Issuu on Google+

www.misericordia.com.br

EVANGELIZAÇÃO MISSÃO TK 2011 p. 3

ESPIRITUALIDADE FILHOS DA MISERICÓRDIA p. 6

FEV/2012 - Nº 116 - ano XI

AMAR POR

PRIMEIRO

VOZ DA IGREJA O ANO DA FÉ p. 11

TIRA-DÚVIDAS O FIM DOS TEMPOS p. 10


Caríssimos Leitores, Nesta edição, o Padre Antonello, na Palavra do Mês, nos propõe uma reflexão profunda e, por consequência, um gesto concreto de oferecimento de nossa vida: “amar por primeiro”. A quem amar por primeiro? A mim próprio? Ou ao irmão? É possível amar o meu próximo sem me amar? O que significa exatamente o que o Senhor nos mandou fazer: “ama o teu próximo como a ti mesmo”? Nada mais próprio, nesta época do ano em que o mundo exacerba os apelos da carne, dos prazeres mundanos, do que esta reflexão sobre o amor, sobre o “a quem amar primeiro”, e colocar isto diante dos temores de hecatombes, desastres, destruições… diante das ideias do fim dos tempos, como nos fala o Prof. Dr. Joel Gracioso. Afinal, somos verdadeiramente cristãos? Equipe da Revista

ÍNDICE

ASSOCIAÇÃO ALIANÇA DE MISERICÓRDIA Responsáveis: Pe. Antonello Cadeddu e Pe. João Henrique Coordenador: Guilherme Augusto Editores: Maitê Gabriela Ferreira e António Moura Diagramadora: Juliana Bernardo Revisor: António Moura Fotolito e Impressão: Leograf Gráfica e Editora Ltda. Tiragem: 10.000 exemplares Periodicidade: mensal Endereço: Rua Avanhandava, 520 Bela Vista 01306-000 / São Paulo - SP Tel./fax: 11 3257 8805 e-mail: revista@misericordia.com.br site: www.misericordia.com.br

ELES SÃO ALIANÇA!

Evangelizar par a Tr ansformar

pág.3 Palavr a do Mês

pág.4 Espiritualidade

pág.6 Panor ama

pág.7 Aliança em Ação

Agenor

São José dos Campos/SP Filho da Aliança de Misericórdia

pág.8 Tir a-dúvidaS

pág.10 Voz da Igreja

pág.11

Torne-se sócio da Aliança de Misericórdia e ajude-nos a resgatar vidas! Banco Itaú Ag. 0036 C/c 64921-8

Banco do Brasil Ag. 2815-0 C/c 16013-X

Banco Santander Ag. 3372 C/c 130007013

Banco Bradesco Ag. 1416-8 C/c 40596-5

Aliança em Notícias

pág.12 Misericórdia Kids

pág.14 Recados

pág.15

Fran

São Paulo/SP Amiga da Aliança de Misericórdia

Eventos

pág.16

www.misericordia.com.br


Evangelizar par a Tr ansformar

Testemunhos Missão TK 2011

Entre os dias 12 e 18 de dezembro de 2011, aconteceu em São Paulo mais uma Missão Thalita Kum, com

o lema: “Natal e Vida”. A missão é realizada na época do Natal para ajudar as pessoas a voltarem seu olhar ao autêntico sentido desta festa e também para proporcionar momentos de promoção social e maior dignidade à população de rua do centro da cidade, que podemos conferir nos testemunhos abaixo: Primeiro dia na Av. Paulista

“Durante a evangelização na Av. Paulista parei uma jovem e a convidei para participar conosco da celebração. Quando a perguntamos o que queria pedir para Deus, ela disse que gostaria de pedir para Ele tirar a tristeza de seu coração por causa de algumas doenças que estava vivendo. Depois começou a partilhar conosco um pouco de sua vida, que quando pequena seus pais prometeram a Deus que só a batizariam no Santuário de Aparecida, mas demoraram muito e acabaram virando evangélicos e não a batizaram. Depois com mais ou menos 15 anos esteve prestes a se batizar, receber a eucaristia e fazer o crisma, mas não deu certo por vários motivos. Ela nos contava tudo com muita sede, sentíamos naquela jovem uma sede de Deus imensa e ela dizia: “eu quero ser cristã, desejo pertencer a Igreja, mas não sei como!” Pegamos então os dados dela e vamos ver o que podemos fazer para inserir esta irmã em nossa família católica!” Flávia Ribeiro Missionária da Comunidade de Vida A paz que procuro! “Estava na equipe corpo a corpo na Praça da Sé, no meio do momento da celebração da vida conversei com um rapaz chamado Anderson, ele procurava um missionário de Piracicaba que parou ele na missão do Rio de Janeiro em 2009. Ele me perguntou sobre o nome Thalita Kum e se tem em todos os estados, depois de eu tê-lo explicado ele me falou que quando foi abordado na missão do Rio, era um morador de rua, morava em um albergue. Sua família é de São José dos Campos, ele tinha brigado com a sua família e foi embora para o Rio. Durante a conversa ele me falava que hoje ele queria agradecer, pois depois da missão do Rio ele sentia que precisava mudar de vida e ai foi quando resolveu vir para São Paulo à procura de um emprego e um lugar para ficar. Hoje ele está em um emprego estável, fazendo um serviço voluntário em um albergue de crianças nos finais de semana. O Anderson me revelou que hoje a única coisa que falta é a paz interior, ele tem muitos amigos, mas falava que não encontrou ainda a paz que gostaria. Falei a ele que a paz que ele buscava está somente em Jesus e que ele é o nosso melhor amigo.”

Núbia do Nascimento Paes Voluntária – Manaus – AM Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012

3


Palavr a do Mês

Amar por primeiro “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22, 39; cf. Rm 13, 8-10)

E

stamos vendo como, para poder progredir para um amor perfeito, o primeiro passo é amar o outro como eu me amo. É preciso conhecer-se no profundo do coração, conhecer os próprios limites, feridas, dons, capacidade. Tudo isso exige um caminho, porque não é nada fácil se conhecer e se amar. Tantas vezes lutamos e ficamos com raiva de nós mesmos por saber por que temos determinadas reações e comportamentos, que nos deixam de boca aberta. Acontece também de nos sentirmos tão difíceis, tão complicados, que desistimos de tudo, embora seja forte o desejo e a necessidade ir além dos nossos erros e feridas interiores. Quantas pessoas encontramos deprimidas, esgotadas, que não se aceitam, chegando ao limite de se rejeitar e procurar compensações na droga, álcool, sexo depravado e, no final, caem ainda mais, chegando ao fundo do poço, abandonando-se em um nada que leva à morte?

Aqui nasce uma realidade terrível: temos medo de nós mesmos, das nossas reações incontroláveis… temos medo por nós mesmos. É o medo de perder a identidade, de não saber mais quem somos. Sentimo-nos ameaçados no mais profundo pelas próprias forças demoníacas que habitam nosso inconsciente. Parece que tudo e todos que vivem ao redor são e vivem somente pensando modos de como nos destruir. A situação, assim, se torna sem retorno e tudo leva ao pânico, à autodestruição.

J

esus é totalmente contrário a estes pensamentos destruidores. Ele nos diz para amarmos os outros, mas, primeiramente, amar-se a si mesmo. Ele acredita em nós

C

reio que todos nós temos esta experiência devido ao tipo de vocação-carisma de cuidar dos últimos, pequeninos, pobres, abandonados, que Deus nos deu. Quantos deles chegaram ao limite da morte física e espiritual porque não se aceitaram, sentindo-se fracassados na vida familiar, no trabalho, nos relacionamentos com os outros. Decidiram se matar, matar o seu próprio ser, se esconder numa vida “de lado”, “de esquina”, tendo na mão uma pedra de crack, uma garrafa de álcool ou jogando-se num barzinho fétido com uma garrafa de cerveja na geladeira pronta para uso. Amar a si mesmo não é nada fácil, exige uma escolha pessoal constante, tendo a coragem ir além dos próprios fracassos, lutando contra muitas dificuldades e imprevistos, às vezes com fantasmas desconhecidos que habitam o próprio inconsciente. Lutando sem ver resultados, sentindo-se fraco, sem forças, procurando alguma coisa que o convença a desistir da luta, tornando-se um nada, vencido, não se reconhecendo, nem reconhecendo os outros e Deus. 4

Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012

“Eu me encontro, eu me amo, eu me conheço, se amo e não espero nada dos outros.”


e vai além das feridas, pesadelos, limites, dificuldades. Repito: ele acredita em nós! Tem confiança na nossa pessoa e nos responde dizendo-nos que quem não perder a sua vida por Ele não é digno d’Ele. Ele nos pede para amarmos a nós mesmos, encontrando-nos no outro e, sobretudo, n’Ele, que é o Outro por excelência. A chave, então, é esta: eu me encontro, eu me amo, eu me conheço, se amo e não espero nada dos outros. Eu tenho todas as capacidades e dons recebidos de Deus na minha natureza para amar-me e amar os outros e descubro estas capacidades somente se me amo por primeiro e se a minha vida é dada exclusivamente para os outros. O segredo para viver o primeiro grão do amor, que é amar os outros como eu me amo, passa por esta escolha: amar por primeiro. Eu me amo acreditando que tenho em mim mesmo todas as forças, capacidades, para amar-me e amar sem medida os outros.

Este passo é bem concreto e real. Por

exemplo: se uma pessoa me calunia, eu decido amá-la primeiro. Outra pessoa tenta me afastar de um amigo, eu a amo por primeiro e faço de tudo para ser a chave da reconciliação entre todos. Acontecendo uma situação onde não se vive o perdão na fraternidade, no grupo Arco-Íris, no Talita Kum, nos grupos de casais, eu sou o primeiro que se move para procurar a reconciliação, o diálogo, a compreensão, a descoberta e destruição das coisas confusas que criam ruptura. Não espero que o outro me procure ou procure ser ele o reconciliador, eu faço de tudo para amá-lo primeiro. Estes dias, eu estava com um pai. Havia mais de um ano que não falava com a filha. Ela chegou até a colocá-lo na Justiça para receber dinheiro dele. A situação parecia sem volta e a menina projetava outros motivos contra o pai. Eu, que olhava “de fora”, percebi claramente que a revolta contra o pai era devida a uma necessidade escondida, profunda, de querer o pai de volta para ela e, não podendo tê-lo, isto estava se transformando em ódio violento. O sentimento de um pai é sempre, no fundo, o amor para os filhos, não tem jeito! O pai decidiu perdoá-la e dar o passo de reconciliação primeiro, sem esperar o amor da filha. Difícil, humanamente falando, porque significava, para o pai, se abaixar e permitir à filha pensar que somente

ele errou, fazendo da filha uma heroína destruída pelo desamor do pai. Ainda assim, ele decidiu dar o passo sem esperar uma resposta positiva da filha. Somente amar!

O resultado foi um abraço recíproco e, hoje, rece-

be todo dia um telefonema da filha, que se preocupa com a saúde e o dia-a-dia do pai. Este pai descobriu que para amar a filha precisava acreditar em si mesmo. Ele se deu conta de cancelar, se esquecer do mal que a filha fez contra ele. Ele se amou a si mesmo, nas suas capacidades, dons, valores mais altos que um ódio sem fim, que leva à morte, e amou sem querer resposta da filha. A resposta chegou porque ele amou primeiro. Devemos acreditar que nada vale guardar mágoas ou pensar e se convencer, com raiva, que “somente eu tenho razão”. Não é nada disso. Na vida em Jesus não é assim. Devo ser eu a compreender que recebi de Deus o dom de amar, indo além das dificuldades pessoais e alheias. De Jesus compreendemos que o mundo pode mudar somente se vivemos o primeiro grau do amor: “ama os outros como amas a ti mesmo!”. Faça esta escolha: amese, amando por primeiro. Tire o orgulho, a vaidade, a soberba do seu ser para, humildemente, amar sempre sem esperar nada dos outros.

E

ste é o caminho da santidade, do verdadeiro amor, que não pretende, mas… ama! Ama a si mesmo amando os outros sem limites, sempre sendo o primeiro, mais rápido, intuitivo, imediato no amor e nas escolhas. Irá fazer o outro feliz e você estará realizado como pessoa. Que na sua vida os outros possam dizer, olhando-o: é uma pessoa realizada na vida. Sempre sorridente, sempre disponível, sempre atento, sempre o primeiro, sempre esquecido dele mesmo, sempre seguro, com resposta sábia e profunda. Um homem, uma mulher, de Deus que se ama e cuida do caminho de santidade dele mesmo. Possa você tornar-se um exemplo para os outros porque decidiu amar e amar sempre, sem parar em nenhuma dificuldade pessoal e alheia. Você pode! É somente acreditar naquilo que Jesus lhe propõe: “ama os outros como te amas!”.

F

inalizando, digo com força: decida-se a amar aquilo que o Jesus lhe oferece, seja o primeiro de todos. Sim, seja o primeiro, sem esperar a resposta dos outros. Pe. Antonello Cadeddu Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012

5


Espiritualidade

Chamados pelo Amor, Filhos da Misericórdia Seremos fortes contra o mal

E mansos com o pecador Claros, transparentes e íntegros Na verdade, Misericordiosos e compreensivos Com os irmãos; Capazes de denunciar a injustiça E de perdoar com amor, De gritar contra o pecado E de abraçar com ternura O irmão que volta À casa do Pai; De nos consumir E ferir na busca Da ovelha perdida

Estaremos prontos A nos reconhecer pecadores E capazes de perdoar A nós mesmos, Acolhendo o perdão do Pai, Porque: “Quem se culpa perante Deus É por ele desculpado” (Sto. Agostinho). Fugindo do mal, Nos apegaremos ao bem, Evitando as menores faltas E nos confessando com serenidade Quando cairmos em pecado. Vigilantes, Recomeçamos todo dia, Conscientes de que, Como servos inúteis, “Até agora não fizemos nada E temos que começar Tudo de novo” (S. Francisco de Assis). Façamos da conversão O compromisso de cada dia. 6

Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012

Conscientes de que Nossa grandeza Está em nossa fraqueza, Aceitaremos com serenidade As provações da vida, Porque quando somos fracos, É que somos fortes E a força do Senhor Se manifesta em Nossa fraqueza. Não mediremos a nós mesmos Nem faremos comparações Entre nós, Mas teremos A mesma estima Uns pelos outros E a justa estima De nós mesmos, Sem pretensões de grandeza, Mas solidários Com os mais humildes.

Não olharemos para as nossas feridas, Mas para as feridas de Cristo Abertas sobre a humanidade inteira, Porque: “... por suas chagas fomos curados” (Is 53, 5b). Prontos para dar a vida Para a salvação do mundo, Unimos o nosso sacrifício Ao sacrifício único do Cristo, Para “... completar na Nossa carne Aquilo que falta Na paixão de Cristo” (Cl 1,24), Alegres por cada oportunidade De sofrer pelos irmãos, Porque enquanto “... a morte Trabalha em nós, A vida, porém, em vós” (2Cor 4, 12).

trecho extraído do livro No Oceano da Misericórdia Infinita Pe. João Henrique e Comunidade Aliança de Misericórdia

Para adquirir o livro, entre em contato pelo tel. (11) 3101-6619


Panor ama Educar os jovens para a Justiça e a Paz neste ano de 2012! “Prestar atenção ao mundo juvenil, saber escutá-lo e valorizá-lo para a construção de um futuro de justiça e de paz não é só uma oportunidade, mas um dever primário de toda a sociedade.” Em sua mensagem a propósito do início de 2012, Bento XVI destacou o papel das novas gerações na tentativa de superar o “sentido de frustração” que se gerou por causa da “crise que aflige a sociedade, o mundo do trabalho e a economia”. A Igreja olha para os jovens com esperança, tem confiança neles e encorajaos a procurarem a verdade, a defenderem o bem comum, a possuírem perspectivas abertas sobre o mundo e olhos capazes de ver “coisas novas”. Por isso, o Papa convida a todos, especialmente os envolvidos na educação dos jovens (família, professores, políticos), a despertarem a consciência para a realidade ao seu redor, sem deixar-se levar pelo desânimo! O Papa termina a mensagem convidando-nos a olhar para o alto com esperança: “Cientes das vossas potencialidades, nunca vos fecheis em vós próprios, mas trabalhai por um futuro mais luminoso para todos. Nunca vos sintais sozinhos! A Igreja confia em vós, acompanha-vos, encoraja-vos e deseja oferecer-vos o que tem de mais precioso: a possibilidade de levantar os olhos para Deus, de encontrar Jesus Cristo – Ele que é a justiça e a paz!”. (www.vatican.va)

Esclarecimento sobre projeto para criminalizar a homofobia

O presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis, fez um esclarecimento sobre o projeto de lei, tramitando no Congresso Nacional, que coloca a questão da criminalização da homofobia: “A Presidência da CNBB não fez acordo com a senadora [Marta Suplicy], conforme noticiou parte da imprensa. Na ocasião, fez observações, deu sugestões e se comprometeu a continuar acompanhando o desenrolar da discussão sobre o projeto. Reiterou, ainda, a posição da Igreja de combater todo tipo de discriminação e manifestou, por fim, sua fraterna e permanente disposição para o diálogo e colaboração em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana”. (CNBB)

Crianças são vítimas do tráfico humano Segundo um relatório apresentando na capital da Índia, Nova Delhi, naquele país, a cada hora, desaparecem 11 crianças, vítimas do tráfico de seres humanos. Entre 2008 e 2010, desapareceram 117.480 menores. A maior parte dos desaparecimentos se dá em Mumbai, Calcutá e Nova Delhi, onde são vendidos a famílias ricas como domésticos ou escravizados em indústrias ou ainda explorados nas ruas para fins sexuais. Conforme denunciado anteriormente por outros grupos que se ocupam da defesa dos direitos humanos, a melhora da situação econômica nas grandes cidades indianas favoreceu a proliferação de alguns males sociais, entre os quais a solicitação de crianças para serviços domésticos. O fenômeno é particularmente grave na capital indiana, onde só em 2011 desapareceram 1.442 crianças. De acordo com a organização que produziu o relatório, há muita resistência em denunciar os desaparecimentos. (Catolicanet)

Rio se prepara para a Jornada Mundial da Juventude-2013 O Comitê Organizador Local (COL) da JMJ Rio2013 está a todo vapor, preparandose para a consolidação da Jornada. A JMJ Rio2013 acontecerá entre 23 e 28 de julho de 2013. Estão previstas ainda duas reuniões para este ano: a primeira no Rio de Janeiro, no final deste mês, e a outra, de 28 de março a 1º de abril, em Roma. Na última reunião de 2011 foi aprovada a logomarca, que só será divulgada após a conclusão dos trâmites da legislação brasileira, com todos os procedimentos legais necessários para o seu registro. Os locais onde serão realizados os atos centrais ainda não foram decididos. (www.jovensconectados.org.br) Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012

7


Aliança em Ação

Casa São José

A Casa São José conta hoje com 8 missionários que atendem cerca de 50 acolhidos, dentre os quais 9 são

idosos, que se encontravam em situação de rua, drogas e vulnerabilidade social. Os “Filhos da Aliança”, como assim os chamamos, vivem uma profunda experiência de renovação espiritual e humano-relacional, sendo preparados para uma futura reinserção e reintegração na sociedade. Dentro desta proposta, são várias as atividades realizadas na casa: Catecumenato (preparação para iniciação cristã) e preparação para os sacramentos; celebração e adoração diária; acompanhamento individual; estudo bíblico; grupo de louvor, de apoio; formação humana. Além dos diversos trabalhos de organização e conservação da casa como a cozinha, a limpeza, a lavanderia, os animais, a manutenção de equipamentos, a organização do almoxarifado, o cuidado com o terreno, a obra, a horta. Todos estes trabalhos têm como objetivo primeiro a formação pessoal de cada acolhido.

8

Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012


Alguns trabalhos que realizamos: Obra: - Construção da nova capela que acomodará todos os acolhidos para as celebrações; - Continuação da construção do novo chiqueiro com capacidade para mais porcos. Animais: - 2 porcos adultos e 6 filhotes; - 2 patos e 6 filhotes; - 3 cachorros e 1 filhote; - 7 vacas e 2 bezerros. Suprem uma parte da necessidade de leite diária; - 4 tanques, cada um com capacidade média de 200 peixes; - 50 galinhas que produzem em média 30 ovos/dia. Horta: 25 canteiros produzindo alface, couve, cenoura, tomate, beterraba, abobrinha, pimentão, rúcula, berinjela, cebolinha, milho. Artesanato: Produção de terço, dezena, cruz e outros produtos em madeira. Os produtos do artesanato são vendidos nos eventos da comunidade para ajudar na manutenção da casa.

Você também pode ajudar um filho da Aliança a mudar de vida:

Testemunho Meu nome é Ricardo Clemente, tenho 32, sou natural de Paranavaí- PR, moro em Piracicaba há 27 anos. Hoje eu posso falar que através de Jesus estou conhecendo uma nova vida na Aliança de Misericórdia. Entrei na casa de triagem na terça feira, dia 27/09, às 9hs. Foi o melhor dia da minha vida! Cheguei lá em um estado deplorável eu estava no fundo do poço por causa de uma vida de vícios, como o álcool e as drogas, e resolvi pedir ajuda, mas meu maior problema eram as minhas escolhas erradas e a falta de Deus na minha vida. Cheguei ao ponto estrema da miséria, vivia como morador de rua ou, como a sociedade diz, mendigo, sujo mexendo no lixo para matar a minha fome. Eu não me reconhecia mais. Tive minha casa, família, emprego e me via naquela situação. Mas Jesus mudou meu cativeiro no dia 20/09 e hoje, pela misericórdia de Deus, estou na casa de acolhida aqui em São José. Tenho uma família e não preciso mexer no lixo para me alimentar, pois Deus tem provido tudo. Cheguei com a roupa do corpo, hoje tenho até um lugar para colocar minhas roupas; dormia no chão duro, hoje tenho uma cama limpinha. Tenho somente que agradecer a Deus a a Aliança, aos missionários, voluntários e benfeitores que estão me fazendo ter uma vida digna de filho de Deus. Hoje sou um filho desta comunidade que para a sociedade não tinha jeito, mas que graças a Deus estou mudando a minha vida.  Ricardo Clemente Cazula

R$ 100,00 apadrinhamento (gastos mensais com higiene pessoal, saúde e alimentação) R$ 50,00 para ajudar na manutenção da casa Bradesco Ag 1416-8 C/C 40588-4 Conheça mais nosso trabalho fazendo-nos uma visita Casa São José Estrada Antônio Sá Flor, 1050 São José dos Campos / SP Tel: (11) 8612-9746 / (12) 39415576 E-mail: casasaojose@misericordia. com.br Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012

9


Tir Fé ea-dúvidas Atualidade

O cristão e o fim dos tempos

Devido ao aumento de proble-

mas como a fome, a miséria, a violência, e também pela ocorrência de catástrofes naturais em lugares distintos do planeta, muitas pessoas se perguntam se o fim dos tempos não estaria próximo. Tudo irá acabar em 2012, segundo determinadas profecias? Quando Cristo voltará? Quando será a consumação de toda a criação? Como se portar perante essas questões? Nas Sagradas Escrituras encontramos vários textos que fazem referência à segunda volta do Senhor, tais como: At 1, 10s; Mt 16, 27; Mt 25, 31s. Também na Tradição vemos a continuidade desta fé na vinda do Senhor em várias obras, como na Didaqué e nos Padres da Igreja, e na própria Liturgia tanto do Oriente como do Ocidente. Percebemos, assim, que a segunda vinda de Cristo e a consumação de toda a obra da criação é algo que faz parte da fé cristã. Entretanto, outra coisa são as diversas previsões que já se fizeram e se fazem sobre a data de tal fato e do fim da História. Periodicamente, principalmente em épocas de flagelos

e de intenso sofrimento coletivo, sempre houve a sensação de que o fim estava próximo e surgiram diversas profecias e datas sobre o fim de tudo. O fato de as ideias de fim do mundo aparecerem com mais força em períodos de crise, como, por exemplo, o momento em que a Europa e os EUA estão passando, ocorre porque o sentido da vida e o sentimento de esperança são abalados profundamente. É quando aflora na consciência das pessoas a fragilidade da existência. Muitas vezes, acontecimentos dolorosos, seja no âmbito pessoal ou no coletivo, fazem com que a perspectiva sobre o futuro seja dominada pelo desespero e desânimo, restando falar de um fim inevitável, destruidor e dramático como único meio de punir os maus, de estabelecer uma nova ordem justa e encontrar um novo sentido de se viver. Ademais, não podemos esquecer que a maioria dos textos que falam desses assuntos pertencem ao gênero apocalíptico. Se levarmos em conta o gênero literário, a situação e o contexto em que esses textos foram redigidos veremos que eles não são motivo de medo, de terror ou pânico, mas causa de esperança para aqueles que creem que Jesus Ressuscitado aparece como o Senhor da História. Não há porque nos afligirmos ou nos de-

sesperarmos, apesar das possíveis perseguições, dos problemas e das incongruências da vida. Muitas coisas ocorrerão antes do Fim: 1. a pregação do Evangelho no mundo inteiro; 2. a conversão dos judeus; 3. perseguições, grande apostasia, o Filho da Perdição; 4. situação caótica no mundo. Entretanto, não há consenso entre os estudiosos sobre qual o sentido exato destes sinais. Na realidade, se o Senhor vai permitir um conjunto de sinais é porque sua misericórdia é maior que tudo. Enfim, não haverá destruição, mas renovação de tudo em Cristo. Assim, o importante não é tanto o dia e a hora em que o Senhor vai voltar (coisa que Ele mesmo, enquanto Mestre dos homens, não revelou, pois não fazia parte de sua missão cf. Mc 13, 32). Quer vivamos quer morramos, o importante é pertencermos ao Senhor. Logo, no tocante a esses assuntos, a melhor coisa é sermos humildes, sóbrios e sempre buscarmos estar em comunhão com a Igreja do Senhor naquilo que ela nos ensina, não crendo em qualquer coisa que nos apresentem como revelação divina.

Prof. Dr. Joel Gracioso

Para aprofundar: Catecismo da Igreja Católica, parágrafos de 668 a 682; 1042 a 1050. CHAGAS, D. Cipriano. O Fim está próximo. Rio de Janeiro: Louva-a-Deus, vol. I, II, III, IV, 2007. GOMES, Cirilo F. Riquezas da mensagem cristã. Rio de Janeiro: Editora Lumen Christi, 1981. 10

Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012


Voz da Igreja

o Ano da Fé! O

Papa Bento XVI, através da Carta Apostólica Porta Fidei, proclama, para outubro de 2012 a outubro de 2013, o Ano da Fé! Portanto, toda a preparação do ano terá em vista esta temática, em que o Papa convida toda a Igreja para uma autêntica e renovada conversão ao Senhor, único Salvador do mundo. O anúncio foi feito durante o encontro “Novos evangelizadores para a nova evangelização”, realizado no Vaticano em outubro passado, com a presença de evangelizadores de todo o mundo, de inúmeras Novas Comunidades, congregações e organismos que atuam colaborando com a evangelização. Já na homilia da abertura do encontro, o Papa disse que: “ser evangelizadores não é um privilégio, mas um compromisso que provém da fé”. Ao anunciar o Ano da Fé, o Papa disse que este tempo procura “dar um renovado impulso à missão de toda a Igreja, para conduzir os homens longe do deserto no qual muito frequentemente se encontram em suas vidas, à amizade com Cristo, que nos dá sua vida plenamente”. A evangelização tem sido uma constante preocupação do Santo Padre, que tem reiterado a “urgente necessidade” de uma nova evangelização, sobretudo “nos países de antiga cristianização”. Já no ano passado, o Papa criou uma nova Comissão no Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, com a presença de especialistas na evangelização, instrumento precioso para identificar as grandes questões que se agitam nos diversos setores da sociedade e da cultura contemporânea: “Não podemos aceitar que o sal se torne insípido e a luz fique escondida”. “À luz de tudo isto, decidi proclamar um Ano da Fé. Este terá início em 11 de outubro de 2012, no cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II, e terminará na solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, em 24 de novembro de 2013. Na referida data de 11 de outubro de 2012 completar-se-ão também vinte anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica, texto promulgado pelo meu predecessor, o Beato Papa João Paulo II (cf. João Paulo II, Constituição Apostólica Fidei Depositum (11 de outubro de 1992), com o objetivo de ilustrar a todos os fiéis a força e a beleza da fé. Esta obra, verdadeiro fruto do Concílio Vaticano II, foi desejada pelo Sínodo Extraordinário dos Bispos de 1985 como instrumento a serviço da catequese (cf. Relação

final do Sínodo Extraordinário dos Bispos) e foi realizado com a colaboração de todo o episcopado da Igreja Católica. E uma Assembléia Geral do Sínodo dos Bispos foi convocada por mim, precisamente para o mês de outubro de 2012, tendo por tema “A nova evangelização para a transmissão da fé cristã”. Será uma ocasião propícia para introduzir o complexo eclesial inteiro num tempo de particular reflexão e redescoberta da fé”. E continua explicando, em sua carta, que: “Da mesma forma, será decisivo repassar a história da fé, que faz ver o mistério insondável da santidade entrelaçada com o pecado. O Ano da Fé também será uma ocasião propícia para intensificar o testemunho da caridade. ‘A fé sem a caridade não dá fruto, e a caridade sem a fé seria um sentimento constantemente à mercê da dúvida’. Fé e caridade reclamam-se mutuamente, de tal modo que uma consente à outra realizar o seu caminho. Possa este Ano da Fé tornar cada vez mais firme a relação com Cristo Senhor, dado que só n’Ele temos a certeza para olhar o futuro e a garantia de um amor autêntico e duradouro. À Mãe de Deus, proclamada ‘feliz porque acreditou’ (cf. Lc 1, 45), confiamos este tempo de graça”, escreve. O Papa analisa que nos dias atuais, mais do que no passado, a fé se vê sujeita a uma série de questionamentos, frutos de uma mentalidade que reduz o âmbito das certezas racionais ao das conquistas científicas e tecnológicas, e também de uma sociedade sempre mais relativista e capitalista: “Mas a Igreja nunca teve medo de mostrar que não é possível haver qualquer conflito entre fé e ciência autêntica, porque ambas tendem, embora por caminhos diferentes, para a verdade”. O conhecimento da fé introduz na totalidade do mistério salvífico revelado por Deus. Portanto, o Papa traça um caminho com alguns pontos que irão nos preparar, delineando um percurso que ajude cada fiel a compreender de maneira mais profunda os conteúdos da fé e, juntamente com eles, também o ato pelo qual decidimos, com plena liberdade, entregar-nos totalmente a Deus. O Ano da Fé é um convite para voltarmos com ardor às raízes da nossa religião e redescobrir, novamente a alegria de transmitir a fé que experimentamos em algum momento da nossa vida! Esta fé pode crescer sempre mais, se vivida com amor e transmitida com alegria e entusiasmo. “Possa este Ano da Fé tornar cada vez mais firme a relação com Cristo Senhor, dado que só n’Ele temos a certeza para olhar o futuro e a garantia dum amor autêntico e duradouro”. Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 20112

11


Aliança em Notícias

Nos dias 3 e 4 de dezembro de 2011, aconteceu o 1º encontro Thalita-Kum, na cidade de Cagliari, na Itália. Cerca de 35 jovens viveram experiências fortíssimas cura, através do anúncio do amor de Deus.

O CANÁ, do AIM Sagrada Família (SP), realizou no dia 5 de dezembro, em celebração presidida por D. Tarcísio Scaramussa e Pe. Antonello, o batizado e a 1ª eucaristia de casais que ainda não tinham recebido esses sacramentos.

12

Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012


THALITA KUM JOVEM, LEVANTA-TE

Na manhã do dia 10 de dezembro, as crianças da Casa Naim, amigos e benfeitores, se reuniram em festa para a inauguração do novo galpão e do prédio que serão as futuras instalações da Escola da Misericórdia, um grande sonho que começa a se tornar realidade!

Nessa mesma manhã, para completar a festa, Pe. João Henrique celebrou o batizado e a 1ª eucaristia das crianças atendidas pela Casa Naim.

Com muita alegria, na noite do dia 10 de dezembro, a família Aliança de Misericórdia se reuniu na Catedral da Sé, em São Paulo, para a ordenação Diaconal dos missionários Pedro Mariano e Estevão e Presbiteral de Israel e Paulo da Cruz, e celebração presidida por D. Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo.

Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012

13


Misericórdia Kids

Muitos títulos Maria tem em sua homenagem, aquela que foi de Deus a mais bela paisagem. Que possamos nós, um dia, com doçura e alegria refletir a sua imagem!

Nossa Senhora de Lourdes

Nossa Senhora de Lourdes hoje nós vamos lembrar: uma aparição mariana de tradição secular. Foi uma jovem criança lá em Lourdes, na França, que viu a Virgem-Solar. Bernadete é o nome da menina que recebeu a graça de ver Maria, que na gruta apareceu para então mostrar ao mundo o seu grande amor profundo aos filhos que Deus lhe deu. Nossa Senhora de Lourdes rogai a Jesus por nós, seus filhos tão pequeninos confiados por Deus a vós. Olhai por nossas crianças, renovai as esperanças, Nunca nos deixai a sós!

“Eu sou a Imaculada Conceição”

Texto : Viviane Veiga

14

Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012


Recados

Relógio do coração

Recorte e guarde esta história para você.

Há tempos em nossa vida que contam de forma diferente. Há semanas que duraram anos, como há anos que não contaram um dia. Há paixões que foram eternas, como há amigos que passaram céleres, apesar do calendário nos mostrar que ficaram por anos em nossas agendas. Há amores não realizados que deixaram olhares de meses, e beijos não dados que até hoje esperam o desfecho. Há trabalhos que nos tomaram décadas de nosso tempo na terra, mas que nossa memória insiste em contá-los como semanas. E há casamentos que, ao olhar para trás, mal preenchem os feriados da folhinha. Há tristezas que nos paralisaram por meses, mas que hoje, passados os dias difíceis, mal guardamos lembrança de horas. Há eventos que marcaram, e que duram para sempre, o nascimento do filho, a morte do pai, a viagem inesquecível, um sonho realizado. Estes têm a duração que nos ensina o significado da palavra “eternidade”. Já viajei para a mesma cidade uma centena de vezes, e na maioria das vezes o tempo transcorrido foi o mesmo. Mas conforme meu espírito, houve viagem que não teve fim até hoje, como há percurso que nem me lembro de ter feito, tão feliz eu estava na ocasião. O relógio do coração, hoje descubro, bate noutra frequência daquele que carrego no pulso. Marca um tempo diferente, de emoções que perduram e que mostram o verdadeiro tempo da gente. Por este relógio, velhice é coisa de quem não conseguiu esticar o tempo que temos no mundo. É olhar as rugas e não perceber a maturidade. É pensar antes naquilo que não foi feito, ao invés de se alegrar e sorrir com as lembranças do que viveu. E consulte sempre o relógio do coração: ele lhe mostrará o verdadeiro tempo do mundo.

Santa Missa com Pe. Antonello

Rádio

- Toda 5ª feira, às 19h30 – Antigo Terminal Rodoviário Bresser

Em SP: Rádio Imaculada Conceição AM 1490 – toda 4ª feira, das 11h às 12h Em MG: Rádio Gospa Mira FM 105,7 – toda 4ª feira, das 14h às 14h40 Webradio: www.misericordia.com.br/misericordiaonline

Embaixo da estação Bresser do metrô | Informações: (11) 3257-8805

- Todo domingo, às 18h – Igreja N. Sra. da Boa Morte Rua do Carmo, 202 – Centro/SP | Infomações: (11) 3101-6889/6920

Santa Missa - Toda 3a feira, às 19h30, missa de cura – Rincão Nossa Senhora de Guadalupe

TV

- Todo domingo, às 18h e todo dia 23– Santuário de São Pio de Pietrelcina (CJ)

Toda sexta-feira às 23h30

Rua Nilo Bruzzi, 31 – Jd. Botuquara/ SP (alt. do n° 13890 da Av. Raimundo Pereira Magalhães) | Informações: (11) 3943-3725

A Arte da vida: TV Século 21 Toda quinta-feira, às 21h30. Histórias em oração: TV Canção Nova

Rua Barra da Buriquioca, 40 - Pq. de Taipas/SP | Informações:

para mais informações: www.misericordia.com.br

(11) 3946-3396 NOME: /

/

SEXO:

( )M

( )F

PROFISSÃO: NO :

END.: COMPLEMENTO:

BAIRRO:

CIDADE:

UF:

Bancos disponíveis: Itaú, Real e Bradesco

DATA DE NASC.:

CEP:

E-MAIL: TEL./RESID.:

TEL./COMERC.:

Deseja colaborar conosco recebendo mensalmente nossa revista?

TEL./CEL.: ( )SIM

( )NÃO

Eu,

CPF:

Autorizo o debito mensal nos valores e datas indicados, em minha conta corrente, a favor da Associação Aliança de Misericórdia Mês de início: Banco:

Dia de débito:

Agência (c/ dígito):

Valor: R$

Conta corrente (c/ dígito):

Assinatura do titular da conta

Envie esta ficha para: R. Avanhandava, 520 – Bela Vista - SP/SP – 01306-000 Tel: 11-3257-8805 - A/C Depto. de Cadastro Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro - 2012

15


Eventos fevereiro

03

fevereiro

12

Vigilia MMAE Movimento Mariano de Adoração Eucarística

fevereiro

Novos Missionários Entrada de missionários para Casa de Formação e Escola de Evangelização

fevereiro

05

18 a 21

JAM (Jornada Aliança de Misericórdia) Dia de louvor e formação nas cidades onde estamos Festa das Tendas Todo o movimento Aliança de Misericórdia se encontra para partilhar experiências, louvar e adorar a Deus

Para mais informações, acesse www.misericordia.com.br

“A Maria, mulher que faz faxina na minha casa, me contou uma linda experiência que está vivendo: esta mulher é

bem pobre e precisa de ajuda, mas ela se dispôs a me ajudar a fazer pães recheados para vender pela comunidade. Faço estes pães há alguns meses e o lucro da venda vai para as casas da acolhida que a Aliança de Misericórdia tem em Piracicaba. Maria, além de ajudar, dá alguns itens dos ingredientes dos pães. Falo a ela que não precisa fazer isso, pois ela também precisa do dinheiro para se sustentar, mas Maria quis ajudar de novo. Me deu dinheiro para comprar toda quantidade de brócolis para recheio dos pães. Mas o fato interessante é: ela me disse que desde que começou a ajudar nos pães nunca mais faltou nada em sua casa, inclusive teve dinheiro para comprar frutas e pagar todas as despesas de sua casa!! D. Olinda, membro do AIM de Piracicaba/SP

Sócio da Misericórdia – Asas que nos permitem voar! www.misericordia.com.br/socio


Revista Aliança de Misericórdia - Fevereiro 2012