Issuu on Google+

Nossa Santa

Jornada Mundial

Marca primordial da espiritualidade de Santa Edwiges, que é “jeito de crer e experimentar a fé”, a leitura diária da Sagrada Escritura fez à nossa santa um bem incomensurável, pois “aprofundando-se no estudo do teor da Palavra de Deus, ela recebeu muitas graças.

São pessoas que souberam viver a radicalidade do Evangelho e hoje são modelo de vida...

Santa Edwiges e a sagrada escritura

Intercessores da JMJ 2013

Pág. 05

Pág. 10

STA. EDWIGES

Padres e Irmãos Oblatos de São José * Arquidiocese de SP * Ano XXII * N. 261 * Setembro de 2012

Setembro - Mês da Bíblia Há 41 anos a Igreja do Brasil celebra o mês da Bíblia. Conheça um pouco da história, dados e curiosidades desta ação evangelizadora. Pág. 15

OSJ

Animar a comunidade religiosa... A pessoa e a função do Reitor estão fartamente embasadas nas Constituições e Regulamento Geral dos Oblatos de São José. Sua existência e atuação são de fundamental importância para o bom andamento de nossas casas e comunidades religiosas...

Pág. 14

Especial

“A política como vocação.” É hora, sem dúvida de repensar o Estado brasileiro: que Estado temos? Que Estado queremos? Somente uma nova concepção de Estado tornará possível, viável e eficaz uma reforma política.

Pág. 03


santuariosantaedwiges.com.br

STA. EDWIGES

02

Setembro de 2012

Calendário Paroquial Pastoral 2012

Editorial

Ah, a Primavera! O mês de setembro está frequentemente associado com a estação da primavera. Com início no dia 23, a primavera traz consigo características muito agradáveis, apesar da metrópole em que vivemos, é o tempo do desabrochar das flores e das temperaturas agradáveis. Não há como fugir da metáfora que as estações podem representar, o ser humano está propenso a passar por muitos ciclos e fases. Todos passamos por invernos, onde a vida se torna um tanto quanto gelada, acuamos diante do frio e nos fechamos em nossas casas, em nossas mentes e até mesmo em nossa fé. Mas como já é obvio pela alusão, após o inverno sempre vem a primavera, onde tudo renasce, tudo floresce! A sociedade atual corre em ritmo frenético, acelerado. A globalização, as transformações tecnológicas, os fluxos e troca de informações, muitas vezes nos emudecem e extinguem nossa capacidade de refletir sobre a vida e todos os processos por qual o ser humano passa diariamente. Somos engolfados por uma onda violenta de ideias, publicidade, inovações midiáticas, além das rotinas de trabalho, trabalho e trabalho, engolindo o nosso discernimento para maturar experiências e avaliar a vida, suas ações e consequências. Continuando a analogia... Que após o sono do inverno, haja o despertar e desabrochar da vida! Que a dureza do dia-a-dia não enfraqueça os corações e as almas. Que a fé possa ser renovada, a cada dia, a cada mês, a cada estação. É simplório ou até mesmo piegas poetizar sobre a vida, as reflexões que a primavera nos dá e sobre o período acolhedor que pode ser usufruído para avaliações e recomeços, mas não deixa de ser verossímil. Eis um bom período para parar e pensar, ainda mais acompanhado de um desabrochar das flores. É desperdício não aproveitar o seu cheiro e suas cores! Cheiros e cores de uma nova vida! Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu. Tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou. (Eclesiastes 3, 1-2). Seja bem-vinda Primavera!

1 Sáb

Infância Missionária (Realidade Missionária) Grupo de Oração

Salão Pe. Segundo Salão São José Marello

14h30 19h

2 Dom

AJUNAI (Encontro dominical) Pastoral dos Coroinhas (Formação sobre Bíblia)

Salão Pe. Segundo Salas S. Pedro e S. Paulo

9h às 11h 10h às 11h30

6 Qui

Apostolado da Oração (Reunião) S.A.V. (Adoração Vocacional)

São José Marello Santuário

20h 20h

7 Sex

Apostolado da Oração (Missa da 1ª sexta-feira do mês)

Santuário

15h

8 Sáb

Infância Missionária (Espiritualidade Missionária) Catequese (Formação de Catequistas) Grupo de Oração

Salão Pe. Segundo Sala Pe. Pedro Magnone Salão São José Marello

14h30 às 16h 17h 19h

9 Dom

Catequese (Venda de bolos) Pastoral da Família (Curso de Noivos) Pastoral dos Coroinhas (Formação sobre Bíblia) Chá Bingo da Juventude Pastoral da Acolhida (Reunião com formação) Entrega das Capelinhas de Sta Edwiges

Salão S. José Marello OSSE Salas S. Pedro e S. Paulo Salão São José Marello Salão Pe. Segundo Santuário

7h às 12h 8h às 17h 10h às 11h30 14h 16h 18h30

11 Ter

Pastoral do Dízimo (reunião)

Salão São José

20h

14 Sex

Grupo de Canto (Ensaios)

Santuário

20h

15 Sab

Infância Missionária (Compromisso Missionário) Grupo de Oração Casamento Comunitário

Salão Pe. Segundo Salão São José Marello Santuário

14h30 às 16h 19h 17h30

16 Dom

Novena de Santa Edwiges

Santuário

Todo o dia

21 Sex

Vicentinos (Preparação de Cestas Básicas) Grupo de Canto (Ensaios)

Salão São José Marello Santuário

7h às 10h30 20h

22 Sab

Comunidade N.Sra. Aparecida (Festa da Primavera) Vicentinos (Entrega de Cestas Básicas e Reunião) Infância Missionária (Vida de Grupo) Grupo de Oração Ministros Extraord. Sagrada Comunhão (reunião)

Sede da Comunidade Salão São José Marello Salão Pe. Segundo Salão São José Marello Salão São José

17h8h às 10h30 14h30 às 16h 19h 17h30

23 Dom

Comunidade N.Sra. Aparecida (Festa da Primavera) Pastoral dos Coroinhas (Formação sobre Bíblia)

Sede da Comunidade Salas S. Pedro e S. Paulo

17h 10h às 11h30

26 Qua

Terço dos Homens (Adoração ao Santíssimo)

Santuário

20h

28 Sex

Grupo de Canto (Ensaios)

Santuário

20h

29 Sab

5º Aniversário do AJUNAI (Comemoração) Infância Missionária (Realidade Missionária) Curso de Batismo Comunidade N.Sra. Aparecida (Festa da Primavera) Grupo de Oração (Celebração da missa)

Salão Pe. Segundo Santuário Sede da Comunidade Santuário

14h30 às 16h 17h30 17h 19h

30 Dom

Pastoral Missionária (Mutirão Missionário) AJUNAI (Encontro dominical) Pastoral dos Coroinhas (Passeio) Celebração do Batismo S.A.V. (Reunião) Comunidade N.Sra. Aparecida (Festa da Primavera)

A definir Salão Pe. Segundo Parque Chico Mendes Santuário Salão Pe. Segundo Sede da Comunidade

8h às 17h 9h às 11h 10h às 14h 16h 16h30 17h

Abraços fraternos

Juliana Sales

julianasales@santuariosantaedwiges.com.br

Paróquia Santuário Santa Edwiges Arquidiocese de São Paulo Região Episcopal Ipiranga Congregação dos Oblatos de São José Província Nossa Senhora do Rocio Pároco: Pe. Paulo Siebeneichler, OSJ

Responsável e Editora: Juliana Sales Diagramador: Ronnie A. Magalhães Fotos: Gina e Arquivo Interno Equipe: Aparecida Y. Bonater; Izaíra de Carvalho Tonetti; Jaci Bianchi da Cruz; Guiomar Correia do Nascimento; José A. de Melo Neto; Rosa Cruz; Martinho V. de Souza; Marcelo R. Ocanha; Fernanda Ferreira e Rafael Carvalho

Site: www.santuariosantaedwiges.com.br E-mail: jornal@santuariosantaedwiges.com.br Conclusão desta edição: 31/08/2012 Impressão: Folha de Londrina. Tiragem: 6.000 exemplares. Distribuição gratuita

Estrada das Lágrimas, 910 cep. 04232-000 São Paulo SP / Tel. (11) 2274.2853 e 2274.8646 Fax. (011) 2215.6111


santuariosantaedwiges.com.br

Especial

Setembro de 2012

03

“ A política como vocação” O jornal L’Osservatore Romano, na edição brasileira de 21 de julho do ano em curso, publicou um texto da Senhora Mary Ann Glendon, com o sugestivo título de “A política como vocação.” O período pré-eleitoral que vivemos nos oferece ocasião propícia para pensar a política como vocação no Brasil, onde o voto ainda é uma desconfortável obrigação. Aproveitemos o clima eleitoral para outras reflexões políticas. Com louváveis exceções, os políticos brasileiros estão vencendo: estão nos cansando,  levando-nos à desilusão e o próximo passo será    o desencanto. Quando isto ocorrer,    eles reinarão de modo absoluto, ou então a sociedade, pelo instinto de sobrevivência, os fará retornar às suas funções e obrigações. Para muitos deles, quanto pior, melhor, pois assim a indiferença dos cidadãos não os incomodará na consecução de muitos perversos desejos. Para que o cansaço e a desilusão não nos leve ao desencanto, é preciso pensar a política como vocação, desejo, chamado e envio de Deus para os seus filhos, para o bem da humanidade e do mundo, obras de suas mãos criadoras e salvadoras. Compreender a política como vocação nos incita a redescobrir e viver o profetismo e o sacerdócio batismal de modo renovado, não só de denúncia, esta hoje realizada com maestria pelos meios de comunicação social, mas de proposição e construção de novos caminhos alternativos, na busca e na construção do novo, onde resplandeça a unidade, a bondade e a beleza da pessoa humana.  Propor novos caminhos até propomos, em teoria, com idéias e sugestões, nem sempre bem sistematizadas. Para construir novos caminhos e alternativas, agora sim, faltam operários qualificados e dispostos a doar a sua vida, ainda que ao preço de tantas outras renúncias. Não é possível exigir de leigos católicos que façam milagres quando o contexto e a estrutura os sufocam e os matam por asfixia, ou, o que é pior, acabando por fazer deles, algumas vezes, elos da mesma corrente.

Há tempos no Brasil se fala da necessidade de uma reforma política que repense vários elementos: a natureza, a constituição e a função dos partidos políticos; a revisão do sistema eleitoral com a elaboração de novos critérios para a escolha dos candidatos aos vários cargos do executivo e legislativo; fidelidade partidária; função dos eleitos em uma sociedade onde o poder econômico condiciona o político, invertendo posições e destituindo o político de sua função moderadora; eliminação de privilégios e vantagens econômicas dos eleitos que desgastam, viciam e oneram os cofres públicos, quando faltam recursos para outros setores vitais da sociedade. Não discordo da necessidade da reforma política, mas vejo que ela precisa estar amparada em um    Estado que dê sustentação e sirva de parâmetro para a ação política. É hora, sem dúvida de repensar o Estado brasileiro: que Estado temos? Que Estado queremos? Somente uma nova concepção de Estado tornará possível, viável e eficaz uma reforma política.

A reforma do Estado não dispensará o repensamento  e a reforma também do poder  judiciário, que precisa de menos privilégios e mais controle da sociedade, na busca de uma eficiência que vença a morosidade e livre a sociedade de pagar por anos a fio pelas transgressões realizadas alguns cidadãos e suas organizações. È neste contexto que situa-se a importância da Quinta Semana Social Brasileira, promovida por organismos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, já em desenvolvimento. O seu objetivo: “Em busca dos sinais dos tempos: reflexão crítica sobre a história dos dias atuais”. O desejo final: “Um novo Estado, caminho para uma nova sociedade do bem viver.”

Dom Tomé Ferreira da Silva

Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo


04

santuariosantaedwiges.com.br

Obra Social

Setembro de 2012

Fazer o bem sem olhar a quem! O Natal se aproxima e a tradicional entrega das sacolinhas mais uma vez se faz presente em nossa comunidade. Para o ano de 2012 a estimativa é de 1.000 sacolinhas para os atendidos dos Centros para Criança e Adolescentes (CCA), da Casa da Criança Santa Ângela, OSSE e a Creche das Irmãs Palotinas. Além das crianças e adolescentes destes projetos, seus irmãos que estão na faixa etária de até 6 anos também receberão a sacolinha de Natal. Você gostaria de participar? A entrega já começou! Acompanhe os avisos na paróquia, os plantões ou entre em contato conosco.

Pe. Bennelson Barbosa

Vigário Paroquial do Santuário Sta. Edwiges

Para refletir - O trem da vida Li em um livro, que a vida era comparada a uma viagem de trem. Isso mesmo, uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, alguns acidentes, agradáveis surpresas em muitos embarques e grandes tristezas em alguns desembarques. Quando nascemos, entramos nesse magnífico trem e nos deparamos com algumas pessoas, que nós julgamos que estarão sempre nessa viagem conosco, “nossos pais”. Infelizmente isso não é verdade, em alguma estação eles descerão e nos deixarão órfãos do seu carinho, amizade e companhia insubstituível. Isso, porém, não nos impedirá que durante o percurso, pessoas que se tornarão muito especiais para nós, embarquem.  Chegam nossos irmãos, amigos, filhos e amores inesquecíveis! Muitas pessoas embarcarão nesse trem apenas a passeio, outras encontrarão no seu trajeto somente tristezas e ainda outras circularão por ele prontos a ajudar quem precise. Vários dos viajantes quando desembarcam deixam saudades eternas, outros tantos, quando desocupam seus assentos, ninguém nem sequer percebe. Curioso é constatar que alguns passageiros que se tornam tão caros para nós, acomodamse em vagões diferentes dos nossos. Assim nos obrigando a fazer esse trajeto,

separados deles, mas isso não nos impede, é claro, que possamos ir ao seu encontro. No entanto, infelizmente, jamais poderemos sentar ao seu lado, pois já haverá alguém ocupando aquele assento. Não importa, é assim a viagem, cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, despedidas, porém, jamais, retornos. Façamos essa viagem então, da melhor maneira possível, tentando nos relacionar bem com os outros passageiros, procurando em cada um deles o que tiverem de melhor, lembrando sempre que em algum momento eles poderão fraquejar e precisaremos entender, porque provavelmente também fraquejaremos e com certeza haverá alguém que nos acudirá com seu carinho e sua atenção. O grande mistério afinal é que nunca saberemos em qual parada desceremos e muito menos os nossos companheiros de viagem, nem mesmo aquele que está sentado ao nosso lado hoje. Eu fico pensando, se quando descer desse trem, sentirei saudades. Acredito que sim, me separar de muitas amizades que fiz será no mínimo doloroso, deixar meus filhos continuar a viagem sozinhos será muito triste, mas me agarro a esperança de que em algum momento estarei na estação principal e com grande emoção os verei chegar. Estarão provavelmente, com uma

bagagem que não possuíam quando embarcaram e o que me deixará mais feliz, terei a certeza que de alguma forma eu fui uma grande colaborador para que ela tenha crescido e se tornado valiosa a eles. Amigos, façamos com que a nossa estada nesse trem seja tranquila, que tenha valido a pena e que quando chegar a hora de desembarcarmos que o nosso lugar vazio traga saudades e boas recordações para aqueles que prosseguirem a viagem. (Carta aberta: Silvana). Moral da história Quando assumimos que a nossa vida é passageira, buscaremos viver mais e melhor, pois não temos tempo a perder e por isso ficar com magoa, com raiva e ficar julgando os outros se torna uma ação desnecessária. A vida se faz de experiências reais e profundas. E esta história que lemos nos faz uma pergunta clara: “o que vamos deixar na vida das pessoas que viajam conosco?”. Tudo depende de nossas escolhas e de nossas ações para desenvolver as relações que valorizam a nossa existência. Por isso, saibamos viver bem e plenamente as nossas relações, não tomando posse, mas vivendo livres para amar e ser amado. Como disse Jesus: “Nos amemos uns aos outros como Eu vos amei”.

Pe. Paulo Sérgio - OSJ Vigário Paroquial


Nossa Santa

santuariosantaedwiges.com.br

Setembro de 2012

05

Santa Edwiges e a Sagrada escritura “Não obstante a contrariedade que a Sagrada Escritura traz a um coração fechado e insensível à mensagem de salvação de Deus em Jesus Cristo, com Santa Edwiges aprendemos que devemos ser sempre zelos na leitura, compreensão e aplicação da vida de Deus e em Deus na nossa vida”.

Estamos no mês de Setembro e tradicionalmente, no Brasil, o conhecemos como mês dedicado à Sagrada Escritura. Não basta dizer que a Bíblia é o livro mais lido ou impresso do mundo. “Para nós cristãos, a Bíblia não é um livro de ciências naturais ou de história erudita, mas o livro da vida da comunidade de Jesus”. Muitas vezes a Bíblia é censurada por não concordar com a análise científica, que até hoje tenta explicar o surgimento do mundo como ele o é. Sim, até hoje... Santa Edwiges era uma apaixonada pelas Sagradas Escrituras, pela Bíblia. Não por menos uma das invocações de sua ladainha se forma da jaculatória: Santa Edwiges, diligente leitora da Sagrada Escritura, rogai por nós! Ora, ser diligente é ter zelo em alguma tarefa ou esforço. Eis, pois, a esforçada Santa Edwiges na leitura, compreensão e aplicação da Palavra de Deus em sua vida. Marca primordial da espiritualidade de Santa Edwiges, que é “jeito de crer e experimentar a fé”, a leitura diária da Sagrada Escritura fez à nossa santa um bem incomensurável, pois “aprofundando-se no estudo do teor da Palavra de Deus, ela recebeu muitas graças. Imitando o costume dos conventos, ela mandava ler, durante as refeições, fragmentos dos Livros Santos e ela fazia a leitura da Bíblia Sagrada aos familiares em casa” (KIEKBASA, Pe. Antoni. Santa Edwiges da Silésia, 1998).

Como podemos nos assemelhar a Santa Edwiges na leitura da Sagrada Escritura, como pessoas do século 21? Vamos tentar apontar algumas questões que, abaixo, transcrevemos de uma introdução à leitura da Bíblia. “Nós, cristãos, lemos a Bíblia, não por curiosidade, mas para expor nossa vida à luz de Cristo”... “que luzes esse Jesus da Bíblia projeta sobre a minha vida aqui e agora? Como fica minha vida à sua luz? Como posso com ele repetir os Salmos do povo de Israel? Que significa minha vida profissional ou familiar à luz das Bem-Aventuranças? Que significa para mim sua cruz redentora? E não só para mim, pmas para aqueles que comigo constituem a sociedade humana e a comunidade de fé?” (Bíblia Sagrada, Tradução da CNBB. Introdução Geral, p. 8-9. Edições CNBB & Editora Canção Nova, Brasília/São Paulo, 2011).

Lendo, comentando e aplicando a Palavra de Deus em sua casa, Edwiges já em seu tempo dava um amplo sentido à catequese como aquele permanente anseio de anunciar Jesus Cristo, tendo como fulcro fundamental a fé que se planta como semente no terreno do coração humano, onde o que se desenvolve pela evangelização é uma fé robusta, forte e adulta!

Pela Sagrada Escritura nos convertemos ao Deus único e verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que o próprio Pai enviou dos céus (cf. João 17,3). A Bíblia é inspirada pelo próprio autor da vida, contendo verdades e não erros concernentes à nossa salvação e participação no céu com Deus. Nossa padroeira norteava o seu modo cristão de ser, também sob o encanto de São Bernardo de Claraval, abade e Doutor da Igreja, santo que manteve-se firme na tradição da Sagrada Escritura, e com ele aprendeu que a Palavra de Deus “não é uma palavra muda, mas o Verbo Encarnado e vivo”. Que com Santa Edwiges possamos prestar o verdadeiro culto às Sagradas Escrituras, que na celebração da eucaristia, na liturgia de todos os domingos pela “mesa da Palavra”, possamos haurir os tesouros que vem do coração de nosso Deus. Rezemos juntos: “Shemá, Israel, Adonai Elohenu, Adonai ehad! Escuta, Israel, o Senhor é nosso Deus, um é o Senhor! Deo Gratias!

Martinho Vagner

martovagner@yahoo.com.br


06

Palavra do Pároco

santuariosantaedwiges.com.br

Setembro de 2012

O cuidado da vida Espiritual Estamos no último mês de nossa novena anual de Santa Edwiges, e o nosso tema é o cuidado da vida espiritual. Neste período nós devemos de fato olhar para a nossa espiritualidade e nos questionar como estamos cuidando e avançando neste percurso de nossas vidas. A Igreja dedica em setembro uma reflexão sobre a Bíblia, e o tema de nossa novena vêm bem de encontro e sintonia com a Palavra de Deus: o cuidado de não ser este mais um livro em casa, porém, ser da casa o Livro da Vida, do estudo, da meditação, da contemplação do recado de Deus para cada um e cada uma dos habitantes de nossos lares. Esta é uma preocupação desde o Concilio Vaticano 2º na Igreja com a “Constituição Dogmática Dei Verbum sobre a Revelação Divina”, que abre os horizontes para que a Palavra de Deus (Dei Verbum) não fique distante, mas se torne como que o alimento e a fonte de todos os dias na vida dos cristãos para alimentar, renovar e dar a cada leitor/a as substâncias do Reino, da Revelação e da

sagrada história fazendo sempre fonte de animação e luz para a atual comunidade. O grande empenho de se ter acesso ao Livro Sagrado foi a tradução e o incentivo de ter a Bíblia nas mãos, de lê-la em família e rezar; e sobretudo, nestes últimos tempos, tem-se incentivando ao exercício da Lectio Divina, o aprendizado da leitura orante da Bíblia, método que vem dando uma grande ajuda às comunidades junto ao acesso e leitura da Bíblia, na conexão com a vida pela meditação, atualização e contemplação da Palavra de Deus na abertura e partilha dos horizontes de uma oração que leve a comunidade a um aprofundamento dos textos sagrados com mais eficácia. Edwiges contemplava a Palavra de Deus, e com muito empenho se dedicava a contemplação da Eucaristia na celebração da missa; tal exemplo deve ser imitado em nossas vidas, no aspecto espiritual, regado pela presença da Bíblia no dia a dia, do que ali acessamos, recebemos e vivencia-

Novena de Santa Edwiges 9º DIA O CUIDADO COM A VIDA ESPIRITUAL Meditação Muitas pessoas, inteiramente dominadas pelo desejo de fazer o bem aos outros, chegam a negligenciar os próprios interesses espirituais. Nosso Senhor disse que de nada valeria ao homem conquistar o mundo inteiro se não conseguisse salvar sua alma (Lucas 9,25)? A caridade bem ordenada começa por si mesmo. Para converter outras pessoas é indispensável que nos tenhamos convertido a nós mesmos. Ninguém dá o que não possui. “De que adianta querermos tirar o cisco do olho de nosso irmão, se temos uma trave em nossos próprios olhos” (Mt 7, 3-4)? Os antigos já diziam: “Médico, cura-te a ti mesmo”. Fazer o bem aos outros é indispensável, mas sem prejuízo de nossa própria santificação. Assim, o problema da melhoria do mundo é antes o problema da maioria de nós mesmos.

Exemplo Quando assistia ao Divino Ofício, Edwiges não admitia nem de longe que alguém pudesse conversar na igreja. Via em tais manifestações um desrespeito para com a majestade divina. Entregava-se o mais que podia à meditação, e para isso procurava os lugares ermos do castelo ou sombrias alamedas dos pátios externos. Mesmo doente, não queria faltar às orações comunitárias. Fazia questão de ouvir diariamente a Santa Missa. Mandava celebrá-la na capela distante do palácio, pois queria assistir à mesma em companhia dos filhos e parentes, formando um verdadeiro cortejo, e dando assim um belo exemplo aos que presenciavam tal espetáculo. Entrava na igreja extasiada, pensando no sacrifício do Calvário que se ia repetir ali, embora de modo incruento. Quando começava a Consagração, prosternava-se, quase deitando-se nas lajes do templo. E não se limitava a rezar na Missa, fazia questão de rezar a Missa acompanhando o sacerdote na leitura do Missal.

mos. Ter a Bíblia não basta! Lê-la como um romance não é o melhor. Bom mesmo é espiritualmente se colocar com a abertura como Samuel, depois de Eli o ensinar a escutar o Senhor, e dizer ao abrir este Sagrado Livro: “Fala Senhor, que teu servo escuta” (cf. 1Samuel 3,1-21). Querido/a Leitor/a convido a você neste mês ler com a Igreja do Brasil o Evangelho de Marcos, agora em Setembro. Na simplicidade do Evangelista, porém na suficiência do mesmo, este nos apresenta o Filho de Deus para a Comunidade, oferecendo a mensagem de salvação, fonte segura para nossa contemplação do Senhor que passa chamando, homens e mulheres para o Reino ainda hoje. Cuidemos de nossa vida espiritual, cuidemos como nossa Padroeira do amor ao Cristo na Eucaristia. Bom mês a todos. Pe Paulo Siebeneichler – OSJ

pepaulo@santuariosantaedwiges.com.br


santuariosantaedwiges.com.br

Batismo

Setembro de 2012

Batismo 29 de julho de 2012 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo (Mateus 28-19) Meneses Produções Fotográficas Tel.: 2013-2648 / Cel.: 9340-5836

Ana Clara A. R. de Toledo Anna Julia de Souza Brayan Lopes de L. Santana Daniela Viana da Silva Emilly Eduarda T. da Silva Gabrielly Vicente Viana Laryssa Siqueira da Silva Letícia dos Santos Cavelagna Guilherme Souza Meloni Gustavo Vieira Gomes Iúri Soares de Sousa Kayke Siqueira da Silva Lucas da Silva Nascimento Luiz Eduardo Gomes da Silva Miguel de Andrade Silva Pedro Costa dos Santos Sidney Breno dos S. F. Soares Sthephany Maciel de Oliveira Thais Sousa Lopes

07


08

santuariosantaedwiges.com.br

Notícias

Setembro de 2012

Santuário realiza Semana de Espiritualidade Pelo segundo ano consecutivo, o Santuário Santa Edwiges promoveu a Semana de Espiritualidade. Ela tem como objetivo aprofundar a espiritualidade diária do cristão, motivar a fé e renovar algumas diretrizes, como os sacramentos e as orações. Neste ano o evento aconteceu do dia 23 a 27 de julho. O Santuário reuniu aproximadamente 2500 pessoas durante toda a semana. Os temas dos encontros foram: Espiritualidade do Batismo, da Criança, da Juventude, da Família e da Comunidade Cristã. As pastorais e movimentos foram responsáveis em preparar o local e organizar os momentos de abertura de cada encontro, com encenações, músicas e momentos de oração e, em cada noite, foi recebido um convidado para falar um pouco mais sobre as temáticas, como a Irmã Kiara, Franciscana Angelina, Pe. Paulo Sérgio, OSJ, Pe. Daniel Ribeiro, SCJ, Pe. Marcos Giarola, SCJ e Pe. Iziquel Radvanskei, OSJ.

O Pe. Bennelson Barbosa, OSJ, vigário paroquial do Santuário, motivou os encontros durante toda a semana com diversas pessoas da comunidade paroquial. Além da divulgação por cartazes, folders, site e redes sociais do Santuário, este ano, durante as tardes da semana, a Rádio Heliópolis acolheu o vigário, que comentava sobre cada tema e convidada todo o bairro para este grande evento, atendendo a ouvintes e rezando por toda a comunidade de Heliópolis. O pároco do Santuário, Pe. Paulo Siebeneichler, OSJ, também participou com o povo de Deus durante esta semana, ele que retornou há pouco das Missões Josefinas organizadas pelos Oblatos de São José e do 3º Congresso Missionário Nacional que aconteceu em Palmas (TO), representando a Região Ipiranga. Foi uma semana de muitas bençãos e grande participação de toda a comunidade paroquial. No encerramento da

semana aconteceu adoração ao Santíssimo Sacramento, para abrilhantar a noite além de uma confraternização e partilha com todos os presentes. Fotos e mais detalhes da Semana de Espiritualidade estão no site:  www.santuariosantaedwiges.com.br. Curta a nossa  fanpage  do Santuário Santa Edwiges no facebook: http://www.facebook.com/santuariosantaedwiges e nos siga no twitter: @paroquiasantaed Juliana Sales e Rafael Carvalho

Adolescentes e jovens realizam 1º encontro do Projeto de Vida Entre os dias 04 e 05 de agosto aconteceu na Vila Sabrina, Zona Norte de São Paulo, um encontro denominado Projeto de Vida. Este projeto é organizado pelos jovens da Paróquia Santuário Santa Edwiges com supervisão e assessoria do vigário paroquial Pe. Bennelson Barbosa, OSJ. Questionamentos como:  O que é um projeto de vida? Como avaliar um projeto de vida? O projeto de vida de Jesus Cristo. Quais obstáculos nos impedem de realizar o nosso projeto de vida? E assuntos do cotidiano, reflexão sobre o futuro, sonhos, desejos e frustrações foram discutidos e abordados pelos coordenadores do projeto. Além de ressaltaram a importância de fazer um projeto de vida,  eles testemunharam suas vidas, experiências pessoais, profissionais e conquistas para uma melhor qualidade de vida. A juventude da Paróquia Nossa Senhora de Fátima da Vila Sabrina, pode discutir, avaliar a vida e as atitudes durante cada momento dos dias de encontro.

Ao final do primeiro dia (04), houve um momento de partilha e também Adoração ao Santíssimo Sacramento, seguida de uma confraternização para uma maior integração entre os jovens e adolescentes. Já o domingo foi reservado para uma avaliação sobre o tema apresentado, quais os projetos de vida de cada um e sobre os obstáculos que impedem a realização destas metas. O encontro foi finalizado com a santa missa na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, presidida pelo Pe. Bennelson Barbosa. Este final de semana certamente ficará na mente dos jovens e adolescentes e grandes questionamentos serão feitos. É importante sonhar, acreditar, buscar, planejar-se para assim conquistar! “No mundo tereis tribulações, mas tende coragem: eu venci o mundo!” (cf. Jo 16, 32-33). Luciana Sales Equipe – Projeto de Vida – OSJ


Notícias

santuariosantaedwiges.com.br

Setembro de 2012

09

Um novo passo Treinamento dos colaboradores da Obra Social Santa Edwiges Aconteceu no dia 10 (dez) de agosto nas dependências da Casa de Apostolado Salvatoriano o treinamento dos colaboradores da Obra Social Santa Edwiges (Paróquia, OSSE, Casa da Criança Santa Ângela, Lar Sagrada Família, Maxi Service, Souza Távora e OSJ). O objetivo foi refletir sobre a origem, missão, valores, visão, conhecimento e trajetória da nossa Obra Social. Participaram desse treinamento 53 colaboradores, que através de dinâmicas de integração e palestras realizaram teste motivacional que terá a sua devolutiva no próximo treinamento, a ser realizado no dia 26 de setembro.

Um dos destaques do dia foi a palestra sobre empregabilidade, assessorado pelo Sr. Ebenilson, consultor contábil da Obra Social Santa Edwiges. A empregabilidade significa o conjunto de competências e habilidades necessárias para uma pessoa manter se colocada em uma empresa; também a capacidade de conquistar e manter um emprego de forma firme e valiosa. Percebe-se que a natureza do emprego está mudando rapidamente, assinalada por diversas flexibilidades de inovação da pessoa para acompanhar tal mudança. O tema sobre empregabilidade foi de relevado interessante para os nossos colaboradores, pois os auxilia na motivação pessoal e alcance dos objetivos de nossas Obras Sociais que visam melhorar a qualidade de vida daqueles que atendemos.

O segundo treinamento será uma grande devolutiva das propostas tanto da diretoria como dos colaboradores; serão estudados temas como o perfil dos colaboradores de nossas Obras Sociais e, por fim, apresentado o resultado do teste motivacional aplicado na primeira etapa.

Alguns podem pensar que mudanças são utopias ou fantasias. Elas são para quem perdeu o sentido da vida, que é recriar e aprender sempre. Em todos os tempos passamos por desafios, e cabe a nós aceitar e perceber o potencial que temos, para gerar as mudanças que provocam resultados favoráveis tanto a nós, como àqueles a quem servimos com o nosso trabalho de cada dia. Rumo à meta! Pois a trajetória está apenas começando e um novo passo foi dado. Pe. Bennelson da Silva Barbosa Vigário Paroquial e Formador


10

santuariosantaedwiges.com.br

Jornada Mundial

Setembro de 2012

Intercessores da JMJ 2013 Dando continuidade a temática do mês passado que foram os Patronos da JMJ 2013, neste mês apresentamos os intercessores.

SANTA ROSA DE LIMA Fiel à vontade de Deus

Isabel Flores nasceu em Lima, Peru, no ano 1586. Foi apelidada de Rosa pela beleza de seu rosto. Foi a primeira santa do continente americano e se destacou de maneira especial por sua intensa vida de oração e penitência. Experimentou muitas dificuldades em sua vida e, diante delas, soube manter uma extraordinária serenidade, imitando a Cristo pobre e crucificado. Pedimos sua intercessão para que sejamos fiéis à vontade de Deus! Oração Auxiliai-me na busca da fidelidade aos planos de Deus para minha vida. Amém. BEATA CHIARA LUCE BADANO Toda entregue à Jesus

Nasceu em Sassello, Italia, no ano 1971. Aos 10 anos de idade vive uma experiência forte de encontro com Deus que muda a sua vida e a de seus pais. Desde este momento decide viver com radicalidade o Evangelho, buscando amar a todos aqueles que a rodeiam. Aos 18 anos lhe diagnosticam um tumor ósseo. Vive com grande valentia cada uma das etapas de sua dolorosa doença. Nós a invocamos pela sua entrega total a Jesus!

BEATO PIER GIORGIO FRASSATI Amor ardente aos pobres e a Igreja

Nasceu em Turim, em 06 de abril de 1901, e ao nascer, apresentava deficiências respiratórias, por isso foi imediatamente batizado. Revelouse um amigo dos pobres, vendo neles o próprio Cristo. Com 18 anos inscreveu-se na Confraria do Rosário de Pollone e na Conferência de São Vicente de Paulo. Sempre amou os humilhados, dedicando a sua vida a fazer-lhes bem. Seu coração foi destinado aos outros. Nós o reconhecemos como alguém que ardentemente amou os pobres e a Igreja.

Oração Ajudai-me a vencer os desafios próprios da juventude para que minha vida seja entregue sem reservas a Jesus Cristo. Amém. BEATO FREDERICO OZANAM Servidor dos mais pobres

Nascido em Milão, Itália, cresceu em um ambiente de profundo espírito de caridade, sobretudo pelo exemplo de seus pais. Apaixonado pelas questões existenciais e espirituais dedicou-se ao estudo da filosofia, de onde encontrou argumentos para sustentar o compromisso social dos católicos. Morreu em 1853, aos 40 anos, deixando o precioso legado das Conferências Vicentinas e a certeza de ter feito a vontade de Deus em sua vida. Nós o invocamos como servidor dos mais pobres.

Oração Intercedei por mim para que, nas muitas escolhas da vida, eu dê preferência ao serviço de amor a Deus e aos irmãos! Amém.

Oração Pela vossa intercessão, possamos viver a verdadeira partilha em favor dos mais necessitados e no auxílio aos que sofrem. Amém. BEATO ADÍLIO DARONCH Amigo de Cristo

Nasceu em outubro de 1908 em Dona Francisca, em uma família de modestas condições numa isolada localidade no interior do Brasil. Desde pequeno gostava muito de rezar e ajudar nas missas. Aos dezesseis anos morreu assassinado, juntamente com o Pe. Manuel Gómez González, por obra de alguns revolucionários que encontraram na estrada durante uma viagem para visitar as comunidades cristãs mais distantes. Nós o invocamos por sua forte amizade com Cristo! Oração Que a exemplo de vossas virtudes, sejamos recebidos entre os amigos de Cristo, nesta vida e na que há vir! Amém.

Acompanhem na próxima edição mais Intercessores da JMJ 2013. Fonte: www.rio2013.com Frei José Alves de Melo Neto Assessor Pastoral j_neto85@hotmail.com


santuariosantaedwiges.com.br

Vocações

Setembro de 2012

11

O Chamado de ontem e de hoje “Caminhando junto ao mar da Galiléia, viu Simão e André, o irmão de Simão. Lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. Disse-lhes Jesus: Vinde em meu seguimento e eu farei de vós pescadores de homens. E imediatamente, deixando as redes, eles o seguiram. Um pouco adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João com seu irmão. Eles também no barco, consertando as redes. E logo os chamou. E eles, deixando o pai Zebedeu no barco com os empregados, partiram em seu seguimento”. (Mc 12, 16-20). Logo no início de sua narração, o evangelista Marcos nos traz esta belíssima imagem, por nós emoldurada, do chamado dos quatro primeiros discípulos. Nós que atuamos no Serviço de Animação Vocacional, temos paixão por esta passagem, já vamos pensando em arranjar um barquinho para enfeitar a Igreja, colocamos peixes ao redor e por aí vamos construindo o nosso pensamento e nossa reflexão acerca do chamado de Jesus. Agora vamos mudar a cena, pois Jesus hoje certamente não passa somente entre pescadores. Ele percorre caminhos justamente onde estão os jovens...

Estive por três meses percorrendo por paróquias e obras da Congregação dos Oblatos de São José e também em outros ambientes, após minha ordenação sacerdotal. Vi muitos jovens inseridos e outros não, e comecei a imaginar umas cenas bem interessantes. “Atravessando a pracinha de Santa Edwiges, como é de costume, viu Jesus vários jovens com instrumentos musicais, muita música, conversa e risos. Fitando neles o olhar, disse Jesus: Anderson! Samara! Carolina! Augusto! Segue-me e venham trazer mais alegria ao meu Reino.” “Percorrendo pela Avenida na cidade de Três Barras do Paraná notou Jesus alguns jovens dirigindo-se até uma divertida pizzaria, sentou com eles e em dado momento disse-lhes: João! Edicléia! Leonardo! Márcia! Segue-me e farei de vocês construtores de uma sociedade mais unida, mais amiga e com vontade de lutar mais e mais. Este grupo mais tarde se reuniu para a fabricação de trufas com fins lucrativos a fim de participarem da Jornada Mundial da Juventude. Disse-lhes Jesus: O mundo está sedento da solidariedade, da disponibilidade e da fraternidade que estão estampados em vocês.”

“Andava Jesus pela Avenida Manaus em Cascavel, ouviu de longe o som de músicas sertanejas, era uma noite fria, havia uma grande roda com chimarrão para aquecer. Aproximandose disse-lhes Jesus: Vocês são jovens e adolescentes operários? Vinde comigo Leila! Fábio! Jéfersom! Mara... Eu vos farei operários que constroem um mundo novo pelas mãos e por palavras carregadas de amor”.

“Em Ourinhos, percebeu Jesus, um grande grupo dançando, super empenhados num evento que aconteceria logo no próximo fim de semana. Disse-lhes: “A arte, o movimento, o som e o coração elevam as pessoas tornando-as mais dóceis e atentas às minha palavras. Marcela! André! Gabriela! Claudio! Venham e vos farei comunicadores do meu perdão, da minha misericórdia, do meu desejo de transformação a todas as gentes.”

“Numa faculdade em Curitiba Jesus entrou. Vendo alguns super preocupados com as provas que se aproximavam, disse-lhes: Venham, Patrícia! Mirela! Lucas! Rafael! Eu vos farei pesquisadores de uma Boa-Nova, com métodos, engenharias, discursos e logísticas capazes de envolver um povo alienado e cheio de dúvidas.” “Lá no Estado do Piauí, Jesus passava por entre uma turma de trabalhadores do campo e dizia: Venham conhecer e trabalhar numa Metrópole confusa que precisa voltar-se ao simples, ao cuidado, ao respeito e ao valor da vida em todos os sentidos.” Não se trata apenas de imaginação ou delírio, mas a crença em Jesus que ama e chama hoje em nossas comunidades, em nosso meio! Conhece nossa realidade e clama por gente corajosa, cheia de vitalidade e disposta a dar a vida por um ideal. São José Marello dizia: “O mundo sofre por falta de fé, esperança e caridade.” Sejam os jovens portadores destas virtudes em meio ao mundo, basta pensar, amar, acreditar e responder SIM ao Deus que chama. Qual a sua resposta jovem? Pe. Marcelo Ocanha - OSJ

epicuro7@bol.com.br

A solução que você precisa está aqui! consulte-nos sem compromisso

COMÉRCIO E MANUTENÇÃO DE EMPILHADEIRAS LTDA.

COMPRA - VENDA - LOCAÇÃO ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Rua Bergal, 50 - São Paulo - SP www.allemanempilhadeiras.com.br - tel.: (11) 2945-8800


12

santuariosantaedwiges.com.br

São José

Setembro de 2012

São José educador Quando falamos da vida humana, a natureza não entende simplesmente a geração da prole, mas o seu desenvolvimento e a sua promoção até ao “estado perfeito” do homem. José exerce a sua tarefa de pai de Jesus, gerado por obra do Espírito Santo, nutrindo-o, defendendo-o e instruindo-o. A natureza humana de Jesus não cresce simplesmente em idade, mas aperfeiçoa-se também nos bens seja interiores como exteriores à escola do pai, responsável da educação da prole. De tudo isso decorre a merecida qualificação de São José “modelo dos educadores”. Jesus, aos 12 anos, fica no Templo em Jerusalém sabendo de ser o Filho de Deus. Em todo o longo período de “escondimento” em Nazaré, Jesus manifesta-se em público

somente uma vez, na idade de 12 anos, quando fica em Jerusalém no Templo, sem que seus pais o soubessem. Jesus compreende a grande dor deles, mas justifica-se antepondo o seu dever de ocupar-se das coisas do seu pai. Este episódio renova no coração de José a consciência de ser unicamente o “guarda” (“depositário”) daquele menino, que ele mesmo tinha “apresentado como oferenda” ao Eterno Pai, ao qual pertence totalmente (RC, n.15). José encaminha Jesus ao trabalho. “No crescimento humano de Jesus em “sabedoria, idade e graça”, tem um papel significativo a virtude da laboriosidade (RC, n.23), sendo o trabalho um fator importante no desenvolvimento pessoal e social”.

Pelo fato do mistério da encarnação ter que assumir o trabalho para redimi-lo, José é aquele que, ensinando a própria profissão a Jesus e trabalhando na mesma mesa da oficina de Nazaré juntamente com Ele, “aproxima o trabalho humano ao mistério da redenção” (RC, n.22). Consequentemente, os trabalhadores tem uma particular razão e direito para dirigir-se a São José. (Tradução e adaptação do texto “San Giuseppe nella catechesi” do Pe. Tarcisio Stramare - OSJ).

Pe. Giovanni Battista Erittu - OSJ erittugiovanni@gmail.com

Semana da Família na Comunidade Nossa Sra. Aparecida   A Semana da Família aconteceu nos dias 5,6, 8, 10, 12 de agosto e contou com a presença de muitas famílias que trabalham em pastorais da Paróquia Sta Edwiges e da Comunidade Nossa Sra. Aparecida. O tema “Ser família é ser Igreja” trouxe diversas reflexões sobre a família cristã. Durante toda a semana foi proposto um  olhar para  dois alicerces importantes dentro da família: os filhos e o casal.    No dia 5 (domingo) aconteceu a abertura na Comunidade durante a santa missa às 10h. O primeiro encontro foi preparado pela pastoral da Catequese junto ao Grupo de Oração (RCC). Dentro das diversas atividades, um momento marcante da noite foi o testemunho do casal Valter e Neide, atuantes na Paróquia São Judas Tadeu.     No dia 8 (quarta), de forma bem dinâmica e divertida a juventude apresentou um pequeno teatro sobre 11 dicas para transformar um filho em delinquente, que trouxe a  discussão entre pais e filhos e as suas relações. O encontro também foi marcado pelo testemunho do Frei Neto.       No dia 10(sexta), o foco do encontro foi a vida a dois, os casais, trabalhado pela pastoral do Dizimo, que refletiu sobre os problemas dentro de um casamento e suas soluções.

Mais uma noite de belos testemunhos, primeiro foram Larissa e Rony, que são noivos há 6 anos e Fátima e Deusimar, que são casados há 21 anos.   Após uma semana de grandes reflexões, partilhas e emoções, o encerramento aconteceu no domingo na missa, presidida pelo  pároco  Pe. Paulo. No final, foi feita uma simples homenagem aos pais e a benção das famílias. Tamires Dias dos Santos


santuariosantaedwiges.com.br

Santo do mês

Setembro de 2012

Santa Cândida - 20 de setembro

A imagem do santo do mês

A primeira referência sobre santa Cândida foi encontrada no calendário da Igreja de Córdoba e em alguns documentos da antiga Galícia, ambas na Espanha. Mas foi pela tradição cristã do povo napolitano, na Itália, que se concluiu a história desta santa.  A vida cristã de Cândida iniciou quando ela foi convertida, segundo essa tradição, pelo próprio apóstolo Pedro, de passagem por Nápoles. Naquela época, o apóstolo, com destino a Roma, atravessou Nápoles, onde a primeira pessoa que encontrou na estrada foi a pequena Cândida. Percebeu, imediatamente, que a pobre criança estava doente. Parou e perguntoulhe se conhecia a palavra de Jesus Cristo. Diante da negativa e em seu ardor de levar a mensagem do Evangelho, Pedro falou-lhe da BoaNova, da fé e da religião dos cristãos; curou-a dos males que sofria e a converteu em Cristo.  Assim, Cândida foi colhida pela luz de Deus e curada do físico e da alma. Chegou em casa falando sobre o cristianismo e contando tudo o que o apóstolo Pedro lhe dissera. Muito intrigado e confuso, Aspreno, um parente que a criava, saiu para procurá-lo. Quando se encontraram, com muito zelo Pedro converteu também Aspreno, que o hospedou em sua modesta casa por alguns dias. O apóstolo acabou por catequizar os dois e, em seguida, batizou-os e

ministrou-lhes a primeira eucaristia durante a celebração da santa missa. Esse local recebeu o nome de “Ara Petri”, que significa Altar de Pedro. Depois, antes de partir, o apóstolo consagrou Aspreno primeiro bispo de Nápoles e pediu para a pequena Cândida continuar com a evangelização, salvando as almas para Nosso Senhor Jesus Cristo.  Aquele lugar onde fora celebrada a santa missa por são Pedro tornou-se de grande veneração por Cândida. Ela deixou seu lar com todos os confortos, preferindo passar seus dias numa gruta escura nas proximidades de “Ara Petri”, onde vivia em penitência e oração, catequizando e convertendo muitos pagãos. Após alguns anos, o número de cristãos havia aumentado muito. Por isso, quando o imperador romano ordenou as perseguições contra a Igreja, os convertidos foram obrigados a fugir ou esconder-se. Então, o bispo Aspreno embarcou Cândida, junto com outros cristãos, com destino a Cartago, no norte da África, tentando mantê-los a salvo da implacável perseguição, mas não conseguiu. Foram alcançados, presos e torturados. Cândida foi levada a julgamento e condenada à morte porque se negou a renunciar à fé em Cristo.  No Martirológio Romano, encontramos registrado que a virgem e mártir cristã Cândida morreu no Anfiteatro dos martírios de Cartago, no dia 20 de setembro. Suas relíquias, encontradas nas Catacumbas de Priscila, agora estão guardadas na igreja Santa Maria dos Milagres, em Roma.  Muitos séculos mais tarde, pesquisas arqueológicas feitas na cidade de Nápoles encontraram no local “Ara Petri” um antigo cemitério de cristãos. O fato colocou ainda mais devoção sobre a figura de santa Cândida, eleita pelos fiéis como padroeira das famílias e dos doentes. Ela recebe, no dia 20 de setembro, as tradicionais homenagens litúrgicas confirmadas pela Igreja. Fonte: http://www.paulinas.org.br

13

Mensagem especial

Senhora... Sinto dizer senhora, mas o melhor é esquecer seu filho... Ele tem muitas contas a acertar com a justiça. Pense que hoje ele morreu. Vá viver sua vida, cuidese. Não dê seu endereço a ninguém. Não atenda ao telefone. Não colabore para que ele a encontre e comece tudo outra vez e volte a fazer de sua vida um inferno! Foi isso que ouvi do policial. Ele falava do meu menino, tão jovem ainda e que agora já não mais reconheço... É um estranho que está em minha frente a chamar-me de mãe e a implorar para ficar comigo, para cuidar de mim... Como se possível fosse. Com minha alma doendo, meu coração apertado, virei às costas para não vê-lo ser colocado no camburão. Estou sem rumo, nem mais sei o que fazer de mim. O barulho da sirene toca em cada parte de meu corpo. É meu grito de dor que estou a escutar. Ouço alguém me chamar... Sou eu mesma que me chamo, para sair do estupor em que me encontro. Estou dividida. Uma parte de mim quer meu filho de volta, por pior que ele seja, mesmo sabendo que ele jamais será outra vez aquele que pari. O meu menino, que se envolveu com o mundo das drogas... Vendeu tudo que eu tinha. Até sem botijão de gás fiquei. Lutei com todas as minhas armas para trazê-lo de volta à vida e não consegui. Fui derrotada. Em minhas noites insones a esperá-lo, ficava a imaginar se o roubaram de mim ou se foi ele que resolveu ir embora, ver o mundo com outros olhos. Os olhos das drogas, da marginalidade, do seguir o caminho da perdição... E a resposta não vinha e se vinha eu preferia não ouvi-la. A outra parte que mantém os pés no chão, pede que eu deixe que tudo tome o rumo certo, que talvez seja o melhor para nós. A parte que sente a separação, mas sabe que é impossível ficar juntos novamente... Caminhos separados foram trilhados e com isso a certeza do não reencontro... Como o sol e lua. Quando um se vai, vê o outro ao longe. E só. Nada mais. Sinto-me fracassada como mãe. Hoje sou só a sombra do que fui um dia. Mãos a mim se dirigem, querendo ajudar-me a levantar, a recomeçar a viver. Mas antes disso, preciso refugiar em mim, para sentir a minha dor e aceitá-la sem revolta... Como se possível fosse. Heloisa P. de Paula dos Reis hppaulareis@yahoo.com.br


14

santuariosantaedwiges.com.br

OSJ

Setembro de 2012

Animar a comunidade religiosa no seguimento de Cristo No início do mês de agosto estive em São Paulo, na comunidade de Santa Edwiges, para confiar a missão de Reitor da comunidade religiosa oblata de São José ao Pe. Paulo Siebeneihler. A pessoa e a função do Reitor estão fartamente embasadas nas Constituições e Regulamento Geral dos Oblatos de São José. Sua existência e atuação são de fundamental importância para o bom andamento de nossas casas e comunidades religiosas, assim como de ajuda inestimável na vivência de nossa consagração religiosa e desempenho de nosso agir pastoral como Oblatos de São José junto aos leigos. Qual é o papel e a missão do reitor na comunidade religiosa? O Reitor não é um simples coordenador do bom andamento da casa, nem mesmo um mero propositor de ideias e planos para os confrades. É muito mais que isso, é alguém acima de tudo, responsável pelo bem estar integral de cada um e de todos os religiosos de sua comunidade. Segundo as Constituições dos Oblatos de São José, são três as autoridades constituídas na Congregação: o Superior Geral para toda a Congregação, o Provincial e o Delegado para suas respectivas Províncias ou Delegações e o Reitor para a sua comunidade (C126). Mas então qual é o papel e a missão do reitor na comunidade religiosa? Em outras palavras o reitor na comunidade é: Pai e mestre da comunidade, que com paciência e coerência deve ajudar os seus confrades religiosos a viver com fidelidade a sua missão de homens de oração em casa e apóstolos fora de casa, animando-os para o seguimento radical do Evangelho, discípulo e missionário. Aquele que deve, com pureza e integridade, encorajar a inculturação do Carisma Oblato, exortando os seus confrades a viver com mais autenticidade o espírito de pobreza e a fraterna vida comum.

Aquele que deve criar sempre mais um clima de paz, diálogo, paciência, perdão, e de verdadeira amizade entre os confrades da comunidade. Uma tarefa de grande importância na vida dos religiosos oblatos de São José que atendem o Santuário de Santa Edwiges. Quero, aqui agradecer ao bonito trabalho realizado pelo Pe Mauro Negro, osj que foi reitor dessa comunidade de Santa Edwiges por seis anos e desejar ao Pe. Paulo que inicia esse ministério um frutuoso desempenho desse serviço a exemplo de Jesus, o animador por excelência.

Pe. Roberto Palloto, vigário paroquial, Pe. Mauro Negro, prof. da PUC - SP à direita e Pe. Paulo Siebeneichler novo reitor das casas religiosas

Pe. Antonio Ramos de Moura Neto Superior Provincial - OSJ

VII FESTA DA PRIMAVERA Comunidade Nossa Sra. Aparecida

Nos finais

de semana

22 e 23 de Setembro 29 e 30 de Setembro

das 17 às 22h

com barracas de doces, salgados, brincadeiras e atrações como bingo e o tradicional DESFILE DE PRIMAVERA


Especial

santuariosantaedwiges.com.br

Setembro de 2012

15

Setembro – Mês da Bíblia Como nasceu o Mês da Bíblia? O Mês da Bíblia surgiu em 1971, por ocasião do cinquentenário da Arquidiocese de Belo Horizonte, Minas Gerais. Foi levado adiante com a colaboração efetiva do Serviço de Animação Bíblica – Paulinas (SAB), até posteriormente ser assumido pela Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB) e estender-se ao âmbito nacional. Objetivos - Contribuir para o desenvolvimento das diversas formas de presença da Bíblia, na ação evangelizadora da Igreja, no Brasil; - Criar subsídios bíblicos nas diferentes formas de comunicação; - Facilitar o diálogo criativo e transformador entre a Palavra, a pessoa e as comunidades. Histórico do Mês da Bíblia 1971: A celebração do Mês da Bíblia, na Arquidiocese de Belo Horizonte por sugestão e coordenação das Irmãs Paulinas, do Pe. Antonio Gonçalves e de outras pessoas. 1976: Foram visitadas 30 dioceses de Minas Gerais e Espírito Santo propondo o Mês da Bíblia como opção de evangelização, em continuidade à Campanha da Fraternidade. 1978: O Mês da Bíblia se estendeu, oficialmente, ao Regional Leste 2 da CNBB, Minas Gerais e Espírito Santo, e a muitas outras dioceses do Brasil. 1985: Animado pelo Serviço de Animação Bíblica – SAB, o Mês da Bíblia se estendeu a todo o Brasil e a outros países da América Latina. 1997: Com o projeto “Rumo ao Novo Milênio” (RNM), foi proposto o estudo dos quatro Evangelhos, no decorrer do ano. 2001 - 2003: Prosseguiu com o Projeto “Ser Igreja no Novo Milênio”. 2004 - 2007: Continuou com o Projeto “Queremos ver Jesus”. 2008 - 2010: Prosseguiu com Projeto Brasil na Missão Continental “A alegria de ser discípulo/a missionário/a”. 2011: Continua com o Projeto “Brasil na Missão Continental” e de Iniciação à Vida Cristã. Temas do Mês da Bíblia de 1971 a 2011 01) 1971 Bíblia, Jesus Cristo está aqui 02) 1972 Deus acredita em você 03) 1973 Deus continua acreditando em você 04) 1974 Bíblia, muito mais nova do que você pensa 05) 1975 Bíblia, palavra nossa de cada dia 06) 1976 Bíblia, Deus caminhando com a gente 07) 1977 Com a Bíblia em nosso lar, nossa vida vai mudar 08) 1978 Como encontrar justiça e paz? O livro de Amós 09) 1979 Bíblia, o livro da criação - Gn 1-11 10) 1980 Buscamos uma nova terra - História de José do Egito 11) 1981 Que todos tenham vida! - Carta aberta de Tiago 12) 1982 Que sabedoria é esta? - As Parábolas 13) 1983 Esperança de um povo que luta - O apocalipse de São João 14) 1984 O caminho pela Palavra - Os atos dos Apóstolos 15) 1985 Rute, uma história da Bíblia - Livro de Rute

16) 1986 Bíblia, livro da Aliança - Êxodo 19-24 17) 1987 Homem de Deus, homem do povo - profeta Elias 18) 1988 Salmos, a oração do povo que luta - O livro dos Salmos 19) 1989 Jesus: palavra e pão - Evangelho de João, cap 6 20) 1990 Mulheres celebrando a libertação 21) 1991 Paulo, trabalhador e evangelizador - Vida e viagens de Paulo 22) 1992 Jeremias, profeta desde jovem - Livro de Jeremias 23) 1993 A força do povo peregrino sem lar, sem terra - 1ª Carta de Pedro 24) 1994 Cântico: uma poesia de amor – Cântico dos Cânticos 25) 1995 Com Jesus na contramão - o Evangelho de Marcos 26) 1996 Jó, o povo sofredor - Livro de Jó 27) 1997 Curso Bíblico Popular - Evangelho de Marcos 28) 1998 Curso Bíblico Popular - Evangelho de Lucas 29) 1999 Curso Bíblico Popular - Evangelho de Mateus 30) 2000 Curso Bíblico Evangelho segundo João: luz para as Comunidades 31) 2001 Curso Bíblico Atos dos Apóstolos, capítulos de 1 a 15 32) 2002 Curso Bíblico Atos dos Apóstolos, capítulos 16 a 28 33) 2003 Curso Bíblico Popular - Cartas de Pedro 34) 2004 Curso Bíblico Popular - Oséias e Mateus 35) 2005 Curso Bíblico Popular - Uma releitura do II e III Isaías 36) 2006 Come teu pão com alegria - Eclesiastes 37) 2007 Deus viu tudo o que tinha feito: e era muito bom - Gênesis 38) 2008 A Caridade sustenta a Comunidade - Primeira Carta aos Coríntios 39) 2009 A alegria de servir no amor e na gratuidade - Carta aos Filipenses  40) 2010 Levanta-te e vai à grande cidade - Introdução ao estudo do profeta Jonas 41) 2011 Travessia: passo a passo, o caminho se faz (Ex 15,22-18,27) com o lema “Aproximai-vos do Senhor” (Ex 16,9) 41) 2012 Discípulos missionários a partir do evangelho de Marcos Louvamos e agradecemos a Deus por estes 40 anos de compreensão, vivência e anúncio da Palavra de Deus. Deixemo-nos guiar pelo Espírito Santo para podermos cada vez mais amá-La (cf. Verbum Domini, 5). Fonte: http://www.paulinas.org.br


Já somos

1209

colaboradores Obrigado a você que faz parte desta história Já quitaram o carnê

A.A.C.C Ademar Ashicar Ademar e Maria Vitória Ademar Machado Ademir Santiago Garcia Adevaldo José de Castro Adoração e Francisca Delgado Bayo e Família Adoração e Francisca Delgado Bayo e família Adriana e Douglas Arruda Adriana Fresneda Soares Rogério e Família Agmar Maria dos Santos Agueda Guimarães Aguimar e Izabel de Souza Aguimar Souza Ailton Leriano Alleman Ailton Wagner Cordeiro Airton Sampaio e Amália Maria de Souza Alaíde Lucinda de Almeida Alaíde Maria dos Santos Alaide Santiago Fernandes Alaíde Santos Coelho Alairson Ricardo da Silva Alan Lopes da Costa Albino Rodrigues e Lidya Rodrigues Albino Rodrigues e Lydia Rodrigues Alcino Rodrigues de Souza Alda Soares Lima Alessandra Albuquerque Braga Alessandra Boscariol da Silva Alex Leriano Alleman Alexandre Sabatine Roda Alexandre Siqueira Alexandre Xavier de Oliveira Alexandre, Katia e Tereza Alfredo Elin Alfredo Pisani Altair Marchesini das Neves Álvaro Ernesto Janussi Álvaro Leopoldo Furtado Amélia Marin Grillo Ana Alves do Nascimento Ana Cavalcante de Alencar Aquino Ana Claudia Couto Barreto Ana Cristina da Silva Camargo Ana Cristina da Silva Camargo e família Ana da Costa Oliveira Coimbra e Família Ana da Silva Camargo e família Ana Dalva Pereira Correia Ana Lúcia Tertuliano e Família Ana Luiza e Eduarda - Família Souza Ana Luz Santos Ana Maria Ana Maria da Penha e Francisco Ana Maria, Osvaldo, Rafael e Renato – Família Barros Ana Marina de Freitas Siqueira Ana Padilha Marques Ana Paula Caciano Bispo, Sebastião B. Leão e Maria Madalena Ana Paula da Silveira Siqueira Ana Paula Marabelli Ana Paula Roveri e Familia Ana Rosa de Carvalho Ana Ruiz de Oliveira Ana Salustriana Bandeira Ana Teresa Stoppa Cruz e Família Anair Meireles Soares Anderson Félix Ferreira e Família André Tadeu Braga Andréa Francisca dos Santos e filhos: Rafael, Gabriele e Leonardo Ângela, Marcos, Higor. Hingrid e Thiago Aguiton Anônima Anônimo Anônimo Anônimo Antonia Alexandre de Sousa Antonia Ballestero Foge Antonia Koziot Antonio Alessi Antonio Alves de Freitas Antonio Cristóvão de Almeida Antonio de Souza Sobrinho Antonio Falcon Junior e Família Antonio Faustino da Silva e família Antonio Lima de Moura Antonio Pereira Monteiro Filho Antonio Poiato e família Antonio Teixeira Neto Aparecida do Amaral Campezzi Aparecida Lourdes Brianti e família Apostolado da Oração Argeu Carlote Argeu Carlote Argeu Carlote Argeu Carlote Arlindo Ferreira Armando Santos Menezes Armazém do Sabor Armenny Markarian Alertermakian Augusto Pinto Ferreira Auricério Inácio da Silva e Família Aurivan de Paiva Silva Avelino e Beatriz Rosa Avilmar Souza Bartira Motta Benedita R. B. oliveira e Cristiane N. Oliveira Benedito Abreu de Souza

Benedito Aparecido Mendonça Benedito Assunção Coimbra Bonilha e Gil Transportes Breno Sylos Bruno Alleman Camila Rosa da Costa Carlos Alberto de Araújo Junior Carlos Antonio Alves Godoi Carlos e Cristina Marcondes Carlos Roberto de Moura Barbosa Carlos Roberto de Moura Boraba e família Carmen Violandi Conceição Caroline Santos Toribio e família Catequese de 1ª Eucaristia do Santuário Sta Edwiges Cecília Alves Célia e família Celia Teixeira da Silva Chirlei Pires Albuquerque Chirlei Rosana Ferreira Cícero Alves Clarindo de Souza Russo Claudia Lima da Silva Claudia Rejane Cassiano Leão Cláudio Breviato Cleiciane Alexandre Bezerra Cleonice Estorte e família Cleonice, Beatriz, Therezinha, Niete e Lindalva Cleusa Maciel Ferreira e familia Comunidade Nossa Sra. Aparecida Conceição de Maria Souza Creche São Vicente Pallotti Crianças Delgados dos Santos Daniel de Oliveira Vilas Boas e família Daisy Carvalho e Silva e Família Delcio Pesse (Brigth Dentes) Deusimar e Fátima Saraiva Oliveira e Família Dinaldo Mendes Bernardes e família Djanane Ângelo Alves Domingos Malzoni Domingos Mormita Domingos Sávio Alves de Faria Doris Antonia dos S. França e família Drusila Fernanda Gomes Milani Dulce do Nascimento Diniz Durcelina Hora da Silveira Edda Cattarin Val y Val Edilberto, Erineide B., Mouro, Antonio M. e Rosália Bezerra Edilson Pereira de Andrade Edimilson P.Silva e Ernando Pacheco Edinalva J. Sousa e família Edison Vicentainer Edivan José de Sousa Veloso Edna Gonçalves de Macedo Edson da Silva Cruz e Família Edspress Industria Gráfica LTDA (Edson Luis Delavega Leon) Edvaldo Batista dos Santos Edina Arleta Beraldo Efigenia e José Ribeiro Elaine Cristina de Almeida Gilio Elenicio Delmondes de Andrade Elenicio Delmondes de Andrade Elias e Fernanda Gedeon Eliete e Jorge Nagi Eliete Mussi Sapia e Alice Jadham Mussi Eliete Ferreira dos Santos Elisa Nilsa Fernandes Elisa Nilza Fernandes Elisana Ribeiro Eloísa Caltadelote Elza C. Genaro e Família Emilia, Fátima Maria e Maria Lucia Engesonda Fundações e Construções LTDA Erivan Carvalho da Cruz Ernanes Rosa Pereira Estevam Panazzol Eudinice Fiuza Lobo Eurides Almeida Matos Neto Evani L. M Evanira do Amaral Carrara e Família Evelin – Familia Cestari Noronha Fabiana Aparecida de Araújo e família Fabio Adib Massini Nunes Fábio Souza Ramos e família Família A. Amaral Família Almeida Andrade Familia Asevedo Berrocal Família Bertone Amaral Família Coviello, Caputo e Oliveira Família Dassie Magalhães Gomes Família Dassie Magalhães Gomes Família Dassie Magalhães Gomes Família Fernandes dos Santos e Delgado Família Ferreira Amaral Família Fiuza Família Fiuza Família Florisvaldo Jesus Santana Família Gonçalves Família Guimarães e Siviero Família Lucinda Gorreri Família Maia dos Santos Família Marquezine e Apostolado da Oração Família Moryama Família Nunes Rodrigues Familia Pimentel e Familia Nagali Família Piccin Família Santos e Silva Família Santos e Silva

Família Santos Lima Família Sena Família Sena de Almeida Família Tinelli Fátima Busani e Antonio Fátima e filhos: Tadeu, Tiago e Fernanda Lopes Fátima E. S.Moraes Fátima Monteiro de Ariola Fausto Ferreira de Freitas Fernanda Carolina Inácio Dayko Fernando Augusto Silva Fernando Gomes Martins Flávia Regina Rodrigues Flavio T. Pessuto e Família Florisa Sergina dos Santos Francisca Alves Nascimento, Tiago, Mateus e Felipe Francisca Paulino Silveira Francisco Araújo Lima Francisco Augusto Salles Wohlers e familiares Francisco Carlos Abranches Francisco de Assis Cabral e Família Francisco de Assis Pereira e Família Francisco de S. Leite e Francisca Inês Francisco e Antonia Amâncio Sobrinho Francisco Fernandes de Freitas e Família Francisco Michele e Guilherme Francisco Tomaz Ferreira Fraternidade São José Gabriela Augusta Oliveira Gazzan Izar Genésio Pereira Feitosa Geni Antonia da Silva e Família Geralda Generoso dos Santos, Antonio Marcos e Márcio Moreira Geraldo Alves Martins Getulio Sanches Gilberto da Silva Santana Gilmar Antonio B. Lírios Gilmar Barione Gisele Guimarães Ramos e Família Giseli Elaine Lopes de Freitas Glauce Avelar Gláucia Marques Jácomo Grupo de 3ª Idade Luar de Prata Guiomar Carvalho de Oliveira Gustavo Ashcar Hamilton Balvino de Macedo e Família Hebert AKira Kuniosi Heleno Amorim Linhares Helio Martins de Aguiar Helio Mendes Vale e familia Helio Ranes de Menezes Filho Henrique Caires Nóbrega Netto Hermes Redentor Pereira Sencion Hiroshi Koto Ildo de Araújo e família Ilzimar Alves Soares Irandéia Ribeiro Santana de Souza Irene e Helio Irene Pocius Torolo e Antonio Demetrio Isaura de Jesus Cardoso Isaura Generoso dos Santos, Bruna e Bianca Ismael Ferreira de Matos e Família Ivete dos Santos Souza Ivete Gonçalves de Lima Elin Ivoni da Silva Calisto e Família Izaíra Toneti e família Jaciro Tiverom e família Jailda Ferreira da Silva Jandira e família / Francisca e Família Janice Monteiro Vieira (esposa do Sr. Mievel) Jelsione e Adriana Rodrigues JM Produtos Minerais Joana Adelaide Carvalho Joana Celestino de Sá Braga Lima Joana Teixeira dos Santos e Família João Augusto da Silva João Batista, João Alfredo e Marlene João Batista Piovan João Batista Turíbio João Bosco Alves João Bosco Calou João Braz Machado e Luciene Santos Borges João Carlos Crema João Evangelista Rocha de Jesus João Guimarães João Mario e Maria Helena João Pequim João Pereira de Andrade e Família João Ramiro Fusco João Ricardo Silva de Oliveira João, Alexandra e Camila Joaquim e Marilene do Nascimento Joaquim José de Santana Neto Joaquim Pedro da Silva Jobel Felix da Costa Jonatas Rodrigues Reis e Valéria de Sá Correia Reis Jorge Dantas dos Santos José Alves Pereira José Antonio Bruno e família Jose Augusto Ferreira da Mota e Fam��lia José Barbosa dos Santos José Batista do Amaral e Amélia Crivelari do Amaral José Carlos Andrade Santos José Carlos Pinheiro José da Roz e Família José de Sousa Medeiros José Donizete Candido do Vale e Família José Domingos Gonçalves de Queiroz

Seja + 1

José e Terezinha Rafael Ferreira e família José Fernandes Góes José Fernandes Gomes Jose Luiz Bravo e Família José Malaquias da Silva José Portilho Gusmões José Richardson Pereira da Silva José Roberto Pereira Lima José Roberto Plima José Roberto Vieira e família José Rodrigo de Oliveira José Severiano de Jesus José Severino Nunes da Silva José, Terezinha, Rafael Ferreira e Família José Valdo de Oliveira e família José Valdomiro Fusco José, Elvira, Juliana e Jussara Silva Santos Josefa Maria da Silva Souza Josete Gomes de Jesus Josete Gomes de Jesus Juraci Barbosa e Cacilda Juracy Pereira da Silva Karina C Kátia Lucinda Gorreri Laido Ciampone Junior Laido Ciampone Junior Lanhouse Santa Fé Leila Izar (em memória) Leila Palmeira Azmar Leonor Alonso Galinaro Lílian Pontes e Fábio Pontes Lodovico Fava Loraine Beltrame Lourdes Ferreira de Santana Lourdes Lima Ribeiro Marcelino Lourdes, Mário e Marcos Vinícius Nemoto Lourdes, Mario Marcos Vinicius Nemoto Lucia Diniz Lourdes da Costa Barbiere e Família Luis Carlos Rufo Luis Celso Pasquale Rosa e Família Luis Cláudio de Oliveira e Maria Aparecida Mendes de Oliveira Luis Laurindo dos Santos (Família Laurindo) Luis Santana da Silva Luiz Alberto Amaral (em memória) Luiz Carlos Montorsi Luiz Fabiano Rodrigues de Sá Luiz Ferreira da Silva Luiz Geraldo Sylos Luiz Henrique Miguel Luiz Pedro da Silva (In Memoria) Luiza Vieira do Nascimento Luiza Cristina Fernandes Luiza Gomes de Macedo Luiza, Gil, Angelina, Roberta, Luiza, Zeneide, Katia, Helena, Francisca e Maria José. Lurdes Aparecida e Pedrina Montovani Luzia Ap. Perobelle Luzia Bicudo Villela de Andrade Luzia Costa Cordeiro e Família Luzineide e Edimar Lydia Rochelli do Amaral Mª de Fátima, Eliza, Rafaela e Anderson Santos Mª Jose, Gil, Angelina, Roberta, Luiza, Zeneide, Kátia, Helena e Francisca Mª Nascimento, Eliza, Samuel e Gabriel Maci Camacho e família Magda Sant’Anna Cabral Pearson Magnólia de Jesus do Reino Maisa Asencio Milani Manoel Ferreira da Silva e Família Manoel Ferreira da Silva e família Manoel Francisco de Oliveira Manoel Joaquim Granadeiro Manoel Pereira Sobrinho Manuel Baleeiro Alvez Manuel Braga Vaz Mara Regina Marcelo Barbosa de Oliveira Marcelo Barbosa de Oliveira e família Márcia de Fátima Teixeira Márcia Regina Silva de Sene Marcio Ferreira Acosta Marcio Ney Ferreira Marco Antonio Fernandes Cardoso Marcos da Roz e Família Marcos Ferreira de Sena Margarida de Faria Rodrigues Maria Amália Marmora Maria Andrade de Souza Maria Antonia Mendes Maria Antonia Pires Vargas Maria Aparecida Bonesso Maria Aparecida Cance de Macedo e família Maria Aparecida e Carlos Eduardo Maria Aparecida e Carlos Eduardo Liberati Maria Aparecida da Silva Maria Aparecida Lima de Souza Maria Aparecida M. Aguiar Maria Aparecida Miola Maria Augusta Cristovam e Família Maria Augusta Justi Pisani Maria Barbosa Ciqueira e Família Maria Bezerra Paiva Soares Maria Cecília Benedito Maria Cirila Martins Maria Conceição Brandão e Antônio Pereira Maria da Conceição V. Alves e Família

Maria da Guia e João Rafael Maria da Paz Silva Gonçalves Maria da Penha S.Pellegrino Maria da Solidade de Oliveira Maria das Dores Lopes Maria das Graças de Oliveira Santos Maria de Fátima Albuquerque de Oliveira Maria de Fátima Campos Vieira Maria de Fátima Pereira Maria de Fátima Teixeira Maria de Fátima, Eliza , Rafaela, Anderson Santos Maria de Lourdes da Conceição Maria de Lourdes Silva Maria de Nazareth Vaze Vilela Maria do Amaral Camargo e família Maria do Carmo Bonilha Maria do Carmo e Mônica Cristina Alencar Ribeiro Maria do Céu da Silva Bento Maria do Socorro da Silva Maria do Socorro R. Mesquita e família Maria do Socorro Ramelo Maria dos Santos Araújo Maria Edina Souza Silva Maria Edna Angelo Marabelli Maria Elisa Arruda Miguel Maria Ferreira Lima Maria Ferreira Vassalo Maria Florinda Vieira Costa Maria Francisca Xavier Maria Guimarães de Paiva Maria Helena Chinaglia Maria Helena dos Santos Maria Heloisa Rodrigues Soares Maria José Maria José da Conceição Santos Pereira e família Maria José de Oliveira e Família Maria José Veloso Braga Maria José Vieira Silva e Família Maria Lucia Correia da Silva Maria Lucinete Costa Saraiva Barbosa Maria Luiza Silva Souza Maria Maristela da Silva Caetano Maria Nascimento, Manoel, Samuel e Gabriel Maria Neci Paes Maria Neuza da Silva Sales Maria Nilza R. Gomes Flaga Maria Odylia Jambeiro Mendes Maria Raimunda Monteiro da Silva Maria Regina Dias Maria Regina Tavares Maria Ribeiro da Silva Maria Rocilda de Lima Maia Maria Rosaria Erciodeo Barreto Maria Roseni Alves dos Santos Maria Silvania Silva Santos Maria Tereza V. Rocha Maria Valdelícia de Sousa Maribel Candaten Marilene David Pinheiro Bento Mariliza e Walter Alberto Brick Marina dos Santos e Família Mario Estanislau Correa Marlene de Oliveira Marlene de Oliveira Maru Markarian Mary Izar (em Memória) Mauricio de Andrade Maurilio Chiuzini Mauro Antonio Vilela e Família Mauro César do Carmo Mercedes Belmiro e Netas Miguel Barros da Silva e famíia Miguel Caludino Ferreira Miguel Muniz Leão Ministros da Sagrada Comunhão Miriam Cristina Mascarenhas Moacir e Sueli da Silva Naelson de Oliveira e família Nalveni Silveira e família Naru Markarian Neci Silva Vieira de Miranda Neisa de Azevedo Alves Neide La Falce e família Nelsinha Helena Ramamalho Neusa Barra Galizzi Neusa Leriano Alleman Neuza Aparecida Campos Neuza Ramos de Souza Newton Mori Nilsa Aparecida Sabino Nilson Batista dos Santos Nilza Maria Rodrigues Nivaldo Mendes Freire Noemia de Oliveira Monerato Norma Izar Odair Caltabeloti e Eloísa Odelita Gomes da Silva Odete e Roseli Priore Odete Maria Teixeira Olivia Edwiges Fortunato Olga Cuoco Olindo Morellato e Família Olindo Morellato e família Orminda Paccheco Ferreira Orotides Correia Martins Oscália Calmon Oscarino Martins e Fátima Lemos Oscarlina Antonia de Moura Osmar B. Miranda e Elizabeth S. Ales Miranda

Osvaldo Martins Januário Osvaldo, Maria Helena e família Otilio Pereira Oswaldo Cecara e família Pastoral da Acolhida Pastoral Missionária Paula A. Vicente e Graziela V. Supriano Paulino Gomes de Oliveira Paulo Ernesto Tenorio Vilela Paulo Ernesto Tenório Vilaca e Família Paulo Farah Navajas Paulo Vicente de Jesus e Família Paulo Vicente Martins e Família Pedro dos Santos Pedro Moreira Rodrigues Piero Simonetti e Família Quitéria Gouveia Rael Pereira Nunes Railda e Sandra Ferreira de Sena Raimundo Lima de Souza Raymundo Varlese Neto e família Reginaldo Gomes Ferreira Renata Lima Ferreira Renato Ruiz Ricardo Oliveira Passni Ricardo Rodrigues Damasceno Rita de Cassia da Costa Tejada Rita Maria Arantes Roberta Helena Alves Roberto e Eliete Gimenez Roberto e Maria Rozilene de Almeida Ruiz Roberto Martini Roberto Parvo e Família Roberto Tagudi Yoko Tagudi Roberval D. Crepaldi Roberval Munhoz e família Romaria de São José dos Campos Romaria Vocacional de Londrina / Apucarana (OSJ) Rosa Bonvegues Rosalia Bezerra e Antonio Mouro Rosangela Colli Rosangela Valvit Consultoria Jurídica e Previdenciária Rosely Priore Rosirene Maria Gomes e família Rute F. Pereira e Carlos A. Silva Salvador Carvalho de Araújo Salvina Santo Olegário Jesus Sandra e Samuel Rocha Sandra Regina E. Cavalheiro e Família Sandra Regina Mendes Jefferson e Vanesca Sebastiana Alves Sebastiana Silva (Ana) Sebastiana Martins dos Santos Sebastião de Jesus Gonçalves Sebastião José da Costa Sebastião Vieira Belo Selma Mara Gasperoni e Wilson José Poncetti Selma Panazzo Sergio Kawahara Serize e Edson França Vincenzi Severino Vitalino da Silva Shirlei Pires Albuquerque Silvaldo José Pereira e Família Silvana Pino Alleman Silvana Terezinha Marques de Andrade Solange Spera Sonia Maria Cesari Sonia Varga Ortega Bernardo Gomes e familia Stefany Alleman Stela Maris Peleckas e família Suraia Zonta Bittar Sylvia Cristina Augusto e Família Sylvio Roberto Ricchetti Tadeu Laerte Mattioli Tereza Rosa dos Santos Teodora Paiva Pinheiro Thais Andreza de Souza Thalya Sylos Therezinha M. Camargo Romanato Tomás e Antonia Valdeicir Rodrigues Loiola Valdete Gomes Guimarães Valéria Ferrari Tonche da Silva Valter Espolaor e família Vanilde Fernandes e Família Vanja Lúcia Orsine Vanja Orsini Vera Lúcia Caetano Rodrigues Vera Lucia Gouveia da Silva Santos Vera Lucia Sanches Ribeiro Victorio Marzzetelli Vitória Paula de Jesus Souza Waldemar Martins dos Anjos Waldyr Villanova Pangardi Walfredo Ferreira Junior Walter Aristides Camargo e família Wilson Malavolta e Simone Bombassei Wilta das Graças de Almeida Wilton Célio Torino dos Santos Yoshimitsu Magario Zilda da Silva Alves Zulma de Souza Dias


sta_edwiges_setembro_web