Issuu on Google+

FAZEI DISCÍPULOS MEUS TODOS OS POVOS O mistério que celebramos hoje A liturgia sempre celebra a Páscoa de Jesus, o Salvador, e por Ele dá graças ao Pai, no Espírito Santo. Portanto, toda celebração é trinitária e a Páscoa é celebrada o ano inteiro. A festa que hoje celebramos faz uma síntese, juntando o sentido das realidades que celebramos desde a Páscoa até Pentecostes. É um momento para as comunidades cristãs renovarem sua aliança com o Pai que nos criou e nos libertou, entregando-nos o dom da Vida de Jesus Cristo, seu Filho, e o dom do Amor do Espírito Santo. Somos chamados a renovar nosso compromisso batismal de ser reflexos da Santíssima Trindade, sinais de comunhão, partilha e esperança, num mundo tão dividido, individualista e desesperançado. Sugestões para a equipe de celebração: 1. Preparar um painel ou bonito cartaz com a frase: “A San-

tíssima Trindade é a melhor comunidade”. A cor litúrgica desta festa é o branco. 2. Procissão de entrada com a participação de pessoas batizadas e crismadas recentemente na comunidade, se houver. 3. Fazer com especial atenção o sinal da cruz e a saudação inicial em nome da Trindade, se possível, cantados. 4. Lembramos que não deve haver comentários antes de cada leitura; pelo contrário, devem-se fazer pausas silenciosas para interiorização. 5. Destacar a característica trinitária da Oração Eucarística e, se possível, cantá-la, ou pelo menos, cantar o prefácio, o santo, as aclamações, a doxologia e o amém final. 6. Retomar os primeiros versículos da segunda leitura para o envio da comunidade e dar um maior destaque à bênção final, feita em nome da Trindade.

LEITURAS BÍBLICAS: 2ª-f.: 2Pd 1,2-7; Mc 12,1-12. 3ª-f.: 2Pd 3,12-15a; Mc 12,13-17. 4ª-f.: 2Tm 1,1-3.6-12; Mc 12,18-

27. 5ª-f.: Ssmo. Corpo e Sangue de Cristo: Ex 24,3-8; Hb 9, 11-15; Mc 14,12-16.22-26. 6ª-f.: 2Tm 3,10-17; Mc 12,35-37. Sábado: 2Tm 4,1-8; Mc 12,38-44. Domingo: 10º Domingo do Tempo Comum – Gn 3,9-15; 2Cor 4,3-18-5,1; Mc 3,20-35.

Solenidade de

Corpus Christi Arquidiocese de Goiânia

Praça Cívica 7 de Junho

Concentração 16 horas

Santa Missa seguida de procissão 17 horas

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

Arquidiocese de Goiânia

Solenidade da Santíssima Trindade – Ano B 3 de junho de 2012 - Ano XXIX - Nº 1665

1. MOTIVAÇÃO

FAZEI DISCÍPULOS MEUS TODOS OS POVOS

A – Pelo batismo, Deus nos mergulha no mistério do seu amor e nos faz discípulos missionários, participantes na transformação da realidade até ela ser sinal do mesmo mistério de amor. Alegres, iniciemos nossa celebração, cantando.

2. CANTO DE ABERTURA (21º Curso: 03.01)

P – Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. T – Amém.

5. HINO DE LOUVOR (39º Curso: 08.10)

Glória! Glória! Anjos no céu! / Cantam todos seu amor! / E na terra, homens de paz: / “Deus merece o louvor!” 1. Deus e Pai, nós vos louvamos, / adoramos, bendizemos, / damos glória ao vosso Nome, / vossos dons agradecemos! 2. Senhor nosso, Jesus Cristo, / Unigênito do Pai, / vós, de Deus Cordeiro Santo, / nossas culpas perdoai! 3. Vós que estais junto do Pai, / como nosso intercessor, / acolhei nossos pedidos, / atendei nosso clamor! 4. Vós somente sois o Santo, / o Altíssimo, o Senhor, / com o Espírito Divino, / de Deus Pai no esplendor!

Somos povo de Deus caminhando / para a luz da Trindade sem véu; Se a Trindade aqui vimos rezando, / somos todos romeiros do céu! (bis) 1. Pelo Espírito Santo guiados, / demandamos à Casa do Pai; / para nós, em Deus-Filho irmanados / uma voz vem do céu: caminhai! 2. Vendo a Virgem coroada na glória, / junto a Deus no seu trono de luz, compreendemos que a nossa vitória / é conquista de amor pela cruz. 3. Nossa fé, testemunho profundo, / alimenta-se em graça e oração; consagrar 6. ORAÇÃO para Deus este mundo / há de ser nosso P – Oremos. (Pausa para oração) anseio cristão. Ó Deus, nosso Pai, enviando ao mundo 3. ACOLHIDA a Palavra da verdade e o Espírito santifiP – Em nome do Pai... cador, revelastes o vosso inefável mistéT – Amém. rio. Fazei que, professando a verdadeira P – A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, fé, reconheçamos a glória da Trindade e o amor do Pai e a comunhão do Espírito adoremos a Unidade onipotente. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na Santo estejam convosco. T – Bendito seja Deus que nos reuniu unidade do Espírito Santo. no amor de Cristo. T – Amém.

4. ATO PENITENCIAL

P – Contemplemos com os olhos da fé a Santíssima Trindade que nos envolve com seu amor. Peçamos perdão por tudo o que desfigura e destrói a pessoa humana e tudo o que Deus criou. (Pausa) P – Senhor, que viestes não para condenar, mas para perdoar, tende piedade de nós. T – Senhor, tende piedade de nós. P – Cristo, que vos alegrais pelo pecador arrependido, tende piedade de nós. T – Cristo, tende piedade de nós. P – Senhor, que muito perdoais a quem muito ama, tende piedade de nós. T – Senhor, tende piedade de nós.

LITURGIA DA PALAVRA A – Escutemos a Palavra de Deus. Ela nos fala da ação da Santíssima Trindade em nossa vida e na nossa missão.

7. PRIMEIRA LEITURA

tenha ouvido a voz de Deus falandolhe do meio do fogo, como tu ouviste, e tenha permanecido vivo? 34Ou terá jamais algum Deus vindo escolher para si um povo entre as nações, por meio de provações, de sinais e prodígios, por meio de combates, com mão forte e braço estendido, e por meio de grandes terrores, como tudo o que por ti o Senhor vosso Deus fez no Egito, diante de teus próprios olhos? 39 Reconhece, pois, hoje, e grava-o em teu coração, que o Senhor é o Deus lá em cima no céu e cá embaixo na terra, e que não há outro além dele. 40 Guarda suas leis e seus mandamentos que hoje te prescrevo, para que sejas feliz, tu e teus filhos depois de ti, e vivas longos dias sobre a terra que o Senhor teu Deus te vai dar para sempre”. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

8. SALMO 32 (33)

(Salmos e Aclamações / ano B: 11.11 – vol.I)

Feliz o povo que o Senhor / escolheu por sua herança. 4 Reta é a palavra do Senhor, / e tudo o que Ele faz merece fé. / 5Deus ama o direito e a justiça, / transborda em toda a terra a sua graça. 6 A Palavra do Senhor criou os céus, / e o sopro de seus lábios, as estrelas. / 9 Ele falou e toda a terra foi criada, / ele ordenou e as coisas todas existiram. 18 Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, / e que confiam esperando em seu amor, / 19para da morte, libertar as suas vidas / e alimentá-los quando é tempo de penúria. 20 No Senhor nós esperamos confiantes, / porque ele é nosso auxílio e proteção! / 22 Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, / da mesma forma que em vós, nós esperamos! (Tempo de silêncio)

Leitura do Livro do Deuteronômio (4,32-34.39-40) – Moisés falou ao povo, dizendo: 32“Interroga os tempos antigos que te precederam, desde o dia em que Deus criou o homem sobre a terra, e investiga de um extremo ao outro dos céus, se houve jamais um acontecimento tão grande, ou se ouviu 9. SEGUNDA LEITURA Leitura da Carta de São Paulo aos algo semelhante. 33 Existe, porventura, algum povo que Romanos (8,14-17) – Irmãos: 14Todos


aqueles que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. 15 De fato, vós não recebestes um espírito de escravos, para recairdes no medo, mas recebestes um espírito de filhos adotivos, no qual todos nós clamamos: Abbá, ó Pai! 16 O próprio Espírito se une ao nosso espírito para nos atestar que somos filhos de Deus. E, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se realmente sofremos com ele, é para sermos também glorificados com ele. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus (Tempo de silêncio)

P – Para viver como irmãos e irmãs, renunciais a tudo o que vos possa desunir, para que o pecado não domine sobre vós? T – Renuncio. P – Para seguir Jesus Cristo, renunciais ao demônio, autor e princípio do pecado? T – Renuncio. P – Credes em Deus, Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra? T – Creio. P – Credes em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, que nasceu da Virgem Maria, padeceu e foi sepultado, ressuscitou dos mortos e subiu ao céu? T – Creio. P – Credes no Espírito Santo, na Santa 10. ACLAMAÇÃO AO Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição EVANGELHO (Salmos e Aclamações / ano B: 11.11 – vol. I) dos mortos e na vida eterna? Aleluia, aleluia! / Aleluia, aleluia! (bis) T – Creio. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito P – O Deus todo-poderoso, Pai de nosso Divino, / ao Deus que é, que era e que Senhor Jesus Cristo, que nos fez renascer pela água e pelo Espírito Santo e nos convem, pelos séculos. Amém. cedeu o perdão de todo pecado, guardeP – O Senhor esteja convosco. -nos em sua graça para a vida eterna, no T – Ele está no meio de nós. Cristo Jesus, nosso Senhor. P – Proclamação do Evangelho de Jesus T – Amém. Cristo segundo Mateus. T – Glória a vós, Senhor! LITURGIA EUCARÍSTICA (28,16-20) – Naquele tempo, 16os onze discípulos foram para a Galileia, (Onde não houver missa, segue a partir ao monte que Jesus lhes tinha indica- do n. 23 deste folheto.) do. 17Quando viram Jesus, prostra- 13. CANTO DE PREPARAÇÃO ram-se diante dele. Ainda assim alguns DAS OFERENDAS duvidaram. (42º Curso: 03.12) 18 Então Jesus aproximou-se e falou: 1. Ó Trindade imensa e una, / vossa “Toda a autoridade me foi dada no céu e força tudo cria; / vossa mão, que rege os sobre a terra. 19Portanto, ide e fazei discítempos, / antes deles existia. pulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito 2. Pai, da graça fonte viva, / Luz da glória Santo, 20e ensinando-os a observar tudo o de Deus Pai, / Santo Espírito da vida, / que vos ordenei! Eis que eu estarei con- que no amor os enlaçais. vosco todos os dias, até ao fim do mundo”. 3. Só por vós, Trindade Santa, / suma – Palavra da Salvação. origem, todo bem, / todo ser, toda beleza, / T – Glória a vós, Senhor. toda vida se mantêm. (Tempo de silêncio) 4. Nós, os filhos adotivos, / pela graça consagrados, / nos tornemos templos 11. HOMILIA vivos, / a vós sempre dedicados. (Após a homilia, pausa para reflexão.)

14. ORAÇÃO 12. RENOVAÇÃO DO COMPROMISSO BATISMAL P – Orai, irmãos e irmãs, para que nosso P – Irmãos e irmãs, pelo mistério pascal, fomos no batismo sepultados com Cristo para vivermos com ele uma vida nova. Por isso, renovemos as promessas do nosso batismo, pelas quais já renunciamos a Satanás e suas obras, e prometemos servir a Deus na Santa Igreja Católica. Portanto: P – Para viver na liberdade dos filhos de Deus, renunciais ao pecado? T – Renuncio.

sacrifício seja aceito por Deus Pai todopoderoso. T – Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja. P – Senhor nosso Deus, pela invocação do vosso nome, santificai as oferendas de vossos servos e servas, fazendo de nós uma oferenda eterna. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

15. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II (Prefácio da Santíssima Trindade) P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Corações ao alto. T – O nosso coração está em Deus. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graça, sempre e em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso. Com vosso Filho único e o Espírito Santo sois um só Deus e um só Senhor. Não uma única pessoa, mas três pessoas num só Deus. Tudo o que revelastes e nós cremos a respeito de vossa glória atribuímos igualmente ao Filho e ao Espírito Santo. E, proclamando que sois o Deus eterno e verdadeiro, adoramos cada uma das pessoas, na mesma natureza e igual majestade. Unidos à multidão dos anjos e dos santos, nós vos aclamamos, jubilosos, cantando (dizendo) a uma só voz: T – Santo, Santo, Santo... Na verdade, ó Pai, vós sois santo e fonte de toda santidade. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso. T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte, e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

E nós vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo. T – Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o papa Bento, com o nosso bispo N. e todos os ministros do vosso povo. T – Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja! Lembrai-vos também dos nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a vós na luz da vossa face. T – Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Enfim, nós vos pedimos, tende piedade de todos nós e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificarmos por Jesus Cristo, vosso Filho. T – Concedei-nos o convívio dos eleitos! Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T – Amém!

16. PAI-NOSSO

P – O Senhor nos comunicou o seu Espírito. Com a confiança e a liberdade de filhos, digamos juntos: T – Pai nosso...

17. CANTO DA COMUNHÃO (21º Curso: 03.01)

Ó Trindade, vos louvamos, / vos louvamos pela vossa comunhão. / Que esta mesa favoreça, / favoreça nossa comunicação. 1. Contra toda tentação / da ganância e do poder, / nossas bocas gritam juntas / a palavra do viver (bis) 2. Na montanha, com Jesus, / no encontro com o Pai, / recebemos a mensagem: / Ide ao mundo e o transformai. (bis) 3. Deus nos fala na história / e nos chama à conversão: / vamos ser palavras vivas / proclamando a salvação. (bis) 4. Vamos juntos festejar / cada volta de um irmão / e o amor que nos acolhe / restaurando a comunhão. (bis) 5. Comunica quem transmite / a verdade e a paz, / quem semeia a esperança / e o perdão que nos refaz. (bis)

18. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

Refrão Meditativo: (41º Curso: 08.11) Glória seja ao Pai, / glória seja ao Filho, / glória ao Espírito Santo e seu amor também. / Ele é um só Deus, em pessoas três, / agora e sempre, sempre. Amém.

19. ORAÇÃO

P – Oremos. (Pausa para oração) Possa valer-nos, Senhor nosso Deus, a comunhão no vosso sacramento, ao proclamarmos nossa fé na Trindade eterna e santa, e na sua indivisível Unidade. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

20. AVISOS DA COMUNIDADE RITOS FINAIS 21. BÊNÇÃO FINAL

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Deus Pai vos dê a sua bênção, Deus Filho vos conceda a saúde e a paz, o Espírito Santo vos ilumine agora e sempre. T – Amém. P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo. T – Amém.

22. DESPEDIDA

P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. T – Graças a Deus.

ONDE NÃO HOUVER MISSA 23. COLETA FRATERNA

(É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta o n. 14 deste folheto.)

24. DA PALAVRA À REFEIÇÃO

(Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Colocando agora sobre o altar o pão, que é memória viva do corpo do Senhor, temos a firme certeza de que o Espírito nos reúne como filhos e filhas, na íntima comunhão com o Pai, libertando-nos de todo medo que nos impeça de assumir nossa missão. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.) (41º Curso: 08.11)

Glória seja ao Pai, / glória seja ao Filho, / glória ao Espírito Santo e seu amor também. / Ele é um só Deus, em pessoas três, / agora e sempre, sempre. Amém.

25. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS

(Quem preside, ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor.) P – Ó Deus, Pai de bondade, graças te damos por Jesus, teu Filho, que escolheste e consagraste com a força do Espírito Santo. Ressuscitado, ele deu a todos nós este mesmo Espírito, que vem em auxílio da nossa fraqueza para interceder por nós junto a ti. T – Nós te damos muitas graças, te rogamos, ó Senhor. P – Na força do mesmo Espírito, adoramos e proclamamos tua comunhão de amor, Pai, Filho e Espírito Santo, e te bendizemos. T – Nós te damos muitas graças, te rogamos, ó Senhor. P – Neste pão consagrado, expressamos nosso desejo de sermos unidos em Jesus e de vermos reinar em nossa humanidade a comunhão da Santa Trindade. Faze que as Igrejas cristãs do mundo inteiro caminhem na unidade, que haja um diálogo respeitoso entre todas as religiões e que prevaleça no mundo uma cultura de paz, para alegria de todos os seres do universo e pela sobrevivência da própria terra. Unimos a nossa prece à prece de Jesus, rezando como ele nos ensinou: T – Pai nosso..., pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

26. ABRAÇO DA PAZ

P – Irmãos e irmãs, por sua morte e ressurreição, o Cristo nos reconciliou. Demo-nos uns aos outros o abraço da paz!

27. RITO DA COMUNHÃO

(Após o Pai-Nosso, quem preside convida a comunidade a partilhar o pão, dizendo:) P – Assim disse o Senhor: “Venham e comam”. E tomou o pão e lhes deu. (Mostrando o pão consagrado:) P – Eis o cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo! T – Senhor, eu não sou digno(a) ... (Comunhão: canto n. 17 deste folheto.)

28. ORAÇÃO FINAL

P – Ó Deus, fonte de amor e de graça, o alimento que recebemos nesta celebração ajude-nos a viver a mesma relação de amor viva e presente na comunhão do Pai, Filho e Espírito Santo. Bendito sejas pelos séculos dos séculos! Amém. O roteiro de “onde não houver missa” encontra-se no livro “Dia do Senhor”: de M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: Apostolado Litúrgico.


santissima-trindade