Page 8

Atualidade

A imprescindível arte de comunicar-se

Dia primeiro de junho, será o Dia Mundial das Comunicações Sociais. Não há uma data fixa, pois sempre se comemora na Ascensão do Senhor. Será o 48º ano em que a Igreja celebra tal data que teve início em 1967, depois de proposta pelo Concílio Vaticano II. Desde então, todo ano, uma mensagem é publicada pelo Papa a 24 de janeiro, por ser o dia em que se festeja São Francisco de Sales, o padroeiro das comunicações sociais. A primeira carta alusiva ao assunto foi escrita pelo Papa Paulo VI que já percebia a necessidade de se usar os meios de comunicação disponíveis, na época, a serviço da divulgação da mensagem evangélica. A necessidade de comunicar-se Diante da presença massiva de comunicação em nossas vidas, fica-nos a pergunta: comunicação é essencial? Depende. Torna-se essencial quando é sadia. A comunicação se faz necessária quando é usada para o bem, para propagar boas notícias, a beleza de nossa existência, a solidariedade. Fala-se muito em como a comunicação é importante nos dias atuais. Falta ressaltar que a comunicação sadia e confiável é que é importante. Uma pessoa tem o poder impressionante de resgatar ou acabar com uma vida com apenas uma palavra. Como é bonito ver pessoas que se abstêm de se comunicar na hora certa. Pessoas que conseguem ficar quietas quando o silêncio é a melhor opção. Afinal, o silêncio também é uma forma de comunicação. Quantas intrigas seriam evitadas se soubessem selecionar o que escutar e o que “passar pra frente.”

8

Jesus foi o maior comunicador de nossa história. Não possuía microfones, alto-falantes, palco, nem mesmo um meio de locomoção eficiente. E atingiu tanta gente!

Jesus e a comunicação Jesus foi o maior comunicador de nossa história. Não possuía microfones, alto-falantes, palco, nem mesmo um meio de locomoção eficiente. E atingiu tanta gente! Tantos ouviram Sua palavra e O seguiram. Muitos O escutavam e contavam a outros que não tiveram a oportunidade de ouvi-Lo pessoalmente. A Boa-Nova se espalhou sem a ajuda da tecnologia avançada, disponível hoje. A pergunta pertinente quando se fala em comunicar a Boa-Nova usando da facilidade atual é: Jesus se comunicaria como? Teria um perfil no Facebook? Teria muitos seguidores no Twitter? Daria conselhos de direção espiritual através de e-mails? Teria programas de rádio e/ou na TV? Todos são meios válidos e que merecem ser usados à exaustão tendo, como objetivo, evangelizar. Muitas paróquias utilizam essa importante ferramenta para divulgar

seus trabalhos. Não se pode desprezar a ajuda da Internet num tempo em que tudo é imediato. Em todo lugar, pode-se consultar a Bíblia on-line, o Evangelho do dia e também saber os principais eventos e avisos paroquiais. Comunicação e Igreja Há, portanto, de se certificar que a mensagem atinja seu objetivo de evangelizar. Vivemos em uma realidade de urgência, de pressa, de avidez em ficar informado sobre tudo e, muitas vezes, são tantas as informações obtidas em um só dia que pode “escapar” o que é essencial. Apesar da eficiência com que a notícia se espalha, a comunicação nem sempre é eficaz. Não é raro a pessoa falar que “leu, mas não entendeu” e, o pior, não se deu ao trabalho de reler até entender. Textos longos são ignorados. Para ter a certeza de que seu texto despertará a atenção do leitor, você tem que colocar uma imagem que chame a aten-

Jornal Comunhão - A Serviço das Comunidades

ção e um recado simples e objetivo. A comunicação, quando a serviço da Igreja, pode ser mais falha ainda. Muitas pessoas não têm coragem de demonstrar que são crentes e que querem ajudar na evangelização. No Facebook, poucos são os que compartilham mensagens edificantes, como se se sentissem constrangidos em serem pessoas boas. O normal, a moda, é compartilhar piadas infames, mensagens que nada têm a dizer. Por que a falta de compromisso dos católicos em propagar os ensinamentos de Jesus? Por que têm vergonha? É urgente a conscientização dos fiéis católicos em ajudar na evangelização, tanto com palavras, com gestos, com atitudes e também com seu silêncio. Em um mundo de tanta informação desnecessária, a atuação da Pastoral da Comunicação (PASCOM) assume um papel relevante, pois é canal de informação sadia, de caráter religioso e tem o objetivo de ajudar na comunicação responsável. Pensando nisso, a Equipe PASCOM Diocesana ressalta a importância de toda paróquia ter sua própria equipe de comunicação. Há um grande contingente de fiéis a ser atingido e se a qualidade da comunicação tem sido tão ruim, pode ser por omissão de comunicadores bem intencionados. Ao pensarmos em comunicação, sigamos a seguinte sugestão: “que os cristãos colaborem para que essa se torne mais nobre e elevada, digna de homens responsáveis e espiritualmente maduros” Papa Paulo VI (12 /05/67). Por Jane Ferreira Martins Alves, membro da Pastoral da Comunicação da Paróquia São Sebastião de Areado

jornal_comunhao_maio_2014  
Advertisement