Page 1

Paróquia do Sagrado Coração de Jesus Petrópolis/RJ

137 anos de história em nossas mãos!

www.franciscanos.org.br/noticias PETRÓPOLIS-RJ

BOLETIM da PARÓQUIA do SAGRAdo CORAÇÃO de JESUS ABRIL / MAIO DE 2012

ANO IX • Nº 164

• AJUDE-NOS A COMPLETAR OS EXEMPLARES LAÇOS E PASSOS – A equipe de comunicação informa que as edições que estão faltando são: 1997 – ANO III – Faltam os números 19, 25, 27 e 1999 – ANO IV – faltam os números de fevereiro, março. Se você têm esses números ajude-nos a completar entrando em contato com a Secretaria da Paróquia.

Semana Santa ‘Por que buscais entre os mortos, Aquele que está vivo?’ (Lc 24,5)

‘O Senhor nos tirou das trevas e das sombras da morte, quebrando os nossos grilhões’ (Sl 106, 14) •1


S Santo

do

Mês

• 25 de a b r i l

São Marcos

• Marcos era judeu de origem e de uma família tão cristã que sempre acolheu aos primeiros cristãos em sua casa: “Ele se orientou e dirigiu-se para a casa de Maria, mãe de João, chamado Marcos; estava lá uma numerosíssima assembléia a orar” (Atos 12,12). A tradição nos leva a crer que na casa de São Marcos teria acontecido a Santa Ceia celebrada por Jesus, assim como o dia de Pentecostes, onde “inaugurou” a Igreja Católica. Encontramos na Bíblia que o santo acompanhou inicialmente São Barnabé e São Paulo em viagens apostólicas, e depois São Pedro em Roma. São Marcos na Igreja primitiva fez um lindo trabalho missionário, que não teve fim diante da prisão e morte dos amigos São Pedro e São Paulo. Por isso, evangelizou Alexandria, Egito e Chipre, lugar onde fundou comunidades. Ficou conhecido principalmente por ter sido agraciado com o carisma da inspiração e vivência comunitária, que deram origem ao Evangelho querigmático de Jesus Cristo segundo Marcos.

Zequinha recebe título de cidadanida petropolitana • O vereador Dr. Marcio Muniz indicou e procedeu a entrega do título de cidadania petropolitana (medalha Koeler) a vários cidadãos, entre eles o nosso fiel paroquiano José Freire Lopes, mais conhecido como ‘Zequinha’, que há quase três décadas dedica parte de sua vida ao ministério de música de nossa paróquia, além de outros movimentos e pastorais. Além de Zequinha, foram agraciados com a medalha Koeler: José Carlos Medeiros Nunes, “Padre Quinha”; Dr. Maurício Aliman e Vinicius Tadeu de Oliveira.

• 26 de m a i o

São Filipe Néri • O “santo da alegria” nasceu em Florença, Itália, no ano de 1515. Depois de ficar órfão, recebeu um convite de seu tio para que se dedicasse aos negócios. Mas, tendo vida de oração e discernimento, ele percebeu que Deus o chamava a um outro negócio: expressar com a vida a caridade de Cristo. Néri foi estudar em Roma. Estudou Filosofia e Teologia, deixando-se conduzir e formar pelo Espírito Santo e, mesmo antes de ser padre, visitava os lugares mais pobres de Roma. Formou uma associação para cuidar dos doentes pobres. São Filipe disse sim para a glória de Deus e iniciou a bela obra do Oratório do Divino Amor, dedicando-se aos jovens e testemunhando sua alegria. Vivia da Divina Providência, indo aos lares dos ricos pedir pelos pobres. Homem de oração, penitência e adoração, São Filipe Néri partiu para o céu com 80 anos, deixando para nós esse testemunho: renunciar a si mesmo, tomar a cruz a cada dia e seguir Jesus é uma alegria.

2•

Bazar em prol de capela na comunidade da Presidência • A comunidade Nossa Senhora de Fatima, na Presidência, convida a todos para o Bazar que acontecerá entre 30 de abril a 5 de maio, na Rua Paulo Barbosa nº 147. Galeria do Edificio Regente. O bazar servirá para ajudar nas obras da capela da comunidade. Por isso, não deixe de participar.

Exposição de trabalhos rende bons presentes • “O Cursinho que deu certo”, convida para a exposição e venda de trabalhos manuais, nos dias 5, 6 e 12 maio, no pátio da igreja do Sagrado. Venha e leve uma linda lembrança para a mamãe, a vovó, a titia, a prima, a filha, a neta, a nora e a amiga. Você estará contribuindo com a manutenção da igreja.

Festival de pastéis no Osvaldo Cruz • No dia 17 de abril será realizado no salão da capela da comunidade Osvaldo Cruz, localizada na rua Nossa Senhora Aparecida, 167, Valparaíso, mais um delicioso FESTIVAL DE PASTÉIS. Esta será a segunda edição do festival e terá início às 16 horas. Em tempo, a comunidade esclarece que não será realizada o Ágape na quinta-feira santa (6 de abril), porém a celebração do Lava-pés acontecerá normalmente, como nos anos anteriores (ver horário na página 12). A Vigília Pascal, no sábado santo (7 de abril) será celebrada no Sagrado Coração de Jesus.


Lava-pés

o verdadeiro sentido da humildade michaell grillo

• Na noite da quinta-feira santa so-

mos convidados a refletir sobre o ato de lavar os pés dos discípulos, verdadeiro sentido da humidade deixada por Jesus, na noite derradeira. Humildade esta, necessária se quisermos o reconhecimento de Cristo na Jerusalém celeste. Pois como nos disse São Paulo: “Sede, pois imitadores de Deus, como filhos muito amados. Progredi na caridade, segundo o exemplo de Cristo, que nos amou e por nós se entregou a Deus como oferenda e sacrifício de agradável odor” (cf Ef 5, 1-2). A humildade deve ser vista pelos cristãos como verdadeira regra de vida, pois Cristo, a quem seguimos, veio a esse mundo para mostrar aos judeus que mais importante do que ser fiel às leis, é necessário que sejamos fiéis ao amor para com os marginalizados, pois do que adianta saber todas as Escrituras de cor, se não a colocamos em prática? São Francisco soube viver na radicalidade esse amor pelos oprimi-

dos, amando e cuidando dos leprosos e despojando-se de todos os bens, almejando única e exclusivamente o tesouro dos céus, pois sabia que somente amando estaria mais próximo de Cristo; que somente no ágape, seria digno de estar diante Dele na glória celeste. Assim, são os santos, de maneira geral: testemunhas na carne do que a Palavra nos diz, ou seja, humildes em essência. Ser humilde nos dias de hoje ganhou outra denotação. A sociedade capitalista em que estamos inseridos associa a humildade à pobreza social. Constantemente ouvimos que o indivíduo que mora na favela é uma pessoa humilde simplesmente por ser despro-

“A humildade deve ser vista pelos cristãos como verdadeira regra de vida”.

vida de bens materiais. Porém, com Cristo percebemos que a humildade é, e deve ser vista, a partir de outros prismas. Ser humilde é doar-se por completo ao outro; é sinal de solidariedade e compaixão por quem perece não só socialmente, mas também emocional e afetivamente. Ser humilde é agir da mesma maneira que o Rei de Nínive (Jn 3, 6): perceber que na presença de Deus não há trono que resista. É preciso despojarse de nossas soberbas e entregar o senhorio de nossa vida à Jesus, pois Ele se entregou por nós na cruz. Humildemente, durante a última ceia, Jesus nos mostra que viemos para servir, e não pata sermos servidos (Jo 13, 2-5). Se o Mestre encurvou-se para lavar os pés dos apóstolos, quem somos nós para fazermos da graça que Deus nos dá, a possibilidade de enriquecer financeiramente, elemento de sufocamento do irmão? Sim, a riqueza é fruto de nosso trabalho que por sua vez é graça de Deus. Porém, quantas vezes lidamos com pessoas que ainda acreditam ser o seu maior tesouro, uma farta conta bancária? Todo o dinheiro acumulado na terra em nada nos edificará ao trono do Pai, e sim a maneira com que procedermos nesta mesma terra: consigo mesmo e para com os nossos semelhantes. Quanto mais justos tivermos sido nessa etapa da vida, mais reconhecidos seremos diante do Pai. Irmãos e irmãs, precisamos ter em mente que ser humilde é agir com caridade e que ser caridoso, em nada tem a ver com o sentir pena do irmão. Ser caridoso é entregar a nossa vida a serviço; é não ter medo de enfrentar as provações, confiando a vida à Deus. É assim que encontraremos graças diante do Senhor e poderemos participar com a multidão de anjos e santos, na presença de Jesus Cristo e da virgem Maria Santíssima, do banquete celeste, no qual perceberemos que não poderíamos ter tomado a melhor decisão em nossas vidas: sermos humildes e estar a serviço da comunidade até o fim.

Boletim de circulação interna da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus Diocese de Petrópolis Rua Montecaseros, 95, Centro ✆ (24) 2242.6915 lacosepassos@uol.com.br Responsável: Frei Adriano Freixo Pinto, ofm e Equipe de Comunicação Editoração e Produção gráfica: arteg ✆ (24) 2237.9759 info@arteg.com.br Impressão: Carfel Editora Gráfica ✆ (24) 2237.2523 Tiragem: 2.500 exemplares • Distribuição Gratuita Sugestões poderão ser enviadas para o endereço acima.

•3


uz No silên cio da c r Frei OSVALDO MAFFEI JUNIOR, ofm

• Cristo padeceu, foi crucificado, morreu e ressuscitou pela salvação de toda a humanidade. Ele de condição divina assumiu a condição humana por amor, exclusivamente por amor a nós. No silêncio da cruz uniu a humanidade e elevando aos céus nos concedeu a plenitude da vida nele. Nossa salvação custou à vida de Jesus Cristo. O silêncio que aqui destacamos é condição plena de amor de alguém que deixa de si e vai ao outro para doar-se em expiação pelos pecados. Todos os anos a sexta-feira da paixão nos toca o coração pela magnitude de sentimento expressado no relato da Paixão e Morte de Nosso Senhor.

4•

O silêncio de Cristo impressiona-nos. Tal silêncio não diz respeito ao silencio daquele que não quer se envolver, mas este silêncio aqui expresso fala muito mais do que mil palavras. Alguém que está namorando na varanda da casa ou na sacada de um apartamento, não necessita de muitas palavras para dizer ao amado/a que o/a ama, pois seus olhares revelam o enamoramento de suas almas. Jesus no silêncio da Cruz estava intimamente ligado ao Pai e ao Espírito Santo. Na cruz revelou-se o amor trinitário de um Deus que foi capaz de doar a própria vida do Filho para nos salvar. O silêncio da Cruz deve nos incomodar com a injustiça social, com tantos jovens que se escondem atrás

das telas dos computadores, de família que nem sequer trocam olhares, de crianças abandonadas dentro de sacos plásticos. O silêncio da cruz grita, exorta e provoca-nos a olhar a nossa volta e transformar nossa sociedade. Os cristãos das primitivas comunidades se destacavam das demais pessoas de sua época pelo modo de viverem. E nós hoje? Somos cristão só de nome? Será que o silêncio da cruz de Cristo não nos diz mais nada? Senhor, nós sabemos o quanto foi difícil e amargo o silêncio da tua cruz. Ajuda-nos, provoca-nos a não nos silenciamos diante das adversidades de nosso tempo. Que o Silêncio da tua cruz nos ensine a sermos cristãos autênticos. Amém.


Páscoa a festa do ‘amor-doação’ Frei douglas paulo machado, ofm

• Amados irmãos e amadas irmãs, “convosco estejam a graça e a paz da parte daquele que é, que era e que vem. (...) Àquele que nos ama e que nos lavou de nossos pecados com seu sangue e fez de nós um reino, sacerdotes para seu Deus e Pai, a ele a glória e o poder pelos séculos dos séculos. Amém” (Ap 1,4-6). Não vos poderia saudar de outro modo senão chamandovos de amados e amadas, pois celebramos sublimemente a festa do amor. Foi por amor a nós que “Deus enviou ao mundo seu Filho unigênito, para que tenhamos a vida por meio dele. Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu filho para pagar pelos nossos pecados” (1Jo 4,9-10). Por isso, a essa festa chamamos de Ágape, ou seja, amor. Ágape amor, Ágape paixão, Ágape doação. É com a intensidade original, expressa no novo mandamento: “Assim como eu vos amei, amai-vos também uns aos outros” (Jo 13,34), que celebramos a vitória do amor sobre o ódio, da vida sobre a morte, da liberdade sobre a escravidão, da luz sobre as trevas, da redenção sobre a condenação. A última Ceia realizada por Nosso Senhor com seus Apóstolos, segundo o antigo rito judaico, foi uma séder, isto é, uma refeição sacrifical pascal. Ela não foi apenas o ápice, o termo de chegada de um velho rito, mas o começo, o ponto de partida de um novo. A Páscoa Antiga era celebrada com

uma refeição, durante a qual se comia um animal macho sem defeito, de um ano, podendo ser um cordeiro ou um cabrito, imolado à tarde desse mesmo dia (cf. Ex 12,5-6). Diz o relato bíblico: “Comerão a carne nesta mesma noite. Deverão comê-la assada ao fogo, com pães sem fermento e ervas amargas” (Ex 12,8). Na Nova Páscoa, o cordeiro imolado é o próprio Cristo. Ele é a própria Páscoa. Por isso, diz o apóstolo: “Livrai-vos do fermento velho para serdes massa nova, visto que sois sem fermento. Pois Cristo, a nossa Páscoa, já foi imolado. Celebremos, portanto, a festa não com o fermento velho, não com o fermento da malícia e da perversidade, porém com os pães sem fermento da pureza e da verdade” (1Cor 5,7-8). O novo sentido empregado para a Páscoa cristã é expresso em uma antiga homilia sobre a Páscoa de um escritor eclesiástico. Diz Melitão de Sardes, do II século: “Foi levado como cordeiro e morto como ovelha; libertou-nos das seduções do mundo, como outrora tirou os israelitas do Egito; salvounos da escravidão do demônio, como outrora fez sair Israel das mãos do faraó; marcou nossas almas com o sinal do seu Espírito e os nossos corpos com seu sangue”. Em oblação, Jesus se entrega – daí ágape como amordoação – doando-nos seu próprio corpo e seu próprio sangue: “Isto é meu corpo que é dado por vós. (...) Este cálice é a nova aliança em meu sangue, derramado por vós” (Lc 22,19-20). E continua se doando a nós pelo santo sacrifício nas celebrações eucarísticas. Eucaristia que nos é dada pelas mãos daqueles que, segundo nosso Pai São Francisco, mereciam honra e reverência pelo papel que desempenhavam na confecção do Santíssimo Sacramento (cf. 2Cel 201). Nosso Senhor, que se faz amor-doação, doando-nos seu corpo e sangue, também nos deixa um exemplo a seguir: “Se pois eu, Mestre e Senhor, vos lavei os pés uns dos outros, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Dei-vos o exemplo para que façais o mesmo que eu vos fiz” (Jo 13,1415). E ainda: “Assim como eu vos amei, amai-vos também uns aos outros. Todos saberão que sois meus discípulos se vos amardes uns aos outros” (Jo 13,34-35). Que essa Páscoa fortaleça na fraternidade o povo que caminha junto, e cada um vivendo seu chamado e sua vocação comum à santidade de povo eleito. Com sinceros votos de uma feliz e abençoada Páscoa,

•5


• ARTIGO OFS

CATEQUESE EDNA SEOLDO

Caríssimos(as) Catequistas, Paz e Bem! • Que bom podermos estar juntas novamente nesta missão evangelizadora mediante a Pastoral da Catequese . Aproveitamos o espaço para dar as boas vindas à nossa nova catequista Stéphane Fonseca e à Irmã Sônia, do Convento Nossa Senhora de Lourdes, que aceitou o nosso convite de participar conosco por um tempo. Nesta missão, nunca deixe de lembrar que “O coração de Jesus bate forte por vocês!”. Iniciamos nosso ano catequético de 2012 buscando a presença dos pais através de nossa primeira reunião que aconteceu no dia 10 de março (foto). Tivemos a presença do nosso pároco Frei Adriano Freixo, ofm, que fez questão de alertar aos pais sobre a importância da caminhada deles junto aos filhos, ajudando-os no amadurecimento da fé no dia a dia. A Pastoral da Catequese também essa missão familiar: apresentar a mensagem cristã e ajudar no amadurecimento da fé.

Olhando lê-se a sinceridade, dá-se lugar à transparência; 4º) Mostre amizade: Aperte a mão, dê um abraço; 5º) Desça do pedestal: Fale menos de você, escute mais os outros; 6º) Seja amável: O coração tem palavras mais bonitas que a razão; 7º) Elogie: Se tiver que censurar, comece com um elogio; 8º) Escute: Esteja atento aos problemas dos outros, dê-lhes importância; 9º) Ajude: Nunca vire a cara, nunca se faá de desentido ou desinteressado; 10º) Fale do amor de Deus: “Quem me testemunha perante os homens, eu o testemunharei perante o Pai”. A verdade amizade tem por base o amor de Deus Pai. • E nunca deixem de lembrar que ser Catequista é “alegrar-se pelo serviço prestado, pelos dons colocados em comum, pela experiência adquirida e partilhada, por fazer o bem por amor. A/O Catequista transmite uma alegria que só é possível para quem vive em Deus”. Por isso, Alegrai-vos sempre no amor (Fp 4, 4). Obrigado catequista! Com você testemunhamos a promessa de Jesus. “Ninguém vos tirará a vossa alegria” (Jo 16, 22). • E nesta alegria queremos abraçar Scheila e Ronise, amigas catequistas da Comunidade Oswaldo Cruz , que em breve terão em seus braços o “seu filho” que é e será benção de Deus em suas vidas. Vocês que caminham por muito tempo nesta missão da catequese , com certeza, Nossa Senhora, que é a nossa Rainha Evangelizadora estará sempre com vocês, lhes amparando, ajudando nesta nova missão de mãe e abençoando a vocês e toda família. Parabéns!

–lembrete– Obrigada Frei Adriano pelo seu apoio, seu carinho para com a catequese. Esta aproximação será sempre muito valiosa , pois nós catequistas precisamos muito dos pais, no apoio, na continuidade no seus lares, da catequese. Entre os assuntos abordados na reunião, enfatizamos a necessidade de participação nas missas da catequese, celebradas todo quarto domingo do mês às 18 h no Sagrado. Pais, catequisandos e crismandos: esperamos vocês. A nossa próxima reunião com os pais será realizada em maio. • Gostaria de partilhar com vocês uma matéria sobre a amizade que li (autor desconhecido) e achei muito interessante, entendendo ter muito a ver com nossa caminhada em missão: Os 10 mandamentos da amizade. 1º) Sorria: O sorriso transmite alegria, boa disposição; 2º) Converse: Conversar é abrir-se, dar espaço; 3º) Olhe nos olhos:

6•

1) Curso para novos catequistas. Podem ligar para Irmãs de Belém, telefone : (24) 2242-4898. 2) Catequese para Adultos (Catecumenato) – adultos que queiram receber os Sacramentos de Inciação Cristã (Batismo / Eucaristia / Crisma) ou apenas um dos Sacramentos , venham participar em julho/2012 dos encontros em nossa Paróquia. Vão se preparando e podem se informar na secretaria sobre as inscrições. Podem também procurar uma das catequistas para maiores informações. Na próxima edição do informativo Laços & Passos traremos maiores detalhes. 3) Crismandos – os encontros semanais com os jovens crismandos estão sendo realizados às sextas-feiras, às 18h30, no Sagrado. Você jovem, a partir de 14 anos que queira vir caminhar conosco na preparação do Sacramento do Crisma, pode nos procurar aqui no Sagrado.

Cristo nossa Páscoa foi imolado. Aleluia! • João Batista aponta e diz: Eis o cor-

deiro de Deus! Aquele que tira o pecado do mundo. João na Ilha de Patmos, vê e escreve: Vi um cordeiro de pé imolado. Paulo completa: celebremos nossa Páscoa com os ázimos da sinceridade. Aquele cordeiro que tira o pecado após ter sido imolado se faz perpetuamente nosso pão ázimo puro e reconfortante. Páscoa participação sempre renovada do sacrifício do cordeiro divino que é ao mesmo tempo pão ázimo e carne salvadora. Pão e carne. carne e pão. João, em Cafarnaum, ouve e escreve: O meu corpo é verdadeiramente comida. Se não comerdes deste pão não tereis a vida em vós. Cristo nossa páscoa foi imolado. O cordeiro sacrificado operou a nossa salvação fazendo-se ele carne e fazendo-se pão. O pão se faz carne. a carne padece, morre e ressuscita. O Senhor ressuscitou verdadeiramente, Aleluia! É noite. A estrada está deserta. Emaús fica distante. Os três viandantes saem da estrada, sentam-se a mesa e o pão é partido de novo. O mesmo rito, a mesma singeleza, e o Senhor está ali. O pão comum torna-se o ázimo pascal: puro, salvífico, ressuscitado. Tomai e comei todos vós. Subitamente a simples refeição, faz-se páscoa. Fazei isto em memória de mim. Celebrareis a morte do Senhor até que ele venha. Senhor ficai conosco. A tarde declina e a noite chega. Ficai conosco. A noite escura, lá fora lembra aos discípulos ali presentes o acontecimento recente onde João diz: Era noite. Ressuscitei. Aleluia!. Não tenhais medo. Estarei sempre convosco todos os dias. não vos deixarei órfãos. Cristo vive. E nós, vivemos com Ele? A páscoa é a vida em plenitude. É toda a criação que se renova. Nós vivenciamos isto? Não estamos distraidamente seguindo além na estrada para Emaús, sem perceber que já chegamos a ela? Por que buscais entre os mortos aquele que está vivo? Se Cristo não ressuscitou, vã é a nossa fé. Jesus pergunta a Marta junto ao túmulo de Lázaro: Crês nisto? a resposta nós temos que tê-la na ponta da língua, como se diz. Paz e Bem!


Nossa Senhora de Fátima

Maio

mês de Maria, mãe do salvador elizabeth rigoni & michaell grillo

• Em maio, invocamos Nossa Senhora de Fátima para nos proteger e nos cobrir com seu manto de amor e esperança. A tradição portuguesa chegou ao Brasil e aqui foi abraçada por fieis devotos da mãezinha do céu. Portanto, louvemos Maria, mãe, mulher, detentora da confiança divina. Maria, a mesma que deu o SIM salvador, que permitiu que as Escrituras fossem cumpridas; que não perdeu tempo e saiu correndo rumo à casa de Isabel, sua prima, que no ventre carregava João Batista, o profeta final do Antigo Testamento e descortinador do Novo, para anunciar que seria a Mãe do nosso Salvador. Celebremos o mês de maio, mês mariano, com essas pequenas admoestações acerca da celebração em honra a Nossa Senhora de Fatima (13) e pela visitação de Nossa Senhora (31).

“Treze de maio na cova da Iria, no céu aparece a Virgem Maria”. Eis o início de um hino antiguíssimo que nos lembra o dia da aparição de Nossa Senhora de Fátima, um entre tantos títulos que Maria possui. Quantas mães não recorrem a Mãe de Deus, pedindo a sua intercessão, sua ajuda por acreditar naquela Maria das Bodas de Caná. “Fazei tudo que Ele vos disser”. Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós! Maria, a Mãe de Jesus, é o modelo de virtudes para nós mães. Quantas noites sem dormir, quantas preocupações com os filhos, quantas idas e vindas aos médicos. Depois a escola, a adolescência e a idade adulta. Finalmente experimentarão a maternidade. Diante de tanta preocupação, nós nos esquecemos de ensiná-los que foi Deus quem lhes deu a vida, e nós mães somos meras colaboradoras Dele, na geração e na condução ao fim último que é Ele mesmo. Geramos para a vida com Deus e para Deus. Desta forma a maternidade atinge a sua plenitude. Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

Visitação de Nossa Senhora Quanta alegria para nós, quando Nossa Senhora foi visitada pelo arcanjo, anunciando que ela seria a mãe do Salvador. Ela mais que depressa diz o seu sim e reconhecendo a sua pequenez exclama: “Porque olhou para sua pobre serva, por isso, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações”. (Lucas 1,48).E isso a engrandece, porque não teve medo. Maria, a Mãe de Jesus, é o modelo virtudes para nós mães e porque não os pais. Quantas noites sem dormir, quantas preocupações com nossos filhos, quantas idas e vindas de médicos, Depois a escola, a adolescência e a idade adulta. Finalmente experimentarão a maternidade e paternidade. Diante de tanta preocupação, esquecemos de ensiná-los que foi Deus quem lhes deu a vida, e não nós pais, somos meros instrumentos Dele. Ao ser informado pelo Anjo, que sua prima Isabel, apesar da idade avançada, estava grávida já havia seis meses, Maria sai às pressas, e após dias e dias de viagem, sobe a montanha e chega a casa de sua prima Isabel e Zacarias, seu esposo. Ao saldar sua prima o menino saltou de alegria no seio de Isabel. “És bendita entre todas as mulheres da terra, e bendito é o fruto que nascerá de teu entre.” Ficou com ela até o nascimento da criança. Imitemos Nossa Senhora pedindo ao Pai do Céu a graça da virtude do serviço e da prontidão.

•7


F

F ii qq uu ee I nn ff oo rr mm aa dd oo

ABRIL

17 • Dia mundial da Juventude

27 • 17h – Trono de fátima – Missa

01 • Domingo de Ramos

17 • 19h30 – Sagrado – Reunião do Conselho Paroquial

27 • Pentecostes

01 • Coleta para os lugares santos 01 • 16h – Teatro Mariano – Peça teatral Milagre do Calvário. Ingressos a R$3,00. 02 a 04 • Mutirão de confissão no Sagrado

02 • 19h30 – Sagrado – RCC: Seminário de vida plena no Espírito

19 • 19h30 – Sagrado – Encontro de formação para Batismo 20 • 19h10 – Sagrado – Formação Permanente 22 • Domingo da Divina Misericórdia 22 • 11h – Sagrado – Batismo

04 • 19h30 – Sagrado – Reunião do Conselho da Matriz

22 • 14h30 – OFS – Formação dos neoprofessos

04 • 19h30 – Sagrado – Encontro de formação para Batismo

23 • 19h30 – Sagrado – RCC: Seminário de vida plena no Espírito

05 • Quinta-feira Santa

27 • 19h10 – Sagrado – Formação Permanente

05 • 07h30 – Sagrado – Oficio divino da Quinta –feira Santa

28 e 29 • Sagrado – RCC: I Experiência de Oração do decanato

05 • 09h30 – Catedral – Missa dos Santos Óleos

30 • 19h30 – Sagrado – Missa de Louvor e encerramento do Sem. vida plena no Espírito

05 • 19h30 – Sagrado – Celebração da Última Ceia e Lava-pés

MAIO

05 • 21h00 – OFS – Adoração ao Ss. Sacramento - Vigilia de adoração.

02 • 19h30 – Sagrado - Reunião do Conselho da Matriz

06 • Paixão de nosso Senhor Jesus Cristo

04 • 19h10 – Sagrado – Formação Permanente

06 • 07h30 – Sagrado – Oficio Divino Sexta-feira Santa

05 • Caminhada Franciscana PetropolisPaty do Alferes

06 • 9h – Prosseguimento da adoração ao Ss. Sacramento no salão da OFS

05 • 16h15 – Sagrado – Missa OFS 06 • 17h – Trono de fátima - Missa

06 • 15h – Sagrado – Celebração da Paixão do Senhor, seguida da procissão do Senhor morto

10 • 19h30 – Sagrado – Encontro de formação para Batismo

06 • 16h e 20h– Teatro Mariano – Peça teatral Milagre do Calvário. Ingressos a R$3,00. 07 • Sábado Santo 07 • 07h30 – Sagrado – Oficio Divino do Sábado Santo 07 • 15h – OFS – Reunião do Conselho da Fraternidade 07 • 20h – Sagrado – Vigilia Pascal (trazer velas) 08 • Páscoa do Senhor 08 • 11h – Sagrado – Batismo 09 • 19h30 – Sagrado – RCC: Seminário de vida plena no Espírito 13 • 19h10 – Sagrado – Formação Permanente 15 • 14h – OFS – Reunião mensal da Fraternidade 15 • OFS – Encontro da FBB - Clarissas de Nova Iguaçu

11 • 19h10 – Sagrado – Formação Permanente 12 • 15h – OFS – Reunião do Conselho da Fraternidade

28 • 19h30 – Sagrado – Missa de louvor 31 • Nossa Senhora do amor divino – Todas as segundas-feiras das 19h30 às 21h30 • Grupo de Oração Jesus Vive – RCC – Todas as terças-feiras, das 16 às 17h • Sagrado – reunião da Legião de Maria – Toda terça-feira e quinta-feira, das 14 às 18h • Sagrado – Aconselhamento, Sala Frei Waldemar – Toda segunda, quarta, quinta e sexta-feira, das 15h às 17h • Sagrado – atendimento às famílias necessitadas – Toda segunda quinta-feira do mês às 14h • Reunião da Pastoral da Criança com as coordenadoras das comunidades – Toda terceira quinta-feira do mês às 19h30, na Casa da Cidadania – Reunião – Toda quarta-feira, às 15h • Missa na Capela do Hospital Santa Teresa – Toda última quarta-feira, às 15h • Capela do hospital Santa Teresa – Missa dos aniversariantes – Toda quarta-feira às 19h30 • Reunião do Grupo Amor Exigente – Toda quarta e quinta-feira das 14h às 17h “Cursinho que deu Certo” – artesanato – Toda quinta-feira das 10h às 16h30 • Pastoral da Criança, no Sagrado – Toda quinta-feira às 17h • Ofício Divino das Comunidades

13 • 14h30 – OFS – Formação do 1º ano de formação

– Toda última quinta-feira do mês, às 7h, 8h, 15h, 18h • Sagrado – Missa de Santo Antônio de Santana Galvão com distribuição das pílulas

13 • Nossa Senhora de Fatima. Missas às 10h, 15h e 18h. A romaria irá partir do Teatro Mariano, às 17h.

– Toda 1ª sexta-feira de cada mês • missa do Apostolado da Oração, às 15h na Matriz. Após a missa, Adoração ao Santíssimo

15 • 19h30 – Sagrado – Reunião do Conselho Paroquial

– Toda sexta-feira após a missa das 18h • SAGRAdo – reza do Terço

18 • 19h10 – Sagrado – Formação Permanente

– Todas as terças-feiras, quintas-feiras e sábados às 18h • Missa no Convento Madre Regina.

13 • 11h – Sagrado – Batismo

20 • 14h – OFS – Reunião mensal da fraternidade e comemoração pelo dia das mães e comemoração pelos 115 anos de fraternidade. 20 • 17h – Trono de fátima - Missa 24 • 19h30 – Sagrado – Encontro de formação para Batismo

– Todo 2° domingo às 7h, 8h30, 10h, 18h e às 19h30 • Sagrado – Missa dos Dizimistas – Todo dia 13 de cada mês, às 20h, Procissão até o Trono de Fátima e Missa. Quando o dia 13 for Domingo ou feriado, será às 17h

15 • 8h – Sagrado – RCC: Encontro Diocesano Ministério de Música

27 • 11h – Sagrado – Batismo

– Todo 4º domingo, missa da Congregação Mariana, no Sagrado às 7h com reunião as 9h, no Teatro Mariano

16 • 19h30 – Sagrado – RCC: Seminário de vida plena no Espírito

27 • 14h30 – OFS – Formação dos neoprofessos e exibição de filme

– Todo 2º domingo, às 16h30 • Sagrado – Reunião mensal do grupo de jovens

8•

25 • 19h10 – Sagrado – Formação Permanente


Aniversariantes Dizimistas – ABRIL –

parabéns

VOLUNTÁRIOS Aniversariantes – ABRIL – 01/04....Wanda de Lourdes C. da Silva 03/04....José Maria da Silva 05/04....Fátima Cristina dos Santos 05/04....Maria Teresa da Silva Moraes 09/04....Ivanilde Sampaio de Abreu 10/04....Lourdes da Silva 12/04....Olga Castanheira de Andrade 13/04....Vera Lúcia Guimarães 14/04....Alcideia Maria Justen 18/04....Ana Jaqueline Reis 19/04....Maria da Conceição Silva 22/04....Ana Maria de Faria Silva 23/04....Nadir Garcia de Souza 23/04....Suely Maria Braga da Cunha Freitas 24/04....José Freire Lopes 24/04....Waldemar Domingues Bitencourt 26/04....Norinda do Valle de Queiroz 28/04....Maria da Penha Teixeira Cescon 28/04....Rafael Moreira Schmid

– MAIO – 01/05....Eliana Csicsay de Mattos 01/05....Maria José da Silva 03/05....Ilzi de Souza Ângelo 03/05....Lydia Maria Rocha Melo 03/05....Maria Augusta Couto de Faria 05/05....Dalva Gomes Pereira 05/05....Luiza Mamede Scrivano Duarte 05/05....Pedro dos Santos 05/05....Silvio Stumpf 09/05....Erich Claudio Peteres 10/05....Celi Reis da Silva 15/05....Josina Célia Barbosa Rosa Farias 15/05....Marcos da Silva 16/05....Adilson Nunes da Silva 18/05....Sueli Latsch Marçal 20/05....Marly Franco 22/05....Ronaldo Moyses 23/05....Wilson Esteves Guimarães 25/05....Mauro Heleno de Araújo 29/05....Regina Célia da Cruz 30/05....Fabiana de Oliveira Guedes Teixeira 31/05....Maria Estela Sampaio de Araújo

01/04....Geraldo José Mayworm 04/04....Zelina Alice de Freitas Farias 04/04....José Emilio Pereira 05/04....Sylvio Joaquim Sant’anna 06/04....Carlos Callegario Gomes 09/04....Angela Regina da Silva Ismael 09/04....Viviane Gomes Lamelas 10/04....Vera Lucia G. pereira 11/04....Antonio Sergio Ferreira 11/04....Iracema Rosa da Silva 12/04....Crispim M. de Souza 14/04....Nair da Silva Carvalho 14/04....Aurea Moreira Barros dos Santos 14/04....Wanda de Lourdes C. da Silva 18/04....José Anibal dos Prazeres 18/04....Maria Lucia Capela Almeida 18/04....Maria Aparecida Alves da Rocha 18/04....Dulcineia Ramos Barão da Penha 19/04....Edwiges Edith Amato França 22/04....Ana Maria de Faria Silva 24/04....Ademar José Carius Filho 25/04....Maria Helena C. Branco 27/04....Nilza Ribeiro Chagas Machado 27/04....Moacir Grotz

– MAIO – 01/05....Wilma Maria Kneipp 01/05....Maria Aparecida Soares 02/05....Diná Cardozo Machado 03/05....Luiz Rezende Mota Roberto 03/05....Vera Cruz de Souza Rocha 05/05....Maria Etelvina R. Martins 05/05....Silvio Stumpf 06/05....Marlene Costa Peccini 07/05....Ivete Gomes de Castro 08/05....Maria do Carmo dos Santos 08/05....Therezinha Rocha 09/05....Erich Claudio Peters 09/05....Carlos Henrique Vieira 11/05....Maria Carmina da C. Garin 14/05....Nadyr Kneipp Borde 14/05....Sebastião da Costa Fintelman 15/05....Helenir Justen Tesch 15/05....Alice Serzedello de Souza 15/05....Helena Zilda da Cruz kreischer 17/05....Lusia Guimarães Troyac 18/05....Jaime Moraes 19/05....Miguel Pachá 19/05....Ricardo Machado 20/05....Maria Helena Deister 22/05....Rita Celia Kupke 24/05....Leda Maria Menezes Dessimori 27/05....Adinor Antonio de Carvalho 28/05....Ernandes Martins Sanabio 28/05....Maria de Fatima T. Gomes Carneiro 30/05....Sonia Maria Correa da Costa

RCC: Seminário, encontros e muita oração em abril conceição carius

• A primeira que merece destaque é a conclusão do Seminário de Vida Plena no Espírito Santo que está acontecendo desde o fim de fevereiro em nossa paróquia. Os últimos encontros, assim como os anteriores, serão marcados por muito louvor, palestras e partilha da Palavra de Deus. Comandado pelo Grupo de Oração Jesus Vive, pertencente ao Sagrado Coração de Jesus, e com pregadores pertencentes a diversos grupos de oração da diocese de Petrópolis, os fiéis poderão experimentar a graça de Deus com os temas: Senhorio de Jesus; Cura interior; Batismo no Espirito Santo; e vida em comunidade e amor entre os irmãos. No encerramento, 30 de abril, acontecerá a missa de louvor, assim como ocorre em toda a última segunda-feira de cada mês. E não para por aí. No dia 15 de abril, das 8 horas às 16 horas, será realizado no salão paroquial o Encontro Diocesano para ministérios de música. O encontro terá a participação da Equipe Estadual da RCC. E nos dias 28 e 29 de abril, um momento especial está reservado aos fiéis que quiserem uma profunda experiência de oração. Acontecerá em nossa paróquia, um fim de semana repleto de unção e soprar do Espírito Santo que nos santifica e nos fortalece na caminhada. A I Experiência de Oração do Decanato de Petrópolis será das 8 às 18 horas. Será cobrada uma taxa de R$30,00 (alimentação inclusa). As inscrições podem ser feitas no Grupo de Oração Jesus Vive e na loja católica Fonte Viva (rua Alencar Lima, Centro). Venha fazer uma experiencia do amor de Deus.

•9


• CONSEL HO D A MATRI Z

Semana Santa e mudanças de trânsito foram enfoques do encontro michaell grillo

• ASSEM B L E I A D O D E C A N ATO

Evangelizar, a partir de Jesus e na força do Espírito Santo maria stella sampaio

• No último dia 26 de fevereiro foi realizada na Igreja do Rosário a Assembleia do decanato São Pedro de Alcântara. Líderes de diversas paróquias, sendo 16 deles pertencentes ao Sagrado Coração de Jesus, estiveram presentes ao encontro. Na ocasião foi apresentado o documento número 94 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), intitulado: Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil – 2011 – 2015. Este foi elaborado na 49ª Conferência Nacional dos Bispos do Brasil em 2011 e tem como meta o traçar de projetos a serem colocados em prática pelas dioceses brasileitas em termos evangelizadores, até 2015. Os primeiros 16 pontos do referido documento foram debatidos na Assemblei, nos quais se pode extrair que Jesus Cristo deve ser o centro de todo o trabalho missionário e da evangelização reconhecendo-se duas atitudes fundamentais, inerentes à sua personalidade e missão: a alteridade, calcada no reconhecer a dignidade e a importância do irmão; e a gratuidade, representada na prática do bem sem esperar qualquer tipo de retribuição. O documento, que será trabalhado na formação permanente de nossa paróquia durante o Tempo Pascal desse ano, trabalha acerca da necessidade de evangelização no Brasil. No encontro, foram apresentadas as cinco urgências para a Igreja no Brasil: 1) A Igreja em estado permanente de missão. 2) Igreja como casa de iniciação cristã 3) A Igreja como lugar de animação bíblica da vida e da pastoral. 4) A Igreja como comunidade de comunidades 5) A Igreja a serviço da vida plena para todos. Após a partilha na qual foram discutidos alguns questionamentos, foi apresentado o tema da Campanha da Fraternidade 2012: Fraternidade e Saúde Pública que tem como lema: Que a saúde se difunda sobre a terra. Os trabalhos foram encerrados no fim da tarde com a adoração a Jesus Sacramentado.

10 •

• Foi realizada no último dia 7 de março a primeira reunião do Conselho da Matriz no Sagrado. Sob o comando do pároco Frei Adriano Freixo Pinto, aproximadamente 20 líderes de pastorais e movimentos estiverem presentes na Sala Francisco de Assis para a apresentação da programação da Semana Santa a ser realizada na Matriz e nas comunidades, dentre outros assuntos. Ficou decidido que os momentos de adoração na noite da quinta-feira e na manhã da sexta-feira santa irão ocorrer no salão da Ordem Franciscana Secular (OFS), ao lado da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, ao contrário do ano passado, quando a adoração foi realizada na Capela penitencial São Frei Antonio de Sant’anna Galvão. Outra temática levantada foi acerca do mutirão de limpeza, realizado no último dia 24 de março. Graças à ajuda de diversos paroquianos, a Igreja ficou totalmente limpa para as celebrações da semana santa. Frei Adriano, aproveitou para explicar que um oficio foi enviado, através do advogado da editora Vozes, também assinado pelo nosso pároco, tentando impedir as mudanças no trânsito que deveriam ser implementadas pela Cptrans na última quinzena de março. Entre diversos fatores, destaca-se o receio de abalo às estruturas da igreja, do conventos dos frades franciscanos da Província da Imaculada Conceição do Brasil, da OFS e da editora Vozes. O fim do encontro se deu com a manifestação da vontade de Frei Adriano em ministrar alguns encontros acerca da espiritualidade franciscana, tendo como pano de fundo os documentos escritos tanto por São Francisco quanto pelos biógrafos do poverello de Assis, que reunidos formam as Fontes Franciscanas. Torcemos para que o desejo saia do papel e ganhe as salas de encontro de nossa Igreja. Até porque, todo cristão precisa estar constantemente imerso na doutrina, fé e espiritualidade do Cristianismo.


A utopia de Pentecostes Frei neylor j. tonin*

• A utopia de Pentecostes: O acontecimento de Pentecostes possibilita muitas abordagens e sinaliza várias utopias. Permite-me focalizar apenas uma: a utopia da coragem que comporta os riscos da fé e os imperativos da renúncia. Mas que desabrocha, finalmente, como alegria. Na Espiritualidade, fala-se muito em parresia, termo grego que é sinônimo de coragem. Fala-se também em fortaleza, que é um dos dons do Espírito Santo. Por este dom, a pessoa enfrenta as dificuldades que nascem da fé e da vida, vence medos e tentações, aceita perder sem perder as definições de suas fidelidades naturais e sobrenaturais. Para ser plenamente homem é preciso ter parresia. Para ser fiel a Deus é preciso ser forte. A fé, num e noutro caso, dói, pode doer muito. Quem crê, sabe que ser coerente com os ditames da fé não é fácil. O maior perigo é o da dicotomia, a de crer e professar a fé sem vivenciá-la com toda a vida. Há uma oração litúrgica que diz: “Que professemos o que cremos e realizemos o que professamos”. Em outras palavras, que sejamos coerentes na vida com o que anunciamos com a boca e cremos com o coração. Santo Agostinho afirma que os mártires não são feitos por palavras, mas por causas. “Martyres non facit poema, sed causa.” A fé pode ser e é festiva e celebrativa. Muitas vezes, porém, pode ser e o é, na prática, dolorosa e crucificante. Dói, de verdade. Durante a vida terrena de Jesus, os apóstolos não demonstraram grandes medos. São Pedro tentou, é verdade, impedir, certa vez, impulsivamente, por medo e amizade, a ida de Jesus a Jerusalém. Não o conseguiu. Foi repelido acerbamente por Cristo. “Afasta-te de mim, satanás” (Mc 8,33)! Mais tarde, quando em Jericó, os Doze, temendo o cerco que se fechava e o confronto que parecia inevitável com as autoridades religiosas, procuraram embromar a subida para a capital. Jesus, mesmo angustiado, no entanto, seguia em frente, resolutamente. O que se seguiu é do conhecimento de todos. Passados os acontecimentos da trágica Sexta Feira Santa, os apóstolos, a começar por Pedro, decidiram voltar para suas famílias e afazeres. “Eu vou pescar”. Os outros emendaram: “Nós vamos contigo” (Jo 21,3). Em outra cena, os dois discípulos de Emaús são a expressão mais completa das esperanças frustradas. Já no primeiro dia da semana, ou seja, na manhã do domingo da ressurreição,

abandonaram Jerusalém, tomando também o rumo de suas pescarias (Lc 24,13ss). Quando Jesus ressuscitado apareceu aos apóstolos, estes ficaram “aterrados e cheios de medo” (Lc 24,37), e acreditaram estar vendo um espírito, um fantasma. Jesus os acalmou: “A paz esteja convosco” (Jo 20,19; Lc24,36)! Manifestou-se a eles de várias formas, em várias ocasiões, tentando convencê-los de que era ele mesmo, de que não precisavam ter medo. Mas o medo criava-lhes resistências, que chegaram à mais rotunda incredulidade. A de Tomé é sintomática e eloqüente. O medo, nele, foi tanto que não queria apenas ver o Cristo, queria também tocar o Ressuscitado. Daí que ver (Jo 20,5.8.18), ouvir (Lc 24,32), tocar (Lc 24,39; Jo 20,27), saber (Jo 21,12), abraçar (Mt 28,9), comer junto com Cristo (At 10,41), presenciar sua ascensão ao céu (Mc 16,19; At 1,9) não foi suficiente para convencê-los de que Jesus estava vivo e ressuscitado. Jesus chegou até a repreender-lhes “a incredulidade e a esclerose de coração” (Mc 16,14). Mesmo assim, tudo foi de insuficiente valia. A verdade é uma só: eles sentiam e estavam dominados pelo medo. Faltava-lhes a virtude da parresia. Não tinham o dom da fortaleza do Espírito Santo. Algo mais teria que acontecer para que a experiência da Páscoa se tornasse viva e definitiva para os apóstolos. Este algo mais ocorreu em Pentecostes. O evangelista Lucas assim descreve o acontecimento: “Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído, como de um vento impetuoso, que encheu toda a casa em que estavam sentados. E viram, então, uma espécie de línguas de fogo, que se repartiram e foram pousar sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia” (At 2,1-4). Aqui, ó Homem, é importante fazer atenção aos detalhes: Os apóstolos estavam reunidos e sentados (imobilizados pelo medo e amparando-se mutuamente em seus medos). Veio do céu um ruído, como de um vento impetuoso (para abalá-los e ajudá-los a vencer as únicas vozes que escutavam: as do medo). Línguas de fogo pousaram sobre cada um deles (para queimá-los e para espantar o frio amedrontado que sentiam). Ficaram cheios do Espírito Santo (e sem os seus medos). E começaram a falar em outras línguas (até então só falavam a língua do medo). Como conseqüência, a vinda do Espírito Santo produziu neles a coragem de se abrirem para o mundo e de aceitar os riscos da fé.

Pentecostes operou o milagre da coragem, fez acontecer o que parecia impossível: a utopia da parresia. Desmentindo a acusação que, séculos mais tarde, Nietzsche viria a fazer contra os cristãos: “são uns inúteis, uns distantes, uns conformados; são estranhos ao trabalho da terra; seus olhos estão postos no céu”, Pentecostes leva os assustados apóstolos para fora, colocaos no topo das escadarias do Templo, e eles se apresentam próximos, sem medo, dispostos a não mais negar a verdade e a experiência que fizeram do Cristo ressuscitado. A partir deste acontecimento, os apóstolos foram outros. Deixaram de ser os pobres pescadores da Galiléia para se transformarem em anunciadores da ressurreição. Numa confissão solene que, se mentira fosse, se consubstanciaria no mais inimaginável perjúrio, anunciaram que “o Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, exaltou-o, tornando-o guia supremo e salvador, para dar ao povo de Israel a conversão e o perdão dos seus pecados. Disso”, juraram, “somos testemunhas, nós e o Espírito Santo” (At 5,31-32). As conseqüências não se fizeram esperar. Por este desassombro, foram presos e açoitados, “mas ficaram muito contentes por terem sido considerados dignos de injúrias, por causa do nome de Jesus” (At 5,41). Pentecostes pode ter várias leituras e pode fundamentar várias utopias, mas nenhuma parece mais evidente e surpreendente do que a utopia da coragem. Pobres homens medrosos, trancados num lugar sagrado, o Cenáculo, por medo dos judeus (Jo 20,19), de repente se transformam em evangelistas de uma verdade, em mártires de um acontecimento. E não apenas proclamam o que crêem, mas estão prontos para dar a vida por sua fé. A disposição de fé dos apóstolos passará a ser, para todos os seguidores de Jesus, a medida pentecostal da fé cristã. Não basta mais rezar nas igrejas, viver recolhido em lugares sagrados, fazer a festa da páscoa. Todas as liturgias são importantes, mas é preciso sair para a rua, subir as escadarias do Templo, enfrentar a fúria dos donos do mundo, e proclamar o fato único e histórico de que Cristo está vivo e ressuscitado. Em outras palavras, não se pode ser apenas um ser pascal; é preciso também ser um ser pentecostal. Pentecostes é a plenitude da Páscoa. A Igreja de Pentecostes é a Igreja da Páscoa. Os dois acontecimentos criam e atestam a festa da ressurreição. Pentecostes está para o mundo, assim como a Páscoa está para a fé. Não basta apenas ter uma verdade, é preciso também a coragem de proclamá-la e vive-la. Esta é a utopia maior e jubilosa de Pentecostes.

* O frade, autor do artigo, pertence à Província da Imaculada Conceição do Brasil, à qual também pertence os frades desta casa. O artigo em sua versão completa pode ser encontrado no endereço eletrônico: http://www.franciscanos.org.br/v3/vidacrista/artigos/freineylortonin/artigo_10.php.


ta n a S a n a m e S a d o ã ç a m Progra

COMUNIDADE SAGRADO Ingelheim Presidência Oswaldo Cruz Vila São José

4/4 – Quarta CONFISSÃO Mutirão

unda 3/4 – Terça 1/4 – Domingo 2/4 – Seg ISS CONF ÃO CONFISSÃO RAMOS Mutirão Mutirão 7h; 8h30; 10h; 18h e 19h30 do Mutirão/Sagrado Mutirão/Sagrado Mutirão/Sagra 10h do Mutirão/Sagrado Mutirão/Sagrado Mutirão/Sagra 8h do Mutirão/Sagrado Mutirão/Sagrado Mutirão/Sagra 8h30 (Sagrado) (Sagrado) (Sagrado) (Sagrado)

CATEDRAL Madre Regina Lourdes Teatro Mariano

5/4 – Quinta LAVA-PÉS 19h30

19h30 19h 19h (Sagrado) 9h Missa Santos Óleos 17h

go 7/4 – Sábado 8/4 – Domin 6/4 – Sexta OA SC PÁ AL SC PA VIGÍLIA PAIXÃO 7h; 8h30; 10h; 20h 15h 18h e 19h30 Paixão/Procissão 10h 19h30 15h 8h30 19h 15h 8h30 19h30 15h grado) (Sa (Sagrado) (Sagrado)

11h 16h30 e 20h Milagre do Calvário

11h 16h30 Milagre do Calvário

ponibiliã e tarde), solicitamos a dis (dias 2 a 4 de abril, manh ta San ana Sem na ões mutirão de confiss lhor maneira possível. S NO SAGRADO – Para o atendermos os fiéis da me e nas MUTIRÃO DE CONFISSÕE ape s un alg os rm não sobrecarrega dade dos confrades para o. to, às 7h30, Ofício Divin RCC, Ministros; ta-feira Santa e Sábado San osos (as); das 22h às 23h = ligi Re e ria Ma de L. S, • Quinta-feira Santa; Sex OF = Santíssimo: das 21h às 22h a celebração, Adoração ao . triz Ma da lho nse • Quinta-feira Santa,após e Co ação da Paixão do Senhor. Vila São José, Juventude nhã – Procissão após a celebr ma da te par na das 23h às 24h = ECC , S, OF da o Sacramento no Salão ua a Adoração ao Santíssim • Sexta-feira Santa: contin cal, às 20h, trazer velas. • Sábado Santo: Vigília Pas

4 a 10 de junho de 2012, no Sagrado I Semana de Comunicação da igreja do Sagrado Coração de Jesus Palestras, adoração, louvor, santa missa e adoração.... Tema da semana:

“Silêncio e Palavra: caminho de evangelização”

“As palavras do Senhor são lâmpadas para meus pés e as palavras de um homem são águas profundas. Por isso, ide e pregai o Evangelho!” (Sl 119, 105; Pr 18, 4a ;Mc 16,15)

12 •

lacos  

(Sl 106, 14) (Lc 24,5) BOLETIM da PARÓQUIA do SAGRAdO CORAÇÃO de JESUS ABRIL / MAIO dE 2012 • AJUDE-NOSACOMPLETAROSEXEMPLARESLAÇOSEPASSOS–Ae...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you