Issuu on Google+

a revista do jovem que pensa

www.conexaoja.com julho-setembro 2007

Hora de

estudar

A carreira de sucesso começa na escola

ADRENALINA

17223 – Conexão JA 03/2007

Jovens encaram desafio de dez horas na Mata Atlântica

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


A évida

________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

2

Michelson Borges

Editor

Otimar Gonçalves

Líder de Jovens na Divisão Sul-Americana

es

18

Foto: Divulgação

Opo

Ilustração: Carlos Seribelli

Foi quase assim que o sábio Salomão concluiu seu inconstante ciclo de vida aqui na Terra. O rei diz: “Vaidade de vaidade, diz o Pregador, tudo é vaidade” (Ec 12:8). A palavra “vaidade” aparece aproximadamente 53 vezes em toda a Bíblia. Somente no livro de Eclesiastes, ela ocorre 33, quase sempre correlacionada com as ilusões e as futilidades da vida. No original hebraico, “vaidade” significa: vapor, respiração; traz a idéia de algo vazio. A grande pergunta existencialista que nunca calou e não quer calar é: Definitivamente, qual é o sentido da vida? Considero Salomão o homem mais sábio do mundo depois de Jesus Cristo. Entretanto, por que ele cometeu tantos erros? Por que um homem tão sábio cometeu tantos pecados? Aliás, quais foram os principais erros dele? Vou enumerar “apenas” três – a bem da verdade, poderíamos fazer uma lista maior dos pecados do rei Salomão, porque até os sábios separados de Deus erram. 1. Ele quis ser sábio pela glória da sabedoria em si mesma. O objetivo-mor da sabedoria é glorificar aquele que a concedeu – Deus. 2. Ele quis ser rico pela glória e pelo poder que a riqueza traz. 3. Ele quis o prazer de muitas mulheres, quando apenas uma é suficiente. Salomão quis muito prazer , não pensando em glorificar a Deus por meio desse dom maravilhoso que é a sexualidade (Gn 2:24). Pense com consideração e carinho nesta advertência: “O erro de Salomão em considerar -se suficientemente forte para resistir às influências de associações pagãs foi fatal” (Profetas e Reis, p. 54). Jovem, eu precisamos precisamosaatodo todoinstante instantecolocolovocê ee eu poderosas de de car nossa frágil vida nas mãos poderosas Deus. O que não é vaidade? Qual é o senti“Lembra-te do teu do da vida? O sábio diz: “Lembra-te Criador nos dias da tua mocidade, antes que os maus mausdias, dias,e echeguem cheguem anos venham os os os anos dirás: Não Não tenho tenhoneles nelesprazer” prazer”(Ec (Ec dos quais dirás: Lembre de deJesus Jesusa acada cada instante 12:1). Lembre instante da da sua vida, pois até os sábios, separados de Deus, erram e erram feio. Viva para a glória dEle. É isso que vale!

Divulgação e Omar Franco

Ilustração: Andy Warhol

ana Anna Nicole A ex-modelo norte-americ a Corte a sua luta para Smith, que levou à Suprem o idoso, é mais um triste herdar a fortuna do marid vaidades é como correr exemplo de que viver de rreu após desmaiar num atrás do vento. Anna mo a. Ela tinha 39 anos. A quarto de hotel da Flórid nas cinco meses depois morte súbita ocorreu ape 20 anos, morrer nas de o filho dela, Daniel, de ois de Anna Nicole dar à Bahamas, e três dias dep a havia recebido ordens par luz uma menina. Smith um a a ses fosse submetid que sua filha de cinco me o parte de uma ação com exame de paternidade, orado Larry Birkhead. Ela movida por seu ex-nam . de Stern, seu advogado garantia que a filha era u sce nome real, cre Vickie Lynn Hogan, seu tando a legendária imi as, na pequena Mexia, Tex u o bilionário do petróleo Marilyn Monroe. Conhece o dançava numa casa de J. Howard Marshall quand saram-se em 1994 – ela striptease de Houston. Ca . Marshall morreu no ano com 26 anos, ele com 89 grande parte do resto seguinte, e Smith passou do o espólio com a família da sua vida disputando ns Jea ess delo da marca Gu empresário. Smith foi mo s masculinas. e freqüentadora de revista lo de Anna, Marilyn ído iz Ironicamente, a atr o ontrada morta num quart Monroe, também foi enc s (trê s ano , com apenas 36 em 4 de agosto de 1962 sco fra um lado dela, havia a menos que sua fã). Ao ando à conclusão de lev ir, de remédio para dorm a overdose. que ela havia sofrido um prazer e frustração. ro, hei Fama, beleza, din a regra na vida de muitas Por que isso tem sido um m ôs no coração do home pessoas? Porque Deus “p m alé (Ec 3:11). Nada, o anseio pela eternidade” uma vez que o reino de E . nte disso, satisfaz realme e (cf. Mt 6:33), dinheiro, Deus seja a nossa prioridad ra ser desfrutados de manei beleza e prazer poderão ígnios de Deus. correta, segundo os des

panorama

17223 – CONEXÃO JA 03/2007

um sopro

Marcos ________ Designer

8

QUASE “TUDO É VAIDADE”

24

Dica

Ministério Jovem - Divisão Sul-Americana

Ano 1, no 03 • Julho-Setembro/2007 ISSN 1981-1470 www.conexaoja.com Capa: Marcos S. Santos Fotos: William de Moraes (modelo) e Tibor Fazakas/sxc (moldura)

Rod Cai Fon Site

SER Lig

Seg Sext


8 Espelho,

5 Pode Crer 6 Expressão 12 Saúde e Beleza 13 Aconteceu Comigo 14 Link

espelho meu...

Um assunto que merece atenção

O desafio de exercer a fé num mundo secularizado

Falando em boa aparência, veja o quanto a água pode ajudar

A história de um jovem que tinha tudo contra ele, mas venceu

O que o Grand Canyon tem a ver com a internet? Leia e descubra

Foto: Divulgação

18

O estágio bem feito pode determinar o sucesso na carreira

Foto: William de Moraes

Qual deve ser a postura do jovem cristão numa sociedade que valoriza a aparência?

15 Mercado de Trabalho 16 Portal As campanhas “Quebrando o Silêncio” e “Vida por Vidas” mostram a importância do compromisso cristão

20 Na Cabeceira

Segunda vida

O livro do Curso de Leitura dos jovens de 2008 em primeira mão para você

Oportunidades e perigos do Second Life

26 Raio X 28 Teste

007

e Tibor

22

Dúvida Cruel

Adrenalina

Posso ir ao teatro?

24 Hora de estudar

Muita aventura e desafios numa caminhada de dez horas na Mata Atlântica

Dicas para ter sucesso na escola e na vida

CASA PUBLICADORA BRASILEIRA Editora dos Adventistas do Sétimo Dia Rodovia Estadual SP 127 – km 106 Caixa Postal 34; CEP 18270-970 – Tatuí, SP Fone (15) 3205-8800 – Fax (15) 3205-8900 Site: www.cpb.com.br / E-mail: sac@cpb.com.br SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE Ligue Grátis: 0800 9790606 Segunda a quinta, das 8h às 20h30 Sexta, das 7h30 às 16h / Domingo, das 8h às 14h

Editor: Michelson Borges Editores Associados: Sueli Ferreira de Oliveira, Fernando Torres e Diogo Cavalcanti Projeto Gráfico: Marcos S. Santos Diretor Geral: José Carlos de Lima Diretor Financeiro: Antonio Oliveira Tostes Redator-Chefe: Rubens S. Lessa Gerente de Produção: Reisner Martins Gerente de Vendas: João Vicente Pereyra Chefe de Arte: Marcelo de Souza Chefe de Expedição: Eduardo G. da Luz

Colaboradores: Otimar Gonçalves, Areli Barbosa, Ivay Araújo, Odailson Fonseca, Paulo Bravo, Stanley Arco e Udolcy Zukowski Assinatura: R$ 16,70 Avulso: R$ 5,20 Tiragem: 10.000

Norte: R$ 20,30 Norte: R$ 6,30

17223 – Conexão JA 03/2007

30

Descubra se você sabe ouvir os outros

Foto: Michelson Borges

Ilustração: Carlos Seribelli

Divulgação e Omar Franco

Jesus era um agitador político?

Marcos ________ Designer 9116/17223

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sem prévia autorização escrita do autor e da Editora.

________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


Obrigada pelas mensagens de incentivo. O que falta realmente é coragem de enfrentar os desafios, principalmente quando somos testados em nossa fé. Sara Barros dos Santos Manaus, AM sara_advento@hotmail.com Esta revista é ótima! Traz muita coisa legal, interessante e edificante para nós, jovens. Por favor, continuem. Kleyanne Pereirados Santos Uauá, BA kleyannepereira@hotmail.com A equipe Conexão JA está de parabéns, por promover a conexão perfeita com Deus, oferecendo assuntos e reportagens que atendem as necessidades dos jovens de hoje. Que essa conexão não seja quebrada e que sua “banda” possa se expandir a toda juventude que deseja estar conectada ao nosso “provedor” Jesus. Nanda Raniérica Imperatriz, MA rany_erika@hotmail.com

________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

Conexão JA nos lembra o compromisso com a missão e nos fortalece para sermos fiéis a toda prova, dando-nos a certeza de que ser de Jesus é a melhor escolha. Por fim, Conexão JA me prepara para ser vencedor cada dia. Michael dos Santos Socorro, SE mycchaell@hotmail.com

Amigos, adorei a última edição e, para falar a verdade, adoraria que a revista viesse todo mês, porque ela é muito boa, nos dá incentivo e nos ajuda a ver que temos irmãos que estão vencendo cada dia com Cristo. Juliane Itaperuna, RJ ju-sou-feliz@hotmail.com

Gostaria de parabenizá-los por este grande trabalho. Esta revista me fez viciar. Me sinto perto de Deus quando a leio, mas fico triste quando acabo de ler, porque é pouco ter uma revista dessas para ler durante três meses. Espero que em breve eu possa tê-la todo mês chegando na minha casa. Karen Guarulhos, SP karencatpower@hotmail.com

Amo a Conexão JA. Esta revista é demais! Tem tudo o que um jovem cristão precisa saber. Nós jovens estávamos mesmo precisando de algo assim. Agradeço por pensarem e se preocuparem conosco. Wendya Soares Mossoró, RN wendya.ss@hotmail.com A revista Conexão JA está de parabéns. Os jovens adventistas estavam precisando de uma revista assim para relacionar igreja com atualidade. Temos a missão de anunciar a mensagem, mas ultimamente as pessoas não querem ouvir sermões. Por meio da revista, pregamos sem perceber e é isso que faz a diferença. Continuem assim! Débora Oliveira Macaparana, PE debora_olyveyra@hotmail.com Esta revista está dando o que falar. Deixo tudo para lê-la. Josinaldo Bispo Salvador, BA jobis.j.b@hotmail.com

É impressionante o modo com que a revista Conexão JA traz à tona assuntos e mensagens de impacto. Não me sinto repreendido quando as leio, mas motivado a mudar e firmar-me junto a Cristo cada dia. Parabéns a toda a equipe! Paulo Henrique Leite Dias Sobradinho, DF ph_gsm@hotmail.com Gostaria de parabenizar a Conexão JA. É uma ótima opção para os jovens que querem ficar bem informados. Começaram superbem; e pelo jeito a revista promete ficar melhor. Paulo Geovane Sampaio, TO laycris@brasil.com Esta revista realmente é uma bênção na vida dos jovens. Que ela possa sempre continuar assim, ajudando o jovem a ter uma conexão maior com Deus. Nota 1000! Dayana Krauzer Serra, ES dayana_paty@hotmail.com

Quem não explode um dia? De alegria ou de raiva, de amor ou de paixão? Vamos lá, a explosão não é o fim. Ela pode ser o começo. Se às vezes você fica frustrado, este livro vai ajudá-lo, pois ele é fruto da experiência de vida e das pesquisas do autor.

Cód. 7025

Para adquirir ligue: 0800-9790606*, acesse: www.cpb.com.br, faça seu pedido no SELS de sua Associação, ou dirija-se a uma das Lojas da CASA. *Horários de atendimento: Segunda a quinta, das 8h às 20h / Sexta, das 7h30 às 15h45 / Domingo, das 8h30 às 14h.



Qu das atr qua imp

jul–set 2007

Foto: Alex L’Azzurro/sxc

Marcos ________ Designer

Fábio Borba | Imagem: Fotolia

17223 – Conexão JA 03/2007

Esta revista inovou e preencheu as nossas expectativas, fazendo assim com que fiquemos em conexão com Deus, com a Igreja e com os jovens. Daniel Costa Frutal, MG danielverissimocosta@yahoo.com.br

Há muito tempo me sentia frustrado por terem retirado de circulação a revista Mocidade. Achava até que nada conseguiria substituir o perfil maravilhoso daquela revista. Mas tenho que admitir, esta revista é show! E muito abençoada! Jardan Pinheiro Santana do Araguaia, PA dandannalu@gmail.com

Ícones: Carlos Seribelli

A revista é o máximo! Minha esposa e eu somos líderes JA e estamos aproveitando tudo com nossos jovens. O jovem adventista já estava precisando de uma revista assim com temas voltados para suas dúvidas. A revista veio para abrir mentes e mostrar respostas. Berlane Barbosa da Silva Caxias, RS Landcecy@hotmail.com


Ar eli BAr Bos A

Quando a atenção das pessoas é atraída para algo, qual é a importância disso?

Foto: Alex L’Azzurro/sxc

Ícones: Carlos Seribelli

m

Ao longo da história deste mundo podemos ver momentos de verdadeira importância e que não chamaram tanta atenção. Quase dois mil anos depois da Criação, Deus mandou Noé construir um barco para salvar pessoas do Dilúvio. Era um acontecimento extremamente importante, porque quem acreditasse e entrasse na arca seria salvo; era um assunto de vida ou morte, mas infelizmente a Bíblia diz que “o povo comia, bebia e casava-se, até o dia em que Noé entrou na arca e não perceberam”. O problema não estava em comer, beber ou casar-se, mas em não perceber a gravidade daqueles dias. E milhões de pessoas se perderam nas águas furiosas do Dilúvio. Somente quatro casais se salvaram. Nas colinas de Belém aconteceu algo de suma importância: numa estrebaria nascia Jesus Cristo, o Filho de Deus, o Salvador do mundo. As pessoas não estavam esperando esse acontecimento. Elas estavam preocupadas com o recenseamento, viagens, lucros e hospedagem. A pessoa mais importante do mundo estava nascendo e ninguém a esperava. Alguns pastores e três reis magos foram os únicos a visitá-la. Que vergonha! Mais um grande acontecimento passou despercebido. Quando Jesus morreu na cruz, muitos estavam absortos em seus afazeres e negócios. Mas, veja que interessante! Enquanto o mundo estava desatento, o Universo presenciava os acontecimentos com grande interesse: “Todo o Céu, bem como os não caídos mundos, foram testemunhas do conflito. Com que profundo interesse seguiram as cenas finais da luta!” (O Desejado de Todas as Nações, p. 759). Existe alguém interessado em desviar a atenção das pessoas daquilo que é realmente importante? Sim, a Bíblia diz em 2 Coríntios 4:4: “Nos quais o deus deste século (Satanás) cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo.” Satanás cegou este século. Por que ele desvia a atenção?

Ele não quer que os habitantes deste mundo tenham o conhecimento da verdade e se salvem. A Bíblia diz que “ele está furioso porque sabe que pouco tempo lhe resta” (Ap 12:12). Ele quer levar o maior número de pessoas à perdição. Toda estrutura do mal foi montada neste mundo para distrair a atenção das pessoas de algo muito importante. Quando Satanás procura criar milhões de atrativos é porque tem algo muito importante acontecendo e ele não quer que as pessoas percebam. A atenção é desviada para que elas não tenham a oportunidade de salvação. Nunca houve um tempo com tantos divertimentos e atrativos como este século. Mas por quê? O que estaria ocorrendo hoje que é muito importante? Depois que Jesus ressuscitou, para onde Ele foi? Para o Céu. O que Ele está fazendo? Ele intercede pelo pecador no Santuário Celestial. O Santuário é o lugar onde o problema do pecado tem solução definitiva. Até 1844, Ele estava no Lugar Santo; depois de 1844, Ele entrou no Lugar Santíssimo. Quando o sacerdote entrava no santíssimo, significava que o santuário seria purificado dos pecados e o pecador seria declarado perdoado. Jesus Cristo está no Santíssimo e está prestes a erradicar o pecado do Universo. Cada nome está passando por Ele, primeiro o dos justos e depois o dos ímpios. Este é um momento solene, porque a qualquer hora em conjugação com o cumprimento dos sinais da volta de Jesus, Ele pode fazer a declaração que está escrita em Apocalipse: “Está feito”, “Continue o justo fazendo justiça e continue o ímpio na sua impiedade”. Ele, então, fechará a porta da graça e não haverá possibilidade alguma de alguém se salvar mais. Você está vivendo no momento mais solene da história deste mundo. Onde está sua atenção, no Céu ou nas coisas da Terra? Coloque sua atenção naquilo que é importante porque a palavra de Deus diz, em Hebreus 12:1: “Deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus [Ele está no Santuário Celestial], autor e consumador da fé.”

17223 – Conexão JA 03/2007

Preste atenção

a

Marcos ________ Designer ________ Editor

Areli Barbosa

Líder de Jovens na União Sul-Brasileira areli.barbosa@usb.org.br

jul–set 2007



________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


Mistériosda E

Conexão JA: Qual o papel da fé na vida cristã? Weles: Se não fosse a fé, eu não seria cristão e poderia acr editar em qualquer teoria. Para continuar na caminhada cristã é preciso ter fé. Quando pedimos algo a Deus e Ele responde, nossa fé se faz real e se fortalece. Paloma: Depois da morte de Jesus na cruz, é a fé que me leva à salvação. Fábio: Sem fé não faria sentido ser cristão. Sou adventista desde os 16 anos e vivo pela fé. Acr edito que esse seja o melhor caminho para mim e que é preciso ter fé para me manter cristão. A gente é salvo pela fé e mantém a vida cristã também pela fé. Aline: Uma vez um professor de cursinho me disse que tinha fé naquilo que ele havia estudado. Eu também decidi crer naquilo que estudei e que tenho experimentado. Portanto, a fé tem um lado racional, de decisão. Weles: Não tenho fé apenas porque vou receber algo no futuro. A fé é real e transforma nossa vida a cada momento.

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

Suellen Carlin, 24 anos, Curitiba, PR

Fábio Borba, 22 anos, Balneário Piçarras, SC

O que os jovens pensam sobre crer e praticar boas obras num mundo secularizado

Jônatas: Na verdade, todos têm algum tipo de fé. O que nos difer encia é em que cremos. Existe alguma coisa que dá base para a fé? Jônatas: Sim, a Bíblia. E ela é confirmada por estudos e documentos antigos. Aline: Escavações ar queológicas tam bém têm confirmado nossa fé na Bíblia. Fábio: Os grandes cientistas do passa do reconheciam duas fontes de conhe cimento: a ciência e a Bíblia. Weles: As pr ofecias também fortale cem a nossa fé, já que se cumprem perfeitamente. Estamos vivendo o cumpri mento de muitas dessas pr ofecias hoje. De certa forma, somos mais uma pr ova de que a Bíblia é real. Paloma: Fé não é algo que eu produzo dentro de mim. É um dom de Deus e eu devo buscá-lo. É um fruto do Espírito. Não é apenas pelos fatos que eu passo a ter fé. Tenho fé a partir do momento que Deus concede esse dom para mim. É um dom gratuito para quem quiser. Devemos orar para que Deus aumente nossa fé. Se basta ter fé para ser salvo, que papel têm as obras? Paloma: T emos que cr er para

Paloma Cartaxo, 21 anos, Vitória da Conquista, BA

Fotos: Daniel Oliveira

17223 – Conexão JA 03/2007

llen White escr eveu que “com tal exér cito de obr eiros como o que poderia fornecer a nossa juventude devidamente preparada, quão depressa a mensagem de um Salvador crucificado, r essuscitado e prestes a vir poderia ser levada ao mundo todo! Quão depr essa poderia vir o fim – o fim do sofrimento, tristeza e pecado!” (Educação, p. 271). Os jovens são a maioria dos membros da Igreja Adventista atualmente. Eles têm ânimo e entusiasmo. Então o que falta para que se envolvam mais na obra de evangelização? O que fazer para aproveitar essa força, esse “exército”? O caminho das boas obras passa necessariamente pelo exer cício da fé. O que os jovens pensam dessa relação entre fé e obras é essencial para uma vida cristã saudável e o envolvimento no trabalho pela igreja e pelos outros. Mais uma vez Conexão JA reuniu um grupo de jovens de várias partes do país para tratar desse tema. E eles soltaram o verbo!


Fotos: Daniel Oliveira

O que são boas obras, no contexto cristão? Paloma: Ellen White diz que se fizéssemos um dossiê de todas as boas obras do homem e entr egássemos para os anjos dizendo que aquilo faz parte do plano de salvação para o homem, eles encarariam como traição. Portanto, para a salvação, nossas obras somente não funcionam. Mas as obras contam. Tudo o que envolve a minha vida – as palavras, as atitudes – é importante como testemunho. Aline: Obra para Moisés foi abrir mão de ser príncipe no Egito. Para Abraão foi entregar o filho da pr omessa. Obra é obedecer ao que Deus manda, independentemente do que seja; se pequenas ou grandes coisas. Fabio: Para mim, obras têm que ver com ser. Não é apenas o que eu faço. Nosso dever é pr osseguir sempr e buscando a Deus para que Ele nos ajude a ser fiéis. Weles: As obras da fé acabam trazen do salvação para as pessoas e para nós mesmos, que cr escemos ao trabalhar pelos outros. Jônatas: No contexto cristão não tem como fé e obras andar em separadas. Obras englobam também os pensa mentos e as decisões, pois eles trazem conseqüências reais.

não seja obra que provenha da fé, mas de uma necessidade interior de aceitação. No livro Aos Pés de Jesus (Casa), o autor diz que há pessoas tão carr egadas de obras na igr eja que não têm tempo para Deus. Também temos que cuidar disso. Suellen: Os que trabalham na obra correm risco ainda maior de esfriar, pois se justificam pensando que já traba lham para a igr eja mesmo. Mas a per gunta é: O que eu estou fazendo particularmente para Deus? Devemos fugir do comodismo. Weles: Sempr e participei na igr eja, cantando em quarteto e fazendo ou tras coisas. Tudo isso é muito bom. Mas houve uma vez em que tive que fazer algo mais. No ano passado, um colega de trabalho me pr ocurou dizendo que freqüentava um centr o espírita e que estavam acontecendo coisas estranhas com ele. Falei da Bíblia para ele e ele me fez um pedido que no fundo me fez te mer: pediu-me que o ajudasse. Naquele instante senti o que era realmente praticar a boa obra. Mas é difícil, pois eu não ia r eceber aplausos e estaria de fr ente com o inimigo. Pensei até em ligar para o pastor, mas resolvi visitar meu colega. Começamos a estudar a Bíblia e ele disse que depois da primeira visita e da pri meira oração, passou a sentir paz e nunca mais os “espíritos” o atormentaram. Eu fui meio que obrigado a fazer aquilo, mas pude sentir o que é r ealmente praticar a fé. Aline: É preciso buscar na Fonte para poder praticar boas obras; obras genuínas.

Que tipo de obra dá mais certo para o jovem cristão? Weles: Visitar amigos que se afastaram da igreja. Paloma: Muitos jovens estão apáticos hoje. Quase não se vê jovens dando estudos bíblicos. Par ece que a maioria pensa mais em cantar na igr eja. O tra balho na igreja é importante, sim, mas a maior necessidade é de pregação. Suellen: É muito importante or ganizar sociedades de jovens que aproveitem os diversos dons dos jovens e os canalizem no trabalho missionário. Weles: Quando um jovem dá estudo bíblico para outro jovem, dá muito mais certo. Eles falam a mesma linguagem. E quando um grupo de jovens se une, isso tem um poder tremendo de atrair outras pessoas para a igreja. Aline: É importante também que haja liderança para or ganizar os jovens e aproveitar o potencial deles. Fabio: A amizade conta muito quan do quer emos testemunhar . É fácil ser adventista no meio adventista. Mas manter os princípios e ser amigo noutro meio é o desafio. Jônatas: Para praticar boas obras não tão visíveis, é pr eciso esquecer de você mesmo e pensar na pessoa, sem esperar nem mesmo agradecimento. Mas nós acabamos sempre sendo os maiores beneficiados. É uma lógica inter essante e inversa. Suellen: Se fomos transformados por Deus, nossas boas obras vão apar ecer no dia-a-dia. Nas pequenas coisas. De forma desinteressada. Weles: Isso por que Cristo viverá em nós.

Marcos ________ Designer

Como diferenciar as obras do Espírito das obras que são meramente resultado do esforço humano? Paloma: Quando há engrandeci mento pessoal, acredito que isso Weles Siqueira, 23 anos, Itapevi, SP

17223 – Conexão JA 03/2007

fazer obras boas como conseqüência disso. É a fé que me leva à salvação, à justificação e a um estilo de vida cristão. Aline: A seqüência é: primeiro a fé, depois a obediência. Se invertermos essa ordem, ter emos pr oblemas. E é bom lembrar que a fé sem obras é morta. Suellen: Mesmo o chamado “bom la drão” deixou um tipo de boa obra antes de morrer. Alguém hoje pode ler a his tória dele e se converter . É uma “obra póstuma”.

________ Editor

Aline Santos, 24 anos, Belo Horizonte, MG

Jônatas Queiroz, 21 anos, São Paulo, SP

________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


s ueli Ferr

eir A de

o liveir

A

O

________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte



jul–set 2007

Foto: Gentileza do entrevistado

A aparência do jovem cristão neste mundo de vaidades

Marcos ________ Designer

Os chineses pintaram sua par ede com o maior cuidado, enquanto os gregos apenas poliram sem parar a superfície da outra. Depois de ár duo trabalho, finalmente, o rei pôde conferir o resultado. As cortinas foram removidas. De um lado, estava a bela pintura chinesa. Na outra parede, que havia sido polida até transformar-se num espelho,

Foto: William de Moraes

17223 – Conexão JA 03/2007

rei estava pr eocupado. Anda va de um lado para o outro do palácio achando tudo tão feio, que decidiu decorar o pr édio com pinturas novas e deixá-lo ainda mais bonito. Chamou seus conselheir os e secretários, e exigiu que encontrassem as melhor es equipes de decoração do mundo. Depois de longas entr evistas com várias equipes que se candidata ram, finalmente, duas foram seleciona das: uma era gr ega, outra era chinesa. No entanto, era necessário ficar com apenas uma. Então o próprio rei aplicou um teste. Ele escolheu um dos aposen tos do palácio, mandou colocar em uma cortina bem no meio e as equipes deveriam decorar as paredes opostas.


Foto: Gentileza do entrevistado

s

5 ano

ber, 2 o Gru

Thiag

jul–set 2007



17223 – Conexão JA 03/2007

que o ungido do Senhor estava dian te dele. Mas o Senhor lhe disse: ‘Não atentes para a sua apar ência, nem para a altura da sua estatura, por que o te nho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, por ém o Senhor olha para o coração’ (1Sm 16:7). Nenhum desses filhos de Jessé, de no bre parecer, o Senhor quis aceitar. Mas, quando Davi, o filho mais jovem, mer o “A Banca do Distinto”, de Billy adolescente, foi chamado do campo, e Blanco, compositor paraense). passou diante de Samuel, o Senhor dis se: ‘Levanta-te e unge-o, por que este Fica fácil acr editar que o caminho para mesmo é’ (1Sm 16:12)” (Ellen White, Conselhos aos Pais, Professores e Estu - o sucesso e a felicidade passe necessa riamente pelo visual. dantes, p. 43, 44). Houve época em que os concursos Quando olhamos alguém pela primeira vez, é inevitável, somos superfi - de miss eram bem concorridos em nosBonito, hein?! ciais. E, em nossa sociedade voltada para so país. Depois, por um período, ficaram Temos a tendência de privilegiar as meio adormecidos no Brasil, se bem que o culto da apar ência, não é estranho as pessoas que julgamos atraentes. Por no r estante do mundo continuavam pessoas bonitas exemplo, quando uma pessoa atraente o ã n a r e atraentes esta - com todo o prestígio de sempre. para os nossos pa bo de, em s virtudes, rem em evidência a d i a v Na História, há muitos r elatos mosdrões faz uma tolice “A nte a e is m o l ç a n t a r o trando que a vaidade não é assunto na mídia. ou comete um strua t -as todas” (F 680], e d Essas são al - recente. No antigo Egito, os homens crime, a r eação -1 na desorde efoucauld [1613 raspavam todos os pêlos do corpo, já os gumas das razões comum é: “Como a Roch cês). L n e a r d f r por que mulheres e homens assírios usavam longos cabelos e barbas. pode um rapaz tão escrito Os romanos exageravam nos perfumes procuram se tornar atraentes. bonito fazer uma coi e as mulher es gr egas, na maquiagem. A todo instante, há imagens de outras sa dessas?” É reação automática, como mulheres e outr os homens bonitos pa - Na Idade Média, a mulher bonita era se a beleza estabelecida por nós tivesse magra e pr ecisava ter r osto infantil. Na alguma coisa a ver com caráter. Nós nos recendo alcançar sucesso e felicidade. enganamos, mas não fazemos isso sozinhos. Pense num filme, qualquer filme. É importante cuidar da imagem, da maneira como nos vestimos, nos com Qual é a apar ência do mocinho e qual portamos, nos apresentamos, falamos. Precisamos tomar cuidado porque a li é a apar ência do vilão? Isso não quer nha entre a vaidade e o bom “marketing pessoal” é muito tênue. Precisamos equilibrar o que desejamos mostrar e a impressão que vamos passar para outros. dizer que a ficção não nos surpr eenda Muitas vezes encontramos pessoas que somente falam de si o tempo todo, seja às vezes; no entanto, quando o vilão em uma roda de bate-papo entre amigos ou até mesmo no púlpito da igreja. tem cara de mocinho, é realmente para Elas se preocupam tanto em aparecer e mostrar o que são capazes de fazer e surpreender. acontecer que esquecem que a melhor forma de aparecer é despertar nos outros Julgar os outros pela aparência é inea vontade de se interessar por elas. Esquecem-se que Cristo deve vir primeiro em nossa vida e é Ele que deve ser exaltado. rente ao ser humano. Nem personagens Acho que a vaidade também pode pegar o jovem cristão bíblicos consagrados escaparam disso. em aspectos inusitados da vida, principalmente nos “Em nosso juízo poderíamos olhar para talentos e habilidades que Deus nos dá. Nada seríaa apar ência exterior, como fez Samuel mos se não fosse por Cristo. Se somos reconhecidos por tocar um instrumento musical, escrever, liderar, quando foi enviado a buscar o ungido cantar ou nos apresentarmos em público e não for do Senhor. Quando os nobr es filhos de mos humildes em reconhecer que esse talento vem Jessé passaram diante dele, e seu olhar de Deus, automaticamente, o inimigo, de forma bem repousou no lindo r osto e bela estatura sutil, se aproveitará disso e transformará o que seria o do filho mais velho, par eceu a Samuel dom para salvar almas em nossa própria perdição. o rei viu a bela pintura chinesa com sua própria imagem refletida no meio. “Gostei deste”, disse o rei, sorrindo. E os gregos conseguiram o emprego. “Tudo é vaidade”, diria o sábio r ei Salomão, por que foi exatamente isso o que ele escr eveu (Ec 1:2). V aidade é uma palavra que vem do latim vanitate. Definida na Língua Portuguesa, ela é propriedade de tudo o que é vão, ilusório, instável ou pouco duradour o, coisa fútil, tolice. Há mais alguns significados de que muita gente se esquece, como vanglória e pr esunção. E ser vaidoso também pode r epresentar uma vonta de exagerada de atrair a admiração e as homenagens dos outros.

Foto: William de Moraes

“A vaidade é assim: põe o bobo no alto e retira a escada, mas fica por perto esperando sentada. Mais cedo ou mais tarde ele acaba no chão. Mais alto o coqueiro, maior é o tombo do coco afinal. Todo mundo é igual quando a vida termina com terra em cima e na horizontal” (trecho da canção

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


io de corrupção”

“A vaidade é um princíp

Lislei

Renascença, a s “fofinhas” faziam sucesso. O século passado teve extr emos pr oblemáticos em se tratando de vaidade, por conta dos padrões inatingíveis de beleza. Alguns fizeram regimes de fome e outros se tornaram supermusculosos (“bombados”). A maioria das pessoas não se satis faz com sua aparência física. Uma espiada mais demorada na frente do espelho e já descobrem uma coisa aqui ou outra acolá que gostariam de mudar . Na berlinda, entram todos os itens: formato das mãos ou dos pés, cabelos, olhos, pele, altura, peso, boca, nariz, orelhas. A lista é grande. Em 2004, as professoras Suzy Orba ch, da London School of Economics, e Nancy Etcoff, de Harvar d, fi zeram uma pesquisa em dez países. O r esultado assustador no Brasil foi que o peso e a beleza do cor po influem mais na auto-estima que o sucesso na pr ofissão, a fé r eligiosa ou o númer o de amigos. Apenas 7% das mulheres se consideraram bonitas e, por atto,

Cerig

________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

“A falsa modéstia é o supremo requinte da vaidade” (Jean de La Bruyère [1645-1696], ensaísta francês). causa disso, 54% delas estavam dispos tas a fazer cirurgias plásticas. Dizem que a vaidade é uma ten dência tipicamente feminina. Feminina ou não, ela também atinge, em alguma escala, os homens. E muitos deles, mesmo entr e os jovens da igr eja, cedem à moda, aos diferentes cortes de cabelo e até aos cremes e perfumes. No mercado, é surpr eendente a va riedade de itens para atender aos vai dosos de plantão. Por que as indústrias estão voltadas para a beleza física? A resposta é simples: a vaidade pode ser uma das mais fortes influências. Por causa dela, muita gente não faz econo 10

jul–set 2007

sica ou estimular a sensualidade, e nem abrir espaço para que ‘pequenas coisas’ sejam valorizadas.”

“eu me amo” A lenda de Narciso (leia o quadro na página ao lado) é uma ficção, é óbvio, mas seu símbolo se tornou tão forte que o termo “narcisismo” passou a designar a condição mórbida do indivíduo que tem interesse exagerado por sua própria aparência física. Esse termo foi usado pela primeira vez em 1887 pelo psicó logo francês Alfr ed Binet (1857-1911). No entanto, foi com Freud que o termo adquiriu valor de conceito.

Considero vaidade, na íntegra da palavra, como um exagero, e sabemos que todo exagero é pre judicial. É necessário que se tenha equilíbrio em tudo quanto fazemos, não só porque somos cristãos, mas na qualidade de indivíduos. Existe uma grande diferença entre cuida do conosco e nosso corpo, e ser mos vaidosos. Cuidar do corpo é cuidar do templo do Espírito Santo! Na verdade, Deus é a essência de todas as coisas. Precisamos reco nhecer cada dia mais a nossa ne cessidade dEle, de estarmos cada dia mais ligados a esse amor que embeleza o rosto e a alma. Daiany Fernandes dos Santos, 23 anos

Foto: Gentileza do entrevistado

________ Editor

Pense em Nar ciso hoje, fr eqüentando nossas sociedades de jovens. Ele usa o cabelo levemente bagunçado no alto, mas não se engane – é só porque é assim que está na moda agora. Ele se perfu ma. Ele faz a barba e, de vez em quan do, deixa por fazer porque dizem que as mulheres gostam (dá um ar másculo). Ele se veste bem. É sábado à noite e os jovens combi nam se encontrar para um programa juntos. Vão todos à pizzaria. Antes de sair , Narciso vê uma espinha no rosto. Ele pensa rapidamente no que pode fazer . Pede a ajuda da mãe, que passa uma camada bem leve de base, “só para disfarçar”. Uma última espiada no espelho (pois é o espelho que nos mostra o que os outros também verão)... e lá está ele, atraente, bonitão, encantado com sua própria imagem. Essa história se repete cada vez que alguém vai à academia de ginástica para buscar mais do que saúde física, como a silhueta perfeita, por exemplo (já r eparou que existem espelhos nas academias?). Ela também pode ser r econtada nas discussões entre os jovens da igreja, sobre ser correto usar isso ou aquilo no que diz r espeito a maquia gem, jóias e roupas.

Foto: Gentileza do entrevistado

17223 – Conexão JA 03/2007

os

30 an

Marcos ________ Designer

mia para manter -se na moda, mais jovem, mais bonito, mais atlético, mais... Para lidar com a vaidade, o jovem cristão trava uma incrível batalha con sigo mesmo. De um lado, fica a valori zação de suas escolhas espirituais; do outro, a influência do mundo jovem que o rodeia. Então, deve-se deixar levar pelo desleixo? De maneira alguma. A pessoa deve estar sempr e bem arrumada. Porém, não se pode dar atenção exagerada à apar ência em detrimento da essência. “Eu acho que a vaidade tem sua importância para o cristão”, diz Lislei Oliveira Cerigatto, de 30 anos, “porque as pessoas julgam você pela aparência. Isso não quer dizer que seja pr eciso ceder ao que os outr os pensam; mas, na sua manei ra de se vestir , se comportar e pensar, você atrai ou afasta as pessoas. No entanto”, pondera, “esse comportamento pode extrapolar quando as pessoas passam a seguir os hábitos do mundo, a moda, a maquia gem. Não há mal em ter uma aparência saudável, limpa, bonita e decente. O que não pode é partir para a atração fí -

or brasileiro).

9-1908], escrit (Machado de Assis [183


Foto: Gentileza do entrevistado

Foto: Gentileza do entrevistado

ês).

Apresentar-se corr etamente é uma tendência natural. Mesmo o indivíduo mais desligado não resiste a um espelho quando passa diante dele, e ajeita o ca belo, e confere o caimento da roupa. No entanto, em todos os aspectos, as ten dências naturais podem ser bem ou mal dirigidas. No que diz r espeito à beleza, se ela se tornar um pólo fundamental na vida do jovem cristão, poderá ofuscar outras áreas importantes. A própria Ellen White teve uma experiência interessante, que ela descreveu na Meditação Matinal de 1965, cujo título é Para Conhecê-Lo, p. 295: “Em Düsseldorf fizemos baldeação, e tivemos que esperar duas horas na estação. T ivemos aí oportunidade de estudar a natur eza humana. Entravam senhoras, tiravam o casaco e então se miravam de todos os lados, para

“A vaidade quer aplauso”

ver se o vestido estava impecável. Então retocavam a maquiagem. Por muito tempo se demoravam em fr ente ao espelho, para dispor o vestido de modo que ficas sem satisfeitas, a fim de ter em o melhor aspecto aos olhos humanos.” Em sua apresentação básica, a vaidade tem a ver com a maneira como nos vestimos, como nos comportamos, como nos apr esentamos ao público. No entanto, estudada pr ofundamente outr os inter esses afloram. Afinal, o vaidoso também pode quer er ser notado por seu conhecimento, suas posses, seu status, sua performance. Cuidado! Essa vaidade “velada” pode estar no meio da igreja! Sentimentos que fazem alguém se achar melhor do que os outros, seja lá em que aspecto for, impedem a pessoa de apr ender coisas novas e inter essantes. “Como pode alguém aperfeiçoar se, se já se considera perfeito? ”, per gunta Ellen White, em Mente, Caráter e Personalidade, v. 2, p. 727.

É importante cuidar do corpo e manter a saúde, mas isso não é um fim em si mesmo. Ou então não se leva a cabo o pensamento em latim: “Orandum ut sit, mens sana in corpore sano”, ou seja, “deve-se orar para ter uma mente sã num corpo são”. Certa vez, Josué Kapiche, de 24 anos, ouviu um pastor contando que em sua igreja todos exigiam que ele falasse sobre maquiagem, r oupas e jóias. “Eu apliquei à minha vida a resposta que ele deu àqueles irmãos: ‘Eu pr eciso pr egar de Jesus. Quando as pessoas conhece rem Jesus de ver dade e O convidar em para morar em sua vida, elas automa ticamente adotarão os padr ões da igreja.’” De fato, Jesus é nosso ornamento mais precioso. Quem entrega o coração a Cristo mantém o r osto eternamente jovem, porque somente Jesus Cristo tem as propriedades ideais para embelezar o jovem cristão.

Vaidade ou auto-estima

A lenda de Narciso Narciso era um jovem incrivel mente lindo, filho do deus-rio Ce fiso e da ninfa Liríope. No dia de seu nascimento, Tirésias profetizou que Narciso teria vida longa desde que jamais contemplasse a própria figura. Indiferente a isso, um dia, durante uma caçada, Narciso parou junto a um lago. Olhando as águas, viu-se refletido nelas e imaginou ver outro ser . Apaixonado pela própria imagem, Narciso se atirou nas águas para tentar abraçá-la e acabou morrendo afogado.

Para o jornalista Ricardo Melo, um dos problemas da vai dade é que ela, muitas vezes, é confundida com a auto-estima e os vaidosos se escondem atrás desse álibi. Segundo ele, “a vai dade é a auto-estima que adoe ceu ou mesmo um sinal de infe rioridade”. Ele ainda menciona que a pessoa vaidosa se vanglo ria de tudo e tem necessidade de chamar a atenção de quem a ro deia. Mas, então, afinal, o que é a auto-estima? Qual a diferença entre ela e a vaidade? A auto-estima é a valorização de si mesmo. Isso é bom! Só não pode atravessar a barreira do respeito ao próximo, à verdade e ao mundo. A vaidade ultrapassa essa barreira porque é a auto-estima, e mais o desejo de ser visto e reconhecido pelos outros. Portanto, não é apenas uma preocupação com a aparên cia externa; é a preocupação de que a aparência externa possa ser admirada.

17223 – Conexão JA 03/2007

a tentação do espelho

os

1945], escritor francês).

25 an

“Agradar a si mesmo é orgulho; aos demais, vaidade” (Paul Valéry [1871-

doval,

O Nar ciso da lenda gr ega morr eu num lago. Como morrem os Narcisos de hoje? Alguns não se dão conta do peri go de algumas dietas rigor osas. Bulimia e anor exia nervosa estão aí para com provar. São duas doenças da alimen tação que têm feito vítimas de ambos os sexos, mas principalmente entr e os jovens. Há casos de uso de hormônios, exercícios em demasia e outros excessos que fazem mal à saúde. Viver em fun ção do corpo físico é morr er. Os mais ortodoxos podem até interpr etar isso como idolatria, o culto ao corpo.

o San

v Gusta

Quase sempre achamos que a questão da vaidade é um problema das meninas e da sua for ma de vestir, e acabamos nos esquecendo de que aqueles que têm uma série de carros na garagem, sem necessidade de tê-los, também enfrentam um problema de vaidade. Também não está apenas relacionado a dinheiro, pois mesmo sem dinheiro é pos sível ser vaidoso. Por exemplo, tentando ser alguém que na verdade a pessoa não é.

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente

). 8-1866], escritor italiano (Massimo D’Azeglio [179 jul–set 2007

11

________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


Água dá

17223 – Conexão JA 03/2007

Hidratação adequada e beleza andam de mãos dadas

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

vida

Gosto não se discute e beleza é um critério individual! Por mais bonito que seja, ninguém consegue a unanimidade das opiniões. Alguém sempre discorda e acha que o bonito é feio e o feio é bonito. Quando meu cérebro avalia beleza, instantaneamente dá notas para uma lista de itens que compõem o meu conceito de beleza. Nem sei direito quais são os itens que o meu cérebro valoriza, mas acho que ele é muito bom nisso e sempre concordo com ele. No entanto, quando o meu coração avalia... nem sempre dá pra confiar! Cada cérebro dá pesos diferentes para os diversos componentes da beleza. Algumas pessoas criam itens de peso absoluto, por exemplo: “Se não for morena não serve.” Outros itens têm peso relativo e outros, ainda, só são utilizados como critério de desempate. A beleza vista de longe é uma coisa. Beleza vista de perto é outra. O que nos chama a atenção de longe e nos dá prazer só de olhar são a harmonia e a simetria das formas, o aspecto alegre, o olhar inteligente, a graça dos movimentos, a elegância no jeito de andar, o cabelo limpo e brilhante, a roupa, que é uma extensão da personalidade. Aí a gente chega mais perto e outras coisas passam a compor a beleza: a pele lisa e saudável, a voz, o cheiro, ou a falta dele, o hálito agradável, a inteligência, o bom humor e o riso, os dentes, as mãos, as unhas... Bem, mas o que é que a água tem a ver com a beleza? Tudo! Tanto de perto como de longe, mas principalmente na beleza de perto. Pele, cheiro, hálito, dentes, unhas, cabelo, roupa – sem água, sai de perto! Nosso corpo perde de 2,5 a 3 litros de água por dia: dependendo da temperatura, a pele elimina de meio litro a 1 litro de água por dia; só pela sola dos pés saem 125 ml de água nas 24 horas. Cerca de 500 ml evaporam pela respiração e um adulto urina mais ou menos 1 litro e meio por dia. Se por alguma razão a gente não repõe todas essas perdas a nossa beleza murcha e ficamos doentes. Diluídas nesses 2,5 a 3 litros de água, eliminamos substâncias rejeitadas por organismo. Muitas delas saem pelo

12

jul–set 2007

suor e têm cheiro desagradável. Quanto menos água, mais concentradas essas substâncias e mais forte o cheiro. Assim, nosso cheiro tem que ver com nossa estrutura, com o que comemos, com os temperos que usamos e com a quantidade de água que bebemos. O hálito também piora muito quando falta saliva. A falta de saliva facilita a formação de placas bacterianas e da saburra, aquela camada branca acinzentada, principalmente na parte posterior da língua, que costuma ter um cheiro horrível. A pessoa bem hidratada produz mais ou menos 1 litro e meio de saliva, que se encarrega de lavar esses problemas, todos os dias. A maciez e a textura da pele dependem, em grande parte, da água que se bebe. Para as modelos, a pele é um instrumento de trabalho, por isso uma das primeiras recomendações que elas recebem é que consumam litros de água pura entre um desfile e outro. O uso da água do banho também é fundamental para a beleza e merece alguns cuidados: os banhos devem ser curtos e não muito quentes. O sabonete só deve ser usado nas dobras do corpo, na área genital e onde houver sujeira. Excesso de banho, de sabão e de água quente destrói a camada que conserva a hidratação, acabando com a beleza e a saúde da pele. Além de afetar a beleza, tomar pouca água também pode causar ou piorar doenças como hipertensão, asma, alergias, dores de cabeça e enxaqueca e problemas nas articulações. É por meio da água que o corpo transporta nutrientes, hormônios e anticorpos. Tudo funciona melhor na concentração correta. Também é por meio da água que os rins eliminam substâncias como ácido úrico, uréia e ácido lático. A falta de água aumenta o risco de pedra nos rins e de câncer na bexiga. A digestão depende da presença de quantidades ideais dos líquidos digestivos. Tomar muita água durante as refeições pode causar azia, esofagite e digestão difícil. Não tomar água entre as refeições pode causar constipação intestinal, que pode igualmente ser prejudicar à beleza. Saúde e beleza pra você! Dr. Helnio Judson Nogueira

Especialista em Nefrologia e Clínica Médica helnio.nogueira@hotmail.com

Ele se Ma em alc suc

Foto: Angela Granger/sxc

A

Fotos: Davide Guglielmo/sxc

Helnio n ogueir


Beninelson

s o Are s *

Superando

Foto: Angela Granger/sxc

Fotos: Davide Guglielmo/sxc

Ele podia ter se acomodado. Mas confiou em Deus e alcançou o sucesso

“Oh! Que belo hino Deus me deu! Um hino do divino amor!” Ao ouvir este hino, num sábado pela manhã, há quatro anos, em São Felix, BA, senti uma paz avassaladora, que mudaria o rumo de minha vida para sempre. Meu nome é Beninelson Soares, mas todos me chamam de Beni. Tive uma infância muito sofrida. Aos 5 anos, perdi o pai. Aos 9, fui atropelado por uma carreta quando voltava da escola. A carreta invadiu o acostamento e minha perna esquerda foi esfacelada. Além disso, quebrei a perna direita, os dois braços e meu estômago e minha bacia se partiram em três. No hospital, fui praticamente desacreditado pelos médicos. Foram 15 dias em coma, várias cirurgias e quatro meses de recuperação. Graças ao amor e carinho de minha mãe e irmãos, o restante de minha infância foi muito feliz, apesar das dificuldades. Sem a perna esquerda, cheguei a adquirir uma prótese, mas não me adaptei. Isso não foi desculpa para me acomodar. Estudei, tive bons empregos, fiz muitos cursos técnicos. Mas sentia que ainda faltava algo em minha vida. Minha família freqüentava a Igreja Batista, mas eu não me interessava por religião. Achava “chato” ser crente. Certa vez, fui passar um tempo na casa de meu irmão, Jorge. Lá, conheci uma senhora chamada Maria de Lourdes, que me convidou para ir à Igreja Adventista. De início, recusei. Mas durante toda a semana, tive sonhos com aquela senhora, como se ela estivesse me convidando todos os dias para ir à igreja. Era o Espírito Santo dando os primeiros passos. Foi quando na madrugada de sexta para sábado, decidi aceitar o convite e me livrar daqueles sonhos. Andei mais de cinco quilômetros até a igreja de São Felix. Ao chegar, a congregação entoava o hino “Oh! Que belo hino Deus

me deu”. De repente, fui tocado por uma paz inexplicável. Naquela mesma manhã, procurei o coordenador de interessados, pedindo que me colocasse na lista de membros. Eu ainda era recém-batizado quando o pastor Gilson Brito, da Faculdade Adventista da Bahia (Iaene), em Cachoeira, me convidou para ser obreiro bíblico. Trabalhei por dois meses, mas o que queria mesmo era conhecer a colportagem. Já havia ouvido algo a respeito e li todos os livros relacionados ao assunto. Naquelas férias, conheci dois estudantes que estavam recrutando pessoas para uma campanha em Uberlândia, MG. Foi minha primeira campanha. Desde então, colporto todas as férias. Faço palestras sobre motivação profissional, relacionamento interpessoal, psicologia da família, liderança, estresse e vida saudável. É claro que já sofri diversos preconceitos devido às minhas limitações físicas. Entretanto, acredito que todos nós temos batalhas diferentes a cada dia. E Deus nos faz vencedores. Certa vez, na colportagem, meu sapato estava apertado e não tinha dinheiro para comprar outro. Como não agüentava mais andar, sentei-me na calçada, tirei o sapato e orei a Deus, pedindo um sapato novo. Foi quando passou um moço de moto, que disse ser proprietário de uma fábrica de sapatos e, por alguma razão, havia várias caixas em sua fábrica contendo apenas sapatos do pé direito. Ao final, ele me ofereceu não só um, mas todos os sapatos do pé direito disponíveis. Hoje, sou casado com Maria Cristiane e tenho três filhas: Sorrane, Larissa e Lorrane. Moro em São Felix e curso Administração no Iaene. Posso dizer que, com a mesma intensidade em que minha vida se transformou quando era criança, Deus trabalhou em meu coração naquele sábado.

17223 – Conexão JA 03/2007

obstáculos

Marcos ________ Designer ________ Editor

*História contada a Andressa Ricon Assistente de editoria na Casa Publicadora Brasileira

________ Cliente

13

________ C.Qualidade

jul-set

________ Depto. Arte


sites e blogs o d Ailson Fonsec

360graus.terra.com.br Dicas de quem vive quase perdendo o fôlego. Na terra, no ar ou na água, este link traz um conteúdo esperto para quem gosta de esportes e até do espaço (o astronauta Marcos Pontes é um dos colunistas).

A

17223 – Conexão JA 03/2007

Foto: Odailson fonseca

Águasde força

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

Dias atrás, minha esposa e eu tivemos a oportunidade de conhecer uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo – um local tão encantador quanto curioso chamado Grand Canyon. Ali, além da paisagem impactante que deixa você se sentindo minúsculo diante do imenso precipício, inauguraram neste ano uma atração adrenalizante chamada SkyWalk. Essa passarela é a mais alta estrutura já feita pelo homem, que chega a ultrapassar duas vezes a altura dos maiores prédios do mundo, e com um chão de vidro que lhe dá a sensação de estar pisando no ar a mais de 1.800 metros de altura. Simplesmente incrível! O que me fascinou nessa visita foi ver que toda essa imensa fenda natural foi feita pelo pincel divino através da tinta da natureza. Forças naturais tremendas desenharam essa obra de arte impressionante. Águas capazes de perfurar o chão criaram um abismo como esse. E o que tem esse desfiladeiro no deserto do Arizona a ver com a internet? Mais do que você pensa. A água tem força. Força capaz de perfurar rochas e solos. As águas virtuais também têm força. Com correntezas de aço capazes de alterar destinos e vidas. Quando navegar pela web, lembre-se do poder dessas águas. Muitos jovens têm se distraído da influência estarrecedora do mundo virtual sobre o real. Cuidado com aquilo que você permite que perfure sua consciência através do impacto da tela de um monitor sobre sua mente através de seus olhos. Tem muita coisa boa na rede, quase sempre. Aproveite de maneira consciente e inteligente. Giga abraço. 1

jul–set 2007

www.zipsaude.com.br Moçada da geração saúde, este site é tudo de bom. Conselhos práticos de gente que vai viver mais porque cuida do corpo como cuida da alma. Com receitas, diários de treinamentos, hábitos saudáveis e muito mais para você gostar cada vez mais do seu reflexo no espelho.

www.apaixonadosporcristo. spaces.live.com Só o nome já leva você para uma dimensão toda especial de relacionamento com Cristo. Inúmeros livros, sites evangélicos, ilustrações fantásticas e muitos megabites para você tornar muito mais real sua vida espiritual. www.tomaeembrulha. blogsome.com Calma aí! Não se assuste com o nome. Isso é coisa de publicitário criativo. Aqui está um blog com muita coisa sobre as propagandas mais curiosas e ousadas do mundo bilionário do marketing. Ali você vai assistir spots publicitários do YouTube e ver cartazes incríveis para impressionar o público-alvo e vender uma boa idéia. Extraordinário!

outras dicas E tem mais: www.bussola.cjb.net www.ejesus.com.br visipix.dynalias.com/index_hidden.htm www.institutodenver.com.br www.ondeestou.com.br earth.google.com

Odailson Fonseca

Líder de Jovens na União Nordeste Brasileira odailson.fonseca@uneb.org.br

Ab po pel


o m

ários

uito

s

o o o!

as

eca

eira g.br

c risti

Ano

s te Fenoni

A prática leva à A boa carreira pode começar pelo estágio

contratação

Se você é daqueles que está esperando receber o diploma para procurar trabalho, saiba que é um forte candidato a fazer parte das estatísticas dos recém-formados desempregados. Quem deixa para depois o serviço que poderia realizar agora, já começa a carreira em desvantagem. Falta experiência? Então saiba que as organizações estão preferindo pessoas que nunca tiveram um emprego, exatamente por não trazerem consigo “vícios” de outros serviços. Por isso, o quarto dos “sete segredos para uma carreira de sucesso” é: a prática leva à contratação. Uma forma eficiente de um jovem talento ser aproveitado pela empresa é o estágio. Ele é destinado a alunos do ensino médio técnico ou superior, regularmente matriculados e que estejam freqüentando as aulas. Uma pesquisa realizada pelo Instituto TNS InterScience revela que 64% dos estudantes que trabalham são efetivados após um ou dois períodos de prática; um índice alto. Contudo, é fundamental lembrar que estágio não é emprego, mas sim treinamento. Ou seja, mais importante do que a remuneração é o conhecimento prático adquirido. Por isso, não cometa o erro de estagiar em qualquer coisa só para ter um dinheiro no fim do mês. Dê prioridade aos estágios onde será realmente possível praticar aquilo que está sendo aprendido na escola. Além do trabalho prático, o estágio é importante porque faz com que o aluno sinta na própria pele o que é ter responsabilidades numa empresa. Ele aprende a lidar com os colegas de trabalho, a respeitar hierarquias, a administrar o dinheiro, a cumprir prazos, a suportar pressão, enfim, uma vivência que não existe na sala de aula. O estagiário ainda faz amizade com pessoas influentes que poderão ser úteis quando ele se formar. A grande dificuldade é encontrar um bom lugar para estagiar. Certamente você terá muitas dificuldades pela frente como falta de vagas, imposições da escola, incompreensão de alguns professores, carga horária incompatível, crítica da família, entre outras. Mas não desista. Lembro-me que na época da faculdade resolvi ligar para uma grande empresa de comunicação para saber o que era preciso para estagiar lá.

A resposta foi uma risada sarcástica. Aquilo mexeu comigo. Procurei outra empresa, liguei e, para meu espanto, o chefe lançou-me um desafio: “Quero que escreva uma reportagem com quatro páginas sobre a violência.” Perguntei: “Tenho quantos dias para entregá-la?” Ele foi direto: “Amanhã.” Corri para fazer as entrevistas e escrever o texto. No outro dia, lá estava eu, na frente do chefe, com a matéria pronta. Ele a pegou, olhou rapidamente e me devolveu. Perguntei: “O senhor não vai ler?” Foi quando ele me disse: “Não. Sei que está começando agora e não posso te cobrar muito. Foi apenas um teste para ver a sua disposição para estagiar.” Não havia vaga, mesmo assim me deram uma oportunidade. Quando você sair para procurar um estágio e as dificuldades vierem como um tsunami, lembre-se de que o seu Deus já abriu o mar e andou sobre as águas. Cristiano Stefenoni

Jornalista, consultor de carreiras e autor do livro Profissional de Sucesso (Casa) c.stefenoni@hotmail.com

Controle as despesas

Para ter controle ab soluto sobre suas despesas é imprescindível que você saiba onde exatamente está gastando suas rendas. Não exis te método mais eficiente do que ter uma pequena caderneta sempre à mão. Leve-a na carteira, junto com o di nheiro e com o cartão de crédito. No mínimo, a cada quatro meses anote ab solutamente tudo o que você gasta, tanto as peque nas quanto as grandes despesas, independentemente se foram efetuadas no dinheiro ou no cartão. Se for casa do, entregue uma caderneta para seu cônjuge também. No fim do mês, agrupe todas as despesas conforme o seu orçamento. Não se esqueça das despesas debitadas automaticamente na conta bancária. É possível que você se surpreenda ao descobrir que existe alguma “goteira” desperdiçando sua renda. Faça então os ajustes necessários e, se for preciso, mude seu padrão de vida, mas jamais gaste mais do que você ganha. Lembre-se: o resultado entre o que você ganha e o que você gasta sempre terá que ser positivo. Agindo assim, sua vida financeira será sempre positiva também. Antônio Tostes

Diretor financeiro da Casa Publicadora Brasileira e autor do livro Administração Financeira da Família (Casa)

jul–set 2007

1

17223 – Conexão JA 03/2007

gs

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


d iogo c AvAlcAnti

Colaboradores: Sinval Aragão, Felipe Lemos, Dina Karla, ASN

home turismo projeto social evangelismo

Quem cala não sente visite o site: www.quebrandoosilencio.com.br

camping aventura esportes igrejas eventos bíblia

Seis mil meninos e meninas são abusados sexualment e no Brasil por ano. E, na maior ia dos casos , o cr iminoso está no sofá da sala. É impossível imaginar como se sente e quem vai ser uma menina de 7 anos abusada sexualmente por meses ou anos . Daí é preciso saber o que fazer numa situação dessas. Por isso, a Igreja Adventista lança a campanha anual“Quebrando o Silêncio”, que busca prevenir e lidar com abusos, que também podem ser também físicos , emocionais, ou por negligência às necessidades da criança. Para saber mais, visite o site da campanha. Para denúncias por telefone, disque 100. Não se cale diante da injustiça!

Mais vida por vidas

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

Digite “Vida por Vidas” num site de buscas, e você vai ter mais de 2.600 páginas para conferir quanto sangue foi doado no Brasil e f ora dele. Muitas igrejas agarraram a oportunidade e a participação cresceu. Isso não é no vidade, mas, hoje, o projeto passa por um no vo estágio, quando apela diretamente à comunidade para aderir. Em Juiz de Fora, MG, jovens voluntários organizaram uma passeata para a comunidade fazer doações no hemocentro local. Em Varginha, a campanha ganhou o apoio da EPTV, afiliada da Rede Globo, que veiculou propagandas de 15 segundos, divulgando a campanha. 16

jul–set 2007

Em Cascavel, PR, a t écnica de enf ermagem Maria Regina abraçou o pr ojeto. Ela teve contato com a campanha no ano passado, e decidiu apoiar participando de uma passeata acompanhada de seu filho. “Eu tenho que ser o exemplo dele. E se um dia eu ou meu filho precisarmos? Aquelas pessoas que não t êm um pr oblema na família devem olhar para o lado e ver que tem gente morrendo e precisando desse sangue para sobreviver”, explica. Mas a divulgação não se r esumiu a passeatas . S egundo A écio Espínola,

um dos coor denadores da campanha em C ascavel, a meta era conseguir 3 mil doador es, e a equipe mostr ou que estava disposta. Foram para as saídas de universidades, ao centro da cidade (junto ao ônibus do hemocentr o) e at é às entradas e arquibancadas do estádio de futebol, com direito a faixa junto ao time da cidade antes do jogo. O resultado foi de superação: mais de 4 mil pessoas f oram cadastradas. Já deu para notar que o nome da cidade não combina muit o com sua solidariedade.

Fotos: Divulgação

17223 – Conexão JA 03/2007

visite o site: www.projetovidaporvidas.com.br


Virada espiritual

Nada de quase Bola na trave não aumenta placar. Dois reais não pagam a passagem de ônibus de R$ 2,10. E um “quase-cristão” chega a algum lugar? “Não se enganem! J esus ainda não voltou porque alguns vivem como cristãos mais ou menos ”, afirmou o past or Areli Barbosa. Essa mensagem mexeu com participantes do C ongresso J ovem pr omovido pela A ssociação C atarinense ( AC) em 21 de abr il, na cidade de São J osé, na Grande Florianópolis. O que impor ta é ser fiel a Deus. Filipe Mello, de 18 anos, procura ser coerente: “Eu me preocupo em ser um cristão para influenciar outros.”

“Um quebra- quebra t omou conta da P raça da S é na madrugada de domingo , durante o sho w do g rupo Racionais Mcs. Onze pessoas f oram detidas. Um car ro foi depredado, outro...” – isso era o que a mídia divulgava sobre o fim da Virada Cultural, no centro de São Paulo – madrugada de balada, bebida e bombas!* Alguns provocaram a polícia, que revidou com força. A multidão correu, a “festa” acabou e Mano Brown teve que encerrar sua apresentação. Isso mostra o quanto nossa geração está perdida. Precisa de algo, mas não sabe o que. Ainda não descobriu que o melhor da vida é permanecer na presença de Deus. E foi isso o que mil jovens foram buscar na Igreja Central Paulistana. Oraram e louvaram das dez da noite às seis da manhã, entre 21 e 22 de abril. “Enquanto milhares de pessoas participam da Virada Cultural e circulam pela cidade pr ocurando preencher um vazio, estamos aqui numa verdadeira ‘virada espiritual’, felizes ao lado de Cristo”, disse P atrícia Costa. Dez dias depois dessa vig ília, outra acont eceu em M aringá, com quinhentos jovens. Cristo faz a diferença. Mano Brown parece estar descobrindo isso. Tem sido visto freqüentemente numa igreja da zona sul de São Paulo. (*) Fonte: Folha Online

Acesse: www.ja.org.br Julho

4e5

Mega Treinamento Jovem – Rio Grande do Norte (MN)

11 e 12

Mega Treinamento Jovem – Paraíba (MN)

Campal do Ribeirão (AES)

6a9

6º Aventuri da AES

7e8

Fórum Universitário na Fadminas (AMS)

8

Encontro de Corais da ANP, em Maringá

14 e 16

Congresso Jovem em Ilhéus (MN)

15

1o Campori On-line de Jovens (ASR)

Jogos Olímpicos dos Aventureiros (AMC)

6a8

Curso de Líder, Máster e Avançado JA, Desbravadores e Aventureiros (AES)

11, 18 e 25 Femusa (AMC) Evangelismo Dia dos Pais – Igrejas da DSA

7

Vijovem – em todas as igrejas do Rio Grande do Norte e Paraíba (MN)

12 17 a 19

Raly de Líderes – Campina Grande (MN)

8

Olimpíadas de Habilidades e 1º Concurso Bom de Bíblia para Desbravadores (ASR)

19

Olimpíadas JA – Final (ARF)

24 e 25

2º Encontro de Treinamento e Qualificação de Músicos em Ipatinga (AML)

15

Dia do Jovem Adventista – 100 anos do Ministério Jovem, em todas as igrejas da DSA

24 a26

1º Festival de Quartetos em Vitória (AES)

15 a 16

Congresso JA em Campo Mourão (ANP)

Concílio de Líderes do Ministério Jovem (ARJS)

22

Femusa – Festival de Música Sacra – IAP (ANP)

25

Femusa de Grupos Musicais (ASR)

29

Vigília Jovem (AML)

Semana de Oração Jovem “Vencedor Cada Dia” – em todas as igrejas da DSA

22

Início da Voz da Juventude, em todas as igrejas da DSA

24 a 26

Treinamento Integrado por Regiões (ANP)

Setembro

nas Ape ,00

16 R$ssinatulra A anua

Jejovem – em todas as igrejas do Rio Grande do Norte e Paraíba (MN)

Douglas Assunção / Imagens: Fotolia e Dynamic Graphics

14 a 21

17223 – Conexão JA 03/2007

Agosto

Fotos: Divulgação

Assine hoje! Ligue: 0800-9790606 / acesse: www.cpb.com.br ou procure o Ministério Jovem de sua Associação ou Missão www.conexaoja.com jul–set 2007

17

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


AllAn n ovAes

S 

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

1

jul–set 2007

dinheiro. Funciona mais ou menos assim: cada usuário deve utilizar seu cartão de crédito real para comprar lindens dólares, a versão virtual do dólar (até a finalização desta r eportagem, um dólar valia quase 300 lindens). Com o dinheir o fictício, o usuário pode comprar de tudo, mas a maior fonte de r enda do jogo encontrase nos terrenos. Depois de construir uma casa ou um centr o comercial no terr eno adquirido, é possível, por exemplo, alugálos ou vendê-los. No fim de cada dia, o sistema do jogo permite trocar os lindens ganhos por dólares de verdade. No entanto, a grande sacada do Second Life é a possibilidade de criar seu próprio “eu” virtual, com fisionomia e r oupas ao bel-prazer . No jogo, esse personagem é chamado de avatar, uma referência à encarnação de deuses do hinduísmo. Sendo uma evolução dos tradicionais chats de conversação, o Second Life é essencialmente um ambiente social no qual conhecer novas pessoas

é o grande atrativo do jogo. É o caso de Priscila Sem, 23 anos, sem-r eligião, estudante de Sociologia da Universidade Federal de Santa Maria, cujo avatar é Ane Capalini. “Faço parte do Second Life porque gosto muito de conversar e conhecer pessoas de outros lugares. E é exatamente isso que o jogo ofer ece: interação em tempo real”, explica. Mas o que se espera do jovem adventista quando o assunto é Second

Ilustração: Carlos Seribelli

17223 – Conexão JA 03/2007

Q

ue tipo de coisas você gostaria de fazer se fosse possível viver em um mundo onde não existem limites? O que você faria se tivesse uma segunda vida, paralela a esta que conhecemos como vida r eal? Mais de seis milhões de pessoas já sabem a r esposta na prática: elas encontram amigos, namoram, compram, vendem, constr oem, estudam, dançam e até fazem sexo quando querem. Simples assim. O nome do “paraíso”? O universo virtual chamado Second Life, uma mistura de jogo (sem fases ou níveis a serem alcançados) com site de r elacionamento (com figuras e personagens tridimensionais no lugar dos simples diálogos digitados na tela). Mas o que é preciso fazer para participar do mundo virtual? Para quem não tem muitas pretensões é só baixar o programa e começar a jogar . Mas se o objetivo é ter privilégios e até fazer negócios lucrativos, é necessário também um pouco de

O mais novo fenômeno do mundo virtual promete mudar a cara da internet e oferece novas possibilidades de testemunho e evangelismo. Mas é preciso avaliar em que aspectos o Second Life pode afetar nossa perspectiva da vida eterna


Ilustração: Carlos Seribelli

E é justamente aí que entra a religião. Várias igrejas já têm seus templos virtuais e a prática de distribuir convites e panfletos bíblicos também é comum para muitos usuários religiosos. Há até adventistas fazendo sua parte no mundo do Second Life. Nei Evandr o dos Santos, 28 anos, empresário em Viamão, RS, é um deles. (Leia a entr evista ao lado.) “Sempr e tenho algo escrito sobr e a cabeça de meu avatar que faz r eferência à minha cr ença. E as pessoas com quem mantenho contato acabam per guntando o por quê de sempr e me despedir desejando que fiquem com Deus. Assim eles ficam sabendo da minha fé”, descr eve. No entanto, Nei Evandr o, cujo avatar é Evandro Falck, que acabou “fechando” uma igreja adventista virtual no Second Life por baixa fr eqüência dos “membr os”, reconhece que ainda há muito o que ser feito no mundo virtual. “A maioria dos adventistas que entra no Second Life ainda preferem não se juntar a nós para não serem identificados como adventistas ou ‘crentes’. Mas temos a missão de unir as pessoas que compartilham dessa nossa esperança para alcançarmos a outr os dentro do ambiente virtual”, ensina. Visto com desconfiança por muitos críticos, o universo do Second Life esconde muito mais benefícios do que pode permitir uma visão resistente às oportunidades evangelísticas trazidas pelos avanços tecnológicas. Mas também apresenta muito mais desafios do que admitem os entusiastas da nova interface. Para compreender que tipo de postura o jovem adventista deve assumir diante do mais novo e promissor fenômeno da internet, é preciso avaliar, mais do que tudo, que tipo de engajamento a “segunda vida” exige. Ao navegar pelo mundo da ficção, é necessário examinar com sinceridade qual das vidas está sendo mais bem alimentada: a real ou a virtual. Allan Novaes

jornalista, professor do curso de Comunicação Social e de Ensino Religioso no Unasp Colaboraram Matheus Siqueira, Rogério Viola Júnior, Steferson Andrade e Denise Rodrigues

o aVatar pregador

Nesta entrevista concedida a Matheus Siqueira, Nei Evandro dos Santos (conhecido no Second Life como Evandro Falck) fala de sua experiência no ambiente virtual. Ele tem 28 anos e mora em Viamão, RS. Você acredita que o Second Life apresenta ameaças a sua fé? O Second Life envolve, sim, riscos, inclusive para nossa fé. Um deles é o de pessoas que usam o Second Life fazerem coisas que não têm coragem de reproduzir na vida real, como sexo desregrado, baladas, etc. As coisas sempre parecem mais inocentes quando é só o seu avatar quem está fazendo. Outro risco é o de alguém se envolver tanto na “segunda vida” que chega a perder o contato com a “primeira vida” ou até mesmo perder a esperança na vida eterna. Você acredita que o Second Life pode ser usado para o evangelismo? Pode sim. O Second Life é um ambiente extremamente focado na interação: você conhece muita gente e troca muita informação. Lá há espaço para todo tipo de idéia e crença, e oportunidade para divulgálas por meio de campanhas, publicidade, debates, ou através do bom e velho batepapo. Existem muitos meios para testemunhar no Second Life. Você pode criar um grupo de discussão para debater temas ligados à religião ou uma grande série evangelística pra centenas de pessoas, com um pregador falando de verdade, em tempo real. Como criador do grupo de adventistas no Second Life, como você entende a importância da existência de um grupo assim? Nosso grupo é pequeno. A maioria dos adventistas que entra no Second Life ainda prefere não se juntar a nós para não ser identificado como adventista ou “crente”. Mas vemos uma importância muito grande em nosso grupo. Temos a missão de unir as pessoas que compartilham dessa nossa esperança para alcançarmos outros dentro do ambiente virtual. jul–set 2007

1

17223 – Conexão JA 03/2007

Life? Qual deveria ser a postura do cristão diante dessa nova onda da web? Em um mundo virtual onde r elacionar-se é a única lei, talvez o primeir o grande desafio do jovem adventista seja enfr entar a tentação do sexo virtual. No entanto, até aí o perigo é o mesmo que outras mídias oferecem. “Cabe à pessoa saber o que acessar e o que não acessar nessas fontes de informação”, analisa Leandr o do Nascimento, 19 anos, adventista e estudante de Comunicação do Unasp. No entanto, mesmo o uso adequado de uma ferramenta virtual pode deparar-se com outr o grande desafio: o tempo. Segundo pesquisa r ealizada pela Universidade Columbia, em Nova York, os usuários do Second Life gastam dez horas por semana com o jogo. No entanto, o tempo dedicado ao mundo virtual necessita ser contrastado com o investido no preparo da guerra espiritual entr e o bem e o mal que, acreditamos, não é nada fictícia. Nesse sentido, vale a pena r efletir na contundente declaração de Ellen White: “Satanás está constantemente pr eparando atrativos para desviar a mente da solene obra de preparação para as cenas que se acham em um futur o pr óximo. (...) De modo que não haja tempo para a per gunta: ‘Como vai a minha alma?’” (Mensagens aos Jovens, p. 373). Dentre tantos desafios que o Second Life ofer ece, pode-se identificar também grandes oportunidades. Muitos especialistas em comunicação estão apontando-o como o futuro da internet. Além de pr omover uma r evolução no comércio eletr ônico, a lógica do jogo pode substituir a internet tradicional: cada um de nós teria avatar es em vez de corr eios eletr ônicos e visitaríamos locais em tr ês dimensões no lugar dos sites. E alguma coisa disso já é realidade: a Volkswagem do Brasil, por exemplo, vendeu dezenas de carr os pelo Second Life e a Universidade de Harvard e a Petrobras já ministraram cursos e palestras no ambiente do jogo.

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


Túnel do tempo Marisa Lopes, 24 anos, Nova Odessa, SP Fuga para Deus Jim Hohnberger (Casa) “Conta a história de uma família em busca de experiências espirituais genuínas e mostra como o autor do livro desenvolve uma dependência completa de Deus. É um livro com testemunhos maravilhosos e um aprendizado de como obedecer e andar na presença de Deus.” Tiago Cabreira, 21 anos, Chuí, RS

17223 – Conexão JA 03/2007

Vida – O Filme Neal Gabler (Cia das Letras)

Marcos ________ Designer ________ Editor

“Mostra como a mídia em geral diminuiu a distância entre ficção e realidade, criando mentes passivas, recompensadas apenas pela diversão. É interessante ver como o cérebro lida com o entretenimento como um vício, semelhante ao que acontece com as drogas.” Krisiele Cardoso, 24 anos, Maringá, PR Os Segredos do Pai-Nosso Augusto Cury (Sextante) “Leio quase todos os livros que o Cury lança; são surpreendentes. Neste aqui, ele analisa verso a verso a oração do Pai-Nosso, esclarecendo a complexa necessidade do homem de um relacionamento com Deus. Ótimo para dar um up na vida espiritual.”

________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

20

jul–set 2007

D

P

A maioria das pessoas gosta de ler biografias inspiradoras e de conhecer histórias emocionantes. Se você pertence a esse grupo, tem uma nova opção de leitura: o livro Retratos dos Pioneiros, de Norma J. Collins. O livro acabou de ser lançado pela Casa Publicadora Brasileira e foi escolhido para o Curso de Leitura dos jovens em 2008. Norma Collins, que trabalhou durante muitos anos no escritório que cuida do legado literário de Ellen White, nos Estados Unidos, tem o dom de contar histórias. Com sensibilidade e humor, ela combina informações históricas, dados biográficos e passagens marcantes da vida de vários personagens do início da Igreja Adventista. O resultado é um livro informativo e cativante. Você vai ficar sabendo, por exemplo, que Tiago White usou um cavalo emprestado em sua primeira viagem como pregador itinerante e que o cavalo quase morreu de frio. Descobrirá que a perna de Urias Smith foi amputada em cima de uma mesa de cozinha quando ele tinha 12 anos e que o mesmo Urias comprou uma casa com o dinheiro da patente de sua perna artificial. Também descobrirá quem foi o objeto do amor não correspondido de Annie Smith. Essas histórias mostram como as coisas eram difíceis naquele tempo e como jovens como a você foram usados por Deus para fazer a diferença na vida das pessoas. Se Tiago, João e Ellen tiveram sucesso em sua missão, você também pode ter. Por isso, não deixe de ler Retratos dos Pioneiros. – Marcos De Benedicto

“ p s d d i d n e “ p d ( e r m I T d G ( p

Cristianismo puro e simples Imagine um ex-ateu convidado a levar conforto a milhares de pessoas que estavam enfrentando tempos difíceis e falta de esperança. Se pudesse, você não aproveitaria a chance de conhecer essas mensagens? Você pode! O livro Cristianismo Puro e Simples, da editora Martins Fontes, traz uma coletânea da série de palestras que o famoso escritor e professor de Literatura de Cambridge, C. S. Lewis, apresentou pelo rádio, na BBC, durante a 2ª Guerra Mundial. Os programas deram novo sentido à vida de milhares de ouvintes de todas as classes sociais. Segundo os editores do livro, essa é uma das obras mais populares e acessíveis do criador de Crônicas de Nárnia e os textos ainda falam ao coração e à mente, lembrando que o mais importante é viver o cristianismo em sua pureza e simplicidade. É isso que dá sentido à vida. – Michelson Borges

Imagens: Divulgação

o que estou lendo

D


O AMOR VENCEU

CURA

Diversos (Novo Tempo)

Mara Leite (Musicasa)

Társis Iraídes (Novo Tempo)

A música de Mara Leite se destina aos ouvintes que não se adaptam às produções mais “modernosas” da música religiosa atual.

Na seqüência da carreira pós-Arautos, Társis lança “Cura”, seu segundo CD solo. A diferença mais marcante em relação ao trabalho anterior é a interpretação, nitidamente mais solta. Que o digam as faixas Digno! (de sua autoria, já gravada pelo Arautos, mas que ressurge com novo arranjo) e Discípulos. “Cura” é um álbum para

Produção de Ariney Oliveira

VOX ACAPELLA Quarteto Vox (Novo Tempo)

O segundo volume de “Duetos” é um CD daqueles para ouvir no carro, em um sábado à tarde, a caminho do programa jovem. A definição se deve ao ar de informalidade e descontração do álbum, revelado de cara no layout moderninho do encarte. As oito canções “pra cima” caem no gosto popular, especialmente dos jovens. Não Há Razão (duo entre Riane Junqueira e Dida) é um hit nas rádios, mas há outros bons momentos, como A Quem Irei Temer? (Tatiana Costa e Társis Iraídes) e a esperada dobradinha entre Leonardo Gonçalves e Laura Morena (Ele Virá). Contém oito playbacks.

cto

Produção de Samuel Lóia e Robson Rocha

Em geral, produções a capella são simples e despretensiosas. Em contrapartida, é justamente nessa técnica que se esconde a ambição de um álbum que confia apenas na força da interpretação vocal para ser bom. Este é o paradoxo de “Vox Acapella”, segundo álbum do quarteto Vox, de Sorocaba, SP, que, sim, é despretensioso, e, sim, é muito bom. O repertório de dez canções vai do alegre (Venha Descobrir) ao inspirador (Outra Vez), passeia pelo inventivo (Eu Quero Paz) e termina com um arranjo do clássico Pai Nosso. O público jovem masculino, especialmente, vai adorar a harmonia.

Imagens: Divulgação

Desafiando Gigantes Quem nunca teve que enfrentar grandes desafios na vida? A diferença entre o vencedor e o perdedor pode estar em sua fonte de apoio. Em seis anos como técnico de futebol americano de uma escola, Grant Taylor não consegue levar seu time, o Shiloh Eagles, a uma temporada de vitórias. Por isso, todos começam a vê-lo como um derrotado e a direção da escola pensa em demiti-lo. Em casa, as dificuldades também o jogam mais para o fundo do poço. A esposa quer muito ter um filho e, depois de alguns exames, o casal descobre que o problema está com ele. Como os tratamentos de fertilidade são caros, a idéia do filho é deixada de lado. Depois de tantos reveses, o

“O Amor Venceu”, seu sétimo CD, conserva a linha tradicional cultivada pela cantora paranaense, com dez canções suaves e inspiradoras (oito inéditas e duas regravações). Destaque para Grande Amor, que abre o repertório, Vivo em Seu Amor (dueto com o marido e a filha adolescente) e Quando Tudo Falha, canção alegre que confirma um princípio básico: a música tradicional não precisa ser chata. Inclui CD extra com todos os playbacks.

Produção de Kleber Augusto

vários gostos, como mostra a dicotomia entre a despojada Eu Te Seguirei e a reflexiva Eu Creio (uma inteligente colagem de letras de hinos célebres). Também merece menção a faixa-título, que deve agradar tanto ouvidos conservadores quanto descolados. Fernando Torres

pensamento de desistir de tudo lhe passa pela cabeça. Até que um visitante inesperado o desafia a acreditar no poder da fé. E é na oração e na leitura da Bíblia que Taylor descobre a força da perseverança para vencer. Depois de descobrir que a Bíblia pode ser a solução para sua vida, Taylor passa a usá-la no trabalho, contagiando os jovens que treina e promovendo mudanças na vida deles também. A direção é de Alex Kendrick (que também é o ator principal) e a distribuidora é a Sony Pictures. Mesmo quem não é ligado no mundo dos esportes, pode se emocionar com essa produção que relaciona a fé em Deus às lutas e situações do dia-a-dia. Embora o desempenho dos atores deixe um pouco a desejar em alguns momentos, a produção tem qualidade comparável à dos típicos filmes hollywoodianos. A trilha sonora também ajuda bastante. – Michelson Borges jul–set 2007

21

17223 – Conexão JA 03/2007

Produção de Kleber Augusto

s

s

DUETOS VOL. 2

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


m icHelson

Bor

ges

17223 – Conexão JA 03/2007

N

enhum dos 11 jovens estava disposto a desistir da aventura só porque estava chovendo naquela manhã de domingo. Com o lanche na mochila, tênis confortáveis e roupa do tipo topa-tudo, eles sabiam que a caminhada seria árdua. Mas não imaginavam o quanto. Às 7h30, assumi o papel do 12º membro de uma equipe composta por jovens adventistas de Bertioga e Boracéia, no litoral paulista. Destino: serra da Mata Atlântica, também conhecida como “A Muralha”. Iríamos nos embrenhar por cerca de 17 km de mata virgem – só de ida. Nosso guia foi o suboficial reformado da Aeronáutica George Silva de Souza, famoso por ter cruzado o Brasil correndo e pedalando, em 2003. George, que também é conhecido como Atleta da Fé, treina na Mata Atlântica várias vezes por mês. Da janela de seu sobrado dá para ver a Muralha. Segundo ele, poucas pessoas conhecem a trilha que iríamos percorrer e menos gente ainda sabe do segredo que nos aguardava no fim da expedição. Ele mesmo descobriu o local quase que por acaso. Mas que local e que segredo são esses? Calma, calma... Por ora, encaremos a mata pela frente.

a suBida A caminhada de subida, entre trilhas cercadas de árvores, densa vegetação e sobre pedras no leito do rio (o que tornou a viagem ainda mais molhada), levou cerca de sete horas. A certa altura, quando ainda faltava pouco menos da metade do caminho para

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

22

jul–set 2007

chegarmos ao nosso objetivo, tivemos que cruzar uma caverna natural, formada por uma laje de pedra sobre o rio, com água até a cintura. Mal dava para uma pessoa passar. Foi uma das partes mais “adrenalizantes” da viagem, depois de termos nos equilibrado sobre troncos de árvores caídas e nos pendurado em cipós. O mascote vira-lata Branquinho, um cachorro que mora na rua do George, nos acompanhou em toda a viagem. Não teve jeito: ele precisou ser levado no colo em vários trechos. Perto do meio-dia, a chuva deu uma trégua e paramos para devorar o lanche que trazíamos em nossas mochilas encharcadas. Àquela altura, o cansaço já era visível. O George aproveitou para sair na frente com o “mateiro” Aldemir Porto, de 64 anos, a fim de averiguar se estávamos na trilha certa. Enquanto aguardávamos o retorno deles, alguns dos aventureiros ainda tiveram motivação para dar mergulhos numa pequena piscina natural no rio. Eu, hein?! Foi só me deitar sobre uma pedra para “apagar” por alguns minutos. Quando acordei, os músculos das pernas haviam esfriado e estavam doendo um pouco. Percebi, então, que o restante da viagem seria bem penoso. Mas não queria perder a surpresa prometida pelo guia. Verifiquei a câmera fotográfica, recoloquei os tênis com as meias molhadas e continuei a caminhada com o grupo.

Fotos: Michelson Borges e Vagner Zil

Jovens de Bertioga caminham dez horas na Mata Atlântica para repetir expedição militar de 1943


Fotos: Michelson Borges e Vagner Zil

o segredo Depois de mais alguns quilômetros de caminhada extremamente penosa, já que a ladeira naquele trecho era um pouco mais acentuada, minhas pernas avisaram que estavam no “automático”, movendo-se sozinhas, meio bambas. De repente, porém, o George parou de andar. Virou-se para mim e, em silêncio, apontou para um local à sua esquerda. Então pude ver o que buscávamos (e agradecer a Deus o fim do “sofrimento”). Aos poucos, os jovens que haviam ficado mais para trás foram chegando ao local. Todos estavam extremamente exaustos, mas, assim como eu, recobraram o ânimo ao saber que havíamos conseguido concluir a expedição. À nossa frente, finalmente estava o tão aguardado segredo: no meio daquela mata virgem, encravado na pedra, havia um pequeno santuário dedicado à santa católica Nossa Senhora de Lourdes, com três pequenas estátuas enegrecidas e desgastadas pelo tempo. Ao lado esquerdo da imagem maior, havia uma placa de prata com a inscrição: “N. Sra. de Lourdes. “Imagem aqui colocada por Euclides Ribeiro de Souza, da expedição chefiada por Francisco dos Santos, em setembro de 1943. “Viandante [sic], se tens crença e fé, descobre-te e reza. Se não as tens, respeita esta imagem ao menos.” George nos informou que a estátua foi levada até ali provavelmente por um grupo de militares do Forte São João, da cidade de São Vicente. Em 1992,

um caçador entrou naquela mata e acabou se perdendo. Ele fez um rancho para se abrigar e não conseguiu encontrar o caminho de volta. Um ano se passou, até que, numa de suas andanças, encontrou o santuário e pôde a partir dali localizar a velha trilha aberta em 1943, que o levou até a civilização. Ele conta essa história num bilhete bastante deteriorado, colocado num porta-retrato ao lado das imagens e da placa de prata. Dizem que todos os anos ele volta para limpar o santuário.

a lição Tiramos algumas fotos, descansamos um pouco e conversamos sobre o que motivou aquelas pessoas a fazer sacrifício tão grande na década de 1940. George nos lembrou que, “naquela época, não havia estradas nem trilhas. A expedição deve ter vindo por rio, utilizando-o como estrada”. Àquela altura, estávamos a 20 km da rodovia RioSantos. Por causa das palavras “expedição” e “chefiada”, George acredita que tenha sido um grupo de militares que levou a estátua para lá, quem sabe a pedido de religiosos ou para pagar uma promessa. Tiramos outras lições e concluímos que, muitas vezes, criamos barreiras para levar a “imagem” de Jesus às pessoas. “A fé dos homens que chegaram aqui em 1943 deve ser respeitada, pois eles tiveram coragem para isso. Coragem que nosso povo também precisa ter para levar a mensagem da volta de Jesus a todas as pessoas”, comparou George. “Quando se entra na mata, a gente se sente frágil, sem saber o que nos vai acontecer a cada curva da trilha; a gente sente a proximidade com Deus e a necessidade dEle”, completou. “Aqui no mato ainda podemos ver a beleza do que Deus fez”, disse uma das componentes da expedição, Márcia Garcia, de 17 anos. Dabson Reis Santos, de 21 anos, admitiu que ficou em dúvida se iria ou não. “Mas não me arrependi de ter vindo. Os banhos de cachoeira foram muito bons. Ser jovem adventista é divertido. Faz um ano que me tornei adventista.” Pouco depois das 15 horas, com a chuva ficando mais forte, estávamos prontos para iniciar o caminho de volta, agora todo feito na floresta, num trajeto mais curto. George nos desafiou. Segundo ele, em mais umas sete horas, chegaríamos ao topo da Muralha. Agradeci a informação, mas disse que preferia deixar para outra ocasião.

17223 – Conexão JA 03/2007

Tivemos que retornar pelo menos 1 km rio abaixo, já que havíamos perdido a trilha e precisávamos voltar a um ponto conhecido deixado para trás pouco antes da parada para o lanche. A partir daquele local, reforçamos a camada de repelente sobre a pele e voltamos a nos embrenhar na mata fechada. Tendo feito várias fotos do grupo em diversas situações, procurei me manter imediatamente atrás do guia, pois sabia que faltava pouco para chegar ao local visado e queria vêlo em primeira mão. Mas, então, a chuva voltou a cair...

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente

jul–set 2007

23

________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


Adri

An A

t eixeir

A

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

diCas aSepare um tempo diário para o estudo.

A

s férias de julho chegaram! Pode guar dar os livr os, des cansar, r elaxar, viajar, passear, meditar e se r enovar, pois o segundo semestre traz uma série de novidades e compromissos. Apenas com a mente descansada e com um cr onograma organizado você irá alcançar o resultado desejado. Selecionamos a seguir algumas dicas para que você garanta bons r esultados em seu estudo.

2

jul–set 2007

Organize seu tempo para estudar , no mínimo, 2 horas diárias. Fazendo isso, você não pr ecisará, necessariamente, estudar nos fins de semana e não terá que de aprender toda a matéria na véspera da prova. Se o estudo for contínuo, você eliminará a tensão “pr é-prova”. Separar um momento diário para r ecordar o assunto estudado na aula não afetará seu lazer; ao contrário, você estará mais tranqüilo para r ealizar outras tarefas, tendo em mente que já cumpriu seu dever diário.

Gomes Navas, de 17 anos, aluna do 3º ano do ensino médio, em T atuí, SP, “a disciplina é primor dial para se dar bem nos estudos”. Deve-se fazer um planejamento semanal das aulas e atividades extraclasses, organizando os horários para que haja tempo de r esponder a todas as questões propostas no material didático. aDurma bem. Ter uma noite de sono restaurador é importante, pois a mente descansada conseguirá assimilar muito bem o conteúdo estudado. aLocal agradável . A escolha do local de estudos ajuda na concentração. O ambiente ideal para estudo é silencio so, ar ejado e bem iluminado. Desligue a televisão e desconecte o messenger. Organize todo o material de que você precisa para não haver interrupções. aVida saudável. Pratique exer cícios. Tenha uma boa alimentação. Segundo a matéria “Mer enda saudável”, publi cada na revista Vida e Saúde (março de 2005), “as bebidas que contêm álcool, cafeína e gás (cervejas, café, chá verde e refrigerantes em geral) aumentam o nervosismo e afetam o sistema digestivo”. Tome sucos de frutas (maracujá, laranja) e chá de ervas (camomila, erva-doce, cidreira); eles acalmam e favor ecem o aprendizado. Alimentos ricos em açúcar (por exemplo, doces e chocolates) de vem ser evitados. Apesar de ajudarem a elevar o nível de ser otonina no cér ebro

der de tru na go

Fotos: Estudante – Daniel Oliveira; Relógio – Rodolfo Clix/SXC; Quadro – Brian S./SXC; Caderno – Greg Olsen/SXC

17223 – Conexão JA 03/2007

aSeja disciplinado . Segundo Bárbara

Na co de co na se al so p o d e c

a

a t g c d e i


(o que é bom), eles podem levar a um aumento brusco de insulina no sangue e causar o efeito r ebote: hipoglicemia e sono. Banana, laranja, uva, jabuticaba, espinafr e e carboidratos em geral (batatas, arr oz integral, mandioca, pão integral, aveia, verduras e legumes) ajudam a diminuir a ansiedade, depr essão, cansaço e irritabilidade. Os carboidratos são importantes porque são a fonte de energia usada pelo cér ebro. Seu bom desempenho depende deles. As vitaminas A, C e do complexo B também são essenciais à boa atividade mental. aPostura correta. Escolha uma cadeira confortável e uma mesa com a altura adequada, evitando ficar encurvado. aPrioridades. Quando há muitas tarefas, você pr ecisa definir prioridades. Divida o assunto em partes e dê atenção aos itens mais importantes. Comece a r esolver os exer cícios mais fáceis e na seqüência os mais difíceis. Há uma atitude chamada de “efeito yes”, que funciona assim: você r esolve o primeiro

Para oferecer material que ajude o aluno a “ap aprender”, o professor render a universitário Eliel Ungla ub escreveu o livro 101 Atitudes Para o Estudo Inteligente, jun to com Delton Lehr Unglaub. A intenç ão dos autores é, por me io de uma linguagem de fácil acesso, ensinar diversas prática s que melhoram o aprendizado e o desem penho do aluno em sala de aula. A obra é dividida em cinco partes : hábitos de estudo; técnic as de estudo; dicas de estudo; motivaçã o para o estudo; aprimore o estudo. e diz “yes, consegui”! Assim, sente-se animado a tentar resolver o próximo. aFalando com o professor . Esclar eça as dúvidas com o professor durante as aulas. Não deixe de entender completamente certo assunto, pois ele poderá servir de pré-requisito para que você entenda o próximo tópico a ser estudado. aFique ligado. Um aluno atualizado sempre tem boa carr eira nos estudos. Acompanhe, portanto, os noticiários. aNa dúvida, pesquise. Tenha sempr e à mão um bom dicionário; assim você aumentará seu vocabulário e entenderá melhor os textos. aConheça os vestibulares. Se estiver se preparando para o vestibular, é importante conhecer a tipologia das questões do

vestibular que você pretende prestar. Isso o deixará mais pr eparado para o que irá encontrar na prova. Apostilas e simulados trazem uma série de questões desse tipo. aSeja amigo. Procure sempre ser agradável; faça amigos e apr oveite as atividades extraclasses. Ao estudar as competências e as habilidades (abaixo) e seguir as dicas pr opostas, você só pr ecisará de mais um conselho para ter uma carreira de estudos satisfatória: ter confiança no poder de Deus! Lembr e-se: “Consagr e ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos” (Provérbios 16:3). Adriana Teixeira

Editora de livros didáticos da Casa

O ato de estudar e aprender está relacionado ao fato de ter a capacidade de construir a própria vida, relacionar-se com a família, os amigos, os colegas de trabalho. A partir do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), concluiu-se que o estudo deve incluir reflexão sobre conceitos básicos da disciplina e, conseqüentemente, desenvolver competências nos alunos. Você já pensou nisso? Que competências seu professor, juntamente com o seu material didático, tem desenvolvido em sua carreira estudantil? Como você tem colaborado para isso? aCompetênCia 1: Dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica. Habilidades: dominar elementos gráficos e geométricos, conseguindo interpretar dados. Ser capaz de ler textos escritos na lín-

gua materna. Conseguir produzir textos orais e escritos para diferentes contextos e interlocutores. aCompetênCia 2 : Construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas. Habilidades: aplicar conceitos para compreender o fato natural ou social; entender diferentes escalas de tempo; articular saberes. aCompetênCia 3 : Selecionar, organizar , relacionar , interpretar dados e informações representados de diferentes formas, para tomar decisões e enfrentar situações-problema. Habilidade: tomar decisões partindo da análise de dados. aCompetênCia 4 : T raduzir informações em situações concretas, para construir argu-

mentação consistente. Habio para entregar na direlidades: ser capaz de articular ment Então, você domina a toria? idéias e ordenar o pensamenia número 1, que etênc comp to; perceber pontos de vista ler várias linguagens. de a é diferentes; defender seu ponto Você foi capaz de comde vista de maneira consistender fenômenos e ao preen te e lógica e contra-argumenmesmo tempo articular suas tar possíveis contestações. com as idéias aCompetênCia 5 : Recorrer idéias junto tas nos livros? Então, expos aos conhecimentos desenvocê já teve contato com a volvidos na escola para a competência número 2. elaboração de propostas de Já se sentiu motivado intervenção solidária na reae de um problema? diant lidade, respeitando os valode tomar decisões capaz É res humanos e considerando uir e concl algum fato com a diversidade sociocultural. base em dados disponíveis? Habilidades: tomar parte em Então, você já praticou a decisões que influem na vida competência número 3. comunitária; exercer a cidaA competência número 4 dania por meio de seus dicapacidade de argumena é versos canais (partidos polí. Não basta ter infor tação ticos, associações); atuar , de mações corretas, é preciso maneira criativa, na melhoria ter argumentos válidos. do mundo em que vivemos. Por fim, munido de coVocê já leu vários livros? imento, você é capaz nhec Estudou inglês? Analisou ir na realidade das interv de mapas metereológicos no as. pesso Assim desenvolve a jornal? Escreveu cartas para cidadania e tem a habilidade seu amigo ou fez um requeripara realizar a competência 5.

17223 – Conexão JA 03/2007

Fotos: Estudante – Daniel Oliveira; Relógio – Rodolfo Clix/SXC; Quadro – Brian S./SXC; Caderno – Greg Olsen/SXC

Descobrindo as competências e habilidades

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


d iogo c Av Alc

Anti

O Judeu manifestante Aproveitando a deixa da Semana Santa, a revista Galileu chamou atenção ao livro A Última Semana, do historiador norte-americano e ex-monge John Dominic Crossan. Segundo ele, a Semana Santa “foi um cortejo antiimperialista, mas pacífico.” E ressalta: “Creio que a morte de Jesus nada teve a ver com expiação de pecados”. Diante disso, nossa pergunta é: Crossan está certo? Segundo Crossan e Marcus Borg (co-autor), Jesus foi a Jerusalém para desafiar pacificamente a dominação romana

reflexão

17223 – Conexão JA 03/2007

Vamos analisar separadamente a interpretação dos dois eventos: a entrada em Jerusalém e a expulsão dos vendedores do Templo. Sem dúvida, a entrada em Jerusalém foi uma atitude desafiadora. Crossan e Borg não foram originais em dizer isso. Já havia uma ordem de que Jesus fosse preso (Jo 11:48; 57), porém, com coragem, Ele foi a Jerusalém de forma pública. Mas a quem desafiava? Aos romanos? Segundo os evangelhos, não. Na verdade, a entrada desafiou – apenas – os líderes e sacerdotes judeus. Durante os três anos anteriores, Jesus evitou a divulgação de Seus milagres e de quem Ele era, certamente para não despertar mais oposição nos líderes judeus (Mt 16:20; Mc 5:43; 7:36; 8:30). Porém, ao entrar publicamente em Jerusalém, Cristo se expôs, e aquele ato O levaria à morte. Dias antes, chegou a advertir Seus discípulos de que iria para Jerusalém, seria preso, humilhado e morto pelos líderes judaicos (Mt 26:1; Mr 10:33 e 34).

Ilustração: JoCard

Livro defende que Jesus fez protestos pacifistas

na Judéia. Em entrevista ao programa Fantástico, Crossan resumiu seu ponto de vista dizendo que Jesus compôs uma caricatura de Pilatos. O líder romano, em um cavalo; Cristo, em um asno. Segundo o autor, Jesus queria fazer uma “piada” sobre os dominadores. Na seqüência de Seu “protesto pacifista”, Jesus teria realizado um ato simbólico com um tipo de chicote para expulsar os vendedores do Templo. Na entrevista, o autor compara o gesto às atuais manifestações pacifistas em que se usam símbolos. Então, a partir da “rebeldia” de Cristo, tanto autoridades romanas quanto judaicas procuraram aprisionáLo, defende o livro.

________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

26

jul–set 2007

Douglas Assunção | Foto: Digital Stock

Marcos ________ Designer


Vendedores fugindo Se a entrada triunfal de Cristo não possuía qualquer intenção de atacar a dominação romana, muito menos a expulsão dos vendedores do Templo. Ela aconteceu por causa da importância do edifício e dos sacrifícios que aconteciam nele. A gritaria dos cambistas e o comércio corrupto de animais para o sacrifício manchavam a santidade daquele

lugar que deveria ser chamado de “casa de oração para todos os povos” (Is 55:6, 7). A segunda razão para Jesus agir daquela maneira estava em quem Ele declarou ser: “Antes que Abraão existisse, Eu sou” (Jo 8:58). Para o Cristo divino e pré-existente da Bíblia, o comércio, a corrupção, os animais e a gritaria insultavam o próprio Deus. Mas os saduceus (classe de judeus) e os sacerdotes ganhavam muito com aquela situação e não gostaram nem um pouco do que Jesus fez. Crossan também afirmou que a intenção de utilizar um chicote foi produzir um ato simbólico. Sabemos que protestos pacifistas não expulsam pessoas (ainda mais em lugares como aquele, onde havia soldados). No entanto, o “protesto pacifista” de Jesus expulsou uma multidão de vendedores. Nem mesmo um chicote seria capaz de convencer dezenas de vendedores a deixar suas bancas serem viradas por Jesus. O argumento para a expulsão deve ter sido algo maior do que simples pedaços de couro. Idéias como as de Crossan ganham espaço na mídia porque atraem audiência, apesar de não terem fundamentos sérios. Nas bibliotecas, A Última Semana deveria ser colocado junto a livros de ficção ou de romance. Foi escrito por pessoas que tentam conquistar fama e dinheiro às custas de Alguém. Mas a fama é passageira.

17223 – Conexão JA 03/2007

Cristo também desafiava a liderança ao cavalgar um jumentinho, numa clara referência e intenção de cumprir a profecia de Zacarias 9:9: “...eis que vem o teu Rei, justo e salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de jumenta.” E quando a multidão começou a gritar “Filho de Davi” (descendente do antigo rei Davi, o mesmo que Messias), isso preocupou os líderes judeus, que se viram ameaçados (Mt 21:15; João 12:19). Não se menciona nos evangelhos que a entrada tenha ofendido os romanos. Se fosse assim, talvez Jesus tivesse sido preso naquele domingo. Eram as autoridades judaicas que temiam a oposição do povo, não os romanos (a Fortaleza Antônia, com milhares de soldados ao lado do Templo, era um bom argumento para isso). Outra evidência é que, no julgamento de Jesus, nem Pilatos, Herodes, nem mesmo os acusadores mencionaram a entrada triunfal.

Douglas Assunção | Foto: Digital Stock

Ilustração: JoCard

Adquira Consultório Psicológico e tenha em qualquer lugar orientações profissionais para lidar com a angústia, depressão, fobias, problemas de relacionamento e muito mais.

Marcos ________ Designer

Cód. 7026

Para adquirir ligue: 0800-9790606*, acesse: www.cpb.com.br, faça seu pedido no SELS de sua Associação, ou dirija-se a uma das Lojas da CASA. jul–set 2007 *Horários de atendimento: Segunda a quinta, das 8h às 20h / Sexta, das 7h30 às 15h45 / Domingo, das 8h30 às 14h.

________ Editor ________ Cliente

27

________ C.Qualidade ________ Depto. Arte


Você está me ouvindo?

Quando falamos, transmitimos nossas idéias. Quando ouvimos, abrimos a mente ao pensamento dos outros. Ouvir é um dos mais úteis instrumentos de comunicação: é ouvindo que aprendemos. Mas você é um bom ouvinte? Faça o teste e descubra. 1. Para ouvir, você se senta em posição firme, em frente de quem vai falar, assegurando-se de um ambiente favorável? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente 2. Ao escutar, você observa quem fala? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente 3. Decide, julgando pela aparência e maneira de falar do interlocutor, se o que ele tem a dizer vale a pena ou não? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

5. Enquanto ouve, você determina as suas tendências e trata de justificá-las perante o que diz quem fala? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente

Perguntas 1, 2, 4, 6, 8 e 10: Geralmente

10 pontos

Às vezes

5 pontos

Raramente

0 ponto

Perguntas 3, 5, 7 e 9:

6. Você presta atenção a quem lhe está falando? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente

Geralmente

0 ponto

Às vezes

5 pontos

7. Ouvindo uma opinião com a qual não concorda, você interrompe imediatamente quem lhe fala? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente

Raramente

10 pontos

70 pontos – Você tem maus hábitos de audição. 70 a 85 pontos – Ouve bem, mas pode melhorar.

8. Antes de emitir sua opinião sobre alguma coisa que ouviu, você procura certificar-se de que compreendeu o que lhe foi dito? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente 9. Sentindo que as suas convicções estão sendo abaladas pelo que ouve, você trata de “desligar o receptor”? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente 10. Procura conscientemente avaliar a lógica e a credibilidade do que ouve? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente 2

jul–set 2007

90 a 100 – Excelente ouvinte.

Lembre-se: “Você pode fazer amigos em dois meses, interessando-se pelas outras pessoas, do que em dois anos, tentando conseguir o interesse dos outros sobre você.” Dale Carnegie Fonte: Marco Laurindo, Marketing Pessoal e o Novo Comportamento Profissional

Foto: Daniel Oliveira

17223 – Conexão JA 03/2007

4. Escuta procurando principalmente idéias? [ ] geralmente [ ] às vezes [ ] raramente

Resultado:


Foto: Daniel Oliveira


o tim Ar g onç

Teatro Alves

17223 – Conexão JA 03/2007

Sou líder de jovens e de vez em quando vou ao teatro. Há algum problema nisso? É errado? Será que estou pecando? Vou basicamente para sorrir. O que o senhor me diz? Vou responder sua pergunta com um misto de satisfação e preocupação. Alguns irmãos, entre os quais alguns jovens como você, já me disseram que ir ao teatro é crescer culturalmente. No meu entender, penso que estão procurando justificar o erro em nome do crescimento intelectual e do convívio social com alguns “amigos”. Diante do que tenho visto, lido e ouvido nestes últimos anos, geralmente o teatro, a televisão e o cinema andam juntos. É como se um “puxasse” o outro. E de fato essas três formas de diversão andam de mãos dadas, porque os “ídolos”, os “deuses” e os “astros” são quase sempre os mesmos, nada mais do que palcos de vaidades. Vou apresentar quatro pontos de absoluta relevância para os nossos jovens:

Marcos ________ Designer ________ Editor ________ Cliente ________ C.Qualidade ________ Depto. Arte

1. As chamadas “peças” teatrais, quase sempre, são foco de imoralidade, sensualidade e hilaridade vulgar. O símbolo do teatro é uma máscara, um ícone da falsidade e da hipocrisia – atitudes completamente contrárias aos princípios bíblicos. O jovem adventista, ao contrário, deve ser transparente, sincero, honesto. O teatro é uma das formas mais nocivas à nossa “saúde espiritual” (confira, Eventos Finais, p. 87). 2. O teatro glorifica os seus “deuses”, os seus “ídolos” e os seus “astros” de carne e sangue. São deuses que nada ou quase nada podem fazer por você e por mim. São ídolos que geralmente não servem de exemplo, principalmente quando o tema é relacionamento com o sexo oposto e estilo de vida. São astros cujas luzes em algum momento da vida irão se apagar. Teatro é a glorificação do ser humano e suas vis paixões. É hora de glorificarmos com todas as forças o único Deus verdadeiro – Jesus Cristo (1Tm 2:5). Reflita comigo na citação a seguir: “Muitos dos divertimentos populares do mundo hoje, mesmo entre aqueles que pretendem ser cristãos, propendem para os mesmos fins que os dos gentios, outrora. Poucos há na verdade entre eles, que Satanás não torne responsáveis pela destruição de almas. Por meio do teatro ele tem operado 30

jul–set 2007

durante séculos para despertar a paixão e glorificar o vício.” (Minha Consagração Hoje, MM 1989, p. 87). 3. O teatro corrompe a imaginação e destrói as impressões religiosas. Satanás quer controlar nossa mente a qualquer custo. Imagine o esforço todo especial que nossos líderes e irmãos fazem em cada programação da igreja – seja na quarta-feira à noite, no sábado pela manhã ou no domingo à noite – para que os membros e convidados especiais, ao deixarem a igreja, voltem para casa com a imaginação santificada e com boas impressões espirituais. Depois o inimigo vem para destruir essas impressões espirituais com os maus programas de televisão, com o cinema, o teatro, as páginas impróprias da internet, o dialogo pouco recomendável no Orkut, etc. Cuidemos com os olhos – as janelas da alma –, pois a busca pelo prazer é infindável. 4. O jovem adventista não se conforma com este mundo e suas vis paixões. Não tenha medo de ser diferente, especial, seja na sala de aulas, lá na sua escola secundária, seja na sua universidade, seja no seu ambiente diário de trabalho ou no seu lazer de fim de semana. Não é o fato de a maioria dos jovens da atualidade fazerem algo errado que transformará o errado em algo correto. Não se esqueça: os princípios de Deus são imutáveis. O profeta Isaías diz categoricamente: “Seca-se a erva, e caem as flores, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente” (Is 40:8). O apóstolo Paulo, escrevendo aos irmãos que viviam na promíscua metrópole de Roma, disse: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12:2). Repito, para não esquecermos: a grande batalha do “tempo do fim” é pelo domínio da mente, especialmente das mentes juvenis e jovens. Que o Espírito Santo possa ser o único a controlar a sua e a minha mente, renovando-as cada manhã por meio do estudo sistemático da Bíblia Sagrada, da oração particular e do seu ato de testemunhar de Jesus para outro jovem no ambiente onde Deus o colocou. Faça isso. Procure viver assim e você será um vencedor cada dia. Otimar Gonçalves

Líder de Jovens na Divisão Sul-Americana otimar.gonçalves@dsa.org.br


www.unasp.edu.br

Prepare-se...

Vestibular Nacional

2008


Conexão JA - 3tri07