Page 1


Índice Introdução ..........................................................................................................................2 Cidadania ............................................................................................................................3 Implementação do Conselho Municipal de Juventude ............................................................. 3 Cartão Jovem Municipal ............................................................................................................ 3 PAMA......................................................................................................................................... 4 Plataforma interassociações ..................................................................................................... 4 Semana Jovem........................................................................................................................... 4 Voluntariado na Amadora ......................................................................................................... 5 Educação e Emprego ............................................................................................................6 Ensino Básico ............................................................................................................................. 6 Ensino Secundário ..................................................................................................................... 7 Ensino Superior ......................................................................................................................... 7 Desporto, Lazer e Cultura.....................................................................................................9 Criação da Casa da Cultura ...................................................................................................... 10 Desenvolvimento Sustentável ............................................................................................ 12 Urbanismo ............................................................................................................................... 12 Ambiente ................................................................................................................................. 12 Finanças/Emprego................................................................................................................... 13 Conclusões ........................................................................................................................ 15

Página 1 de 15


Introdução O município da Amadora foi criado a 11 de Setembro de 1979 por desanexação do concelho de Oeiras, vindo dias depois, a 17 de Setembro de 1979, a ser elevado a cidade. A freguesia homónima é dividida nas freguesias de Alfragide, Brandoa, Buraca, Damaia, Falagueira-Venda Nova, Mina e Reboleira. Na ocasião agregou a si partes das freguesias de Queluz e de Belas, pertencentes ao concelho de Sintra, e cedeu a localidade de Presa que passou a fazer parte da freguesia de Odivelas, actual concelho de Odivelas. Ao longo dos últimos 34 anos, esta cidade tem sofrido mudanças e alterações a nível urbanístico, populacional, cultural e associativo, registando uma das mais elevadas densidades populacionais do país. Numa cidade de dimensão geográfica reduzida e com cento e setenta e cinco mil habitantes (aproximadamente), a sustentabilidade das suas opções revela-se fulcral para atingir o sucesso desejado. Somos a juventude que vive, trabalha e estuda no concelho da Amadora, a ambição que possuímos passa, naturalmente, por envolver todos os agentes de juventude na discussão sobre o passado, o presente e o futuro da Amadora. Ambicionamos que A Nossa Cidade seja, obrigatoriamente, equilibrada nos vários factores que medem a qualidade de vida dos que dela usufruem. Por isso a JSD Amadora apresenta o Programa de Juventude para Concelho da Amadora, com as medidas e projectos para a juventude do Concelho, que pretendemos defender no próximo mandato autárquico.

Página 2 de 15


Cidadania Implementação do Conselho Municipal de Juventude A Amadora é um Concelho que desde sempre se caracterizou por ter uma juventude activa e interventiva, assim como possuí uma vasta comunidade associativa. No entanto, os jovens Amadorenses não dispõem de qualquer centro de discussão, onde se possam fazer ouvir. O Conselho Municipal de Juventude encontra-se regulamentado pela Lei nº 8/2009, de 18 de Fevereiro, com as alterações introduzidas pela Lei nº 6/2012, de 10 de Fevereiro, que regulamenta a criação e funcionamento deste órgão, assumindo-se como um espaço de debate e análise dos problemas da juventude, das associações e do Concelho, possibilitando e incentivando a participação dos jovens na vida cívica, cultural e política. Sugerimos que o mesmo seja realizado de três em três meses, num espaço providenciado pela Câmara Municipal da Amadora e que reúna as condições necessárias para a realização de um fórum de discussão, de modo a que todas as associações juvenis do Concelho possam reunir-se para discutir os seus problemas, os seus projectos e as suas ideias. Portanto, a realização de Assembleias Municipais Jovens, onde a apresentação e a discussão de propostas no âmbito da juventude, dará união e soluções para muitos dos problemas existentes no Concelho. Na Amadora, os jovens não são ouvidos. São eles o futuro do município e do País. Demos voz às associações e aos jovens!

Cartão Jovem Municipal O comércio tradicional na Amadora, devido à proliferação das grandes superfícies, atravessa dificuldades, devido, em parte, à falta de apoios que o município não tem disponibilizado. O concelho da Amadora, através da sua população jovem pode dar um contributo importante ao crescimento sustentável que os comerciantes que decidiram investir na Amadora desejam. O Cartão Municipal de Juventude é um instrumento fundamental para a juventude do concelho voltar a ter o hábito de utilizar o comercio existente nas freguesias para, de forma consistente, adquirir produtos/serviços, sem utilizar os centros comerciais. Esta medida seria suportado num acordo que o Município da Amadora estabeleceria com a Associação Comercial dos Concelhos de Oeiras e Amadora, de forma a que os seus associados pudessem disponibilizar descontos aos portadores do Cartão Municipal de Juventude. Os valores dos descontos seriam acordados entre as duas entidades, sendo que a idade compreendida para possuir o Cartão compreendia-se entre os 14 e os 30 anos.

Página 3 de 15


PAMA Na teoria o Programa de Apoio ao Movimento Associativo assume-se como uma boa intenção, mas na prática torna-se ambíguo. Desde o seu regulamento, passando pelo processo de candidatura, a avaliação e a atribuição (ou veto), são inúmeras as dúvidas e injustiças que se colocam. Como se justifica um modelo de avaliação de actividades que não define, inequivocamente, os critérios? Não aceitamos, nem podemos aceitar, que o movimento associativo da Amadora seja tratado e apoiado mediante um processo que não envolva total equidade, imparcialidade e transparência. Contestamos, o facto de o apoio a uma actividade ou aquisição de material cessar nos 20%, quando o PAMA se destina a organizações sem fins lucrativos e que tantas dificuldades têm para obter financiamento para realizar actividades em prol de fregueses e munícipes. Justificações para tal actos são difíceis de encontrar. O PAMA tem de ser prático e objectivo, de modo a servir o interesse das várias associações sediadas na amadora, por isso a “fatia” do Orçamento Municipal destinado ao PAMA terá de ser aumentada e o próprio PAMA terá de ser revisto e clarificado.

Plataforma interassociações Propomos a criação e desenvolvimento de uma plataforma online que dê possibilidade às associações de disponibilizar a sua informação (contactos, localização e breve descrição, por exemplo), divulgando as suas atividades e projetos. Este ponto de encontro e de divulgação permitirá dinamizar o movimento associativo da Amadora, atenuando a luta diária que o mesmo trava para chegar ao maior número de pessoas. Este trabalho, muita das vezes, directamente direcionado para fregueses e munícipes, faz todo o sentido que seja iniciativa de quem gere o Concelho da Amadora, porque contribui para engrandecimento e enriquecimento do Município.

Semana Jovem Propomos a realização da primeira semana jovem na Amadora, onde se poderá usufruir de um infindável número de actividades de carácter Desportivo (Torneios de Ténis, voleibol de praia, ténis de mesa, Futebol de 5, Futebol de 11, Street-Basket 3x3, Karting, BTT), Cultural (Recitais de poesia, Teatro, visitas culturais, Stand-Up comedy, Sessões de Poetry Slam), Lúdico-recreativo (Mostra de DJ’s, cinema ao ar livre, concurso de graffitis, desportos radicais, concertos de bandas de garagem), e Formativo (Simpósios, tertúlias, colóquios e workshops diversos). A recetividade desta semana Jovem em termos locais será numerosa, irá movimentar jovens do Município da Amadora, mas também de Municípios vizinhos e mesmo de estrangeiros. Propomos que esta semana se realize em Julho, mês que habitualmente os intervenientes se encontrarão de férias. Não menos importante será a envolvência das associações, nomeadamente as juvenis, que em cooperação com a Câmara Municipal ajudarão na organização das múltiplas actividades que irão compor o programa da semana.

Página 4 de 15


Voluntariado na Amadora A criação de um programa de voluntariado na Amadora que responda às necessidades dos munícipes. Numa primeira fase os munícipes com Necessidades Educativas Especiais poderiam ser apoiados por voluntários nas suas tarefas diárias, de estudo e de procura de trabalho. Pretende-se com esta medida, por um lado, proporcionar uma melhor integração e igualdade de oportunidades para os munícipes com Necessidades Educativas Especiais, por outro, promover a formação e educação do individuo em valores como a cooperação e a indulgência, contribuindo assim para a formação cívica e profissional dos participantes. Numa segunda fase auspicia-se que o programa seja alargado, de modo a apoiar todo o tipo de munícipes (Ajuda na elaboração do IRS, do Currículum vitae e preparação para entrevistas de trabalho).

Página 5 de 15


Educação e Emprego Transversal a todos os níveis de ensino, é notória a falta de espaços para que os estudantes da Amadora possam desenvolver nas melhores condições o seu trabalho. Assim a JSD Amadora não entende, até hoje, o porquê de a Biblioteca Municipal ter um horário de funcionamento semelhante a qualquer outro serviço público, não se encontrando aberta em período nocturno. Dada esta situação, muitos dos jovens que queiram ter um espaço de estudo fora-de-horas, terão de deslocar-se a Concelhos limítrofes. Esta situação é inaceitável. A JSD Amadora propõe que haja um alargamento do horário de funcionamento da Biblioteca Municipal, permanentemente até às 24 horas. A falta de espaços de estudo é também outra das grandes falhas do nosso Concelho no que concerne à educação. A JSD Amadora propõe que em cada Freguesia haja espaços públicos destinados ao estudo e ao serviço dos estudantes do Concelho, de preferência que esse estudo possa ser acompanhado e inclusivamente possam funcionar aos fins-de-semana, será pois com medidas desta índole que a Amadora sairá da aura de dormitório da qual nunca se conseguiu libertar e que afecta sobretudo os jovens. Seguem de seguida especificadamente as nossas ideias no que concerne a cada nível de ensino:

Ensino Básico Não obstante o trabalho realizado nos últimos anos é nosso entendimento que muito se encontra ainda por fazer. Será crucial a aposta na integração e na troca e partilha de experiências entre todos os agentes que devem compor a comunidade escolar (família, alunos professores, funcionários). Todas estas soluções se revelam da maior importância num Concelho como a Amadora com elevadas taxas de abandono escolar e de delinquência juvenil, e onde a escola serve muitas vezes de “depósito” de alunos durante o horário de trabalho dos Pais, e onde desde cedo a família deve assumir uma importância central também na escola, de modo a que se possa inverter os índices que em nada orgulham a Amadora no que concerne à educação. Servem estas medidas como base para um combate que deve ser a prioridade do Município no que à educação diz respeito: o combate ao abandono escolar. Com uma taxa elevada de jovens que abandonam os estudos antes de terminarem a escolaridade obrigatória é fundamental que a Autarquia e os seus responsáveis criem todas as condições de acompanhamento às famílias e aos jovens, através de gabinetes de ajuda em que técnicos das mais diversas áreas como a psicólogos, assistentes sociais, sociólogos, antropólogos, trabalhem em conjunto, para os jovens e com os jovens de modo a que se consiga chegar a cada um dos jovens que tão cedo enfrentam a difícil escolha de ter de abandonar os estudos e evitar esse desfecho. Entendemos também que é necessária a criação de um Programa de Desporto Escolar em que desde muito cedo se incentive a prática do desporto numa colectividade da Freguesia Página 6 de 15


onde está sediada a escola. Esta importante medida terá como função o incentivo à prática do desporto e à aquisição desde muito cedo de hábitos de vida saudáveis, bem como a integração dos jovens no meio onde habitam, na sua Freguesia e na sua Cidade. É fundamental o apoio financeiro, através da atribuição de livros escolares gratuitos para os alunos da primária e 1ºciclo, aos pais com menores possibilidades financeiras.

Ensino Secundário É proposta da JSD Amadora que haja um maior apoio aos estudantes do ensino secundário do Concelho. Assim torna-se necessário a abertura de espaços públicos em todas as freguesias do Concelho de modo a que durante a semana e aos fins-de-semana, de forma gratuita para os alunos, possa haver momentos de estudo acompanhado com Docentes das mais diversas disciplinas e que possam prestar apoio a todos os alunos que queiram frequentar estes espaços e acompanhar o seu estudo. Esta medida tem como fim o combate também ao abandono escolar e ao insucesso escolar. Esta medida tem como alvo os alunos, Professores residentes no Concelho da Amadora que estejam desempregados e que aqui possam encontrar uma forma de ocupação com retribuição concedida pela Autarquia. Deverá ser também uma aposta estratégica do nosso Concelho o apoio ao Ensino Técnico-Profissional de modo a que este tipo de ensino seja olhado de modo sério e com perspectivas de futuro por parte dos jovens e de modo a que o mesmo seja visto como uma séria alternativa ao Ensino Secundário de vertente universitária. Para tal deverá haver um apoio à criação de cursos nas diferentes escolas, à criação e atracção de escolas Técnico-Profissionais no nosso Concelho e à inclusão do tecido empresarial da Amadora neste processo. Assim medidas como estágios em empresas do Concelho, acções de formação e de avaliação conjuntas entre as escolas e as empresas, de modo a que todos sejam responsáveis pela formação dos alunos e no fundo haja uma maior perspectiva de empregabilidade, direccionando os cursos e os estudantes para as áreas em que haja efectivo emprego no Concelho da Amadora. Todo o apoio que deverá existir no âmbito de gabinetes de ajuda no combate ao abandono escolar deverá também ter a sua actuação e importância com estudantes do ensino secundário.

Ensino Superior É flagrante a falta de aproveitamento que tem havido entre a Autarquia e as Instituições de Ensino Superior do Concelho da Amadora. Começando pela Escola Superior de Teatro e Cinema, é fundamental que se criem condições para que se aproximem os Cidadãos desta instituição de ensino superior. Deve a ESTC vir até aos Amadorenses mas também os Amadorenses dirigirem-se à ESTC e aos seus eventos. É fundamental que haja pelo menos um festival de teatro concelhio, voltado e vocacionado para todos os grupos de teatro do concelho. Também os alunos da ESTC devem ser convidados a actuar e a fazer demonstrações no âmbito das suas áreas de estudo em espaços municipais de modo a divulgarem o seu trabalho e a qualidade do ensino da ESTC, assim auditórios como os Recreios da Amadora ou o Teatro Municipal Dom João V, devem ser Página 7 de 15


portas abertas para todos os Professores e Alunos da ESTC de modo a que com o trabalho desenvolvido nesta escola e no nosso concelho se possa fazer chegar mais e melhor cultura aos Amadorenses. Deverá também ser aposta da cidade na criação de condições para que haja um Festival Internacional numa das áreas de conhecimento artístico que a ESTC desenvolve, atraindo especialistas de todo o mundo, professores, alunos, de modo a que à semelhança do que se tem feito noutro Concelhos, se possa também na Amadora envolver a Cidade, as Artes e a Universidade tornando-a um polo de conhecimento e de saber numa vertente artística e que seja nessa vertente, a Amadora uma verdadeira referência universal. No que diz respeito à Academia Militar é fundamental que possa haver uma maior aproximação dos estudantes do Concelho com esta instituição de ensino superior através de visitas, workshops e palestras de modo a que haja um verdadeiro conhecimento da importância que esta Instituição teve e continua a ter no nosso Concelho e também para que haja um maior conhecimento das ofertas de ensino que a Academia Militar proporciona.

Página 8 de 15


Desporto, Lazer e Cultura Ao longo dos mandatos do PS na Câmara Municipal, a Amadora tem vindo a constatar que muitos dos clubes que divulgam a nossa cidade a nível Nacional, Europeu e Internacional não têm tido o merecido apoio. Estes verdadeiros símbolos da cidade a nível desportivo, dos quais destacamos o C.F. Estrela da Amadora e Associação Académica da Amadora, que passam por muitas dificuldades para manter as suas actividades desportivas regulares, têm um papel bastante importante nestas cidades, permitindo aos mais jovens o acesso à prática desportiva, formação cívica e educação, algo que não aconteceria sem a presença destas instituições, levando a que os mais jovens passem mais tempo nas ruas sem ocupação. Actualmente a política desportiva do concelho, é realizada através de “ilhas” (clubes desportivos) autónomas e independentes, sem qualquer tipo de comunicação entre as mesmas. Ao analisar e visitar as mesmas, percebe-se a dificuldade em subsistir num concelho que, embora repleto de infra-estruturas desportivas, não possui, à excepção do “elefante branco” - Monte da Galega, nenhuma válida em que os clubes possam colocar os jovens a praticar desporto a custos controlados. Acreditamos, por isso, que uma Cidade Jovem tem de ter espaço para o Desporto.

Para o desenvolvimento da prática desportiva de qualidade no concelho da Amadora, propomos as seguintes medidas: 

A definição de uma modalidade de referência para o Concelho.

Com esta medida pretendemos que seja desenvolvido um programa com enfase na formação de atletas na modalidade de referência, que visem o seu desenvolvimento desportivo e obtenção de resultados a nível Nacional e Internacional. Como bom exemplo, temos o Clube de Natação da Amadora, mas é necessário criar e desenvolver mais modalidades que elevem o nome da nossa cidade através dos seus atletas; 

Apoio à construção de campos de futebol com piso sintético, com vista à realização de jogos de todas as equipas de futebol do Concelho.

Com a execução desta medida será possível centralizar, num só local, a realização dos jogos de futebol das camadas jovens dos clubes. Este local deverá ser central e possibilitar a fácil deslocação dos espectadores e intervenientes. Um bom local para a execução deste projecto é o Estádio José Gomes, uma vez que se localiza numa Zona de Equipamentos Desportivos e de acordo com o definido no PDM do Concelho, não se encontrando em utilização por nenhum clube local, devido à situação do Estrela da Amadora. A autarquia poderá adquirir o mesmo, de forma a possibilitar a sua reabilitação e utilização por todos os clubes do nosso concelho;

Página 9 de 15


 

Torneio infantil de diferentes modalidades com clubes e escolas. Construção de um Pavilhão Municipal Multiusos

A construção de um pavilhão municipal multiuso é mais uma das medidas que visa apoiar a prática desportiva com a existência de um equipamento de excelência. Com a existência deste equipamento todos os clubes desportivos teriam a possibilidade de realizar os seus jogos em locais com óptimas condições para a prática desportiva e com óptimas condições para os espectadores. A Cidade da Amadora terá possibilidades, a partir do momento que possuir esse equipamento, de candidatar-se à realização de finais de competições nacionais de desportos de pavilhão, como por exemplo: finais das modalidades de andebol, futsal e voleibol, para além da realização de um sarau de ginástica. Em termos municipais, deve o poder local proporcionar formações regulares para treinadores e respectivo staff técnico, assim como, formação de primeiros socorros para dirigentes e staff médico dos clubes, podendo esta última medida ser estendida a pessoas da sociedade civil interessadas. Num concelho com outros parâmetros de sustentabilidade, a cultura não deve ser vista como uma representação, mas sim como uma estratégia e um fim que ambicionamos implementar, continuando uma acção criativa que é latente à ideia de vida e pensando nela como um processo que actua no crescimento e amadurecimento social. A cultura pensada como processo, actua no quotidiano das pessoas e modifica certos comportamentos e parâmetros sociais, reforçando laços e estimulando a conquista de auto-estima. O concelho da Amadora possui no seu território uma instituição de Ensino Superior ligada à área cultural - Escola Superior de Teatro e Cinema. As sinergias criadas entre o município e o estabelecimento são praticamente nulas, não se conhecendo nenhuma iniciativa promovida por qualquer uma das entidades, sendo possível a realização de peças culturais em espaços de notoriedade na cidade. Para uma verdadeira política de juventude, acreditamos que, é necessário apostar na preservação dos símbolos da cidade. São necessárias instituições para a ocupação e formação cultural da população jovem, elevando e dignificando o nome da Amadora. Por isso, como forma de combater o deserto a nível cultural na Amadora, a JSD propõe as seguintes medidas:

Criação da Casa da Cultura A Amadora possuí uma riqueza cultural impar a nível nacional, algo que consideramos merecedor de um projecto cultural de grande dimensão, algo que dignifique e prestigie o Conselho e envolva os seus habitantes através de actividades culturais diversas, desde workshops de teatro, exposições de pintura e fotografia a exibições cinematográficas. Consideramos a Amadora merecedora de uma Casa da Cultura que apoie o cinema, a música e o teatro, que divulgue artistas, culturas e a cidade, combinando sinergias entre a Câmara, associações e escolas, mas, também, com a Escola Superior de Teatro e Cinema, Página 10 de 15


possibilitando aos alunos e à faculdade um espaço de excelência para exibirem e divulgarem os seus trabalhos, que a médio/longo-prazo possibilite, por exemplo, a criação e desenvolvimento de um festival de cinema de dimensão nacional e internacional, semelhante ao que já acontece com a BD Amadora, para a banda desenhada. Propomos a criação de uma casa da cultura que potencialize as sinergias entre a Escola Superior de Teatro e Cinema e as diversas actividades culturais, de forma a dinamizar e a atrair público para workshops de teatro, exposições de pintura e fotografia.

Página 11 de 15


Desenvolvimento Sustentável Urbanismo Há largos anos que o concelho da Amadora apresenta grandes níveis de densidade populacional relativamente à sua capacidade geográfica. No entanto, verificamos facilmente que, a construção desordenada no sector habitacional continuou a aumentar num dos concelhos mais pequenos do País. As opções políticas tomadas neste caso demonstram um completo afastamento pela implementação de investimentos e recursos que privilegiem a qualidade de vida. A obtenção fácil do lucro em detrimento das pessoas, observa-se pela vasta oferta imobiliária que excede em larga escala a procura. A quase inexistente recuperação de prédios devolutos e a falta de soluções camarárias para intervir, levantam problemas de insegurança social e ambiental. Neste âmbito a JSD Amadora propõe que a requalificação urbana possa ser mais eficaz e eficiente na afectação dos seus recursos e que permita uma renovação dos centros urbanos. Pode ainda funcionar como medida de desenvolvimento da economia local, proporcionando às empresas locais privilégios no processo de reconstrução, dentro dos limites legalmente estabelecidos. Propomos também que seja revista e reestruturada toda a política para os cidadãos com mobilidade reduzida. É urgente que o município disponibilize verbas para a criação de infraestruturas que contemplem todos os seus munícipes, independentemente das suas limitações físicas (um exemplo claro de falta de sensibilidade nesta vertente é a via reversível na Rua Elias Garcia na Falagueira, onde os passeios foram encurtados de tal forma que não passa uma cadeira de rodas, para dar prioridade às viaturas). É, na nossa opinião, indispensável que sejam criados percursos para pessoas com mobilidade reduzida e acessibilidades aos edifícios com jurisdição municipal. Será ainda relevante que as estruturas históricas de todo o município sejam recuperadas de modo a prosseguir uma implementação de cultura nos jovens amadorenses. Esta implementação pode ser feita através de visitas de estudo às estruturas, estendendo estas visitas às escolas fora do Concelho da Amadora. A quase inexistente da recuperação de prédios devolutos e a falta de soluções camarárias para intervir, levantam um problema de insegurança social e ambiental.

Ambiente A gestão dos recursos ambientais ao nosso dispor são a garantia de uma melhor qualidade de vida. Não só para os presentes, mas também para as gerações futuras. Essa gestão, efectuada de forma eficaz e eficiente, melhora a qualidade de vida e reduz os impactos ambientais. A JSD Amadora preconiza para a cidade da Amadora um modelo exemplar e de referência nesta vertente, como acontece em destacadas e diversas cidades europeias. A elaboração de

Página 12 de 15


uma carta verde com etapas bem definidas no seu processo de implementação, serviria de base ao concelho em políticas ambientais. Neste contexto propomos que, no próximo mandato autárquico, seja feito um investimento neste âmbito, com medidas que podem passar pela inclusão de lâmpadas LED´s em todas as estruturas camarárias. Incrementação de painéis solar nas estruturas que assim o permitam, nomeadamente semáforos e edifícios municipais. A introdução de viaturas movidas a biodiesel na frota autárquica, de modo a que a mesma seja totalmente “amiga do ambiente”

Finanças/Emprego A criação de emprego nos respectivos concelhos é, a nosso ver, a medida que garante um crescimento sustentado em todas as vertentes socio-económicas. Nos últimos anos as opções políticas foram escassas para um concelho como a Amadora. O efeito da crise teve consequências económicas na nossa economia. Fruto desta situação, os apoios sociais têm diminuído e por isso origina dificuldades financeiras em todos os segmentos organizacionais no Concelho. Verifica-se que actualmente existem taxas elevadas de desemprego jovem, sendo um resultado de políticas injustas e desiguais. É nesta conjuntura que as autarquias podem ter um papel fundamental! Assim, os órgãos locais devem criar condições para a evolução do Concelho, criando valor sustentado, ajudando-o a crescer e a modernizar-se. É com este intuito que a JSD Amadora apresenta algumas propostas para a criação do valor neste Concelho. Porque não queremos ficar com uma cidade sem actividade diurna, porque temos jovens licenciados competentes e porque temos cidadãos capazes de ajudar a construir uma cidade melhor, propomos: - A criação de um pólo empresarial para atrair empresas de valor acrescentado significativo e fixando postos de trabalho de média/alta qualidade; 

- Isenção da derrama para jovens empresários/empreendedores, que criem postos trabalho, e sejam residentes no concelho;

- Isenção da taxa da Derrama para empresas com um volume de negócios não inferior a 500.000euros e que criem no minimo 10 postos de trabalho

Isenção da taxa da Derrama para empresas do concelho que façam donativos a instituições de carácter social, cultural e desportivo de montantes não inferiores a 1500€ por ano.

Criação de um programa “A melhor PME do concelho”, atribuindo um prémio à empresa vencedora. Página 13 de 15


IMI à taxa minima

Redução de 45% na participação no IRS dos municipes do Concelho.

Realização de uma feira anual de emprego na Amadora, dando prioridade a empresas sediadas no concelho.

Apoio ao tecido empresarial no concelho. Factor preferencial para empresas do concelho na adjudicação de trabalhos/serviços camarários/autárquicos, promovendo o apoio às empresas locais.

Descentralização de 5% das verbas anuais do orçamento para a criação de um PAMA Jovem.

Página 14 de 15


Conclusões Os tempos difíceis que vivemos são fruto de irresponsabilidades políticas, acumuladas ao longo dos anos e com dificuldades socio-económicas transversais a todas as faixas etárias da sociedade. Concordamos que o poder autárquico pode ajudar a colmatar lacunas comuns aos seus munícipes, criando valor nas diferentes áreas de intervenção em que se pode actuar (Socioeconomico, Cultural, Desportivo, etc). A nossa convicção é de que os jovens são a maior fonte de crescimento e desenvolvimento das sociedades, devem existir políticas de juventude claras de modo a envolver os jovens no processo de construção e modernização dos seus meios envolventes. Exemplo disso é o excelente trabalho praticado pelo movimento associativo, com jovens que ocupam o seu tempo livre a praticar desporto, aprender actividades recreativas e culturais. O fruto do trabalho político e do conhecimento dos problemas reais do Concelho da Amadora, faz com que a JSD Amadora reconheça nos jovens o papel de importantes agentes da sociedade e como tal apresenta ideias concretas e dá respostas com a apresentação de soluções válidas para uma Cidade que não pensa nos jovens! É regra do poder local, apostar em políticas que não criam o desejado desenvolvimento sustentável. Como exemplo, por um lado, a construção desmesurada de imóveis sem critério no ordenamento do território, por outro, a quase inexistência de requalificação urbana. A escassez de políticas de educação no Concelho, aliada ao facto de se permitir uma maior degradação das organizações que desenvolvem a sua actividade com jovens (e não só), demonstra um total afastamento e conhecimento dos problemas reais do município. É pelos jovens do concelho e pela cidade da Amadora que a JSD Amadora apresenta as propostas descritas neste programa autárquico. Acreditamos numa Amadora melhor e capaz de suprir as necessidades existentes. Queremos dar mais aos jovens. Queremos dar mais ao concelho. Queremos uma cidade com mais vida.

Para que todos possamos viver (n)a Amadora!

Página 15 de 15


Programa Municipal de Juventude  

Programa Municipal de Juventude 2013-2017, da JSD Amadora, tendo em mente o futuro, o desenvolvimento e a sustentabilidade do Município da A...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you