Page 1

CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de Artes Gráficas

PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de

Desenho e Comunicação Visual Autores Escola Profissional Bento de Jesus Caraça

Francisco Vicente Silva

Direcção-Geral de Formação Vocacional 2006 / 2007


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

Parte I

Orgânica Geral Índice: Página

1.

Caracterização da Disciplina ……. ……. …

2

2.

Visão Geral do Programa …………. …......

2

3.

Competências a Desenvolver. ………. ….

3

4.

Orientações Metodológicas / Avaliação ….

4

5.

Elenco Modular …….....………………........

5

6.

Bibliografia …………………. …………. ….

6

1


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

1. Caracterização da Disciplina A inserção da disciplina de Desenho e Comunicação Visual, integrante da área técnica do curso de Técnico de Artes Gráficas, permite abordar uma série de conteúdos formativos que possibilita ao aluno um domínio dos conceitos fundamentais da linguagem plástica, articulados com uma experimentação técnica e projectual, tanto quanto possível criadora. Neste sentido, esta disciplina abre espaço para um entendimento mais abrangente do design gráfico, nas suas componentes artística e cultural. Permite, por isso, um desenvolvimento do espírito crítico propiciador da pesquisa e do tratamento de todas as formas de informação visual, da investigação sobre materiais, suportes e instrumentos e um interesse despido de preconceitos sobre as manifestações e fenómenos artísticos, sejam de que natureza forem. De uma forma sucinta, o programa propõe-se:  Desenvolver competências nos domínios da representação bidimensional;  Desenvolver modos próprios de expressão e comunicação visuais;  Fazer dominar os conceitos estruturais da comunicação visual e da linguagem plástica;  Fazer entender os modos de projectar como parte integrante do processo artístico;  Dar a conhecer as fases metodológicas do projecto artístico;  Desenvolver capacidades de trabalho em equipa;

2. Visão Geral do Programa De acordo com as competências definidas acima para o programa desta disciplina, os vários módulos contemplam quatro grandes áreas:  O conhecimento dos elementos estruturais da linguagem plástica e da comunicação visual;  Os aspectos compositivos levantados pela exploração de um campo bidimensional;  As questões metodológicas colocadas pela concretização de um projecto artístico;  A exploração técnica criativa de suportes, materiais e instrumentos. A organização modular da disciplina de Desenho e Comunicação Visual compreende seis módulos, repartidos pelo 1.º e 2.º anos do Curso, perfazendo 160 horas no total. O módulo 5 do programa desta disciplina segue de perto as recomendações e a estrutura propostas pelo programa de Oficina das Artes, do Ensino Secundário Público. Com este módulo pretende-se que os alunos optem pelo desenvolvimento de um projecto consubstanciado numa das áreas propostas (desenho, design gráfico ou fotografia). Neste sentido, a aprendizagem é interdisciplinar e motivadora de um trabalho de equipa.

2


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

Retira-se, apenas, o que concerne às concretizações tridimensionais, mais afastadas do “fazer” do Curso de Técnico de Design Gráfico - basicamente suportado na bidimensionalidade – e na carga horária que tais concretizações pressupõem. Não significa isto, que as três dimensões não se manifestem no domínio dos conceitos e na aprendizagem das técnicas: a embalagem e os suportes para publicidade são disso exemplo. No entanto, encarados no âmbito do Design Gráfico, são redutíveis a um plano bidimensional.

2º Ano

1º Ano

Quadro I - Proposta de distribuição, dos módulos e respectiva carga horária, por anos (resumo): Módulo 1

Elementos da Comunicação Visual

24 Horas

Módulo 2

Teoria do Design e da Comunicação Visual

36 Horas

Módulo 3

Desenho Básico

30 Horas

Módulo 4

Desenho de Representação

20 Horas

Módulo 5

Suportes e Técnicas

30 Horas

Módulo 6

Ilustração

20 Horas Total

160 Horas

3. Competências a Desenvolver Na disciplina de Desenho e Comunicação Visual pretende-se que o aluno desenvolva as seguintes competências:  Conhecer as qualidades específicas de cada um dos elementos da comunicação visual;  Ser capaz de representar bidimensionalmente, através de meios riscadores e aquosos, sobre papéis e outros suportes;  Saber utilizar intencionalmente as diferentes técnicas de representação e expressão visual;  Saber utilizar adequadamente os materiais, os suportes e os instrumentos necessários à construção de uma mensagem visual;  Conseguir concretizar um projecto artístico, dominando as suas diferentes fases metodológicas;  Ser capaz de trabalhar em equipa desenvolvendo um espírito crítico e interventivo, num quadro de respeito pelas diferenças de aptidão técnica, artística e cultural.

3


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

4. Orientações Metodológicas / Avaliação Orientações metodológicas: A disciplina de Desenho e Comunicação Visual pretende ser um local privilegiado de experimentação e dos meios e técnicas da linguagem plástica e da comunicação visual. Desta forma, o professor deverá estimular os alunos com apresentação de exemplos e discussão de ideias e, fundamentalmente pela experimentação dos materiais e técnicas sobre múltiplos suportes. A realização de um diagnóstico inicial do grau de competência e conhecimentos adquiridos pelos alunos em anos anteriores, poderá ser um instrumento que permita ajustar a abordagem dos conteúdos formativos, sem no entanto se pôr em causa a planificação modular proposta. Estas estratégias devem considerar prioritário o trabalho de pesquisa, recolha e tratamento da informação com carácter visual, realizado preferencialmente no exterior, articulado na sala de aula com uma experimentação criadora de um desenvolvimento técnico e expressivo. As pesquisas e recolhas de natureza diversificada (gráfica, fotográfica e outras) devem incidir sobre o espaço envolvente nas suas dimensões natural, rural ou urbana. Neste sentido, devem ser programadas visitas de estudo que complementem a recolha de informação com o contacto directo com obras de arte do passado e contemporâneas, bem como com o património construído. A Internet, obviamente, é outro campo de pesquisa informativa. Sendo a experimentação um dado fundamental, a sua concretização é realizada, preferencialmente, a partir de trabalhos práticos que fazem a convergência da fundamentação teórica dos conceitos programáticos, da aprendizagem técnica relacionada com os suportes, os materiais e os instrumentos, da utilização de meios audiovisuais com a actividade de projecto.

Avaliação: A avaliação é contínua e reguladora, e compreende as modalidades formativa e sumativa. Deve ser planeada com rigor, estabelecendo metas e objectivos precisos em articulação com as competências adquiridas e desenvolvidas pelos alunos. Os procedimentos de avaliação dos alunos decorrem da natureza eminentemente prática e experimental da disciplina, privilegiando-se a vertente formativa da avaliação, indispensável à orientação do processo de ensino/aprendizagem.

4


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

Deverá ser privilegiada a observação directa do trabalho desenvolvido pelo aluno durante as aulas, utilizando para isso instrumentos de avaliação diversificados que permitam registar o seu desempenho nas situações que lhe são proporcionadas e a progressão na aprendizagem ao longo do ano lectivo, nomeadamente quanto a:  Interesse e participação no trabalho;  Desempenho no trabalho em grupo;  Desempenho na exploração, investigação e mobilização de conceitos em diferentes situações;  Qualidade do trabalho realizado e forma como o aluno o gere, organiza e auto-avalia. A par da avaliação contínua, permitindo o registo da evolução do aluno aula a aula e superação de dificuldades, deverão ser previstos momentos de avaliação sumativa, procedendo-se à aplicação de provas de carácter prático ou teórico-prático que permitam avaliar os conhecimentos e competências adquiridos.

5. Elenco Modular Número

Designação

Duração de Referência (Horas)

1

Elementos da Comunicação Visual

24

2

Teoria do Design e da Comunicação Visual

36

3

Desenho Básico

30

4

Desenho de Representação

20

5

Suportes e Técnicas

30

6

Ilustração

20

5


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

6. Bibliografia EDWARDS, B., Aprender a Dibujar: Un método garantizado. Madrid: Hermann Blume, 1984. FABRIS, S.; GERMANI, R., Fundamentos del Proyecto Gráfico. Barcelona: Don Bosco, 1973. HOWARD, K., El Arte de Dibujar y Pintar. Barcelona: Naturart, 1995. KANDINSKY, W., Ponto, Linha e Plano: Contribuição para a análise dos elementos picturais. Colecção Arte e Comunicação, n.º 34. Lisboa: Edições 70, 1987. MAIER, M., Procesos Elementales de Proyectación y Configuración. Vol. I, II, III e IV. Barcelona: Gustavo Gili, 1982. MARCOLLI, A., Teoria del Campo: Corso di educazione dela visione. Firenze: Sansoni, 1989. PAPANEK, V., Diseñar para el Mundo Real: Ecología humana y cambio social. Colecção Ciencia, Tecnología, Sociedad. Madrid: Hermann Blume Ediciones, 1977. PUENTE, R., Dibujo y Educación Visual: El dibujo en la enseñanza media superior. México: Gustavo Gili, 1986. SCOTT, R. G., Fundamentos del Diseño, México: Limusa, 1991.

Visão: Obras de carácter geral: BRUCE, V.; GREEN, P. R.; GEORGESON, M. A., Visual Perception: Physiology, Psychology, and Ecology. 3.ª ed. East Sussex, Hove: Psychology Press, 1996. GIBSON, J. J., The Senses Considered as Perceptual Systems. Westport: Greenwood Press, 1983. GLEITMAN, H., Psicologia. 6.ª ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2003. GREGORY, R. L., Eye and Brain: The Psychology of seeing. 5ª ed. New Jersey, Princeton: Princeton University Press, 1997. Obras de carácter especializado: ROCK, I., Perception. Nova York: Scientific American Library, 1995. VIGOUROUX, R., A fábrica do belo. Colecção Saber Mais, n.º 5. Lisboa: Dinalivro, 1999. ZEKI, S., Inner Vision: An exploration of art and the brain. Oxford: Oxford University Press, 1999.

Material e procedimentos: Obras de carácter geral: LAMBERT, S., El Dibujo: Técnica y utilidad. Madrid: Tursen, 1996. MOLINA, J. J. G. (coord.), et. al., Las Lecciones del Dibujo. 3.ª ed. Madrid: Cátedra, 2003. MOLINA, J. J. G. (coord.), et. al., Estrategias del Dibujo en el Arte Contemporáneo. 2.ª ed. Madrid: Cátedra, 2006. 1

RUSKIN, J. The Elements of Drawing. London: Book Jungle, 1857 , 2006.

6


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

Obras de carácter especializado BAMMES, G., L’Étude du Corps Humain. Paris: Dessain et Tolra,1991. BATTISTA ALBERTI, L., De la Pintura y otros Escritos sobre el Arte. Madrid: Tecnos, 1999. CONNOLLY, S., The Complete Drawing & Painting Course: The artist’s practical guide to media and techniques. New Jersey: Chartwell Books, 1997. 1

DA VINCI, L.; ALBERTI, L. B., Tratado de la Pintura por Leonardo da Vinci. Lisboa: Alcalá, 1784 , 2005. DOERNER, M. (1998). Los Materiales de Pintura y su Empleo en el Arte. 6.ª ed. Barcelona: Reverté. FEHÉR, G.; SZUNYOGHY, A., Anatomy Drawing School. Köln: Könemann, 1996. GOLDSTEIN, N., Figure Drawing. 6.ª ed. New Jersey, Englewood Cliffs: Prentice Hall, 2003. NICOLAÏDES, K., The Natural Way To Draw. Boston: Houghton Mifflin, 1990. NOGUEIRA, M. M.; ROCHA, C. S., Panorâmica das Artes Gráficas. Vol. I, II e III. Lisboa: Plátano Ed. Técnicas, 1993-2001. PIGNATTI, T., O Desenho: De Altamira a Picasso. São Paulo: Livros Abril, 1982. WIFFEN, V., Une Leçon de Dessin. Paris: Fleurus, 2000.

Sintaxe: Obras de carácter geral: ARNHEIM, R., Art and Visual Perception: A Psychology of the creative eye. California: University of California Press, 2004 [Arte e Percepção Visual: Uma psicologia da visão criadora. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002 (Trad. de Ivonne Teresinha de Faria)]. BLOOMER, C. M., Principles of Visual Perception. 2.ª ed. London: The Herbert Press, 1990. HOFFMAN, D. D., Visual Intelligence: How We Create What We See. New York e London: W. W. Norton, 2000. SOLSO, R. L., Cognition and Visual Arts. Cambridge: The MIT Press, 1996. VILLAFAÑE, J., Introducción a la Teoría de la Imagen. Madrid: Pirámide, 1998. Obras de carácter especializado – a forma: ARNHEIM, R., The Power of the Center. The New Version. A Study of Composition in the Visual Arts. Los Angeles, Berkeley: University of California Press, 1988 [O Poder do Centro: Um estudo da composição nas artes visuais. Lisboa: Edições 70, 1990 (Trad. de Maria Elisa Costa)]. BOULEAU, C., Charpentes: La géométrie secrète des peintres. Paris: Le Seuil, 1963. BROCKETT, A., Como Desenhar Motivos e Padrões. Colecção Como Desenhar, n.º 25. Lisboa: Presença, 1985. DONDIS, D. A., La Sintaxis de la Imagen. 15.ª ed. Barcelona: Gustavo Gili, 2002. GOMBRICH, E. H., Art and Illusion: A Study in the Psychology of Pictorial Representation. 6.ª ed. Oxford: Phaidon Press, 2002 [Arte e Ilusão: Um estudo da psicologia da representação pictórica. São Paulo: Martins Fontes, 1995 (Trad. de Raul de Sá)]. KANDINSKY, W., Do Espiritual na Arte. 6.ª ed. Colecção Arte e Sociedade, n.º 6. Lisboa, Publicações D. Quixote, 2003. KEPES, G., Education of vision. London: Studio Vista, 1965. KEPES, G., Module, Proportion, Symmetry, Rhythm. London: Studio Vista, 1966. MARCOLLI, A., Teoria del campo: Corso di educazione dela visione. 3.ª ed. Firenze: Sansoni. 1989. SAUSMAREZ, M., Desenho Básico: As dinâmicas da forma visual. Lisboa: Editorial Presença, 1986. 7


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

Obras de carácter especializado – a cor: ALBERS, J., Interaction of Color. New Haven: Yale University Press, 1975. BRILL, T. B., Light: Its Interaction with Art and Antiquities. Nova York: Plenum Press, 1980. BRUSATIN, M., Historia de los Colores. Barcelona: Paidós, 1987. GAGE, J., Colour and Culture: Practice and Meaning from Antiquity to Abstraction. London: Thames & Hudson, 2001. GAGE, J., Colour and Meaning: Art, Science and Symbolism. London: Thames & Hudson, 2000. HICKETHIER, A., Le Cube des Couleurs. Paris: Dessain & Tolra, 1985. ITTEN, J., Art de la Couleur. Paris: Dessain & Tolra, 2004. MARX, E., Les contrastes de la Couleur. Paris: Dessain & Tolra, 1973. Obras de carácter especializado – o espaço e o volume: BAXANDALL, M., Shadows and Enlightenment. London: Yale University Press, 1997. DUNNING, W. V., Changing Images of Pictorial Space: A history of spatial illusion in painting. New Jersey, Syracuse: Syracuse University Press, 1992. GILL, R. W., Creative Perspective. New York: W. W. Norton & Co. Inc., 1980. GOMBRICH, E. H. (1995). Shadows: The depiction of cast shadows in western Art. London: National Gallery Publications. KEMP, M., The Science of Art: Optical themes in western Art from Brunelleschi to Seurat: New Haven: Yale University Press, 1992. LACOMME, D., L’Espace: Dans le Dessin et La Peinture. Paris: Bordas, 2005. PANOFSKY, E., A perspectiva como forma simbólica. Lisboa: Edições 70, 1993. PIRENNE, M. H., Optics, Painting and Photography. Londres: Cambridge University Press, 1970. SMITH, R. Introdução à Perspectiva. Colecção Escola de Arte. Lisboa: Presença, 1996. VAN LIER, H. Les arts de l’espace. Paris: Casterman, 1979. Obras de carácter especializado – o movimento e o dinamismo: BAUDSON, M., L’art et le temps: Regards sur la quatrième dimension. Paris: Albin Michel, 1985. BERTETTO, P.; CAMPAGNONI, D. P., A Magia da Imagem: A Arqueologia do Cinema através das Colecções do Museo Nazionale del Cinema di Torino. Lisboa: CCB, 1996. FRANCASTEL, P., Arte, Visão e Imaginação: Objecto fílmico e objecto plástico. Colecção Arte e Comunicação, n.º 37. Lisboa: Edições 70, 1998. KEPES, G., The Nature and Art of Motion. London: Studio Vista. (1965). MUYBRIDGE, E., Muybridge’s Human Figure in Motion: Cd-rom & book. New York: Dover, 2007. POPPER, F., Origins and Development of Kinetic Art. London: Studio Vista, 1968.

Sentido: Obras de carácter geral: AUMONT, J., L’Image. Paris: Armand Colin, 2006. BERGER, J., Modos de Ver. Colecção Arte & Comunicação, n.º 3. Lisboa: Edições 70, 1987. BRYSON, N.; HOLLY, M. A.; MOXEY, K., Visual Theory: Painting and interpretation. Cambridge: Polity Press, 1990. GIL, F. (coord.), “Criatividade-Visão” in ROMANO, R. (dir.) Enciclopédia Einaudi. Vol. 25. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1997-. 8


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

Obras de carácter especializado: ARNHEIM, R., Para uma Psicologia da Arte: Arte e entropia. Lisboa: Dinalivro, 1997. BALTRUŠAITIS, J., Aberrations: Les perspectives dépravées - I. Paris: Flammarion, 1999. BALTRUŠAITIS, J., Anamorphoses: Les Perspectives Dépravées – II. Paris: Flammarion, 1997. BARLOW, H.; BLAKEMORE, C.; WESTON-SMITH, M., (ed.), Images and Understanding. Cambridge: Cambridge University Press, 1990. th

NERET, G., Description de L’Egypte. Taschen’s 25 anniversary, special edition commissioned in 1798 by Napoleon. [s.l]: Taschen UK / Taschen France, 2007. DORFLES, G., Elogio da Desarmonia. Lisboa: Ed. 70, 1988. CULLEN, G., Paisagem Urbana. Lisboa: Edições 70, 2006. DROSTE, M., Bauhaus: Bauhaus archiv 1919-1933. Köln: Taschen GmbH, 2002. EHRENZWEIG, A., The Hidden Order of Art. London: Weidenfeld & Nicholson, 2000. FREITAS, L., Almada e o Número. 2.ª ed. Lisboa: Soctip, 1987. GARDNER, H., Art, Mind and Brain: A cognitive approach to creativity. New York: Basic Books, 1982. GOMBRICH, E. H., The Image and the Eye: Further studies in the Psychology of Pictorial Representation. London: Phaidon Press, 1994. GREGORY, R. L.; GOMBRICH, E. H. (ed.), Illusion in Nature and Art. London: Gerald Duckworth & Co, Lda., 1998. ITTEN, J., Le Dessin et la Forme. Colecção Beaux Arts Prof. Paris: Dessain et Tolra, 1995. JENKS, C. (ed.), Visual Culture. London: Routledge, 1995. KLEE, P., Diários. São Paulo: Martins Fontes, 1990. MASSIRONI, M., Ver pelo Desenho: Aspectos técnicos, cognitivos, comunicativos. Lisboa: Edições 70, 1996. MATISSE, H.; FOURCADE, D., Escritos e Reflexões sobre Arte. Lisboa: Ulisseia, 1972. MIRZOEFF, N., An Introduction to Visual Culture. London: Routledge, 2005. MITCHELL, W. J., The Reconfigured Eye: Visual truth in the post-photograph era. Massachusetts, Cambridge: The MIT Press, 1994. MUNARI, B., A Arte como Ofício. 4.ª ed. Lisboa: Presença, 1993. MUNARI, B. Artista e Designer. Colecção Dimensões, n.º 3. Lisboa: Presença, 1979. MUNARI, B., Design e Comunicação Visual. Colecção Arte & Comunicação, n.º 1. Lisboa: Edições 70, 1995. MUNARI, B., Fantasia: Invenção, criatividade e imaginação na comunicação visual. 2.ª ed. Lisboa: Presença, 1987. PELTZER, G., Jornalismo Iconográfico. Lisboa: Planeta, 1992. ROCHA DE SOUSA, F. M., Desenho. Área: Artes plásticas: T.P.U. 19. Mem Martins: Editorial do Ministério da Educação, 1980. WILLATS, J., Art and Representation: New principles in the analysis of the pictures. New Jersey, Princeton: Princeton University Press, 1997.

9


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

Parte II

Módulos Índice:

Página

Módulo 1 Elementos da Comunicação Visual

11

Módulo 2 Teoria do Design e da Comunicação

14

Módulo 3 Desenho Básico

16

Módulo 4 Desenho de Representação

18

Módulo 5 Suportes e Técnicas

20

Módulo 6 Ilustração

22

10


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

MÓDULO 1

Elementos da Comunicação Visual Duração de Referência: 24 horas

1. Apresentação Este módulo introduz os elementos estruturais básicos da linguagem plástica. Pretende-se que o aluno compreenda, analise e reconheça, de uma maneira isolada e independente, as qualidades específicas de cada um dos elementos da comunicação visual, tendo em vista a sua posterior manipulação expressiva na formação de composições, recorrendo a diversos suportes e materiais.

2. Objectivos de Aprendizagem

 Identificar, a partir de obras seleccionadas, os elementos estruturais da linguagem plástica;  Analisar uma obra de arte a partir da decomposição dos seus elementos estruturantes;  Explorar as potencialidades artísticas da obra plástica;  Explorar as capacidades expressivas através da utilização e manipulação dos elementos estruturais da comunicação visual.

3. Âmbito dos Conteúdos 1.O ponto 1.1. Como elemento estrutural da linguagem plástica 1.2. Como representação física, variando na sua grandeza e na sua expressão 1.3. Como organização do campo visual, por repetição dispersa, concentrada ou em sequências lineares 2. A linha 2.1. Como elemento estrutural da linguagem plástica 2.2. Como resultante do movimento de um ponto 2.3. Como instrumento determinante na construção de formas plásticas e na visualização do que imaginamos 2.4. A sua anatomia: Relação com os materiais riscadores 2.5. Como contorno das formas básicas (círculo, quadrado e rectângulo) possuidoras de direcções significativas: Vertical, horizontal, diagonal e curvilínea.

11


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS Módulo 1: Elementos da Comunicação Visual

3. A cor 3.1. Como elemento estrutural da linguagem plástica 3.2. Como fenómeno físico: O espectro solar 3.3. A visão: a anatomia do olho humano e o seu funcionamento 3.4. O seu significado simbólico 3.5. As sínteses aditiva e subtractiva 3.6. As dimensões da cor: Matiz, saturação e tom 3.7. As cores primárias, secundárias e terciárias 3.8. Os valores 3.9. Cromatismo e acromatismo 4. A textura 4.1. Como elemento estrutural da linguagem plástica 4.2. Como elemento altamente expressivo, formador e caracterizador da superfície 4.3. Tácteis e visuais 4.4. Naturais e artificiais 4.5. Regulares e irregulares 4.6. Como padrão 5. A escala 5.1. Como elemento estrutural da linguagem plástica 5.2. Tamanho relativo e relações estabelecidas no campo visual 5.3. Proporção: A secção áurea; a unidade modular de Le Corbusier 6. A dimensão 6.1. Como elemento estrutural da linguagem plástica 6.2. A perspectiva 6.3. Como representação bidimensional do volume 7. O movimento 7.1. Como elemento estrutural da linguagem plástica 7.2. Tensões e ritmos compositivos

12


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS Módulo 1: Elementos da Comunicação Visual

4. Bibliografia / Outros Recursos

BERGER, J., Modos de Ver. Colecção Arte & Comunicação, n.º 3. Lisboa: Edições 70, 1987. DONDIS, D. A., La Sintaxis de la Imagen. 15.ª ed. Barcelona: Gustavo Gili, 2002. EDWARDS, B., Aprender a Dibujar: Un método garantizado. Madrid: Hermann Blume, 1984. GOMBRICH, E. H., Art and Illusion: A Study in the Psychology of Pictorial Representation. 6.ª ed. Oxford: Phaidon Press, 2002 [Arte e Ilusão: Um estudo da psicologia da representação pictórica. São Paulo: Martins Fontes, 1995 (Trad. de Raul de Sá)]. HOWARD, K., El Arte de Dibujar y Pintar. Barcelona: Naturart, 1995. KANDINSKY, W., Do Espiritual na Arte. 6.ª ed. Colecção Arte e Sociedade, n.º 6. Lisboa, Publicações D. Quixote, 2003. KANDINSKY, W., Ponto, Linha e Plano: Contribuição para a análise dos elementos picturais. Colecção Arte e Comunicação, n.º 34. Lisboa: Edições 70, 1987. LAMBERT, S., El Dibujo: Técnica y utilidad. Madrid: Tursen, 1996. MAIER, M., Procesos Elementales de Proyectación y Configuración. Vol. I, II, III e IV. Barcelona: Gustavo Gili, 1982. MASSIRONI, M., Ver pelo Desenho: Aspectos técnicos, cognitivos, comunicativos. Lisboa: Edições 70, 1996. MUNARI, B., A Arte como Ofício. 4.ª ed. Lisboa: Presença, 1993. MUNARI, B., Fantasia: Invenção, criatividade e imaginação na comunicação visual. 2.ª ed. Lisboa: Presença, 1987. PUENTE, R., Dibujo y Educación Visual: El dibujo en la enseñanza media superior. México: Gustavo Gili, 1986. SAUSMAREZ, M., Desenho Básico: As dinâmicas da forma visual. Lisboa: Editorial Presença, 1986. SCOTT, R. G., Fundamentos del Diseño, México: Limusa, 1991. WILSON, B. et al., La Enseñanza del Dibujo a Partir del Arte. Barcelona: Paidós, 2004.

13


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

MÓDULO 2

Teoria do Design e da Comunicação Duração de Referência: 36 horas

1. Apresentação Este módulo pretende abordar o processo da comunicação e dar a conhecer os modos de projectar como parte integrante do processo artístico. Pretende-se que o aluno entenda, reconheça e aplique as estratégias de comunicação na área do design.

2. Objectivos de Aprendizagem  Identificar no objecto a sua função, expressão e valor;  Identificar as estratégicas de comunicação;  Identificar as finalidades e objectivos do design;  Aplicar a metodologia projectual no acto de criar;  Explorar a simbologia.

3. Âmbito dos Conteúdos 1. O acto de criar 1.1.Função e expressão 1.2.A natureza dos objectos 1.3.Objecto e função 1.4.Objecto e valor 2. O processo do design 2.1.Finalidades e objectivos do design 2.2.As causas formais 2.3.O processo de composição mental 2.4.A imaginação 2.5.Os estudos gráficos 2.6.A relação entre o design e a construção do protótipo 2.7.As causas materiais 2.8.O conhecimento dos materiais

14


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS Módulo 2: Teoria do Design e da Comunicação

3. As causas técnicas 3.1.O domínio dos instrumentos 3.2.A relação entre material e técnica 3.3.A relação entre a forma e os instrumentos 4. As artes visuais 4.1.As relações visíveis: Bidimensionais, tridimensionais 4.2.Sequência e duração no tempo 5. Estratégias de comunicação 5.1.O conteúdo e a forma 5.2.A mensagem 5.3.A composição 5.4.Mensagem e significado 5.5.Design, meio e organização 5.6.A relação emissor / receptor 6. Simbologia 6.1.A forma expressa e o conteúdo dos símbolos 6.2.A mensagem e o método 6.3.A percepção visual e a visão

4. Bibliografia / Outros Recursos

ARNHEIM, R., Art and Visual Perception: A Psychology of the creative eye. California: University of California Press, 2004 [Arte e Percepção Visual: Uma psicologia da visão criadora. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002 (Trad. de Ivonne Teresinha de Faria)]. BERGER, J., Modos de Ver. Colecção Arte & Comunicação, n.º 3. Lisboa: Edições 70, 1987. DONDIS, D. A., La Sintaxis de la Imagen. 15.ª ed. Barcelona: Gustavo Gili, 2002. MUNARI, B., Design e Comunicação Visual. Colecção Arte & Comunicação, n.º 1. Lisboa: Edições 70, 1995. Sítios na Internet: www.cpdesign.pt

15


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

MÓDULO 3

Desenho Básico Duração de Referência: 30 horas

1. Apresentação Pretende-se com este módulo analisar questões de composição numa superfície bidimensional, que envolvam a compreensão das forças e dos factores promotores de uma sensação de espaço unificado.

2. Objectivos de Aprendizagem  Manifestar interesse pelos fenómenos e objectos artísticos;  Ler e analisar imagens;  Mobilizar conhecimentos adquiridos em novas propostas criativas;  Manipular tecnicamente os materiais, os suportes e os instrumentos, com vista a demonstrar um melhor conhecimento do espaço bidimensional.

3. Âmbito dos Conteúdos 1. Composição e bidimensionalidade 1.1. Forças espaciais 1.1.1. A alternância entre forma e fundo 1.1.2. Contrastes: Dimensão, linearidade, forma, valor tonal, cor, textura 1.2. Factores de atracção e valor de atenção (significado) 1.3. Organização dos elementos visuais 1.3.1. Tensão espacial 1.3.2. Contraste e tensão espacial 1.3.3. Elementos que se tocam, que se sobrepõem e que se intersectam 1.3.4. Agrupamentos por semelhança

16


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS Módulo 3: Desenho Básico

1.4. Factores formais 1.4.1. A figura 1.4.2. O tamanho 1.4.3. A posição 1.4.4. A direcção 1.4.5. O intervalo 1.4.6. A atitude 1.5. Variedade na unidade 1.5.1. A utilização dos contrastes 1.5.2. A tensão espacial e relações de semelhança 1.5.3. A dissonância

4. Bibliografia / Outros Recursos BERGER, J., Modos de Ver. Colecção Arte & Comunicação, n.º 3. Lisboa: Edições 70, 1987. DONDIS, D. A., La Sintaxis de la Imagen. 15.ª ed. Barcelona: Gustavo Gili, 2002. EDWARDS, B., Aprender a Dibujar: Un método garantizado. Madrid: Hermann Blume, 1984. GOMBRICH, E. H., Art and Illusion: A Study in the Psychology of Pictorial Representation. 6.ª ed. Oxford: Phaidon Press, 2002 [Arte e Ilusão: Um estudo da psicologia da representação pictórica. São Paulo: Martins Fontes, 1995 (Trad. de Raul de Sá)]. HOWARD, K., El Arte de Dibujar y Pintar. Barcelona: Naturart, 1995. KANDINSKY, W., Do Espiritual na Arte. 6.ª ed. Colecção Arte e Sociedade, n.º 6. Lisboa, Publicações D. Quixote, 2003. LAMBERT, S., El Dibujo: Técnica y utilidad. Madrid: Tursen, 1996. MAIER, M., Procesos Elementales de Proyectación y Configuración. Vol. I, II, III e IV. Barcelona: Gustavo Gili, 1982. MASSIRONI, M., Ver pelo Desenho: Aspectos técnicos, cognitivos, comunicativos. Lisboa: Edições 70, 1996. MARCOLLI, A., Teoria del campo: Corso di educazione dela visione. 3.ª ed. Firenze: Sansoni. 1989. MUNARI, B., A Arte como Ofício. 4.ª ed. Lisboa: Presença, 1993. MUNARI, B., Fantasia: Invenção, criatividade e imaginação na comunicação visual. 2.ª ed. Lisboa: Presença, 1987. PUENTE, R., Dibujo y Educación Visual: El dibujo en la enseñanza media superior. México: Gustavo Gili, 1986. SAUSMAREZ, M., Desenho Básico: As dinâmicas da forma visual. Lisboa: Editorial Presença, 1986. SCOTT, R. G., Fundamentos del Diseño, México: Limusa, 1991. WILSON, B. et al., La Enseñanza del Dibujo a Partir del Arte. Barcelona: Paidós, 2004. 17


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

MÓDULO 4

Desenho de Representação Duração de Referência: 20 horas

1. Apresentação Com este módulo pretende-se que os alunos optem pelo desenvolvimento de um projecto consubstanciado numa das áreas propostas (desenho, design gráfico ou fotografia). Neste sentido, a aprendizagem é interdisciplinar e motivadora de um trabalho de equipa.

2. Objectivos de Aprendizagem  Realizar diferentes projectos, utilizando conhecimentos adquiridos em áreas afins;  Identificar as fases metodológicas do projecto artístico;  Utilizar as diversas técnicas e meios de representação bidimensional;  Explorar técnicas de representação expressiva e rigorosa do espaço e das formas que o habitam;  Identificar questões relacionadas com certos tipos de iconicidade, na área da cidadania;  Realizar trabalho em equipa, necessário à consecução de projectos.

3. Âmbito dos Conteúdos

1. Projecto e objecto 1.1. Conceito de projecto 1.2. O projecto como sistema de relações transversais a várias áreas 1.3. Do projecto ao objecto 1.4. Metodologia do projecto 2. Representação expressiva e representação rigorosa das formas e do espaço 2.1. Representação expressiva 2.2. Sistemas de representação rigorosa 2.3. Codificações gráficas (símbolos pictóricos, icónicos e sinais)

18


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS Módulo 4: Desenho de Representação

3. Projecto artístico 3.1. Fases de um projecto 3.2. Desenho 3.3. Design gráfico 3.4. Fotografia 3.5. Intervenção em espaços culturais

4. Bibliografia / Outros Recursos BERGER, J., Modos de Ver. Colecção Arte & Comunicação, n.º 3. Lisboa: Edições 70, 1987. EDWARDS, B., Aprender a Dibujar: Un método garantizado. Madrid: Hermann Blume, 1984. FABRIS, S.; GERMANI, R., Fundamentos del Proyecto Gráfico. Barcelona: Don Bosco, 1973. GOMBRICH, E. H., Art and Illusion: A Study in the Psychology of Pictorial Representation. 6.ª ed. Oxford: Phaidon Press, 2002 [Arte e Ilusão: Um estudo da psicologia da representação pictórica. São Paulo: Martins Fontes, 1995 (Trad. de Raul de Sá)]. HOWARD, K., El Arte de Dibujar y Pintar. Barcelona: Naturart, 1995. KANDINSKY, W., Do Espiritual na Arte. 6.ª ed. Colecção Arte e Sociedade, n.º 6. Lisboa, Publicações D. Quixote, 2003. KANDINSKY, W., Ponto, Linha e Plano: Contribuição para a análise dos elementos picturais. Colecção Arte e Comunicação, n.º 34. Lisboa: Edições 70, 1987. LAMBERT, S., El Dibujo: Técnica y utilidad. Madrid: Tursen, 1996. MAIER, M., Procesos Elementales de Proyectación y Configuración. Vol. I, II, III e IV. Barcelona: Gustavo Gili, 1982. MASSIRONI, M., Ver pelo Desenho: Aspectos técnicos, cognitivos, comunicativos. Lisboa: Edições 70, 1996. MARCOLLI, A., Teoria del campo: Corso di educazione dela visione. 3.ª ed. Firenze: Sansoni. 1989. MUNARI, B., A Arte como Ofício. 4.ª ed. Lisboa: Presença, 1993. MUNARI, B., Fantasia: Invenção, criatividade e imaginação na comunicação visual. 2.ª ed. Lisboa: Presença, 1987. PAPANEK, V., Diseñar para el Mundo Real: Ecología humana y cambio social. Colecção Ciencia, Tecnología, Sociedad. Madrid: Hermann Blume Ediciones, 1977. NOGUEIRA, M. M.; ROCHA, C. S., Panorâmica das Artes Gráficas. Vol. I, II e III. Lisboa: Plátano Ed. Técnicas, 1993-2001. PUENTE, R., Dibujo y Educación Visual: El dibujo en la enseñanza media superior. México: Gustavo Gili, 1986. SAUSMAREZ, M., Desenho Básico: As dinâmicas da forma visual. Lisboa: Editorial Presença, 1986. SCOTT, R. G., Fundamentos del Diseño, México: Limusa, 1991. WILSON, B. et al., La Enseñanza del Dibujo a Partir del Arte. Barcelona: Paidós, 2004. 19


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

MÓDULO 5

Suportes e Técnicas Duração de Referência: 30 horas

1. Apresentação Os conteúdos propostos pelo módulo ‘Suportes e Técnicas’ são transversais a todos os outros módulos, uma vez que a experimentação de materiais diversificados e os procedimentos técnicos a desenvolver são inerentes a esta disciplina. No entanto, os aspectos específicos que caracterizam esta prática levam a que se procure uma maior autonomia no desenvolvimento destes conteúdos formativos, permitindo aos alunos uma maior sensibilização e um maior aprofundamento dos mesmos.

2. Objectivos de Aprendizagem  Experimentar diversos tipos de suportes, materiais, instrumentos e processos;  Realizar projectos evitando estereótipos e preconceitos.

3. Âmbito dos Conteúdos 1. O ponto 1.1. Elemento estrutural da linguagem plástica 1.2. Suportes 1.3. Papeis e outras matérias 1.4. Propriedades do papel – espessura, textura e cor 1.5. Formatos e normalização 1.6. Modos de conservação 1.7. Meios actuantes sobre suportes – riscadores (grafite e afins), meios aquosos (aguada, têmperas e afins), graus de dureza, espessura e modos de conservação 2. Técnicas 2.1. Modos de registo – natureza e carácter do traço (intensidade, incisão, texturização, espessura, gradação, amplitude e gestualidade) e da mancha (forma, textura, densidade, transparência, cor, tom e gradação); 2.2. Modos de transferência – quadrícula, decalque, projecção, infografia, fotocópia e outros processos fotomecânicos

20


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS Módulo 5: Suportes e Técnicas

4. Bibliografia / Outros Recursos EDWARDS, B., Aprender a Dibujar: Un método garantizado. Madrid: Hermann Blume, 1984. FABRIS, S.; GERMANI, R., Fundamentos del Proyecto Gráfico. Barcelona: Don Bosco, 1973. HOWARD, K., El Arte de Dibujar y Pintar. Barcelona: Naturart, 1995. KANDINSKY, W., Do Espiritual na Arte. 6.ª ed. Colecção Arte e Sociedade, n.º 6. Lisboa, Publicações D. Quixote, 2003. LAMBERT, S., El Dibujo: Técnica y utilidad. Madrid: Tursen, 1996. MAIER, M., Procesos Elementales de Proyectación y Configuración. Vol. I, II, III e IV. Barcelona: Gustavo Gili, 1982. MASSIRONI, M., Ver pelo Desenho: Aspectos técnicos, cognitivos, comunicativos. Lisboa: Edições 70, 1996. MARCOLLI, A., Teoria del campo: Corso di educazione dela visione. 3.ª ed. Firenze: Sansoni. 1989. PAPANEK, V., Diseñar para el Mundo Real: Ecología humana y cambio social. Colecção Ciencia, Tecnología, Sociedad. Madrid: Hermann Blume Ediciones, 1977. NOGUEIRA, M. M.; ROCHA, C. S., Panorâmica das Artes Gráficas. Vol. I, II e III. Lisboa: Plátano Ed. Técnicas, 1993-2001. PUENTE, R., Dibujo y Educación Visual: El dibujo en la enseñanza media superior. México: Gustavo Gili, 1986. SAUSMAREZ, M., Desenho Básico: As dinâmicas da forma visual. Lisboa: Editorial Presença, 1986. SCOTT, R. G., Fundamentos del Diseño, México: Limusa, 1991. WILSON, B. et al., La Enseñanza del Dibujo a Partir del Arte. Barcelona: Paidós, 2004.

21


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS

MÓDULO 6

Ilustração Duração de Referência: 20 horas

1. Apresentação Neste módulo irão ser introduzidos os fundamentos e principais técnicas de ilustração. O docente deverá acompanhar a aprendizagem teórica dos conceitos com exercícios práticos e uma proposta de trabalho final;

2. Objectivos de Aprendizagem

 Mobilizar conhecimentos relativos à ilustração;  Reconhecer a importância da ilustração na comunicação visual;  Distinguir diferentes tipos de ilustração;  Identificar os diferentes aspectos dos grafismos na ilustração;  Utilizar a cor, os materiais e técnicas em ilustração;  Analisar exemplos de ilustrações;  Executar uma ilustração utilizando meios digitais e não digitais;  Produzir ilustrações com organizações diferenciadas;  Utilizar conhecimentos relativos às técnicas de impressão;  Utilizar a nomenclatura e os diferentes aspectos da ilustração;  Analisar e seleccionar diferentes soluções.

22


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS Módulo 6: Ilustração

3. Âmbito dos Conteúdos

1. Introdução à ilustração: 1.1. Contextualização histórica e social 1.2. Principais técnicas 1.3. Principais tipologias 1.4. Análise de exemplos 2. Principais tipos de ilustração 2.1. Ilustração técnica, ictologia, grafismos e organigramas 2.2. Ilustração para livros de crianças (ficção e escolar) 2.3. Ilustração editorial e infografia 2.4. Caricatura, desenho satírico e cartoon 2.5. Ilustração comercial e publicitária 2.6. Ilustração de moda 2.7. Formas narrativas de expressão gráfica: cinema de animação e banda desenhada 2.8. Análise e discussão de exemplos 3. Técnicas essenciais de ilustração 3.1. Técnicas digitais 3.2. Técnicas não digitais 3.3. Inserção da ilustração na página 3.4. Questões técnicas e de materiais 3.5. Critérios de análise e escolha de soluções 4. Projecto de ilustração 4.1.A ideia e o conceito 4.2.Métodos de pesquisa de informação 4.3.Passos do desenvolvimento das ideias 4.4.Questões técnicas, de materiais e de suportes 4.5.Critérios de análise e escolha de soluções 4.6.Modos de aplicação da ilustração dentro de um projecto gráfico

23


Programa de Desenho e Comunicação Visual

Cursos Profissionais

TÉCNICO DE ARTES GRAFICAS Módulo 6: Ilustração

4. Bibliografia / Outros Recursos

BARBOSA, C., Manual Prático de Produção Gráfica: Para produtores gráficos, designers e directores de arte. S. João do Estoril: Principia, 2006. rd

DABNER, D., Graphic Design School. 3 ed. Hoboken, New Jersey: Wiley, 2004. DABNER, D., Guia de Artes Gráficas: Design e Layout. Editorial Gustavo Gili, SA, Barcelona, 2003. GORDON, B.; GORDON, M., O Guia Completo do Design Gráfico Digital. Lisboa: Livros e Livros, 2003. NOGUEIRA, M. M.; ROCHA, C. S., Panorâmica das Artes Gráficas. Vol. I, II e III. Lisboa: Plátano Ed. Técnicas, 1993-2001. ZEEGAN, L., Principios de Ilustración: Cómo generar ideas, interpretar un brief y promocionarse, análisis de la teoría, la realidad y la profesión en el mundo de la ilustración manual y digital. Barcelona: Gustavo Gili, 2006.

24


programa de desenho e comunicação visual  

Direcção-Geral de Formação Vocacional 2006 / 2007 Disciplina de CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de Artes Gráficas EEssccool...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you