Issuu on Google+

FECHAMENTO AUTORIZADO PODE SER ABERTO PELA ECT

Impresso Especial 9912259129/2005-DR/MG

A SERVIÇO DAS COMUNIDADES COM NIDADES

JORNAL DA DIOCESE DE GUAXUPÉ

ANO XXIX - 278

MITRA CORREIOS

JANEIRO DE 2013

OPINIÃO

NOTÍCIAS

“O que esperar do novo ano? Que novidades a mudança de calendário apresenta à humanidade que criou a possibilidade de contar o tempo, de fazer história e recontá-la sempre?” Leia mais sobre os acontecimentos que poderão marcar 2013 Página 03

Fraternidade e Juventude. Representantes jovens e membros de Conselhos de Pastoral Paroquial (CPP) participam de encontro preparativo à Campanha da Fraternidade 2013 2012 avaliado - 2013 sonhado... A diocese e suas perspectivas em Reunião Geral de Pastoral Acreditamos na família! Encontro de Casais com Cristo (ECC) realizou I Assembleia Diocesana Páginas 04 a 06

DIOCESE DE GUAXUPÉ

1


editorial “Meu coração diz a teu respeito: ‘Procura sua face!’; É tua face, Senhor, que eu procuro. Não me escondas tua face, não afastes teu servo com ira.” (Salmo 27, 8-9)

Alguém vai até o centro de uma grande cidade e senta-se em um banco qualquer para observar o movimento das pessoas. Muita gente, muitos semblantes, variadas faces... O que pensa cada um, o que sonha, o que espera? Para onde vai? O que faz da vida? O que é seu rosto para quem o vê? A face é a identificação da pessoa. Com ela, suas marcas fazem a história dos dias. Quantas faces já fizeram de Jesus? São muitas... Quantas faces marcaram a história humana... algumas contagiam quando vistas, outras assustam, afugentam os olhares. O ano é feito de faces. Algumas, carregadas de sorrisos, graças alcançadas, sonhos realizados, buscas atingidas...

outras, de dúvida, de interrogação, de denúncia, de anúncio... E ainda, faces de dor, de cólera, de aflição, de despedida, de súplica. Que face para 2013? Não é possível determinar a face que terão a Igreja e o mundo neste novo ano. Mas é possível buscar a face que se deseja. O ano quer ter face jovem, Igreja de rosto juvenil, juventude do mundo na face da Igreja. A Igreja quer celebrar e conhecer sua fé. Ano para uma face de povo que crê. A diocese abre as comemorações de seu centenário. Igreja com traços faciais de maturidade evangélica. COMUNHÃO de janeiro traz perspectivas para 2013, textos para serem lidos também em dezembro e observados no quanto foram realizados. Passos a serem

trilhados... São oferecidos conteúdos formativos sobre organização de grupos de jovens e Ano da Fé. Boas notícias para começar um ano de paz – o leitor terá acesso. Que, ao final de 2013, em todas as faces, a face de Deus seja contemplada, como aquela que, de todas as buscas humanas, fez o encontro de todas as imagens em imagem e semelhança Dele, como escreveu Bento XVI na obra Jesus de Nazaré: “O homem precisa, em última instância, apenas de uma coisa, na qual tudo está contido. Ele precisa de Deus. E só assim é que podemos então ver que por trás de todos os discursos e imagens está em última instância isto: Jesus dá-nos a vida, porque Ele nos dá Deus.”

Dom José Lanza Neto

voz do pastor “Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos.” (1 Cor 12, 4-6)

Um dos trabalhos mais bonitos, mas exigente e desgastante em nosso ministério sacerdotal, é aquele voltado para a formação dos futuros sacerdotes. Conforme o apóstolo Paulo, cada qual é chamado para uma função, uma atividade, uma vocação. Nesses últimos anos, deparamo-nos com as atividades realizadas por dois reitores que se destacaram: Pe. Alexandre e Pe. José Milton. Aproveito este espaço para agradecer aos caríssimos padres. Pe. Alexandre, ex-reitor do Seminário São José em Guaxupé; Pe. José Milton, ex-reitor do Seminário Santo Antonio, na arquidiocese de Pouso Alegre. Pe. Alexandre dedicou quase ou a totalidade de seus bons anos de ministério à formação; desde diácono, sempre disponível para a formação dos futuros presbíteros. Quanta dedicação, vontade e empenho! Viveu sua própria vocação em favor das vocações. Des-

taca-se pela capacidade intelectual, formação constante, amor e zelo pelas coisas do reino e da Igreja. Como reitor, ainda exerceu diversas funções, quais sejam, coordenador de setor pastoral, serviço de animação vocacional, pároco da catedral, entre outros, e sempre brilhou na seriedade para com seus compromissos e responsabilidades. Desejoso agora de prestar um novo serviço como padre, é designado para a paróquia de São José em Machado, auxiliado pelo padre Ademir. Padre Alexandre mantém-se à frente do SAV, por isso, continua a fomentar a formação das equipes paroquiais vocacionais. Aproveito para agradecer a participação de nossos seminaristas em diversas frentes de trabalhos. Destaco aqueles que se dedicaram também às vocações. Padre Alexandre, que Deus continue abençoando sua vida, seu ministério e dando-lhe muita luz e coragem para exercer tão bem seus trabalhos.

Figura não menos importante, Pe. Milton, depois de um longo exercício paroquial, dispôs-se a trabalhar no seminário Santo Antonio em Pouso Alegre. Sempre no seu silêncio e jeito, deu seu recado eficiente. Maduro na caminhada sacerdotal procurou imprimir vida comunitária intensa, espiritualidade marcante e, acima de tudo, provocar maturidade humana e vocacional sem igual. Foram praticamente cinco anos de serviços, com sua marca e característica. Obrigado, Pe. Milton pela contribuição tão importante e que você continue trabalhando em favor do povo de Deus. A partir deste novo ano, com a graça de Deus, contaremos com a colaboração de novos reitores. Que o mesmo Deus continue a nos encorajar no desempenho de função tão desafiadora. Pedimos a Maria, mãe dos sacerdotes, bênção e proteção maternais.

expediente Diretor geral DOM JOSÉ LANZA NETO Editor e Jornalista Responsável PE. GILVAIR MESSIAS DA SILVA - MTB: MG 17.550 JP Revisão MYRTHES BRANDÃO Projeto gráfico e editoração AGÊNCIA TOM - www.agenciatom.com - (35) 3064-2380 Tiragem 3.950 EXEMPLARES

Impressão GRÁFICA SÃO SEBASTIÃO Ilustração MARCELO A. VENTURA Conselho editorial PADRE JOSÉ AUGUSTO DA SILVA, PADRE FRANCISCO CARLOS PEREIRA, IR. MÁRCIO DINIZ, MARIA INÊS MOREIRA E NEUZA MARIA DE OLIVEIRA FIGUEIREDO.

Redação Praça Santa Rita, 02 - Centro CEP. 37860-000, Nova Resende - MG Telefone (35) 3562.1347 E-mail PASCOM.GUAXUPE@GMAIL.COM Os Artigos assinados não representam necessariamente a opinião do Jornal. Uma Publicação da Diocese de Guaxupé www.guaxupe.org.br

2

JORNAL COMUNHÃO


opinião PERSPECTIVAS ECLESIAIS E SOCIAIS PARA 2013 Por Suzana Costa Coutinho, comunicadora e educadora, membro da Arquidiocese de Pouso Alegre Foto: CNBB

O que esperar do novo ano? Que novidades a mudança de calendário apresenta à humanidade que criou a possibilidade de contar o tempo, de fazer história e recontá-la sempre? Uma boa reflexão para tempos novos começa exatamente de seu contraposto: do velho, daquilo que passou. Quais as sementes lançadas e que frutos esperamos delas? JUVENTUDE No âmbito eclesial, no Brasil, o evento da Jornada Mundial da Juventude, com certeza, será o centro das atenções, tanto das comunidades católicas como da grande mídia. A visita do Papa Bento XVI ao Rio, para a Jornada, tende a tomar espaço na TV, na mídia impressa e, principalmente, nas mídias digitais. Mas, para as comunidades, que tempos serão esses? A Campanha da Fraternidade de 2013 traz, como proposta, o tema “Fraternidade e Juventude” e o lema “Eis-me aqui, envia-me”. Quer ajudar as famílias e grupos cristãos a viverem a preparação da Jornada, mais do que um evento, como proposta de Igreja. Os grupos de jovens se preparam para participar das várias atividades locais, regionais e no Rio. Espera-se, assim, que se fortaleçam as ações eclesiais em relação ao protagonismo juvenil, que se criem espaços acolhedores e promotores da juventude católica, animando sua presença na Igreja, Povo de Deus.

O mandato missionário, já presente no lema da Campanha, dá continuidade às reflexões de Aparecida, lembrando sempre que é preciso, antes do envio, haver o discipulado. DIOCESE DE GUAXUPÉ

O mandato missionário, já presente no lema da Campanha, dá continuidade às reflexões de Aparecida, lembrando sempre que é preciso, antes do envio, haver o discipulado. A formação cristã para a vida iluminada pela fé, aos pés do Mestre Jesus, saboreando e vivendo sua Palavra, é caminho que leva à missão, ao apostolado, a uma ação que proclame, por palavras e obras, pelo testemunho de vida eclesial e pela presença na sociedade, Jesus, caminho, verdade e vida. A juventude brasileira merece também o olhar social da Igreja, de seus membros e instituições. Um grande desafio social que, poucas vezes, aparece na grande mídia. Registros divulgados pelo site www.casadajuventude.org.br dão conta de que, no Brasil, de 1993 a 2002, o número de homicídios de jovens de 15 a 24 anos aumentou 88%. A maior parte é de jovens negros e pobres. Como se vê, falar do protagonismo da juventude não se restringe ao campo eclesial. É também uma necessidade imperiosa da realidade social, pois Deus ouve o “sangue do seu irmão, do solo, a clamar por mim” (Cf. Gn 4,10). Assim como o assassinato da juventude brasileira, outros tantos problemas sociais acabam não aparecendo com a força que deveria nos “areópagos” modernos: a grande mídia, que mais oferece (e a preço e qualidade de R$ 1,99) entretenimento vazio e alienante do que se torna, realmente, palco de debates sociais importantes para o planejamento das ações sociais e políticas. POLÍTICA Este será o primeiro ano dos novos mandatos dos prefeitos e da legislatura das câmaras de vereadores, eleitos em 2012. Quais as questões presentes nas composições dos secretariados, nas formulações dos projetos, programas e políticas públicas dos municípios brasileiros? Até que ponto a sociedade, minimamente organizada, poderá interferir nos rumos da política local, propondo e defendendo ações que promovam a vida? Promoção e defesa que devem também ser ampliadas no diálogo da Igreja com a sociedade e o poder público, que abrangem desde a forma como se lida com o meio ambiente, a educação das escolas públicas, a saúde oferecida nos postos de saúde, a rede de assistência social até o direito de viver dos indígenas, quilombolas e outras comunidades tradicionais, bem como dos camponeses e do povo das periferias. Entre eles, estão muitos de

Cartaz do DNJ 2012

nossos jovens, buscando trabalho digno, educação de qualidade e efetivas e afetivas relações pessoais, comunitárias e sociais. PASTORAL Como será conhecida, celebrada e vivida a Palavra de Deus nas comunidades cristãs? A proposta de uma animação bíblica da pastoral convida a Igreja a repensar o lugar da Palavra na liturgia, na catequese, nas missões, no testemunho eclesial, na participação no mundo da política, do trabalho, da economia e da cultura. Para que as realidades eclesial e social sejam iluminadas pela Palavra de Deus, é preciso mais e melhor conhecer essa Palavra, que não é só tesouro, mas, junto com a Eucaristia, é fundamentalmente alimento para a vida do cristão e da cristã. As celebrações do Ano da Fé e dos cinquenta anos do Concílio Vaticano II devem ajudar os cristãos e cristãs a renovarem sua adesão a Cristo e se fazerem Igreja, povo de Deus. Há muitas correntes eclesiológicas nestes tempos, propondo um “retorno às fontes”.

Que sejam essas fontes as originárias da Igreja: as primeiras comunidades cristãs, testemunhas da ressurreição de Cristo, vivendo a missionaridade, a unidade e a solidariedade profundas, empenhadas em resolver seus conflitos, iluminadas pelo Espírito Santo. Modelo para hoje, as primeiras comunidades foram presentes em seu tempo, em seus lugares, iluminadas pelo sinal da encarnação de Jesus na história humana. Não viveram simplesmente a história, fizeram-na. Construíram possibilidade de uma nova sociedade, de um novo homem e uma nova mulher, à imagem de Jesus de Nazaré. Não se esconderam ou se acomodaram às reações dos que não quiseram aceitar a mensagem de libertação, mas profetizaram, com palavras e com a vida, até o martírio. Serviço, anúncio e celebração formam o retrato da comunidade cristã de ontem e de hoje. Quer o Concílio Vaticano II que a Igreja esteja atenta “aos sinais dos tempos”, dócil ao Espírito Santo de Deus e fiel ao mandamento de Jesus: “amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”.

3


notícias DIOCESE É PREPARADA PARA CF 2013 Por Darlene Andrade Silva Foto: Comunhão

Aconteceu, no dia 24 de novembro, o Encontro Diocesano para Animadores da Campanha da Fraternidade 2013, na cúria diocesana. Estiveram presentes aproximadamente 160 pessoas, sendo elas representantes de CPP’s, animadores de grupos de reflexão e jovens. Os participantes devem ser multiplicadores, em sua paróquia, da Campanha da Fraternidade em 2013 que traz como tema: “Juventude e Fraternidade” e lema: “ Eis me aqui, envia-me!”. Otávia e Ana Rita, da Paróquia São Benedito de Passos-MG, foram responsáveis pela organização do encontro. Os seminaristas Hudson e Breno se encarregaram da oração inicial. Ana Rita apresentou os objetivos gerais e específicos da Campanha que podem ser resumidos em: “Acolher os jovens no contexto de mudança de época, propiciando cami-

Participaram do evento aproximadamente 160 pessoas, representantes de CPPs, animadores de grupos de reflexão e jovens

nhos para seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna, fundamentada na cultura da

RCC REALIZA VIII CENÁCULO DIOCESANO Por Guilherme Aníbal Foto: RCC – Comunicação Social

vida, da justiça e da paz”, dando muita ênfase à cultura midiática, que deve ser utilizada de forma responsável. Os cantos foram entoados pelos jovens Rafael e Ca-

mila da cidade de Poços de Caldas. O assessor diocesano da Juventude, Ir. Márcio Diniz, trouxe, de forma muito sucinta e objetiva, indicações para ações transformadoras, “mais do que converter os jovens, é necessária uma conversão aos jovens, abrir-se ao novo e sair em missão.” Apresentaram-se também, brevemente, as ações a serem realizadas pelo SDJ (Setor Diocesano da Juventude), em virtude da CF e JMJ, os projetos contemplados pela CF/2012 e a importância de que as paróquias criem projetos para o próximo ano. O movimento juvenil feminino da Mãe Rainha de Schoenstant da cidade de Poços de Caldas juntamente com Pe. Alexandre encerraram o encontro, enviando os participantes às suas paróquias.

COMUNIDADES FESTEJAM 25 ANOS DE VIDA SACERDOTAL DE PADRE JOSÉ MILTON DOS REIS Foto: Sérgio Bernardes

Por Sérgio Bernardes

O evento teve como objetivo proclamar e testemunhar a força de Jesus Cristo na caminhada do movimento

A Renovação Carismática Católica (RCC) da Diocese de Guaxupé se reuniu na cidade de Guaxupé, no dia 25 de novembro, para o VIII Cenáculo Diocesano, que teve como tema: “Apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21,15). Participaram desta edição aproximadamente 3 500 pessoas, membros do Movimento, entre jovens, adultos e crianças. O evento foi realizado no ginásio poliesportivo da cidade e teve como pregador Pedro Moreira, coordenador da RCC na diocese de Joinville/SC. O Cenáculo acontece anualmente, sempre no último final de semana de novembro. O objetivo é encerrar as atividades a nível diocesano, fortalecendo ainda mais a unidade entre os sete setores: Alfenas, Areado, Cássia, Guaxupé, Passos, Poços de Caldas e São Sebastião do Paraíso.

4

A presença de coordenadores jovens foi muito significativa. Taís da Silva Marques, 16, é coordenadora do Grupo de Oração Jovem - JUVECC, de Divisa Nova. Ela destacou a importância do Cenáculo para manter a unidade da RCC. A coordenadora espera que os jovens tenham perseverança na participação no movimento e também um avivamento em seu Grupo de Oração. Segundo ela, estar na Renovação Carismática é o que a motiva a estar firme na Igreja e continuar no caminho de Deus. A ocasião proporcionou à Renovação Carismática Católica da Diocese de Guaxupé proclamar e testemunhar a força de Jesus Cristo em sua caminhada. Sinal de esperança, de avivamento em todos os grupos da diocese, sinal de uma geração comprometida com a Palavra e com a Igreja de Jesus Cristo.

Padre Milton celebra em sua comunidade natal, Botelhos

Nos dias 04 e 05 de dezembro, padre José Milton dos Reis, reitor do Seminário Santo Antônio, celebrou o Jubileu de Prata de sua ordenação presbiteral, nas comunidades de São Sebastião, de Poços de Caldas e São José, de Botelhos. Estas comunidades são de grande relevância na vida de padre Milton. A primeira, onde ele exerceu boa parte de seu ministério presbiteral como pároco; a segunda, sua comunidade natal, que o despertou para a vocação. Com uma participação expressiva em ambas as celebrações, as comunidades manifestaram seu carinho e admiração ao padre, com homenagens de pessoas que acompanharam sua vida ministerial, de sua família e de presbíteros convidados.

Padre Milton destaca a importância deste momento em sua vida, “dou graças a Deus pela graça de saborear cada dia do seu Amor no exercício do ministério e peço a graça de permanecer sempre fiel, para que sendo envolvido cada dia pelo seu Amor, possa morar para sempre em Seu Coração.” Destes vinte e cinco anos de missão presbiteral, o padre esclarece a importância da vivência cotidiana da fé e do ministério ordenado: “Pouco a pouco, fui compreendendo que ser padre é consagrar a vida no Amor, para amar e ser amado nesta dinâmica. A graça de Deus se faz presente na história da humanidade, de cada pessoa, provocando e fazendo a vida acontecer no diálogo, na partilha, na convivência”, conclui.

JORNAL COMUNHÃO


SOLENIDADE E CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA MARCAM A CHEGADA DA TV HORIZONTE EM POÇOS DE CALDAS Por Assessoria de Comunicação – Rede Catedral A TV Horizonte, um dos veículos de comunicação da Arquidiocese de Belo Horizonte, integrante da Catedral Rede de Comunicação Católica, expande-se ao sul de Minas. A primeira cidade a receber seu sinal é Poços de Caldas. A iniciativa foi possível por meio da parceria com a Diocese de Guaxupé, através de seu bispo, Dom José Lanza e com prefeitura da cidade. Com conteúdo evangelizador, educativo e cultural, a emissora pode ser sintonizada pelo canal 39 UHF. A expansão foi marcada por uma solenidade que aconteceu no domingo, 25 de novembro, no Auditório da PUC Poços de Caldas e contou com a participação do bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte e reitor da PUC Minas, dom Joaquim Mol, do pró-reitor da PUC Poços de Caldas, professor Iran Calixto, do coordenador de expansão da TV Horizonte, professor Renato Augusto e, representando o bispo diocesano de Guaxupé, padre Graziano Cirina, pároco da paróquia Sagrado Coração de Po-

ços de Caldas. Durante a solenidade, dom Joaquim Mol agradeceu os esforços daqueles que estiveram envolvidos na expansão para aquela cidade, além de afirmar que o evangelho precisa dos veículos de comunicação para ampliar-se. “É necessário investir na comunicação voltada para a evangelização, para a educação e para a cultura e a TV tem um papel fundamental para tal objetivo.” Disse ainda que a TV Horizonte está dando um passo muito importante e a parceria com a PUC de Poços de Caldas será base para levar adiante esse projeto de comunicação. Ação de Graças Cerca de mil pessoas compareceram à celebração que aconteceu na Basílica de Nossa Senhora da Saúde,presidida pelo bispo auxiliar, dom Joaquim Mol e concelebrada pelo bispo de Guaxupé e demais sacerdotes presentes. Para dom Lanza, a chegada da TV Horizonte ao sul de Minas é a realiza-

Fotos: Lu Alves

Cerca de mil pessoas compareceram à celebração que aconteceu na Basílica de Nossa Senhora da Saúde. No detalhe, dom Joaquim Mol

ção de um desejo antigo. “Nós acreditamos no potencial dos veículos de comunicação social que têm a missão

de levar a palavra de Deus ao povo. Sem dúvida, é um momento histórico para Poços de Caldas.”

ECC CELEBRA I ASSEMBLEIA DIOCESANA Foto: Comunhão

“Confraternizar, fortalecer, unir” foram os objetivos da I Assembleia do Encontro de Casais com Cristo (ECC) da Diocese de Guaxupé (MG), declarados pelo casal ligação diocesano, Luiz Carlos e Cláudia. O encontro, ocorrido no domingo, 16 de dezembro, das 7h30 às 16h, no Ginásio Poliesportivo de Guaxupé, contou com aproximadamente 600 casais. Com o tema, “Acreditamos na família” e lema, “Família, criada por Deus, vivenciada por Cristo, assumida por nós”, o evento compôs-se de participantes de todos os setores da diocese. Vários padres passaram pelo local. O casal ligação setorial do Regional Leste II, Lúcio e Lú, também esteve presente. Segundo o casal ligação diocesano, a ideia primeira foi de uma assembleia regional, sediada pela Diocese de Guaxupé. Porém, viu-se a necessidade de, no momento, fortalecer e conferir unidade ao ECC na própria diocese. Além do casal diocesano, fizeram parte da organização do evento o diretor espiritual diocesano, padre Antônio Donizeti de Oliveira e Alexandre Ferreira Gomes, Nilza Bachião Gomes, casal ligação do Setor Guaxupé. Palestras foram dirigidas aos casais participantes. A primeira, “Histórico, objetivos pastorais, hierarquia

DIOCESE DE GUAXUPÉ

“Confraternizar, fortalecer, unir” foram os objetivos do encontro, que reuniu aproximadamente 1200 pessoas

Por Equipe Dirigente do ECC de valores e estrutura de direção do ECC”, foi conduzida pelo padre Geraldo Marcone da Silva, diretor espiritual do ECC Regional Leste II. Sobre a “Valorização do Sacramento do Matrimônio – Casar pra quê?” palestrou o padre Mateus Luiz Silva Resende, diretor espiritual do ECC Setor Cássia. E o tema “Ano da Fé e Nossa Senhora na vida da Família” teve a direção do padre Gilvair Messias da Silva, pároco da paróquia Santa Rita de Nova Resende. Houve ainda o testemunho de vida do casal Agostinho e Eliana. A Assembleia encerrou-se com a celebração da Santa Missa, presidida pelo bispo diocesano, dom José Lanza Neto. Na ocasião, foi apresentado o novo casal ligação diocesano, para o mandato de três anos, a partir de janeiro de 2013, Claudeci e Idivane, da paróquia São Sebastião de Juruaia. Para o diretor espiritual regional do ECC, padre Geraldo, “o ECC desperta a sede que os casais católicos têm de ajudar suas paróquias, seus padres e bispos na evangelização da Igreja. Esta assembleia foi uma bênção de Deus. Espero ver outras.” A coordenação diocesana agradece a todas as equipes de trabalho e patrocinadores que contribuíram para a promoção do grande evento.

5


notícias DIOCESE DESTACA PRIORIDADES PARA 2013 EM REUNIÃO GERAL DE PASTORAL Por Pe. Gilvair Messias É costume, na diocese, ocorrer anualmente a Reunião Geral de Pastoral. Momento oportuno para avaliar a caminhada do ano que finda e propor novas atividades pastorais. Leigos, religiosos, padres e bispo encontraram-se no dia 08 de dezembro, na cúria diocesana. Forças vivas da Igreja Particular, reunidas em oração e empenho de mudança. AVALIAÇÃO O primeiro assunto da pauta foi a avaliação do ano. Padre Henrique Neveston, pároco de Cabo Verde e coordenador pastoral do Setor Poços, sintetizou as considerações dos setores, levantadas na reunião de outubro. Dentre os aspectos positivos, foram unânimes: a importância da formação teológica aos leigos através dos cursos e encontros de formação, a expansão dos Grupos de Reflexão como acontecimento da pedida rede de comunidades, a atenção dada ao Setor Famílias e divulgação do Encontro de

Casais com Cristo (ECC), os esforços empreendidos à juventude com encontros próprios, a busca de decisões conjuntas através dos órgãos de participação – os conselhos. De outro lado, foram pedidos em grande parte dos setores: organização do Conselho Missionário Diocesano (COMIDI) e desenvolvimento profícuo da dimensão missionária em toda a diocese, maior comprometimento de alguns padres para com a pastoral diocesana, olhar mais atento e caridoso às urgências da Pastoral da Comunicação (PASCOM), Pastoral Carcerária e Pastoral da Sobriedade, articular melhor o Setor Juventude e a Formação Cristã nas paróquias. SUBSÍDIO PARA O MATRIMÔNIO Padre Sandro Henrique, pároco de Cássia e coordenador pastoral do Setor Cássia, apresentou as Orientações para o Matrimônio e Encontro de Noivos, subsídio diocesano preparado pelo Setor Famílias. Segundo padre Sandro,“o material

Fotos: Comunhão

Avaliação do ano, propostas pastorais e subsídios formativos foram apresentados durante o encontro

publicado não é um diretório sacramental.” Ele traz reflexões sobre o matrimônio e sua preparação, além de oferecer elementos para organização e funcionalidade às equipes paroquiais que preparam os encontros de noivos. CENTENÁRIO DIOCESANO Sobre a programação do Centenário Diocesano (1916-2016), padre Gilvair Messias, pároco de Nova Resende e coordenador pastoral do Setor Guaxupé, apresentou as atividades do triênio que antecede o aniversário. 2013 será um ano com destaques à juventude e ao Ano da Fé, com estudos paroquiais e setoriais específicos. 2014 terá como atividade principal preparar toda a diocese para as Santas Missões Populares que, com peregrinações agendadas à catedral, movimentarão as paróquias em 2015. Padre Gilvair disse ainda que outras formas de celebrar o centenário poderão ocorrer. JUVENTUDE Irmão Márcio Diniz, da Congregação dos Irmãos do Sagrado Coração em Paraguaçu, explanou sobre os destaques pastorais à juventude em 2013. Motivou os presentes para, no dia 03 de fevereiro próximo, o Envio Missionário de jovens e membros de CPP à Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e, no dia 03 de março, a acolhida aos ícones da JMJ e Concentração Diocesana da Juventude. Falou ainda sobre a Semana Missionária preparatória à JMJ e sobre os materiais disponíveis às paróquias para celebração das juventudes.

GRUPOS DE REFLEXÃO O serviço dos Grupos de Reflexão, com caminhada que cresce e frutos multiplicados na diocese, necessitava de subsídio de orientação para seu bom funcionamento. Preparada pela coordenação diocesana, os grupos têm agora cartilha, a qual apresenta passos necessários para sua estruturação e funcionamento. Padre José Luiz Gonzaga do Prado, coordenador diocesano dos Grupos de Reflexão, mostrou a importância do método para organização dos grupos em redes de comunidades.

Padre Henrique Neveston sucede a padre Francisco Carlos em coordenação pastoral

NOVA COORDENAÇÃO PASTORAL Antes de concluir a reunião, foram apresentadas algumas situações administrativas sobre o programa de informatização da diocese. Em seguida, dom José Lanza Neto agradeceu padre Francisco Carlos Pereira pelo trabalho de coordenador pastoral, exercido de 2008 a 2012. Disse de sua responsabilidade, cuidado e esmero para com a vida diocesana e do quanto é desafiador desenvolver esta função. Padre Henrique Neveston da Silva foi acolhido para suceder a padre Francisco e, na ocasião, pediu a colaboração de todos.

PASTORAL DA CRIANÇA DA ÁREA POÇOS REALIZA ASSEMBLEIA ELETIVA Por Pedro Neto No dia 01 de dezembro, a Pastoral da Criança da Área Poços esteve reunida em Assembleia Eletiva. O encontro aconteceu no Centro Comunitário Nossa Senhora Aparecida, em Poços de Caldas. Foi um momento de reflexão sobre a caminhada da Pastoral nos últimos quatro anos e eleição dos novos Coordenadores de Ramo e Comunidades para a gestão de 2013 a 2015. Estiveram reunidos 120 integrantes da Área Poços que, após a apresentação dos trabalhos

desenvolvidos e orientações sobre o processo eletivo, reuniram-se em salas separadas, para escolher seus novos representantes paroquiais para o mandato de dois anos. Além das lideranças paroquiais de Poços de Caldas, esteve presente o atual Coordenador da Área Poços, Pedro Alexandre Neto que conduziu a última atividade prevista para 2012 e, logo em seguida, houve confraternização com todos os presentes.

Foto: Pedro Neto

Momento de reflexão sobre a caminhada da Pastoral nos últimos quatro anos e eleição dos novos Coordenadores de Ramo

ALGUMAS CONQUISTAS Sobre o desempenho da Pastoral da Criança, Pedro Alexandre Neto, Coordenador da Área Poços, relatou que houve avanços significativos nos últimos anos: a rede de solidariedade formada na Área é composta atualmente por 250 integrantes (Líderes e Apoio), atende a 810 crianças, 79 gestantes e 638 famílias. A Pastoral da Criança está implantada em 10 Paróquias daquela área e possui 17 comunidades; nas 17 comunidades onde a Pastoral se faz presente, aconteceram capacitações, atualizações, realização da Formação em Brinquedos e Brincadeiras, Capacitação de Comunicadores Populares e diversas parcerias com as Secretarias Municipais e outras

6

entidades beneficentes dos municípios da Área Poços; implantação do programa Hortas Caseiras, com resultados; implantação da Pastoral da Criança nas cidades de Campestre, Cabo Verde e abertura de novas comunidades: Imaculada Conceição e São Bento; visita da atual Coordenadora Nacional da Pastoral da Criança à cidade de Poços de Caldas.

JORNAL COMUNHÃO


reportagem “JUVENTUDE, PRIMAVERA: ESPERANÇA DO AMANHECER” Por Sérgio Bernardes Foto: Darlene Andrade Silva

“Eis me aqui, envia-me!” A Igreja no Brasil, em consonância com a Igreja de todo o mundo, prepara-se para um grande momento de reflexão, ação e evangelização, principalmente, por destacar a força e a perseverança da juventude como grupo transformador, capaz de repercutir a atualidade da Boa Nova de Jesus Cristo. Com este objetivo, foi escolhida a temática ‘Fraternidade e Juventude’ para a Campanha da Fraternidade (CF) 2013, que deverá ser marcada por um tempo de conversão ao Evangelho como sentido pleno da vida, numa dinâmica jovial e vigorosa. A CF 2013 tem a missão de preparar as comunidades para uma acolhida mais profunda e fecunda da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que será realizada em julho de 2013, com a visita do Santo Padre, Bento XVI. Entretanto, a preparação das comunidades para a JMJ já se iniciou com a chegada da Cruz Peregrina e do Ícone de Nossa Senhora, em todas as dioceses brasileiras. A Diocese de Guaxupé receberá estes símbolos no dia 3 de março de 2013, na sede diocesana. No último Dia Nacional da Juventude (DNJ), realizado no dia 28 de outubro, os setores se organizaram para vivenciar este

DIOCESE DE GUAXUPÉ

momento de gestação para o grande encontro dos jovens brasileiros e estrangeiros, durante a JMJ. O assessor diocesano do Setor Juventude, irmão Márcio Nonato Diniz Ferreira, da Congregação dos Irmãos do Sagrado Coração, demonstra-se entusiasmado com a JMJ, mas aponta alguns desafios para o sucesso desta empreitada, “O desafio é articular as bases, dando um impulso evangelizador juvenil nas paróquias e nos setores, nucleando grupos, assessorando formações sobre a CF 2013.” Entretanto, o assessor diocesano afirma que a

ação preparatória para a JMJ não se limita à sua duração, mas objetiva “uma ação evangelizadora, na qual o jovem seja sujeito de direito e sinta-se acolhido em sua Igreja Particular e motivado a contribuir neste espaço, como discípulo e missionário.” Para a participante, Caroline Moraes de Freitas, da Juventude Apostólica de Schoenstatt, a preparação já está a todo vapor. Junto com seu grupo, ela reza todas as terças feiras o terço, via skype, convidando jovens do mundo todo para estarem juntos, pela oração. Além de participarem da campanha

“uma ação evangelizadora, na qual o jovem seja sujeito de direito e sinta-se acolhido em sua Igreja Particular e motivado a contribuir neste espaço, como discípulo e missionário.”

“Rezei este terço por você”, na qual os participantes utilizam o rosário e, durante a JMJ, o entregam a um jovem peregrino. Para Caroline, o esforço vale a pena, “a JMJ trará vida, força, renovação espiritual, esperança e alegria para os jovens. Eles se sentirão amados pela Igreja. Passar uma semana com milhões de jovens de várias línguas, idades e raças, mas com os mesmos objetivos e ideais fará com que o jovem não se sinta sozinho em sua caminhada de fé”, revela esperançosa. “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19), inspirado no lema proposto pelo papa Bento XVI, o jovem Rafael Augusto Bernardes, tem se esforçado com seu grupo para participarem, efetivamente, da JMJ, lembrando inclusive da necessidade do credenciamento prévio para o evento. O jovem que atua na coordenação setorial da pastoral da juventude do setor Poços de Caldas, acredita que “a Igreja tem um rosto jovem, que cada vez mais, se mostra mais vivo, participativo e com muita sede de Deus. Será uma experiência em que os jovens poderão olhar para outro lado, quando não serão apresentados às drogas, ao extermínio e muitos outros males que assombram a juventude.”

7


catequese FÉRIAS NA CATEQUESE: COMO APROVEITAR O TEMPO PARA NÃO SER O MESMO QUE “FÉRIAS DA ESCOLA” Foto: www.pimenet.org.br

Férias - é preciso lembrar que depois de trabalhos intensos dentro da catequese, ações dentro da comunidade, é preciso sim, um período para cultivar nosso interior, recarregar energias, descansar. E como cristãos com certo engajamento, buscar, nos passos do Mestre, o caminho para este cultivo. Jesus nos mostra o caminho. A vida é sempre uma oração, mas, de vez em sempre, faz-se necessário reservar momentos para orar, para que a ação venha repleta de inspiração e, com isso, os passos se aproximem aos do Mestre. O ano cristão inicia-se com o advento. Como a maioria das comunidades catequéticas já concluiu seus planejamentos anuais, será neste período tão significativo que começa nosso cultivo, pois o nascimento do menino Deus é a mola propulsora para o novo ano. Este tempo é suficientemente cheio de esperança, energia, afeto, fraternidade, carinho... A participação na novena com a comunidade já é importante para que o catequista continue cultivando e aproveitando o tempo que agora está mais livre. Janeiro é descanso, mas utilizando o dito, “enquanto descansa, carrega pedra”, pode-se neste momento, buscar

8

Por Vanderlei Augusto Alves, membro da equipe diocesana de catequese e da equipe do Setor Alfenas

momentos junto à comunidade catequética: a formação para um melhor embasamento do ser, do saber, do saber fazer, aprendendo amar e amando. Momentos de espiritualidade conjuntos, quando a sede do homem sedento deve ser saciada ao menos para que ele aprenda a achar a fonte. Como membro da coordenação diocesana e setorial, costumo viver estes momentos de férias com a família. Ela é a base para sustentação

tado e nos ajuda muito a organizar e encher de esperança o ano que se inicia. Padre Jorge Paulo da Silva Sampaio, do Santuário Nacional de Aparecida, oferece algumas dicas para melhor aproveitar o tempo de férias: RETIRO ESPIRITUAL Seria muito bom que, em nossas comunidades, a preparação de nossas crianças e adolescentes para celebrar a Primeira Comunhão e Crisma

Como membro da coordenação diocesana e setorial, costumo viver estes momentos de férias com a família. Ela é a base para sustentação de nossas ações. de nossas ações. Outras atividades e propostas até melhores podem ser encontradas e vividas. O que disse não é nada novo, porém uma coisa é certa: a vida é dinâmica. Invente, pois a vida não para e o tempo foi inven-

fosse marcada com um retiro espiritual que os ajudasse a rezar, louvando e agradecendo por esse tempo de Deus em suas vidas. Trata-se de uma preparação mais intensa do coração para o encontro com o Senhor no Sacramento da Eucaristia e Crisma.

PASSEIO Outro evento de muita importância para a celebração e confraternização desse tempo de graça é o passeio conjunto de catequistas e catequizandos. É preciso festejar, pois mais uma etapa de nossas vidas foi concluída com êxito e, por circunstâncias da vida, muitos tomarão outros caminhos e nem sempre poderão reunir-se novamente. Por isso, é preciso festejar, brincar, sorrir. Será muito boa essa reunião para recordar as alegrias vividas, as amizades construídas e os sonhos acalentados durante o período da catequese.

PROGRAMAÇÃO É essencial o encontro dos catequistas para revisão das atividades do ano anterior e a programação do novo ano. Nesse encontro, cada um deverá partilhar como se sente como catequista e sua disposição em continuar servindo à comunidade como evangelizador e colaborador na formação religiosa das crianças e adolescentes. Também dar suas impressões sobre a Catequese, analisar as conquistas e os desafios. Somente depois da partilha, poderão traçar perspectivas para o ano que chegou.

JORNAL COMUNHÃO


juventudes A “ORGANIZAÇÃO” DA JUVENTUDE NA PARÓQUIA – PROPOSTAS Por Ir. Márcio Diniz, SC, Religioso, Irmão pertencente à Congregação dos Irmãos do Sagrado Coração – Paraguaçu/MG, na função de assessor do Setor Diocesano da Juventude “[...] A Evangelização dos jovens exige uma nova linguagem para se comunicar com eles. Nessa tarefa, o método Ver-Julgar-Agir-Celebrar pode ser ferramenta importante.” (Doc. 85 Evangelização da Juventude nº 147) Como animar e organizar meu gruMÉTODOS que os participantes são sujeitos de sua voltam-se para si e dão-se conta da situpo de jovens? O que fazer para dar mais A Igreja Católica, no Brasil, tem feito elaboração e execução. ação em que se encontram, focalizando vida às atividades? À minha Igreja paropção por diferentes métodos (FormaNeste sentido, eis um pequeno esbocansaço, ansiedade, fadigas etc. Elaborar ticular? Essas e outras perguntas são ção Experiencial, Catequético, Planejaço de 6 técnicas que os grupos juvenis tudo isso para um encontro mais ativo e constantes para os jovens coordenamento Pastoral, Leitura Orante da Bíblia podem utilizar para efetivar, em suas reuprodutivo. dores de grupos de jovens e também - LOB) para se trabalhar com a juventude, niões, uma ação transformadora, crítica e Técnica de capacitação: Possibilita a repara pessoas adultas que acompaancorada, sobretudo, na 3ª linha de ação: criativa, problematizando a questão não visão, a comunicação e a percepção do nham essas realidades. Todos querem Pedagogia de Formação, presente no meramente racional e sim, relacional e que fazem os destinatários, a realidade saber como fazer, como animar, como Documento 85: Evangelização da juvenafetiva . que os rodeia. Quando na reunião é prodinamizar. Saber qual a metodologia tude nº 142 a 174. Técnica quebra-gelo: Ajuda a tirar as posto o tema/conteúdo, devem ser utiliadequada para uma ação transformaDentre essas ferramentas, destacamtensões do grupo, desinibindo as pessozadas dinâmicas que facilitem a reflexão dora e libertadora, buscando romper -se as técnicas, instrumentos que estão as para o encontro. Pode ser uma brincae o aprofundamento; são, geralmente, a improvisação, as ações sem um prodentro de um processo de formação e deira em que os participantes se movimais demoradas. cesso transformador de tal realidade, organização que possibilita a criação e mentam e se descontraem. Técnicas litúrgicas: Possibilitam aos da vivência cristã, a exemplo das ações recriação do conhecimento construído Técnica de apresentação: Como o próparticipantes vivência e experiência da e da pregação libertadora de Jesus de grupalmente, buscando: verificar o que prio nome já diz, possibilita a descoberta Mística, do Sagrado, por meio do contato Nazaré. pensam, sentem, vivem e sofrem os parmútua dos participantes: Quem sou? De com leituras bíblicas, correlacionando Fé E o desejo de fundo da busca de ticipantes, para desenvolver um caminho onde venho? O que faço? Como e onde e Vida. metodologia é o anseio de acertar, de teorização sobre esta prática e ao revivo? Do que gosto, sonho, sinto e penSão caminhos importantes para uma abrindo horizontes e modificando a tornar à prática, transformá-la, redimenso? maior organização juvenil na paróquia, realidade, provocando uma ação-resioná-la, incluindo novos elementos que Técnica de integração: Permite analipor efetivar o desejo dos/as jovens em flexão-ação de/para/com os jovens do permitam explicar e entender os processar o comportamento pessoal e grupal. estarem naquele espaço, dando um siggrupo. Neste sentido, o que é método? sos vividos. Ocorre a partir de exercícios bem especínificado a ele, falando de suas questões “[...] É a maneira de dizer, de fazer alAs técnicas grupais geram um procesficos, que possibilitam partilhar aspectos e ouvindo muitas vozes. Efetivando as guma coisa seguindo certa ordem para so de aprendizagem libertador porque mais profundos das relações interpessopalavras de Paulo Freire, “Ninguém educhegar a um fim; é um caminho raciopermitem desenvolver um processo coais do grupo. Trabalha a interação, comuca ninguém, ninguém educa a si mesmo, nal para se alcançar o conhecimento e letivo de discussão e reflexão, ampliar o nicação, dentre outros temas. os homens se educam entre si, mediatia demonstração de uma verdade” [...] conhecimento individual, criação, formaTécnicas de animação e relaxamento: zados pelo mundo” e no rosto jovem de (Delta Larousse). ção, transformação e conhecimento em Eliminam as tensões, soltam o corpo, Jesus de Nazaré. Foto: Odair Silva

SUGESTÕES DE SUBSÍDIOS SOBRE O TEMA: DINÂMICAS EM FICHA VOL. 2 E 3. São dinâmicas em forma de fichas soltas dentro de uma pasta, facilitando seu manuseio e seu arquivamento. Cada ‘dinâmica em ficha’ está identificada com número, nome e classificação. São doze tipos de dinâmica: produção, estudo, apresentação, jogos etc. que podem ser escolhidos conforme o grupo e o tema que se vai trabalhar.

DIOCESE DE GUAXUPÉ

Dinâmicas para a vida em grupo - Tardes de FORMAÇÃO Contribuem para a formação de grupos de jovens e educadores de juventude para celebrar a vida e experimentar, com criatividade, o processo de educação na fé. Editora CCJ – Centro de Capacitação da Juventude Pedidos podem ser feitos pelo site www.ccj.org.br

9


ponto de vista patoral ANO DA FÉ: PERSPECTIVAS PASTORAIS Por Pe. Dirceu Soares Alves, pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Passos JUSTIFICATIVAS Para falarmos do Ano da Fé, é necessário citarmos a Carta Apostólica Porta Fidei (Porta da Fé). Vejamos alguns argumentos do Papa que justificam a necessidade de um Ano da Fé: “O meu venerado Predecessor, o Servo de Deus Paulo VI, proclamou um Ano da Fé em 1967, para comemorar o martírio dos apóstolos Pedro e Paulo no décimo nono centenário do seu supremo testemunho. Idealizou-o como um momento solene, para que houvesse, em toda a Igreja, ‘uma autêntica e sincera profissão da mesma fé’.” Paulo VI proclamou um Ano da Fé dois anos depois da conclusão do Concílio Vaticano II. Foi como uma consequência e exigência pós-conciliar. Hoje, depois de cinquenta anos de abertura do Concílio Vaticano II (11 de outubro de 1962), o Papa Bento XVI fez coincidir com a abertura do Ano da Fé. O Papa proclamou-o no dia 11 de outubro de 2012 e para se encerrar na Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, 24 de novembro de 2013. Uma outra data com a qual coincidiu a abertura do Ano da Fé foram os vinte anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica (11 de outubro de 1992). Segundo o Papa, estamos no limiar da história. Podemos dizer, num momento divisor de águas e a Igreja precisa mergulhar fundo em sua missão. A atividade quer ser um ano para que todos os católicos possam redescobrir e proclamar a Fé. Bento XVI está preocupado com a questão cultural de nosso povo: “No passado, era possível reconhecer um tecido cultural unitário, amplamente compartilhado no seu apelo aos conteúdos da fé e aos valores por ela inspirados, hoje parece que já não é assim em grandes setores da sociedade devido a uma profunda crise de fé que atingiu muitas pessoas.” AÇÃO PASTORAL “Não podemos aceitar que o sal se torne insípido e a luz fique escondida (cf. Mt 5,13-16). Também o homem contemporâneo pode sentir de novo a necessidade de ir como a samaritana ao poço, para ouvir Jesus que convida a crer n’Ele e a beber na sua fonte, donde jorra água viva (cf. Jo 4,14).” A Igreja tem muitos caminhos que levam a esta Água Viva que é Jesus. É necessário não perdermos de vista o Plano de Ação Pastoral da Diocese e as Diretrizes da Ação Evangelizadora no Brasil, principalmente no que dizem respeito às cinco urgências da evangelização. São, sem dúvidas, para nós, caminhos claros para uma nova evangelização.

10

Bento XVI quer que o Ano da Fé seja novamente uma Porta de entrada para a Fé de nossos batizados. Que eles possam redescobrir a Fé a partir dos principais documentos Conciliares e do Catecismo da Igreja Católica. Nós, enquanto Igreja Diocesana de Guaxupé, temos a obrigação de proporcionar estes momentos de estudo e formação para os nossos leigos (as), principalmente sobre os documentos conciliares. No mês de outubro de 2012, o Papa convocou uma Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, tendo por tema “A nova evangelização para a transmissão da fé cristã.” Este Sínodo mostra a grande preocupação do Papa e dos Bispos em relação à Evangelização da Igreja. Os padres sinodais afirmam que “conduzir os homens e mulheres do nosso tempo a Jesus é uma urgência que diz respeito a todas as regiões do mundo, de antiga e recente evangelização. Não se trata de recomeçar do zero, mas de inserir-se num longo caminho de proclamação do Evangelho que, desde os primeiros séculos da era cristã até hoje, percorreu a História e edificou comunidades de fiéis em todas as partes do mundo, fruto da dedicação de missionários e de mártires.”

Os Bispos sinodais apontam como lugar natural da primeira evangelização a família, que desempenha um papel fundamental para a transmissão da fé. Os jovens também são destinatários da Mensagem do Sínodo, definidos como “presente e futuro da humanidade e da Igreja.” A nova evangelização encontra nos jovens um campo difícil, mas promissor, como demonstram as Jornadas Mundiais da Juventude. Lembramos também que no ano de 2013, a Campanha da Fraternidade traz como tema Juventude. Será momento forte para revigorar o ânimo de nossas lideranças juvenis e evangelizar os jovens. Gostaria de apresentar aqui a mensagem dos Padres Sinodais à América Latina: “Impressiona de modo especial como no decorrer dos séculos tenha se desenvolvido formas de religiosidade popular, de serviço da caridade e de diálogo com as culturas. Agora, diante de muitos desafios do presente, em primeiro lugar, a pobreza e a violência, a Igreja na América Latina e no Caribe é exortada a viver num estado permanente de missão, anunciando o Evangelho com esperança e alegria, formando comunidades de verdadeiros discípulos missionários de Jesus Cristo, mostrando no empenho de seus

filhos como o Evangelho pode ser fonte de uma nova sociedade justa e fraterna.” Diante de toda essa reflexão, podemos concluir que a Igreja no Brasil e, de modo particular a nossa Diocese, está no caminho certo. Vamos apoiar o grande desejo do Papa ao fazer coincidir a abertura do Ano da Fé com o Cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II. Bento XVI deixa claro em sua Carta Apostólica que “os textos deixados em herança pelos Padres Conciliares sejam lidos de forma tal que possam ser conhecidos e assimilados como textos qualificados e normativos do Magistério, no âmbito da Tradição da Igreja.” O Papa ainda indica o Concílio como a grande graça de que se beneficiou a Igreja no século XX e diz que encontramos no Concílio uma bússola segura para nos orientar no caminho do século que começa. Nesta perspectiva, somos convocados pelo momento histórico a não perder o bonde. “Vem e entra na roda com a gente”. Vamos abraçar o Ano da Fé com o desejo de fazer acontecer nossos projetos pastorais diocesanos. Com certeza, será um ano para abastecer e renovar nossas forças nas fontes de nossa Fé.

JORNAL COMUNHÃO


comunicação DECRETO JOSÉ LANZA NETO BISPO DIOCESANO DE GUAXUPÉ AOS QUE ESTE DECRETO VIREM, SAUDAÇÃO E BÊNÇÃOS NO SENHOR! Em estreita Comunhão de Fé e Caridade com o Santo Padre o Papa Bento XVI, Sucessor de Pedro e fazendo eco ao Decreto da Penitenciária Apostólica, no que diz respeito ao modo de lucrar as INDULGÊNCIAS neste Ano da Fé, como é desejo do Sumo Pontífice Bento XVI, DECRETAMOS Como lugares para se lucrar as INDULGÊNCIAS conforme o ensinamento da Igreja, sobretudo na “INDULGENTIARUM DOCTRINA” do Papa Paulo VI (1967) e no Decreto da Penitenciária Apostólica neste Ano da Fé: Catedral diocesana Nossa Senhora das Dores em Guaxupé, a Basílica Nossa Senhora da Saúde em Poços de Caldas, os Santuários de Santa Rita de Cássia em Cássia, Nossa Senhora da Penha em Passos, Mãe Rainha de Schoenstatt em Poços de Caldas, Carmelo São José de Passos. DECRETAMOS Como dias especiais para se lucrar as INDULGÊNCIAS: a Solenidade do Natal do Senhor, a Solenidade da Ressurreição do Senhor, a Solenidade de Pentecostes, a Solenidade de Corpus Christi e a festa do Padroeiro em cada Paróquia. Concedemos também, conforme o Decreto da Penitenciária Apostólica, aos Párocos e Administradores Paroquiais DOS LUGARES DESIGNADOS neste Decreto, para se lucrar as INDULGÊNCIAS a “faculdade limitada” no foro interno no que concerne aos fiéis segundo o Can. 508 § 1, estendendo esta “faculdade limitada” no foro interno a todos os Párocos no que diz respeito, somente aos dias especiais para se lucrar as INDULGÊNCIAS, bem como a festa do Padroeiro da Paróquia. Toda a Igreja Particular de Guaxupé é convocada e chamada a desenvolver pela Graça do Espírito em sumo grau a santidade de vida, a pureza da alma, a integridade dos costumes, envergonhando-se daquilo que é mal e pecado, para “apresentar-se a si mesma uma Igreja gloriosa, sem mancha, nem ruga, sem defeito algum, mas Santa e imaculada” (Ef 5,27). E “Cum Petro et sub Petro” , queremos viver este Ano da Fé, confiando na proteção da Virgem Mãe Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, sob a intercessão de São José, Patrono da Igreja, nosso modelo de fidelidade e de silêncio. Leia-se este Decreto a Estação da Missa no Domingo ou dia Festivo. Translade-o no Livro do Tombo. Arquive-o. Dado e passado na Cúria diocesana, aos 23 de Novembro de 2012. + José Lanza Neto Bispo diocesano Pe. Claiton Ramos Chanceler do bispado

COMEMORAÇÕES DE JANEIRO 5 10 11 20 22 27 31

NATALÍCIO Pe. Gledson Antônio Domingues Pe. Alesandro Oliveira Faria Pe. José Luiz Gonzaga do Prado Pe. Olavo Amadeu de Assis Pe. Donizete Antônio Garcia Côn. Walter Maria Pulcinelli Pe. Marcelo Nascimento dos Santos Pe. Robervam Martins de Oliveira Pe. Luiz Tavares de Jesus Pe. Marcos Alexandre Justi

3 4 10 13 26 28 30 31

ORDENAÇÃO Pe. Alexandre José Gonçalves Pe. Hiansen Vieira Franco Pe. Darci Donizetti da Silva Dom José Geraldo Oliveira do Valle - Sacerdotal Pe. Homero Hélio de Oliveira Pe. Alfredo Máximo da Silva Pe. Luiz Tavares de Jesus Pe. Edimar Mendes Xavier Pe. José Neres Lara

AGENDA PASTORAL DE JANEIRO 6-18 12

IRPAC em Belo Horizonte – MG Diocese: Reunião do Conselho Diocesano do ECC em Guaranésia

DIOCESE DE GUAXUPÉ

14-20 25-27

Diocese: Curso de Iniciação Teológica em Guaxupé Assembleia eletiva da Pastoral da Criança em Paraguaçu

11


saúde RISO E CHORO SÃO BENÉFICOS À SAÚDE Por Pe. Gilvair Messias, editor COMUNHÃO e pároco da Paróquia Santa Rita de Nova Resende O ano terminou. É possível alguém responder, se abordado for, sobre quantas vezes riu e chorou durante os 366 dias passados? Pouco provável. E sem importância saber. Necessário mesmo é observar se rimos e choramos com a devida frequência. E qual é a frequência necessária? Quando o corpo precisa. Pesquisadores atuais mostram que rir e chorar são efeitos fisiológicos benéficos à saúde. Remédios podem ser evitados com uma boa risada entre amigos ou com um choro de lavar a alma. Ambos funcionam como “desintoxicantes” da anima, da alma. Atuam no organismo como liberadores de reações que produzem bem estar e eliminam o stress. RISO E LEVEZA O riso faz o corpo ficar mais leve, a vida ficar mais leve, com sensação de ter subtraído, expirado o peso dado pela incumbência dos dias. De fato, segundo estudiosos da Universidade de Oxford, rir é uma reação física que força repetidamente o ar dos pulmões. Trata-se de um exercício dolorido do diafragma. Com toda razão se diz “rir até doer a barriga”. A sensação de prazer e leveza resulta das doses naturais de endorfina que o corpo recebe quando sofre as dores abdominais da risada. Porém, rir forçadamente, criar gargalhadas sem espontaneidade, dar risos que só movimentam os lábios, sem nenhuma profundidade pulmonar, apenas como produto estético não desinibem o ar expiratório dos pulmões e não descontraem o diafragma a ponto de provocar a endorfina, substância responsável pela sensação de bem estar, uma espécie de analgésico da dor. CHORO E PURIFICAÇÃO Através das reações atuais da natureza, sabemos que as águas são uma resposta aos excessos que ocupam a superfície da terra. A chuva, além de tornar o solo úmido e cultivável, também limpa os poros do planeta. No corpo humano não é diferente, as lágrimas, além de umedecer a aridez da vida, também purificam os excessos da alma. Elas equilibram as emoções. O pranto é a exposição materializada da dor, da tristeza e da alegria. Aquilo que, de tão intenso, não cabe no peito, escorre pelo rosto. É um jeito delicado do corpo reagir às suas experiências emocionais. Para não explodir, faz escorrer. Pesquisas apontam que chorar relaxa e elimina substâncias estressantes do corpo. Chorar ainda faz inibir comportamentos agressivos, deixa vulnerável e indefeso aquele que chora perante o sujeito agressor. Se brigar e lutar são reações defensivas de iguais na busca pelo poder, o choro desarma uma das partes, supondo ser o outro mais frágil. É uma estratégia humana de aproximação afetiva. Darwin chegou a

12

dizer que as crianças choram para chamar a atenção sobre si. Na evolução da espécie humana, o choro colaborou para gerar proximidade e vínculo dentro dos grupos quando um de seus membros sinalizava precisar de ajuda mútua. Um estudo da Sociedade Alemã de Oftalmologia mostra que, durante o ano, os homens choram quatro vezes menos que as mulheres e que, geralmente, o choro delas dura seis minutos, enquanto o deles chega apenas a quatro. Porém, até os treze anos, meninos e meninas choram proporcionalmente. A pergunta que fica é: será que elas vivem mais do que eles por não reprimir o pranto? Sabe-se, contudo, que chorar é um método terapêutico para a alma, que contribui aos cuidados da saúde. COMPARTILHAR RISOS E LÁGRIMAS As mesmas pesquisas feitas sobre os efeitos do riso e da lágrima confirmaram que rir e chorar são reações mais intensas quando vividas em grupo. Pesquisa de 2009, em Oxford, demonstrou que é mais prazeroso rir em grupo do que em experiências individuais. Os níveis de endorfina são mais elevados quando o riso ocorre em realidades comunitárias. Os estudiosos da Sociedade Alemã de Oftalmologia também comprovaram que a lágrima é um importante agente na constituição e no fortalecimento de relações. Chorar juntos ajuda a criar vínculos e estabelece forte cumplicidade emocional, igualdade afetiva. Na Bíblia, são várias as ocasiões que mostram a força do riso e da lágrima nos momentos cruciais da vida. São expressões emocionais da despedida, do encontro, do retorno. Um exemplo é o Salmo 126 (125): “Quando Iahweh fez voltar os exilados de Sião, ficamos como quem sonha: a

Pesquisadores atuais mostram que rir e chorar são efeitos fisiológicos benéficos à saúde. Remédios podem ser evitados com uma boa risada entre amigos ou com um choro de lavar a alma. boca se nos encheu de riso, e a língua de canções... Os que semeiam entre lágrimas, ceifarão em meio a canções. Vão andando e chorando ao levar a semente; ao voltar,

voltam cantando, trazendo seus feixes.” Não faltarão ocasiões para risos e lágrimas em 2013. O importante será não deixar de vivê-los com intensidade.

sugestão de filme UMA ONDA NO AR Jorge, Brau, Roque e Zequiel são quatro jovens amigos que vivem em uma favela de Belo Horizonte e sonham em criar uma rádio que seja a voz do local onde vivem. Eles conseguem transformar seu sonho em realidade ao criar a Rádio Favela, que logo conquista os moradores locais por dar voz aos excluídos, mesmo operando na ilegalidade. O sucesso repercute fora da favela, trazendo também inimigos para o grupo que acaba enfrentando a repressão policial para a extinção da rádio comunitária.

JORNAL COMUNHÃO


jornal_comunhao_janeiro2013-4