Issuu on Google+

Delta | 1


Editorial

Transformação e crescimento

Welles será um colaborador valiosíssimo para nossa publicação. Para os que já estão com saudades de suas palavras de incentivo, a seção “Palavra do Líder” desta edição traz suas opiniões e ideias. Para a matéria de capa, trouxemos a Reunião Comercial e nossa intenção de atingir, em pouco tempo, as novas metas. Aliás, é importante ressaltar que as mudanças que vêm acontecendo na companhia são extremamente positivas e têm apenas um objetivo: fazer com que todos os colaboradores continuem confiantes e apaixonados pelo trabalho. Temos que, juntos, aproveitar o bom momento do País para nos consolidarmos como líderes no mercado de agronegócios brasileiro.

Outra novidade importantíssima é o Enlist™. O sistema usa uma inovadora formulação do comprovado herbicida 2,4-D. O resultado é uma tecnologia completamente diferente das anteriores, mas que vem provando ser um instrumento muito mais completo e diversificado no combate às plantas daninhas nas lavouras. A revista traz ainda informações sobre os eventos mais importantes realizados pela Dow AgroSciences, nossos projetos de sustentabilidade – que agregam ainda mais valor ao nosso negócio – e a continuação da entrevista com a Dra.Alda Lerayer na seção “A Biotecnologia e você”. Uma boa leitura a todos!

Para isso, é essencial que continuemos a inovar em nosso portfólio. Um exemplo muito bem sucedido é o Herculex*I, que em menos de 18 meses após seu lançamento, alcançou a incrível marca de um milhão de sacas vendidas. Na matéria dedicada ao produto, será possível conhecer também nosso próximo lançamento na área de sementes: o POWERCORE™.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

O primeiro grande passo foi dado e o nosso negócio está em profunda transformação. Um dos reflexos dessas mudanças é que, a partir desta edição, assumirei com um orgulho imenso todos os editoriais de nossa revista Delta. Welles Pascoal, atual diretor Comercial da Dow AgroSciences, fez um trabalho brilhante nas edições em que assinou esta seção. A ele, meu muito obrigado!

Fabian Gil Presidente

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Delta é uma publicação dirigida aos colaboradores da Dow AgroSciences. Distribuição Interna. Coordenação: Sumaia V. Miguel e Tamires Silvestre Comitê Editorial: Fabian Gil, Antônio Russo, Mario Von Zuben, Fernando Castaño e Sumaia Miguel Jornalista responsável e Coordenação Gráfica: Carol Chichetti Reportagem: Ademir Morata, Andrea Carvalho e Isis Coelho Designers: Thiago Caleffi e Ricardo Alves Fotos: Bancos de imagens Dow AgroScienses, *Marcas Registradas da Dow AgroSciences Impressão: Gráfica D’Lippi Tiragem: 1.000 exemplares


Índice

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

06

Matéria de Capa

15

Dow Sustentável 06 Matéria de Capa 09 Biotecnologia e você 10 Panorama 11 Destaque 12 Recursos Humanos 15 Dow Sustentável

4 | Delta


_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

18

Nosso Neg贸cio

20

Acontece na Dow 16 Delta Destaque 17 High Tech 18 Nosso Neg贸cio 19 Palavra do L铆der 20 Acontece na Dow 22 Cultura Delta | 5


Capa

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

SEM PARAR

Reunião comercial apresentou as estratégias de crescimento da empresa para os próximos anos De acordo com especialistas, o Brasil será o maior país agrícola do mundo em menos de dez anos. A Dow AgroSciences está preparada para acompanhar este crescimento e desenvolver ainda mais seu portfólio de produtos no mercado de agronegócio do País. Para alinhar os objetivos de cada área e apresentar as estratégias de crescimento para os próximos anos, a empresa realizou em 16 de fevereiro, em Cesário Lange (SP), a sua tradicional Reunião Comercial. Promovido anualmente,o evento reuniu toda equipe Comercial e Liderança de outros departamentos da companhia, que trabalham alinhados para atingir a principal meta da empresa: aumentar substancialmente o faturamento até 2015 e se tornar uma das empresas líderes no setor. “É possível alcançar este objetivo, desde que acreditemos em nosso potencial, assumindo riscos e atuando com paixão, ambição e segurança, sempre”, acredita Fabian Gil, presidente da Dow AgroSciences no Brasil. Em vez de focar no crescimento histórico, a organização comercial da Dow AgroSciences estará focada nas oportunidades de mercado. Para tanto, continuará investindo em pesquisa e desenvolvimento de produtos e tecnologias inovadoras e revolucionárias para proteção de cultivos, alimentos e nutrição. “Para se ter uma ideia, o investimento de capital em Pesquisa & Desenvolvimento em 2010 foi sete vezes maior do que em 2005. Nosso objetivo é continuar trabalhando de forma crescente e robusta para melhorar ainda mais nossos serviços, 6 | Delta

com foco no cliente”, comenta Ildo Mengarda, diretor de Pesquisa & Desenvolvimento da Dow AgroSciences. Além disso, a área pretende melhorar alguns processos e dar continuidade a treinamentos técnicos como o Pé no Barro e o Programa de Tecnologia de Aplicação, bem como investir em geração de demanda e suporte para lançamentos, como os plots de demonstração do Spinetoram, inseticida em fase final de desenvolvimento. “É muito importante que todos conheçam profundamente os benefícios de nossos produtos e que possam demonstrá-los de maneira eficiente para clientes em potencial. Isso ajuda a fortalecer a confiança dos agricultores em nossos produtos”, complementou Ildo, durante sua palestra no evento. O treinamento e retenção de talentos também foi um dos pontos destacados durante a reunião. “A Dow AgroSciences é o único negócio da Dow no Brasil que vem aumentando significativamente seu quadro de funcionários desde 2007”, conta Antonio Russo, diretor de Recursos Humanos da Dow AgroSciences. Só em 2010, foram contratados 82 novos colaboradores. Para 2011, estão previstas novas contratações e investimentos em treinamentos específicos, além da nomeação de Guillermo Gallego para a posição recentemente criada de Market & Sell Coach Leader. Ele estará a par de novas oportunidades de crescimento e reconhecimento de carreira.


_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

A área de Pesquisa & Desenvolvimento de Sementes, Biotecnologia & Óleos Saudáveis conta ainda com um novo Centro de Pesquisa, localizados em Sorriso (MT). “Além de desenvolver linhagens elites e híbridos de ampla adaptação e custos adequados é preciso ainda converter novos traits para todos os híbridos que serão lançados”, explicou Edmilson Linares, líder de Pesquisa de ST&O, da Dow AgroSciences durante sua palestra no evento.

Integração total A equipe de Sementes, Biotecnologia & Óleos Saudáveis comemorou os bons resultados obtidos durante o ano de 2010. Além do fortalecimento da integração da Agromen Tecnologia, houve ainda um crescimento em vendas de 25% em relação ao ano anterior, cinco novos lançamentos de híbridos de milho e um de sorgo no portfólio e o recorde de venda de um milhão de sacas de milho Herculex*I. Em 2011, já ocorreu o lançamento do SoyTrade. Entre as principais metas do setor estão a de comercializar um volume de 800 mil sacas de sementes de soja e 2,4 milhões de sacas de sementes de milho até 2016, manter a liderança no mercado de sorgo e ser o principal fornecedor de óleo alto-oleico no Brasil. “Para continuar com este excelente resultado e colaborar para a meta de faturamento, pretendemos manter o bom desempenho na área de Biotecnologia & Sementes, investindo em nossa estrutura de produção e laboratórios, treinando nossos distribuidores, influenciadores e agricultores e realizando um planejamento impecável para o lançamento de novas variedades de nossos produtos”, afirmou Rolando Alegria, diretor de Sementes, Biotecnologia & Óleos Saudáveis (ST&O) da Dow AgroSciences.

Mário Von Zuben, diretor de Registros e Relações Institucionais da Dow AgroSciences explica que é imprescindível obter registros e assegurar a livre comercialização dos produtos da companhia, atendendo a todos os requisitos da legislação. “O crescimento e estruturação de um time altamente capacitado aliado a um processo contínuo de treinamento e capacitação são fundamentais para continuarmos com os sucessos obtidos em 2010”, explica. O desenvolvimento de dez novas formulações e inclusão e aprovação de inseticidas, herbicidas e fungicidas ao portfólio da Dow AgroSciences foram destaque em 2010. O ano de 2011 começou com a aprovação do milho Powercore™ pela CTNBio em tempo recorde.

As fábricas de Franco da Rocha e Jacareí (SP) estão em crescente produtividade, com destaque para FDR, que fechou o ano com recorde de 48 milhões de litros produzidos. O site também recebeu certificação ISO 9001, norma que garante gestão de qualidade e satisfação dos clientes. “Uma das áreas de maior foco dentro de Operações é a de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (EH&S), pois manter a segurança das pessoas e a proteção ao meio ambiente é a garantia da longevidade das nossas operações”, afirmou Everson Medeiros, diretor de Operações da Dow AgroSciences. Neste quesito, ambas fábricas têm o que comemorar. Franco da Rocha completou em janeiro de 2010, 11 anos sem acidentes, o equivalente a 3,4 milhões de horas trabalhadas, e Jacareí tem oito anos sem vazamentos e mais de dois milhões de horas trabalhadas sem incidentes de processo.

Um por todos, todos por um

Operações

Além da integração dos objetivos de cada área, os palestrantes do evento aproveitaram para reforçar a ideia de que a empresa só cresce quando todos estão plenamente envolvidos com os processos e estratégias da companhia. “A Dow AgroSciences é uma empresa em transformação, com paixão e garra para se tornar um dos principais líderes do negócio agrícola, mas principalmente, é uma empresa de pessoas e tecnologia”, destacou Welles Pascoal, diretor Comercial da Dow AgroSciences.

Outro ponto extremamente importante para atingir a meta de faturamento é garantir que a cadeia suprimentos seja efetiva, assegurando a entrega do produto certo, no local e hora acordada. Além disso, Marcio Mourão, diretor de Operações da Dow AgroSciences, explicou que é preciso ter um custo adequado e competitivo para sementes no Brasil. “Em 2010, realizamos melhorias no armazenamento dos produtos e investimos nos processos de secagem e classificação e otimização de câmaras frias”, afirma Mourão.

A inovação em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, além de ferramentas comerciais como o BeefTrade e SoyTrade, reforçam o potencial de crescimento da Dow AgroSciences. “Precisamos acreditar em nossas potencialidades, planejando com foco, executando nossas tarefas e medindo nossos resultados. Iniciativa e Inovação têm que estar em nosso dia a dia, impactando diretamente os resultados da empresa e somente com o espírito de vencedor é que conseguiremos dar largos passos rumo ao bilhão”, finaliza.

Ainda para este ano, estão previstas parcerias estratégicas com órgãos como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), acompanhamento e defesa do 2,4-D e ampliação de projetos de sustentabilidade.

Delta | 7


Capa

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Ganhadores do REV AWARD da Reunião Comercial 2011

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

A Dow AgroSciences premiou, durante a reunião comercial, dez colaboradores da área de vendas que se destacaram em 2010. Os contemplados com o Rev Award foram: Faridh Salomão, José Paulo Vieira de Almeida, Alessandro Secco, Roberto Gonçalves, Sílvia Carvalho, Alberto Farina, Ricardo Paganeli, Caio Carvalho, Ricardo Hendges e Denis Silveira. Parabéns a todos!!! çalves Roberto Gon

a Alberto Farin

mão Faridh Salo

ganeli Ricardo Pa

8 | Delta

lho Silvia Carva

ra Denis Silvei

lho Caio Carva

dges Ricardo Hen

Alessandro

Secco

Almeida José Paulo


“A Biotecnologia e você”

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Confira a quarta parte da entrevista com a Dra. Alda Lerayer* sobre biotecnologia. Delta - Por ser mais resistente, o OGM é a solução para o cenário apocalíptico de aquecimento global e mudanças climáticas? Por quê?

Dra. Alda Lerayer* - Dizer que os OGMs são a solução para os efeitos do aquecimento global seria simplificar o problema, já que esse fenô-

• Plantas que poderão ser utilizadas como produtoras de vacinas • Vegetais que absorvem menos óleo durante o processo de fritura

meno está relacionado a diversos aspectos da sociedade atual, além de aspectos naturais do planeta. No entanto, já é claro para a ciência que a biotecnologia configura-se como uma ferramenta poderosa para

• Vegetais enriquecidos com vitaminas e proteínas, exemplo o arroz dourado

minimizar os impactos que as mudanças climáticas devem causar na produção alimentar e no desenvolvimento. Diversas pesquisas estão sendo realizadas neste campo. Abaixo, destaco quatro características que estão sendo amplamente estudadas com o intuito de manter uma produção de alimentos capaz de driblar

• Tratamento de doenças que ocorrem por problemas genéticos (terapia gênica) • Produção de órgãos e tecidos para transplante, sem o problema de rejeição

as mudanças climáticas: 1. Tolerância à seca, introduzindo nas plantas cultivadas genes encontrados em plantas que convivem bem com áreas desérticas, em diferentes partes do mundo. Americanos, japoneses e chineses lideram estas pesquisas; 2. Tolerância à temperatura, tanto mais elevadas quanto mais baixas do que aquelas normalmente requeridas pelas plantas. Um exemplo concreto é a adaptação da cana-de-açúcar (uma planta

• Utilização de microrganismos geneticamente modificados mais eficientes em processos fermentativos para produção de alimentos, fármacos e combustíveis • Utilização de microrganismos geneticamente modificados para biorremediação (despoluição de solos e água) • Plantas resistentes a estresses bióticos

tropical) às regiões de clima frio e temperado dos EUA; 3. Maior capacidade de absorção e aproveitamento de nutrientes do solo, elevando a produtividade e, portanto, exigindo menos água per capita na produção de alimentos; 4. Incremento na capacidade de aproveitamento da radiação solar interceptada pelas folhas das plantas. As plantas mais eficientes conseguem aproveitar, no máximo, 1% da radiação solar interceptada pelas folhas, transformando-as em proteína, óleos e carboidratos. As pesquisas objetivam aumentar este valor para perto de 2%, também reduzindo a demanda de água per capita na produção agrícola. D - Quais novidades a biotecnologia nos reserva para os próximos cinco anos?

A seção “A biotecnologia e você” chega ao fim. Foram quatro edições que lhe ajudaram a entender melhor a importância desta ciência em nossas vidas. A partir de agora, dúvidas sobre o tema podem ser encaminhadas para a Revista Delta, por meio do e-mail fspdelt@dow.com. *A pesquisadora Alda Lerayer assumiu, em junho de 2005, o cargo de diretoraexecutiva e porta-voz do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB). A professora é engenheira agrônoma formada pela ESALQ/USP, com mestrado em Microbiologia Agrícola e doutorado em Genética e Melhoramento de Plantas e Microrganismos pela mesma instituição e pós-doutorado no Laboratoire de Génétique Microbienne, INRA* (França).

Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB) no twitter Quem quiser acompanhar as novidades sobre biotecnologia e transgênicos no Brasil, basta seguir @biotec_br e @transgenicos_br.

AL - A biotecnologia, como ciência, tem potencial para oferecer novos produtos, bem como desenvolver técnicas que, aplicadas à medicina, aumentem a qualidade de vida e a eficiência dos tratamentos de doenças, além de produzir alimentos de maior valor nutritivo. Ao lado, seguem alguns exemplos do que podemos ter no mercado nos próximos cinco anos:

Delta | 9


PanoramaDestaque

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Projeto Pé no Barro 2011 trouxe novidades para funcionários e distribuidores regionais O Projeto Pé no Barro 2011 expandiu seus horizontes e, além da equipe de colaboradores da Dow AgroSciences, a quarta edição do evento recebe também distribuidores de diversas localidades. “O objetivo foi aproximar cada vez mais nossa rede de distribuição com as estratégias da empresa”, explica Fabiano Romero, especialista em Proteção de Culturas da Dow AgroSciences. Os participantes puderam conferir demonstrações de toda linha de fungicidas, herbicidas e inseticidas da Dow AgroSciences, desde o plantio até a colheita. Um dos destaques ficou para o inseticida Exalt*, com lançamento previsto para este ano e que pode ser utilizado tanto em soja quanto em milho. “Disponibilizamos plots demonstrativos para que os participantes pudessem comparar a ação deste produto com o que há disponível no mercado”, comenta Romero. O programa 2011 foi desenhado para que toda rede de distribuição pudesse ser treinada tanto na parte teórica como na visualização prática dos conceitos e produtos, em um evento único e anual. Para tanto, em algumas localidades, houve uma semana inteira de atividades, como o caso de Passo Fundo (RS) e Londrina (PR),

onde se concetraram os maiores públicos. Cada evento teve um dia reservado somente para discussões e alinhamentos da equipe interna da Dow AgroSciences, que reuniu diversos departamentos como área Comercial, Pesquisa & Desenvolvimento, Comunicação e Lideranças de Marketing. Uma das importantes mudanças ocorridas, em 2011, foi a condução dos campos demonstrativos por empresas terceirizadas, deixando a equipe de campo (RTVs) da Dow AgroSciences como corresponsáveis, porém com a atividade principal preservada (venda e geração de demanda). A apresentação e condução dos diferentes eventos foi realizada pela equipe de Crop Protection e RTVs focal points para cada localidade. Além de levar informações para funcionários, colaboradores e distribuidores da Dow AgroSciences, o Pé no Barro é de vital importância estratégica para a área de fungicidas, herbicidas e inseticidas da companhia. “Este será o grande evento técnico comercial promovido pela empresa à este público. A qualidade das palestras e a infraestrutura montada demonstra o comprometimento de todos os envolvidos para o sucesso desta empreitada”, revela Romero. Outro importante objetivo do programa além de treinar tecnicamente toda equipe de campo Dow AgroSciences e distribuição, foi ouvir da linha de frente ideias, sugestões, como também debilidades que temos no campo. “Estas informações servirão para apurar ainda mais nossas estratégias de crescimento nas diferentes linhas de negócio da Dow AgroSciences”, finaliza Romero.

Panorama Geral

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Dow AgroSciences marca presença em Dias de Campo da Fundação MT “Semear o presente com olhar no futuro”. Este foi o tema da série de eventos Dias de Campo, promovido pela Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso (Fundação MT), durante os meses de janeiro e fevereiro de 2011. Ao todo, dez municípios mato-grossenses participaram do evento. A Dow AgroSciences esteve presente em todos os encontros com o objetivo de apresentar seu portfólio de produtos e inovações tecnológicas na área. “A Fundação

10 | Delta

MT tem sido um parceiro muito importante na divulgação de nossos produtos”, afirma Douglas Ribeiro, líder da área de Marketing da Dow AgroSciences. Além de conferir as últimas novidades nos campos montados pela companhia, os participantes do evento puderam assistir a palestras que abordaram assuntos como “Tendências e Perspectivas para o Agronegócio Mato-Grossense”, “Soja louca: estudo de caso” e “Nematoides em Soja: identificação e manejo”.


_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Nova tecnologia de controle de plantas daninhas da Dow AgroSciences terá a marca Enlist™ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ No caso do Enlist™, diversas tecnologias poderão ser combinadas ao sistema, por meio de cruzamentos com eventos que oferecem, por exemplo, tolerância ao glifosato e resistência aos insetos no milho e no algodão e tolerância ao glifosato na soja. “Além de estar desenvolvendo a tecnologia de eventos para milho, soja e algodão, a Dow AgroSciences está desenvolvendo um 2,4-D reinventado, que será usado nesse sistema”, declarou o líder global de Sementes & Biotecnologia da Dow AgroSciences, Tony Klemm.

Tony Klemm

Sistema de nova geração permitirá melhor controle de plantas daninhas de difícil controle e das resistentes ao glifosato O novo sistema de próxima geração de controle de plantas daninhas da Dow AgroSciences, com enorme potencial no mercado brasileiro, usará a marca Enlist™, segundo anunciou a empresa no início de março. O sistema usa uma inovadora formulação do comprovado herbicida 2,4-D, que inclui o nutriente Choline. O resultado é uma tecnologia completamente diferente das anteriores, que vem provando ser um instrumento muito mais completo e diversificado no combate às plantas daninhas nas lavouras. “Uma característica importante do Enlist™ é a de oferecer ao agricultor, graças à sua diversidade de ação, um recurso eficiente para enfrentar o problema, cada vez mais frequente, de plantas daninhas de difícil controle e resistentes ao glifosato”, declarou Fabian Gil, presidente da Dow AgroSciences no Brasil. “Com ele, será possível aos agricultores manter e desenvolver os sistemas de produção atuais, em grande parte baseados em culturas tolerantes ao glifosato, assegurando os ganhos comprovados que obtiveram em termos de produção, produtividade, eficiência, conforto e preservação ambiental”.

Maior projeto “A Dow AgroSciences está entrando em um período de crescimento significativo, ancorado na tecnologia”, prosseguiu Klemm. “Ele é liderado pelo POWERCORE™, SmartStax™ e o Sistema de Controle de Plantas Daninhas Enlist™, junto à nossa destacada oferta de produtos químicos. O Enlist™ é o maior projeto da história da Dow AgroSciences. Nosso objetivo é introduzir esta tecnologia de forma apropriada, para ajudar os consumidores a entender e maximizar seu valor, garantindo sua aceitação pelos principais interessados, na agricultura e na comunidade”. Klemm lembrou que as pesquisas sobre o Enlist™ estavam em curso durante anos antes da revelação oficial do nome de marca do sistema, Enlist™, no dia 1º de março. A entrada no mercado depende da obtenção das licenças necessárias nos paíseschave – Argentina, Brasil, Canadá e Estados Unidos. Pelos cálculos da empresa, o primeiro lançamento será nos Estados Unidos, para o milho, na safra de 2013. No Brasil, o cálculo é de 2016, para o mercado da soja. “É um mercado significativo”, afirmou Klemm. “A produção brasileira de soja vem crescendo bastante e o Brasil é o maior produtor da América do Sul, seguido pela Argentina. Esses dois países serão uma parte integral do projeto para a Dow AgroSciences”.

Nutriente essencial A nova tecnologia herbicida usada no Enlist™ compreende um sal de amônia quaternário, formado pela reação entre o ácido 2,4-D com o hidróxido Choline. É, assim, diferente de aminas ou ésteres. A Choline é um nutriente essencial para seres humanos e é encontrada em alimentos como ovos, carnes e germe de trigo. Foi pesquisada e escolhida para o projeto devido às características desejáveis de sua estrutura química. A formulação química do Enlist™ tem como base o herbicida 2,4-D, usado com sucesso há mais de 60 anos. Nesse período, foi bastante estudado e hoje tem seu uso registrado em mais de 70 países. Não é persistente no solo, na água ou na vegetação, decompõe-se rapidamente e tem baixa toxicidade para animais e o meio ambiente. Essas características desejáveis, com o mesmo controle das plantas daninhas, são mantidas no Enlist™. Os especialistas acreditam que a nova tecnologia será especialmente atraente para os produtores devido a vários fatores, entre eles um muito importante no país: a emergência das daninhas não é uniforme, o que faz com que existam, ao mesmo tempo, plantas daninhas em diferentes estágios de desenvolvimento no mesmo campo. “Isso complica muito o controle das plantas daninhas, pois dificulta a aplicação de herbicidas no momento ideal para o controle”, afirmou o Jader Rodrigues, gerente de Soja da Dow AgroSciences no Brasil. “Além disso, é preciso considerar fatores como o grande volume de chuvas, altas temperaturas e muita umidade”, prosseguiu. “Usando o sistema de controle Enlist™ em suas lavouras, os produtores poderão manter a flexibilidade necessária com relação aos instrumentos usados na proteção das safras”. “A Unidade Comercial Regional do Brasil é uma parte muito significativa dos negócios da Dow AgroSciences”, declarou Klemm. “O Brasil é um player importante na agricultura mundial, por isso, ir bem no Brasil é muito importante para toda a empresa. Além disso, o negócio de sementes no Pais está tendo um crescimento muito forte com o uso de novas tecnologias. Basta lembrar o sucesso da introdução do Herculex*I no Brasil na safra de 2009. Foi o maior lançamento de um evento na história da empresa”. Esse sucesso, resultante da dedicação e empenho de muitos funcionários, será, sem dúvida, superado pelo do Enlist™.

Delta | 11


EspaçoRH

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

35 anos

anos

Alcino Ladeira Neto

Virtual Office-Brazil

Waldir Tavares de Souza

Virtual Office-Brazil

30

15

anos

Alcino Gabriel Junior

Jardinópolis

Marilene Tenguan Iamauti

São Paulo Headquarters

Mozart Soares Fogaca Jr

Ribeirão Preto

Maria Amélia Caixeta Faustino

São Paulo Headquarters

Leandro Henrique Zorzo

Jardinópolis

Mario Henrique Belem

F Rocha DowElanco Plant Morro Agudo

José Carlos Travain

Virtual Office-Brazil

Alexandre Pereira Dias

Antonio Rosa Correia

Jacareí

Nelson Aparecido Alvarenga

Mogi Mirim

Jorge Luiz Lopes

F Rocha DowElanco Plant

Gilmar Batista Felizardo

Jacareí

São Paulo Headquarters

Sandro Faria

Jacareí

Gustavo Nunes da Silva

Virtual Office-Brazil

Gildete M. do Nascimento Teixeira

São Paulo Headquarters

Fabio Orlancar Schiavon

Virtual Office-Brazil

Arnold Alves de Andrade

F Rocha DowElanco Plant

Paulo Cesar Staniecki

Virtual Office-Brazil

Antonio Sergio Carrile

Virtual Office-Brazil

Edivaldo dos Santos

Jacareí

Eduardo Augusto M. de Oliveira

São Paulo Headquarters

Ricardo Casanova Paganeli

Virtual Office-Brazil

Monica Molina de Barros Camargo

São Paulo Headquarters

Ana Cristina Camargo T. Pinheiro

Cravinhos

Faridh Salomão Junior

Virtual Office-Brazil

Fabiano Peloggia

Jacareí

Paulo Santos

Jacareí

Elmir Cardoso

Jacareí

Rosangela Franzoni Caun

Cravinhos

Sivaldo Pereira da Silva

Jardinópolis

Welles Clovis Pascoal

25 anos

Magno Sebastião de Oliveira

Castro

José Roberto Santos

Jacareí

Tacimar Geraldo Bertozo

Virtual Office-Brazil

Laércio Martins

Jacareí

Valdir Correa

Jacareí

Jacir Taffarel

Virtual Office-Brazil

Marcos Antonio Almeida

Ribeirão Preto

Doraci Rocha Santos

Cravinhos

Laécio Pereira dos Santos

Jardinópolis

20 anos

Antonio Carlos da Silva

Jardinópolis

Ricardo Franco

Ribeirão Preto

Roberto de Vito

Mogi Mirim

Gilberto Antonio Cavalcante

Castro

Anibal Esteves

Ribeirão Preto

Martha Regina Gouveia Villas Boas

Mogi Mirim

Valmir Gregorio Andrade

São Paulo Headquarters

Francisco Hormenez Silva

Luis Eduardo Magalhães

Roberto Nadalon

Jardinópolis

José Claudio Moscardi

Jardinópolis

12 | Delta

10 anos

Carmen Silvia da Silva R. Soeira

Cravinhos

Donizeti Aparecido T. de Oliveira

Cravinhos

Antonio Gaspar da Silva

Cravinhos

Luciano Malaguti dos Reis

Luis Eduardo Magalhães

Fabiana Cremonesi S. de Carvalho

São Paulo Headquarters

Ronaldo Marques de Carvalho

Jardinópolis


Tempo de Serviço na Dow AgroSciences

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

10 anos

5

anos

Paulo de Oliveira Braga Junior

Paracatu

Luciana Marchese

Mogi Mirim

Angelo Guilherme Marson

F Rocha DowElanco Plant

Douglas Alberto Trevisan Junior

Jardinópolis

Wagner José Florindo

Virtual Office-Brazil

Evandro de Carvalho

São Paulo Headquarters

Maria Beatriz Gromick

São Paulo Headquarters

Everton Luiz Nani

F Rocha DowElanco Plant

Auro Silva de Carvalho

Janaúba

Rodrigo Zardo Barddal

Virtual Office-Brazil

Fabio Muniz Ruiz

Jardinópolis

Roberto Itimura

F Rocha DowElanco Plant

Andre Matias Ramos da Silveira

F Rocha DowElanco Plant

Cristiane Aparecida Cassalho

F Rocha DowElanco Plant

Andres Eduardo Zanartu Allendes

F Rocha DowElanco Plant

Alan Claudio de Menezes

F Rocha DowElanco Plant

Arquimedes Macari Molina

F Rocha DowElanco Plant

Josivaldo da Silva Santos

Cravinhos

Lineu Staut de Melo

Virtual Office-Brazil

Leandro Vinicius Reis Azevedo

Cravinhos

Vandre Rodrigo Kenithi Fujii

F Rocha DowElanco Plant

Osvaldo Alves Pereira

Jardinópolis

Henrique Trindade do Amaral

Virtual Office-Brazil

Lindomar Queiroz dos Santos

Cravinhos

Daniela Maria Moreira

F Rocha DowElanco Plant

Bruno Antoniazzi Vallone

São Paulo Headquarters

Monica Maria Laranjeiro Gazzi

F Rocha DowElanco Plant

Paulo Adriano Rizzardi de Moraes

F Rocha DowElanco Plant

Renato Barbosa da Silva

Indianópolis

Celso Luis Dias Fragoso

F Rocha DowElanco Plant

Daniela Ortolan Pecerini

São Paulo Headquarters

5

anos Rodrigo Borges Coimbra

Paracatu

Aglaíso Pereira de Sousa

F Rocha DowElanco Plant

Aquiles Dantas Vilela

F Rocha DowElanco Plant

Fernando de Oliveira

F Rocha DowElanco Plant

Umbilino Ferreira Neto

F Rocha DowElanco Plant

Diogo Horacio da Silva

Cravinhos

César dos Santos Ichise

F Rocha DowElanco Plant

Luiz Carlos de Souza

F Rocha DowElanco Plant

Cleberson Ferreira dos Santos

Virtual Office-Brazil

Sormani Polini

Virtual Office-Brazil

Rotsen Esteban Nuñez

F Rocha DowElanco Plant

Gilcinei Silvério

Jacareí

Dauri Aparecido Fadin

Mogi Mirim

Alessandro Luis Secco

Virtual Office-Brazil

Alan Aparecido Siqueira dos Santos

Paracatu

Andre Paulo Martinelli

Indianópolis

Parabéns A Dow AgroSciences agradece os anos de dedicação e profissionalismo. É uma honra tê-lo em nossa equipe.

Delta | 13


EspaçoRH

Perfil do Funcionário

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Colecionar sucessos

é um hobbie para Fernando Castaño Assim como os melhores filmes do cinema internacional são premiados anualmente com o Oscar, o alcance dos objetivos profissionais é reconhecido com uma carreira em constante ascensão. O paralelo se encaixa no perfil do agrônomo e líder de Marketing da Dow AgroSciences, Fernando Castaño. Com o mesmo prazer com que coleciona DVDs das histórias vencedoras da principal honraria da sétima arte desde 1950, ele também registra uma trajetória de 21 anos na Dow com passagens vitoriosas pelas mais diversas divisões do grupo, nos mais diferentes países. Sua chegada à companhia aconteceu em seu país natal, a Colômbia, quando integrou a equipe de Pesquisa & Desenvolvimento. A partir daí, ocorreram passagens pelo Equador, como representante de Vendas, gerente de Marketing para Pastagem na região Andina e DSM do território da Colômbia, para finalmente, em 2007, mudar para a Dow Química na região Norte LA, primeiro como gerente de Novos Negócios e Mercados, e depois como gerente de Vendas da Dow Automotiva. O ano de 2011 marca uma nova etapa nesta carreira. Recémchegado ao Brasil, Fernando tem como meta usar todo o potencial do Marketing para atender o foco de crescimento da Dow AgroSciences no Brasil e levar a companhia à liderança dos mercados em que atua. Para isso, ele já elegeu como foco o crescimento das ações de inteligência de mercado associadas ao incremento dos programas de incentivo, além de um relacionamento mais estreito com os clientes e com a mídia, através de um programa efetivo, moderno e diferenciado do CRM, no qual, todos os principais clientes da Dow AgroSciences no Brasil estão envolvidos. A estratégia de Fernando passa pelo desenvolvimento de uma disciplina de Marketing na companhia, que utilizará todas as

ferramentas para fazer com que o posicionamento da empresa e seu plano de ações cheguem aos canais de distribuição e aos usuários finais dos produtos. “Precisamos aumentar o reconhecimento das posições estratégicas da Dow AgroSciences tanto junto aos profissionais que formam a cadeia de venda dos nossos produtos e também junto aos produtores rurais que são nossos consumidores diretos”, diz. O líder de Marketing também vislumbra a possibilidade de desenvolver novas oportunidades de negócios no Brasil em culturas como: trigo, café, feijão e Manejo Integrado de Vegetação (MIV), com reflorestamento e o controle de árvores e espécies indesejáveis ao longo de faixas de passagem de transmissão de energia, rodovias e ferrovias. “Meu método de trabalho é sempre voltado em alcançar os objetivos traçados focando em resultados trabalhando com pessoas”, diz. Com esta agenda ambiciosa e desafiadora pela frente, Fernando elege dois filmes de sua coleção de mais de 300 DVDs de ganhadores de Oscar como inspiradores para esta caminhada. Eles são os épicos “Gladiador” e “Coração Valente”.

Mas apesar destas escolhas e de definir o adjetivo lutador como sua principal característica profissional, ele planeja uma vida bem calma fora do ambiente de trabalho. Casado, é pai de dois adolescentes: um de 13 e outro de 14 anos. Fernando tem como programa preferido, como não poderia deixar de ser, ir ao cinema. Mas também faz questão de ressaltar que é amante de churrasco e de vinhos. Para quem o acompanha nestes prazeres ele recomenda um Malbec.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 14 | Delta


DowSustentável

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Apoio a projetos de educação ambiental rende homenagens à Dow AgroSciences Respeito pela vida e pelos recursos naturais. Estas são prerrogativas essenciais para a Dow AgroSciences. Seu compromisso com a sustentabilidade ultrapassa as barreiras do próprio negócio e abraça comunidades inteiras, como acontece com o apoio ao Programa Agrinho, no Paraná. Há 15 anos, o projeto é realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Paraná (SENAR/PR) e contribui para formação ambiental dos estudantes da região. “O Agrinho vai ao encontro das metas de sustentabilidade da Dow AgroSciences, que se empenha e trabalha em programas de melhoria social e ambiental”, diz Fabian Gil, presidente da empresa no Brasil. Em reconhecimento a este apoio, a Dow AgroSciences recebeu o troféu “Instituição Amiga”. A homenagem ocorreu durante

evento em comemoração à existência da iniciativa no Paraná. A empresa também marcou presença durante a premiação dos 20 vencedores da edição 2010 do Agrinho no Mato Grosso, realizada em parceria com o SENAR/MT. O Programa Semeando, outra iniciativa que promove a educação am- Equpe Dow AgroSciences na premiação do Agrinho (PR) biental e recebe apoio da Dow AgroSciences, também homenaque crianças e jovens entendam a imporgeou a empresa em evento que celebrou os tância do meio ambiente para o dia a dia da 10 anos de existência do projeto. “Receber comunidade”, conclui Valeska De Laquila, este prêmio é uma grande satisfação para a coordenadora técnica de Sustentabilidade companhia, uma vez que trabalhamos para da Dow AgroSciences.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Programa Família e Qualidade de Vida atualiza apostilas e fornece treinamento para instrutores saúde preventiva e educação sexual. “É muito gratificante perceber o interesse que estas pessoas têm pelos assuntos abordados. Em especial as mulheres, que começam a perceber sua importância dentro do núcleo familiar”, conta Valeska De Laquila, coordenadora técnica de Sustentabilidade da Dow AgroSciences.

Criado em 2002, o Programa Família e Qualidade de Vida tem por objetivo oferecer conhecimento básico sobre saúde, meio ambiente, cidadania e controle do orçamento familiar à comunidade rural, em especial idosos, mulheres e casais de municípios do Paraná. A iniciativa prevê capacitação técnica e metodológica de profissionais para que ministrem palestras ao público-alvo sobre temas como: O que são e para que servem os defensivos agrícolas, toxicologia básica,

Todo ano, as apostilas do projeto são atualizadas. Em 2011, temas como doenças, vacinas e defensivos agrícolas receberam novas informações. “Este programa é muito importante para a Dow AgroSciences, pois ele prevê a instrução de um público diferenciado e que normalmente não recebe tanta atenção das empresas. É realmente incrível ver como um pouco de informação pode realmente melhorar a qualidade de vida de muitas famílias”, conta Valeska. Em 2010, mais de 10,5 mil pessoas foram capacitadas.

Dow AgroSciences homenageará funcionário durante Prêmio Mérito Fitossanitário A Dow AgroSciences premiará o funcionário de campo que melhor desempenhou ações de Stewardship em 2010 durante o Prêmio Mérito Fitossanitário. O evento é promovido anualmente pela Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (Andav) e reconhece o trabalho de profissionais, indústrias, distribuidores e cooperativas que se destacam nas iniciativas de educação e treinamento do homem do campo de maneira sustentável. A solenidade está prevista para dia 20 de junho de 2011. A Dow AgroSciences estará inscrita em diversas categorias e também espera ser premiada. “É uma ótima oportunidade para que o mercado conheça todas as ações socioambientais que a Dow AgroSciences desenvolve”, conta Valeska De Laquila, coordenadora técnica de Sustentabilidade da Dow AgroSciences.

Delta | 15


DeltaDestaque

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Dow AgroSciences supera um milhão de sacas vendidas de Herculex*I POWERCORE™ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ tornando o trabalho do produtor de milho mais conveniente, produtivo e econômico”, afirmou Rolando.

Mais uma vez, os objetivos foram superados e em menos de 18 meses após o lançamento do Herculex*I no Brasil, a Dow AgroSciences comemorou mais de um milhão de sacas vendidas O Herculex I™ representa uma nova geração de sementes de milho geneticamente modificadas. Ou seja, contém um evento (trait) que confere à semente a resistência aos insetos. Desta forma, protege a planta durante todo o seu ciclo de vida contra as pragas como a lagarta-do-cartucho e outras importantes pragas do milho, resultando em safras maiores e grãos de melhor qualidade. “Essa conquista foi fundamental para que a Dow AgroSciences se posicionasse como uma das líderes para o mercado de milho no Brasil. Em 2011, manteremos o mesmo empenho em sempre apresentar as melhores soluções para os agricultores”, declarou Rolando Alegria, diretor de Sementes, Biotecnologia & Óleos Saudáveis. De um milhão de sacas, 840 mil foram vendidas pela Dow AgroSciences e 320 mil pela Agromen Tecnologia.

16 | Delta

A ação do POWERCORE™ inclui algumas das mais importantes pragas das lavouras do milho, que, em plantios convencionais, podem reduzir drasticamente a produtividade. Ele controla a Spodoptera frugiperda (lagarta-do-cartucho), a Helicoverpa zea (lagarta-da-espiga), a Diatraea saccharalis (broca-da-cana), o Elasmopalpus lignosellus (lagarta-elasmo) e a Agrotis ipsilon (lagarta-rosca). Ele acrescenta a essa ação a tolerância aos herbicidas glifosato e glufosinato. Rolando Alegria, Diretor de Sementes, Biotecnologia & Óleos Saudáveis

Com esse grande marco de sucesso do Herculex I™, a Dow AgroSciences ganhou ainda mais confiança e se prepara para o lançamento do POWERCORE™ em 2012. Trata-se de uma das mais novas e eficientes tecnologias para o controle das pragas do milho que também oferece tolerância aos herbicidas glifosato e glufosinato. POWERCORE™ representa um excelente potencial de crescimento para a Dow AgroSciences por inúmeras razões. Ele trará um amplo espectro de proteção contra insetos, com o controle mais eficiente, utilizando três genes de controle de insetos, mais do que qualquer outro pacote de eventos do milho no mercado latino-americano. “Estamos trabalhando para que, em breve, esta nova tecnologia esteja incorporada aos nossos híbridos de alto desempenho,

“A nova tecnologia POWERCORE™ da Dow AgroSciences será um importante diferencial para o produtor, que terá lavouras mais produtivas e sadias, completa Rolando. “Trata-se de uma tecnologia que atende a necessidade de concretizar este aumento de produção de forma sustentável, evitando as perdas causadas pelas pragas de insetos mais importantes e permitindo o melhor uso das terras já cultivadas”, acrescentou Rolando. “É um exemplo de ação responsável que a Dow AgroSciences está muito orgulhosa de oferecer ao mercado”.


_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Nova molécula será alvo da colaboração com empresa indiana

HIGH

A Dow AgroSciences identificou uma nova lead molecule que será usada na continuação de sua aliança com a GVK Biosciences, de Hyderabad, na Índia. A molécula foi escolhida por ter condições de chegar a objetivos traçados para os produtos da empresa. A Dow AgroSciences e a GVK BIO colaboram desde 2008 para geração de novas moléculas destinadas a sínteses e testes em produtos de ação inseticida e fungicida.

Empresa completa mudança para novo centro de pesquisas

Programa estimula produtores a ajudar crianças doentes

A Dow AgroSciences completou a transferência de parte de suas instalações de pesquisa para o Biotech Research Building, um prédio de alta tecnologia de dois andares situado no Northwest Technology Center, em Indianápolis. Cerca de 100 pesquisadores estão trabalhando no local, que fica ao lado da sede mundial da empresa. A mudança é parte importante do empenho da Dow AgroSciences de aumentar sua capacidade de pesquisas.

A Avista® Complete Cotton e a Phytogen ®, empresa de sementes de algodão filiada à Dow AgroSciences, criou nos Estados Unidos o programa “Fibers of Giving”, pelo qual cotonicultores e outros participantes da cadeia produtiva do algodão podem ajudar crianças doentes. O programa consiste na doação de produtos feitos com esta matéria prima, como lençóis e toalhas. A Avista e a Phytogen dobrarão cada doação até o total de cinco mil dólares.

Acompanhamento confirma bons resultados do SmartStax®

Empresa constrói nova área de pesquisa e desenvolvimento

Trabalho de acompanhamento feito em várias partes dos Estados Unidos confirma que a tecnologia SmartStax®, para o controle de pragas do milho, oferece um potencial de rendimento maior que as outras tecnologias existentes no mercado. A pesquisa, que acompanha dados referentes à última safra, conta com a participação de universidades importantes como do Estado de Iowa, do Ilinóis, Purdue, Nebrasca e do Estado de Dacota do Sul.

A Dow AgroSciences vai construir uma nova área para pesquisa e desenvolvimento de sementes de milho e soja em Olivia, no Estado de Minnesota, Estados Unidos. O local será usado pela Mycrogen Seeds e outras afiliadas da empresa no ramo de sementes. A área, que fica aproximadamente há 140 km a Oeste de Minneápolis, tem cerca de 4,4 hectares e abrigará um prédio de escritórios e locais para processamento e armazenamento de sementes.

Gowan Company adquire direitos do M-Pede e do Scythe

Expansão em Indiana e Ilinóis começa a dar resultados

A Gowan Company de Yuma, no Arizona, chegou a um acordo com a Dow AgroSciences para comprar os direitos do inseticida e fungicida M-Pede® e do herbicida Scythe®. O M-Pede é usado em diversas culturas, inclusive horticultura, fruticultura, algodão e plantas ornamentais. O Scythe é um herbicida não seletivo usado no controle de diversas invasoras. A aquisição permitirá à Dow concentrar recursos em outras áreas.

Uma série de investimentos feitos pela Dow AgroSciences em suas instalações de pesquisas nos Estados de Indiana e Ilinóis, nos Estados Unidos, está levando a sensíveis aumentos na produtividade. A empresa investiu mais de US$ 6,7 milhões nas instalações de Fowler, Otterbein e West Lafayette, em Indiana, e em Sidney, em Ilinóis. As expansões estão ligadas ao aumento da participação da empresa no negócio de sementes.

Inseticida que protege lavoura do milho recebe prêmio

Dow amplia laboratório de controle de qualidade de sementes

A Dow AgroSciences recebeu o prêmio Asgrow Internacional pelo Spinetoram, comercializado nas Américas Central e do Sul com as marcas Palgus™ e Exalt*™. O produto foi considerado a melhor novidade do mercado em proteção de lavouras de 2010. O Spinetoram é usado com sucesso por milhões de produtores para controlar a lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda), a mais importante praga da cultura do milho na América Latina.

A Dow AgroSciences anunciou que vai transferir o laboratório de controle de qualidade de sementes de sua sede mundial em Indianápolis (EUA), para instalações maiores, situadas no campus da universidade Purdue Research Park, na cidade de West Lafayette, Indiana. A medida faz parte da estratégia de expansão no negócio de sementes da empresa e abrirá caminho para o aumento da capacidade no desenvolvimento e teste de novas tecnologias na área.

Empresa faz acordo sobre tecnologia que fortalece raízes

A Dow AgroSciences chegou a um acordo de licenciamento comercial exclusivo com a instituição britânica Plant Bioscience Limited (PBL). A convenção trata sobre uma nova tecnologia que fortalece o sistema radicular das plantas e pode ter importantes implicações à agricultura. A tecnologia foi desenvolvida com a clonagem e caracterização de genes que podem ter papeis vitais na ancoragem, uso da água e assimilação de nutrientes pelas plantas. Novas normas estimulam uso de óleos saudáveis nos EUA

As novas orientações sobre a dieta dos Norte-Americanos para 2010, distribuídas pelo governo dos Estados Unidos, sublinham a importância do uso de gorduras mais saudáveis, como os óleos de canola e girassol Ômega-9 desenvolvidos pela Dow AgroSciences. O documento estimula o uso constante desses produtos pelas indústrias de alimentos a fim de proteger a saúde da população.

TECH

Delta | 17


NossoNegócio

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Luis Eduardo Magalhães, na Bahia, se prepara para receber novo pólo industrial da Dow AgroSciences _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ O município de Luis Eduardo Magalhães, localizado a 140 km de Barreiras, noroeste baiano, é um dos mais importantes pólos do agronegócio do Brasil. Além de sua posição geográfica privilegiada (a cidade faz fronteira com Tocantins e Goiás), o solo extremamente fértil é também um dos grandes responsáveis por seu crescimento significativo. Em apenas nove anos, sua população cresceu cerca de 150% e a região tornou-se responsável por 60% da produção de grãos do Estado. O plantio da soja ocupa uma área superior a 175 mil dos 270 mil hectares cultivados, seguido, em importância, pelas culturas de milho, algodão e frutas do tipo exportação.

explica Marcio. “A obra terá duas etapas e esperamos finalizá-la completamente em 2012”, conta. A fábrica também contribuirá para o crescimento socioeconômico da cidade. Isso porque a empresa pretende aumentar o contingente de colaboradores atuantes na região: dos atuais 16 para 45 profissionais, além de outras 120 pessoas que serão contratadas durante os períodos de safra. “A unidade de LEM será parte estratégica para o crescimento da área de sementes da empresa”, finaliza.

A Dow AgroSciences acompanhou e colaborou diretamente para a expansão da região. Há vinte anos, a empresa mantém uma unidade de beneficiamento de sementes na cidade e uma equipe de profissionais que desenvolve trabalhos com campos de produção de sementes híbridas de milho e sorgo, em parceria com agricultores locais. Agora, a empresa se prepara para construir uma unidade industrial de alta tecnologia em sementes na área. “A ideia do projeto nasceu em 2006, mas só agora estamos colocando-o em prática. Os planos foram aprovados pela nossa sede em Indianapolis, EUA, e já começamos os trabalhos de terraplanagem”, conta Márcio Mourão, líder de Operações da Dow AgroSciences Brasil para Sementes e Biotecnologia. A nova infraestrutura visa atender, principalmente, a demanda das áreas de produção de grãos do Norte e Nordeste do país. “A unidade de LEM vai receber e processar estas sementes. Um moderno secador já foi adquirido como parte inicial do projeto, e a etapa de classificação neste momento ocorrerá em São Paulo”,

18 | Delta

Vista aérea dos campos de produção da unidade de LEM, na Bahia


Palavrado Líder

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

A caminho do

sucesso

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Welles Pascoal, novo diretor Comercial da Dow AgroSciences Brasil

Atitude e “dor de dono”. Estes são os conceitos que Welles Pascoal, diretor Comercial da Dow AgroSciences, deseja que toda equipe da Dow AgroSciences leve consigo durante o ano de 2011. A empresa está em pleno crescimento e pretende aproveitar a boa fase do Brasil para aumentar o faturamento e se consolidar como líder no setor de agronegócios do país. “Temos know how, tecnologia e somos respeitados nos mercados em que atuamos estrategicamente. Nosso potencial é enorme”, afirma Welles.

A excelente rentabilidade nas culturas de soja, milho e algodão, além do preço do boi alcançando níveis históricos – R$ 100/ arroba – são alguns dos fatores que reforçam o bom momento. “O futuro é agora e a Dow AgroSciences tem as ferramentas necessárias para fazer acontecer. A marca de um milhão de arrobas de boi comercializada por meio do Beeftrade é um exemplo de como a inovação ajuda a alavancar nosso negócio”, explica. Além desta ferramenta comercial, a Dow AgroSciences já lançou este ano o Soytrade, solução que proporciona ao agricultor oportunidade de adquirir produtos e soluções da linha soja da empresa, ofertando em troca a soja a ser colhida ou disponível.

Outro fator muito importante para o sucesso da Dow AgroSciences é o comprometimento de toda a equipe com os objetivos e metas da empresa. “O funcionário precisa pensar estrategicamente, planejar suas ações com foco e, depois de executá-las, medir os resultados obtidos, fazendo correções se for necessário. Com isso, aumenta-se a efetividade de todo negócio”, avalia. A empresa pretende oferecer treinamento e ferramentas gerenciais à organização comercial para que todos os funcionários

elevem seus patamares de atuação, alinhados às estratégias da companhia. De acordo com Welles, a atitude é primordial. A organização e seus distribuidores têm de continuar comprometidos com a idéia de crescimento. “Não adianta saber que precisamos atingir uma meta e não trabalharmos por isso. Vamos em frente com a garra que é marca registrada da Dow AgroSciences”, diz. A equipe comercial da companhia é reconhecida por sua excelência no agronegócio e a empresa possui um dos portfólios mais completos e inovadores do mercado. “É preciso continuar com o espírito vencedor. Mostrar que nossa experiência pode ser muito mais valiosa quando trabalhamos juntos. As metas estabelecidas são apenas um parâmetro, mas podemos – E devemos! – ultrapassá-las, quando existe a oportunidade”, incentiva. Criatividade, inovação, tecnologia e serviços de alta qualidade devem ser sinônimos de Dow AgroSciences. “Ao aumentarmos ainda mais nossa iniciativa e tomada de risco, celebraremos o fato de que podemos fazer nosso melhor ainda hoje”, completa.

Delta | 19


Acontecena Dow AgroSciences _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Soytrade entra em operação. Em fevereiro, a Dow AgroSciences disponibilizou para os seus clientes o Soytrade, solução que proporciona ao agricultor a aquisição de produtos e soluções da ‘Linha Soja’ da empresa através da troca por soja. Em sua primeira versão, o Soytrade operou com

a soja disponível (produto colhido ou a colher da safra 10/11). A partir de 1º de março, os agricultores passaram a contar com a segunda versão desta ferramenta que trabalha com o prazo de safra (2011/2012). De acordo com o gerente de Commodities da Dow AgroSciences, Cesar Vieira Jr., a negociação com soja disponível tem mais potencial onde o meio rural está mais capitalizado, principalmente na região no sul do País. No restante do Brasil, a negociação com prazo safra deverá ter maior atratividade. “Nossa meta é crescer acima do mercado e temos consciência que o Soytrade será uma ferramenta fundamental para atingirmos este objetivo. Atualmente, o mercado de agroquímicos para a soja negocia de 20 a 35% em trocas. Por isso, é essencial consolidarmos essa modalidade em nossos negócios”, afirma Vieira.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Líderes globais participam de tour de arroz no sul do País

Equipe Dow AgroSciences reunida em Porto Alegre

A Dow AgroSciences investe em inovações tecnológicas para melhorar a qualidade de seu portfólio de produtos. Em fevereiro, Mangalam Santos, líder global de Negócios do Arroz, e Rick Mann, líder global de Pesquisa do Arroz, juntamente com a equipe brasileira de Marketing, Vendas e Pesquisas, visitaram a região de Porto Alegre para avaliar os resultados de campo dos novos herbicidas para o cultivo do arroz irrigado desenvolvidos pela empresa.

A ação contou com o apoio do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), que realizou os testes e confirmou os resultados em campo. “Os produtos mostraram-se excelentes para o controle das principais plantas daninhas, inclusive as resistentes, que reduzem a produtividade final do produtor além da alta seletividade para a cultura”, afirma Hugo Centurion, gerente de Marketing para Arroz e Cana-de-açúcar da Dow AgroSciences. A previsão é que estes produtos sejam lançados nos próximos anos.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Segurança é prioridade para Dow AgroSciences Como parte de sua estratégia de sustentabilidade, a Dow AgroSciences comemora os recordes batidos em prevenção a acidentes e segurança conquistados ao longo de 2010. Entre os principais, está o reduzido número de ocorrências com veículos automotores. De acordo com Ildo Mengarda, diretor de Pesquisa & Desenvolvimento da Dow AgroSciences, segurança não é uma questão de métrica e sim de atitude pessoal.

20 | Delta

“Este assunto é prioridade na estratégia da Dow AgroSciences e nosso foco continua sendo ter zero acidentes”, afirma.

a empresa para que as atitudes tomadas surtam o efeito de diminuir possíveis repetições.

Para garantir que a meta será atingida, a empresa proporciona uma série de treinamentos periódicos de direção defensiva para os funcionários desde sua admissão, com maior periodicidade para aqueles com até dois anos de casa. Além disso, possui uma comissão que analisa os acidentes determinando suas causas e divulgando para

Além deste, outros recordes foram batidos como o de 11 anos sem acidentes com pessoas (3,4 milhões de horas trabalhadas) e quatro anos sem vazamentos (LOPC) dentro da unidade Franco da Rocha. Já na unidade de Jacareí, foram dois milhões de horas sem incidentes de processo e oito anos sem vazamentos.


_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Tour de cana demonstra novo produto do portfólio da Dow AgroSciences Marketing para Arroz e Cana-de-açúcar da Dow AgroSciences. Além de altamente seletivo, e de amplo espectro, o produto ainda apresenta bons resultados no controle da tiririca, outra planta daninha que invade os canaviais.

daninhas da cultura, pois, além de evitar a mato competição por água e nutrientes, evita custos de manutenção com colheitadeiras e contratação extra de pessoal principalmente na época da colheita da cana de açúcar”, explica Hugo. Foto: Alano do Carmo

A Dow AgroSciences realizou um evento para comprovar os resultados no campo do COACT, novo herbicida da empresa com lançamento previsto para meados de 2011. “É um produto que traz excelentes perspectivas tanto para a Dow AgroSciences, quanto para o mercado. Isso porque ficou comprovado que ele apresenta uma excelente performance, superior aos padrões do mercado, no controle da corda de viola, um dos principais problemas da cana-de-açúcar”, explica Hugo Centurion, gerente de

Cerca de 15 profissionais de Vendas, Marketing e Pesquisa da Dow AgroSciences estiveram in loco para verificar os excelentes resultados do produto. “Este herbicida se tornará essencial no controle das principais plantas

Em pé, da esquerda para a direita: Ludmila, Willian, Felipe, Zé Paulo, Edmarcio, Caio, Livia, Gastão, Jamil, Roberto, Estevo e Adriano; Agachados, da esquerda para a direita: Clayton, Cesar Ceriani, Tabosa, Hugo Centurion, Julio, Alano, Gustavo e Georlei Comparativo dos resultados no campo do herbicida COACT

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Liderança global da Dow AgroSciences visita pecuaristas usuários de forrageira híbrida Executivos da Dow AgroSciences visitaram, em fevereiro, duas fazendas no Paraná com o objetivo de avaliar a percepção dos usuários finais sobre híbridos de braquiária, e, em especial, nosso CONVERT*HD364. A iniciativa contou com a participação de Willian Root, GBL Grass Seeds, David Ralls, Global Financial Leader Mergers and Acquisitions, Eduardo Pescarollo, representante Técnico de Vendas de Maringá (PR), e Gustavo Silva, gerente de Novos Negócios para linha de Pastagem da Dow AgroSciences. “É muito importante para nós reforçarmos ao mercado nossa posição de nos tornarmos líderes no segmento de forragens no Brasil através da introdução de novos híbridos, assim como a incorporação de outras forrageiras no portfólio de pastagem, como sorgo e milho silagem. A presença da liderança global reforça esse compromisso junto ao mercado”, comenta Silva. O contato com os clientes intensifica a imagem da Dow AgroSciences como uma empresa que se preocupa com a qualidade de seus produtos e prestação de serviços.

Lideres globais em uma das fazendas visitadas no Paraná

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ Beeftrade supera primeiro milhão de arrobas comercializadas

Dow AgroSciences recebe prêmio Top List da Revista Rural

Lançado há um ano, o Beeftrade já apresenta um saldo bastante positivo. Em 2010, a Dow AgroSciences negociou, por meio desta ferramenta comercial, o equivalente a um milhão de arrobas de boi gordo no Brasil inteiro. “Este resultado demonstra a excelente aceitação deste programa pioneiro e o grande potencial desta forma de negociação para a pecuária nacional”, afirma César Vieira, gerente de Commodities da Dow AgroSciences.

A Dow AgroSciences foi escolhida, pela segunda vez consecutiva, a melhor empresa da categoria “Defensivos para Pastagens” na 10ª edição do prêmio Top List. “Com esse reconhecimento, encerramos com chave de ouro o ano que comemoramos o 50° aniversário da Linha de Pastagem”, diz Marcello Cunha, gerente de Marketing da Linha Pastagens da Dow AgroSciences.

Delta | 21


Cultura LIVRO Sucesso é uma questão de atitude | Marcelo Cherto | R$ 35,00 em média O sucesso não é construído somente por experiências bem-sucedidas. É o que escreve o executivo Marcelo Cherto em seu mais novo livro sobre gestão. Durante os textos da publicação, Cherto afirma que as adversidades ensinam muito mais. Para ilustrar esse pensamento, o autor inicia o livro contando como fracassou anos atrás, quando decidiu criar uma editora sem entender nada do assunto. Os direitos autorais foram doados ao Instituto Empreender Endeavor, ONG que apoia o Empreendedorismo. PASSEIO Parque Estadual da Cantareira (SP) Telefone: (11) 2203-0115 Rua do Horto, 1799| http://www.ambiente.sp.gov.br Localizado ao lado do Horto Florestal, zona norte de São Paulo, o Parque Estadual da Cantareira possui uma das maiores florestas urbanas nativas do mundo. Além disso, em 1994, foi declarado pela Unesco como parte da reserva da Biosfera do Cinturão Verde da cidade. A área é divida em quatro núcleos (Pedra Grande, Águas Claras, Engordador e Cabuçu) que trazem diversas opções de lazer como trilhas, cachoeiras e áreas para piquenique. GASTRONOMIA Mercado Municipal | Rua da Cantareira, 306 (SP) O Mercado Municipal é conhecido não só por sua beleza arquitetônica, mas também pelos quitutes que oferece. O pastel de bacalhau e o sanduíche de mortadela são os carros-chefe do cardápio. Além da degustação dos tradicionais pratos paulistanos, os visitantes têm à disposição os mais variados tipos de frutas – nacionais e importadas – e produtos da gastronomia mundial. Este é um passeio imperdível para os amantes da culinária. 22 | Delta



Revista Delta