Issuu on Google+

as colinas, multiplicado em suas espigas e depois recolhido para tornar-se um, congrega assim teus amados e amadas de todos os cantos da terra no teu reino, por Cristo, nosso Senhor. (Mostrando o pão consagrado:) P – Provem e veja como o Senhor é bom. Feliz quem contra nele refúgio e segurança.

Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pe- aqueles a quem fortaleceste e alimentaste cado do mundo. nesta celebração pascal. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém. T – Senhor, eu não sou digno(a)... (Comunhão: canto n. 18 deste folheto.) O roteiro de “onde não houver missa” 29. ORAÇÃO FINAL encontra-se no livro “Dia do Senhor”: de Ó Deus de bondade, permanece junto co- M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: nosco e faz passar da antiga à nova vida Apostolado Litúrgico.

COMO EU VOS AMEI, AMAI-VOS UNS AOS OUTROS! O mistério que celebramos hoje

Neste 5º domingo da Páscoa, o Senhor nos chama a viver o mandamento do Amor e a renovar nosso desejo de ajuda mútua, de comunhão e de solidariedade, no amor que supera todo sofrimento. Que esta celebração aumente em nós o desejo e a capacidade de verdadeira relação fraterna entre nós e de comunhão amorosa com Deus, e nos renove na alegria de dizermos sempre sim ao amor que Ele revelou na cruz. Sugestões para as equipes de celebração: 1. Rito de Aspersão: (Onde for possível realizar.) P - Bendito sejas, Senhor, pela ressurreição de Jesus teu Filho amado. Bendito sejas por esta água, sinal visível de tua graça, abençoada na Vigília Pascal. Que derramada sobre nós, ela nos faça renascer para a vivência corajosa do mandamento novo que o Senhor hoje nos dá. (Pausa)

1. Eu vi, eu vi, foi água a manar / do lado direito do Templo a jorrar. Amém, amém, amém, aleluia! / Amém, amém, amém, aleluia! (bis) 2. E quantos foram por ela banhados, / cantaram o canto dos que foram salvos! 3. Louvai, louvai e cantai ao Senhor, / porque ele é bom e sem fim, seu amor! 4. Ao Pai a glória e ao Ressuscitado / e seja o Divino pra sempre louvado! 5. Quão grande, ó Deus, é a vossa bondade, / Senhor, eu vos peço, ouvi-me, escutai-me! (Conclusão pelo presidente)

2. Preparar o espaço celebrativo colocando um ícone com a face do Senhor junto ao círio. A cor litúrgica continua sendo branca. 3. Procissão de entrada com o evangeliário, velas, flores,... (O presidente asperge a comunidade com a água que foi abençoada na 4. Na Oração Eucarística, cantar o prefácio, as aclamações, o Vigília pascal enquanto todos cantam.) (38º curso:03.10) Santo e o Amém final.

LEITURAS BÍBLICAS: 2ª-f.: At 14,5-18; Jo 14,21-26. 3ª-f.: At 14,19-28; Jo 14,27-31a. 4ª-f.: At 15,1-6; Jo 15,1-8. 5ª-f.: At 15,7-21; Jo 15,9-11. 6ª-f.: 1Cor 15,1-8; Jo 14,6-14. Sábado: At 16,1-10; Jo 15,18-21. Domingo: 6º Domingo da Páscoa: At 15,1-2.22-29; Ap 21,10-14.22-23; Jo 14,23-29

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

Arquidiocese de Goiânia

5º Domingo da Páscoa – Ano C 28 de abril de 2013 – Ano XXX – Nº 1717

COMO EU VOS AMEI, AMAI-VOS UNS AOS OUTROS! 1. MOTIVAÇÃO A – O Senhor nos reúne neste tempo festivo da Páscoa. Ele nos mostra a grandeza do amor do Pai e nos chama a participar deste amor em nossas relações e nossas vidas. Iniciemos alegres, cantando.

2. CANTO DE ABERTURA (40º Curso: 04.11)

O Senhor ressurgiu, aleluia, aleluia! / É o Cordeiro Pascal, aleluia, aleluia! / Imolado por nós, aleluia, aleluia! / É o Cristo, Senhor, Ele vive e venceu, aleluia! 1. O Cristo, Senhor, ressuscitou, / a nossa esperança realizou: / vencida a morte para sempre, / triunfa a vida eternamente! 2. O Cristo remiu a seus irmãos, / ao Pai os conduziu por sua mão: / no Espírito Santo unida esteja, / a família de Deus, que é a Igreja! 3. O Cristo, nossa Páscoa, se imolou, / seu Sangue da morte nos livrou; / incólumes o mar atravessamos, / e à terra prometida caminhamos! (Uma pessoa acende o círio e diz em voz bem alta:) Bendito sejas, Deus da Vida, pela ressurreição de Jesus Cristo e por esta luz radiante! (Incensar o círio e a assembleia enquanto todos cantam:) T – O Senhor ressurgiu, aleluia, aleluia! / É o Cordeiro Pascal, aleluia, aleluia! / Imolado por nós, aleluia, aleluia! / É o Cristo, Senhor, Ele vive e venceu, aleluia!

3. SAUDAÇÃO P – Em nome do Pai... T – Amém. P – A graça e a paz de Deus, nosso Pai, e de Jesus Cristo, nosso Senhor, estejam convosco. T – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

4. ATO PENITENCIAL (Ou rito de aspersão, 4ª página.) P – No dia em que celebramos a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, também nós somos convidados a morrer ao pecado e ressurgir para uma vida nova.

Reconheçamo-nos necessitados da misericórdia do Pai. (Pausa) P – Senhor, que sois o eterno sacerdote da nova Aliança, tende piedade de nós. T – Senhor, tende piedade de nós. P – Cristo, que nos edificais como pedras vivas no templo santo de Deus, tende piedade de nós. T – Cristo, tende piedade de nós. P – Senhor, que nos tornais concidadãos dos santos no reino dos céus, tende piedade de nós. T – Senhor, tende piedade de nós. P – Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. T – Amém.

5. HINO DE LOUVOR (39º Curso: 08.10 )

1. Glória a Deus nos altos céus! / Paz na terra a seus amados! / A vós louvam, Rei celeste, / os que foram libertados! Glória a Deus lá nos céus, / e paz aos seus! Amém! 2. Deus e Pai, nós vos louvamos, / adoramos, bendizemos; / damos glória ao vosso nome, / vossos dons agradecemos! 3. Senhor nosso, Jesus Cristo, / Unigênito do Pai, / vós, de Deus Cordeiro Santo, / nossas culpas perdoai! 4. Vós, que estais junto do Pai, / como nosso intercessor, / acolhei nossos pedidos, / atendei nosso clamor! 5. Vós somente sois o Santo, / o Altíssimo, o Senhor, / com o Espírito Divino, / de Deus Pai no esplendor.

6. ORAÇÃO

contradições em nosso meio e em nossa sociedade? Escutemos a Palavra de Deus.

7. PRIMEIRA LEITURA Leitura dos Atos dos Apóstolos (14,21b27) – Naqueles dias, Paulo e Barnabé 21b voltaram para as cidades de Listra, Icônio e Antioquia. 22Encorajando os discípulos, eles os exortavam a permanecerem firmes na fé, dizendo-lhes: “É preciso que passemos por muitos sofrimentos para entrar no Reino de Deus”. 23 Os apóstolos designaram presbíteros para cada comunidade. Com orações e jejuns, eles os confiavam ao Senhor, em quem haviam acreditado. 24Em seguida, atravessando a Pisídia, chegaram à Panfília. 25Anunciaram a palavra em Perge, e depois desceram para Atália. 26Dali embarcaram para Antioquia, de onde tinham saído, entregues à graça de Deus, para o trabalho que haviam realizado. 27 Chegando ali, reuniram a comunidade. Contaram-lhe tudo o que Deus fizera por meio deles e como havia aberto a porta da fé para os pagãos. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

8. SALMO 144 (145) (Salmos e Aclamações / ano C: 11.12 – vol. I)

Bendirei o vosso nome, ó meu Deus, meu Senhor e meu Rei para sempre. 8 Misericórdia e piedade é o Senhor, / ele é amor, é paciência, é compaixão. / 9O Senhor é muito bom para com todos, / sua ternura abraça toda criatura. 10 Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, / e os vossos santos com louvores vos bendigam! / 11Narrem a glória e o esplendor do vosso reino / e saibam proclamar vosso poder! 12 Para espalhar vossos prodígios entre os homens / e o fulgor de vosso reino esplendoroso. / 13a O vosso reino é um reino para sempre, / vosso poder, de geração em geração. (Tempo de silêncio)

P – Oremos. (Pausa para oração) Ó Deus, Pai de bondade, que nos redimistes e adotastes como filhos e filhas, concedei aos que creem no Cristo a liberdade verdadeira e a herança eterna. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. T – Amém. 9. SEGUNDA LEITURA Leitura do Livro do Apocalipse de São LITURGIA DA PALAVRA João (21,1-5a) – Eu, João, 1vi um novo céu A – Como superar tantas divisões, conflitos e e uma nova terra. Pois o primeiro céu e a


primeira terra passaram, e o mar já não existe. 2Vi a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, de junto de Deus, vestida qual esposa enfeitada para o seu marido. 3Então, ouvi uma voz forte que saía do trono e dizia: “Esta é a morada de Deus entre os homens. Deus vai morar no meio deles. Eles serão o seu povo, e o próprio Deus estará com eles. 4Deus enxugará toda lágrima dos seus olhos. A morte não existirá mais, e não haverá mais luto, nem choro, nem dor, porque passou o que havia antes”. 5 Aquele que está sentado no trono disse: “Eis que faço novas todas as coisas”. Depois, ele me disse: “Escreve, porque estas palavras são dignas de fé e verdadeiras”. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

T – Abençoai, Senhor. 2. O nosso Bispo que anima a nossa diocese no amor que gera unidade, 3. Os governantes e líderes dos povos, 4. Os nossos pais e mães de família, 5. Os seminaristas e vocacionados, 6. As pessoas que dão testemunho de Cristo no cuidado com a vida em todas as dimensões, 7. As(os) catequistas e catequizandos, 8. A nossa comunidade no caminho da superação de todas as divisões, 9. Rezemos juntos a oração vocacional T – Mestre Divino, que chamastes os Apóstolos a vos seguirem, / continuai a passar pelos nossos caminhos, / pelas nossas famílias, / pelas nossas escolas / e continuai a repetir o convite a muitos de nossos 10. ACLAMAÇÃO AO jovens. / Dai força para que vos sejam fiéis EVANGELHO como apóstolos leigos, / como sacerdotes, / (Salmos e Aclamações / ano C: 11.12 – vol. I) como religiosos e religiosas, / para o bem Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis) do Povo de Deus e de toda a humanidade. Eu vos dou novo preceito: / que uns aos ou- Amém. tros vos ameis, como eu vos tenho amado. (Conclusão pelo presidente) P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. LITURGIA EUCARÍSTICA P – Proclamação do Evangelho de Jesus (Onde não houver missa, segue a partir Cristo segundo João. do n. 24 deste folheto.) T – Glória a vós, Senhor. (13,31-33a.34-35) – 31Depois que Judas 14. CANTO DE PREPARAÇÃO saiu do cenáculo, disse Jesus: “Agora foi DAS OFERENDAS glorificado o Filho do Homem, e Deus foi (28º Curso: 09.04) glorificado nele. 32Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si 1. Vendo Jesus aparecer e com eles vir comer, explicando a Paixão, / todos entendem mesmo, e o glorificará logo. 33a Filhinhos, por pouco tempo estou que o Senhor está vivo e por amor os envia ainda convosco. 34Eu vos dou um novo em missão. mandamento: amai-vos uns aos outros. Ressuscitado o Cristo apareceu, / com Como eu vos amei, assim também vós seus amigos fez a refeição; / e dando a deveis amar-vos uns aos outros. 35Nisto paz, mandou anunciar / o amor de seu todos conhecerão que sois meus discípu- Pai, em toda a nação. los, se tiverdes amor uns aos outros”. 2. Hoje também na refeição revivemos a – Palavra da Salvação. Paixão e a vitória da cruz. / Vinho e pão soT – Glória a vós, Senhor. bre o altar servirão pra anunciar “Deus nos salva em Jesus!” (Tempo de silêncio)

11. HOMILIA

15. ORAÇÃO

(Após a homilia, pausa para reflexão.)

P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso. T – Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja. P – Ó Deus, que, pelo sublime diálogo deste sacrifício, nos fazeis participar de vossa única e suprema divindade, concedei que, conhecendo vossa verdade, lhe sejamos fiéis por toda a vida. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

12. PROFISSÃO DE FÉ P – Cheios de confiança, professemos a nossa fé. T – Creio em Deus Pai...

13. ORAÇÃO COMUNITÁRIA P – Unidos como Igreja Una e Santa, Católica e Apostólica, confiemos ao Senhor as nossas preces. 1. O nosso Papa em sua missão de conduzir o povo no amor que gera unidade,

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III (Prefácio da Páscoa, IV)

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Corações ao alto. T – O nosso coração está em Deus. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, mas sobretudo neste tempo solene em que Cristo, nossa Páscoa, foi imolado. Vencendo a corrupção do pecado, realizou uma nova criação. E, destruindo a morte, garantiu-nos a vida em plenitude. Unidos à multidão dos anjos e dos santos, transbordando de alegria pascal, nós vos aclamamos, cantando (dizendo) a uma só voz: T – Santo, Santo, Santo... Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr do sol, um sacrifício perfeito. T – Santificai e reuni o vosso povo! Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério. T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: Isto é o meu Corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: Este é o cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Salvador do mundo, salvai-nos, vós que nos libertastes pela cruz e ressurreição. Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade.

T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito. T – Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, N. (o santo do dia ou o padroeiro) e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença. T – Fazei de nós uma perfeita oferenda! E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o papa Bento, o nosso bispo N., com os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes. T – Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja! Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro. T – Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso. T – A todos saciai com vossa glória! Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém!

2. Para lembrarmos a morte, a cruz do Senhor, / nós repetimos, como Ele fez. / Gestos, palavras, até que volte outra vez. 3. Este banquete alimenta o amor dos irmãos, / e nos prepara a glória do céu; / Ele é a força na caminhada pra Deus. 4. Eis o Pão vivo mandado a nós por Deus Pai! / Quem o recebe, não morrerá; / no último dia vai ressurgir, viverá. 5. Cristo está vivo, ressuscitou para nós! / Esta verdade vai anunciar / a toda terra, com alegria, a cantar.

25. DA PALAVRA À REFEIÇÃO

19. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

O Senhor ressurgiu, aleluia, aleluia! / É o cordeiro pascal, aleluia, aleluia! / Imolado por nós, aleluia, aleluia! / É o Cristo, Senhor, ele vive e venceu, aleluia!

(Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Demos graças ao Senhor, repartindo entre nós este pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor, que se faz presente em nossa mesa e nos convida ao exercício cotidiano do amor como sinal da sua ressurreição. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.) (40º Curso: 04.11)

Refrão meditativo: (40º Curso 04.11) Ressuscitou de verdade, aleluia! / Aleluia! / 26. ORAÇÃO DE AÇÃO Cristo Jesus ressuscitou! / Aleluia! / Aleluia!

20. ORAÇÃO P – Oremos. (Pausa para oração) Ó Deus de bondade, permanecei junto ao vosso povo e fazei passar da antiga à nova vida aqueles a quem concedestes a comunhão nos vossos mistérios. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

21. AVISOS DA COMUNIDADE RITOS FINAIS 22. BÊNÇÃO FINAL

E GRAÇAS

(Quem preside, ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor.) (43º curso: 08.12)

É bom cantar um bendito! Um canto novo, um louvor! (bis) 1. Jesus nasceu de Maria, / hoje ele é nosso Senhor! (bis) 2. Da morte é vencedor / da vida é campeão! (bis) 3. Cordeiro sacrificado / é nossa Páscoa, irmãos! (bis) 4. Ele é do céu e da terra, / a reconciliação! (bis) 5. Dos tristes, consolador; / dos pobres, libertação! (bis) 6. As mãos se dão céu e terra / é uma só louvação! (bis) P – Como Jesus se reuniu com os discípulos de Emaús e se deu a conhecer a eles na partilha do pão, nós também nos alegramos na partilha deste pão consagrado e recebemos a revelação do seu amor e a força da missão. Derrama sobre nós o teu Espírito, e recebe o louvor de todo o universo e de todas as pessoas que te buscam. T – A ti, ó Deus, a louvação, nesta festa da ressurreição. P – Toda a nossa louvação chegue a ti em nome de Jesus, por quem oramos com as palavras que ele nos ensinou: T – Pai nosso..., pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Deus, que pela ressurreição do seu Filho único vos deu a graça da redenção e vos adotou como filhos e filhas, vos conceda a alegria de sua bênção. T – Amém. P – Aquele que, por sua morte, vos deu a eterna liberdade, vos conceda, por sua graça, a herança eterna. T – Amém. P – E, vivendo agora retamente, possais no céu unir-vos a Deus, para o qual, pela fé, já ressuscitastes no batismo. T – Amém. P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai 17. PAI-NOSSO e Filho e Espírito Santo. P – O Senhor nos comunicou o seu T – Amém. Espírito. Com a confiança e a liberdade de 23. DESPEDIDA filhos, digamos juntos: P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. 27. ABRAÇO DA PAZ T – Pai Nosso... T – Graças a Deus. P – Irmãos e irmãs, por sua morte e ressur18. CANTO DA COMUNHÃO reição, o Cristo nos reconciliou. Demo-nos (40º Curso: 04.11) ONDE NÃO HOUVER MISSA uns aos outros o abraço da paz! 1. Antes da morte e ressurreição de Jesus, / 28. RITO DA COMUNHÃO Ele, na Ceia, quis se entregar: / deu-se em 24. COLETA FRATERNA comida e bebida pra nos salvar. (É o momento de trazer donativos ou ofer- (Após o Pai-Nosso, quem preside convida E quando amanhecer o dia eterno, a ta em dinheiro para as necessidades da co- a comunidade a partilhar o pão, dizendo:) plena visão, / ressurgiremos por crer munidade, enquanto a assembleia canta o P – Da mesma maneira como este pão posto nesta vida escondida no pão. canto n.14 deste folheto.) sobre esta mesa foi primeiro semeado sobre


5o-domingo-da-pascoa-n-1717