Issuu on Google+


Fale Conosco: Arquidiocese de Goiânia - GO Paróquia Sagrada Família Rua C-14, Qd. 19 Lt. 15 - Vila Canaã Cep: 74415-420 / Tel.: 62 3942-4267 revista@sagrada.org.br Tiragem: 5.000 unidades Impressão: Gráfica América Tel.: 62 3253-1307 Alguma dúvida, crítica ou sugestão? Entre em contato conosco! 62 3942-4267 ou revista@sagrada.org.br

2

Revista Sagrada JUNHO 2014

Redes Soci@is

EXPEDIENTE

Direção Geral: Padre Cleidimar Moreira Direção Executiva: Rafael Tavares Jornalista Responsável: Simone Borges - 2715 JP/GO Diagramação: Guilherme Silva Assistente Executiva: Lorena Trindade Apoio Eventos: Alessandra Borges e Luana Moreira Fotos: Rodrigo Roncolato e Paulo Cesar Agradecimentos: Marilei Moreira, Flávia Côrtes, Moisés Nogueira, Ney e a todos que intercedem por este projeto.


Palavra do Padre

Pentecostes! A alguns dias atrás, vivemos a Festa da Páscoa, ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Cinquenta dias depois, acontece a Festa de Pentecostes, que é a vinda do Espirito Santo sobre os apóstolos. Esse mesmo Espírito vem conduzindo a Igreja desde então. Muitas bênçãos aconteceram no meio do povo de Deus por meio da ação dos cristãos, e continua acontecendo. Porém, muitos cristãos estão desanimados em sua missão de evangelizar diante das tantas provas que vão passando. Um povo que deveria testemunhar com alegria e entusiasmo, está fazendo o contrário. Cristãos disputando dogmas e espaços com fins diferentes do pensamento de Cristo. Os Cristãos vivendo como pagãos e com pensamentos mundanos, sem que haja luta para a permanência dos ensinamentos de Cristo. Infelizmente, por isso, o cristianismo parece estagnado. Há um crescimento do paganismo e de seitas gnósticas já que os cristãos não estão convencidos de que ser de Cristo é bom. O povo jaz em túmulos e necessita ressuscitar com o Pentecostes! Faz-se necessário cumprir a profecia de Ezequial que nos diz: “Assim diz o Senhor DEUS: Eis que Eu abrirei os vossos sepulcros, e vos farei subir das vossas sepulturas, ó povo meu, e vos trarei à terra de Israel. E sabereis que Eu sou o Senhor, quando Eu abrir os vossos sepulcros, e vos fizer subir das vossas sepulturas, ó povo meu. E porei em vós o meu Espírito, e vivereis, e vos porei na vossa terra; e sabereis que Eu, o SENHOR, disse isto, e o fiz, diz o SENHOR”. (Ez 37, 12-14)

Nada acontecerá se não desejarmos isso. Rezemos para que o Senhor levante um povo cristão autêntico, profético, missionário e corajoso para uma evangelização eficaz.

Que Deus nos ajude e nos abençoe!

Padre Cleidimar Moreira Administrador Paroquial

padrecleidimar@sagrada.org.br Revista Sagrada JUNHO 2014

3


Papa Francisco 48º DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS 01 de Junho de 2014

Comunicação ao serviço de uma autêntica cultura do encontro

Queridos irmãos e irmãs,

Hoje vivemos num mundo que está a tornarse cada vez menor, parecendo, por isso mesmo, que deveria ser mais fácil fazer-se próximo uns dos outros. Os progressos dos transportes e das tecnologias de comunicação deixam-nos mais próximo, interligandonos sempre mais, e a globalização faz-nos mais interdependentes. A nível global, vemos a distância escandalosa que existe entre o luxo dos mais ricos e a miséria dos mais pobres. Basta passar pelas estradas duma cidade para ver o contraste entre os que vivem nos passeios e as luzes brilhantes das lojas. Estamos já tão habituados a tudo isso que nem nos impressiona. O mundo sofre de múltiplas formas de exclusão, marginalização e pobreza, como também de conflitos para os quais convergem causas econômicas, políticas, ideológicas e até mesmo, infelizmente, religiosas. Uma boa comunicação ajuda-nos a estar mais perto e a conhecer-nos melhor entre nós, a ser mais unidos. Precisamos harmonizar as diferenças por meio de formas de diálogo, que nos permitam crescer na compreensão e no respeito. Podem ajudar-nos especialmente nos nossos dias em que as redes da comunicação humana atingiram progressos sem precedentes. A internet pode oferecer maiores possibilidades de encontro e de solidariedade entre todos; e isto é uma coisa boa, é um dom de Deus. O ambiente de comunicação pode ajudar-nos a crescer ou, pelo contrário, desorientar-nos. O desejo de conexão digital pode acabar por nos isolar do nosso próximo, de quem está mais perto de nós. [...] Se estamos verdadeiramente desejosos de escutar os outros, então aprenderemos a ver o mundo com olhos diferentes e a apreciar a experiência humana

4 4

Revista Sagrada JUNHO 2014 Revista Sagrada JUNHO 2014

tal como se manifesta nas várias culturas e tradições. [...] Poderíamos traduzi-la assim: Como se manifesta a «proximidade» no uso dos meios de comunicação e no novo ambiente criado pelas tecnologias digitais? Encontro resposta na parábola do bom samaritano, que é também uma parábola do comunicador. E o bom samaritano não só se faz próximo, mas cuida do homem que encontra quase morto ao lado da estrada. Jesus inverte a perspectiva: não se trata de reconhecer o outro como um meu semelhante, mas da minha capacidade para me fazer semelhante ao outro. Por isso, comunicar significa tomar consciência de que somos humanos, filhos de Deus. Apraz-me definir este poder da comunicação como «proximidade». [...] Por isso mesmo que o testemunho cristão pode, graças à rede, alcançar as periferias existenciais. [...] Seremos nós capazes de comunicar o rosto duma Igreja assim? A comunicação concorre para dar forma à vocação missionária de toda a Igreja, e as redes sociais são, hoje, um dos lugares onde viver esta vocação de redescobrir a beleza da fé, a beleza do encontro com Cristo. Inclusive no contexto da comunicação, é precisa uma Igreja que consiga levar calor, inflamar o coração. O testemunho cristão não se faz com o bombardeio de mensagens religiosas, mas com a vontade de se doar aos outros «através da disponibilidade para se deixar envolver, pacientemente e com respeito, nas suas questões e nas suas dúvidas, no caminho de busca da verdade e do sentido da existência humana» (Bento XVI, Mensagem para o XLVII Dia Mundial das Comunicações Sociais, 2013). Vaticano, 24 de Janeiro Memória de São Francisco de Sales – do ano 2014. Franciscus


Dizímo

A Igreja somos nós!

Sabemos que as palavras comovem, mas os testemunhos arrastam. Diante desta verdade, procuramos aqui mostrar o quanto Deus é fiel àqueles que ouvem a Sua palavra e a coloca em prática. Que tenhamos a consciência que o dízimo não é uma “barganha” com Deus, e sim uma forma de gratidão ao Seu imenso amor por nós. Que possamos TENTAR – coisa que é possível – retribuir esse amor com o nosso dízimo. Não apenas com os recursos financeiros, mas que possamos ofertar também ao Senhor nosso tempo e talentos, pois, “A messe é grande e os operários são poucos”, (Mt 9,37). Hoje quero dizer a vocês, porque participo da oferta e do dízimo. Não quero divulgar meu nome, porque se dá com uma mão, e não se mostra com a outra! Desde criança, tive uma vida meio sofrida. Quando meu pai era vivo ele nunca nos deixou faltar o principal. Chegava o dia do Natal, minha mãe saía comigo e meus irmãos para vermos o movimento e luzes das lojas, porque não tinha dinheiro para comprar presentes para nós. Chegava o dia do natal, às vezes nem tínhamos carne para comer. Então, ela começou a lavar roupa para fora, para comprar uma boneca para mim e um presente aos meus irmãos. Para irmos à escola mal tínhamos o lápis, a borracha, caderno. Com um mês de casada, passei na Faculdade Católica. Eu não trabalhava, somente meu marido. Ele disse: “Você prefere roupa ou a faculdade?”. Eu escolhi a faculdade. Todas as colegas iam na maior “chiquesa”. Eu tinha quatro calças jeans, quatro camisetas e um tênis. Os livros, eu pedia emprestado para estudar para as provas. Mas, graças a Deus, hoje sou pósgraduada e trabalho em um órgão público, há 19 anos. Passei em um concurso quando Deus viu que era a hora certa.

Quando comecei a trabalhar, percebi que oferta é uma coisa e dízimo é outra. Oferta é ação de graça ao Senhor, de fé e confiança na providência Divina e também de solidariedade para com os irmãos. Deus recebe de todo seu coração a moeda que você ofertar, mas eu coloquei em minha mente que, o que tenho é somente Deus que me dá. Então, se eu posso oferecer mais, porque irei colocar moedas? Por isso, sempre oferto R$ 10,00 ou mais. Na Palavra eu pedi ao Espírito Santo que me mostrasse o que faltava. Por três dias seguidos eu perguntei e Ele sempre me mostrava: “DÍZIMO”. E uma das frases foi: “Pagai integralmente os dízimos ao tesouro do templo, para que haja alimento em minha casa”. Comecei a dizimar com R$ 15,00, mas meu coração não ficava satisfeito com aquilo. Hoje devolvo o dízimo com 7,5% do meu salário. Deus e Maria Santíssima sabem o porquê eu ainda não cheguei aos 10%. Eu amo entregar a Deus o que Ele me concede. Porque eu aprendi que muitos padres não recebem seus salários, seu sustento digno. E é dever nosso, comunidade, cuidar dos sustentos pastorais. Você que ainda não é dízimista, coloque em sua mente o seguinte: a Igreja somos nós, isso mesmo, A IGREJA SOMOS NÓS. E Lembrem-se! Esse dinheiro é para dimensões religiosas, sociais e missionárias. Se você não pode colaborar com 10% – que é o percentual certo – ofereça a Deus, a quantia que seu coração sentir que sua paróquia necessita. Mas não diga a ninguém a quantia. Meus filhos e meu marido não sabem quanto eu dizimo e quanto eu oferto. Façam essa experiência! Mas não dê como obrigação e nem sacrifício, Deus aceita o que vem do coração. E, ao receber seu pagamento, tire primeiro o que é de Deus, porque não devemos dar a Ele o que sobra, Ele não precisa de resto. Nós, irmãos, somos a Igreja. Devemos ter consciência das necessidades de nossa paróquia e ajudar. Se nós, que somos a Igreja, não colaborarmos com o dízimo, não teremos nem bancos para sentar, luz para iluminar, água para beber, entre outras coisas. Irmãos, vamos participar mensalmente das necessidades da nossa paróquia e vocês verão a glória na vida de vocês. Peço de coração a todos vocês, façam seu cadastro no dízimo e vamos ajudar nossa paróquia em tudo o que ela necessita para cumprir a missão de evangelizar. Deus abençoe todos vocês! Autor Anônimo Revista Sagrada JUNHO 2014

5


Namoro

Santidade... eu vivo! Eu acredito! O namoro é uma preparação para o matrimônio, é um tempo de conhecimento de ambos para descobrir juntos a vocação de ser família. Nossa história teve início no dia 14 de julho de 2007. Começamos a namorar e, como todo casal apaixonado, vivemos os primeiros meses intensamente um para o outro. Nos conhecemos no mesmo grupo de jovens, mas ainda não tínhamos compromisso com a Igreja. Ou seja, não tínhamos um encontro pessoal com Deus. Aos poucos, sonhos e desejos começaram a surgir dentro de nós. Gostávamos das mesmas coisas, músicas, dançar, boates, festas. Enfim, éramos jovens e queríamos curtir a vida. Com isso, pensávamos que Deus tinha nos feito um para outro. Participávamos da Santa Missa quando dava ou quando nossos pais pegavam em nossos pés para irmos, pois, graças a Deus nossa família é da igreja. No segundo semestre de 2010 percebemos que o nosso namoro, nossos sonhos e desejos estavam sendo destruídos pela falta de diálogo, perdão, paciência, pelo meu excesso de bebida alcóolica e principalmente pelo pecado. Com 3 anos de namoro vimos que faltava alguma coisa. O mundo e os prazeres que ele nos dava já não nos satisfaziam mais, era necessário sentirmos juntos um amor maior, um amor que só vem de Deus. Resolvemos então nos deixar seduzir pela santidade que vem de Deus. “Seduziste-me Senhor e eu me deixei seduzir” (Jr 20,7). Viemos juntos para a Paróquia Sagrada Família, confessamos com o padre e, a partir daquele momento, Deus nos chamou para mais perto Dele. Decidimos recomeçar. Iniciou-se assim uma história de muita luta para nossa conversão. A vontade de ser melhor a cada dia nos levou a descobrir que a graça no namoro é viver a castidade. Hoje buscamos viver um namoro em santidade e casto. Santidade é buscar todos os dias viver o respeito, o saber perdoar, o diálogo, a oração e intercessão um pelo outro e, acima de tudo, ter dentro de nossos corações essa verdade que é sim possível viver um relacionamento em santidade e oração. Hoje estamos juntos na evangelização à frente do Grupo de Oração Ágape, na Paróquia Sagrada Família. Olhamos um para o outro e vemos mais que um corpo, vemos duas histórias que se encontraram uma com a outra.

6 6

Revista Sagrada JUNHO 2014 Revista Sagrada JUNHO 2014

Hoje estamos noivos e ainda lutamos e vigiamos para o homem e a mulher velha não voltarem. Deixamos o pecado, saímos do estado de morte para procurar viver a vida que vem de Cristo. A busca pela santidade e castidade no namoro nos levou ao noivado, que resultará no nosso casamento. E este será para toda eternidade. Se juntos não tivéssemos tido a consciência disso, desde o momento da nossa conversão, dificilmente conseguiríamos chegar ao noivado e futuramente ao matrimônio. A vontade de Deus para nós jovens é a santidade. Não é fácil, mas se você realmente fazer essa escolha, Ele vai te ajudar. Precisamos ser jovens firmes e corajosos, o Espiríto Santo é nossa força e te conduzirá a esse caminho de espera e amor. A vocês que estão em um relacionamento, não deixem para depois. Decidam hoje, você e sua companheira, pela castidade e santidade. Busquem a Confissão, a Eucaristia, rezem o terço e se apoiem em um grupo de oração de nossa paróquia. Essas são as ferramentas para vivermos segundo a vontade de Deus.

Moisés Nogueira e Lidiane

Coordenador do Grupo de Oração Ágape Todos os sábados, às 19h grupo.agapecatolico@gmail.org.br


Testemunho

Uma família

restaurada! Meu nome é Silvio, minha esposa se chama Cida. Somos casados há 14 anos, graças a Deus, e temos três filhos: Géssika (22), Silvio Júnior (13) e um que está na glória de Deus. Antes de termos um encontro pessoal com Jesus, nossa vida foi marcada por muitas tribulações. Fui um homem adúltero e experimentamos todas as dificuldades que um casal pode imaginar. Eu bebia muito e levava uma vida de solteiro. Nós, sem sabedoria, disputávamos quem fazia o outro mais infeliz, quem pisava e destruía mais o outro. Foram quatro anos de uma vida a dois que era um verdadeiro inferno. Já não havia mais esperança. Estávamos no fundo do poço, já partindo para agressões físicas, colocando as nossas vidas em risco de morte. Mas, para a honra e glória do Senhor, um vizinho nosso, nos convidou para ir ao seu casamento, que aconteceu na Paróquia Sagrada Família, no Grupo de Oração Sagrada Família, em uma quinta-feira, no mês de março do ano 2000. E, nesta celebração do casamento já começamos a ser tocados por Deus. Naquele mesmo dia fomos convidados a participar do 2º Encontro de Casais do Grupo da Família, em um fim de semana do mês de maio do mesmo ano. Para minha esposa, aquela seria a nossa última chance. Eu estava sem nenhuma vontade de ir e cheguei a dizer para ela: “Vou quebrar seu galho indo a este encontro, mas não garanto nada”. E ainda: “Se não tiver bom lá,

pego carro, venho embora e te deixo”. Graças a Deus, eu participei de todo o encontro. No sábado o pregador falou sobre tudo aquilo que estávamos vivendo. Parecia até que ele nos conhecia, mas claro que não, pois era Deus nos falando através daquele homem. Em um momento, ele disse: “Quem quer ter uma vida nova venha até a frente”. Não sei como, mas saltei aos pés daquele homem e disse: “Eu quero ter uma vida nova”. E a partir daquele momento, para o honra e glória do Senhor, nos tornamos um casal novo, batizado no Espírito Santo. Agora somos conduzidos por Deus e vivemos em busca da conversão todos os dias. Para a glória de Deus, permanecemos no Grupo da Família. Hoje somos servos deste grupo e coordenadores da formação para noivos da Paróquia Sagrada Família, até quando o Senhor nos chamar. Mantemos os olhos firmes em Deus e nos entregamos nas mãos da Virgem Maria que nos cobre com seu manto sagrado. Rezamos o Santo Rosário todos os dias, confiantes que aqueles que esperam no Senhor, Ele não os abandona.

Silvio Nunes

Coord. da Formação de Noivos grupodafamilia@sagrada.org.br Revista Sagrada JUNHO 2014

7


Na solenidade de Pentecostes, a Santíssima Trindade é plenamente revelada a Maria e aos discípulos que, estando reunidos em um cenáculo, recebem o Espírito Santo. Nos 50 dias que sucederam a Ressurreição, Jesus ensinou e preparou os discípulos para compreenderem e viverem essa Verdade. “De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados”, (At 2,2). Conforme o Catecismo da Igreja Católica, nesse momento a missão de Jesus Cristo é passada para os discípulos e, consequentemente, para a Igreja, por meio do Espírito Santo, que os envia a anunciar e difundir o mistério da comunhão trinitária. Assim, todos cristãos se tornam evangelizadores que devem testemunhar a Verdade de Cristo, buscando os frutos do Espírito (Gal 5,22).

Divino Erasmo da Silva Santos. Ele lembra que a mensagem de Jesus é sempre “Ide pelo mundo e anunciai o Evangelho”, (Mc 16,15): “o próprio Papa Francisco nos encoraja a sairmos de nossas sacristias, de nossa acomodação, nesse sentido. E o Cristo fazia isso muito bem, indo de cidade em cidade. Quem está cheio do Espírito Santo não sossega. Vai imediatamente, não só para lugares certinhos, mas para o meio da problemática, não para se contaminar por ela, mas para purificá-la”.

O vigário ressalta que nas Sagradas Escrituras é possível perceber o dinamismo do Espírito. “O Pai criou tudo com a dinâmica do Espírito. O Filho se movimentou e enfrentou todas as problemáticas porque estava cheio do Espírito,” afirma. Porém, ele observa que “não é fácil fazer a experiência do Espírito porque somos uma geração do palpável, do visível. E a Na liturgia da Igreja Católica, esse período princípio não se vê o Espírito, como não se vê a Deus”. entre a Páscoa e o Pentecostes é também tempo de Por isso, salienta, “a experiência trinitária acontece preparação dos corações dos cristãos para que, por por meio da Palavra, da Eucaristia, das boas obras e meio do Espírito, eles possam continuar a missão na pessoa do irmão”. de Jesus. “O Espírito Santo é a alma da Igreja. É um Nos dias de hoje, é possível perceber a presença movimento que vem de dentro para fora e nos mostra a função da Trindade Santa em nossa vida. A função do Espírito Santo no crescimento e nos desafios da da Igreja é continuar essa missão, e nós somos a Igreja Igreja. Isso porque Ele é dado para os cristãos em e devemos sempre levar o Espírito. Não devemos ficar função do bem comum, nunca de causa própria. “Não com o Espírito, devemos passá-lo adiante”, destaca o existe nenhum relato bíblico que as pessoas cheias do vigário paroquial da Paróquia Sagrada Família, padre Espírito Santo ficaram em função de si mesmas. A

8

Revista Sagrada JUNHO 2014


experiência do Espírito Santo se dá na comunidade. Então o Espírito é concedido à Igreja para que ela esteja em função do povo de Deus, não por causa própria. E quem quiser ficar cheio do Espírito Santo deve, da mesma forma, estar em função do bem comum”, explica o sacerdote.

Pentecostes Este ano, a solenidade de Pentecostes acontece no dia 8 de junho e será um momento de muita oração e presença viva do Espírito Santo. Entretanto, Pe. Erasmo faz questão de lembrar que, na Paróquia Sagrada Família, todas as celebrações são muito dinâmicas e já mostram essa vivência do Espírito. Ao longo de todo o ano, a catequese, grupos e pastorais são muito vivos. Além disso, também são realizados diariamente atendimentos com direção espiritual e confissões. E, eventualmente, os fiéis contam com a presença de padres, pregadores e grupos de fora. Tudo isso para tentar ser uma paróquia cheia do Espírito. “Então, não é que a paróquia vai fazer algo específico. Ela já tenta viver o tempo todo esse Pentecostes, que nada mais é do que mostrar a vida de Deus na vida das pessoas. É as pessoas se deixarem viver imbuídas por esse Espírito e terem a beleza de sentirem-se cheias do Espírito Santo”, completa o sacerdote.

Ação do Espírito Santo O Espírito Santo é fundamental no contexto da história da Salvação. Ele é a terceira pessoa da Santíssima Trindade e está presente em todas as orações e celebrações da Igreja, inclusive nos Sacramentos. “A nossa fé é trinitária. Toda e qualquer celebração é sempre em nome da Trindade e aí está o Pai, o Filho e o Espírito Santo que é um único Deus em três pessoas”, explica Pe. Erasmo. O sacerdote lembra que apesar de estar presente em todos os Sacramentos, a Igreja tem um específico que ajuda os cristãos a fazerem essa experiência de Pentecostes no Espírito: o Crisma, ou Confimação. Aqui, já na fase adulta, a pessoa recebe os Dons do Espírito, que devem ser colocados em prática para levar adiante a missão de Jesus Cristo. Os Dons do Espírito são dados por Deus a todos os cristãos. Mas cada pessoa desenvolve dons específicos. De acordo com o vigário paroquial, a Igreja é a responsável por ajuda-los a discernirem os seus dons, porém é necessário que eles se abram para isso. “O cristão vai saber qual é o seu dom a partir das orientações da Igreja, participando da comunidade, da liturgia, da leitura da Palavra, da Santa Missa, da oração do Terço, do Santo Rosário. É nesse conjunto litúrgico que se dá o movimento do Espírito. É na oração e na ação, sempre na comunidade, que eu vou descobrir o meu carisma e é a Igreja que vai me ajudar a revelar isso”, pontua. Revista Sagrada JUNHO 2014

9


Santos da Igreja

Foto: Débora Mancilla

O santo casamenteiro?

Não há como não associar o dia dos namorados ao nome de Santo Antônio. Todos os anos, é a mesma coisa. Quem nunca escutou um “Reza para o Santo Antônio que você consegue um namorado (a) um esposo (a)”? Mas afinal, de onde veio essa definição ao franciscano? Dois acontecimentos ocorreram, e por essa razão, logo foi “rotulado” como casamenteiro. O primeiro foi em Nápoles, Itália. Uma jovem não podia pagar seu dote. Ajoelhada ela rezava com muita fé, quando um papel caiu das mãos da imagem de Santo Antônio, onde estava escrito que fosse a um comerciante e falasse a ele que pagasse moedas de prata, referente ao peso que o papel teria. Ela acabou ganhando 400 moedas, e o mesmo lembrou-se que havia feito uma promessa de dar 400 moedas em honra ao santo. E que esse era o momento no qual Antônio arrumou de cobrá-lo. Com isso a jovem conseguiu pagar o dote e casou-se. Já o segundo acontecimento, e o mais conhecido entre os devotos, aconteceu quando uma moça, já tendo perdido as esperanças de se casar, pegou a imagem que havia em seu oratório e o arremessou pela janela, acertando um jovem cavalheiro que passava. Ele pega a imagem e vai devolvê-la, e quando ambos

10

Revista Sagrada JUNHO 2014

se veem, se apaixonam e acabam se casando. Agora já sabemos de onde vem o título a Antônio de Santo Casamenteiro. Não podemos esquecer, que outro grande e importante santo, do qual tem essa função, é o castíssimo São José, pai de Jesus. Por ser Padroeiro da família, é considerado, um grande auxílio a todos que procuram um namoro e um santo casamento. Devo adverti-los de alguns métodos “comuns” não cristãos recorridos, que devem ser evitados. Qualquer outro modo de conseguir algo de maneira mais “fácil” é um completo desrespeito a veneração da imagem do santo. Pois isso já se transforma em superstição, quebrando assim os fundamentos da Doutrina Católica. Espero que no dia dos namorados, tanto Santo Antônio, como São José, possam trazer aqueles que mais anseiam e do qual a vocação se completa, um namoro abençoado, para que também se frutifique um casamento assim como Deus anseia.

Lorena Moreira

Membro da Obra Missão Shalom Goiânia Domingo às 17h na Com. Shalom lorenamoreiratr@hotmail.com


1º Retiro Discípulos Motivados pelo anúncio do Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ 2013) alguns jovens de nossa paróquia decidiram ir e fazer discípulos entre todas as nações. A resposta ao envio do papa foi a criação do Grupo Discípulos, em agosto de 2013, que é um dos núcleos de evangelização do Grupo de Oração Sagrada Família que acontece todas as quintas na paróquia. O Grupo de Oração Sagrada Família possui uma vasta estrutura de evangelização da família. Os casais e seus filhos são evangelizados a cada encontro. Cada qual com a sua linguagem e processo de formação. Os ‘Discípulos’ são portanto um grupo que abraça a faixa etária dos 18 anos em diante e procura dar ao jovem todos os meios para que ele tenha um encontro pessoal com Jesus e possa assim realizar plenamente a sua vocação e seu chamado na Igreja e no mundo. Quem coordena o grupo é o Andrey Rodrigues, todas as quintas ele conduz o grupo de oração, que acontece no auditório da catequese, após a missa. “Nossos encontros são sempre animados com muita música, oração e escuta da palavra de Deus. Temos o desafio de sermos diferentes de tudo o que o mundo é”. Ele também fala que é preciso levar a alegria de ser

de Deus para a família dos jovens. Por isso o grupo promove a cada mês um projeto chamado ‘Discípulos em sua Casa’, uma forma de pastorear e de formar discípulos de Jesus. “É realmente incrível a mudança na convivência dos jovens com sua família após a ida do grupo de oração na casa deles. Sempre levamos muita oração e todo o nosso carisma, nosso jeito de ser de Deus e isso acaba contagiando toda a família”. Em junho o grupo estará realizando um retiro de oração, que vai acontecer do dia 6 a 8, na chácara Sagrada Família, em Aparecida de Goiânia. Uma equipe de mais de 20 servos estão em oração, desde março, para que tudo ocorra na graça de Deus. O retiro contará com a presença de renomados pregadores da Renovação Carismática Católica (RCC) e também com profundos momentos de espiritualidade. Venha participar conosco, venha ser um Discípulo!

Fernanda Oliveira

Serva do Grupo Discípulos Quinta às 20h no Auditório da Catequese

Revista Sagrada JUNHO 2014

11


Variedades Ingredientes - 01 lata de leite condensado - 200 g de chocolate meio amargo picado - 01 xícara (chá) de açúcar - 01 colher (sopa) de margarina - 01 xícara (chá) de amendoim torrado, sem pele, ligeiramente picado

Quadradinhos

de amendoim com choclolate Tipo de prato: Sobremesa Preparo: Demorado (acima de 45 minutos) Rendimento: 25 porções Dificuldade: Fácil / Categoria: Doce caseiro Calorias: 125 por porção

Modo de preparo 1. Em uma panela, ponha o leite condensado, o chocolate, o açúcar e a margarina. No fogo baixo, mexa até desgrudar do fundo da panela. 2. Junte o amendoim, misture bem e desligue o fogo. 3. Bata bem com uma colher até a mistura ficar opaca. 4. Despeje em uma superfície lisa e untada com margarina. 5. Deixe esfriar e corte o doce em quadradinhos médios Dica: substitua o amendoim por castanha-do-pará picada grosseiramente. Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/culinaria/receitas/receita-de-quadradinhos-amendoim-487534.shtml

Livro: As cinco fases do Namoro Namorar, bem mais que beijos, sentimentos e carinhos, é dispor-se a conhecer e a amar uma pessoa especial. Um relacionamento sadio não surge de imediato, mas se desenvolve e avança gradualmente. Pensando nisso, foi elaborada a obra As cinco fases do Namoro, e as etapas aqui apresentadas existem para proteger o amor. Ao se orientar por deste roteiro, você se identificará e encontrará erros muito comuns aos namoros. E talvez descubra por quais motivos alguns antigos relacionamentos não deram certo. Além disso, se perceberá capaz de ultrapassar fronteiras e dificuldades, para, então, encaminhar-se ao casamento de maneira consciente e preparado para esse compromisso. Você verá que, pela graça do Espírito Santo, pelo respeito e pelo amor, é possível superar os desafios do casal e transformá-los em decisão e felicidade. Sandro Arquejada Disponível na Lojinha da Paróquia Valor: R$ 25,00

12

Revista Sagrada JUNHO 2014


Cantinho da Crianรงa

Anuncie sua empresa nesta Revista revista@sagrada.org.br ou 62 3942-4267

Revista Sagrada JUNHO 2014

13


Pr贸ximos Eventos

14

Revista Sagrada JUNHO 2014


Próximos Eventos

Eventos dos Grupos/Ministérios

Retiro Lapidai-me Senhor 04 à 06 de Julho - Chácara Sagrada Família Pregadores: Pe. Rafael (Anápolis), Pe. Cleidimar (Goiânia), Sintia e Carlos (G.O. Sagrada Família), Dr. Claudinho, Cleone (Shalom). SHOW: Aelton Novais Vagas Limitadas \ Realização: Grupo de Oração Ágape e Paróquia Sagrada Família \ Informações e Inscrições na Secretaria: 62 3942-4267 ou 8203-4267

Agenda Junho / Julho 03/06 - Celebração do Crisma (Paróquia às 19h30) 07/06 - Mutirão de Confissões (8h às 16h) - 1.000 Ave-Marias (13h30) 09/06 - Reunião c/ Coordenadores (apósaMissadas19h30) 11/06 - Reunião de Servos da Paróquia (19h30) 13/06 - Curso de Batismo(Capela da Medalha, às 19h30) 14/06 - Arraiá da Sagrada (19h, Uni-Anhanguera) 19/06 - Corpus Christi (Missaàs8heàs17h,naPraçaCívica) 25/06 - Missa da Saúde (Pe. Elenivaldo, 19h30) 18 à 26/06 - Novena do Sagrado Coração de Jesus 27/06 - Festa do Sagrado Coração de Jesus

28/06 - Encontro de Cura e Libertação entre Gerações (Auditório, às 15h) 04/07 - Curso de Batismo(Capela da Medalha, às 19h30) 04 à 06/07 - Retiro Lapidai-me Senhor (Chácara) 05/07 - Mutirão de Confissões (8h às 16h) - 1.000 Ave-Marias (13h30) 07 à 13/07 - Formação p/ o Casamento 20/07 - Kairós (Conv. Especial, 16h30) - Início do Cerco de Jericó 27/07 - Entrega do Cerco de Jericó 30/07 - Missa da Misericórdia (Conv. Especial , às19h30) Revista Sagrada JUNHO 2014

15



Revista Sagrada - Junho 2014