Issuu on Google+

P – Toda a nossa louvação chegue a ti em (Após o Pai-Nosso, quem preside convida nome de Jesus por quem oramos com as a comunidade a partilhar o pão, dizendo:) palavras que ele nos ensinou: P – Assim disse Jesus: “Eu sou o pão da T – Pai nosso..., pois vosso é o reino, o vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome e o que crê em mim nunca mais poder e a glória para sempre. terá sede”. 27. ABRAÇO DA PAZ Mostrando o pão consagrado: P – Irmãos e irmãs, por sua morte e res- P – Eis o Cordeiro de Deus, aquele que surreição, o Cristo nos reconciliou. Demo- tira o pecado do mundo! -nos uns aos outros o abraço da paz! T – Senhor, eu não sou digno(a)... 28. RITO DA COMUNHÃO (Comunhão: cantos n. 18 deste folheto.)

29. ORAÇÃO FINAL

P – Senhor, Deus dos pequeninos, dá-nos o teu Espírito, para que possamos reconhecer-te presente nos marginalizados e sofredores. Enche nossos corações com o mesmo amor que levou Jesus a doar sua vida como servidor fiel no teu reino. Por Cristo, nosso Senhor. Amém. O roteiro de “onde não houver missa” encontra-se no livro “Dia do Senhor”: de M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: Apostolado Litúrgico.

“JESUS CRISTO, ONTEM, HOJE E SEMPRE! ” O mistério que celebramos hoje Neste último domingo do ano litúrgico celebramos a festa de Cristo Rei do Universo Proclamamos que Ele, o Cordeiro imolado, é digno de receber o poder, a divindade, a sabedoria e a honra, porque fez-se servo e entregou sua vida até a morte de Cruz. Proclamar Jesus Cristo como Rei é dizer que ninguém pode ser dono deste mundo. É trabalhar por uma sociedade solidária e fraterna, baseada na Verdade. Pelo Batismo somos chamados a reinar com Cristo pelo serviço, pelo perdão, pela reconciliação, enfrentando o desafio da cruz para que todos tenham vida e esperança. Hoje é também o “Dia do Leigo(a)”, chamado à missão profética, sacerdotal e real de Cristo, para transformar o mundo. Sugestões para a equipe de celebração: 1. Preparar o espaço celebrativo, destacando o Círio Pascal, a pia batismal, além da mesa da palavra e da eucaristia. A cor litúrgica é o branco.

2. Retomar, no início da celebração, os acontecimentos significativos do ano litúrgico que termina, ligando-os com a festa de Cristo Rei e identificando neles os sinais do reino de Cristo que vence o reino deste mundo. 3. Valorizar depoimentos e testemunhos de leigos(as), assim como sua participação nos vários serviços realizados na construção do Reino. 4. O próximo dia 1º, sábado, é “Dia Mundial da Luta contra a Aids”; incentivar a comunidade a fazer gestos concretos a favor da vida dessas pessoas, sobretudo as presentes na comunidade. 5. Tempo do Advento – No próximo domingo, inicia-se esse tempo litúrgico e começam as leituras dominicais do ano C. “O tempo do Advento possui dupla característica: sendo um tempo de preparação para as solenidades do Natal em que se comemora a primeira vinda do Filho de Deus entre os homens, é também um tempo em que, por meio desta lembrança, voltam-se os corações para a expectativa da segunda vinda de Cristo nos fins dos tempos. Por este duplo motivo, o tempo do Advento se apresenta como um tempo de piedosa e alegre expectativa” (NALC 39).

Arquidiocese de Goiânia

34º DTC – N. Sr. Jesus Cristo, Rei do Universo – Ano B 25 de novembro de 2012 - Ano XXIX - Nº 1693

“JESUS CRISTO, ONTEM, HOJE E SEMPRE” 1. MOTIVAÇÃO A – Deus nos enviou seu Filho Jesus para nos fazer participar plenamente do seu Reino. Hoje nós proclamamos a ação amorosa de Deus que, através de todos os batizados, realiza sua vontade de reinar na Igreja, na família e em todas as áreas da vida humana. Com alegria, iniciemos nossa celebração, cantando.

2. CANTO DE ABERTURA (40º Curso: 04.11)

Jesus Cristo, / ontem, hoje e sempre! / Ontem, hoje e sempre, aleluia! 1. Ele é a imagem do Deus invisível, / o Primogênito da criação. / Tudo o que existe foi nele criado, / nele encontramos a Redenção. 2. Ele é a cabeça da Igreja, seu corpo, / o Primogênito entre os mortais, / que nele habite a vida mais plena, / foi do agrado de nosso Pai. 3. Reconciliou todas as criaturas, / dando-nos paz pelo sangue da cruz. / Deus nos tirou do império das trevas, / e nos chamou a viver na luz.

3. ACOLHIDA

LEITURAS BÍBLICAS: 2ª-f.: Ap 14,1-3.4b-5; Lc 21,1-4. 3ª-f.: Ap 14,14-19; Lc 21,5-11. 4ª-f.: Ap 15,1-4; Lc 21,12-19. 5ª-f.: Ap 18,1-2.21-23;19,1-3.9a; Lc 21,20-28. 6ª-f.: Rm 10,9-18; Mt 4,18-22. Sábado: Ap 22,1-7; Lc 21,34-36. Domingo: 1º Domingo do Advento - Jr 33,14-16; Ts 3,12-4,2; Lc 21,25-28.34-36.

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

P – Em nome do Pai... T – Amém. P – A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo, estejam convosco. T – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

4. ATO PENITENCIAL P – Hoje aclamamos Jesus como Rei do Universo. Mas, de fato, o que reina em nossa vida? Quais são as nossas maiores preocupações? (Pausa) P – Peçamos perdão, cantando: (32º Curso: 09.06) Solo. Senhor, Filho de Deus, que vos fizestes nosso irmão, tende piedade de nós! Ass. Senhor, tende piedade de nós! Solo. Ó Cristo, Filho do homem, que conhe-

ceis nossa fraqueza, tende piedade de nós! Ass. Cristo, tende piedade de nós! Solo. Senhor, Filho do Pai, que nos fazeis uma família, tende piedade de nós! Ass. Senhor, tende piedade de nós! P – Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. T – Amém.

podemos encontrá-lo. Escutemos.

7. PRIMEIRA LEITURA

Leitura da Profecia de Daniel (7,13-14) “Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho de homem, aproximando-se do Ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. 14 Foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam: seu poder é um poder eterno 5. HINO DE LOUVOR que não lhe será tirado, e seu reino, um (30º Curso: 10.05) reino que não se dissolverá “. Glória a Deus nos altos céus! / Paz na terra a seus amados! / A vós louvam, – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio) Rei celeste, / os que foram libertados! 1. Deus e Pai, nós vos louvamos, / ado- 8. SALMO 92 (93) ramos, bendizemos; / damos glória ao (Salmos e Aclamações / ano B: 11.11 – vol. II) vosso nome, / vossos dons agradecemos! Deus é Rei e se vestiu de majestade, / gló2. Senhor nosso, Jesus Cristo, / Unigênito ria ao Senhor! / Glória ao Senhor! do Pai, / vós, de Deus Cordeiro Santo, / 1a Deus é Rei e se vestiu de majestade, / nossas culpas perdoai! b revestiu-se de poder e de esplendor! 3. Vós, que estais junto do Pai, / como c nosso intercessor, / acolhei nossos pedi- Vós firmastes o universo inabalável, vós firmastes vosso trono desde a origem, / dos, / atendei nosso clamor! desde sempre, ó Senhor, vós existis. 4. Vós somente sois o Santo, / o Altíssi- 5 mo, o Senhor, / com o Espírito Divino, / Verdadeiros são os vossos testemunhos, refulge a santidade em vossa casa, / pelos de Deus Pai no esplendor! séculos dos séculos, Senhor! Glória a Deus nos altos céus! / Paz na (Tempo de silêncio) terra a seus amados! / A vós louvam, Rei celeste, / os que foram libertados! 9. SEGUNDA LEITURA Amém! Leitura do Livro do Apocalipse (1,5-8) 5 Jesus Cristo é a testemunha fiel, o pri6. ORAÇÃO meiro a ressuscitar dentre os mortos, o P – Oremos. (Pausa para oração) soberano dos reis da terra. A Jesus, que nos liberDeus eterno e todo-poderoso, que dispu- nos ama, que por seu sangue 6 tou dos nossos pecados e que fez de nós sestes restaurar todas as coisas no vosso um reino, sacerdotes para seu Deus e amado Filho, Rei do universo, fazei que Pai, a ele a glória e o poder, em eternitodas as criaturas, libertas da escravidão dade. Amém. 7 e servindo à vossa majestade, vos gloriOlhai! Ele vem com as nuvens, e tofiquem eternamente. Por nosso Senhor dos os olhos o verão, também aqueles Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do que o traspassaram. Todas as tribos da terra baterão no peito por causa dele. Espírito Santo. Sim. Amém! T – Amém. 8 “Eu sou o Alfa e o Ômega”, diz o Senhor Deus, “aquele que é, que era e que LITURGIA DA PALAVRA vem, o Todo-poderoso”. A – A Palavra de Deus nos revela a – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. sua ação na história e nos ensina onde (Tempo de silêncio) 13


10. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Salmos e Aclamações / ano B: 11.11 – vol. II)

Aleluia, aleluia, aleluia! (bis) É bendito aquele que vem vindo, que vem vindo em nome do Senhor; / e o Reino que vem, seja bendito; ao que vem e a seu Reino, o louvor! P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Evangelho de Jesus Cristo segundo João. T – Glória a vós, Senhor. (18,33b-37) – Naquele tempo, 33bPilatos chamou Jesus e perguntou-lhe: “Tu és o rei dos judeus? 34“Jesus respondeu: “Estás dizendo isto por ti mesmo, ou outros te disseram isto de mim?” 35Pilatos falou: “Por acaso, sou judeu? O teu povo e os sumos sacerdotes te entregaram a mim. Que fizeste?” 36 Jesus respondeu: ”O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus guardas lutariam para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu reino não é daqui”. 37 Pilatos disse a Jesus: “Então tu és rei? “Jesus respondeu: “Tu o dizes: eu sou rei. Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz”. – Palavra da Salvação. T – Glória a vós, Senhor. (Tempo de silêncio)

roso diante das necessidades dos pobres e excluídos. 5. Senhor Jesus, manifestai o vosso Reino na nossa vivência familiar, no mundo do trabalho, nas nossas comunidades e em nossa realidade. (Preces da comunidade) (Conclusão pelo presidente)

LITURGIA EUCARÍSTICA (Onde não houver missa, segue a partir do n. 24 deste folheto.)

14. CANTO DE PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS (39º Curso: 08.10)

Apresentamos, Senhor, estes dons. / Bendito sejas, pra sempre, Senhor. (bis) 1. Bendito, sejas, Senhor, / por este pão que nos deste, / fruto do trabalho, / será pão da nossa vida. 2. Bendito sejas, Senhor, / por este vinho tão puro, / fruto da videira / será nossa salvação. 3. Bendito sejas, Senhor, / por tudo quanto nos deste, / nós te agradecemos / pelos dons que recebemos.

15. ORAÇÃO

P – Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso. T – Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a Santa Igreja. 11. HOMILIA P – Oferecendo-vos estes dons que nos reconciliam convosco, nós vos pedimos, (Após a homilia, pausa para reflexão.) ó Deus, que o vosso próprio Filho con12. PROFISSÃO DE FÉ ceda paz e união a todos os povos. Por P – Cheios de confiança, professemos a Cristo, nosso Senhor. nossa fé. T – Amém. T – Creio em Deus Pai...

13. ORAÇÃO COMUNITÁRIA P – Apresentemos nossas preces a Jesus Cristo, Rei da paz. 1. Senhor Jesus, Rei do Universo, sustentai a santa Igreja como servidora do vosso reino. T – Ouvi-nos, amado Senhor Jesus. 2. Senhor Jesus, fazei reinar os valores do Evangelho no coração de todos os que governam os povos e nações. 3. Senhor Jesus, levai todos os homens e mulheres de boa vontade a eliminar as divisões, superar os conflitos e acabar com as guerras. 4. Senhor Jesus, ajudai os leigos cristãos a construir a paz e a viver o serviço gene-

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III (Prefácio de N.S.J.C., Rei do Universo)

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Corações ao alto. T – O nosso coração está em Deus. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso. Com óleo de exultação, consagrastes sacerdote eterno e rei do universo vosso Filho único, Jesus Cristo, Senhor nosso. Ele, oferecendo-se na Cruz, vítima pura e pacífica, realizou a redenção da huma-

nidade. Submetendo ao seu poder toda criatura, entregará à vossa infinita majestade um reino eterno e universal: reino da verdade e da vida, reino da santidade e da graça, reino da justiça, do amor e da paz. Por essa razão, hoje e sempre, nós nos unimos aos anjos e arcanjos e serafins, e a toda a milícia celeste, cantando (dizendo) a uma só voz: T – Santo, Santo, Santo... Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr do sol, um sacrifício perfeito. T – Santificai e reuni o vosso povo! Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério. T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito.

T – Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, N. (o santo do dia ou o padroeiro) e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença. T – Fazei de nós uma perfeita oferenda! E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o papa Bento, o nosso bispo N., com os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes. T – Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja! Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro. T – Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso. T – A todos saciai com vossa glória! Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém!

17. PAI-NOSSO P – O Senhor nos comunicou o seu Espírito. Com a confiança e a liberdade de filhos, digamos juntos: T – Pai nosso...

18 A. CANTO DA COMUNHÃO (37º Curso: 08.09)

O Filho do Homem virá, virá, / na sua glória virá, virá, / para julgar virá, virá, / todos os povos e reinará! 1. Falou Deus, o Senhor, chamou a terra, / do nascente ao poente convocou. / Deus refulge em Sião, beleza plena, / não se cala ante nós, que ele chamou. (bis) 2. “Reuni, na minha frente, os meus eleitos, / que a aliança selaram, ante o altar.” / Testemunho será o próprio céu, / porque Deus, ele mesmo, vai julgar. (bis) 3. Eu não vim criticar teus sacrifícios, / estão diante de mim teus holocaustos. / Não preciso do gado de teus campos, / nem dos

muitos carneiros de teus pastos. 4. Faze a Deus sacrifício de louvor, / cumpre os votos que a ele tu fizeste. / Vem, me invoca na hora das angústias, / eu virei te livrar do que sofreste. (bis)

18 B. CANTO DA COMUNHÃO (30º Curso: 10.05)

P – Torne os vossos corações atentos à sua palavra, a fim de que transbordeis de alegria divina. T – Amém. P - Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo. T – Amém.

1. Seu nome é Jesus Cristo e passa fome / e grita pela boca dos famintos, / e a gente quando o vê passa adiante, / às vezes pra chegar depressa à Igreja. / Seu nome é Jesus Cristo e está sem casa / e dorme pela beira das calçadas. / E a gente quando o vê apressa o passo, / e diz que ele dormiu embriagado. Entre nós está e não o conhecemos. / Entre nós está e nós o desprezamos! (2x) 2. Seu nome é Jesus Cristo e analfabeto, / e vive mendigando um subemprego / e a gente quando vê diz: é uma à toa. / Melhor que trabalhasse e não pedisse. / Seu nome é Jesus Cristo e está banido, / das rodas sociais e das igrejas, / porque dele fizeram um Rei potente / enquanto Ele vive como um pobre. 3. Seu nome é Jesus Cristo e está doente, / e vive atrás das grades das cadeias, / e nós tão raramente vamos vê-lo, / sabemos que ele é um marginal. / Seu nome é Jesus Cristo e anda sedento / por um mundo de amor e de justiça, / mas logo que contesta pela paz: / a “ordem” o obriga a ser da guerra.

23. DESPEDIDA

19. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

Vós sois o caminho, a verdade e a vida, / o pão da alegria descido do céu.

P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. T – Graças a Deus.

ONDE NÃO HOUVER MISSA 24. COLETA FRATERNA (É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta o canto n. 14 deste folheto.)

25. DA PALAVRA À REFEIÇÃO (Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós o pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor. Que esta comunhão firme nossa amizade com ele e nos dê a graça de viver e promover a reconciliação. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.) (38º Curso: 03.10)

Refrão meditativo: (22º Curso: 09.01) 26. ORAÇÃO DE AÇÃO És o Cristo, nós te adoramos, / aleluia, aleDE GRAÇAS luia; (bis) (Quem preside, ocupando o lugar no alÉs o Cristo, nós te louvamos, / te louva- tar, convida a assembleia para o louvor:) mos sempre, aleluia. (bis) P – Nós te damos graças, ó Deus da vida, 20. ORAÇÃO porque renovas o universo com energia P – Oremos. (Pausa para oração) amorosa do teu Espírito e convocas toda Alimentados pelo pão da imortalidade, a criação a se libertar do cativeiro e a nós vos pedimos, ó Deus, que, gloriando- participar da liberdade dos filhos e filhas -nos de obedecer na terra aos mandamen- de Deus. tos de Cristo, Rei do universo, possamos T – Glória a ti, Senhor, graças e louvor. viver com ele eternamente no reino dos P – Nós te bendizemos porque Jesus, céus. Por Cristo, nosso Senhor. compadecendo-se das fraquezas da huT – Amém. manidade, tornou-se Senhor do univer21. AVISOS DA COMUNIDADE so, bendito para sempre. T – É nosso dever e nossa salvação! RITOS FINAIS P – Por este sinal do corpo do teu Filho, expressamos nosso desejo de cor22. BÊNÇÃO FINAL responder com mais fidelidade à missão P – O Senhor esteja convosco. que nos deste e invocamos sobre nós o T – Ele está no meio de nós. teu Espírito. Apressa o tempo da vinda P – Que Deus todo-poderoso vos livre do teu reino, e recebe o louvor de todo sempre de toda adversidade e derrame o universo e de todas as pessoas que te buscam. sobre vós as suas bênçãos. T – Amém. T – Glória a ti, Senhor, graças e louvor.


n-sr-jesus-cristo-rei-do-universo-n-1693