Page 1

P – Da mesma maneira como este pão posto sobre esta mesa, foi primeiro semeado sobre as colinas e múltiplo em suas espigas, e depois recolhido para tornar-se um, congrega assim teus amados e amadas de todos os cantos da terra no teu reino, por Cristo, nosso Senhor. Mostrando o pão consagrado: P – Eu sou a luz do mundo; que me

segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida. T – Senhor, eu não sou digno(a)... (Comunhão: canto n .15 deste folheto.)

26. ORAÇÃO FINAL

Ó Deus de ternura, que nos fortaleceste com este encontro e com a certeza da vitória do Cristo sobre o mal, nesta

primeira semana da Quaresma, nós te pedimos a graça de renovar nossa fidelidade plena no teu serviço. Por Cristo, nosso Senhor.

Arquidiocese de Goiânia

O roteiro de “onde não houver missa” encontra-se no livro “Dia do Senhor”: de M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: Apostolado Litúrgico.

1º Domingo da Quaresma –Ano A 13 de março de 2011 - Ano XXVIII - Nº 1601

VENCER AS TENTAÇÕES

O mistério que celebramos hoje Neste primeiro domingo, como permanentes “catecúmenos” e necessitados de conversão, assumimos, unidos a Jesus, a experiência do deserto, preparando-nos para a Páscoa. Com Ele aprendemos a enfrentar as tentações que a vida nos apresenta; renovar nossa fidelidade ao Deus vivo e verdadeiro, sustentados por sua Palavra; e deixar-nos conduzir pelo Espírito para discernir e optar, filial e decididamente, pela vontade do Pai, em todas as circunstâncias. Somos chamados pelo Senhor a fazer desta Quaresma um tempo de convivência para viver, com todos os cristãos e cristãs, a solidariedade e construir a paz. Sugestões para a equipe de celebração: 1. Preparar o ambiente da celebração, mantendo-o despojado para garantir a centralidade do mistério que celebramos: colocar junto à cruz em destaque, algumas pedras, galhos secos e cactos lembrando a realidade do deserto; a cor roxa para as vestes litúrgicas e a ornamentação da mesa da Palavra e do altar, sem flores; o cartaz da CF/2011 poderá ser ampliado, ou emoldurado, e colocado em lugar de destaque, junto à cruz. Evitar pregá-lo na estante da Palavra ou no altar. 2. Na homilia, é importante ligar a Palavra com o rito eucarístico. Nele expressamos nossa fidelidade ao projeto de Deus, ao mesmo tempo em que recebemos de Deus a força para enfrentar e vencer as inúmeras tentações que nos atingem. 3. Onde houver batismo na vigília pascal, depois de rezado o Creio, segue-se o Rito do catecumenato, em que a comunidade acolhe as pessoas que irão receber o batismo. Há sugestões no Ritual de Iniciação Cristã de Adultos, p. 64-67. 4. Durante o tempo da Quaresma, é proibido ornar o altar com flores; o toque de instrumentos musicais só é permiti-

do para sustentar o canto, excetuando-se o Domingo Laetare (4º Domingo da Quaresma), bem como as solenidades e festas. A cor do tempo é roxa. No domingo Laetare, pode-se usar cor-de-rosa (IGMR, n. 308). Em todas as Missa e Ofícios, omite-se o Aleluia. Nas solenidades e festas somente, como ainda em celebrações especiais, diz-se o Te Deum e o Glória. 5. Hino da CF 2011 1. Olha, meu povo, este planeta terra: / Das criaturas todas, a mais linda! / Eu a plasmei com todo amor materno, / pra ser um berço de aconchego e vida. (Gn 1) Nossa mãe terra, Senhor, / geme de dor noite e dia. / Será de parto essa dor? / Ou simplesmente agonia?! / Vai depender só de nós! / Vai depender só de nós! 2. A terra é mãe, é criatura viva; / também respira, se alimenta e sofre. / É de respeito que ela mais precisa! / Sem teu cuidado ela agoniza e morre. 3. Vê, nesta terra, os teus irmãos. São tantos... / que a fome mata e a miséria humilha. / Eu sonho ver um mundo mais humano, / sem tanto lucro e muito mais partilha! 4. Olha as florestas: pulmão verde e forte! / Sente esse ar que te entreguei tão puro... / Agora, gases disseminam morte; / o aquecimento queima o teu futuro. 5. Contempla os rios que agonizam tristes. / Não te incomoda poluir assim?! / Vê: tanta espécie já não mais existe! / Por mais cuidado implora esse jardim! 6. A humanidade anseia nova terra. (2Pd 3,13) / De dores geme toda a criação. (Rm 8,22) / Transforma em Páscoa as dores dessa espera, / quero essa terra em plena gestação!

LEITURAS BÍBLICAS: 2ª-f.: Lv 19,1-2.11-18; Mt 25,31-46. 3ª-f.: Is 55,10-11; Mt 6,7-15.

4ª-f.: Jn 3,1-10; Lc 11,29-32.5ª-f.: Est 4,17n.p-r.aa-bb.gg-hh; Mt 7,7-12. 6ª-f.: Ez 18,21-28; Mt 5,20-26. Sábado: S. José, Esposo da BVM, Padroeiro da Igreja Universal – 2Sm 7,4-5a.12-14a.16; Mt 1,16.18-21.24a ou Lc 2,41-51a. Domingo:2º Domingo da Quaresma - Gn 12,1-4a; 2Tm 1,8b-10; Mt, 17,1-9.

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

VENCER AS TENTAÇÕES 1. MOTIVAÇÃO

São Basílio, / rogai por nós. São Martinho, / rogai por nós. São Bento, / intercedei por nós! São Francisco e São Domingos, / rogai por nós. São Francisco Xavier, / rogai por nós. São João Maria Vianney, / rogai por nós. Santa Catarina de Sena, / intercedei por nós! Santa Teresa de Jesus, / rogai por nós. Santa Teresa de Ávila, / rogai por nós. Santos mártires de nosso tempo, / rogais por nós. Todos os Santos e Santas de Deus, / intercedei por nós! P – Começamos a nossa celebração quaresmal invocando a Cristo e a seus Santos. Invoquemos agora a misericórdia de Deus, para que nos conceda seu perdão, nos renove e nos prepare para celebrar as festas da Páscoa. Oremos em silêncio, reconheçamos nossas culpas (silêncio). Sede-nos propício, vos pedimos, Senhor! Livrai-nos de todo mal, vos pedimos, Senhor! 2. LADAINHA DE TODOS OS Salvai-nos de todo o pecado, vos pediSANTOS mos, Senhor! (32º Curso: 09.06) Livrai-nos da morte eterna, vos pedimos, Senhor! Coro: Kyrie eleison. Por vossa encarnação, vos pedimos, Ass: Kyrie eleison. Senhor! Coro: Christe eleison. Ass.: Christe eleison. Por vosso batismo e vosso jejum, vos pedimos, Senhor! Coro: Kyrie eleison. Ass: Kyrie eleison. Por vossa morte e ressurreição, vos pediCoro: Santa Maria, Mãe de Deus, / mos, Senhor! Apesar de nossos pecados, vos pedimos, Ass: rogai por nós! Senhor! São Miguel, / rogai por nós! Cristo, ouvi-nos, / Cristo, ouvi-nos! Santos Anjos de Deus, / rogai por nós! Cristo, atendei-nos. / Cristo, atendei-nos! São João Batista, / intercedei por nós! São José, / rogai por nós! 3. ORAÇÃO São Pedro e São Paulo, / rogai por nós! P – Oremos. (Pausa para oração) Santo André, / rogai por nós! Concedei-nos, ó Deus onipotente, que, ao São João, / intercedei por nós. longo desta Quaresma, possamos progreSanta Maria Madalena, / rogai por nós! dir no conhecimento de Jesus Cristo e corSanto Estêvão, / rogai por nós! responder a seu amor por uma vida santa. Santo Inácio de Antioquia, / rogai por nós! Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso FiSão Lourenço, / intercedei por nós! lho, na unidade do Espírito Santo. Santas Perpétua e Felicidade, / rogai por nós. T – Amém. Santa Inês, / rogai por nós. LITURGIA DA PALAVRA São Gregório, / rogai por nós. Santo Agostinho, / intercedei por nós! A – A Palavra de Deus nos faz vencer Santo Atanásio, / rogai por nós. as tentação. Escutemos. A – O tempo da Quaresma nos prepara para celebrar com o coração limpo e uma vida renovada as festas da Páscoa. O Senhor nos chama a converter-nos, a transformar nossas vidas para, de verdade, aproximarmo-nos dele e vivermos mais intensamente o seu amor. Comecemos, pois, com fé este tempo. E o faremos com um rito especial. Durante os domingos de Quaresma, iniciaremos a nossa Eucaristia invocando a Cristo e aos seus Santos com o canto da ladainha. Os Santos são nossos modelos no itinerário da vida de fé e na prática do caminho cristão. Que seu testemunho e sua intercessão nos façam mais dóceis para nos convertermos sinceramente ao Senhor, para buscarmos a fidelidade ao seu Evangelho. E que assim acompanhemos também, com melhor fruto, a todos os que em todo o mundo se preparam para receber o batismo na Páscoa que se aproxima.

4. PRIMEIRA LEITURA

Leitura do Livro do Gênesis (2,7-9; 3,1-7) – 7O Senhor Deus formou o homem do pó da terra, soprou-lhe nas narinas o sopro da vida e o homem tornou-se um ser vivente. 8 Depois, o Senhor Deus plantou um jardim em Éden, ao oriente, e ali pôs o homem que havia formado. 9E o Senhor Deus fez brotar da terra toda sorte de árvores de aspecto atraente e de fruto saboroso ao paladar, a árvore da vida no meio do jardim e a árvore do conhecimento do bem e do mal. 3,1 A serpente era o mais astuto de todos os animais dos campos que o Senhor Deus tinha feito. Ela disse à mulher: “É verdade que Deus vos disse: ‘Não comereis de nenhuma das árvores do jardim?’” 2E a mulher respondeu à serpente: “Do fruto das árvores do jardim, nós podemos comer. 3Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, Deus nos disse: ‘Não comais dele nem sequer o toqueis, do contrário, morrereis’”. 4A serpente disse à mulher: “Não, vós não morrereis. 5Mas Deus sabe que no dia em que dele comerdes, vossos olhos se abrirão e vós sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”. 6 A mulher viu que seria bom comer da árvore, pois era atraente para os olhos e desejável para se alcançar conhecimento. E colheu um fruto, comeu e deu também ao marido, que estava com ela, e ele comeu. 7Então, os olhos dos dois se abriram; e, vendo que estavam nus, teceram tangas para si com folhas de figueira. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

5. SALMO 50 (51)

(Salmos e Aclamações / ano A: 12.10)

Piedade, ó Senhor, tende piedade, / pois pecamos contra vós. 3 Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! / Na imensidão de vosso amor, purificai-me! 4 Lavai-me todo inteiro do pecado, / e apagai completamente a minha culpa! 5 Eu reconheço toda a minha iniquidade, / o meu pecado está sempre à minha frente. / 6aFoi contra vós, só contra vós, que eu pequei, / e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!


Criai em mim um coração que seja puro, / dai-me de novo um espírito decidido. / 13Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, / nem retireis de mim o vosso Santo Espírito! 14 Dai-me de novo a alegria de ser salvo / e confirmai-me com espírito generoso! 17Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, / e minha boca anunciará vosso louvor! (Tempo de silêncio) 12

6. SEGUNDA LEITURA

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos (5,12.17-19) – Irmãos, 12consideremos o seguinte: O pecado entrou no mundo por um só homem. Através do pecado, entrou a morte. E a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram. 17 Por um só homem, pela falta de um só homem, a morte começou a reinar. Muito mais reinarão na vida, pela mediação de um só, Jesus Cristo, os que recebem o dom gratuito e superabundante da justiça. 18Como a falta de um só acarretou condenação para todos os homens, assim o ato de justiça de um só trouxe, para todos os homens, a justificação que dá a vida. 19 Com efeito, como pela desobediência de um só homem a humanidade toda foi estabelecida numa situação de pecado, assim também, pela obediência de um só, toda a humanidade passará para uma situação de justiça. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

7. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(Salmos e Aclamações / Ano A: 12.10)

Louvor e glória a ti, Senhor, / Cristo Palavra de Deus! / Cristo Palavra de Deus! (bis) O homem não vive somente de pão, / mas de toda a palavra da boca de Deus. P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus. T – Glória a vós, Senhor. (4,1-11) – Naquele tempo, 1o Espírito conduziu Jesus ao deserto, para ser tentado pelo diabo. 2Jesus jejuou durante quarenta dias e quarenta noites, e, depois disso, teve fome. 3Então, o tentador aproximou-se e disse a Jesus: “Se és filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães”. 4Mas Jesus respondeu: “Está escrito: ‘Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus’ ”. 5 Então o diabo levou Jesus à Cidade Santa, colocou-o sobre a parte mais alta do Templo, 6e lhe disse: “Se és Filho de

Deus, lança-te daqui abaixo! Porque está escrito: ‘Deus dará ordens a seus anjos a teu respeito, e eles te levarão nas mãos, para que não tropeces em alguma pedra’”. 7Jesus lhe respondeu: “Também está escrito: ‘Não tentarás o Senhor teu Deus!’ ” 8 Novamente, o diabo levou Jesus para um monte muito alto. Mostroulhe todos os reinos do mundo e sua glória, 9e lhe disse: “Eu te darei tudo isso, se te ajoelhares diante de mim, para me adorar”. 10Jesus lhe disse: “Vai-te embora, Satanás, porque está escrito: ‘Adorarás o Senhor teu Deus e somente a ele prestarás culto’”. 11Então o diabo o deixou. E os anjos se aproximaram e serviram a Jesus. – Palavra da Salvação. T – Glória a vós, Senhor. (Tempo de silêncio)

2. Flores, espinhos, dor e alegria, / pais, mães e filhos diante do altar. / A nossa oferta em nova festa, / a nossa dor vem, Senhor, transformar! / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! 3. A vida nova, nova família, / que celebramos, aqui tem lugar. / Tua bondade vem com fartura; / é só saber reunir, partilhar. / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! 4. E nós, unidos, participamos / da construção de um mundo melhor, / com os dons colhidos que apresentamos. / Bendito sejas, Deus Pai criador. / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! / Ô, ô, ô, recebe, Senhor!

12. ORAÇÃO

P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso. T – Receba o Senhor por tuas mãos 8. HOMILIA este sacrifício, para glória do seu nome, (Após a homilia, pausa para reflexão.) para nosso bem e de toda a santa Igreja. 9. PROFISSÃO DE FÉ Fazei, ó Deus, que o nosso coração P – Cheios de confiança, professemos a corresponda a estas oferendas com as nossa fé. quais iniciamos nossa caminhada para T – Creio em Deus Pai... a Páscoa. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

10. ORAÇÃO COMUNITÁRIA

P – Rezemos ao Senhor, confiando na sua misericórdia, pois só nele poderemos vencer todas as tentações. T – Libertai-nos, Senhor. 1. Conduzi, Senhor, a santa Igreja e seus catecúmenos no caminho da graça de vencer as tentações. 2. Dirigi, Senhor, as mulheres e os homens do mundo inteiro para que, reconhecendo a dignidade da Criação, vençam as tentações da destruição da vida. 3. Orientai, Senhor, por vossa Palavra, todas as pessoas que se sentem fracas diante das tentações do maligno. 4. Firmai, Senhor, a cada um de nós e a nossa comunidade, para que o caminho de conversão, que iniciamos, nos conduza à vida nova em Cristo e à sua páscoa. (Preces da comunidade) (Conclusão pelo presidente)

LITURGIA EUCARÍSTICA (Onde não houver missa, segue a partir do nº 21 deste folheto. )

11. CANTO DE PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS (30º Curso: 10.05)

1. A mesa santa que preparamos, / mãos que se elevam a ti, ó Senhor. / O pão e o vinho, frutos da terra, / duro trabalho, carinho e amor: / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! / Ô, ô, ô, recebe, Senhor!

13. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II (Prefácio do 1º Domingo da Quaresma)

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Corações ao alto. T – O nosso coração está em Deus. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Jejuando quarenta dias no deserto, Jesus consagrou a observância quaresmal. Desarmando as ciladas do antigo inimigo, ensinou-nos a vencer o fermento da maldade. Celebrando agora o mistério pascal, nós nos preparamos para a Páscoa definitiva. Enquanto esperamos a plenitude eterna, com os anjos e todos os santos, nós vos aclamamos, cantando (dizendo) a uma só voz: T – Santo, Santo, Santo... Na verdade, ó Pai, vós sois santo e fonte de toda santidade. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso. T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão, ele tomou o pão, deu graças,

e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai todos, e bebei: este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte, e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! E nós vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo. T – Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o papa Bento, com o nosso bispo N. e todos os ministros do vosso povo. T – Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja! Lembrai-vos também dos nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a vós na luz da vossa face. T – Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Enfim, nós vos pedimos, tende piedade de todos nós e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificarmos por Jesus Cristo, vosso Filho. T – Concedei-nos o convívio dos eleitos! Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém.

1. Feliz aquele homem que não anda / conforme os conselhos dos perversos; 2. Que não entra no caminho dos malvados / nem junto aos zombadores vai sentar-se; 3. Mas encontra seu prazer na lei de Deus / e a medita, dia e noite, sem cessar. 4. Eis que ele é semelhante a uma árvore / que à beira da torrente está plantada; 5. Ela sempre dá seus frutos a seu tempo / e jamais as suas folhas vão murchar. 6. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, / mas a estrada dos malvados leva à morte.

16. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

22. DA PALAVRA À REFEIÇÃO

(Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós este pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor, que nos dá força para permanecermos fiéis ao Pai e nos chama a preparar, com intensidade, a sua páscoa. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.) (38º Curso: 03.10)

Vós sois o Caminho, a Verdade e a Vida, o pão da alegria descido do céu.

23. ORAÇÃO DE Refrão meditativo: (25º Curso: 03.03) Jesus, de todos salvador, / tua luz revela AÇÃO DE GRAÇAS o esplendor do Pai. / Nós te cantamos O(a) presidente, ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor: bendizendo o teu amor. P – O Senhor esteja com vocês! 17. ORAÇÃO T – Ele está no meio de nós! P – Oremos. (Pausa para oração) Ó Deus, que nos alimentastes com este P – Demos graças ao Senhor, nosso pão que nutre a fé, incentiva a esperança Deus! e fortalece a caridade, dai-nos desejar o T – É nosso dever e nossa salvação!

Cristo, pão vivo e verdadeiro, e viver de (38º Curso:03.10 / Elogio da Palavra) toda palavra que sai de vossa boca. Por É bom cantar um bendito! Um canto Cristo, nosso Senhor. T – Amém. novo um louvor! (bis) 18. AVISOS DA COMUNIDADE – Ao Deus que em tempo propício sua graça derramou! (bis) RITOS FINAIS – Ao Deus que pelo deserto o seu filho sustentou! (bis) 19. BÊNÇÃO FINAL – Jesus vencendo a maldade, bom camiP – O Senhor esteja convosco. nho nos mostrou! (bis) T – Ele está no meio de nós. – Jesus por nós deu a vida e nos reconP – Deus, Pai de misericórdia, conceda ciliou! (bis) a todos vós, como concedeu ao filho – E todo o povo remido louva e bendiz o pródigo, a alegria do retorno à casa. Senhor! (bis) T – Amém. P – Assim como alimentaste teu povo no P – O Senhor Jesus Cristo, modelo de ora- deserto, sustenta também a nós que esperação e de vida, vos guie nesta caminhada mos a santa páscoa. Lembrando a santa ceia quaresmal a uma verdadeira conversão. de Jesus, colocamos nesta mesa o pão conT – Amém. sagrado, sacramento da sua entrega. Nós te P – O Espírito de sabedoria e fortaleza louvamos fazendo memória da sua vida, e vos sustente na luta contra o mal, para do seu amor até o fim, enquanto aguardapoderdes com Cristo celebrar a vitória mos a sua vinda. Derrama sobre nós o teu Espírito, e recebe o louvor de todo o unida Páscoa. verso e de todas as pessoas que te buscam. T – Amém. P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, T – Louvor e glória a ti, ó Deus, força de paz! Pai e Filho e Espírito Santo. P – Senhor Jesus, lembra-te de nós em T – Amém. teu reino e, agora, ensina-nos a rezar: 14. PAI-NOSSO 20. DESPEDIDA T – Pai Nosso... pois vosso é o reino, o P – Guiados pelo Espírito de Jesus e ilu- P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. poder e a glória para sempre. minados pela sabedoria do Evangelho, T – Graças a Deus. ousamos dizer: 24. ABRAÇO DA PAZ ONDE NÃO HOUVER MISSA T – Pai nosso... P – Irmãos e irmãs, por sua morte e ressurreição, o Cristo nos reconciliou! De15. CANTO DA COMUNHÃO 21. COLETA FRATERNA mo-nos uns aos outros o abraço da paz! (38º Curso: 03.10) (É o momento de trazer donativos ou Agora, o tempo se cumpriu, / o reino oferta em dinheiro para as necessidades 25. RITO DA COMUNHÃO já chegou, / irmãos, convertam-se / e da comunidade, enquanto a assembleia Após o Pai-Nosso, quem preside convida a comunidade a partilhar o pão, dizendo: canta o nº 13 deste folheto.) creiam firmes no Evangelho!

1o-domingo-da-quaresma-1601  

Piedade, ó Senhor, tende piedade, / pois pecamos contra vós. A – A Palavra de Deus nos faz vencer as tentação. Escutemos. 13 de março de 201...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you