Issuu on Google+

Abril / 2014

Ano X

Informativo São Francisco

1

Boletim Informativo da Paróquia São Francisco de Assis - Sorocaba/SP

Nº 139

Abril / 2014

Poesia do Mês Vida em Vós Pag. 2

Semana Santa Programação Pag. 3

Juca Jovens Unidos em Cristo Amado Pag. 5

Tríduo em Louvor a

São José

Mural Tríduo em Louvor a São José Pag. 8


2

Informativo São Francisco

Mês de Abril

Editorial

Semana Santa Mês de abril estaremos vivendo a Semana Santa. As celebrações iniciam no domingo de Ramos ao de Páscoa, período que inclui o Tríduo Pascal o núcleo central do ano litúrgico: Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo. Tempo de formação cristã e renovação espiritual. Dias de intensa participação na comunidade e de assumir o jeito de Jesus amar e servir. No Domingo de Ramos comemoraremos a entrada do Senhor em Jerusalém, para realizar o seu mistério pascal. “O Cristo é reconhecido pelo povo como Messias, que vem realizar todas as promessas dos profetas” e instaurar o Reino de justiça. Na Quinta-feira santa é o dia da entrega. Cristo se entrega ao Pai por amor aos irmãos. O lava-pés é gesto expressivo de entrega até o fim. Contrapondo com Judas que entrega Cristo por cobiça e infidelidade.“O silêncio, o jejum e a revisão de vida” marcam a Sexta-feira santa, dia em que comemoramos a paixão e a morte de nosso Salvador. Este é o dia do ato supremo de amor de Cristo que entrega sua vida na cruz. Por este gesto supremo de amor, expresso no coração aberto de Jesus pela lança, que “nascem os sacramentos pascais”: batismo (água) e eucaristia (sangue).Aos pés da Cruz, a Igreja em oração quer trazer as dores de toda a humanidade, para que o sangue precioso de Cristo possa curar todos os males. No Sábado Santo dia da Vigília Pascal, a Igreja permanece junto ao sepulcro do Senhor, meditando sua Paixão e Morte, e abstendo-se do sacrifício da Missa, para viver, na solene Vigília, as alegrias da Ressurreição, que transbordarão por cinquenta dias. Esta é a celebração mais importante na vida do cristão. Nela falam os símbolos da vida: o fogo, a luz (círio pascal), a água, o óleo, o pão e o vinho. E no Domingo de Páscoa a celebração da passagem de Cristo da morte na cruz para a ressurreição, que morrendo destruiu a morte; ressurgindo, deu-nos nova vida. Nele todos ressuscitarão. Que todos nós possamos viver esses momentos expressivos de nossa fé. Feliz Páscoa!!! MARIA DE LOURDES SOUZA (MALU)

Abril / 2014

“A RESSUREIÇÃO DE JESUS” Caríssimos Irmãos em Cristo, estamos nos aproximando da festa da ressurreição de Jesus. O mestre, após três anos de intenso ensinamento, é condenado pelos homens à morte em uma cruz. Segundo a Bíblia a expiação de nossos pecados está selada na cruz da redenção, mas a grande pergunta que vem neste momento é: será que realmente a morte de Jesus no madeiro me converteu? Para que possamos responder a essa e a tantas perguntas em nossa mente, é importante que tenhamos o coração e a mente abertas, para sentir o verdadeiro sentido de ser cristão. E para isso, torna-se fundamental que façamos um exame serio de consciência com a nossa caminhada, perguntando-se primeiramente como estou depois de vivenciar a quaresma de Jesus? Vamos nos lembrar que o significado de quaresma é deserto, é oração, é entrega total aos caminhos do Pai. Se prestarmos atenção às celebrações que antecedem a Páscoa, poderemos perceber que Jesus nos convida à conversão verdadeira, ensina-nos através dos apóstolos,

A força da palavra

Se queres... Se queres pedir, primeiro ofertai; Se queres receber, primeiro dai; Se queres vencer, primeiro desejai; Se queres conquistar, primeiro lutai; Se queres felicidade, primeiro procurai; Se queres melhorar, primeiro esmerai; Se queres amar, primeiro se doai; Se queres viver, primeiro agradecei e acreditai no Senhor, nosso Criador e Redentor... e assim será ! Nelson Nemer

que o verdadeiro servo é aquele que obedece ao Pai, torna-se serviço na comunidade e servidor dos mais necessitados. Jesus, antes de ser entregue a Pilatos, se despe de tudo, menos do homem. Jesus sabe que a missão de seguir a cruz não é fácil, no entanto, promete a cada um que segui-lo com fidelidade, o Reino dos Céus. Fica fácil quando falamos de um mestre distante, mais extremamente comprometedor, quando olhamos para o altar e enxergamos nossos vícios, nossas arrogâncias, nossas prepotências, em nome de um cristianismo vivenciado na sacristia e não na vida real. Jesus não quer nos deixar títulos, seja de coordenadores ou de donos da Igreja, Jesus quer nos deixar o compromisso de amar a cada um de nossos irmãos, importando-se realmente se a sua caminhada é Santa. Caríssimos, ser cristão não é fácil, pois exige renuncia. Ser cristão é ser diferente em todos os momentos de nossas vidas, ser cristão é aceitar a cruz e levá-la até o calvário. Quando pensamos na caminhada de Jesus, não encontramos nenhum tipo de arrogância naqueles que o procuram. Portanto, meus irmãos queridos, Jesus em sua caminhada mostra que para chegar ao céu é necessário que façamos com ele o verdadeiro encontro de servos, tenhamos em sua mensagem uma lição que deve ser lida e compreendida, para seguir e não simplesmente para ouvir por um ouvido e soltar pelo outro. Algo que podemos e devemos buscar nos ensinamentos de Jesus está relacionado ao nosso engajamento dentro de nossas comunidades. Igreja é espaço de oração, é espaço de entrega, de vivencia na caridade do perdão e da conversão de todos. Quando questiono em meus textos a ausência de pessoas na Igreja, estou tentando mostrar a cada um de nós a sua parcela de responsabilidade, pois acredito que aos céus ninguém irá sozinho, só chegaremos a atingir a glória de Deus se ao nosso lado estiver aquele irmão marginalizado, aquela Irmã esquecida nos bancos, aquele pobre que ainda não tem sua identidade restabelecida por uma so-

ciedade gananciosa em seus direito, mais carente em seus deveres. Podemos tomar como base a participação de Maria no processo de Salvação: ela como mãe e serva deu a Luz ao menino, e depois que este tornou-se adulto a mãe passou a ser seguidora do mestre, não como mãe mas como alguém disposto a servir. Jesus sabe da presença de sua mãe, mas trata-a como alguém comum, pois sua missão é muito maior, seu resgate passa pela família de Nazaré, mas passa também pelo calvário. É necessário que tudo seja entregue ao Pai, para que sua vocação em tornar-se comida e bebida, atinja o objetivo central, que é o Homem em sua essência. Maria, em sua humildade tudo compreende e, guarda em seu coração todas as mensagens ensinadas pelo seu filho, ela sabe de sua importância, mas sabe também do compromisso maior a que seu único filho fora chamado. E no momento de maior angústia, na hora de voltar ao Pai, Jesus devolve a maternidade a Maria, colocando-a como aquela que estará junto dos apóstolos, para servir, para orar, para transformar a vida daqueles homens rudes mais sensíveis à palavra de uma mãe. Por fim, podemos refletir sobre

EXPEDIENTE Informativo São Francisco - Ano X nº: 139 - Abril/2014 - Publicação Mensal Responsável: Pe. Frei Cid Tadeu Passos OFM - Coordenadores Pascom: Sérgio e Solange Morbiolo Redatores e Noticiarista: Equipe PASCOM - Diagramação e arte: Wilson Roberto Grillo Jr. Impressão: Diário de Sorocaba Tiragem: 1200 exemplares - Para anunciar ligue: (15) 3231-3100 e-mail: paroquia@saofranciscovilaassis.com.br site: saofranciscovilaassis.com.br

a nossa conversão individual: Jesus, durante seus anos de catequese, procura mostrar a cada um de nós como deve ser o nosso procedimento. Vejam caríssimos, ele não nos chama mais de amigos, mas de irmãos, para que entendamos que a nossa missão está em continuar com o seu projeto, a ressurreição que em breve iremos celebrar está dentro de cada um de nós, em nossas atitudes, em nossas entregas, em nossa forma de agir. Se Jesus continuar ressuscitando, depende do nosso compromisso. Viver a quaresma é viver a verdadeira sabedoria da cruz, é entender que o homem só muda se permitir no seu íntimo que Jesus ressuscite todos os dias. Alimentar-se do pão da vida é viver o mistério do calvário, é sentir-se cada vez mais responsável por cada ação, cada gesto, cada palavra, que tornam a Igreja de Jesus santa, pelo amor e entrega do Mestre, e pecadora, pois ainda somos limitados e incapazes de amar verdadeiramente.

Carlos Roberto Jacomini

Poesia do Mês

VIDA EM VÓS A nossa vida terrena, É uma grande missão. Mas sem Vós é tão pequena, E perdemos toda a razão. Vivendo na verdade, Nós faremos proezas. Encontramos a felicidade, Em Vós com toda a certeza. O nosso coração se eleva, Na Vossa presença Senhor. A nossa vida conserva, Envolvida no Vosso amor. Neste momento Divino, Jesus se faz presente. É como ouvir um sino, Chamando pra a vida, insistente. Maria Marlene Pontes de Tate.


Informativo São Francisco

Abril / 2014

MISSA EM LOUVOR A SÃO JOSÉ OPERÁRIO O PATRONO DOS TRABALHADORES

N

o próximo dia 1º de maio, quinta-feira, às 19h30, na Comunidade São Francisco de Assis, teremos a Missa Paroquial, em Louvor a São José Operário, comemorando o Dia Internacional do Trabalho. A história de São José está ligada à vida de Jesus e Maria. Sua missão específica na Família de Nazaré está relacionada com toda igreja. O nome José, em hebraico, significa “Deus acrescenta”. As rápidas referências do Evangelho apresentam traços da vida de José, sua vocação e missão ao lado de Jesus e Maria, sua importância na história da salvação. O Papa Pio IX, na celebração do Concílio Vaticano I, no ano de 1870, proclamou São José Patrono da Igreja Católica em todo universo. Seu sucessor, Papa Leão XIII, destacou a vida de São José Operário ao tratar do mundo do trabalho na encíclica “Renum Novarum”, editada em 1891. No ano seguinte, em 1892, o Papa estabeleceu a festa da Sagrada Família. Em 1955, Pio XII ordenou que, além da festa de 19 de março, também se celebrasse São José Operário no dia 1º de maio. O Papa João XXIII, no final da primeira sessão do Concílio Vaticano II em 1962, e a pedido dos bispos do Canadá, onde o povo tem uma

Queremos aqui homenagear e dar as boas vindas às crianças que chegaram recentemente à nossa paróquia e pedir que Deus abençoe essas famílias e as ajude a guiar os passos desses pequeninos, ensinando-os a viver a Palavra de Deus.

Isabelly Sophia -15/01/2014 Jean e Suzana

Jorge – 25/02/2014 Wiliam e Juliana

Davi – 04/02/2014 Thiago e Kely

grande devoção a São José, incluiu seu nome no cânon da missa. Os últimos Papas falaram com freqüência da vida de São José. São José, esposo da mãe de Deus e Pai adotivo do Salvador, rogai por nós! Equipe da Liturgia

Dia 03/04 (5ª feira) às 19h00 na Paróquia Bom Jesus dos Aflitos Dia 07/04 (2ª feira) às 19h00 na Paróquia São Francisco de Assis Dia 10/04 (5ª feira) às 19h00 na Paróquia Santo Antonio

PROGRAMAÇÃO PARA A SEMANA SANTA

EXALTAÇÃO DA CRUZ VIA SACRA AO VIVO VIGÍLIA PASCAL MISSA DE PÁSCOA

SEJAM BEM VINDOS Arthur – 05/01/2014 Jeison e Amanda

CONFISSÕES EM PREPARAÇÃO PARA A PÁSCOA

MISSA DE RAMOS ENCONTRO DAS IMAGENS MISSA DOS SANTOS ÓLEOS CEIA DO SENHOR

3

13/04 (DOMINGO) 08H00 COM. SÃO MATEUS 15/04 (TERÇA-FEIRA) 20H00 COM. N.SRA.APARECIDA 16/04 (QUARTA-FEIRA) 19H00 CATEDRAL 17/04 (QUINTA-FEIRA) 19H30 COM. SÃO FRANCISCO Como Gesto Concreto, Trazer Alimento não Perecível 18/04 (SEXTA-FEIRA) 15H00 COM. SÃO FRANCISCO 18/04 (SEXTA-FEIRA) 17H00 COM. SÃO FRANCISCO 19/04 (SÁBADO) 19H30 COM. SÃO FRANCISCO 20/04 (DOMINGO) 08H00 COM. SÃO FRANCISCO

OS SINAIS DE DEUS Sempre ouvimos falar dos sinais que Deus coloca em nossos caminhos, para nos alertar, para nos esclarecer, para nos mostrar, de maneira sutil, a sua presença. No domingo, 30 de março, na missa da Comunidade Nossa Senhora do Carmo, quase nos passou desapercebido um pequeno sinal: um menino brincando com uma lanterna acesa na mão, percorria todos os corredores da igreja. Era o 4º Domingo da Quaresma, o Domingo da Alegria, também apontado como o Domingo da Luz. Nas leituras desse dia, Jesus declara: “Enquanto estou no mundo Eu sou a Luz do Mundo”. E então, passando nos olhos de um cego de nascença, lama que fizera com sua saliva e terra, fez com que ele enxergasse, visse a luz. Ao iniciar a homilia, o Frei Cid pediu que a mãe levasse o menino até o altar e nos alertou sobre esse sinal, fazendo que entendêssemos o paralelo entre a luz da lanterna e a luz falada na Bíblia. Qual não foi a nossa surpresa, quando descobrimos que o menino se chamava Francisco, como Francisco de Assis, o fiel súdito de Jesus. A sutileza do que acontecera nos sensibilizou, vendo aquele menino, que nem se deu conta

do que acabara de protagonizar. “Pois eu sou a Luz do Mundo, quem nos diz é o Senhor; e vai ter a Luz da Vida quem se faz meu seguidor!”. (Jo 8,12) PASCOM


4

Informativo São Francisco

Abril / 2014

CAFEZINHO DO DÍZIMO COMUNIDADE SÃO PEDRO

PASTORAL DOS SURDOS

DA ARQUIDIOCESE DE SOROCABA LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais

A inclusão de crianças, adolescentes, jovens e adultos com surdez requer, das pastorais e movimentos das paróquias, estratégias e ações para que possa ocorrer, de fato, a evangelização. Para termos uma idéia, de como estamos em relação à evangelização dessas pessoas em nossa paróquia, vamos pensar nestas questões: •Quantas pessoas surdas temos, em cada uma de nossas comunidades? •Quem são elas? •Onde elas se sentam, durante as celebrações? •Como são recebidas pela acolhida? •Se não ouvem, o que elas compreendem das celebrações? •Como nos comportamos quando estamos sentados ao lado delas? Será que sabemos que são pessoas surdas? •Como está sendo feita a formação religiosa delas? Tentando responder, pelo menos uma destas perguntas, é que temos noção do longo caminho que temos a percorrer. De início, temos que pensar em como incluí-las nas

missas, nos nossos encontros de pastorais e nos movimentos. Temos que pensar em como levar, até elas, a Doutrina da Igreja Católica. Como sempre, a Providência Divina se manifestou: na reunião do C.P.P. do dia 28 de março, recebemos a visita da Coordenadora Geral e dos Intérpretes da Pastoral dos Surdos da Arquidiocese de Sorocaba, Maria Angela e de seu marido José Egídio. Eles vieram para, com o apoio e incentivo total do Frei Cid, divulgar e nos ajudar na criação da Pastoral dos Surdos da Paróquia São Francisco de Assis, através de Formação e Curso de Libras. Na fundação da Pastoral dos Surdos da Arquidiocese de Sorocaba, Dom Eduardo encerrou o evento dizendo:“Os surdos ouvem. Se não ouvem a voz que sai de nossos lábios, ouvem as mãos de quem tem o coração cheio de amor”. “Que Nossa Senhora, a Mãe do Silêncio, a Senhora da Ponte, cubra-nos com seu Manto de Amor!”.

PASCOM

A história do café, que é servido após as missas na Comunidade São Pedro, começou por volta de 2008 quando, voluntários, pessoas da comunidade, traziam-no pronto de suas casas. Com o passar do tempo, foram diminuindo os voluntários, e então, o Sr. Mota assumiu toda a responsabilidade. Em meio às dificuldades, um belo gesto aconteceu: a doação de uma cafeteira elétrica, para facilitar o compromisso assumido com a comunidade. Os primeiro que chegam à missa, deixam tudo preparado para que nós possamos ofertar o dízimo de coração, enquanto a comunidade se prepara para ouvir a palavra de Deus e receber Jesus Eucarístico. Entre um momento e outro, sempre com bom humor, o cafezinho fica pronto. Ao final da missa, todos tomam o delicioso café, servido por voluntárias dedicadas que, entre um sorriso e uma palavra carinhosa, alegram nossas manhãs de domingo. O mundo com certeza se tornaria um lugar melhor, se todos nós aprendêssemos a amar aqueles que convivem conosco, aqueles que não conhecemos ou aqueles nunca chegaremos a conhecer... Espalhe Amor e Colha Seus Frutos. Receita do café • Ele é feito com água da fonte da vida • Fervido com o fogo do Espírito Santo

• Misturado com o pó da felicidade • Adoçado com a doçura do Amor • Preparado e servido pelos Anjos do céu • Especialmente pra você!!! Tenha um dia abençoado!!! Ivan, Célio e Luizinho

NOTÍCIAS DA LEGIÃO DE MARIA No dia 22 de março, aconteceu na Comunidade São Mateus a festa de Ácies, festa que acontece anualmente, onde todos os Legionários, ativos e auxiliares, renovam sua Consagração a Nossa Senhora. Com a Graça de Deus, tivemos a participação de mais de 80 Legionários.

Agradecemos a presença de todos, em especial ao nosso diretor espiritual Diácono Pedro e sua esposa e também aos jovens da Comunidades São Mateus, que alegraram a nossa festa com cânticos em louvor a Nossa Senhora. Maria e Adauto - Legião de Maria


Informativo São Francisco

Abril / 2014

5

Fotos Históricas da Paróquia

JUCA

O

(Jovens Unidos em Cristo Amado)

grupo de jovens JUCA (Jovens Unidos em Cristo Amado) da Comunidade São Matheus completou no dia 31 de março, 2 anos de existência, sendo realizada uma celebração em ação de graças pelo aniversário no sábado (29/03) na própria comunidade. Gostaríamos de agradecer a todos os jovens que participam do grupo, pois com a unidade e colaboração de todos, estamos cada vez mais crescendo na fé e aprendendo a superar as barreiras que fazem parte da caminhada. Pedimos também, que sempre lembrem de

todos nós em suas orações, e convidamos, aos que ainda não conhecem o grupo, a participarem conosco. Nossas reuniões acontecem aos sábados após a missa das 17h30 no bairro Colorau, com início às 19h00. Juntos, formamos uma única família em Deus: “E esta é a vitória que vence o mundo, a nossa Fé”(1Jo 5,4b). Paz e Bem! Murilo e Geisa – Coordenadores do grupo JUCA

CATEQUESE Continuam abertas as inscrições para a Catequese Infantil e de Adulto. Os interessados, devem procurar os coordenadores de catequese nas comunidades, após as missas de sábado e domingo. Venha conhecer a vida de Jesus mais de perto, participando da Catequese!

RESPOSTA ADIVINHE QUEM É Da edição de Março Casamento realizado em 28/04/1968, pelo Pe.Osvaldo Bazzo. Noivos: Francisco e Mara Soler.

ADIVINHE QUEM SÃO

Vamos identificar cada uma destas pessoas? Resposta na próxima edição.

Pastorais Às Pastorais, Sua pastoral ou grupo aparece pouco no jornal informativo da Paróquia??? Para divulgar seus eventos que aconteceram ou que acontecerão basta mandar um e-mail para nós.

solmorbiolo@yahoo.com.br


6

Informativo São Francisco

Abril / 2014

Evangelho

EVANGELHO DOMINICAL - Abril de 2014 06.04.2014 5º DOMINGO DA QUARESMA / ANO A - 1ª L: EZ 37,12-14 SL 129 (130) -2ª L:RM 8,8-11-EV: JO 11,37.17.20-27.33B-45 “ELE É RESSURREIÇÃO E VIDA. QUEM CRÊ NELE RESSUSCITARÁ” A Palavra de Deus nos apresenta Jesus a caminho de Jerusalém. Esta é sua última viagem. Em Betânia, pertinho de Jerusalém, faz seu último milagre: reanima Lázaro, que já estava morto. E, ainda, durante este grande milagre afirma: “Eu sou a Ressurreição e a Vida”. Jesus ressuscita Lázaro. No choro pela morte de Lázaro, vemos sua dor pela morte da humanidade. O ser humano é impotente diante da morte, nada pode fazer. Mas com Jesus é diferente. Quando Jesus chega junto ao túmulo de Lázaro, basta uma ordem sua e ele tornou a viver. A morte não é obstáculo para Jesus. Ele veio trazer à humanidade a plenitude da vida. A atitude de Jesus deixa uma lição importante para a comunidade cristã. Deixando que Lázaro morresse, Jesus nos diz que ele não veio para impedir a morte física, não é sua missão interromper o curso natural da vida. A nossa vida terrena, bem o sabemos, deve terminar, não pode durar para sempre. Jesus não veio para eternizar esta vida terrena, mas para dar-nos a vida que não acaba. 13.04.2014 DOMINGO DE RAMOS E DA PAIXÃO DO SENHOR –1ª L: IS50,4-7 / SALMO: SL 21 /2ª L: FL 2,6-11/ EV: MT 27,11-54 “ACLAMAR E SEGUIR CRISTO, REI E SENHOR, OBEDIENTE ATÉ A MORTE” No Domingo de Ramos, iniciamos a Semana Santa, vamos recordando e atualizando os passos de Jesus, nos colocando diante do mistério da morte e da ressurreição de Jesus. A morte de Jesus na cruz é ainda hoje incompreendida por muitos cristãos, é vista como uma contradição de alguém que sempre promoveu a vida. O comportamento de Judas e a fraqueza de Pedro representam, muitas vezes, nossas atitudes. São muitas as vezes que traímos como Judas e negamos como Pedro. Judas traiu por ganância. Pedro traiu por medo. A diferença está no arrependimento e na conversão de Pedro. Já Pilatos, querendo agradar ao povo, soltou Barrabás e mandou crucificar Jesus, depois de açoitá-lo. Pilatos fez um gesto político, da pior política. Quantas e quantas vezes acontecem

gestos semelhantes. Para defender interesses pessoais, sacrificamos a justiça e a verdade. 17.04.2014 QUINTA-FEIRA SANTA, DIA DA CEIA DO SENHOR - 1ª L: EX 12,1-8.11-14 / SL 115 (116) / 2ª L: 1COR 11,23-26 / EV: JO 13,1-15 “NA ÚLTIMA CEIA, CRISTO NOS DÁ A EUCARISTIA, O SACERDÓCIO E O MANDAMENTO DO AMOR”. Jesus lavou os pés dos discípulos e os convidou a fazer a mesma coisa na mais profunda atitude de amor e de humildade. Temos muito a aprender de Jesus nesta noite, pois ele nos ensina a importância da humildade e do serviço aos irmãos. Jesus se põe de joelhos diante dos apóstolos para servi-los. O centro da celebração da Quinta-feira Santa é a instituição da Eucaristia, do sacerdócio cristão e do novo mandamento do amor, fundado na não violência. Lembra-nos a partilha com a instituição da Eucaristia. Somos todos filhos do mesmo Pai, somos todos irmãos, então, a mesa do mundo deve ser para todos, sem exclusões. O sacerdócio cristão colocado a serviço do povo nos lembra de que o poder deve ser partilhado e que o maior é aquele que serve. O lava-pés deve ser nossa atitude fundamental. O mandamento do amor nos lembra de que a atitude suprema do ser humano, a exemplo de Cristo, é o perdão, a acolhida, a solidariedade, o empenho pela justiça, a defesa da vida. Nunca o ódio, o revide, a violência, a morte. 18.04.2014 PAIXÃO DO SENHOR –1ª L: IS 52,13– 53,12/ SL 30 (31)/ L: HB 4,14-16; 5,7-9 /EV: JO 18,1-19,42 “CRUZ, SINAL MAIOR DO AMOR TOTAL, ÁRVORE DA VIDA” Jesus enfrenta um júri que o condena injustamente, houve traição, testemunhas falsas, torturas, a autoridade lavando as mãos, a cena violenta da crucifixão e a morte.O caminho da paixão e morte de Jesus, sua via-sacra, nos mostra o caminho terrível do pecado; o caminho de violências, ódios, vinganças. A palavra “paixão” significa sofrimento, sofrer em silêncio, sem colocar a culpa nos outros. É por isso que chamamos o dia de hoje de Sexta-feira da Paixão de Jesus. A maldade humana não poupou nem mesmo o Filho de Deus. Jesus veio para dar a vida e nós lhe demos a morte. Sexta-feira Santa nos coloca diante de Cristo na cruz, e nos

faz pensar: Fui chamado por Deus para tirar as cruzes das costas dos irmãos e não para crucificar. A Paixão de Cristo, que hoje celebramos, culminando com sua morte de cruz, morte dolorosa, violenta e desumana, não pode nos levar a crer que Deus quer que soframos primeiro para depois sermos salvos. A maldade produz a maior parte do nosso sofrimento que afeta a nós mesmos e aos outros. Todos esses sofrimentos são causados pela maldade dos próprios homens que se afastam do caminho de Deus. 19.04.2104 VIGÍLIA PASCAL-EVANGELHO: MT 28,1-1 “CRISTO RESSUSCITADO, PRINCÍPIO E FIM DE TUDO, LUZ DA HUMANIDADE” Somos iluminados pela luz de Cristo ressuscitado. Jesus nos ensina que a morte não é o fim de tudo. Deus quer ainda que tenhamos fé, esperança e a certeza de que a exemplo de Jesus, nenhum justo será abandonado e que as forças da morte, como a injustiça, a calúnia, o ódio, não prevalecerão sobre a vida. Porém, não basta saber que Jesus ressuscitou, precisamos ir ao seu encontro e, o melhor lugar para nos encontrarmos com Jesus ressuscitado é, a exemplo dos apóstolos, participar da comunidade para ouvir a palavra e para partir o pão. A Páscoa é um convite para ouvirmos mais a voz de Deus em nossa vida. A ressurreição não é uma descoberta da mente humana, não é fruto do raciocínio, é uma revelação de Deus.

comunidade para ouvir a Palavra e para partir o Pão. Na comunidade reunida em oração, Jesus ressuscitado pode ser ouvido e visto, com os olhos da fé. 27.04.2014 2º DOMINGO DA PÁSCOA – 1ª L: AT 2,42-47/SL 117 No Evangelho, Jesus ressuscitado aparece à comunidade reunida. É interessante percebermos que Jesus escolhe o momento em que a comunidade está reunida, rezando, para fazer sua aparição e os envia em missão. Tomé não estava presente na comunidade no momento da aparição de Jesus ressuscitado. Consequentemente, não acreditou no que os outros lhe contaram. Teve dificuldades de crer, porque estava só; precisou de provas. Tomé precisou ver para crer. Jesus nos ensina que a falta de fé provoca isolamento e afastamento da comunidade. Existe uma tentação muito forte na cultura atual de ser cristão sem participar numa comunidade, na Igreja e, por outro lado, de buscar vivenciar experiências espirituais individualistas. O que aconteceu com Tomé, também pode acontecer conosco quando relaxamos em nossa participação na Igreja, na nossa Comunidade. Tornamo-nos incrédulos, isto é, pessoas sem fé e que para crer exigimos provas e milagres, a exemplo de Tomé. Felizes de nós se, ao nos reunirmos aos domingos, conseguimos sentir e transmitir a alegria de Jesus Ressuscitado. Maria de Lourdes Souza (Malu)

20.04.2014 DOMINGO DA PÁSCOA NA RESSURREIÇÃO DO SENHOR -1ª L: AT 10,34A.37-43/ SL 117 (118)/ 2ª L: COL 3,1-4/EV: JO 20,1-9 “ELE RESSUSCITOU! É O SENHOR DA VIDA, CAMINHA CONOSCO!” Páscoa! A certeza da ressurreição enche a Igreja e a Humanidade de alegria. A morte não é mais a última palavra sobre o mistério da existência humana. Páscoa quer dizer passagem; passagem na vida de Jesus; passagem na nossa vida. Ao ressuscitar, Jesus não voltou atrás, mas foi além da morte, assumindo uma condição que escapa à nossa compreensão e à nossa experiência. Porém, não basta saber que Jesus ressuscitou, precisamos ir ao seu encontro, e o melhor lugar para nos encontrarmos com Jesus ressuscitado é, a exemplo dos apóstolos, participar da


Abril / 2014

Informativo São Francisco

7

Agenda Paroquial COMUNIDADE SÃO FRANCISCO VILA ASSIS

2ª feira – das 14h00 às 16h00 – Clube de Mães. Segunda 2ª feira do mês às 20h00 – Terço dos Homens. 4ª feira às 19h30 – Grupo de Oração.

COMUNIDADE SÃO PEDRO BARCELONA

2ª feira às 19h30 - Grupo de Oração. Última 6ª feira do mês – Apostolado de Oração. 4ª feira das 14h00 às 16h00 – Clube de Mães. Sábado às 17h30 – Grupo de Jovens.

COMUNIDADE N.S. DO CARMO PARADA DO ALTO

5ª feira às 20h00 – Terço dos Homens Local: casas previamente agendadas 6ª feira às 15h00 – Terço de Jesus Misericordioso. Sábado às 19h30 – Grupo de Oração. Domingo às 17h00 – Grupo de Jovens.

COMUNIDADE N.S. APARECIDA ZACARIAS

Última 4ª feira do mês às 19h30 – Apostolado de Oração. 5ª feira das 14h00 às 16h00 - Clube de Mães. 5ª feira às 19h30 – Grupo de Oração. Sábado às 18h00 – Grupo de Jovens

COMUNIDADE SÃO MATEUS COLORAU

3ª feira às 19h30 – Grupo de Oração. 3ª feira das 14h00 às 16h00 – Clube de Mães. Última 5ª feira do mês às 19h30 – Apostolado de Oração. Segunda 6ª feira do mês às 20h00 – Pós Encontro Sábado às 19h00 – Grupo de Jovens.

MISSAS COMUNIDADE SÃO FRANCISCO 3ª feira às 19h30 4ª feira às 07h00 5ª feira às 19h30 - Missa de Adoração ao Santíssimo Sábado às 19h30 Domingo às 18h00

COMUNIDADE SÃO PEDRO Domingo às 08h00. Primeira 6ª feira do mês às 19h30 – Missa do Sagrado Coração de Jesus e da Família.

COMUNIDADE NOSSA SENHORA DO CARMO

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO COMUNIDADE SÃO FRANCISCO Primeira 2ª feira do mês às 20h00.

COMUNIDADE SÃO PEDRO Terceira 6ª feira do mês às 18h00. 3º domingo do mês às 19h30

COMUNIDADE NOSSA SENHORA DO CARMO

Domingo às 19h30. Primeira 4ª feira do mês às 20h00.

COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA

COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA

Domingo às 09h30. Segunda 5ª feira do mês às 19h30.

COMUNIDADE SÃO MATEUS Sábado às 17h30. Todo dia 27 do mês às 19h30 – Missa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

ATENDIMENTO DO FREI COMUNIDADE SÃO FRANCISCO Toda 5ª e 6ª feira das 14h30 às 16h30.

EXPEDIENTE DA SECRETARIA COMUNIDADE SÃO FRANCISCO De 3ª feira ao sábado, das 13h00 às 19h00.

Pastorais Às Pastorais, Sua pastoral ou grupo aparece pouco no jornal informativo da Paróquia??? Para divulgar seus eventos que aconteceram ou que acontecerão basta mandar um e-mail para nós.

solmorbiolo@yahoo.com.br

COMUNIDADE SÃO MATEUS Toda 4ª feira do mês às 20h00.


8

Informativo São Francisco

Abril / 2014

Mural

TRÍDUO EM LOUVOR A SÃO JOSÉ N

os dias 13, 14, 15 e 16 de março, foi realizado, na Comunidade Nossa Senhora do Carmo, o Tríduo em Louvor a São José, comemorando a vida deste homem simples que, com seu silêncio e sua postura ética, aceitou ser o pai adotivo do Filho de Deus, tomando as rédeas da sua criação e educação. Aconteceram missas, celebradas por Dom Lucas e pelo Frei Cid, com a presença do Diácono Pedro e celebração, realizada pelo Diácono Gerson Shiming. No dia 16, domingo, houve procissão pelas ruas do bairro, com o Frei Cid abençoando as casas e as pessoas que aguardavam a passagem das imagens de São José e Nossa Senhora do Carmo. Na festa externa, com a presença de irmãos das nossas cinco comunidades, num clima de descontração e alegria, pudemos nos confraternizar e saborear as delícias oferecidas nas barracas. No dia 19, quarta-feira, dia consagrado a São José, realizamos momentos de oração, com o Terço, na Comunidade Nossa Senhora do Carmo. PASCOM


2014_04_jornal-de-abril