Page 1

Tríduo e Festa de São Francisco

2009

1


01/10 – SÃO FRANCISCO E O CUIDADO CONSIGO MESMO ORAÇÃO

Irmãos e irmãs, sejam bem vindos ao nosso encontro de irmãos. Nesta celebração somos convidados, pelo exemplo de Francisco, a fazer a experiência do Senhor, experiência da oração. Pela oração colocamos em plena comunhão a nossa dimensão humana e divina. Francisco de Assis, seguidor e imitador de Jesus Cristo, também se faz homem-oração. Rezava muito, com paixão, com disciplina. Sua oração é despojada, simples, espontânea. Por meio da oração, Francisco firmava a cada momento sua conversão e se orientava pelos caminhos de Deus. Para Francisco, rezar é dialogar, pensar e tocar o Deus da Vida! Francisco foi um homem original porque muito amou assim, se expõe diante de Deus: tocando as raízes da Vida! Assim chegou melhor às Obras. Iniciemos nossa celebração cantando. RITOS INICIAIS 1. Canto Inicial Senhor estamos reunidos, fraternalmente no vosso altar, queremos como São Francisco ser instrumentos de vossa paz. Viemos celebrar unidos como irmãos, viemos aprender a mais nobre lição, o Deus que se despoja e torna-se um irmão, trazendo em si amor, verdade, paz, perdão. Alegra-nos Senhor, saber que estais aqui, chamando sem cessar querendo repartir, os bens do Reino Eterno, paz, verdade e luz, caminho que na terra ao vosso amor conduz. 2. Saudação Inicial P. Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. T. Amém. P. A graça e a paz de Deus nosso Pai, e de Jesus Cristo, nosso Senhor, estejam convosco. T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. 3. Ato Penitencial L. “O Senhor assim deu a mim, Frei Francisco, começar a fazer penitência: porque, como estava em pecados, parecia-me por demais amargo ver os leprosos. E o próprio Senhor me levou para o meio deles, e fiz misericórdia com eles. E afastando-me deles, aquilo que me parecia amargo se converteu para mim em doçura da alma e do corpo” (Test. 1-3). P. Irmãos e irmãs é momento de nos colocarmos nas mãos do Senhor, reconhecer os nossos erros e como Francisco fazer a experiência da misericórdia do Senhor que nos

2


ama infinitamente. (silêncio) P. Assim como a pomba nasce do ninho, a paz nasce do perdão. Perdão que brota do coração amoroso de Jesus por quem Francisco nutria terno carinho. Que estas cinzas não sejam apenas símbolo, mas realmente produzam em nós a conversão e a paz. P. Oremos (silêncio): Ó Deus, que Vos deixais abrandar pela humildade, e aplacar pela penitência, inclinai às nossas preces o ouvido da vossa misericórdia, e difundi sobre as nossas cabeças, que vão ser marcadas com esta cinza, a graça da vossa benção, para que nos enchais do espírito de arrependimento, nos concedais o que retamente Vos pedimos, e conserveis intacto e inalterável o que nos concederdes. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. T. Amém. 4. Imposição das Cinzas A ti meu Deus elevo meu coração, elevo as minhas mãos, meu olhar, minha voz. A ti meu Deus eu quero oferecer meus passos e meu viver meus caminhos, meu sofrer. A tua ternura Senhor vem me abraçar e a tua bondade infinita me perdoar. Vou ser o teu seguidor e te dar o meu coração eu quero sentir o calor de tuas mãos. A ti meu Deus que és bom e que tens amor ao pobre, ao sofredor vou servir, esperar. Em ti Senhor humildes se alegrarão cantando a nossa canção de esperança e de paz. 5. Hino de Louvor Louvemos a Deus que por seu amor imenso nos concede o perdão e a paz, cantando. Glória a Deus nos altos céus e aqui na terra paz aos seus! E aqui na terra paz aos seus! Deus e Pai, nós vos louvamos, T. Damos glória! Adoramos, bendizemos, T. Damos glória! Vossos dons agradecemos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Senhor nosso Jesus Cristo, T. Damos glória! O Unigênito, o Filho, T. Damos glória! Vós, o Rei de toda a terra, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Vós que estais junto do Pai, T. Damos glória! Como nosso intercessor, T. Damos glória! Acolhei nossos pedidos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! 3


Vós somente sois o Santo, T. Damos glória! O Altíssimo, o Senhor, T. Damos glória! Com o Espírito Divino, T. Damos glória! Glória por todo o universo! 6. Entronização da Imagem Recebamos com muita alegria a imagem de São Francisco, homem paz e mensageiro do amor cantando. São Francisco, rogai por nós! Intercedei a Deus por nós! (Bis) Vós que tudo abandonastes, intercedei! Pelos pobres deste mundo, Seguidor de Jesus Cristo, Pela Igreja Peregrina, Vós, irmãos dos pequeninos, intercedei! Para o mundo ser mais justo, Pela paz da humanidade, Para termos humildade, Vós arauto da bondade, intercedei! Defensor da natureza, Pelo mundo ameaçado, Que sejamos mais fraternos, Vós, irmão do universo, intercedei! Pelos povos em perigo, Para sermos responsáveis, Pela história que fazemos, 7. Oração P. Oremos (silêncio): T. Ó Senhor, Deus da Vida, que cuidas de toda a criação, dá-nos a paz! Que a nossa segurança não venha das armas, mas do respeito. Que a nossa força não seja a violência, mas o amor. Que a nossa riqueza não seja o dinheiro, mas a partilha. Que o nosso caminho não seja a ambição, mas a justiça. Que a nossa vitória não seja a vingança, mas o perdão. Desarmados e confiantes, queremos defender a dignidade de toda a criação, partilhando, hoje e sempre, o pão da solidariedade e da paz. Por Jesus Cristo, teu Filho divino, nosso irmão, que,  feito vítima da nossa violência, ainda do alto da cruz, deu a todos o teu perdão. Amém! 4


LITURGIA DA PALAVRA A vossa palavra, Senhor, é sinal de interesse por nós. (Bis) Como o pai ao redor de sua mesa, revelando seus planos de amor. 8. 1ª Leitura (LM 10, 1-5) L. Francisco, servo de Cristo, sentindo que, por seu corpo, era um peregrino longe do Senhor, ainda que pela caridade de Cristo já estivesse todo insensibilizado para os desejos terrenos, para não ficar sem a consolação do Dileto, orando sem cessar, procurava manter seu espírito na presença de Deus. Para este contemplativo a oração era um consolo, enquanto, já feito concidadão dos anjos dentro das mansões celestiais, procurava o Dileto com um desejo fervente, pois só estava separado dele pela parede da carne. Também era um refúgio para o homem ativo, pois em tudo que fazia, desconfiando de sua operosidade e confiando na piedade suprema, por sua instância jogava em Deus todo o seu cuidado. Afirmava que a graça da oração devia ser desejada pelo homem religioso acima de tudo, não acreditando que, sem ela, alguém pudesse prosperar no serviço divino; animava seus irmãos a nela se esforçarem, por todos os meios que podia. Pois andando ou sentado, dentro ou fora, trabalhando e descansando, estava tão entregue à oração que parecia consagrar a ela não só o que tinha de coração e corpo, mas toda a sua atividade e todo o seu tempo. 9. Salmo Responsorial (Sl 111) Feliz aquele que respeita o Senhor! Feliz o homem que respeita o Senhor e que ama com carinho a sua lei! Sua descendência será forte sobre a terra, abençoada a geração dos homens retos! Haverá glória e riqueza em sua casa, e permanece para sempre o bem que fez. Ele é correto, generoso e compassivo, como luz brilha nas trevas para os justos. Ele reparte com os pobres os seus bens, permanece para sempre o bem que fez, e crescerão a sua glória e seu poder. 10. Aclamação ao Evangelho Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! (Bis) Ponho-me a ouvir: o que o Senhor dirá? Ele vai falar, vai falar de paz! Pela minha voz, e pelas minhas mãos, Jesus Cristo vai, vai falar de paz! 11. Evangelho (Mt 6,1-6.16-18) P. O Senhor esteja convosco. 5


T. Ele está no meio de nós. P. Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus. T. Glória a vós, Senhor. P. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus. Por isso, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos homens. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. Ao contrário, quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita, de modo que a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará recompensa. Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar em pé, nas sinagogas e nas esquinas das praças, para serem vistos pelos homens. Em verdade, vos digo: eles já receberam a sua recompensa. Ao contrário, quando tu orares, entra no teu quarto, fecha a porta, e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa. Quando jejuardes, não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade, vos digo: Eles já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, para que os homens não vejam que estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa”.– Palavra da Salvação. T. Glória a vós, Senhor. 12. Homilia 13. Oração dos Fiéis P. Irmãos e irmãs, desde o Batismo fomos iluminados pela luz divina para caminhar nos caminhos do Evangelho. Peçamos que isso se realize em nossas vidas, elevando a Deus nossas preces por intercessão de São Francisco, dizendo juntos: T. Iluminai nossas vidas, Senhor! L. Senhor, vós sois a luz que ilumina nossas vidas, considerai nossas fraquezas e fortalecei-nos em nossas provações, rezemos. L. Quando nossa condição humana, Senhor, fraquejar diante das provações, favorecei-nos com a graça de nunca deixar de confiar em vós, rezemos. L. Convertei-nos, Senhor, e iluminai nosso caminho, fazendo-nos crescer na vida espiritual e aumentando em nós o crescimento interior, rezemos. L. Contemplando a disposição corajosa da entrega de Francisco de Assis, nós vos pedimos, Senhor, a graça de fazer de nossas vidas uma oferta espiritual agradável ao 6


Pai, rezemos. L. Suplicamos a vós, Pai justo e fonte da paz, que abençoeis todos aqueles que se dedicam à justiça para verem a paz frutificar em nossos dias, rezemos. P. Iluminai nossas vidas, Senhor. Iluminai os corações de todos aqueles que promovem a justiça para alcançar a paz. Iluminai-nos com vossa luz para que sejamos fortalecidos e vencedores em nossas provações. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém! LITURGIA EUCARÍSTICA 14. Canto do Ofertório Trabalhar o pão, celebrar o pão, oferecer e consagrar e comungar o pão. (Bis) Fruto do suor e do trabalho, sacrifício que Jesus pediu, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu: te ofertamos porque tudo é teu. Fruto da esperança e da partilha, santa missa que nos faz irmãos, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu, pão bendito de libertação! 15. Orai, irmãos e irmãs 16. Oração sobre as oferendas P. Ao apresentarmos, ó Deus, as oferendas ao vosso altar, dai-nos os sentimentos que inspirastes a são Francisco, para celebrarmos de todo coração o sacrifício que vos agrada e nos traz a salvação. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. 17. Oração Eucarística DC – IV (Página ) 18. Oração após a comunhão P. Oremos (silêncio): Que a comunhão no vosso sacramento, ó Pai, nos dê a salvação e nos confirme na luz da vossa verdade. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. RITOS FINAIS 19. Oração para o Ano Vocacional T. Senhor, nós te agradecemos porque nos reuniste em tua presença para fazer-nos ouvir tua Palavra: nela nos revelas teu amor e nos fazes conhecer tua vontade. Faze que se cale em nós qualquer outra voz que não seja a tua, ajuda-nos a não sermos ouvintes surdos, mas terra acolhedora e fértil, onde tua Palavra pode frutificar; que ela seja uma Palavra acolhida e não somente lida, amada e não somente meditada, observada e não somente rezada, encarnada e não simplesmente contemplada. Envia teu Espírito Santo para iluminar nossas mentes e purificar 7


nossos corações. Somente assim, encontraremos em tua Palavra o Espírito e a vida, não a letra que mata, e se renovará a aliança e a comunhão contigo: Pai, Filho e Espírito Santo, Deus bendito pelos séculos. Amém. 20. Oração sobre o povo P. O nosso auxílio está em nome do Senhor. T. Que fez o céu e a terra. P. Enviai-nos, de novo, Senhor. Enviai-nos ao mundo com a força do vosso Espírito. Tirai-nos do anoitecer, do ocaso da fé; Do medo que nos esconde em igrejas e sacristias e concedei-nos a vossa paz! Enviai-nos, de novo, Senhor. Enviai-nos com a força do vosso Espírito cheios de vossa paz, com o coração repleto do vosso perdão. Enviai-nos, de novo, Senhor! Vós que sois Deus, com o Pai, na unidade do Espírito Santo. T. Amém. 21. Bênção Final P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. O Senhor vos abençoe e vos guarde! T. Amém. P. O Senhor vos mostre a sua face e se compadeça de vós. T. Amém. P. O Senhor volva seu rosto para vós e vos dê a Paz! T. Amém. P. O Senhor vos abençoe, Ele que é Pai e Filho, e Espírito Santo. T. Amém. P. Vamos em paz, e que o Senhor vos acompanhe. T. Graças a Deus. 22. Canto Final Nos olhos dos pobres, no rosto do mundo, eu vejo Francisco, perdido de amor! É índio operário, é negro, é latino, jovem, mulher, lavrador e menor! Há um tempo só paixão, grito e ternura, clamando as mudanças que o povo espera, justiça aos pequenos: ordem do Evangelho. Reconstrói a Igreja na paixão do pobre. Há crianças nuas nesta paz armada. Há Francisco-povo sendo perseguido, há jovens marcados sem teto nem sonho, há um continente sendo oprimido. Com as mãos vazias solidariedade com os que não temem perder nada mais defendem com a morte a dignidade com a teimosia que constrói a paz. Canta Francisco do jeito dos pobres tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de esperança que a liberdade vai chegar. Canta Francisco com a voz dos pobres 8


tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de menino novo céu e terra vão chegar. Há Claras, Franciscos marginalizados, cantando da América a libertação. Meninos sem lares são irmãos do mundo pela paz na terra sofrem parto e cruz. Fran-cisco imagem de um Deus feito pobre. Denúncia, esperança, profecia e canto vence com a coragem o império da morte, de braços com a vida em missão com a história. Francisco, menino e homem das dores, reconstrói a Igreja pelo mundo a fora, na fraternidade nos traz a justiça, na revolução que anuncia a aurora.

02/10 – SÃO FRANCISCO E O CUIDADO COM O SER HUMANO - SOLIDARIEDADE -

Numa sociedade doente em suas relações humanos, políticas e sociais, na qual a ética deu lugar à corrupção, a justiça deu lugar à impunidade, Francisco de Assis quer ser para nós uma chama de amor e solidariedade. Com Francisco aprendemos que ser solidário é a identificação com a Pobreza e com o pobre; ser solidário é ser irmão e irmã de todos, ver o mundo com os olhos de Deus. Pobreza não é contrária ao sonho de ter nem à angústia de não ter, mas é gerar recursos, trabalhar e dividir com todos. Nesse espírito de viver a solidariedade, trabalhando por um mundo mais irmão, iniciemos nossa celebração cantando. RITOS INICIAIS 1. Canto Inicial Senhor estamos reunidos, fraternalmente no vosso altar, queremos como São Francisco ser instrumentos de vossa paz. Viemos celebrar unidos como irmãos, viemos aprender a mais nobre lição, o Deus que se despoja e torna-se um irmão, trazendo em si amor, verdade, paz, perdão. Alegra-nos Senhor, saber que estais aqui, chamando sem cessar querendo repartir, os bens do Reino Eterno, paz, verdade e luz, caminho que na terra ao vosso amor conduz. 2. Saudação Inicial P. Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. T. Amém. P. A misericórdia infinita do Pai, que pelo sangue de Jesus Cristo reconciliou a todos na paz e nos fez moradas do Espírito Santo, esteja convosco. T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. 9


3. Ato Penitencial P. Irmãos e irmãs a compaixão de Jesus sensibiliza-nos a reconhecê-lo nos leprosos de nossa sociedade. Peçamos que o ‘abraço ao leproso’ possa despertar em nós o cuidado e a compaixão nos levando a uma verdadeira conversão. (silêncio) P. Reconhecendo que nossa comunidade nem sempre tem um olhar de compaixão para com os pobres, por isso, peçamos perdão a Deus e aos irmãos e irmãs que são empobrecidos pelas estruturas sociais injustas, cantando. Senhor, tende piedade de nós (bis) Pai de infinita bondade, que a tua vontade se faça verdade no meio de nós (bis) Senhor Jesus Cristo, piedade, piedade de mim que não te obedeci, nem segui tua voz (bis) Que teu Espírito Santo, nos mostre o caminho de Paz e Justiça, sem ódio e sem dor. P. Deus eterno e todo-poderoso, cura nossos corações com um arrependimento sincero e converta-nos para que a violência não crie raízes em nossas vidas, nem germine nela os frutos da discórdia. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. 4. Hino de Louvor Louvemos a Deus que nos presenteou com Seu Próprio Filho, o príncipe da Paz, cantando. Glória a Deus nos altos céus e aqui na terra paz aos seus! E aqui na terra paz aos seus! Deus e Pai, nós vos louvamos, T. Damos glória! Adoramos, bendizemos, T. Damos glória! Vossos dons agradecemos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Senhor nosso Jesus Cristo, T. Damos glória! O Unigênito, o Filho, T. Damos glória! Vós, o Rei de toda a terra, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Vós que estais junto do Pai, T. Damos glória! Como nosso intercessor, T. Damos glória! Acolhei nossos pedidos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! 10


Vós somente sois o Santo, T. Damos glória! O Altíssimo, o Senhor, T. Damos glória! Com o Espírito Divino, T. Damos glória! Glória por todo o universo! 5. Entronização da Imagem Recebamos com muita alegria a imagem de São Francisco enxergando nele o caminho que nos leva à verdadeira paz e solidariedade entre os homens. São Francisco, rogai por nós! Intercedei a Deus por nós! (Bis) Vós que tudo abandonastes, intercedei! Pelos pobres deste mundo, Seguidor de Jesus Cristo, Pela Igreja Peregrina, Vós, irmãos dos pequeninos, intercedei! Para o mundo ser mais justo, Pela paz da humanidade, Para termos humildade, Vós arauto da bondade, intercedei! Defensor da natureza, Pelo mundo ameaçado, Que sejamos mais fraternos, Vós, irmão do universo, intercedei! Pelos povos em perigo, Para sermos responsáveis, Pela história que fazemos, 6. Oração P. Oremos (silêncio): T. Ó Senhor, Deus da Vida, que cuidas de toda a criação, dá-nos a paz! Que a nossa segurança não venha das armas, mas do respeito. Que a nossa força não seja violência, mas o amor. Que a nossa riqueza não seja o dinheiro, mas a partilha. Que o nosso caminho não seja a ambição, mas a justiça. Que a nossa vitória não seja a vingança, mas o perdão. Desarmados e confiantes, queremos defender a dignidade de toda a criação, partilhando, hoje e sempre, o pão da solidariedade e da paz. Por Jesus Cristo, teu Filho divino, nosso irmão, que,  feito vítima da nossa violência, ainda do alto da cruz, deu a todos o teu perdão. Amém! 11


LITURGIA DA PALAVRA 7. 1ª Leitura (2Cel 5,6-15) L. Confortado pelo Senhor, teve a alegria de uma resposta de salvação e de graça: “Francisco, disse-lhe Deus em espírito, se queres o meu conhecimento, tens que trocar as coisas vãs e carnais pelas espirituais, tens que preferir as coisas amargas às doces, tens que desprezar a ti mesmo. Haverá uma transformação e tudo isso vai te parecer delicioso”. Sentiu-se imediatamente obrigado a obedecer ao que Deus mandava e enfrentou a experiência. Ele, que tinha natural aversão pelos leprosos, julgando-os a monstruosidade mais infeliz do mundo, encontrou-se um dia com um, quando andava a cavalo por perto de Assis. Ficou muito aborrecido e enjoado mas, para não quebrar o propósito que fizera, apeou e foi beijá-lo. O leproso estendeulhe a mão para receber alguma coisa e recebeu de volta o dinheiro com um beijo. E montando logo no cavalo, olhou para todos os lados mas, apesar de estar em campo aberto, e não viu mais o leproso. Cheio de admiração e de alegria por causa disso, poucos dias depois tratou de fazer algo semelhante. Dirigiu-se para onde moravam os leprosos, deu dinheiro a cada um deles e beijou-lhes a mão e a boca. Assim substituiu o amargo pelo doce e se dispôs corajosamente para o que ainda estava por vir. 8. Salmo Responsorial (Sl 68) Humildes, buscai a Deus e alegrai-vos: o vosso coração reviverá! Por isso, elevo para vós minha oração, neste tempo favorável, Senhor Deus! Respondei-me pelo vosso imenso amor, pela vossa salvação que nunca falha! Senhor, ouvi-me pois suave é vossa graça, ponde os olhos sobre mim com grande amor! Pobre de mim, sou infeliz e sofredor! Que vosso auxílio me levante, Senhor Deus! Cantando eu louvarei o vosso nome e agradecido exultarei de alegria! Humildes, vede isto e alegrai-vos: o vosso coração reviverá, se procurardes o Senhor continuamente! Pois nosso Deus atende à prece dos seus pobres, e não despreza o clamor de seus cativos. Sim, Deus virá e salvará Jerusalém, reconstruindo as cidades de Judá. A descendência de seus servos há de herdá-las, e os que amam o santo nome do Senhor dentro delas fixarão sua morada. 9. Aclamação ao Evangelho Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! (Bis) Ponho-me a ouvir: o que o Senhor dirá? Ele vai falar, vai falar de paz! Pela minha voz, e pelas minhas mãos, Jesus Cristo vai, vai falar de paz! 12


10. Evangelho (Lc 10,25-37) P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas. T. Glória a vós, Senhor. P. Naquele tempo, um mestre da Lei se levantou e querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: — Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna? Jesus lhe disse: — O que está escrito na Lei? Como lês?”Ele então respondeu: — Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligênciae ao teu próximo como a ti mesmo!” Jesus lhe disse: — Tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás”. Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?”Jesus respondeu: — Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora deixando-o quase morto. Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado. Mas um samaritano que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão onde cuidou dele. No dia seguinte, pagou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: “Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais”. E Jesus perguntou: — Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” Ele respondeu: — Aquele que usou de misericórdia para com ele.” Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”. – Palavra da Salvação. T. Glória a vós, Senhor. 11. Homilia 12. Oração dos Fiéis P. Irmãos e irmãs, inspirados na compaixão de Jesus e nas atitudes de Francisco, supliquemos ao Senhor, “Deus dos pobres e do povo sofredor”, que venha em nosso auxílio e nos dê um olhar misericordioso para ver as necessidades de nossos irmãos e irmãs que vivem à margem da sociedade. T. Abençoai o vosso povo, Senhor! Colocai diante de nossos olhos a luz de vossos mandamentos, para que possamos vivenciá-los através da caridade fraterna para com os mais pobres. Rezemos. Vinde em nosso auxílio e trazei-nos a força do vosso consolo, para que pela caridade fraterna possamos erguer o ânimo dos desesperançados. Rezemos. 13


Vós que nos reconciliastes em Cristo Jesus, tornai-nos testemunhas da reconciliação e da paz, a exemplo de São Francisco, nessa sociedade marcada pela violência e pela discórdia. Rezemos. Favorecei-nos com vosso olhar misericordioso, para que tenhamos olhos para ver as necessidades de quem está impossibilitado de fazer sua estrada. Rezemos. Abençoai a Igreja em sua opção preferencial pelos pobres, para que produza frutos de solidariedade e fraternidade na sociedade. Rezemos. P. Abri vossos ouvidos e vossos olhos, Deus misericordioso, para ouvir o grito da humanidade pobre e marginalizada, sem direito de fazer sua estrada. Vinde em socorro dos pobres e concedei-nos olhos misericordiosos e mãos caridosas para construir a vida na justiça e na dignidade. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém! LITURGIA EUCARÍSTICA 13. Canto do Ofertório Trabalhar o pão, celebrar o pão, oferecer e consagrar e comungar o pão. (Bis) Fruto do suor e do trabalho, sacrifício que Jesus pediu, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu: te ofertamos porque tudo é teu. Fruto da esperança e da partilha, santa missa que nos faz irmãos, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu, pão bendito de libertação! 14. Orai, irmãos e irmãs 15. Oração sobre as oferendas P. Ao apresentarmos, ó Deus, as nossas oferendas, preparai-nos para celebrar o mistério da cruz, que São Francisco abraçou com tanto amor. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. 16. Oração Eucarística DC – IV (Página ) 17. Oração após a comunhão P. Oremos (silêncio): Ó Deus, pela comunhão na vossa Eucaristia, dai-nos imitar o amor de São Francisco e seu zelo apóstolico, para que, impregnados da vossa caridade, nos empenhemos na salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. RITOS FINAIS

14


18. Oração para o Ano Vocacional T. Senhor, nós te agradecemos porque nos reuniste em tua presença para fazer-nos ouvir tua Palavra: nela nos revelas teu amor e nos fazes conhecer tua vontade. Faze que se cale em nós qualquer outra voz que não seja a tua, ajuda-nos a não sermos ouvintes surdos, mas terra acolhedora e fértil, onde tua Palavra pode frutificar; que ela seja uma Palavra acolhida e não somente lida, amada e não somente meditada, observada e não somente rezada, encarnada e não simplesmente contemplada. Envia teu Espírito Santo para iluminar nossas mentes e purificar nossos corações. Somente assim, encontraremos em tua Palavra o Espírito e a vida, não a letra que mata, e se renovará a aliança e a comunhão contigo: Pai, Filho e Espírito Santo, Deus bendito pelos séculos. Amém. 19. Bênção dos Pães Nossa celebração, neste dia, nos faz recordar tantos irmãos e irmãs que passam por dificuldades. Recordemos também, famílias inteiras que não têm o que comer. Pensemos em pais e mães que vivem desesperados porque sabem que amanhã não terão o que dar de comer aos seus filhos. Que este símbolo nos motive a partilhar o pão com quem passa fome. P. Vamos estender nossas mãos sobre os pães e repetir juntos: P. Bendito sejais, Senhor por nos terdes dado Jesus, o Pão da Vida. Por intercessão de São Francisco de Assis, abençoai estes pães. Que sua partilha confirme nossa fraternidade e o empenho para que haja pão em todas as mesas! Assim seja! Pão em todas as mesas, da Páscoa a nova certeza. A festa haverá e o povo a cantar: aleluia! (Bis) 20. Bênção Final P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. O Senhor vos abençoe e vos guarde! T. Amém. P. O Senhor vos mostre a sua face e se compadeça de vós. T. Amém. P. O Senhor volva seu rosto para vós e vos dê a Paz! T. Amém. P. O Senhor vos abençoe, Ele que é Pai e Filho, e Espírito Santo. T. Amém. P. Vamos em paz, e que o Senhor vos acompanhe. T. Graças a Deus. 21. Canto Final Nos olhos dos pobres, no rosto do mundo, eu vejo Francisco, perdido de amor! É índio 15


operário, é negro, é latino, jovem, mulher, lavrador e menor! Há um tempo só paixão, grito e ternura, clamando as mudanças que o povo espera, justiça aos pequenos: ordem do Evangelho. Reconstrói a Igreja na paixão do pobre. Há crianças nuas nesta paz armada. Há Francisco-povo sendo perseguido, há jovens marcados sem teto nem sonho, há um continente sendo oprimido. Com as mãos vazias solidariedade com os que não temem perder nada mais defendem com a morte a dignidade com a teimosia que constrói a paz. Canta Francisco do jeito dos pobres tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de esperança que a liberdade vai chegar. Canta Francisco com a voz dos pobres tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de menino novo céu e terra vão chegar. Há Claras, Franciscos marginalizados, cantando da América a libertação. Meninos sem lares são irmãos do mundo pela paz na terra sofrem parto e cruz. Fran-cisco imagem de um Deus feito pobre. Denúncia, esperança, profecia e canto vence com a coragem o império da morte, de braços com a vida em missão com a história. Francisco, menino e homem das dores, reconstrói a Igreja pelo mundo a fora, na fraternidade nos traz a justiça, na revolução que anuncia a aurora.

03/10 – SÃO FRANCISCO E O CUIDADO COM A NATUREZA - CONTEMPLAÇÃO Francisco, o cortês guardião das criaturas, contempla o universo como sacramento de Deus. Para ele, todas as criaturas são sagradas e boas, pois Deus as fez e as deixa viver, sendo assim, são rastros de Deus, sinais que apontam para a sua infinita bondade e misericórdia. Por isso, merecem cuidado e respeito. Ao abraçarmos as criaturas, estaremos tomando nos braços não apenas os seus limites e sombras, a sua pequenez e insignificância, mas também o seu último mistério: Deus. Louvando e bendizendo a Deus por toda a natureza e pela vida que nos vem de Deus, iniciemos nossa celebração cantando. RITOS INICIAIS 1. Canto Inicial Senhor estamos reunidos, fraternalmente no vosso altar, queremos como São Francisco ser instrumentos de vossa paz. Viemos celebrar unidos como irmãos, viemos aprender a mais nobre lição, o Deus que se despoja e torna-se um irmão, trazendo em si amor, verdade, paz, perdão. 16


Alegra-nos Senhor, saber que estais aqui, chamando sem cessar querendo repartir, os bens do Reino Eterno, paz, verdade e luz, caminho que na terra ao vosso amor conduz. 2. Saudação Inicial P. Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. T. Amém. P. O Senhor, que alegra nossos corações e conforta nossa alma, vos encha de paz e esteja sempre convosco. T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. 3. Ato Penitencial P. Irmãos e irmãs a obra da criação foi motivo de louvor a Deus para São Francisco. Ele convidava todas as criaturas a bendizerem o Senhor. Promover e defender a natureza era uma das bandeiras de Francisco. Olhando a nossa realidade, nosso mundo e inspirados em Francisco de Assis, peçamos perdão ao Senhor. (silêncio) L1. Ajuntei todas as pedras que vieram sobre mim. Levantei uma escada muito alta e no alto subi. Teci um tapete floreado e no sonho me perdi. L2. Senhor pelas muitas pedras que dificultam a nossa caminhada e nos impedem de enxergar a realidade, nós vós pedimos: dá-nos olhos atentos e corações solidários com a obra de Tua criação. Senhor, tende piedade de nós. T. Senhor, tende piedade de nós. L1. .Uma estrada, um leito, uma casa, um companheiro. Tudo de pedra. L2. Pelas vezes que a dureza da vida não nos permite enxergar as pessoas ao nosso redor, nós vos pedimos: dá-nos olhos atentos e corações solidários com a obra de Tua criação. Senhor, tende piedade de nós. T. Senhor, tende piedade de nós. P. Deus eterno e todo-poderoso, tenha compaixão de nós, perdoe nossos pecados e nos conduza até a vida eterna. T. Amém. 4. Hino de Louvor 17


L1. Entre pedras cresceu a minha poesia. Minha vida... Quebrando pedras e plantando flores. L2. Entre pedras que me esmagavam Levantei a pedra rude dos meus versos. A. Louvemos a Deus por todas as criaturas, cantando. Glória a Deus nos altos céus e aqui na terra paz aos seus! E aqui na terra paz aos seus! Deus e Pai, nós vos louvamos, T. Damos glória! Adoramos, bendizemos, T. Damos glória! Vossos dons agradecemos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Senhor nosso Jesus Cristo, T. Damos glória! O Unigênito, o Filho, T. Damos glória! Vós, o Rei de toda a terra, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Vós que estais junto do Pai, T. Damos glória! Como nosso intercessor, T. Damos glória! Acolhei nossos pedidos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Vós somente sois o Santo, T. Damos glória! O Altíssimo, o Senhor, T. Damos glória! Com o Espírito Divino, T. Damos glória! Glória por todo o universo! 5. Oração P. Oremos (silêncio): Ó Deus, que fizestes o seráfico Pai São Francisco assemelhar-se ao Cristo por uma vida de humildade e pobreza, concedei que, trilhando o mesmo caminho, sigamos fielmente o vosso Filho, unindo-nos convosco na perfeita alegria. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. T. Amém! LITURGIA DA PALAVRA Sentados, ouçamos a palavra de Deus. 6. 1ª Leitura (Gn 1,1.26-31a) L. Livro do Gênesis 18


No princípio Deus criou o céu e a terra. Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem e segundo à nossa semelhança, para que domine sobre os peixes do mar, sobre os animais de toda a terra, sobre as aves do céu, e sobre todos os répteis que rastejam sobre a terra”. E Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou: homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: “Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a! Dominai sobre os peixes do mar, sobre os pássaros do céu e sobre todos os animais que se movem sobre a terra”. E Deus disse: “Eis que vos entrego todas as plantas que dão semente sobre a terra, e todas as árvores que produzem fruto com sua semente, para vos servirem de alimento. E a todos os animais da terra, e a todas as aves do céu, e a tudo o que rasteja sobre a terra e que é animado de vida, eu dou todos os vegetais para alimento”. E assim se fez. E Deus viu tudo quanto havia feito, e eis que tudo era muito bom. Houve uma tarde e uma manhã: sexto dia. – Palavra do Senhor. T. Graças a Deus. 7. Salmo Responsorial (Sl 103) Quando tu, Senhor, teu Espírito envias, todo mundo renasce, é grande alegria! Ó minh’alma, bendize ao Senhor: ó Deus grande em poder e amor! O esplendor de tua glória reluz e o céu é o teu manto de luz. Firme e sólida a terra fundaste, com o azul do oceano a enfeitaste! E rebentam tuas fontes nos vales, correm as águas e cantam as aves! Lá do alto tu regas os campos, cresce a relva e os viventes se fartam! De tuas obras a terra encheste, todas belas e sábias fizeste! Que se sumam da terra os perversos e minh’alma te entoe os seus versos! Glória ao Pai, pelo Filho, no Amor, Ao Deus vivo eterno louvor! 8. Aclamação ao Evangelho 9. Evangelho ( Jo 2,13-25) P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. Evangelho de Jesus Cristo, segundo João. T. Glória a vós, Senhor. P. Estava próxima a Páscoa dos judeus e Jesus subiu a Jerusalém. No templo, encontrou os vendedores de bois, ovelhas e pombas e os cambistas que estavam aí sentados. Fez então um chicote de cordas e expulsou todos do Templo, junto com as ovelhas e os bois; espalhou as moedas e derrubou as mesas dos cambistas. E disse aos que vendiam pombas: “Tirai isso daqui! Não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio!” Seus discípulos lembraram-se, mais tarde, que a Escritura diz: “O zelo por 19


tua casa me consumirá”. Então os judeus perguntaram a Jesus: “Que sinal nos mostrar para agir assim?” Ele respondeu: “Destruí este Templo, e em três dias eu o levantarei”. Os judeus disseram: “Quarenta e seis anos foram precisos para a construção deste santuário e tu o levantarás em três dias?” Mas Jesus estava falando do templo do seu corpo. Quando Jesus ressuscitou os discípulos lembraram-se de que ele tinha dito e acreditaram na Escritura e na palavra dele. Jesus estava em Jerusalém durante a festa da Páscoa. Vendo os sinais que realizava, muitos creram no seu nome. Mas Jesus não lhes dava crédito, pois ele conhecia a todos; e não precisava do testemunho de ninguém acerca do ser humano, porque ele conhecia o homem por dentro. – Palavra da Salvação. T. Glória a vós, Senhor. 10. Homilia 11. Oração dos Fiéis P. Irmãos e irmãs, contemplando o universo criado, casa comum das criaturas e sacramento da bondade do Criador, bendigamos ao Senhor, dizendo: T. Bendito sejais, Senhor da vida! Bendito sejais, Senhor, com todas as vossas criaturas, especialmente, pelo irmão sol que clareia o dia e com sua luz nos aquece e ilumina. Bendito sejais, Senhor da vida, pelos rios e pelas matas, pelos pássaros e pelos peixes e pela alegria de viver. Bendito sejais, Senhor, pela mãe terra que produz os alimentos e pelos irmãos que sabem partilhar os frutos do seu trabalho. Bendito sejais, Senhor, por todos aqueles que se empenham no cuidado da criação e se compadecem dos que sofrem! Bendito sejais, Senhor, que reanimais o sonho de Francisco de Assis em tantas pessoas de boa vontade, a fim de que contemplem a criação de vossas mãos e transforme toda lágrima em sorriso, todo lamento em louvor, toda morte em vida. Bendito sejais, Senhor, que inspirastes tantos homens e mulheres na busca de soluções na esperança de que o mundo seja casa comum para todas as vossas criaturas! P. Onipotente e Bom Senhor, acolhei nosso louver neste dia e concedei-nos, em meio às dificuldades e sofrimentos da vida, o discernimento para que possamos ver os sinais de vossa terna e vigorosa presença em todas as vossas criaturas. Por Cristo, 20


nosso Senhor. T. Amém! LITURGIA EUCARÍSTICA 12. Canto do Ofertório Trabalhar o pão, celebrar o pão, oferecer e consagrar e comungar o pão. (Bis) Fruto do suor e do trabalho, sacrifício que Jesus pediu, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu: te ofertamos porque tudo é teu. Fruto da esperança e da partilha, santa missa que nos faz irmãos, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu, pão bendito de libertação! 13. Orai, irmãos e irmãs 14. Oração sobre as oferendas P. Ao apresentarmos, ó Deus, as nossas oferendas, preparai-nos pra celebrar o mistério da cruz, que São Francisco abraçou com tanto amor. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. 15. Oração Eucarística DC – IV (Página ) 16. Oração após a comunhão P. Oremos (silêncio): Ó Deus, pela comunhão na vossa Eucaristia, dai-nos imitar o amor de São Francisco e seu zelo apóstolico, para que, impregnados da vossa caridade, nos empenhemos na salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. RITOS FINAIS 17. Oração para o Ano Vocacional T. Senhor, nós te agradecemos porque nos reuniste em tua presença para fazer-nos ouvir tua Palavra: nela nos revelas teu amor e nos fazes conhecer tua vontade. Faze que se cale em nós qualquer outra voz que não seja a tua, ajuda-nos a não sermos ouvintes surdos, mas terra acolhedora e fértil, onde tua Palavra pode frutificar; que ela seja uma Palavra acolhida e não somente lida, amada e não somente meditada, observada e não somente rezada, encarnada e não simplesmente contemplada. Envia teu Espírito Santo para iluminar nossas mentes e purificar nossos corações. Somente assim, encontraremos em tua Palavra o Espírito e a vida, não a letra que mata, e se renovará a aliança e a comunhão contigo: Pai, Filho e Espírito Santo, Deus bendito pelos séculos. Amém. 18. Bênção Final

21


P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. O Senhor vos abençoe e vos guarde! T. Amém. P. O Senhor vos mostre a sua face e se compadeça de vós. T. Amém. P. O Senhor volva seu rosto para vós e vos dê a Paz! T. Amém. P. O Senhor vos abençoe, Ele que é Pai e Filho, e Espírito Santo. T. Amém. P. Vamos em paz, e que o Senhor vos acompanhe. T. Graças a Deus. 19. Canto Final Nos olhos dos pobres, no rosto do mundo, eu vejo Francisco, perdido de amor! É índio operário, é negro, é latino, jovem, mulher, lavrador e menor! Há um tempo só paixão, grito e ternura, clamando as mudanças que o povo espera, justiça aos pequenos: ordem do Evangelho. Reconstrói a Igreja na paixão do pobre. Há crianças nuas nesta paz armada. Há Francisco-povo sendo perseguido, há jovens marcados sem teto nem sonho, há um continente sendo oprimido. Com as mãos vazias solidariedade com os que não temem perder nada mais defendem com a morte a dignidade com a teimosia que constrói a paz. Canta Francisco do jeito dos pobres tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de esperança que a liberdade vai chegar. Canta Francisco com a voz dos pobres tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de menino novo céu e terra vão chegar. Há Claras, Franciscos marginalizados, cantando da América a libertação. Meninos sem lares são irmãos do mundo pela paz na terra sofrem parto e cruz. Fran-cisco imagem de um Deus feito pobre. Denúncia, esperança, profecia e canto vence com a coragem o império da morte, de braços com a vida em missão com a história. Francisco, menino e homem das dores, reconstrói a Igreja pelo mundo a fora, na fraternidade nos traz a justiça, na revolução que anuncia a aurora.

22


04/10 – SOLENIDADE DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS MISSA I: FRANCISCO, MISSÃO E PROFETISMO Com muita alegria celebramos hoje o Santo de Assis que fascina a todos pelo seu jeito simples de ser: pobre, serviçal, gratuito, fraterno e, por conseguinte, menor. Doou-se inteiramente de maneira serena, fez de sua vida a mais bela oferta de amor. Foi pequeno, menor para entender a grandeza do outro, não atropelando a sua dignidade. Cultivou um profundo respeito para com a pessoa humana, construindo fraternidade no amor. Tornou o Evangelho vivo e encarnado comprometido com o pobre, o oprimido e o marginalizado. Que possamos reler nossa realidade com os olhos de Francisco percebendo que a ação transformadora de Deus passa pelo coração dos homens. Iniciemos nossa celebração cantando. RITOS INICIAIS 1. Canto Inicial Senhor estamos reunidos, fraternalmente no vosso altar, queremos como São Francisco ser instrumentos de vossa paz. Viemos celebrar unidos como irmãos, viemos aprender a mais nobre lição, o Deus que se despoja e torna-se um irmão, trazendo em si amor, verdade, paz, perdão. Alegra-nos Senhor, saber que estais aqui, chamando sem cessar querendo repartir, os bens do Reino Eterno, paz, verdade e luz, caminho que na terra ao vosso amor conduz. 2. Saudação Inicial P. Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. T. Amém. P. O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco. T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. 3. Ato Penitencial P. Irmãos e irmãs Francisco, a exemplo do Bom Pastor, toma a ovelha fraca nos ombros e a alimenta, pois nele existe a percepção profunda de que em cada homem há um brilho de Deus, que nenhum pecado pode apagar. Nada é absolutamente perdido, nem o pior dos pecados. Assim, diante de nosso mundo tão desfigurado e de nossa omissão, confiemo-nos à misericórdia de Deus. (silêncio) P. Bom Senhor, dai-nos um coração sensível e mãos operantes diante do sofrimento das criaturas que fizestes com tanto amor. Compaixão, Senhor! 23


Senhor, tende piedade de nós! (Bis) P. Bom Senhor, perdoai-nos por não partilhar a riqueza dos dons que nos concedestes: nossos bens, nossas habilidades e conhecimentos, nosso afeto e nossos sonhos. Compaixão, Senhor! P. Bom Senhor, em meio aos apelos e desilusões do mundo, perdoai-nos por não perceber que só Vós sois bom, só vós sois o bem e que todo o bem procede de Vós. Compaixão, Senhor! P. Bom Senhor, perdão por fecharmos nossos olhos às necessidades e sofrimentos dos nossos irmãos e irmãs; inspirai-nos palavras e ações para confortar os desanimados e oprimidos. P. Deus eterno e todo-poderoso, tenha compaixão de nós, perdoe nossos pecados e nos conduza até a vida eterna. T. Amém. 4. Hino de Louvor Louvemos a Deus que nos concedeu São Francisco, fiel discípulo de Jesus Cristo. Glória a Deus nos altos céus e aqui na terra paz aos seus! E aqui na terra paz aos seus! Deus e Pai, nós vos louvamos, T. Damos glória! Adoramos, bendizemos, T. Damos glória! Vossos dons agradecemos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Senhor nosso Jesus Cristo, T. Damos glória! O Unigênito, o Filho, T. Damos glória! Vós, o Rei de toda a terra, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Vós que estais junto do Pai, T. Damos glória! Como nosso intercessor, T. Damos glória! Acolhei nossos pedidos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Vós somente sois o Santo, T. Damos glória! O Altíssimo, o Senhor, T. Damos glória! Com o Espírito Divino, T. Damos glória! 24


Glória por todo o universo! 5. Oração P. Oremos (silêncio): Ó Deus, que fizestes o seráfico Pai São Francisco assemelhar-se ao Cristo por uma vida de humildade e pobreza, concedei que, trilhando o mesmo caminho, sigamos fielmente o vosso Filho, unindo-nos convosco na perfeita alegria. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. T. Amém! LITURGIA DA PALAVRA Sentados, ouçamos a palavra de Deus. 6. 1ª Leitura (Eclo 50,1.3-7) L. Livro do Eclesiástico Eis que durante sua vida restaurou a Casa, e em seus dias consolidou os fundamentos da altura do pórtico, o alto contraforte da muralha do templo. Em seus dias foi talhado o reservatório das águas, cuja bacia tinha, mais ou menos, o perímetro do mar. Zeloso em preservar da ruína o seu povo, forticou a cidade para o caso de cerco. Foi bastante poderoso para aumentar a cidade. Conquistou glória em suas relações com a nação, e alargou a entrada do templo e do átrio. Era como a estrela da manhã no meio da nuvem, como a lua cheia nos dias de festa; como o sol resplandecendo sobre o santuário do Altíssimo. – Palavra do Senhor. T. Graças a Deus. 7. Salmo Responsorial (Sl 15) És meu Deus e meu tudo sem Ti não sei viver. (Bis) Guarda-me, ó Deus, Vós sois o meu refúgio. Vós sois meu Deus, sem Ti não sei viver. Admirável tornou Deus o meu afeto para seu santo que está em sua terra. Sofre muito quem procura outros deuses. Jamais desejo outro Deus sem ser Javé. Somente Vós sois minha herança e o meu destino. Sois o meu cálice, minha força e o meu caminho. Não me abandone na habitação dos mortos. Nunca seu santo viverá corrupção. 8. 2ª Leitura (Gl 6,14-18) L. Carta de São Paulo Apóstolo aos Gálatas. Irmãos, quanto a mim, não pretendo jamais gloriar-me a não ser na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, por quem o mundo está crucificado para mim e eu para o 25


mundo. Pois a circuncisão de nada vale, nem a incircuncisão, e sim a nova criatura. Para todos que seguirem esta regra, a paz e a misericórdia e para o Israel de Deus. De ora em diante ninguém me moleste, pois trago no meu corpo as marcas de Jesus. A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, irmãos, esteja com vosso espírito. – Palavra do Senhor. T. Graças a Deus. 9. Aclamação ao Evangelho Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! (Bis) Ponho-me a ouvir: o que o Senhor dirá? Ele vai falar, vai falar de paz! Pela minha voz, e pelas minhas mãos, Jesus Cristo vai, vai falar de paz! 10. Evangelho (Mt 11,25-30) P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus. T. Glória a vós, Senhor. P. Naquele tempo, Jesus pôs-se a dizer: “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. Tudo me foi entregue por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. – Palavra da Salvação. T. Glória a vós, Senhor. 11. Homilia 12. Profissão de Fé 13. Oração dos Fiéis P. Irmãos e irmãs, inspirados e animados por São Francisco, elevemos ao Pai nossos pedidos. T. Senhor, dai-nos um novo coração! Para que o Espírito Santo seja presença de vida na Igreja, fazendo-a mensageira da paz, do otimismo e da fraternidade, rezemos ao Senhor. Para que o ideal evangélico vivido e pregado por São Francisco, não seja traído por aqueles que livremente optaram por ele, rezemos ao Senhor. 26


Por todos os jovens, para que descubram os valores evangélicos em sua vida cotidiana e sejam generosos em sua doação ao Senhor, rezemos ao Senhor. Por todos nós, para que respondamos com amor ao amor que nos é dado pelo Pai, rezemos ao Senhor. Por toda Família Franciscana que celebra 800 anos de existência, para que trilhando os passos de Francisco e Clara de Assis façam florescer um mundo de esperança, paz, solidariedade e fraternidade, rezemos ao Senhor. P. Ó Pai, infundi em nós o espírito de filhos. Fazei-nos louvar eternamente a vós, nosso bem total. Isto vos pedimos por intercessão de São Francisco de Assis, fiel discípulo de Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo. T. Amém! LITURGIA EUCARÍSTICA 14. Canto do Ofertório Trabalhar o pão, celebrar o pão, oferecer e consagrar e comungar o pão. (Bis) Fruto do suor e do trabalho, sacrifício que Jesus pediu, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu: te ofertamos porque tudo é teu. Fruto da esperança e da partilha, santa missa que nos faz irmãos, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu, pão bendito de libertação! 15. Orai, irmãos e irmãs 16. Oração sobre as oferendas P. Ao apresentarmos, ó Deus, as nossas oferendas, preparai-nos pra celebrar o mistério da cruz, que São Francisco abraçou com tanto amor. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. 17. Oração Eucarística DC – IV (Página ) 18. Oração após a comunhão P. Oremos (silêncio): Ó Deus, pela comunhão na vossa Eucaristia, dai-nos imitar o amor de São Francisco e seu zelo apóstolico, para que, impregnados da vossa caridade, nos empenhemos na salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. RITOS FINAIS

27


19. Oração para o Ano Vocacional T. Senhor, nós te agradecemos porque nos reuniste em tua presença para fazer-nos ouvir tua Palavra: nela nos revelas teu amor e nos fazes conhecer tua vontade. Faze que se cale em nós qualquer outra voz que não seja a tua, ajuda-nos a não sermos ouvintes surdos, mas terra acolhedora e fértil, onde tua Palavra pode frutificar; que ela seja uma Palavra acolhida e não somente lida, amada e não somente meditada, observada e não somente rezada, encarnada e não simplesmente contemplada. Envia teu Espírito Santo para iluminar nossas mentes e purificar nossos corações. Somente assim, encontraremos em tua Palavra o Espírito e a vida, não a letra que mata, e se renovará a aliança e a comunhão contigo: Pai, Filho e Espírito Santo, Deus bendito pelos séculos. Amém. 20. Bênção Final e Aspersão P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. O Senhor vos abençoe e vos guarde! T. Amém. P. O Senhor vos mostre a sua face e se compadeça de vós. T. Amém. P. O Senhor volva seu rosto para vós e vos dê a Paz! T. Amém. P. O Senhor vos abençoe, Ele que é Pai e Filho, e Espírito Santo. T. Amém. P. Vamos em paz, e que o Senhor vos acompanhe. T. Graças a Deus. 21. Canto Final Nos olhos dos pobres, no rosto do mundo, eu vejo Francisco, perdido de amor! É índio operário, é negro, é latino, jovem, mulher, lavrador e menor! Há um tempo só paixão, grito e ternura, clamando as mudanças que o povo espera, justiça aos pequenos: ordem do Evangelho. Reconstrói a Igreja na paixão do pobre. Há crianças nuas nesta paz armada. Há Francisco-povo sendo perseguido, há jovens marcados sem teto nem sonho, há um continente sendo oprimido. Com as mãos vazias solidariedade com os que não temem perder nada mais defendem com a morte a dignidade com a teimosia que constrói a paz. Canta Francisco do jeito dos pobres tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de esperança que a liberdade vai chegar. Canta Francisco com a voz dos pobres tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de menino novo céu e terra vão chegar. 28


Há Claras, Franciscos marginalizados, cantando da América a libertação. Meninos sem lares são irmãos do mundo pela paz na terra sofrem parto e cruz. Fran-cisco imagem de um Deus feito pobre. Denúncia, esperança, profecia e canto vence com a coragem o império da morte, de braços com a vida em missão com a história. Francisco, menino e homem das dores, reconstrói a Igreja pelo mundo a fora, na fraternidade nos traz a justiça, na revolução que anuncia a aurora.

MISSA II: FRANCISCO, O SANTO ECOLOGIA Com muita alegria celebramos São Francisco de Assis, um homem que viveu há mais de 800 anos e que nos fascina ainda hoje, sendo referência para todos aqueles que procuram um novo acordo com a natureza, que sonham com a confraternização universal. Em Francisco, redescobrimos valores que a sociedade deixou de lado, como o encantamento em face da natureza, a reverência diante de cada ser, a gentileza para com o irmão, o sentimento de irmandade para com a criação, com o sol, a lua, com o lobo feroz e com o leproso que abraça enternecido. Francisco realiza uma síntese feliz entre a ecologia exterior – o meio ambiente – e a ecologia interior – a paz do coração. Francisco casou em seu coração o céu com a terra e inflamou com a brasa da vida eterna nosso mundo terreno e mortal. Louvando a Deus pelas criaturas, iniciemos nossa celebração cantando. RITOS INICIAIS 1. Canto Inicial Senhor estamos reunidos, fraternalmente no vosso altar, queremos como São Francisco ser instrumentos de vossa paz. Viemos celebrar unidos como irmãos, viemos aprender a mais nobre lição, o Deus que se despoja e torna-se um irmão, trazendo em si amor, verdade, paz, perdão. Alegra-nos Senhor, saber que estais aqui, chamando sem cessar querendo repartir, os bens do Reino Eterno, paz, verdade e luz, caminho que na terra ao vosso amor conduz. 2. Saudação Inicial P. Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. T. Amém. P. O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco. T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. 3. Ato Penitencial P. Irmãos e Irmãs, o mesmo sistema econômico, político e social que degrada o meio ambiente, em nome de um falso desenvolvimento, também vem oprimindo 29


e marginalizando as pessoas e provocando guerras e conflitos em várias partes do mundo. Agora, num momento de silêncio vamos pedir perdão pela nossa omissão, por nossa cumplicidade com tantos crimes contra a vida. Num silêncio profundo ouçamos o grito da vida e, em comunhão, peçamos perdão ao Deus da criação, da paz e da justiça. (silêncio) P. Peçamos perdão ao Senhor por não cuidarmos do mundo, casa comum, cantando. Senhor, tende piedade de nós (bis) Pai de infinita bondade, que a tua vontade se faça verdade no meio de nós (bis) Senhor Jesus Cristo, piedade, piedade de mim que não te obedeci, nem segui tua voz (bis) Que teu Espírito Santo, nos mostre o caminho de Paz e Justiça, sem ódio e sem dor. P. Deus eterno e todo-poderoso, tenha compaixão de nós, perdoe nossos pecados e nos conduza até a vida eterna. T. Amém. 4. Hino de Louvor Louvemos a Deus pelo mundo maravilhoso que nos deu em seu amor de Pai, cantando Glória a Deus nos altos céus e aqui na terra paz aos seus! E aqui na terra paz aos seus! Deus e Pai, nós vos louvamos, T. Damos glória! Adoramos, bendizemos, T. Damos glória! Vossos dons agradecemos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Senhor nosso Jesus Cristo, T. Damos glória! O Unigênito, o Filho, T. Damos glória! Vós, o Rei de toda a terra, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Vós que estais junto do Pai, T. Damos glória! Como nosso intercessor, T. Damos glória! Acolhei nossos pedidos, T. Damos glória! Glória por todo o universo! Vós somente sois o Santo, T. Damos glória! 30


O Altíssimo, o Senhor, T. Damos glória! Com o Espírito Divino, T. Damos glória! Glória por todo o universo! 5. Oração P. Oremos (silêncio): Ó Deus, que fizestes o seráfico Pai São Francisco assemelhar-se ao Cristo por uma vida de humildade e pobreza, concedei que, trilhando o mesmo caminho, sigamos fielmente o vosso Filho, unindo-nos convosco na perfeita alegria. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. T. Amém! LITURGIA DA PALAVRA Sentados, ouçamos a palavra de Deus. 6. 1ª Leitura (Eclo 50,1.3-7) L. Livro do Eclesiástico Eis que durante sua vida restaurou a Casa, e em seus dias consolidou os fundamentos da altura do pórtico, o alto contraforte da muralha do templo. Em seus dias foi talhado o reservatório das águas, cuja bacia tinha, mais ou menos, o perímetro do mar. Zeloso em preservar da ruína o seu povo, forticou a cidade para o caso de cerco. Foi bastante poderoso para aumentar a cidade. Conquistou glória em suas relações com a nação, e alargou a entrada do templo e do átrio. Era como a estrela da manhã no meio da nuvem, como a lua cheia nos dias de festa; como o sol resplandecendo sobre o santuário do Altíssimo. – Palavra do Senhor. T. Graças a Deus. 7. Salmo Responsorial (Sl 15) És meu Deus e meu tudo sem Ti não sei viver. (Bis) Guarda-me, ó Deus, Vós sois o meu refúgio. Vós sois meu Deus, sem Ti não sei viver. Admirável tornou Deus o meu afeto para seu santo que está em sua terra. Sofre muito quem procura outros deuses. Jamais desejo outro Deus sem ser Javé. Somente Vós sois minha herança e o meu destino. Sois o meu cálice, minha força e o meu caminho. Não me abandone na habitação dos mortos. Nunca seu santo viverá corrupção. 8. 2ª Leitura (Gl 6,14-18) 31


L. Carta de São Paulo Apóstolo aos Gálatas. Irmãos, quanto a mim, não pretendo jamais gloriar-me a não ser na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, por quem o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo. Pois a circuncisão de nada vale, nem a incircuncisão, e sim a nova criatura. Para todos que seguirem esta regra, a paz e a misericórdia e para o Israel de Deus. De ora em diante ninguém me moleste, pois trago no meu corpo as marcas de Jesus. A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, irmãos, esteja com vosso espírito. – Palavra do Senhor. T. Graças a Deus. 9. Aclamação ao Evangelho Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! (Bis) Ponho-me a ouvir: o que o Senhor dirá? Ele vai falar, vai falar de paz! Pela minha voz, e pelas minhas mãos, Jesus Cristo vai, vai falar de paz! 10. Evangelho (Mt 11,25-30) P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus. T. Glória a vós, Senhor. P. Naquele tempo, Jesus pôs-se a dizer: “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. Tudo me foi entregue por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. – Palavra da Salvação. T. Glória a vós, Senhor. 11. Homilia 12. Profissão de Fé 13. Oração dos Fiéis P. Irmãos e irmãs, inspirados e animados por São Francisco, padroeiro da ecologia, elevemos ao Pai nossos pedidos. T. Senhor, escutai a nossa prece. Senhor, Pai e Mãe de todas as criaturas, abençoa o ar que respiramos e o vento que 32


suaviza. Que eles não sejam poluídos em virtude da ganância dos que só visam o lucro, rezemos. Senhor, Pai e Mãe de todas as criaturas, abençoa a água cristalina das fontes e a chuva que refresca. Por elas atravessou o vosso povo no Egito, por elas também fomos acolhidos na comunidade cristã por meio do Batismo. Que elas não sejam transformadas em esgotos a céu aberto por falta de políticas públicas, rezemos. Senhor, Pai e Mãe de todas as criaturas, abençoa a terra que nos dá alimento, as árvores com saborosos furtos e as flores que perfumam os campos. Que toda a fauna e flora sejam preservadas da crueldade do homem que desmata para gerar renda, rezemos. Senhor, Pai e Mãe de todas as criaturas, abençoa os animais silvestres a correr pelas matas, as aves a voar pelos céus e todos os seres que se movem nas águas. Que eles não sejam transformados em objetos de decoração ou aprisionados em grades e gaiolas, mas sejam para nós companhia nos levando a descobrir os mistérios de tua criação, rezemos. P. Senhor nosso Deus, com teu sopro divino, afasta as impurezas do coração humano que mancham o belo espetáculo do horizonte e o brilho fascinante das estrelas. Dainos espírito ecológico e orienta nossas mentes e corações, pois cabe a cada um de nós o compromisso de presevar a natureza. Isto vos pedimos, por Jesus Cristo, vosso Filho. T. Amém! LITURGIA EUCARÍSTICA 14. Canto do Ofertório Trabalhar o pão, celebrar o pão, oferecer e consagrar e comungar o pão. (Bis) Fruto do suor e do trabalho, sacrifício que Jesus pediu, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu: te ofertamos porque tudo é teu. Fruto da esperança e da partilha, santa missa que nos faz irmãos, pão da liberdade e da justiça, pão da vida, pão do céu, pão bendito de libertação! 15. Orai, irmãos e irmãs 16. Oração sobre as oferendas P. Ao apresentarmos, ó Deus, as nossas oferendas, preparai-nos pra celebrar o mistério da cruz, que São Francisco abraçou com tanto amor. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém.

33


17. Oração Eucarística DC – IV (Página ) 18. Oração após a comunhão P. Oremos (silêncio): Ó Deus, pela comunhão na vossa Eucaristia, dai-nos imitar o amor de São Francisco e seu zelo apóstolico, para que, impregnados da vossa caridade, nos empenhemos na salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém. RITOS FINAIS 19. Oração para o Ano Vocacional T. Senhor, nós te agradecemos porque nos reuniste em tua presença para fazer-nos ouvir tua Palavra: nela nos revelas teu amor e nos fazes conhecer tua vontade. Faze que se cale em nós qualquer outra voz que não seja a tua, ajuda-nos a não sermos ouvintes surdos, mas terra acolhedora e fértil, onde tua Palavra pode frutificar; que ela seja uma Palavra acolhida e não somente lida, amada e não somente meditada, observada e não somente rezada, encarnada e não simplesmente contemplada. Envia teu Espírito Santo para iluminar nossas mentes e purificar nossos corações. Somente assim, encontraremos em tua Palavra o Espírito e a vida, não a letra que mata, e se renovará a aliança e a comunhão contigo: Pai, Filho e Espírito Santo, Deus bendito pelos séculos. Amém. 20. Bênção Ecológica P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. Louvado sejas, Senhor, por todas as tuas criaturas, obras de teu amor. Que a tua bênção desça sobre estes animais, plantas e água, a fim de que, nos recordem que tu, fazendo bem todas as coisas, tudo fizeste para o louvor de teu nome. Abençoa e protege estes animais, plantas e água: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. T. Amém. 21. Bênção Final P. O Senhor esteja convosco. T. Ele está no meio de nós. P. O Senhor vos abençoe e vos guarde! T. Amém. P. O Senhor vos mostre a sua face e se compadeça de vós. T. Amém. P. O Senhor volva seu rosto para vós e vos dê a Paz! T. Amém. P. O Senhor vos abençoe, Ele que é Pai e Filho, e Espírito Santo. T. Amém. 34


P. Vamos em paz, e que o Senhor vos acompanhe. T. Graças a Deus. 22. Canto Final Nos olhos dos pobres, no rosto do mundo, eu vejo Francisco, perdido de amor! É índio operário, é negro, é latino, jovem, mulher, lavrador e menor! Há um tempo só paixão, grito e ternura, clamando as mudanças que o povo espera, justiça aos pequenos: ordem do Evangelho. Reconstrói a Igreja na paixão do pobre. Há crianças nuas nesta paz armada. Há Francisco-povo sendo perseguido, há jovens marcados sem teto nem sonho, há um continente sendo oprimido. Com as mãos vazias solidariedade com os que não temem perder nada mais defendem com a morte a dignidade com a teimosia que constrói a paz. Canta Francisco do jeito dos pobres tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de esperança que a liberdade vai chegar. Canta Francisco com a voz dos pobres tudo que atrevestes a mudar. Canta novo sonho, sonho de menino novo céu e terra vão chegar. Há Claras, Franciscos marginalizados, cantando da América a libertação. Meninos sem lares são irmãos do mundo pela paz na terra sofrem parto e cruz. Fran-cisco imagem de um Deus feito pobre. Denúncia, esperança, profecia e canto vence com a coragem o império da morte, de braços com a vida em missão com a história. Francisco, menino e homem das dores, reconstrói a Igreja pelo mundo a fora, na fraternidade nos traz a justiça, na revolução que anuncia a aurora.

35

missasfvila2_24092009  

Tríduo e Festa de São Francisco 1 ORAÇÃO Alegra-nos Senhor, saber que estais aqui, chamando sem cessar querendo repartir, os bens do Reino E...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you