Issuu on Google+

25. RITO DA COMUNHÃO

Após o Pai-Nosso, quem preside convida a comunidade a partilhar o pão, dizendo: P – Da mesma maneira como este pão posto sobre esta mesa, foi primeiro semeado sobre as colinas e múltiplo em suas espigas, e depois recolhido para tornar-se um, congrega assim teus amados e amadas de todos os cantos da terra no teu reino, por Cristo, nosso Senhor. Mostrando o pão consagrado:

P – Eu sou a luz do mundo; que me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida. Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo. T – Senhor, eu não sou digno(a)... (Distribuição da Comunhão: canto n. 15 deste folheto.)

e na partilha da mesma mesa, revelaste a glória de Jesus. Assim transfigurados, possamos, no caminho desta segunda semana da Quaresma, praticar o que nos mandou o Pai e escutar atentamente a palavra de Cristo, por quem te pedimos, na unidade do Espírito Santo. O roteiro de “onde não houver missa” encontra-se no livro “Dia do Senhor”: 26. ORAÇÃO FINAL Deus de ternura, em nossa reunião de ir- de M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulimãos e irmãs, no anúncio da tua palavra nas: Apostolado Litúrgico.

TRANSFIGURAR A VIDA NO PLANETA O mistério que celebramos hoje Neste segundo domingo de nossa caminhada para a Páscoa, somos chamados a subir, com Jesus e três de seus discípulos, o monte da transfiguração onde se antecipa a glória de Jerusalém. Neste caminho, Jesus manifesta a luz de sua glória e nos faz experimentar o brilho de sua face para que não desanimemos na caminhada. Mesmo no sofrimento, Jesus quer nos dar a alegria antecipada da vitória da Ressurreição. Para isto, Ele nos pede ouvidos abertos para escutar sua palavra e coragem para caminhar com Ele até o fim. Como Abraão e Sara somos chamados a mudar de vida e permitir que Deus nos transfigure em pessoas que sempre escolham o caminho da vida. Sugestões para a equipe de celebração: 1. Como no domingo passado, continuar valorizando a cruz. 2. Após a homilia, quem preside poderia propor um gesto de compromisso com a escuta da Palavra, criando um clima adequado à profissão de fé, como por exemplo, estender a mão em direção à mesa da Palavra e rezar o Creio. 3. Onde for possível, durante o rito eucarístico, convidar as pessoas a se aproximarem do altar, ritualizando a intimidade da comunhão com Deus vivida no Evangelho. 4. Onde houver batismo de adultos na noite pascal, poder-se-ia fazer, neste domingo, um pequeno rito de entrega da Bíblia aos catecúmenos, conforme vem proposto

no Ritual de Iniciação de Cristãos Adultos (RICA), p. 41. Uma pequena bênção das Sagradas Escrituras solenizaria o gesto. 5. Hino da CF 2011 1. Olha, meu povo, este planeta terra: / Das criaturas todas, a mais linda! / Eu a plasmei com todo amor materno, / pra ser um berço de aconchego e vida. (Gn 1) Nossa mãe terra, Senhor, / geme de dor noite e dia. / Será de parto essa dor? / Ou simplesmente agonia?! / Vai depender só de nós! / Vai depender só de nós! 2. A terra é mãe, é criatura viva; / também respira, se alimenta e sofre. / É de respeito que ela mais precisa! / Sem teu cuidado ela agoniza e morre. 3. Vê, nesta terra, os teus irmãos. São tantos... / que a fome mata e a miséria humilha. / Eu sonho ver um mundo mais humano, / sem tanto lucro e muito mais partilha! 4. Olha as florestas: pulmão verde e forte! / Sente esse ar que te entreguei tão puro... / Agora, gases disseminam morte; / o aquecimento queima o teu futuro. 5. Contempla os rios que agonizam tristes. / Não te incomoda poluir assim?! / Vê: tanta espécie já não mais existe! / Por mais cuidado implora esse jardim! 6. A humanidade anseia nova terra. (2Pd 3,13) / De dores geme toda a criação. (Rm 8,22) / Transforma em Páscoa as dores dessa espera, / quero essa terra em plena gestação!

LEITURAS BÍBLICAS: 2ª-f.: Dn 9,4b-10; Lc 6,36-38. 3ª-f.: Is 1,10.16-20; Mt 23,1-12. 4ª-f.: Jr 18,18-20; Mt 20,17-28. 5ª-f.:

Jr 17,5-10; Lc 16, 19-31. 6ª-f.: Anunciação do Senhor – Is 7,10-14;8,10; Hb 10,4-10; Lc 1,26-38. Sábado: Mq 7,14-15.18-20; Lc 15,13.11-32. Domingo: 3º Domingo da Quaresma - Ex 17,3-7; Rm 5,1-2.5-8; Jo 4,5-42 ou abrev. Jo 4,5-15.19b-26.39a.40-42.

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

Arquidiocese de Goiânia

2º Domingo da Quaresma – Ano A 20 de março de 2011 - Ano XXVIII - Nº 1602

TRANSFIGURAR A VIDA NO PLANETA 1. MOTIVAÇÃO

A – Irmãs e irmãos, é tempo de preparação para a Páscoa. Caminhando com Jesus para Jerusalém, acolhamos sua Palavra, deixando que ela nos transforme e nos faça viver comprometidos com defender a vida e dela cuidar. Iniciemos nossa celebração, cantando.

2. LADAINHA DE TODOS OS SANTOS (32º Curso: 09.06)

Coro: Kyrie eleison. Ass: Kyrie eleison. Coro: Christe eleison. Ass.: Christe eleison. Coro: Kyrie eleison. Ass: Kyrie eleison. Coro: Santa Maria, Mãe de Deus, / Ass: rogai por nós! São Miguel, / rogai por nós! Santos Anjos de Deus, / rogai por nós! São João Batista, / intercedei por nós! São José, / rogai por nós! São Pedro e São Paulo, / rogai por nós! Santo André, / rogai por nós! São João, / intercedei por nós. Santa Maria Madalena, / rogai por nós! Santo Estêvão, / rogai por nós! Santo Inácio de Antioquia, / rogai por nós! São Lourenço, / intercedei por nós! Santas Perpétua e Felicidade, / rogai por nós. Santa Inês, / rogai por nós. São Gregório, / rogai por nós. Santo Agostinho, / intercedei por nós! Santo Atanásio, / rogai por nós. São Basílio, / rogai por nós. São Martinho, / rogai por nós. São Bento, / intercedei por nós! São Francisco e São Domingos, / rogai por nós. São Francisco Xavier, / rogai por nós. São João Maria Vianney, / rogai por nós. Santa Catarina de Sena, / intercedei por nós! Santa Teresa de Jesus, / rogai por nós. Santa Teresa de Ávila, / rogai por nós. Santos mártires de nosso tempo, / rogais por nós. Todos os Santos e Santas de Deus, / intercedei por nós!

P – Começamos a nossa celebração quaresmal invocando a Cristo e a seus Santos. Invoquemos agora a misericórdia de Deus, para que nos conceda seu perdão, nos renove e nos prepare para celebrar as festas da Páscoa. Oremos em silêncio, reconheçamos nossas culpas (silêncio). Sede-nos propício, vos pedimos, Senhor! Livrai-nos de todo mal, vos pedimos, Senhor! Salvai-nos de todo o pecado, vos pedimos, Senhor! Livrai-nos da morte eterna, vos pedimos, Senhor! Por vossa encarnação, vos pedimos, Senhor! Por vosso batismo e vosso jejum, vos pedimos, Senhor! Por vossa morte e ressurreição, vos pedimos, Senhor! Apesar de nossos pecados, vos pedimos, Senhor! Cristo, ouvi-nos, / Cristo, ouvi-nos! Cristo, atendei-nos. / Cristo, atendei-nos!

3. ORAÇÃO

P – Oremos. (Pausa para oração) Ó Deus, que nos mandastes ouvir o vosso Filho amado, alimentai nosso espírito com a vossa palavra, para que, purificado o olhar de nossa fé, nos alegremos com a visão da vossa glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. T – Amém.

LITURGIA DA PALAVRA A – Coloquemo-nos diante do Senhor com o coração e o espírito desarmados. Deixemos que Ele nos mostre como transformar nossa realidade.

4. PRIMEIRA LEITURA

Leitura do Livro do Gênesis (12, 1.4a) – 1Naqueles dias, o Senhor disse a Abraão: “Sai da tua terra, da tua família e da casa do teu pai, e vai para a terra que eu te vou mostrar. 2Farei de ti um grande povo e te abençoarei: engrandecerei o teu nome, de modo que

ele se torne uma bênção. 3Abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão abençoadas todas as famílias da terra!”. 4a E Abraão partiu, como o Senhor lhe havia dito. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

5. SALMO 32(33)

(Salmos e Aclamações / ano A: 12.10)

Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, / venha a vossa salvação! 4 Pois reta é a palavra do Senhor, / e tudo o que ele faz merece fé. / 5Deus ama o direito e a justiça, / transborda em toda a terra a sua graça. 18 Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, / e que confiam esperando em seu amor, / 19para da morte libertar as suas vidas / e alimentá-los quando é tempo de penúria. 20 No Senhor nós esperamos confiantes, / porque ele é nosso auxílio e proteção! / 22Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, / da mesma forma que em vós nós esperamos! (Tempo de silêncio)

6. SEGUNDA LEITURA

Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo (1,8b-10) – Caríssimo, 8b sofre comigo pelo Evangelho, fortificado pelo poder de Deus. 9Deus nos salvou e nos chamou com uma vocação santa, não devido às nossas obras, mas em virtude do seu desígnio e da sua graça, que nos foi dada em Cristo Jesus desde toda a eternidade. 10Esta graça foi revelada agora, pela manifestação de nosso Salvador, Jesus Cristo. Ele não só destruiu a morte, como também fez brilhar a vida e a imortalidade por meio do Evangelho. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

7. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(Salmos e Aclamações / ano A: 12.10)

Louvor a vós, / ó Cristo, Rei da eterna glória!


3. Confortai, Senhor, todas as pessoas enfermas e que passam grandes tribulações, para que sintam vosso amor e vossa presença em suas vidas. 4. Transfigurai, Senhor, cada um de nós que celebramos este mistério, para que vossa presença no mundo seja sinal visível da fé que transforma toda realidade. (17,1-9) – Naquele tempo, 1Jesus (Preces da comunidade) tomou consigo Pedro, Tiago e João, (Conclusão pelo presidente) seu irmão, e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha. LITURGIA EUCARÍSTICA 2 E foi transfigurado diante deles; o seu rosto brilhou como o sol e as (Onde não houver missa, segue a partir suas roupas ficaram brancas como a do nº 21 deste folheto.) luz. 3Nisto apareceram-lhes Moisés e 11. CANTO DE PREPARAÇÃO Elias, conversando com Jesus. 4Então DAS OFERENDAS Pedro tomou a palavra e disse: “Se- (30º Curso: 10.05) nhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para 1. A mesa santa que preparamos, / mãos ti, outra para Moisés, e outra para que se elevam a ti, ó Senhor. / O pão e o Elias”. 5Pedro ainda estava falan- vinho, frutos da terra, / duro trabalho, carido, quando uma nuvem luminosa os nho e amor: / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! / Ô, cobriu com sua sombra. E da nuvem ô, ô, recebe, Senhor! uma voz dizia: “Este é o meu Filho 2. Flores, espinhos, dor e alegria, / pais, amado, no qual eu pus todo meu mães e filhos diante do altar. / A nossa agrado. Escutai-o!” oferta em nova festa, / a nossa dor vem, 6 Quando ouviram isto, os discípulos Senhor, transformar! / Ô, ô, ô, recebe, Seficaram muito assustados e caíram com nhor! / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! o rosto em terra. 7Jesus se aproximou, 3. A vida nova, nova família, / que celebratocou neles e disse: “Levantai-vos, mos, aqui tem lugar. / Tua bondade vem com e não tenhais medo”. 8Os discípulos fartura; / é só saber reunir, partilhar. / Ô, ô, ergueram os olhos e não viram mais ô, recebe, Senhor! / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! ninguém, a não ser somente Jesus. 4. E nós, unidos, participamos / da cons9 Quando desciam da montanha, Jesus trução de um mundo melhor, / com os ordenou-lhes: “Não conteis a ninguém dons colhidos que apresentamos. / Benesta visão até que o Filho do Homem dito sejas, Deus Pai criador. / Ô, ô, ô, retenha ressuscitado dos mortos”. cebe, Senhor! / Ô, ô, ô, recebe, Senhor! – Palavra da Salvação. T – Glória a vós, Senhor. 12. ORAÇÃO (Tempo de silêncio) P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus 8. HOMILIA Pai todo-poderoso. (Após a homilia, pausa para reflexão.) T – Receba o Senhor por tuas mãos 9. PROFISSÃO DE FÉ este sacrifício, para glória do seu P – Cheios de confiança, professemos a nome, para nosso bem e de toda a nossa fé. santa Igreja. T – Creio em Deus Pai... Ó Deus, que estas oferendas lavem os nossos pecados e nos santifiquem in10. ORAÇÃO COMUNITÁRIA P – Neste tempo de conversão, apresen- teiramente para celebrarmos a Páscoa. temos ao Senhor as necessidades da sua Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém. Igreja e do mundo, rezando confiantes. 1. Dai, Senhor, ao Papa e aos bispos a Ele 13. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II unidos, a confiança de Abraão e o vigor (Prefácio do 2º Domingo da Quaresma) profético que os capacitem a sofrer jun- P – O Senhor esteja convosco. tos pelo Evangelho. T – Ele está no meio de nós. T – Salvai, Senhor, o vosso povo. P – Corações ao alto. 2. Firmai, Senhor, os nossos governantes, T – O nosso coração está em Deus. para que promovam leis que garantam o P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. cuidado e a proteção da vida no planeta. T – É nosso dever e nossa salvação.

Numa nuvem resplendente fez-se ouvir a voz do Pai: / Eis meu Filho muito amado, escutai-o, todos vós. P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus. T – Glória a vós, Senhor.

Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Tendo predito aos discípulos a própria morte, Jesus lhes mostra, na montanha sagrada, todo o seu esplendor. E com o testemunho da Lei e dos Profetas, simbolizados em Moisés e Elias, nos ensina que, pela Paixão e Cruz, chegará à glória da ressurreição. E, enquanto esperamos a realização plena de vossas promessas, com os anjos e com todos os santos, nós vos aclamamos, cantando (dizendo) a uma só voz: T - Santo, Santo, Santo... Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr do sol, um sacrifício perfeito. T – Santificai e reuni o vosso povo! Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério. T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Olhai com bondade a oferenda da vossa

Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito. T – Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, N. (o santo do dia ou o padroeiro) e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença. T – Fazei de nós uma perfeita oferenda! E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o papa Bento, o nosso bispo N., com os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes. T – Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja! Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro. T – Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso. T – A todos saciai com vossa glória! Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém.

nem junto aos zombadores vai sentar-se; 3. Mas encontra seu prazer na lei de Deus / e a medita, dia e noite, sem cessar. 4. Eis que ele é semelhante a uma árvore / que à beira da torrente está plantada; 5. Ela sempre dá seus frutos a seu tempo / e jamais as suas folhas vão murchar. 6. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, / mas a estrada dos malvados leva à morte.

16. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

22. DA PALAVRA À REFEIÇÃO

(Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós este pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor, que nos revela sua glória e nos chama a preparar, com intensidade, a sua páscoa. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.) (38º Curso: 03.10)

Refrão meditativo: (25º Curso: 03.03) Vós sois o Caminho, a Verdade e a Jesus, de todos salvador, / tua luz revela Vida, o pão da alegria descido do céu. o esplendor do Pai. / Nós te cantamos 23. ORAÇÃO DE bendizendo o teu amor.

17. ORAÇÃO

AÇÃO DE GRAÇAS

O(a) presidente, ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor: P – O Senhor esteja com vocês! T – Ele está no meio de nós! P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus! T – É nosso dever e nossa salvação!

P – Oremos. (Pausa para oração) Nós comungamos, Senhor Deus, no mistério da vossa glória, e nos empenhamos em render-vos graças, porque nos concedeis, ainda na terra, participar das coisas do céu. Por Cristo, nosso Senhor. (38º Curso: 03.10 / Elogio da Palavra) T – Amém. 18. AVISOS DA COMUNIDADE É bom cantar um bendito! Um canto novo , um louvor! (bis) RITOS FINAIS – Ao Deus que em tempo propício sua graça derramou! (bis) 19. BÊNÇÃO FINAL – Lá na montanha sagrada Jesus se transP – O Senhor esteja convosco. figurou! (bis) T – Ele está no meio de nós. – Nos deu a firme certeza de vencer por P – Deus, Pai de misericórdia, conceda seu amor! (bis) a todos vós, como concedeu ao filho – Jesus por nós deu a vida e nos reconpródigo, a alegria do retorno à casa. ciliou! (bis) T – Amém. – Todo o povo remido louva e bendiz o P – O Senhor Jesus Cristo, modelo de Senhor! (bis) oração e de vida, vos guie nesta ca- P – Assim como alimentaste teu povo minhada quaresmal a uma verdadeira no deserto, sustenta também a nós que conversão. esperamos a santa páscoa. Lembrando T – Amém. a santa ceia de Jesus, colocamos nesta P – O Espírito de sabedoria e fortaleza mesa o pão consagrado, sacramento da vos sustente na luta contra o mal, para sua entrega. Nós te louvamos fazendo poderdes com Cristo celebrar a vitória memória da sua vida, e do seu amor até da Páscoa. o fim, enquanto aguardamos a sua vinda. T – Amém. Derrama sobre nós o teu Espírito, e rece14. PAI-NOSSO P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, be o louvor de todo o universo e de todas P – Guiados pelo Espírito de Jesus e ilu- Pai e Filho e Espírito Santo. as pessoas que te buscam. minados pela sabedoria do Evangelho, T – Amém. T – Louvor e glória a ti, ó Deus, força ousamos dizer: de paz! 20. DESPEDIDA T – Pai nosso... P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. P – Senhor Jesus, lembra-te de nós em teu reino e, agora, ensina-nos a rezar: 15. CANTO DA COMUNHÃO T – Graças a Deus. (38º Curso: 03.10) T – Pai Nosso... pois vosso é o reino, o ONDE NÃO HOUVER MISSA Então, da nuvem luminosa, / dizia uma poder e a glória para sempre. voz: / “Este é meu Filho amado, / escu21. COLETA FRATERNA 24. ABRAÇO DA PAZ tem sempre o que Ele diz!” (É o momento de trazer donativos ou P – Irmãos e irmãs, por sua morte 1. Feliz aquele homem que não anda / oferta em dinheiro para as necessidades e ressurreição, o Cristo nos reconconforme os conselhos dos perversos; da comunidade, enquanto a assembleia ciliou! Demo-nos uns aos outros o 2. Que não entra no caminho dos malvados / canta o nº 11 deste folheto.) abraço da paz!


2o-domingo-da-quaresma-1602