Issuu on Google+

28. RITO DA COMUNHÃO

(Após o Pai-Nosso, quem preside convida a comunidade a partilhar o pão, dizendo:) P – Assim disse Jesus: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome e o que crê em mim nunca mais terá sede”.

tira o pecado do mundo! T – Senhor, eu não sou digno(a)... (Distribuição da comunhão: canto n. 17 deste folheto.)

29. ORAÇÃO FINAL

semana, para que sejamos, em verdade, discípulos e discípulas daquele que nos perdoou e nos ensinou a perdoar ofensas e dívidas. Por Cristo, nosso Senhor.

Arquidiocese de Goiânia

O roteiro de “onde não houver missa” P – Pai, tua misericórdia nos reuniu encontra-se no livro “Dia do Senhor”: neste Domingo para ouvir tua palavra de M. Guimarães e P. Carpanedo, Mostrando o pão consagrado: e participar de tua mesa. Que ela nos Paulinas: Apostolado Litúrgico. P – Eis o Cordeiro de Deus, aquele que acompanhe todos os dias desta nova

PERDOAR, DE CORAÇÃO, AO IRMÃO

O mistério que celebramos hoje Recordando neste domingo a páscoa de Jesus Cristo, damos graças ao Pai por sua imensa misericórdia, em dar-nos, por meio dele, o perdão que nos reconcilia com os irmãos e nos põe no caminho da justiça. Celebramos a páscoa de Jesus que se realiza em todas as pessoas e comunidades que vivem a compaixão e a misericórdia como norma de vida. Hoje, o Pai nos chama ao perdão sem medida e nos convida a expressar uns aos outros a alegria do perdão, como sinal da presença de Cristo, morto e ressuscitado em nossa vida. Passamos da morte para a vida quando amamos nossos irmãos e irmãs.

Dia 14, quarta-feira, celebramos a festa da Exaltação da Santa Cruz e dia 15, Maria, junto à cruz de Jesus, festa de Nossa Senhora das Dores. Sugestões para a equipe de celebração: 1. Neste domingo do “perdão sem medida”, o abraço da paz poderá ser sinal do perdão e da reconciliação entre as pessoas. Perdão e reconciliação fazem parte da própria essência da assembleia litúrgica. Quem preside poderá motivar a assembleia a realizá-lo após a homilia. 2. Continuar dando destaque à liturgia da Palavra. 3. Valorizar a Oração do Pai-Nosso, que hoje poderá ser cantada e acompanhada de algum gesto.

LEITURAS BÍBLICAS: 2ª-f.: lTm 2,1-8; Lc 7,1-10. 3ª-f.: lTm 3,1-13; Lc 7,11-17. 4ª-f.: Festa de Exaltação da Santa Cruz –

Nm 21,4b-9 ou Fl 2,6-11; Jo 3,13-17. 5ª-f.: Memória de Nossa Senhora das Dores – Hb 5,7-9; Jo 19,25-27 ou Lc 2,33-35. 6ª-f.: lTm 6,2c-12; Lc 8,1-13. Sábado: 1Tm 6,13-16; Lc 8,4-15. Domingo: 25º Domingo do Tempo Comum - Is 55,6-9; Fl 1,20c-24.27a; Mt 20,1-16a.

Akathistos Hino de louvor à Mãe de Deus

28 de outubro 19h, Catedral Metropolitana CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

24º Domingo do Tempo Comum – Ano A 11 de setembro de 2011 - Ano XXVIII - Nº 1626

PERDOAR, DE CORAÇÃO, AO IRMÃO 1. MOTIVAÇÃO

A – Deus nos reuniu aqui para nos oferecer seu amor, seu perdão, isto é, nos fazer viver a justiça do Reino. Essa proposta exige de nós disposição para perdoar como Deus nos perdoa. Iniciemos nossa celebração, cantando.

2. CANTO DE ABERTURA (41º Curso: 08.11)

5. HINO DE LOUVOR (31º Curso: 04.06)

Glória, glória, glória a Deus nos céus! / E na terra paz aos filhos seus! 1. Deus e Pai, nós vos louvamos, adoramos, / nós vos bendizemos por vosso amor; / damos glória eterna ao vosso Santo Nome, / vossos dons vos agradecemos, ó Pai! 2. Senhor nosso, Jesus Cristo, Salvador, / Filho Unigênito de Deus Pai, / vós de Deus Cordeiro, vós, Cordeiro Santo, / nossas muitas culpas, Senhor, perdoai! 3. Vós, que estais sentado junto de Deus Pai, / como nosso irmão, nosso intercessor, / acolhei, benigno, os nossos pedidos, / atendei, Senhor, este nosso clamor! 4. Vós, Senhor Jesus, somente sois o Santo, de Deus o Altíssimo, o Senhor, / com o Santo Amor, Espírito Divino, / de Deus Pai na glória e no puro esplendor!

1. Ao Senhor dos senhores cantai, / ao Senhor, Deus dos deuses, louvai! / Maravilhas só Ele é quem faz, / bom é Deus, ao Senhor, pois, louvai! Com saber, Ele fez terra e céu, / sobre as águas a terra firmou; / para o dia reger fez o sol / e as estrelas pra noite criou. Pois eterno é seu amor por nós. / Eterno é seu amor! (bis) 2. Poderosos sem dó abateu, / a famosos reis desbaratou; / sua terra Israel recebeu, / como herança a seu povo entregou. Se lembrou de nós na humilhação, / ao Senhor, Salvador, proclamai, / dele nós 6. ORAÇÃO recebemos o pão: / ao Senhor, Deus do P – Oremos. (Pausa para oração) Ó Deus, criador de todas as coisas, volvei céu, celebrai! para nós o vosso olhar e, para sentirmos 3. ACOLHIDA em nós a ação do vosso amor, fazei que P – Em nome do Pai... vos sirvamos de todo o coração. Por nosso T – Amém. Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na uniP – O Senhor, que encaminha os nossos dade do Espírito Santo. corações para o amor de Deus e a consT – Amém. tância de Cristo, esteja convosco. T – Bendito seja Deus que nos reuniu LITURGIA DA PALAVRA no amor de Cristo. A – A Palavra de Deus nos incentiva 4. ATO PENITENCIAL a viver sempre o perdão. Escutemos! P – De coração contrito e humilde, aproximemo-nos do Deus justo e santo, para 7. PRIMEIRA LEITURA Leitura do Livro do Eclesiástico que tenha piedade de nós, pecadores. (Pausa) (27,33-28,9) – 33O rancor e a raiva P – Senhor, que viestes procurar quem são coisas detestáveis; até o pecaestava perdido, tende piedade de nós. dor procura dominá-las. 28,1Quem se T – Senhor, tende piedade de nós. vingar encontrará a vingança do SeP – Cristo, que viestes dar a vida em res- nhor, que pedirá severas contas dos seus pecados. gate de muitos, tende piedade de nós. 2 T – Cristo, tende piedade de nós. Perdoa a injustiça cometida por teu próximo: assim, quando orares, P – Senhor, que congregais na unidade os vossos filhos dispersos, tende piedade teus pecados serão perdoados. 3 Se alguém guarda raiva contra o de nós. outro, como poderá pedir a Deus a T – Senhor, tende piedade de nós. cura? 4Se não tem compaixão do seu (Conclusão pelo presidente)

semelhante, como poderá pedir perdão dos seus pecados? 5Se ele, que é um mortal, guarda rancor, quem é que vai alcançar perdão para os seus pecados? 6 Lembra-te do teu fim e deixa de odiar; 7pensa na destruição e na morte, e persevera nos mandamentos. 8Pensa nos mandamentos, e não guardes rancor ao teu próximo. 9 Pensa na aliança do Altíssimo, e não leves em conta a falta alheia! – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

8. SALMO 102 (103)

(Salmos e Aclamações / ano A: 12.10 – vol. III)

O Senhor é bondoso, compassivo e carinhoso. 1 Bendize, ó minh’alma, ao Senhor, / e todo o meu ser, seu santo nome! / 2Bendize, ó minh’alma, ao Senhor, / não te esqueças de nenhum de seus favores! 3 Pois ele te perdoa toda culpa / e cura toda a tua enfermidade; / 4da sepultura ele salva a tua vida / e te cerca de carinho e compaixão. 9 Não fica sempre repetindo as suas queixas / nem guarda, eternamente, o seu rancor. / 10Não nos trata como exigem nossas faltas, / nem nos pune em proporção às nossas culpas. 11 Quanto os céus por sobre a terra se elevam, / tanto é grande o seu amor aos que o temem; / 12quanto dista o nascente do poente; / tanto afasta para longe nossos crimes. (Tempo de silêncio)

9. SEGUNDA LEITURA

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos (14,7-9) – Irmãos: 7Ninguém de nós vive para si mesmo ou morre para si mesmo. 8Se estamos vivos, é para o Senhor que vivemos; se morremos, é para o Senhor que morremos. Portanto, vivos ou mortos, pertencemos ao Senhor. 9Cristo morreu e ressuscitou exatamente para isto: para ser o Senhor dos mortos e dos vivos. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)


10. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(Salmos e Aclamações / ano A: 12.10 – vol. III)

Aleluia, aleluia! / Aleluia, aleluia!/ Aleluia, aleluia, aleluia!/ Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! Eu vos dou este novo Mandamento, nova ordem, agora, vos dou; / que, também, vos ameis uns aos outros como eu vos amei, diz o Senhor! P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus. T – Glória a vós, Senhor. (18,21-35) – Naquele tempo, 21Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?” 22Jesus respondeu: “Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. 23 Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados. 24Quando começou o acerto, levaram-lhe um que lhe devia uma enorme fortuna. 25 Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida. 26O empregado, porém, caiu aos pés do patrão e prostrado, suplicava: ‘Dá-me um prazo, e eu te pagarei tudo!’ 27 Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida. 28 Ao sair dali, aquele empregado encontrou um dos seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Paga o que me deves’. 29 O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: ‘Dá-me um prazo, e eu te pagarei!’ 30Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão até que pagasse o que devia. 31 Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo. 32 Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: ‘Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. 33Não devias tu também ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?’ 34 O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos

torturadores, até que pagasse toda a sua dívida. 35 É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão”. – Palavra da Salvação. T – Glória a vós, Senhor. (Tempo de silêncio)

O fruto de sua terra e do povo trabalhador, / na missa é transformado no Sangue do Salvador!

15. ORAÇÃO

P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício aceito por Deus, Pai todo-poderoso. T – Receba o Senhor por tuas mãos 11. HOMILIA este sacrifício, para glória do seu (Após a homilia, pausa para reflexão.) nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja. 12. PROFISSÃO DE FÉ P – Cheios de confiança, professemos a Sede propício, ó Deus, às nossas súplicas, e acolhei com bondade as oferennossa fé. das dos vossos servos e servas para que T – Creio em Deus Pai... aproveite à salvação de todos o que cada 13. ORAÇÃO COMUNITÁRIA um trouxe em vossa honra. Por Cristo, P – Peçamos ao Senhor, cheios de con- nosso Senhor. fiança, que nos perdoe e nos renove. T – Amém. 1. Senhor, sustentai o Papa para que seja ORAÇÃO EUCARÍSTICA VIII sempre dedicado ao serviço da reconci- 16. (Prefácio próprio) liação, do diálogo. P – O Senhor esteja convosco. T – Senhor, escutai nossa prece. T – Ele está no meio de nós. 2. Senhor, abençoai os governantes do P – Corações ao alto. mundo todo para que promovam a recon- T – O nosso coração está em Deus. ciliação e a concórdia entre os povos. P – Demos graças ao senhor, nosso Deus. 3. Senhor, confirmai a missão do Se- T – É nosso dever e nossa salvação. minário Santa Cruz e despertai mais Nós vos agradecemos, Deus Pai todovocações para animar as comunidades; poderoso, e por causa de vossa ação no pois, a messe é grande e os operários são mundo vos louvamos pelo Senhor Jesus. poucos. No meio da humanidade, dividida em 4. Senhor, despertai nossas famílias e contínua discórdia, sabemos por expericomunidades para a prática constante ência que sempre levais as pessoas a prodo perdão, pois é na lida cotidiana que curar a reconciliação. a reconciliação se torna sempre mais Vosso Espírito Santo move os corações, exigente. de modo que os inimigos voltem à ami(Conclusão pelo presidente) zade, os adversários se deem as mãos e os povos procurem reencontrar a paz. LITURGIA EUCARÍSTICA ( Onde não houver missa, segue a partir T – Fazei-nos, ó Pai, instrumentos de vossa paz do nº 22) Sim, ó Pai, porque é obra vossa que a 14. CANTO DE PREPARAÇÃO busca da paz vença os conflitos, que o DAS OFERENDAS perdão supere o ódio, e a vingança dê lu(37º Curso: 08.09) gar à reconciliação. Por tudo de bom que 1. Bendito e louvado seja o Pai, nosso fazeis, Deus de misericórdia, não podeCriador! / O pão que nós recebemos é mos deixar de vos louvar e agradecer. prova do seu amor! / O pão que nós reUnidos ao coro dos reconciliados cantacebemos, que é prova do seu amor, / é o mos (dizemos) a uma só voz: fruto de sua terra e do povo trabalhador. / O fruto de sua terra e do povo trabalha- T – Santo, Santo, Santo... dor, / na missa é transformado no Corpo Deus de amor e de poder, louvado sois do Salvador! em vosso Filho Jesus Cristo, que veio em Bendito seja Deus, bendito seu amor. / vosso nome. Ele é a vossa palavra que liBendito seja Deus, Pai onipotente, nos- berta e salva toda a humanidade. Ele é a mão que estendeis aos pecadores. Ele é o so Criador. (bis) 2. Bendito e louvado seja o Pai, nosso caminho pelo qual nos chega a vossa paz. Criador! / O vinho que recebemos é pro- T – Fazei-nos, ó Pai, instrumentos de va do seu amor! / O vinho que recebe- vossa paz! mos, que é prova do seu amor, / é o fru- Deus, nosso Pai, quando vos abandonato de sua terra e do povo trabalhador. / mos, vós nos reconduzistes por vosso

Filho, entregando-o à morte para que voltássemos a vós e nos amássemos uns aos outros Por isso, celebramos a reconciliação que vosso Filho nos mereceu. Cumprindo o que ele nos mandou, vos pedimos: Santificai, por vosso Espírito, estas oferendas. Antes de dar a vida para nos libertar, durante a ceia, Jesus tomou o pão, pronunciou a bênção de ação de graças e o entregou a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu corpo que será entregue por vós. Naquela mesma noite, tomou nas mãos o cálice e, proclamando a vossa misericórdia, o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Ó Deus, Pai de misericórdia, vosso Filho nos deixou esta prova de amor. Celebrando a sua morte e ressurreição, nós vos damos aquilo que nos destes: o sacrifício da perfeita reconciliação. T – Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou! Nós vos pedimos, ó Pai, aceitai-nos também com vosso Filho e, nesta ceia, dainos o mesmo Espírito, de reconciliação e de paz. T – Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou! Ele nos conserve em comunhão com o Papa Bento XVI, e nosso (Arce)bispo, com todos os bispos e o povo que conquistastes. Fazei de vossa Igreja sinal da unidade entre os seres humanos e instrumento da vossa paz. T – Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou! Assim como aqui nos reunistes, ó Pai, à mesa do vosso Filho em união com a Virgem Maria, Mãe de Deus, e com todos os santos, reuni no mundo novo, onde brilha a vossa paz, os homens e as mulheres de todas as classes e nações, de todas as raças e línguas, para a ceia da comunhão eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor. T – Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou! Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém.

17. PAI-NOSSO

ONDE NÃO HOUVER MISSA P – Rezemos, com amor e confiança, a oração que o Senhor nos ensinou: 24. COLETA FRATERNA T – Pai nosso... (É o momento de trazer donativos ou 18 A. CANTO DA COMUNHÃO oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia (41º Curso:08.11) Se eu não tiver amor, / eu nada sou, Se- canta o n. 14 deste folheto.) nhor! / Se eu não tiver amor, / eu nada 25. DA PALAVRA À REFEIÇÃO sou, Senhor! (Quem preside convida a assembleia a 1. O amor é compassivo, / o amor é serviçal. / se aproximar do altar.) O amor não tem inveja, / o amor não busca P – Vamos dar graças ao nosso Deus reo mal. partindo entre nós o pão consagrado em 2. O amor nunca se irrita, / não é nun- memória de Jesus, que veio para sentar-se ca descortês. / O amor não é egoísta, / o à mesa com os pobres. Que ele nos aleamor não é dobrez. gre na comunhão do seu amor e nos dê 3. O amor tudo desculpa, / o amor é cari- a graça de um coração misericordioso e dade. / Não se alegra na injustiça, / é feliz sedento de justiça. só na verdade. (38º Curso: 03.10) 4. O amor suporta tudo, / o amor em tudo Vós sois o Caminho, a Verdade e a crê. / O amor guarda a esperança, / o Vida, / o pão da alegria descido do céu. amor sempre é fiel. 5. Nossa fé, nossa esperança, / junto a 26. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS Deus terminarão, / mas o amor será eterO(a) presidente, ocupando o lugar no alno, / o amor não passa, não. tar, convida a assembleia para o louvor: 19. MOMENTO DE SILÊNCIO P – O Senhor esteja com vocês. E ORAÇÃO PESSOAL T – Ele está no meio de nós. Refrão meditativo: (22º Curso: 09.01) Onde reina o amor, fraterno amor, / onde P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. reina o amor, Deus aí está. P – Nós te damos graças, ó Deus da vida, 20. ORAÇÃO porque neste dia santo de domingo nos P – Oremos. (Pausa para oração) acolhes na comunhão do teu amor e reÓ Deus, que a ação da vossa Eucaristia novas nossos corações com a alegria da penetre todo o nosso ser para que não ressurreição de Jesus. sejamos movidos por nossos impulsos, T – Glória a ti, Senhor, graças e louvor! mas pela graça do vosso sacramento. P – Esta comunidade aqui reunida recorPor Cristo, nosso Senhor. da a vitória sobre a morte, escutando a T – Amém. tua Palavra e repartindo o pão, na espe21. AVISOS DA COMUNIDADE rança de ver o novo céu e a nova terra, onde não haverá fome, nem morte, nem dor, e onde viveremos na plena comuRITOS FINAIS nhão do teu amor. 22. BÊNÇÃO FINAL T – Glória a ti, Senhor, graças e louvor! P – O Senhor esteja convosco. P – Por este sinal do corpo do teu Filho, T – Ele está no meio de nós. expressamos nosso desejo de corresponP – Deus todo-poderoso vos abençoe der com mais fidelidade à missão que nos na sua bondade e infunda em vós a sa- deste e invocamos sobre nós o teu Espíbedoria da salvação. rito. Apressa o tempo da vinda do teu reiT – Amém. no, e recebe o louvor de todo o universo e P – Sempre vos alimente com os ensi- de todas as pessoas que te buscam. namentos da fé e vos faça perseverar T – Glória a ti, Senhor, graças e louvor! na prática do perdão. P – Toda a nossa louvação chegue a ti em T – Amém. nome de Jesus, por quem oramos com as P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, palavras que ele nos ensinou: T – Pai Nosso... pois vosso é o reino, o Pai e Filho e Espírito Santo! T – Amém. poder e a glória para sempre.

23. DESPEDIDA

27. ABRAÇO DA PAZ

P – Ide em paz, e o Senhor vos acom- P – Irmãos e irmãs, por sua morte e respanhe. surreição, o Cristo nos reconciliou. DeT – Graças a Deus. mo-nos uns aos outros o abraço da paz!


24_dtc_set_2011