Page 1

P – Demos graças ao Senhor, repartindo entre nós este pão consagrado em memória de Jesus, que se manifesta em nossa mesa como nosso Salvador, a quem reconhecemos e adoramos, como Maria e os pastores. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.)

26. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS (Quem preside, ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor.) (30º Curso: 10.05)

co’a gente, / o povo todo contente! (bis) 4. Os oprimidos em festa, / nasceu o Libertador! (bis) / Se une o céu e a terra / num mesmo canto de amor! (bis) P– É um prazer para nós te louvar, Deus do universo. Antes que nos aproximássemos de ti, tu te fizeste próximo de nós, igual a nós na humanidade de Jesus, para nos fazer participar da tua glória. Com os anjos que anunciaram o teu nascimento em Belém, nós te bendizemos! T – Glória a Deus no mais alto dos céus! P – Diante do pão consagrado que nos deste como alimento de nossa caminhada, nós te agradecemos. Derrama sobre nós o teu Espírito. Como santificaste Jesus no batismo, consagra-nos também. Faze de nós criaturas novas e recebe o louvor de toda a criação e a prece que elevamos a ti com as palavras que Jesus nos ensinou: T – Pai Nosso... pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

É bom cantar um bendito / um canto novo, um louvor (bis) 1. Ao Deus que fez nesta noite / nascer-nos um Salvador! (bis) / Jesus nasceu de Maria, / proclamem essa alegria! (bis) 2. De Deus o Verbo se encarna / e entre nós habitou! (bis) / Jesus nasceu em Belém, / de Deus a graça nos vem! (bis) 27. ABRAÇO DA PAZ 3. Humano Deus se tornando, / divino o P – Irmãos e irmãs, por sua morte e ressurhomem se achou! (bis) / Emanuel, Deus reição, o Cristo nos reconciliou. Demo-nos

uns aos outros o abraço da paz!

28. RITO DA COMUNHÃO (Após o Pai-Nosso, quem preside convida a comunidade a partilhar o pão, dizendo:) P – O Verbo se fez carne e habitou entre nós. Hoje desceu do céu a verdadeira paz. (Mostrando o pão consagrado:) P – Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo! T – Senhor, eu não sou digno(a)... (Comunhão: cantos n. 18 A e B deste folheto.)

29. ORAÇÃO FINAL Ó Deus da vida, tu firmaste a nossa fé com esta celebração do Natal do Senhor, uma verdadeira passagem do teu amor em nossa vida. Faze que brilhe em nossa vida e em nossas comunidades o mistério da fé que refulge em nosso coração. Por Cristo, nosso Senhor! Amém. O roteiro de “onde não houver missa” encontra-se no livro “Dia do Senhor”: de M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: Apostolado Litúrgico.

O VERBO SE FEZ CARNE E HABITOU ENTRE NÓS Tempo do Natal – O Tempo do Natal se estende desde as I Vésperas do Natal do Senhor até o Domingo após o dia 6 de janeiro (NALC, n. 33). “É a comemoração do nascimento do Senhor, em que celebramos a ‘troca de dons entre o céu e a terra’, pedindo que possamos ‘participar da divindade daquele que uniu ao Pai a nossa humanidade’(Oração sobre as oferendas, missa da noite de Natal). Na Epifania, celebramos a manifestação de Jesus Cristo, Filho de Deus, ‘luz para iluminar todos os povos no caminho da salvação’ (prefácio da Epifania)”. (Guia Litúrgico Pastoral, p. 12). Anotações: 1. Ao “que foi concebido...” (no Credo), todos fazem genufle-

xão. Se o Credo for cantado: com os dois joelhos. 2. Nas Missas de Natal, usam-se regularmente as leituras propostas, com a possibilidade de escolher os textos mais apropriados de uma das três Missas, para utilidade da respectiva assembleia (cf. Ordo Lectionum Missae, p. 11). 3. Cantar o natal do Senhor – “Neste tempo cantamos o nascimento do Príncipe da Paz, com a euforia dos profetas evangelistas de todos os tempos. E os pobres, ao nos ouvirem, acorrerão pressurosos até o presépio: É sobretudo para eles a boa notícia, embora seja de alegria para todo o povo” (Hinário Litúrgico – 1, introdução).

É Natal!

Dom Washington Cruz

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

Imagens da Bíblia

Que este Natal nos inunde de luz para nos darmos conta de que celebramos o aniversário de Alguém que, muitas vezes, nos esquecemos de convidar e não está presente em nossos festejos. Ele deve ser nosso convidado especial neste Natal! Então poderemos desejar uns aos outros: “Feliz Natal”!

Arquidiocese de Goiânia

Natal de N. Sr. Jesus Cristo – Missa do Dia – Ano C 25 de dezembro de 2012 - Ano XXX - Nº 1699

O VERBO SE FEZ CARNE E HABITOU ENTRE NÓS 1. MOTIVAÇÃO A – Hoje celebramos o mistério da chegada do próprio Deus no meio de nós. Ele entrou em nossa história e nos chama a participar da história da salvação. Alegres, acolhamos sua presença em nossa vida. Iniciemos, cantando.

2. CANTO DE ABERTURA (36º Curso: 09.08)

1. Nosso Deus viu que o tempo chegou / E uma virgem lhe disse que sim. / Vem, que um Menino chorou / entre as palhas, assim: / é Natal! Glória a Deus no mais alto dos céus! / E que os homens encontrem Belém. / Tragam seus olhos sem véus, / reconheçam também: / é Natal! É Natal! 2. O poder fez as contas, porém, / para ter a certeza na mão. / Mas nem notou que em Belém, / encontramos o irmão: / é Natal! 3. Um menino nasceu, vamos lá! / E quem viu, foi correndo e contou: / Na manjedoura Ele está, / Deus-conosco chegou: / é Natal!

3. ACOLHIDA P – Em nome do Pai... T – Amém. P – A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco. T – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

4. ATO PENITENCIAL P – Como os pastores, em profundo silêncio, acolhamos o Senhor em nosso coração e peçamos a ele perdão por todas as nossas faltas. (Pausa) (32º Curso: 09.06)

Senhor, Filho de Deus, que vos fizestes nosso irmão, tende piedade de nós! Senhor, tende piedade de nós. Ó Cristo, Filho do homem, que conheceis nossa fraqueza, tende piedade de nós! Cristo, tende piedade de nós! Senhor, Filho do Pai, que nos fazeis uma família, tende piedade de nós!

Senhor, tende piedade de nós! P – Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. T – Amém.

olhos o Senhor voltar a Sião. 9 Alegrai-vos e exultai ao mesmo tempo, ó ruínas de Jerusalém, o Senhor consolou seu povo e resgatou Jerusalém. 10 O Senhor desnudou seu santo bra5. HINO DE LOUVOR ço aos olhos de todas as nações; todos os confins da terra hão de ver a salva(39º Curso: 08.10) 1. Glória a Deus nos altos céus! / Paz na ção que vem do nosso Deus. terra a seus amados! / A vós louvam, Rei – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. celeste, / os que foram libertados! (Tempo de silêncio) Glória a Deus lá nos céus, / e paz aos 8. SALMO (97) 98 seus! Amém! (Salmos e Aclamações / ano C: 11.12 – vol. I) 2. Deus e Pai, nós vos louvamos, / adoramos, bendizemos; / damos glória ao vosso Os confins do universo contemplaram / a salvação do nosso Deus! / A salvação nome, / vossos dons agradecemos! do nosso Deus! 3. Senhor nosso, Jesus Cristo, / Unigênito 1 do Pai, / vós, de Deus Cordeiro Santo, / Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! / Sua mão e o nossas culpas perdoai! seu braço forte e santo / alcançaram-lhe a 4. Vós, que estais junto do Pai, / como vitória. nosso intercessor, / acolhei nossos pedi- 2 O Senhor fez conhecer a salvação, / e dos, / atendei nosso clamor! às nações, sua justiça; / 3arecordou o seu 5. Vós somente sois o Santo, / o Altíssi- amor sempre fiel / 3bpela casa de Israel. mo, o Senhor, / com o Espírito Divino, / 3c Os confins do universo contemplaram / de Deus Pai no esplendor. 3d a salvação do nosso Deus. / 4Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos 6. ORAÇÃO e exultai! P – Oremos. (Pausa para oração) 5 ao som da Ó Deus, que admiravelmente criastes o Cantai salmos ao Senhor 6 harpa / e da cítara suave! / Aclamai, com ser humano e mais admiravelmente restabelecestes a sua dignidade, dai-nos parti- os clarins e as trombetas, / ao Senhor, o cipar da divindade do vosso Filho, que se nosso Rei! (Tempo de silêncio) dignou assumir a nossa humanidade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na 9. SEGUNDA LEITURA unidade do Espírito Santo. Leitura da Carta aos Hebreus (1,1-6) T – Amém. 1 Muitas vezes e de muitos modos falou Deus outrora aos nossos pais, pelos LITURGIA DA PALAVRA profetas; 2nestes dias, que são os últiA – Atentos, deixemos a Palavra de Deus mos, ele nos falou por meio do Filho, a habitar em nós. quem ele constituiu herdeiro de todas as coisas e pelo qual também ele criou 7. PRIMEIRA LEITURA o universo. 3 Leitura do Livro do Profeta Isaías Este é o esplendor da glória do Pai, (52,7-10) – 7Como são belos, andando a expressão do seu ser. Ele sustenta o sobre os montes, os pés de quem anun- universo com o poder de sua palavra. cia e prega a paz, de quem anuncia o Tendo feito a purificação dos pecados, bem e prega a salvação, e diz a Sião: ele sentou-se à direita da majestade di“Reina teu Deus!” vina, nas alturas. 4Ele foi colocado tanto 8 Ouve-se a voz de teus vigias, eles le- acima dos anjos quanto o nome que ele vantam a voz, estão exultantes de ale- herdou supera o nome deles. 5 gria, sabem que verão com os próprios De fato, a qual dos anjos Deus disse


alguma vez: “Tu és o meu Filho, eu hoje te gerei?” Ou ainda: “Eu serei para ele um Pai e ele será para mim um filho”? 6 Mas, quando faz entrar o Primogênito no mundo, Deus diz: “Todos os anjos devem adorá-lo!” – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

10. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(Salmos e Aclamações / ano C: 11.12 - vol. I)

Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis) Despontou o santo dia para nós: / Ó nações, vinde adorar o Senhor Deus, porque hoje grande luz brilhou na terra! P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João. T – Glória a vós, Senhor. (1,1-5.9-14) – 1No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus; e a Palavra era Deus. 2No princípio estava ela com Deus. 3Tudo foi feito por ela, e sem ela nada se fez de tudo, que foi feito. 4 Nela estava a vida, e a vida era a luz dos homens. 5E a luz brilha nas trevas, e as trevas não conseguiram dominá-la. 9Era a luz de verdade, que, vindo ao mundo, ilumina todo ser humano. 10 A Palavra estava no mundo – e o mundo foi feito por meio dela – mas o mundo não quis conhecê-la. 11Veio para o que era seu, e os seus não a acolheram. 12Mas, a todos que a receberam, deu-lhes capacidade de se tornarem filhos de Deus, isto é, aos que acreditam em seu nome, 13pois estes não nasceram do sangue nem da vontade da carne nem da vontade do varão, mas de Deus mesmo. 14 E a Palavra se fez carne e habitou entre nós. E nós contemplamos a sua glória, glória que recebe do Pai como Filho unigênito, cheio de graça e de verdade. – Palavra da Salvação. T – Glória a vós, Senhor. (Tempo de silêncio)

11. HOMILIA (Após a homilia, pausa para reflexão.)

12. PROFISSÃO DE FÉ P – Cheios de confiança, professemos a nossa fé. T – Creio em Deus Pai todo-poderoso, / criador do céu e da terra. / E em Jesus Cristo, nosso Senhor, / (todos se ajoelham) que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; / nasceu da Virgem Maria (todos de pé); / padeceu sob Pôncio

Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; / ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na santa Igreja católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna. Amém.

e a este Mistério envolve em luz. / Tal claridade, também seguiremos.

15. ORAÇÃO

P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todopoderoso. T – Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja. P – Sejam de vosso agrado, ó Pai, as ofe13. ORAÇÃO COMUNITÁRIA rendas da festa de hoje, que nos trazem a P - Nossa alegria de sermos amados pelo perfeita reconciliação e a plenitude do culSenhor se transforma agora em oração to divino. Por Cristo, nosso Senhor. confiante. Rezemos. 1. Senhor, que a santa Igreja, seja como T – Amém. Maria, dê ao mundo Jesus Cristo, com 16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA I mansidão, pobreza e humildade. (Prefácio do Natal do Senhor I) T – Escutai-nos, Senhor. P – O Senhor esteja convosco. 2. Senhor, que os governantes dos povos T – Ele está no meio de nós. façam reinar na terra aquela paz desar- P – Corações ao alto. mada e pura de Belém. T – O nosso coração está em Deus. 3. Senhor, que os pobres e marginaliza- P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. dos sintam hoje vossa proteção junto de- T – É nosso dever e nossa salvação. les, através de nosso compromisso soliNa verdade, é justo e necessário, é nosso dário e fraterno. dever e salvação dar-vos graças, sempre e 4. Senhor, que a alegria do Natal não seja em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus para nós as extravagâncias do comer, be- eterno e todo-poderoso. ber, dar e receber presentes, mas a vida No mistério da encarnação de vosso Finova de conversão e santidade perma- lho, nova luz da vossa glória brilhou para nentes. nós. E, reconhecendo a Jesus como Deus 5. Senhor, que vossa presença em nosso visível a nossos olhos, aprendemos a amar meio, pela palavra, pela eucaristia e de- nele a divindade que não vemos. mais sacramentos, nos faça viver todos os Por ele os anjos celebram vossa grandedias do ano as alegrias eternas das quais za e os santos proclamam vossa glória. nos chamastes a participar. Concedei-nos também a nós associar-nos a seus louvores, cantando (dizendo) a uma (Preces da comunidade) só voz: (Conclusão pelo presidente) T – Santo, Santo, Santo... LITURGIA EUCARÍSTICA Pai de misericórdia, a quem sobem nos(Onde não houver missa, segue a partir sos louvores, nós vos pedimos por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que do n. 23 deste folheto.) abençoeis estas oferendas apresentadas ao 14. CANTO DE PREPARAÇÃO vosso altar. DAS OFERENDAS T – Abençoai nossa oferenda, ó Senhor! (39º Curso: 08.10) Nós as oferecemos pela vossa Igreja san1. Cristãos, vinde todos, / com alegres can- ta e católica: concedei-lhe paz e proteção, tos. / Oh! Vinde! Oh! Vinde até Belém. / unindo-a num só corpo e governando-a por toda a terra. Nós as oferecemos tamVede nascido vosso Rei eterno. Oh! Vinde, adoremos! / Oh! Vinde, ado- bém pelo vosso servo o papa Bento, por remos! / Oh! Vinde, adoremos o Salva- nosso bispo N., e por todos os que guardam a fé que receberam dos apóstolos. dor! 2. Humildes pastores / deixam seus reba- T – Conservai a vossa Igreja sempre nhos / e alegres acorrem ao Rei dos céus. / unida! Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos e Nós, igualmente, cheios de alegria. 3. O Deus invisível / de eternal grandeza, / filhas N.N. e de todos os que circundam sob véus de humildade, podemos ver. / Deus este altar, dos quais conheceis a fidelidade e a dedicação em vos servir. Eles vos ofepequenino, Deus envolto em faixas! recem conosco este sacrifício de louvor 4. Nasceu em pobreza, / repousando em pa- por si e por todos os seus, e elevam a vós lhas, / o nosso afeto lhe vamos dar. / Tanto as suas preces para alcançar o perdão de amou-nos! Quem não há de amá-lo? suas faltas, a segurança em suas vidas e a 5. A estrela do Oriente / conduziu os Magos / salvação que esperam.

T – Lembrai-vos, ó Pai, de vossos filhos! Em comunhão com toda a Igreja celebramos o dia santo em que a Virgem Maria deu ao mundo o Salvador. Veneramos também a mesma Virgem Maria e seu esposo São José, os santos Apóstolos e Mártires: Pedro e Paulo, André (Tiago e João, Tomé, Tiago e Filipe, Bartolomeu e Mateus, Simão e Tadeu, Lino, Cleto, Clemente, Sisto, Cornélio e Cipriano, Lourenço e Crisógono, João e Paulo, Cosme e Damião), e todos os vossos Santos. Por seus méritos e preces concedei-nos sem cessar a vossa proteção. T – Em comunhão com toda a Igreja aqui estamos! Recebei, ó Pai, com bondade, a oferenda dos vossos servos e de toda a vossa família; dai-nos sempre a vossa paz, livrai-nos da condenação e acolhei-nos entre os vossos eleitos. Dignai-vos, ó Pai, aceitar e santificar estas oferendas, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso. T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão em suas mãos, elevou os olhos a vós, ó Pai, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: isto é o meu Corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Salvador do mundo, salvai-nos, / vós que nos libertastes / pela cruz e ressurreição. Celebrando, pois, a memória da paixão do vosso Filho, da sua ressurreição dentre os mortos e gloriosa ascensão aos céus, nós, vossos servos, e também vosso povo santo, vos oferecemos, ó Pai, dentre os bens que nos destes, o sacrifício perfeito e santo, pão da vida eterna e cálice da salvação. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Recebei, ó Pai, esta oferenda, como recebestes a oferta de Abel, o sacrifício de Abraão e os dons de Melquisedeque. Nós vos suplicamos que ela seja levada à vossa presença, para que, ao participarmos deste altar, recebendo o Corpo e o Sangue de vosso Filho, sejamos repletos de todas as graças e bênçãos do céu. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos e filhas N.N. que partiram desta vida, marcados com o sinal da fé. A eles, e a todos

os que adormeceram no Cristo, concedei a felicidade, a luz e a paz. T – Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! E a todos nós pecadores, que confiamos na vossa imensa misericórdia, concedei, não por nossos méritos, mas por vossa bondade, o convívio dos Apóstolos e Mártires: João Batista e Estêvão, Matias e Barnabé (Inácio, Alexandre, Marcelino e Pedro; Felicidade e Perpétua, Águeda e Luzia, Inês, Cecília, Anastácia) e todos os vossos santos. Por Cristo, Senhor nosso. T – Concedei-nos o convívio dos eleitos! Por ele não cessais de criar e santificar estes bens e distribuí-los entre nós. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém.

quiseste nascer nosso irmão / e a nós todos salvar! (bis) 3. Noite feliz! Noite feliz! / Eis que no ar vêm cantar / aos pastores os anjos do céu, / anunciando a chegada de Deus. / De Jesus Salvador! (bis)

17. PAI-NOSSO

21. AVISOS DA COMUNIDADE

19. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

Refrão meditativo: (41º Curso: 08.11) Nasceu-nos o Salvador, Jesus, o menino de Belém. / Nasceu, nasceu! Nasceu Jesus!

20. ORAÇÃO P – Oremos. (Pausa para oração) Ó Deus de misericórdia, que o Salvador do mundo hoje nascido, como nos fez nascer para a vida divina, nos conceda também sua imortalidade. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

P – Guiados pelo Espírito de Jesus e RITOS FINAIS iluminados pela sabedoria do Evangelho, ousamos dizer: 22. BÊNÇÃO FINAL T – Pai nosso... P – O Senhor esteja convosco. 18 A. CANTO DA COMUNHÃO T – Ele está no meio de nós. P – O Deus de infinita bondade, que, pela (36º Curso: 09.08) encarnação do seu Filho, expulsou as treDeus nos espera em Belém: / sabe da vas do mundo e, com seu glorioso nascifome que temos! / Vamos à Casa do mento, transfigurou este dia santo, expulse Pão: / lá nosso irmão nós veremos. dos vossos corações as trevas dos vícios 1. Toda a bondade de Deus / desde o co- e vos transfigure com a luz das virtudes. meço vigora. / Felizes todos os povos: / T – Amém. hoje conosco ele mora! P – Aquele que anunciou aos pastores 2. Foram Maria e José / os escolhidos da pelo Anjo a grande alegria do nascimento vida, / que viram felicidade / em se entre- do Salvador derrame em vossos corações a sua alegria e vos torne mensageiros do gar sem medida! Evangelho. 3. Anjos cantaram por lá / cantos de plena T – Amém. alegria, / e quem se fez vigilante, / viu que P – Aquele que, pela encarnação de seu o menino sorria! Filho, uniu a terra ao céu, vos conceda sua 4. Longe, uma estrela brilhou / e nos cha- paz e seu amor, e vos torne participantes mou para perto. / E quem buscou a verda- da Igreja celeste. de, / viu que há bem mais que o deserto! T – Amém. 5. Justo e piedoso ancião / teve o consolo P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai em seus braços. / E quem a luz procurava, / e Filho e Espírito Santo. T – Amém. pôde seguir os seus passos! 6. Ana também se alegrou, / todo louvor 23. DESPEDIDA e serviço. / E quem buscou salvação, / viu P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. que a esperança tem viço! T – Graças a Deus. 7. Eis nossa paz, nosso bem! / Que a humanidade se esmere / em ter olhar, gesto ONDE NÃO HOUVER MISSA e passo / postos no amor que a prefere!

18 B. CANTO DA COMUNHÃO

24. COLETA FRATERNA

(É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da 1. Noite feliz! Noite feliz! / Ó Senhor, comunidade, enquanto a assembleia canDeus de amor, / pobrezinho nasceu em ta o n. 14 deste folheto.) Belém, / eis na lapa Jesus, nosso Bem! / Dá-nos paz, ó Jesus! (bis) 25. DA PALAVRA À REFEIÇÃO 2. Noite feliz! Noite feliz! / Ó Jesus, Deus (Quem preside convida a assembleia a se da luz, / quão afável é teu coração, / que aproximar do altar.) (28º Curso: 09.04)


natal-de-n-sr-jesus-cristo-n-1699  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you