Page 1


Introdução Vamos a Jerusalém! É um convite diário, por oito dias, durante a programação da Semana Santa, para participar dos eventos relacionados com a Via Dolorosa e a Segunda Vinda de Jesus. Como líderes do MCA, professores e pais temos o privilégio de participar desta dinâmica e atraente programação, onde a Palavra de Deus estará repleta de vida ao serem realizadas dramatizações espontâneas que levarão as crianças a presenciarem eventos bíblicos reais e a experimentarem como era estar perto de Jesus e adorá-Lo, além de ser testemunha de Sua morte e ressurreição. Para isto, iremos voltar no tempo e imaginar como seria viver e trabalhar no burburinho da cidade de Jerusalém nos dias de Jesus; frequentar uma sinagoga para os cultos, os quais incluíam a leitura da Lei e a explicação das Escrituras. Em vez de permanecer em seus lugares como uma audiência passiva, as crianças participarão em cada ato da história, enquanto esta se desenvolve. Imagine o entusiasmo e a ansiedade com que o povo compartilhava ao dar as boas vindas a Jesus! Note o medo de Pedro, quando correu negando sua amizade com Jesus e participe da surpresa das mulheres que descobriram que Jesus não estava na tumba. Finalmente, descobrirão que a vida e a morte de Jesus impactaram poderosamente as pessoas. E o mais importante é que eles descobrirão que Jesus é


Alguém real; Aquele que pode transformar nossas vidas hoje. Estamos felizes por apresentar às crianças este emocionante programa sobre os eventos finais da vida, morte e ressurreição de nosso amado Salvador Jesus. Agradecemos a colaboração das professoras: Elizabeth Salazar, Evelin de Bentancor, Ana F. de Schell y Angie de D´Acosta. Oremos para que, através desta semana, muitos corações sejam enternecidos e transformados pela influência do amor divino. Que o Senhor permita que muitos aceitem este carinhoso convite: VAMOS A JERUSALÉM! Mirta Samojluk Ministério da Criança e Adolescente DIVISÃO SUL-AMERICANA


Objetivos Conseguir que as crianças:  Leiam a Bíblia (Livro dos Tesouros), e descubram por si só, o que ela diz sobre o grande amor de Jesus por nós e o plano de salvação.  Tomem decisões que possam pôr em prática todos os dias.  Conheçam alguns lugares da cidade de Jerusalém, onde Jesus passou seus últimos dias e assim possam relacioná-los com a história bíblica.  Participem dos 8 temas que são consecutivos e estão tematicamente relacionados. Para isto, deve ser feito um cronograma completo desta programação.  Uma vez terminadas as reuniões da Semana Santa, procurem integrar-se e participar de uma Classe Bíblica, Pequeno Grupo, Escola Sabatina e/ou Clube de Desbravadores. Idéia Central Em “Vamos a Jerusalém” as crianças visitarão diferentes lugares da cidade e seus arredores para relacioná-los com os acontecimentos bíblicos que ocorreram nos últimos dias em que Jesus passou na terra. Durante o tour, as crianças passarão por várias oficinas para realizar as diferentes atividades manuais que serão utilizadas durante o desenvolvimento da história bíblica. Ainda poderão participar das lindas representações que ocorrerão a cada dia na cidade e que desencadearão a apresentação da história bíblica, a qual será lida diretamente da Bíblia. Cremos que a parte mais importante do programa será a leitura do Livro dos Tesouros (a Bíblia) onde as crianças poderão ler e descobrir cada história bíblica por si só. As decisões que as crianças tomarem a cada dia, serão de grande importância, pois elas compartilharão com seus amigos e familiares o que estão aprendendo. Isto poderá ser realizado através dos “Desafios Diários” que levarão como tarefa de casa.

5


Durante toda a semana, sugerimos ir semeando a ideia de continuidade desta programação, através das diversas atividades que a igreja promove: Classe Batismal, Pequeno Grupo, Escola Sabatina, Clube de Desbravadores, etc. Decoração Sugerimos armar na frente, um fundo decorativo com muralhas, uma porta de entrada para a cidade e uma rua. Também pode utilizar os cenários adornados com algumas palmeiras e rochas fazendo uma cena tridimensional.

Cantinhos de Atividades  Oficina Turística: Lugar de encontro diário com o Guia Turístico. Sugerimos ter uma mesa pequena com vários folhetos turísticos, mapas diferentes, alguns quadros ou pôsteres de Jerusalém.  Local dos Livros dos Tesouros: Aqui coloque um cofre contendo as Bíblias, uma para cada criança. Também podemos ter uma Bíblia grande em feltro ou tridimensional, onde estejam escritas as referências que as crianças deverão procurar a cada dia em suas Bíblias.

6


 Oficina de Atividades Manuais: Uma mesa baixa (para que as crianças se sentem no solo com tapetes individuais) com os materiais necessários para realizar as diferentes atividades manuais. Sugestão: Fazer cada atividade manual previamente, a fim de saber como confeccioná-las.  Representação: Para esta atividade utilize a decoração da frente da sala. Acrescente algum elemento para ser retirado, dependendo da temática desse dia.  Tour: Este será realizado dentro ou fora da classe (caso haja disponibilidade de outras instalações). A ambientação variará a cada dia e poderá ilustrar o lugar a ser visitado com cartazes, imagens de Power Point e/ou vídeos que podem ser conseguidos nas embaixadas. Caracterização dos Personagens Os atores que encenam as representações deverão estar vestidos a caráter, com roupas dos tempos bíblicos. Como ilustração, incluímos as imagens abaixo:

Caso deseje, utilize turbantes, mantos ou faixas para serem utilizados na testa. Isto pode ser usado para identificar as crianças, escrevendo seu nome nele.

“Tríptico” Turístico Cada criança receberá um “tríptico” com o mapa da cidade e seus arredores, onde colarão uma figurinha com a imagem da história bíblica do dia.

7


Cupom dos Desafios Diários No momento da tomada de decisões, as crianças terão acesso a um cupom dos “Desafios Diários” que deverão levar para casa, a fim de registrar o que fizeram. Pode-se implementar algum incentivo para aqueles que diariamente cumprirem a tarefa. Equipe de Trabalho Forme um grupo de colaboradores que deverão estar atentos para ajudarem nas diferentes partes da programação: busca dos textos bíblicos, oficina de trabalhos manuais, participação nas representações, etc. Sugerimos que envolva os juvenis e adolescentes de sua igreja. Cantos Propomos as músicas da ECF “Pelo Mar da Galiléia”, além da Música Tema em karaokê: “Jerusalém”, que em algum momento da programação dos adultos, seria bonito apresentá-lo como parte especial, tendo as crianças vestidas com túnicas brancas. Boas-vindas Além de receber as crianças com alegria e entusiasmo, aproveite para lhes perguntar sobre os “Desafios Diários” no lar e na comunidade. Cante e também repasse com elas a história bíblica do dia anterior. Despedida Aproveite este momento para reafirmar a decisão tomada na reunião; promova a reunião do dia seguinte, prometa surpresas, fazendo isto de forma atrativa e dinâmica. Power Point Disponível Você terá um Power Point com todas as ilustrações para o momento do tour de cada dia, bem como a imagem interna de um avião com o som das turbinas para a decolagem. Estará na página WEB do Ministério da Criança e Adolescente da Divisão Sul-Americana/Semana Santa ou poderá solicitá-lo à líder de seu Campo.

8


RESUMO DAS ATIVIDADES E MATERIAIS DIÁRIOS

Tema 1 Folheto ilustrativo da Semana Santa e a figurinha da entrada triunfal de Jesus. Representação: Personagens – Pai e filho. Oficina de Trabalhos Manuais: Palmeira - papel crepe, tesoura, fita adesiva, tinta para pintá-la. Decoração do Tour: Ilustração de uma porta da cidade. Cartão de Desafios Nº 1.

Tema 2 Folheto ilustrativo da Semana Santa e a figurinha da Santa Ceia. Representação: Personagens – Soldado, Rubén e os discípulos: João e Pedro. Oficina de Trabalhos Manuais: Pão sem fermento - farinha, açúcar, sal, água, azeite, formas, forno, pratos. Decoração do Tour: Ilustrações de casas e mercado. Projete o Power Point com as ilustrações de construções dos dias de Jesus. Em uma folha de papel madeira, desenhe casas com um ou mais ambientes e/ou cole-os à decoração principal. Explicação: Copo com suco de uva e pão sem fermento. Cartão de Desafios Nº 2.

9


Tema 3 Folheto ilustrativo da Semana Santa e a figurinha de Jesus orando no Jardim do Getsêmani. Representação: Personagens – Ana e o discípulo Tiago. Oficina de Trabalhos Manuais: Tapete de oração. Decoração do Tour: Ilustrações do Monte das Oliveiras e do Jardim do Getsêmani. Aplicação: Folhas com as letras A. C. A. P. Cartão de Desafios Nº 3.

Tema 4 Folheto ilustrativo da Semana Santa e a figurinha de Jesus crucificado. Representação: Personagens – Léia, Simeão e o discípulo Pedro. Oficina de Trabalhos Manuais: Uma cruz. Decoração do Tour: Ilustrações do Templo. Aplicação: Cartões com perguntas sobre a leitura bíblica. Cartão de Desafios Nº 4.

Tema 5 Folheto ilustrativo da Semana Santa e a figurinha de Jesus ressuscitado. Representação: Personagens – Maria Madalena e o discípulo Pedro. Oficina de Trabalhos Manuais: Um selo de batata - colherinha descartável, palito, cartolina e tintas de várias cores. Decoração do Tour: Imagens da ressurreição de Jesus. Cartão de Desafios Nº 5.

Tema 6 Folheto ilustrativo da Semana Santa e a figurinha de Jesus ascendendo ao céu. Representação: Personagens: os discípulos Tomé e Filipe. Oficina de Trabalhos Manuais: Materiais - cartolina, co-

10


tonete, suco de limão, vela, ferro. Decoração do Tour: Ilustrações do Monte das Oliveiras. Aplicação: Rolo antigo e papiro ou pergaminho: (ver Power Point). Cartão de Desafios Nº 6. Tema 7 Folheto ilustrativo da Semana Santa e a figurinha de Jesus vindo nas nuvens. Representação: Personagens – os discípulos João, Tiago e Filipe. Oficina de trabalhos manuais: Fotocópias com as imagens das constelações, lápis, giz de cera, estrelas douradas e prateadas, cola. Decoração do Tour: Um convidado “Sr. Astrônomo”. Consiga elementos de astronomia: um telescópio, mapas estelares e imagens de planetários, da Terra, do Sol, da Lua, das estrelas, das galáxias e também imagens da Segunda Vinda de Jesus. Aplicação: Cartões com perguntas sobre a leitura bíblica. Cartão de Desafios Nº 7. Tema 8 Folheto ilustrativo da Semana Santa e a figurinha de Jesus no céu. Representação: Personagens – O discípulo João (idoso). Oficina de Trabalhos Manuais: Fotocópias com a imagem para armar uma caixa pequena, lápis e giz de cera de diversas cores, brilhantina, pedrinhas de diversas cores, lantejoulas, cola. Decoração do Tour: Imagens de ruas e muralhas da Jerusalém terreal e da Cidade Santa no Céu. (Ver o Power Point) Cartão de Desafios Nº 8.

11


Tema 1

O Povo de Jerusalém dá as Boas-Vindas a Jesus

Versículo para memorizar: “‘Hosana ao Filho de Davi!’ ‘Bendito é o que vem em nome do Senhor!’ ‘Hosana nas alturas!’” (Mateus 21:9). Pensamento especial: Louvarei a Deus e dar-Lhe-ei graças por Seu amor e bondade. Referência Bíblica: Mateus 21:1-11 Boas-vindas Boa tarde! É motivo de alegria poderemos estar neste lugar. A cada dia desta semana teremos a oportunidade de juntos compartilharmos das atividades, dos cantos, das histórias e muito mais... Porém, sem medo de estar errado, creio que o ponto mais emocionante de nossas reuniões será saber que aqui iremos nos encontrar com Jesus e poderemos conhecer mais a respeito de Seu grande amor e tudo o que Ele fez e continuará fazendo por todos nós individualmente. Cantos e Oração

12


Introdução - Apresentador Esta é uma semana muito importante para os “amigos de Jesus” e ficaremos bastante felizes de compartilhá-la com vocês. Durante estes dias, queremos convidá-los a lembrarem-se dos últimos momentos da vida de Jesus, dos lugares por onde Ele andou e também a aprenderem os cantos muito parecidos com aqueles que possivelmente as pessoas cantavam naquela época. (Ensinar o canto: Aleluia). Seria maravilhoso poder viajar até esses lugares distantes... visitar Jerusalém, conhecer os lugares por onde Jesus caminhou, pregou, ensinou, morreu, ressuscitou e ascendeu ao céu. Vocês gostariam? Eu sei que sim. Vocês estão preparados para fazer esta viagem imaginária?... Então, vamos a Jerusalém! Visto que ela fica muito longe daqui, creio que deveríamos ir de avião. Portanto, tomem seus assentos, ajustem os cintos de segurança... e soltem a imaginação... (Manter a sala escura, somente projetando a imagem interna de um avião, junto com a gravação do som das turbinas.) Façamos juntos a contagem regressiva: dez, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, três, dois, um... Decolamos! Chegamos! Nossa viagem foi muito boa. Por favor, prestemos atenção a todas as instruções dadas. Agora vamos sair do avião, passar pela imigração, pegarmos nossas malas e desfrutarmos do passeio por Jerusalém... Vejam, estão nos esperando! (Preparar um escritório turístico; prover um guia para acompanhar os turistas em seu passeio. Ele pode estar vestido com roupas dos tempos bíblicos. Ele deve estar segurando um cartaz com os dizeres: “Viajantes de _______________” colocar o nome do lugar do grupo, como por exemplo, “Viajantes de São Paulo, Brasil”).

13


Apresentação do Tema - Guia Turístico Shalom! É meu desejo de paz aos nossos viajantes. Bemvindos a Jerusalém! Nós estávamos esperando por vocês. Já preparamos tudo para que visitem a cidade e vivenciem a história maravilhosa que ela tem para contar. Vou entregarlhes um folder com os lugares que conheceremos durante esta semana... (Entregar o folder turístico, com o mapa dos lugares que serão visitados, a cada dia.) Nele vocês poderão colar as figurinhas dos lugares que visitaremos e registrar alguma lembrança especial. Porém, há algo mais... Todos os dias abriremos o Livro dos Tesouros (Prepare um cofre com as Bíblias para a leitura diária) que nos ajudará a descobrir as lindas histórias que aconteceram neste lugar. Portanto, crianças, preparem-se para desfrutar de uma semana muito especial. (Coloque um turbante, manto ou faixa na cabeça de cada criança, conforme a indumentária antiga). Todos prontos? Então iniciemos nosso tour para conhecermos Jerusalém. (Decore um canto da sala com um friso ou fundo da cidade antiga ou simplesmente projete imagens de Jerusalém. Ver Power Point). Jerusalém é a cidade principal de Israel. Ela está situada em uma região de colinas e vales entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Morto, aproximadamente 93 km a leste de Tel Aviv-Yafo, na fronteira entre a Cisjordânia e Israel. É a Cidade Santa para as três principais religiões do mundo: o cristianismo, o judaísmo e o islamismo. Mostrar o mapa para situar as crianças geograficamente. Jerusalém, na época de Jesus, era o centro da província da Judéia. Calcula-se que tinha cerca de 30.000 habitantes. Na época da Páscoa, acredita-se que era visitada por mais de 200.000 pessoas. A cidade estava localizada sobre uma montanha. A paisagem que a rodeava era argilosa e pedregosa e de pouca vegetação. As árvores que ali predominavam eram oliveiras, palmeiras, figueiras, pinheiros. A cidade era rodeada por uma muralha com várias portas. As mais famosas são: (mostrar Power Point). 14


1. A porta de Yafo: a entrada principal de Jerusalém. 2. Porta de Dung: situada na frente da aldeia de Siloé, onde se encontra o maior e único reservatório de água da região. A escassez de água era e ainda é um grave problema. 3. Porta Dourada: é a que fica mais perto do templo. 4. Porta dos Leões: tem esse nome devido à escultura de dois leões à entrada (que se parecem mais a leopardos). 5. Porta de Sião: era uma porta secundária. 6. Porta de Herodes: conduz à casa que pertenceu a Herodes Antipas. Hoje ela é conhecida como a Porta das Ovelhas porque há um mercado semanal de venda e compra de ovelhas. 7. Porta de Damasco. Essas portas serviam para proteger a cidade. Durante a noite elas permaneciam fechadas. As casas de Jerusalém eram feitas de pedras – material local que havia em grande quantidade. O telhado era revestido de madeira. Normalmente, se a família fosse de classe média, havia dois ou três andares. Em Jerusalém, o mais importante era o Templo. Este era o centro religioso do país. Muitos peregrinos vinham de todas as partes para celebrar seus sacrifícios, especialmente na Páscoa. O Templo tinha sua própria moeda. As pessoas pagavam impostos para utilizá-lo; eram 2 ciclos, cujo câmbio era determinado pelos próprios dirigentes. O Templo estava localizado no “Monte do Templo”. Suas paredes eram brancas e de ouro. As colunas de fumaça dos sacrifícios podiam ser vistas de todos os pontos da cidade. Para os sacrifícios diários eram usados: lenha de figueira, de nogueira e de pinheiro. Quando Jesus chegou a Jerusalém, vindo do Monte das Oliveiras, passou pelo Vale da Torrente de Cedrom. A vista era magnífica. De frente, se via o enorme bloco do Templo; ao norte, a Torre de Antonia, onde se encontrava a guarnição romana que vigiava a cidade. Ao sul, o Palácio de Herodes, defendido

15


por três torres inexpugnáveis. Ao redor da muralha que protege a cidade, palácios deslumbrantes no Monte Sião e casas de pedras amontoadas umas às outras e vielas estreitas também de pedra. O Templo dominava toda a cidade com suas grandes muralhas, portas monumentais, torres e enormes áreas planas e coberturas de prata e de mármore. Jesus entrou na cidade, montado no jumentinho, pela Porta Dourada, a mais próxima do templo e atravessou a rua de Herodes, cheia de vendedores e de gente. Na história que recordaremos hoje, as palmeiras ocupam um lugar de destaque – por isso iremos até a Oficina de Trabalhos Manuais e faremos uma folha de palmeira para levar em nosso primeiro passeio pela cidade. Oficina de Trabalhos Manuais – Palmeira (No extremo oposto da sala, colocar um cartaz: “Oficina de Trabalhos Manuais”, e ver que os materiais estejam à disposição das crianças. Solicite a colaboração de 2 ou 3 ajudantes que estarão usando os trajes dos dias de Jesus.) Artesão Bem-vindos à nossa oficina! Vocês são as crianças que vieram de ( ). Nosso guia nos informou que uma das árvores que predominavam em Jerusalém eram as palmeiras. Desde os tempos antigos, essa árvore foi muito importante para os povos como um símbolo de vitória. Alguns cunharam sua imagem em moedas, monumentos e até nas medalhas, retratando a conquista de alguma cidade. Os gregos e os romanos a utilizavam como decoração das celebrações triunfais. Era também costume outorgar uma palma aos atletas e corredores de carruagens que eram vitoriosos. As folhas de palmeira também foram usadas desde os tempos mais remotos na celebração da festa judaica dos taber-

16


náculos ou das cabanas, que recordava a saída do Egito (êxodo) e sua peregrinação pelo deserto. Os judeus tinham que viver em cabanas feitas de ramos de árvores e de palmeiras durante os sete dias da duração da festa. Os hebreus antigos chamavam a palmeira tamareira da “árvore da vida”, devido à proteína contida em seus frutos carnosos e pela sombra de seus ramos grandes e frondosos. Embora hoje a palmeira não seja muito comum em Jerusalém, era-o nos dias de Jesus. Elas cresciam no Monte das Oliveiras e no caminho de Betânia a Jerusalém, caminho percorrido por Jesus em Sua entrada triunfal na cidade. Para lembrarmos essa história, será um prazer lhes ensinar como fazer uma palmeira. Prestem atenção. Materiais: Folha de jornal, papel crepe ou papel de seda. Fita adesiva. Tesoura. Tinta verde ou aerossol para pintar.

17


Instruções: 1. As crianças deverão enrolar 3 ou 4 folhas de papel. Prender uma ponta com fita adesiva. 2. Mostre às crianças como fazer 4 cortes de 15 cm, aproximadamente, na direção do comprimento, na outra extremidade do rolo. 3. As crianças devem puxar, de dentro para fora e com cuidado, as folhas de papel. 4. Caso deseje pintar as palmeiras com tinta aerossol, corte um lado de uma caixa grande, coloque dentro a palmeira e vaporize a tinta. Outra opção: Ofereça tinta verde às crianças. Guia Turístico Com nossas palmas iremos à Porta Dourada. Caminharemos porque não fica muito longe daqui. (Faça uma caminhada pela sala.). Já chegamos! Esta é a famosa Porta Dourada (a porta pode fazer parte da decoração geral da sala). Como vocês podem ver ela é muito grande e imponente. Foi por ela que Jesus entrou na cidade montado em um jumentinho. Em nossos dias essa porta está fechada, por isso não poderemos passar por ela. Por essa porta se chegava à rua de Herodes. Era a rua principal onde havia um mercado externo. De ambos os lados da rua havia pessoas vendendo diferentes tipos de artigos: cereais, frutas, legumes, azeitonas, sal, cevada, suco de uva, figos, mel, tâmaras, perfumes, etc. Estou ouvindo vozes! Em silêncio, vamos nos aproximar porque haverá uma encenação do que pode ter acontecido nessa rua nos dias de Jesus. Encenação (Uma criança conta a seu pai a história da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém.)

18


Filho: Papai venha correndo até o caminho para Betânia. Há muita gente vindo para cá e parece que todos estão muito felizes. Pai: Talvez estejam celebrando um casamento. Filho: Não, não é um casamento. Havia pessoas correndo de todas as direções quando me aproximei e perguntei o que estava acontecendo. Pai: E o que elas disseram? Filho: Elas me disseram que Jesus, o grande Mestre da Galiléia, estava vindo para Jerusalém para ser coroado rei. Ele estava montado em um jumento, assim como diz o profeta Zacarias. Pai: Não pode ser verdade! Filho: Mas é verdade, papai. Eu e outras crianças nos juntamos ao grupo. (Dirigindo-se ao grupo de crianças expectadoras) – Venham crianças por este caminho e tragam suas palmeiras e repitam comigo: “Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas altura!” E cortamos folhas das palmeiras pelo caminho e as colocamos como um tapete para que o Rei passasse por cima delas. Vou lhes ensinar um hino muito bonito, chamado “Rei dos Reis” (Ver: Escola Cristã de Férias) e enquanto cantamos esse hino, façamos um tapete com nossas palmeira e louvemos a nosso Rei Jesus. Guia Turístico A história que acabamos de ver está registrada na Bíblia e nos fala como é bom louvar a Deus. Abramos o Livro dos Tesouros (tire as Bíblias do cofre), em Mateus 21:1-11. Todos juntos, leiamos a história que acabamos de ver. (Lembre-se de que este momento é o mais importante. As crianças têm de saber que a Bíblia

19


é a Palavra de Deus e que podemos conhecer a Jesus e ao Seu plano de salvação. Por isso, dedique tempo para fazer com que as crianças leiam, embora sejam lentas na leitura; elas necessitam experimentar a e ter prazer pela leitura da Bíblia. Elas podem formar grupinhos e ler um verso cada uma.) Mapa As crianças deverão colar a figurinha da Entrada Triunfal. Trabalhem nas atividades correspondentes ao 1º dia do Tríptico. Para Refletir 1. Que tipo de rei os discípulos e o povo esperavam que Jesus fosse? 2. Em que Ele era diferente? 3. Como as pessoas adoraram a Jesus? 4. Em sua opinião, por que as pessoas usaram as folhas de palmeira para louvar a Jesus? Aplicação Jesus entrou em Jerusalém por essa rua, montado em um jumentinho como era costume de um futuro rei. Naquela época, os reis cavalgavam com seus soldados, mostrando suas armas e suas bandeiras, e desta forma infundiam medo em seus súditos. Porém, Jesus, o Rei dos reis, entrou na cidade com Seus seguidores, que estavam unidos a Ele pelos laços do amor. Muitos haviam sentido o toque bondoso de Suas mãos; seguiamnO também os cegos que haviam recuperado a visão; aqueles que agora podiam caminhar, ouvir e que estavam sãos porque tinham sido protagonistas de Seus milagres. O povo O seguia e louvava porque Ele era o Rei de amor e porque estavam agradecidos.

20


Crianças, nós também podemos adorar ao nosso Rei. Como vocês acham que podemos fazer isso? (Permitir respostas e comentá-las) Orando, estudando Sua Palavra, falando aos outros de Sua verdade, etc. Podemos adorar a Deus em qualquer momento, elevando nossos pensamentos a Ele. Também através de nossos cantos de louvor, nossos rostos felizes e nossas ações bondosas. Por que adorar a Deus inclui tudo o que fazemos... Se eu ajudo minha família, meus colegas, se penso nas necessidades dos outros, em vez de pensar apenas no que eu necessito. Vocês conseguem se lembrar de uma ocasião em que adoraram a Deus com suas ações e palavras? (Permita respostas.) Quem gostaria de contar aos outros a história de hoje? Quando voltarmos para casa, mostremos nossas palmeiras e contemos à nossa família e aos nossos amigos esta história. Coloquem a folha de palmeira onde vocês possam vê-la. Isso irá ajudá-los a tomarem boas decisões que louvem a Deus a cada dia. Compartilhando - Desafios Diários Nº. 1 Uma das lembranças de nossa viagem por Jerusalém tem que ver com a proposta de três desafios diários que levaremos para nossa casa. (Tirar cópia e entregar a cada criança “Desafios Diários – Nº 1” ) Canto Final, Oração e Encerramento

21


O POVO DE BELÉM DÁ AS BOAS VINDAS AO SALVADOR

DESAFIOS - DIA 1

Eu Louvo a Jesus e dou-Lhe graças por Seu amor. (Fazer um X no quadrado ao cumprir o desafio) Irei ler novamente a história bíblica que aprendi hoje. Vou contá-la a outra criança ou familiar.

Vou abraçar meus pais e agradecer-lhes o que fazem por mim.

Direi somente palavras boas e não falarei nada mau que ofenda às outras pessoas.


Tema 2

Jesus Participa da Páscoa com os Discípulos

Versículo para memorizar: “Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como Eu vos amei, vocês devem amar-se uns aos outros” (João 13:34). Pensamento especial: Jesus mostrou o amor de Deus. Referência Bíblica: João 13:1-17; Marcos 14:12-26 Boas-vindas – Introdução - Apresentador Repasse o realizado no dia anterior em benefício das crianças que estiverem vindo hoje pela primeira vez. Destaque a ideia de que vocês estão fazendo um passeio por Jerusalém, onde passarão toda a semana aprendendo a respeito dos últimos momentos da vida de Jesus, Sua morte, ressurreição, ascensão e Sua volta em glória e majestade. Repasse as músicas “Aleluia” e “Rei dos Reis” e ore em seguida. Chegou o momento de nos encontrarmos com nosso amigo Guia Turístico, para iniciar as atividades de hoje. (Lembre-se de colocar os mantos ou faixas na cabeça de cada criança.) 23


Apresentação do Tema – Guia Turístico Chame as crianças que vieram de ( ) para iniciarem as atividades do dia de hoje. Olá, todos! Estou feliz por vê-los novamente. Hoje será um dia muito especial. Nossa cidade está se preparando para celebrar a Festa da Páscoa e assim teremos muitas atividades e preparativos por todas as partes. Gostaria de dizer-lhes que esta festa tinha por objetivo recordar o livramento do povo de Israel da escravidão no Egito (Êxodo 12), mas também assinalava Cristo como “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:9). A ceia da páscoa consistia de uma cerimônia que incluía cantos; o relato da história do êxodo (que os pais contavam aos seus filhos), de orações e comida especial: pão sem fermento, ervas amargas, cordeiro e suco de uva. Hoje percorreremos um dos bairros mais antigos da cidade onde poderemos observar diferentes tipos de casas que existiam nos dias de Jesus. Iremos caminhando porque esse era o meio de locomoção mais usado naquela época. As sandálias eram o calçado mais comum, que consistiam de uma sola de madeira ou de couro, presos aos pés por tiras de couro. (Caminhem pela sala ou pelo pátio ou por outra sala, enquanto você segue contando e mostrando o Power Point das diferentes construções daquela época.) Vemos aqui uma casa com um ambiente, construída com tijolos de barro cozido. Seu piso era de terra batida e tinha um teto plano com paus e caniços ou ramos que eram rebocados com barro. Normalmente, havia uma escada que levava ao teto, onde a família podia dormir no verão. De forma geral, essas casas tinham uma abertura que dava para um pátio e, frequentemente, várias casas eram construídas juntas, comunicadas de tal forma que constituíam uma unidade com um pátio comum no centro. Quando o tempo estava bom, muitas atividades domésticas eram realizadas nesse lugar. Esses tipos de edificações, com frequência, eram prejudicados – e até podiam ser totalmente destruídos pelas chuvas e inundações.

24


Porém, aqueles que tinham melhores condições financeiras, construíam casas mais sólidas e confortáveis, de pedras cortadas em ângulo reto. Geralmente as habitações rodeavam um pátio central onde eram plantadas árvores, arbustos ou flores e, com freqüência, era cavada uma cisterna para armazenar a água da chuva. (Mostrar Power Point.) O quarto ou aposento superior era, de fato, uma ala indispensável. Ele provia um lugar fresco no verão, e se havia algum hóspede importante seria ali hospedado. Jesus enviou dois de Seus discípulos para conseguir um lugar como esse para participar da Páscoa (Marcos 14:15). Em comparação com o que conhecemos hoje, o mobiliário era simples, mesmo nos lares dos mais abastados. O usual era que as pessoas se sentassem sobre esteiras no piso e, geralmente, nas casas havia apenas um ou dois baús, uma cama que era aberta sobre o piso e algumas mesinhas. A iluminação noturna consistia de lamparinas de azeite feita de argila. O fogo era de lenha ou de carvão de lenha, em um fogão sobre o piso de terra, nas casas mais pobres, ou em um braseiro nas casas dos mais endinheirados. Continuando nosso passeio, seguiremos até um dos mercados da cidade. Este mercado era um dos lugares mais populares. As pessoas gostavam de ir ali para se encontrar com os amigos. Era também o lugar onde ocorriam discussões sobre diversos temas. As crianças amavam ir ao mercado porque ali podiam brincar, enquanto observavam o que acontecia ao redor. Esses lugares eram muito ruidosos. Pessoas fazendo negócios, sons de animais, de martelos, de cinzéis, com diferentes odores de alimentos. Em Jerusalém havia diferentes tipos de mercados onde eram vendidos produtos variados: Mercado de gado: aí eram vendidos principalmente ovelhas, pombos e vacas. Esses animais eram destinados ao uso doméstico e também aos sacrifícios no templo. Os animais para os sacrifícios tinham que ter características especiais. Deveriam ter menos de um ano e nenhum defeito. Mercado de escravos: ali eram vendidos homens e mulheres como escravos.

25


Mercado de diversos: nesse local eram vendidos madeira, lã, pele, azeitonas, objetos artesanais de olaria, perfumes, cereais, frutas, legumes, trigo, cevada, sal, vinho, figos, uvas, tâmaras, mel, etc. O mercado que visitaremos hoje é o marcado onde são vendidos diversos itens. Iremos a uma padaria da época onde aprenderemos a fazer o pão que devia ser comido na Páscoa. Oficina de Trabalhos Manuais - Padaria Ambientação: em um canto da sala ou em uma sala contígua, arme a frente de uma barraca antiga com um letreiro de identificação. Providencie uma mesa grande coberta com toalha de plástico para que as crianças fiquem ao redor; ter farinha, água, assadeiras e forno para assar (opcional). O padeiro dará as boas-vindas ao grupo e lhes dirá como fazer o pão. Deve ser uma pessoa entusiasta que torne a atividade interessante. Essa atividade pode ser realizada de várias maneiras: 1. Apenas misturar os ingredientes e permitir que as crianças lidem com a massa e depois a coloquem em um saco plástico e a levem para assar em casa. 2. Preparar com antecedência a massa. Permitir que cada criança modele com suas mãos um pãozinho com ½ cm de espessura, colocá-lo em uma assadeira e no forno e assá-lo por 10 a 12 minutos, na temperatura alta. (Eles comerão o pão durante a aplicação bíblica.) PADEIRO Bem-vindas à minha padaria! Desde os tempos antigos, o pão tem servido para diferentes propósitos. Como um alimento básico, tornou-se conhecido como o “ingrediente da vida”. A palavra hebraica lebem que significa pão, é frequentemente traduzida como “alimento”.

26


Geralmente, uma pessoa consumia 3 porções de pão por dia (Lucas 11:5-6). Fazer pão era o negócio principal nos tempos antigos e as pessoas, geralmente, faziam pão de farinha de trigo, de cevada ou de milho. Ele podia ser assado de três maneiras. O método mais simples era acender o fogo sobre uma pedra grande e chata, coberta com cinzas. Quando viravam o pão, removiam as cinzas. O outro método consistia em assar o pão sobre uma prancha de ferro ou de argila. O método mais popular era usar um forno que se assemelhava a uma vasilha de argila no formato côncavo. No fundo eram postas pedras que eram aquecidas pelo fogo que queimava durante toda a noite. No outro dia, tiravam as cinzas e assavam o pão sobre as pedras quentes no fundo do forno. (Em seguida, o padeiro convida as crianças a fazerem o pão, apresentando os ingredientes e explicando o procedimento.) Receita do Pão Ingredientes 1 colher de sopa de açúcar,1½ xícara de água, 2 colherinhas de sal, 3½ xícaras de farinha. Modo de Preparar Coloque todos os ingredientes secos em um recipiente. Acrescente a água, misturando até que a massa fique homogênea. Depois, amasse sobre uma superfície ligeiramente enfarinhada. Corte a massa em pedaços pequenos e entregue um pedaço a cada criança para que modele seu pãozinho com ½ cm de espessura. Coloque sobre as pranchas ligeiramente untadas. Leve ao forno por 7 a 10 minutos.

27


Guia Turístico Enquanto o pão assa, vamos ver o que está ocorrendo na rua. Encenação (Pedro e João caminham pela rua carregando um saco nos ombros e segurando as alças de cada lado de uma cesta cheia de objetos. Como estão caminhando com a cabeça baixa, não percebem e se chocam contra um soldado romano. A cesta cai no chão e também todo seu conteúdo.) Soldado: Por que vocês não olham por onde andam, seus tontos? Onde vocês estão indo? (tira a espada). Eu poderia prendê-los por atropelarem um soldado romano (ele segue repreendendo os discípulos e fazendo ameaças de prendê-los por sua falta de respeito). O soldado faz insinuações dizendo que as coisas que eles estão carregando parecem ser roubadas. (Irado, o soldado os repreende novamente) “Sejam mais cuidadosos. Da próxima vez poderão ser presos!” João: Sim, senhor! Nenhum problema. Seremos mais cuidadosos! Pedro: (falando com João) Cale a boca, João, você quer ter mais problemas? Não vê que este é um soldado romano? (Enquanto conversam, Pedro e João recolhem seus pertences, sacodem o pó e os colocam novamente na cesta.) Rubén: (um seguidor de Jesus) – Pedro, João, vocês estão bem? Aconteceu alguma coisa? Vocês precisam de ajuda? João: Não, obrigado. O que aconteceu foi que não vi o soldado e esbarrei nele. Eu estava distraído pensando no que Jesus fez na noite passada. Essa Páscoa foi muito diferente. Eu diria muito estranha em todos os sentidos. Rubén: Vocês estavam com Jesus? João: Sim, estivemos com Jesus celebrando a Páscoa. Foi muito estranho ver o próprio Jesus lavando nossos pés. Nós é que deveríamos ter lavado os pés dEle. Ficamos constrangidos ao vê-Lo ajoelhado, realizando o trabalho de um servo. Mas Jesus disse para Pedro que se ele recusasse ter os pés lavados, não teria parte com Ele.

28


Pedro: É verdade! E depois disse que não voltaria a comer a páscoa até que fosse realizada no reino de Deus. Ele disse que o pão representa Seu corpo que seria partido. E que o suco de uva representava Seu sangue derramado por nós. Não consigo entender porque Ele disse isso! Rubén: Também não entendi. Mas estou certo de que deve ser algo muito importante para todos nós. Ah, quase me ia esquecendo de contar que ouvi dizer que os fariseus estão muito zangados com Jesus e creio que estão planejando causarLhe algum dano. João: (Continua ajeitando suas coisas na cesta.) Bem, acredito que será melhor irmos encontrar os demais. Ouvi Tiago dizer que iriam ao Jardim do Getsêmani. Rubén: Ao Jardim das Oliveiras? João: Sim, Jesus queria ir até lá para orar. Ele parecia estar preocupado. Pedro: Está bem, espere aqui até que deixemos todas estas coisas na casa da Susana, em seguida iremos para nos encontrarmos com Jesus e com os demais discípulos. Rubén: Espero que tudo corra bem e transmitam minhas saudações a Jesus. (Saem.) Guia Turístico Tenho muita curiosidade de saber a que Páscoa eles se referiam. Sem dúvida, em nosso cofre iremos encontrar mais informações. Vocês gostariam de pesquisar comigo? (Abrir o cofre, e distribuir as Bíblias.) Vamos abri nosso Livro dos Tesouros para descobrir o que ele nos diz a respeito desta história. Hoje iremos ler em nossa Bíblia o Evangelho de São João 13:1-17, 34, e o Evangelho de Marcos 14:12-26. Faremos a leitura da seguinte forma: forme grupos com quatro pessoas e cada um deve ler um verso. Qual era o sentimento de Jesus quanto a Seus discípulos? (João 13:1). Quem participou com Jesus da ceia? Havia algum servo presente? Que significado Jesus deu ao suco da uva e ao

29


pão sem fermento? (Estas se destinam à meditação na leitura que as crianças fizeram, permitindo-lhes participar. Enfatize João 13:1 e 34.) Mapa As crianças deverão colar a figurinha da Santa Ceia. Trabalhem nas atividades correspondentes ao 2º dia do Tríptico. Aplicação O ato de Jesus de lavar os pés de Seus discípulos é muito significativo porque nenhum deles estava disposto a se inclinar diante do outro para fazer esta tarefa degradante. Era costume que antes de iniciarem alguma festa, um servo lavasse os pés dos hóspedes. Esse trabalho era considerado muito vergonhoso. Nessa ocasião não havia servo porque era uma reunião particular. A água, a bacia e a toalha estavam ali e os discípulos estavam bem conscientes de que nenhum deles havia lavado os pés. Mas ninguém ali queria tomar a iniciativa. Em seu egoísmo, cada um deles esperava que o outro realizasse essa tarefa humilde. Ninguém se mexia. Jesus aguardava em silêncio. Finalmente a comida foi servida e sem dizer qualquer palavra, Jesus Se levantou e pegou a toalha. Então derramou água na bacia e começou a lavar os pés dos discípulos. Para Refletir 1. Por que vocês imaginam que essa tarefa era desagradável a que o “servo” devia realizar? 2. Quando Jesus atuou como servo, isso queria dizer que Ele era menos importante que os demais ali presentes? 3. Se vocês tivessem estado lá, como teriam reagido? Por meio dessas ações e palavras, Jesus nos ordena a servirmos uns aos outros como Ele serviu Seus discípulos porque nos amava. A cerimônia do lava-pés ajuda os cristãos a pensarem em três coisas: 1. Jesus remove o pecado.

30


2. Os cristãos estão dispostos a se ocuparem no serviço do Mestre, sem se importarem o quão humilde seja esse serviço. 3. O espírito de companheirismo e de humildade prepara melhor as pessoas para a Ceia do Senhor. A festa da Páscoa prosseguiu depois do lava-pés. Sobre a mesa, diante de Jesus, estavam o pão sem fermento e o vinho da Páscoa (providencie os pãezinhos feitos pelas crianças e deixe-os cobertos). Jesus tomou o pão, abençoou-o, partiu e o deu a Seus discípulos (reparta os pãezinhos). Jesus explicou que aquele pão, desse momento em diante, deveria representar Seu corpo que seria ferido pelo chicote; suas mãos e seus pés seriam transpassados pelos pregos e Sua cabeça seria ferida pela coroa de espinhos. “Comam todos, este é Meu corpo” Jesus disse. Marcos 14:22. (Peça a todos para comerem.) Depois, pegou a taça com o suco de uva (pegar uma taça com suco de uva) e disse que daquele momento em diante esse suco iria representar Seu sangue que seria derramado na cruz para purificar os pecados de todas as pessoas, no mundo inteiro. Assim, cada um dos discípulos tomou o suco daquela taça. (Marcos 14:23). (Esclarecimento: se as crianças comerem o pão, não lhes dê o suco de uva, a fim de que NÃO seja confundido com a cerimônia de Santa Ceia.) Depois eles cantaram um hino e saíram para o Jardim do Getsêmani. Como podemos ser bondosos e amáveis como Jesus? Como podemos louvar a Jesus por nos mostrar Seu amor? Compartilhando - Desafios Diários Nº 2 Distribua o material contendo os três desafios diários para que as crianças o levem para casa e cumpram as tarefas. Explique no que consiste cada um deles e anime-as a pô-los em prática. (Tirar cópia e entregar a cada criança “Desafios Diários – Nº 2” ) Canto Final, Oração e Encerramento

31


JESUS COMPARTILHA A PÁSCOA COM SEUS DISCÍPULOS

DESAFIOS - DIA 2

Serei bondoso e amável como Jesus. (Fazer um X no quadrado ao cumprir o desafio) Irei ler novamente a história bíblica que aprendi hoje. Vou contá-la a outra criança ou familiar.

Ajudarei a mamãe nas tarefas de casa.

Compartilharei meus brinquedos e jogos com os amigos.


Tema 3

Jesus Ora no Jardim

Versículo para memorizar: “Vigiem e orem para que não caiam em tentação” (Mateus 26:41). Pensamento especial: Jesus escuta como Lhe falo através da oração. Referência Bíblica: Mateus 26:36-56. Boas-vindas – Introdução - Apresentador: Que bom podermos seguir com nosso tour! Hoje iremos conhecer mais a respeito da cidade de Jerusalém. Iremos a um lugar muito importante. Por que será que é importante? Logo mais iremos descobrir. Que tal repassarmos os lugares que conhecemos nos últimos dois dias? (Converse com as crianças.) (Lembre-se de colocar os mantos ou faixas na cabeça de cada criança. Dialogue com elas, repassem os cantos aprendidos e ore). Agora vamos nos encontrar com nosso Guia Turístico para descobrir porque é tão importante o lugar que visitaremos hoje.

33


Apresentação do Tema - Guia Turístico Olá, amigos! Estou feliz por vê-los novamente. Hoje a nossa programação será muito especial. O lugar que iremos conhecer é o Jardim do Getsêmani. Vocês já ouviram antes esse nome? (Permita que as crianças respondam.) A Bíblia nos diz que Jesus visitava esse lugar com frequência para descansar, meditar e orar, ou seja, conversar com Seu Pai celestial. Não se sabe ao certo o lugar do jardim nos templos bíblicos. Mas é provável que esse lugar tranquilo estivesse localizado em algum ponto da ladeira do Monte das Oliveiras, cruzando o vale de Cédron, em frente ao templo e a dez minutos de caminhada da cidade. Vocês estão dispostos a fazer essa breve caminhada e conhecer esse lindo lugar? Então vamos! Não fiquem para trás e não se separem do grupo para não se perderem. (Inicie a caminhada, se possível fora da sala, e passem por algum pátio ou jardim.) Enquanto seguimos caminhando, quero dizer-lhes que Getsêmani significa “prensa de azeite” e talvez tenha recebido esse nome porque nesse local certamente havia uma prensa. Se vocês observarem à direita, verão que há árvores grandes e muito velhas – elas são as oliveiras que na época de Jesus cobriam quase toda a encosta do monte – por isso o monte recebeu esse nome. Vocês sabem qual é o fruto da oliveira? Exatamente, é a árvore que nos dá as azeitonas, das quais se extrai o azeite de oliva. Algumas pessoas acreditam que esse jardim talvez tenha pertencido a um dos discípulos ou a algum amigo de Cristo, visto que Jesus o usava frequentemente como Seu lugar favorito de retiro. Os judeus gostavam de jardins, mas somente as pessoas mais ricas é que podiam possuir um. Havia pátios semeados dentro da cidade ou jardins fora de suas muralhas onde as pessoas podiam passear e respirar o ar fresco da tarde. Certo dia, Jesus foi ao Jardim do Getsêmani à noite.

34


Sentia a necessidade de abrir o coração, porque tinha que tomar uma decisão muito difícil. Vocês querem saber o que aconteceu naquela noite? Ouçam com atenção. Encenação Tiago – (Entra correndo e muito agitado procurando por Ana) Onde será que Ana está? Preciso encontrá-la agora! É urgente! (Busca com os olhos entre as crianças.) Ana – Tiago, o que acontece? Por que você está tão agitado? (Olha ao redor) E onde estão os outros... Pedro e João? Tiago – (Ofegante e agitado) Tentei detê-los, mas não consegui. Eles seguiram em frente! Ana – Para onde foram? Tiago pare e respire fundo!... Então me diga o que está acontecendo. Tiago – Não há tempo! Estávamos no Jardim das Oliveiras – no Getsêmani. Jesus estava orando – e parecia muito triste. Ele orou por bastante tempo. Eu deveria estar também orando, mas acabei adormecendo. Quando acordei, vi os soldados do templo por toda parte e Judas estava com eles. Ana – Os soldados do templo prenderam Judas? Tiago – Não! Judas estava guiando os soldados. Ele os levou até Jesus e então eles... Eles prenderam Jesus! Ana – Não pode ser! Mais por quê? Tiago – Eu não sei. Os fariseus sempre estavam buscando uma

35


forma de acusar Jesus por algo – sempre estavam conspirando contra Ele! Ana – E agora, o que será que aconteceu com Jesus? Será que podemos vê-Lo? Tiago – Não sei. Devemos sair e encontrar a mãe de Jesus para avisá-la. Quem sabe eles permitirão que ela O veja no templo. Ana – Mas por que prenderam Jesus? Ele ama as pessoas. O que será que irão fazer com Ele? Tiago – (meneia a cabeça com incredulidade sobre o que está acontecendo) Jesus estava orando na hora em que O prenderam. Ele parecia muito triste. Ana – Vamos embora. Vamos ver o que poderemos fazer. (Saem.) Guia Turístico Iremos agora pegar nosso Livro dos Tesouros para saber o que aconteceu com Jesus. O que vocês acham, será que encontraram Jesus? Leiamos a história em Mateus 26:36-56. (Ler também Lucas 22:43, 44 para obter mais detalhes do que ocorreu.) Vamos ler da seguinte forma: as meninas lêem em coro um verso e os meninos o verso seguinte, alternando até terminar. O Guia inicia e depois as crianças seguem alternando entre meninas e meninos. Mapa As crianças deverão colar a figurinha da Jesus orando no Jardim do Getsemani. Trabalhem nas atividades correspondentes ao 3º dia do Tríptico.

36


Para Refletir (Faça as perguntas, à medida que as crianças forem lendo, a fim de que compreendam e analisem a história.) 1. Como será que Jesus estava Se sentindo? 2. O que Jesus foi fazer no Getsêmani? 3. O que Ele pediu a Seus discípulos e que fizeram os discípulos? 4. Depois de Jesus haver orado por três vezes, como Se sentiu? 5. E por último, quem chegou depois? Os discípulos O deixaram quando Ele mais precisava da companhia de Seus amigos, mas não podemos imaginar o poder e a paz que Jesus recebeu durante o tempo em que estivera orando. Deus o fortaleceu para tomar a decisão final: “Não seja feita a Minha vontade, mas a Tua” (Lucas 22:42). Estava disposto a salvar o ser humano sem importar o custo. Havia deixado o Céu, onde tudo é felicidade e perfeição para salvar a humanidade, na qual você e eu estamos incluídos. Ele não abandonaria Sua missão, mas suportaria ser preso, maltratado, sofreria a morte e tudo o que isso significava. Fica evidente que Jesus sabia o que teria de passar devido à oração que fez. Ele sabia que Seu traidor, Judas, estava se aproximando com um grupo de soldados. Ele sabia que nas horas seguintes Seus amigos seriam escassos e que teria inúmeros inimigos. Sabia também da dor incrível e insuportável que passaria na cruz. Os discípulos aterrorizados ficaram observando como Jesus estava permitindo que os soldados O prendessem. “Fujamos”, eles gritaram e saíram em disparada; todos O abandonaram. Nossa próxima parada será na Oficina de Trabalhos Manuais e lá teremos uma linda surpresa. Oficina de Atividades Manuais – Artesão Olá, crianças! Que alegria vê-los aqui! Vocês estão preparados para a surpresa de hoje? Vocês sabiam que em Jeru-

37


salém cada pessoa tinha de aprender um ofício? Vocês se lembram qual era o ofício de Jesus? Isso mesmo: carpinteiro! Em Jerusalém havia muitos artesãos que realizavam seus trabalhos e os vendiam no mercado. Havia carpinteiros, fabricantes de tecidos, sapateiros, padeiros e também tecelões. Estes últimos eram artesãos que se dedicavam a fabricar tecidos com fibras vegetais e animais. Entre os egípcios, os tecelões eram homens, mas entre os judeus, essa função, bem como a de costura, era exercida principalmente pelas mulheres. Elas usavam teares de diversos tipos. Havia teares que eram usados de forma vertical e outros na horizontal. Hoje, nós também teremos a possibilidade de tecer tecidos com nossas próprias mãos. Materiais (este tapete pode ser feito de EVA, tela ou cartolina)

 Dois

retângulos do material escolhido, medindo 30 x 22 cm, de cores diferentes.  Cola quente e pistola ou linha e agulha. Como fazer  Dobre um dos retângulos ao meio e marque 2 cm de borda nos três lados. A partir da dobra, faça dez cortes até a borda que foi marcada. (ver figura 1.)

Figura 1

38


 No outro retângulo, corte 7 ou 8 tiras com 2 cm de largura, por 30 cm de comprimento.

 Entrelace essas tiras no primeiro retângulo (ver figura 2).

Figura 2

 Pressione as tiras umas nas outras para que o tecido fique alinhado.

 Quando terminar de tecer, cole ou costure os extremos de cada uma das tiras.  Para finalizar com arte, cole ou costure uma tira sobre as laterais, fazendo o arremate. Aplicação Às vezes, podemos nos sentir como Jesus, sozinhos, angustiados e muito tristes. Talvez seu pai tenha perdido o emprego. Talvez seu pai e sua mãe briguem muito um com o outro; ou seus colegas na escola riem de você. Você sabia que poderá contar tudo isso a Deus por meio da oração? Lembrese: Deus ouve quando você ora e está sempre ao seu lado. Ele irá consolá-lo/a e dar-lhe a força necessária para enfrentar os

39


momentos difíceis que ocorrem em sua vida. Porém, não precisamos falar com Deus apenas nos momentos de tristeza. Jesus nos ouve sempre e quer que conversemos com Ele. Vocês devem estar se perguntando como podemos falar com Deus. Existem muitas formas de oração, como por exemplo, a que é feita em público, em particular, a oração de intercessão, de agradecimento pelos alimentos, etc. (Se o tempo permitir, explique resumidamente em que consiste cada uma delas.) Hoje iremos aprender aqui a respeito da oração particular – a oração que fazemos sozinhos – com tempo e quando podemos contar tudo a Deus, “como a um amigo”, e que somente Ele deve ouvir. Certamente, já aconteceu com você de começar a orar e no minuto seguinte não mais saber o que dizer ou ter tantas coisas para contar a Deus que não sabe por onde começar e então sua mente passa de um lugar para outro, levando-o a se esquecer do que queria dizer. Ou também pode acontecer que enquanto você está orando, sua mente está pensando em outra coisa. O que podemos fazer para evitar que isso aconteça? Hoje, aprenderemos juntos com orar de forma ordenada e simples que será muito mais fácil. Sugerimos que você use a sigla: A.C.A.P.

A.C.A.P. – O que significa cada letra dessa sigla?

A: ADORAÇÃO. Começar a oração adorando a Deus. Adore-O, porque Ele é o nosso Pai; porque nos criou; porque nos salvou por meio de Seu Filho. Também adoremos a Deus por Seu amor, misericórdia, por Sua grandeza e por Seu poder. Podemos buscar louvores no Livro de Salmos. Neles o rei Davi escreveu lindos louvores que nós também podemos empregar para adorar a Deus. Por exemplo: Salmo 95:3; Salmo 46:1 (Ler).

40


C: Confissão. É bom sentir-se perdoado pelas más ações praticadas. O Senhor deseja perdoar-nos, mas nós devemos confessar nossos pecados. O que, por exemplo? (Espere pelas respostas...) Isso mesmo, quando mentimos, desobedecemos, somos maus com nossos amigos, quando não queremos repartir o que temos, dizemos palavras ferinas ou olhamos o que não devemos. Tudo isso deve ser contado a Deus e então pedirmos perdão e rogarLhe que nos ajude a não repeti-las. A: AGRADECIMENTO. Todos os dias recebemos muitas bênçãos. Ajudem-me a lembrá-las... (Espere pelas respostas.) Podemos agradecer por nossos pais, amigos, pelos alimentos, pelo ar que respiramos, por Seu cuidado, etc. Na oração devemos dizer: OBRIGADO, SENHOR por tudo o que nos dás. P: PEDIDO. Todos necessitamos, queremos e sonhamos coisas diferentes. Devemos pedi-las a Deus. Talvez tenhamos dificuldades de entender alguma matéria na escola, ou nosso papai está desempregado, ou a vovó está doente; talvez algum parente não consiga parar de fumar, etc. Este é o momento de pedir a Deus a proteção para a sua vida, para sua família, amigos, conhecidos, igreja, etc. Deus sempre ouve cada oração e cada pedido que Lhe apresentamos. Não se esqueça de pedir que seja feita a vontade de Deus em sua vida e quanto ao que você pediu. Termine a sua oração em nome de Jesus, que é o nosso Intercessor. Repassemos as quatro partes da oração: (Repita com as crianças.) ADORAÇÃO, CONFISSÃO, AGRADECIMENTO E PEDIDO. Isso nos ajudará a falar com Deus de forma ordenada, sem nos esquecermos de nada.

41


Compartilhando Desafios Diários Nº 3 Entregue o material com os três desafios diários para que as crianças levem para casa e cumpram as tarefas. Explique no que consiste cada desafio e anime as crianças a pô-los em prática. (Tirar cópia e entregar a cada criança “Desafios Diários – Nº 3”) Canto Tema - “Jerusalém” Oração Final Encerrar com uma oração proferida por quatro adultos e/ou crianças, diferenciando as quatro partes da oração. (Sugestão: preparar cada letra em um cartaz e entregar a cada pessoa que proferirá a oração. Siga com essa modalidade nos dias seguintes.) Encerramento Convide as crianças para participarem no tema do dia seguinte, fazendo a promoção da atividade com todo o entusiasmo.

42


JESUS ORA NO HORTE

DESAFIOS - DIA 3 Eu posso falar com Deus.

(Fazer um X no quadrado ao cumprir o desafio) Eu me ajoelharei para falar com Deus.

Hoje Ă noite, ao falar com Deus lembrarei o A.C.A.P..

Compartilharei meus brinquedos e jogos com os amigos.


Tema 4

Jesus é Crucificado

Versículo para memorizar: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos” (João 15:13). Pensamento especial: Jesus morreu por meus pecados. Referência Bíblica: Lucas 23:26-55 Boas-vindas – Cantos e Oração - Apresentador: Estamos muito felizes porque vocês estão nos acompanhando durante toda esta semana. Hoje teremos uma programação muito especial para cada um de vocês. Porém, antes de prosseguirmos, gostaria de fazer-lhes uma pergunta: “Como vocês estão cumprindo os “Desafios Diários”? Estão conseguindo cumpri-los? São fáceis? (Permitir respostas.) Quantos puseram em prática o que aprenderam ontem? Muito bem, parabéns! Seguiremos visitando Jerusalém. Vejamos o que nosso Guia tem preparado para nós no dia de hoje.

44


Apresentação do Tema - Guia Turístico Como vocês estão, meus amiguinhos? Espero que estejam apreciando a visita a nossa cidade. A história de hoje é muito triste, mas nos fala do profundo amor de nosso Senhor Jesus e de Seu desejo de que sejamos salvos e felizes. Gostaria de lhes contar a respeito de um lugar muito especial que existia aqui em Jerusalém, do qual somente sobraram ruínas. Refiro-me ao Templo de Jerusalém. (Providencie figuras e, se possível, vídeos do templo. Mostrar Power Point.) O templo era o único lugar destinado ao culto genuíno a Deus, desde os dias de Salomão. A história nos conta que ele foi destruído pelo rei Nabucodonosor e depois foi reconstruído por Herodes. Este Templo, tal como Jesus conheceu, tinha um pátio muito grande, que media 480 x 300 metros ou aproximadamente 5 por 3 quadras. O que hoje é o grande terraço rodeado de pórticos suntuosos com colunas de mármore branco de onze metros de altura e o teto de madeira de cedro. Os pórticos ocidentais, do norte e orientais tinham duas ordens de colunas, enquanto que o pórtico meridional tinha quatro ordens e duas plataformas com colunas superpostas. Dentro do grande pátio exterior, chamado de pátio dos gentios, se encontravam três pátios interiores de dimensões muito menores, o pátio das mulheres, o pátio de Israel ou dos homens e o pátio dos sacerdotes. Tudo isso formava um mundo separado, rodeado por um muro de pedras com 5 metros de espessura. Finalmente, no ano 70 d.C., os romanos o destruíram definitivamente. Todas as tentativas de reconstruí-lo foram fracassadas. A partir do ano 1520, os judeus voltaram a orar diante do muro Ocidental desse templo, conhecido como o Muro das Lamentações (Mostre o Power Point). Mas voltemos aos dias de Jesus. O Templo de Jerusalém era o centro da vida religiosa. Esse era o lugar em que eram re-

45


alizados os sacrifícios de animais e a adoração, seguidos estritamente, de acordo com a Lei de Moisés. Dentro do templo havia um véu que separava o lugar santo e o restante do templo do lugar santíssimo – o lugar terrestre onde era manifestada a presença de Deus. Isso significava que o homem estava separado de Deus por causa do pecado. Apenas o sumo sacerdote tinha permissão de entrar no lugar santíssimo uma vez por ano, colocando-se diante da presença de Deus para fazer expiação pelos pecados do povo, oferecendo o sacrifício de um cordeiro sem mácula. A Bíblia nos diz que exatamente no instante em que Jesus morreu na cruz, o véu do templo se rasgou ao meio, de cima para baixo (Mateus 27:50,51). Qual o significado desse véu rasgado para nós? O fato de que ele se tenha rasgado dramaticamente no momento da morte de Jesus, simboliza que Seu sacrifício, o derramamento de Seu próprio sangue, foi uma expiação suficiente pelos pecados dos seres humanos para todo o sempre. O véu do Templo era um constante memorial de que o pecado separa o homem da presença de Deus. O fato de que a oferta pelo pecado era oferecida anualmente e outros inumeráveis sacrifícios repetidos diariamente, tinham como propósito demonstrar graficamente que o pecado não podia, verdadeira e permanentemente, ser expiado ou eliminado pelo simples sacrifício de animais. Jesus Cristo, por Sua morte, rompeu a barreira que o pecado produziu entre Deus e o ser humano; podemos agora nos aproximar dEle com confiança (Hebreus 4:14-16). Passaremos agora para a Oficina de Trabalhos Manuais e realizaremos um trabalho que nos fará lembrar a morte de Jesus. Oficina de Trabalhos Manuais – Artesão – A Cruz: Hoje lhes irei falar da cruz. A crucifixão era uma pena de morte que os romanos aplicavam aos escravos e aos criminosos. Somente podia ser aplicada aos estrangeiros. Desde que a 46


autoridade romana passou a governar Israel, este era um castigo muito comum. Alguns criminosos eram amarrados à cruz; outros, como no caso de Jesus, eram pregados. Para isso eram utilizados pregos de 13 a 18 cm de comprimento, bem afiados, que eram cravados nos pulsos e nos pés, triturando os nervos. A pessoa ficava pendurada na posição vertical, com os braços totalmente estirados, o que provocava o deslocamento dos ombros. Nessa posição, a respiração era muito difícil, provocando uma morte lenta e agonizante por asfixia. Hoje iremos fazer uma cruz. Naquela época a cruz era utilizada como um elemento de tortura para os criminosos. Jesus, porém, não havia cometido nenhum pecado, mas esteve disposto a sofrer na cruz por nossos pecados. Materiais  Providenciar folhas de palmeira (se não for possível, utilize cartolina verde) com 50 ou 60 cm de comprimento.  Dobre na linha pontilhada e siga os passos.  Ver ilustração.

47


Guia Turístico Suas cruzes ficaram muito bonitas. Vocês poderão leválas para casa, a fim de lembrar que Jesus sempre está disposto a nos perdoar. (Enquanto o guia estiver falando, terá início a encenação.) O que está acontecendo aqui? Encenação (Entram Simão e Léia, os quais perseguem a Pedro, que tenta se misturar entre as crianças.) Pedro – Perdoe-me, senhor… (nome), quero ouvir sua história. (Procura se esconder entre as crianças. Em seguida entram Simeão e Léia.) Simeão – Com licença, (diz enquanto procura no meio das crianças). Sei que vi Pedro entrando aqui. Sei que você está aqui. Pedro, você acha que poderá fugir o tempo todo? Sei quem você é. Léia – Eu também o conheço! Você é um dos amigos de Jesus... dAquele que se diz ser o Rei dos judeus. Pedro – Não sei de quem vocês estão falando… Simeão – (Interrompe.) Como que você não sabe de quem estamos falando, se toda a cidade sabe que hoje crucificaram Jesus (aponta para fora), no Gólgota. Léia – Acho que vi você com Jesus, alguns dias atrás aqui na cidade. Você é um de Seus amigos, não é mesmo? Simeão – (Sarcasticamente) Sim, você é um dos Seus fiéis seguidores. Onde estão seus outros amigos? O que vocês vão fazer agora que seu Mestre foi crucificado junto com dois ladrões?

48


Pedro – Por favor, deixem-me sozinho! Eu não conheço Jesus. Eu somente vim aqui para escutar.... Deixem-me em paz, por favor! Léia – Sim, estamos indo embora. Mas ouça bem, os soldados irão prender todos os amigos de Jesus. Você está ouvindo? (Ela sai com Simeão.) Pedro – (Ajoelha-se e chora) Olha para o céu e diz: “Perdoa-me, Senhor”. (Seca as lágrimas e sai). Para Refletir 1. Por que vocês acham que Pedro se sentiu mal por haver negado a Jesus? Pedro temia ser tratado da forma como Jesus o fora, caso admitisse ser Seu amigo. Ele havia estado com Jesus no Jardim do Getsêmani, como lhes contei ontem. Estivera lá orando, ou melhor, tentando acompanhar seu Mestre, mas havia dormido... Depois, tudo se complicou. Jesus foi preso, maltratado, injustamente julgado e sentenciado à morte. Guia Turístico Esta história está registrada na Bíblia, a Palavra de Deus. Abramos o Livro dos Tesouros no Evangelho de Lucas 23:26-49. Juntos, leiamos a história. Cada um pode ler um verso. Depois faremos uma dinâmica que nos ajudará a reforçar e memorizar o que acabamos de ler. (Divida a classe em dois grupos. Cada grupo enviará um representante por pergunta que escolherá um cartão e dará as respostas.)

49


Cartões com perguntas e respostas: 1. Pediram a Simão de Cirene que levasse a cruz de Jesus. (Lucas 23:26) Falso ou Verdadeiro?

2. O que as mulheres fizeram por Jesus. (Lucas 23:27) a. Riram dEle. b. Cuspiram nEle. c. Choraram por Ele.

3. Quantos ladrões foram crucificados com Jesus? (Lucas 23:32) a. Três. b. Dois. c. Um.

4. Qual foi a última pessoa a quem Jesus prometeu salvar? (Lucas 23:39-43) a. Simão de Cirene. b. Um soldado. c. O ladrão na cruz.

5. Que fenômeno natural ocorreu por três horas no local da crucifixão? (Lucas 23:44) a. Chuva. b. Raios de Sol. c. Escuridão.

6. Quais foram as últimas palavras de Jesus antes de morrer? (Lucas 23:46) a. “Tenho sede”. b. “Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito”. c. “Pai, perdoa-os”. 50


Mapa As crianças deverão colar a figurinha de Jesus crucificado. Trabalhem nas atividades correspondentes ao 4º dia do Tríptico. Aplicação Era por volta das nove horas da manhã, quando Jesus Se dirigiu lentamente para o Monte Calvário, carregando a pesada cruz. Ele estava muito fraco e caiu. Um forasteiro chamado Simão de Cirene, abriu espaço entre a multidão para ver o que estava acontecendo. Imediatamente, os soldados o tomaram e o fizeram carregar a cruz de Jesus sobre seus ombros. A partir desse momento, Simão passou a ser um seguidor de Jesus. No cume do Monte Calvário, Jesus foi cruelmente crucificado. No topo da Sua cruz foi pregada uma tabuleta com a inscrição: “Jesus Nazareno, Rei dos judeus”. Os soldados ergueram a cruz e a deixaram cair com grande violência no buraco que havia sido preparado. Quanta dor isso causou a Jesus! De cada lado de Jesus também foram crucificados dois ladrões. É significativo que Jesus tenha sido crucificado entre dois criminosos. Para os judeus, isso indicava que Ele também era um criminoso. Provavelmente, os líderes religiosos fizeram algum acerto para que isso fosse assim, como uma forma de humilhar ainda mais a Jesus. Ao meio-dia, a cruz foi rodeada por total escuridão e permaneceu assim por três horas. “O Salvador não murmurou uma queixa. O rosto permaneceu-Lhe calmo e sereno, mas grandes gotas de suor borbulhavam-Lhe na fronte”. Compadeceu-se da ignorância daqueles que O estavam maltratando e orou: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” Lucas 23:34. De repente, a sombra escura se desfez e Jesus exclamou: “está consumado”. Então inclinou a cabeça e morreu. Nesse momento, toda a terra tremeu e foi sacudida por um grande

51


terremoto. As pessoas, aterrorizadas, caíram no chão. Muitas sepulturas se abriram. No templo, o grande véu se rasgou de alto abaixo. Houve grande confusão. Ao pé da cruz os soldados ficaram apavorados e seu capitão exclamou: “Verdadeiramente este era o Filho de Deus!” (Mateus 27:24). Não foi a dor horrível da crucifixão que matou Jesus. Ele levou na cruz o peso de todos os pecados do mundo. Jesus morreu de tristeza do coração. Ele morreu pelos nossos pecados. Qual o significado dessa história para vocês? Há alguma parte dela que os tenha impressionado mais? O que vocês pensam dos sofrimentos terríveis pelos quais Jesus passou? (Ouça as respostas.) Foi necessário Jesus fazer isso por mim? Por quê? Será que alguns de vocês desejam pedir a Jesus que seja seu melhor Amigo e Salvador pessoal? (Incentive as crianças a tomarem uma decisão.) Compartilhando Desafios Diários Nº 4 Entregue o material com os três desafios diários para que as crianças levem para casa e cumpram as tarefas. Explique no que consiste cada desafio e anime as crianças a pô-los em prática. (Tirar cópia e entregar a cada criança “Desafios Diários – Nº 4”) Canto Final, Oração e Encerramento (Pedir às crianças para trazer ½ batata média e lavada para o trabalho manual do dia seguinte.)

52


JESUS CRUCIFICADO

DESAFIOS - DIA 4

Eu posso demonstrar meu amor a Jesus. (Fazer um X no quadrado ao cumprir o desafio) Contarei à minha família e a meus amigos a história de Jesus.

Darei um abraço em alguém que esteja triste e lhe direi que Jesus o/a ama.

Enviarei um e-mail a meus contatos e lhes direi que Jesus morreu pelos meus pecados e pelos pecados deles também.


Tema 5

Jesus VivE

Versículo para memorizar: “Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos” (1 Coríntios 15:20). Pensamento especial: Jesus dá-me a certeza da vida eterna. Referência Bíblica: Mateus 28:1-10. Boas Vindas - Louvor - Apresentador Este é nosso quinto dia juntos e estou certo de que já aprendemos muito a respeito dessa linda cidade, mas acima de tudo estamos aprendendo a respeito da história mais maravilhosa e importante que ocorreu na terra e do que aconteceu aqui em Jerusalém. Ontem, ouvimos como Jesus foi crucificado. Vocês querem saber o que aconteceu depois? Será que continua morto em algum lugar em Jerusalém, ou algo extraordinário aconteceu? Essas perguntas serão respondidas durante o tour de hoje. Vamos cantar algumas músicas que já aprendemos, que têm um som hebreu tão particular. (Selecionar do DVD). Em seguida, oremos.

54


Agora, vamos ao encontro de nosso amigo, o Guia Turístico, para iniciarmos as atividades de hoje. (Lembre-se de colocar os mantos ou as faixas na cabeça de cada criança.) Apresentação do Tema - Guia Turístico Olá, crianças! Que alegria é vê-los aqui novamente! Iniciaremos a visita ao local onde, segundo a tradição, acredita-se que Jesus foi sepultado e ressuscitou. Refiro-me à Basílica do Santo Sepulcro. Teremos de pegar um ônibus para chegar lá. Peguem seu folder turístico, para que possam se orientar durante o percurso. (Dramatize esta situação.) Estamos indo à pequena elevação chamada Gólgota ou Calvário, lugar onde Jesus foi crucificado. Como vocês podem ver, agora estes lugares estão dentro da cidade, mas antes este lugar ficava nos arredores dos muros de Jerusalém. Já chegamos! Este é o lugar onde, segundo a tradição, Jesus foi sepultado. Neste momento, vocês apenas estão vendo a Basílica do Santo Sepulcro e várias capelas que foram construídas nestes arredores ao longo dos séculos. Mas nos dias de Jesus, nada disso existia. Aqui havia um grande jardim com grandes rochas que eram compradas por pessoas ricas para serem utilizadas como tumbas. Estas rochas eram escavadas e algumas tinham várias câmaras. Quando alguém morria em Jerusalém, ouvia-se um lamento dando a conhecer a toda a vizinhança o que havia ocorrido. Este era um sinal para que os parentes e amigos estivessem com a família enlutada, demonstrando assim sua tristeza. Era costume contratar pessoas profissionais para “chorar” e assim expressar o luto pelos mortos. Eram as “carpideiras”. Suas lágrimas fluíam livremente em tais ocasiões e era considerado normal trazer, desta forma, o consolo aos corações entristecidos. Para as pessoas que não vivem nesta região do

55


mundo é muito difícil compreender este método de expressar tristeza. O corpo do defunto era envolvido por um lençol com especiarias aromáticas. Depois era posto dentro da tumba e esta era fechada por uma pedra que era rolada para tampar a entrada do sepulcro. Lamentavelmente, não foi isso que aconteceu com Jesus, pois só dois amigos chamados Nicodemos e José de Arimatéia O retiraram da cruz e o sepultaram rapidamente no sepulcro que José havia construído para sua família e que ainda não havia sido utilizado. Como estava para começar o dia do repouso, Seu corpo não recebeu o tratamento costumeiro, mas foi rapidamente envolto em um lençol e colocado no sepulcro. As mulheres seguiram a José e Nicodemos, planejando voltar no domingo para colocar especiarias aromáticas no corpo de Jesus. Depois de ouvirem esta parte do relato, vocês podem imaginar como os discípulos se sentiram ao ver Jesus morrendo e ser depositado rapidamente em uma tumba, sem que eles pudessem ajudar ou manifestar tristeza pela morte de seu amado Mestre? E os sonhos de que Ele seria o Rei dos judeus? E agora, o que seria deles? Vocês querem saber? Antes de lhes contar, faremos uma pausa em nosso tour. Quando Jesus foi colocado na tumba, esta foi selada com um selo romano; selo do procurador Pilatos, para que ninguém a pudesse abrir. Hoje, na Oficina de Trabalhos Manuais iremos fazer um selo “semelhante” ao que foi utilizado naquela ocasião. Oficina de Trabalhos Manuais – Selo de “batata” Como vocês estão? Prontos para trabalhar? Hoje lhes contarei a respeito dos selos antigos. Um selo era um objeto que trazia um desenho ou um nome, feito de tal modo, que podia ser impresso em relevo sobre uma substância mole

56


como argila ou cera. (Mostrar Power Point) Quando a argila ou a cera endureciam, conservavam permanentemente a impressão do selo. Estes eram usados para vários propósitos:

 Como

uma marca de autenticidade e autoridade para as cartas e ordens dos reis.  Como um meio de proteger os livros e outros documentos para que não fossem falsificados.  Como uma prova de autoridade e de poder.  Como uma marca oficial de propriedade.  Como um meio para selar portas fechadas, a fim de que as pessoas não autorizadas se mantivessem distantes. Assim como aconteceu com a tumba de Jesus. A tumba de Jesus teve uma dupla segurança: o selo e a guarda. Eles estavam ali para garantir que o selo não fosse quebrado. Qualquer pessoa que movesse a pedra, necessariamente, romperia o selo e assim estaria desafiando a autoridade do governo. Tal desobediência sempre implicava em castigo severo. Agora faremos um selo e vamos utilizá-lo para selar alguns cartões que nos ajudarão a contar a história de hoje. Selo de “batata” Ter: ½ batata média, por criança. (Esta pode ser pedida no dia anterior). 1 colherinha descartável, por criança, cartolinas 20x25cm., tintas com cores diferentes, vasilha para colocar a tinta, guardanapos. Procedimentos:  Na metade da batata desenhe uma carinha feliz, com um palito de dentes.  Comece a cavar os olhos e a boca, com a ajuda da faca, dei-

57


xando um sulco profundo.  Feito isso, as crianças devem molhar o “selo” na tinta e decorar as cartolinas.  Para que esta atividade seja ordenada, forme 6 grupos; cada grupo terá uma só cor de tinta.  As cartolinas circularão por todos os grupos, ficando registrado nelas os selos de diferentes cores. Guia Turístico Suas cartolinas “seladas” ficaram muito coloridas! Agora, prestem bastante atenção na encenação e quando acharem que a situação é FELIZ levantem a cartolina. Caso a situação não seja agradável, abaixem a cartolina. Todos de acordo? (Certifique-se de que as crianças compreenderam a atividade.) Encenação Maria – (Interrompe agitadamente) Amigos, vocês não vão acreditar! Eu mesma não pude acreditar, mas... (Pedro entra). Pedro – Maria, o que você está fazendo aqui? Você veio se esconder também? Os soldados estão fazendo perguntas às pessoas, porque estão procurando os seguidores de Jesus. Maria – (Muito emocionada) Pedro, você não vai acreditar! Eu O vi! Eu vi o Mestre! Pedro – Por favor, Maria, acalme-se! Fique tranquila! Ouça, há apenas três dias que Jesus morreu, porém ainda precisamos nos esconder. Maria – Nada mais me importa, Pedro. Jesus está vivo! A tumba está vazia! Eu O vi, Pedro. Ouvi a Sua voz. Ele está vivo! Pedro – O que você está dizendo, Maria? A tumba está vazia?

58


Maria – (Muito emocionada, quase rindo) A pedra que fechava a tumba foi afastada e o corpo de Jesus não estava lá. Pedro, então eu comecei a chorar e quando levantei a cabeça, Ele estava em pé diante de mim e falou comigo. É como se Ele nunca tivesse morrido! Pedro – (um tanto incrédulo) Sei que esses últimos dias foram bem difíceis, pois Jesus foi preso e depois crucificado. Eu vi quando colocaram a pedra na entrada da tumba. Também vi os guardas selarem-na para que ninguém pudesse entrar. Como agora a tumba está aberta? E você diz que viu a Jesus vivo? Maria – Minhas amigas e eu fomos até a tumba, hoje de madrugada, para ver se poderíamos terminar de preparar o corpo de Jesus para ser sepultado (ela ri nervosamente), mas isso não foi necessário, porque Ele está vivo. (Pedro fica de boca aberta, incapaz de falar.) Maria – Você tem de vê-Lo pessoalmente, Pedro. Tenho de avisar aos outros que Jesus vive! (Ela sai.) (Pedro sai em seguida.) Guia Turístico Vejamos agora em nosso Livro dos Tesouros a história que acabamos de ver. Ela se encontra no livro de Mateus 28:110. Vamos ler e saber por que Maria estava tão feliz e se Pedro tinha razão para não crer nela. Hoje iremos ler da seguinte forma: Eu vou ler os versos ímpares e vocês lerão em uníssono os versos pares. (Lembre-se que este é o momento mais importante. As crianças precisam saber que a Bíblia é a Palavra de Deus e que está ao nosso alcance para conhecer mais a respeito de Jesus e de Seu plano da salvação. Por isso, dedique tempo e faça com que as crianças leiam, mesmo que demorem. Elas necessitam experimentar ler e apreciar a leitura da Bíblia.)

59


Mapa As crianças deverão colar a figurinha de Jesus ressuscitado. Trabalhem nas atividades correspondentes ao 5º dia do Tríptico. Aplicação Vocês acreditam que Maria tinha razão para estar feliz? Claro que sim! Jesus havia ressuscitado, apesar de que os sacerdotes houvessem dado instruções para assegurar o sepulcro com uma grande pedra, colocada na entrada da tumba, fechada com o selo romano. A pedra não podia ser removida sem romper o selo. Uma guarda de soldados evitava que alguém se aproximasse. À distância, as mulheres e alguns outros, observaram tristemente todo esse movimento e saíram sem ser notados para se esconderem, enquanto guardavam o sábado. Que sábado mais triste foi aquele! Os discípulos estavam desesperados e com muito medo de que, depois da morte de Jesus, os governantes também iriam matá-los. Passaram todo o sábado chorando por seu amado Mestre. Então, o que aconteceu? O que acabamos de ler na Bíblia. Bem cedo, no domingo de manhã, um terremoto sacudiu a terra. Do céu desceu um poderoso e resplandecente anjo rolou a pedra, rompendo o selo romano. Os soldados caíram no chão, como se estivessem mortos quando viram como Jesus saiu vitorioso da tumba. As primeiras pessoas a verem a tumba vazia foram Maria Madalena e outras mulheres. De repente, elas viram alguém vestido de branco, sentado junto à tumba - era um anjo! Ficaram atemorizadas. O anjo saudou-as e lhes anunciou a ressurreição de Jesus. Elas deixaram o lugar e, enquanto saíam para dar essa notícia aos discípulos, Jesus lhes apareceu, pedindolhes que dissessem a Seus amigos que Ele os veria na Galiléia.

60


Maria não duvidou e saiu correndo para contar as Boas Novas a todos: Jesus ressuscitou! Agora vocês entendem porque Maria estava tão feliz? Seu amado Mestre estava vivo e ela tinha de contar isso a todas as pessoas! Tinha boas notícias para compartilhar com seus amigos e entes queridos. Jesus havia ganhado a vitória sobre o pecado e a morte. Essas boas notícias são também para nós hoje... Visto que também podemos ser vencedores com Ele – simplesmente ao aceitar o que Ele fez por nós e adorá-Lo como nosso Salvador ressuscitado. Agora sim, podemos ter a esperança de um futuro feliz junto a Jesus e no Céu, quando Ele voltar para nos buscar. Vocês querem ser vencedores com Jesus? Agora vocês sabem que somente têm que pedir isso em oração. Por que não oramos agora mesmo? Vocês querem? (Ofereça às crianças um momento para que orem individualmente. Coloque uma música suave de fundo. Caso deseje, encerre esses momentos com uma oração proferida por um adulto.) Compartilhando Desafios Diários Nº 5 Entregue o material com os três desafios diários para que as crianças levem para casa e cumpram as tarefas. Explique no que consiste cada desafio e anime as crianças a pô-los em prática. Canto Final, Oração e Encerramento

61


JESUS VIVE

DESAFIOS - DIA 5

Jesus me dá a segurança da vida eterna. (Fazer um X no quadrado ao cumprir o desafio) Vou ler novamente a história bíblica de hoje com minha família.

Prepararei vários cartões e ao lado do meu nome colocarei o selo que fiz. Vou distribuí-los com as pessoas e dizerlhes que estou feliz porque Jesus ressuscitou e que me deu a segurança da vida eterna.

Enviarei um e-mail a meus contatos e lhes direi que Jesus morreu pelos meus pecados e pelos pecados deles também.


Tema 6

Jesus Ascende ao Céu

Versículo para memorizar: “E disse-lhes: ‘Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas’” (Marcos 16:15). Pensamento especial: Jesus cumpre Sua promessa. Referência Bíblica: Marcos 16:12-20; João 20:24-29; Atos 1:9-11. Boas-vindas – Louvor - Apresentador Olá, crianças! Que bom estarmos novamente reunidos para seguirmos aprendendo a história de Jesus. Ontem falamos da boa notícia e hoje também iremos conhecer um acontecimento muito especial e uma promessa maravilhosa. Cantemos com entusiasmo o bonito cântico “Tu És Digno”. Oremos. (Converse com as crianças a respeito dos desafios do dia anterior e lembre-se de colocar os mantos ou faixas na cabeça de cada criança.)

63


O tempo restante fica a cargo de nosso Guia Turístico para que nos apresente o tema de hoje. Apresentação do Tema - Guia Turístico Como vocês estão hoje, meus amigos viajantes? Estou certo de que vocês estão muito emocionados por estarem revivendo juntos esta história tão especial. O mais emocionante da história de hoje ocorreu no Monte das Oliveiras e, mesmo que já tenha falado algo a respeito deste lugar, hoje quero convidálos a irmos até lá. Como o dia está lindo, pensei que poderíamos seguir a pé, já que vocês estão bem dispostos... Antes de partir, vamos conferir se estamos bem equipados.  Roupa e calçados adequados e confortáveis, um boné... ok.  Mochila com itens pessoais, água potável... ok.  Nosso mapa para não errar o caminho... ok  Entusiasmo, um montão... ok. Bem, estamos totalmente prontos para iniciar nossa caminhada. Iremos para a Porta Dourada. Lembram que é aqui, por onde Jesus fez Sua entrada triunfal? Atualmente, esta porta está fechada, por isso teremos que pegar um desvio para voltarmos ao caminho. (Dramatize essa situação.) É por aqui... Venham!... Chegamos ao caminho. O Monte das Oliveiras se encontra no vale de Kidrón, (Torrente de Cedrom), a leste da cidade de Jerusalém. Como vocês podem observar, a paisagem é verde e fértil. O lugar leva o nome das oliveiras que são abundantes em suas encostas. Ao pé do Monte encontramos os Jardins do Getsêmani. À medida que percorremos este lugar podemos apreciar as igrejas que foram edificadas depois da morte de Jesus. A igreja de Pater Noster foi construída sobre o que se acredita tenha sido o local onde Jesus pregou sobre os acontecimentos que sucederiam antes de Sua Segunda Vinda.

64


Vemos aqui a Igreja Franciscana de Dominus Flevit, e a igreja russa Santa Maria Madalena com suas sete cúpulas douradas. Sigamos nossa caminhada... Vemos aqui a igreja de Todas as Nações, chamada assim porque em sua construção participaram doze países. Ela é conhecida como a basílica Getsêmani da Agonia, pois foi aqui onde se acredita que Jesus orou com Seus discípulos e onde Judas O traiu. Também aqui no Monte das Oliveiras podemos ver este enorme cemitério, que funcionava desde os tempos bíblicos e segue até nossos dias. Os judeus têm sido sepultados neste lugar. Se avançarmos um pouco mais, poderemos encontrar esta pequena mesquita conhecida como a Capela da Ascensão que tem que ver com a história que hoje lhes vou contar. Encenação (Pela lateral, Tomé e Filipe entram conversando.) Filipe: Ainda estou assombrado. É bom demais para ser verdade! Tomé: Sim, é verdade. Muitos não queriam acreditar, até que vimos com nossos próprios olhos. Filipe: Ah, Tomé, embora todos lhe tivéssemos dito, você não acreditou! Tomé: Eu não estava no aposento superior quando Ele apareceu naquele domingo à noite, por isso não acreditei... Não podia crer que fosse verdade! Eu tinha ouvido que Jesus aparecera à Maria Madalena e a Pedro, depois a Cleopas no caminho para Emaús, e depois para todos os discípulos no aposento superior...

65


Filipe: Lembro-me que somente depois de uma semana as suas dúvidas desapareceram. Tomé: Suas palavras ainda ressoam em meus ouvidos: “Paz seja com vocês”. Em seguida, Ele me olhou com os olhos cheios de amor. “Tomé”, disse Jesus, “Coloque seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado. Pare de duvidar e creia”. Ele havia lido os meus pensamentos. A esta altura, eu não mais precisava tocar, não mais era necessário... Ajoelhei-me a Seus pés e exclamei: “Senhor meu e Deus meu!” Filipe: Então Jesus lhe disse com amor: “Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram” e isso me faz lembrar que temos uma missão; temos que contar aos outros a respeito de Jesus, de Seu amor, de Suas promessas. Tomé: Que maravilhoso Jesus! Não posso crer que Ele foi embora... Filipe: É verdade, mas Ele nos prometeu que sempre estaria conosco, todos os dias, até o fim do mundo. Tomé: E o melhor foi que, naquela tarde de despedida no Monte, quando nossos olhos contemplaram, enquanto Ele subia aos Céus com as mãos estendidas, em atitude de bênçãos, nós vimos e ouvimos os anjos dizerem que esse mesmo Jesus, nosso Mestre e Amigo, nosso Salvador, voltaria para nos buscar! (Enquanto começam a sair, ele afirma) Eu O vi, Filipe, sim, eu O vi! (Saem.) Guia Turístico Que diálogo emocionante, não é mesmo? Eu quero saber mais... desejo saber o que a Bíblia nos conta a respeito da missão e da promessa de Sua volta. Necessitamos pegar nosso

66


Livro dos Tesouros. (Distribua as Bíblias.) Busquemos em nossas Bíblias os seguintes textos: Marcos 16:12 e 13; João 20:24-29; Marcos 16:14-20 e Atos 1:9-11. Dinâmica de leitura: Forme quatro grupos e atribua um dos textos a cada um. Depois conversem a respeito do conteúdo mediante perguntas sobre a leitura. Jesus havia ressuscitado e há algumas semanas estava aparecendo a Seus seguidores. A quem Jesus apareceu primeiro? (Espere respostas.) Os discípulos iam de um lugar para outro falando às pessoas a respeito dos fatos maravilhosos que haviam visto Jesus realizar. Eles explicavam as Escrituras que assinalavam o Messias. Tomé lhes contava como, a princípio, ele não acreditou que Jesus havia ressuscitado, até que o próprio Senhor falou com Ele. Por que vocês acham que Tomé não quis acreditar no relato de seus amigos? (Promova a participação.) De repente, Jesus apareceu no meio deles. Ao verem Seu lindo rosto, as cicatrizes em Suas mãos e em Seus pés, eles se prostraram e O adoraram. Nesse momento, Jesus ordenou uma obra especial a Seus seguidores. Ele disse: “vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que Eu lhes ordenei. E Eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. O que Jesus quis dizer a Seus discípulos? Quem mais deveria cumprir essa tarefa? Jesus permaneceu na terra por 40 dias depois da ressurreição. Certo dia, Ele e Seus discípulos saíram pela porta de Jerusalém para irem ao Monte das Oliveiras. Quando lá chegaram, os discípulos se reuniram ao redor de Jesus para ouvir cada palavra que Ele tinha a lhes dizer. Então, com as mãos estendidas como para abençoá-los, Jesus começou a subir ao céu. Os discípulos ficaram olhando, até que uma nuvem de glória ocultou-O da vista deles. Ainda pasmos e olhando para o alto, ouviram alguém

67


que lhes falava: - “Galileus, por que vocês estão olhando para o céu? (Atos 1:11). Os discípulos se viraram rapidamente para ver quem lhes falava e viram dois varões com vestes brancas. Eles ficaram surpresos. Esses homens eram anjos que lhes disseram algo maravilhoso: “Este mesmo Jesus, que dentre vocês foi elevado aos céus, voltará da mesma forma como o viram subir” Emocionados e animados por essa nova esperança, os discípulos se apressaram em voltar para Jerusalém, pois queriam compartilhar essa boa notícia. Mapa As crianças deverão colar a figurinha de Jesus ascendendo ao Céu. Trabalhem nas atividades correspondentes ao 6º dia do Tríptico. Nós também voltaremos a Jerusalém, porque em nossa Oficina de Trabalhos Manuais realizaremos uma tarefa relacionada com nossa missão. Oficina de Trabalhos Manuais – Artesão – Rolo Vocês gostaram do passeio de hoje? Espero que não estejam muito cansados, porque agora iremos trabalhar... Jesus deixou uma missão a todos Seus seguidores. Os primeiros cristãos pensaram que a Escritura seria um bom método para cumpri-la. No primeiro século o papiro era utilizado para escrever, o qual era obtido da planta com o mesmo nome. No início, o papiro era utilizado no formato de rolo. Usava-se apenas um lado dele para escrever e ler e, portanto, tinha-se de desenrolá-lo até o lugar desejado. (Tenha um rolo e exemplifique seu uso. Mostrar Power Point. ) Na primeira metade do século I, os cristãos começaram a usar o formato “códice” que é como os livros atuais. Escreve-se de ambos os lados da folha, encadernando os papiros como os livros que conhecemos.

68


As vantagens desse formato eram evidentes, pois havia economia do papiro, visto que se podia escrever de ambos os lados das folhas; seu formato era compacto e, com frequência, cabia em um bolso. Era fácil de manejar e podia ser folheado rapidamente, buscando uma referência. Também era fácil de ser guardado e ocultado na época das perseguições. Para os quatro evangelhos e o livro de Atos era necessário apenas um códice em vez de cinco rolos, o que tornava mais fácil enviar os textos cristãos por todo o império. Os primeiros manuscritos do Novo Testamento foram escritos nos papiros. Posteriormente, começou-se a usar o pergaminho, e por fim, o papel. Hoje iremos escrever a mensagem que diz respeito a nosso compromisso missionário de uma forma diferente e obteremos uma escritura de aspecto envelhecido, como talvez se parecessem às escrituras de outrora. Embora a mensagem tenha aspecto velho, segue sendo vigente e atual. Materiais: • Cartolina branca, um retângulo de 20 cm x 10 cm para cada criança. • Cotonetes, um para cada criança. • Suco puro de limão, colocado em vasilhas pequenas. • Fonte de calor, ferro de passar roupa, candelabro com vela acesa. Instruções: • As crianças escrevem na cartolina, utilizando o cotonete molhado no suco de limão, a frase: “JESUS VOLTARÁ”. A escrita será invisível. • Com a supervisão de um adulto, a cartolina é submetida a calor para que o suco do limão seja oxidado e apareça o texto. Pode ser utilizado o ferro de passar sobre a cartolina. Também ela pode ser passada perto da chama de uma vela,

69


a uma distância suficiente para que a cartolina não queime. Prove essa técnica antes de realizá-la.

Agora que temos nossa mensagem, vamos assumir um compromisso. Quero que vocês pensem neste dia maravilhoso, quando Jesus voltar. Quem vocês gostaria de ver ao seu lado esperando a Jesus? É alguém que ainda não conhece a Jesus? O que você acredita que deveria fazer por ele/ela? (Permita que as crianças respondam. Com entusiasmo, leve-as a tomarem decisões a favor de outras pessoas.) Compartilhando Desafios Diários Nº 6 Entregue o material com os três desafios diários para que as crianças levem para casa e cumpram as tarefas. Explique no que consiste cada desafio e anime as crianças a pô-los em prática. Canto, Oração e Encerramento

70


JESUS ASCENDE AO CÉU

DESAFIOS - DIA 6 Jesus cumpre Sua promessa.

(Fazer um X no quadrado ao cumprir o desafio) Vou dizer a minha família e aos meus amigos que gostaria de vê-los no Céu, quando Jesus vier para nos buscar.

Telefonarei para os meus avós e tios e contarei a eles o que aprendi sobre a promessa de Jesus.

Devo estar pronto para ir à igreja no sábado.


Tema 7

Jesus Virá Outra Vez

Versículo para memorizar: “Eis que Ele vem com as nuvens, e todo olho O verá, até mesmo aqueles que O traspassaram; e todos os povos da terra se lamentarão por causa dEle. Assim será! Amém” (Apocalipse 1:7). Pensamento especial: Jesus me diz como Ele voltará, a fim de que eu não seja enganado. Referência Bíblica: Mateus 24:3-14, 29-30; Lucas 21:25-18. Boas-vindas – Louvor - Apresentador Estamos quase chegando ao final de nosso tour pelos diversos lugares de Jerusalém. Aprendemos muito sobre esta cidade e sobre a linda história de Jesus. Conhecemos também os diferentes lugares onde cremos que Jesus andou em Seus últimos dias aqui na terra, assim como os lugares relacionados com Sua morte e ressurreição.

72


Ontem, lembramos como Ele subiu ao céu e a promessa que os anjos deixaram aos discípulos, enquanto Jesus ascendia ao céu. Hoje conheceremos alguns sinais do tempo do fim e como Jesus voltará a esta terra. Vamos louvar o nome de Deus, entoando alguns dos antigos cânticos que aprendemos. (Permitir que escolham; depois devem orar). Apresentação do Tema - Guia Turístico Que bom vê-los novamente! Aprendemos tantas coisas durante esta semana que, certamente esta viagem será uma experiência inesquecível para cada um de vocês. Ontem falamos a respeito dos últimos momentos de Jesus aqui na terra, como Ele Se despediu de Seus amigos e sobre a missão que deixou para todos os Seus seguidores. Sem dúvida, essa missão também é para nós. Devemos nos envolver nela para contar aos outros sobre a maravilhosa história de Jesus e da promessa de Sua breve volta. Os discípulos ficaram curiosos para saber quando ocorreria essa tão anelada volta, mas Jesus não determinou nenhuma data; apenas disse... Encenação (Os discípulos entram lembrando as palavras de Jesus, a respeito do tempo do fim.) Tiago – (Olhando para as estrelas) Poucos dias atrás estávamos aqui com o Mestre. João – É verdade. Sinto saudades dEle e não paro de pensar na Sua volta. Filipe – Sim, Ele voltará, pois prometeu. Como eu gostaria que fosse agora mesmo!

73


João – Não seja ansioso, Filipe, tudo no seu devido tempo. Lembre-se de que Jesus nos disse que o dia e a hora exatos de Sua vinda ninguém sabe?! Porém, Ele nos revelou alguns acontecimentos, através dos quais poderíamos saber que Sua vinda estaria próxima! Tiago – Ele nos disse que haveria sinais no Sol, na Lua e nas estrelas que hoje contemplamos. Filipe – Vocês conseguem imaginar o sol sem brilhar e tudo ficar totalmente escuro? João – E como será a noite sem a lua com seu esplendor ou as estrelas caindo? Tiago – Creio que serão sinais que ninguém irá passar por alto. Mas Jesus também falou que as pessoas estariam angustiadas, com muito medo e sem paz. Filipe – Guerras e rumores de guerras! Não posso imaginar o mundo com pessoas que queiram fazer tanto mal. João – É verdade. Mas eu me lembro muito bem do que Ele disse por último... Que iríamos vê-Lo voltar nas nuvens do céu com poder e grande glória. Tiago – Eu também me lembro disso. Que maravilhoso será esse dia! Por isso gostaria de ver os sinais acontecendo agora mesmo. Filipe – É verdade! Eu também quero estar outra vez com Jesus. (Levantam-se e saem.)

74


Guia Turístico Visto que ouvimos os discípulos contarem que muitos dos sinais ocorreriam no céu, hoje convidamos um especialista no assunto, para nos falar a respeito desse tema tão importante. Crianças, apresento-lhes o “Sr. Astrônomo”. Prestem muita atenção no que ele dirá. Astrônomo (A seguir, será inclusa uma extensa informação científica, a fim de enriquecer a apresentação do tema por parte do Astrônomo. Utilize o que julgar conveniente.) Estou muito feliz por estar aqui com vocês hoje. Quero agradecer ao Guia Turístico por me haver convidado. Nós, os Astrônomos, somos cientistas que estudamos o Universo e tudo o que o compõe; tudo o que ele contém... galáxias, sistemas (entre eles o nosso chamado Sistema Solar, ao qual pertencemos); planetas, estrelas, cometas, asteróides, buracos negros (zonas que não se sabe o que contêm) e muito mais. Hoje, quero lhes contar a respeito de certos detalhes muito interessantes de alguns dos elementos que compõem o Universo que Deus criou e como alguns deles estão relacionados com os sinais do tempo do fim, mencionados por Jesus aos Seus discípulos. O Guia já nos falou a respeito. Começarei falando do que já conhecemos e iremos avançando até o desconhecido. (Faça perguntas às crianças, à medida que apresenta cada parte do tema e permita respostas.) 1. A Terra Em nosso sistema solar, a Terra é o planeta localizado na terceira posição, a partir do Sol, depois de Mercúrio e Vênus. Sua superfície é de 510.110.900 km² e possui dois movimentos: rotação – sobre seu eixo – que dura 24 horas e assim temos o dia e a noite. E o movimento de translação – ao

75


redor do Sol – dura um ano e que produz as quatro estações. Sobre a linha do equador, o dia dura 12 horas, o mesmo que a noite. Se esse movimento fosse apenas um pouquinho diferente, iríamos nos queimar ou seríamos congelados. A distância da Terra e do Sol é de 150.000.000 km.

2. A Lua É o único satélite natural da Terra e como todo satélite, a lua acompanha a Terra em sua órbita ao redor do Sol. Ela não tem luz própria, somente reflete a luz do Sol. Quando a terra se interpõe entre o Sol e a Lua, ocorre o eclipse lunar, que pode ser parcial ou total. A Lua tem quatro fases: quarto minguante, quarto crescente, cheia e nova. Ela está a 384.400km da Terra e sua massa é 81 vezes menor que a do nosso planeta. 3. O Sol O diâmetro do Sol é 109 vezes maior que o da Terra. Ele é uma estrela, a maior do Sistema Solar; é o centro do Sistema Solar e todos os planetas e satélites giram ao seu redor. Seus maiores componentes são: hidrogênio, hélio e oxigênio. O movimento de rotação do Sol é de 25 dias e o de translação é de 200 milhões de anos; ele se dirige à estrela Vega, da constelação de Lira. Estima-se que a temperatura interna do Sol seja 2.500 vezes maior que a de sua superfície, que é de 6.100ºC. 4. As Estrelas Uma estrela é uma enorme esfera de gás muito quente e brilhante. As estrelas produzem sua própria luz e energia, mediante um processo chamado fusão nuclear. As estrelas têm diversos tamanhos e cores. Nosso Sol é uma estrela amarelada de tamanho médio. As estrelas menores que o Sol são avermelhadas e as maiores são azuis.

76


5. Meteoritos Os meteoritos são observados como estrelas que cruzam rapidamente o céu, mas não são estrelas. Trata-se, na verdade, de uma pedra pequena ou de poeira que entra na atmosfera da Terra. Sua velocidade é tão grande que possui um calor intenso e brilha ao se mover pela atmosfera. Os meteoritos são o que os astrônomos chamam de meteoros. A maioria deles se incendeia e se desintegra ao entrar na atmosfera antes de tocar a terra. Porém, algumas vezes, um meteoro é tão grande que não se consome e consegue chega à superfície da Terra. 6. As Constelações Uma constelação é um grupo de estrelas que toma uma forma imaginária no céu noturno. Normalmente recebem o nome em honra de personagens mitológicos, pessoas, animais e objetos. Algumas das constelações mais conhecidas no Hemisfério Sul são: Cruzeiro do Sul, Escorpião, Centauro, Órion – tendo as Três Marias, como suas estrelas mais conhecidas. 7. As Galáxias Uma galáxia é formada por milhares de milhões de estrelas, planetas, satélites, nuvens de gás e poeira cósmica. É como um enorme redemoinho de sóis que giram ao redor de um centro. Nossa galáxia se chama Via Láctea (que quer dizer Caminho do Leite), por sua cor branca. Existem milhões de galáxias no universo e algumas delas são: Andrômeda, do Triângulo, Galáxia M 87, Grande Nuvem de Magalhães, Via Láctea, Galáxia M 82. Parecia que o céu estava quieto “em seu lugar” e que nada se movia; porém, sabemos que ali há movimento, e muito!... Os planetas se movem em sua órbita, as estrelas estão onde

77


Deus as coloca e a Lua acompanha a Terra em seu movimento preciso e exato (Salmo 19:1). Até mesmo foram feitos estudos que nos permitem escutar alguns sons, como se fosse a música das estrelas. (Mostrar Power Point) Deus não apenas criou, mas também sustenta o Universo. É como se o tivesse na palma da mão. Se bem que não sabemos onde se encontra, a Bíblia nos ensina que em algum lugar deste vasto Universo, Deus está preparando um lugar para que cada um de Seus filhos, a fim de que vivam com Ele quando voltar para nos buscar. Há uma maravilhosa promessa em João 14:1-3; vamos lê-la: “Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em Mim. Na casa de Meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, Eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar. E se Eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para Mim, para que vocês estejam onde Eu estiver”. Isso está registrado na Bíblia, para que acreditemos que Jesus voltará. Para que vocês conheçam um pouco mais do Universo criado por Deus, o que acham de irmos juntos até a Oficina de Trabalhos Manuais e fazermos uma atividade muito interessante? Vamos?! Oficina de Trabalhos Manuais – Astrônomo – Asterismo Na antiguidade, os seres humanos começaram a observar as estrelas e viram padrões que podiam ser facilmente lembrados. Esses padrões são chamados de asterismos. Nos tempos antigos, não existia a televisão ou o vídeo game e assim as pessoas começaram a imaginar histórias, baseadas nos asterismos que viam nas estrelas. Da mesma forma como funciona o jogo de “unir os pontos”, os asterismos representam pessoas ou animais legendários. Um dos mais famosos de todos foi a de Órion, o caçador com seu escudo e espada. A forma de Órion é inconfundível e semelhante a uma figura humana esquemática. O brilho das quatro estrelas que

78


formam o retângulo de Órion a definem muito bem: Betelgeuse, Bellatrix, Rigel e Saiph. Ela é também facilmente identificada a partir das três estrelas do Cinturão do Caçador que atraem a atenção por sua posição em perfeita linha reta: as Três Marias da tradição popular (Alnitak, Alnilam e Mintaka). A constelação de Órion agrupa uma das regiões de maior atividade estelar. A Nebulosa de Órion (lugar onde nascem estrelas) é uma das poucas nebulosas que se podem observar a olho nu, inclusive nos lugares com excesso de luz, como as grandes cidades. A constelação de Órion é, talvez, a mais espetacular do Firmamento, tal como o vemos desde a Terra. Suas estrelas brilhantes são visíveis em ambos os hemisférios (do pólo norte ao pólo sul) no inverno, fazendo com que esta constelação seja reconhecida universalmente. Materiais:  Fotocópia com o esquema da Constelação de Órion.  Estrelas pequenas auto-aditivas.  Glitter.  Lápis de cor.  Lápis preto e borracha. Procedimento: Para que possamos reconhecer esta linda constelação no céu, praticaremos primeiro na fotocópia que agora lhes será entregue. Vocês terão de unir as estrelas e formar a constelação de Órion. Depois completarão a cena pintando e colando. (Uma vez que as crianças tenham concluído o trabalho, poderão colá-lo sobre cartolina ou papel cartão e pendurá-lo na parede.)

79


ORION Heka/Meissa Betelgeuse

Bellatrix

Mintaka Alnilam

ORION

Alnitak

Nair al Saiph Rigel Saiph

Guia Turístico Que assunto importante nos foi apresentado pelo Sr. Astrônomo! O que vocês acham de procurarmos esses dados no Livro dos Tesouros e lermos o que a Bíblia nos diz? Procuremos em Mateus 24:3-14, 29-30 e Lucas 21:25-28. Dinâmica da leitura: De forma audível e de maneira intercalada, as meninas lerão os versos pares e os meninos, os ímpares. Depois faremos uma dinâmica que nos ajudará a reforçar e fixar o que acabamos de ler. (Divida a classe em dois grupos. Cada grupo enviará um representante por pergunta, que escolherá um cartão para ser respondido pelo grupo). 1. O que os discípulos perguntaram a Jesus no Monte das Oliveiras? (Mateus 24:3). Resposta correta: “Quando serão estas coisas?”

80


2. Quais sinais ocorreriam no céu? (Mateus 24:29). Resposta correta: “O sol iria escurecer, a lua não daria seu resplendor e as estrelas cairão?” 3. Onde apareceria o sinal do filho do homem? (Mateus 24:30). a. Montanhas. b. Água. c. Céu. 4. Em que Jesus virá quando vier nos buscar? (Mateus 24:13). a. Tapete. b. Nuvens. c. Nave Espacial. 5. O que irá acontecer com aquele que perseverar até o fim? (Mateus 24:3). Resposta correta: “Será salvo”. 6. O que terá de ocorrer para que venha o fim? (Mateus 24:14). a. Que haja paz na terra. b. Que todos sejam felizes. c. Que o evangelho seja pregado no mundo todo. 7. Que conselho Jesus deu a Seus discípulos para o tempo quando os sinais começassem a aparecer? (Mateus 24:4). Resposta correta:“Cuidado, que ninguém os engane”. 8. O que acontecerá com a maldade e o amor de muito nos últimos dias? (Mateus 24:12). Resposta correta: A maldade aumentaria e o amor se esfriaria. 9. Como Jesus virá? (Mateus 24:30). Resposta correta: Com grande poder e grande glória.

81


10. Que teremos de fazer quando começarem a acontecer estas coisas? (Lucas 21:28). Resposta correta: Ter ânimo e levantar a cabeça. 11. Que outros sinais Jesus predisse para o tempo do fim? (Mateus 24:6, 7). Resposta correta: Guerras, rumores de guerras, pestes, fome, terremotos. Mapa As crianças deverão colar a figurinha de Jesus vindo nas nuvens. Trabalhem nas atividades correspondentes ao 7º dia do Tríptico. Aplicação Como lemos, a Bíblia menciona muitos sinais que poderiam ser “gerais”, mas menciona três que são bem específicos; vocês sabem o que vai acontecer? O sol se escureceria, a lua não daria o seu brilho e as estrelas cairiam. A história confirmou o que a Bíblia antecipava: a. Em 1º de novembro de 1755 ocorreu o maior terremoto registrado no mundo inteiro. Embora, de forma geral, ele seja chamado de “terremoto de Lisboa”, na verdade seu poder destruidor foi sentido na maior parte da Europa, África e América. b. A manhã do dia 19 de maio de 1780 começou como qualquer outro dia, mas por volta das nove horas o sol ficou nublado e a escuridão foi se tornando cada vez maior... Tanto que os animais, de forma espontânea, voltaram para seus currais. Essa densa escuridão em pleno horário diurno se manteve durante todo o dia, até a meia-noite, quando apareceu a lua totalmente vermelha como se fora sangue. 82


c. Na noite de 13 de novembro de 1833, em toda a América do Norte foi observado o mais extenso e admirável espetáculo da “queda das estrelas”, que alguma vez foi registrado. Alguns jornais da época comentaram que sob a luz das estrelas caindo, até se podia ler um livro! Quando todos os eventos naturais tiverem sido cumpridos, quando os sinais dados por Jesus se concentrarem, então é o tempo do qual Jesus falou. Seu regresso à Terra estará muito próximo. A Segunda Vinda de Cristo será um evento glorioso. O Filho do Homem aparecerá com poder e grande glória (Mateus 24:30), sobre as nuvens (Atos 1:9). Ele virá como o Rei dos reis e como o Rei da glória (Apocalipse 19:16). Será o espetáculo mais visível e audível que o mundo jamais presenciou. Não terá nada de secreto. Todo o olho O verá (Mateus 24:27, 30: 25:31). Ilumina-se a face dos justos, e a alegria enche todos os corações. E os anjos entoam uma melodia mais forte, e de novo cantam ao aproximar-se ainda mais da Terra. O Rei dos reis desce sobre a nuvem... Crianças, como será maravilhoso ver Jesus voltar em glória e majestade. Eu quero ir com Ele para o céu e estar entre as pessoas a quem Ele vem buscar. E vocês, gostariam de ir ao céu para sempre com Jesus? (Dê tempo para que as crianças tomem sua decisão.) Compartilhando Desafios Diários Nº 7 Entregue o material com os três desafios diários para que as crianças levem para casa e cumpram as tarefas. Explique no que consiste cada desafio e anime as crianças a pô-los em prática. Canto Tema, Oração e Encerramento

83


JESUS VIRÁ OUTRA VEZ

DESAFIOS - DIA 7

Como me preparar para a volta de Jesus? (Fazer um X no quadrado ao cumprir o desafio) Vou memorizar a promessa de Jesus que está em João 14:1-3

Telefonarei para os meus avós e tios e contarei a eles o que aprendi sobre a promessa de Jesus.

Devo estar pronto para ir à igreja no sábado.


Tema 8

FINALMENTE COM O CRIADOR!

Versículo para memorizar: “Ouvi uma forte voz que vinha do trono e dizia: “Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais ele viverá. Eles serão os seus povos; o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus.” (Apocalipse 21:3). Pensamento especial: Deus está preparando um lugar maravilhoso no céu para me levar para viver com Ele. Referência Bíblica: Apocalipse 21 e 22. Boas-vindas - Apresentador Olá, queridas crianças! Que prazer vê-las novamente! Nesta semana, passamos momentos muito felizes juntos em nosso tour por Jerusalém. Porém, agora estamos no fim da semana e nossa viagem também chegou ao fim. Hoje é nosso último dia juntos aqui; mas sei que o tour e a história de hoje ficarão em seu coração para sempre. Visitar diferentes lugares e conhecer os costumes da época de Jesus foi muito bom; porém, o mais importante foi conhecer mais a respeito do que Jesus fez por nós.

85


Ontem, aprendemos a respeito dos sinais que nos indicam o tempo da vinda de Jesus e como será a Sua Segunda Vinda. Hoje, iremos conhecer o final dessa história maravilhosa. Cantos e Oração Convido-os a buscarmos nosso amigo, o Guia Turístico, para descobrirmos o que nos espera neste último passeio. Apresentação do Tema - Guia Turístico Durante toda a semana, estivemos aprendendo a respeito das características da cidade de Jerusalém; as que existem na atualidade e como eram nos tempos de Jesus. Já lhes contei que Jerusalém está situada sobre um monte e que estava rodeada por uma muralha com várias portas que servia para protegê-la. Hoje, quero mencionar-lhes outras características dessa cidade interessante. Em primeiro lugar, quero lhes contar a respeito das ruas ou vielas. Elas eram estreitas e atravessavam a cidade em todas as direções. Os mercadores que vendiam o mesmo tipo de produto ou os artesãos que fabricavam os mesmos produtos, de forma geral viviam na mesma via e a chamavam, por exemplo de: “Rua dos Padeiros”. As esquinas serviam como lugares de reunião. Outro detalhe interessante a ser lembrado é o que dissemos a respeito das casas, vocês se lembram? Eram feitas de pedra; o telhado era revestido com madeira. O povo comum vivia em casas de um só aposento, com dois pisos: um inferior para os animais domésticos e outro mais elevado para a família. As pessoas ricas tinham casas com quartos dispostos ao redor de um pátio. Os tetos ou terraços eram utilizados para dormir, expressar lamentações, para orar e para meditar. Agora quero falar para vocês sobre outra cidade; outra Jerusalém: é a Jerusalém celestial... Ontem, lemos em nosso Livro dos Tesouros que Jesus

86


virá outra vez para buscar Seus filhos fiéis e levá-los para viverem com Ele nas casas que estão sendo preparadas para nós; mas como será a nova Jerusalém, a cidade onde viveremos com Jesus? Quantos gostariam de saber? Há muito tempo atrás, Deus mostrou a um grande profeta como será o lugar que Ele nos está preparando. É por isso que João, o profeta, é a pessoa indicada para nos ajudar com este assunto. Nosso convidado de hoje é o profeta João, o discípulo amado. Encenação (João entra caracterizado.) Guia – Olá, João! João – Olá! Olá, crianças! Guia – O senhor nos poderia contar o que Jesus lhe mostrou a respeito na Nova Jerusalém? João – Claro que sim! Terei o maior prazer em fazê-lo. Um anjo me disse: “Venha, eu lhe mostrarei a noiva, a esposa do Cordeiro” (Apocalipse 21:9). E, em visão, pude contemplar a linda cidade... Foi algo maravilhoso! O anjo me mostrou que a cidade tinha uma muralha grande e alta, com doze portas, três de cada lado da cidade e que em cada porta havia um anjo (Apocalipse 21:12). As paredes do muro eram feitas de pedras preciosas (Apocalipse 21:11) que brilhavam com suas cores parecendo um arcoíris. Quando a luz incidia sobre essas pedras, emitiam um brilho e resplendor tão fortes que eu não podia fixá-las com os olhos que agora temos. As pedras do fundamento do muro da Cidade Santa eram pedras preciosas. A Nova Jerusalém é quadrada, sua largura é igual ao seu

87


comprimento. Cada lado mede aproximadamente 2.200 km. Ou seja, de São Paulo até João Pessoa, na Paraíba (indicar outras distâncias conforme sua localização). Guia – João, a cidade é muito grande! O que mais em sua visão lhe chamou a atenção? João – Tudo o que vi me chamou a atenção. Assim mesmo, vou ressaltar algo que exerceu grande impacto em mim. O anjo me mostrou que no meio da cidade está o trono de Deus! Do trono dEle sai um lindo rio, o “rio de água da vida que, claro como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro” (Apocalipse 22:1, 2). Outra coisa que me chamou a atenção é que na cidade não haverá necessidade do Sol nem da Lua, porque a glória de Deus a ilumina completamente (Apocalipse 22:5). Guia – Que revelações incríveis!... Não haverá nem o Sol nem a Lua?... João, por favor, continue falando-nos da cidade celestial. João – Gostaria de lhes contar mais detalhes, mas tudo o que o Senhor me mostrou deixei escrito no livro do Apocalipse, o último livro da Bíblia. Porém, antes de sair, gostaria de dizer-lhes que para mim o mais importante de tudo – sim a cidade é muito linda, a paisagem é maravilhosa – mas o melhor de tudo será que ali estaremos para sempre com Jesus. Poderemos abraçá-Lo, falar com Ele, ouvi-Lo e, acima de tudo, agradecer-Lhe por todo o amor que teve e tem por todos nós. Agora, tenho que ir embora... Desejo que em breve possamos nos encontrar todos na Nova Jerusalém! Guia Turístico - Adeus, João! Muito obrigado por tudo o que nos contou! Será muito bom podermos estar na Nova Jerusa-

88


lém e vermos todas as suas maravilhas. Agora chegou o momento de irmos à Oficina de Trabalhos Manuais, porque hoje iremos aprender a respeito das pedras preciosas!... Vamos trabalhar! Oficina de Trabalhos Manuais – Artesão – Caixinha com pedras Que bom nos encontrarmos novamente em nossa oficina! Hoje gostaria de lhes contar a respeito de algumas pedras preciosas. As pedras preciosas e coloridas são as gemas mais populares. Devido às suas diferentes cores brilhantes, cada pedra tem sua própria identificação, despertando grande atração nas pessoas. Na antiguidade, foram usadas em jóias majestosas, especialmente dos reis e dos nobres. No presente, as pedras preciosas são muito valorizadas. O rubi, a esmeralda e a safira são as três únicas pedras coloridas consideradas como preciosas, isto devido a cumprirem três características necessárias: sua dureza, sua escassez e suas cores extraordinárias. (Mostrar Power Point).

A qualidade mais importante do rubi é sua cor vermelho brilhante. Seu componente principal é o coríndo, o segundo material mais resistente depois do diamante. Portanto, o rubi é uma das pedras mais duras. Na rocha bruta o rubi tem aparência opaca e oleosa, mas depois de lapidado, tem um brilho muito especial. Chamamos de safira toda pedra que tenha como componente o coríndo e cuja cor não seja vermelha. A cor mais valiosa das safiras é o azul intenso devido à sua escassez e beleza.

89


As distintas cores da safira se caracterizam atualmente por um qualificativo: safira verde, safira amarela, safira alaranjada, etc. A safira incolor é também chamada de leucosafira. O verde brilhante é uma esmeralda que não tem ponto de comparação com nenhuma outra pedra que pudesse ter essa cor. Além disso, sua grande escassez a torna uma das gemas mais caras no mercado. O nome “Esmeralda” provém do grego, mas provavelmente sua origem seja persa, que significa “pedra verde”. Estas são apenas algumas das pedras preciosas que poderemos ver na Nova Jerusalém. Embora aqui na terra essas gemas sejam muito procuradas, apreciadas e valorizadas, lá no Céu, Jesus as deixará ao alcance de nossas mãos e olhos para que nos maravilhemos com Sua criação. Para lembrá-las, quero propor-lhes um trabalho manual para hoje. Faremos uma caixinha e a cobriremos com um material brilhante que nos fará lembrar essas pedras preciosas. Materiais:  Ver modelo.  Fotocópia do molde para cada criança, cartolina.  Cola.

90


 Lantejoulas coloridas: vermelho, azul, verde. Pode ser utilizado glitter, papel metalizado.

Instruções:  Montar a caixa.  Colar as lantejoulas na tampa ou nas laterais. Sugestão:  Deixar a caixinha pronta para a aplicação do tema. Guia Turístico As caixinhas ficaram realmente lindas! Agora vamos pegar nosso Livro dos Tesouros para seguir o conselho que João nos deixou. Leiamos Apocalipse, o último livro da Bíblia, e ver o que nos diz a respeito da Nova Jerusalém. Procuremos o capítulo 21. Vamos ler os versos 1-5, 10-19 e também o capítulo 22, os versos 1 a 5. (Separe as crianças em três grupos liderados por adultos a fim de ajudá-las na leitura. Cada grupo lê determinado número de versos. Depois poderão responder às perguntas formuladas pelo Guia Turístico.) Para relembrar o que vocês leram, irei fazer algumas perguntas e espero a resposta de vocês. 1. Quem pôde ver a Cidade Santa? (21:1 e 2 – João) 2. O que não haverá na Nova Jerusalém? (22:5 – morte, pranto, clamor, dor, noite, luz de lâmpada, luz do Sol.) 3. O que sai do trono de Deus? (22:1 – o rio cristalino.) 4. Qual é a forma geométrica da cidade? (21:16 – Quadrada.) 5. Quantos frutos a árvore da vida dá e por quanto tempo? (22:2 – doze, um por mês.) 6. O que adornava os fundamentos da muralha? (21:19 – pedras preciosas.)

91


Mapa As crianças deverão colar a figurinha de Jesus no Céu. Trabalhem nas atividades correspondentes ao 8º dia do Díptico. Aplicação: Que lugar maravilhoso nosso Amigo Jesus está preparando para aqueles que O amam! Será um lugar muito feliz onde vamos viver! Porque Ele estará conosco por toda a eternidade, com ternura enxugará nossas lágrimas e não mais iremos chorar, porque tudo de desagradável já terá passado, não mais haverá morte ou dor... não haverá discussões, lutas... Apenas haverá perfeita paz. Vocês gostariam de viver nessa cidade gloriosa que Deus preparou para Seus filhos? Gostariam de entrar nessa cidade com seus familiares e amigos? Quantos querem viver no Céu? Todos! Eu também quero estar lá com Jesus. Vocês devem estar pensando o que devemos fazer para estar com Jesus? Prestem atenção: Primeiro, devem conhecer a Jesus; conhecê-Lo de tal forma que cheguem a amá-Lo. Vocês também lhe devem pedir ajuda para viverem a cada dia como Ele ensina na Bíblia. Assim vocês estarão aceitando o que Ele fez por vocês ao morrer na cruz. Ele pagou cada um de nossos pecados e deu a Sua vida para que pudéssemos ser salvos e viver no Céu. Nossa parte é aceitar essa salvação gratuita que Ele nos outorga. Vocês desejam hoje aceitar a salvação que Ele nos dá? Querem ir para o Céu e viver com Jesus por toda a eternidade? Peguem sua “caixinha preciosa” e neste coração (Prepare um cartão em forma de coração para ser guardado na caixinha) escrevam sua decisão e guardem-na como um tesouro muito especial. (Ajude as crianças a escreverem suas decisões pessoais.) Deus nos deixou a Bíblia para que possamos conhecê-Lo

92


cada dia mais. Devemos estudá-la todos os dias e, por meio da oração, pedir-lhe que o Espírito Santo nos ajude a vivermos como Jesus. Vocês gostariam de ter sua própria Bíblia? A partir da próxima semana iniciaremos reuniões parecidas com as desta semana, onde poderemos nos reencontrar e seguir aprendendo de Jesus, da Nova Jerusalém e muitos outros assuntos de que vocês irão gostar... Como presente, vocês poderão ganhar uma Bíblia. (Previamente, consultar os líderes da igreja, para que não faltem Bíblias para os que participarem.) Nosso passeio por Jerusalém chegou ao fim. Durante estes dias nós nos conhecemos e juntos apreciamos tudo o que nos foi apresentado. Porém, meu desejo pessoal é que possamos seguir nos encontrando para conhecermos mais a respeito de Jesus e prepararmo-nos para viver com Ele na Nova Jerusalém. Temos um lindo convite no Livro dos Tesouros. Em Apocalipse 22:17, lemos: “O Espírito e a noiva dizem: ‘Vem!’ E todo aquele que ouvir diga: ‘Vem!’ (Apocalipse 22:17). Jesus está convidando a cada um de vocês pessoalmente... Qual será a sua resposta? Compartilhando Desafios Diários Nº 8 Entregue o material com os três desafios diários para que as crianças levem para casa e cumpram as tarefas. Explique no que consiste cada desafio e anime as crianças a pô-los em prática. Canto Tema, Oração, Encerramento (Não se esqueça de promover com dados exatos a próxima reunião para as crianças. Você também pode inscrever as crianças convidadas para realizar o curso de 8 lições: Carteiros Missionários. Assim, as crianças – Adolescentes da igreja visitarão os interessados em seus lares.)

93


FINALMENTE COM O CRIADOR!

DESAFIOS - DIA 8

Como eu posso estar pronto para me encontrar com Jesus? (Fazer um X no quadrado ao cumprir o desafio) Vou assistir às próximas reuniões que juntos teremos em ___ _______________________________.

Telefonarei para os meus avós e tios e contarei a eles o que aprendi sobre a promessa de Jesus.

Devo estar pronto para ir à igreja no sábado.


RESPoSTAS das ATIVIDADES Do TRÍPTICO 1. 18 ramas de palmeira. 2. 4 cântaros. 3.

4. “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem”. 5. Três, lençóis, José, osso, sepulcro, anjos, Nicodemos, Pilatos, Mestre, soldados, consumado. 6. “... Jesus... virá outra vez do mesmo modo como o vistes subir”. Atos 1:11

E Z

A R T U O

7. Todas as pessoas. 8. Desenho.


Semana Santa Infantil 2010  

Semana Santa Infantil 2010 - Manual Ministérios da Criança Igreja Adventista do Sétimo Dia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you