Page 1

T – Pai Nosso... pois vosso é o reino, o meado sobre as colinas e múltiplo em suas espigas, e depois recolhido para poder e a glória para sempre. tornar-se um, congrega assim teus ama24. ABRAÇO DA PAZ dos e amadas de todos os cantos da terra P – Irmãos e irmãs, por sua morte e res- no teu reino, por Cristo, nosso Senhor. surreição, o Cristo nos reconciliou. DeMostrando o pão consagrado: mo-nos uns aos outros o abraço da paz! P – Eu sou a luz do mundo; quem me 25. RITO DA COMUNHÃO segue não andará nas trevas, mas terá (Após o Pai-Nosso, quem preside convida a luz da vida. a comunidade a partilhar o pão, dizendo:) T – Senhor, eu não sou digno(a)... P – Da mesma maneira como este pão, (Distribuição da comunhão: canto n. posto sobre esta mesa, foi primeiro se- 15 deste folheto.)

26. ORAÇÃO FINAL

P – Ó Deus, que nos deste nesta celebração, memória da paixão e ressurreição do Senhor, um sinal do teu amor salvador, ilumina a nossa caminhada quaresmal para que possamos agir segundo a verdade do evangelho e caminhar sempre no clarão da tua luz. Por Cristo, nosso Senhor. O roteiro de “onde não houver missa” encontra-se no livro “Dia do Senhor”: de M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: Apostolado Litúrgico.

É PELA GRAÇA QUE SOMOS SALVOS

O mistério que celebramos hoje Já estamos nos aproximando da festa da Páscoa e somos chamados à alegria. A certeza do amor de Deus nos enche de consolação e afasta de nós qualquer atitude de tristeza. Apesar de nossas contínuas infidelidades, Deus misericordioso é sempre fiel à sua aliança, nos procura, incansavelmente, chamando-nos à obediência filial e à reconciliação. Neste domingo, recordamos o encontro de Jesus com o velho Nicodemos, provocado a “nascer de novo” e recebemos do Senhor, o anúncio de sua paixão e entrega de sua vida, como prova de amor à humanidade. Sugestões para a equipe de celebração: 1. Canto de Abertura (Para onde não for rezada a ladainha) (28º Curso: 09.04) Eis o tempo de conversão, / eis o dia da salvação. / Ao Pai voltemos, juntos andemos. / Eis o tempo de conversão! 1. Os caminhos do Senhor são verdade, são amor. / Dirigi os passos meus; em vós espero, ó Senhor! / Ele guia ao bom caminho quem errou e quer voltar, / Ele é bom, fiel e justo; Ele busca e vem salvar. 2. Viverei com o Senhor. Ele é o meu sustento. / Eu confio mesmo quando minha dor não mais aguento. / Tem valor aos olhos seus meu sofrer e meu morrer. / Libertai o vosso servo e fazei-o reviver! 3. A Palavra do Senhor é a luz do meu caminho; / ela é vida, é alegria; vou guardá-la com carinho. / Sua Lei, seu Mandamento, é viver a caridade. / Caminhemos todos juntos, construindo a unidade! 2. Preparar o espaço da celebração com sinais de alegria:

flores e a cor rósea, substituindo o roxo nas toalhas e vestes litúrgicas. Os instrumentos musicais poderão dar um toque de festividade a toda a celebração. 3. Entrada solene da cruz, acompanhada de velas, algum símbolo ligado à CF 2012, e colocada em lugar de destaque. 4. Durante a proclamação do Evangelho, erguer a cruz diante da comunidade. 5. A Profissão de fé e as preces dos fiéis sejam feitas diante da cruz erguida. 6. Lembrar que amanhã, segunda-feira (19), celebra-se São José, Esposo da BVM, padroeiro da Igreja Universal. 5. Oração da Campanha da Fraternidade 2012 Senhor Deus de amor, Pai de bondade, nós vos louvamos e agradecemos pelo dom da vida, pelo amor com que cuidais de toda a criação. Vosso Filho Jesus Cristo, em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermos e de todos os sofredores, sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude. Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito. Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversão se faça sempre mais solidária às dores e enfermidades do povo, e que a saúde se difunda sobre a terra. Amém.

LEITURAS BÍBLICAS: 2ª-f.: São José, esposo da BVM – 2Sm 7,4-5a.12-14a.16; Rm 4,13.16-18.22; Mt 1,16.18-21.24a ou Lc 2,41-51a. 3ª-f.: Ez 47,l-9.12; Jo 5,1-16. 4ª-f.: Is 49,8-15; Jo 5,17-30. 5ª-f.: Ex 32,7-14; Jo 5,31-47. 6ª-f.: Sb 2,1a.12-22; Jo 7,1-2.10.25-30. Sábado: Jr 11,18-20; Jo 7,40-53. Domingo: 5º Domingo da Quaresma – Jr 31,31-34; Hb 5,7-9; Jo 12,20-33.

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

De 2ª a 6ª, às 13h30

Informações sobre educação, ciência, tecnologia, comunidades, arte e cultura.

Canal 24 Canal 20 Net

Arquidiocese de Goiânia

4º Domingo da Quaresma – Ano B 18 de março de 2012 - Ano XXIX - Nº 1656

1. MOTIVAÇÃO

É PELA GRAÇA QUE SOMOS SALVOS

Santos mártires de nosso tempo, rogai por nós. Todos os Santos e Santas de Deus, / intercedei por nós. P – Começamos a nossa celebração quaresmal invocando a Cristo e a seus Santos. Invoquemos agora a misericórdia de Deus, para que nos conceda seu perdão, nos renove e nos prepare para celebrar as festas da Páscoa. Oremos em silêncio, reconheçamos nossas culpas. (silêncio) Sede-nos propício, / vos pedimos, Senhor. Livrai-nos de todo mal, / vos pedimos, Senhor. 2. LADAINHA DOS SANTOS Salvai-nos de todo o pecado, / vos pedimos, Senhor. (32º Curso: 09.06) Livrai-nos da morte eterna, / vos pedimos, Coro: Kyrie eleison. Senhor. Ass: Kyrie eleison. Por vossa encarnação, / vos pedimos, Coro: Christe eleison. Senhor. Ass.: Christe eleison. Por vosso batismo e vosso jejum, / vos Coro: Kyrie eleison. pedimos, Senhor. Ass: Kyrie eleison. Por vossa morte e ressurreição, / vos Coro: Santa Maria, Mãe de Deus, / pedimos, Senhor. Ass: rogai por nós. Apesar de nossos pecados, / vos pedimos, São Miguel, / rogai por nós. Senhor. Santos Anjos de Deus, / rogai por nós. Cristo, ouvi-nos. / Cristo, ouvi-nos. São João Batista, / intercedei por nós. Cristo, atendei-nos. / Cristo, atendei-nos. São José, / rogai por nós. São Pedro e São Paulo, / rogai por nós. 3. ORAÇÃO Santo André, / rogai por nós. P – Oremos. (Pausa para oração) São João, / intercedei por nós. Ó Deus, que por vosso Filho realizais de Santa Maria Madalena, / rogai por nós. modo admirável a reconciliação do gêSanto Estêvão, / rogai por nós. nero humano, concedei ao povo cristão Santo Inácio de Antioquia, / rogai por nós. correr ao encontro das festas que se aproSão Lourenço, / intercedei por nós. ximam, cheio de fervor e exultando de fé. Santas Perpétua e Felicidade, / rogai por nós. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso FiSanta Inês, / rogai por nós. lho, na unidade do Espírito Santo. São Gregório, / rogai por nós. T – Amém. Santo Agostinho, / intercedei por nós. Santo Atanásio, / rogai por nós. LITURGIA DA PALAVRA São Basílio, / rogai por nós. A – Escutemos a Palavra de Deus. São Martinho, / rogai por nós. Ela nos revela a misericórdia do Pai São Bento, / intercedei por nós. para conosco. São Francisco e São Domingos, / rogai por nós. 4. PRIMEIRA LEITURA São Francisco Xavier, / rogai por nós. Leitura do Segundo Livro das São João Maria Vianney, / rogai por nós. Crônicas (36,14-16.19-23) – NaqueSanta Catarina de Sena, / intercedei por nós. les dias, 14todos os chefes dos sacerSanta Teresa de Jesus, / rogai por nós. dotes e o povo multiplicaram suas Santa Teresinha, / rogai por nós. infidelidades, imitando as práticas A – Reunidos para esta celebração, somos chamados a acolher a vida nova que Cristo nos dá. Deus quer nos iluminar e renovar com o amor de seu Filho para podermos participar de seu Mistério Pascal. Iniciemos nossa celebração, invocando a Cristo e a seus Santos com o canto da ladainha. Os Santos são nossos modelos no itinerário da vida de fé e na prática cristã. Que seu testemunho e sua intercessão acompanhem nosso caminho de conversão, para que, fiéis ao Evangelho de Jesus, possamos celebrar de verdade a Páscoa. Cantemos.

abomináveis das nações pagãs, e profanaram o templo que o Senhor tinha santificado em Jerusalém. 15 Ora, o Senhor Deus de seus pais dirigia-lhes frequentemente a palavra por meio de seus mensageiros, admoestando-os com solicitude todos os dias, porque tinha compaixão do seu povo e da sua própria casa. 16 Mas eles zombavam dos enviados de Deus, desprezavam as suas palavras, até que o furor do Senhor se levantou contra o seu povo e não houve mais remédio. 19 Os inimigos incendiaram a casa de Deus e deitaram abaixo os muros de Jerusalém, atearam fogo a todas as construções fortificadas e destruíram tudo o que havia de precioso. 20 Nabucodonosor levou cativos, para a Babilônia, todos os que escaparam à espada, e eles tornaram-se escravos do rei e de seus filhos, até que o império passou para o rei dos persas. 21Assim se cumpriu a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias: “Até que a terra tenha desfrutado de seus sábados, ela repousará durante todos os dias da desolação, até que se completem setenta anos”. 22 No primeiro ano do reinado de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias, o Senhor moveu o espírito de Ciro, rei da Pérsia, que mandou publicar em todo o seu reino, de viva voz e por escrito, a seguinte proclamação: 23“Assim fala Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, Deus do céu, deu-me todos os reinos da terra, e encarregou-me de lhe construir um templo em Jerusalém, que está no país de Judá. Quem dentre vós todos pertence ao seu povo? Que o Senhor, seu Deus, esteja com ele, e que se ponha a caminho”. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

5. SALMO 136 (137)

(Salmos e Aclamações / ano B: 11.11 – vol. I)

Que se prenda minha língua ao céu da boca, / se de ti, Jerusalém, eu me


esquecer! / Se de ti, Jerusalém, eu me esquecer! 1 Junto aos rios da Babilônia nos sentávamos chorando, / com saudades de Sião. / 2 Nos salgueiros por ali / penduramos nossas harpas. 3 Pois foi lá que os opressores / nos pediram nossos cânticos; / nossos guardas exigiam / alegria na tristeza: / “Cantai hoje para nós / algum canto de Sião!” 4 Como havemos de cantar os cantares do Senhor / numa terra estrangeira? / 5Se de ti, Jerusalém, algum dia eu me esquecer, / que resseque a minha mão! 6 Que se cole a minha língua, e se prenda ao céu da boca, / se de ti não me lembrar! / Se não for Jerusalém / minha grande alegria! (Tempo de silêncio)

que todos os que nele crerem tenham a vida eterna. 16Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17 De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele. 18Quem nele crê, não é condenado, mas, quem não crê, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito. 19 Ora, o julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más. 20Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas. 21 Mas, quem age conforme a verdade aproxima-se da luz, para que se manifes6. SEGUNDA LEITURA te que suas ações são realizadas em Deus. Leitura da Carta de São Paulo aos – Palavra da Salvação. Efésios (2,4-10) – Irmãos: 4Deus é rico T – Glória a vós, Senhor. em misericórdia. Por causa do grande (Tempo de silêncio) amor com que nos amou, 5quando estávamos mortos por causa das nossas 8. HOMILIA faltas, Ele nos deu a vida com Cristo. É (Após a homilia, pausa para reflexão.) por graça que vós sois salvos! 9. PROFISSÃO DE FÉ 6 Deus nos ressuscitou com Cristo e nos P – Cheios de confiança, professemos a fez sentar nos céus, em virtude de nosnossa fé. sa união com Jesus Cristo. 7Assim, pela vontade que nos demonstrou em Jesus T – Creio em Deus Pai... Cristo, Deus quis mostrar, através dos 10. ORAÇÃO COMUNITÁRIA séculos futuros, a incomparável riqueza P – Deus nos ama com amor gratuito de sua graça. e misericordioso. Confiantes, peçamos 8 Com efeito, é pela graça que sois que Ele atenda às nossas preces. salvos, mediante a fé. E isso não vem 1. Iluminai, Senhor, a vossa Igreja para de vós; é dom de Deus! 9Não vem das que ela seja sempre um sinal da gratuiobras, para que ninguém se orgulhe. dade do vosso amor. 10 Pois é ele quem nos fez; nós fomos criados em Jesus Cristo para as obras T – Dai-nos vida e luz, Senhor. boas, que Deus preparou de antemão 2. Ajudai-nos, Senhor, a viver o amor sem procurar nossos próprios interesses para que nós as praticássemos. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. e sem recusar a ninguém a confiança e o afeto. (Tempo de silêncio) 3. Animai, Senhor, a todas as pessoas 7. ACLAMAÇÃO AO e grupos que lutam para fomentar uma EVANGELHO cultura de paz. (Salmos e Aclamações / ano B: 11.11 – vol. I) 4. Despertai-nos, Senhor, para reconheLouvor e honra a vós, Senhor Jesus, Secer e superar todas as formas de injustinhor Jesus. ça e opressão. Tanto Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único; / todo aquele que crer P – Rezemos pelo Sínodo Arquidiocesano. T – Divino Pai Eterno, colocamos em nele há de ter a vida eterna. vossas mãos a nossa Arquidiocese. P – O Senhor esteja convosco. Agora que realizamos nosso Primeiro T – Ele está no meio de nós. Sínodo, / nós vos damos graças por toda P – Proclamação do evangelho de Jesus a caminhada até aqui realizada. Cristo segundo João. Permiti que, experimentando o vosso T – Glória a vós, Senhor. amor, / possamos ser testemunhas do (3,14-21) – Naquele tempo, disse Je- Evangelho. sus a Nicodemos: 14Do mesmo modo Senhor Jesus, fazei que possamos camicomo Moisés levantou a serpente no nhar juntos, / unidos aos nossos bispos deserto, assim é necessário que o Fi- e ao nosso Papa, / para que sejamos lho do Homem seja levantado, 15para sacramento de salvação universal para

todo ser humano. Espírito Santo, continuai derramando vossos dons e carismas / para que, tendo nova vida, sejamos uma Arquidiocese de Discípulos Missionários, / com a mesma força que concedestes aos Apóstolos em Pentecostes. Virgem Auxiliadora, intercedei por nós para que sob o vosso amparo e proteção / este sínodo produza frutos abundantes de vida eterna, / para a glória do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém! (Conclusão pelo presidente)

LITURGIA EUCARÍSTICA (Onde não houver missa, segue a partir do n. 21 deste folheto.)

11. CANTO DE PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS (41º Curso: 08.11)

1. Que poderei retribuir ao Senhor, / por tudo aquilo que ele me fez? Oferecerei o seu sacrifício / e invocarei o seu santo nome. 2. Que poderei oferecer ao meu Deus / pelos imensos benefícios que me fez? 3. Eu cumprirei minha promessa ao Senhor, / na reunião do povo santo de Deus. 4. Vós me quebrastes os grilhões da escravidão, / e é por isso que hoje canto vosso amor.

12. ORAÇÃO

P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso. T – Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja. Ó Deus, concedei-nos venerar com fé e oferecer pela redenção do mundo os dons que nos salvam e que vos apresentamos com alegria. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

13. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II (Prefácio da Quaresma, II)

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Corações ao alto. T – O nosso coração está em Deus. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Para renovar, na santidade, o coração dos vossos filhos e filhas, instituístes este tempo de graça e salvação. Libertando-nos do

egoísmo e das outras paixões desordenadas, superamos o apego às coisas da terra. E, enquanto esperamos a plenitude eterna, proclamamos a vossa glória, cantando (dizendo) a uma só voz: T – Santo, Santo, Santo... Na verdade, ó Pai, vós sois santo e fonte de toda santidade. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso. T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte, e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! E nós vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo. T – Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o papa Bento, com o nosso bispo N. e todos os ministros do vosso povo. T – Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja! Lembrai-vos também dos nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a vós na luz da vossa face. T – Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Enfim, nós vos pedimos, tende piedade de todos nós e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificarmos por Jesus Cristo, vosso Filho.

T – Concedei-nos o convívio dos eleitos! Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém.

14. PAI-NOSSO

P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo. T – Amém.

20. DESPEDIDA

P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. T – Graças a Deus.

P – Rezemos, com amor e confiança, a ONDE NÃO HOUVER MISSA oração que o Senhor nos ensinou T – Pai nosso... 21. COLETA FRATERNA (É o momento de trazer donativos ou 15. CANTO DA COMUNHÃO oferta em dinheiro para as necessidades (40º Curso: 04.11) da comunidade, enquanto a assembleia Agora, o tempo se cumpriu, / o reino canta o nº 11 deste folheto.) já chegou. / Irmãos, convertam-se / e creiam firmes no Evangelho! 22. DA PALAVRA À REFEIÇÃO 1. Feliz aquele homem que não anda / (Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) conforme os conselhos dos perversos; 2. Que não entra no caminho dos mal- P – Vamos dar graças a Deus e repartir vados / nem junto aos zombadores vai entre nós este pão consagrado, memória sentar-se; viva do corpo do Senhor que, por sua 3. Mas encontra seu prazer na lei de Deus / cruz, redimiu o mundo. e a medita, dia e noite, sem cessar. (Alguém traz o pão consagrado e o 4. Eis que ele é semelhante a uma árvore / coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.) que à beira da torrente está plantada; 5. Ela sempre dá seus frutos a seu tempo / (38º Curso: 03.10) e jamais as sua folhas vão murchar. T – Vós sois o Caminho, a Verdade e a 6. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, / Vida, / o pão da alegria descido do céu. mas a estrada dos malvados leva à morte.

16. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

23. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS

(Quem preside, ocupando o lugar no alRefrão meditativo: (41º Curso: 08.11) tar, convida a assembleia para o louvor:) Se o grão de trigo não morrer, fica só. / Mas P – O Senhor esteja com vocês. se morrer, produzirá fruto abundante. / Mas T – Ele está no meio de nós. se morrer, produzirá fruto abundante. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. 17. ORAÇÃO T – É nosso dever e nossa salvação. P – Oremos. (Pausa para oração) P – É um prazer para nós te louvar e te Ó Deus, luz de todo ser humano que vem adorar, Deus de bondade. Tu nos dás a a este mundo, iluminai nossos corações cada ano a graça de esperar com alegria com o esplendor da vossa graça, para a santa páscoa. De coração purificado, enpensarmos sempre o que vos agrada e tregues à oração e à prática do amor frateramar-vos de todo o coração. Por Cristo, no, preparamo-nos para celebrar os misnosso Senhor. térios pascais, que nos deram vida nova e nos tornaram teus filhos e tuas filhas. T – Amém. T – Louvor e glória a ti, ó Deus, força 18. AVISOS DA COMUNIDADE de paz! P – Assim como alimentaste teu povo no RITOS FINAIS deserto, sustenta também a nós que esperamos a santa páscoa. Lembrando a santa ceia 19. BÊNÇÃO FINAL de Jesus, colocamos nesta mesa o pão conP – O Senhor esteja convosco. sagrado, sacramento da sua entrega. Nós te T – Ele está no meio de nós. louvamos fazendo memória da sua vida, e P – Inclinai-vos para receber a bênção! do seu amor até o fim, enquanto aguarda(Estendendo as mãos sobre o povo) mos a sua vinda. Derrama sobre nós o teu Ó Deus, fazei que o vosso povo se vol- Espírito, e recebe o louvor de todo o unite para vós de todo o coração, pois se verso e de todas as pessoas que te buscam. o protegeis mesmo quando erra, com T – Louvor e glória a ti, ó Deus, força mais amor o guardais quando vos ser- de paz! ve. Por Cristo, Nosso Senhor. P – Senhor Jesus, lembra-te de nós em teu T – Amém. reino e, agora, ensina-nos a rezar:

4-domingo-da-quaresma_18_de_marco-1656  

A – Escutemos a Palavra de Deus. Ela nos revela a misericórdia do Pai para conosco. LEITURAS BÍBLICAS: 2ª-f.: São José, esposo da BVM – 2Sm...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you