Page 1

32 em Movimento

Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 1

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

“Do culto da epopeia máxima surge das trincheiras do tempo o Jornal 32 em Movimento. Celebrando nossos mortos São Paulo estará mais vivo do que nunca.” Paulo Bomfim

Edição especial - Jubileu de Carvalho Uma edição que resume os principais acontecimentos do 1o semestre de 2012

Seja sócio da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC e pague suas trimestralidades sempre em dia. A perpertuação da memória de 32 depende de sua colaboração! Entre em contato e participe! As vantagens de ser sócio são: ser convidado para os principais eventos da Sociedade Paulista e conhecer os principais formadores de opiniões; ter acesso a história na fonte; visita agendada ao Obelisco; colaborar com o jornal; prestar homenagens a ex-combatentes; participar de um círculo que preserva e perpetua a memória paulista.


Editorial Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 2

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Capitão Gino Struffaldi, presidente de honra por Markus Runk

O eterno menino de 32, assim era chamado o capitão do Exércto Gino Struffaldi. Nasceu em 14 de Junho de 1914, na cidade de Santos, filho de Germano Struffaldi e Amélia Taliani. Muito cedo, com 18 meses de idade, foi com seus pais para a Itália, na região da Toscana, no pequeno paese chamado Gavinana – no alto da montanha pistoiese - cuja fundação remonta ao ano de 1100. Mas, para sua terra retornaria ainda várias vezes, inclusive para fazer o curso técnico quando adolescente. Com 18 anos entrou para o Exército Brasileiro, sentando praça no Forte de Itaipu, em São Vicente, onde teve oportunidade de se posicionar do lado de São Paulo na Revolução Constitucionalista. Dizia: “Eu não faço floreios a respeito da minha participação. Eu estava na ativa e o meu comando se solidarizou com a revolução e eu fui junto. Depois fui percebendo o movimento da população e me entusiasmei!”

Último ex-comba- MMDC tente a presidir a Sociedade de Veteranos de 32 – MMDC, quem teve o prazer de conhecê-lo sabe que só havia bondade e força de vontade no coração dele. Com um corpo e uma mente extremamente fortes e saudáveis foi um divisor de águas levantando a Sociedade Veteranos de 32 – MMDC. Participou orgulhosamente de todos os eventos durante seus 6 anos de presidência e sempre declamava um poema que amava: Os Jovens de 32 do príncipe dos poetas Paulo Bomfim. Não à toa, ele foi aclamado presidente de honra e teve como homenagem em vida a nomeação do núcleo Gino Struffaldi em 7 de julho passado.

Olho para trás e vejo que valeu a pena, disse uma vez o eterno menino de 32, que faleceu aos 97 anos e 9 meses no dia 15 de março de 2012 e que hoje olha por nós. Clique aqui e confira o vídeo da homenagem feita no Youtube ao Capitão Gino.

Os Jovens de 32 - Poema de Paulo Bomfim Onde estais com vossos ponchos, Os fuzis sem munição, Os capacetes de aço, Os trilhos do trem blindado, O lema de vossas vidas, A saga de vossos passos, Ó jovens de 32!

Em que ossário vossa audácia Fala aos que dormem por fuga, Em que campo vossa morte Clama aos que morrem em vida, Em que luta vosso luto Amortalha os tempos novos, Ó jovens de 32!

Globo

Voltai daquelas trincheiras, Voltai de vosso martírio, Voltai com vossos ideais, Voltai com o sangue que destes, Voltai com os brios de julho, Voltai ao chão ocupado, Voltai à causa esquecida, Voltai à terra traída, Voltai, apenas voltai, Ó jovens de 32! Struffaldi

Esta edição do 32 em Movimento trará em todas as páginas o símbolo do luto em respeito ao nosso querido Gino.

Struffaldi


Editorial Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 3

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Com a palavra, o presidente por Cel. PM Mário Fonseca Ventura

O último dia 15 de abril marcou um mês do afastamento do GINO do nosso convívio. Parece que ele ainda está conosco, sempre contente por poder participar dos nossos eventos. A Sociedade Veteranos de 32-MMDC fazia parte da sua vida e ele estava nos nossos corações diariamente. Quiz o Senhor dos Destinos transferi-lo para o Regimento do Céu e com isso perdemos o velho guerreiro. Na verdade não podemos dizer que o perdemos, pois acredito que vez ou outra ele vem nos visitar. Nas solenidades no Monumento Mausoléu podemos sentir a sua presença espiritual. E assim continuará por muitos e muitos anos.

Todo o nosso esforço em bem conduzir a Sociedade nesse Jubileu de Carvalho do Movimento Constitucionalista estamos dedicando a ele. Queremos eternizá-lo na Sociedade e isso o faremos com a criação de uma honraria que levará seu nome. É idéia brilhante do CAPITÃO PM EDSON, uma das mais significativas dos 80 Anos da Revolução de 32. Criamos a Comissão de Expansão e Desenvolvimento com a finalidade de dar uma amplitude bem mais palpável para o MMDC. Do próximo dia 21 deveremos empossar o Presidente da Comissão dos Familiares dos Heróis de 32. Nessa época de transição, quan-

do apenas temos 43 veteranos vivos é essencial para o destino da instituição que os descendentes dos “meninos de 32” passem a ter uma presença mais rotineira na Sociedade. Deles dependerão o futuro do MMDC e temos certeza que assim será, de maneira normal, sem atropelos, mas com sabedoria pelo Presidente da COFAM. Finalizando, nossos cumprimentos aos senhores diretores da executiva, aos senhores conselheiros do Deliberativo e do Fiscal. Todos trabalham para um ideal só: a divulgação do Movimento Constitucionalista e dos principios sadios que nos deixaram os heróis de 32.

Com a palavra, a presidente da Cofam dos Heróis de 32 por Camila Giudice

Convidamos a todos os familiares dos Heróis de 32, amigos e colaboradores da Sociedade, para participar do Desfile de 9 de Julho, juntamente com a COFAM Comissão dos Familiares dos Heróis de 32.

Índice

Editorial Convites MMDC Acontece Memorial Núcleos de Correspondências

Pedimos a quem participar que leve os seguintes itens ao desfile: •

3 ou 4 unidades de flores BRANCAS de cabo longo, exemplo rosa, margarida, gérbera, cravo. Foto de qualquer tamanho do Herói de 32 que tiver na família, pode ser em quadro, porta retrato, impressa.

Assim, quando estivermos no desfile, em frente ao palanque, no comando de

1 4 8 12 17

Paixão Paulista Personagens PM em Destaque Reserva Cultural Leitura

“apresentar armas”, apresentaremos as fotos e flores ao público. É uma maneira de celebrar nossos Heróis e representá-los com essa singela homenagem. As flores serão depositadas após o desfile no Obelisco. Para mais informações sobre o local de encontro, entre em contato com a Sociedade Veteranos de 32 - MMDC pelo e-mail: mmdc.32@terra.com.br ou telefone: 11 3105-8541.

21 24 27 29 31


Celebrem conosco as festividades alusivas aos 80 anos da Revolução Constitucionalista de 1932

A sua presença é fundamental! Venha manter a história viva, a memória dos heróis e seus ideais defendidos! Com muita harmonia e paz nos corações. Vibrem com a paixão paulista! *Logo comemorativo dos 80 anos da Revolução Consitucionalista de 32 criado por Rafael Senise e Virginia Machado. A Sociedade Veteranos de 32 - MMDC agradece muito a colaboração. Todos os direitos reservados!


Próxima reunião da Cofam

58 anos do MMDC

Dia 21 de julho, as 15 horas no Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, na rua Benjamin Constant, 158, Centro - São Paulo/SP.

No dia 7 de julho, as 15 horas convidamos todos para participar da comemoração do aniversário dos 58 anos da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC.

Na ocasião também comemoraremos os 80 anos da Revolução de 32.

Será na própria sede, localizada na Rua Anita Garibaldi, 25, Centro - São Paulo /SP

www.ihgsp.org.br

Movimento constitucionalista é tema de exposição no CMU O Centro de Memória-Unicamp (CMU) realiza no período de 25 de junho a 31 de agosto a exposição “Memória do Movimento Constitucionalista de 1932”. Com curadoria da historiadora Ilka Stern Cohen, serão apresentados documentos de divulgação do Movimento, botons, flâmulas, livros, granadas, facas, punhais e capacete usados em combate, entre outros objetos. Também integram a mostra exemplares do Suplemento em Rotogravura do jornal O Estado de S. Paulo. A exposição, instalada no setor de Arquivos Históricos do CMU (em frente ao saguão do Ciclo Básico I) pode ser visitada de segunda-feira a sexta-feira, das 9 horas às 17 horas.

Missa em Homenagem Missa em homenagem aos 80 anos da Revolução Constitucionalista de 32, no circulo militar, as 10 horas do dia 8 de julho.

Combatentes estarão na festa alusiva em Piracicaba Piracicaba prepara a festa alusiva à Revolução Constitucionalista de 1932. No feriado estadual da próxima segunda-feira (9), a solenidade acontecerá na praça José Bonifácio, a partir das 9 horas, em frente ao Monumento dos Revolucionários. Luiz Avelino Bortolan, Romeu Gomes de Oliveira e Scar Antonio Bressan, todos às vésperas de uma vida centenária, confirmaram presença.


Mostra “os Revolucionários” Com o objetivo de evidenciar os 80 anos da Revolução Constitucionalista de 1932, a Secretaria Municipal da Ação Cultural, por meio do Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, em parceria com o Núcleo M.M.D.C de Piracicaba e o CEDHU (Centro Nacional de Documentação, Pesquisa e Divulgação do Humor Gráfico de Piracicaba) A mostra estará composta por materiais utilizados em 1932 durante o confronto bélico entre paulistas e as forças do governo Getúlio Vargas. Os itens integram o acervo do Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes SERVIÇO Local: Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes. Horário: de terça a domingo, inclusive feriados, das 9h às 17h. Visitação: até 22 de julho de 2012 Informações: (19)3422-3069 / 3432-2148. Entrada gratuita


MMDC Acontece Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 8

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Sociedade homenageia colaboradores e empossa nova presidente da Cofam dos Heróis de 32 por Semanário da Zona Norte

Na tarde de 21 de abril, sábado, no Obelisco do Ibirapuera, a Sociedade Veteranos de 32 - MMDC realizou solenidade alusiva aos aniversariantes do mês da Comissão de Familiares dos Heróis de 32 (Cofam), oportunidade na qual amigos e colaboradores da entidade foram outorgados com as Medalhas MMDC, Constitucionalista e Governador Pedro de Toledo. A cerimônia foi aberta com a posse da presidente da Cofam, Camila Giudice. Entre os homenageados com a Medalha MMDC estava Sidnei Gonçalves Spedo, colaborador do Jornal Semanário da Zona Norte.

grande e isso está demorando a acontecer devido a alguns processos judiciais movidos por pessoas mal intencionadas, que querem apenas ganhar dinheiro e tirar proveito próprio. Isso causa esta demora no trabalho do restauro, o que é realmente lamentável. Outro problema que deve ser registrado é a miséria que ganham as viúvas dos heróis de 32, uma pensão de apenas cerca de 400 reais. São mulheres com mais de 90 anos de idade este valor não paga nem Semanário da Zona Norte

Importância O cel. PM res. Mario Fonseca Ventura, presidente da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC lembrou a importância da Cofam. “Estamos em um período de transição porque dos 130 mil heróis de 32 temos somente 43 vivos e os seus familiares estão tomando uma posição que representa o próprio futuro da sociedade, já que elegemos hoje a presidente desta comissão, Camila Giudice, o que representa que estamos preparando o futuro da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, que vem passando por uma descentralização muito grande, já que hoje há núcleos em cidades como São João da Boa Vista, Itapira, Itapetininga, Piracicaba e até mesmo no exterior. Para isso, fazemos um esforço, fruto de uma grande trabalho, mas somos recompensados por sabemros que a entidade está seguindo um caminho muito bom.” Necessidades Ele destacou que algumas necessidades se fazem urgente para o trabalho da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC: “precisamos destacar que o Obelisco do Ibirapuera necessita de uma reforma, pois tem uma infiltração de água muito

Camila Giudice da Cofam dos Heróis de 32 e Sidnei Gonçalves Spedo do Semanário da Zona Norte

os remédios que elas necessitam. O governo deveria ajustar esta pensão pelo menos para um salário mínimo ou um pouco mais, pois elas merecem, já que nossos heróis deveriam ser mais respeitados. Infelizmente, esta situação revela que o Movimento Constitucionalista está sendo deixado de lado por muitos, que não cultuam os ideais de 32 e uma nação sem memória certamente tem o seu futuro comprometido.” Mérito O cel. PM res. Mario Fonseca Ventura lembra o mérito dos homenageados daquela oportunidade. “Mas hoje ficamos contentes com o trabalho da Cofam e principalmente por estarmos homenageando amigos e colaboradores com as Medalhas MMDC, Constitucionalista e Governador Pedro de Toledo. São pes-

soas escolhidas por meio de um critério rigoroso, já que temos uma comissão que avalia o mérito delas, que realmente merecem ser lembradas. E por falar em lembrança, em 23 de maio teremos o Dia da Juventude Constitucionalista e o 9 de julho deste ano será especial por conta dos 80 anos da Revolução Constitucionalista de 32. Em 2012, realizaremos muitas solenidades, certamente teremos muito trabalho, mas isso realmente vale a pena.“ Responsabilidade Diretora de comunicação social da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, neta, bisneta e sobrinha-neta de es-combatentes, Camila Giudice foi aclamada por unanimidade como presidente da Comissão de Familiares dos Heróis de 32 (Cofam), algo que para ela representa uma grande responsabilidade. “Este é um trabalho que realizamos com grande paixão e espero, agora na presidência da Cofam, estar atendendo aos anseios de todos para dar continuidade à história e à memória dos heróis de 32, a quem eu chamo de meninos e necessitamos de todo apoio dos familiares. Fazemos isso, buscando preservar a memória dos heróis, pois assim construiremos um presente e um futuro melhores. Temos vários projetos e um deles é o de transformar a Sociedade Veteranos de 32 - MMDC em um instituto para dar continuidade ao culto da memória, não apenas com os familiares, mas levando isso para o Brasil e para o exterior, divulgando todo material que possuímos. E agradeço o carinho dispensado pelo jornal Semanário da Zona Norte, pelo carinho com que é realizada a cobertura de todos nossos eventos, algo que é fundamental para nós.” Clique aqui e leia a reportagem na íntegra no site do Semanário.


MMDC Acontece Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 9

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Solenidade no Bexiga por Camila Giudice

No dia 20 de Maio de 2012, comemorou-se com uma bela cerimônia no tradicional bairro paulista Bexiga, oferecida pelo nosso querido amigo e símbolo do bairro, Walter Taverna e a SODEPRO – Sociedade de Defesa, Tradições e progresso da Bela Vista o aniversário de 80 anos da Revolução Constitucionalista de 32, na Rua Ruy Barbosa. A solenidade contou com a participação dos carros militares, personagens e celebridades locais e outorga da medalha constitucionalista. Foi relembrada a importância da Revolução Constitucionalista para a história de São Paulo e do Brasil e a cerimônia foi encerrada com um grande e festi-

Coletivo Bixiga

vo almoço no Restaurante Conchetta (www.conchetta.com.br)

Os outorgados com a Medalha MMDC foram: Dr. Antonio Batista Filho Sra. Denise Bramucci de Moura Delfim Sra Esther Corain Sr. Paulo Rui De Godoy Filho Sr Carlos Cavalcante de Souza Sra. Analice Ito Sra Márcia Maria Rebouças Sr. Alfredo Bruzzese Dra Maria Paula Puglisi Yoshihara Sr. José Maria Domingues Dos Santos Sr. Jorge Silveira Duarte Sra. Giovana Serracini Previero

Homenagem ao Combatente Vicente Venâncio Júnior (in memorian) Em 19 de Maio de 2012, na Sede da Sociedade Veteranos de 32 – MMDC, foi realizada uma belíssima e comovente homenagem ao Herói de 32, Vicente Venâncio Júnior. A Cerimônia oferecida pelos familiares, levou os convidados às lágrimas pelas canções entoadas pelo coral Musicanto regidos pelo maestro Antonio Margarido. A decoração de bom gosto com flores brancas só elevou ainda mais o descerramento de uma placa em homenagem ao Herói, que ficará permanente na Sociedade Veteranos de 32 – MMDC, fazendo ombro a outras ilustres personas as quais invocam os brios de 32.

MMDC Leste

Foi entregue um retrato à família, para que sempre tenham a imagem de valoroso Herói e lembrem-se sempre de viver os ideais de 32. Para exaltar ainda mais a memória do Sr. Vicente, Sr. Roberto Venâncio e Sr. Iedo Jardim Venâncio receberam a medalha MMDC. Na ocasião, que contou com presenças de ilustres paulistas, houveram condecorações maçônicas e do Núcleo MMDC Leste. Cel Ventura homenageado com a Medalha 90 anos do GOSP: Grande Oriente de São Paulo; Cel Mendes homenageado com o Colar Cruz de Honra Constitucionalista, do MMDC Leste, e alguns dignitários homenagea-

MMDC Leste

dos com as Medalhas do MMDC. Asp Of PM Rogério Ferreira Gomes Cb PM Odair Goulart Sd PM Renan Reis Moreira Sr. Dimas de Oliveira Canotilho Junior

MMDC Leste

MMDC Leste


MMDC Acontece Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 10

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Caro familiar de Herói de 32 A Sociedade Veteranos de 32 – MMDC, abre a porta de sua casa para que se façam homenagens aos nossos heróis. Caso queiram prestar esse grande ato em memória aqueles que deram suas vidas em pró de um ideal, Para mais informações entrem em contato no 11 3105-8541 ou mmdc.32@terra.com.br.

Copa Paulista Heróis de 1932 A Federação Paulista de Futebol, nos honrou este ano, com um presente muito especial: A Copa Paulista de Futebol de 2012, foi nomeada de “Copa Paulista Heróis de 1932”. A iniciativa foi através do atual VicePresidente Regional Sudeste da CBF Dr. Marco Paulo Del Nero. A atenção maior será para a abertura da Copa, na qual o chute inicial será

dado pelo então nosso Comandante do Exército Constitucionalista de 32, Sr. Alfredo Pires, como seu último ato no comando, já que dará a transmissão do comando ao Sr. Amado Rúbio, no 9 de Julho de 2012. O chute inicial da partida da Copa Paulista Heróis de 32, será no dia 09 de Julho de 2012, às 15 horas no jogo São Bernardo FC x Palmeiras no Estádio 1º de Maio.

Clique no site da Federação para acompanharem os resultados do jogos: http://www.futebolpaulista.com.br

iG

Otávio Mesquita visita o Monumento Mausoléu ao Herói Constitucionalista de 32 Reportagem feita pelo apresentador da Band Otávio Mesquita sobre o Monumento Mausoléu ao Herói Constitucionalista de 32, juntamente com o Cel. Mário Ventura, abordando os aspectos da Revolução e os significados do Obelisco. Clique abaixo e veja a matéria: http://videos.band.com.br/Exibir/ Otavio-visita-o-Obelisco-do-Ibirapuera/ Sergio Diniz

Quer visitar o OBELISCO? Visite o Obelisco com especialistas sobre a história da Revolução Constitucionalista de 1932 e a simbologia do Mausoléu. Agendamentos para visitas escolares, grupos de turismo ou familiares. Entre em contato com a Sociedade Veteranos de 32 - MMDC: veteranos32@gmail.com ou 11 3105 - 8541.

Sergio Diniz


MMDC Acontece Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 11

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Solenidade em homenagem aos 80 da Revolução de 32 por OAB/SP

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, afirmou que o capitão Gino Struffaldi, homenageado na cerimônia, deixou um “exemplo de como cultuar a Revolução de 32”, que “lutou para que tivéssemos uma Constituição brasileira”. “Revolução constitucionalista em que São Paulo se levantou contra ditadura Vargas, em busca de constituição brasileira. Embora São Paulo tenha sido derrotado, a luta demonstrou sua garra, tenacidade e orgulho na luta pela legalidade. Essa revolução jamais pode ser esquecida, assim como aqueles que tombaram na luta, especialmente os quatro jovens que deram origem à sigla MMDC”, afirmou D’Urso. Na solenidade também houve uma homenagem da OAB SP a Gino Struffaldi, já falecido, que foi representado pelo engenheiro Aldo Struffaldi, seu filho, que contou um pouco sobre a história da família e do pai. Gino, disse o filho, era de família italiana, que chegou ao Brasil no fim do século XIX e viveu em Santos. A placa foi entregue por D´Urso e Trombetti. De acordo com Aldo, aos 18 anos, seu

pai decidiu ter sua própria vida e passou a servir como militar no Forte de Itaipu, em Santos, quando as tropas optaram pelo movimento constitucionalista. Aldo contou também que o capitão Gino foi elogiado por um general em 1935 por sua atuação na repressão à Intentona Comunista. Aldo terminou ressaltando a importância da luta pela manutenção do nome do Túnel 9 de Julho, “um dos símbolos maiores do civismo no país”, data que marca o início da Revolução Constitucionalista de 1932. O presidente interino da Comissão de Resgate da Memória da OAB SP, José de Ávila Cruz, lembrou que a Seccional Paulista da Ordem foi fundada em janeiro de 1932 e, em julho, com o advento da Revolução, também já estava lutando pela Constituição. Fábio Trombetti também lembrou Gino Struffaldi, contando que em 2004 os dois idealizaram o evento em homenagem à Revolução de 32 na OAB SP, época em que a gestão de D’Urso ainda estava no início. Segundo Trombetti, o objetivo fazer com que o levante não caia no esquecimento. “Com o apoio da OAB SP e do MMDC, Gino jamais será esquecido e estará sempre vivo em nossas memórias”, disse, ressaltando a

OAB/SP

cumplicidade entre a Ordem e os revolucionários de 32. Participaram ainda da mesa diretora do evento: Marcos da Costa, vice-presidente da OAB SP; Umberto Luiz Borges D’Urso, diretor cultural e conselheiro seccional; Antonio Ruiz Filho, conselheiro seccional e presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas; Lúcia Maria Bludeni, conselheira seccional e presidente da Comissão de Direito do Terceiro Setor; Luiz Carlos Ribeiro da Silva, conselheiro seccional; Ricardo Luiz de Toledo Santos Filho, conselheiro seccional e presidente da Comissão de Estudos do Projeto do Código de Processo Penal; e Rui Augusto Martins, conselheiro seccional.00. O evento contou com a Camerata da Polícia Militar sob regência de Elias José dos Santos e dos Dragões da independência.

Outorgados na solenidade da OAB/SP por Cel. Antonio Carlos Mendes

MEDALHA: “MMDC”

MEDALHA: “CONSTITUCIONALISTA”

Dr. Umberto Luiz Borges D’urso Dr. Norberto da Silva Gomes Dr. Ricardo de Moraes Cabezón Dra. Lucia Bludeni Dr. Arles Gonçalves Junior Dr. Aleksander Mendes Zakimi Dr. Cláudio Ramos Dra. Clarice Maria de Jesus D’urso Dr. José de Avila Cruz

Profº Anis Kfouri Junior Dr. Marcos da Costa Dr. Fábio Marcos Bernardes Trombetti


Memorial Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 12

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

O brasão de armas da cidade de São Paulo por Thiago Berg

Parte 2 Em dezembro de 1915, a Câmara Municipal de São Paulo, atendendo uma solicitação do prefeito Washington Luís, instituiu um concurso para a escolha do brasão de armas da cidade. Até então, o emblema usado pela prefeitura era o brasão da República brasileira. Formou-se, então, uma comissão composta de personagens da vida cultural de São Paulo na época para julgar os trinta e seis concorrentes. O parecer da comissão apontou que nenhum dos trabalhos apresentados naquela oportunidade satisfazia as exigências. Pouco se sabe sobre os desenhos apresentados, mas havia muitos brasões cheios de águias, bandeiras, fortalezas, correntes partidas e até capacetes de Mercúrio. O projeto de número 32, de autoria do ilustrador José Wasth Rodrigues foi de grande importância no primeiro concurso pelo fato de ter sido o primeiro a introduzir o lema NON DUCOR DUCO, que se imortalizaria mais tarde no brasão da cidade. Na segunda versão do concurso concorreram trinta e dois trabalhos. Após a análise, sagrou-se vencedor o projeto de número 7, de autoria do poeta e heraldista Guilherme de Almeida, em parceria com José Wasth Rodrigues. Em relação ao modelo atual, o desenho contava com um braço armado empunhando uma espada ba-

talhante, movente da direita do escudo (destra). Completava o desenho uma coroa mural revestida de ouro, na qual se avistavam três torres, além do lema, escrito em negro. A comissão julgadora sugeriu algumas modificações, como a retirada da espada batalhante; já o braço armado passou a ser voltado para a posição sinistra (esquerda do brasão) e as letras do mote passaram a ser escritas em vermelho. O desenho foi então aprovado pelo prefeito Washington Luís em 8 de março de 1917. Com a proibição dos símbolos estaduais e municipais em 1937, o brasão seria restaurado com a lei n.º 3.671, de 9 de dezembro de 1947. Embora em uso, alguns erros precisavam ainda ser corrigidos. Em 2 de outubro de 1974, promulgou-se a lei n.º 8.129, que alterou o seu desenho para a versão presente. Foi sugerido um novo posicionamento para o braço armado, agora saindo do flanco esquerdo escudo, para dar a idéia de “ação” na figura, que também se tornou maior. A coroa mural, com três torres, passou a ter cinco, para corrigir o status de aldeia para cidade. Foi também recomendado que a fita branca passasse a ser em vermelho, com o lema escrito com letras brancas. Algumas sugestões de correção do brasão da cidade haviam sido feitas por José Wasth Rodrigues em 1933, embora o autor insistisse em continuar com a figura da espada batalhante no brasão. Os desenhos abaixo foram reproduzidos gentilmente por Arnaldo Rosolen, da UNESP de Rio Claro, após minha indicação do trabalho de José Wasth Rodrigues no livro Brazões e Bandeiras do Brasil, de 1933.

Projeto vencedor do concurso

Versão adotada (1917-1974)

Sugestão de correção (1933)


Memorial Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 13

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

A Revolução de 1932 em fotografias por Ricardo Della Rosa

Trago uma pequena série de imagens que mostram um pouco mais do que foi a enorme mobilização no Estado de São Paulo e da vida dos soldados nas frentes de combate. No meu site publico mais. Visitem.

Tudo por São Paulo

Tudo por São Paulo

Repórter do Jornal “A Gazeta”. No detalhe o folheto “Escuta Aqui”.

Oficiais em Lorena. Tudo por São Paulo

Tudo por São Paulo

Descanso em Cunha.

Tudo por São Paulo

Comandante Negrão.

Toque de formatura em Lorena.

Tudo por São Paulo

Comandante e mascote do Tiro Naval de Santos.

Tudo por São Paulo

Uniformes e botas para os soldados.

Compartilhe, visite e curta a página do Múseu Virtual da Revolução de 32 no Facebook: www.facebook.com/tudoporsaopaulo


Memorial Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 14

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Os 80 anos do Viaduto Boa Vista por Douglas Nascimento

Um símbolo da Cidade de São Paulo completa 80 anos neste domingo, o Viaduto Boa Vista. Apesar de ser relativamente curto e quase não ser notado por quem passa sobre ele diariamente, este pequeno e belo viaduto foi inaugurado poucos dias antes da Revolução de 1932 e é o grande marco da gestão do Prefeito Goffredo Telles, que só governou a cidade naquele fatídico ano.

veículos, era bastante importante que o viaduto fosse uma construção bastante robusta. Para evitar problemas futuros, inúmeros testes de resistência da estrutura foram realizados, todos eles com bastante sucesso, permitindo assim a inauguração do viaduto no dia 24 de junho de 1932, sendo anunciando com bastante galhardia pelos principais jornais paulistanos à época.

São Paulo Antiga

A importância desta obra viária não pode ser medida pelo seu tamanho, mas sim pela enorme praticidade que sua construção trouxe para a locomoção de pessoas, bondes e automóveis no centro de São Paulo a partir daquele ano. Ao ser construído ele resolveu o grande problema que era ir da região das ruas Florêncio de Abreu e Santa Ifigênia até o então Palácio do Governo que ficava na Praça João Pessoa (atualmente Páteo do Colégio), pois a Ladeira General Carneiro, dificultava a ligação. Para isso, ele foi construído deixando a conhecida ladeira intacta por baixo do viaduto. A obra começou a ser planejada em 1914 e só ira começar a ser construída em 1928. Como a construção viria a receber um intenso tráfego de bondes e

São Paulo Antiga

O viaduto em 1953, indispensável para o centro de São Paulo. A obra trouxe profundas transformações viárias na região central da cidade. O novo viaduto iria desafogar completamente o já saturado trânsito da rua 15 de novembro, que até então era o elo de ligação entre a Praça da Sé até o Vale do Anhangabaú. Além disso, o novo caminho do centro iria impulsionar uma série de novos edifícios na região, como o atual vizinho ao viaduto pertencente à Associação Comercial de São Paulo.

E o viaduto não bastava ser funcional, precisava ser uma bela obra arquitetônica pois estava localizado ao lado do então Palácio do Governo. E mesmo sendo uma obra de apenas poucos metros o engenheiro francês Gaucherry projetou uma bela construção em art déco, cujos traços podem ser observados com mais detalhe na parte inferior do viaduto e nos detalhes de suas grades de ferro (veja fotos na galeria ao final deste artigo). Abaixo um comparativo feito entre 1938 e 2012. Hoje, 80 anos depois da construção o viaduto continua sendo uma importantíssima via da região central da cidade e um dos belos lugares do centro a serem fotografados. Parabéns, Viaduto Boa Vista. Dados complementares Nome: Viaduto Boa Vista (à época Viaduto da Boa Vista) Projeto: 1914 pelo Engenheiro B. Gaucherry Início das obras: Novembro de 1928 Inauguração: 24/06/1932 – 14:00hs Cálculos e engenharia: Miguel Angelo de Souza Aguiar, auxiliado por José Haar e Oswaldo Arthur Bratke (Companhia Mechanica) Execução: Siciliano & Silva Prefeito: Goffredo Telles Clique aqui e leia integra no site www.saopauloantiga.com.br

São Paulo Antiga

O entorno ganhou novos edifícios, mas a paisagem não mudou tanto.


Memorial Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Reunião Cofam em 11 de fevereiro por Ten PM Natanael Soares Santos

MEDALHA: “MMDC” Cel PM José Mauricio Waisshaupt Perez Cel PM Pedro Borges de Oliveira Filho Ten Cel Aviador Marco Antonio Gonçalves 1º Ten PM Marcelo Nemr Antar Cb PM Edinaldo Gomes Tiene Cb PM Petrônio Flávio Tavares de Lima Sd PM Thiago Orlando Rodrigues Sd PM Fábio Antonio de Lima Sd PM Paulo Sérgio Lourenço de Assis Sr.Daniel Chada Dr. Eduardo Blanco Cardoso

MEDALHA: “CONSTITUCIONALISTA” Ten Cel PM Orlando Pereira de Lima 1º Ten PM Rafael de Oliveira Pavani 1º Ten PM Adriano Marcos Rondello 2º Ten PM Mayumi Fineza Moribe Asp Of PM Adonis Trivisas Gomes Asp Of PM Alex Oliveira de Moura Sd PM Claudio Marcio da Silva Sd PM Lucas Nunes da França Sr. Malcolm Forest MEDALHA: “GOV PEDRO DE TOLEDO” 2º Ten PM Pedro Nunes de Souza Filho 2º Ten PM Leandro Sabioni

Reunião Cofam em 17 de março por Ten PM Natanael Soares Santos

MEDALHA: “MMDC” Cap PM Leandro Gomes Santana 2º Ten PM Viviane Cristina Soares Furis SubTen PM Osvaldo Bonifácio Barbosa SubTen PM Edegar Simplício dos Santos 2º Sgt PM Alexandre José de Araújo Al Sgt PM Roberta Zanelatto Feliciano Sd PM Marli Barbosa Passos Araújo Sd PM Rosana Rosa Xavier Pires Sd PM Alexssandro Pessoa de Souza Sd PM Thiago Ayres Dra Maria Lúcia Camargo Sr. Edgar Dias Novaes

MEDALHA: “CONSTITUCIONALISTA” Cap PM Alcides Teixeira Lima 1º Ten PM Fabiano de Souza Pereira Sd PM Fábio Antonio de Lima Sd PM Leandro Proença Prestes Ag Sd PM Cláudio José do Nascimento Sd PM Thiago Orlando Rodrigues MEDALHA: “GOV PEDRO DE TOLEDO” Cap PM Sérgio Luiz Alves de Miranda 1º Ten PM Adriano Marcos Rondello 2º Ten PM Pedro Nunes de Souza 2º Ten PM Pedro Nunes de Souza Filho Sd PM Renato Antonio de Oliveira

Reunião Cofam em 21 de abril por Ten PM Natanael Soares Santos

MEDALHA: “CONSTITUCIONALISTA” Cap PM Rodrigo dos Santos Cap PM Fauzi Salim Katibe Cap PM Douglas Shoichi Sano 1º Ten PM Renan Yamaoka Costa 2º Ten PM Keila Lai Yen Tsai Al Of PM Rita de Cássia Cotecheski Al Of PM Marcela Ribeiro da Silva Al Of PM Luan Rossi Klin Sd PM Waldirene Cotecheski MEDALHA: “MMDC” Cap PM Luis Humberto Caparroz Al Of PM José Nahrlich Junior Sr Sidnei Gonçalves Spedo

MEDALHA: “GOV PEDRO DE TOLEDO” Cap PM Renata Fassina Cap PM Víctor Paulo de Matos Cap PM Hélio Patrício Junior 1º Ten Dentista PM Maria Cláudia 1º Ten PM Sidney de Almeida Ferreira 1º Ten PM Fábio Caio da Fonseca 1º Ten PM Mauro Mohacsi 1º Ten PM Ferdinando Cordoba Andreucci 2º Sgt PM Denilson da Silva Roque Sd PM Sarai Milca Araujo Pereira da Silva Roque

Página 15

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y


Memorial Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Reunião Cofam em 23 de junho por Ten PM Natanael Soares Santos

MEDALHA: “MMDC” Ten Cel PM José Gonçalves Souza Cap PM Gilvan Almeida Santos Cap PM Marcelo Henrique de Freitas 1º Ten PM Fernando Antonio de Moura 1º Ten PM Carlos Dias Malheiro 1º Ten PM Marcus Vinicius Quitshal 2º Ten PM Daniel Inglez Guerreiro Al Of PM Gustavo Henrique dos Santos Postigo Al Of PM André de Moraes Wingerter Al Of PM Anita Braga Salvione 1º Sgt PM Celso Antonio de Oliveira 3º Sgt PM Fábio Gonzaga Lima Cb PM Márcia Pereira Novaes Cb PM Marcos Tadeu Novaes Sd PM José Hugo dos Santos Sd PM João Maurício Conceição das Neves Sd PM Alexandre Ortencio da Silva Sd PM Deise Matos Soares Sd PM Jefferson Matos da Silva Sd PM Fernando Machado Caraça Sd PM Fabio Rodrigues Costa Sd PM Marcos Aurélio de Paula Sr Lael Cavalcante de Oliveira Sr Jonathas Carvalho Batista Sr Ricardo Alexandre Ramos Sr Zósimo Alves Fonseca

MEDALHA: “CONSTITUCIONALISTA” Coronel PM Marcelo Afonso Prado Ten Cel PM Ari Bezerra dos Santos 1º Ten PM Anderson da Silva Dias Brasil Cap PM Fabio Pereira de Aguiar 1º Sgt PM Laércio Oliveira Ramalho 2º Sgt PM Sandra Galdiano da Silva 3º Sgt PM Rolando Rodrigues 3º Sgt PM Nilva Vedekin 3º Sgt PM Ricardo Pires 3º Sgt PM Flávio Augusto de Andrade Cb PM Sandra Regina García Santos Sd PM Semíramis de Lima Sd PM Pedro Marcio Francioso Doutor Paulo Antonio Nunes Spinosa Filho MEDALHA: “GOV PEDRO DE TOLEDO” Ten Cel PM Demarcio Arantes Teles Maj PM Levi Rios de Souza Cap PM Douglas João La Femina Junior Cap PM Mauro Jesus Rocha 1º Ten PM Pablo Pilon Camasano 1º Ten PM Fábio Pellegrini Marques Penteado 1º Ten PM Anderson Barbosa Casado

Entrega da Medalha MMDC no dia 23 de maio - Dia da Juventude Constitucionalista por Cel. Antonio Carlos Mendes

Ten Cel PM Glauco Da Silva Carvalho Ten Cel PM José Afonso Adriano Filho Maj PM Antônio Tadeu da Silva Cap PM Cleonice Alves da Silva Cap PMpedro Luís de Souza Lopes Ten PM André Luiz Magalhães Bonifacio Capitão-de-Fragata André Luiz Pereira Cel EB João Miguel Corpas Fernandez Cel EB Marcos Antonio Vieira Pontes Cel Int Geraldo Testi Junior Cel Int Rodolfo Vieira Alves Cel Int Ezequias Moreira da Silva Promotor Carlos Francisco Bezerra da Rocha B. Lins Del de Polícia Délio Marcos Montresor Del de Polícia José Vinciprova Sobrinho Perito Criminal Edie Pereira Castanho Junior

Dra. Yara Suely Romeu Inspetor GCM Hamilton Fernandes Ananias Inspetor GCM Euclides Conradim Dr. Anis Kfouri Junior Dr. Fábio Mourão Antonio Del de Polícia André Maximiliano Moron Machado Sr. Nilson Donizeti Bertaglia Sr. João Floriano Ribeiro Sr. Aurélio Fernandez Miguel Cel PM Jorge Gonçalves Ten Cel PM Moacyr Pereira da Costa Sra. Maria Cecília Musumeci Borges Sr. Amado Rubio Padre Carlos Alberto Cirto de Oliveira Sra. Maria Celestina T. Mendes Torres

Página 16

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y


Núcleos de Correspondências Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 17

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Expedição pelas trincheiras em Itapira por Eric Lucian Apolinário

Às 6h30 da manhã partiu a Expedição composta por: Eric Lucian Apolinário, João Paulo Marquezini Machado, Carlos Henrique Marquezini Machado e Wener Mello. Com o objetivo de encontrar as trincheiras perdidas itapirenses usadas durante a Revolução Constitucionalista de 1932. Por motivos de preservação das mesmas e manutenção da privacidade de terras particulares onde tais trincheiras se encontram o Núcleo MMDC de Itapira manterá em total sigilo suas exatas localizações. Porém mostraremos o máximo possível para que todos tenham ciência que a Historia ainda vive e em muitos lugares continua muito bem preservada. Clique aqui e leia a expedição completa

O grupo pronto para partir

Trincheira no alto do morro

Vila de Euletério

Túmulo de 4 combatentes desconhecidos

Recebimento da Medalha MMDC à veterana MARIINHA por Guilherme Andreolli Corrêa

No último dia 23 de maio, por ocasião do dia da Juventude Constitucionalista, realizou-se em São Paulo, no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, uma cerimônia de condecoração que visava homenagear aqueles que contribuiram na preservação da memória da epopeia paulista de 1932. O SR. SERGIO TORRES, recebeu a condecoração em representação à nossa veterana MARIINHA. Esse merecido reconhecimento só foi possível graças ao trabalho dos irmãos EGYDIO TISIANI, JEFFERSON BIAJONE e CEL. MARIO VENTURA. Registro aqui meus sinceros agradecimentos.

Sergio Torres e a veterana MARIINHA, um dia após a condecoração, aos 101 anos.

Sr. Pedro Paulo Penna Trindade condecora Sergio Torres.

Clique aqui e leia a história de dona Mariinha no site.


Núcleos de Correspondências Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 18

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Diploma de honra ao mérito enfermeira Juliana Fabiano Alves por Jefferson Biajone

Da criação da honraria Em 31 de janeiro de 2012, o Presidente do Núcleo de Correspondência da Sociedade dos Veteranos de 32/MMDC – PAULISTAS DE ITAPETININGA! ÀS ARMAS!! criou a honraria DIPLOMA DE HONRA AO MÉRITO ENFERMEIRA JULIANA FABIANO ALVES, cuja finalidade é homenagear profissionais de Enfermagem em memória da pessoa de JULIANA FABIANO ALVES, enfermeira que voluntariamente serviu Itapetininga e São Paulo no cuidado dos combatentes da Revolução Constitucionalista de 1932. Quem foi Juliana Fabiano Alves Nascida em São Manoel a 13 de maio de 1913, Juliana Fabiano Alves foi filha do major da Guarda Nacional Joaquim Fabiano Alves e de D. Ana Franco Fabiano Alves. Aos 11 anos se muda para

Família Toledo

Juliana na Revolução de 32 e após

Itapetininga com a família e fixando residência nessa cidade, nela adquire as primeiras letras e se forma professora na renomada Escola Normal Peixoto Gomide. Por ocasião da Revolução Constitucionalista de 1932, então com 19 anos, Juliana e suas outras cinco irmãs voluntariam-se para servir Itapetininga e São Paulo como enfermeiras do Exército Revolucionário. Após meses

de sofridos cuidados e intensa dedicação, a Revolução chega ao fim e Juliana retoma sua vida de professora, vindo a ser tornar educadora de escol por demais conhecida em toda Itapetininga, cidade para a qual chegou a ser vereadora por cinco legislaturas, bem como vice-prefeita (1960 a 1963) e prefeita em exercício, por noventa dias, o que a tornou a único mulher até os dias atuais a chefiar o Executivo do município. Dotada de valores morais, éticos, sociais e religiosos expressivos, foi ministra da Eucaristia por muitos anos e uma das educadores mais influentes da história da Educação de Itapetininga, tendo seu nome ligada à diversos educandários e à Associação de Ensino, a qual ajudou a fundar e vice-presidiu com o melhor de suas energias, inteligência e dedicação.

Núcleo MMDC participará dos 80 anos da Revolução Constitucionalista de 1932 por Egydio João Tisiani

A Sociedade dos Veteranos de 32 em conjunto com o Núcleo Voluntários Paulistas de Piracicaba entregará 12 títulos à personalidades que auxiliam na preservação da memória do ideal paulista perpetuado a partir da Revolução Constitucionalista de 1932. A entrega ocorrerá durante solenidade comemorativa aos 80 anos da Revolução, agendada o dia 9 de julho na Praça José Bonifácio, em atividade coordenada pelo Comitê de Eventos Cívicos do Município em parceria com a Câmara de Vereadores. O Núcleo MMDC Voluntários de Piracicaba foi fundado em 22 de outubro do ano passado, numa iniciativa do tenente reformado da Polícia Militar,

Egydio João Tisiani. A intenção é unir veteranos e familiares de todo o estado, a exemplo do que já ocorre em cidades que tiveram importante atuação na Revolução de 32, entre elas, Silveiras, Itapetininga, Buri, Cruzeiro, Porto Feliz e outras. Piracicaba enviou seu primeiro batalhão a São Paulo em agosto de 1932. Foram 600 voluntários que partiram da Praça José Bonifácio rumando à Estação de Trem Paulista tomando destino a São Paulo. Em seguida, maioria foi conduzida ao Vale do Paraíba, considerado o front da batalha por onde entraram as forças federais, formadas principalmente por agentes da Força Pública (hoje Polícia Militar) do Pernambuco e do Rio de Janeiro. Qua-

torze piracicabanos morreram nas batalhas. Os homenageados com os títulos contribuíram para que a epopéia não caísse no esquecimento. Assim, o Núcleo escolheu para receber o Diploma de Honra ao Mérito Capitão João Rodrigues Gonçalves, patrono do Núcleo MMDC Piracicaba : Anna Thereza Prado de Almeida Carvalho, Cecílio Elias Netto, Eduardo Ferreira Grosso, João Francisco de Aguiar, Jefferson Biajone, João Manoel dos Santos, Judith Meira Barros Sampaio, Maria Antonieta Sachs Mendes, Maria Helena Toledo Silveira Melo, Mário Fonseca Ventura, Rosângela Rizzolo Camolesi e Willians de Cerqueira Leite Martins.


Núcleos de Correspondências Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 19

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Abertura do núcleo de correspondência soldado Maria Sguassábia de S. João da Boa Vista por Neusa Maria Soares de Menezes

Fundado em 18 de Abril de 2012 trata-se de um dos núcleos da modalidade correspondência.

eles em vida ou já falecidos, de forma a gerar informações e difundir conhecimento”.

Sendo, pois, de correspondência e de acordo com o artigo 4º de seu Estatuto, o Núcleo “Soldado Maria Sguassábia” objetiva “pesquisar fatos relativos à memória e os feitos de veteranos que participaram da Revolução Constitucionalista de 1932, sejam eles nascidos em São João da Boa Vista ou que neste município vieram a residir, estando

Fica, assim, fundado o supramencionado Núcleo da Sociedade MMDC integrada pela sócio-correspondente Neusa Maria Soares de Menezes, fundadora e presidente do Núcleo. Conheça as histórias das mulheres de São João da Boa Vista, clique aqui: http://mulheresdesaojoao.com.br/

Tentativa de cessação das hostilidades entre as Forças Federais e a Força Pública de SP por Anderson Luiz Alves dos Santos

Carta de Convenção Militar escrita em 1 de outubro de 1932 em Cruzeiro

Pública tem obedecido às ordens do governo do seu Estado e

prosseguir na luta julgam contrária aos interesses do Estado.

“Entre os tententes-coronéis da Força Pública do Estado de São Paulo, Otaviano Gonçalves da Silveira e Euclides Marques Machado, delegados do senhor coronel comandante-geral daquela Força, e o coronel Pantaleão da Silva Pessoa, chefe do Estado-Maior do Destacamento do Exército Brasileiro de Leste, com poderes diretos do general comandante do referido destacamento e indiretos do comandante do Destacamento do Exército do sul e assistência do senhor ministro d’Estado da Marinha nacional.

b) considerando mais que a continuação da luta, daqui por diante, importará em grave prejuízo para os interesses do Estado que se comprometeram a guardar;

2o) O governo federal compromete-se a:

Ao primeiro dia do mês de outubro do ano de mil novecentos e trinta e dois encontraram-se em Cruzeiro os oficiais acima mencionados para estudar as condições em que poderiam cessar as hostilidades entre as Forças Federais e a referida Força Pública e, a) considerando que até aqui a Força

combinaram e resolveram o seguinte: 1o) A Força Pública compromete-se a: a) recuar as suas unidades para as orlas ou interior da capital do Estado de São Paulo, com a missão de manter a ordem e a tranqüilidade, impedindo que a população sofra as conseqüências da decepção produzida pelo conhecimento da verdade dos fatos ocorridos na luta armada; b) reconhecer unicamente a autoridade do governo federal e obedecer ordens dos seus representantes legítimos; c) não obedecer mais as atuais autoridades estaduais, cuja obstinação em

a) garantir aos oficiais da Força Pública que tiverem, neste grave momento, o elevado patriotismo de agir com decisão e eficácia para cessação da luta dolorosa que ensangüenta o país, assumindo ao mesmo tempo o compromisso de zelar pela manutenção da ordem, seriamente ameaçada no Estado, todas as regalias e vantagens dos seus postos, de acordo com as leis e quadros de efetivos vigentes a 1o de julho do corrente ano; b) logo que fique comprovada a execução dos itens a), b) e c) da alínea 1a, pôr em liberdade e mandar apresentar ao respectivo comando todos os oficiais e praças que foram feitos prisioneiros pela tropa federal. Cruzeiro, 1o de outubro de 1932


Núcleos de Correspondências Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 20

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Praça 9 de Julho é reinaugurada e ganha placa alusiva à Juventude Constitucionalista de 32 por Buri Notícias

O dia 24 de julho de 2012 irá ficar marcado na história e na memória do povo buriense. Aconteceu a reinauguração da Praça 9 de Julho com placa alusiva aos 80 anos da Revolução Constitucionalista de 1932. O evento contou com a presença de autoridades civis e militares e com alunos da Escola Estadual Profª Francelina Franco e outros escolas municipais que abrilhantaram a cerimônia com diversas apresentações. Na oportunidade o Prefeito Cláudio Romualdo Ú Fonseca recebeu do futuro comandante do Exercito Constitucionalista, senhor Amado Rúbio, a medalha MMDC da Sociedade dos Veteranos de 32/MMDC pelos relevantes serviços prestados à causa do resgate

da memória e dos feitos dos paulistas que lutaram e defenderam Buri durante a Revolução Constitucionalista de 1932. O advogado José Roque Dias, fundador e presidente do Núcleo de Correspondência “Baionetas de Buri” (mmdcburi.blogspot.com.br), sucursal da Sociedade dos Veteranos de 32/MMDC em Buri, também foi homenageado e recebeu das mãos do Presidente do Núcleo da Lapa da Sociedade dos Veteranos de 32/MMDC e também Presidente da Comissão do Resgate da Memória do Movimento Constitucionalista de 1932, professor José Carlos de Barros Lima, o Diploma de Pesquisador Honorário do Núcleo de Correspondência “Paulistas de Itapetininga! As Armas!!” (mmdc.itapetininga.com.br), conferi-

do pelo seu presidente Profº Jefferson Biajone. Um dos momentos mais marcantes da cerimônia foi o pronunciamento do aluno da Escola Estadual Profª Francelina Franco, Luis Felipe Souza Machado do Prado, que de uma maneira muito segura e com ótima interpretação emocionou a todos.

80 anos da Revolução cde 32 é comemorado e entra para a história de nossa cidade por Buri Notícias

Dia 16 de Junho de 2012, mais um dia que entrou na história de nossa cidade. Foi comemorado os 80 anos da Revolução Constitucionalista de 1932 realizado pela Prefeitura Municipal e que reuniu grandes autoridades da sociedade civil e militar.

O evento contou com apresentações de fanfarra e hinos interpretados por alunos da escola estadual Profª Francelina Franco e também a apresentação marcante da Banda Regimental de Música da Polícia Militar.

Durante o evento foi realizado a cerimônia de descerramento da placa “Aos Heróis de Buri que lutaram por São Paulo”, no monumento da Revolução Constitucionalista na Estação Ferroviária, palco de duros combates há 80 anos e que neste sábado presenciou a realização de três salvas de tiros por cadetes da Academia de Polícia Militar do Barro Branco, especialmente destacados para homenagear os heróis paulistas tombados em combate e, em particular, o cadete Ruytemberg Rocha, um dos ícones da polícia militar de nosso estado que perdeu a vida em prol da causa constitucionalista em Buri. Foi concedida a entrega da medalha Constitucionalista para as autorida-

des presentes e o Coronel Mario Fonseca Ventura presidente da sociedade veteranos de 32 recebeu das mãos do senhor prefeito a chave de nossa cidade. O Deputado Federal José Olimpio, Deputado Estadual Dilmo dos Santos e o Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do estado de São Paulo Edson Giriboni, também estiveram presentes na solenidade. O Desembargador Dr. William Campos emocionou a todos em seu discurso e não economizou elogios ao Prefeito Municipal. Clique aqui para ler as matérias de Buri na íntegra: www.burinoticias.com.br


Paixão Paulista Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 21

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

“São Paulo contra a Ditadura”: o livro que enfrentou Getúlio Vargas por José D’Amico Bauab

Parte 1 O Centro de Memória Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo (CEMEL-TRE/SP), inaugurado pelo poeta e acadêmico Paulo Bomfim, seu coordenador cultural, em 12 de agosto de 1999, ao completar o primeiro decênio de existência, foi obsequiado com opúsculo de importância capital para a história política bandeirante: “São Paulo contra a Ditadura”, de autoria de Heliodoro Tenório da Rocha Marques e Odylon Aquino de Oliveira, ambos coronéis da antiga Força Pública do Estado de São Paulo. Trata-se de obra, em segunda edição, de 1934, doada pelo filho do primeiro indigitado autor, o coronel Paulo Tenório da Rocha Marques, antigo comandante da Academia do Barro Branco da Polícia Militar paulista e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. O palpitar dos acontecimentos atinentes à Revolução Constitucionalista de 1932, desde seus albores, foi auscultado pelos autores , que, então capitães, eram intimamente ligados ao Estado Maior da Força Pública e ao comandante desta, o general Júlio Marcondes Salgado. O profundo conhecimento dos bastidores do movimento levouos, já em 1933, a publicar o livro, cuja contundência provocou o virulento recolhimento de sua primeira edição pelos asseclas da ditadura getulista, bem como a prisão e reforma administrativa de ambos, que seriam revogadas pouco depois. Com o desprendimento e coragem moral, não hesitaram em lançar a segunda edição no ano seguinte. Antes, porém, de se deitar olhos sobre a obra que, a par de esquadrinhar a epopeia dos paulistas, teve, de per

si, a sua própria, há de se preconizar a conectividade histórica entre a luta cívica havida naquele tempo e a Justiça Eleitoral de São Paulo. O então Tribunal Regional de Justiça Eleitoral (TRJE) foi instalado em 25 de maio de 1932, sob o impacto político dos tiros advindos da sede da Legião Revolucionária, na Rua Barão de Itapetininga, que puseram termo às vidas de Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo instantaneamente e, poucos meses depois, a de Alvarenga. Essa quase coincidência cronológica é primordial e indeficiente para explicar os influxos da causa constitucionalista sobre a formação do ramo eleitoral do Poder Judiciário. Juristas que, como juízes titulares ou suplentes, estiveram ligados ao Plenário do TRJE, eram próceres da mobilização que já vinha sendo engendrada desde meados de 1930 e que eclodiria em 9 de julho de 1932: Reynaldo Porchat e Sampaio Dória, docentes da Faculdade de Direito do Largo São Francisco; Plínio Barreto, lendário editor do jornal “O Estado de S. Paulo” e interventor federal no estado por menos de vinte dias, em novembro de 1930; e Mário Pinto Serva, incansável defensor, por meio de seus trabalhos jurídicos, da higienização ética do processo eleitoral brasileiro e membro da comissão redatora do anteprojeto que resultaria no Código de fevereiro de 1932, prevendo, entre outras inovações, a criação da Justiça dotada de competência exclusiva para organizar o processo das eleições. Volvendo a atenção a “São Paulo contra a Ditadura”, seus dezesseis capítulos prestam-se sobejamente a desconstruir mitos que se sedimentaram ao longo de décadas sobre as causas motivado-

ras da guerra de 1932, desde teorias reducionistas que a reputaram como revanche das elites paulistas após a deposição do presidente da República Washington Luís e a não posse de Júlio Prestes, até a assertiva risível de que o movimento apresentava viés de secessão, mendacidade, a propósito, utilizada “ad nauseam” pelo governo ditatorial na propaganda disseminada nas demais unidades federadas para satanizar São Paulo (a propósito, os autores reproduzem declaração pública de Pedro de Toledo, que deixara de ser interventor federal para ser proclamado “governador dos paulistas”, dada em 10 de julho de 1932, poucas horas depois da eclosão do levante: “Não se trata de um movimento separatista, como criminosamente propalam e São Paulo jamais cogitou de quebrar a integridade nacional. Está de pé pelo Brasil e com o Brasil”). Os autores alumiam que parcela majoritária absoluta do povo paulista, moralmente esgotada em face dos expedientes corruptos do velho populismo que vigoraram por mais de três décadas, subscrevia a plataforma ideológica da Aliança Liberal que levou Getúlio Vargas a assumir o poder do país. Contudo, a esperança logo passou a ser substituída pela incredulidade quando a ala “tenentista”, de forte vocação antidemocrática, ora conseguia impor elementos adventícios na interventoria federal do Estado (primeiro João Alberto e depois Manoel Rabello), ora prosperava em siderar as gestões dos interventores paulistas (Plínio Barreto e Laudo de Camargo), que foram brevíssimas, visto que sequer tinham autoridade para nomear livremente seu secretariado e o comandante-geral da Força Pública. Continua na próxima edição


Paixão Paulista Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 22

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

São Paulo às cegas - Saúde Escondida por Carolina Giudice

A partir desta edição serei a mais nova cronista deste jornal, não só mais nova pela idade, mas pelo meu trabalho que se inicia hoje. Sou nutricionista formada, especialista e agora fazendo mestrado, mas sempre tive uma paixão escondida que suscitava ao ler crônicas escritas por muitos outros cronistas. Porém aqui não vou escrever sobre dicas de nutrição ou coisas do tipo, aqui eu quero mostrar uma São Paulo que até pouco tempo atrás eu desconhecia, mas que um olhar mais atento, trouxe está mágica visão. Hoje vou falar de algo que já trabalhei e continuo a trabalhar, mas que poucas são as pessoas que tem conhecimento disso. Sabemos que a saúde pública na nossa querida São Paulo anda um pouco com as pernas bambas. Por que anda? Por que em muitos locais ela já parou de andar e começou a se rastejar. Mas aqui ainda anda e isso é muito importante. Não sou cega para achar que o sistema público de saúde de São Paulo é o melhor que existe, mas também não sou cega em achar que ele é o pior que existe. Comecei a observar que temos preciosidades em São Paulo; existem muitos serviços de origem pública, porém desconhecidos para a maioria dos paulistanos. Você pode estar até achando que são precários, pelo fato de ter filas de espera e não ter profissionais disponíveis para o atendimento. Porém contesto a informação, pois estes serviços são tão pouco visíveis, que acabam sendo mal aproveitados pelas pessoas. Ás vezes tem uma fila de espera sim, onde devemos chegar mais cedo para o atendimento e muitas vezes podemos contar com profissionais disponíveis para o atendimento. Esses serviços podem ser disponibilizados por grandes faculdades, com intuito de atender a população

e ensino aos seus alunos. Como conhecedora e usuária posso dizer que eles são bons, tantos os profissionais quanto os locais, com infraestrutura boa e localização próximos à terminais ou metros. Esses serviços estão lá à nossa disposição, porém como todo bom paulistanos andamos à cegas, sem reparar numa clínica que ás vezes está em nosso bairro e não sabemos bem dizer o que é aquele complexo que ocupa um quarteirão. Só sabemos que sempre tem algumas pessoas entrando e saindo à todo momento e que ficam alguns carros parados causando trânsito. E é aí na hora de reclamar sobre esse entra e saí, trânsito de carros e pessoas é que reparamos este complexo. E pensa que alguém acha que é uma clínica de saúde? Não, já imagina que é algo ilícito ou pior, pensa: “Só pode ser do governo.” . Mas não é assim, como disse anteriormente essas clínicas são muitas vezes ligadas à faculdades e também tem aquelas vinculadas à ONGs que conseguem ajudar a população que vive próximo à ela. Eu mesma já tive esse tipo de preconceito. Próximo à minha residência tem um enorme complexo, do qual sempre estava cheio e causava trânsito no meu caminho para o metro. Vivemos aqui em casa muitos anos sem saber o que ali existia, achamos até que era uma associação religiosa ou algo parecido. Até que pela minha faculdade surgiu a oportunidade de realizar um estágio naquele local. Quando li a respeito do trabalho deles, descobri que é uma ONG que vive de donativos e pertence a pessoas bem influentes da sociedade, mas melhor do que isso é que eles davam todo auxílio para a população carente do bairro do Jabaquara, e lá tinham médicos, nutricionista, dentistas, enfermeiros, creche, centro da juventude e ainda remédio de graça para

quem tinha cadastro. Isso realmente é uma preciosidade, saber que ainda tem muitos lugares escondidos e que ainda as pessoas não descobriram. É assim onde estou atualmente, na faculdade onde realizo meu mestrado eles tem um serviço enorme com diversas especialidades e um hospital e ocupa quase um bairro inteiro, a Vila Clementino. Outro local em que trabalho, que também é uma grande faculdade, é dentro de um bairro muito conhecido de São Paulo, Chácara Santo Antonio e que oferece serviços de especialidade, como odontologia, psicólogos, enfermeiros, nutricionista que muito importantes para a população. Além de todos esses locais oferecerem esse serviço o atendimento é muito bom, todos os profissionais são excelentes, receptivos e sempre muito solidários. Ainda nem todos esses locais são conhecidos, ou até mesmo quando conhecidos são ignorados pela a população. Por isso eu deixo aqui a minha experiência: já utilizei esses serviços, trabalho nesses serviços e vejo que são bons e temos que dar um voto de confiança para eles. E não existem somente estes serviços em São Paulo, existem muitos outros em diversos bairros. Acho que a cidade de São Paulo surpreende no número de serviços disponíveis para o cidadão, mas o que me surpreende é ouvir as pessoas reclamarem tanto sem conhecer todas possibilidades que São Paulo nos oferece. Por isso faço um apelo, peço para que todos comecem a procurar um pouco mais sobre esses serviços, nem precisa ir tão longe, às vezes eles estão do lado da sua casa, assim podemos com isso ajudar a melhorar o serviço público e desafogar os hospitais e tantos outros serviços semelhantes.


Paixão Paulista Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Requiem a Francisco Fabiano Alves

Eu sou aquele menino

Nascido na então Vila de Bauru, Estado de São Paulo, nos idos de 1897, Inicio da nossa República. Seus pais: (Joaquim Francisco Alves e Ana Franco Francisco Alves) Vindos da Bahia, deram ao solo de Piratininga Este valoroso homem! Cidadão de escol, fundador e professor da primeira Escola de Farmácia e Odontologia (1920) de Itapetininga! Intelectual primoroso: professor, Poeta, jurista, escritor, intelectual de escol! Dedicou-se ao desenvolvimento Acadêmico-literário de seus alunos Onde brotaram publicações: Revista Cientifica da Escola de Farmácia Crisálida (1926), O Acadêmico (1934) e Falena (1954), entre outras. O título de Athenas do Sul conferido à cidade, Foi de sua inspiração! Não só de literatura viveu Francisco Fabiano Alves. Seu espírito cívico preponderou em diversas ocasiões: Saiu em defesa de seu Estado, de sua gente em ações de guerra: Fora e dentro de sua Terra: Na Revolução de 1924, como Capitão; Na Revolução de 1930, junto com a Força Pública, Na Revolução de 32, como tenente Num batalhão de voluntários Lá em Santa Rita de Extrema, Cambuí, Bandeirantes em Minas Gerais! De todas as batalhas voltou com o Espírito do dever cumprido! Lá se foi, aos 92 anos (13/08/1990)... Réquiem a tão valoroso herói Onde, em 12 de Setembro de 2011, Em sua homenagem, O núcleo MMDC/Itapetininga Instituiu o Diploma de Honra ao Mérito Capitão Francisco Fabiano Alves!

Eu sou aquele menino Que o tempo foi devorando, Travessura entardecida, Pés inquietos silenciando Na rotina dos sapatos, Mãos afagando lembranças, Olhos fitos no horizonte À espera de outras manhãs -Ai paletós,ai gravatas, Ai cansadas cerimônias, Ai rituais de espera-morte! Quem me devolve o menino Sem estes passos solenes, Sem pensamentos grisalhos, Sem o sorriso cansado! Que varandas me convidam A ser criança de novo, Que mulheres, só meninas, Me tentam cabular As aulas do dia a dia? Eu sou aquele menino Que cresceu por distração

por Frances de Azevedo

Lançamento de livro por Jefferson Biajone

No dia 02 de Junho, no Teatro do Sesi de Itapetininga, o Prof. Jefferson Biajone lançou o seu livro “ITAPETININGA Heróis feitos e instituições”. Para encomendar um exemplar, entre em contato com o autor no email: jbiajone@gmail.com

Página 23

por Paulo Bomfim

Conheçam o trabalho do colaborador Cláudio Senise: http://www.cruzadapaulista1932.com.br/

Aquele menino por Paulo Bomfim

Esgotado nas livrarias e sendo encontrado somente em sebos. Este livro completa o perfil do poeta e do escritor. Em cada crônica a beleza corre solta e às vezes nos emociona até as lágrimas. Na capa deste livro vem um retrato de Paulo Bomfim pintado aos 18 anos, por Annita Malfatti. Hoje, decano da Academia Pta de Letras, a sua vida confunde-se com a vida da cidade de SPaulo.

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y


Personagens Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 24

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Migalhas de Fevereiro por Cel. Mário Fonseca Ventura

Criação do Grupo de Escoteiros “ALDO CHIORATTO”, na cidade de TAUBATÉ, em 1º de fevereiro de 1997. ALDO CHIORATTO morreu durante a Revolução de 32, atingido por estilhaços de uma granada, lançada por um avião “vermelhinho” da ditadura. Não tinha 10 anos de idade. FALECEU mais um veterano do Movimento Constitucionalista de 1932, em 3 de fevereiro de 2005, ANTÔNIO ROBERTO TRAVIA. Nasceu em 1º de julho de 1916. Era nosso associado número 5.073, cuja data de admissão era de 10 de julho de 1964. Com a idade de 16 anos, se empenhou na Revolução, servindo no setor de Abastecimento. Nasce ALARICO FRANCO CAIUBI no ESPÍRITO SANTO DO PINHAL em 5 de fevereiro de 1896. Fez seus primeiros estudos em sua terra natal e,

em 1911, formou-se pela Escola Normal de CAMPINAS. Em 1919 completou seu curso de advogado pela Faculdade de Direito de São Paulo e foi um dos fundadores da LIGA NACIONALISTA. Eleito vereador pela legenda do antigo PARTIDO REPUBLICANO PAULISTA, durante o período de 1926 a 1929, foi presidente do diretório do CAMBUCI, do antigo PRP, até 1930. Em 1932 prestou relevantes serviços a Revolução Constitucionalista, sendo um dos fundadores do MMDC, onde serviu até 14 de julho, quando ingressou no Batalhão SALDANHA, participando de diversas operações de guerra. Nos últimos dias da revolução paulista serviu como MAJOR-COMANDANTE da Praça de ARARAS, onde permaneceu até 1º de outubro de 1932. Em 1945 candidatou-se a deputado federal. Fazia parte de diversas Associações en-

tre as quais a dos Ex-Alunos da Faculdade de Direito e do Instituto de Advogados. Escreveu em diversas revistas, sendo autor de vários trabalhos jurídicos e literários. Falece em 3 de dezembro de 1949.

Nasce o ex-combatente de 32 ANTÔNIO ANDRADE no dia 1º de março de 1915. Falece em 3 de julho de 1989. Combateu pelo BATALHÃO DE IGUAPE.

No dia 26 de julho é assassinado JOÃO PESSOA por JOÃO DANTAS, um oposicionista da PARAÍBA, na cidade do RECIFE. O governo eleito é acusado de crime, muito embora o assassinato tenha sido meramente passional. Facilitou a decisão para a ação da revolução. A Chefia do Estado-Maior da Revolução foi entregue ao TENENTECORONEL GÓIS MONTEIRO. A revolução eclode em 3 de outubro de 1930.

No dia 5 de fevereiro de 2007 falece o veterano de 32 doutor JOÃO BAPTISTA SALLA, aos 93 anos. Ex-aluno salesiano, cirurgião dentista formado pela Universidade de São Paulo. Nasce o ex-combatente do Movimento Constitucionalista de 1932, DOMINGOS SPERDUTTI, no dia 6 de fevereiro de 1916. Falece em 29 de julho de 2006, com 90 anos de idade. Familiares dizem que ele pertenceu ao Batalhão “NOSSA SENHORA APARECIDA”. Clique aqui e leia na íntegra

Migalhas de Março

por Cel. Mário Fonseca Ventura

Nasce REYNALDO RAMOS SALDANHA DA GAMA, veterano da Revolução de 1932, no dia 1º de março de 1905. Falece em 10 de fevereiro de 1991. Nasce o ex–combatente de 32, ANTÔNIO FERREIRA; no dia 1º de março de 1914. Foi terceiro–sargento do 2º Batalhão de Engenharia do Exército Brasileiro, 6º RI, no setor norte “PINHEIRINHO”. Foi presidente da Associação dos CAPACETES DE AÇO de SÃO VICENTE, onde era o associado número 166. Falece em 24 de junho de 2005. Era nosso sócio número 8.981. No dia 26 de dezembro de 2011 compareceu à Sociedade Veteranos de 32MMDC o seu filho LUIZ ANTÔNIO FERREIRA, a fim de solicitar a imortalização do combatente no 9 de julho de 2012, no Monumento Mausoléu do IBIRAPUERA.

Eleições para a sucessão de WASHINGTON LUÍS na presidência do BRASIL. JÚLIO PRESTES, candidato do governo, concorre com GETÚLIO VARGAS (tendo como vice JOÃO PESSOA) e vence em 1º de março de 1930. JÚLIO PRESTES e seu vice VITAL SOARES obtém 1 milhão e 97 mil votos contra 744 mil votos de GETÚLIO VARGAS. Iniciava-se um movimento revolucionário. Os “tenentes” de 1924, estigmatizados como revolucionários e sem chances políticas no sistema vigente, junto com jovens políticos, respaldados com seus postos políticos diante da supremacia de SÃO PAULO nas urnas, arriscam-se a uma ação mais atrevida.

FALECEU mais um ex-combatente do Movimento Constitucionalista de 32, JOSÉ RODRIGUES, no dia 5 de março de 2002. Nasceu em 23 de novembro de 1911. Na época da revolução ele serviu no REGIMENTO DE ENGENHARIA DO MMDC – ACANTONAMENTO EM ÁGUA BRANCA. Clique aqui e leia na íntegra


Personagens Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 25

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Migalhas de Abril

por Cel. Mário Fonseca Ventura

Falece o veterano da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932, WALDEMAR BITTENCOURT DE CARVALHO, então com 90 anos. Serviu no BATALHÃO que atuou nas regiões de QUELUZ e CRUZEIRO. Morre em 1º de abril de 2000. Nasce o ex-combatente de 32, AMADEU BATISTA ROMANO. Serviu no BATALHÃO DO BRÁS. Consta o seu nome da relação de presos da ILHA DAS FLORES. Foi sócio número 1.482 da SOCIEDADE VETERANOS DE 32MMDC, desde 19 de março de 1959. Nasce em 3 de abril de 1912. Falece em 28 de agosto de 2003. Em 5 de abril de 1933 era realizada a Convocação da Assembléia Nacional Constituinte. Foi instalada em 15 de novembro de 1933. A nova Constituição foi promulgada em 16 de julho de 1934, exatos 723 dias depois do 9 de Ju-

lho de 1932, quando “estourou” a Revolução Constitucionalista. Falece o ex–revolucionário do Movimento Constitucionalista de 32, LAERTE TEIXEIRA DE ASSUMPÇÃO, em 5 de abril de 1950. Foi diretor do jornal COMÉRCIO DE SÃO PAULO. Fundador e presidente do PARTIDO CONSTITUCIONALISTA, em 1934. Presidente da Constituinte. Deputado Estadual, 1935/1937 e presidente da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo em 1935/36. MAJOR Ref. VICENTE TEODORO DOS SANTOS, ex-combatente de 1932 também falece em 5 de abril de 1999. Esse veterano nasceu em 10 de março de 1898 vivendo 101 anos. No dia 7 de abril de 1888 nasce BENEDICTO AUGUSTO DE FREITAS MONTENEGRO, em JAÚ. Falece em

São Paulo, no dia 23 de agosto de 1979. Foi cirurgião adjunto da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e do Sanatório Santa Catarina em 1911/1918. Tenente–Coronel e chefe da Missão Médica Brasileira durante a PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL, servindo como médico voluntário no Exército da FRANÇA, que em reconhecimento concedeu-lhe a “LEGIÃO DE HONRA”. Participou da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 32. Foi membro de diversos órgãos representativos da área médica no Brasil e no exterior. Autor de vários livros, notadamente de interesse da medicina. Foi jogador de futebol do TEAM DE HANS NOBLING, posteriormente S.C. GERMÂNIA e atualmente E.C. PINHEIROS. Pioneiro da cirurgia plástica no BRASIL. Foi deputado estadual em 1935/36. Clique aqui e leia na íntegra

Migalhas de Maio

por Cel. Mário Fonseca Ventura

No dia 5 de maio de 1935 falece o CORONEL JOAQUIM THEOPOMPO DE GODOY VASCONCELLOS, veterano da Revolução de 32. No dia 3 de maio de 1969 falece o Coronel Ref. BENEDICTO DE CASTRO OLIVEIRA, ex–combatente de 32. Como CAPITÃO, ele comandou o Batalhão de Voluntários de SOCORRO. Seu sub–cmt. foi o então segundo– tenente RUBENS TEIXEIRA BRANCO. Em 32, pertencia ao Batalhão de SOCORRO, o então aluno–oficial JONAS FLORES RIBEIRO. TEIXEIRA BRANCO chegou a ser cmt. da FP e JONAS foi comandante do CORPO DE BOMBEIROS. FALECEU em 3 de maio de 2001 o excombatente EDUARDO TONANNI,

pertencente ao 2o. Batalhão Auxiliar da Força Pública, formado em Santo Amaro, em 12 de julho de 1932, denominado BATALHÃO MARCÍLIO FRANCO. EDUARDO TONANNI nasceu em 4 de julho de 1910. Estava com 90 anos. Faleceu o CORONEL JOAQUIM THEOPOMPO DE GODOY VASCONCELLOS, veterano da Revolução de 32, em 5 de maio de 1935. Faleceu o “MAESTRO AZEVEDO” em SÃO JOÃO DA BOA VISTA, no dia 5 de maio de 1952. Nasceu em 1872, na Cidade do ESPÍRITO SANTO DO PINHAL. Foi militar, jornalista, literato, maestro, compositor. Foi Chefe da célebre Corporação Musical Internacional de SÃO JOÃO DA BOA VISTA,

de 1900 a 1910. Em 1920, foi agraciado pelo monarca ALBERTO I, com a Comenda da Ordem da Coroa da BÉLGICA. Foi maestro da Banda da Força Pública de São Paulo e do Corpo de Bombeiros, de SANTOS. Quando do Movimento Constitucionalista de 1932, já com 60 anos, alistou-se como voluntário do BATALHÃO FERROVIÁRIO, com a patente de 1º TENENTE e permaneceu no seu posto até o encerramento das hostilidades. No dia 5 de setembro de 2004, na Praça situada atrás do PALACE CASSINO, aconteceu o 1º Encontro e Confraternização de Bandas de Música e Orquestras, em POÇOS DE CALDAS, em comemoração aos 90 anos de Fundação da Banda Municipal “MAESTRO AZEVEDO”. Clique aqui e leia na íntegra


Personagens Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 26

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Aniversário de Romão Gomes por Cel. Mário Fonseca Ventura

Nasce ROMÃO GOMES, em SÃO MANOEL (SP), no dia 27 de junho de 1895. Filho de ANTÔNIO GOMES e de dona TEREZA MUNHOZ. Ingressou na então FORÇA PÚBLICA em 13 de julho de 1911. Foi declarado ASPIRANTE A OFICIAL em 18 de janeiro de 1923. Participou dos movimentos revolucionários de 1924 e 1930. Ao eclodir o NOVE DE JULHO, era CAPITÃO, ao tempo em que se bacharelava pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (hoje Faculdade de Direito da USP), pela Turma de 1932. No curso do movimento constitucionalista atingiu o posto de TENENTECORONEL em 30 de setembro de 1932, por haver, à testa da COLUNA que ostentava seu nome, levado os combates ao interior do território mineiro, onde construiu fama inexcedível de bravura e liderança e uma aura de invencibilidade, somente retrocedendo ao território paulista em cumprimento a ordens superiores.

Recusando-se a reconhecer os termos do armistício com a ditadura, foi um

dos últimos combatentes paulistas a depor as armas, quando não mais havia condições para dar seqüência à luta.

Terminada a revolução, foi exilado para PORTUGAL, onde permaneceu quase um ano, voltando incógnito ao BRASIL. Posteriormente foi indultado. Em 1935, cercado da mística de guerreiro invicto e grande Comandante, foi eleito Deputado Estadual, tendo exercido o mandato até 1937. Exerceu as funções de Consultor da FORÇA PÚBLICA e foi o primeiro militar a exercer a judicatura no Tribunal de Justiça Militar do Estado. Recebeu inúmeras medalhas e honrarias, tendo sido sempre alvo de homenagens, até seu falecimento, no dia 11 de janeiro de 1946. Os restos mortais de ROMÃO GOMES foram trasladados de SÃO JOSÉ DOS CAMPOS para SÃO PAULO, em 9 de Julho de 1958, para o Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, no IBIRAPUERA. Na Capital, em sua homenagem, foi dado seu nome ao PRESÍDIO MILITAR, a uma Escola Municipal e a uma rua, no bairro do BUTANTÃ.

História do presídio militar “Romão Gomes” por Polícia Militar SP

Inaugurado no dia 21 de Abril de 1949, provisoriamente na Invernada do Barro Branco, ficando subordinado ao Contingente do Quartel General; seu primeiro Comandante foi o Primeiro Tenente Yolando Prado. Suas instalações iniciais eram precárias por demais, sendo que foi instalado em dois barracões que serviam como depósito de alfafa ao destacamento de cavalaria do C.I.M. (Centro de Instrução Militar). Posteriormente, foi transferido para a casa que serviu como moradia dos Comandantes do CFA (Centro de Formação e Aperfeiçoamento, hoje APMBB - Academia de Policia Militar do Barro Branco).

Como as acomodações eram precárias, criou-se no Regimento de Cavalaria nove de Julho, xadrezes destinados à Subseção Correcional. Unidade Administrativa Passou a funcionar como unidade administrativa autônoma a partir de 15 de Janeiro de 1952, sendo que em 18 de Agosto de 1954, foi oficializado pelo decreto nº 28.653. Desde sua fundação, funcionou como unidade autônoma, subordinada administrativamente ao Comando Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo e juridicamente ao Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo. Foi criado com o nome de Presídio Militar “Romão Gomes” no tempo da Força Pública do Estado de São Paulo e ainda por alguns anos man-

teve o seu nome, depois da unificação no ano de 1969, entre a Força Pública do Estado de São Paulo e Guarda Civil, resultando a Polícia Militar do Estado de São Paulo. Em 15 de Dezembro de 1975, surge o decreto nº 7.290, mudando seu nome para: Presídio da Polícia Militar “Romão Gomes”. Coronel Doutor Romão Gomes Seu nome foi uma homenagem prestada ao Coronel Dr. Romão Gomes, ilustre militar e participante do movimento de 1932. Juntamente com a carreira militar, bacharelou-se em direito em 24 de Novembro de 1937, tendo sido o primeiro militar, Juiz do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo.


PM em Destaque Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 27

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Conheça o Núcleo MMDC Leste por Ten PM Natanael Soares Santos

A Sociedade Veteranos de 32 – MMDC somente tem a agredecer pelo empenho e forte parceria do Núcleo MMDC Leste, que tem desempenhado brilhantemente sua função, somente elevando a memória dos nossos Heróis de 32 e agraciando nossos Heróis tão valorosos do presente. Conheçam o trabalho tão bonito desta esquipe! Segue breve histórico e confiram o site! Núcleo “MMDC LESTE – Juventude Constitucionalista, é uma Entidade Filantrópica de Direito Privado, sem fins lucrativos, originária da Sociedade Veteranos de 32 -MMDC, Reconhecida de Utilidade Pública pela Lei Estadual Nº 5.530 de 14/01/1960 e Decreto Municipal Nº 8.790 de 23/05/1970, bem como Estatuto próprio registrado em Cartório. MMDC Leste tem por objetivo cultuar e propagar o civismo, patriotismo, bem como os ideais de fraternidade, igualdade e liberdade, através dos valores ético-morais, dando ênfase aos feitos heróicos do Movimento conhecido

como “A Revolução Constitucionalista de 1932” em que o povo paulista conjuntamente com outros nacionais e até estrangeiros que moravam em São Paulo, promoveram uma revolução que reivindicava uma Constituição que validasse os direitos e garantias individuais do povo, pois o governo federal não atendia aos ideais de democracia ansiados pelos brasileiros. Consta que no dia 23 de maio de 1932, na Pça da República, em uma manifestação pró-constituição, agentes do governo ditatorial, balearam e mataram 04(quatro) estudantes, que se tornaram mártires e heróis, conhecidos como M.M.D.C.: Martins, Miragaia, Drausio e Camargo. A morte dos M.M.D.C. culminou na “Guerra dos Paulistas”, que se iniciou em 9 de julho de 32, cessando-se as hostilidades bélicas do armistício em 02 de outubro daquele ano. Os bons reflexos que tais feitos heróicos dos MMDC nos trouxeram, resultou tempos após, em uma Carta Constituinte do Governo Federal, assegurando e propiciando à democracia não só aos paulistas, mas a todos os brasileiros.

Digna-se constar, que a Lei Fed. nº 12.430, de 20 de junho de 2011 decretada pelo Congresso Nacional e sancionada pela presidenta Dilma Rousseff, inscreveu os nomes dos heróis paulistas da Revolução Constitucionalista de 1932: Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo (MMDC), no Livro dos Heróis da Pátria. Como forma de reconhecer tais feitos heróicos dos combatentes e apoiadores da Revolução Constitucionalista de 32, o MMDC LESTE, outorga 03(três) tipos diferentes de Medalhas: •

23 de Maio - Medalha MMDC;

9 de Julho – Medalha Constitucionalista;

02 de outubro – Medalha Governador Pedro de Toledo.

Em tais datas comemorativas, poder-se-ão também ser entregues os três tipos de medalhas concomitantemente. Clique aqui e conheça o site: http://www.mmdcleste.com.br/

MMDC Leste

MMDC Leste

MMDC Leste

MMDC Leste

MMDC Leste

MMDC Leste


PM em Destaque Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 28

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Solenidade de entrega de medalha “Cadete Ruytemberg Rocha” por Yuri Abyaza Costa

Na quarta feira, 18/05/2012, o NCRR (Núcleo Cadete Ruytembeerg Rocha) outorgou a medalha “Cadete Constitucionalista a algumas autoridades e civis, em solenidade realizada na Academia de Polícia Militar do Barro Branco. Estiveram presentes o Presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo, deputado Barros Munhoz (PSDB); o Diretor da Academia, coronel PM José MAURÍCIO Weisshaupt Perez; o Diretor de Ensino, coronel PM Luiz Eduardo Pesce de Arruda e outras autoridades. Acompanharam a solenidade, o coronel Ref. Ventura, presidente da Associação dos Veteranos de 32 MMDC, a Loja GOSP e os cadetes do NCRR representados pelo tenente Narliche. A Revolução Constitucionalista de 1932, foi um movimento revolucionário que desencadeou em São Paulo, no dia 09 de julho daquele ano, (a data 09 foi escolhida pelo marechal Isidoro Dias Lopes, por ter sido a mes-

ma data em que a Revolução Brasileira de 1924 - que também eclodiu em São Paulo - conquistou a capital paulista naquele ano). O movimento de 32 objetivava a reforma da Constituinte, prometida por Getúlio Vargas, ao final da Revolução de 1930 (vale lembrar que a Revolução de 1930 é o final da Revolução Brasileira de 1924). A Re-

riormente ele havia marcado. Segundo Juarez Távora, não seria conveniente a reforma constitucional e uma eleição, imediatamente após 30, porque o povo, ainda viciado nos costumes antigos, elegeria os mesmos que foram depostos por aquele movimento. Segundo o historiador Hernâni Donato, o general Goes Monteiro, sabedor do movimento de 32, mandou esvaziar os paióis dos quarteis da Força Pública Paulista, o que contribuiu para a derrocada revolucionária. No entanto, a Revolução de 1932 venceu moralmente.

O Núcleo “CADETE RUYTEMBERG ROCHA” surgiu a partir de uma célula germinativa formada por um grupo de alunos oficiais da Academia de Policia Militar Yuri Abyaza Costa do Barro Branco - APMBB, que acalentavam a criação de uma envolução de 1932 durou três meses, foi tidade que se imortaliza e difunde-se a derrotada militarmente pelas tropas participação dos cadetes da APMBB na de Getúlio Vargas, que fez a Constituinte em 1934, mesma data que ante- Revolução Constitucionalista de 1932. Ten. Anderson Brasil

Yuri Abyaza Costa

Yuri Abyaza Costa


Reserva Cultural Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 29

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

Mostra do Clube Paulistano Com a doação dos familiares, o Centro Pró-Memória do Clube irá mostrar a Revolução de 1932 tal como foi vivenciada por associados que se alistaram emcolaboração aos paulistas. No local haverá exibição de objetos, como o uniforme utilizado por Arthur Friedenreich na batalha, capacetes, armas de fogo e demais artefatos que trazem os clamores da época para os dias atuais. Além do espaço de exposições no acesso à garagem, os sócios também poderão apreciar, pela primeira vez, reproduções de jornais publicados durante a época, que estarão em painéis expostos nas portarias e locais de grande circulação no Clube. Mostra: 5 a 31/7 Local: espaço expositivo do Centro Pró-Memória na portaria da garada garagem Contato: 11 3065-2000

O 9º Curso de História de São Paulo, abordará temas sobre os movimentos revolucionários que ocorreram em São Paulo desde os tempos coloniais. Data: 16/08/2012 - 5a feira Horário: 09h00 Local: Espaço Sociocultural - Teatro CIEE, Rua Taubapuã, 445 - 1. andar - Itaim Bibi - SP Mais informações no site e inscrições: http://www.ciee.org.br/

Apresentação musical com o corpo musical da Polícia Militar do Estado de São Paulo Data: 20/07/2012 - 6a feira Horário: 19h30 Local: Espaço Sociocultural - Teatro CIEE, Rua Taubapuã, 445 - 1. andar - Itaim Bibi - SP Mais informações no site e inscrições: http://www.ciee.org.br/


Reserva Cultural Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

Página 30

Nas bancas! Saiba mais sobre a Revolução de1932. Adquira o seu exemplar!

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y


Leitura Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

ANIVERSARIANTES DE FEVEREIRO

ANIVERSARIANTES DE MARÇO

ANIVERSARIANTES DE ABRIL

ANIVERSARIANTES DE MAIO

05/02 – CARLOS ROBERTO VENÂNCIO 05/02 – ANGÉLICA MARINO FEITOSA 05/02 – PAULO ANTONIO LEMOS 05/02 – JOSÉ CARLOS DI SISTO ALMEIDA 06/02 – CAP RICARDO S. BARRETO 06/02 – JOSÉ GUILHERME LEVENSTEN 07/02 – FRANCISCO GEORGE TRAJANO 08/02 – MILTON LUIZ F. BASILE 13/02 – LEONARDO LELIS DE ALMEIDA 14/02 – LILIANA RIZZO PIAZZA 16/02 – LUCIO DE MORAES OLIVEIRA 17/02 – ROGÉRIO SOUTO DA COSTA 17/02 – PAULO F. DE CAMPOS DE TOLEDO 19/02 – TEN MODESTO DE O. AZEVEDO 21/02 – THIAGO ALLEGRETTI DE CASTRO 21/02 – VICTOR ADOLFO CARVALHO E SILVA 22/02 – ARTHUR CESAR FALCÃO 24/02 – JOSÉ PALAZOLO 25/03 – PAULO CÉSAR GOMES 26/02 – CAP PM ANISIO ARAUJO DOS SANTOS 26/02 – VALDIR CANDIDO MARTINS 27/02 – CEL. ROBERTO GUEIROS DA SILVA 28/02 – WALTER CASTRO GARCIA

01/04 – DINORAH RIBAS STRUFFALDI 03/04 - TEN LUIZ SÉRGIO MUSSOLINI FILHO 04/04 – MARIA ADELAIDE PIRES DE LIMA 06/04 – Dr. OSVALDO CARON 07/04 – Dr. FÁBIO MARCOS B. TROMBETTI 09/04 – JOSÉ FARIA DA SILVA 10/04 – CAIO CAVALCANTE M. DE B. LIMA 10/04 – VANDERLEI CANCEIÇÃO DE LIMA 12/04 – MANUEL LAURO 12/04 – FABRÍCIO ANGELO PIAZZA 15/04 – RAYMUNDA F. DE SOUZA PAULA 15/04 – THIAGO DE MORAES 17/04 – ALFREDO DUARTE DOS SANTOS 18/04 – JORGE EDUARDO DE ALMEIDA BEZERRA 21/04 – Major PM AMÉRICO MASSAKI HIGUTI 23/04 – RELDER S. DE SOUZA FIALHO 25/04 – ROGÉRIO FERREIRA GOMES 25/04 – FELIPE CORDEIRO DAS NEVES 26/04 – TEN CEL SERGIO DE SOUZA MERLO 29/04 – TEN ALEKSANDER TOALDO LACERDA

Página 31

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

06/03 – JOÃO DE SÁ TEIXEIRA NEVES 06/03 – MARLY ACCAUI PAGLIA LONGA 07/03 – MARIA APARECIDA H. CAMARGO 09/03 – LUIS CARLOS MAGALDI 10/03 – Cel. ANTONIO CARLOS MENDES 11/03 – JOSÉ RICARDO NAHRLICH JUNIOR 12/03 – MARIA MARTHA MATARAZZO 15/03 – JOHANNES KOZLOWSKI 17/03 – RICARDO LUIS MARTINS SCALISE 18/03 – FRANCES DE AZEVEDO 20/03 – DANIEL RODRIGUES PRADO 20/03 – MAJ. PM SERGIO OLIMPIO GOMES 21/03 – JOSÉ CARLOS BARONE 24/03 – MITSUKO MATSUMURA MAIA 27/03 – ROBERTO ALEXANDER DE O. GONÇALVES 27/03 – Cap. PM GALDINO VIEIRA DA SILVA NETO 28/03 – MARIA HELENA MARCONDES DE O. SANTOS 28/03 – LUIZ EDUARDO PESCE DE ARRUDA 28/03 – BEATRIZ DE ASSIS B. MORASSI 30/03 – Cel. JAIRO PAES DE LIRA 30/03 – Dr. RODRIGO GUILHERME VAROTTI PEREIRA

02/05 – VERA C. DE CASTRO CINTA 03/05 - JOSÉ DE ÁVILA CRUZ 06/05 – GHIORGIONY FRANKLIN DA SILVA 06/ 05 – REGINA LUCIA DOS SANTOS 06/05 – VITOR JOSÉ BAZZO 07/05 – ADRIANO VIEIRA BRAZ 11/05 – CARLOS H. MARQUESINI MACHADO 12/05 – EUCLIDES CACHIOLI DE LIMA 15/05 – NILCE VALDERRAMA GONÇALVES 17/05 – Cel PM UBIRAJARA DIAS FERNANDES 18/05 – GERSON REDICOPA JUNIOR 21/05 - JOSÉ CARLOS GARCIA DE ABREU 23/05 – MILTON MORASSI DO PRADO 24/05 – LUIZ CARLOS NOGUEIRA 26/05 – WALTER MENDES MAGALHAES JR. 26/05 – EDUARDO CENEVIVA BERARDO 28/05 – DAVID CAPARELLI 30/05 – LUIS HUMBERTO CAPARROZ 30/05 – ALEXANDRE VITORINO ROLDAN 30/05 – MARIO MARIANO MACHADO


Leitura Edição 14 - Sociedade Veteranos de 32 - MMDC

ANIVERSARIANTES DE JUNHO

01/06 – FERNANDO TÚBERO 01/06 – FABIO MOURÃO SANDOVAL 05/06 – LUCIANA GREANIN ROSTELLO 08/06 – MANOEL FLAVIO DE C. BARROS 09/06 – PEDRO CARVALHO BOTTALO 09/06 – Dr. CARLOS ALBERTO M. ROMAGNOLI 09/06 – JORGE NAGADO 13/06 – RAIMUNDO DE SOUZA GOMES 13/06 – ARTHUR A. P. RUDGE CASTILHO 14/ 06 – LIGIA APARECIDA SOTO RUBIO 15/06 – AUGUSTO NAKANO MARTINS 16/06 – GUSTAVO DANIEL RANDI 16/06 – RONALDO LUIZ BILHA 16/06 – GUSTAVO DANIELL RANDI 17/06 – MANOEL DUARTE SAKOSIGUE 19/06 – JOAQUIM DA SILVA PIRES 19/06 – CEL PM RENATO CERQUEIRA CAMPOS* 20/06 – RENATA MARILIA NOBRE R. DA LUZ 21/06 – MARILENA SANTOS DE O ALMEIDA 21/06 – JOÃO PAULO MARQUESINI MACHADO 22/06 – EDUARDO GARCIA DA C. MARQUES 23/06 – JOÃO COLUCCI 24/06 – DR. LUIZ SÉRGIO CARRARO 26/04 – RADAMÉS CATULLO BERNI NETO 27/06 – FERNANDO A. C. PUPO LEITE 27/06 – ALEXANDRE LUCCI 28/06 – EGYDIO JOÃO TISIANI 28/06 – ANTONIO CESAR LANDI JUNIOR 28/06 – RUBENS RODRIGUES LOUREIRO 28/06 – GIAMBATISTA SERRA DI NERVI

SÓCIOS NOVOS

Página 32

ANIVERSARIANTES DE JULHO

z

São Paulo, 30 de junho de 2.012

y

01/07 – ROSA BARBOSA GALVÃO NOGUEIRA 02/07 – BRUNO PIAGENTINI NETO 03/07 - MYRNA DE BARROS LIMA IBRAHIM 05/07 – ORIVALDA ARGENTINA DIANA 09/07 – AMADO RUBIO 12/07 – ANDERSON LUIZ ALVES DOS SANTOS 13/07 – ANTONIO CARLOS N. HOMEM 17/07 – DR. FRANCISCO ANTONIO BIANCO NETO 18/07 – LUAN GUERREIRO PEREIRA 19/07 – MARIA ZILDA DE PADUA FERRAZ 19/07 – YARA STRUFFALDI DE VUONO 20/07 – MARIA VICHI FRANÇA 22/07 – Dr. ARIOVALDO DE F. CHACUR 22/07 – IRINEIA MARIA BRAZ P. SENISE 23/07 – TEN. PM JOÃO LUIZ MIGHETI COSTA 23/07 – HÉLCIO DE ABREU DALLARI JUNIOR 23/07 – MARIANO PRIETO 23/07 – EDUARDO CASAGRANDI MANSOLDO FILHO 13/07 – ALVARO ZOCCHIO JUNIOR 24/07 – JOÃO BAPTISTA DE OLIVEIRA 26/07 – TEN PM NATANAEL SOARES DOS SANTOS 27/07 – ALEXANDRE LUCCI 27/07 – AGUINALDO RIBEIRO CUNHA FILHO 29/07 – ÁLVARO TAVARES HOMES DE SOUSA 29/07 – MARIO JOÃO SALVIATTO 30/07 – HELDER OCTAVIO RODRIGUES BORGES 31/07 – CAP PM HÉLIO PATRICIO JÚNIOR 31/07 – JOÃO CAROLINO RAMOS 31/07 – MAURO DA SILVA VENTURA

LUIZ ROEBERTO WEBA PABLO PILON CAMASANO JULIO DARVAS SABINA VASCONCELOS ADRIANO DA SILVA FABIO LOUREIRO TEODORO FORTUNATO EDUARDO ALVES VELHO DIRCE CAMPOS MUGUEL PAULICHI DE ARAUJO GUILHERME LAZO SOLANO NETO TIAGO SOARES DE FREITAS

MARIO LOBP PILLER NETO MAYUMI FINEZA MORIBE GABRIEL LEIVAS MÜLLER HOFF EDSON RONTANI JUNIOR JAIRO SOARES DOS SANTOS GABRIEL LEIVAS MÜLLER HOFF JAIRO SOARES DOS SANTOS LUCAS NUNES DA FRANÇA ALEX OLIVEIRA DE MOURA LUCIANA GREANIN ROSTELLO RICARDO PIRES GUSTAVO DANIEL RANDI

Expediente Publicação: Sociedade Veteranos de 32 -­‐ MMDC Site: www.sociedademmdc.com.br Contribuições: mmdc32@terra.com.br Produção: Camila Giudice -­‐ Diretora de Comunicação Social Editores: Camila Giudice e Markus Runk

Redatores: diversos autores Fotografia: diversos autores Criação e diagramação: Markus Runk Agradecimentos: A todos que possibilitam o desenvolvimento deste jornal e a todos os leitores! Publicação: Mensal -­‐ Tiragem: Eletrônico -­‐ Distribuição: Gratuito

32 em Movimento Especial - 1Sem2012  

Jornal da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, com o intuito de manter a perpetuação da memória dos heróis de 32