Page 1

1

Chapa do Sindicato Experiência e renovação para lutar

Específico GM- Fevereiro/2012

Organização de base na defesa dos empregos, salários e direitos

A Chapa 1 é a chapa do trabalhador

União, luta e firmeza VOTE para garantir empregos, CHAPA salários e direitos

O

time da Chapa 1 você conhece: são os companheiros e companheiras que nos últimos anos sempre estiveram ao lado dos metalúrgicos da GM, em suas lutas. A Chapa 1 reúne o que há de melhor na organização dentro da fábrica. São diretores do Sindicato, novos candidatos e todos os cipeiros classistas e combativos, que formam o time com mais representatividade, firmeza e força para atuar nas negociações com a patronal. Nos últimos anos, a forte organização dos metalúrgicos da GM e as mobilizações realizadas pelo Sindicato/CSP-Conlutas garantiram importantes conquistas (veja no verso).

Ao contrário das outras centrais como a CTB, CUT e Força, que apoiam a política econômica do governo e fazem acordos entregando direitos, nosso Sindicato se manteve firme na defesa dos trabalhadores. Nas Campanhas Salariais, por exemplo, os metalúrgicos da GM superaram os acordos pelegos da CUT, CTB e Força e se tornaram referência nacional para outras categorias. A Chapa 1 tem a firmeza pra negociar com a GM e defender as reivindicações dos trabalhadores. É a chapa que unirá ainda mais os metalúrgicos para travar as lutas que virão pela frente.

“Somos uma categoria com uma forte tradição de lutas e vitórias. Com a Chapa 1 vamos continuar nesse caminho de conquistas, com os trabalhadores, o Sindicato e a Cipa unidos na defesa dos empregos, salários e direitos dos trabalhadores da GM”. Renato Bento Luiz, o Renatão (atual diretor do Sindicato)

Participe da eleição, dias 29/2 e 1/3

SEU VOTO É MUITO IMPORTANTE

especifico GM.indd 1

Em defesa do emprego, a Chapa 1 é contra a substituição da mão de obra Nesta quinta-feira, dia 2, foram intensificadas as mobilizações contra as demissões que vêm sendo feitas pela GM. O recado à empresa foi dado e uma negociação foi marcada para o dia 9. Para barrar os ataques da GM, o caminho é a unidade e a luta. A Chapa 1, junto com os metalúrgicos, é a chapa que tem firmeza e experiência para enfrentar os ataques da empresa e defender os empregos e direitos dos trabalhadores.

“A Chapa 1 é a única que tem capacidade e experiência para manter o Sindicato nas mãos dos metalúrgicos, resistir aos ataques da empresa e ampliar nossas conquistas. O compromisso da Chapa 1 é com o trabalhador”. Vivaldo Moreira, atual presidente do Sindicato.

Vote CHAPA 1 02/02/2012 19:45:03


Organização e lutas garantiram conquistas Tanda Melo

Mobilização na Campanha Salarial 2011 garantiu aumento real, abono e ampliação de direitos

Campanhas Salariais vitoriosas Nossas Campanhas Salariais têm garantido importantes vitórias, tornando-se referência no país. Em 2011, tivemos 10,8% de reajuste e R$ 3.000 de abono. Fomos à luta para garantir essa conquista, superando os acordos da CTB, CUT e Força, que fizeram coro à política dos patrões e do governo. Junto com os trabalhadores, garantimos aumento real e ampliação dos direitos aos trabalhadores da GM.

PLR maior e combate às metas Nas mobilizações pela PLR, a atual direção do Sindicato soube ser firme na defesa dos trabalhadores. As metas, que são sempre impostas pelas empresas para aumentar a exploração, foram combatidas pelo Sindicato e a PLR 2011 totalizou R$ 11.268. A Chapa 1 aposta na mobilização para combater a exploração imposta pela PLR e construir acordos que favoreçam os trabalhadores.

Equiparação Salarial Trabalho igual, salário igual. Foi essa bandeira que mobilizou os trabalhadores do Manuseio, CKD e da Oficina de Empilhadeira, que há anos estavam com os salários congelados. Em toda mobilização, a empresa ameaçava tercerizar esses setores, a exemplo das demais montadoras (Fiat, Volks e Ford). Após várias assembleias e mobilizações, fizemos um acordo que aumentou o teto e garante a evolução salarial para 25% dos trabalhadores da fábrica.

Chapa 1

Para o Sindicato continuar no caminho certo, defendendo os trabalhadores

especifico GM.indd 2

Reestabelecido o salário da produção Outra vitória, foi acabar com a disparidade que existia na produção. Hoje um montador de autos na GM tem o salário inicial R$ 2.772. Tem reajuste salarial a cada 6 meses e com dois anos chega ao teto. Essa conquista foi garantida com mobilização e firmeza nas negociações com a empresa.

Sindicato lutou por contratações e garantiu efetivação dos temporários A GM tem adotado nos últimos anos as contratações temporárias. Esse tipo de trabalho precário deixa o trabalhador refém da empresa, submetendo-o a uma grande exploração. O Sindicato fez uma grande campanha por contratações e pela efetivação dos temporários. Foram várias as assembleias e mobilizações realizadas no interior da fábrica, que resultaram em mais de 800 contratações.

Licença-Maternidade de 6 meses As metalúrgicas da GM foram as primeiras a conquistarem a licença-maternidade de seis meses em montadoras. Na luta por uma pauta específica a favor de pais e mães trabalhadoras também conquistamos nos últimos anos aumento no auxílio-creche, aumento da licença paternidade, entre outros.

Fim das demissões, já! Manutenção dos empregos! Abertura dos planos de investimentos do próximo triênio! Diminuição do ritmo de trabalho! Delegados Sindicais, já! Basta de perseguição e assédio aos lesionados!

Macapá

Defesa da saúde e segurança dos trabalhadores A GM é a empresa que mais lesiona na região. Juntamente com a CIPA, o Sindicato também tem mantido uma luta permanente em defesa da sáude e segurança dos trabalhadores. Isso tem sido feito com um trabalho de prevenção e fiscalização na fábrica; com ações e mobilizações para defender os lesionados diante dos ataques da GM; na luta contra medidas prejudiciais do governo como a Alta Programada, a Instrução Normativa 31, etc.

Fim da jornada de terça a sábado O Sindicato entrou com um processo judicial e, mesmo ganhando por três vezes, a empresa não acatava a decisão. Tivemos que ajuizar um pedido de prisão do diretor da GM pra que os trabalhadores antigos voltassem à jornada de segunda a sexta. O processo ainda segue pelo pagamento de horas extras e para que todos os trabalhadores façam a jornada normal.

Apoio aos terceirizados Estivemos junto na luta dos companheiros terceirizados da GM, como da Brazul, Verzani, ISS e Nutrin. Para a Chapa 1 todo trabalhador dentro da fábrica é metalúrgico. Vamos apoiar todas as lutas!

Delegado Sindical Trabalhadores organizados é sinônimo de luta e conquista. Com esse lema demos um passo importante na Campanha Salarial do ano passado. Nosso Acordo Coletivo já prevê a eleição de Delegados Sindicais na fábrica, mas vamos ter de lutar para garantir que a GM cumpra o que foi combinado.

Respeito à Convenção Coletiva que garante estabilidade aos lesionados! Redução da jornada, sem redução salarial e sem banco de horas! Abaixo a reforma da Previdência, Alta Programada, Instrução Normativa 31 e o Fator Previdenciário!

02/02/2012 19:45:03

Boletim GM 1  

Boletim específico para GM, número 1

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you