Issuu on Google+

Ser fotógrafa não é fácil Tal como a fotógrafa Silvana Torrinha disse “tem que se ter olho para tirar uma boa fotografia”, foi a mensagem que mais ficou na minha cabeça após a sua palestra. Qualquer um tira fotografias, mas poucos ficam reconhecidos pelas fotos que tiram. É uma arte que requer muito da pessoa, física e psicologicamente, ir para um cenário de guerra não é fácil, mas fazer a cobertura de um evento também não. A fotógrafa contou quando fez a cobertura do “40 horas Serralves” e demonstrou que é um trabalho árduo, requer vários planos de fotos e enquadramentos diferentes, fiquei a imaginar aquela fotógrafa a correr de um lado para o outro por entre a multidão com dez quilos de material às costas, imagino o quanto lhe custou. Silvana Torrinha falou acerca da ética da sua profissão, nunca, mas nunca um fotógrafo pode humilhar ou danificar a integridade de um ser humano com a sua máquina, um corpo morto pode chocar muita gente. A fotógrafa mostrou, e bem, a paixão que nutre pela fotografia, é a vida dela, é o trabalho dela. Fiquei com boa impressão desta profissional, porque demonstrou ter total conhecimento sobre a sua profissão e pensaria nela se tivesse algum evento que precisasse de cobertura fotográfica.


Cronica Silvana Torrinha