Page 1

A história dos Irmãos do Sagrado Coração Uma viagem pelos momentos mais marcantes do Instituto

REVISTA IRSC | 1


Editorial L

ançar um olhar para a história e fazer memória das experiências vividas desde a origem requer uma visão de reconhecimento e gratidão pela criação, caminhada e a presença de diversas pessoas na existência do Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração desde 1821. Por isso, é grande a nossa alegria ao entregar em suas mãos essa revista que conta e ilustra essa caminhada pelo Brasil e pelo mundo. Um dos objetivos da revista é apresentar a história do Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração. Trata-se de uma história marcada pelo amor e pelo cuidado de diversos homens que se consagraram como religiosos irmãos para educar e evangelizar crianças, adolescentes e jovens. Tudo começou pela inspiração e o carisma do Pe. André Coindre, um jovem francês que em Lyon quis fundar um Instituto de Irmãos para cuidar de meninos que sofriam com o contexto trágico a que foram submetidos pela Revolução Francesa: ficaram órfãos, sem possibilidades de estudar, aprender um ofício e sem perspectivas de futuro.

- EXPEDIENTE -

Diante do entusiasmo e do convite do Pe. André, dez jovens se consagraram e, assim, nasceu o Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração. Com muita simplicidade e zelo o Instituto expandiu e hoje está presente nos cinco continentes em trinta e três países. Uma história que se aproxima do seu bicentenário e que conta com a educação integral de milhares de crianças e jovens. Muitas são as pessoas que cresceram junto com a expansão do Instituto e tiveram a alegria de serem educadas pelos Irmãos do Sagrado Coração.

REVISTA ILUSTRADA IRMÃOS DO SAGRADO CORAÇÃO Produção: Depto. de Marketing do Colégio Cristo Rei Responsável: Alexandre de Oliveira Andrade Jornalista: Natália Santos (MTB 51.793) Ilustrações e projeto gráfico: Márcio R. Martins Fotos: Arquivo Irmãos do Sagrado Coração Colaboração: José Antônio (Zem) Revisão: Prof. Ernaldo F. dos Santos Tiragem: 2.000 exemplares Impressão: Idealiza Gráfica e Editora

No Brasil, desde 1945 os Irmãos do Sagrado Coração oferecem educação de qualidade em colégios, em centros sociais e centros de formação humana e religiosa. Uma caminhada marcada de luzes e trevas, acertos e desencontros, avanços e necessários recomeços, de caminhos abertos e de situações a serem redimensionadas. Uma história em terras brasileiras marcada pela coragem missionária dos Irmãos canadenses que aqui iniciaram essa missão. Uma história marcada pelo zelo e perseverança dos Irmãos brasileiros que se comprometem a levar avante essa missão. Uma história compartilhada com diversas pessoas que assumiram, como colaboradores, a missão de propagar o amor através da educação e evangelização. E, sobretudo, uma história que possibilitou o desenvolvimento, o crescimento e a idoneidade de muitas crianças e jovens. Enfim, o convite é para que ao revisitarmos a história do Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração possamos lançar novos olhares e renovarmos a nossa experiência como pessoas participantes e continuadoras dessa história e missão. Compartilhar o carisma, herdado do Pe. André Coindre, consiste em crer no amor de Deus e no amor entre as pessoas, viver esse amor e propagá-lo.

Ir. Elton Lopes da Silva

Provincial: Ir. José Roberto de Carvalho, SC Conselho Provincial: Ir. Elton Lopes da Silva, SC; Ir. Juvânio Gonçalves Costa, SC; Ir. Augusto Cezar Silva Pereira, SC e Ir. Auristênio Batista Bandeira, SC. Equipe do Serviço de Animação Vocacional: Ir. Felipe Paiva, SC; Ir. Elton Lopes da Silva, SC; Ir. Auristênio Batista Bandeira, SC; Ir. Cleverson Nazário, SC; Ir. Cláudio Ferreira, SC, Ir. Thiago Carvalho, SC e Ir. Ricardo Calori, SC. Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração Rua: Pe. Sylvain Tardif, 200 – Bairro: Juvenato – Paraguaçu/MG CEP: 37.120-000 - Fone: (35) 3267-1106 email: felipepv3@gmail.com.br - www.irsc.com.br


Índice

04 A HISTÓRIA DOS IRMÃOS DO SAGRADO CORAÇÃO Uma viagem pelos momentos mais marcantes do Instituto

ENTREVISTA COM PRIMEIRO PROVINCIAL BRASILEIRO

18

Com 49 anos de Profissão Religiosa, Ir. Olinto Manoel de Oliveira conta suas experiências e trabalhos no Instituto

AMANDO E SERVINDO AOS JOVENS

A VIDA DO IRMÃO

20

Saiba como é a rotina de um membro do Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração

24

A dedicação dos Irmãos do Sagrado Coração na Evangelização da Juventude

28

NEUROLINGUÍSTICA Cuidar do ser humano é vocação dos Irmãos do Sagrado Coração

FORMAÇÃO DE IRMÃOS E COLABORADORES

23

Constante aprimoramento é característica do Instituto

CENTROS SOCIAIS

26

Casas de acolhida oferecem nova perspectiva de vida a crianças, adolescentes e jovens carentes

OS IRMÃOS DO SAGRADO CORAÇÃO E O COLÉGIO CRISTO REI A vocação de educar

30


Trajetória

A história dos Irmãos do Sagrado Coração Uma viagem pelos momentos mais marcantes do Instituto Nas próximas páginas você REVOLUÇÃO conhecerá uma história fascinante que FRANCESA poderia muito bem ser roteiro de um filme ou compor as páginas de um livro de ficção. Entretanto, nossos personagens são reais, assim como todas as suas realizações. Trata-se de uma história de amor: amor cristão, amor pelas pessoas, amor pela vida, enfim um amor sublime que impulsionou e continua movendo cada passo da caminhada dos Irmãos do Sagrado Coração.

A REALIDADE ONDE FRUTIFICOU O SURGIMENTO DO INSTITUTO Para compreendermos melhor esta história vamos entender em que contexto ela começou.


A vida dos trabalhadores e camponeses era de extrema miséria. A burguesia, mesmo tendo uma condição social melhor, desejava maior participação política e mais liberdade econômica. Foi diante deste clima de insatisfação que o povo se uniu e decidiu ganhar às ruas para tomar o poder. O lema dos revolucionários era “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”. O processo revolucionário se estendeu por 10 anos (1789-1799) e, apesar de ter alcançado grandes conquistas para a humanidade, deixou profundas marcas com massacres, prisões e fome. Nos anos seguintes, a França viveu períodos de constantes batalhas e golpes, especialmente durante o período napoleônico. Diante deste cenário desolador, segundo palavras do Padre André Coindre, viam-se “montões de jovens pobres que vagavam pelas cidades. Alguns eram enviados pela família para diminuir o número das pessoas e assim poderem sobreviver, outros haviam abandonado a família, ou melhor, haviam sido abandonados por ela. Ofereciam-se para trabalhar não importa em que trabalho. Pediam esmolas e roubavam”.

Trajetória

Na França do Século XVIII, a injustiça social e a crise econômica chegavam a condições insustentáveis. Porém, o regime absolutista condenava, quem ousasse se opor, à Bastilha (prisão política da Monarquia) ou à guilhotina.


Trajetória

PADRE ANDRÉ COINDRE IDEALISMO, AMOR AO PRÓXIMO E DEDICAÇÃO À VIDA CRISTÃ

O

Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração nasceu como resposta do Padre André Coindre às necessidades da época. Mas, antes de seguir adiante em nossa história, vamos saber um pouco mais sobre o homem que deu início a esta missão. André nasceu em 1787, em Lyon, na França. Ensinado por sua mãe, aprendeu desde cedo a rezar. Sempre estudou em seminários, e em 1812 recebeu a unção sacerdotal e tornou-se padre. Em 1815, entrou para a Sociedade Missionária de Lyon, conhecida como Cartuxos, onde se destacou como orador. Seu trabalho na Igreja teve como característica o espírito missionário, visitando lugares distantes, levando a Palavra de Deus. Em uma de suas andanças, Pe. André Coindre encontrou algumas meninas abandonadas e sentiu, neste momento, sua verdadeira vocação.

Ele conduziu as meninas até Claudine Thévenet que as acolheu e juntos fundaram o Instituto das Religiosas de Jesus e Maria. A partir deste fato, Padre André Coindre se dedicou à “aventura” de buscar maneiras de acolher crianças e jovens, dando-lhes formação cristã e oportunidades para construir uma vida digna, assim como ele próprio narra em uma de suas cartas: “Senti em minha alma como uma voz que me dizia: Você não prega tanto o amor de Deus? Não é o seu tema preferido? Pois o amor de Deus é para ajudá-lo a dar uma resposta a essas pessoas. Procure encontrar para elas um lar. E assim começou a minha aventura”. O Padre André Coindre viveu apenas cinco anos após ter fundado o Instituto. Em 1826, com a saúde esgotada, adoeceu e veio a falecer na Santa Casa de Blois (França) aos 39 anos. Mesmo com a morte precoce deixou um legado perene.

REVISTA IRSC | 6


Trajetória

A FUNDAÇÃO DO INSTITUTO OS PRIMEIROS PASSOS DE UMA PRÓSPERA CAMINHADA

N

o início do século XIX a França sofria com o desemprego. Muitas crianças, adolescentes e jovens estavam órfãos, pois haviam perdido seus pais nas guerras ou então foram abandonados pelas famílias. Com o coração sensibilizado por esta triste situação, o Padre André Coindre, usando seus próprios recursos e com algumas doações da comunidade, comprou um local para acolher e cuidar da ressocialização de crianças e adolescentes carentes. Esta obra começou a funcionar em 1819 e levou o nome de Pieux-Secours (Piedoso Socorro). Além de recursos financeiros, o Pe. André Coindre precisava de pessoas que o ajudassem a cuidar da obra e dar continuidade a ela. Foi então que teve a ideia de fundar o Instituto de Irmãos. Reunir pessoas que, assim como ele, se indignavam

com a desigualdade social e com a exclusão dos mais pobres e sentiam a vocação de doar-se pelos menos favorecidos, seguindo os ensinamentos de Jesus. Surgia o Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração. Em 30 de setembro de 1821 os primeiros Irmãos professaram os votos, o que representa oficialmente a consagração a Deus. Entre eles estavam Guillaume Arnaud, responsável pelas oficinas do Pieux-Secours, o professor François Porchet e Claude Mélindond, um jovem professor. Na ocasião dos votos, o fundador deu, a cada um deles, um nome religioso: Ir. Xavier, Ir. Paulo e Ir. Francisco. Até 1964, ao entrar para o Instituto, os Irmãos mudavam de nome, o que representava o desapego pelas coisas que ficavam para trás. Estes três primeiros discípulos foram, junto com o Pe. André, o alicerce do Instituto durante os primeiros anos, buscando novos candidatos e dando seguimentos às atividades.

REVISTA IRSC | 7


Trajetória

ALGUMAS DIFICULDADES DESAFIOS PARA OS PRIMEIROS IRMÃOS

Com a morte do Pe. André Coindre, em 1826, além de perder sua figura de

referência, o recém-formado Instituto se viu diante de algumas dificuldades.

Em 1829, o Pe. Vicente, irmão do Pe. André, assumiu como Superior Geral. Pela proximidade que tinha com o Instituto e por tê-lo acompanhado desde o princípio parecia o mais indicado para tal função. Mas, uma série de erros e maus negócios levaram o Instituto à beira da falência e do desaparecimento. Os anos de sua gestão ficaram evidenciados como período de crise, até que em 1841 pediu demissão.

IRMÃO POLICARPO A EXPANSÃO DO INSTITUTO PELAS MÃOS DE UM JOVEM

C

om a saída do Pe. Vicente, os Irmãos se reuniram e elegeram Ir. Policarpo como Superior Geral. Todos estavam certos de que ele seria a pessoa ideal para assumir o cargo; todos, exceto ele, que pela sua humildade e pela responsabilidade que o cargo exigia, não se sentia preparado. Mas, após a leitura da sua história, tire suas próprias conclusões sobre o desempenho do Ir. Policarpo à frente do Instituto. Nascido em uma pequena aldeia nos Alpes em 1801, Jean-Hippolyte, esse era seu nome antes de entrar para o Instituto, passou a infância cuidando do rebanho e ajudando seu pai nas tarefas do campo. Cresceu numa família cristã e, desde criança, gostava de fazer suas orações. Durante o inverno ia à escola primária e se dedicava à leitura, pois não pretendia continuar no trabalho de agricultor. Quando terminou os estudos conseguiu o diploma de professor e passou a dar aulas na escola da aldeia. Foi nesta ocupação que percebeu sua vocação para ensinar crianças, adolescentes e jovens. Mesmo feliz, Ir. Policarpo sabia que podia

REVISTA IRSC | 8


Naquela época, os costumes eram outros e não existiam as facilidades que temos atualmente. Por isso, exercer o papel de dirigir um Instituto exigia muita coragem e dedicação. Por exemplo, as viagens, para visitar outras casas e colégios ou ir a retiros, na maioria das vezes se fazia a pé. Apenas em casos de longos percursos usavase o transporte público, conhecido na época como diligência. As roupas não eram pessoais, todos os Irmãos compartilhavam os trajes e durante muito tempo o uso do hábito foi obrigatório. Uma das muitas importantes ações do Ir. Policarpo foi a decisão de expandir o Instituto para a América.

ir além. Então, em 1827, ao ficar sabendo da existência de um Instituto de Irmãos, em Lyon, enviou uma carta solicitando sua admissão. Depois de preparar-se humana e religiosamente, professou, em 1829, os Votos Perpétuos, ou seja, assumiu o compromisso de viver eternamente a vida de Irmão. Após anos como professor, encarregado dos noviços, diretor de colégio e assistente, o Ir. Policarpo foi eleito Superior Geral, como já dissemos anteriormente. Quando ele assumiu, o Instituto contava com cerca de 60 Irmãos e passava por momentos muito difíceis. Uma das primeiras tarefas do Ir. Policarpo foi elaborar uma legislação para o Instituto. Aproveitando alguns manuscritos deixados pelo Padre André Coindre, e com bom senso, ele definiu as Regras que norteariam a rotina dos Irmãos e a vivência em comunidade. Entre as principais normas

REVISTA IRSC | 9

Trajetória

podemos citar a organização das tarefas diárias e as condições para admissão de novos Irmãos.


Trajetória

A FUNDAÇÃO NA AMÉRICA A MISSÃO SEGUE NOS ESTADOS UNIDOS O Ir. Policarpo sempre teve o desejo de expandir territorialmente a presença dos Irmãos do Sagrado Coração. Esta vontade tornou-se realidade quando, em 1846, o bispo Dom Portier de Mobile nos Estados Unidos entrou em contato com os Irmãos solicitando ajuda para administrar um orfanato. Devido à febre amarela, havia muitos órfãos na região precisando de auxílio. Entre muitos candidatos, cinco Irmãos foram escolhidos para a longa viagem à América. Foram mais de 100 dias entre locomotiva, diligência, navio e barco até que chegaram ao seu destino, trazendo na bagagem poucos pertences, mas muita coragem e ânimo. Depois de aprenderem o Inglês, os Irmãos iniciaram as atividades. Logo, compraram uma casa para receber as crianças e abriram uma escola. Começaram a surgir alguns interessados em fazer parte do trabalho. Em 1850, foram instituídos os primeiros Irmãos em solo americano, eram eles Ir. Patrick e Ir. Willian. Todavia, o número de Irmãos não era suficiente para dar conta de todos os afazeres. Então, um novo grupo de Irmãos partiu da França com destino aos Estados Unidos. Em 1854, os Irmãos abriram na Baía


Com constantes problemas de saúde, Ir. Policarpo foi acamado e faleceu em 1859, aos 57 anos de idade e 32 anos no Instituto. Em seus 18 anos como Superior Geral, reanimou a força dos Irmãos, colocou ordem às finanças e aumentou em quase 350 o número de Irmãos, por isso seu período à frente do Instituto ficou conhecido como época de ouro, além de ter ganhado o título de 2º fundador do Instituto.

MISSÃO CANADENSE IRMÃOS SUPERAM FRONTEIRAS E DESENVOLVEM NOVAS OBRAS

C

om o passar dos anos o trabalho dos Irmãos ganhava repercussão entre o povo e os membros da Igreja. Por isso e devido às necessidades, o vigário da cidade de Arthabaska em Quebec, no Canadá, solicitou aos Irmãos do Sagrado Coração que fossem tomar conta da escola local. O Provincial dos Estados Unidos, que na época era o Ir. Atanásio, delegou quatro Irmãos para formarem a colônia canadense. Eram eles Ir. Cyrinus, Ir. Théophle, Ir. Théodule e Ir. Edmund.

EM TERRAS ESPANHOLAS O REFÚGIO E O RECOMEÇO

U

m entre tantos capítulos marcantes na história dos Irmãos do Sagrado Coração é a saída da França com destino à Espanha. Essa mudança foi forçada pela aprovação de uma lei na Câmara dos Deputados Francesa em 1903 que destituía todos os Institutos Religiosos que tinham como atividade a educação. Todos os bens foram confiscados, as escolas foram fechadas e todos os religiosos foram expulsos da França. Essa medida prejudicou mais de 700 Institutos da época. A saída encontrada pelos Irmãos foi seguir rumo a terras espanholas com o objetivo de continuar a missão, mesmo diante dos obstáculos. As fases de início e consolidação foram difíceis, porém aos poucos se instalaram e deram continuidade ao ensino dos alunos, em escolas. Da Espanha partiram Irmãos que foram responsáveis pela expansão do Instituto a diversos países da América do Sul.

A fundação do noviciado no Canadá ocorreu em 1878 e os primeiros Irmãos que professaram seus votos no país foram Irmãos Henri, Joseph e Bernard no ano de 1880. A missão no Canadá, assim como a dos Estados Unidos, prosperou com sucesso. Em 1900 a Província contava com 153 irmãos canadenses sob a direção do Ir. Théodule.

REVISTA IRSC | 11

Trajetória

São Luís uma pequena escola que se tornou o famoso pensionato da Baía. Após mais de 150 anos, é o centro de retiros anuais e reuniões de férias.


Trajet贸ria


A VIAGEM E OS PRIMEIROS ANOS DO INSTITUTO EM SOLO VERDE-AMARELO

E

m 1943, em viagem à Argentina o então Superior Geral do Instituto, Ir. Albertinus, ficou sabendo da necessidade de religiosos para tomarem conta do Ginásio Diocesano de Campanha/MG, a pedido de Dom Inocêncio Engelke. Os Irmãos conselheiros entenderam que seria uma boa oportunidade de expandir o trabalho do Instituto e aceitaram o desafio. Para isso, foram escolhidos os Irmãos Simeão, Sylvain, LuísGérald e Alfredo pertencentes à Província de Granby, no Canadá. Eles partiram de Nova York a bordo do navio José Menendéz. Foram 21 dias de viagem até que desembarcaram na Baía de Guanabara, no dia 5 de outubro de 1945. Depois de visitas aos pontos turísticos do Rio de Janeiro, os Irmãos seguiram de trem (Maria Fumaça) até o sul de Minas Gerais onde foram recebidos com honras pelo povo e autoridades locais. Logo que superaram problemas com o idioma e com a validação dos diplomas iniciaram as aulas em 1946. Na época, o Colégio São João tinha 90 internos e 70 externos que desde o início demonstraram simpatia pelos Irmãos estrangeiros. Além do ensino, os Irmãos se dedicaram a recrutar jovens para fazer parte do Instituto, semeando o ideal religioso. A primeira profissão religiosa, no Brasil, ocorreu em 1947, sendo a Consagração do Ir. Gabriel Lanoue, realizada pelo próprio bispo. A 2ª obra dos Irmãos em terras brasileiras foi o Ginásio São Luís, em Três Pontas, cidade vizinha a Campanha. Ali também atuaram como educadores e marcaram os alunos com suas boas influências. Em 1950, o Instituto dos Irmãos foi reconhecido como entidade de Assistência Social: Corporação dos Irmãos do Sagrado Coração do Brasil.

REVISTA IRSC | 13

Trajetória

A VINDA AO BRASIL


Trajetória

AS OBRAS EM TERRAS BRASILEIRAS O COMPROMISSO COM A FORMAÇÃO DE CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS

Uma das primeiras fundações

em terras brasileiras foi o Centro Educacional Sagrado Coração, mais conhecido como Juvenato, inaugurado em 1956 em Paraguaçu/MG. O local abrigou durante muitos anos, grupos de juvenistas e alunos. Em 1957, atendendo ao pedido de Dom Hugo Bressane de Araújo, os Irmãos Louis Philippe Cadoret e Hermann Prince

chegam a Marília/SP onde assumiram a instalação de uma nova escola. Ainda no mesmo ano, iniciaram as atividades escolares, com uma classe de admissão formada por 17 alunos que estudavam em regime de externato. Em março de 1958 começou a funcionar, oficialmente, o Colégio Cristo Rei com 2 salas da 5ª série do ginásio.


Trajetória Também em Marília no ano de 1961, o Instituto adquiriu um novo colégio que se tornou um seminário para jovens Irmãos. Em 1965, os Irmãos estabeleceram uma casa na cidade de São Paulo, pois, por ser uma grande metrópole, oferecia oportunidades de estudo, além de outras facilidades. Com essa presença, na capital, logo se pensou na instalação de uma obra educacional. Então, foi inaugurado o Colégio Cor Jesu em 1966. Em 1978, deu-se início à presença dos Irmãos em Ponta Grossa/PR, coordenando a capela e a escola São Jorge. Buscando reorganizar o processo formativo dos Irmãos e atendendo ao pedido do Bispo da Diocese, o Instituto instalou-se em Lins no ano de 1994.


Trajetória

O SURGIMENTO DOS CENTROS SOCIAIS OS IRMÃOS ABREM AS PORTAS PARA OS MAIS NECESSITADOS

Em 1986, o então postulantado

de Marília passou por reformas visando tornar-se uma casa de acolhida para crianças, adolescentes e jovens menos favorecidos. Começava, neste momento, o trabalho do Instituto buscando dar respostas efetivas à realidade e dinamizando seu carisma. Em 1989, foi fundado oficialmente o SEAMA

(Serviço de Atendimento ao Menor e ao Adolescente), com um pequeno número de crianças, adolescentes e jovens vindos das áreas pobres da cidade. Nesta casa, as crianças encontraram acolhida fraterna e atividades de formação, alimentação e recreação. Em Campanha, o Instituto decidiu instalar a segunda obra para crianças, adolescentes

PRONOAMA

SEAMA REVISTA IRSC | 16


O quarto Centro Social foi implantado na cidade de Paraguaçu, em 2003. No Juvenato as crianças, adolescentes e jovens atendidos desenvolvem suas potencialidades através de várias atividades e, cercadas de respeito e amor, resgatam sua autoestima.

Em 1998, nasce a Casa do Piá em Ponta Grossa, mais uma obra social voltada a acolher crianças, adolescentes e jovens em situação de risco social, atuando para resgatar a dignidade através da educação e do amor do Sagrado Coração de Jesus.

JUVENATO

CASA DO PIÁ REVISTA IRSC | 17

Trajetória

e jovens carentes. Esta obra tornou-se concreta em 1993 com a fundação do Pronoama (Projeto Novo Amanhã). Com o objetivo de oferecer melhores condições de vida às crianças, adolescentes e jovens, esta casa busca responder ao grito dos excluídos.


Perfil ENTREVISTA COM PRIMEIRO PROVINCIAL BRASILEIRO COM 49 ANOS DE PROFISSÃO RELIGIOSA, IR. OLINTO MANOEL DE OLIVEIRA CONTA SUAS EXPERIÊNCIAS E TRABALHOS NO INSTITUTO

A

os 66 anos, Ir. Olinto Manoel de Oliveira, relembra algumas passagens marcantes da sua trajetória como Irmão e fala aos jovens que pensam em seguir a vocação religiosa.

Como Irmão (religioso) não se pode esquecer a dimensão espiritual e religiosa. O religioso doa sua vida para Deus e para fazer o bem para as pessoas.

-

Por que e como decidiu se tornar um Irmão? Sou o terceiro de uma família de 11 filhos. Morava no município de Formiga, MG. Nesta região o Ir. Emílio fazia seu trabalho vocacional, recrutando jovens para fazer a experiência no Juvenato em Paraguaçu, MG. Meu irmão mais velho fez essa experiência durante um semestre. Frequentemente o Ir. Emílio se hospedava em casa. Numa dessas ocasiões perguntei para minha mãe, na presença do Ir. Emílio, se ela me deixava ir para o Juvenato. Ela concordou. E após conclusão do 4º ano primário, em 24/02/1959 e com 11 anos, cheguei ao Juvenato para fazer a admissão.

-

-

O que mais o impressiona no trabalho de Irmão?

Para seguir essa vocação é preciso realizar algum tipo de estudo?

O Irmão é um ser humano como qualquer outro. Cada pessoa se predispõe e se encaminha para desempenhar uma profissão e uma missão neste mundo. O Irmão é chamado a viver em comunidade (junto com outros religiosos) e a desempenhar uma missão própria do Instituto. A missão dos Irmãos do Sagrado Coração é a educação dos jovens (escolas) e a assistência social (obras sociais).

Para desempenhar sua missão de religioso educador, o Irmão faz estudos superiores conforme suas aptidões e também faz faculdade de Ciências da Religião e várias etapas de cursos de especialização bíblica, religiosa e teológica.

Pessoalmente me senti realizado na vida comunitária e na profissão de educador. Fui professor de Química, coordenador e diretor no Colégio Cristo Rei a maior parte dos meus anos de atividade.

Para os Irmãos “ brasileiros ser Província

foi como se tornar maior de idade

REVISTA IRSC | 18


-

Você foi o primeiro Provincial Brasileiro. Como foi o processo do Brasil ser considerado uma Província e o que isso representou para os Irmãos brasileiros? A fundação do Instituto no Brasil, em 1945 foi através dos Irmãos canadenses. Até o final da década de 50 vários Irmãos vieram para Brasil. Fundaram escolas e centros vocacionais (Juvenatos). A partir dos anos 60, Irmãos brasileiros se juntam aos canadenses. Em 1987, a fundação no Brasil estava madura para se separar do Canadá e ter uma administração própria. Nesse ano, tornamos Província e o vínculo seria com nossa Casa Geral em Roma. De 1984 a 1987 eu era Vice-Provincial e me elegeram o primeiro Superior Provincial dos Irmãos no Brasil. Para os Irmãos brasileiros ser Província foi como se tornar maior de idade. Agora teria que se responsabilizar pelo crescimento de novas vocações e pela administração de suas obras.

-

Gostaria que destacasse os três momentos mais especiais que viveu durante sua vida religiosa.

residência de D. Pedro Casaldáliga, Bispo de São Félix. Fiquei impressionado com a sua coerência de vida, sua vida de oração e sua coragem em defesa das pessoas simples e injustiçadas. Já em 1991, foi inesquecível a missa de meus 25 anos de Profissão Religiosa na paróquia de minha família, em Formiga, MG. Foi uma alegria muito grande para minha mãe, meu pai, toda minha família e inúmeros Irmãos que foram festejar comigo essa data.

-

Durante anos você foi diretor do Colégio Cor Jesu e do Colégio Cristo Rei? Como você define sua relação com a educação? Fiz meus estudos superiores (Química e Pedagogia) visando o trabalho em educação. O contato com os Irmãos professores e com os Irmãos diretores desses Colégios foram importantes para aprender como se relacionar com alunos, professores e pais. Todos eles me deixaram excelentes exemplos de educadores e de religiosos.

-

O que você diria para um jovem que está sentindo o chamado vocacional? Se o jovem se sente chamado por Deus e se tem as qualidades humanas para se sentir realizado na vida religiosa não deixe esse desejo sem resposta. Na Igreja, há Institutos que necessitam dos mais variados tipos de qualidades humanas.

O primeiro momento foi quando, terminado meu colegial em Marília em 1967, fui nomeado para nosso colégio em Ivaiporã, PR. Lá iniciei minha vida como professor e foram dois anos inesquecíveis. Minha vocação de Irmão com certeza tem muito a ver com a satisfação sentida nesses dois primeiros anos. Outro momento marcante aconteceu quando era Provincial e abrimos uma nova obra no Mato Grosso, em Porto Alegre do Norte, na diocese de São Félix do Araguaia. Para dar início a essa obra, fiquei três dias na

REVISTA IRSC | 19

Perfil

O Irmão do Sagrado Coração vive em comunidade para ser apoiado em sua vida diária e para uma melhor eficácia e eficiência em sua missão educativa.


Carisma A VIDA DO IRMÃO

SAIBA COMO É A ROTINA DE UM MEMBRO DO INSTITUTO DOS IRMÃOS DO SAGRADO CORAÇÃO

Irmãos são homens Consagrados

a Deus e a serviço da sua obra através dos votos de pobreza, castidade e obediência e juntos em comunidade assumem um compromisso com o povo de Deus. Um Irmão, mais que por palavras, fala por sua vida, seu testemunho e compromisso com a espiritualidade, com a vida fraterna e com os objetivos apostólicos. Os Irmãos do Sagrado Coração se dedicam a missão do Instituto fundamentada no carisma que é “Crer, Viver, Propagar o amor de Deus aos homens” (RdV 13). Na prática isso acontece através da formação e educação de crianças, adolescentes e jovens e atuação nas comunidades paroquiais. A rotina do Irmão do Sagrado Coração, assim como a de milhões de brasileiros, é de muito trabalho. Porém, seus talentos e habilidades

não são utilizados visando lucro e retorno financeiro, mas sim desempenhados em favor do bem-estar do próximo em diversas obras. Ao invés de conviver diariamente com familiares de sangue, os Irmãos optam por viver e partilhar sua rotina com uma família formada pela fé em comunidades localizadas nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Paraná.

”Os Irmãos do Sagrado Coração se dedicam a missão do Instituto fundamentada no carisma que é Crer, Viver e Propagar o amor de Deus aos homens”

REVISTA IRSC | 20


QUEM SÃO OS IRMÃOS DO SAGRADO CORAÇÃO? Os Irmãos do Sagrado Coração são religiosos leigos, comprometidos a viver plenamente o batismo através da Consagração Religiosa, vivendo a experiência de Deus em comunidade, observando a mesma Regra de Vida. A espiritualidade se inspira no amor do Sagrado Coração de Jesus no qual creem, vivem e buscam difundir o seu amor a todos. Os Irmãos do Sagrado Coração vivem e expressam a existência religiosa e apostólica em comunidade fraterna com a missão de evangelizar crianças, adolescentes e jovens especialmente pelo testemunho de vida e pelo compromisso na sua educação cristã. O espírito missionário é um traço marcante dos Irmãos do Sagrado Coração que os impulsionam para outros países e regiões, empenhados em fazer da caridade, da ternura, do acolhimento e da simplicidade, características do Instituto em todos os lugares.

POR QUE SER UM IRMÃO? A escolha em se tornar um Irmão Consagrado está centrada no objetivo de ser sinal do amor de Deus aos homens e incentivo ao amor das pessoas entre si vivendo em comunidade, partilhando o que tem, acolhendo a todos sem distinção, servindo o povo de Deus, especialmente as crianças, adolescentes e jovens. Tudo isso, através do amor e da compreensão procurando realizar-se como pessoa e como religioso.

POR QUE SER IRMÃO DO SAGRADO CORAÇÃO? Por acreditar no grande Amor de Deus manifestado no Coração de Jesus, expressando esse amor pela simplicidade, acolhimento e fraternidade. Os Irmãos do Sagrado Coração propagam esse amor através das próprias vidas onde Deus os enviar.

QUAIS AS ETAPAS PARA FAZER PARTE DO INSTITUTO DOS IRMÃOS DO SAGRADO CORAÇÃO? Acompanhamento vocacional: É o despertar da vocação. O primeiro contato com o Instituto, com a Família dos Irmãos do Sagrado Coração. No acompanhamento vocacional, o candidato é convidado a participar de encontros vocacionais com outros vocacionados, podendo assim, fazer um melhor discernimento da sua vocação. É o tempo de conhecer nossa família religiosa. Este trabalho é feito pela Pastoral Vocacional que contribui com o amadurecimento religioso dos adolescentes e jovens. Aspirantado: Nesta etapa o jovem aspirante convive entre Irmãos em uma das comunidades que desenvolvem um trabalho em casas de acolhida à criança, adolescente e jovem. É um tempo para aprofundar o conhecimento mútuo: o vocacionado

REVISTA IRSC | 21

Carisma

A oração é um dos pontos centrais na vida do Irmão, que dedica preciosos momentos do seu dia para a comunhão com Cristo, louvando, agradecendo e rogando por suas bênçãos, além da participação da Eucaristia diária. O engajamento nas comunidades locais e o compromisso com as dioceses são características dos Irmãos do Sagrado Coração.


Carisma

aprofunda seu conhecimento sobre a vida do Irmão em seu dia a dia; e os Irmãos, através do acompanhante e da comunidade formativa, têm possibilidade de conhecer com mais afinco o vocacionado. Postulantado: O candidato nesta etapa terá um Irmão acompanhante que passo a passo, e juntamente com os outros Irmãos da comunidade, facilitará a caminhada vocacional experimentando o verdadeiro gosto pela Vida Religiosa. Esta etapa terá como princípio básico: vida comunitária, vida de oração e apostolado. Este processo contará continuamente com aulas de formação e trabalho em uma de nossas casas de acolhida às crianças, adolescentes e jovens carentes. Noviciado: Percorrida a etapa do postulantado, o postulante é convidado ao noviciado. O noviciado consiste num ano específico para a formação do Irmão. É dedicado especialmente para o estudo e aprofundamento da história, carisma, espiritualidade e Regra de Vida do Instituto e, sobretudo, a essência do ser Irmão do Sagrado Coração, inserido no contexto da Vida Religiosa e em seu carisma próprio. Neste tempo de formação, o mestre dos noviços orientará a caminhada de cada um, dando-lhes a oportunidade para cada um crescer e amadurecer sua fé cristã como religioso atento aos desafios do mundo. O noviciado acontece em dois anos divididos em um ano canônico de estudos internos e no segundo dá-se início à vida acadêmica com o curso de Teologia.

Votos Perpétuos – Formação contínua: É o tempo de dar continuidade à dinâmica do crescimento formativo. Nesta etapa, o Irmão é lançado no mundo da atividade apostólica. Nessa etapa, vai experimentando a fecundidade do amar e ser amado. O amor experimentado no anúncio da Boa Nova e instruído pelo Espírito Santo de Deus, levando a uma contínua conversão do coração e colocando sempre numa atitude de escuta e de serviço ao Reino de Deus.

ÁREAS DE ATUAÇÃO: No Brasil, o Irmão do Sagrado Coração pode trabalhar em diversos projetos nas diferentes áreas: Educação escolar, Paróquias, Formação de jovens, Pastoral das Juventudes, Catequese, Pastoral Vocacional, Atendimento às crianças, adolescentes e jovens.

Juniorato: É a etapa de formação pósnoviciado em que toda a formação será voltada para a vivência do ser Irmão, na sua totalidade como: consagrado, missionário e de profundo conhecimento de Deus, um ser orante. Neste período de formação o Irmão poderá aprofundar seus estudos acadêmicos e exercer seus trabalhos apostólicos junto a uma comunidade ou centros onde atuamos em um trabalho específico: crianças, jovens e cursos de formação humana. O Irmão já convicto de sua vocação e missão se prepara para a Consagração Perpétua.

REVISTA IRSC | 22


Capacitação FORMAÇÃO DE IRMÃOS E COLABORADORES CONSTANTE APRIMORAMENTO É CARACTERÍSTICA DO INSTITUTO Além de dinâmicas de integração e aperfeiçoamento, a cada encontro um educador convidado realiza uma palestra formativa levando novos conhecimentos e aprimorando o trabalho realizado em cada obra.

ENCONTROS DE FORMAÇÃO

E

star diretamente em contato com o ser humano, buscando auxiliá-lo a encontrar sua melhor condição de vida e espiritualidade. Esta é uma das atribuições dos Irmãos e colaboradores do Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração.

Cada Centro Social conta com três encontros anuais nos quais acontecem momentos de reflexão com os professores, funcionários e demais pessoas envolvidas no processo de formação das crianças, adolescentes e jovens. Mais do que a relação de educador e aprendiz, nestas oportunidades os colaboradores são levados a pensar nas crianças em sua totalidade considerando os aspectos sociais, afetivos e humanos.

Mas, além da religiosidade, o Instituto entende que estudo e formação contínua são indispensáveis para o trabalho de auxiliar outras pessoas, sejam crianças, adolescentes, jovens ou adultos. Por isso, através de encontros periódicos e diversas atividades o Instituto busca preparar cada vez melhor sua equipe.

ENCONTRO DE COLABORADORES DOS CENTROS SOCIAIS

REUNIÕES COM DIRETORES E COORDENADORES

Anualmente, os colaboradores das 4 obras de acolhida que atendem crianças, adolescentes e jovens se reúnem para trocar experiências, adquirir novos conhecimentos e discutir temas educacionais. O Encontro de Colaboradores é realizado no mês de junho e a cada ano acontece em uma das cidades em que as obras estão localizadas.

Para o sucesso do trabalho realizado é preciso planejar e avaliar as ações desenvolvidas. Estes são os temas de três reuniões anuais com diretores e coordenadores dos Centros Sociais realizadas no início, meio e final de cada ano.

REVISTA IRSC | 23


Cidadania AMANDO E SERVINDO AOS JOVENS A DEDICAÇÃO DOS IRMÃOS DO SAGRADO CORAÇÃO NA EVANGELIZAÇÃO DA JUVENTUDE

D

esde o seu surgimento o Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração esteve envolvido na Evangelização da Juventude. No início, esse trabalho acontecia dentro das escolas onde os Irmãos eram professores e diretores.

às suas inquietações. Em 1993, os Irmãos instalaram-se em Bauru onde iniciaram um projeto junto aos jovens daquela Diocese. Ainda em 93, deu-se a construção do CPJ de Ponta Grossa oferecendo uma estrutura para formação e reflexão sobre a vida.

No Brasil, o Instituto seguiu o mesmo carisma e sempre buscou revitalizar o ânimo dos jovens, fazendo com que se tornassem sujeitos na transformação da sociedade. Porém, a atuação expandiu-se além dos limites dos colégios e se estendeu às dioceses e movimentos sociais.

Em 1994, aconteceu a inauguração do CPJ, em Campanha/MG, local de acolhida e reflexão para os jovens que buscam estar engajados na sociedade e na igreja. Ainda em 1994, o Instituto investiu numa nova obra para a juventude na cidade de

Na década de 80 o Rancho São José, a 15 km de Paraguaçu/MG, começou a ser utilizado para encontros de jovens da região, proporcionando um ambiente ideal para ótimas experiências de formação e espiritualidade.

CENTROS DE PASTORAL DA JUVENTUDE A formação dos jovens ganha atenção especial do Instituto a partir dos anos 90 Na década de 90, atendendo ao apelo da Igreja na América Latina, os Irmãos investiram em centros de Pastoral da Juventude. Em 1990, depois do encerramento da escola e do seminário formativo, o Juvenato, em Paraguaçu, tornou-se um centro de espiritualidade para atender aos jovens. No ano de 1991, a casa onde está instalado o SEAMA, em Marília/SP passou por reformas para abrigar também o Centro de Pastoral da Juventude, um espaço onde os jovens encontram orientação e respostas

REVISTA IRSC | 24


Todo o investimento e a mobilização de lideranças e de religiosos tiveram como objetivo apoiar as juventudes na missão de encontrar caminhos para superar as dificuldades sociais e espirituais. Durante anos o trabalho produziu os frutos esperados, mas algumas dificuldades fizeram com que ele perdesse força.

O RECOMEÇO Um novo projeto voltado à juventude é iniciado em 2007 A partir do segundo semestre de 2007, os Irmãos do Sagrado Coração, no Brasil, retomam com afinco o envolvimento com os jovens. Organizados e articulados, os vocacionados assumem novamente o compromisso de dedicar suas vidas à evangelização da juventude. Presença significativa nas dioceses de Marília, Lins, Ponta Grossa, Campanha e Paraguaçu, o Projeto Juventude está aberto e atento a ouvir os clamores e corresponder ao carisma do Padre André Coindre, fundador do Instituto. São milhares de pessoas envolvidas nas atividades. Com trabalho, esperança e oração tem-se a certeza de que o Projeto Juventude ajuda os jovens a encontrarem seus caminhos, realizarem seus sonhos e constituírem uma sociedade alicerçada em valores cristãos. No ano de 2011 o Projeto Juventude foi estendido ao Colégio Cristo Rei com a implantação da Juventude Cristo Rei. O projeto consiste em reuniões semanais nas quais são conduzidas reflexões e discussões acerca de assuntos de interesse dos adolescentes. Além disso, são desenvolvidas campanhas buscando engajar os estudantes em questões sociais. A Juventude Cristo Rei é uma maneira de contemplar o aluno em sua totalidade levando em conta seus aspectos afetivo, social, espiritual e político, favorecendo seu amadurecimento como pessoa e cidadão. Com dinamismo, o Projeto Juventude apresenta diversas atividades como encontros, momentos de formação de lideranças, campanhas, retiros, entre outros eventos. Dessa forma, o Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração, em parceria com leigos, acredita que está propagando o amor de Deus e construindo uma sociedade com valores cristãos.

REVISTA IRSC | 25

Cidadania

Araçatuba com o intuito de melhor servir aos anseios dos jovens. No mesmo ano, os Irmãos iniciaram sua presença na cidade de Lins atuando em diversas paróquias e mobilizando a Juventude. Com a boa resposta ao trabalho desenvolvido, os Irmãos resolveram construir um local apropriado. Então foi inaugurado, em 1998, o Espaço Bem Viver.


Acolhimento CENTROS SOCIAIS CASAS DE ACOLHIDA OFERECEM NOVA PERSPECTIVA DE VIDA A CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS CARENTES

Dando continuidade ao trabalho

que originou a fundação do Instituto, os Irmãos do Sagrado Coração, auxiliados por colaboradores, professores e voluntários acolhem crianças, adolescentes e jovens em situação de risco social. São quatro obras voltadas a esta finalidade, sendo o SEAMA em Marília/SP, o Pronoama em Campanha/ MG, o Centro Social Juvenato em Paraguaçu, MG e a Casa do Piá em Ponta Grossa/PR.

para escola, chegando em casa lá pelas 18h. Se não fosse a colaboração dos Irmãos e colaboradores eu não sei o que seria dos meus filhos hoje”.

SEAMA

Serviço de Atendimento ao Menor e ao Adolescente

Nestes centros sociais são oferecidos apoio escolar, atividades esportivas e culturais, cursos profissionalizantes, informática, alimentação, assistência médica, formação humana e cristã. Anualmente são mais de 1.000 crianças, adolescentes e jovens atendidos entre 7 e 15 anos. Os alunos frequentam as obras por meio período no horário inverso às aulas, evitando que permaneçam nas ruas e fiquem vulneráveis às drogas e violência. Um dos principais trabalhos dos centros sociais dos Irmãos do Sagrado Coração está no resgate à dignidade dos alunos e no acompanhamento das famílias das crianças, adolescentes e jovens atendidos. Márcia Ramos, mãe de três filhos beneficiados pelo SEAMA, destaca que a obra provocou uma boa mudança no comportamento deles, melhora nas notas da escola, mais disciplina, respeito pelos outros e um carinho especial pela família. “Meus dois filhos que passaram pelo SEAMA estão muito bem. O mais velho, Márcio, quando saiu do SEAMA, com os cursos que tinha feito, teve melhor oportunidade de emprego e hoje trabalha registrado. A Vanessa está acabando os estudos e agradece muito a oportunidade de convivência que teve no SEAMA, juntos com os colegas e colaboradores. Ainda tenho um filho que estuda no SEAMA, onde ele toma café, faz as atividades, e após almoçar, vai

Todos os cidadãos e segmentos sociais têm responsabilidades em relação ao direito de crianças, adolescentes e jovens e compromisso com o desenvolvimento de uma sociedade mais justa e solidária. Portanto, conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente, o SEAMA trabalha diariamente na proteção de crianças e adolescentes, assegurando-lhes direitos, buscando garantir o atendimento das necessidades fundamentais que correspondem ao direito à vida, à saúde, à liberdade, ao respeito, à dignidade, à convivência familiar e comunitária, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, à profissionalização e proteção ao trabalho.

• 250 crianças e adolescentes atendidos nos períodos da manhã e da tarde

• Diversas atividades • Ampla estrutura com ginásio de esportes e campo de futebol

• Assistência médica e odontológica

REVISTA IRSC | 26


pedagogia da acolhida, da presença e da confiança. Os Irmãos do Sagrado Coração e colaboradores semeiam dignidade, respeito, cidadania, educação, autonomia, afetividade, senso crítico, espiritualidade, responsabilidade, conscientização e mística das pequenas coisas, visando à formação integral destas crianças e adolescentes, a fim de que se tornem cidadãos capazes de construírem, com esperança, um novo amanhã.

A Casa do Piá atende crianças, adolescentes e jovens em regime sócio-educativo em meio período (contra-turno), proporcionadolhes meios de desenvolvimento global e pleno, visando sua integração na família e na sociedade. Além disso, orienta-os para serem cidadãos honestos, respeitadores dos direitos alheios e, acima de tudo, do direito à vida sob todas as formas, procurando despertar neles a importância de seus deveres e direitos em relação à sociedade.

• • • •

• 400 menores atendidos • Aulas de natação • Judô • Aulas de tapeçaria, bordado, pintura em tecido, entre outras atividades.

CENTRO SOCIAL JUVENATO

Aulas de informática Capoeira Apoio escolar Aulas de xadrez e muito mais

PRONOAMA

O Centro Social Juvenato atende aproximadamente 200 crianças, adolescentes e jovens de famílias em situação de risco, buscando espaço para que eles possam desenvolver suas potencialidades no resgate da dignidade humana frente à sociedade. Através de apoio constante, amplia a compreensão e participação da família a respeito de sua responsabilidade no processo de crescimento de seus filhos. Além disso, acompanha e assegura a frequência dos alunos no processo escolar, mantendo uma relação próxima entre instituição e escola.

Projeto Novo Amanhã

O PRONOAMA, inspirado em valores humanos e cristãos, acolhe crianças, adolescentes e jovens em situação de risco através da

• • • •

Aulas de flauta Fanfarra Biblioteca Apoio psicológico, etc.

REVISTA IRSC | 27

Acolhimento

CASA DO PIÁ


PNL NEUROLINGUÍSTICA CUIDAR DO SER HUMANO É VOCAÇÃO DOS IRMÃOS DO SAGRADO CORAÇÃO

E

m 1995, ao completar 50 anos no Brasil, os Irmãos do Sagrado Coração deram início a um novo tipo de atuação. Além das obras sociais e educacionais já existentes, o Instituto passou a contar com a Programação Neurolinguística para ajudar na dinamização dos espaços de vivências e formação. A PNL, como é conhecida, é uma ciência que auxilia na utilização do cérebro de maneira favorável, com o objetivo de alcançar os resultados desejados. Ela ajuda no auto-conhecimento, na organização dos pensamentos e na determinação em alcançar objetivos específicos. Os Irmãos decidiram associar, a essa metodologia, alguns aspectos essenciais para a plena qualidade de vida. Aproveitaram a Neurolinguística como oportunidade de acolher as pessoas e proporcionar a elas uma experiência espiritual e mental, através do contato, da afetividade e de descobertas das próprias potencialidades. Para o Ir. Domingos Goulart a Neurolinguística, enquanto ciência, pode ajudar no campo da espiritualidade. “Ela nos ajuda a tomarmos consciência de que somos um ser em integração nos vários níveis de nossa existência. Cada um de nós vem marcado com uma história, uma biografia, um mundo de relações. Ao trabalharmos o resgate deste mundo relacional, através das técnicas,

ajudamos cada pessoa a entrar na sua essência, a se descobrir com qualidades, com valores, a ser merecedor do bem e do afeto. Ao se sentir mais apta a ver a vida com outros olhos, a pessoa se sente mais próxima do ser que a criou. A relação com o Criador tornase mais familiar e a pessoa vive uma nova concepção mais integradora consigo, com as pessoas e com a realidade que a circunda”. Os Irmãos Domingos Goulart e João Evaldo Silva são instrutores dos cursos. Todos possuem ampla formação, competência profissional e carisma para conduzirem as pessoas nesses momentos de reflexão e crescimento.

REVISTA IRSC | 28


A grande preocupação com o desenvolvimento do ser humano, sua evolução e o contato com o criador do universo motivaram os investimentos dos Irmãos no Centro de Transformação e Vivência (CTV) em Bauru que dispõe de uma ampla estrutura para receber pessoas em busca de crescimento e qualidade para suas vidas. A cada ano cerca de 1.000 pessoas participam das atividades no local. Além de confortáveis apartamentos, área de lazer e bosque que proporcionam lazer e descanso, o Centro ainda possui salas para dinâmicas e palestras que permitem treinamentos, reuniões e convenções.

PNL

CTV – UM CENTRO A SERVIÇO DA VIDA

RANCHO SÃO JOSÉ Em Paraguaçu, Minas Gerais, às margens da represa de Furnas, encontra-se um recanto de paz onde milhares de vidas são transformadas com a ajuda dos Irmãos do Sagrado Coração. Cercado de belezas naturais, o rancho São José também recebe as vivências de PNL, além de encontros e retiros de jovens, irmãos e colaboradores. Para mais informações, programação dos cursos e telefones de contato acesse o site www.irsc.com.br

Muitos finais de semana vividos no CTV marcaram a história de pessoas, como no caso da administradora de empresas Karina Cristina Cardoso da cidade de São Paulo. “A vivência da PNL é como uma renovação, um estímulo para novas metas, novos resultados. Reflexões sobre si mesmo, sobre sua vida, seus atos, suas atitudes. É ver a vida por outro ângulo, de forma mais motivadora e com certeza, mais feliz!”

CTV - Bauru/SP


Educação OS IRMÃOS DO SAGRADO CORAÇÃO E O COLÉGIO CRISTO REI A VOCAÇÃO DE EDUCAR

Uma

construção abandonada, um esqueleto de tijolos. Assim estava, em meados da década de 50, o prédio onde hoje funciona o Colégio Cristo Rei. O Bispo de Marília, na época, Dom Hugo Bressane de Araújo, ao conhecer o trabalho realizado pelos Irmãos do Sagrado Coração na cidade de Campanha/MG, logo pensou que aquelas paredes inacabadas poderiam ganhar vida através do trabalho destes religiosos educadores. Assim sendo, o bispo fez o convite e os Irmãos aceitaram o desafio. Em janeiro de 1957, chegaram a Marília os Irmãos Louis Philippe Cadoret e Hermann Prince para finalizar a obra e instalar ali uma nova escola, o Colégio Cristo Rei. Logo chegaram os primeiros alunos e, ano após ano, o número de estudantes aumentava. Em pouco

tempo, a qualidade de ensino dos Irmãos canadenses ganhou repercussão na cidade. Foram muitos os Irmãos que passaram pelo Colégio Cristo Rei não só na direção, administração e coordenação. Eles estiveram nas salas de aula, transmitindo seus conhecimentos e valores a meninos e meninas marilienses. Foram mestres memoráveis, até hoje aclamados e lembrados com carinho pelos ex-alunos. Nos dias atuais os Irmãos continuam presentes e mantêm vivo o ideal de trabalhar levando educação e ensinamentos. Os professores e colaboradores do Cristo Rei comprometeram-se com esta missão e compartilham a alegria de ser parte desta obra.

REVISTA IRSC | 30


CANADÁ ESTADOS UNIDOS HAITI ARGENTINA BRASIL CHILE COLÔMBIA PERU

URUGUAI ESPANHA FRANÇA INGLATERRA ITÁLIA BURKINA FASO CAMARÕES CHADE

COSTA DO MARFIM GUINÉ LESOTO MADAGASCAR MALI MOÇAMBIQUE QUÊNIA SENEGAL TOGO

REVISTA IRSC | 31

UGANDA ZÂMBIA ZIMBÁBUE FILIPINAS ÍNDIA NOVA CALEDÔNIA VANUATU WALLIS


PROVÍNCIA DO BRASIL www.irsc.com.br

REVISTA IRSC | 32

140326 Revista ilustrada IRSC  

A história do Instituto dos Irmãos do Sagrado Coração

Advertisement