Issuu on Google+

(38º Curso: 03.10)

páscoa, foi imolado. Vós sois o Caminho, a Verdade e a T – A ti, ó Deus, a louvação, nesta festa Vida, / o pão da alegria descido do céu. da ressurreição! P – Por ele, os filhos e as filhas da luz re26. ORAÇÃO DE nascemos para uma vida sem fim. E as AÇÃO DE GRAÇAS portas do reino se abrem para nós. Nossa P – O Senhor esteja com vocês. morte foi redimida pela sua e, na sua resT – Ele está no meio de nós. surreição, ressurgiu a vida para todos. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – A ti, ó Deus, a louvação, nesta festa T – É nosso dever e nossa salvação. da ressurreição! (19º Curso: 04.00) P – Como Jesus se reuniu com os discípuÉ bom cantar um bendito! Um canto los de Emaús e se deu a conhecer a eles na novo, um louvor! partilha do pão, nós também nos alegramos 1. Jesus nasceu de Maria, / hoje ele é nos- na partilha deste pão consagrado e recebemos a revelação do seu amor e a força da so Senhor! (bis) 2. Da morte é vencedor, / da vida é cam- missão. Derrama sobre nós o teu Espírito, e recebe o louvor de todo o universo e de peão! (bis) 3. Cordeiro sacrificado / é nossa Páscoa, todas as pessoas que te buscam. T – A ti, ó Deus, a louvação, nesta festa irmãos! (bis) 4. Ele é do céu e da terra, / a reconcilia- da ressurreição! P – Toda a nossa louvação chegue a ti em ção! (bis) 5. Dos tristes, consolador, / dos pobres, nome de Jesus, por quem oramos com as palavras que ele nos ensinou: libertação! (bis) 6. As mãos se dão céus e terra / é uma só T – Pai nosso..., pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre. louvação! (bis)

Demo-nos uns aos outros o abraço da paz!

28. RITO DA COMUNHÃO

(Após o Pai-Nosso, quem preside convida a comunidade a partilhar o pão, dizendo:) P – Assim disse Jesus: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome e o que crê em mim nunca mais terá sede”. Mostrando o pão consagrado: P – Eis o cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo! T – Senhor, eu não sou digno(a) ... (Distribuição da comunhão: canto n. 18 A e B deste folheto.)

29. ORAÇÃO FINAL

Ó Deus, Pastor de nossa vidas, que manifestaste teu carinho por nós nesta celebração. Faze que, assim renovados, vivamos na alegria da páscoa e permaneçamos na comunhão de Jesus Cristo, por quem chegamos a ti, bendito pelos séculos. O roteiro de “onde não houver missa” en-

P – Ó Deus bondoso e fiel, é muito bom 27. ABRAÇO DA PAZ contra-se no livro “Dia do Senhor”: de M. te louvar em todo o tempo e lugar, espe- P – Irmãos e irmãs, por sua morte e Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: Aposcialmente neste dia em que Cristo, nossa ressurreição, o Cristo nos reconciliou. tolado Litúrgico.

JESUS, O BOM PASTOR

O mistério que celebramos hoje O 4º domingo da Páscoa, chamado do “Bom Pastor”, traz presente o Senhor ressuscitado, como pastor que cuida de nossa vida com carinho e solicitude. Ele também se revela como porta pela qual, pastores e ovelhas precisam passar (páscoa = fazer a passagem) para encontrar a vida plena, abundante e verdadeira. Celebramos a Páscoa de Jesus que hoje se manifesta em todas as pessoas e comunidades que se empenham por vida digna, paz, santificação e salvação. Sugestões para a equipe de celebração: 1. Preparar o local com o Círio Pascal e a Pia Batismal em

destaque, além das mesas da Palavra e da Eucaristia, usando a cor branca ou dourada. Um ícone do Bom Pastor ou com o rosto do Senhor poderá ajudar a comunidade a contemplar melhor sua presença no seu meio. 2. Na Oração Eucarística, cantar o prefácio, as aclamações, o Santo e o Amém final. 3. Fazer o abraço da paz como expressão de comunhão fraterna, desejando a cada pessoa força e alegria para testemunhar o amor, mesmo na perseguição e no sofrimento. Hoje, Domingo do Bom Pastor, Jornada Mundial de Oração pelas Vocações sacerdotais e religiosas.

LEITURAS BÍBLICAS:

2ª-f.: At 11,1-18; Jo 10,11-18. 3ª-f.: At 11,19-26; Jo 10,22-30. 4ª-f.: At 12,24-13,5a; Jo 12,44-50. 5ª-f.: At 13,13-25; Jo 13,16-20. 6ª-f.: At 13,26-33; Jo 14,1-6. Sábado: At 13,44-52; Jo 14,7-14. Domingo: 5º Domingo da Páscoa – At 6,1-7; l Pd 2,4-9; Jo 14,1-12.

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

Arquidiocese de Goiânia

4º Domingo da Páscoa – Ano A 15 de maio de 2011 - Ano XXVIII - Nº 1608

JESUS, O BOM PASTOR 1. MOTIVAÇÃO

A – Irmãos e irmãs, com alegria celebremos o mistério pascal de Cristo. Jesus é o Bom Pastor que entregou sua vida e nos chama a todos a fazer o mesmo caminho de doação. Neste Dia Mundial de Oração pelas Vocações sacerdotais e religiosas, iniciemos nossa celebração, cantando.

2. CANTO DE ABERTURA (40º Curso: 04.11)

Cristo venceu, aleluia! / Ressuscitou, aleluia! / O Pai lhe deu glória e poder, / eis nosso canto, aleluia! 1. Este é o dia em que o amor venceu, / brilhante luz iluminou as trevas, / nós fomos salvos para sempre! 2. Suave aurora veio anunciando, / que nova era foi inaugurada, / nós fomos salvos para sempre! 3. No coração de todos nós renasce / a esperança de um novo tempo, / nós fomos salvos para sempre! (Uma pessoa acende o círio e diz em voz bem alta:) Bendito sejas, Deus da Vida, pela ressurreição de Jesus Cristo e por esta luz radiante! (Incensar o círio e a assembleia, enquanto todos cantam:) T – Cristo venceu, aleluia! / Ressuscitou, aleluia! / O Pai lhe deu glória e poder, / eis nosso canto, aleluia!

3. ACOLHIDA

P – Em nome do Pai... T – Amém. P – A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco. T – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

4. RITO DA ASPERSÃO

P – Bendito sejas, Senhor, por esta água, sinal visível do sangue de Jesus, derramado por nós; sangue que nos redimiu e nos resgatou como ovelhas do seu rebanho.

Abençoe esta água, Senhor, e renove em LITURGIA DA PALAVRA nós a alegria de ouvir e seguir a voz do único Pastor e Senhor. A – Atentos à Palavra do Senhor, que é pastor e guia de nossas vidas, acoCanto: (29º Curso: 04.05) Eu era ovelha perdida, / mas Deus que lhamos, com carinho, tudo o que Ele é meu pastor, / me trouxe às águas da nos fala. vida, / me leva à vida de amor! 7. PRIMEIRA LEITURA 1. Nas águas deste Batismo / mergulho Leitura dos Atos dos Apóstolos meu ser, Senhor! / E afogo nele o egoís- (2,14a.36-41) – No dia de Pentecostes, mo, / e nasce em mim teu Amor. 14a Pedro, de pé, no meio dos Onze após2. Batismo me faz Igreja / nem todos nela tolos, levantou a voz e falou à multidão: estarão... / Mas Deus assim me deseja: / 36“Que todo o povo de Israel reconheça Profeta sempre em missão. com plena certeza: Deus constituiu Senhor 3. A Vida, o Espírito Santo, / já pulsa em e Cristo a este Jesus que vós crucificastes”. 37 Quando ouviram isso, eles ficaram meu coração: / de Deus sou filho, portancom o coração aflito, e perguntaram a to, / de todos vou ser irmão! Pedro e aos outros apóstolos: “Irmãos, 5. HINO DE LOUVOR o que devemos fazer?” (40º Curso: 04.11) 38 Pedro respondeu: “Convertei-vos e Glória a Deus nas alturas, / e paz na terra cada um de vós seja batizado em nome aos homens por Ele amados. (bis) de Jesus Cristo para o perdão dos vosSenhor Deus, / rei dos céus, / Deus Pai sos pecados. E vós recebereis o dom do todo-poderoso: / nós vos louvamos, / vos Espírito Santo. 39Pois a promessa é para bendizemos, / vos adoramos, / vos glo- vós e vossos filhos, e para todos aqueles rificamos, / nós vos damos graças / por que estão longe, todos aqueles que o Senhor nosso Deus chamar para si”. vossa imensa glória. 40 Com muitas outras palavras, Pedro Senhor Jesus Cristo, / Filho Unigênito, / Selhes dava testemunho, e os exortava, dizennhor Deus, / Cordeiro de Deus, / Filho de do: “Salvai-vos dessa gente corrompida!” Deus Pai. 41 Os que aceitaram as palavras de Vós que tirais o pecado do mundo, / tende Pedro receberam o batismo. Naquele piedade de nós. / Vós que tirais o pecado dia, mais ou menos três mil pessoas se do mundo, / acolhei a nossa súplica. / Vós, uniram a eles. que estais à direita do Pai, / tende piedade – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. de nós. (Tempo de silêncio) Só vós sois o Santo, / só vós, o Senhor, / só vós, o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Es8. SALMO 22 (23) pírito Santo, / na glória de Deus Pai, / na (Salmos e Aclamações / ano A: 12.10) glória de Deus Pai. O Senhor é o pastor / que me conduz: / Amém! / Amém! / Amém! / Amém! / para as águas repousantes / me encaminha. Amém! 10 Senhor é o pastor que me conduz: não 6. ORAÇÃO me falta coisa alguma. / 2Pelos prados e P – Oremos. (Pausa para oração) campinas verdejantes ele me leva a desDeus eterno e todo-poderoso, conduzi- cansar. / Para as águas repousantes me en3a nos à comunhão das alegrias celestes, caminha, / e restaura as minhas forças. para que o rebanho possa atingir, apesar 3bEle me guia no caminho mais seguro, de sua fraqueza, a fortaleza do Pastor. Por pela honra do seu nome. 4Mesmo que eu nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, passe pelo vale tenebroso, / nenhum mal na unidade do Espírito Santo. eu temerei; / estais comigo com bastão e com cajado; / eles me dão a segurança! T – Amém.


em verdade vos digo, eu sou a porta das ovelhas. 8Todos aqueles que vieram antes de mim são ladrões e assaltantes, mas as ovelhas não os escutaram. 9Eu sou a porta. Quem entrar por mim, será salvo; entrará e sairá e encontrará pastagem. 10O ladrão só vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. 9. SEGUNDA LEITURA – Palavra da Salvação. Leitura da Primeira Carta de São Pedro (2,20b-25) - Caríssimos: 20bSe supor- T – Glória a vós, Senhor. (Tempo de silêncio) tais com paciência aquilo que sofreis por ter feito o bem, isto vos torna agradáveis 11. HOMILIA diante de Deus. 21De fato, para isto fostes (Após a homilia, pausa para reflexão.) chamados. Também Cristo sofreu por vós deixando-vos um exemplo, a fim de que 12. PROFISSÃO DE FÉ sigais os seus passos. 22Ele não cometeu pe- P – Cheios de confiança, professemos a cado algum, mentira nenhuma foi encon- nossa fé. trada em sua boca. 23Quando injuriado, T – Creio em Deus Pai... (Ou canta-se, não retribuía as injúrias; atormentado, 25º curso: 03.03) não ameaçava; antes, colocava a sua causa Creio em Deus Pai todo-poderoso, / crianas mãos daquele que julga com justiça. dor do céu e da terra. 24 Sobre a cruz, carregou nossos pecados Creio em Jesus Cristo, nosso Senhor, / em seu próprio corpo, a fim de que, mor- pelo Espírito Santo concebido. tos para os pecados, vivamos para a justi- Nasceu da Virgem Maria, / padeceu sob ça. Por suas feridas fostes curados. Pôncio Pilatos. 25 Andáveis como ovelhas desgarradas, Foi crucificado, morto e sepultado / e mas agora voltastes ao pastor e guarda desceu à mansão dos mortos. Ressuscitou ao terceiro dia, / subiu ao de vossas vidas. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. céu, à direita de Deus Pai, donde há de vir para julgar, / para julgar (Tempo de silêncio) os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, / creio na santa 10. ACLAMAÇÃO AO Igreja católica, EVANGELHO na comunhão dos santos / creio na re(Salmos e Aclamações / ano A: 12.10) Aleluia, aleluia, aleluia, / aleluia! (bis) missão dos pecados, Na ressurreição da carne, / creio tamEu sou o bom pastor, diz o Senhor; / eu bém na vida eterna. conheço as minhas ovelhas e elas me coAmém! Amém! Amém! Amém! nhecem a mim. 13. ORAÇÃO COMUNITÁRIA P – O Senhor esteja convosco. P – Apresentemos a Jesus as necessidaT – Ele está no meio de nós. des do seu rebanho, dizendo confiantes: P – Proclamação do Evangelho de JeT – Bom Pastor, conduzi sus Cristo segundo João. 1. O Santo Padre, o Papa, como Sumo T – Glória a vós, Senhor. (10,1-10) – Naquele tempo, disse Pontífice da una e santa Igreja. Jesus: 1“Em verdade, em verdade vos 2. O nosso (arce)bispo (N) no serviço de digo, quem não entra no redil das ove- santificar, governar e ensinar a porção do lhas pela porta, mas sobe por outro lu- Povo de Deus a ele confiada. gar, é ladrão e assaltante. 3. Os sacerdotes e todos os membros das 2 Quem entra pela porta é o pastor congregações e institutos de vida consadas ovelhas. 3A esse o porteiro abre, e as grada que chamastes para vos servir. ovelhas escutam a sua voz; ele chama 4. O nosso seminário, os seminaristas e as ovelhas pelo nome e as conduz para vocacionados que se sentem chamados a 4 fora. E, depois de fazer sair todas as vos servir. que são suas, caminha à sua frente, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a 5. Os esposos e esposas, no sustento de suas sua voz. 5Mas não seguem um estranho, famílias, para que sejam celeiros de vocação. antes fogem dele, porque não conhecem 6. A cada um de nós, para que nos ena voz dos estranhos”. volvamos na promoção de uma vigorosa 6 Jesus contou-lhes esta parábola, mas pastoral vocacional. eles não entenderam o que ele queria dizer. (Preces da comunidade) 7 Então Jesus continuou: “Em verdade, (Conclusão pelo presidente) 5 Preparais à minha frente uma mesa, / bem à vista do inimigo, / e com óleo vós ungis minha cabeça; / o meu cálice transborda. 6 Felicidade e todo bem hão de seguir-me / por toda a minha vida; / e, na casa do Senhor, habitarei / pelos tempos infinitos. (Tempo de silêncio)

LITURGIA EUCARÍSTICA (Onde não houver missa, segue a partir do n. 24 deste folheto.)

14. CANTO DE PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS (38º Curso: 03.10)

As nossas ofertas de vinho e de pão / celebram a glória da ressurreição. 1. O grão que morrera no seio do chão, / renasce no trigo, tornando-se pão. / A uva amassada, pisada, moída, / ressurge no vinho, sustento da vida. 2. O pão e o vinho são hoje memória / do novo Cordeiro na sua vitória. / Sinais da Aliança da terra e dos céus / no corpo e no sangue do Filho de Deus. 3. Ao Pai ofertamos também nossa vida, / o chão que pisamos, a relva florida. / Os frutos da terra, por nós cultivados, / se tornem o corpo do Ressuscitado.

15. ORAÇÃO

P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso. T – Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja. Concedei, ó Deus, que sempre nos alegremos por estes mistérios pascais, para que nos renovem constantemente e sejam fonte de eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA VI-B (Prefácio próprio)

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Corações ao alto. T – O nosso coração está em Deus. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, criador do mundo e fonte da vida. Nunca abandonais a obra da vossa sabedoria, agindo sempre no meio de nós. Com vosso braço poderoso, guiastes pelo deserto o vosso povo de Israel. Hoje, com a luz e a força do Espírito Santo, acompanhais sempre a vossa Igreja, peregrina neste mundo; e por Jesus Cristo, vosso Filho, a acompanhais pelos caminhos da história até a felicidade perfeita em vosso reino. Por essa razão, também nós, com os Anjos e Santos, proclamamos a vossa glória,

cantando (dizendo) a uma só voz: T – Santo, Santo, Santo... Na verdade, vós sois santo e digno de louvor, ó Deus, que amais os seres humanos e sempre os assistis no caminho da vida. Na verdade, é bendito o vosso Filho, presente no meio de nós, quando nos reunimos por seu amor. Como outrora aos discípulos, ele nos revela as Escrituras e parte o pão para nós. T – O vosso Filho permaneça entre nós. Nós vos suplicamos, Pai de bondade, que envieis o vosso Espírito Santo para santificar estes dons do pão e do vinho, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo. T – Mandai o vosso Espírito Santo! Na véspera de sua paixão, durante a última Ceia, ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo ao fim da Ceia, ele, tomando o cálice em suas mãos, vos deu graças novamente e o entregou a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando, pois, ó Pai santo, a memória de Cristo, vosso Filho, nosso Salvador, que pela paixão e morte de cruz fizestes entrar na glória da ressurreição e colocastes à vossa direita, anunciamos a obra do vosso amor até que ele venha e vos oferecemos o pão da vida e o cálice da bênção. Olhai com bondade para a oferta da vossa Igreja. Nela vos apresentamos o sacrifício pascal de Cristo, que vos foi entregue. E concedei que, pela força do Espírito do vosso amor, sejamos contados, agora e por toda a eternidade, entre os membros do vosso Filho, cujo Corpo e Sangue comungamos. T – Aceitai, ó Senhor, a nossa oferta! Fortalecei, Senhor, na unidade os convidados a participar da vossa mesa. Em comunhão com o nosso Papa Bento, e o nosso Bispo (N.), com todos os bispos, presbíteros, diáconos e com todo o vosso povo, possamos irradiar confiança e alegria e caminhar com fé e esperança pelas estradas da vida. T – Tornai viva nossa fé, nossa esperança! Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs

(N. e N.), que adormeceram na paz do vosso Cristo, e de todos os falecidos, cuja fé só vós conhecestes: acolhei-os na luz da vossa face e concedei-lhes, no dia da ressurreição, a plenitude da vida. T – Concedei-lhes, ó Senhor, a luz eterna! Concedei-nos ainda, no fim da nossa peregrinação terrestre, chegarmos todos à morada eterna, onde viveremos para sempre convosco. E em comunhão com a bem-aventurada Virgem Maria, com os Apóstolos e Mártires, (com S.N.: Santo do dia ou Patrono) e todos os Santos, vos louvaremos e glorificaremos por Jesus Cristo, vosso Filho. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém.

19. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

17. PAI-NOSSO

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Deus, que pela ressurreição do seu Filho único vos deu a graça da redenção e vos adotou como filhos e filhas, vos conceda a alegria de sua bênção. T – Amém. P – Aquele que, por sua morte, vos deu a eterna liberdade, vos conceda, por sua graça, a herança eterna. T – Amém. P – E, vivendo agora retamente, possais no céu unir-vos a Deus, para o qual, pela fé, já ressuscitastes no batismo. T – Amém. P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo. T – Amém.

P – Guiados pelo Espírito de Jesus e iluminados pela sabedoria do Evangelho, ousamos dizer: T – Pai nosso...

18 A. CANTO DA COMUNHÃO (40º Curso: 04.11)

Refrão meditativo: (40º curso: 04.11) Ressuscitou de verdade! / Aleluia!/ Aleluia! / Cristo Jesus ressuscitou! / Aleluia! / Aleluia!

20. ORAÇÃO

P – Oremos. (Pausa para oração) Velai com solicitude, ó Bom Pastor, sobre o vosso rebanho e concedei que vivam nos prados eternos as ovelhas que remistes pelo sangue do vosso Filho. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

21. AVISOS DA COMUNIDADE RITOS FINAIS

22. BÊNÇÃO FINAL

Cristo ressuscitou / e nós com Ele, aleluia, aleluia! 1. Bendito seja o Pai de Jesus, / que nos cobriu de bênçãos celestes. 2. Nós vos louvamos e bendizemos, / porque a luz de Jesus dissipou nossas trevas. 3. Nós vos louvamos e bendizemos, / porque em nós derramastes o Espírito Santo. 4. Nós vos louvamos e bendizemos, / nesta celebração da vitória de Cristo. 5. Nós vos louvamos e bendizemos, / por 23. DESPEDIDA P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. tudo que em nós por Jesus operastes. T – Graças a Deus.

18 B. CANTO DA COMUNHÃO (25º curso: 03.03)

Vós sois meu pastor, ó Senhor, / nada me faltará, se me conduzis. 1. Em verdes pastagens feliz eu descansei, / em vossas águas puras eu me desalterei. 2. Em verdes pastagens, me leva a repousar. / em fontes bem tranquilas, as forças recobrar. 3. Por justos caminhos, meu Deus, vem me guiar. / De todos os perigos, meu Deus, vem me livrar. 4. Meu Deus junto a mim, o mal não temerei. / Seguro em seu cajado, tranquilo eu estarei. 5. Me preparais a mesa, perante o opressor. / Me perfumais a fronte, minha taça transbordou. 6. Felicidade e amor, sem fim me seguirão. / Um dia em vossa casa, meus dias passarão.

ONDE NÃO HOUVER MISSA

24. COLETA FRATERNA

(É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta o n. 14 deste folheto.)

25. DA PALAVRA À REFEIÇÃO

(Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Demos graças ao Senhor repartindo entre nós este pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor, que se faz presente em nossa mesa, como se fez com os discípulos na última ceia e nas refeições depois da ressurreição. Que ele nos torne capazes de passar da morte à vida no amor aos irmãos. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.)


4domingo_pascoa_1608