, nomeadamente desde a sua organização e planeamento e de forma direta, com a moderação de um painel e a comunicação nas “práticas Associativas para a Inclusão”, serviu para divulgar o trabalho que a MOJU tem vindo a desenvolver juntos dos jovens provenientes de contextos mais vulneráveis e juntos de todos os jovens que cada vez mais, necessitam de meios que os estimulem a participar activamente na comunidade.

SEM

ABR

IR H

INÁR

ORIZ

ONT

PROGRAMA 09h30

Recepção dos participantes

10h00

Sessão de Abertura

IO 24.SE

ES E

AUD

DUC

ITÓR

IO M

AR P

T

UNIC

Eng. Francisco José Fernandes Leal, Presidente da Câmara Municipal de Olhão Dr. Edmundo Martinho, Presidente do Instituto da Segurança Social * Dr. Luís da Silva Correia, Director Regional da Direcção Regional de Educação do Algarve * Dra. Helena Mestre, Presidente da CPCJ de Olhão

10h30

IPAL

ARA

DE O

LHÃ

O

INCL

UIR

Painel I - “Oportunidades diferenciadas em meio escolar” moderador: Dr. António Baptista, Consultor Técnico do Programa Rede Social

10h35

Inclusão Social em Contextos de Risco Prof. José Alberto Barros (Director) e Dra. Lara Barão (Técnica do Gab. de Apoio ao Aluno e à Família) do Agrupamento Vertical de Escolas Dr. Alberto Iria Prof. Luís Gonçalves (Sub Director) e Dra. Marta Oliveira (Técnica do Gab. de Apoio ao Aluno e à Família) do Agrupamento Vertical de Escolas João da Rosa

11h20

Acepipe Social - Com o apoio dos alunos do CEF Pastelaria e Panificação, da Escola Paula Nogueira de Olhão

11h35

Medidas de Prevenção e Minimização do Abandono Escolar Dr. Rui Jerónimo, Coordenador Reg. do Programa para a Inclusão e Cidadania do Algarve Dra. Isabel Garcias, Equipa Móvel Multidisciplinar do Prog. para a Inclusão e Cidadania, do Algarve

12h00

Debate

12h30

Almoço Livre

14h00

Painel II – “Estratégias de Educação e Inclusão Social” moderador: Dr. Luís Tavares, Presidente da Direcção da Associação MOJU

14h05

Educação pela arte Dr. Leonel Morais, Produtor Cultural do Espaço T - Associação para Apoio à Integração Social e Comunitária, do Porto

14h45

Formas de Intervenção no Combate à Exclusão Dr. António Guterres, Coord. do Centro de Experimentação Artística do Vale da Amoreira

15h30

Acepipe Social - Com o apoio dos alunos do CEF Pastelaria e Panificação, da Escola Paula Nogueira de Olhão

15h45

Práticas Associativas para a Inclusão Dra. Ana Leal, Coordenadora do Projecto “Bom Sucesso” no âmbito do “Programa Escolhas” da Associação MOJU Demonstração de actividades, dinamizadas pelo Projecto.

16h30 17h00

Debate Sessão de Encerramento Dr. António Humberto Camacho dos Santos, Vereador da C.M. de Olhão Dr. Arnaldo de Oliveira, Director do Centro Distrital da Segurança Social de Faro *

*sujeito a confirmação As inscrições são grátis, mas obrigatórias. Inscreva-se até dia 17 de Setembro, enviando o seu nome completo, local de trabalho e contactos para redesocial@cm-olhao.pt ou cpcjolhao@cm-olhao.pt

52

53


Programa para a Promoção da Saúde Sexual: MOJU Contra a SIDA Programa CUIDA-TE: Medida N.º 5 “Apoio Específico a Projectos no Âmbito da Saúde” por Mónica Nabais Pereira

Conhecedores de que a atitude e a consciência cívica de cada indivíduo resultam de uma série de aprendizagens que vão sendo feitas ao longo da vida e de que a escola, veículo de vivências e aprendizagens, pode proporcionar o contacto com realidades que permitem potenciar a ligação entre os conteúdos leccionados e a sua aplicação através de projectos específicos de âmbito educativo/ formativo, a MOJU debruçou-se sobre a preocupação com a Sexualidade. Consciente de que a saúde sexual é um problema transversal e independente do nível etário, e entendendo a educação para a sexualidade como uma prioridade, onde os jovens começam a ter necessidade de actuar, fazer algo, considerou-se pertinente o desenvolvimento de um Programa para a Promoção da Saúde Sexual designado MOJU Contra a Sida. Neste contexto, e tendo em conta a realidade da população jovem de Olhão, surgiu ideia de criar um projecto através da dinamização de um conjunto de actividades em torno de um ponto central: Falar Sobre Sida. Efectuou-se a articulação entre diversas áreas curriculares e instituições públicas locais em torno do propósito que a todos é comum – A Educação e a Saúde Sexual. Assim, o projecto “MOJU Contra a Sida”, apresenta como objectivo condutor a promoção de comportamentos e atitudes adequadas face à saúde sexual, incidindo sobre a temática do VIH/ Sida. Este projecto desenvolveu-se principalmente ao longo do primeiro período do ano lectivo 2010/ 2011 e dirigiu-se a todos os jovens do concelho de Olhão, com particular enfoque para os alunos do Terceiro Ciclo e do Secundário do concelho e respectivas freguesias. Em torno de um tema aglutinador, dinamizaram-se várias actividades devidamente estruturadas e com recurso a metodologias apropriadas, inovadoras e criativas, integradas em quatro fases: Fase I – Levantamento de Necessidades – estabeleceu-se o contacto directo com os professores, onde estes tiveram a oportunidade de nos transmitir as necessidades das escolas e seleccionar as turmas que beneficiaram das acções, foi, também, realizado um questionário aos alunos, o qual permitiu uma avaliação inicial de conhecimentos.

54

Fase II – Organização e planificação do ciclo de actividades nas escolas – a partir da análise dos resultados do questionário e de toda a informação recolhida junto aos professores, elaborou-se o planeamento das sessões de sensibilização. Foi construído muito e muito material, uma vez que as adaptações do plano geral das acções foram muitas e muitas, seja devido ao factor idade, conhecimentos possuídos, dimensão de turma ou até mesmo o interesse dos jovens por temas específicos. Muitas dessas adaptações decorreram, ainda, no decurso da fase seguinte, uma vez, que perante a turma podemos recolher inúmeras pistas dadas pelos alunos, onde indirectamente nos indicam, o que os motiva e como aprendem melhor. Fase III – Execução do ciclo de actividades: decorreu em simultâneo um conjunto de Sessões de Sensibilização e o Concurso de Panfletos “Movimentações Juvenis Contra a Sida. Iniciou-se, então, o frente a frente com os alunos, tínhamos 270 minutos para fazer a diferença, para tocar nos alunos, para formar futuras atitudes e escolhas saudáveis, e para alterar comportamentos incorrectos que estão apreendidos como habituais. Não basta fazê-los entoar as formas de transmissão ou concordarem que “temos de nos proteger contra o VIH porque é muito perigoso”, nem mesmo chocar com imagens tristes de realidades que são percepcionadas como longínquas, é necessário tocá-los, fazê-los vivenciar situações onde todo este blá blá blá, repetido em centenas de formações e caríssimas campanhas, fará sentido, mostrar o quão próximos estão do assunto. Que lhes adianta saber que a “Sida mata e é essencial usar o preservativo” se não sabem pedir ao parceiro para usá-lo, se

55


AG RA DE CIM EN TO S

não sabem resistir a uma frase de persuasão, quanto mais à imensa cordilheira de montanhas de pressões que rodeiam os nossos jovens, muitas com a cara dos pares, mas não menos com a cara dos meios de comunicação, onde tudo é tão bonito, fácil e há sempre um final feliz. E quando surge alguma dúvida (não é previsto que eles decorem os intermináveis se que surgem na tão imprevisível vida), quando algo corre mal é importante saberem a quem podem recorrer. Uma pequena tentativa foi realizada mas fica sempre tanto por fazer. Fase IV – Finalização e Divulgação – por fim, e com muito para mostrar, porque os nossos jovens fizeram trabalhos apaixonantes, criou-se um cd interactivo com a informação recolhida/ produzida pelos jovens para utilizar nas escolas e contamos terminar com a divulgação para a sociedade através de um conjunto de pequenas exposições. Não poderia terminar sem deixar de referir que ainda se mantêm ideias como “não se deve distribuir preservativos na escola para não incentivar os alunos a terem sexo”, “não se deve usar a palavra sexo” nestas formações, sim é verdade ainda se mantêm estas ideias, mas também é verdade, que demasiados foram os jovens que se aproximaram no decurso das sessões e afirmaram: “tive sexo com o(a) meu (minha) namorado(a) sem usar preservativo e estou atrasada/a minha namorada está atrasada e agora?”. E agora pergunto eu, estaremos nós a cometer os mesmos erros que levaram aos assustadores números de infecções de VIH e aos inúmeros casos de gravidez na adolescência? Será necessária uma mudança na mentalidade não apenas dos nossos jovens, como também dos nossos adultos. Se queremos erradicar de vez este problema, cuja única solução está na prevenção, será necessário despirmonos de preconceitos e falar destas coisas sem papas na língua.

Agencia Nacional para a gestão do programa Juventude em Acção ¶ Algarfresa ¶ Associação de Brasileiros do Algarve ¶ Associação de defesa dos Animais e Plantas de Olhão ¶ Associação de Estudantes da Escola Secundaria Dr. Francisco Fern. Lopes ¶ Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão ¶ Associação dos Ucranianos no Algarve ¶ Associação Imigrantes Romenos e Moldavos Algarve ¶ Associação para o planeamento da Familia ¶ Associação Rockestra ¶ Best travel Olhão ¶ Câmara Municipal de Olhão ¶ Carlos Sousa – Fotografo ¶ Casa do povo de Moncarapacho ¶ Capoeira Raízes ¶ Centro de Aconselhamento e Detecção Precoce da infecção HIV/SIDA ¶ Clube desportivo “Os olhanense” ¶ Caixa de Crédito Agrícola ¶ Edi Martins ¶ Eliarte ¶ Grupo Motard de pechão ¶ H Menon Mix ¶ Instituto de Droga e da Toxicodependência ¶ Instituto Português da Juventude ¶ Jornal Olhanense ¶ Joseph Morgan ¶ JP Custom Guitars ¶ Junta da Freguesia de Olhão ¶ Junta da Freguesia de Pechão ¶ Live Music Instrumentos Musicais ¶ Parque Natural da Ria Formosa ¶ Rádio Televisão Atlântico ¶ Rádio Universidade do Algarve ¶ Secção de Estudantes Africanos da Universidade do Algarve ¶ Sociedade recreativa Olhanense ¶ Prontoa-comer Azinha ¶ Américo Ribeiro Publicidade ¶ Centro de Saúde de Olhão ¶ Ria Shopping ¶ Junta de Freguesia de Quelfes ¶ Charrão Studio ¶ Núcleo Sportinguista “Os Leões de Olhão” ¶ Secção de BTT “Os Leões de Olhão” ¶ Realce Pneus ¶ Imoart ¶ Barranqueiro & Estevão Lda. ¶ Raminhos& filhos Lda. ¶ Sociedade Recreativa Progresso Olhanense ¶ Restaurante “O Franguinho” ¶ Escola de Rock do Algarve ¶ Vídeo Attack ¶ Mobilar ¶ Restaurante “Kinkas” ¶ Polícia de Segurança Pública ¶ Grupo de Escoteiros n o6 ¶ Modelo ¶ OntheRocks ¶ Comissão de Protecção de Crianças e Jovens ¶ Inatel ¶ Núcleo da Cruz Vermelha da Fuseta ¶ Núcleo da Cruz Vermelha de Olhão ¶ RIAS ¶ Decap Art ¶ Agrupamento de Escolas João da Rosa ¶ Associação de Surdos do Algarve ¶ Associação de Estudantes da Universidade do Algarve ¶ Agrupamento de Escolas Paula Nogueira ¶ Escola Secundária Dr.Francisco ¶ Fernandes Lopes ¶ Agrupamento de Escolas Alberto Iria ¶ Banda O Ludo ¶ Voodoo Pickles ¶ Punk c`Mantega ¶ Papelaria Clinar FICHA TÉCNICA Textos Ana Leal, Luís Tavares, João Dias, Sara Tavares, Monica Pereira, Vasco Cabrita, Micaela Cabrita, David Santos, Fernando Cabral, João Baptísta, Hélio Simplício, Joana Belindro, Nehuen Crespi, Rui Lopes, Sérgio Miguel, Projecto de Educação para a Saúde - ESFFL Fotografia Carlos Sousa, David Santos, Hugo Charrão, Roberto Prazeres Design e Paginação Charrão Studio

56

Impressão Gráfica Acesso

© MOJU - Associação Movimento Juvenil em Olhão Site: www.mojuolhao.com Blog: www.mojuolhao.blogspot.com E-Mail: moju@mojuolhao.blogspot.com Telm.: 931 406 587

57



Mojurnal #4