Page 1

(Mostrando o pão consagrado:) (Após o Pai-Nosso, quem preside convida P – Eu sou a luz do mundo; quem me segue a comunidade a partilhar o pão, dizendo:) não andará nas trevas, mas terá a luz da vida. P – Da mesma maneira como este pão posto T – Senhor, eu não sou digno(a)... sobre esta mesa, foi primeiro semeado sobre as colinas e múltiplo em suas espigas, (Comunhão: canto n. 15 deste folheto.) e depois recolhido para tornar-se um, con- 26. ORAÇÃO FINAL grega assim teus amados e amadas de todos os cantos da terra no teu reino, por Cristo, Ó Deus da vida, nós, fracos e pobres, fomos nosso Senhor. acolhidos por ti nesta celebração e alimen-

25. RITO DA COMUNHÃO

tados com teu amor. Faze com que, nesta nova semana da Quaresma, andemos na tua paz e pratiquemos os teus mandamentos. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

EU TAMBÉM NÃO TE CONDENO! O mistério que celebramos hoje Neste 5º domingo da Quaresma nos reunimos em torno de Jesus para escutar sua palavra e somos convidados a reconhecer nossos próprios pecados e acolher com amor os pecadores. Celebramos a páscoa de Jesus Cristo que acontece em todas as pessoas e comunidades que promovem a vida e lutam contra a discriminação e as forças da morte. Sugestões para a equipe de celebração: 1. Canto de Abertura (Para onde não for rezada a ladainha) (28º Curso: 09.04) Eis o tempo de conversão, / eis o dia da salvação. / Ao Pai voltemos, juntos andemos: / eis o tempo de conversão! 1. Os caminhos do Senhor são verdade, são amor. / Dirigi os passos meus; em vós espero, ó Senhor! / Ele guia ao bom caminho quem errou e quer voltar. / Ele é bom, fiel e justo; Ele busca e vem salvar. 2. Viverei com o Senhor, Ele é o meu sustento. / Eu confio, mesmo quando minha dor não mais aguento. / Tem valor, aos olhos seus, meu sofrer e meu morrer. / Libertai o vosso servo e fazei-o reviver! 3. A Palavra do Senhor é a luz do meu caminho; / ela é vida, é alegria; vou guardá-la com carinho. / Sua Lei, seu mandamento é viver a caridade. / Caminhemos todos juntos, construindo a unidade! 2. Procissão de entrada com a cruz, velas e algum símbolo ligado ao Evangelho de hoje (por exemplo: pedras) e à CF/ 2013.

Arquidiocese de Goiânia

O roteiro de “onde não houver missa” encontra-se no livro “Dia do Senhor”: de M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: Apostolado Litúrgico.

3. Após a homilia, a comunidade poderá ser convidada a “deixar as pedras” que costuma jogar sobre pessoas, discriminando-as, e fazer um compromisso concreto de fraternidade com essas pessoas. 4. No dia 21, celebramos o Dia Internacional pelo fim da Discriminação Racial; dia 22, o Dia Internacional da Água; e dia 24, o Dia dos Mártires Latino-americanos – o 27º aniversário do martírio de Dom Oscar Romero. 5. Hino da CF 2013 (43º Curso: 08.12) 1. Sei que perguntas, juventude, de onde veio / teu belo jeito sempre novo e verdadeiro. / Eu fiz brotar em ti desde o materno seio / essa vontade de mudar o mundo inteiro. Estou aqui, meu Senhor, / sou jovem, sou teu povo! / Eu tenho fome de justiça e de amor, / quero ajudar a construir um mundo novo. Estou aqui, meu Senhor, / sou jovem, sou teu povo! / Para formar a rede da fraternidade, / e um novo céu, uma nova terra, a tua vontade. Eis-me aqui, envia-me, Senhor! (bis) 2. Levem a todos meu chamado à liberdade / onde a ganância gera irmãos escravizados. / Quero a mensagem que humaniza a sociedade / falada às claras, publicada nos telhados. 3. Para salvar a quem perdeu toda esperança / serei a força, plena luz a te guiar. / Por tua voz eu falarei, tem confiança, / não tenhas medo, novo Reino a chegar!

LEITURAS BÍBLICAS: 2ª-f.: Dn 13,1-9.15-17.19-30.33-62; Jo 8,12-20. 3ª-f.: S. José, Esposo da Bem-Aventurada Virgem Maria, Padroeiro da Igreja Universal, solenidade – 2Sm 7,4-5a.12-14a.16; Rm 4,13.16-18.22; Mt 1,16.18-21.24a ou Lc 2,41-51a. 4ª-f.: Dn 3,14-20.24.49a.91-92.95; Jo 8,31-42. 5ª-f.: Gn 17,3-9; Jo 8,51-59. 6ª-f.: Jr 20,10-13; Jo 10,31-42. Sábado: Ez 37,21-28; Jo 11,45-56. Domingo: Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor - na Bênção de ramos: Lc 19,28-40; na Missa: Is 50,4-7; Fl 2,6-11; Lc 22,14 ‒ 23,56 ou abrev. 23,1-49.

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

5º Domingo da Quaresma – Ano C 17 de março de 2013 – Ano XXX – Nº 1713

EU TAMBÉM NÃO TE CONDENO! 1. MOTIVAÇÃO A – Estamos reunidos para celebrar o mistério da nossa salvação. Deus nos ama tanto que nos enviou seu Filho para nos libertar da escravidão do pecado e da morte. Hoje Ele nos chama a viver a mesma missão salvadora. Cantemos a ladainha, invocando o auxílio de todos os Santos e Santas. Que roguem por nós neste caminho de conversão.

2. LADAINHA DOS SANTOS (32º Curso: 09.06)

Coro: Kyrie eleison. Ass: Kyrie eleison. Coro: Christe eleison. Ass.: Christe eleison. Coro: Kyrie eleison. Ass: Kyrie eleison. Coro: Santa Maria, Mãe de Deus, / Ass: rogai por nós. São Miguel, / rogai por nós. Santos Anjos de Deus, / rogai por nós. São João Batista, / intercedei por nós. São José, / rogai por nós. São Pedro e São Paulo, / rogai por nós. Santo André, / rogai por nós. São João, / intercedei por nós. Santa Maria Madalena, / rogai por nós. Santo Estêvão, / rogai por nós. Santo Inácio de Antioquia, / rogai por nós. São Lourenço, / intercedei por nós. Santas Perpétua e Felicidade, / rogai por nós. Santa Inês, / rogai por nós. São Gregório, / rogai por nós. Santo Agostinho, / intercedei por nós. Santo Atanásio, / rogai por nós. São Basílio, / rogai por nós. São Martinho, / rogai por nós. São Bento, / intercedei por nós. São Francisco e São Domingos, / rogai por nós. São Francisco Xavier, / rogai por nós. São João Maria Vianney, / rogai por nós. Santa Catarina de Sena, / intercedei por nós. Santa Teresa de Jesus, / rogai por nós. Santa Teresinha, / rogai por nós. Santos mártires de nosso tempo, rogai por nós. Todos os Santos e Santas de Deus, / intercedei por nós. P – Começamos a nossa celebração qua-

resmal invocando a Cristo e a seus Santos. Invoquemos agora a misericórdia de Deus, para que nos conceda seu perdão, nos renove e nos prepare para celebrar as festas da Páscoa. Oremos em silêncio, reconheçamos nossas culpas. (silêncio) Sede-nos propício, / vos pedimos, Senhor. Livrai-nos de todo mal, / vos pedimos, Senhor. Salvai-nos de todo o pecado, / vos pedimos, Senhor. Livrai-nos da morte eterna, / vos pedimos, Senhor. Por vossa encarnação, / vos pedimos, Senhor. Por vosso batismo e vosso jejum, / vos pedimos, Senhor. Por vossa morte e ressurreição, / vos pedimos, Senhor. Apesar de nossos pecados, / vos pedimos, Senhor. Cristo, ouvi-nos. / Cristo, ouvi-nos. Cristo, atendei-nos. / Cristo, atendei-nos.

3. ORAÇÃO

gindo: acaso não as reconheceis? Pois abrirei uma estrada no deserto e farei correr rios na terra seca. 20Hão de glorificar-me os animais selvagens, os dragões e os avestruzes, porque fiz brotar água no deserto e rios na terra seca para dar de beber a meu povo, a meus escolhidos. 21Este povo, eu o criei para mim e ele cantará meus louvores”. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

5. SALMO 125 (126) (Salmos e Aclamações / ano C: 11.12 – vol. I)

Maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria! 1 Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, / parecíamos sonhar; / 2aencheu-se de sorriso nossa boca, / bnossos lábios de canções. c Entre os gentios se dizia: “Maravilhas / dfez com eles o Senhor!” / 3Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, / exultemos de alegria! 4 Mudai a nossa sorte, ó Senhor, / como torrentes no deserto. / 5Os que lançam as sementes entre lágrimas, / ceifarão com alegria. 6 Chorando de tristeza sairão, / espalhando suas sementes; / cantando de alegria voltarão, / carregando os seus feixes! (Tempo de silêncio)

P – Oremos. (Pausa para oração) Senhor nosso Deus, dai-nos por vossa graça caminhar com alegria na mesma caridade que levou o vosso Filho a entregar-se à morte no seu amor pelo mundo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. T – Amém. 6. SEGUNDA LEITURA Leitura da Carta de São Paulo aos FiLITURGIA DA PALAVRA lipenses (3,8-14) – Irmãos: 8Na verdade, A – Deus quer nos fazer conhecer uma outra considero tudo como perda diante da forma de tratar as pessoas quando elas caem vantagem suprema que consiste em conhecer a Cristo Jesus, meu Senhor. Por pelo pecado. Escutemos. causa dele eu perdi tudo. 4. PRIMEIRA LEITURA Considero tudo como lixo, para ganhar Leitura do Livro do Profeta Isaías Cristo e ser encontrado unido a ele, 9não (43,16-21) – 16Isto diz o Senhor, que com minha justiça provinda da Lei, mas abriu uma passagem no mar e um cami- com a justiça por meio da fé em Cristo, nho entre águas impetuosas; 17que pôs a justiça que vem de Deus, na base da a perder carros e cavalos, tropas e ho- fé. 10Esta consiste em conhecer a Crismens corajosos; pois estão todos mor- to, experimentar a força da sua ressurtos e não ressuscitarão, foram abafados reição, ficar em comunhão com os seus sofrimentos, tornando-me semelhante a como mecha de pano e apagaram-se: 18 “Não relembreis coisas passadas, não ele na sua morte, 11para ver se alcanço a olheis para fatos antigos. 19Eis que eu ressurreição dentre os mortos. 12 farei coisas novas, e que já estão surNão que já tenha recebido tudo isso,


ou que já seja perfeito. Mas corro para alcançá-lo, visto que já fui alcançado por Cristo Jesus. 13 Irmãos, eu não julgo já tê-lo alcançado. Uma coisa, porém, eu faço: esquecendo o que fica para trás, eu me lanço para o que está na frente. 14Corro direto para a meta, rumo ao prêmio, que, do alto, Deus me chama a receber em Cristo Jesus. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

7. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Salmos e Aclamações / ano C: 11.12 – vol. I)

Glória a vós, ó Cristo, Verbo de Deus. / Glória a vós, ó Cristo, Verbo de Deus. Agora, eis o que diz o Senhor: / De coração convertei-vos a mim, pois sou bom, compassivo e clemente. P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João. T – Glória a vós, Senhor. (8,1-11) – Naquele tempo, 1Jesus foi para o monte das Oliveiras. 2De madrugada, voltou de novo ao Templo. Todo o povo se reuniu em volta dele. Sentando-se, começou a ensiná-los. 3 Entretanto, os mestres da Lei e os fariseus trouxeram uma mulher surpreendida em adultério. Colocando-a no meio deles, 4 disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. 5Moisés na Lei mandou apedrejar tais mulheres. Que dizes tu?” 6Perguntavam isso para experimentar Jesus e para terem motivo de o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, começou a escrever com o dedo no chão. 7Como persistissem em interrogá-lo, Jesus ergueu-se e disse: “Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. 8 E tornando a inclinar-se, continuou a escrever no chão. 9E eles, ouvindo o que Jesus falou, foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos; e Jesus ficou sozinho, com a mulher que estava lá, no meio do povo. 10 Então Jesus se levantou e disse: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” 11Ela respondeu: “Ninguém, Senhor”. Então Jesus lhe disse: “Eu também não te condeno. Podes ir, e de agora em diante não peques mais”. – Palavra da Salvação. T – Glória a vós, Senhor. (Tempo de silêncio)

8. HOMILIA (Após a homilia, tempo para reflexão.)

9. PROFISSÃO DE FÉ

13. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III

P – Cheios de confiança, professemos a (Prefácio da Quaresma , I) nossa fé. P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. T – Creio em Deus Pai... P – Corações ao alto. 10. ORAÇÃO COMUNITÁRIA T – O nosso coração está em Deus. P – Roguemos, irmãos e irmãs, por todas P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. as necessidades da santa Igreja e da hu- T – É nosso dever e nossa salvação. manidade. Na verdade, é justo e necessário, é nosso 1.  Senhor, dai força e serenidade ao Papa, dever e salvação dar-vos graças, sempre aos bispos e aos presbíteros, para que sejam e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, aqueles que conduzem o povo e seus an- Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, seios para Jesus. Senhor nosso. Vós concedeis aos cristãos esperar com T – Senhor, escutai a nossa prece. 2. Senhor, inspirai, nos governantes, ações e alegria, cada ano, a festa da Páscoa. De projetos que ajudem a humanidade a vencer coração purificado, entregues à oração e à prática do amor fraterno, preparamo-nos os graves dramas e sofrimentos. para celebrar os mistérios pascais, que nos 3. Senhor, ilumina nossas(os) catequis- deram vida nova e nos tornaram filhas e tas, para que sejam instrumento do vosso filhos vossos. amor, tornando Jesus conhecido e amado Por essa razão, agora e sempre, nós nos pelos catequizandos. unimos aos anjos e a todos os santos, 4.  Senhor, que glorificastes vosso Filho, cantando (dizendo) a uma só voz: dai-nos discernimento e vigor para sermos T – Santo, Santo, Santo... seus discípulos missionários. Na verdade, vós sois santo, ó Deus do 5.  Senhor, despertai nossa comunidade para universo, e tudo o que criastes proclama a acolhida fraterna que supere toda forma de o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força preconceito, discriminação e exclusão. do Espírito Santo, dais vida e santidade (Conclusão pelo presidente.) a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em LITURGIA EUCARÍSTICA toda parte, do nascer ao pôr do sol, um (Onde não houver missa, segue a partir sacrifício perfeito. do n. 21 deste folheto.) T – Santificai e reuni o vosso povo! Por isso, nós vos suplicamos: santificai 11. CANTO DE PREPARAÇÃO pelo Espírito Santo as oferendas que vos DAS OFERENDAS apresentamos para serem consagradas, a (41º Curso: 08.11) fim de que se tornem o Corpo e o Sangue 1. Que poderei retribuir ao Senhor, / por de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério. tudo aquilo que ele me fez? Oferecerei / o seu sacrifício e invocarei / T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! o seu santo nome. Na noite em que ia ser entregue, ele 2. Que poderei oferecer ao meu Deus / pe- tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, los imensos benefícios que me fez? e comei: isto é o meu Corpo, que será 3. Eu cumprirei minha promessa ao Se- entregue por vós. nhor, / na reunião do povo santo de Deus. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele 4. Vós me quebrastes os grilhões da escravi- tomou o cálice em suas mãos, deu graças dão, / e é por isso que hoje canto vosso amor. novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o 12. ORAÇÃO cálice do meu Sangue, o Sangue da nova P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nos- e eterna aliança, que será derramado so sacrifício seja aceito por Deus Pai por vós e por todos para remissão dos todo-poderoso. pecados. Fazei isto em memória de Mim. T – Receba o Senhor por tuas mãos este Eis o mistério da fé! sacrifício, para glória do seu nome, para T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte nosso bem e de toda a santa Igreja. e proclamamos a vossa ressurreição. P – Deus todo-poderoso, concedei aos vos- Vinde, Senhor Jesus! sos filhos e filhas que, formados pelos ensi- Celebrando agora, ó Pai, a memória do namentos da fé cristã, sejam purificados por vosso Filho, da sua paixão que nos salva, este sacrifício. Por Cristo, nosso Senhor. da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a T – Amém.

sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito. T – Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, N. (o santo do dia ou o padroeiro) e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença. T – Fazei de nós uma perfeita oferenda! E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o papa Bento, o nosso bispo N., com os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes. T – Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja! Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro. T - Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso. T – A todos saciai com vossa glória! Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém!

vai ficar. / Mas se morrer no chão, / dará, com o tempo, muito fruto. 1. Feliz aquele homem que não anda / conforme os conselhos dos perversos; 2. que não entra no caminho dos malvados / nem junto aos zombadores vai sentar-se; 3. mas encontra seu prazer na lei de Deus / e a medita, dia e noite, sem cessar. 4. Eis que ele é semelhante a uma árvore / que à beira da torrente está plantada; 5. ela sempre dá seus frutos a seu tempo / e jamais as suas folhas vão murchar. 6. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, / mas a estrada dos malvados leva à morte.

16. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

21. COLETA FRATERNA (É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta o n. 11 deste folheto.)

22. DA PALAVRA À REFEIÇÃO (Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós este pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor, que nos dá força para permanecermos fiéis ao Pai e nos chama a preparar, com intensidade, a sua páscoa. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.)

Refrão meditativo: (41º Curso: 08.11) (38º Curso: 03.10) Se o grão de trigo não morrer, fica só. / Mas Vós sois o Caminho, a Verdade e a Vida, / se morrer, produzirá fruto abundante. / Mas o pão da alegria descido do céu. se morrer, produzirá fruto abundante.

17. ORAÇÃO P – Oremos. (Pausa para oração) Concedei, ó Deus, todo-poderoso, que sejamos sempre contados entre os membros de Cristo cujo Corpo e Sangue comungamos. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

18. AVISOS DA COMUNIDADE RITOS FINAIS 19. BÊNÇÃO FINAL

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Deus, Pai de misericórdia, conceda a todos vós, como concedeu ao filho pródigo, a alegria do retorno à casa. T – Amém. P – O Senhor Jesus Cristo, modelo de oração e de vida, vos guie nesta caminhada quaresmal a uma verdadeira conversão. T – Amém. P – O Espírito de sabedoria e fortaleza vos sustente na luta contra o mal, para poderdes com Cristo celebrar a vitória da 14. PAI-NOSSO Páscoa. P – Guiados pelo Espírito de Jesus e iluminados pela sabedoria do Evangelho, T – Amém. P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai ousamos dizer: e Filho e Espírito Santo. T – Pai Nosso... T – Amém. P – O Senhor esteja convosco.

15. CANTO DA COMUNHÃO

ONDE NÃO HOUVER MISSA

20. DESPEDIDA

23. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS

(Quem preside, ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor.) (38º Curso: 03.10 / Elogio da Palavra)

É bom cantar um bendito! Um canto novo um louvor! (bis) – Ao Deus que em tempo propício sua graça derramou! (bis) – Ao Deus que pelo deserto o seu Filho sustentou! (bis) – Jesus vencendo a maldade, bom caminho nos mostrou! (bis) – Jesus por nós deu a vida e nos reconciliou! (bis) – E todo o povo remido louva e bendiz o Senhor! (bis) P – Assim como alimentaste teu povo no deserto, sustenta também a nós que esperamos a santa páscoa. Lembrando a santa ceia de Jesus, colocamos nesta mesa o pão consagrado, sacramento da sua entrega. Nós te louvamos fazendo memória da sua vida, e do seu amor até o fim, enquanto aguardamos a sua vinda. Derrama sobre nós o teu Espírito, e recebe o louvor de todo o universo e de todas as pessoas que te buscam. T – Louvor e glória a ti, ó Deus, força de paz! P – Senhor Jesus, lembra-te de nós em teu reino e, agora, ensina-nos a rezar: T – Pai Nosso... pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

24. ABRAÇO DA PAZ

P – Irmãos e irmãs, por sua morte e ressurP – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. reição, o Cristo nos reconciliou. Demo-nos Se o grão de trigo não morrer, sozinho T – Graças a Deus. uns aos outros o abraço da paz! (38º Curso: 03.10)

5o-domingo-da-quaresma  
5o-domingo-da-quaresma  
Advertisement