Issuu on Google+

Jornal Laboratório do curso de Jornalismo - Centro Universitário Módulo

Ano 6 - edição 20 | Primeiro Semestre 2015 www.modulo.edu.br/antenado

NESTA EDIÇÃO DTPK CREW A explosão do Hip Hop de Ubatuba

3

a

r e l a g a o d n a Conect

SAIBA COMO GANHAR DINHEIRO

4

OS MALEFÍCIOS DAS DROGAS

5

APROVEITE AS FÉRIAS COM AS NOSSAS DICAS

6


Edição especial para os jovens do Litoral Norte Aí, galera!

O Editorial é o lugar onde são expressas as opiniões das pessoas que fazem parte do jornal: seus proprietários, funcionários e leitores. No Antenado, os funcionários são os alunos e professores do Curso de Jornalismo do Módulo, principalmente os alunos do quinto semestre. Antes de começarmos as reportagens deste ano, trabalhamos num “repensar” sobre o próprio jornal, que já existia, mas a turma queria dar uma “repaginada”, um “up”. Foi quando decidimos que por uma edição voltada para os jovens do Litoral Norte de SP! Há quem acredite que “jovens não lêem jornal porque não gostam de ler nada”. Precisávamos superar esta questão. Foi quando percebemos um ponto grandioso: dizer que “jovem não lê” é um preconceito encobrindo

O Antenado é um Jornal Laboratório produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Módulo

Coordenador do Curso: Prof. Dr. Gerson Moreira Lima Professor Orientador: Prof. Ms. Pedro Chaltein- (Jornalista Responsável: MTB 13223/MG ) Repórteres: Alexander César, Ana Souza, Bárbara Mello, Dayana Lima, Eder Maciel, Elisa Santos, Ingrid Adolpho, Juliane Zapparoli, Karol Cândido, Lucas Fernandes, Marina Lara, Natália Narticola, Rafael Franco, Rebeca Ingride, Thalita Rocha, Wagner Bastos. Foto Capa: Marina Lara Modelo Capa: Bárbara Mello Projeto Gráfico: Prof. Ms. Paulo Rogério de Arruda - MTB 36577 Diagramação: Marina Lara e Lucas Fernandes Tiragem: 6 mil exemplares (Gráfica Lance!) Distribuição: Escolas do Ensino Médio de Caraguatatuba, São Sebastião, Ilhabela e Ubatuba. CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO – CAMPUS MARTIM DE SÁ Av. Mal. Castelo Branco, s/nº CEP 11.662-700 Caraguatatuba/SP. Tel. (12) 3897-2008 www.modulo.edu.br/antenado / jornalantenado@modulo.edu.br

2

| Primeiro Semestre

a realidade de que muitos jovens lêem e são politizados sim. A intenção aqui não é encerrar essa discussão, afinal, nem tocá-la. Nossa intenção é produzir uma edição de leitura agradável dentro dos pressupostos jornalísticos: informar para esclarecer, para cutucar o cérebro daqueles que querem um bom conteúdo. É papel do jornalista, mais do que agradar a sua audiência, provocá-la; fazer com que o leitor deixe a preguiça e devore as informações que seguem, nem que seja para dizer: “pô, esses jornalistas estão errados!” Entrevistando os jornalistas Para compartilhar com os leitores um pouco do que foi a produção desta edição do Antenado, entrevistamos os jornalistas que o fizeram e destacamos abaixo algumas respostas: Antenado: O quê foi um “pé-no-saco”

para fazer as matérias? Jornalistas: A correria do dia-a-dia. A falta de tempo e a demora das fontes para atender a reportagem. Não poder ter convivido um momento maior com a fonte para fazer algo mais intimista, literário, pois o tema merecia. A: Qual a maior satisfação/alegria “correndo atrás das informações”? J: Sentir o interesse das fontes em colaborar. Ver uma pauta “nascer” e se transformar numa matéria. Ter a impressão de que o texto final ficou de acordo com o planejamento. A: Você, repórter, acha que vai conseguir surpreender o leitor com sua matéria? J: Esperamos que sim. A intenção é oferecer uma informação de forma mais parecida possível com a realidade. Há textos escritos num tom de

A inclusão nas escolas chegou para ficar

conversa fiada, informação, serviço e formação sutil, sem subestimar o leitor. A: Por que os jovens devem ler este Antenado? J: Porque são assuntos muito presentes no dia-a-dia. A informação que há numa matéria de jornal pode ser a chave para transofrmar o sonho em algo realizável. Algumas das matérias aqui proporcionam diversão e aprendizado ao mesmo tempo. Para apreciar o trabalho de um grupo de música regional, ou a trajetória de sucesso de um grupo de dança, ou descobrir como conseguir financiamento para suas ideias, ou se inspirar no judoca local que virou cinema, ou encontrar rolês, filmes e vídeos online que podem transformar sua vida ou, simplesmente, alegrar seu dia.

da e Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação de Ubatuba. A Coordenadora de Formação Continuada e Educação Especial de Ubatuba, Beatriz Campos Villaça, explica que esse departamento foi inspirado no sistema da SEPEDI, de Caraguatatuba, com o objetivo de dar suporte aos professores e alunos neste processo de inclusão nas escolas. “A fase do impacto, da rejeição, já passou. Porém, as dificuldades continuam porque é preciso qualificar os profissionais” – afirma. Beatriz destaca que a rede de Ubatuba conta com uma equipe de especialistas que apoiam as escolas: “temos psicólogo, fonoaudiólogo e psicopedagogo. O professor tem sempre o respaldo de uma pessoa para assessorá-lo.” O programa de formação continuada desse Beatriz Campos Villaça e seus alunos: o profissional precisa se qualificar município realiza cursos de Libras, ‘Ensinar na Adversidade’ (que prepara os professores para reconhecer a difielas devem ter acesso ao ensino funLucas Fernandes culdade dos alunos damental inclusivo, e adaptar os curríde qualidade e graas pessoas não podem ser culos), ‘Justiça ResA inclusão de pessoas com deficituito, em igualdade excluídas do sistema taurativa’ (metodoência ainda é um desafio nas escolas, de condições com mas aos poucos os tabus vêm sendo todos da comuni- educacional sob alegação de logia para lidar com os conflitos dentro desconstruídos. Em 2006, a ONU dade em que vivem. sua limitação das escolas, focanfirmou um acordo na reunião sobre Esse é o desafio da do na responsabilização das pessoas Direitos das Pessoas com Deficiência: Secretaria Municipal dos Direitos da ao invés de puni-las) e a supervisão afirmou-se que as pessoas não poPessoa com Deficiência e do Idoso técnica para adaptação curricular dos dem ser excluídas do sistema educa(SEPEDI) de Caraguatatuba e do Dealunos com necessidades especiais. cional sob alegação de sua limitação, partamento de Formação Continua-


DTPK CREW A explosão do Hip Hop de Ubatuba Mais de mil cópias vendidas em um mês. Grupo de MC´s de Ubatuba promete fazer barulho com conteúdo consciente

Rafael Franco e Wagner Bastos Em 2015, o DTPK-Crew está divulgando seu segundo álbum: “Cada Lugar Tem Sua Lei”. São 15 faixas e ultrapassaram as mil cópias vendidas em pouco mais de um mês do lançamento. O grupo de MC´s canta em suas letras uma visão crítica e contestadora da sociedade. Eles falam da beleza, mas não têm medo de soltar o verbo para denunciar os problemas de onde moram. Em 2009, cerca de 120 jovens se reuniram para reivindicar melhorias para o lado menos favorecido do bairro. Nasceu o grupo “Do Terminal Pra Cá”: DTPK. Atuando juntos em seus projetos sociais, os MC´s resolveram criar um grupo de rap: o DTPK Crew. A formação atual é composta por Jonathan "Lorens" (MC/Beatmaker), Flamarion (MC), Juliano de Souza "Confector" (MC), Jader Thiago "Tagarela" (MC/Beatmaker), Evandro W. dos Santos Silva (MC/ Multi-instrumentista), Miriam Queila Ramos Guimarães (MC) e Thiago Augusto "Ninho"(DJ). O álbum “Cada Um tem Seu Lugar”, lançado em 2012, marca o início da profissionalização do grupo. Vendeu cerca de duas mil cópias. O segundo álbum foi gravado em vários estúdios e masterizado no Pura Rua, em São José dos Campos. Sem patrocínio, produzidos de forma independente (com o apoio da comunidade e a receita de shows), o álbum custa para o consumidor apenas dois reais. Os videoclipes oficiais foram produzidos por Jean Furquim. Um deles, chamado “Onde você passa as férias”, explodiu nas redes sociais nos últimos meses. ENTREVISTA No fim de um ensaio, a banda atendeu a reportagem do Antenado. Em sintonia, os integrantes se reuniram para elaborar respostas coletivas: Antenado: Existem parcerias com outros artistas de estilos musicais diferentes? DTPK-Crew: Essa é uma das principais características do DTPK Crew desde o início. Sempre fizemos parcerias com diversos músicos dos mais variados gêneros como samba, rock, reggae, MPB, gospel, música clássica etc. Atualmente desenvolvemos o projeto “Sincronia Suspeita”, quando o DTPK-Crew passou a ser composto por um DJ, guitarras (solo e base), contra baixo, bateria e violão, proporcionando uma nova roupagem ao show e nas músicas já existentes, além de outras músicas exclusivas do projeto. Antenado: Como é feito a divulgação do trabalho de vocês pela Internet? DTPK-Crew: A divulgação é feita através de redes sociais. Antenado: Fale sobre os shows que a banda já fez? DTPK-Crew: A gente se apresentou em diversas cidades do Estado de São Paulo, em especial Litoral Norte, Vale do Paraíba e Grande São Paulo em casas de show, festas privadas, festivais, eventos sociais e eventos abertos ao público em geral. Uma coisa que sempre nos surpreende é que, além da aceitação do público do rap em si, conseguimos atingir diversas pessoas de todas as idades que muitas vezes não são fãs de rap, mas acabam se identificando com nossa música.

www.youtube.com/user/dtpkcrew

www.facebook.com/dtpkoficial

http://www.panduvie.com/dtpkcrew

https://twitter.com/doterminalpraka

GRUPO DE DANÇA DE RUA RT

15 Anos de vitória Alexander César

Já participaram do programa “Se Ela Dança, Eu Danço” no SBT. Já ficaram entre os finalistas de um festival internacional de hip-hop. Viajaram para Campos do Jordão, São José dos Campos, Jacareí, Mogi das Cruzes, Osasco e outras cidades. Fazem da dança de rua um estilo de vida. Eles e elas formam um dos grupos mais tradicionais de dança do Litoral Norte de São Paulo: o RT. Passo a passo, marcação, contagem de oito e muito suor fazem parte da rotina dessa galerinha. Comandados pela dançarina e coreógrafa Rogéria Thomé, o grupo de dança já tem 15 anos de muita música, coreografias e vitórias. Em 2000, participaram da sua primeira competição: o Festival Dança Verão, no Teatro Municipal de São Sebastião. Já conseguiram o segundo lugar. Com o início do Programa Social Família na Escola, Rogéria Thomé passou a apresentar seu projeto nas escolas de Caraguá e começou a dar aulas no Centro Comunitário do Poiares e na Fundacc, em 2004. Os alunos que se destacam nos treinamentos são convidados para entrar no grupo RT. Hoje, o grupo está com 28 integrantes de 10 a 22 anos. Ensaiam três vezes por semana.

DESCENDENTES DE RUA MAIS DE 500 ALUNOS, PRÊMIO E VIDAS TRANSFORMADAS

Juliane Zaparolli O grupo de dança Descendentes de Rua (DR) completa 13 anos em 2015. Já passaram pelo grupo mais de 500 alunos. Ganhou 45 primeiros lugares, 27 segundos e 23 terceiras colocações. Em 2012, o grupo participou do programa “Astros”, do SBT. Em 2014, o grupo participou de um festival de hip hop em Las Vegas, Estados Unidos, representando o Brasil. A dançarina Isis Raniely Reis S. da Silva conta que está no grupo desde 2007. “Quando assisti pela primeira vez o DR, fiquei encantada. A partir daquele momento, tracei como meta me dedicar para conseguir fazer parte daquele trabalho” – lembra. “Aprendi com o DR que ninguém é melhor que ninguém, sempre precisamos nos dedicar, tentar dar o nosso máximo, o nosso melhor. E se, mesmo assim, no final de todo esforço, você não tiver a vitória, isso não é o fim, pelo contrário, serve como ensinamento. Daquela situação, você amadurece, muda e procura melhorar” – destaca. “Já dançava há muitos anos e nunca tive a pretensão de dar aula. Um dia, reuni alguns amigos dançarinos e montei uma coreografia. Todos gostaram. Fomos marcando ensaios, fazendo cursos e assim surgiu o grupo Descendentes de Rua” – conta Junior Rocha, coreógrafo e idealizador do grupo. O objetivo do grupo é, através da dança, contribuir na formação de um cidadão de bem.

3


Tem uma ideia? Saiba como conseguir o dinheiro Dayana Lima Crowdfunding é uma forma de arrecadar capital para iniciativas de interesse coletivo. É uma espécie de “vaquinha” na internet para ajudar os projetos de artistas, pequenos negócios, campanhas políticas, filantropia, socorro a regiões atingidas por desastres, entre outros. Cada projeto tem um prazo fixo para atingir a sua meta financeira. Se a quantia for alcançada nesse período, o criador recebe os recursos arrecadados para executá-lo e entregar as recompensas. Caso contrário, os apoiadores recebem o seu dinheiro de volta. Entre as plataformas de crowdfunding no Brasil, destacam-se o Startando (startando. com) e o Benfeitoria (benfeitoria.com) O objetivo do Startando é criar uma comunidade capaz de dar vida a boas ideias. Você encontra vários tipos de projetos criativos – aplicativos, games, objetos de design, filmes, livros, documentários, quadrinhos, espetáculos etc. Já o Benfeitoria apresenta-se como um negócio social que desenvolve conteúdos e ferramentas para fomentar uma cultura mais humanitária, colaborativa e realizadora no Brasil. No Litoral Norte Como exemplos de projetos bem sucedidos com crowdfunding no Litoral norte, podemos citar: o “MIT – Mostra Independente de Teatro Valter Padgurschi” e o “Bicho é Terapia – INATAA”. A Mostra Independente de Teatro "Valter Padgurschi" é um projeto cultural elaborado e executado pela Associação Popatapataio de Arte e Cultura. Teve sua primeira edição em 2012, quando reuniu na Praça do Caiçara, em Caraguatatuba, 15 grupos teatrais de diferentes regiões do Estado de São Paulo, no total de 120 artistas. Já o “Bicho é Terapia” nasceu para promover a terapia assistida por animais através das camisetas criadas por quatro artistas. Se você tem uma boa idéia na cabeça e precisa de apoio financeiro, crowdfunding pode ser uma solução.

O universo da música clássica se abre para os jovens Rebeca Ingrid Nem só de surf e praia vive o jovem no Litoral Norte de São Paulo. Em São Sebastião, a Orquestra Jovem de Cordas desenvolve a musicalidade nos jovens que tenham interesse em aprender e fazer parte desse cenário instrumental. A aula é dividida em parte teórica e prática e serve para compreen-

4

| Primeiro Semestre

der o que é uma orquestra e cada detalhe do instrumento escolhido: violino, viola, violoncelo ou contrabaixo. O regente Raphael Tavares, 26, estuda música desde os quatro anos de idade. Sob seu comando, a orquestra jovem é composta por 24 alunos da rede pública de ensino, com idades entre 13 e 16 anos. Para escolherem estes alunos, foi realizado um processo seletivo com 250 jovens. O professor comenta que a maioria dos alunos teve pela primeira vez contato com a música e hoje conversam com convicção sobre o tema. “Os alunos são dedicados e dificilmente faltam.” – destacou. O gosto pela música também conquis-

tou a jovem Raquel Angulo, 15 anos. Raquel nasceu em uma família de músicos. Seu pai, Marcio Ângulo, toca violão, guitarra e contrabaixo. Com essa influência, aos nove anos, aprendeu violão e, aos 13, iniciou aula de teoria musical e guitarra. Agora, a jovem faz parte da orquestra tocando violoncelo. “A música sempre esteve presente em mim, não consigo pensar no meu futuro sem ter contato ou sentir a música dentro de mim” – declarou. A Orquestra Jovem de Cordas conta com apoio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, da Fundação Cultural e Educacional Deodato Santana e da Petrobrás.

Skatistas buscam melhorias para o esporte em Ubatuba Eder Maciel Enquanto alguns surfam na praia, outros surfam no asfalto. A AUSK (Associação Ubatuba de Skate) foi formada em 2013 por um grupo de amigos: Angela Mendonça, Daniel Farias, Eric de Oliveira, Guilherme Willian e Elton Herrerias Junior, com a intenção de incentivar, melhorar e apoiar o esporte. De acordo com o presidente da associação, Elton Herrerias Junior, 2015 vai ser um ano agitado porque pretendem reformar locais aptos à prática do skate, entre eles, a pista pública. O grupo também apoia o projeto Skate Sim (Skate para Todos). O projeto tem como finalidade levar o esporte para o alcance de todos, oferecendo oficinas de skate na pista pública de Ubatuba e em outros locais. Outro projeto em pauta é a terceira edição do Circuito Municipal AUSK. Trata-se de um campeonato de skate, que ocorre em Ubatuba e que conta com a presença de skatistas de todas as cidades do litoral norte. Nessa edição, o torneio terá três etapas: a primeira será no mês de junho que acontecerá junto com o Festival Especial Solstício de Inverno, a segunda será realizada em setembro no Especial Dia Municipal do Skate e a última etapa será em dezembro, no Festival Especial Solstício de Verão. A associação pretende expandir o trabalho para as outras cidades do Litoral Norte Paulista.


Drogas Prazer e vício, o mecanismo que leva a dependência química --> Prazer, vício, danos e medicina

--> Saiba como o corpo humano reage ao uso do álcool e da maconha. --> Entenda como funcionam os mecanismos que levam a uma situação de dependência química. Ana Souza

Álcool

O álcool é uma das substâncias psicoativas mais precocemente consumida pelos jovens, de acordo com um artigo produzido pelo Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas da UFRGS. Quando consumida de forma moderada, a bebida provoca sensação de bem-estar, relaxamento e desinibição. Estudos de um grupo de pesquisadores americanos apontam que pequenas doses de álcool podem até ajudar na prevenção do Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas. Porém, o uso contínuo de bebidas alcoólicas durante o período de crescimento expõe o usuário a um maior risco de dependência química

na idade adulta e atrapalha o seu desenvolvimento. As mudanças ocorridas nessa fase se tornam irreversíveis. Também podem surgir danos cerebrais, como perda de memória, modificações no sistema límbico e no córtex pré-frontal. O consumo diário de drogas causa danos que podem ser transitórios ou definitivos, principalmente quando seu uso tem início na infância ou na adolescência, como crises de pânico, agressividade, insegurança, surtos psicóticos e atrofia cerebral.

Maconha

O THC – principal componente ativo da maconha – se liga aos receptores do neurônio opiódes, localizados no Sistema de Recompensa Cerebral. Durante essa ligação, há uma maior liberação de dopamina, que é a responsável pelo efeito de euforia e prazer, de acordo com o professor

da Unifesp, Claudio Jerônimo da Silva. A maconha possui grande afinidade com os tecidos gordurosos e sendo o tecido cerebral rico nessas substâncias, ele se torna foco de impregnação. Esse processo interfere diretamente na capacidade de aprendizagem, na memória e no desempenho intelectual, segundo o pediatra Pedro Noberto dos Santos. Pesquisas mostram que os efeitos da maconha podem ser utilizados medicinalmente, mas pesquisadores da Universidade do Sul da Flórida explicam que a dose de maconha utilizada para fins medicinais é mais baixa do que a de um baseado. A maconha contém, em média, 400 substâncias em sua fumaça. Os danos se estendem para o sistema nervoso, órgãos reprodutores, glândulas e ao sistema imunológico. Seus efeitos podem permanecer no organismo por até dois meses.

Como lidar com o bullying na escola? Ingrid Adolpho A palavra bullying significa usar o poder ou a força para intimidar, excluir, humilhar, não dar atenção e perseguir, costuma mostrar uma clara diferença entre o mais forte e o mais fraco. Apesar do grande medo que crianças possuem, a psicóloga e neurop-

sicóloga Edivirgem Cristina da Silva orienta às vítimas a não revidarem pois tal atitude aguçaria ainda mais o agressor - e contarem primeiramente aos seus responsáveis. Pessoas que sofrem com isso durante a infância podem crescer com sentimento de inferioridade, baixa-estima e futuramente se tornar um adulto com dificuldade de relacionamentos, além de assumir comportamentos agressivos, o que pode ocasionar casos extremos, como o suicídio – explicou Edivirgem. “Do dia pra noite, meu filho não queria mais frequentar a escola e quando eu o obrigava a ir, ele urinava na roupa para ser mandado de volta para casa”, contou a vendedora B.M, mãe de O.F.L, de 7 anos. Após perceber a falta de vontade de ir a escola de seu filho, foi atrás de respostas e descobriu que ele sofria retaliações de um outro aluno, que o chamava de “gay”. Segundo a mãe, logo que percebeu que seu filho estava diferente, resolveu procurar a direção, para saber

o que estava acontecendo. Após uma investigação, o aluno agressor foi chamado juntamente com a vitima para que tudo fosse esclarecido. “Depois do bullying, meu filho desenvolveu a psoríase de contato, déficit de atenção e já não progredia mais na escola. Após muitas reuniões com a psicóloga e com a direção da escola, decidiram fazer uma avaliação para que o outro aluno fosse transferido de período”, concluiu. Renata Montenegro, 30, conta que sofreu bullying na infância por ser deficiente auditiva, pelo tipo de seu cabelo e por, naquela época, ter piolhos. “Certa vez, algumas crianças combinaram de se comunicar apenas movimentando a boca para que eu ficasse confusa. Eu dizia que não conseguia entender, então, eles caíam na risada e depois falavam, em alto e bom tom: viu, ela é mesmo surda” – lembra. Tanto para crianças, como para

adolescentes e adultos, é necessário ressaltar a importância de se buscar um acompanhamento psicoterapêutico, para que seja trabalhada a estruturação, fortalecimento da personalidade, auto-estima, auto-confiança e segurança. Com este acompanhamento, é possível enfrentar as oscilações e ocorrências do dia-a-dia.

5


Rolês no litoral

São Sebastião: A praia mais badalada

Diversão é sempre bem-vinda e nada melhor do que preencher o tempo livre com lugares bacanas e cultura. Em meio a tantas possibilidades, às vezes não sabemos para onde ir e como curtir. Por isso, nessa edição do Antenado, preparamos um roteiro que irá te levar a lugares super legais do Litoral Norte de São Paulo. Vem com a gente!

Karol Cândido Ubatuba: Sorvete delicioso, barzinho boa onda e Festival Cultura Surf

Para começar super bem, que tal um pit-stop na Sorveteria Pistache? Ela é considerada uma das melhores do litoral, afinal, o fato de fabricar o próprio sorvete faz merecer a fama. Ana Maria Kashiura de 23 anos, moradora da cidade, contou para nós o seu sabor favorito: “O sorvete de diamante negro tem pedaços de chocolate crocante e o sorvete de iogurte com amarena também é demais”, diz.  Já se refrescaram? Então partiu para uma praia que é a cara de Ubatuba. A praia da Itamambuca é o point dos surfistas e do pessoal que ama o esporte. É ótimo para quem deseja curtir uma vibe boa durante o dia e claro, ver os surfistas arrasarem nas ondas. Para fechar o dia, vamos esticar o passeio para o bar Quebra-Mar, um dos melhores lugares para ir com os amigos tomar uma cerveja. Sempre com um clima ótimo e a bebida bem gelada, ainda é barato e sempre tem música ao vivo. «O bar do quebra é onde a galera marca de se encontrar. É um lugar onde sempre tem gente, onde o pessoal se encontra antes de qualquer rolê. Eu adoro», contou para nós Melissa Matsuoka, de 20 anos, que sempre está por lá. Para quem ainda quer acabar a noite em uma balada, perto dali está o Jardim Cultural. O lugar possui um conceito diferente, que reúne ótimos shows, arte e boa gastronomia. “É bem legal lá, bem descolado. A vibe é muito boa”, fala William Aurafi, de 23 anos, para o Antenado.

6

| Primeiro Semestre

Caraguá: Praia linda, som bacana e cultura A cidade de Caraguatatuba pode nos surpreender trazendo bons passeios. Então, que tal começarmos o dia pegando uma praia? O destino é a da Tabatinga que, sem dúvida, é a mais bonita da cidade.  Taissa Cardozo, de 24 anos, frequentadora assídua do local, nos indicou o Quiosque na Manha, um dos mais conhecidos e antigos da Tabatinga. Vale a pena conhecer e quem sabe beber um drink:  “A caipirinha de Saquê deles é ótima”, diz. Para os maiores de 18 anos fica a dica.   Depois, podemos emendar para o Bacharel Bar e curtir por lá. O barzinho é famoso por trazer shows sertanejos para as noites da cidade, principalmente às quintas. O lugar tem um visual bem bacana, vive cheio de jovens e conta com um ótimo atendimento.  «Dentre as opções de Caraguá, o bacharel é a melhor. Eu gosto muito do atendimento, estrutura e uma ótima comida”, conta Vinicius Dantas, de 26 anos.

«O forte do rolê em São Sebastião é de dia», diz Daniel Filgueiras, de 24 anos. Em nosso roteiro, não podia faltar uma praia, já que São Sebá como é carinhosamente chamada, possui as mais lindas da região e vale a pena conhecer cada uma delas. Hoje vamos para a praia de Maresias, cheia de gente bonita e considerada uma das mais badaladas do litoral.   Depois da praia, vamos para o Banana’s Beach Club, curtir a noite para os maiores de 18 anos. O local possui música boa e um visual deslumbrante ao amanhecer, dos complexos de ilhas. Não há nada melhor!    Agora pode curtir o litoral com muito estilo e diversão!

UBATUBA Sorveteria Pistache Av. Iperoig, 1 - Centro   Praia Itamambuca Rua 2    Quebra Mar Praça de Capricórnio, na praia do Cruzeiro. Próximo à pista de skate.   Jardim Cultural Rua Guarani, 345 - Centro De terça a sábado das 20h  às 3h (Portão fecha às 2h) Domingo das 17h às 23h (Portão fecha às 22h) CARAGUÁ Praia da Tabatinga Rodovia Rio Santos 18 Km do centro de Caraguatatuba, sentido Ubatuba.

Bacharel Bar Av. Doutor Paul Harris, 153 Centro. De quarta a sábado das 19h às 2h SÃO SEBASTIÃO Praia de Maresias Rua Francisco Loup Banana’s Beach Club Rod Rio-Santos Km 174,5


Conecte-se Marina Lara

Separamos três opções de vídeos no YouTube, com dicas práticas de entretenimento e culinária, e três filmes divertidos na Netflix, que flertam com o tema do poder absoluto de um Estado Totalitário

Conheça a Netflix

ENDER’S GAME

NERDOLOGIA

Empresa norte-americana que oferece serviço de TV, filmes e séries pela internet. Com R$17,90 ao mês, o assinante pode assistir, pausar e voltar, quando e onde quiser, em praticamente qualquer tela com conexão à Internet, sem comerciais.

Em um futuro próximo, extraterrestres hostis atacaram a Terra. Com muita dificuldade, o combate foi vencido, graças ao heroísmo do comandante Mazer Rackham. Desde então, o respeitado coronel Graff e as forças militares terrestres treinam as crianças mais talentosas do planeta, no intuito de prepará-las para um próximo ataque. Ender Wiggin, um garoto tímido e brilhante, é selecionado. Na Escola da Guerra, ele aprende rapidamente a controlar as técnicas de combate. Não demora para Graff considerá-lo a maior esperança das forças humanas. Falta apenas um treinamento com o grande Mazer Rackham e depois o garoto estará pronto para a batalha épica que decidirá o futuro da Terra. O enredo lembra a guerra que o Estados Unidos criou contra o Afeganistão como forma de “prevenção”. A vida de Ender se desenvolve toda ao redor do medo.

O Canal Nerdologia é produzido pelo Biólogo Atila Amaral, que sempre traz a tona assuntos diversos e interessantes de forma lúdica e dinâmica. Os assuntos variam desde motivos GEEK, como qual o Super-Herói mais forte, até temas mais profundos, como o vídeo Coxinhas x Petralhas – que explica de um forma simplificada as opiniões divergentes dos usuários das redes sociais a respeito de política. Para assistir: Coxinhas x Petralhas / A ciência de Jurassic Park

A LISTA DE SCHINDLER O filme é baseado em uma história real e conta a trajetória de Oskar Schindler, um empresário que chega à cidade da Cracóvia com a esperança de lucrar com a guerra. O filme tem como pano de fundo a Segunda Guerra Mundial e o ínicio do holocausto judeu. Para começar a montar sua empresa, Schindler contrata o contador judeu Itzhak Stern que aos poucos convence o empresário a ajudar os judeus. A maneira como Schindler ajuda os judeus sempre de forma criativa e indireta, sem perder a compostura necessária para sobreviver na sociedade nazista, é incrível. Durante todo filme, ele se mantém firme e engana os nazistas. No entanto, ao final do filme, quando percebe que ajudou mais de mil judeus e as vítimas o agradecem ele simplesmente desaba... você não vê o homem sempre bem vestido, mas sim um homem em prantos que acredita que poderia ou deveria ter salvado mais judeus, talvez todos. O filme é reproduzido em preto e branco, mas ao final, quando a guerra acaba, passa a ser colorido, como se as cores fossem devolvidas aos judeus. Um filme realmente incrível... que faz você aprender um pouco mais sobre a Segunda Guerra, a mente das pessoas e a vontade de ajudar o próximo em situações extremas.

JOGOS VORAZES Em uma nação pós-apocalíptica, a sociedade é dividida em 12 distritos. Anualmente, realizam um evento em que um casal de cada distrito é escolhido e todos lutam ferozmente até que somente um lutador sobreviva. Katniss Everden é uma das escolhidas (ou quase...). Acompanhe Katniss nesta luta para se manter viva. O filme é inspirado na trilogia de livros de mesmo nome. Esta história é uma ficção, mas o método de governar pelo medo contrariando a busca de cada um por uma vida melhor gerou uma trama bastante real.

ANA MARIA BROGUI Esse é o canal ideal para por o seu lado culinário em prática. Ele ensina a reproduzir as guloseimas mais famosas, seja um Ferrero Rocher gigante ou o famoso Big Mac... Nada melhor do que criar a sua comida preferida gastando menos e com o seu toque pessoal. Para assistir: Kit Kat Gigante / Cebola Australiana do Outback

MANUAL DO MUNDO Faça experimentos científicos, truques de mágica e até pegadinhas. É um ótimo canal, para aprender um pouco mais de química e física ou se divertir um pouco. Para assistir: Como enxergar a própria voz / Reação Química do Semáforo

História de judoca de Ubatuba vira cinema e oportunidade

Estrelado por Caio Castro, Sabrina Sato, Tato Gabus Mendes, Moacyr Franco e um elenco de atores renomados, o filme “A Grande Vitória” conta a história de um judoca de Ubatuba, Milton Max. Este papel marca também a estreia de Caio Castro no cinema. Caio interpreta Milton Max, um caiçara nascido e criado na cidade de Ubatuba. Abandonado pelo pai, o menino foi criado pela mãe e pelo avô, que morreu quando ele tinha 11 anos. Max passou a se envolver em diversas confusões. Ao aprender judô, conseguiu se estabelecer emocionalmente e construir uma carreira. Segundo o judoca, desde criança precisou lidar com problemas familiares e encontrou no esporte uma maneira de aliviar sua dor. “Com o judô, aprendi a ter mais disciplina”, conclui. Max escreveu o livro “Aprendiz de Samurai – uma história real”, onde conta sua história de superação. Com o sucesso do livro, pessoas ligadas ao cinema brasileiro se interessaram e resolveram transformá-lo em filme. Inspirado no sucesso de Max, a Prefeitura de Ubatuba criou, há pouco mais de um ano, o projeto com o mesmo nome “Aprendiz de Samurai”, que atende mais de 300 crianças em 11 escolas municipais, com o objetivo de oferecer a prática do judô no contra turno da escola.

7


tudo que vocÊ investe em você volta multiplicado.

UMA INSTITUIÇÃO

No Módulo toda sua dedicação dá resultado.

processo seletivo módulo 2016 Bacharelado • Administração • Arquitetura e urbanismo • Ciências Biológicas • Ciências contábeis • Direito • Educação física • Enfermagem • Engenharia civil • Engenharia de produção • Jornalismo

tecnológicoS • Análise e desenvolvimento de sistemas • Gestão de Recursos Humanos • Gestão hospitalar • Processos gerenciais • Logística

0800 721 5844 modulo.edu.br

licenciatura • Ciências biológicas • Educação física • Pedagogia

Consulte A lista atualizada de cursos e as opções de graduação semipresencial E a distância em nosso site.

Confira no site as opções de financiamento e bolsas de estudo.

Formar para transformar


Antenado