Page 1

Preço: 1 moinho

O Pequeno Moinho Ano X VIII

EB1/JI do Alto do Moinho

Junho 2009

Em visita à EB1/JI Alto do Moinho

Vereadora da Educação entrevistada pelos alunos do 4º ano

Semana da Leitura 2009 Página 5

O Carnaval na nossa Escola Página 8

Os 25 anos da EB1/JI do Alto do Moinho Páginas 10 e 11


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

SUMÁRIO

EDITORIAL

A Natureza

3

Semana da Leitura 2009

4

Semana da Leitura 2009

5

“Ó Alto do Moinho Cá vamos a marchar

Mudam tempos e vontades Os alunos e os professores

Dias festivos Ateliers “A Maior Flor do Mundo”

Mas o sonho de aprender

6

7

O Carnaval na nossa escola

8

Entrevista dos Alunos do 4º Ano

9

Os 25 anos da EB1/JI do Alto do Moinho 10

Esse nunca, nunca vai morrer

Ao pião e ao carolo No recreio a jogar

Magalhães na sala de aula E projectos a somar” (Marcha 2009)

Assim vai a nossa marcha, assim é a nossa escola. Projectos a somar com o objectivo de educar.

Os 25 anos da EB1/JI do Alto do Moinho 11 Em entrevista

Boas férias

12

A coordenadora de escola Em entrevista

13

Visitas de estudo

14

Ficha Técnica Visitas de estudo

Ciência no 1º ciclo

15

16

Alegria e amizade no Jardim de Infância 17 Actividades de Tempos Livres

18

APEEAM

19

Agenda da Biblioteca Escolar

20

PROPRIEDADE: EB1/JI do Alto do Moinho

APOIO: Junta de Freguesia de Corroios

COLABORADORES: Alunos, professores e educadores da Escola Básica do 1º Ciclo e do Jardim de Infância do Alto do Moinho Jornalista - Ana Silva

COMPOSIÇÃO: Biblioteca Escolar

TIRAGEM: 500 EXEMPLARES

O Pequeno Moinho                                             2 

EB1/JI do Alto do Moinho Av. Guerra Junqueiro Alto do Moinho 2855-001 Corroios info@eb1-n2-corroios.rcts.pt


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

Era uma vez, um menino

que se chamava Rui e estava a mudar de casa. Entretanto, o pai dele foi cortar uma árvore. O menino tinha visto um escaravelho e colocou-o numa caixa com buraquinhos para ele respirar. O insecto teve medo e quando o menino abriu a caixa, voou para o outro lado da grade que dizia “perigo” porque a saída dava para um bosque. O Rui que era muito teimoso nem contou aos pais o que tinha acontecido. O Rui pensou então, em seguir esse escaravelho até encontrar um rio que ia dar a um bosque. O insecto tinha ido para o bosque. O menino pensou bem se devia persegui-lo mas como era teimoso decidiu continuar. Enquanto, ele andava a passear, olhava para as belas árvores. De repente, viu uma borboleta. Então, o Rui decidiu deixar para trás o escaravelho e seguir a borboleta. Ela foi dar a umas dunas de areia onde estava uma flor murcha. O menino teve pena dessa flor e decidiu ir buscar água, muitas vezes ao rio, sem parar. Cada vez que o menino ia regando, a flor ia crescendo mais, mais e mais. Passado um tempo, ele reparou que a flor já estava muito grande. O Rui ficou tão cansado com aquela tarefa que bocejou e deitou-se no chão. A flor muito agradecida fez sombra e deixou cair uma pétala para o tapar porque o sol estava muito quente. Os pais que estavam em casa deram conta que o menino já não estava lá e então foram-no procurar. Eles resolveram fazer o mesmo percurso que o Rui tinha decidido fazer durante a manhã. Por fim, encontraram-no deitado no chão, a dormir tapado pela folha. Os pais do Rui ficaram espantados ao ver a flor gigante. Resolveram então, regar aquele jardim que ficou cheio de flores grandes. No dia seguinte, o menino decidiu ir com o pai ver as flores e viu o seu velho amigo, o escaravelho e disse-lhe adeus. O escaravelho teve medo mas acabou por responder também, dizendo adeus, pois viu que o menino não lhe ia fazer mal.

O pessoal que vivia na aldeia ficou todo a ver as flores gigantes, ao pôr-do-sol. Era como um monumento que as pessoas adoram ver. O Rui foi para casa de uns primos e contou a sua aventura aos seus amigos e à restante família. Concluindo a história, não nos vamos poder esquecer do nosso amigo escaravelho e da nossa amiga borboleta porque foi através deles que apareceu um lindo jardim! Agora, cada vez que o menino encontrar uma flor murcha, tomará sempre bem conta dela. Ele fez muitos amigos e amigas naquela aldeia.

O Pequeno Moinho                                             3 

História Inventada pela aluna: Magda Farinho 4º ano Turma: A

Dia da Árvore A árvore é da Natureza. A árvore dá-nos oxigénio para respirarmos. Não devemos cortar árvores nem subir às árvores. Devemos pôr o papel velho no papelão.

1ºB


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                           Uma história

Tivemos

u m a

surpresa.

A

do Convidámos os pais para vir mãe ler ou contar uma história ,na H e n r i q u e ensinou

Semana da Leitura. Alguns

dos

nossos

-

pais

nos a

Os alunos do 2ºA e do 2º B participaram no Encontro com a escritora Lara Xavier No dia 2 de Março a mãe do Henrique veio à no âmbito da iniciativa O Livro em Festa - a feira do livro do Seixal, promovida pela nossa sala contar Biblioteca Municipal do Seixal, em parceria com uma história sobre a Junta de Freguesia de Amora e Divulgação. Os alunos leram na sala de aula Gosto Deles porque “O Vampiro que sim e O Rabo do esquilo e foi com muito bebia groselha ” ,da interesse que ouviram a escritora falar dos seus livros e das suas personagens. Luísa Ducla

participaram nesta actividade .

Soares. É

A nossa casa A terra, menina inquieta, Pelo céu anda a girar Com a sua amiga, a Lua, Vem e vai sempre a falar

uma história muito engraçada que fala de um morcego que bebia groselha.

Ela é a nossa grande casa tem milhares de milhões de anos e há muito foi habitada por enormes dinossáurios Hoje habitamo-la nós que a estamos a maltratar, qualquer dia fica doente, ninguém a pode curar. Por isso é que eu vos peço: “Parem com a poluição!”, mostrem que este planeta, nos cabe no coração.

Aprendemos o que são e como são os morcegos.

O Pequeno Moinho                                             4 

2º A


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                           Durante a Semana da Leitura tivemos a visita de três familiares de alunos. O avô da Filipa que nos contou a história “Uma família Inglesa”escrita por Júlio Dinis, adaptada para crianças. Inicialmente, ele fez uma introdução à história e à forma como ela ia ser apresentada. A história foi contada em forma de teatro, onde as personagens foram alguns alunos. Foi uma maneira diferente de contar a história na qual os alunos participaram activamente. A mãe da Maura também nos contou algumas histórias:”A tartaruga e os dois patos”, “A Sereiazinha” e “A Reunião dos ratos”.Também gostámos da presença desta mãe. O irmão da Inês veio- nos contar a história “Os ovos misteriosos “de Luísa Ducla Soares e Manuela Bacelar. Ele contou a história de uma maneira interessante. Trouxe bolas que representavam os ovos de que falava a história. Foi uma forma muito atractiva e engraçada de apresentar a história. No final ainda nos apresentou com um pouco de malabarismo. Esta semana, foi para nós, diferente e enriquecedora. 4ºE

Na semana da leitura, no dia 4 de Março José Inácio, avô do nosso colega Duarte,veio á nossa escola. Já na sala de aula, o avô José leu-nos contou-nos a história ´´O macaco de rabo cortado, que é do seu tempo, Todos nós gostámos muito da presença do avô na sala. Mais tarde fizemos um teatro de fantoches sobre a história.Olrigada a todos os avós que vieram! 1º ano D

Notícias 1ºE

O escritor Pedro Leitão veio à nossa escola e contou-nos a história “A praia da rocha amarela”. O Pedro Leitão escreveu mais livros: “A viagem do carro encarnado”, “O leitão azul” e “O super Leitão cor -de laranja”. O Pedro Leitão autografou os livros e ilustrou todos de maneira diferente. Gostámos muito. Marta Catarina Gabriel

O Pequeno 

Moinho                                       


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                           Os pais do terceiro ano D, disseram que: Ser pai é... Ser alguém, dar à vida continuidade (Ana Catarina) - Ser amigo e estar sempre contigo (Ana Cláudia) - Dar amor e carinho (Ana Sofia Raimundo) - Ser amigo e companheiro (Ariana Inácio) - Ser muito importante na vida dos filhos (Catarina Sequeira) - Amar, cuidar e estar presente na vida dos filhos (Débora Barbosa) - Ser companheiro e mensageiro nas horas difíceis (Diogo Cabo) - Ser responsável e brincalhão (Doína Maria) - Ser á coisa mais bela do mundo (Filipa Garcez) - Ensinar os filhos a serem mais felizes (Gonçalo Lopes) - Ser amor na forma mais pura (Joana Cruz) - Estar presente, para vê-las a crescer (Gabriel Tomé) - Acarinhar os momentos bons e maus (Paulo Ivo) - Fazer com que os filhos façam dele um grande amigo (Diogo e Gonçalo Miranda) - Quando ouvimos o filho a chamar papai e ajudar nas horas difíceis[Lucas Deboit] -Transmitir tudo bom que temos [Telmo Antunes] - Imaginar, amar, ser amado, brincar, partilhar ...é compensador (Afonso Sacramento) -É a mais importante viajem que podemos fazer e apreciar [Diogo Joaquim] - Em primeiro lugar ter gravado no coração o significado de filho ou filha. [Soraia Godinho] - Assistir ao teu nascimento ver e acompanhar a tua luta dia-a-dia.[Tiago Costa] -Ser o pilar quando tudo está a ruir, e ser o posto de socorro quando os filhos precisam. [Inês Neves]

3º D

Obrigado a todos os pais que connosco colaborarem neste dia tão importante na vida dos vossos filhos. [ A professora Anabela Quinzereis

Dia Internacional da Mulher 8 de Março PORQUÊ O DIA 8 DE MARÇO Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres morreram queimadas. Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher". De então para cá o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, tanto em Portugal como no resto do mundo. O QUE SE PRETENDE COM A CELEBRAÇÃO DESTE DIA Pretende-se chamar a atenção para o papel e a dignidade da mulher e levar a uma tomada de consciência do valor da pessoa, perceber o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e limitações que vêm sendo impostos à mulher. Trabalho Realizado pelo aluno: Diogo Grilo 4º ano Turma: A

O Pequeno Moinho                                             6 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                           A maior flor do mundo Era uma vez um menino chamado Pedro e que tinha 9 anos .Um dia, o menino disse ao seu pai: -Pai , podemos ir cortar lenha para fazermos uma fogueira? Perguntou E o seu pai respondeu: - Claro que sim , vamos! E lá foram .Eles viram uma pequena árvore ao lado de uma flor . Quando o pai do Pedro arrancou a árvore a flor murchou num abrir e fechar de olhos, porque as suas raízes estavam ligadas ás da árvore. Então foram para casa. No caminho para casa, o menino encontrou um escaravelho á procura de comida e levou-o. Já em casa, o menino deixou fugir o escaravelho, e reparou que, por de trás do

muro do jardim, estava um campo todo murcho. O Pedro decidiu saltar o muro, até que viu, ao longe, um rio corrente. Foi para perto do rio e pensou para si: -“Passo ou não passo?“ Então decidiu passar. Passou o rio e subiu um monte onde estava a tal flor quase a morrer. O menino foi buscar uma mão cheia de água ao rio, mas quando chegou ao pé só lhe restava 3 pequenas gotas de água. Estava tão cansado de subir e descer o monte, para salvar aquela planta , que adormeceu ao pé das raízes da flor. Os seus pais estavam muito preocupados e encontraram-no . O menino acordou e viu que tinha salvo a flor. Aquela linda planta cresceu tanto que ficou maior que um prédio . E toda a gente da cidade foi ver a magnifica flor de que tanto se falava.

4ºA

Atelier “A maior flor do mundo” No dia 5 de Fevereiro, veio cá um senhor

sobre”A maior flor do mundo”.

chamado Sérgio Letria da fundação José

recebemos, seleccionamos os que

Saramago.

estão apresentados em cima.

Os Meninos que estavam a ouvir estavam muito

Os nomes dos meninos que

atentos.

fizeram estes trabalho são:

De todos os trabalhos bonitos que

Todos quiseram participar.

Gonçalo Casqueiro

Todos adoraram o filme sobre a obra de José

e Catarina

Saramago ” A maior flor do mundo”.

Laranjeira.

Quando estávamos no fim o Sérgio propôs um

Nas aulas de

desafio.

cerâmica fizemos

Esse desafio era fazer um texto e um desenho

O Pequeno Moinho                                             7 

em barro


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

Neste ano, a nossa escola comemora os 25 anos de aniversario . Então , resolvemos que os fatos de carnaval deveriam ser alusivos a esse tema. Como em todas as festas de aniversario, o nosso desfile teve prendas , rebuçados, chupas, balões, palhaços … Assim o Jardim de Infância vestiu-se de prendas, o 1º ano fez uns lindos chupas , os alunos do 2º ano foram uns deliciosos rebuçados , o 3 º ano animou a festa com os balões e o 4ºano encerrou o desfile com os palhaços. Houve muita animação, alegria quer na escola, quer nas ruas da nossa freguesia , e para o ano, como é ? 3ºA

O desfile de Carnaval Este ano, tal como anos anteriores, a nossa escola participou no desfile de Carnaval em Corroios. O tema da nossa escola foi “Os 25 anos“, por que a nossa escola festeja durante este ano lectivo as “bodas de prata“. Nesta festa, como em todas as festas de anos estão sempre presentes os doces .Nós éramos rebuçados da festa. Construímos os nossos fatos com a ajuda da nossa família e no dia 20 de Fevereiro desfilámos pelas ruas de Corroios.

O Pequeno Moinho                                             8 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

Os alunos de todas as turmas de 4º ano aproveitaram a vinda da senhora Vereadora da Educação à nossa escola e decidiram entrevistá-la. Foi uma conversa muito animada, através da qual ficámos a saber mais sobre o papel de uma Vereadora da Educação e sobre alguns projectos para as escolas do concelho do Seixal. O que é ser Vereadora da Educação? R: Como sabem a Câmara Municipal tem um presidente e vários vereadores. Eu trabalho na Câmara Municipal que tem um conjunto de responsabilidades para com as escolas de 1ºciclo, na construção e na manutenção dos edifícios, no apoio a iniciativas e à biblioteca. O que a vereadora da educação faz é criar projectos e programas que apoiem o ensino no 1º ciclo. Vou às escolas ver os meninos e as suas actividades. Tiveram a Festa de Natal e o desfile de Carnaval, que foram projectos que tivemos com as escolas porque nós não trabalhamos sozinhos. Tem gosto em ser Vereadora da Educação? R: Gosto muito, porque estamos a trabalhar com as escolas de 1º ciclo, com as crianças e damos outras actividades para além das que vocês têm com os professores. Saber que vocês gostam dáme uma grande satisfação e há sempre ideias novas para melhorar. A educação é uma área gira. Estão a preparar algumas obras na escola como por exemplo: substituir o alcatrão do pátio, arranjar os tectos das salas de aula, pôr redes nas balizas, colocar uma rede mais alta no campo de futebol? R: Bom…! Nós somos responsáveis, juntamente com a Câmara Municipal do Seixal que tem a seu cargo um total de 33 escolas de 1º ciclo, pelas obras de melhoramento das escolas do concelho e como tal teremos de pensar em todas por igual. Mas registei as vossas sugestões de podermos melhorar o vosso espaço de recreio, da Escola do Alto do Moinho, até porque nós temos previsto um arranjo de todo o espaço exterior desta escola, mas temos primeiro que fazer o projecto e depois é que se poderá realizar a obra. Mas as vossas sugestões são boas para a Câmara desenvolver um projecto. Existe alguma escola em construção ou estão a pensar mandar construir alguma? R: Sim, temos neste momento uma escola do 1º ciclo, com Jardim-de-Infância, a construir junto à Biblioteca Municipal do Seixal. Estamos a construir outra na Arrentela e vamos construir brevemente um refeitório numa escola da freguesia de Corroios, no Miratejo. Temos um conjunto de escolas e jardins-de-infância para construir aqui no concelho todo. Na freguesia de Corroios, vamos construir brevemente um Jardim-de-Infância em Vale de Milhaços e uma escola em Corroios ao pé do depósito da água. Ao todo são 16 escolas em construção e ampliação até 2012. De que forma a Câmara Municipal apoia a nossa biblioteca? R: Nós apoiamos a vossa biblioteca de várias formas. Uma primeira, nós normalmente damos apoio para que a professora Zélia possa comprar mais livros e mais documentos, mobiliário e

O Pequeno Moinho                                             9 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

Como se chama?

R: Maria Fernanda Tabuada. Quantos anos tem?

R: 60 anos. Quantos anos esteve nesta escola?

R: Nesta escola estive 19 anos, e como directora 12.Trabalhei 2 anos numa escola no Laranjeiro. Gostou de trabalhar nesta escola?

R: Sim, adorei. Com a equipa de professoras que por aqui passou, fizemos muito por esta escola: a cantina, a associação de pais, o A.T.L e uma nova biblioteca. Como era a escola quando chegou aqui?

R: A nível de espaço cá em cima era parecido. O espaço onde funcionam o A.T.L e o Jardim de Infância, era uma arrecadação da Câmara Municipal do Seixal. Não havia cantina. Os alunos tinham duas opções, ou iam almoçar a casa ou então tinham de trazer o almoço para a escola num termo. Os meninos tinham aulas de manhã até á tarde ( entravam às 9.30h e saiam às 15 h ) . A biblioteca era ao pé da cozinha e era pequena. E onde é agora a biblioteca era o Jardim de Infância. Quantos alunos tinha?

R: As turmas tinham 28 ou 29 alunos, nunca tive mais que isso. Como era a escola quando saiu daqui?

R: Já era muito evoluída. Era praticamente igual. Fazíamos projectos com escolas de outros países da União Europeia, Noruega, Itália, Grécia e Espanha. Tínhamos um porteiro para não entrarem estranhos ou ladrões. Acha que a escola está muito mudada? Para melhor ou pior?

R: Está um sucesso. Para melhor, sem dúvida. Melhoraram muito desde que eu saí daqui . Está muito bonita com os azulejos pintados por vocês na fachada. Continuam a fazer muitos projectos Se pudesse voltar atrás no tempo, o que gostaria de ser?

R: O mesmo que fui. E voltaria a fazer tudo de novo. Com todos os alunos, com tudo! Muito obrigada por ter vindo à nossa escola.

R: Tive muito gosto.

Os alunos do 4º ano entrevistaram a professora Mª Fernanda Tabuada

O Pequeno Moinho                                             10 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                           Digo Sim... Aos campos verdes

ENTREVISTA À D. ROSA

Aos peixes vivos nos rios

Como se chama?

À beleza da flor

Maria Rosa Maia.

Ao nascer de cada dia

Que idade tem?

À paz e à alegria

70 anos.

Eu digo sim ao amor

Gostou de trabalhar nesta

Digo sim à liberdade

escola?

Duma gaivota que passa Voando com tanta graça

Gostei. Trabalhou noutras escolas como funcionária?

No mar da nossa esperança Esperança de ver os homens De mãos dadas a cantar

Sim. No Fogueteiro.

Fazendo do nosso mundo

Se andasse atrás no tempo escolheria outra profissão? Ou a mesma?

Um sítio para morar

Sim, escolheria outra profissão. Gostaria de ser professora. Mas saí da

Onde haja risos de pão

escola e fui trabalhar com 11 anos, para uma herdade.

Pelo trigo semeado

Escreveu algum livro?

Onde a fome das crianças

Não.

Seja lenda do passado Onde o labor da ciência

Quis escrever um livro? Sim. Mas não tive apoios. Quantos poemas escreveu? Nenhum, mas versos vários. Como ocupa os seus tempos livres?

Não seja desperdiçado Em vez da ignóbil guerra Ver nascer rosas vermelhas Num Saara ressuscitado A água pode tirar

Vou tratar da horta, vou ao teatro, faço ginástica, pratico natação e vou

Ao deserto a solidão

para a Universidade Sénior.

Os homens podem trocar

Estava cá quando a escola abriu?

A loucura pela razão

Não, estava no Fogueteiro.

E em vez de olhos a chorar

Quantos anos trabalhou cá?

Haverá risos e pão.

Cerca de 20 anos.

Maria Rosa Maia

Pintou algum quadro? Sim, muitos. Quantos quadros pintou? Cerca de 20 quadros. Qual é o seu sonho neste momento? Paz em toda a Terra. Muito obrigada

Os alunos do 4º ano entrevistaram a ex- funcionária Maria Rosa Maia

O Pequeno Moinho                                             11 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

“Os pais são essenciais e devem ter um papel muito activo ” Entrevista à Vereadora da Educação Em visita à nossa escola, a Vereadora da Educação da Câmara Municipal do Seixal falou, em entrevista, sobre como funciona a nossa escola e sobre alguns aspectos importantes que os nossos pais devem conhecer.

Jornal: A Escola EB1/JI tem já 25 anos. Do que conhece que opinião tem sobre ela? Vereadora Paula Santos: A avaliação que eu faço do trabalho que esta escola desenvolve é muito positiva. Acho que é uma escola que, ao longo dos 25 anos, tem contribuído de forma muito positiva para a formação dos alunos, daqueles que vão ser homens e mulheres no futuro. É uma escola sempre com projectos, em que professores, auxiliares ou pais, todos contribuíram para o desenvolvimento das actividades e projectos. E, aliás, quando entramos na escola percebe-se que é uma escola de projectos e que trabalha em comunidade, com o exterior e não se fecha sobre si. As escolas de 1º ciclo são fundamentais, ou sejam, marcam o aluno. Jornal: É um facto que em todas as escolas existem alunos com necessidades educativas especiais. Perguntavalhe o que é preciso fazer para haver nas escolas os professores suficientes para que os alunos tenham mais apoio? Vereadora: Relativamente aos alunos com necessidades educativas especiais, embora os alunos tenham que ter percursos e currículos alternativos adequados às suas especificidades, considero que é importante que as escolas tenham profissionais com a formação adequada para isso. No quadro do nosso país, defendo que eles estejam integrados com os outros alunos e penso que é muito importante porque isso os estimula e os ajuda a desenvolver e há crianças que, se tiverem o apoio adequado, podem ter sucesso ou até um grau de autonomia muito elevado. Eu acho que as escolas sentem a falta de pessoal adequado para poder trabalhar com estes alunos mas penso que não é porque não existam. Eu acho é que não se tem seguido correctamente um conjunto de políticas mais adequadas. A lei do ensino especial é muito clara quando diz que as escolas devem ter um reforço; penso que passa tudo por uma questão de colocar essa necessidade ao próprio Ministério da Educação. Todos têm o mesmo tipo de oportunidades. É um direito que tem que ser assistido.

O Pequeno Moinho                                             12 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

Jornal: Para o sucesso dos alunos, muito importante é também o acompanhamento por parte da família ou de quem está diariamente com as crianças. Acha que os pais devam estar mais despertos para este apoio? Vereadora: Essa é uma questão que está um pouco em cima da mesa até hoje em dia: a educação das crianças a quem é que cabe. Obviamente que há quem diga que aos pais cabe educar e à escola ensinar. Não sei se é bem assim que se deve colocar. Mas acho sem dúvida que os pais são essenciais e que devem ter um papel muito activo naquilo que é a educação dos seus filhos. Naturalmente, a escola no papel de ensinar passa por educar, não só ensinar a matéria e o que está no currículo. Porque a escola também acaba por ser um dos primeiros locais de socialização dos próprios alunos e onde as crianças acabam por experimentar valores de ajuda, de amizade e do que se vai aprendendo enquanto cidadão. Com os pais há uma fase, a escola também tem o seu papel. Mas é cada vez mais importante na nossa sociedade que os pais possam acompanhar os seus filhos; não é só o vir trazer ou acompanhar à escola, nem só dar aos seus filhos tudo o que podem. Jornal: Existe uma reestruturação dos Agrupamentos de Escola a decorrer neste final de ano lectivo. Que reestruturação os pais podem estar à espera e quais as diferenças em relação ao que existe agora? Vereadora: O que está em cima da mesa é um novo regime de autonomia das escolas básicas e das escolas do ensino secundário. Eu acho que há duas alterações fundamentais, mas infelizmente, na minha opinião, não no bom sentido e que são as que acabam por ter mais peso. A primeira é que, ao nível dos agrupamentos de escola, deixa de existir um órgão colegial. Obviamente que, existindo um presidente do conselho executivo que tinha presidente e o conjunto de vogais, entre outros, por agrupamento, passa a ser um cargo unipessoal e não colectivo. A outra questão, que é uma grande alteração, tem a ver com muitas das estruturas intermédias por parte dos agrupamentos de escola, quer sejam coordenadores de agrupamentos, das escolas de primeiro ciclo, deixam de ser eleitos pelos seus pares e passam a ser todos nomeados por aquele que se designa por director de agrupamento ou de escola secundária. Na minha opinião digo que acho grave porque contraria todos os princípios democráticos que temos no nosso país. Há uma direcção unipessoal que decide poder ter adjuntos, mas democraticamente perdemos sempre com isto porque também os professores deixam de poder votar entre os seus pares para eleger o seu representante no agrupamento, seja os representantes de ano, de ciclo, os coordenadores de escola, etc. A única situação em que os professores continuam a eleger é os seus representantes no Conselho Geral que é o órgão que vai substituir a Assembleia de Escola que acaba por ser o órgão mais representativo no agrupamento de escolas. Fico preocupada quando isto acontece nas escolas, quando se transmite para os alunos esses valores mas que no seu funcionamento o estejam a perder. Receio que, de futuro, a escola em geral vá perder com um funcionamento cada vez menos democrático, num país que é livre e em que todas as opiniões contam.

O Pequeno Moinho                                             13  13 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

Também nesse piso vimos uma bomba que era utilizada para puxar a água do mar, se houvesse algum incêndio a bordo. A seguir descemos para o terceiro piso e vimos o camarote do médico, onde se guardavam os medicamentos, vimos espadas e caçadeiras, vimos o refeitório onde os marinheiros comiam e dormiam em redes e a capela onde se rezava a bordo. No último piso vimos a sala da luz e vimos a sala da pólvora. Quando vimos tudo descemos do barco e fomos lanchar, a No dia 12 de Março de 2009 a turma da prof. Cristina foi à

Fragata D.Fernando II e Glória. Fomos

seguir fomos de metro até á estação e depois voltámos à escola. 4ºD

a pé

até Corroios e depois de Metro para Cacilhas. Passámos pelas estações: Laranjeiro, S. João e 25 de Abril. Quando chegámos a Cacilhas, vimos logo a Fragata . Lá, fomos acompanhados por um oficial da marinha. Dentro da Fragata vimos bolas de canhões, barcos salva vidas, galinheiros, etc. A seguir descemos para o primeiro piso e vimos bonecos de cera a representar a vida a bordo de uma nau. No segundo piso, vimos a sala onde o capitão da nau fazia os estudos marítimos.

O Oceanário

No dia vinte e quatro de Março fomos a Lisboa visitar o Oceanário. Quando lá chegámos tivemos uma surpresa muito grande porque encontrámos lá uma nossa colega do primeiro ano que se chama Joana. Ficámos todos contentes e conversámos muito com ela. Depois de lancharmos fomos visitar o Oceanário. Lá vimos muitos animais que vivem nos oceanos. Aprendemos os nomes de muitos peixes, de mamíferos marinhos e aves que vivem junto ao mar. Também aprendemos como vivem alguns desses animais. O monitor que nos acompanhou na visita chamava-se João. Ele era muito simpático e explicou-nos muitas coisas sobre os vários animais que lá vivem. Quando a visita chegou ao fim viemos embora para a nossa escola. Nós gostámos muito de ter ido ao Oceanário.

2º D

O Pequeno Moinho                                             14 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

No dia 20 de Março fomos ao teatro Bocage em Lisboa ver a peça “ El Rei Tadinho no Reino das Cem Janelas ” . Na sala de aula lemos o livro “ G raças e Desgraças na Corte de EL— Rei Tadinho ” de Alice Vieira e fizemos trabalhos sobre o mesmo. Na peça, três actores faziam todas as personagens. A mais engraçada foi a do dragão das cinco cabeças. A meio da peça a

VISTA DE ESTUDO AO MUSEU DAS CRIANÇAS “SENTIDOS E EMOÇÕES”

No dia 18 de Março de 2009 fizemos uma visita de estudo ao Museu das Crianças no Jardim Zoológico em Lisboa. A exposição era sobre os nossos 5 sentidos (olfacto, visão, tacto, paladar e audição). Pudemos experimentar e utilizar os nossos sentidos ao longo de toda a exposição. Gostámos muito! Foi divertido!

n o s s a colega Luana foi convidada para fazer um truque de magia. No final o Rei casou com a Fada Riqueza e tiveram muitos filhos. Riquezas, riquezas

acabaram-se as tristezas! Alunos do 3ºC 1º ano C

Visita ao Núcleo Museológico A noite de 24 para 25 de Abril de 1974

Os alunos das 5 turmas do 4º ano, desta escola, visitaram a convite da Câmara Municipal do Seixal, o Regimento de Engenharia de Lisboa, local onde funcionou o posto de Comando do MFA, transformado em Núcleo Museológico. Os alunos visualizaram um filme, sobre o que se passou ali na noite de 24 para 25 de Abril. Em pequenos grupos foram preenchendo um guião, ao longo da visita, estando por isso muito atentos aos pormenores e explicações dos guias da Escola Profissional Bento de Jesus Caraça.

O Pequeno Moinho                                             15  15 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

Questão— problema Se revestirmos o gelo com materiais diferentes o tempo de fusão é o mesmo? (fusão-derreter)

Verificámos que: Primeiro gelo a fundir foi o que não tinha revestimento. O segundo foi a prata , o terceiro foi o jornal, o quarto foi o plástico, o quinto, foi a cortiça, e o último foi o gelo com lã. Conclusão: O tempo de fusão é diferente , conforme o revestimento.

Como se distinguem os sólidos dos líquidos?

Verificámos que: À mesma temperatura uns materiais formam gotas e outros não. Conclusão : Os líquidos formam gotas e os sólidos não.

Actividades desenvolvidas no âmbito da Formação do Ensino Experimental das Ciências no 1º ciclo, ao longo do ano lectivo:

Explorando…   

Luzes, sombras e imagens; Mudanças de estado físico; A electricidade- lâmpadas, pilhas e circuitos.

O Pequeno Moinho                                             16 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

Ciências no Pré – escolar FIZEMOS UMA EXPERIÊNCIA COM FLORES BRANCAS (JARROS e LÍRIOS): 1º- Pusemos água na jarra 2º- Juntámos corante alimentar vermelho 3º- Pusemos as flores na jarra OSERVÁMOS: No dia seguinte as flores começaram a ficar de cor vermelha… “Porque as flores precisam de beber água e como a água está misturada com o corante e está vermelha ela ficou vermelha” “o corante subiu pelas flores e ficou vermelho”

“É nas experiências que a criança realiza, acompanhada ou autonomamente, que começa a formar as próprias ideias sobre os fenómenos que a rodeiam, sejam eles naturais ou

FIZEMOS UMA EXPERIÊNCIA COM SEMENTES:

- Feijões diferentes, grão e milho. 1º Pusemos algodão dentro de copos, 2º Deitámos lá para dentro um bocadinho de água, 3º Depois pusemos os feijões, o grão e o milho. Observámos: Depois do fim-de-semana vimos que nasceram raízes… São plantas mínimas que estão a nascer… estão a germinar… germinar é a semente a transformar-se numa nova planta. Alguns meninos levaram para casa o copo com as sementes a germinar e outros meninos não levaram para casa e agora vamos plantar feijão, grão e milho na horta da escola…

O Pequeno Moinho                                             17 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                          

Quinta das Margaridas – Pegões

Jardim Zoológico de Lisboa O grupo do 1º ano, no dia 31 de

Com licença, com licença temos

Março, partiu do Alto do Moinho

pressa.... E no dia 6 de Abril, o grupo da pré, passou o

rumo ao Jardim Zoológico de

dia na Quinta das Margaridas em Pegões. Neste dia nós,

Lisboa. Já

no

os meninos da pré ajudámos a avó Fati e o avô Tony a Zoo, esperava-nos um

guia

que nos

cuidar dos animais e da horta. Alimentámos as galinhas

acompanhou num visita guiada pelo jardim.

e o peru e baptizámos o cabritinho bebé de “Boby”.

Dos primatas aos leões, dos répteis aos flamingos,

Aprendemos o ciclo do pão e fizemos com a ajuda do

sem faltar a girafa e o simpático leão marinho, vimos

padeiro um pãozinho para trazer para casa. Brincámos

como os animais se comportam, do que se

muito na quinta dos avós Fati e Tony.

alimentam e qual é o seu habitat natural.

Se quiserem saber mais sobre esta quinta visitem o site:

Almoçámos no parque de merendas e à tarde

http://www.quinta-pedagogica.net/

assistimos com entusiasmo ao espectáculo na Baía dos Golfinhos. Conhecemos a Baleia Nazaré que está na Baía a recuperar com sucesso depois de ter

Badoca Safari Park

sido

No dia 7 de Abril, nós, os alunos

encontrada

na

praia

da

Nazaré

pelos

pescadores foi para o Zoo para ser tratada e quando

de segundo ano,

assim que

estiver boa será devolvida à sua casa principal – o

chegámos ao Park da Badoca,

Oceano.

embarcámos

Divertimo-nos muito e no final do dia demos uma

surpreendente

numa

viagem

pelo

mundo

selvagem dos animais que ali Serra da Estrela 8 e 9 de Abril O passeio dos alunos do 3º ano à Serra foi:

vivem. Depois do almoço, assistimos à sessão de alimentação

Espectacular Surpreendente e Divertido

dos Lémures que são da família dos

No Primeiro dia,

primatas. O André e o Vasco

visitámos o canil dos cães Serra da Estrela, os

estiveram

viveiros das trutas em Manteigas e a Torre – o ponto mais alto da Serra. Havia pouca neve mas mesmo assim divertimo-nos a valer... Jantámos e fizemos um soninho descansado na Pousada da Juventude das Penhas da Saúde. No segundo dia, demos a volta à Lagoa Comprida, visitámos o Museu do Pão em Seia, onde

junto

dos

Lémures e deram-lhes de comer pessoalmente. A seguir assistimos à apresentação das aves de rapina. Percebemos como são rápidas e astutas. Antes que o dia terminasse, rumámos na aventura do Raffing Africano. Chegámos cansados mas valeu a pena um dia de

almoçámos e passámos o dia. Às 16horas despedimos da nossa querida guia e embarcámos

mesmo

na

camioneta rumo ao Alto do Moinho. A viagem foi

O Pequeno Moinho                                             18 


“Uma Escola para todos...todos por uma

escola”

Peddy-Paper – 4º Ano Exploradores do Alto do Moinho

Ateliê de Culinária nas Férias

No dia 2 de Abril de 2009, o grupo de 4º ano do ATL, participou no

da Páscoa Na primeira semana de férias os nossos cozinheiros de mão cheia fizeram:

Peddy-Paper rumo à Quinta da

Um dia - pizza para o Lanche que estava uma delícia.

Marialva. Formaram-se duas equipas, organizou-

Num outro dia fizeram bolo de Coca-Cola para a

se um percurso para cada uma delas e cada

sobremesa

equipa teve de seguir as pistas e realizar as

E para comemorar e

tarefas que eram pedidas ao longo do percurso.

reviver as tradições da

Seguindo as pistas os

Páscoa não podia faltar

exploradores atingiram

o “Folar”

o objectivo e foram premiados com uma

Receita do Folar da Páscoa

As comemorações da Primavera Numa

floreira

Existem muitas receitas para Folar, podemos dizer que as

semeámos

receitas de folar são tantas quantas as regiões do nosso país

sementes pequeninas. Regámos

ou até mais... Ainda assim deixamos uma sugestão.

e colocámos ao sol, a chamar a

Ingredientes: 100 g de açucar ; 1 c de chá de canela; 1c de

Primavera! destas

Esperamos

sementes

que

cresçam

café de erva-doce ; 1Kg de farinha; 30g de fermento de

as

padeiro ; 5dl de leite; 250gr de margarina; 3 ovos; Sal q.b

flores “Bons Dias” e “Cosmos”. Fizemos

pinturas

muito

engraçadas

Preparação: para

enfeitar o nosso ATL com os motivos da Primavera!!!

Dissolva o fermento num pouco de leite morno e, com 200g de farinha, faça uma massa, deixando-a depois a levedar. Entretanto trabalhe a restante farinha com os ovos, o açúcar

Jogo de Futebol – Benfica vs. Académica

e o leite até obter uma massa muito leve, bem enfolada, mas

No dia 11 de Abril, fomos assistir com os nossos

com bastante corpo. Junte depois a margarina, o sal, a erva-

Pais e amigos, ao jogo entre o Benfica e a

doce e a canela. Trabalhe bem a massa e junte-lhe depois o

Académica no Estádio do Sport Lisboa e

fermento que esteve a levedar, amassando até que se desprenda das mãos e do alguidar. Cubra com um pano e deixe levedar entre 2 a 5 horas em local aquecido. Divida a massa em bolas e achate-as, colocando sobre elas 1 ou mais ovos cozidos (conforme o tamanho da bola), segurando -os com duas tiras de massa. Pincele com gema de ovo e coza em forno quente.

Visite‐nos: http://apeeam.home.sapo.pt O Pequeno Moinho                                             19 


“Uma Escola para todos...todos por uma escola”                                                                                           Pilhas de Livros 2009 Recicla pilhas com toda a tua energia e ajuda a Biblioteca ganhar livros!

Entrega as pilhas na escola até 29 de Maio, para participarmos em mais um concurso Pilhas de Livros. Vamos encher os Pilhões! Em 2008 fomos uma das escolas vencedoras e recebemos livros no valor de mil euros para a nossa Biblioteca.

Semana da Leitura 2009 No âmbito da Semana da Leitura 2009, realizaram -se actividades que envolveram todas as turmas da EB1/JI do Alto do Moinho. Os pais e outros familiares foram convidados a participar apresentando um livro, contando uma história, lendo a par com o aluno, ou dinamizando outra actividade decorrente do livro e da leitura. Houve muitas histórias, poesia, dramatizações, música, ...e muita animação. Tivemos Leitura em vários sotaques – em galego, em castelhano e em crioulo.

II Olimpíadas da Leitura - 2009 No próximo mês de Maio realizar-se-á mais uma iniciativa promovida pelas bibliotecas escolares do Agrupamento Vertical de Escolas Vale de Milhaços, as II Olimpíadas da Leitura LISTA DE LIVROS SELECCIONADOS 1º ciclo – 2º ano

O escritor/ilustrador Pedro Leitão veio até à BE para duas sessões com as crianças do Jardim de

O Sapo e o estranho – Max Velthuijs O Sapo Apaixonado – Max Velthuijs O castelo do queijo – Mª Isabel Mendonça S. O Pequeno carro vermelho - Nicole Baxter, O sonho de Mariana – António Mota

Infância e os alunos do 1º ano. Foi muito interessante, pelo facto de ser um bom contador de histórias e ter despertado o entusiasmo dos alunos ao desenhar e ao autografar os livros de forma personalizada. Toda a comunidade

A escritora Margarida Fonseca Santos veio à nossa escola. Muito obrigada pela sua presença. Muito obrigada pela sua simpatia. Muito obrigada pela sua boa disposição que tanto nos fez rir.

4º ano

educativa está consciente da importância que tem o envolvimento e participação das famílias nesta iniciativa e do quanto ela pode significar para o desenvolvimento da literacia e do gosto pela leitura e pela escrita nos nossos alunos.

Visita o blogue da Biblioteca Escolar em : http://www.moinhoteca.blogspot.com

O Pequeno Moinho                                             

"O Pequeno Moinho"  

Chegou a 2ª edição do Jornal Escolar

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you