Page 1

Edes Andrade Pereira

Formação para Coroinhas Aprenda como ser um(a) excelente coroinha

Vocação • Doação • Misssão

Editora A Partilha


AGRADECIMENTOS A todos aqueles que, de forma direta ou indireta, contribuíram para a publicação e o lançamento desta Obra. Que Deus abençoe a todos.


ÍNDICE Prefácio..................................................................................................................9 Introdução....................................................................................................... 11 História de São Tarcísio......................................................................... 13 Oração de São Tarcísio......................................................................... 16 Os 10 Mandamentos do Coroinha.............................................. 17 orações............................................................................................................... 22 Catecismo........................................................................................................... 29 Acólitos ou Coroinhas?........................................................................32 Coroinha............................................................................................................. 38 Ministério do coroinha..........................................................................47 O incenso na liturgia............................................................................ 50 Reverência na missa................................................................................. 53 cores litúrgicas.......................................................................................... 56 símbolos litúrgicos.................................................................................. 58 vestes litúrgicas......................................................................................... 60 objetos litúrgicos.......................................................................................62 bibliografia.......................................................................................................64


Prefรกcio

Edes Andrade Pereira | 9


O presente livro não busca ser um tratado sobre a liturgia ou sobre os objetos litúrgicos, mas sim, uma orientação para aqueles que buscam servir no altar ao Senhor de todo o coração, principalmente aqueles que ajudam como coroinhas nas celebrações, desejando conhecer mais profundamente a fé que professam. Com as mudanças que ocorreram nas últimas décadas na liturgia, houve um empobrecimento do conhecer litúrgico. Na maioria dos casos houve uma simplificação de ritos e celebrações, fazendo com que muitos dos objetos litúrgicos não fossem mais utilizados, passando a fazer parte apenas da lembrança dos mais antigos. Com o movimento litúrgico, houve um novo dinamismo nas celebrações. Sem esquecer do passado, mas atualizando-o, as celebrações se tornaram mais ativas e os leigos puderam ter acesso a coisas antes apenas de uso do meio eclesiástico, como exemplo disso, o missal dominical. Uma das primeiras e constantes preocupações do Concílio Vaticano II e da Igreja é que a liturgia seja compreendida pela comunidade que celebra. Cada uma das reformas propostas pela Constituição sobre a Sagrada Liturgia parte desta solicitude. “Compreender o que se faz” é exigência fundamental de tudo o que fazemos, inclusive na liturgia. O Papa João Paulo II, na Carta Apostólica Spiritus et Sponsa, comemorativa dos quarenta anos de promulgação da Constituição conciliar sobre a Liturgia Sacrosanctum Concilium, assim se exprimia: “É mais necessário do que nunca incrementar a vida litúrgica no âmbito das nossas comunidades, através de uma formação adequada dos ministros e de todos os fiéis, em vista da participação plena, consciente e ativa nas celebrações litúrgicas, desejada pelo Concílio.”(SS 7). A liturgia exige formação porque é proclamação e celebração de mistérios que se realizaram na história do cristianismo. O livro do Prof. Edes Andrade busca atender várias necessidades que surgiram em nossas comunidades ao longo das últimas décadas. Com este trabalho, ele procura chamar a atenção para um princípio básico: que a liturgia é, em primeiro lugar, a obra de Deus em nós, antes de ser nossa obra para Deus. D. Adriano de Araújo Carvalho, OSB. Monge Beneditino 10 | Formação para Coroinhas | Vocação-Doação-Missão


Introdução

Edes Andrade Pereira | 11


Caros(as) amigos(as) coroinhas, a Igreja os acolhe, alegremente com a sua presença e o seu serviço, prestado de forma dedicada, gratuita e incondicional dioturnamente nas acões litúrgicas, Fonte e Ápice de toda ação Eclesiológica. Com a minha vivência eclesial, tendo observado e acompanhado o comportamento e conhecimento dos coroinhas em algumas dioceses, paróquias e comunidades, senti a necessidade de oferecer orientações atuais do Magistério da nossa Igreja, que ajudassem a preparar melhor esses meninos e meninas, que sobem ao presbitério para ajudar os sacerdotes nas celebrações litúrgicas. Não poucas vezes encontramos pessoas despreparadas, sem postura ou conhecimento daquilo que é essencial para assumir esse ministério tão importante. Nesta oportuna obra, apresento um excelente subsídio para a formação litúrgico-pastoral de cada um(a) dos(as) nossos(as) queridos(as) coroinhas. De forma clara e simples são abordados neste livro a História do padroeiro dos coroinhas e acólitos; a história da padroeira das coroinhas; os 10 mandamentos do(a) coroinha; orações que todo coroinha deve aprender a rezar; catecismo; acólitos ou coroinhas; origem da palavra coroinha; ministérios do(a) coroinha; significado do incenso e reverência; cores-símbolos-vestes e objetos litúrgicos. Coloco este trabalho nas mãos dos padroeiros dos(as) coroinhas, São Tarcisio e Santa Maria Goretti, que por sua intercessão cada um(a) de vocês possa servir a Deus, perserverando e sendo fiel à Igreja como perenes zeladores e pequenos guardiães das COISAS e do ESPAÇO SAGRADO. O Autor

12 | Formação para Coroinhas | Vocação-Doação-Missão


Hist贸ria de S茫o Tarc铆sio Padroeiro dos coroinhas e ac贸litos

Edes Andrade Pereira | 13


De uma carta do Papa Cornélio sabemos que naquele tempo a Igreja de Roma contava com 50 sacerdotes, 7 diáconos e mais ou menos 50 mil fiéis; isso, no coração da cidade imperial, a cidade dos ídolos, na fúria das perseguições. Tarcísio era coroinha na Igreja, servindo ao altar nos serviços secundários, acompanhando o próprio papa na Celebração Eucarística. No decorrer da terrível perseguição do Imperador Valeriano, em 258 da era cristã, muitos cristãos estavam sendo presos, processados e condenados à morte. Nas tristes prisões, à espera do martírio, os cristãos desejavam ardentemente poder fortalecer-se com Cristo Eucarístico, chamado Viático, que é o conforto na viagem para a eternidade. O difícil era conseguir entrar nas cadeias para levar o conforto Eucarístico. Nas vésperas de execuções de mártires, o Papa Sisto II não sabia como levar o Viático aos cristãos na cadeia. Tarcísio, com cerca de 12 anos de idade, ofereceu-se dizendo que estava pronto para esta tarefa, disposto antes morrer que entregar as Sagradas Hóstias aos pagãos. Às objeções por causa da pouca idade, sobre o grave perigo de morte, Tarcísio rebatia com convicção que a pouca idade podia até favorecer sua entrada nas prisões, passando desapercebido, como se fosse um parente próximo de algum condenado ao martírio. Comovido por esta coragem, o papa entregou numa caixinha de prata as Hóstias que deviam servir como conforto, viático aos próximos mártires. Mas, passando Tarcísio pela Via Ápia1, uns rapazes notaram seu estranho comportamento e começaram a indagar o que trazia, já suspeitando algum segredo dos cristãos. Ele porém, julgando ser coisa indigna 1 Via Ápia é uma grande estrada ao lado da qual se encontram as catacumbas. 14 | Formação para Coroinhas | Vocação-Doação-Missão


entregar pérolas aos porcos, se negou. Então, bateram nele e o apedrejaram até a morte, em seguida revistaram-lhe o corpo, nada achando do Sacramento de Cristo. Foi recolhido por um soldado, ocultamente cristão, de nome Quadrado, levado às catacumbas, onde recebeu honorífica sepultura. Ainda se conservam nas catacumbas de São Calisto inscrições, atestando a veneração que Tarcísio teve na Igreja de Roma. Ele foi declarado padroeiro dos coroinhas e dos acólitos2.

2  D. Servílio Conti. O Santo do dia. Edes Andrade Pereira | 15


Oração de São Tarcísio Padroeiro dos coroinhas e acólitos Ó glorioso São Tarcísio, que agora no céu estais gozando o prêmio do vosso amor verdadeiro a Deus, de fidelidade e proteção constante à Santa Eucaristia. Abençoai nossas famílias e os devotos, que buscam em Ti o amor e a coragem de lutar por Jesus Cristo. Quero, neste dia, seguir sua bravura, sentindo em meu coração a Santa Eucaristia, seguindo a Jesus Cristo, amando e respeitando o serviço de sua Igreja, o Magistério de nossa Fé. Livrai-me da maldade e de tudo o que pode me separar de Deus, do próximo e da salvação eterna. Concedei-me a graça que desejo alcançar. Amém. São Tarcísio, escultura de Alexandre Falguière criada em 1868, pertencente ao acervo do Museu d'Orsay

16 | Formação para Coroinhas | Vocação-Doação-Missão


Os 10 Mandamentos do Coroinha Formar em Cristo

Edes Andrade Pereira | 17

Formação Para Coroinhas - Aprenda a ser um(a) excelente coroinha  

"Seu compromisso com o altar não é apenas um dever, mas uma grande honra, um autêntico serviço santo" Papa João Paulo II, em agosto de 2001...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you