Issuu on Google+

Jornal do Fórum de Lutas do Vale do Paraíba

Setembro de 2013

É HORA DE UNIFICAR AS LUTAS DAS CAMPANHAS SALARIAIS O segundo semestre de 2013 é o momento em que diversas categorias importantes do país entram em campanha salarial. Petroleiros, metalúrgicos do estado de São Paulo, trabalhadores dos Correios, químicos, bancários e diversas outras categorias já iniciaram as greves por melhores salários e condições de trabalho. No momento em que as mobilizações crescem é preciso unificar as lutas em uma pauta unificada dos trabalhadores para conquistarmos maiores vitórias. Nossos inimigos são os mesmo: patrões e governos, que só pensam em nos impor o arrocho salarial e a retirada de direitos e

vão usar de todos os métodos para reprimir e impedir nossa organização. Além disso, as campanhas salariais ocorrem em um momento em que estamos diante de sérios ataques, como é o caso do Projeto de Lei 4330, que visa ampliar as terceirizações a todas as atividades dos serviços públicos e privados, e do primeiro leilão do Pré-sal, que acontecerá no próximo mês e venderá nosso petróleo a preço de banana para as grandes multinacionais. Por isso, além de exigir melhores salários, é preciso unificar as campanhas salariais contra todos os ataques que ameaçam nossos direitos trabalhistas e soberania nacional. Vamos à luta!

NOSSAS REIVINDICAÇÕES alhadores. Aumento Por uma política econômica a serviço dos trab os dos alimentos. geral dos salários e congelamento dos preç o da jornada de trabaRedução da jornada de trabalho. Aprovaçã s. lho de 40 horas semanais, rumo às 36 hora Fim dos leilões das reservas de petróleo do petróleo brasileiro e Os leilões são, na prática, a privatização is. Não aos leilões! sua exploração por grandes multinaciona Salário igual para trabalho igual. Fim da . Abaixo o machismo. discriminação entre homens e mulheres Fim do fator previdenciário e não ao Fator 85-95. Pelo aumento das aposentadorias.

ção e a Contra o PL 4330, que permite a precariza s. dore alha retirada de direitos dos trab transporReduzir o preço e melhorar a qualidade dos tes coletivos Abertura das planilhas das empresas de lização ônibus, renovação das frotas. Pela municipa ! tivo do transporte do transporte cole 10% do PIB para a educação pública e, no mínimo, 6% do PIB para a saúde pública. Reforma Agrária: pelo fim dos grandes realizar latifúndios! Expropriação das terras para uma imediata reforma agrária no país.

Unidade na luta para barrar o leilão do Petróleo A data para entrega de um dos maiores patrimônios do país já está marcada: 21 de outubro. Nesse dia ocorre a 12ª rodada de licitações para exploração de petróleo. Pela primeira vez, está previsto o leilão de uma área do Pré-Sal, o chamado “campo de Libra”. Localizada na bacia de Santos, a área sozinha pode ter uma reserva de até 15 bilhões de barris de petróleo. Trata-se de uma das maiores reservas do mundo que será entregues às petrolíferas estrangeiras a preço de banana, cerca de R$ 15 bilhões. Para barrar a maior entrega de petróleo da história do país será preciso muita mobilização. Sindicatos de petroleiros e movimentos sociais iniciaram, no dia 24 de setembro, um acampamento em frente à sede da Pe-

Legessdbsdf asdasdfasdfga asdfasd

trobras, no Rio de Janeiro, para exigir o cancelmanto do leião do Pré-sal. O movimento faz parte da campanha “O Petróleo tem que ser nosso”, que também exige que o dinheiro obtido a partir da exploração da área seja investido na melhoria dos serviços públicos. O calendário de mobilizações contra o leilão prevê atos em todo o país no dia 3 de outubro, data em que se comemoram os 60 anos da Petrobras, marchas no dia 17 de outubro e outras iniciativas. O ponto alto da campanha será uma grande manifestação na data e local previstos para o leilão ocorrer. O calendário de luta já está definido, agora é preciso moblização para barrar este ataque à nossa soberania nacional.

Por que dizer NÃO ao leilão dos campos de Libra

Campo de Libra =

15 bilhões

de barris de petróleo

=

$ 3 trilhões.

MAS Dilma espera arrecadar apenas R$ 15 bilhões com o leilão!

cos 8 anos

FHC (PSDB) privatizou 484 blo

Lula (PT) privatizou 706 blocos de exploração de petróleo em

8 anos

Se o leilão de Libra ocorrer, Dilma baterá um novo recorde, com a venda de 590 blocos de petróleo em apenas

Quinta-feria, dia 3, às 9h Ato na Praça Afonso Pena contra o leilão do petróleo!

1 ano


Terceirizar é retirar direitos. Vamos à luta para barrar o PL 4330! A terceirização é um dos maiores ataques aos direitos dos trabalhadores. Estudo recente do Dieese mostra que o terceirizado fica 2,6 anos a menos no emprego, tem uma jornada de trabalho semanal de três horas a mais e recebe 27% menos do que um trabalhador assalariado direto. Os terceirizados ainda são as maiores vítimas dos acidentes, mortes no trabalho e ameaças constantes de demissão. A bancada dos deputados e senadores empresários no Congresso lançou o Projeto de Lei 4330 para avançar a terceirização, inclusive, sobre a atividade principal das empresas, as chamadas atividades fim. O PL 4330 é de autoria do deputado federal Sandro Mabel (PL/GO). Sandro é empresário e faz parte da chamada bancada dos patrões no Congresso. É patrão

querendo aumentar a terceirização nas suas empresas e lucrar mais, pois a terceirização deprecia a força de trabalho com a perda de direitos trabalhistas. Este projeto é tão escandaloso que até a Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra), que representa juízes do trabalho, lançou uma carta defendendo a rejeição total do projeto. A luta dos trabalhadores adiou a votação do projeto na Câmara por duas vezes. Mas ele ainda está em pauta, e deve ser votado em breve. Nós, trabalhadores, precisamos estar unidos nesta luta para impedir que os engravatados de Brasília ataquem os nossos direitos! Todo e qualquer ataque aos direitos trabalhistas deve ser derrotado com a luta da classe trabalhadora!

Trabalhadores fazem grande mobilização no 30 de agosto Os trabalhadores do Brasil e, especialmente, da nossa região fizeram um grande dia nacional de mobilização em 30 de agosto. Dando continuidade às mobilizações do 11 de julho, trabalhadores de diversas categorias fizeram paralisações, atrasos de turno e manifestações de rua para exigir aumento de salário e uma política econômica que atenda as necessidades de nossa classe. Nas cidades do Vale, participaram metalúrgicos, trabalhadores dos Correios, da alimentação, vidreiros, petroleiros, professores, estudantes e aposentados. Também houve uma passeata em São José e uma carreata , dos condutores, em Jacareí. No dia 7 de setembro, a luta continuou. Em São José, o Dia da Independência contou com um protesto de jovens e trabalhadores que ocuparam a Avenida 15 de novembro com faixas e cartazes com dizeres contra o PL 4330, os leilões dos campos de petróleo, a violência contra as mulheres, a corrupção e pelo passe livre no transporte público. A tarefa agora é continuar no caminho da mobilização, unificando as lutas das categorias em campanha salarial.

1º Encontro Nacional de Mulheres terá delegação do Vale No próximo mês, as mulheres trabalhadoras de nosso país têm um compromisso importante. É o 1º Econtro Nacional do Movimento Mulheres em Luta, que acontecerá entre os dias 4 e 6 de outubro, em Sarzedo (MG). O Encontro vai discutir problemas que atingem as trabalhadoras como desigualdade salarial, falta de creches, assédio moral e sexual, estupro e violência doméstica. Além disso, vai apresentar formas de luta e organização das mulheres para combater esses problemas.

Delegação do Vale Quem quiser participar, ainda dá tempo. Haverá um delegação de trabalhadoras de várias categorias de nossa região. Já são mais de 80 inscritas. Para bancar os custos da viagem até Minas, as trabalhadoras estão vendendo um “bônus” de R$ 1 nos locais de trabalho. São esperadas mais de mil mulheres no Encontro. A delegação do Vale do Paraíba já está organizada e conta com mais de 80 companheiras.

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, Sindicato dos Químicos de São José dos Campos e Região, Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais de Jacareí, Sindicato dos Trabalhadores do SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), Sindicato dos Petroleiros de São José dos Campos, Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Vale do Paraíba, Sindicato dos Frentistas do Vale do Paraíba, Sindicato da Alimentação de São José dos Campos e Região, Associação Democrática por Moradia e Direitos Sociais (ADMDS), Apeoesp - Subsede Sul, Avaré e Lapa, Sindicato dos Vidreiros subsede Vale do Paraíba, Associação Democrática dos Metalúrgicos Aposentados e Pensionistas do Vale do Paraíba (Admap), Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba, CSP-Conlutas Regional, ANEL (Assembleia Nacional dos Estudantes Livre), Movimento Mulheres em Luta (MML), Sinprafarma, Sind.


Jonal forum de lutas