Page 2

O Senhor me libertará de todo mal e me salvará para o seu Reino celeste. A ele a glória, pelos séculos dos séculos! Amém. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio) 18

10. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Salmos e Aclamações / ano C: 11.12 – vol. II)

Aleluia, aleluia, aleluia! (bis) O Senhor reconciliou o mundo em Cristo, / confiando-nos sua Palavra; / a Palavra da reconciliação, / a Palavra que hoje, aqui, nos salva. P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas. T – Glória a vós, Senhor. (18,9-14) – Naquele tempo, 9Jesus contou esta parábola para alguns que confiavam na sua própria justiça e desprezavam os outros: 10 “Dois homens subiram ao Templo para rezar: um era fariseu, o outro cobrador de impostos. 11 O fariseu, de pé, rezava assim em seu íntimo: ‘Ó Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens, ladrões, desonestos, adúlteros, nem como este cobrador de impostos. 12Eu jejuo duas vezes por semana, e dou o dízimo de toda a minha renda’. 13 O cobrador de impostos, porém, ficou à distância, e nem se atrevia a levantar os olhos para o céu; mas batia no peito, dizendo: ‘Meu Deus, tem piedade de mim que sou pecador!’ 14 Eu vos digo: este último voltou para casa justificado, o outro não. Pois quem se eleva será humilhado, e quem se humilha será elevado”. – Palavra da Salvação. T – Glória a vós, Senhor. (Tempo de silêncio)

11. HOMILIA (Após a homilia, pausa para reflexão.)

12. PROFISSÃO DE FÉ P – Cheios de confiança, professemos a nossa fé. T – Creio em Deus Pai...

13. ORAÇÃO COMUNITÁRIA P – Peçamos ao Senhor que nos dê um coração capaz de fazer subir a Ele súplicas e orações por todas as necessidades da humanidade. T – Ouvi-nos, Senhor!

1. Recebei, Senhor, as orações do nosso Pontífice, o papa Francisco, que zelosamente apascenta o vosso rebanho. 2. Recebei, Senhor, como oração confiante, os esforços generosos de todos os que buscam promover o bem comum, na política, na economia. 3. Recebei, Senhor, como oração suplicante, os gemidos e lágrimas de todos os que sofrem toda sorte de tribulações. 4. Recebei, Senhor, nossas orações, mas, acima de tudo, que em nossa vida seja feita a vossa vontade, que venha o vosso Reino. (Preces espontâneas) P – Senhor, que inspirais as nossas súplicas, atendei as orações dos vossos fiéis, que vos pedem, com sincera humildade, por todos os homens a quem quereis salvar, e tende compaixão de todos eles. Por Jesus Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

.

LITURGIA EUCARÍSTICA

(Onde não houver missa, segue a partir do n. 25 deste folheto.)

14. CANTO DE PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS (41º Curso: 08.11)

1. Muitos grãos de trigo / se tornaram pão; / hoje são teu corpo, / ceia e comunhão. / Muitos grãos de trigo / se tornaram pão. Toma, Senhor, nossa vida em ação / para mudá-la em fruto e missão. / Toma, Senhor, nossa vida em ação / para mudá-la em missão. 2. Muitos cachos de uva / se tornaram vinho; / hoje são teu sangue, / força no caminho. / Muitos cachos de uva / se tornaram vinho. 3. Muitas são as vidas / feitas vocação, / hoje oferecidas / em consagração. / Muitas são as vidas / feitas vocação.

15. ORAÇÃO P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso. T – Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja. P – Olhai, ó Deus, com bondade, as oferendas que colocamos diante de vós, e seja para vossa glória a celebração que realizamos. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA VI – D (Prefácio próprio)

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Corações ao alto. T – O nosso coração está em Deus. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação, dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Pai misericordioso e Deus fiel. Vós nos destes vosso Filho Jesus Cristo, nosso Senhor e Redentor. Ele sempre se mostrou cheio de misericórdia pelos pequenos e pobres, pelos doentes e pecadores, colocando-se ao lado dos perseguidos e marginalizados. Com a vida e a palavra anunciou ao mundo que sois Pai e cuidais de todos como filhos e filhas. Por essa razão, com todos os Anjos e Santos, nós vos louvamos e bendizemos, e proclamamos o hino de vossa glória, cantando (dizendo) a uma só voz: T – Santo, Santo, Santo... Na verdade, vós sois santo e digno de louvor, ó Deus, que amais os seres humanos e sempre os assistis no caminho da vida. Na verdade, é bendito o vosso Filho, presente no meio de nós, quando nos reunimos por seu amor. Como outrora aos discípulos, ele nos revela as Escrituras e parte o pão para nós. T – O vosso Filho permaneça entre nós! Nós vos suplicamos, Pai de bondade, que envieis o vosso Espírito Santo para santificar estes dons do pão e do vinho, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo. T – Mandai o vosso Espírito Santo! Na véspera de sua paixão, durante a última Ceia, ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele, tomando o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o entregou a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando, pois, ó Pai santo, a memória de Cristo, vosso Filho, nosso Salvador,

que pela paixão e morte de cruz fizestes entrar na glória da ressurreição e colocastes à vossa direita, anunciamos a obra do vosso amor até que ele venha e vos oferecemos o pão da vida e o cálice da bênção. Olhai com bondade para a oferta da vossa Igreja. Nela vos apresentamos o sacrifício pascal de Cristo, que vos foi entregue. E concedei que, pela força do Espírito do vosso amor, sejamos contados, agora e por toda a eternidade, entre os membros do vosso Filho, cujo Corpo e Sangue comungamos. T – Aceitai, ó Senhor, a nossa oferta! Senhor Deus, conduzi a vossa Igreja à perfeição na fé e no amor, em comunhão com o nosso Papa N., o nosso Bispo N., com todos os bispos, presbíteros e diáconos e todo o povo que conquistastes. T – Confirmai o vosso povo na unidade! Dai-nos olhos para ver as necessidades e os sofrimentos dos nossos irmãos e irmãs; inspirai-nos palavras e ações para confortar os desanimados e oprimidos; fazei que, a exemplo de Cristo, e seguindo o seu mandamento, nos empenhemos lealmente no serviço a eles. Vossa Igreja seja testemunha viva da verdade e da liberdade, da justiça e da paz, para que toda a humanidade se abra à esperança de um mundo novo. T – Ajudai-nos a criar um mundo novo! Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs (N. e N.), que adormeceram na paz do vosso Cristo, e de todos os falecidos, cuja fé só vós conhecestes: acolhei-os na luz da vossa face e concedei-lhes, no dia da ressurreição, a plenitude da vida. T – Concedei-lhes, ó Senhor, a luz eterna! Concedei-nos ainda, no fim da nossa peregrinação terrestre, chegarmos todos à morada eterna, onde viveremos para sempre convosco. E em comunhão com a bem-aventurada Virgem Maria, com os Apóstolos e Mártires, (com S. N.: Santo do dia ou Patrono) e todos os Santos, vos louvaremos e glorificaremos, por Jesus Cristo, vosso Filho. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém.

18 A. CANTO DA COMUNHÃO

21. AVISOS DA COMUNIDADE

(39º Curso: 08.10)

22. ANTÍFONA MARIANA

Eis o Pão da vida, eis o pão dos céus, / que nos alimenta em marcha para Deus! 1. Um grande convite o Senhor nos fez / e a Igreja o repete a toda vez: / Feliz quem ouve e alegre vem, / trazendo consigo o amor que tem. 2. Um dia por nós o Senhor se deu, / do sangue da cruz o amor nasceu. / E ainda hoje, ele dá vigor / aos pobres, aos fracos, ao pecador. 3. Se o povo deseja viver feliz, / não deixe de ouvir o que a Igreja diz: / Procure sempre se aproximar / do Deus feito pão para nos salvar. 4. Há várias maneiras de o receber, / efeitos diversos pode conter. / Não nos suceda comer em vão / aquilo que é fonte da salvação. 5. Quem come este pão sempre viverá, / pois Deus nos convida a ressuscitar. / Oh! Vinde todos, comei também / o pão que encerra o Sumo Bem.

(43º Curso: 08. 12)

Ave, Maria! Ave, Maria! / Ave, Rainha do céu! / Ave, dos anjos Senhora; / Ave, raiz, ave, porta; / da luz do mundo és aurora. Exulta, ó Virgem tão bela, / as outras seguem-te após. / Nós te saudamos: Adeus! / E pede a Cristo por nós! / Virgem Mãe, ó Maria! / Ave, Maria! Ave, Maria!

RITOS FINAIS 23. BÊNÇÃO FINAL P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – A paz de Deus, que supera todo entendimento, guarde vossos corações e vossas mentes no conhecimento e no amor de Deus, e de seu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. T – Amém. P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo. T – Amém.

18 B. CANTO DA COMUNHÃO

24. DESPEDIDA

(11º Curso: 04.96)

P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. T – Graças a Deus.

1. O nosso Deus, com amor sem medida, / chamou-nos a vida nos deu muitos dons. / Nossa resposta ao amor será feita / se a nossa colheita mostrar frutos bons. Mas é preciso que o fruto se parta / e se reparta na mesa do amor (bis) 2. Participar é criar comunhão, / fermento no pão, saber repartir. / Comprometer-se com a vida do irmão, / viver a missão de se dar e servir. 3. Os grãos de trigo em farinha se tornam, / depois se transformam em vida no pão. / Assim também quando participamos, / unidos criamos maior comunhão.

ONDE NÃO HOUVER MISSA 25. COLETA FRATERNA (É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta o n. 14 deste folheto.)

26. DA PALAVRA À REFEIÇÃO

(Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós o pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor. Que esta comunhão 19. MOMENTO DE SILÊNCIO firme nossa amizade com ele e nos dê a E ORAÇÃO PESSOAL graça de nos entregarmos totalmente ao Refrão meditativo: (43º Curso: 08.12) seu mistério. Aquele que vos chamou, / aquele que vos (Alguém traz o pão consagrado e o colochamou / é fiel, é fiel. / Fiel é aquele que ca sobre o altar. Todos fazem uma breve vos chamou. inclinação.)

20. ORAÇÃO

P – Oremos. (Pausa para oração) Ó Deus, que os vossos sacramentos pro17. PAI-NOSSO duzam em nós o que significam, a fim de P – O Senhor nos comunicou o seu Es- que um dia entremos em plena posse do pírito. Com a confiança e a liberdade de mistério que agora celebramos. Por Cristo, nosso Senhor. filhos, digamos juntos: T – Pai nosso... T – Amém.

(29º Curso: 04.05)

O pão de Deus é o pão da vida, / que do céu veio até nós. / Ó Senhor, nós vos pedimos, / dá-nos sempre deste pão. (bis)

27. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS (Quem preside, ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor.)

30o-domingo-do-tempo-comum_1745  
30o-domingo-do-tempo-comum_1745  
Advertisement