Page 1

~ ´ Escola Secundaria joao de Deus Visita de estudo a Lisboa, Porto e Mafra Págs. 18 e 19 Espaço de Opinião Págs. 6 e 7

Projectos em destaque Págs. 26 e 27

No mundo dos Jogos: Antevisões pág. 23 Agenda do 3º período Pág. 22

O 11º 2 veste a República

pu bl ic

págs. 14 e 15

Re

A Revolução

an a

1910 - 2010

Modelo Beatriz Paixão Fotografada por Ricardo Dionísio, Pedro Gamero e Roberto Prazeres

Março 2010

Número 56 0,50 euros


Escola

Livros para férias

Dia do Patrono

As escolhas de Godinho Varela Cunha e Andrade “a máquina de fazer espanhóis” de valter hugo mãe “Morreste-me” de José Luís Peixoto “O leitor” de Bernhard Schlink “Os Anagramas de Varsóvia” de Richard Zimler “um homem e duas mulheres” de Doris Lessing

A

La Chandeleur

A Festa dos Crepes! de Sarah Virgi

N

o dia 11 de Fevereiro deste ano, os alunos de Francês da turma 10ºC, empenharam-se na concretização da actividade La Chandeleur – em português, a Festa dos Crepes -, isto é, a preparação e venda de crepes à comunidade escolar no âmbito da celebração desta festa tradicional francesa. La Chandeleur tem origem numa comemoração romana, realizada 2

Escola Secundária João de Deus prestou dia 8 de Março, uma homenagem ao Professor Amílcar Quaresma. E também neste dia a Escola comemorou o dia do Patrono João de Deus. Amílcar Quaresma, natural de Estoí, foi professor de jornalismo da Escola Secundária João de Deus, grande dinamizador de projectos educativos entre eles o clube de jornalismo e o nosso jornal escolar Preto no Branco e as edições do livro Selecção fantástica. O evento contou com a presença de antigos professores, alunos da Escola e familiares do professor. Na cerimónia houve leitura de poesia de Cesário Verde, pela professora Maria José Godinho, excertos de poesias e textos das inúmeras obras da autoria do professor Amílcar Quaresma, pelo Dr. Augusto Miranda, um espaço musical e entrega de prémios do concurso literário “Jogos Florais Amílcar Quaresma 2009/2010”. Durante a cerimónia foi lançada uma nova edição da colectânea “Selecção Fantástica”, um legado do professor que a Escola decidiu prosseguir. “Selecção Fantástica” é uma compilação de texto fotografias e ilustrações dos alunos.

quarenta dias após o nascimento de Jesus, como festa da apresentação de Cristo no Templo e da purificação da Santa Virgem Maria, ou ainda, do milagre da fertilidade. Nesta altura, séc. V , dirigiam-se imensos peregrinos à cidade-mãe do império, Roma e conta-se que Gelásio I, Papa de origem africana, fazia distribuir crepes por todos eles. Assim se manteve a tradição dos crepes até

hoje por toda a França e até já na nossa escola! Esta iniciativa visa primeiramente a divulgação da cultura francesa, incentivando a aprendizagem de uma nova língua e interesse pela tradição cultural do país, e também a angariação de fundos para uma visita de estudo a França, a realizar no próximo ano lectivo. Esperamos que tenham apreciado esta actividade!


Escola

Quem sou eu? 2º de Tiago Dias Sou a felicidade De quem eu tanto ouço falar Procurei sempre a verdade Mas nunca a consegui encarar. Sou a raiva de uma mistura De muita dor concentrada Aquele que sempre procura a Razão, às vezes por nada. Sou aquele que não implora, Que sofre sem humildade A quem a dor devora Por não encontrar a verdade. Sou a imperfeição deste mundo Sou o ser e o não ser Serei o renascer de uma nova vida... O silêncio profundo!

Prémio

Concurso Literário

F

oi atribuído à aluna Sarah Virgi, com o trabalho “Fado” o 2º prémio do Concurso Literário “ O Infante D. Henrique e o Algarve. Este concurso foi organizado pela Direcção Regional de Educação, em parceria com a Direcção Regional da Cultura do Algarve e o Núcleo de Filatelia de Faro. A sessão pública de entrega dos prémios terá lugar no dia 13 de Novembro de 2010, na Fortaleza de Sagres. Parabéns!

Poesia aos Pedaços

Mus a

de Amor Desfeito

Olhai, Mundo, Sol e Lua, De pensamentos dispersos: Aquela que vai na rua É só Musa dos meus versos! De leve pisa o passeio Com o seu andar de Rainha. Que me dê um devaneio, Se nunca puder ser minha! Q’um dia ela me veja Como poeira na brisa! Até já morro d’inveja Da calçada que ela pisa! Lá vai ela de mansinho Pela calçada gulosa; Tem odor a rosmaninho, Mas é bela como rosa!

“A poesia está na escola”

de André Eugénio

de Ana Mafalda Sarmento

o dia 3 de Fevereiro realizou-se na Biblioteca Municipal o ateliê “Poesia aos Pedaços”. Tratou-se de uma actividade destinada a ler e ouvir poesia, brincar com as palavras, com os sons e ritmos, construir e “desconstruir” poemas, com um pouco de brincadeira, e um pouco de teatro... enfim, iluminar as palavras. No final os alunos divertiram-se tanto que não se queriam ir embora, pedindo para ficarem e fazerem mais actividades.

Tão grande beleza rara, Dona do meu suspirar; Que até toda a rua pára Para a puder ver passar.

A turma que participou neste evento convida todos os alunos a participarem neste ateliê.

Ai! A musa dos meus versos Que me aperta o coração! Deixa meus olhos submersos: Escrevo meus versos em vão!

N

o passado dia 11 de Fevereiro de 2010 a nossa escola recebeu no seu Auditório o declamador Afonso Dias. Por iniciativa do Projecto da Direcção Regional de Educação e em colaboração com a Escola Secundária João de Deus de Faro, houve pelas 9:00H uma sessão animada e interessante em que a partir deste Projecto, Afonso Dias demonstrou o seu talento e a sua vocação para a Poesia. Deste modo uma turma de 10º ano e duas de 12º compareceram nesta iniciativa na qual participaram de forma activa cantando poemas ao som da guitarra. Afonso Dias conseguiu captar a atenção dos alunos presentes dandolhes a conhecer e relembrando vários poetas através de uma recitação fascinante entrecortada pelo diálogo com os alunos. Foi uma óptima colaboração que pretendemos continuar a manter no futuro no nosso Liceu.

N

Ai! Aquela que ali vai A não posso merecer… É tão bela, olhai, olhai! Faz-me sofrer e escrever…! Tantos metros que me arrasto. Cego o olhar à janela! E todo o papel que gasto Só para escrever por ela?!

Olimpíadas da Química + Foram realizadas, na nossa Escola, a 1ª fase das semifinais das Olimpíadas da Química + em que participaram 36 alunos, do 10º e 11º ano, distribuídos por 12 equipas. Estão todos de parabéns pela sua participação entusiasta. A equipa vencedora é constituída pelas alunas: Ana Margarida Granja, Débora Casimiro e Joana Glória do

10º ano turma J. Esta equipa vai representar a nossa Escola no dia 13 de Março de 2010 no Instituto Superior Técnico em Lisboa.

3


JCE Mais uma sessão

Billy Elliot

de Inês Metelo

de Emanuel Palma Menção Honrosa no concurso Jogos Florais Amílcar Quaresma

Coração de cisne em voo

No dia 8 de Fevereiro de 2010 pelas 14:30h, no Auditório da Biblioteca Municipal de Faro, visionou-se o filme “Billy Elliot” cujo realizador é Stephen Daldry. A estrutura narrativa deste filme tem duas linhas convergentes sendo elas as lutas de classe e as pessoais. Enquanto que o Billy (Jamie Bell) frequenta as aulas de ballet às escondidas, o seu pai (Gary Lewis) “luta” pelos direitos dos mineiros no meio de uma manifestação de grevistas. É uma história comovente que pretende passar como mensagem “devemos seguir os nossos sonhos”. É um filme que reuniu várias turmas de 10º ano do nosso liceu no auditório da Biblioteca Municipal e que foi bastante apreciado.

Cultura

Sugestão do Cineclube de Faro Dia 29 de Março no IPJ ás 21:30

ALMOÇO DE 15 DE AGOSTO Almoço de 15 de Agosto é cinema que tem parte com o artesanato. Coescrito, realizado e interpretado pelo argumentista Gianni Di Gregorio (Gomorra), com uma cotovelada autobiográfica, um orçamento humorístico, uma equipa mínima, actrizes amadoras e na sua casa de família, é a história de um Gianni, um homem de meia-idade que vive com a mãe idosa num apartamento de Roma, e que está em falha com a renda da casa e as despesas do condomínio. O senhorio diz que lhe perdoa tudo, se ficar a tomar conta da mãe dele

de Paulo Vaz Amar-te feito cisne, perdidamente Esquecido na sombra da tua aurora. E apaixonado hoje mais que outrora, pela pluma sublime, de antigamente. Esta felicidade porque ansiava ver no horizonte crepuscular pressentida. Em espelhado lago reflectiu-se ser, saudade eterna, paixão já esquecida. Voas-te querida, para o sol ardente, Onde espero te encontrar novamente, no final momento… meu fado de vida! Demasiado tarde, o Inverno chegou Morri no momento que me atormentou, coração trespassado de cisne em voo…

4

“Billy Elliot” foi nomeado para vários prémios, entre os quais os Óscares de 2001 para as categorias de Melhor Realizador, Melhor Argumento Original e Melhor Actriz Secundária e ganhou os prémios da British Academy Awards para Melhor filme Britânico, Melhor Actriz (Julie Walters) e Melhor Actor (Jamie Bell) e da British Independent Film Awards para Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento e Melhor Actor (Jamie Bell).

no feriado do meio de Agosto. Só que atrás da mãe, vem a tia. E ainda mais outra idosa. E assim, Gianni fica a braços com quatro velhotas caprichosas, numa Roma deserta, fechada e abrasadora. Reminiscente da melhor e mais tradicional comédia realista italiana, daquela que traz um travozinho de melancolia, Almoço de 15 de Agosto é um filme sobre a solidão e o desamparo da terceira idade, mas feito num jeito amável, genuina e unicamente romano, como o peixe-gato que Gianni vai a certa altura comprar à beira do Tibre. E humano, enormemente humano. Sérgio Abranches, timeout.pt


Cultura

Elephant de Diogo Simão

O

Homem Elefante… Pessoal, eu vou ser sincero: nunca em vários anos de cinematografia, me tinha deparado com este filme. Já revi várias vezes a internet em busca de filmes decentes para ver, mas tudo o que encontro são blockbusters com milhões de efeitos especiais e argumentos da treta, como o 2012 e companhia limitada. Foi o meu professor de Geografia que falou dele numa aula. Achei interessante o titulo, por isso fui ver o que valia… Bom… A minha primeira impressão: filme a preto e branco, feito em 1980, quando o Rocky e o Rambo já tinham esgotado bilheteiras a cores. Ao ver uma mulher a ser “atacada” por um elefante… Medo… Verdadeiro medo sobre o que poderia suceder àquela pobre rapariga. Anthony Hopkins apareceu no meu ecrã… Estava vestido como um verdadeiro Gentleman… Sempre adorei aquele actor… Manda um cenário tão grande por detrás de toda aquela serenidade e pronuncia perfeita. Mas há algo que não me deixa à vontade… Será a música arrepiante? Serão as aberrações que sobressaem num verdadeiro circo de horrores? Quando chega finalmente ao meu entendimento porque é que o filme se chama Homem – Elefante ficou horrorizado… Não me lembro de alguma vez ter ficado assim em qualquer filme, e acreditem já vi de tudo. Nunca se recupera do primeiro choque… O filme conta a história de John Merrick, sendo o seu verdadeiro nome Joseph Merrick, um homem de 21 anos, que nasceu com malformações em mais de 90 % do corpo. Sim, o protagonista do filme, o médico e todos os outros, não são apenas personagens inventadas pela mente

Man de um argumentista que viu o Frankstein demasiadas vezes. São pessoas que existiram realmente. E foi aí que o filme me provocou o maior dos horrores: a veracidade de tudo aquilo. O poder que cada fala do protagonista tem é comovente, sinistra, sentimental, por vezes nojenta… Cada pessoa que tem contacto com ele

demonstra uma diferente face sua… O conflito do bem e do mal dentro de cada ser humano… As histórias ligadas àquela triste pessoa, que acabam por se desenvolver de forma caótica, são o motivo pelo qual a vida é cruel para todos e não só para um. A vida é cruel para Merrick porque o fez assim. A vida é cruel para o Doutor Treves porque tem a escolha do que fazer com a vida daquele ser. A vida é cruel para quem o maltrata pois viverão tempo mais que suficiente para lamentarem o que fizeram. É com este filme que os valores de cada pessoa são testados: o que faría-

mos se estivéssemos no lugar desta ou daquela personagem? Será que reagiríamos de igual modo? Será que o mundo é um mar de rosas? Há muito que aprendemos que não, mas esta história leva-nos a um nível de compreensão demasiado elevado: de repente, estamos perante escolhas morais demasiado grandes para ficarmos indiferentes. Esbarramos com a parede da realidade. E ela é bem dura! A dupla Anthony Hopkins e John Hurt é perfeita, levando este filme ao estrelato e à nomeação para 8 Óscares da Academia. É um drama perfeito. A combinação do drama puro, com um pouco de terror e suspense. Não, não tem efeitos especiais de cortar a respiração, mas tem o que um verdadeiro filme deve ter: uma história poderosa e pessoas que sejam tocadas por ela. Eu vou ser sincero: O Homem – Elefante não me parecia grande coisa ao princípio. O Homem – Elefante surpreendeume como há muito nenhum outro filme, o tinha feito. O Homem – Elefante marcou-me. O Homem - Elefante não é só um filme. O Homem - Elefante: vão ver, adorar, pensar e sonhar.

Cartaz de Ana Amado 5


Espaço de Opinião

o exigiu e outros ainda, opondo-se, defenderão que o status quo censurou qualquer outra posição. Porém, jogo de lágrimas” ou o jogo de poder os mais calmos erguer-se-ão para informar que simplesmente a naturede Miriam Marguilho za assim o ditou. A natureza de cada Será, numa primeira análise, a um, una e sublime comanda cada escolha do título uma opção não um dos nossos actos como se mais muito óbvia de entre as hipóteses nada pesasse o seu valor em imque encaixam na função e que têm portância. Tomando um partido para por isso de obedecer às condições de que isso ajude a aceitar ou refutar previsibilidade e de rápida relação uma posição coerente, admitamos com o conteúdo (não convém dar que todos nascemos com a nossa oportunidade a que os ponteiros por quota-parte de Bem. Neste caso eu muito se delonguem enquanto nos seria obrigada a concluir, porque me debruçamos sobre estas questões é natural pensar assim, que as pestanto do entretenimento e tão pouco soas de má índole teriam uma árdua da alma). Se me coubesse o poder tarefa – a de recusar e expulsar todo de escolha decerto ignoraria o eso vestígio de bem com que foram tatuto de título e as suas inerentes dotadas. E assim, as pessoas de natucondições e trataria de arranjar um ral bonomia sê-lo-iam não por mérito letreiro que, ainda que informativo, próprio mas por simples herança ou sencialmente o preâmbulo de todo obrigasse a mais profunda dedicadom. o processo interior de conflito de ção e a sua relação com o conteúdo Está lançado o enorme pleito, a convenções, certezas, pareceres e conheceria mais os que vêem a obra ignominiosa questão: “o que somos, saberes empíricos. Nenhum destes de arte e menos os que vêem para ser recursos enumerados será suficiente somo-lo por uma sucessão de merecentretidos e para enganar o espírito. para acalmar o espírito depois de os imentos ou simplesmente o somos?”. Ainda assim, da minha parte, a Parece-me arriscada qualquer dados deste grandioso jogo estarem questão do tão pouco curioso epíteto posição neste campo, mas ainda lançados. é facilmente ultrapassada pelo assim gostaria de não deixar todas E eles estão lançados assim que o primeiro plano visual apresentado. filme chega ao fim. O jogo não pára as possibilidades em aberto e, quem Um travelling por debaixo de uma sabe um dia, descobrir o mistério do nem pela maior catástrofe alguma ponte algures na Irlanda que perser. Creio, sem qualquer receio em vez presenciada, nem pelo soluço mite vislumbrar o espaço onde se irá abafado e quem mais depressa reagir, assumi-lo, que existe algo acima de desenrolar a primeira parte da acção. mais probabilidades terá de ser bem nós que, por mais esforçada tentaEsta invulgar opção ocupou parte do tiva, irá, a certo ponto, sobrepor-se sucedido. Mas, se o jogo não pára, meu pensamento durante exaustivas a tudo o resto. Talvez aí seja sensato se a Terra nunca permanecerá dois horas e ainda assim não fui digna incluir a natureza individual. Não segundos na mesma posição, se o de desmistifica-la senão aquando de creio que dois seres necessitem da que sentimos agora nem que seja o um contacto com o soberano parecer mesma condição, da mesma opornosso último desejo voltaremos a do realizador: o primeiro plano é a tunidade, para terem essências excessentir, então quando virá o tempo grande metáfora da película. Há mais sivamente próximas e não creio que de analisar, de criticar e de pergundo que pensamos para conhecer por qualquer pungente atrocidade possa tar: “porque fiz isto?”. E, com esta debaixo da nossa pele, há mais para abalar essa força primordial e exispergunta, tão prosaica, de resposta além da ocasionalidade ou circuntencial. Mas creio que podemos de tantas vezes dada, retirando-lhe o stância, a nossa dimensão não se carácter empírico e retórico, apresen- forma injuntiva exceder-nos, deseesgota naquilo que é perceptível para jar para além do tido e garantido e tam-se-me poucos aqueles que lhe os olhos. explorar mesmo as mais recônditas tentaram dar resposta, para além do Estas pequenas arestas do complexo possibilidades que a natureza deseóbvio, particular e aborrecido. Uns panorama que é esta obra de arte jou permitir para cada um. Creio, alegarão que foram as circunstânsão facilmente aparadas com leves com naturalidade. cias, outros que a conjuntura assim trocas de impressões, mas são es-

“Crying game”

6


Espaço de Opinião

cegas por dinheiro de João Almeida

A

ntigamente as pessoas valorizavam muito mais valores como a experiência no trabalho e isso conferia-lhes respeito, sendo as pessoas já com certa idade muito respeitadas especialmente pelas pessoas mais jovens, porque a experiência de vida que iam adquirindo servia para transmitir conhecimento aos mais novos. A honra era outro valor que as pessoas tinham muito em consideração. Por exemplo quando se chegava a um acordo tudo terminava com um simples aperto de mão a partir daí nenhuma das duas partes podia voltar atrás. Actualmente isso já não serve de muito, porque há sempre pessoas a tentarem aproveitar-se de outras e apenas o que está acordado no papel é que conta. O Mundo actual é muito mais materialista do que antigamente, porque a aparência e o que cada pessoa possui acaba por valer muito mais do que os valores de cada um de nós. As pessoas apenas querem possuir e mostrar as coisas que têm. Assim as pessoas acabam por ficar quase como cegas por causa do dinheiro, não ligando ao que verdadeiramente interessa.

Basquetebol

um jogo de inteligência em movimento de Ana Beatriz Soares

U

Po s t a l d e J o ã o A u g u s t o

ma acção é um pensamento que se manifesta. Um pequeno gesto denuncia-nos de modo que temos de aperfeiçoar tudo, pensar nos pormenores, aprender a técnica de tal maneira que ela se torne intuitiva. Intuição nada tem e ver com rotina, mas com um estado espírito que está além da técnica. Assim, depois de muito praticar, já não pensamos em todos os movimentos necessários: eles passam a fazer parte da nossa própria existência. Mas para isso é preciso treinar, repetir. E como se não bastasse, é preciso repetir e treinar. Mas, para quem conhece a importância do treino, sabe que cada vez que metemos a bola no chão, a intensidade do drible é diferente. A mão repete o mesmo gesto, mas à medida que e a bola se aproxima do chão, ela sabe se deve tocá-la com mais dureza ou com mais suavidade. Repetindo sempre o mesmo gesto, mas mudando sempre de direcção quando necessário. A mão do jogador foi educada depois de ele ter repetido milhares de vezes o gesto de driblar, lançar e passar. A técnica faz com que as duas mãos estejam prontas, a respiração seja precisa e os olhos possam fixar o alvo. O instinto faz com que o momento do ataque seja perfeito! A equipa continua a trabalhar, aprende tudo o que aquela defesa trouxe de positivo, corrigindo os eventuais erros, aceitando as suas qualidades, esperando para ver como reage o alvo ao ser defendido de tal maneira. Uma equipa perfeita, depois de cumprir o seu dever e de transformar aquelas horas um desafio triste mas

Fotografia de Pedro Reis feliz para outras, disputando o prazer do jogo, não precisa de temer mais nada: a equipa fez o que devia. Não se deixou paralisar pelo medo mesmo que “a flecha não tenha atingido o alvo”, pois teremos outras oportunidades, porque não fomos cobardes. (“Eu não paro de sentir, abstrair-me no prazer e na dor de cada pormenor… Seja em campo, na vida ou longe do que nem sequer imaginamos, aí inovo dentro de mim por sentir algo que ninguém ousou conceber dentro de si. Eu adoro quando jogo, ou quando treino, ou quando estou só, somos vivos ao fazê-lo, por sermos Homem ou loucos, eu adoro sê-lo, homem louco que se vê louco por mostrar uma ínfima loucura do que o enlouquece”.)

7


Novo disco dos

Massive Attack já nas lojas

Música por

Cultura

André Ferrinha, Mafalda Vicente e Inês Santos

Killers cancelam concertos Os norte-americanos The Killers cancelaram três concertos na Austrália, depois de já terem anulado uma série de actuações na Ásia, em Janeiro. Em comunicado publicado no seu site oficial, o grupo de Brandon Flowers explicou que o cancelamento dos espectáculos em Sydney (12 de Fevereiro) e a sua participação nos festivais Good Vibrations em Sydney (13) e Perth (14) deveu-se a “doença grave” de um familiar de um dos membros da banda, sem precisar qual deles. No mesmo texto, o quarteto de Las Vegas assegurou que irá realizar os dois últimos concertos da tournée, a 20 e 21 de Fevereiro em Gold Coast e Melbourne, respectivamente, e afastou os rumores que Mais um record para Lady Gaga: “Bad Romance” que ultrapassou record perapontam para a sua separação. tencente a Leona Lewis com “Bleeding Love”. O mais recente single de GaGa roda, pelo menos, uma vez em cada duas horas nos Estados Unidos. Tendo passado 10 mil e 859 vezes nas rádios norte-americanas em apenas uma semana (entre 11 e 17 de Janeiro). Em média, a canção passou 84 vezes em cada uma das 130 rádios analisadas, o que equivale a uma vez em cada duas horas. A tabela de Airplay, a lista das músicas É urgente, o mundo precisa de ti mais tocadas nas rádios dos Estados UniUma criança que se ri, não sabe o dos é a seguinte: que vem aí. 1º Lady Gaga – Bad Romance 2ºLeona Lewis – Bleeding Love O mundo está a acabar, é urgente 3º Pink – So What ajudar 4ºOne Republic – Apologize Não fiques aí sentado, a ver pessoas 5ºLady Gaga – Poker Face

Lady GaGa bate Recorde

O registo, sucessor de “100th Window” (2003), marca o retorno de Horace Andy às colaborações com Robert Del Naja e Grand Marshall. Heligoland continua com a tradição dos vocalistas convidados e desta vez foram: Damon Albarn, Guy Garver, Adrian Utley, Tim Goldworthy e Tunder Adebimpe. Como um álbum não o seria sem Horace Andy, o jamaicano de registo alienígena faz o que pode para não se deixar ofuscar. Recorde-se que alguns dos temas de “Heligoland” já foram apresentados em Portugal, aquando das actuações dos Massive Attack no Campo Pequeno, em Lisboa, a 21 e 22 de Novembro de 2010.

É urgente de Ângelo Almeida

a chorar. Basta, chega, acabou a brincadeira, está tudo a ir abaixo como exemplo a Madeira. Não percebem, isto tá tudo diferente. Ultimato mundial, passa a mensagem, é urgente! Políticos simplesmente não querem saber. Não querem crer que o mundo rapi-

8

damente vai desaparecer. E então, o que é que tu achas de tudo isto? Ainda acreditas que vale a pena rezares a Deus e a Cristo? Pensa num Futuro em grande, mas agora pensa só no presente Porque até lá, salva o mundo! É urgente!


À conversa com

Death Circus de Mafalda Vicente Membros: David – voz Tiago – voz Filipe – guitarra Miguel - guitarra Afonso - baixo António - bateria

DC- Foi o baterista ( António) que começou a pensar num possível projecto , foi buscando vários músicos a vários sítios e por sua vez estes trouxeram os outros . Com algumas saídas e entradas , a banda conseguiu finalmente ter uma formação definitiva. PB- Tem algum concerto agendado? DC- Sim, dia 5 de Março no Arcadia Bar em Faro e temos alguns “possíveis” concertos em outros sítios tais como , Guadiana Fest , Marginália Bar, etc. Éramos para ter ido tocar na festa da Tomás Cabreira no dia 12 (Fevereiro) , mas acabou por ser cancelado 1 dia antes.

EDITORIAL

1º Centenário

de Ana Mafalda Sarmento

A anterior edição do “Preto no Branco” foi um sucesso e por essa razão nos encontramos hoje ainda mais empenhados na realização PB- Porque esse nome para a deste nº do nosso jornal. Queremos banda? também agradecer, por essa razão, a DC- Depois de várias tentativas todos os nossos leitores. em encontrar um nome surgiu e No primeiro número seleccionámos este , gostámos e ficámos com como tema principal uma merecida ele. homenagem ao professor Amílcar PB- Estilo de música que tocam? Quaresma, director-fundador do DC- MetalCore – é uma fusão jornal. Hoje tratamos o tema do 1º de Metal e Hardcore ao estilo do Centenário da República como asBullet for my Valentine e As I Lay sunto central e por esse mesmo moDying. tivo damos uma atenção especial ao PB- Estão a pensar fazer algum programa Parlamento dos Jovens, EP? dedicado este ano à República. DC- Sim, já temos algumas musiAssim, registamos a realização, cas gravadas, mas só instrumenno passado dia 21 de Janeiro, das tais , talvez mais perto do Verão eleições para o Parlamento de faremos um EP. Jovens no Liceu. Dessa eleição, a PB- Têm algum site da banda ? que concorreram três listas só uma DC- Sim , temos um myspace – poderia sair vencedora. Essa lista, www.myspace.com/deathcircus liderada por Michael Blanc do 11ºG, PB- Quem é que formou a banda? conquistou-nos a todos com o seu projecto e alguma irreverência. Propriedade: Escola Secundária João de Deus Mas o nosso trabalho não fica por aqui, contactámos professores da Direcção nossa escola que nos ajudaram a Autor do logotipo: Ingo Martins dar “substância” ao tema central e Ana Mafalda Sarmento foi assim que descobrimos o texto João R. Brás da Ana Raquel Alves, do 12ºG a Redactores: Editores gráficos: propósito dos ideais republicanos. Miguel Marques André Ferrinha E para surpreender os mais disAndré Ramos traídos damos destaque de capa à Ana Alves Miguel Viegas Carolina Roque Élio José “nossa República”, o novo símbolo Ana Correia Mónica André Diogo Simão João Augusto encontrado no casting realizado na Inês Santos Ana Sarmento Rita Engrácia João Brás escola. A aluna Beatriz Paixão do Catarina Pelica Sahuanny Mattos Mafalda Vicente José Fonseca 11ºG está de parabéns assim como a Jessica Rocha Gonçalo Pires Sarah Virgi equipa muito profissional de fotóLuís Guerreiro Miriam MarInês Metelo Sofia Silva grafos do 12ºJ. Rafaela Oliveira Preto no Branco, mais comunicaquilho Maria Isabel João Almeida Vera Matias ção na escola. Ana Ferreira Michael Nascimento Ana Soares

9


Espaço de Opinião

Valores contemporâneos Texto de Sarah Virgi Selecção de imagens de Miguel Viegas O dinheiro é o valor que mais se apresenta na nossa sociedade como uma meta a alcançar. Não quer isto dizer que seja um valor ideal; pelo contrário, a preferência do dinheiro em detrimento de outros como o Bem, a Justiça ou o Amor, é negativo. Contudo, este surge-nos como uma representação da comodidade, do bem-estar e até, apesar das críticas, da felicidade. Far-se-ia quase tudo por um saldo mais longo na conta bancária, delitos graves até. Quem o negará? Vivemos numa

de Elisabete Batista (psicóloga)

O

10

sociedade capitalista que, como a condição indica, se move pelo dinheiro e nos educa no seu sentido. Estamos presos a ele, como se uma

Bullying

bullying é um tipo de violência que acontece à revelia das figuras de autoridade e a sua prática denota, sem sombra de dúvida, uma fraca capacidade de empatizar com o outro e respeitá-lo enquanto ser humano. O bullying é um tipo de violência que pode assumir contornos gravíssimos não só pela agressão física que lhe está implícita, mas também pela violência psicológica que acarreta. É exactamente porque este tipo de violência pode assumir várias formas e por vezes pode ocorrer de um modo muito discreto, que se torna bastante difícil de detectar. Apesar do bullying poder, como já disse, assumir formas subtis de violência, os seus efeitos, nem por isso serão menos profundos do que o bulliyng directo (tipo que se caracteriza essencialmente pela agressão física). Gostaria essencialmente de chamar a atenção para este tipo de bullying indirecto, subtil e rebuscado, também chamado de bullying psicológico. Será possível que haja alunos a cometer este tipo de bullying e no entanto não terem

algema nos unisse, dependêssemos dele inevitavelmente e ele condicionasse todas as nossas acções, mesmo as mais básicas que possam existir e que, eticamente, seriam de reprovar que exigissem trocas comerciais. Todos temos consciência disto, mas quem procurará a chave?

claramente a noção de que o fazem? Faço esta pergunta porque me apercebo, pelo que vejo e assisto nas turmas, que as humilhações, as críticas destrutivas, o gozo e a rejeição de um ou mais elementos, é afinal um cenário que se repete e são poucas as turmas onde não se regista tal comportamento. Talvez este tipo de violência não seja encarada como tal, porém produz efeitos muitíssimo graves no jovem que é, e deve ser visto como uma vítima. Estes efeitos podem traduzir-se num terrível mal-estar devido sobretudo à destruição da auto-estima e auto-conceito, ao isolamento social a que a vítima se vê obrigada, aos sentimentos de revolta aos quais não é capaz de dar resposta, transformando-se em tristeza profunda ou mesmo depressão. Tendo em conta este triste cenário, perguntome se não valerá a pena pôr a mão na consciência, olhar para nós mesmos com olhos de ver e perceber se não estaremos a cometer aquilo de que afinal todos dizem ser contra: este bullying psicológico que se disfarça de mil e uma maneiras só

para magoar o outro e enaltecer (da pior forma) aquele que o comete. Podia ficar por aqui, mas não posso deixar de dizer, tal como disse nos debates dinamizados nas turmas, que não são apenas as vítimas que precisam de ajuda. Muito provavelmente as vítimas estão fragilizadas e ser-lhes-á útil algum auxílio na reconstrução da sua auto-estima, no entanto, em primeiro lugar, precisam de coragem para contar a alguém com autoridade suficiente para resolver o problema. Por seu lado, os agressores, ao cometerem este tipo de violência, demonstram uma necessidade pouco saudável de se afirmarem e uma falha ao nível da capacidade de criar e manter relações interpessoais. É certo que não temos de criar relações com todas as pessoas, mas temos o dever, enquanto seres humanos, de tratar o outro como um dos nossos, independentemente de o querermos ou não para o nosso núcleo pessoal de relações. Dificuldades a este nível, tal como verificamos nos praticantes de Bullying, devem ser superadas com a ajuda de um técnico. Deste modo, o jovem agressor estará a investir na sua saúde e na dos que o rodeiam.


Espaço de Opinião

Life without Commas By Sofia Galego Silva Photography Edgar Sousa

I

sat down to write_ this is rather an unnecessary observation to make given the utter difficulty of writing standing up. Either way_ I sat down to write. A million thoughts ran through my mind like tourists on their little green trains. My fingertips began to cruise the keyboard uncomfortably_ it is rather pathetic if I think about it: a teenager in the twenty-first century who cannot figure out how to properly use a laptop or a cell phone, a sixteen year-old who would rather use a pen than a pen-drive. Moving on: I sat down to write. I knew exactly what to say (I always do when it will serve no specific purpose) and the words in dark ink (which is actually not ink) began to devour the whiteness of the page (which is not a page at all). I had written about a sentence when the world came crushing down: I hit the comma and nothing happened. I hit it again_ nothing at all. It was the first punctuation mark of the entire “page”… I tried the others. Some worked such as the… period.

I eventually found the underscore hiding behind the question mark. And where was the question mark? one would wonder. I found it trying to pass as a hyphen. How on earth this happened I cannot say. One thing I can assure is that it was my fault_ it always is when it comes to technology and its complex gadgets (and by complex I mean things such as being able to comprehend the functions and keys and buttons that are actually there to help me). What puzzled me the most was that the new arrangement of my punctuation marks seemed absolutely random and followed no logical pattern whatsoever. Slightly amused (and utterly appalled by my own incapacity to figure it out) I tried to come up with anything I could use. I am not one to give up easily_ you might call that stubbornness but I call it the ability to adjust. I hit every key I could think of and some that I had never noticed at all. When that did not work, I began to touch every key systematically. This process eventu-

ally leads to me violently punching the keyboard. I found (scattered across the upper row) the parenthesis_ yet, to my horror, the apostrophe and the comma were nowhere to be found! I needed a moment to regroup. I removed my hands from the keyboard bluntly (as if it had burned me). I nibbled distractedly on a lacquered fingernail_ what on earth was I to do? At that moment my self-disappointment turned to rage. What kind of an idiot would dream up such a function?! How terribly sadistic would one have to be to come up with something like this?! Who had the brilliant idea that upon hitting a specific set of keys one would summon the gift of scrambled punctuation marks?! And who on earth would want such a thing to happen?! Who uses this?! Well I do not have a pause key and my print screen key either does not work properly or is meant to do something completely different from what I thought it did (a function which must be invisible). I do not have an iPod or an iPhone or any type of electrical appliances beginning with the letter ii. But eat your heart out_ my laptop can screw up the order of its keys. And in the end I end up a subordinate of it instead of it being subsidiary to me. But I am here_ writing without commas and apostrophes and colons. In the end that is all there is to it_ we have to adjust to the way things work. They are not going to adjust to the way we all function because we are all different. Some of us use pen-drives and other write things down. The Stubbornness_ that is… ability to adjust_ will come in time. And even if we have to live like this (in a fast and unruly pace)_ even if we have to live without commas_ I trust that we will be able to adjust. That we will always be just humans.

11


Sessão Distrital do Parlamento de Jovens

de Maria Isabel

R

ealizou-se no passado dia 8 de Março, a Sessão Distrital do Parlamento de Jovens, no Instituto Português da Juventude (I.P.J.) de Faro. A nossa escola foi representada pelos deputados Michael Blanc, Mariana Luz, António Cantante, Sara Machado, Rita Baptista, Rita Abreu e Leonor Rodrigues. As outras escolas do Algarve (uma de Albufeira, uma de Portimão, uma de Vila Real de Santo António e uma de Lagoa) também foram representadas por seis deputados efectivos e um suplente (35 deputados ao todo). A sessão iniciou-se com a apresentação dos deputados de cada escola e da mesa - o deputado Miguel Freitas do PS eleito pelo Círculo de Faro acompanhou os trabalhos e teve oportunidade de responder às questões que lhe foram colocadas acerca da política nacional. De seguida cada escola apresentou as suas propostas e a discussão que se seguiu permitiu preparar os deputados para a votação final e para a eleição dos dois deputados à Sessão Nacional .

12

DOCUMENTO FINAL

O

s deputados do Círculo de Faro apresentam à Assembleia da República as seguintes recomendações:

ser abertos à comunidade, podendo realizar-se à distância, através do uso das novas tecnologias e mediante o regime de parcerias a estabelecer entre estes Centros Municipais de En1. Facilitar a frequência do Ensino sino e empresas. Básico com materiais fornecidos pelo Estado de modo a permitir uma 4. Criação de uma reunião trimestral redução dos custos da família. entre os representantes das escolas secundárias de cada município e os 2. Estreitar a ligação entre o poder representantes da respectiva autarpolítico e os cidadãos promovendo a quia para elaboração do orçamento descentralização dos poderes do es- participativo.* tado entre o governo e os municípios Aprovado na Sessão Distrital reae estabelecendo círculos eleitorais lizada em Faro a 8 de Março de 2010 uninominais. * proposta da Escola Secundária João de Deus 3. Sendo certo que a cultura e a ciência estão em permanente evolução, e DEPUTADOS ELEITOS PARA A quase sempre só ao alcance de alguns, SESSÃO NACIONAL propõe-se a criação de Cursos Livres a desenvolver em Centros Municipais David Alexandre Gonçalves Barde Ensino para Pais e Encarregados reira e Carolina Afonso Marcos de Educação, com o propósito de os - Porta-voz dotar de mais e melhores aptidões e da Escola Padre António Martins de actualizar em permanência os seus Oliveira - Lagoa conhecimentos. Tais cursos deverão


Sessão escolar do Parlamento dos Jovens de Ana Lúcia Correia A Escola Secundária João de Deus envolveu duas turmas do 11º ano, uma da área das ciências humanas e outra da área das ciências socioeconómicas, de forma directa, sendo destas turmas a iniciativa de formar três listas e de concretizar o processo eleitoral na escola. A disciplina comum e com a mesma docente foi a Filosofia tendo sido este projecto o dinamizador das competências retórico-argumentativas já previstas no programa da disciplina. A disciplina de Economia inseriu-se numa das turmas quer a nível dos conteúdos que se reflectiram nas propostas quer a nível da logística eleitoral. As disciplinas de Matemática, de Português, de História e de Geografia não só disponibilizaram aulas para o

desenvolvimento das actividades do projecto como, no caso das duas últimas, deram contributos para o texto final do Projecto de Recomendação da escola. A divulgação relativa ao projecto foi realizada com base num placard específico identificado através de cartazes e logótipos e na dinâmica do próprio processo eleitoral. No terceiro e último dia da campanha foi realizado um debate entre as três listas, tendo havido a distribuição de fotocópias com as três medidas propostas por cada uma das listas. Estiveram presentes cerca de 90 alunos e 5 professores.

Debate com o deputado Artur Rêgo A afluência às urnas durante o acto eleitoral decorreu de forma ordeira mas muito alegre e movimentada. Verificou-se a circunstância de muitos eleitores não poderem exercer o A afluência às urnas decorreu de forseu direito ao voto por não se fazerem ma ordeira, muito alegre e movimenacompanhar de documento com foto- tada. grafia. Houve um segundo debate com o deputado Artur Rêgo tendo este feito uma apresentação sucinta do modo de funcionamento da Assembleia da A REPÚBLICA em República e respondido às muitas NOTAS CURTAS questões colocadas pelos cerca de 100 alunos presentes. Nota 1: as turmas 11ºA, D e G visiA sessão escolar realizada a 25 de taram a Assembleia da República Janeiro também deu origem a um deno dia 17 de Fevereiro bate entre os 21 deputados presentes Nota 2: os alunos Tiago Romana e e foi a partir dele que se elaborou o Daniel Nascimento do 11ºH apreprojecto de recomendação da escola. sentaram no dia 8 de Março no AuAs actividades foram acompanhadas ditório do IPJ um trabalho sobre por uma aluna-jornalista e já saiu um Pobreza e Exclusão Social, no âmartigo no jornal da escola no número bito do concurso Euroscola de Dezembro. Nota 3: no site http://www.centenaO balanço realizado neste momento é riorepublica.pt/escolas/homepage/ bastante positivo já que tanto os alurepublica-nas-escolas nos inicialmente envolvidos como a podemos encontrar as iniciativas escola em geral revelaram um alto levadas a cabo pelas escolas (a grau de motivação para a participação nossa inclusivé) para comemorar o em acções que tenham na sua base centésimo aniversário da Repúblidecisões colectivas. (adaptação do ca. relatório do professor)

13


Escola

A

Revolução Republicana e os seus

de Ana Raquel Alves

A

ideologia republicana portuguesa é herdeira, simultaneamente, da Revolução de 1820 e da trilogia revolucionária francesa Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Todavia a evolução da política e da economia nacionais, a par das lições tiradas dos eventos marcantes da História europeia, transformaram o movimento republicano. O seu ideário é, portanto, baseado no interesse colectivo: a palavra "República" significa "coisa" (Res) pública, sendo o lema central do republicano colocar o interesse comum acima dos interesses colectivos, velando para que a comunidade saia beneficiada e não apenas alguns; os interesses particulares são legítimos e devem ser respeitados, mas não se podem sobrepor aos interesses da colectividade. A luta dos republicanos contra o regime monárquico assumiu, como matriz, a exigência do primado da Lei, perante a qual todos são iguais; ninguém está acima da Lei. A primeira missão do Estado republicano é, assim, garantir a imparcialidade e equidade na aplicação das leis da República. O laicismo é outra ideologia defendida pelos mesmos: a luta contra a intolerância religiosa conduziu-os a defenderem a separação entre a Igreja e o Estado, proclamando a liberdade religiosa. Quanto à legitimidade democrática, a República, sendo um regime político que a todos pertence, deve assentar na mais ampla participação dos cidadãos na vida comunitária. O exercício do poder tem que ser periodicamente legitimado pelos votos dos cidadãos. Defende, por esta via, o direito de eleger e ser eleito, a subordinação do poder

14

executivo ao legislativo e a existência de uma Constituição redigida e aprovada pelos representantes do povo. Concordavam, então, que à frente do país não devia estar um rei mas sim um presidente eleito pelos portugueses e, que governasse só durante alguns anos, alterando assim a forma de governo de monarquia para república. Os republicanos têm também como ideal o projecto colectivo na medida que uma comunidade republicana só pode subsistir se os seus membros se sentirem integrados na colectividade que não renega as suas origens, a história e os símbolos colectivos, mas que também trabalha para que as novas gerações venham a herdar uma comunidade mais próspera em todos os sentidos, dando desta forma continuidade a uma obra de génese colectiva. Muito deste ideário foi cumprido ou, mesmo que levado a cabo no plano legislativo, só se realizaria efectivamente muitas décadas mais tarde. Os republicanos participaram no

mais abrangente magma cultural dos ideais de modernização da Sociedade portuguesa que chega aos finais do século XIX com enormes factores de atraso: uma fraca e incipiente industrialização, uma altíssima taxa de analfabetismo e uma ruralidade muito marcante. O ideário republicano em Portugal passou sobretudo pelo projecto de uma nova cidadania e foi profundamente marcado pelas grandes clivagens da viragem para o século XX. O referido movimento fortaleceuse à medida que as instituições, os partidos e as personalidades monárquicas demonstravam incapacidade em satisfazer as aspirações populares ou em defender a soberania e os interesses nacionais perante as ameaças externas, como foi o caso do Ultimato Inglês em 1890 que deu um enorme alento às correntes de opinião anti-monárquicas. Seguiram-se várias manifestações e a primeira revolta armada contra a monarquia, embora sem sucesso,


Escola

ideais ocorreu no Porto a 31 de Janeiro de 1891. A agitação política e popular contra a monarquia não cessou, aumentando durante o governo chefiado por João Franco. O derrube da Monarquia, iminente desde 1906, viria a resultar do empenho dos chefes do Partido Republicano, sempre à frente dos acontecimentos e da iniciativa política da Maçonaria e da Carbonária.No dia 1 de Fevereiro de 1908 em Lisboa, dá-se um atentado contra a família real onde são mortos o rei D. Carlos I e o príncipe herdeiro D. Luís Filipe I, sucedendo o rei D. Manuel II que tinha apenas dezoito anos. O novo soberano procurou o apoio de todos os partidos monárquicos e, apesar de ser mais liberal, não conseguiu impedir o crescimento do republicanismo. Os republicanos intensificaram a sua propaganda, multiplicaram as sociedades secretas, conquistaram adeptos nos meios militares e civis, compraram armamento e prepararam-se para a revolução. Com início em Lisboa na madrugada do dia 4 de Outu-

bro de 1910, foi a primeira grande revolução portuguesa do século XX. Apesar de alguma resistência e alguns confrontos militares, o exército fiel à monarquia não conseguiu organizar-se de modo a derrotar os revoltosos, o que resultou no triunfo da revolução republicana. Na manhã de 5 de Outubro de 1910, José Relvas e outros membros do Directório do Partido Republicano Português, à varanda da Câmara Municipal de Lisboa e perante milhares de pessoas, proclamaram a República. No mesmo dia, o último rei de Portugal e a família real embarcaram na praia da Ericeira com destino a Gibraltar, onde depois seguiram para o exílio na Inglaterra, terminando, assim, a Monarquia em Portugal. Os dirigentes do partido republicano tomaram conta da governação do país, através de um governo provisório presidido por Teófilo Braga. Este governo preparou as eleições para a Assembleia Constituinte e elegeu o primeiro presidente da república constitucional: Manuel de Arriaga. Os programas políticos dos fundadores da Iª República determinaram a redefinição dos símbolos nacionais num clima de mobilização nacionalista (uma nova bandeira - a bandeira da república; um novo hino - A Portuguesa; e uma nova moeda - o escudo); a laicidade do Estado; o aprofundamento do parlamentarismo e o alargamento da participação e dos direitos políticos e sociais. No plano da participação política, por exemplo, o sufrágio universal só se concretizará com o 25 de Abril de 1974, contrastando com as medidas de laicidade do Estado, como

o registo civil obrigatório, implementado logo em 1911. O “direito à assistência pública” e outros direitos sociais consagrados na Constituição tiveram uma realização muito limitada, nomeadamente no Ensino e na Saúde pública, grandes bandeiras da elite política da época. Em 1911, aprovou-se uma série de leis destacando-se as seguintes: Leis da Família que tornavam iguais os direitos dos homens e das mulheres no casamento: instituíam o divórcio e o casamento civil; Lei da Greve que regulamentava o direito à greve, entre outras medidas económicas, sociais e educativas com vista à melhoria das condições de vida da população, como a redução das horas de trabalho e ao descanso semanal. No aspecto económico-financeiro, os governos enfrentaram grandes dificuldades na concretização das medidas e, embora houvesse alguma modernização na produção agrícola, a industrialização, os meios de transporte e as comunicações continuavam a ter um grande atraso. Apesar das grandes expectativas de evolução do país com a 1.ª República, esta não conseguiu alcançar a estabilidade e o progresso. Os principais problemas foram a instabilidade política: durante os dezasseis anos de República, Portugal passou por sete parlamentos, quarenta e cinco governos e oito presidentes; e, após a 1.ª Guerra Mundial, os republicanos viram a sua base social de apoio diminuir gradualmente dada a situação económico-financeira do país que se agravava com a agitação social. Com todas as expectativas frustradas, criou-se um clima de revolta social com greves que desorganizavam o País.

15


PRIMEIRA MOBILIDADE de Catarina Pelica

Escola

Turquia

O

projecto Comenius é uma actividade que engloba professores e alunos de diferentes países e que os envolve numa experiência de multiculturalismo. Este projecto proporciona não só o contacto entre diferentes países, como também suscita o crescimento de novas amizades, fazendo-nos crescer enquanto seres humanos. Os países envolvidos são: a Bulgária, Portugal, Turquia, Portugal, Polónia, França, Espanha, Itália e Alemanha. A primeira mobilidade realizou-se em Istambul, na Turquia. Entre o dia 5 e o dia 11 de Janeiro de 2010, os alunos André Leiria, Catarina Pelica e José Cavaco da turma B do 10º ano, deslocaram-se a esta cidade, na companhia das professoras Maria João Seruca, Ana Pinto e Nazaré Cassiano. Os alunos e professores foram recebidos por uma escola técnica, a qual nos proporcionou diversas visitas pela cidade. O primeiro contacto que tivemos foi com os alunos da escola, a primeira impressão foi a enorme curiosidade, espanto e estranhamento que mani-

festaram pela nossa presença. Tivemos conhecimento duma cultura completamente diferente, onde ‘reina’ a religião, o islamismo. As famílias tinham locais em casa destinados à oração, direccionados para um determinado local, uma grande parte das mulheres andavam cobertas com lenços pelas ruas, havia inúmeras e imponentes mesqui-

Viagem de Finalistas a Pas de La Casa em Andorra de Vanessa Pereira Beatriz Martins Inês Metelo ste ano para além de se realizar uma viagem a Ibiza irá realizar-se também uma a Andorra. Esta última de 4 a 11 de Abril e cujo preço é de 365€, inclui: viagem de autocarro turístico, 6 noites de alojamento em apartamentos,4 dias de forfait gravalira ( 200km de pistas), 4 dias de aluguer de equipamento de ski (skis, botas

E

16

tas espalhadas pela cidade. O próprio comportamento, relação e valores das pessoas eram acentuadamente distintos. Tivemos oportunidade de visitar algumas destas mesquitas, onde pudemos ouvir os cânticos, chamadas para a oração, entre elas a Mesquita Azul e Santa Sofia, alguns museus históricos e panorâmicos e um Aquário. Vimos o Miniaturk, uma espécie de Portugal dos pequeninos, mas apenas com maquetas sobre Istambul, realizámos também um passeio de barco no Bósforo, o estreito que divide a parte ocidental da oriental da cidade de Istambul. Fizemos compras no célebre Grande Bazar e no Mercado das Especiarias. Experimentámos os famosos kebabs locais e outros tipos de comida originários da Turquia. Proporcionaram-nos ainda uma experiência de vivenciar uma noite turca, com direito a jantar, música e dança. Foi uma experiência única, que esperamos vir a ter a oportunidade de repetir.

e batons), 4 dias de curso intensivo de ski ou snowboard, 4 almoços nas pistas tipo “Menu Bocadillo”, 2 dias livres para actividades na neve ou compras, Apre-skis diários com DJ, oferta de bebidas e diversos brindes Sumol, pulseira free pass com acesso a todas as discotecas e festas exclusivas Sumol e cidade FM, seguro de viagem neve/ski, DVD+ álbum de fotos oficial da viagem, acompanhamento e coordenação geral da viagem por guias especializados e ofertas da Sumol: 1 dia extra de forfait aos primeiros 1000 inscritos, Tshirt oficial Sumol snowtrip e acesso exclusivo à Sumol Extreme Zone.


Escola

European Union receives a Portuguese school by Mónica André

O

n the 13th and 14th January, a group of students of the secondary school Joao de Deus, was received in the European Commission and Parliament in Brussels, Belgium, by some MPs, among them Dr. Edite Estrela. It was during a study visit to Brussels that the Portuguese group had the enormous privilege of visiting the facilities of the European Commission and Parliament. After the arrival at the European Commission, a Portuguese MEP gave a short talk about the formation of the EU and then a debriefing session in which some students asked some questions. On the 2nd day of the trip, they visited the European Parliament where

they were received by an employee of the section of communication that guided them to the room where the plenary sessions are held and gave them an explanation of what goes on in that room. During the visit, some students asked how the rest of Europe sees Portugal and the guide said that the decisions weren’t taken by country but by political groups. Then the students went to a meeting room

to meet Ms. Estrela, who was quite happy for the visit of the Portuguese group. Having not too much time to be with the students, she answered to some questions about her work at the European Parliament. Every year the EU sponsors five groups to visit the Parliament and the Portuguese group was granted the funds for the trip. This was a high point in our trip.

PORTO Histórias, glórias, riquezas, música, encantos e deslumbramentos… Fecho os olhos e quero voltar para lá!

Q

uando faço uma retrospectiva da visita ao Porto não me posso esquecer da viagem pelo magnífico rio Douro e dos magníficos edifícios que visitámos, da imponência da Sala Stuggia, na Casa da Música. A viagem no Barco Rabelo foi inspiradora, sentir a brisa na face, ver a paisagem grandiosa e arrebatadora, o aglomerado dos prédios e assimetria que desafia as leis da Beleza mas a supera… Fecho os olhos e quero voltar para lá! Os pequenos gestos dos que

conheci, ou os sorrisos dos mais chegados, fortaleceram a minha existência. Quero o barco com o vento que me purificava e as pessoas que me acompanhavam. Quero a Sala Árabe e toda a paz com que o seu brilho me enchia. Quero as noites, a música improvisada e simplesmente saboreada… ERA A LIBERDADE… Quando tudo o que nos envolvia era novo e independente de tudo aquilo a que pertencemos a tantos quilómetros de distância; quando nos apaixo-

11ºA námos pelo magistral Porto; quando a música da orquestra nos fez sentir livres como um pássaro a voar num imenso azul sem destino e quando, na Torre dos Clérigos sentimos uma liberdade tal a entrar em nós, que cresceram asas... e podíamos voar… GRATIDÃO E, por fim, às pessoas que nos construíram mais um bocadinho, involuntariamente, com mãos cheias de alegria, que nos preencheram as horas dos, infelizmente, tão poucos dias…OBRIGADO!

17


Escola

Visita de estudo a Lisboa, Porto e Mafra 17,18,19 e 20 de Fevereiro de 2010

Périplo pelas Sensações do 11º A

EMOÇÕES do 11ºD

• É em momentos como este que se privilegia o mais simples, real e verdadeiro: a Amizade é a melhor coisa do mundo! • O passeio no rio transporta-nos para outro mundo: uma realidade que outrora conhecia… • Conhecer alunos de outras turmas e desfazer as ideias erradas que deles tínhamos, foi muito bom. • Que perfeita sonoridade a que se ouvia na sala Stuggia. • Que liberdade andar na ponte de D. Luís! • Vinte e quatro horas passadas com aqueles que usualmente são vistos como colegas ou mentores criaram, fortaleceram ou selaram ligações. • Descobri alguns segredos da Invicta e adorei a companhia dos meus amigos. • A Casa da Música fez-me orgulhar ainda mais de ser português: propõenos emoções que pensávamos não existir. • Gostei de sentir o esvoaçar do cabelo durante a viagem no Barco Rabelo. • Momentos de alegria, risadas e cumplicidade entre velhos e novos amigos. • Amizade entre todos e a partilha de momentos fortes. • A vinhaça do Porto tinha um paladar… • Parecíamos uma família dentro do autocarro! • A paisagem deslumbrante da pousada abria-nos ainda mais o apetite ao pequeno-almoço. • O golo do Futebol Clube do Porto foi uma alegria que nunca tive na vida, foi como se estivesse no céu! • A grandiosidade do Palácio de Mafra. • A melodia da orquestra relembra tardes de Primavera passadas junto a um lago repleto de aromas primaveris. • Na Casa da Música está-se a um passo do futuro; o luxo do Palácio da Bolsa e do Palácio de Mafra fazem-nos entrar no passado.

• “ Foram 4 dias “pequenos”, cansativos mas compensadores. A Casa da Música tinha uma arquitectura fenomenal e adorámos a sala árabe do Palácio da Bolsa. • O relógio não parava, a emoção estava no seu máximo e o coração era uma bomba atómica: jogo já tinha começado! • Senti-me dono de mim, senti-me parte daquela magnífica cidade do Porto com a sua imponente ponte D. Luís! • O sol apagou-se e ergueu-se, então, uma cidade completamente diferente, como que por um truque de alquimia. Era a magia da noite! Parecia que tudo se tornava mais fácil, mais simples, mais bonito... • Olhar aquele rio repleto de luzinhas brilhantes, respirá-lo...esta foi a melhor coisa que aquele Porto me deu. • " Sabes o que é que isto tem de tão especial? Sabes porque é que o meu coração acelera e bate mais rápido,assim, ao olhar este rio? " - É que hoje ninguém nos tira daqui. O hoje é nosso!"

18


Escola

A propósito da visita ao Porto

O

11ºG

Porto abraçou-nos com o seu frio mas deixou quente o nosso coração de tantos momentos de amizade, carinho e união. A combinação de conhecimento, sensibilidade, amizade e diversão permitiu que fosse esta uma das melhores visitas de estudo que a Escola Secundária João de Deus poderia

oferecer... Foram 4 dias de convívio, amizade, pequenos momentos e frases marcantes que nos enriqueceram. Uma experiência que recomendaria a todos. Pouco tempo, muitas experiências. Muitas fotografias. Foi uma visita de estudo muito

produtiva pois tivemos oportunidade de socializar com os nossos colegas de diferentes turmas e de conhecer novos locais, monumentos e de enriquecer o nosso conhecimento sobre a Cultura e a História de Portugal. Pretendemos voltar um dia aos locais visitados.

19


Moda

M o da e T e n d ê n c i a s de Catarina Pelica Ana Mafalda Sarmento Rita Engrácia

Apesar de ainda sentirmos o frio a invadir o nosso corpo e de os dias de sol parecerem que não chegam, a Primavera está mesmo aí e por isso nas lojas e em qualquer estabelecimento de venda de roupa começa a chegar o novo guarda-roupa Primavera - Verão 2010. Dentro dos novos looks encontramos o uso excessivo de cores, flores e padrões, rendas, drapeados, laços e folhos e um contraste desportivo através do Acessórios uso de Denim. Deste modo a diversidade na conjugação das peças de roupa veio para ficar. • Pulseiras XL • Clush: malas pequenas ou pochetes • Colares grandes com flores ou As peças chave coloridos Para esta Primavera – Verão, embora para levar a qualquer sítio onde vá, • Cintos Grandes • Brincos caídos diversificados sejam estações um pouco contrastan- demonstrando a sua elegância. • Lenços finos com padrões ou lisos tes, não se deve dispensar as denominadas “peças chave” que é obrigatório • Casaco de ganga – já esteve na de cores claras termos no nosso armário. moda no século XX e agora voltou • Cintos de pele castanhos para arrasar com as novas tendências, • Óculos de sol XL ou a Aviador • Um vestido – curto de modo a mas como ganga com ganga feio é, mostrar as suas pernas e também a dar os casaquinhos de ganga tradicionais a ideia de alongamento e de prefer- são uma ideia para quem vestir um ência cai-cai, pois nas suas noites vestido, por exemplo cai-cai, com quererá mostrar ao ritmo da dança os tons ou padrões fortes e necessitar seus ombros sentindo-se leve e bonita de uma peça quente (mas não muito), (estes vestidos ficam bastante engra- aqui tem a sugestão que necessita. çados com o uso de um cinto largo de modo a acentuar a sua cintura caso o Mais peças existem para completar o vestido não o faça) seu guarda roupa, embora estas sejam as essenciais, os casacos de cabedal, • Um macacão – lê-se e vê-se em todo as sandálias com padrões tigrados e o lado que esta peça é uma das especi- os clássicos shorts vão continuar a ais da nova estação. Em qualquer lo- conquistar. As cores da estação cal, em qualquer ocasião mostre o seu As cores da estação Primavera/Verão lado casual e chique, pois esta peça é são muito vagas e diversificadas. Do das raras que pode ser utilizada tanlook pelo qual se opte, dependerão to numa situação como noutra ( este as cores. look é bom para dar a ideia de altura e mostra levemente as suas curvas).

• Saltos –O uso de botins, iniciado na época Outono/Inverno vai permanecer mas um pouco modificado. Botins abertos é a ideia principal deste ano

20

Branco

Laranja

Creme

Rosa velho

Verde lima Vermelho Amarelo

Castanho café Beje Ganga Azul


À conversa com

o Liceu tem o “rótulo” de que os jovens se vestem bem Entrevista a Meghanne Barros

T

odos os dias ao andarmos no Liceu, deparamo-nos com estilos diferentes e que se destacam. No âmbito do tema da moda decidimos entrevistar Meghanne Barros do 12ºF. Deixamos os resultados com vocês! P/B - Na tua opinião, a moda é importante nesta fase da vida dos jovens? Em que medida? Depende das pessoas, no modo como estas se querem integrar em determinados grupos, não querendo ser postas de parte e não serem criticadas. Mas penso que a aparência é muito importante para qualquer jovem da nossa idade. P/B - Quando vais as compras preferes ir sozinha ou acompanhada? Se sim, porquê e com quem? É me indiferente, mas é mais frequente passar as minhas tardes com amigas nas lojas, do que passear sozinha. P/B - Costumas seguir as últimas tendências? Sim, mas não de forma exaustiva. P/B - Tens hábito de ler revistas de moda? Quais? Tenho alguma curiosidade em ler artigos de moda, mas vejo com mais frequência programas televisivos de moda: America’s Next Top Model; Project Runway; Victoria’s Secret Fashion Show. P/B - Achas que no geral, os jovens do Liceu costumam seguir as tendências? Penso que no geral, o Liceu tem o

“rótulo” de que os jovens se vestem bem e tendem a seguir as modas. Acho que isso depende de cada pessoa e das suas personalidades.

De maneira nenhuma. Dou-me com as pessoas não pela sua maneira de vestir , pois acho que cada um veste o que quer e gosta, independentemente da cor, feitio ou marca (que muita P/B - Já tiveste alguma experiencia gente tem em atenção/consideração). no campo da moda? Fala-nos sobre a tua experiencia P/B - Existe alguma pessoa, famosa Posso já ter tido alguma experiência ou não, que admires e influencie o teu no campo da moda, se se considerar estilo? que algumas sessões fotográficas que Que admire sim, a minha irmã, Eva realizo com um fotógrafo meu amigo, Barros. Em relação ao seu estilo é chamado Marco, seja uma experiên- idêntico ao meu por isso não influencia nesse campo. Mas sim, gostava cia muito o meu estilo. de vir a fazer um curso de modelo fotográfico, quando for mais velha, P/B - Na tua opinião achas que para quem sabe... uma pessoa se vestir bem é preciso gastar muito dinheiro? P/B - Como classificas o teu estilo? Penso que “vestir bem” varia de pesNão o sei classificar. Costumo vestir- soa para pessoa. Para mim, ”vestir me como gosto e com o que acho bem” pode não coincidir com o “vesmais confortável. tir bem” de outra pessoa, por isso eu posso vestir-me bem e gastar muito P/B - No teu dia-a-dia, a maneira de dinheiro e outra pessoa vestir-se bem vestir das pessoas influencia o teu re- sem gastar muito dinheiro, e vicelacionamento com elas? versa.

21


Escola

Receitas muito gostosas

de Sahuanny Mattos

Fondue de Chocolate Ingredientes: • 400 g de chocolate ao leite • 100 g de chocolate meio amargo • 200 g de natas • 1/2 cálice de whisky • Frutas Preparação Derreta o chocolate em banho-maria, adicione as natas e por fim adicione o whisky, sempre mexendo até o chocolate ficar consistente. Passe para a panelinha de fondue e sirva com as frutas. O whisky não é obrigatório nesta receita. Sugiro que prove esta receita, molhando pequenos e deliciosos morangos. Também pode mergulhar no chocolate rodelas de banana, ou até kiwi para os mais corajosos! Nota: Morangos e kiwis são uma boa opção para homenagear as cores da República, não acham?

Leonardo da Vinci 10 alunos da escola vão realizar o estágio profissional na Bélgica. Os alunos seleccionados vão viajar no dia 1 de Maio e estarão de volta a 12 de Junho. Bom trabalho!

22

Agenda do 3º período Semana da Matemática e Ciências Experimentais Realiza-se de 13 a 16 de Abril a Semana da Matemática e Ciências Experimentais. Nestes dias os alunos terão oportunidade de participar em experiências interactivas e demonstrativas, resolução de problemas, jogos, worshops e concursos. Também estarão expostos trabalhos dos alunos. O objectivo é aprender de forma divertida e pedagógica, lançar questões e desafios, encontrar explicações e acima de tudo descobrir o prazer de compreender a Ciência de uma forma “viva”.

QUINZENA DA FILOSOFIA De 17 a 28 de Maio decorre na nossa escola a QUINZENA DA FILOSOFIA e tal como nos anos anteriores esta actividade visa dar visibilidade aos trabalhos realizados pelos alunos e diversificar as estratégias de ensino-aprendizagem assim como proporcionar o desenvolvimento de competências de comunicação e difusão. Assim, estão previstas apresentações públicas de trabalhos subordinados ao tema/problema “A cultura científico-tecnológica”, exposição na BE de trabalhos de temáticas filosóficas diversas, de obras filosóficas e de filmes com interesse para a disciplina. O debate de ideias e a reflexão acerca da realidade que nos cerca será também um momento a aproveitar nesta quinzena, quem sabe se a propósito de um filme… Em 2009 deixámo-nos surpreender por “A turma”, para 2010 o grupo de Filosofia aceita sugestões!

Multimédia em Movimento Multimédia em Movimento realiza-se a 14,15 e 16 de Abril. O evento combina divertimento, criatividade e inovação. Participa!

Visita à CIMPOR Os alunos do 11º ano da área de Ciências e Tecnologias irão participar numa visita

de estudo à CIMPOR no âmbito da actividade “Portas Abertas” desenvolvida por esta unidade industrial de 20 a 22 de Abril de 2010.

Área de Projecto A semana da área projecto vai decorrer na segunda semana de Maio com a apresentação dos diversos projectos desenvolvidos ao longo do ano lectivo.

Semana das Expressões

O evento “Primavera” irá decorrer de 19 a 23 de Abril na Praia de Faro. Durante esta semana os alunos terão a oportunidade de praticar diversas actividades desportivas, principalmente ligadas ao mar. Estará patente na sala de Exposições do Centro Naútico uma exposição dos trabalhos realizados pelos alunos nas disciplinas do grupo disciplinar das Expressões com fotografia, vídeo, desenho,etc.

Semana da Adolescência

O GABINETE DE APOIO AO ADOLESCENTE organiza, de 19 a 23 de Abril, a SEMANA DA ADOLESCÊNCIA. Os

temas em debate são Depressão e Suícidio, Distúrbios alimentares, Técnicas de Relaxamento, Perigos da Internet, Toxicodependência e Sexualidade/Pressões emocionais e sexuais. As sessões serão dinamizadas pelos psicólogos Luís e Elisabete em parceria com instituições da comunidade como APAV, APF, PJ, GATO, Centro Tibetano. A Academia de Dança do Algarve estará presente no dia 21 (4ª feira) para actuar no intervalo da manhã na sala de convívio dos alunos. Depois irá ter lugar, no Ginásio, uma Oficina de Formação. No sábado, dia 24, a turma de 10º ano do curso profissional para Técnico de Apoio Psicossocial, 11º 4, irá estar envolvida numa Acção de Formação de Pares orientada pela Associação de Planeamento Familiar.


passatempos

Antevisões de Gonçalo Pires Micael Nascimento Miguel Marques Nesta edição vamos, não só vamos falar nas antevisões que estão para vir mas principalmente de um dos jogos mais esperados do ano de 2010: Bioshock 2 Antevisões: -Monster Hunter 3 – Esta série da Capcom deixa-vos viver o dia-adia de um caçador que, através da requisição de várias missões, tem de matar criaturas pequenas ou gigantes para completar a missão e, assim, receber dinheiro/ e ou materiais para melhorar os seus equipamentos.

Genérico do jogo

-Final Fantasy XIII – Vai ter uma história completamente nova, tal como cada um dos 12 títulos anteriores. Desta vez será a história de Lightning, Snow, Vanille, entre outros, que vivem enclausurados numa lua satélite chamada Cocoon. -Battlefield: Bad Company 2 - Todo o jogo transpira a guerra real, com várias coisas a acontecer no cenário ao mesmo tempo: uma troca de tiros, um tanque a fazer explodir um veículo, ou até uma bomba a rebentar com um edifício inteiro.

-Dante´s Inferno – O jogador é Dante, o tal guerreiro com mau feitio que entra neste mundo à procura de Beatrice, a sua amada, que foi raptada para casar com Lúcifer, podendo, pelo caminho, castigar ou purificar todos os inimigos que têm o azar de se cruzar com ele.

Bioshock 2 O primeiro BioShock foi uma experiência sem igual que apanhou de surpresa toda a indústria dos videojogos, com o seu ambiente e história imersivos. Foi mundialmente aclamado pela crítica generalizada, chegando a ser eleito como Jogo do

aquática, vão poder visitar áreas de Rapture que foram fechadas devido a inundações. Claro que para aceder a esses locais vão ter de desbloqueá-los, o que pode mudar certos cenários ao fazer a sequência passar, ou seja, com os

A Big Sister é a novidade de Bioshock 2.

Ano, em 2007, por várias organizações. Agora é a vez de BioShock 2 cuja exploração vai alargar-se à periferia de Rapture, local onde o vosso Big Daddy poderá mergulhar nas profundezas do oceano para aceder a novas áreas ou recolher uma espécie de lesmas usadas nos Plasmids. Além de poderem visitar o fundo do mar e descobrir o que o Adam fez à flora

derradeiros desafios que vão encontrar em BioShock 2, basta dizer que aqui se luta mesmo pela própria vida. BioShock 2 vai ainda incluir um multiplayer competitivo que toma lugar um ano antes dos acontecimentos do primeiro jogo, cujo a acção passa-se na guerra civil de Rapture. Há várias personagens para escolher e a vossa progressão vai afectar gradualmente a sua forma física. As

figuras disponíveis variam consoante a vossa escolha e vão poder personalizá-las com diferentes Plasmids, tónicos e armas, além das naturais diferenças de vestuário. Se juntarmos a isto um modo online inovador com capacidade para agarrar os fãs, será certamente um jogo a manter debaixo de olho. Já se encontra nas lojas desde 9 de Fevereiro de 2010.

23


Amigos – Cuidado com algumas amizades. Escola – 2ºPeriodo não foi feito para subir as notas mesmo. Saúde – Algumas constipações, dizem-me os astros. Amor – Ninguém te quer, desculpa.

Amigos – Nunca vi nada assim, não tens amigos. Escola–O alinhamento das estrelas não permite melhores notas. Diz isso aos teus pais. Saúde–deFERRO! Amor – Não te espera nenhum amor profundo, mas vais ter alguma coisa para te animar. Amigos –Se queAmigos – Tens os res fazer amigos melhores do munnão podes andar do. descalço na escoEscola – Marte e la. É estranho. Vénus não estão Escola–Feitiço: alinhados…mas tu Olha para o também podias ao quadro em vez de menos olhar para olhares para trás. o livro. Funciona! Saúde – Veste-te bem! Amor – Com a Primavera, esperam- Saúde–Há hábitos que ,de acordo com a posição de Plutão, vão se torte umas surpresas. nar prejudiciais. Amigos – PreAmor– hoje mesmo, às 19h. vais ter cisas de lhes dar uma surpresa. um pouco mais de Amigos – Há atenção. quem fale mal de Escola – Estamos ti. Coisas feias. a melhorar… Escola – Hum… Saúde – Se pratideve ser a única cas algum descoisa a correr a teu porto, os deuses favor. dizem que é provável uma lesão. Amor – Ainda não é desta, mas in- Saúde – Neptuno diz-me que te essiste. pera algo mau! Amor – Eu sei que é difícil, mas larga Amigos – As caros namorados(as) das outras pessoas! tas prevêem novas amizades… Amigos – Ao meEscola – Então e nos esses nunca te procurar os cadervão deixar mal. nos, não apetece? Escola – Continua Toma juízo. assim, mas mais Saúde – Melhor vale esqueceres feitiço do mundo: Português. salta da ponte da doca 3 vezes e abSaúde – As carraça um saco de farinha. Não há gripe tas revelam algum que persista. contratempo… Amor – Só mel! Amor – Muito amor, muito amor!

24

Horóscopo

Amigos – O deus Sol nunca viu ninguém tão social. Escola – A sério, 5 deixou de ser uma boa nota depois do 9º ano. Saúde – Vais ser picado por 2 abelhas, vais fazer alergia e vais precisar de uma injecção! Amor – Espera que os planetas se alinhem e depois vai de cabeça! Ou não.

Amigos – Lamento. Escola – As folhas do chá revelaramme a tua vontade de atacar os professores ferozmente. Saúde – É provável que venhas a usar óculos. Amor – Olha para o lado e pára de te queixar.

Amigos – Meu deus, precisas de conhecer pessoas novas e parar de ser mongo(a). Escola – Não desanimes jovem, é só aparecer nas aulas de vez em quando! Saúde – Protege-te! Amor – Feitiço: corta 3 cabelos da tua cara-metade e atira-os para um vaso. Espera 20 dias e depois come 5 colheres de terra com um copo de leite. Ele(a) nunca mais te vai largar!


Horóscopo

Amigos – Alguns dos que conheceste há pouco tempo vão ficar para sempre. Escola – Menos negativas, estamos a subir! Saúde – É possível ue a 2 de Abril tropeces e partas alguma coisa. Amor – Os deuses não adiantaram nada neste campo.

Horóscopo

de Carolina Roque

“Empresa e Futuro” De Ana Rita Ferreira No dia 11 de Março os oradores Carlos Vieira, Richard Brand, Jay Hallowell e Juan Casimiro lançaram e esclareceram um conjunto de ideias sobre o tema “Empresa e Futuro” onde foram abordados aspectos relativos ao desenvolvimento e procura do sucesso e a formação dos jovens no âmbito dessa mesma procura de sucesso e da vitória. Docente e conferencista nas áreas de estratégia, Carlos Viera procurou salientar a importância das atitudes para mudar a nossa percepção do mundo, e do pensamento positivo para aprender a vencer. De seguida, Jay Hallowell, o “baixinho” e um dos membros do projecto da presidência dos EUA na formação de líderes nas escolas e empresas contou-nos uma história onde procurou demonstrar-nos um dos segredos para o sucesso. “Mostrem sempre um resultado, por mais pequeno e reduzido que ele seja”, afirmou Jay. Richard Brand , director geral do programa Global Village, falou-nos no mundo global e multicultural em que vivemos. De seguida foi a vez de Juan Casimiro que nos demonstrou o quão importante é o poder da mente. Juan Casimiro esclareceu através de uma pequena história de um rapaz, o Karaté kid, que não possuía o braço direito e que, ao contrário de tudo o que se poderia pensar, venceu inúmeros combates, que a confiança e a determinação são as chaves do sucesso. Segundo, Juan Casimiro “o importante não é o que possuímos mas sim o que está dentro de nós”. A confiança é também importante para se poder olhar para o futuro como

protagonista e não como dependente. Por último, Calos Vieira finalizou confirmando o lema de Ruan Casimiro “O importante não é o que possuímos mas sim o que está dentro de nós” . No final da palestra foram apresentados alguns programas no estrangeiro para jovens como é o caso do “Global Entrepreneurship program” na Pensilvânia e “The Global Village”. Ambos têm por objectivo desenvolver e formar jovens lideres e o espírito de empreendedorismo. Muitos dos alunos presentes revelaram grande interesse por estes programas para jovens, tendo sido solicitado aos oradores alguns pedidos de esclarecimento. Assim, concluo que a acção é a base do sucesso. E nós, jovens estamos em idade de agir, de errar, emendar e conquistar.

25


Um Mistério verde

Área de Projecto

Violência Doméstica a combater

S

Ana Raquel Alves, Ana Filipa Rodrigues, Ana Margarida Zacarias, Marta Entrudo e Mauro Alexandre são alunos desta escola que têm como missão requalificar os jardins escolares e as suas áreas envolventes, propõem realizar campanhas de sensibilização junto da comunidade escolar e local.

omos um grupo do 12º E de Área de Projecto da Escola Secundária João de Deus, que temos como objectivo tentar travar esta violência, que tem evoluído ao longo dos tempos. Estamos a desenvolver projectos de sensibilização sobre este assunto a conhecer melhor a sua realidade. Vamos realizar palestras com o apoio da APAV, onde irão estar presentes testemunhas reais que irão falar da sua experiência e

de como conseguiram sair de tal situação. Desta forma, pretendemos alertar as pessoas que são ou possam vir a ser vítimas deste tipo de maus-tratos que podem levar á morte. Para mais informações contacte: stopaviolenciadomestica@hotmail.com http://stopaviolenciadomestica.blogspot. com/

Ponha fim a esta violência! Palavra de ordem:

Mudança!

Cultura Amiga!

Q

uem são? 12º G, pretendem requalificar os pátios da escola tornando-os espaços apelativos e úteis a toda a comunidade escolar. Contactos Gapatios.12@gmail.com www.gapatios.pt.vu

Alguns alunos da turma 12º G vai abordar o tema “ Multiculturalidade na nossa escola” num projecto que tem como finalidade perceber até que ponto a nossa Escola consegue acolher diferentes culturas, integrando os alunos de forma positiva. Pretendem dedicar dois dias ao universo cultural existente na nossa Escola e temos perspectivadas várias actividades didácticas relacionadas com este tema.

Aprende

a Consumir connosco!!!!

São alunos do 12º E, levam a cabo um projecto que aborda o tema “ Consumo Responsável” com o objectivo de aconselhar a população farense a consumir com mais sensatez e resSe te interessas-te pelo nosso pro- ponsabilidade. jecto, contacta-nos na conta de e-mail multicultaralismoap@gmail.com ou Fiquem atentos às novidades! deixa a tua sugestão de como melho- Para mais informações: rar o projecto visitando o nosso site www.nepi-consumoresponsável. no endereço www.multicultura-lis- blogspot.com moap.pt.vu

26

Face Oculta

U

m grupo de alunos da turma 12ºE está a desenvolver um projecto denominado “Face Oculta”. Trabalham em colaboração com a Associação CASA( que dá apoio a toxicodependentes e famílias carenciadas em Faro.) O objectivo deste grupo é mostrar à sociedade farense, a face da nossa cidade que muitos desconhecem ou negligenciam, contribuindo com a associação na ajuda às faces ocultas da nossa cidade.


Área de Projecto

“Prevenir e Vencer a Obesidade”

Come para viver,

de Natacha Martins

m grupo de alunos constituído por seis elementos , nomeadamente , Carlota Neto, João Mota, João Assoreira, João Bolas, João Bolas, João Ferreira e Nuno Cruz , chamaram a este grupo A.E.S (alimentação Escolar Saudável) tal como o nome demonstra actuam com o intuito de sensibilizar os alunos desta a escola a ter uma alimentação mais saudável. Estão a planear o “Dia Da Alimentação Saudável” na cantina, e também têm a intenção de organizar um peddy-pape que está integrado no programa Eco escolas que irá decorrer na segunda semana de Maio.

IMC categorizado IMC categorizado

N

o âmbito de Área de Projecto, o grupo “Prevenir e Vencer a Obesidade” do 12.ºE e o grupo “Alimentação Escolar Saudável” do 12.ºC, uniram-se e apresentam aqui, os resultados dos inquéritos realizados às turmas do 12.º ano, da ESJD. Nestes inquéritos foram realizadas perguntas acerca do tema “Obesidade” das quais foram escolhidas as respostas que nos pareceram mais pertinentes. Fiquem atentos aos nossos avanços: Prevenir e Vencer a Obesidade: prevenirevenceraobesidade.blogspot. com Alimentação Escolar Saudável:

Taxa de resposta: 98,9% Soma dos percentuais diferentes de 100 em função das exclusões. Peso normal Peso abaixo do normal

143

82,2%

19

10,9%

Peso Excessivo

9

5,2%

Obesidade grau III

1

0,6%

174

98,9%

Total

não vivas para comer !

U

www.ae-saudavel.webnode.com.br

ESJD volta a fazer das suas…

E

xcelentíssimos Cidadãos do Planeta Terra Nós somos o grupo Viridis Domus. Somos a Ana Sofia Cardeira, Ana Rita Guerreiro, Bruna Paulino, Guilherme Fial, Sofia Alves e Tiago Ling. Como tema central da turma temos a Sustentabilidade, que levou à escolha do nosso tema de grupo: Eficiência Energética e Alterações Climáticas. Como objectivo principal do nosso trabalho, seleccionámos a construção de uma casa ecológica, e como objectivos intermediários, a criação de posters e um filme acerca do tema. Devido à grande ambiguidade do nosso tema, foi possível inscrever-

mo-nos em vários concursos a nível escolar sendo de especial destaque os concursos TWIST (da EDP), Faro, 3º prémio ilustração Cidades Criativas (do Município de de Raquel Afonso Faro), Eco-Projecto (da Associação Almargem) e Esmiuçar Copenhaga (da ADA). Cada concurso exige os seus próprios trabalhos, como a realização de uma conferência, relatórios, posters, filmes, entre outros. O Grupo Viridis Domus Site: http://viridisdomus.blogs.sapo. pt E-mail: viridisdomus@live.com.pt Ilustração de David Silva

27


1º Prémio na categoria de Texto

O último Dia de Sofia Galego Silva

14 de Fevereiro de 2010 Meu Querido, É lindo o sentimento que nutro por ti. Faz-me levar os dias pensando em ti. Acordo pensando na tua dedicação, respiro pensando nos teus carinhos, levantome pensando na tua beleza, vivo pensando no maravilhoso ser que és. És único, especial e sem igual. de Denise Grelha És lindo assim como o teu coração. Quero entrar nele e construir lá um castelo para que te possas sentir um verdadeiro Rei. Eu quero isso, que esse castelo nunca caia. Dou por mim divagando, imaginado histórias, que têm sempre um final feliz, onde nós temos os papéis principais. Tu és a luz do meu sorriso! Quero ser a lua e sentir o sol perto. Abraça-lo com carinho e dizer-lhe: és essencial para que produza luz. Fica comigo Príncipe, vamos viver um amor único onde não existirá só paixão mas sim amizade, amor, compreensão e carinho. Tu fazes o meu coração bater, ele chama por ti. Vamos ser felizes, ser espelho um do outro. Podem-me dar todas as estrelas, todos os planetas, todo o poder, mas se não te tiver a ti no meu coração não serei feliz. 1º prémio ilustração Adoro-te.

o i m

é r p

r o m

so e a r cu s d n º 1 o co arta d sc da

João

2º P rém i

o Ilu

Brás

stra

ção

A luz filtrada pelos estores mal ilumina a sala, e é branca, e é fraca, e é uma luz triste de inverno. A sala é paredes brancas e quadros inacabados erguidos em cavaletes e caixas e panos sujos pelo chão e um homem ao lado da janela, e a sala tem três visitantes nesse momento. Os visitantes simplesmente estão, e não são, e é óbvio que não são porque destoam e o homem da janela é e não está, não está de todo porque se integra na própria parede e faz parte dela e é irmão da própria luz e é tão taciturno e invernoso quanto ela. Os três visitantes não estão juntos. Cada um vai para o seu lado e são atraídos por quadros diferentes e os passos de um desafinam os do outro, para cá o delicado tic-tic dos saltos de uma senhora da sociedade, de Pascal Minder para lá o embrutecido bam-bam dos sapatos de um pesado senhor da sociedade, e apenas as sapatilhas do Premiados dos Jogos Florais menino quase não têm som e ele A m í l c a r Q u a r e s m a passeia-se inaudível pelo estúdio. Texto Não é um lugar fácil de encontrar e 1º Prémio: as pessoas que lá vão, vão lá porque sa- “O último Dia” de Sofia Galego bem do assunto. O homem da janela é 2º Prémio: um artista pouco conhecido, afamado “É na Ausência que o amor se conhece” apenas num pequeno círculo de pes- de Diana Cadete 3º Prémio: soas, e nem sequer é assim tão bom. “Realidade “de Diogo Simão Pelo menos é isso que se diz. Não parece que os visitantes compartilhem da opinião pública, porque continuam a calcorrear a pequena divisão ainda que o tempo passe, e fazem-no com expressões de espanto e de incredulidade e, de quando em vez, de pura paixão. Ele conhece-os a todos, ele já os viu a todos, todos os que voltam, voltam mais do que uma vez. Menos o rapazinho, esse nunca o viu, mas algo lhe diz que o verá novamente.

28

Um beijo com ternura

Da tua sempre Rainha Menção Honrosa: “A nova Guerra” de Diogo Simão

Ilustração

1º Prémio: Pascal Minder 2º Prémio: João Brás 3º Prémio: Raquel Afonso Menção Honrosa: Liliana Sequeira Emanuel Palma João Augusto

Jornal Preto no Branco 2º Per  

Jornal produzido pelos alunos do 11º2 e 10º5.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you