Page 1

Caro assinante: Está a pagamento a assinatura deste Jornal. Regularize a sua situação e continue a recebe-lo em sua casa.

Fundado em 1891 por João Arruda - Director: João Paulo Narciso

CORREIODORIBATEJO.COM

ANO: CXXII NÚMERO: 6406

SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014 PUB

Tiago Vieira Cruz

Santarém

CENFIM assinala ‘30 anos na via do futuro’

Estrada da estação encerrada ao trânsito nos próximos três meses SOCIEDADE PÁG. 06

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS PÁG. 17

Padre Joaquim Ganhão, responsável pela Comissão Diocesana para os Bens Culturais da Igreja

Sé de Santarém “pioneira” da Rota das Catedrais PATRIMÓNIO PÁG 04 E 05

Tasquinhas

Religião

Património

Petiscos e diversão à mesa em Rio Maior a partir de hoje

Procissão do Senhor dos Passos cumpre tradição em Pernes

Cortes, o poder de Santarém

Estrada Nacional 3 - Km 41,2 Portela das Padeiras - 2000-646 Santarém Tel.: 243 356 000 - Fax: 243 352 113 geral@pneusol.pt

Bernardo de Figueiredo na Galeria de Notáveis do Correio do Ribatejo PÁG 02 E 03

Jorge Justino vence eleições no Instituto Politécnico de Santarém PÁG 08

Nuno Serra vence Isaura Morais na corrida para a Distrital Laranja PÁG 07

Advogado de Santarém importa conceito da BlaBlaCar para Portugal PÁG 15

Edição de 6ª -feira - Preço: € 0.70 - Semanário Regional T. 243 321 116 / 910 719 513 Redacção: Rua Serpa Pinto Nº 98 2000-046 SANTARÉM Aponte o seu smartphone e instale já

Rio Maior EMPRESAS E EMPRESÁRIOS PÁG 16

28Marçoa6Abril Entradas Gratuitas de 2ª a 5ª feira ORGANIZAÇÃO

escola de hotelaria e turismo do oeste

RIO MAIOR

JUNTOS PELO MELHOR E MAIS BARATO

a aplicação

CULTURA PÁG 09

CULTURA PÁG 10

Correio do Ribatejo para iOS e Android

PUB


2

GALERIA DE NOTÁVEIS

Opinião Francisco Morgado miradourocr@gmail.com

Miradouro de S. Bento

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Convite público para amanhã, sábado, às 16h00, na sede deste Jornal

Jornalista Bernardo de Figueiredo na Galeria de Notáveis do Correio do Ribatejo nagem que Santarém quis prestar a Bernardo Figueiredo. A sua memória está gravada nos nossos corações mas é bom saber que também vai ficar gravada na memória de Santarém”, disse, na altura, Maria Elisa Figueiredo Duarte, viúva do jornalista. A decisão de atribuir o nome de José Bernardo de Figueiredo Duarte - recordado como um homem de “carácter extraordinário” - à artéria que liga a rua Engenheiro António José Souto Barreiros Mota à rua Pedro Cid, no campo da antiga Feira do Ribatejo, foi deliberada por unanimidade, a 27 de Julho de 2012.

Os factos, a notícia e os comentários Estes são os factos: Segundo o Inquérito às Condições de Vida e Rendimento do Instituto Nacional de Estatística (INE), feito em 2013 com base nos rendimentos de 2012, a população portuguesa que vivia em situação de privação material severa passou de 8,6 % em 2012 para 10,9 % no ano passado. Considera-se privação material severa quando um agregado não tem acesso a pelo menos quatro de uma lista de nove itens relacionados com necessidades económicas e bens duráveis. No mesmo período, 25,5 % (21,8 % em 2012) dos portugueses vivia em privação material, ou seja, sem condições financeiras para responder a três das nove necessidades da lista. Destes, 59,8 % não tinha capacidade para pagar uma semana de férias por ano fora de casa, 43,2 % não conseguiam assegurar o pagamento imediato de uma despesa inesperada próxima de 400 euros e 28,0 % não conseguia manter a casa adequadamente aquecida. Esta é a notícia: A presidente do conselho de Finanças Públicas, Teodora Cardoso, deixou aos deputados do PSD a receita para cobrar impostos na pós-troika. Taxar os levantamentos que são feitos nas contas bancárias, onde são depositados os salários e as pensões. Teodora Cardoso explicou depois aos jornalistas que a vantagem da solução apresentada reside no facto de assim haver um incentivo à poupança, enquanto actualmente o imposto desincentiva o rendimento. Estes são os comentários: Cada vez me convenço mais que os ilustres pensadores deste país, onde se inclue naturalmente a veneranda economista, não vive no mundo real, no mundo onde estão estas percentagens, que ferem a dignidade humana e que eles não querem ver. E digo isto porque me recuso a pensar que a Senhora não tenha o devido cuidado com a medicação e que se engane nas doses. Ou então, que tenha ficado entusiasmada com o recente anúncio da vinda dos Rolling Stones ao Rock in Rio de Lisboa, tendo começado desde já a fumar uns charros, em nome dos saudosos belos tempos da sua juventude e para estar em forma na noite do múmico concerto. Nas redes sociais anda uma história animada, onde se vê o ministro Mota Soares a perguntar a uma vetusta senhora como valora a sua pensão de 1 a 10, sendo que 1 é mau e 10 excelente. A resposta vem num piedoso sorriso: - Olhe menino! Até 10 é excelente. O problema é de 11 a 30! Abriguem-se amigos, pois voltou o frio a esta tímida primavera, que tem já hora de Verão a partir de amanhã.

Biografia

O Correio do Ribatejo procede ao descerramento do retrato do seu anterior Director, José Bernardo de Figueiredo Duarte, na Galeria de Notáveis deste Jornal, na sua sede, na Rua Serpa Pinto, em Santarém, amanhã, sábado, dia 29, pelas 16h00. A sessão contará com a presença dos familiares e amigos do homenageado e as intervenções de Teresa Figueiredo, filha, e de Martinho Vicente Rodrigues, amigo da família e colaborador de longa data desta publicação. José Bernardo de Figueiredo Duarte foi Director deste Jornal entre os anos de 1989 e 2001. O retrato do Jornalista é o terceiro a fazer parte da Galeria de Notáveis do Correio do Ribatejo, depois dos descerramentos dos retratos de Celestino Graça, em Janeiro e do Professor Joaquim Veríssimo Serrão, em Fevereiro. No ciclo de homenagens que, mensalmente, este Jornal irá promover, até ao final do ano, seguir-se-ão, a 12 de Abril, no âmbito das comemorações do 123.º Aniversário do Correio do Ribatejo que se cumpre a 9 de Abril, os descerramentos dos retratos de João Arruda, fundador deste Jornal e de sua esposa, Custódia Júlia

Cravador e de Virgílio Arruda e esposa, Gertrudes Lino Netto.

Bernardo de Figueiredo é nome de rua há um ano

O jornalista escalabitano Bernardo de Figueiredo, anterior Director do Correio do Ribatejo, deu nome a uma rua situada no Campo Emílio Infante da Câmara, junto à Casa do Campino, em Santarém, há cerca de um ano, a 16 de Março de 2013, numa homenagem que, além de autarcas do concelho, juntou amigos e familiares do homenageado, entre eles, a viúva, Maria Elisa Conceição Vicente de Figueiredo Duarte, os três filhos e os sete netos do jornalista, falecido em 2001. Tanto o presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, como o da então designada Junta de Freguesia de Marvila, Carlos Marçal, salientaram a “justa” homenagem a um homem que “levou o nome da região de Santarém para lá das suas fronteiras”. “Foi uma referência para o concelho de Santarém e o seu nome dado a uma rua da cidade é uma forma de perpetuar a sua memória”, afirmou Carlos Marçal. “É com emoção que acolhemos a home-

José Bernardo de Figueiredo Duarte nasceu na Ribeira de Santarém a 24 de Março de 1928, e aí concluiu os seus primeiros estudos. Aos 11 anos mudou-se para casa do avô materno, na freguesia de Marvila, a fim de frequentar o Liceu de Santarém. A proximidade ao avô permite-lhe o primeiro contacto com as lides jornalísticas. Aos 16 anos escreve o primeiro artigo no Diário de Notícias, tornando-se correspondente desse Jornal durante quatro décadas, seguindo assim os passos de seu avô. Com uma vida dedicada ao jornalismo também colaborou nos jornais Diário Popular, durante meio século, Primeiro de Janeiro, Jornal do Comércio, Noticias de Portugal e Vida Rural. Após a Revolução dos Cravos manteve-se como correspondente de Santarém da Agência Lusa. Na imprensa regional trabalhou no Jornal do Ribatejo, Diário do Ribatejo, como chefe de redacção e no Correio do Ribatejo, como director, entre 1989 e 2001. Neste último semanário deixou vasta e diversificada obra escrita velando sempre pelos interesses da sua região. Durante cerca de vinte anos desempenhou funções de assessor de imprensa do Inatel. Na rádio colaborou em vários programas e noticiários da Rádio Renascença, Rádio Ribatejo e Rádio Pernes. Ao longo de várias décadas foi membro da organização da Volta a Portugal em Bicicleta. Na Feira do Ribatejo dirigia o Gabinete de Imprensa, tendo em 10 de Junho de 1970 recebido do Diário de Notícias a Medalha de Ouro pelos relevantes serviços jornalísticos prestados ao certame. Ao longo da sua vida manteve uma constante actividade associativa ao exercer funções de secretário-geral no Sport Club Scalabitano “Os Leões”, na União Desportiva de Santarém, no Atlético Clube, na Sociedade de Numismática e na Associação de Jornalistas. Simultaneamente, pertenceu à Irmandade do Santíssimo Milagre e da Misericórdia. Tornou-se Cavaleiro da Ordem dos Templários. De entre as muitas comunicações e palestras que proferiu destacam-se as relativas ao centenário da morte do rei D. Luís (1989) e a Batalha de Almoster (1992) onde combateu um seu antepassado. O seu curto percurso político levou-o a concorrer pelo partido Popular Monárquico nas eleições legislativas de 1975. No entanto, apenas desempenhou funções políticas enquanto deputado da Assembleia Municipal de Santarém, como independente. Bernardo de Figueiredo faleceu em Palma de Maiorca, a 24 de Junho de 2001, quando se encontrava em gozo de férias com a sua esposa Maria Elisa Conceição Vicente de Figueiredo Duarte, deixando o jornalismo mais pobre. Detentor de diversas homenagens, entre as quais a atribuição do nome a uma rua escalabitana, deliberação unânime da Câmara Municipal de Santarém de 27 de Julho de 2012, Bernardo de Figueiredo é justamente recordado pelo Jornal que dirigiu, enriquecendo a Galeria de Notáveis.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

GALERIA DE NOTÁVEIS

3

Recordar um Amigo No Correio do Ribatejo, de 29 de Junho de 2001, escrevi um texto que intitulei “A morte de um amigo”. Não foi fácil escreve-lo poucos dias depois de saber do falecimento de Bernardo de Figueiredo e mais difícil se tornou saber corresponder ao desafio constante de lhe suceder na direcção deste Jornal. Conheci-o no Correio do Ribatejo e aprendi muito com as histórias que me contava, sobretudo as que tinham como cenário Santarém, cidade que conhecia como a palma da sua mão. Era um homem culto, que apreciava uma boa conversa e valorizava as amizades. Na paixão pela Ribeira de Santarém, terra berço, e pelo Tejo que lhe corria nas veias, conheceu o poder da escrita na pena de seu avô, logo aos 16 anos de idade. A partir daí, seguiram-se décadas de verdadeira

entrega ao jornalismo. Cruzamo-nos em 1993, numa altura em que a saúde já lhe pedia dias mais calmos, depois de ter desempenhado, durante longos anos, com distinção, o papel de “soberano nas palavras escritas”, doze dos quais (entre 1989 e 2001) dedicados a servir o Correio do Ribatejo, com uma forte e bem vincada personalidade que o tempo não maculou. Conhecida ficou a sua constante participação na vida associativa e a defesa da causa monárquica a que nunca renunciou. Alvo de diversas homenagens e distinções, a Cidade conferiu-lhe, há um ano, uma rua com o seu nome, no antigo Campo de uma Feira que tanto ajudou a divulgar. Um reconhecimento, merecido, pelo ser humano que foi. Bondoso, cordial, mas de convicções profundas e desmedida frontalidade que se cruzavam no temperamento com

uma acentuada teimosia dentro do espírito “antes quebrar do que torcer” que o caracterizava, na altura de dar uns valentes murros na mesa, sempre que necessário. Assisti a alguns desses momentos que não eram mais do que pôr-se em linha com a coerência e a sua consciência. Quando cheguei ao Correio do Ribatejo, em Abril de 1993, o lugar que me destinaram era mesmo à sua frente. Olhos nos olhos. Neles sempre li uma profunda preocupação com as injustiças desta vida. Mas vi também o riso de uma criança nas horas mais felizes, particularmente, quando me falava da família, da qual se orgulhava de forma incomensurável. Os olhos brilhavam quando se referia aos netos e como via neles a sua própria rebeldia, nos tempos de estudante. Muito aprendi com Bernardo de Figueiredo, sobretudo, a sua forma

de amar a terra e como a debatia, pedra a pedra, sempre com elevado espírito crítico. Era um homem de peito aberto ao Mundo. Uma figura notável que serviu este jornal de forma digna, numa altura nada fácil, de transição de poderes de gerência desta casa para os tipógrafos a quem Virgílio Arruda cedeu a publicação. É, pois, com enorme gosto que amanhã, sábado, Bernardo de Figueiredo passará a marcar presença contínua nas paredes centenárias deste Jornal, através do retrato que descerraremos na nossa Galeria de Notáveis. Ele bem o merece, assim como a sua maravilhosa família, por intensos 73 anos de uma vida dedicada à comunidade que procurou servir, fazendo valer o seu estatuto de cidadão sempre presente, do qual nunca abdicou. João Paulo Narciso

Alguns dos artigos assinados por Bernardo de Figueiredo no Correio do Ribatejo entre 1989 e 1991 “Mas… Regionalizar é Imperioso”, 27/1/1989, pp. 1, 24. “Santarém e os Descobrimentos”, 3/2/1989, pp. 1, 24. “Apontamentos da Semana: o Trânsito em Santa Clara”, 17/2/1989, pp. 1, 26. “Apontamentos da Semana: Alcanede uma Antiga Vila Esquecida”, 17/2/1989, p. 26. “Deficientes Transportes Colectivos na Área Urbana em Santarém”, 24/2/1989, pp. 1, 2, 26. “Apontamentos da Semana: a Poluição – um Problema Grave”, 3/3/1989, p. 26. “O Centenário de António de Oliveira Marreca”, 17/3/1989, pp. 1, 28. “A Sociedade Recreativa Operária Perfaz Hoje 74 Anos”, 31/3/1989, p. 24. “Apontamentos da Semana: Convento de S. Francisco – Quando Acabam as

Obras de Restauro?”, 7/4/1989, p. 26. “Viver em Liberdade e Progresso”, 21/4/1989, pp. 1, 26. “Os Dois Importantes Actos Eleitorais e a nossa Linha de Rumo”, 10/5/1989, p. 28. “Apontamentos da Semana: Outra Vez o Trânsito na Calçada do Monte”, 30/6/1989, p. 26. “Eleições para o Parlamento Europeu em Pernes e Vaqueiros”, 30/6/1989, pp. 1, 26. “Apontamentos da Semana: a Quase Centenária Banda dos Bombeiros Necessita de Ajuda”, 22/9/1989, p. 24. “Primeiro Encontro de Jovens Agricultores do Ribatejo”, 24/11/1989, pp. 1, 28. “349 Anos Após a Restauração da Independência Nacional”, 30/11/1989, p. 1. “Santarém, Cidade há 121 Anos”, 21/12/1989, pp. 1, 32. “Património Scalabitano”, 3/1/1990, pp. 1, 22.

“Alcanede Quando Terá Ensinos Preparatório e Secundário”, 1/1/1990, p. 22. “O Centro de Coordenação de Protecção Civil”, 19/1/1990, pp. 1, 22. “Orquestra Típica Scalabitana”, 9/2/1990, pp. 1, 24. “Tempo de Quaresma, Tempo de Reflexão”, 2/3/1990, p. 26. “O 25 de Abril”, 20/4/1990, pp. 1, 30. “Confraternização dos Antigos Alunos do Liceu Sá da Bandeira”, 25/5/1990, pp. 1, 28. “A Primeira Mostra de Vinhos da Região de Almeirim”, 1/6/1990, pp. 1, 28. “O Último Raio de Sol, Novo Livro de Poemas e Sonetas de Gaspar Bonacho”, 3/8/1990, p. 24. “João Arruda”, 16/11/1990, pp. 1, 30. “O Primeiro de Dezembro”, 30/11/1990, p. 32. “Santarém Cidade há 122 Anos”, 21/12/1990, pp. 1, 32.

“1991, Como Vai Ser?”, 28/12/1990, pp. 1, 28; 4/1/1991, p. 26. “A Guerra no Golfo”, 25/1/1991, p. 28. “O Carnaval aí Está?”, 8/2/1991, p. 1. “Tempo de Quaresma, Tempo de Reflexão”, 22/2/1991, p. 26. “Há 844 Anos, Santarém Terra Cristã”, 15/3/1991, pp. 1, 30. “O 25 de Abril”, 19/4/1991, pp. 1, 32. “O Aniversário do Dr. Virgílio Arruda”, 11/10/1991, pp. 1, 30. “João Arruda”, 15/11/1991, pp. 1, 30. “A Poluição no Rio Alviela, 6/12/1991, p. 28. “Comissão do Ambiente da Assembleia Municipal”, 13/12/1991, p. 28. “Os 123 Anos da Elevação de Santarém a Cidade”, 20/12/1991, pp. 1, 28.


4

PATRIMÓNIO

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Opinião Ilídio Tomás Lopes paradoxos.correio@gmail.com

Paradoxos

O Dia Nacional do Estudante

Assinalou-se na passada segunda-feira, o “Dia Nacional do Estudante”. Procura-se recordar, em cada ano, a recuada década de 60 do séc. XX, período em que o movimento estudantil agitou os poderes da época e contribuiu para o fim do obscurantismo dominante, no qual o conhecimento era um privilégio da sociedade pseudo “burguesa”. Quatro décadas depois, qual círculo ditatorial camuflado, ainda há quem, talvez por contas mal resolvidas com esse passado, continue a defender que o ensino em Portugal não deva ser para todos mas apenas para quem tiver a capacidade de o financiar. São essas mentes deformadas que afastam milhares de estudantes das nossas instituições de ensino, relegando para tempos futuros, o iniciar ou o retomar do direito que a nossa lei suprema lhes consagra. Em nome do desenvolvimento regional e da fixação de gerações, foi-se alargando, e bem, a rede de ensino superior. Com isso, muitos tiveram a derradeira oportunidade de calcorrear o caminho do conhecimento e assim contribuir para uma sociedade mais esclarecida e positiva. Hoje, talvez em nome de interesses puramente privados e pessoais, apregoa-se a necessidade da sua reorganização e redimensionamento, mecanismo que será certamente orientado pelo poder político e pelos lobbies que extravasarão a esfera da cidadania e do desenvolvimento regional. No Dia Nacional do Estudante, a academia tem o dever de refletir sobre as políticas de ensino que nos tentam impingir, muitas delas castradoras do espírito universal que a “Constituição da República Portuguesa” consagra. Em nome de objetivos europeístas e de controlo das dívidas soberanas, vão-se dizimando os sonhos daqueles que persistem, e resistem, em prosseguir. E porque não existem estudantes sem professores, e sem outros profissionais, talvez fizesse sentido analisar com espírito crítico, neste dia, as políticas de ensino que temos. Uma escola sem estudantes é como um local de culto sem fiéis. Pode conservar a sua energia própria mas com o tempo, transformar-se-á em simples sombras e em puras memórias. Ser estudante é alcançar o conhecimento. Alcançar o conhecimento é ter percorrido o caminho da transformação individual e, através da estruturação do pensamento, avistar sempre novas montanhas para escalar. O dia que se assinalou na passada segunda-feira talvez tenha passado despercebido à maioria dos estudantes. Talvez a academia esteja alheada da sua própria conduta. Talvez já tenhamos sido afetados pelo vírus da descrença e do desnorte. Ou talvez, estejamos todos à espera que ressuscitem todos aqueles que, na primavera de outras décadas, quiseram e conseguiram, colocar um fim aos longos anos do adormecimento.

Sé de Santarém é “pioneira” da Rota das Catedrais Quem passa pelo Largo do Seminário, em Santarém, não fica indiferente à imponência da frontaria da Sé que se ergue, sobranceira, no topo da escadaria. Uma fachada que, nas palavras de Joaquim Ganhão, responsável pela Comissão Diocesana para os Bens Culturais da Igreja, “atrai o olhar e que, de alguma maneira nos edifica”. Esta igreja, de traça do arquitecto régio Mateus do Couto (tio), não foi construída para ser Catedral mas foi, curiosamente, pioneira do projecto ‘Rota das Catedrais’, e a primeira a concluir a sua requalificação, um projecto que implicou um investimento na ordem dos 2,5 milhões de euros e a participação de seis empresas especializadas em conservação e restauro de património. Esta rota é um projecto nacional resultante de um acordo celebrado entre o Minis-

tério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa, que visa a valorização de 25 catedrais do país, com a finalidade última de oferecer uma proposta cultural capaz de estreitar os laços entre os monumentos e a população. Localizada na principal praça da cidade e erguida sobre as ruínas do Paço Real, em 1609, por ordem de D. João IV, a Sé de Santarém é uma igreja antiga, mas também uma das mais jovens catedrais do País. Esta jóia do barroco português primeiro foi Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Colégio dos Jesuítas e depois do Seminário, antes de receber a designação de Sé, pelo Papa Paulo VI a 16 de Julho de 1975 no âmbito do processo de reestruturação do território do Patriarcado de Lisboa, aquando da criação da Diocese de Santarém, com a Bula “Apostolicae Sedis Consuetudinem”.

“Vai chegando a hora da cidade se reconciliar com os nomes actuais das coisas”, adverte Joaquim Ganhão. “Era bom que actualizássemos o ficheiro da linguagem para devolvermos o nome de Catedral a esta Igreja”, reforçou ao Correio do Ribatejo durante uma visita guiada à ‘renovada’ Sé. As obras de requalificação, que foram alvo de uma pré-inauguração em Dezembro último, pretenderam “devolver e envolver a comunidade” na valorização do património religioso e foram uma forma de “promover a estima colectiva e o cuidado partilhado face a um património profundamente identitário, plural e multifacetado”, afirmou o responsável. Salientando que a Diocese decidiu avançar com o projecto porque houve um “diálogo frutuoso” com as diferentes entidades


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

PATRIMÓNIO

5

da cidade, onde a Câmara Municipal foi um parceiro privilegiado, o responsável afirmou que a principal preocupação foi a de escolher as empresas que se apresentavam como as melhores e davam mais garantias “de que o trabalho ficaria bem feito”. Segundo transmitiu, os edifícios sagrados têm servido, ao longo dos séculos, de “espaço de acolhimento sem fronteiras nem distinção de pessoas” e, por isso, este não foi um projecto que visasse apenas a recuperação do património per si, mas sim a colocação destes espaços emblemáticos da vida da Igreja e também da cultura do país à fruição de todos. “A Rota das Catedrais está muito para além das obras materiais e visa isso sim, toda uma dinamização cultural destes edifícios. E, nesse sentido, houve a oportunidade da criação de estruturas que possam colocar ao serviço da população aquilo que é um bem da Igreja e que se destina eminentemente à evangelização”, declarou Joaquim Ganhão. “Hoje anuncia-se o evangelho não apenas nas celebrações litúrgicas mas também manifestando e colocando à fruição de todos o património e o legado que recebemos, e o que vamos produzindo no nosso tempo”, afirmou.

Núcleo Museológico da Sé em instalação

O projecto, que aposta na valorização cultural através de intervenções de restauro e conservação, inclui ainda a criação de um núcleo museológico e de um centro de documentação, um espaço destinado a acolher quem visita a cidade. O futuro Núcleo Museológico da Sé será constituído por peças que se encontram espalhadas por diversas paróquias da Diocese. “Já se pensava fazer aqui um museu diocesano há alguns anos, mas os montantes envolvidos eram de tal ordem que era impossível avançar”, recordou, salientando que a Rota das Catedrais veio dar um “impulso decisivo” na materialização desta intensão. “Não vamos fazer um museu para ser uma realidade morta, para guardar apenas memórias do passado. Vai ser um espaço vivo, de anúncio, de interacção de toda a gente com a mensagem cristã”, concretizou o responsável. “A catedral não vai passar a ser um museu. Vai continuar a ser um espaço de culto, a ‘Alma Mater’ da diocese, mas pela beleza e património que tem, é digna desta requalificação para atrair a si a gente deste tempo, mesmo os não crentes”, ressalvou ao Correio do Ribatejo. “Pensamos que é um serviço importante que prestamos às pessoas de hoje e à cultura contemporânea. A igreja guarda uma

Padre Joaquim Ganhão

memória e guardá-la-á melhor na medida em que a colocar à luz para todos”, disse Joaquim Ganhão. “Temos vindo a descobrir, identificar e sinalizar peças de grande valor, quer patrimonial, quer artístico, que poderão vir a integrar o museu”, referiu. Segundo contou ao nosso jornal, as intervenções na Sé possibilitaram também a descoberta de alguns objectos arqueológicos que serão posteriormente musealizados. “Intervencionar uma casa destas no sítio que é, que foi construída em cima de um Paço Real, uma Alcáçova, no centro histórico de Santarém, de facto trouxe algumas surpresas, todas elas agradáveis”, aludiu Joaquim Ganhão. “A arqueóloga da Direcção-geral do Património Cultural, Ana Vale, foi desvendando os interiores do subsolo e ajudounos a respeitar todo o material arqueológico encontrado, desde espaços de muralha até a alguns materiais que serão expostos no museu”, contou. “Todos nós ficámos maravilhados com o resultado da intervenção da fachada, que foi o primeiro choque simpático desta obra para a cidade. Depois, a grande surpresa

que foi, sobretudo para nós, verificar que as obras de pintura que foram restauradas - obras de culto católico – que estavam sem possibilidade de leitura, foram trazidas novamente à luz. Foi uma surpresa de gerar comoção”, revelou.

Aposta no Turismo Religioso

Na opinião de Joaquim Ganhão, Santarém tem “todas as condições” de atractividade para ser uma cidade de charneira no Turismo Religioso. “Santarém tem condições óptimas para criar aqui uma âncora a esse nível. Mas, ao mesmo tempo, precisa de ter alguns processos de conversão ou descoberta dos caminhos certos para conseguir isso”, afirmou ao Correio do Ribatejo. “A nível nacional, o eixo à volta do qual circula toda a questão do Turismo Religioso é, sem dúvida, o projecto da Rota das Catedrais, que tem uma capacidade de captação de públicos muito grande”, referiu. Por outro lado, diz Joaquim Ganhão, Santarém possui um polo de extrema importância, que é o Santuário do Santíssimo Milagre, “mas que precisa de alguma reconversão, a vários níveis”.

“Não podemos ter apenas uma igreja aberta. É preciso uma dinamização pastoral, que está por fazer no Santuário do Milagre há vários anos”, afirmou. “Parece-me que é urgente repensar todo o posicionamento deste local numa óptica interdisciplinar. E gostaríamos de o fazer à volta do projecto da Rota, englobando outros aspectos, como as memórias franciscana e agostiniana da cidade”, elencou. Segundo disse, a cidade tem todo um potencial de memória que está esquecido. “Santarém tem um santo, São Frei Gil de Santarém, que é praticamente desconhecido e cujas relíquias estão na Sé”, exemplificou. Por isso, e na sua perspectiva, devem envolver-se todos estes aspectos e dinamizar este potencial, que, em última análise se poderia tornar um motor de desenvolvimento concelhio. “Precisamos de viver menos dispersos e sermos capazes de ultrapassar um certo sectarismo que se verifica até porque há novos desafios pela frente e temos de encarar o futuro com novas abordagens e uma certa ousadia”, concluiu Joaquim Ganhão. Filipe Mendes

UNIÃO DE FREGUESIAS DE SANTARÉM (MARVILA) SANTA IRIA DA RIBEIRA DE SANTARÉM SANTARÉM (SÃO SALVADOR) E SANTARÉM (SÃO NICOLAU) Rua 1º de Dezembro nº 13 – R/C – 2000-096 Santarém – Telf. 243321531/2 Fax243333530

EDITAL

PROJETO DE REGULAMENTO DE LIQUIDAÇÃO E COBRANÇA DAS TAXAS E LICENÇAS E RESPETIVA TABELA

CARLOS ANTÓNIO MARÇAL, Presidente da União de Freguesias de Santarém (Marvila), Santa Iria da Ribeira de Santarém, Santarém (São Salvador) e Santarém (São Nicolau): Faz público que por deliberação do Executivo da União tomada na sua reunião ordinária de 24 de fevereiro de 2014 e aprovado pelo Órgão Deliberativo na sua reunião de 05 de março, se encontra para apreciação pública o “projeto de Regulamento de liquidação e cobrança das taxas e licenças e respetiva tabela” até ao dia 07 de abril de 2014. De acordo com o n.º 2 do referido artigo 118.º do código do procedimento administrativo, convidam -se todos os interessados a remeter por escrito, a esta União de Freguesias, eventuais sugestões e ou reclamações dentro do período atrás mencionado, dirigidas ao Presidente da União de Freguesias da Cidade de Santarém, Rua 1º Dezembro nº 13 r/c 2000-096 Santarém ou pelo mail geral@uf-cidadesantarém.pt. Para constar e devidos efeitos se publica este aviso e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos do costume. 06 de março de 2014 O Presidente da União Carlos António Marçal


6

SOCIEDADE

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Estrada da Estação encerra ao trânsito O executivo da Câmara Municipal de Santarém decidiu, esta segunda-feira, proceder ao corte da circulação automóvel entre a Rotunda do Parisal (em Vale de Estacas) e a Passagem de Nível da CP, no âmbito da remodelação da EN 3-5 – Eixo Estruturante Estrada da Estação, já no final do mês. Esta opção é justificada com a necessidade de garantir a segurança dos automobilistas durante a obra, que deverá terminar a 30 de Junho, mas não convenceu três dos quatro vereadores socialistas que votaram contra a proposta. O vereador Ricardo Segurado (PS) alertou para os enormes transtornos que os automobilistas vão sofrer ao longo destes três meses, que terão de passar a utilizar a Estada Nacional 114 para acederem à estação da CP e pediu que a autarquia encontrasse, junto da empresa “uma alternativa” a este corte rodoviário. A preocupação foi partilhada pelo vereador francisco Madeira Lopes (CDU) que decidiu abster-se na votação deste ponto de-

pois de ouvir os esclarecimentos do técnico responsável pela obra. Segundo este responsável, no mês de Abril aquela via vai ter seis frentes de obra, da responsabilidade da EDP e Águas de Santarém, com abertura simultânea de valas e gaviões no eixo da via, situação que poderia perigar quer automobilistas quer funcionários das empresas que executam a obra. “Verifica-se naquela via que muitos automobilistas passam ali em excesso de velocidade e essa situação não se coaduna com as obras que têm de ser executadas no local”, fez notar o engenheiro Frazão. Com a opção do encerramento da via, garantiu o responsável, “ganha-se segurança e rendimento na execução do trabalho”. Desta forma, será apenas permitido o acesso aos moradores, empresas sedeadas no local e a quatro horários de transporte público da Rodoviária do Tejo. Como alternativa, os automobilistas poderão utilizar a Estada Nacional 114 ou outras vias que vão estar devidamente assinaladas.

Loja do Cidadão de Santarém abre “em breve” O ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, anunciou que o Governo já tem o financiamento para equipar e formar profissionais para 300 Espaços do Cidadão ainda este ano e indicou que “está previsto a abertura em breve das novas Lojas do Cidadão de Santarém e de Rio Maior”, segundo o novo modelo destes equipamentos, que prevê uma lógica de contratualização com os municípios. Esta informação foi confirmada pelo presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, na reunião do executivo de segunda-feira. Os novos Espaços do Cidadão visam reforçar a lógica de proximidade, com o conceito de balcão único e a simplificação no atendimento. Estes equipamentos procuram suprir os problemas identificados no atendimento, maximizando o uso do digital através de uma nova lógica com custos muito mais baixos, maior disseminação no território, mais pontos de atendimento e com processos mais simples.

Cinco detidos em operações da PSP no distrito

Cinco pessoas foram detidas e uma viatura foi apreendida durante operações realizadas entre domingo e segunda-feira pela PSP no distrito de Santarém, durante as quais foram fiscalizadas 359 viaturas e feitos 159 testes de verificação de alcoolemia. Em comunicado, a PSP informou

que, em Santarém, foi detido um homem de 48 anos por ter recusado efectuar o teste de alcoolemia, outro, de 19 anos, por conduzir com excesso de álcool no sangue, condução perigosa e coacção, e um terceiro, de 28 anos, sobre o qual pendia um mandado de condução e detenção

Achados arqueológicos ao abandono A vereadora socialista, Idália Serrão, denunciou esta segunda-feira, na reunião pública da autarquia, a existência de vários achados arqueológicos ao abandono nas traseiras da Igreja de Santa Clara, em Santarém. Os artefactos serão, alegadamente, provenientes da recente empreitada de requalificação da Rua 31 de Janeiro e foram depositados “na barreira” das traseiras de Santa Clara. “Verifica-se que naquele estaleiro, espalhado barreira abaixo há de tudo: canos de PVC, entulho, alcatrão misturados com capitéis romanos, uma mó e várias outras peças”, disse Idália Serrão. Segundo disse, algumas dessas peças “estão catalogadas” e são “verdadeiros tesouros da cidade”, pedindo explicações ao executivo sobre o facto destes artefactos se encontrarem “misturados com entulho”.

Dirigindo-se a Ricardo Gonçalves, Idália Serrão disse que este é um exemplo de como o presidente da autarquia “não cuida de Santarém”. Na resposta, o autarca assegurou que aqueles objectos não são provenientes das obras da responsabilidade da câmara naquela via, sendo que “apenas uma pequena parte” do entulho aí existente foi depositado pelo concessionário contratado e se destina a britagem. “Não foi catalogada pelos técnicos da autarquia que acompanharam a obra qualquer peça”, assegurou Ricardo Gonçalves. Idália Serrão retorquiu, dizendo que mesmo que a câmara não tenha procedido à identificação de qualquer peça é responsável por aquele património. “É um desleixo deixar a saque peças de um valor incalculável para a cidade”, afirmou a vereadora.

para cumprimento de pena de prisão no estabelecimento prisional das Caldas da Rainha. Em Abrantes, foi detido um condutor por revelar excesso de álcool no sangue e no Cartaxo um homem de 64 anos por não possuir habilitação legal para conduzir.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Opinião António Filipe Deputado do PCP eleito por Santarém

Correio do Parlamento

Um país sem pessoas? Num debate recente, o líder parlamentar do PSD sintetizou involuntariamente uma das mais graves acusações que se pode fazer ao Governo: “o país está melhor mas os portugueses estão pior”. A intenção de Luís Montenegro seria elogiar o Governo, ao dizer que o país está melhor. Porém, incapaz de ocultar as profundas consequências nefastas da política do Governo no dia a dia da esmagadora maioria dos portugueses, sentiu-se obrigado a conceder que “os portugueses estão pior”. Esta frase é muito reveladora do pensamento do PSD e do seu Governo sobre o país. O Governo quer atingir determinados objetivos macroeconómicos impostos pela troika e pelos grandes interesses económicos e financeiros, e a isso se resume o país. As consequências devastadoras dessa política para a maioria dos portugueses não conta para nada. O Governo e o PSD só pensam nos “mercados financeiros”. Os portugueses não contam. Desde que os banqueiros e os detentores dos grandes interesses económicos tenham as suas reivindicações satisfeitas, aumentem as suas margens de lucro e possam especular à vontade com a dívida soberana portuguesa, para o PSD (e para o CDS) o país está melhor. Agora, que a maioria dos portugueses vejam os seus rendimentos reduzidos por cortes brutais de salários e pensões, que centenas de milhares de portugueses sejam lançados na miséria, que sejam destruídas centenas de milhares de postos de trabalho, que os jovens tenham de emigrar ou sejam expulsos do sistema de ensino por falta de condições económicas, isso não interessa ao PSD. As consequências comprovadas das chamadas políticas de austeridade, que mais não são que políticas de concentração da riqueza e de aumento da exploração, revelam que os ricos estão cada vez mais ricos e que os pobres são cada vez mais pobres. Para o PSD e o CDS o país está melhor se os ricos estiverem melhor. Os mais pobres, os trabalhadores, os reformados, os desempregados, os jovens, esses não contam. Estão pior, mas isso não tira o sono aos governantes e a quem os apoia.

Nuno Serra vence eleições para a Distrital do PSD

O deputado Nuno Serra venceu, sábado, as eleições para a presidência da distrital de Santarém do PSD, derrotando Isaura Morais que se recandidatava ao cargo. Nuno Serra conquistou 840 votos, contra os 663 de Isaura Morais, tendo sido expressiva a vitória nas concelhias com mais militantes social-democratas, como foi o caso de Santarém, onde obteve 265 votos contra 155, de Ourém (155 contra 119) e de Tomar (96 contra 21), tendo Isaura Morais vencido por esmagadora maioria na sua concelhia, Rio Maior (92 contra 4). Para Nuno Serra, esta vitória foi “demonstrativa de que os militantes querem mudança, uma nova ambição, algo diferente. Nem melhor, nem pior, diferente”. O novo presidente da distrital de Santarém do PSD assume a responsabilidade de “unir todos” os militantes: “Os números não interessam. Agora temos que estar todos juntos e vamos fazer o que nos comprometemos”. Nuno Serra disse que a sua primeira medida será juntar os cinco presidentes de câmara social-democratas do distrito (Santarém, Rio Maior, Ferreira do Zêzere, Mação e Sardoal) para começar a “trabalhar afincadamente no objectivo de ganhar mais câmaras”. Por outro lado, quer cumprir o compromisso de abrir a distrital à sociedade civil, disse. Isaura Morais assim que soube o resultado da votação ligou a dar os parabéns a Nuno Serra, assegurando que “ontem será igual a amanhã” e que manterá a mesma disponibilidade e empenho que demonstrou até aqui. No seu programa político, Nuno Serra considera que o Distrito de Santarém e o PSD Distrital, “têm um contributo a dar para o futuro de Portugal, é um desígnio à altura do qual devemos querer estar com propostas, soluções e com capacidade para defender o distrito no futuro pós-troika em Portugal.” “Ao PSD de Santarém caberá agregar vontades e esforços, para que a força do nosso Partido, das nossas Secções, seja canalizada para os nossos concidadãos e o alento e suporte, no e do Distrito, para um Portugal com Futuro. Temos o privilégio da centralidade e da diversidade que nos enriquece e que potencia dinâmicas que só um PSD forte e coeso, com ambição, conseguirá mobilizar”, afirmou. A estratégia política desta candidatura defendia que “os nossos 21 Concelhos, na sua diversidade, têm de se olhar entre si com a vontade clara de melhorar, de trocar sinergias,” criando uma “verdadeira de rede de partilha de ideias e boas práticas que possam ser desenvolvidas por todos e em conjunto, minimizando custos e aumentando a sua eficácia.”

SOCIEDADE

7


8

EDUCAÇÃO

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Jorge Justino vence eleições no Politécnico O presidente do Instituto Politécnico de Santarém (IPS), Jorge Justino, foi reconduzido no cargo esta terça-feira, 25 de Março. Nestas eleições, Jorge Justino obteve 12 votos, contra oito obtidos por Alexandre Caldas. Houve ainda uma abstenção. Uma vez que Jorge Justino obteve a maioria dos 21 votantes que compõem o Conselho Geral da instituição, não haverá lugar a uma segunda volta. Jorge Justino foi reeleito para o mandato de 2014 a 2018 e vai manter a sua actual equipa: como vice-presidentes os professores Teresa Serrano e Hélder Pereira e o pró-presidente para o Sistema de Garantia de Qualidade, José Amendoeira, que é também o responsável pela coordenação do estudo de reorganização do ensino superior no IPS. O presidente reeleito do IPS, que inicialmente ocupou o cargo entre 1996 e 2006 e voltou depois a funções em 2010, fará agora um novo mandato de quatro anos à frente daquela instituição de ensino superior. O presidente do IPS venceu estas eleições internas com a moção intitulada “No trilho da qualidade de um Politécnico ao serviço das gerações actuais e futuras, empenhado na qualificação de alto nível do cidadão”. E, para o futuro, Jorge Justino defende “uma estratégia em termos de sustentabili-

dade e valorização do instituto”. “O Instituto Politécnico de Santarém deve ser uma referência no país e no estrangeiro, de forma a competir com os seus pares e ser considerado como um parceiro de eleição, com mérito reconhecido”, afirma. Neste contexto, diz, “a Presidência do Instituto deve manter uma acção determinante e eficaz, em termos de gestão e de racionalização de recursos humanos e de equipamento. A nossa instituição deve primar pela qualidade e excelência e cooperar com outras instituições de igual nível, de forma a escolher a melhor opção na reorganização da rede do Ensino Superior”, afirma. Aos 65 anos, o presidente reeleito do IPS entra assim no seu 15.º ano não consecutivo à frente da instituição, a que junta mais quatro anos como presidente da Escola Superior Agrária de Santarém e cinco anos (entre 1999 e 2004) como vice-presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos. Professor Coordenador Principal da Escola Superior Agrária de Santarém, Mestre e Doutor em Engenharia Química pelo Instituto Superior Técnico – Universidade Técnica de Lisboa, com Agregação em Química Alimentar pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Jorge Justino foi Vice-Presidente do Conselho

Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), Director da Escola Superior Agrária de Santarém e membro do CCISP. É ainda membro de várias redes na Europa, nomeadamente do Tratado de Windsor, da Prion Chemical Biology Network (PCBNet) e da Euroglycoforum, financiada pela European Science Foundation. Representa o Instituto Politécnico de Santarém na European Innovation Partnership on Active and Healthy Ageing, que integra metas propostas para a estratégia 2020 da Europa. É autor de vários artigos e investigador em diversos projectos científicos e detém várias patentes na sua área de investigação que se prende com química alimentar, valorização de recursos naturais e qualidade de vida, alimentos funcionais, actividades biológicas e estudos de toxicidade.. Fundado pelo historiador Joaquim Veríssimo Serrão, natural de Santarém, em 1980, o IPS integra actualmente a Escola Superior Agrária, a Escola Superior de Educação, a Escola Superior de Gestão e Tecnologia, a Escola Superior de Saúde, bem como a Escola Superior de Desporto de Rio Maior. No total, ministram mais de 30 cursos frequentados por cerca de quatro mil alunos.

IPS marca presença na Futurália O Instituto Politécnico de Santarém marca presença na 7ª edição da Futurália, o maior salão nacional dedicado à educação, formação e empregabilidade, que se realiza na FIL, Parque das Nações, até sábado, 29 de Março. A Futurália tenta apresentar a mais completa oferta nacional e internacional nas áreas da educação, formação, requalificação e empregabilidade, direccionada a jovens estudantes, recém-licenciados e profissionais no activo. Este salão apresenta um vasto conjunto de iniciativas orientadas para os diferentes públicos da fei-

ra: “professores e formadores, jovens estudantes do ensino secundário, jovens estudantes do ensino superior e licenciados”, refere a organização, recordando que no ano passado, esta feira recebeu mais de 54 mil visitantes e contou com a participação de 430 instituições e empresas nacionais e internacionais ligadas ao ensino e formação. A Futurália pretende assim criar um espaço de partilha de informação e debate, promovendo o interface entre o mundo académico e empresarial, a educação formal e não formal.

Escola Secundária Sá da Bandeira promove projecto científico a nível internacional A Escola Secundária Sá da Bandeira promove neste ano lectivo de 2013/2014, um Projecto pioneiro intitulado “O Universo, um mundo por descobrir – raios cósmicos de energia extrema”, sendo a única escola do país a desenvolver esta temática a nível internacional. Este projecto pretende promover a cultura científica e a educação para a ciência e tecnologia, através de uma intervenção colaborativa com outras escolas a nível internacional, e por isso o projecto é realizado em parceria com escolas de Espanha, Uruguai e México. Para além deste trabalho colaborativo, onde os profissionais da educação tomam parte activa, sendo responsáveis por este projecto os professores de Física e Química e uma professora de Matemática, foi estabelecida uma parceria com uma instituição ligada à investigação científica e à tecnologia, o Laboratório de Instrumentação e Física de Partículas

(LIP) permitindo, assim, realizar um trabalho que permita aos alunos obter uma visão alargada e abrangente da investigação científica e o contacto directo com cientistas. Os alunos envolvidos neste projecto são do Curso de Ciências e Tecnologias, do 12.ºE e desenvolvem o seu trabalho no Clube de Ciência desta Escola. Existe ainda um contacto direto com dados reais fornecidos pelo Observatório de Astronomia Pierre Auger, situado na Argentina. Para além da vertente científica importa salientar a promoção da cidadania, pois existe um contacto directo entre os alunos das escolas parceiras, utilizando uma plataforma online aberta a toda a comunidade, ou seja, através das novas tecnologias e está previsto em Junho um encontro presencial num dos países participantes, informa a Escola secundária Sá da Bandeira, em nota enviada ao Correio do Ribatejo.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

CULTURA

9

Procissão do Senhor dos Passos cumpre tradição secular em Pernes Esta Procissão anual, numa organização conjunta da Paróquia de Nossa Senhora da Purificação e da Santa Casa da Misericórdia, que remonta a meados do século XVII e se tem mantido através dos tempos, é uma das principais festas do património histórico-cultural da Freguesia de Pernes. A tradição continua a ser o que era, pelo menos no que se refere à procissão dos Passos realizada domingo, dia 23 de Março, em Pernes, concelho de Santarém. Foram centenas os “filhos da terra” que regressaram neste fim-de-semana para visitar familiares e assistir a este solene momento religioso que se realiza há 390 anos. Centenas de fiéis incorporaram-se no acto religioso, que percorreu o habitual trajecto entre a Igreja Matriz, localizada no alto da vila, e a Igreja da Misericórdia, localizada no largo do Rossio. A Procissão do Senhor Jesus dos Passos tem tradições seculares, cujo início, conforme reza a história, remonta ao ano de 1624 e que faz parte do imaginário colectivo das gentes da região e é uma referência da identidade cultural e do património da freguesia de Pernes. Já antes, no sábado à noite, tinha acontecido a Procissão dos Penitentes, com a imagem do Senhor dos Passos recolhida, a sair da Igreja da Misericórdia para a Igreja Matriz. No domingo, deu-se então a saída da Procissão da Senhora das Dores, da Igreja da Misericórdia para a Igreja Matriz, onde as duas imagens se encontram, com a celebração da missa, seguindo-se a grande Procissão dos Passos, que percorre as principais ruas da vila, engalanadas e cobertas de alecrim. Em Pernes, o dia é de festa e de reencontro, uma vez que a vila recebe muitos visitantes de toda a região e os naturais que regressam à terra para cumprir a tradição. Manuel João Frazão, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Pernes (SCMP) não tem dúvidas que “o sentimento que brota destes actos religiosos de alegria e gratidão que a todos toca, vem do esforço e dedicação que a Santa Casa coloca em tudo o que faz”. “Cuidar com bondade é o nosso lema. No fundo, é fazer aos outros tudo aquilo que gostaríamos que nos fizessem a nós”, disse o responsável no final da cerimónia, dirigindo-se às centenas de fiéis que assistiram a este acto religioso. “Cada vez mais compreendo que somos chamados a concretizar as obras de Misericórdia, cuidando e zelando, quer a obra seja física ou espiritual, para que permaneça sempre no tempo porque nós, homens, estamos apenas de passagem”, afirmou. “Quase ao fim de quatro séculos, permanece viva a herança que recebemos dos nossos antepassados. Estou consciente que sem a dedicação e entrega de todos os envolvidos na organização e a participação da comunidade e instituições, não teríamos conseguido dar continuidade a esta tradição que tanto honra e prestigia a nossa vila”, afirmou Manuel João Frazão. Ao Correio do Ribatejo, o padre Ricardo Pinto, pároco de Pernes, reforçou que esta Procissão dos Passos “é o concretizar de uma herança que recebemos dos nossos antepassados e à qual temos a missão de dar continuidade”. Segundo explicou, este acto religioso “tem uma dimensão muito concreta”, que é a de aparecer no meio do tempo da Quaresma “que nos ajuda a preparar a Páscoa, com este olhar numa imagem muito expressiva que nos faz meditar neste momento em que Jesus carrega a Cruz a caminho do Calvário”.

Segundo disse, esta cerimónia é importante porque “projecta a dimensão do sofrimento, da dor e da angústia que as pessoas hoje sentem nas suas próprias vidas e que, naquele olhar cansado e doloroso de Cristo, acabam por se identificar”. “Creio que, mais ou menos crentes, todas as pessoas acabam por ficar sensíveis e tocadas pela imagem, pela procissão, e por toda a envolvência que ela tem”, referiu o padre Ricardo Pinto. “A cruz simboliza todas as adversidades da nossa vida, mas há que levá-la com esperança, sentir que não somos abatidos por ela, mas que dela vem a esperança, o ânimo e a força para a podermos carregar e sabermos, sobretudo, que a cruz não tem a última palavra”, continuou. “Depois dela [Cruz] vem a vida e a vitória e a certeza da presença cuidadosa e atenta de Deus que nos ampara e nos conduz”, concluiu. Organizada pela Confraria do Divino Espírito Santo, que esteve na génese da Santa Casa de Pernes, esta procissão precisa de125 pessoas para que todos os elementos que a compõem estejam assegurados. “Numa terra pequena, como é Pernes, que tem vindo a perder a sua população, conseguir motivar e envolver as pessoas para que se sintam parte de um corpo maior tem sido um trabalho de muito esforço mas, ao mesmo tempo, muito gratificante”, disse ao Correio do Ribatejo Manuel João Frazão. “Se há momentos durante o ano em que as obras materiais são solicitadas com maior frequência, nomeadamente a alimentação e o apoio aos mais carenciados, há outros momentos, como a Quadra Pascal, em que somos chamados, por via da missão Cristã que temos, a cuidar do espírito”, afirmou. “Sentimos a veneração e o sentimento que a comunidade tem ao Senhor dos Passos de Pernes e isso dá-nos força para perpetuar esta tradição”, referiu o provedor da SCMP. “Continuamos a promover, dinamizar, envolver, motivar e, acima de tudo, unir toda a comunidade e também as próprias instituições, porque este evento é, com toda a certeza, um dos momentos altos de Pernes e uma das datas em que os filhos

da terra regressam a casa”, disse ao nosso jornal.

Sustentabilidade é o maior desafio

Para o futuro, o provedor elege como grande desafio desta Santa Casa a sustentabilidade. “Com as contínuas solicitações que nos chegam, temos que ter um redobrado cuidado na gestão. Por outro lado, temos de fazer um esforço contínuo na formação dos recursos humanos, que demonstram grande profissionalismo e vontade para desempenharem no dia-a-dia o nosso lema que é ‘Cuidar com Bondade’”, asseverou Manuel João Frazão. “Somos muito rigorosos na selecção de colaboradores e, felizmente, todos os que temos partilham deste princípio. Gostam do que fazem e gostam de cuidar dos nossos utentes”, afirmou o provedor. “Os nossos utentes devem ter a melhor qualidade de vida possível no último terço da sua vida”, defendeu, apontando que, em Pernes, a longevidade dos utentes é “bem visível”. “Temos várias pessoas que já ultrapassaram os 100 anos e isso obriga-nos a esta

prática permanente que é a do cuidar com bondade”, concretizou. Em termos de projectos, a SCMP tem o objectivo de promover a requalificação de um quarteirão inteiro de casas, situado nas imediações do Lar e Provedoria, de forma a colmatar um conjunto de constrangimentos que a instituição sente. Essas habitações servirão para ampliar o lar e para a instalação de gabinetes de fisioterapia, refeitório, uma sala polivalente e uma outra com equipamentos de comunicação VOIP - conversação pela internet. “Cada vez mais, o conjunto de pessoas que acolhemos está orientado no tempo e espaço e, assim, poderão contactar com a família sem custos, em qualquer parte do mundo”, justificou Manuel João Frazão. Neste momento, a SCMP está na fase de preparação de candidaturas com o apoio do Gabinete de Projectos da União das Misericórdias Portuguesas e de outras instituições parceiras. Em paralelo, a Santa Casa está também a dinamizar espaços fora da instituição, os centros de convívio sénior, para que a população idosa possa ter, no seu dia-a-dia, um convívio permanente. Filipe Mendes


CULTURA

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Direitos Reservados

10

Cortes, o poder de Santarém A Empresa Municipal Viver Santarém organiza de hoje a domingo, no centro histórico de Santarém, a iniciativa ‘O Poder de Santarém – As Cortes’, no âmbito do Dia Nacional dos Centros Históricos que hoje se assinala (28 de Março) e proporcionar ao público visitante e residente um fim-de-semana diferente através da apresentação de uma peça teatral, cujo tema se centra nas Cortes realizadas nesta cidade, uma ceia medieval, visitas guiadas, sessões de esclarecimento, feira de artesanato

e mercado de sabores, entre outras animações previstas para o centro histórico da cidade. Hoje, sexta-feira, entre as 21h00 e as 24h00, terá lugar uma Feira de Artesanato e um Mercado de Sabores, no Convento de S. Francisco. Antes, pelas 20h00, dá-se a concentração dos participantes no desfile histórico pelas ruas da cidade, com concentração nas Portas do Sol. O desfile, com inicio pelas 21h00, inclui apontamentos teatrais na Praça

Conferência no Dia Nacional dos Centros Históricos “Honrando os Mestres, cumprem-se as Cidades – Páginas de Santarém e da Numária Medieval na Obra do Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão” é o tema da conferência que será proferida

Visconde Serra do Pilar e na Praça Marquês Sá da Bandeira. Já no Convento de S. Francisco, pelas 22h00, dar-se-á nova representação e a degustação de um pampilho gigante. Amanhã, sábado, entre as 10h00 e as 24h00, prossegue a Feira de Artesanato e o Mercado de Sabores no Convento de S. Francisco. A tarde é dedicada a visitas guiadas e ao render da guarda ao túmulo de Pedro Álvares Cabral, na igreja da Graça, pelas 15h30.

Uma hora depois, no Palácio Landal, palestra “O Poder das Cortes”, com a historiadora Maria Amélia Campos e Raimundo Noras e à noite, pelas 20h00, ceia medieval e animação no Convento. Domingo, dia 30, regressa o Mercado de sabores, a Feira de Artesanato, as visitas guiadas, bem como o render da guarda ao túmulo de Pedro Álvares Cabral, pelas 15h30. Pelas 16h30, “O Poder dos Doces e dos Vinhos” que inclui degustação no Convento de S. Francisco.

Encontro de poetas em Santarém

por José Miguel Correia Noras, com apresentação a cargo de Manuel Eça de Queiroz Cabral, hoje, sexta-feira, dia 28, às 21h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Santarém.

Opinião Everilde Pires

Porta do Sol

Literatura no feminino Apesar de se comemorar o dia da Mulher em cada 8 de Março, apesar das inúmeras iniciativas em sua homenagem, um pouco por todo o país, apesar dos movimentos já existentes que têm como objectivo relembrar a igualdade de género, direitos e oportunidades nesta sociedade desigual e arbitrária, apesar... apesar de tudo, é sabido que, em várias áreas do conhecimento, as Mulheres são esquecidas, preteridas e arrumadas como objetos inúteis em qualquer prateleira, senão mesmo votadas ao esquecimento… E vem isto à colação porque tendo Santarém homenageado as duas distintas professoras que todos prezamos e a Comissão de Igualdade de Género do SPGL ter dedicado essa semana ao tema “Literatura no feminino”, ocorreu-me, ausente por força das circunstâncias, escrever sobre IRENE LISBOA - (1892-1968), autora de poemas, contos, crónicas, desde a sua primeira publicação, em 1926. Deveras admirada e aplaudida pelos críticos do seu tempo, como José G. Ferreira, José Régio, (também poetas)

João Gaspar Simões ou Casais Monteiro, a sua escrita é tida como insubmissa às correntes da época, mas antes encarada como a pesquisa dum género novo, pessoal, único e inovador. De acordo com Paula Morão, os seus textos transfiguram uma vida já ficional, dizem aquilo que foi e já não é, porque a lembrança se impõe como uma fantasia... na certeza reiterada dos fluídos entre o “ser” e “ter sido”. (1) O seu auto-retrato fornece-nos elementos imprescindíveis para compreender a dimensão interior do seu Eu, os seus dilemas, a sua Solidão (que todos devíamos ler). Compreendê-la ou pelo menos tentar, é uma tarefa que se impõe, é mais uma porta que se abre para o mundo feminino que continua envolto em nebulosa, sem uma réstia de sol. Continuaremos pois, se interessar aos leitores, a falar de uma Mulher ímpar, ainda que esquecida, da nossa Literatura. (1)Morão Paula, Irene Lisboa, vida e escrita, Editorial Presença. Lx.1989.

Dezassete poetas locais reuniram-se, sábado, dia 22, em Santarém, naquele que foi o IV Encontro realizado em Santarém e integrado nas comemorações do Dia Mundial da Poesia. No encontro realizado na Sala de Leitura Bernardo Santareno, participaram poetas com idades compreendidas entre os 17 e os 92 anos, entre os quais, Arlete Piedade Louro, Beatriz Correia, Deolinda da Costa Saraiva, Eduardo Augusto de Vasconcelos de Nazareth Barbosa, Emília Marcelino Leitão, Fernando Morgado Fernandes, Filomena Custódio, Francisco Ramos, Joaquim Ernesto da Fonseca, Joaquim Vale Cruz, Jorge Eduardo Coutinho Lopes, Lídia Frade, Maria Assunção Vieira, Maria da Conceição Martins de Matos, Maria Judite Ferreira Leitão, Pedro Gon e Rui Meneses. Carlos Oliveira declamou três poemas de outros tantos poetas - Mário Rui Silvestre, Miguel Raimundo e Samuel Pimenta. Na iniciativa, onde os poemas tiveram

como tema “Abril Liberdade” por ocasião dos 40 Anos do 25 de Abril de 1974, marcou presença a vereadora Inês Barroso que realçou a participação da poetisa Beatriz Correia, de 17 anos de idade, “a mais nova das nossas poetisas neste encontro e destacar Eduardo Nazareth Barbosa que com as suas 92 primaveras fez questão de estar presente e participar”, notou a vereadora. Também presente na sessão, o vereador António Melão destacou o número de participantes sinal, em seu entender de que “a poesia está viva” e se recomenda, competindo à autarquia fazer perdurá-la no tempo e transmiti-la “de geração em geração para que a poesia continue sempre viva”. O IV Encontro de Poetas Locais teve a participação especial do Coro Infantil do Círculo Cultural Scalabitano dirigido pelo maestro António Matias, que interpretou cinco temas.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

CULTURA

11

Santarém aplaude 68 anos de êxitos da sua Orquestra Típica O Salão da Casa do Campino foi pequeno para acolher o concerto comemorativo do 68.º aniversário da Orquestra Típica Scalabitana que contou com a participação especial do tenor Carlos Guilherme. O espectáculo constituiu um dos maiores êxitos dos últimos tempos desta Orquestra e para tal muito contribuiu a grandeza dos seus intérpretes - músicos e cantores. Estiveram presentes no espectáculo o presidente da Câmara Municipal de Santarém, Ricardo Gonçalves, o presidente da Assembleia Municipal, António Pinto Correia, os vereadores Inês Barroso e António Melão, o presidente do Conselho de Administração da Empresa Municipal Viver Santarém, António Valente e o presidente do Círculo Cultural Scalabitano, Eliseu Raimundo que garantiu ser “nestes momentos que nós sentimos que a família do Círculo Cultural Scalabitano é uma realidade, é algo que nos toca no fundo do coração”. Por sua vez, o presidente da Câmara de Santarém começou por dar os parabéns à Orquestra e elogiou a enorme qualidade e

dedicação da Orquestra a Santarém e à sua cultura. Dirigindo-se a Carlos Guilherme, Ricardo Gonçalves afirmou esperar que o tenor volte sempre a Santarém para que possa “proporcionar-nos espectáculos como este”. No final o muito público presente, encantado com o alto momento cultural a que acabara de assistir, cantou os parabéns aos 68 anos da Orquestra Típica Scalabitana que, por sua vez, partilhou o bolo de aniversário com todos os presentes.

Desfile Etnográfico nas Festas de S. José

As Festas de São José incluíram no passado sábado, dia 22, um desfile etnográfico, com a participação de 16 Ranchos Folclóricos do Concelho de Santarém, pelas ruas do centro histórico da cidade. Pelas 11h30, os Ranchos Folclóricos desfilaram da Rua Capelo Ivens e da Rua Serpa Pinto em direcção à Casa do Campino, acompanhados pelo executivo municipal.

Memórias da Cidade hoje à noite no Centro Cultural ‘Santarém – Ontem e Hoje’ é o tema de conversa em Memórias da Cidade, hoje, sexta-feira, às 21h30, no Fórum Actor Mário Viegas do Centro Cultural Regional de Santarém. As conversas estarão a cargo de Ludgero Mendes e incluem a projecção comentada de fotografias de José Freitas em

jeito de “conversa informal para troca de lembranças.” Dia 30, domingo, às 16h00, no Fórum Actor Mário Viegas, assinala-se o 2.º Aniversário do Núcleo de Santarém da AJA - Associação José Afonso, seguido de convívio.

Domingo há Teatro para Crianças no Círculo Cultural Scalabitano Branquinho, Pantufa e Cabeça de Abóbora e de Nabo, os palhaços do Veto Teatro Oficina vão estar no palco do Círculo Cultural Scalabitano, este domingo, 20 de Março, às 16h00, para mais uma tarde de aventuras. O Branquinho, como sempre todo mandão, vai tentar pôr tudo nos eixos, mas ninguém acredita que os três amigos, face à irreverência do Pantufa se deixem comandar e, como sempre, vai tudo terminar numa grande confusão. Mas se querem saber o que vai acontecer, o melhor é ir até ao Círculo ver este espectáculo do Veto com a duração de 60 minutos.

Música clássica Aurélio Lopes no Espaço C dá conferência na Escola Superior de Educação Ana Carina Sousa (flauta) e Maurício Gomes (guitarra) vão nos levar a viajar por sonoridades latino-americanas, com especial enfoque no Tango, amanhã, sábado, no Espaço C do Círculo Cultural Scalabitano. O espectáculo de música clássica está marcado para as 21h30.

O antropólogo Aurélio Lopes irá proferir uma conferência, dia 3 de Abril, às 15h00, no auditório da Escola Superior de Educação de Santarém, subordinada ao tema “Mouras encantadas; lendas e matrizes”. A iniciativa insere-se na homenagem, a ser aí prestada, à saudosa Mariana Viegas.

Opinião Aurélio Lopes aurelio.rosa.lopes@sapo.pt

Esfinge

Fazer festas à cidade Realizaram-se mais umas “Festas da cidade”. As tais que teimam em não querer ser festas do concelho. Teimam nominalmente e, principalmente, teimam em não o ser, orgânica e territorialmente. Sem um móbil religioso minimamente eficaz, as ditas limitam-se a um amontoado de atividades ditas profanas (embora, natural e obviamente dignas) feitas coincidir com atividades religiosas mais ou menos regulares, sem qualquer conexão operativa devocional. Tem sido assim há décadas. E continua a ser pela incapacidade e comodismo de quem de direito, em proceder às reformas necessárias e suficientes. Que tornassem, as mesmas, um foco de atração turística, religiosa e/ou cultural. E, concomitantemente, um fator de coesão do tecido social do concelho. Algo que um município pouco coeso como Santarém, pouco solidário com a componente rural e pouco eficaz na atração de visitantes (após a passagem do Feira da Agricultura para o CNEMA, a natural decadência das feiras do Milagre e da Piedade, o esvaziamento devocional da Romaria da Senhora da Saúde e a opção autista do Festival de Gastronomia), precisa como de pão para a boca. Se não quisermos continuar a desaparecer do contexto turístico cultural português, como tem vindo a acontecer. Reformas que equacionassem novas hipóteses devocionais (esta está mais que esgotada*), novas temporalidades e a criação de condições para uma participação alargada (ativa e passiva) da população do concelho. De todo o concelho. E, principalmente, que implementasse a noção de que estas festividades po-

deriam ou deveriam ser bem mais que um repetido tempo anual em que uma panóplia de ações descontextualizadas e algumas degeneradas vão, obrigatoriamente, subsistindo por força das inércias institucionais. Algo que, nos dias que correm, talvez fosse mais correto chamar “Feiras da Cidade”. Naturalmente, não tenho nada contra feiras. Mas, convenhamos, que as supostas “Festas” do concelho (ditas, supostamente por egolatria, “da Cidade”) de um município supostamente relevante como Santarém, deveria ser bem mais que um suposto certame de venda de divertimentos, guloseimas e artesanato. Ah! E uma vez mais, uma sessão de vulgaridades televisas. Rampa promocional de tudo o que é bicho careta do espetáculo popularucho: como usa dizer-se, da Rádio, TV, Disco e da cassete pirata. E nem sequer a falta de dinheiro (que mais que uma fatalidade causal é, não o esqueçamos, um efeito perverso do anterior desregramento de tesouraria) pode, afinal, servir de desculpa. Pois o que se necessita é, essencialmente, de empreendorismo, visão esclarecida e espírito de iniciativa. E, principalmente, vontade de pôr Santarém no mapa. No mapa do concelho, antes de tudo; Depois no mapa festivo nacional. Aquilo que Moita Flores tanto prometeu! E apenas deu origem às tais efémeras transmissões e participações mediáticas, de ignotos (mas com certeza não insignificantes), custos. *Afinal, São José, consequência também da vertiginosa ascensão de Maria, torna-se, cada vez mais, um personagem menor do panteão cristão.


12

MEMÓRIA

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Opinião Mª Fernanda Barata

Correio Centenário

Baú de Recordações

São José

Freguesia de Penhascoso Esta localidade pertence ao concelho de Mação, o mais distante da sede do distrito. O seu primeiro nome, Panascoso, mudou para Penhascoso por decreto publicado em 10 de Abril de 1941. Segundo reza a tradição, a sua fundação remonta aos primeiros séculos da Nacionalidade Portuguesa. A Freguesia de Penhascoso, primeiramente, pertenceu ao concelho de Abrantes mas, pelo decreto de 21 de Novembro de 1895 passou para o Sardoal, onde se conservou pouco mais de dois anos. Seguidamente, foi integrado no concelho de Mação, pelo decreto de 31 de Janeiro de 1898, onde hoje permanece. A Freguesia de Mação abrange os seguintes lugares:- Espinheiro, Monte Penedo, Ribeira de Boas Eiras, Casal da Barba Pouca, Serra e ainda outro lugar de que não tenho o nome. Nestas áreas existem as quintas das Bareiras e do Cadoiço, as maiores da Freguesia. Em 27 de Abril de 1758 a paróquia de Penhascoso pertencia ao Bispado da Guarda, de cuja sede distava vinte e oito léguas, passando depois para a Diocese Portalegre – Castelo Branco. Também em 27 de Abril de 1758, a Freguesia de Penhascoso tinha como donatária a Duquesa Camareira-Mor, assim como todo o termo da então Vila de Abrantes. A Igreja Matriz, com duas irmandades, teria sido construída em data anterior ao século XVIII, tendo por orago Nossa Senhora do Pranto. O cura da paróquia era apresentado pelo Prior da Santa Maria do Castelo e recebia anualmente, vinte e três mil réis em dinheiro, além do pé de altar. Além da Igreja, existiam (ainda existem?) três ermidas em honra do Divino Espirito Santo, Santo António e S. Bartolomeu. A Freguesia de Penhascoso tinha dois juízes de vintena, sujeitos á Justiça de Abrantes. As águas das ribeiras de Penhascoso e de Aboboreira, afluentes do rio Tejo, fertilizam os terrenos, que são muito produtivos. Devo registar que este artigo só foi possível pelos dados que tenho, deixados por meu Pai, Professor Albertino Henriques Barata, que escreveu sobre quase todas as localidades do Distrito de Santarém, cujas crónicas foram publicadas no prestigiado Jornal “Correio do Ribatejo”. Um cumprimento ao Leitor

in Correio da Extremadura de 28 de Março de 1914

A nossa carteira

Fazem Anos 28 de Março Palmira Zeferino Martins Maria Adelaide Perdigão dos Santos Victorino Gaspar de Carvalho Maria Emília Aranha de Sousa Máximo Diamantino da Silva António Manuel Godinho Menezes e Vale Fernando Manuel Andrade José Casimiro de Sá e Seixas Francisco Barbosa Luís Filipe Martins Antunes Andrade Walter António Carreira Mendes Alfredo João Madeira

Opinião Fátima Vasques

André Filipe dos Santos Guerra Pedro Madalena Frazão Matos Saraiva 29 de Março Maria da Graça Leitão de Morais Rui Manuel Isidoro D. Fontes Manuel Palhavã de Almeida Marecos Duarte Manuel Luís Nunes Pinto Gonçalves Nogueira Anabela Maria Jerónima Carreira Manhoso Mário Carreira Mendes Edgar Martins Nobre Sara Carolina Coito Reis Madeira Maria Sofia Coito Reis Madeira 30 de Março Maria Henriques Duarte Belmira Duarte Epifânio Maria Madalena Baptista Tainha Cons-

tantino Natália Chora Narciso 31 de Março Regina Braz Dias de Morais Maria Luísa Teixeira Dinis Rebelo da Silva Albertina de Jesus Ramos Lima Joaquim Filipe Rodrigues Lisboa José Caniço Fernandes Nuno Manuel Quintério Batista Maria de Fátima de Serra Neves Barata Ribeiro da Fonseca Marta Fontes Aviz e Costa 1 de Abril João Manuel Mascarenhas Leote Guimarães Nobre Carlos Câncio Fragoso Fernanda da Conceição Catranelo Arminda Maria Vieira Caniço Aline dos Santos Januário

José é nome de santo; o santo da cidade de Santarém, que lhe dá o sagrado e o profano, nas festas de S. José, no antigo Campo da Feira. No andor, acolhe os homens e os pais, protegendo os filhos. A urbe dá descanso aos que aqui vivem e igualmente trabalham. A cidade reclama a si o planalto e o profano oferece música, artesanato, comes e bebes e carrósseis. Atualmente, as Festas exigem cabeças-de-cartaz e com isso acumulam o seu sucesso. Outrora, porém, tempos houve em que o Tejo fazia parte intrínseca destas festas e era a sua paisagem. Nas Ómnias, celebrava-se o dia, o santo, a cidade e as suas gentes ribeirinhas, que para lá se dirigiam comungando de alegria, passada a procissão e a ida à missa, com os cestos enfeitados, contendo o bom repasto, que fora cozinhado no lar. Ia-se de burro e a cavalo, em carroças e ainda a pé. Mais tarde, passou a ir-se de automóvel. A música ecoava, tocada pelos diferentes ranchos, havia bailarico e o convívio anual trazia consigo o que de melhor conquistara: lezíria e urbe reconheciam-se e em conjunto celebravam. De costas para o rio e os campos, já florescidos de frutos quase maduros mas ainda sustento de muitos, as papoilas rubras e os malmequeres amarelos salpicam o campo de cor e estão lá em baixo, sendo paisagem e imagem fotográfica, mas pouco mais. Serpenteando, o rio procura a foz, este ano engordado por chuvas rigorosas, que lhe trouxeram sustento, encobrindo os ilhéus de areia, que o desfeiam a maior parte do ano. Foi, então, o 19 de março o dia do patrono e o dia do Pai. Espero o advir, com desejo de abraçar o Tejo e para ele me virar.

2 de Abril Maria Helena Bonacho dos Anjos Maria da Conceição Antunes Maria Adelina Cardoso Maria Bernardina Manuel d’Andrade António Marques Fernandes Ana Maria Frazão dos Santos Gonçalves Marcelino Lopes 3 de Abril Maria Albertina d’Almeida Ferreira Neves Maria João Dias Duque Fragoso d’Almeida Maria Margarida Tribolet Bento Joaquim António Arsénio Maria de Jesus da Silva Januário Joana Isabel Sousa Lopes Maria do Rosário Caldas Frazão Matos


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

13

EMPRESAS&EMPRESÁRIOS

Restaurante “El Rocío” CENFIM serve, em Santarém, assinala comida Ibérica com “30 anos muito bom gosto na via do futuro” PÁG. 14

PÁG. 21

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS PÁG. 17

Tasquinhas

Empreendedorismo

Inauguração

Nersant

Petiscos e diversão à mesa de Rio Maior

Advogado de Santarém ‘apanha boleia’ na BlaBlaCar

ETAR do Biscainho serve populações dos concelhos de Coruche e Benavente

Empresas podem injectar capital nos seus negócios sem recurso à banca

O presidente da Águas do Ribatejo, Francisco Oliveira inaugurou na sextafeira, 21 de Março, a nova Estação de Tratamento de Águas Residuais do Biscainho/Foros da Charneca. A inauguração contou com mais de uma centena de pessoas entre populares e entidades representativas do sector da água e do saneamento como a Entidade Reguladora (ERSAR), Agência Portuguesa do Ambiente, CCDR e Quercus. PÁG. 15

No âmbito do projecto Coop Empresarial no Ribatejo, a NERSANT encontra-se a dinamizar no Ribatejo, sessões de apresentação sobre os mecanismos de financiamento a projecto de expansão e crescimento das empresas. Estas sessões têm como objectivo dar a conhecer algumas alternativas ao financiamento bancário tradicional. PÁG. 14

A 29.ª edição das Tasquinhas de Rio Maior começa hoje, sexta-feira e prolonga-se até 6 de Abril. Associações locais dão a conhecer o que de melhor se faz na área da gastronomia, pondo à mesa petiscos que anualmente vão conquistando milhares de apreciadores. PÁG. 16

Aos 30 anos, André Rodrigues Pereira, natural de Santarém, é o gestor em Portugal da BlaBlaCar, uma empresa que nasceu para oferecer uma alternativa aos meios habituais utilizados para fazer uma viagem ou uma deslocação. PÁG. 15


14

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

NERSANT alerta

Empresas podem injectar capital nos seus negócios sem recurso à banca No âmbito do projecto Coop Empresarial no Ribatejo, a NERSANT encontra-se a dinamizar no Ribatejo, sessões de apresentação sobre os mecanismos de financiamento a projecto de expansão e crescimento das empresas. Estas sessões têm como objectivo dar a conhecer algumas alternativas ao financiamento bancário tradicional. A última destas sessões decorreu em Torres Novas e teve como objectivo dar a conhecer algumas soluções alternativas ou complementares ao financiamento oferecido pelos bancos. Com este objectivo, a NERSANT começou assim por apresentar o seu projecto Coop Empresarial no Ribatejo, e que alerta as empresas para a cooperação e concentração entre empresas, como uma alternativa de injectar capital nas empresas. Rui Ferreira, parceira da NERSANT para a dinamização deste projecto, explicou na sessão às empresas presentes os desafios e oportunidades nas operações de concentração e cooperação, começando por referir que tipo de motivações podem as empresas ter para optarem por este caminho. Mediante reunião com a empresa, “o que tentamos fazer é identificar uma potencial tipologia de operação a ser montada: concentração, aquisição de capital, aliança estratégica, joint venture…. Não há uma solução standart que se possa aplicar a todas as empresas”, referiu Rui Ferreira. O Coop Empresarial no Ribatejo, foi divulgado na sessão, também desafia as

empresas a participarem numa Bolsa de Subcontratação de bens /serviços, com vista a optimizar meios técnicos que estejam a ser subutilizados pelas mesmas. Por outro lado, empresas que necessitem desses serviços poderão recorrer a esta bolsa minimizando assim a sua necessidade de realização de investimento. Outra das soluções de financiamento apresentadas pela NERSANT foi o recurso das empresas ao capital de risco. Por este motivo, a NERSANT convidou a Oxy Capital para que esta entidade pudesse apresentar os parâmetros de recurso ao capi-

tal de risco, bem como para apresentar o fundo Revitalizar Centro, de que é gestora, e que se direcciona exclusivamente às empresas do Médio Tejo. De referir que o Programa Revitalizar integra a disponibilização de soluções de financiamento de suporte a operações de capitalização de empresas, através da constituição de Fundos de Revitalização e de Expansão Empresarial de base regional. Os Fundos Revitalizar são instrumentos de capital de risco, criados com o objectivo de promover o crescimento e expansão das PME, contribuindo para o desenvol-

vimento de novos serviços e/ou produtos, processos de internacionalização e aumento de exportações. Destinam-se a capitalizar PME que apresentem modelos de negócio sustentáveis e que prossigam estratégias de crescimento e expansão. Para mais informações sobre os fundos Revitalizar ou operações de fusões e aquisições, os interessados devem contactar o Departamento de Apoio Técnico, Inovação e Competitividade da NERSANT, através dos contactos datic@nersant.pt ou 249 839 500.

Torres Novas

NERSANT vai abrir curso de renovação do CAP de Técnico de Higiene e Segurança no Trabalho A NERSANT - Associação Empresarial da Região de santarém, tem à disposição dos interessados diversas ofertas formativas na área de Segurança e Higiene no Trabalho. A próxima acção nesta área vai abrir em maio e tem como objectivo renovar o CAP de Técnico de Higiene e Segurança no Trabalho. Entre os dias 06 e 29 de maio, a NERSANT vai levar a efeito em horário pós laboral, em Torres Novas, o curso de renovação do Certificado de Aptidão Profissional de Técnico de Segurança e

Higiene no Trabalho. Trata-se de uma formação de 32 horas que visa a confirmação da manutenção das condições adequadas ao exercício da profissão, enquanto Técnico Superior de Segurança e Higiene do Trabalho ou Técnico de Segurança e Higiene do Trabalho. De acordo com a lei, para que sejam aceites neste curso, os candidatos devem reunir algumas condições, nomeadamente ter exercido a profissão por um período mínimo de 2 anos, durante o período de validade do CAP e ainda ter-

se actualizado nos domínios científico e técnico, através da frequência, durante o período de validade do CAP, de cursos de formação contínua de actualização adequados, com a duração total mínima de 30 horas. Considera-se formação relevante a obtida através da frequência de cursos de formação de actualização e da participação em seminários ou eventos similares que incidam sobre domínios técnicos no âmbito do sector de actividade em que o candidato exerce funções de Técnico Superior de HST ou de Téc-

nico de HST. Os interessados em obter mais informações, podem consultar o portal da associação, em www.nersant.pt, onde se poderão também inscrever. O Departamento de Formação e Qualificação da NERSANT está ao dispor para qualquer questão, através dos contactos 249 839 500 e dfq@nersant.pt. A formação terá um custo por participante, sendo que as empresas associadas da NERSANT beneficiam de desconto.

Em Rio Maior, 60 por cento dos lares separa os seus resíduos de embalagem A Missão Reciclar, a maior acção de sensibilização de lares da Sociedade Ponto Verde, percorreu o município de Rio Maior, onde foi conhecer os hábitos dos seus habitantes no que diz respeito à reciclagem de embalagens. De acordo com os resultados obtidos através de questionário realizado a 957 lares, 60% dos inquiridos faz a reciclagem de embalagens usadas. Durante a acção foram entregues, a quem não tinha o hábito de separação e também a quem já separava mas não tinha um ecoponto doméstico, 823 conjuntos de ecobags, constituídos por três sacos das cores dos ecopontos para separação selec-

tiva de embalagens. Quando questionados sobre a razão para a não separação doméstica do lixo produzido, os 40% de não separadores apontaram a falta de recipientes próprios para o efeito (19%), a noção do excessivo trabalho pessoal/familiar implicado (28%) e a distância ao ecoponto (20%). A Missão Reciclar tem como objectivo converter todos os que ainda não reciclam em separadores totais (que separam todos os tipos de embalagens) e clarificar as regras de reciclagem a todos os que reciclam. A acção decorre em parceria com os Municípios e os Sistemas Municipais e

pretende continuar a criar condições para que um número cada vez maior de portugueses cumpra a sua missão cívica de separar os seus resíduos de embalagem e de colocá-los no ecoponto correto, contribuindo para que estes sejam encaminhados para reciclagem. «As embalagens usadas nas nossas casas não são lixo. A grande maioria é feita de materiais recicláveis e, quando devidamente separadas e colocadas no ecoponto, podem ganhar novas utilizações e gerar valor. Por isso, a missão de reciclar deve ser de todos. Estamos muito satisfeitos com os resultados obtidos até agora nos

municípios visitados no âmbito desta ação e agradecidos aos munícipes pelo seu contributo para esta tão importante causa ambiental», salienta Luís Veiga Martins, Diretor-Geral da Sociedade Ponto Verde. No município de Rio Maior foram contactados 4.560 lares, dos quais 957 abriram as suas portas à equipa da Missão Reciclar. Em 2013, a Sociedade Ponto Verde encaminhou para reciclagem no total do País mais de 382 mil toneladas de resíduos de embalagem no âmbito do fluxo urbano, um crescimento de 7% em relação ao ano anterior.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

15

Advogado de Santarém ‘apanha boleia’ na BlaBlaCar Aos 30 anos, André Rodrigues Pereira, natural de Santarém, é o gestor em Portugal da BlaBlaCar, uma empresa que nasceu para oferecer uma alternativa aos meios habituais utilizados para fazer uma viagem ou uma deslocação. Cinco anos depois de o conceito ter surgido em França, este negócio de “ridesharing” – partilha de viagens e divisão de custos corre sobre rodas e já está em mais de uma dezena de países, empregando mais de uma centena de pessoas. A BlaBlaCar nasceu no Natal, quando o fundador Frédéric Mazzella, então um estudante em Stanford, queria chegar a casa para se juntar à sua família. Não tinha carro e os comboios iam cheios. As estradas também iam cheias, cheias de pessoas que viajavam, sozinhas, nos seus carros para se reunirem com as suas famílias. Ocorreu-lhe que que deveria tentar encontrar alguém que viajasse no mesmo sentido e com quem pudesse partilhar os custos da viagem em troca de um lugar. Hoje, a BlaBlaCar está em 12 países europeus – incluindo Reino Unido, Alemanha e Holanda e prepara-se para abrir escritório em Portugal, uma vez que esta área de negócio está em expansão. “Neste momento, e dado o contexto económico em Portugal, faz sentido trazer uma solução para os portugueses que lhes permita poupar nas suas viagens”, afirmou ao Correio do Ribatejo André Rodrigues Pereira. No fundo, a empresa gere uma plataforma on-line que junta condutores com lugares livres no carro a passageiros que viajam no mesmo sentido. “Se for de Lisboa para o Porto e tem três lugares disponíveis no carro, publica a viagem no site e anuncia que está a disponibilizar cada lugar livre por 10 euros, por exemplo”, explicita André Pereira. “O condutor poupa o dinheiro que rece-

André Rodrigues Pereira, natural de Santarém, Gestor em Portugal da BlaBlaCar

be dos passageiros enquanto que os passageiros, em vez de gastarem 24 euros num bilhete da CP, poupam também, com a conveniência acrescida que não têm de se deslocar, por exemplo, à estação”, concretiza. “Os passageiros têm assim uma forma de transporte alternativa, em média 75 por cento mais barata e encontram rotas que por vezes não são disponibilizadas por outros sistemas de transporte”, acrescenta. A BlaBlaCar é uma a rede de transportes alternativa, composta por particulares, que transporta mais de 700 mil passageiros por mês e tem mais de 1 milhão de membros em toda a Europa. “A BlaBlaCar já revolucionou a forma como milhões de europeus se transportam diariamente que é agora mais económica, mais social e mais ‘verde’”, diz André Pereira.

Segundo referiu, em Portugal há centenas de viagens publicadas diariamente no site e a tendência é para o crescimento. Em média, a empresa regista 400 novos utilizadores por dia, sendo que, neste momento já é possível viajar de Lisboa até Moscovo. Licenciado em Direito na Universidade Clássica, André Pereira começou a trabalhar numa start-up em Lisboa na área da edição de livros e suportes digitais e ‘apaixonou-se’ pela área da gestão. Tanto que decidiu continuar o seu percurso académico nessa área e prosseguir uma carreira internacional. Fez um MBA na Alemanha e foi aí que encontrou a BlaBlaCar. Está a trabalhar em Paris e antevê que em breve a empresa abrirá um escritório em Portugal. A trabalhar na BlaBlaCar desde Setembro

ETAR do Biscainho serve populações dos concelhos de Coruche e Benavente

O presidente da Águas do Ribatejo, Francisco Oliveira inaugurou na sexta-feira, 21 de Março, a nova Estação de Tratamento de Águas Residuais do Biscainho/ Foros da Charneca. A inauguração contou com mais de uma centena de pessoas entre populares e entidades representativas do sector da água e do saneamento como a Entidade Reguladora (ERSAR), Agência Portuguesa do Ambiente, CCDR e Quercus. A empreitada que incluiu a ETAR, quatro estações elevatórias e 12 km de condutas nas duas localidades custou cerca de 1,7 ME e tem a particularidade de servir populações dos municípios vizinhos de Coruche e Benavente. “Este carácter intermunicipal desta obra é um bom exemplo de que é possível fazer investimentos que sirvam melhor as populações, gastando menos dinheiro. Foros da Charneca e Biscainho vão ficar com um

sistema de qualidade preparado para os próximos 20 anos”, referiu o líder da empresa Águas do Ribatejo e Presidente da Câmara Municipal de Coruche, Francisco Oliveira. O vice-presidente da Câmara Municipal de Benavente, Domingos Santos e os presidentes das Juntas de Freguesia do Biscainho, Custódio Marques e Benavente, Inês Correia participaram no descerrar na placa que perpetua o momento da inauguração. “Esta é uma obra importante para a população de Foros da Charneca que já muito ansiava pela concretização deste objectivo”, realçou a autarca de Benavente enquanto o presidente anfitriã partilhava a felicidade dos seus fregueses. “Isto é muito bom para o Biscainho. Estamos muito felizes. Hoje é um dia de festa. Esperamos que as pessoas se liguem à rede de esgotos porque isto é muito importante para a fre-

guesia e para o futuro das pessoas”. A nova ETAR, “com uma construção simples e amiga do ambiente”, está integrada na antiga herdade do Biscainho, propriedade da família Ribeiro Teles. O tratamento de esgotos é baseado num sistema biológico de lamas activadas de baixa carga em arejamento prolongado. Com esta obra, o Município de Coruche atinge uma cobertura de tratamento de esgotos de cerca de 90% da população antecipando os objectivos traçados a nível nacional para 2020. “A Águas do Ribatejo já investiu 30 ME no concelho de Coruche. Este valor seria impensável se não tivesse sido criada esta empresa e com estas características”, realçou o Presidente da AR e do Município de Coruche. Francisco Oliveira frisou que a qualidade evidenciada nas linhas de água e no Rio Sorraia é o resultado dos investimentos e da mudança de comportamentos. “Agora que temos a ETAR e os sistemas, é preciso que as pessoas aproveitem para se ligar à rede de saneamento sem pagarem nada. As fossas vão acabar nos locais onde temos rede de tratamento de esgotos”, explicou o líder da empresa intermunicipal. “Isto é muito bom para o futuro dos meus filhos e netos. Os esgotos têm de ser tratados”, conclui Joaquim António, um dos idosos que participou na inauguração. Após a cerimónia, a população reuniuse no salão polivalente do Biscainho onde a Junta de Freguesia ofereceu um Ribatejo de Honra com folclore, petiscos tradicionais e sopa confeccionados por voluntários da terra. “Estes momentos têm de ser festejados. Apesar da crise, não podemos parar”, realçou o presidente da junta, Custódio Marques.

do ano passado, André Pereira diz-se um adepto desta forma de transporte e conta que, quando foi para a entrevista de emprego, utilizou a BlaBlaCa para ir da Alemanha até Paris. Para pedirem ou oferecerem “boleia”, os condutores e passageiros inscrevem-se no site e o condutor estabelece um preço para a viagem. Ainda assim, o valor pode sofrer alguns ajustes, embora não possa exceder o limite máximo estabelecido pela empresa. Há cerca de dois anos, esta start-up recebeu dez milhões de dólares (7,2 milhões de euros) da Accel Partners, um fundo de capital de risco sediado nos EUA, que apostou também no Facebook. No passado, a BlaBlaCar já tinha captado 2,5 milhões de dólares em financiamento.

Águas de Santarém celebra Dia Mundial da Água com contos para os mais jovens No âmbito das comemorações do Dia Mundial da Água, que decorreram no passado dia de 22 de Março, a empresa Águas de Santarém (AS) está a realizar no decorrer dos meses de Março e Abril, pequenas histórias em torno da temática da “Água”. “Sendo o saneamento básico um bem essencial e corrente na vida das populações do concelho, cabe à empresa Águas de Santarém como instância primária na prestação do serviço público de abastecimento de água e recolha de água residuais do concelho de Santarém, garantir não só a eficácia da proliferação e adesão aos sistemas de saneamento, como também a defesa dos valores de génese ambiental e social que estão em torno deste,” informa a empresa em nota enviada ao Correio do Ribatejo. Através do conto “Uma História de Amor” e da peça de teatro “A Água também se Lava”, a AS pretende instruir as crianças do concelho para uma correcta e eficiente utilização da água, e para o processo de tratamento e captação desta, através de acções de aprendizagem e partilha com as estruturas educativas do concelho e com o apoio das Juntas de Freguesia que se associam ao projecto.


16

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Petiscos e diversão à mesa de Rio Maior

A 29.ª edição das Tasquinhas de Rio Maior começa hoje, sexta-feira e prolonga-se até 6 de Abril. Associações locais dão a conhecer o que de melhor se faz na área da gastronomia, pondo à mesa petiscos que anualmente vão conquistando milhares de apreciadores. Animação musical, concertos e actuações de Dj’s são outros dos pratos fortes do certame. Para a presidente da Câmara de Rio Maior o evento “traz muitos visitantes a Rio Maior”, sendo a montra da gastronomia e tradições do concelho. Segundo Isaura Morais as Tasquinhas pretendem “evidenciar a gastronomia do concelho, através da representação das freguesias e do movimento associativo”. Segundo os organizadores, este acontecimento gastronómico é, sobretudo, uma festa comunitária, um espaço e um tempo de convívio que se apresenta como elemento de sedimentação das sociabilidades regionais e, simultaneamente, factor de desenvolvimento do potencial económico da região. Assim, à semelhança do ano anterior, a organização voltará a premiar as melhores tasquinhas que irão estar presentes neste Festival Gastronómico, num incentivo à tipicidade e à tradição das mesmas e reconhecendo o trabalho desenvolvido pelas colectividades. Promover a gastronomia e os produtos locais, divulgar as potencialidades turísticas de Rio Maior e potenciar a economia local são objectivos perseguidos e concretizados com êxito, ano após ano pela organização da “Feira das Tasquinhas” em que estão sintonizados quer o município quer as freguesias e as gentes e agentes locais. Irão estar presentes este ano 22 tasquinhas das colectividades do Concelho de

Rio Maior, e dois restaurantes da cidade, num total de 24 tasquinhas. No exterior do Pavilhão, estará situada a zona dos bares, o espaço de animação nocturna destinado aos mais jovens, com DJ’s todas as noites. Também no exterior estará patente a mostra de artesanato e doçaria com cerca de 50 expositores. Em termos de programa oficial, destaque para as demonstrações de culinária ao vivo com Igor Martinho; a tenda dedicada ao público jovem, com representações dos bares do Concelho, Dj’s e animação; a V Maratona de BTT “Castro S. Martinho/ Tasquinhas de Rio Maior”, no próximo domingo; as actividades de aeróbica na rua, em vários dias do evento, bem como o 9º Torneio de Golf “Tasquinhas 2014”, no dia 5 de Abril e também no dia 5, o 23º Grande Prémio Internacional de Rio Maior em Marcha Atlética. Haverá também todos os dias um espaço dedicado à saúde com vários rastreios e provas de vinhos. As Tasquinhas são promovidas pela autarquia riomaiorense desde 1986 e realizam-se, anualmente, no Pavilhão Multiusos, espaço coberto próprio, requalificado em 2001, com cerca de quinze mil metros quadrados. O certame obteve, em 2006, a “Declaração de Interesse para o Turismo”, emitida pela Direcção Geral de Turismo. A marca “Tasquinhas” é, já ela própria, uma marca registada. As Tasquinhas estão abertas ao público de segunda a sexta-feira das 19 às 24h, e aos fins-de-semana das 12 às 24h. Nos dias 31 de Março, 1, 2 e 3 de Abril as entradas são livres, e nos restantes dias o preço de ingresso é de 1,5 euros para o público em geral, e 1,25€ para estudantes e portadores de cartão RMJovem e cartão Rio Maior 65.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

17

CENFIM assinala “30 anos na via do futuro” Só no ano passado, passaram pelas instalações do CENFIM - Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica de Santarém, mais de 900 formandos, que estiveram envolvidos em 62 acções formativas. A nível global, o universo CENFIM, desenvolve a sua atividade em 13 centros espalhados por todo o território nacional, desenvolveu 960 acções de forma-ção, acolheu 14350 formandos e, em termos de volume, ministrou perto de três milhões de horas de formação. Estes dados representam um crescimento de 40 por cento face ao ano anterior (2012) e Tiago Vieira da Cruz, diretor do Núcleo de Santarém, vê nestes números “um enorme estímulo, que motivam para continuar a desenvolver trabalho para este sector”. “O produto que desenvolvemos é o de maior valia, que é a sabedoria do saber fazer e do saber estar. Devemos todos procurar ser homens livres e, para isso, temos que ter trabalho. E hoje, só terão trabalho aqueles que sabem valorizar e multiplicar em permanência as suas competências. Não podemos ficar sentados numa secretária. Temos que avançar e olhar para o futuro”, afirmou o responsável, em entrevista ao Correio do Ribatejo. A desenvolver a sua actividade Formativa desde Junho de 1987, o Núcleo de Santarém do CENFIM tem, desde o seu início, dado apoio ao tecido Empresarial da Região Ribatejana, abrangendo concelhos como o de Abrantes, Alcanena, Almeirim, Alpiarça, Benavente, Cartaxo, Constância, Coruche, Entroncamento, Golegã, Mação, Ourém, Rio Maior, Salvaterra de Magos, Tomar, Torres Novas e Vila Nova Da Barquinha. Para além das Empresas predominantes do sector Metalomecânico e Electromecânico, sectores, como o Primário, Agro – Alimentar e o sector terciário, também são apoiados pela dinâmica e envolvência desta Unidade do CENFIM. Segundo disse Tiago Vieira da Cruz o sector metalomecânico, para o qual o CENFIM direcciona cerca de 80 por cento da sua oferta formativa, tem uma característica muito particular: “para além de ser um sector motor da economia, presta serviços e produz bens para todos os outros sectores de atividade, contribuindo para toda a economia nacional”. Actualmente, o sector representa um valor acrescentado na ordem dos 7% do VAB, 24 mil empresas e 210 mil empregos, gerando um volume de negócios que ronda os 22 mil milhões de euros. Por isso, a indústria metalomecânica, faz notar o responsável pelo Núcleo do CENFIM de Santarém, “tem estado em contraciclo” em relação à restante actividade económica do País. “O sector tem estado a dar uma enorme empregabilidade e está a exportar aproximadamente 50% do que produz, sendo que o restante é absorvido pelo mercado interno”, afirma Tiago Cruz. Este factor faz com que as pessoas que saem das salas de aula do CENFIM e adquirem as devidas competências e valorizações profissionais, possuam uma elevada taxa de empregabilidade, na ordem dos 90%. “Entendemos que a valorização das competências e da formação profissional ao longo da vida dá à nossa instituição e ao nosso ser uma enorme força de existência”, afirma, perentório Tiago Vieira da Cruz. Para este sucesso não é alheia a preocupação com a qualidade das formações ministradas: “Este centro, ao longo destes 29 anos tem vindo a consolidar a sua qualidade através da acreditação e reconhecimento por vários normativos, desde a qualidade, passando pela segurança, ambiente, recursos humanos e responsabilidade social”, elencou o responsável. “Entendo que a sustentabilidade da nossa economia, hoje, só poderá vingar se as empresas tiverem nos seus quadros pes-

soas devidamente preparadas e qualificadas”, disse ao nosso jornal, acrescentando que essa preparação “deve ser feita ao longo da vida”, com uma formação contínua e continuada. Na opinião de Tiago Vieira da Cruz, atualmente as empresas “devem ter uma vertente muito forte na inovação e desenvolvimento pois só assim poderão ser competitivas em mercados de exportação”.

Sector está em contraciclo

E, para isso, o CENFIM “está preparado”, afirma o responsável, apontando as várias acreditações que o centro possui e que lhe têm reconhecido a sua qualidade, como é o caso da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT), da Autodesk, a Direcção-geral de Energia e Geologia, ou a Direcção-geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT), entre outras. “Uma dessas entidades, no seu reconhecimento que dá ao CENFIM, dá a responsabilidade para a emissão de licenças profissionais, como é o caso da Direcção-geral de Energia e Geologia, para as licenças profissionais na área do gás”. Em particular, o núcleo de Santarém, está acreditado para desenvolver formação com qualidade na saída profissional de soldadores, a maioria dos quais que após formação e certificação profissional vão desenvolver trabalho no estrangeiro. Para além disso, o CENFIM está acreditado pela Agência Nacional para a Qualificação e Ensino Profissional (ANQEP) e já creditado também para funcionar como Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP). “Para além de todas estas acreditações, temos o reconhecimento e a visão, no âmbito de parcerias que temos vindo a desenvolver”, diz Tiago Vieira da Cruz, apontando como “estratégica e fundamental” a que o Núcleo de Santarém estabeleceu com o Instituto Politécnico de Tomar, através da ESTA - Escola Superior de Tecnologia de Abrantes e Santa Casa da Misericórdia de Santarém.

Formação à medida

Com um leque alargado de soluções para empresas, como formações à medida, apoio tecnológico e organizacional, e formação contínua de aperfeiçoamento, que vão desde o Desenho, à Organização e Gestão Industrial, passando pelas Construções Mecânicas e Metálicas, Manutenção Industrial e Qualidade e Ambiente, o CENFIM desenvolve ainda formação para as áreas Comercial e Administrativa, Informática Aplicada aos vários sectores da organização das empresas, Energia, Electricidade e Electrónica e Línguas inglesa, alemã, espanhola e francesa. Todo este tipo de formação desenvolvese de forma modelar, de acordo com as necessidades de cada empresa. “O CENFIM gira em torno das necessidades do mercado, concretizando-as em formação que, por sua vez, promove a aquisição de competências sólidas, dando depois ao empregador a confiança necessária para a empregabilidade e manutenção do posto de trabalho”, explicita Tiago Vieira da Cruz. Para além da grande abrangência de áreas temáticas, o Centro desenvolve também uma formação que comporta vários níveis, desde o II ao nível V, sen-do este último aquele que preconiza profissões e desenvolvimento de tarefas de especialidade técnica intermédia ou superior na organização das empresas. Neste plano, o CENFIM oferece cursos de Técnico Especialista de Gestão à Produção, ao Técnico Especialista em Manutenção Industrial ao Técnico Especialista em Energias Renováveis e Técnico Especialista de Mecatrónica, entre muitos outros. Precisamente na área da Mecatrónica área que utiliza as tecnologias de mecânica, electrónica e tecnologias da informação – o Núcleo de Santarém tem desenvolvido

Tiago Cruz, Director do Núcleo de Santarém do CENFIM

um grande número de ações de especialização tecnológica (CET), as quais têm tido as suas equivalências ao abrigo de vários protocolos estabelecidos com estabelecimentos de ensino superior politécnico. E, em termos de áreas de formação, o CENFIM abarca desde o sistema de aprendizagem aos Cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA) aos Cursos de Educação de Jovens e um outro sem número de formações, nomeadamente para formadores. A qualidade dos cursos ministrados mede-se, também, pelos resultados obtidos em vários concursos de profissões, onde o CENFIM conseguiu já lugares de vulto. Os jovens formados no CENFIM e concorrentes aos Euroskils e WorldSkils têm como grande mérito atitude e profissionalismo trazido para este centro primeiros lugares e medalhas honrosas em todos as participações que o CENFIM tem entrado em representação de Portugal nas suas vertentes e saídas profissionais que em conjunto com o IEFP tem na Europa e no mundo representado este país.

Cooperação internacional

Para além disso, desenvolve projectos de cooperação a nível nacional e internacional abrangentes. Neste aspecto, a Unidade de Santarém tem sido profícua no envio de jovens e técnicos para os mais diversos países espalhados pela Europa. No âmbito dessas parcerias estamos frequentemente em França, Espanha, Itália, Lituânia, Inglaterra, Irlanda, Bélgica e Alemanha, em programas direccionados para quadros especializados, e intercâmbio de jovens em contexto de formação, com integração em empresas e estágios de cooperação internacional”, elenca Tiago Vieira da Cruz. Estes intercâmbios, explica o responsável, visam seguir “uma política de igualdade de oportunidade e também para abrir horizontes”. Em termos de projetos de internacionalização, o CENFIM estabeleceu várias parcerias na Europa nomeadamente com

o projeto PETRA, LEONARDO, SÓCRATES, FORCE, EUROFORM, NOW e EQUAL entre muitos outros tendo também uma especial atenção à colaboração e acordos que tem com instituições homólogas dos PALOP, nomeadamente na colaboração com Angola, Cabo Verde e Moçambique, nos quais apoia a formação profissional. “Desenvolvemos a nossa formação sob uma perspectiva da pedagogia do êxito com o enfoque no cliente (indivíduo ou empresa)”, afirma Tiago Vieira da Cruz manifestando-se ao mesmo tempo “preocupado” com a atual situação do trabalho em Portugal nomeadamente com a elevada taxa de desemprego dos jovens licenciados. “Entendo que a formação profissional que é desenvolvida no CENFIM pode ser uma segunda oportunidade para que esses licenciados se possam reenquadrar no mercado de trabalho”, afirma este quadro do CENFIM. A nível nacional, CENFIM foi constituído em 1985, numa parceria entre, por um lado, as empresas do sector metalúrgico e metalomecânico – representadas pela AIMMAP e pela ANEME, associações empresariais sectoriais e, por outro lado, o Estado português, representado para o efeito pelo IEFP. Actualmente, o CENFIM é o mais importante centro protocolar de formação em Portugal, reflectindo dessa forma a relevância e a dimensão daquele que é um dos principais sectores da indústria transformadora nacional, seja ao nível do emprego gerado, seja no que concerne ao respectivo volume de negócios, seja, finalmente, no que se refere às suas exportações. Mas, independentemente disso, pelo trabalho que desenvolveu ao longo de 29 anos de actividade ininterrupta, “o CENFIM é hoje uma referência de qualidade e excelência no domínio da formação e da qualificação em Portugal”, conclui Tiago Vieira da Cruz. Filipe Mendes


18

CLASSIFICADOS

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

CLASSIFICADOS compra-se vende-se

compro

M

8325

obílias e móveis soltos, usados. Vou a casa. Av.ª Padre Ramalho, 15, telefone 243429302 ou telemóvel 917217668 – Alcanhões.

alugam-se

Q

uartos a meninas, em casa independente, próxima das Finanças e Praça de Touros. Telemóvel: 917 439 950 2343

arrenda-se

A

partamento T1, 1 quarto, cozinha, WC. Local: Avenida Bernardo Santareno, nº4, Santarém. Preço: 175 euros. Pede-se fiador. Contacto: 918 685 348 4211

móveis usados compramos

5185

M

óveis modernos, recheios de casa, sofás, electrodomésticos. Pagamos em dinheiro. Telémovel: 962 430 689

vendem-se

V

ivendas, terrenos, 5166 apartamentos e permuta-se. Trata Júlio Figueiras, Constantino & Filhos, Soc.de Construções, Lda., Telefone: 243 769 334 ou 919 700 709

T

erreno 1560 m2, para construção, no centro da Romeira. Contactos: 915 346 077 5256

alugam-se uartos a alunos e Q professores, em casa independente, próximo 0189

da Escola Ginestal Machado, Casa do Campino e Instituto Polítécnico. Contactos: 965 016 641 966 765 309

T3

, em óptimo estado, mobilado, cozinha equipada, com garagem, no Jardim de Baixo, junto à Escola D. João II. Contactos: 937 031 330 5206

aluga-se

arrenda-se

arrenda-se

ndar, com 4 assoalhadas, junto ao Tribunal – Santarém. Contactos: 917 595 388 ou 243 429 598 5244

C

asa pequena, com ou sem mobília, em Santarém, zona do Pereiro. Contactos: 243106 674 5253

ARRENDA-SE

A

luga-se, c/ internet, perto do Hospital ou do Politécnico. Contactos: 911 575 880 – 969 303 121 5276

ARRENDAM-SE

T

1 preço 200 € e T3 preço 250 €, em S. Domingos. Contactos: 937 452 640 5292

C

asa da porteira na Av. Marquês de Pombal nº 84 – Santarém. 200€, pede-se fiador. Contactar: 918 685 348 5124

A

APARTAMENTOS ARRENDAM-SE

3

º. andar, na Rua Luís de Camões, 16 – Santarém , com 4 assoalhadas, despensa, cozinha e casa de banho, tem esquentador. Preço 200 €. Contactos: 916 697 540 5272

ALUGA-SE

C

asa com 2 assoalhadas, wc e cozinha, na Ribeira de Santarém.Contactos: 243 370 550 – 938 405 621 5291

J

unto ao W-Shopping em Santarém: com 3, 4 e 5 assoalhadas, como novos (com ou sem electrodomésticos e móveis). Preços em conta.Contactos: 917 340 419 5237

TREPASSA-SE astelaria a funP cionar, barato, por motivo de mudança de 5270

ARRENDA-SE

partamento T3, A cozinha equipada, perto da Escola Dr. Ginestal

par tamento (3 A quartos) mobilado, junto à rotunda do Forca-

5247

Machado, em Santarém. Contactos: 914 340 405 e 243 581 026

arrenda-se partamento T0, A todo mobilado no Alto do Bexiga. Contactos: 5271

918 210 230

partamento de 4 A assoalhadas, sem mobília, boas áreas e boa 5275

localização em Santarém (S. Domingos). Contactos: 962 419 998

RÉS-DO-CHÃO ARRENDA-SE 2, na zona do conT vento de S. Francisco com alguma mobília ou

do – Santarém. Renda 300 €. Pede-se fiador. Contactos: 918 685 312

APARTAMENTO DE LUXO ALUGA-SE unto ao W-Shopping, J em Santarém, como novo (com ou sem 5263

electrodomésticos e móveis), 5 assoalhadas, 2wc, despensa, varandas, etc. Preço 400 €. Contactos: 917 340 419

luga-se com serA ventia de cozinha, boas condições, na Rua do Colégio Militar – Santarém (perto do W-Shopping). Passa-se recibo. Contactos: 243 112 721 – 916 714 553

“CLUBE LUA NOVA” Av. Bernardo Santareno, 47-3º. Frente (Em frente Hospital, ao lado da Caixa Geral Depósitos) Terças a Sábados- 9 às 19 horas Só por marcação: 917 264 849 – Carla Silva Cabeleireiro – Colorações desde 22,00 €

ALUGA-SE asa de rés-doC chão, com 1 quarto, sala, cozinha, casa de 5280

banho e despensa no Alto do Bexiga. Contactos: 966 067 220 – 969 472 821

m vivenda, com E quartos equipados com material hospitalar, mé5220

dico e enfermeira, ambiente familiar. Preço 660,00€/ mês, zona de Almoster. Contactos: 963 090 607 e 914 951 363

senhora 5278

para Oticos,ferece-se serviços doméstomar conta de

crianças ou pessoas idosas n/ acamadas, tempo inteiro ou 2 dias por semana. Dãose referências. Contactos: 918 083 779

explicações

érias da Páscoa, Fexames preparação de nacionais de

6º. ano. Dão-se explicações em grupo ou individuais de Português e Matemática a alunos do 6º. ano de 7 a 18 de Abril, para preparação dos exames nacionais a realizar em Maio. Contactos: 911 794 273 – 969 076 549 (centro da cidade).

rendas económicas, no Vale de Santarém. Contactos: 964 830 112

C

ACEITAM-SE IDOSOS

5290

asas de habitaC ção, com 1 e 2 assoalhadas e quintal amplo,

asa c/ 3 assoalhadas, com mobília e electrodomésticos em Vale de Estacas. Preço acessível. Contactos: 916 276 021

Assunto sério.Contactos: 969 528 262

www.correiodoribatejo.com

5274

5279

anos, sem ví54 cios, honesto, procura senhora honesta. 5284

5289

ARRENDAM-SE

ALUGA-SE

CAVALHEIRO

QUARTO

5288

sem. Pedem-se referências. Contactos: 966 880 281

diversos

5236

residência. Contactos: 925 971 820

arrenda-se quarto

A

par tamento (2 quartos) na Av. Bernardo Santareno – Santarém, com mobília, renda 275 €. Pede-se fiador. Contactos: 918 685 312 4994

arrenda-se

ARRENDA-SE

aluga-se VENDE-SE

alugam-se

Cabeleireiro – Brushing desde 8 €

CAVALHEIRO 5282

76 anos e boa Cra. omsituação financeiVivendo só em

casa própria em Santarém, deseja conviver com senhora honesta, para possível união de facto. Assunto sério. Contactos: 932 053 330

Estética – Unha gel desde 15 € - depilação completa 20 €

PROCURO

Massagem – 15€ corpo completo Reiki – 15 € Dança de Salão – Liga Amigos do Hospital – das 18 às 20 horas aos Sábados

rabalho de tracT torista ou outros serviços. Contactos: 968 5283

245 650


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

ADVOGADOS & SOLICITADORES FERNANDO MARTINHO SOFIA MARTINHO JOSÉ CARLOS PÓ ADVOGADOS

Rua António José de Almeida, 17-1.º Esq.º (Junto ao Antigo Banco de Portugal) Telef. 243326821 Fax 243333830 – SANTARÉM

MARIA JOÃO ALVES e MARIA MANUEL ESTRELA

SOCIEDADE DE ADVOGADOS, RL Largo Cândido dos Reis, 11 - 3.º Esq.º (Frente ao Hospital Velho) Telfs. 243323641 e 243332829 Fax 243332156 – 2000-241 SANTARÉM E-mail:mja.mme.adv@oniduo.pt

HELENA MARQUES DUARTE ADVOGADA Rua Pedro de Santarém, Nº 2 - 2ºA 2000-223 SANTARÉM Telf.: 243 352 407 -Tlm.: 912 507 658 E-mail:hmduarte-16362l@adv.oa.pt

Largo Cândido dos Reis, n.º 3 - 1.º Telef. 243326310 Fax 243333587 2000-241 SANTARÉM

LISZT DE MELO PAULO M. NAZARETH BARBOSA SOLICITADORES

RICARDO PEDROSA DE MELO

ADVOGADO Rua Dr. Jaime Figueiredo, 24 - A - 1.º Esq.º Telef. 243325036 – 2000-237 SANTARÉM Praça da República, 29-1.º Esq.º - Almeirim Telefs. 243597997/8 – Fax 243597999

ORLANDO MENDES TERESA PINTO FERREIRA Sociedade de Advogados, R.L.

Travessa do Fróis, 3 - 1.º e 2.º 2000-145 SANTARÉM Telef. 243328444 – Fax 243391079 E mail: orlandomtpf_socadv.rl@mail.telepac.pt

ANA MARTINHO DO ROSÁRIO ISABEL ALVES DE MATOS VICTOR BATISTA ADVOGADOS Av.ª do Brasil, 1.º C (Edifício Scálabis) Telef. 243326242 – SANTARÉM

A. PEREIRA GOMES

SOLICITADOR Av. D. Afonso Henriques, 55, 1.º Dt.º 2000-179 SANTARÉM TM. 917232393 d.cabral@sapo.pt

ADVOGADO Rua Pedro de Santarém, 59, r/c Telf. 243770372 – Fax 243770381 2000-223 SANTARÉM

SAÚL BAPTISTA

ADVOGADO Rua Dr. Ginestal Machado, 13 - 1.º Telef. 243357290 – Fax 243357291 2005-155 SANTARÉM

MARIA JOÃO CATROLA

ADVOGADA Rua Pedro de Santarém, 33 - 1.º Esq.º 2000-223 SANTARÉM Telef./Fax 243591648 – TM. 919100473 e-mail: mariajoaocatrola-1457 e @adv.oa.pt

FÁTIMA MADEIRA

ADVOGADA Largo Cândido dos Reis nº11-2º Esqº • 2000-241 Santarém Telf/Fax. 243 322 728 • Telm. 913 258 563 962 756 540

Andreia Correia Bernardo SOLICITADORA Cédula Profissional n.º 5637 Moçarria - Santarém Telm. 916274191/963237874 Email: 5637@solicitador.net

JORGE HUMBERTO MALACAS BALCÃO ÚNICO DO SOLICITADOR Rua Pedro de Santarém, 59 – r/c 2000-223 Santarém Tel/Fax: 243 326 500 * 919 000 120

MÉDICOS

DR. MÁRIO GALVEIAS OTORRINO

PIEDADE GARCIA ADVOGADA Largo do Município, n.º 21 - 1.º Esq.º Apartado 192 – Santarém Telef. 243332341 – Fax 243322941 Telemóvel 914453138

Médico Especialista OUVIDOS – NARIZ – GARGANTA Marcações: Telef. 243591521, a partir das 16 horas.

Av.ª do Brasil, Edifício Scálabis, 17, 1.º Dt.º – 2005-136 Santarém Telef. 243328393 – Telemóvel 938590759 Fax 243328522

FRANCISCO PEDRÓGÃO ADVOGADO Rua Pedro de Santarém, n.º 65 - 1.º Dt.º Telef. 243 042 631 – Fax 243 357 674 2000-223-SANTARÉM

MADEIRA LOPES FRANCISCO MADEIRA LOPES ADVOGADOS Telef. 243323700 – Fax 243332994 Rua Elias Garcia, 24-1.º Apartado 173 – 2001- 902 SANTARÉM

JOÃO NEVES VELOSO

ADVOGADO Praça Sá da Bandeira, n.º 22 - 1.º Esq.º 2000-135 SANTARÉM Telef. 243 333 556 – Fax: 243 325 159

TERAPIA DA FALA Maria Paula Rondão

Acordos: PT - ACS - CGD Av.ª Bernardo Santareno, n.º 23 - r/c Dt.º – 2000-153 SANTARÉM Telefone 243329105 Telemóvel 917548644

DR.ª ISABEL MONTEIRO MÉDICA CARDIOLOGISTA • Consultas de Cardiologia • Electrocardiogramas • Ecocardiogramas Modo M, 2 D e Doppler a Cor R. Dr. António José de Almeida, 11-4.º Dt.º Telef. 243326957 – 2000 Santarém

PAULA CHAMBEL

FISIOTERAPEUTA FORMADA EM ALCOITÃO Telemóvel 925 341 092 – ALMEIRIM

DR. CÉSAR MARTINS DERMATOLOGIA Telefone: 243321147 / 918775207

DIVERSOS ANÁLISES CLÍNICAS

DR.ª FÁTIMA CONSCI NCIA Laboratório: Rua Luís de Camões, 10 Telef. 243309780 – Fax 243309781 SANTARÉM

L. M. MARTINHO DO ROSÁRIO

ENGENHEIRO CIVIL L. Padre Francisco Nunes da Silva, 1 r/c Dt.º - Tel. 243305270 SANTARÉM

PRÓTESE DENTÁRIA

Largo do Seminário, 31 Telef. 243322332 – SANTARÉM

João A. C. Santos (Batalha)

MÉDICO OFTALMOLOGISTA

J. M. MILHEIRO DE CARVALHO

Telef. 243328103 – Rua Prof. Manuel Bernardo das Neves, n.º 24 - 7.º SANTARÉM

19

CARDIOLOGIA

Graça Ferreira da Silva – Consultas – Exames de Diagnóstico Marcações: 243 328 890 (09h às 20h) Estrada de São Domingos Lt. 13, 2.º e 5.º Dt.º 2005-324 Santarém Acordos: Serv. Nac. Saúde, ADSE (reg. reembolso), Sub-Sistemas e Seguradoras

DR. MARTINHO DO ROSÁRIO UROLOGISTA – Doenças dos Rins, Vias Urinárias e Aparelho Sexual Masculino – Consultas às 2.ª, 4.ª e 6.as-feiras – Urofluxometria diariamente – Biópsias da Próstata Eco-Dirigidas com resposta Histológica em 3 dias Marcações diárias das 9 às 12 e das 15 às 20 horas Consultório: R. José Saramago, 17 - 1.º – 2005-143 SANTARÉM – Telef. 243327431

MÉDICO DENTISTA

Consultas: segundas, quartas e sextas-feiras.

EMAIL: geral@kriamos.pt TELEMÓVEL: 912 840 292 / 967 468 349

Rua Colégio Militar, Lote B - 1.º Frente Telef. 243322396 – SANTARÉM

Rodrigo Raposo Fernandes Médico Dentista

Informa todos os seus pacientes que se encontra a partir de agora a exercer na Clínica do Exmo. Senhor Doutor Eduardo Lopes, CLIMECO, na Rua Vasco da Gama 23, Loja B e C, 2000-232 Santarém

Telm. Pessoal 919 837 070

Maria do Céu Dias

Mestre em Psicologia de Educação

DR. BART LIMBURG

MÉDICO DENTISTA HOLAND S Av.ª Bernardo Santareno, 13 - 1.º Dt.º (Av.ª do Hospital Novo) Telef. 243332757 – SANTARÉM

DR. DUARTE GONÇALVES (ISABELINHA)

Telm.: 917 856 456

PSICÓLOGA

SOLICITADORA

DR. FERNANDO SARAIVA

Especialista em Reumatologia Médico do Hospital de Santa Maria DOENÇAS REUMÁTICAS Cons.: Rua Padre Inácio da Piedade de Vasconcelos, 11 - 1.º Telef. 243326449 – SANTARÉM

DR. JOÃO ROQUE DIAS

ADVOGADOS Rua Reitor Pedro Calmon, n.º 6 - 1.º – SANTARÉM Telefone 243327159 – Fax 243327160

NATIVIDADE CARDOSO

DR.HELENA ESTEVES GINECOLOGISTA/OBSTETRICIA Telefone: 243321147 Telemóvel: 918775207

Tel.: 243 328 303

MÉDICO Doenças Pulmonares Alergias Respiratórias Consultório: Urb. da Antiga Praça de Touros, Lote 8-4.º Dt.º Telefone 243326957 – 2000 SANTARÉM

ADVOGADOS

Rua Prof. Pinto Correia Lote 6 Telef. 243 303 180 - Santarém

Rua Dionísio Saraiva, Lote 4-1.º - Dt.º ALMEIRIM

JOSÉ FRANCISCO FAUSTINO PEDRO GOULÃO JOÃO RAFAEL FRANCISCO ANTUNES LUÍS FRANCISCO LOPES LEITÃO

J. LOURO DOS REIS RUTE REBOLA

Endoscopia Alta, Colonoscopia Consulta de Gastrenterologia, Euromedic - Imagem Médica

ANTÓNIO NOBRE

ADVOGADO Largo Cândido dos Reis, 11-4.º Esq.º Telefones 243321706/7 Fax 243321708 – 2000 SANTARÉM

DR. MANUEL ROSÁRIO

DOMINGOS CABRAL

OLIVEIRA DOMINGOS ADVOGADO

PROFISSÕES

Joaqui m Pedroso da Costa MÉDICO ESPECIALISTA

Cirurgia Geral SURGIMED Telef. 243305780 – SANTARÉM

Dr.ª Maria do Rosário M. Faustino MÉDICA ESPECIALISTA OUVIDOS – NARIZ – GARGANTA Rua Colégio Militar, Lote B - 1.º Frente Telef. 243322396 – SANTARÉM

Carla Moura Gonçalves MÉDICA DENTISTA

Rua do Colégio Militar, Lote C-26/F Telef. 243 33 29 61 2000-230 SANTARÉM

Criamos a Aplicação iPhone, iPad e Android para a sua Empresa! www.kriamos.pt

SOLUÇÕES DE DESIGN, WEB E MOBILE


20

NECROLOGIA

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

LOPES & BENAVENTE, LDA.

Agência Funerária Scalabitana

AGÊNCIAS FUNERÁRIAS

A CONFIANÇA CONSTRÓI-SE... HÁ MAIS DE 30 ANOS A SERVIR...

o e: erviç um s a partir d a h l o o c d s E za onali pers

João da Silva Aniceto e João Aniceto

Santarém Av. Bernardo Santareno, Lt 4 (Frente ao Hospital)

995€

FUNERAIS – CREMAÇÕES JAZIGOS

www.lopesebenavente.com TELEF. 243 323 888

is to Grát

rçamen

o de O entaçã

Apres

Empresa 100% portuguesa

Número Nacional Grátis 800 204 222

www.servilusa.pt

Acácio Benavente 916 151 250

Carlos Lopes 912 505 600

Ex-Sócios-Gerentes da Agência Scalabitana

(Frente à Rotunda Luminosa, ao lado da Farmácia Confiança) S. DOMINGOS – 2005-242 SANTARÉM Filial: FAZENDAS DE ALMEIRIM – Rua Dr. Guilherme Nunes Godinho, 280 – Telefone 243 593 800

Serviço Funerário Permanente 24 Horas

DGAE nº 1241

ROMEIRA

Agência Funerária

HELDER VACAS, LDA.

.

.

.

funerais cremações jazigos trasladações Atendimento Personalizado

Serviço Permanente Nuno 917 550 558

Agência Funerária Telef.

ALEIXO, LDA.

243 328 115 Fax

243 333 520

David 914 910 449

.

Telems. 966007049 968041420 964052764

Ant. José 917 214 616

Escritório: Av. Bernardo Santareno, nº49, 2005-177 Santarém (Frente ao Hospital)

Funerária

Sede: Santarém – Praceta Cidade Badajoz, n.º 15 c/v Filial: Alpiarça– Rua Silvestre Bernardo Lima nº 61-B Telef. 243558315/964052764

A Funerária

AGRADECIMENTO

24H

Email: agenciafunerariaheldervacas@hotmail.com

243 328 818

N. 16/09/1933 - F. 18/03/2014

5273 Seu marido, filhos, netos e restante família agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram acompanhar a sua ente querida à sua última morada, ou que de qualquer outra forma lhes manifestaram o seu pesar. AGÊNCIA FUNERÁRIA LOPES & BENAVENTE, LDA. TELEF. 243 323 888 – SANTARÉM

ALCANHÕES – SANTARÉM

Dom Fernando, Lda. Registo na D.G.A.E N.º 2549

Serviço Permanente 243 108 492 Fernando Figueiredo – Gerente – 913 202 868 Transladações • Cremações • Funerais Competência e Honestidade

Jorge Almeida, Lda. SERVIÇOS FÚNEBRES PARA QUALQUER PARTE DO PAÍS Telemóvel 917 273 370 Telef. 243 441 246 Fax 243 441 038 Escritório: Rua S. Vicente – Sobral 2000-700 S. Vicente do Paúl

.

MARIA EMILIA DIAS VEIGA

Paula Telem. 917 848 011

Sandra Telem. 919 006 899 Sede: Rua Oriol Pena, 103 – 2000-493 Pernes Telef. 243 449 444 – Telem. 917 273 370 Email: geral@afuneraria.com.pt Site: www.afuneraria.com.pt

Av. Bernardo Santareno, 49 - Loja B 2005-177 SANTARÉM (Frente ao Hospital)

AGÊNCIA FUNERÁRIA XAVIER, LDA. Nuno Xavier: 965 025 085 – Leonor Xavier: 962 723 941

Serviço Permanente: 243 408 205 e 243 479 515 Funerais – Trasladações – Cremações Tratamos gratuitamente de toda a documentação dos subsídios de funeral

TIAGO FILIPE MACEDO CORDEIRO (TIGAS)

www.agenciafunerariaxavier.pai.pt SEDE: Rua do Comércio, 10 – 2025-040 ALCANEDE Telefs. 243 408 205 – 243 406 156 – Fax 243 406 157 FILIAL: Rua S. Tiago, 115-117 – 2025-562 TREMÊS

MISSA DO 10º. MÊS

DGAE: 2235 e DGAE: 2008

Seus pais, irmão e restante família participam que serão celebradas missas pelo seu eterno descanso, quinta-feira dia 27, às 19 horas na igreja de S. Nicolau e domingo dia 30 às 10:30 horas na igreja de Alcanhões.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

achete

CLAUDINA DE JESUS ALMEIDA

Agradecimento e Missa do 7º. Dia N. 20/01/1930 - F. 24/03/2014

5281 Seus filhos, nora, netos e restante família agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram acompanhar a sua ente querida à sua última morada, ou que de qualquer outra forma lhes manifestaram o seu pesar. Participam ainda que será celebrada missa de 7º. dia pelo seu eterno descanso dia 31 de Março, segunda-feira, às 19:00 horas, na Capela de Advagar, agradecendo desde já a quem se dignar assistir a este piedoso acto. Agência Funerária Lopes & Benavente, Lda. Telef. 243 323 888 – SANTARÉM

RIBEIRA DE SANTARÉM

JOSÉ MAIA DE OLIVEIRA Agradecimento N. 02/09/1938 – Ortiga – Mação F. 14/03/2014 – Santarém

5287 Sua esposa, filhos, noras, genro, netos e restante família, agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada, ou que de qualquer outra forma lhes manifestaram o seu pesar.

NECROLOGIA

santarém

CARLOS MANUEL DA CONCEIÇÃO PEREIRA 58º. ANIVERSÁRIO NATALÍCIO 30/03/1956 - 30/03/2014

5277 Suas irmãs, cunhados e sobrinhos, recordam com profunda dor e saudade a passagem do 58º Aniversário do seu nascimento. SANTARÉM

Funerária Dom Fernando, Lda. Telef. 243 108 492 Santarém

ROMEIRA

JOSÉ ANTÓNIO MIRANDA SANTOS 3 ANOS DE ETERNA SAUDADE

SANTARÉM

24-03-2011 – 24-03-2013

MARIA LUISA DA CONCEIÇÃO DUARTE Agradecimento

5293 Sua esposa, filhos, e netos, recordam com profunda dor e saudade a passagem do 3º. Aniversário do seu falecimento. ABITUREIRAS

N. 19/03/1933 - F. 24/03/2014

JOSÉ ANTÓNIO D’ OLIVEIRA BEJA Agradecimento N. 11/06/1941 – Marvila – Santarém F. 24/03/2014 – Santarém

5286 Sua esposa, irmão, filhos, nora, cunhadas, neta e restante família, agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada, ou que de qualquer outra forma lhes manifestaram o seu pesar. Funerária Dom Fernando, Lda. Telef. 243 108 492 Santarém

5285 Seu marido, filhos, genro, netos e restante família agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram acompanhar a sua ente querida à sua última morada, ou que de qualquer outra forma lhes manifestaram o seu pesar. Agência Funerária Lopes & Benavente, Lda. Telef. 243 323 888 – SANTARÉM

Efemérides 28 de Março: Dia Mundial da Juventude 193 – O imperador romano Pertinax é assassinado por um grupo de soldados da guarda pretoriana descontentes por terem recebido apenas metade do pagamento prometido. 2007 – É inaugurada em Brinches, Portugal, a maior central solar do mundo. Nasceram neste dia… 1515 – Teresa de Ávila, religiosa e poetisa espanhola (f. 1582). 1810 – Alexandre Herculano, escritor e historiador português (f. 1877). 1936 – Mario Vargas Llosa, escritor peruano. Morreram neste dia… 1941 – Virginia Woolf, escritora britânica (n. 1882). 1985 – Marc Chagall, pintor russo (n. 1887). 2004 – Peter Ustinov, actor britânico (n. 1921). 29 de Março: 1865 – Segunda intervenção francesa no México: a França desembarca tropas em Guaymas. 1982 – O Canada Act é assinado pela rainha Elizabeth II. 1998 – É inaugurada a Ponte Vasco da Gama, sobre o rio Tejo, a maior da Europa. Nasceram neste dia… 1788 – Infante Carlos de Bourbon, pretendente ao trono de Espanha (f. 1855). 1802 – Johann Moritz SANTARÉM – ROMEIRA

JOÃO GUILHERME MAURICIO DA FONSECA 1 Ano de Eterna Saudade 02-04-2013 – 02-04-2014

www.correiodoribatejo.com

5294 Sua família, participa que será celebrada missa pelo seu eterno descanso no próximo dia 2 às 19:00 horas na igreja de S. Nicolau, agradendo desde já a quem se dignar assistir a este piedoso acto.

21

MARIA VITÓRIA Agradecimento e Missa do 7º. dia N. 15/12/1914 - F. 25/03/2014

5295 Seu filho, nora e netos, agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram acompanhar a sua ente querida à sua última morada, ou que de qualquer outra forma lhes manifestaram o seu pesar. Participam que será celebrada missa de 7º. dia pelo seu eterno descanso no próximo dia 1 de Abril, às 19 horas na igreja de S. Nicolau, agradecendo desde já a quem se dignar assistir a este piedoso acto.

Rugendas, pintor alemão (f. 1858). Morreram neste dia… 1792 – Gustavo III da Suécia (n. 1746). 1982 – Carl Orff compositor alemão (n. 1895). 30 de Março: 1867 – Os Estados Unidos, representados pelo Secretário de Estado William Henry Seward, concluem a compra do Alasca à Rússia. 1922 – Gago Coutinho e Sacadura Cabral realizam a primeira travessia aérea do Atlântico Sul. Nasceram neste dia… 1746 – Francisco de Goya, pintor espanhol (f. 1828). 1844 – Paul Verlaine, poeta francês (f. 1896). 1853 – Vincent van Gogh, pintor holandês (f. 1890). Morreram neste dia… 1810 – Luigi Lanzi, historiador da arte, filólogo e arqueólogo italiano (n. 1732). 1925 – Rudolf Steiner, filósofo e pedagogo austríaco (n. 1861). 2008 – Dith Pran, fotojornalista e tradutor cambojano (n. 1942). 31 de Março: 1821 – É extinta a Inquisição em Portugal. 1889 – A Torre Eiffel é inaugurada em Paris pelo seu arquitecto, Gustave Eiffel. Nasceram neste dia… 1596 – René Descartes, matemático e filósofo francês (f. 1650). 1811 – Robert Bunsen, químico alemão (f. 1899). 1914 – Octavio Paz, escritor mexicano (f. 1998). Morreram neste dia… 1621 – Filipe III de Espanha, II de Portugal (n. 1578). 1727 – Isaac Newton, matemático e físico britânico (n. 1643). 1869 – Allan Kardec, pedagogo francês e codificador da Doutrina Espírita (n. 1804). 1 de Abril: Dia da mentira 1933 – Julius Streicher ordena um dia de boicote aos negócios controlados por judeus em toda a Alemanha Nazi. 1939 – Termina a Guerra Civil Espanhola e começa a ditadura franquista. 2002 – Os Países Baixos tornam-se o primeiro país a legalizar a eutanásia. Nasceram neste dia… 1873 – Sergei Rachmaninoff, compositor, pianista e maestro russo (f. 1943). 1815 – Otto von Bismarck, político alemão (f. 1898). Morreram neste dia… 1968 – Lev Landau, físico

e matemático russo (n. 1908). 1976 – Max Ernst, pintor alemão (n. 1891). 2 de Abril: Dia Mundial da Conscientização do Autismo, Dia Internacional do Livro Infanto-juvenil 1453 – O sultão otomano Mehmed II inicia o Cerco de Constantinopla. 1976 – É concluída a elaboração da Constituição da República Portuguesa após o 25 de Abril. 1982 – As forças especiais argentinas invadem as Ilhas Malvinas, dando início à Guerra das Malvinas. Nasceram neste dia… 747 – Carlos Magno, primeiro imperador do Sacro Império Germânico (f. 814). 1840 – Émile Zola, escritor francês (f. 1902). Morreram neste dia… 1791 – Mirabeau, estadista francês (n. 1749). 1872 – Samuel Morse, inventor e pintor norte-americano (n. 1791). 2005 – Papa João Paulo II (n. 1920). 3 de Abril: 1948 – O presidente Harry Truman assina o Programa de Recuperação Europeia (Plano Marshall) de ajuda económica e reconstrução de dezasseis países, nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial. 1985 – Desmond Tutu comanda uma marcha pacífica pedindo a libertação de presos políticos na África do Sul. 2004 – Os terroristas islâmicos envolvidos nos atentados de 11 de Março de 2004 em Madrid são cercados pela polícia num apartamento e suicidamse com explosivos. Nasceram neste dia… 1367 – Henrique IV de Inglaterra (f. 1413). 1924 – Marlon Brando, actor americano (f. 2004). 1948 – Carlos Salinas, político mexicano. Morreram neste dia… 1882 – Jesse James, criminoso americano (n. 1847). 1954 – Aristides de Sousa Mendes, diplomata português (n. 1885). 1990 – Sarah Vaughan, cantora americana (n. 1924).


22

SAÚDE

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Santarém acende “luz azul” pela consciencialização do autismo A Câmara de Santarém vai “Acender a luz azul” no Dia Mundial da Consciencialização do Autismo que se comemora no próximo dia 2 de Abril. Para assinalar a iniciativa, a Câmara de Santarém junta-se à Campanha iluminando de azul o Edifício dos Paços do Concelho. A Assembleia Geral das Nações Unidas designou o dia 2 de Abril como Dia Mundial da Consciencialização do Autismo para ser considerado todos os anos a começar em 2008. O autismo é uma perturbação neuro-

Colheitas de sangue dia 4 e 6 de Abril em Santarém e Pernes O Grupo de Dadores de Sangue de Pernes promove dia 4 de Abril, no Hospital de santarém, entre as 15h00 e as 20h00, uma colheita de sangue, seguindo-se nova colheita no domingo seguinte (dia 6 de Abril) entre as 9h00 e as 13h00, em Pernes. As dádivas contam com o apoio do Instituto Português de Sangue.

biológica complexa que afecta a comunicação, o comportamento e as relações sociais, de 1 criança em cerca de 110 nos Estados Unidos – 1 rapaz em 70. É uma fonte de preocupação crescente no domínio da saúde pública a nível mundial pois afecta cerca de 67 milhões de pessoas no mundo. A Federação Portuguesa de Autismo, parceira de Autism-Europe e Autism Speaks, a maior organização americana de autismo, vem novamente pedir a sua colaboração na Campanha mundial Acendam a Luz Azul (Light it up blue).

No âmbito desta campanha, que se realiza pelo 5º ano consecutivo, muitos edifícios e monumentos acendem-se de azul no dia 2 de abril para chamar a atenção sobre o autismo. Esta campanha conseguiu iluminar edifícios como a Torre Eiffel, o Empire State Building e, em Portugal, a Câmara Municipal de Santarém, o Castelo de Penela, o Castelo de Leiria, as Portas da cidade de Ponta Delgada, outros edifícios de várias Câmaras Municipais, imóveis de interesse público e colectividades.

Rastreio do cancro da mama em Salvaterra A Liga Portuguesa Contra o Cancro com o apoio da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos vai levar a efeito o Rastreio do cancro da mama durante os meses de Março a Junho nas localidades do concelho de Salvaterra de Magos. Com o Rastreio do Cancro da Mama pretende-se não só um diagnóstico precoce, descobrindo tumores muito pequenos, muitas vezes não palpáveis e só vistos em mamografia ou ecografia ou em fase evolutiva não invasiva permitindo assim tratamentos menos mutilantes (cirurgia conservadora) e menos traumatizantes

e uma sobrevida livre de doença e global mais longa. Se tem entre 45 e 69 anos realize o rastreio na sua localidade, é simples e gratuito e pode prevenir situações graves. O rastreio decorre até 9 de Abril, em Marinhais (Largo da República) e de seguida nos seguintes locais: de 11 a 28 de Abril: Glória do Ribatejo (junto ao Centro de Saúde); de 30 de Abril a 6 de Maio: Muge (Junto à Creche); de 7 a 20 Maio: Foros de Salvaterra (Largo 25 Abril); e de 22 de Maio a 19 de Junho: Salvaterra de Magos (Largo dos Combatentes).

Carlos Rodrigues Ginecologista na Clínica WMed

HPV – urgente vacinar CANCRO DE PELE -2 O cancro do colo do útero tem na infecção pelos vírus HPV (papiloma vírus humano) uma condição essencial ao seu desenvolvimento. É a segunda causa de morte por cancro em mulheres com menos de 44 anos, vitimando em Portugal cerca de 350 mulheres por ano – uma mulher por dia! Além desta doença, os HPV são também responsáveis por parte dos cancros da cavidade oral, laringe, orofaringe, ânus e pénis. Trata-se de uma grande família de vírus (mais de 200 tipos já conhecidos) muito prevalente na população e que se transmite quase exclusivamente por via sexual. Os tipos mais associados ao desenvolvimento de doenças malignas são o HPV16 e o HPV18. Além destas doenças, também são responsáveis pelo desenvolvimento de verrugas genitais (condilomas) ou noutras mucosas como a cavidade oral, ânus e pénis. Apesar destas lesões não serem malignas podem ser difíceis de tratar, causam desconforto e recidivam frequentemente. Neste caso são os HPV tipo 6 e 11 os principais agentes. A prevenção destas doenças passa por um conjunto de medidas: - Informação dos jovens sobre doenças de transmissão sexual. - Promover o uso do preservativo. - Protelar o início da actividade sexual. - Restringir o número de parceiros sexuais e promover estratégias de sexo seguro. - Vacinação para o HPV. - Vigilância ginecológica regular com realização de colpocitologia. Existem duas vacinas disponíveis: - Vacina quadrivalente: HPV 6,11,16,18 - Vacina bivalente: HPV 16,18 A vacina quadrivalente já faz parte do Plano Nacional de Vacinação. Em relação ao cancro do colo do útero, ambas as vacinas conferem uma protecção de 70%. Existem estudos recentes que mostram alguma vantagem na vacinação de mulheres até aos 45 anos, mesmo com lesões pré-malignas já diagnosticadas. A vacinação é uma arma importante! Aconselhe-se com o seu Ginecologista. Na WMED temos consultas específicas na área da patologia do colo uterino onde pode ser vigiada, esclarecer dúvidas e ser devidamente aconselhada.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Câmara de Santarém quer que Governo recue no encerramento do Posto de Saúde de Vaqueiros O presidente da Câmara de Santarém já enviou um ofício ao Ministério da Saúde para tentar inverter o encerramento da Extensão de Saúde de Vaqueiros. O ministério tutelado por Paulo Macedo decidiu fechar este posto médico alegando que aquelas instalações não estão dotadas de um sistema informático que permita “a consulta do processo clínico dos utentes, o registo clínico das observações, a emissão de receitas médicas nem a prescrição de meios complementares de diagnóstico e terapêutica”. Contudo, a União de Freguesias de Casével e Vaqueiros já veio publicamente assumir o compromisso de disponibilizar uma funcionária administrativa e equipamento informático, criando condições para a reabertura daquela unidade de saúde. É também esse o desejo do presidente da Câmara de Santarém, expresso na última reunião de Câmara, para que se evitem casos como o de Ofélia Marques que, sempre que precisa de levar a filha, deficiente motora, a uma consulta ou ir buscar medicamentos, vê-se forçada a percorrer 12 km a pé, empurrando a cadeira de rodas, entre Vaqueiros e Pernes, onde se situa a extensão de saúde mais próxima. Em relação a este caso concreto, o vereador António Melão, com o pelouro da Acção Social e Saúde na Câmara de Santarém, esclareceu que a autarquia e Segurança Social já disponibilizaram apoio a esta família.

Ministério pediu consultas domiciliárias para doente de Vaqueiros com paralisia cerebral

O Ministério da Saúde solicitou à Uni-

dade de Saúde Familiar (USF) que segue a utente de Vaqueiros com paralisia cerebral, para que passe a disponibilizar consultas domiciliárias a esta paciente. Em causa está uma utente com paralisia cerebral que vive em Vaqueiros, Santarém, que tem feito o percurso para o centro de saúde de cadeira de rodas pela estrada nacional, empurrada pela mãe, uma vez que só há um autocarro às 07:30 e a carrinha da Junta de Freguesia não está adaptada a cadeiras de rodas. “Pedimos à USF que segue esta senhora que disponibilize consultas domiciliárias”, afirmou o ministro da Saúde, Paulo Macedo, aos jornalistas, questionando contudo o motivo por que tal ainda não acontecia, se é algo que está previsto. Questionado sobre quando poderá haver médico de família para todos os utentes, Paulo Macedo não se comprometeu com datas, afirmando estar disponível para negociar com os sindicatos para haver um número adicional de utentes por médico de família durante um período delimitado. “O número de reformados acentuouse em 2011 e 2012, pelo que a vontade de recrutar todos os médicos não chega para atingir o nosso desiderato de dar um médico de família a todos os utentes”, disse. Entre as medidas em curso para dar resposta a esta necessidade, Paulo Macedo referiu a contratação excepcional de médicos reformados, a ampliação da assistência a médicos estrangeiros e o ajuste das próprias listas de espera. “Estamos disponíveis para conversar com os sindicatos para ver se, num período de três ou quatro anos, vamos ter falta de médicos de medicina geral e familiar”, acrescentou.

SAÚDE

23


24

VINHOS

Maximo´s Tinto 2009 de Agricultura Biológica

Castas: Touriga Nacional 100% Produzido no maciço calcário, entre Torres Novas e Tomar, no enquadramento da terra dura ”bairro”. Protegido pelas Serras de Mira de Aire e Candeeiros do clima Atlântico, as uvas desta colheita estavam assaz maduras. Cor vermelha muito intensa e ligeiras notas, ligeiro acastanhado, aspeto velado. À temperatura 16ºC, ao aroma, apresenta fruta silvestre muito madura e notas de compota com a subida de temperatura. Tem sabor muito intenso à compota, um índice de souplesse médio, mas com um final redondo macio, mas não muito longo. Os taninos estão presentes mas mostram-se ligeiro secos. Apresenta, face ao seu comprimento o perfil de vinho para consumir com grelhados de carne pouco condimentado, mas com alguma gordura. Sugere-se um serviço a 14ºC, para adquirir alguma frescura ácida, na relação com as iguarias. Mário Louro

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Vinhos do Tejo nas Festas de São José em Santarém A Comissão Vitivinícola do Tejo (CVR Tejo) esteve presente nas Festas de São José, que decorram de 18 a 23 de Março, no Campo Emílio Infante da Câmara, em Santarém. Foram sete os produtores presentes no espaço da CVR Tejo que, ao longo das Festas de São José, deram oportunidade ao público de provar os seus vinhos. Foram eles: Almeirim, Alveirão, Casa Cadaval, MSI Casal da Fonte, Quinta da Ribeirinha, Quinta do Arrobe e Vale de Fornos.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

DESPORTO

25

Green Horse Tour Riders na Golegã

João Chuva vence Grande Prémio Realizou-se no passado fim-de-semana no Centro de Alto Rendimento da Golegã, a primeira etapa do Green Horse Tour Riders, a tour nacional de concursos hípicos de saltos de obstáculos. João Chuva, com o cavalo Virginia Dream, foi o vencedor do Grande Prémio 1,45m. Gonçalo Perdigão alcançou o segundo posto com Acredo F e Norbert Ell ficou em terceiro lugar com TQuinta. Na Classe 1,30m, Hugo Cardoso Tavares venceu com o Concorde da Anobra. Gil Santos com Bacardi e Tiago Peres com Rome Bacon alcançaram o segundo e terceiro posto, respectivamente. Ao longo de todo o fim-de-semana foram realizadas inúmeras provas, a maioria delas classificativas para o Ranking Final do Green Horse Tour Riders. O dia de domingo começou com a prova de iniciados onde se sagrou vencedor Francisco Costa Spínola com o Cavalo Bethoven das Gaiolas. Seguiu-se a prova de Cavalos Novos 4 Anos ganha por Luís Meneses Real com o Cavalo Fury. Rui Manuel de Sousa Gonçalo, com Vince Lesvaniel foi o vencedor da prova Cavalos

Novos 5 Anos e Norbert Ell com Cardenta alcançou o primeiro lugar na prova de Cavalos Novos 6 Anos. Na prova de 1m Juventude Luís Maria Silva Santos venceu com Cavalier Constanta e na prova 1,10m Juventude venceu com o Cavalo Windsor. A prova de 1,20m Juventude foi ganha por Ana Margarida Gomes com o Cavalo Quattu. António Vozone foi o vencedor da Prova 1,20m com o Cavalo Vadorijke, e Hugo Carvallho Ferreira classificou-se em segundo lugar com Ceasar. Luca Mota Sousa ficou no terceiro posto com Copacabana. Para celebrar esta primeira etapa, onde foram atribuídos 21.000€ de Prize Money, a organização preparou um jantar, no passado sábado à noite, na Quinta das Ventas, onde mais de 170 convidados, entre cavaleiros, júris e membros da organização conviveram e disfrutaram de momentos de animação num ambiente descontraído. O Green Horse Tour Riders regressou ontem para uma etapa de três dias no Quintas de Óbidos Country Club.

João Chuva montando Virgínia Dream

Triatlo

‘Os Águias’ no pódio em femininos e masculinos no Triatlo de Alpiarça Disputou-se no passado Domingo o Triatlo de Alpiarça, primeira prova do campeonato nacional de clubes que será disputado em quatro etapas. Desde o início do segmento de natação, o atleta individual Pedro Gaspar liderou a prova até à saída da água, seguido de Tomás Azevedo do Kainágua e Pedro Mendes do SLB com uma vantagem de aproximadamente 10 segundos dos restantes atletas. A partida feminina, realizou-se sete minutos antes da partida masculina, a liderança pertenceu desde o início com uma vantagem de 40 segundos à atleta do Águias de Alpiarça Helena Carvalho, seguida de Melanie Santos do Alhandra e Andreia Ferrum do Águias de Alpiarça. Durante o segmento de ciclismo, prova disputada num percurso de duas voltas de 10 km, formou-se um pequeno grupo constituído pelos atletas do SLB João Pereira, Miguel Arraiolos e Pedro Mendes, do Águias de Alpiarça David Luís e Rui Tenrinho, do Kainágua Tomás Azevedo e o atleta individual Pedro Gaspar. Aproximadamente ao 12º km Pedro Gaspar e Rui Tenrinho conseguem distanciar-se deste grupo chegando à transição com uma vantagem 20 segundos. Entretanto ao grupo anterior conseguiu juntar-se Bruno Pais. No género feminino após a transição

para o ciclismo formou-se um grupo constituído por Andreia Ferrum e Sara Tenrinho do Águias de Alpiarça, Melanie Santos e Inês Pereira do Alhandra, Vera Vilaça do CFB e Ana Ramos do CAPGE. Este grupo chegaria ao parque transição para a corrida com uma vantagem de aproximadamente um minuto sobre o grupo perseguidor liderado por Ana Filipa Santos. O primeiro atleta a cortar a linha de meta foi João Pereira, seguido de Miguel Arraiolos e do atleta do Águias de Alpiarça David Luís. Nos vinte primeiros classificaram-se mais seis atletas do “Águias”: em 9º Rafael Ribeiro, 10º Duarte Marques, 11º lugar Ricardo Calado, 13º Filipe Azevedo, 17º Rui Tenrinho e 18º Ricardo Jorge, entre 342 atletas. Em femininos, Ana Filipa Santos com uma excelente prestação na corrida garantiu a vitória a geral individual. Em 4º lugar cortou a linha de meta a atleta Andreia Ferrum. Nas vinte primeiras atletas classificaramse ainda Sara Tenrinho 11º lugar, Eduarda Vidigueira 15º lugar, Helena Carvalho 16º e Alexandra Santos em 17º. Colectivamente, ‘Os Águias’ conquistaram o primeiro lugar em femininos e o segundo em masculinos.

Natação

Clube Náutico de Abrantes vence Taça ANDS – Cidade de Rio Maior com Viver Santarém no 3.º lugar do pódio O Clube Náutico de Abrantes venceu, sábado, dia 22, a Taça ANDS – Cidade de Rio Maior ao somar 236 pontos, competição que decorreu na Piscina Municipal de Rio Maior e na qual participaram nove clubes da Associação de Natação do Distrito de Santarém (ANDS) e cinco clubes extra-prova, num total de 143 atletas. O Clube Lazer Aventura e Competição do Entroncamento foi 2.º, com um total de 165 pontos e a Viver Santarém conseguiu um 3.º lugar do pódio, ao somar 161. A defender as cores da Viver Santarém participaram 20 nadadores: Ana Rita Carvalho, André Olivença, Afonso Teodoro, Beatriz Dias (Record Distrital Juvenil A

nos 200 mariposa), Carolina Baptista, Diogo Mendes, Eduardo Moço, Érica Madruga, Francisco Rodrigues, Ivo Lopes, João Baeta, João Bastos, João Lopes (Record Distrital Infantil B nos 50 Livres), Leonor Lourenço, Margarida Baptista, Maria Inês Gabriel, Mariana Fidalgo, Miguel Santos, Patrícia Baeta e Tiago Campos – que foram acompanhados pelos técnicos Renato Rodrigues e Tiago Simões e que conseguiram bons resultados, bateram records pessoais, venceram várias provas nos seus escalões e mostraram, mais uma vez, que o trabalho desenvolvido na Natação desta empresa municipal continua a “dar frutos”.


26

DESPORTO

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

União Desportiva de Santarém

Peguem lá mais três pontos… A União Desportiva de Santarém (UDS) entrou a vencer na fase de apuramento de campeão do campeonato distrital de seniores da 2.ª divisão da Associação de Futebol de Santarém. A UDS defrontou o 3.º classificado da série A, a Casa do Povo do Pego, a quem impôs uma derrota por 3-0, demonstrando qualidade e organização colectiva. A equipa do Pego não resistiu a uma entrada forte da formação unionista, que à passagem da meia hora já vencia por 2-0, com golos de Costinha e Ricardo Alves. No reatamento, quando o Pego esboçava uma reacção, surgiu o terceiro golo unionista numa bela intervenção de Ricardo Alves. A UDS alinhou com: Piedade, José Santos, Samuel, Bruno Duarte e Júlio, Ricardo Alves, Carrilho (Pedro Santos) e Nelson Lopes, Gilmar (João Moura), Tiago (Filipe Madeira) e Costinha (cap.). ”O grupo teima em fazer da coesão a sua principal arma, o forte espírito de equipa e a grande entreajuda entre todos é uma mais-valia nos momentos difíceis, pelo que este grupo pode ambicionar algo mais, e com trabalho pode tornar realidade uma legítima ambição do Clube”, afirmou ao Correio do Ribatejo o treinador da equipa ‘Tony’, a propósito da ambicionada subida de divisão. Na segunda jornada desta fase de apuramento de campeão, a UDS desloca-se ao terreno do Atalaiense, um jogo em que é fundamental ganhar pontos, no sentido de manter a vantagem pontual perante o ven-

cedor da série A na primeira fase.

Formação com desafios em várias frentes

A equipa de Sub-10 “B” da União Desportiva de Santarém (UDS) terminou a sua participação na 1ª fase do campeonato distrital de Benjamins, nível III, com um “score” de cinco vitórias, dois empates e cinco derrotas, com um total de 25 golos marcados e 24 sofridos, balanço que o clube considera “positivo para uma primeira participação num quadro competitivo de âmbito distrital”. No último jogo, na recepção ao líder Benavente, a derrota por 1-2, demonstrou a evolução desta equipa, que na primeira volta viu-se derrotada por 5-0. A equipa de Benjamins Sub-10 “A” da UDS, averbou mais uma vitória, desta feita por 2-4, na deslocação a Fazendas de Almeirim, terreno de uma equipa muito aguerrida e difícil de ultrapassar. Uma exibição segura, repleta de momentos de bom futebol e golos de belo efeito. Na derradeira jornada desta 2ª fase, nível II, a UDS recebe a equipa de Vale da Pedra. Ainda na manhã de sábado, os Sub-8 da União deslocaram-se ao Campo da Moçarria para realizar um jogo particular contra a equipa local, que apresentou uma mescla de jogadores um pouco mais velhos, o resultado de 2-1 preconiza uma boa participação no Encontro Distrital de Traquinas da AF Santarém, que terá a sua 2ª jornada amanhã, sábado, na Chamusca. Os juniores não foram felizes na deslo-

cação a Abrantes, perdendo de forma categórica por 8-0. Com a permanência na primeira divisão quase garantida os níveis de motivação são baixos, o que não pode justificar uma atitude tão pouco empenhada, até porque se avizinham jogos mais difíceis perante adversários mais categorizados como Alcanenense e Benavente. A convite do S. L. e Benfica a equipa de

Traquinas da UDS (Sub-7), deslocou-se no domingo à tarde, ao campo dos Pupilos do Exército, para participar num torneio triangular. No primeiro jogo, a formação unionista venceu a formação do footkar por 3-1. No jogo com a equipa de Sub 6 do SLB, a derrota por 8-1, espelha as dificuldades sentidas perante a intensidade de jogo da formação lisboeta.

Seniores femininos do Vitória Clube de Santarém recebem faixas em estreia de luxo na Taça Nacional

Santarém vibrou com as faixas de um CD de sucesso que, curiosamente, já havia apontado nas mesmas circunstâncias o tento que valeu a conquista do título distrital, frente ao Fazendense. Até final, oportunidades para ambos os lados, com o triunfo a querer pender para qualquer das formações. Imperou, todavia, a justiça e a repartição de pontos acaba por ser o desfecho mais digno para a qualidade evidenciada pelos dois conjuntos, que, num grupo que conta ainda com o CD Portalegrense, se assumem como os dois grandes favoritos a atingir a 2.ª fase desta Taça Nacional. Alinharam pelo Vitória a guarda-redes Patrícia Santos, Inês Bento, Pulga, Conxi e Neves (1); Lila Freitas, Catarina Madeira e Marlene. Carla Paulino, Cátia Santos, Leonor Meneses e a júnior Carolina Libério não foram utilizadas neste primeiro embate.

E vão 283 golos nos infantis…

A capitã Carla Paulino com a vereadora Inês Barroso e o presidente da AFS, Francisco Jerónimo

No passado sábado, na Nave de Santarém, teve lugar a cerimónia de entrega das faixas de campeão à equipa sénior feminina do Vitória Clube de Santarém, que gravou um CD (Campeonato Distrital) que bem pode servir de banda sonora para aquela que foi uma verdadeira época de afirmação do futsal feminino na cidade de Santarém. E a festa contou com um prato forte no menu: na histórica estreia na Taça Nacional da categoria, as vitorianas alcançaram um honroso e motivador empate diante do NDA Vidais, campeão distrital da AF Leiria, uma das associações mais conceituadas no âmbito da modalidade. Perante um adversário de gabarito, que chegou a Santarém com intentos dominadores, o Vitória provou ter entrado na qua-

dra com a lição bem estudada, e, à custa de uma estratégia defensiva meticulosamente engendrada, foi anulando, com maior ou menor dificuldade, os trunfos contrários. Porém, a este nível, já se sabe que qualquer desatenção assume contornos de fatalidade, e o único erro defensivo registado pelas azuis no primeiro tempo levaria mesmo a bola a anichar-se nas redes de Patrícia Santos. Abaladas, mas cientes da responsabilidade acarretada pelas faixas que haviam recebido, as vitorianas surgiram na segunda metade com espírito de campeãs, desenvolvendo um jogo inteligente que, na sequência de um contra-ataque de compêndio, acabaria mesmo por resultar no golo da igualdade, obra de Andreia Neves,

Continua em marcha o maquiavélico plano goleador dos pupilos de Ivo Costa para conquistar o mundo futsalístico: os infantis “A” do Vitória Clube de Santarém, já bicampeões distritais em título, não param de assombrar os seus adversários e, com 283 golos em 17 partidas, são atualmente a equipa de futsal mais concretizadora de todos os campeonatos oficiais do país! A marca sofre uma “ligeira” redução se se descontarem os remates certeiros realizados diante da equipa “B” do clube (os desafios desta formação não entram nas contas oficiais), mas, ainda assim, fica situada nos 259 golos (em somente 14 encontros), que suplantam os 253 da equipa de benjamins do Sporting Clube de Portugal em… 18 jogos. Impressionante! Esses números foram alimentados no último sábado à custa de mais uma proveitosa colheita no Pavilhão Municipal de Santarém, diante do GD Ribeira Fárrio, que ainda ofereceu louvável resistência, mas

acabou por soçobrar por 18-0. João Peitaço apontou 10 golos pela segunda vez esta temporada, elevando para 83 o número de vezes que arrombou a baliza contrária, sendo a face mais visível de uma máquina goleadora que vale pelo seu todo e promete quebrar todos os recordes. É que ainda faltam três rondas para terminar a prova… O Vitória contou com Bernardo Fazenda, Diogo Madeira (2), Jony (2), João Peitaço (10) e Bernardo Garcia; Pedro Santos (1), Pedro Tavares (1), João Francisco (1), João Passos (1) e João Vitorino.

Dérbi improvável pende para os azuis

Num fim de semana em que a equipa de iniciados confirmou a tendência de movimento ascendente na tabela, com nova goleada, desta feita por 9-0 frente ao Sardoal (golos de Henrique 2, Luís Menino 2, Garcia, Rato, Sousa, Takuara e Cotrim), destaque ainda para a participação do Vitória Clube de Santarém no Torneio das Festas de S. José, em Pernes, numa competição para atletas até aos 9 anos de idade que “obrigou” os pequenos vitorianos a deslocarem-se do seu habitat natural, alinhando sobre relva sintética. Ainda assim, louvese a pronta adaptação do plantel de Diogo Inês: 3.º lugar em 8 formações. E a oportunidade de, pela primeira vez, se presenciar um dérbi entre Vitória CS e União D. Santarém, com o resultado a pender para o lado vitoriano: 4-1. Zé Miguel, com 6 golos, foi o melhor marcador do evento, contando ainda os azuis com 2 golos de Carlos Bernardino e 4 de João Coelho, um dos reforços em maior evidência nesta temporada. Outros resultados ‒ Infantis “B”: UF Entroncamento, 2 - VCS “B”, 14; Benjamins: Vitória CS, 2 – S. Vicentense, 3; Iniciados: Vitória CS, 9 – Lagartos Sardoal, 0; Seniores masculinos: Cercal, 4 – Vitória CS, 3.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

DESPORTO

27

Associação Académica de Santarém

Juniores mais perto do título Os Juniores da Associação Académica de Santarém (AAS) venceram o União de Tomar por 4-1, numa partida em que a Briosa saiu de campo com a satisfação do dever cumprido por via de uma vitória incontestável sobre um adversário digno e organizado, numa boa entrada no jogo dos ‘estudantes’, mantendo uma boa circulação de bola em toda a largura do campo e aproveitando a mobilidade dos seus avançados. No meio campo, André Silva e Luís Carlos, dominaram o espaço como quiseram sempre protegidos por Rodrigo Neves. Após três remates à trave e uma perdida incrível de João Rodrigues, Bernardo Jorge inaugurou o marcador com um forte remate fora da área (25’). Bernardo Batista aumentou a vantagem aos 32’ levando a tranquilidade para o balneário ao intervalo. Na 2ª parte, a briosa entrou apática e o golo adversário (aos 46’) ‘acordou’ os escalabitanos para uma meia hora final de grande intensidade, premiada com mais dois golos, apontados por João Rodrigues, aos 64’, e novamente por Bernardo Jorge, aos 89’. Com a derrota caseira do A.C. Alcanenense perante o N. S. Rio Maior (0-3) o título para a Briosa está cada vez mais perto, daí a importância do próximo jogo em Amiais de Baixo, amanhã, sábado.

Juvenis perdem-se no Rossio

Os Juvenis da AAS perderam, por 4-3, na visita ao U. D. Rossiense, num jogo em que a formação da briosa não esperava

perder pontos. Com uma exibição tão fraca dos jovens academistas outro resultado era impossível… Noutra frente, os Infantis ”C” participaram no Torneio de Alpiarça e os resultados negativos são apenas o reflexo da mais-valia dos adversários: Derrotas da AAS por 4-0 frente ao U.F.C.I. Tomar ”A”, e por 3-0 frente ao C. D. “Os Águias” “A”. Os Sub-11 ”A” receberam e golearam o G. D. Benavente, por 8-0. Mais uma vitória em jogo tranquilo, em que a segunda parte foi melhor jogada do que a primeira, mas em que todos cumpriram com a sua missão. A Académica após esta vitória é a primeira equipa a qualificar-se para a fase de Apuramento de Campeão quando ainda faltam três jornadas para o final da 2ª Fase. Os Sub-11 ”B” empataram (2-2) na casa do E.F.C. Ouriquense. Um resultado que penaliza a desconcentração e apatia da briosa. Os Sub-10 ”A” venceram pela margem mínima o S. L. Cartaxo. Resultado muito “magro” na deslocação ao Cartaxo, numa das exibições mais pobres da equipa e pelas ocasiões de golo desperdiçadas. Por sua vez, os Sub-10 ”B” perderam frente ao líder da Série, o C. D. Salvaterrense, por 3-0. Já os Sub-10 ”C” venceram o Tramagal S.U. por 9-2 numa vitória justa, sobre um adversário que apesar de equipado apenas sete jogadores, se bateu com dignidade e garra, mas que apanhou os jovens briosos inspiradíssimos e a mostrar aquilo que valem. Marcaram pela Académica: Marta Me-

Coruche recebe “Cork Trail Running” 2014

lão (2), Miguel Silva, Tomás Cebola, José Gonçalves, Miguel Gonçalves, João Carvalho, Afonso Cunha e António Abreu. Os Sub-10 ”D” deslocaram-se a Rio Maior e venceram a equipa “B” por 2-1. Perante uma equipa com jogadores mais velhos e mais fortes fisicamente, os pupilos de João Pascoal baterem-se com galhardia e construíram a vitória logo na primeira metade do encontro. Os Sub-8 participaram, no dia 19 de Março, no VII Torneio Festas S. José que se realizou em Pernes e em dois jogos disputados averbaram outras tantas derrotas. No passado sábado, defrontaram os Sub-9 do Soccer Scalabis, em jogo particular, e, apesar da boa atitude, a briosa não conseguiu evitar a derrota por 5-3. No Domin-

A vila de Coruche recebe, a 27 de Abril, o “Cork Trail Running” 2014, um percurso que espelha toda a beleza do Ribatejo, constituído por zonas de sobe e desce constante, alternando com trilhos mais

go, deslocaram-se a Lisboa para disputar um triangular organizado pelo S. L. Benfica e a AAS teve dois lados distintos: um, contra o Footkart, (derrota por 13-1) onde demonstraram apatia e falta de alegria, situação que foi alertada pelo corpo técnico antes do inicio do jogo com o Benfica, situação que foi completamente alterada, com a equipa a demonstrar intensidade e a chegar ao intervalo a vencer por 4-3. No entanto, após o intervalo o Benfica demonstrou a força que possui e a Académica ressentiu-se, acabando por sair vencida com um 4-8 final. Por último, os Sub-7 da Briosa também participaram no VII Torneio Festas S. José e nos dois jogos disputados, registaram 50 por cento de vitórias e derrotas.

rápidos. A organização está a preparar aquela que espera ser “uma verdadeira festa de Trail Running”, garantem os organizadores em nota de divulgação da prova.

Grupo de Futebol Empregados no Comércio

Caixeiros regressam às vitórias frente ao Chamusca

Sacramento marcou dois golos

O Grupo de Futebol Empregados no Comércio venceu a U. D. Chamusca, por 3-1, em jogo a contar para a 20.ª jornada do campeonato distrital. Depois de alguns desempenhos menos conseguidos, os Caixeiros necessitavam de uma vitória para aumentar os níveis de confiança do plantel, o que acabou por conseguir frente à turma chamusquense. Apesar de começarem a partida a perder (Chamusca marcou de penalty) a turma de Peralta equilibrou o jogo e a entrada de Alex acabaria por mostrar-se decisiva

para o volte face no marcador. O golo do empate chegou pelo capitão Mário Ruas numa jogada de insistência do ataque azul, o que deu á equipa uma forte ‘injecção’ de moral. Sacramento seria o homem do jogo, apontando mais dois golos que ditariam o resultado final da partida. Vitória justa dos Caixeiros que beneficiou ainda de mais duas grandes oportunidades para chegar ao golo, através do Tiaguinho que, numa delas, rematou ao poste. Os Caixeiros alinharam com: Fábio, Formiga (Madeira), Ruas, Dani, Nuno (Alex), Pato, Zezinho, Zé Miguel (Jef), Tiaguinho, Serginho e Sacramento. Suplentes não utilizados Bruno Ferreira e Gonçalo. Domingo, em jogo antecipado, os Caixeiros jogam em Abrantes frente à U. D. Abrantina.

Andebol: Estarreja empata em Santarém

Vindo de um ciclo não muito positivo neste Campeonato Nacional e no culminar da 4ª Jornada, os ‘guerreiros azuis’ receberam a equipa de Estarreja que a acompanha na cauda da tabela classificativa. No final, um empate a 26 golos dividia os pontos entre as duas. Num jogo equili-

bradíssimo, os Caixeiros chegaram ao intervalo a vencer pela margem de um golo. No final do jogo, a equipa visitante conseguiu arrancar um empate, fazendo com que estas duas equipas desfrutem da mesma pontuação na classificação geral com um total de cinco pontos. Neste jogo, os goleadores foram, Sérgio Abrantes (6), Palmen Avramov, Alfa Balde, João Sousa (5), Carlos Ciebres (3) e Filipe Neto (2). Na próxima jornada, os Caixeiros deslocam-se ao Seixal.

Ténis de Mesa : Caixeiros com boa prestação em Sintra

Os Caixeiros participaram no passado dia 15, em Sintra, na 1ª Fase do Campeo-

nato Distrital de Equipas em Infantis. Na prova, disputada no sistema Lusitano, estavam inscritas 11 equipas, representando nove clubes. Os Caixeiros ficaram incluídos no grupo de cinco equipas e registaram os seguintes resultados: Torrense “B” 4-0; Sporting 1-4; Boa Hora “A” 4-0 e ADL Torre 3-2. Com estes resultados os Caixeiros ocuparam o segundo lugar no grupo, indo agora disputar, em local e data a designar, a 2ª fase onde irão encontrar o Torrense “A”. No outro encontro as equipas adversárias serão o Sporting contra o São Marcos. De seguida, os vencedores jogarão entre si para apurar o Campeão e os vencidos disputarão os 3º e 4º lugares.


28

DESPORTO

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Dança desportiva

NewStarDance no Campeonato Regional 2014 No passado dia 22, decorreu no Entroncamento a 1ª Eliminatória do Campeonato Regional de Dança Desportiva nas modalidades de dança standard e latinas. Esta prova contou com cerca de 51 pares, oriundos de todas as escolas e associação. A Newstardance esteve presente nesta prova com uma equipa de seis pares. Em dança Standard, no escalão de Juvenis 1, o par Francisco Ramos & Sofia Machado obtive o 1º lugar; nos juniores 1, iniciados, o par Francisco Bandola & Beatriz Machado obteve o 1º lugar e Daniil Bondareco & Maria Inês obteve o 2º; em Juniores 1 intermédios, o par Manuel Silva & Beatriz Ferreira ficaram em 1.º lu-

gar; em juniores 2, open, Tiago Veríssimo e Margarida Venâncio ficaram em 2º lugar e em Seniores 1 Open, Pedro Machado & Helena Machado ficaram em 1º lugar. Em dança Latina, no escalão de Juvenis 1, o par Francisco Ramos & Sofia Machado obteve o 1º lugar; nos juniores 1 intermédios o par Francisco Bandola & Beatriz Machado obteve o 1º lugar, Daniil Bondareco & Maria Inês o 3º, e Manuel Silva & Beatriz Ferreira, o 5º lugar; nos juniores 2, open, Tiago Veríssimo e Margarida Venâncio ficaram em 4º lugar. A próxima participação da NewStarDance – Clube será no Circuito Nacional, em Setúbal.

Breves Fazer Yoga pelo Planeta

Pelo oitavo ano consecutivo, o mundo fica às escuras em sinal de apoio a uma iniciativa que começou em Sydney em 2007 e que é hoje o maior evento mundial de acção ambiental. A Hora do Planeta 2013 celebra-se em 154 países. Este ano, a WWF juntou-se à Federação Portuguesa de Yoga para celebrar a Hora mais importante para o Planeta. Com o apoio da MAG - Brand & Entertainment, organizam uma Mega Aula de Yoga pelo Planeta em nove cidades

portuguesas, entre as quais, Santarém e Tomar, amanhã, sábado, pelas 20h30, em que todos são convidados a apagar as luzes e acender uma vela ecológica e… a fazer Yoga pelo Planeta…

Ténis de Mesa na Escola Sá da Bandeira

A Escola Secundária de Sá da Bandeira da cidade de Santarém é palco, dia 1 de Abril, de um Torneio de Ténis de Mesa organizado pela turma TGD2B do curso profissional de Técnico

Clube de Ténis de Santarém com campeões regionais

Maria do Carmo Ribeiro (à direita no foto) é a nova Campeã Regional de Sub 12 do Clube Ténis de Santarém (CTS), após vencer na final que se realizou em Santarém, por expressivos 6/0 e 6/1, Darya Honcharenko, do Clube Ténis de Pombal. Em pares Carmo Ribeiro e Maria Lacerda do CTS sagraram-se vice-campeãs regionais. Carminho é a actual Campeã

Nacional Sub 10 e sucede a Kika Carolino, no título de Campeã Regional dos Distritos de Leiria e Santarém. Martinho Cruz (à direita no foto) sagrou-se vice-campeão Regional de Singulares Masculinos Sub 12, após ser derrotado por Miguel Gomes do CT Alcobaça numa excelente final de quase duas horas e meia.

de Apoio à Gestão Desportiva. O torneio terá lugar no ginásio da escola e contará com a participação dos escalões de Infantis B, Iniciados, Juvenis e Juniores. Será disputado a partir das 9h00

Santarém recebe circuito nacional de minibasquetebol

O Santarém Basket Clube (SBC) recebeu a presença do director técnico do minibasquetebol nacional, San Payo Araújo, no Circuito Nacional

Mário Lemos que veio contribuir com a sua dinâmica e experiência, para que os pequenos atletas Sub 8 e Sub 10 dos cinco clubes participantes nesse circuito tivessem uma manhã de muito divertimento e basquetebol na Nave de Santarém. Noutra frente, o SBC anuncia que vai reunir a sua assembleia-geral, no próximo dia 31 de Março, no pavilhão municipal de Santarém, pelas 20h30, para apresentação do Relatório e Contas do ano de 2013.

Patinagem artística

“Os Leões” sobem ao pódio pela primeira vez

O Sport Grupo Scalabitano “Os Leões”, dois anos após a sua reactivação desportiva subiram ao pódio colectivamente pela primeira vez no “III Torneio cidade Templária” uma organização da secção de Patinagem do Sporting de Tomar, disputada no passado sábado e que contou com a presença de sete clubes e cerca de 120 patinadores. O SGS “Os Leões” fez-se representar por uma comitiva de 14 patinadores, que almejou o terceiro lugar colectivo, o resultado mais surpreendente do torneio e reflete o bom trabalho da secção de Patinagem Artística de ‘Os Leões’ que desta feita quis brindar os amantes da Patinagem Ribatejana com excelentes exibições dos seus quase desconhecidos patinadores. Dois

primeiros lugares, uma prata e três bronzes, foram os resultados individuais alcançados. Filipa Baeta e Mariana Morais, 2ª e 3ª classificadas no escalão de cadetes e Rita Carvalho, 8ª na pré-competição, deram o mote às suas colegas mais novas, que fizeram a sua primeira apresentação pública e que obtiveram os seguintes resultados: Beatriz Cabral e Maria Carolina Semião (Escalão A); Filipa Monteiro – 1ª classificada, Constança Nascimento – 3ª classificada, Bárbara Magriço e Soraia Nunes (Escalão B); Rita Guedes – 1ª classificada, Érica Feiteira – 3ª classificada, Beatriz Ferreira, Diana Rodrigues e Zafira Sidali (Escalão C).


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Ecos do Burladero Ludgero Mendes

Santarém, 22 de Março de 2014 – 16 Horas; Corrida à Portuguesa; Cavaleiros – Rui Salvador, Luís Rouxinol, Duarte Pinto e Mara Pimenta (Amadora); Grupos de Forcados Amadores de Santarém e de Montemor; 6 toiros de Prudêncio e 1 novilho-toiro de Passanha; Director de Corrida – Lourenço Luzio; Veterinário – Dr. João Nobre. Santarém viveu no passado sábado, com pouco entusiasmo, a abertura da temporada escalabitana durante a qual se assinalam as Bodas de Ouro da sua Praça de Toiros Monumental “Celestino Graça”, registando-se uma escassa presença de público – talvez menos de ¼ da lotação da praça – e apreciando-se um espectáculo parco de motivos de interesse, para o que também contribuiu o frio e a reduzida bravura dos hastados. Enfim, muita contrariedade para uma corrida só! O cartel até estava bem composto, reunindo três cavaleiros com provas dadas, uma jovem cavaleira amadora precedida de boas referências, e dois dos mais valorosos grupos de forcados em acesa, e antiga, competição. Os toiros, anunciados como terroríficos, de facto, não fizeram jus ao nome, tinham idade, estavam medianamente apresentados e, em alguns casos, até evidenciavam condições de lide, mas não lograram estimular os marialvas para melhor e mais profundo labor. Lourenço Luzio, assessorado tecnicamente pelo médico-veterinário Dr. João Nobre, dirigiu com acerto e elevada ponderação, quase não se fazendo notar, o que, à imagem do que ocorre com os árbitros de futebol, é muito bom sintoma. Rui Salvador comemora na presente temporada o trigésimo aniversário sobre a data da sua alternativa, sendo, por isso, um toureiro experiente e sabedor, atributos a que devemos juntar a honradez e a valentia de que sempre dá mostras, porém, dadas as características do seu toureio, carece de toiros que o incomodem, que apertem na reunião, e, então, rubrica os poderosos “ferros impossíveis”, de um risco e de uma verdade insuperáveis. Pois, disso não teve em Santarém, uma vez que mais parecia que os seus oponentes ali andavam apenas para cumprir calendário, sem se aplicarem na medida do desejável, especialmente o segundo, que, de tão andarilho, nem consentia a definição das sortes como mandam as regras. Rui Salvador andou diligente, sóbrio, voluntarioso, bregando com acerto, no equilíbrio entre as melhores distâncias e o mais recomendado andamento, mas as sortes saíram, em regra, insonsas, sem o aperto usual e, por isso, sem galvanizarem o público que se habituou a vibrar com o seu desempenho. Luís Rouxinol é, por estilo próprio, um

TAUROMAQUIA

29

Tarde cinzenta… em Santarém toureiro que empatiza facilmente com o público pelo dinamismo que empresta à sua função, alardeando imensas faculdades técnicas e artísticas, pelo que se impôs como um cavaleiro de grande categoria. Nesta passagem por uma praça que já lhe apreciou tantos triunfos, Rouxinol limitou-se a cumprir com dignidade, mas sem lograr atingir o plano dessas tardes memoráveis. Andou com sobriedade, tentando, e conseguindo, lidar como mandam as regras, contudo, sem a alegria e vivacidade das jornadas gloriosas que já lhe presenciámos. Cravou certeiramente a ferragem, em algumas sortes com menor colaboração das montadas, e chegou mais ao respeitável com a colocação do “palmito” e do, indispensável, par de bandarilhas, que resultou bem. Duarte Pinto é uma presença habitual em Santarém nas últimas temporadas, pelo que os aficionados escalabitanos têm acompanhado a sua progressão técnica e artística, que tem sido considerável. Não abdicando de um estilo ortodoxo, respeitador da tradição marialva, Duarte Pinto privilegia as sortes frontais, de poder a poder, e reúne em terrenos de muito risco, exigindo, para tal, toiros que não se distraiam e que invistam de largo, o que não aconteceu no passado sábado. Para mais, o cavaleiro de Paço d’Arcos, no afã de afirmar a sua honradez, concedeu a distância de todo o diâmetro da arena nos cites, pelo que o toiro saía de sorte amiúde, enfastiando o público pela insistência numa sorte a que o toiro não se ajustava. Ser fiel a um estilo de toureio não obriga que se façam as coisas sempre da mesma maneira, na medida em que o toureio tem sempre de se adequar às características do toiro, e estes toiros de Prudêncio, de facto, não se prestavam a essa função. Apesar de tudo, registaram-se detalhes bem meritórios nas lides de Duarte Pinto. A jovem cavaleira Mara Pimenta não defraudou as expectativas, desenvolvendo uma lide agradável, dinâmica, mas sem precipitações nem correrias, e evidenciou convicção e pontaria na colocação da ferragem da ordem. Bem montada, o que é uma grande ajuda, Mara foi uma lufada de juventude e de encanto nesta tarde algo sensaborona e entediante. Justificou a aposta e, naturalmente, deixou ambiente, esperando-se que possa evoluir nesta mesma linha, embora sem deslumbramentos, porque há muito trabalho pela frente. Se os toiros de Prudêncio não saíram fáceis para o toureio a cavalo, para as pegas também não foram nada cómodos, até porque o “peso da idade”, indiciador de apurado sentido e de rápida aprendizagem, também ditou as suas regras. De tal modo que apenas dois toiros foram pegados à primeira tentativa, embora ambos os Grupos tenham levado a carta a Garcia, honrando os seus pergaminhos. Pelos Amadores de Santarém, compostos por muita gente jovem, foram solistas

Manuel Dentinho, dos Amadores de Montemor

Mara Pimenta

João Vaz Freire, que consumou pega fácil ao primeiro intento, António Taurino, à terceira, fechando-se com determinação e bem ajudado, Ruben Giovety, à terceira, aguentando violentos derrotes, e, a pegar o novilho de Passanha, António Goes, que consumou pega fácil ao segundo intento. Pelos Amadores de Montemor foram solistas António Vacas de Carvalho, Cabo do

Grupo, que consumou a sua sorte apenas ao quarto intento, com ajudas carregadas, Manuel Dentinho, que se fechou eficazmente ao primeiro intento, e João Romão que realizou boa pega, à segunda tentativa. Assim foi esta corrida inaugural de uma temporada que se deseja festiva e importante, mau grado que os prenúncios não tenham sido de grande augúrio.

Curtas… Ao Estribo! Domingo, dia 30 de Março, há toiros em Salvaterra de Magos, às 17 horas. Em praça estarão os cavaleiros João Salgueiro, Paulo Jorge Santos e João Telles, que enfrentarão uma corrida de Alves Inácio, ganadaria que fará neste dia a sua apresentação. As pegas estão confiadas aos Grupos de Forcados Amadores de Évora e de Vila Franca. A 7 de Junho do ano em curso, realizar-se-á a corrida comemorativa das Bodas de Ouro da Praça de Toiros de Santarém, que será igualmente comemorativa do Centenário do Nascimento de Celestino Graça. Será uma corrida noc-

turna, na qual tomarão parte seis cavaleiros que enfrentarão toiros de José Luís de Vasconcelos e Sousa d’Andrade, com idade, peso e trapío. Nada mais se sabe ainda sobre o cartel, sendo, contudo, de esperar a participação do Grupo de Forcados Amadores de Santarém, a viver já a centésima temporada ininterrupta e que no próximo ano celebrará o centenário da sua fundação. Esta corrida de “gala ribatejana” será precedida de um desfile de campinos e de cavaleiros e de uma procissão à luz das velas. A coisa promete… A Sociedade do Campo Pequeno, SA, agora com nova Administra-

ção, já fez a apresentação dos cartéis da primeira parte do Abono 2014, onde pontificam algumas figuras do toureio a cavalo e apeado, pese embora que ainda muitos toureiros que no ano passado deram nas vistas tenham ficado de fora das combinações. Parece que entrarão na segunda metade, segundo referiu Rui Bento Vasques. Na corrida inaugural, que terá lugar a 15 de Maio, actuam Rui Salvador, Pablo Hermozo de Mendoza e João Moura Jr., os Grupos de Forcados Amadores de Évora e os do Aposento da Moita, que enfrentarão toiros de Santa Maria. Para a semana daremos todos os pormenores…


30

CORREIO POLICIAL

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Problema policial, por MêBêDê

Caçada nocturna Domingos Cabral Rua Serpa Pinto 98 2000-046 Santarém geral@correiodoribatejo.com d.cabral@sapo.pt

Após 54 anos de actividade profissional e 48 de descontos (ainda não há muito foi adoptada designação mais enfática: carreira contributiva) “MêBêDê” entrou na hierarquia dos aposentados. Desde então, apesar das diárias andadas (no mínimo, duas horas a caminhar), assistência aos cinco netos (em especial, aquando das férias escolares), tem diligenciado manter a ginástica mental iniciada em meados do século transacto (embora, ultimamente, problemas de visão estejam a dificultar tal propósito); também usufruindo dilatados períodos na aldeia das origens. Localizada no fundo de um vale, rodeada de montes arborizados, na povoação o tão apregoado “choque tecnológico” parece de “complicadex“ abrangimento, sobretudo dadas as deficientes condições receptivas. Na televisão, pelo sistema normal tão-só são captados os dois emissores estatais (os outros apenas por cabo, via satélite, com custos de instalação muito elevados e, por isso, unicamente são visíveis no café do Zeca) e, quanto a telemóveis, é constante a procura de sítios onde o aparelho consiga ligação (mesmo assim, amiúde ficando sem rede a meio do diálogo). Mas, em contrapartida, os ares são despoluídos, as sombras aprazíveis, as águas virgíneas (isto é, sem gustação anti-séptica), sendo quase geral a fraterna convivência (antes, dia e noite, as chaves ficavam nas portas, pelo lado de fora; agora não acontece tanto assim – precatadamente, ao crepúsculo, são recolhidas). E, na face do veraneio, então, na ribeira que a beija, é estabelecida uma praia fluvial, com cerca de duzentos metros de extensão, propícia a refrescantes mergulhos e sequentes banhocas, para gáudio dos locais e daqueles que, vindos de lugares vizinhos, lhe transmitem o cariz de romaria. Dissimulado e silencioso, aproveitando as zonas obscuras procedentes da ténue iluminação na via pública, o vulto avançou com presteza. Franqueada a cancela de acesso à propriedade, dirigiu-se à arrecadação onde sabia haver a entrada para o anexo em que estavam galinhas e coelhos. Experimentou o trinco da porta; em vão – estava fechada à chave e esta fora levada. Nessa altura, a amplificação sonora da torre difundiu as onze badaladas do relógio instalado na sacristia da igreja matriz, circunstância aproveitada para insistente abanicar da porta, na suposição de eventual cedência, o que não sucedeu. Extinto o som da última pancada, pressentindo ligeiro restolhar, quedou-se à escuta,

num derramado aguardamento; todavia, no sossego da cálida noite, constituía excepção ouvir-se o coaxar das rãs junto à ribeira, de onde conjecturar que o esbatido rumor fora originado por cão vadio ou bicharoco rastejante, em deambulações noctívagas. Assim, depois de acautelada pausa em expectativa, pisando a terra mole (devido à rega diária feita ao anoitecer, a fim de revigorar os produtos hortícolas dos efeitos da canícula), com a ajuda de pequena lanterna de bolso, acercou-se da janela da arrecadação, a qual presumia entreaberta para refrescar o local. Efectivamente, tal verificou, pelo que não teve dificuldades em a galgar – deixando marcas do calçado lamoso nos sacos de ração e adubo sob a mesma. De seguida, procedeu à fácil abertura da coelheira, transladou anafado láparo para um saco de linhagem e pisgouse… Na manhã da segunda-feira imediata à chegada, MêBêDê encontrou o parente e amigo “Manel da eira” bastante sorumbático, tendo-lhe este transmitido que há pouco, ao preparar a alimentação dos animais, averiguara o desaparecimento, naquela noite, do melhor coelho; mais adicionando que, nos últimos tempos, esse género de furtos estavam a tornar-se frequentes, pois vários conterrâneos queixavam-se de idênticos rapinanços. E logo se esquecera de fechar a janela. Ora, inoculado da prosápia de “estar por dentro” no referente a investigações policiais (meio século a ler narrativas e também na pesquisa clarificadora de enigmas deste teor facultam o pressuposto), MêBêDê encetou diligências no sentido de intentar descobrir quem seria o motivador da situação. Daí, o seu “faro” levou-o até recôndita adega, deparando com três compinchas a banquetear-se com opíparo petisco (o cheiro fazia engolir em seco; aquilo deveria estar de “lamber a beiça”): “Tóino pipo”, “Xico d’avó” e “Joaquim meia-ó”. Em jeito entediado, acercou-se da abertura e cogitou. Convidaram-no a entrar (o que fez de imediato, sem arrepsia), e “alinhar” no, segundo disseram, coelho guisado (aí escusou-se, argumentando ter acabado de almoçar). Efectuados os cumprimentos da praxe, inquiriu quem era o aniversariante, mas nenhum respondeu. Tentou estratégia alternativa: “ontem à noite estive no café do Zeca e não vos vi…” “Tóino-pipo” (o epíteto retrata a personagem: atarracado, convexo e “copofónico

militante”) casquinou difusa risada, enquanto dizia: “Estivemos lá, pois! Até pesquei monumental “cardina” que raios me partam se alembro como fui parar à cama. Mas já recuperei; ultrapasso facilmente as ressacas e, pelos vistos, outra vem a caminho…” “Xico d’avó” (fanhoso, atacado por uma daquelas constipações de Verão provocadoras de incessantes espirros e assoadelas, como era evidente) interrompeu-o: “Chiça! Quantas vezes é preciso esclarecer-te que te reboquei para o cimo da vila e ajudei a tua mulher a deitar-te”. E, voltandose para o indagador, acrescentou: “Saímos os três de lá por volta das nove horas, ainda estava a dar o Telejornal. Depois de pôr o meu vizinho em casa, dirigi-me à minha, preparei um café forte com aguardente e mel, procurando atalhar esta carraspana que parece enraizada e fiquei lá.” Por sua vez, o “Jaquim-meia-ó” (desde sempre caracterizado pela impoluta camisa branca, vincada calça preta e sapatos lustrosos, assecla ferrenho das coisas futebolísticas, castiço e chistoso no modo de falar), confirmando o horário indicado pelos parceiros (e as condições em que saíram), aditou: “Quando cheguei a casa, a “ti” Palmira (sua esposa) olhava a televisão, pusemo-nos à conversa, cerca das dez horas, ela alegou estar a sentir o efeito do comprimido para dormir e foi-se deitar. Como a programação de ambos os canais era xaroposa, aguardei a costumada meia hora para a “ti” Palmira ferrar no sono, e imitei-a. Entretanto, pretendi arejar à janela, ao escuro e, pouco depois das onze horas, vi uma sombra para os lados do “Manel da eira”, transportando um saco onde algo estrebuchava…” E, temendo por demais estendida a lenga -lenga, “fecho a tenda”. No entanto, como “manda o figurino” (e prevendo que o coelho manjado pela trindade fosse o extorquido ao “Manel da eira”, questiono: 1. Quem larapiou (obviamente, a prescrição terá de ser complementada através de consentânea justificativa). 2. Ponderadas as circunstâncias descritas, acaso MêBêDê granjearia hipótese de esclarecer o imbróglio? As soluções deverão ser enviadas no prazo de 10 dias, para um dos endereços supra. Entre as recebidas será sorteado um livro. A solução e o nome do contemplado serão publicados no dia 4 de Abril.

Burlas, Burlões e outros Aldrabões Solução do problema “Um Enigma para Gustavo”, publicado no dia 13 de Março: Foi Vinhas, o autor do roubo das peras. As tentativas dos seus colegas resultaram infrutíferas, mas ele foi mais ardiloso. Como? Passava grande parte do tempo a passear a sua cadela e, naquele dia, em determinada altura, ralhou-lhe atirando um pequeno seixo a um rafeiro que se aproximava… porque aquela andava com o cio… Assim, foi fácil: encontrando-se no trinco o portão gradeado do pomar, apenas teve que o abrir e fazer entrar a cadela e, enquanto o cartão que o guardava “usufruía” daquela inesperada visita, o dono da “bicha” apanhava as peras – frustrando assim com engenho a convicção do dono do pomar quanto à inexpugnabilidade do mesmo… Concorrente contemplado: “Bigode”

Tempos depois da sua venda da Torre Eiffel (episódio aqui publicado no dia 28 de Fevereiro) Victor Lusting convenceu Al Capone – esse mesmo – a realizar um negócio; uma suposta fraude (ainda que falsa) que geraria um lucro de quarenta mil dólares em sessenta dias. Em vez de gastar o dinheiro que o mafioso lhe entregou, depositou-o num banco durante dois meses, passados os quais embolsou os ju-

Jogos lógicos

1 – Um burro está morto de sede e fome. Colocaram ao seu alcance uma vasilha com água e um molho de feno. O que preferirá: comer ou beber? 2 – Um explorador foi alcunhado de mentiroso por afirmar por afirmar ter morto duas morsas, com uma espingarda de cinco tiros, nas regiões geladas do Polo Sul. Porquê?

ros, devolvendo o capital a Al Capone, juntamente com uma nota de desculpas falsa, na qual dizia que o negócio tinha falhado. Al Capone, surpreendido pela “integridade” do seu novo sócio, enviou-lhe a soma de cinco mil dólares como agradecimento por não ter fugido com o dinheiro. Lusting ganhou, assim, não só o respeito de um dos maiores mafiosos (o que naqueles tempos significava muito), como ainda o enganou.

Vários anos depois, Lusting foi apanhado numa das suas burlas e enviado para a prisão de Alcatraz, na qual, como seria de esperar, arranjou as coisas para viver como um rei até á sua morte, a 9 de Março de 1947. (Reproduzido do Livro “História Insólita do Mundo”, de Gregório Doval, da Editora Marcador, com a devida autorização).

3 – Um homem, quando fazia o seu trabalho profissional, foi morto, porque lhe faltou uma peça de mobiliário. Qual o seu trabalho?

6 – Durante a Segunda Guerra Mundial, os alemães treinaram cães para, carregados de explosivos, se colocarem debaixo dos tanques inimigos e esperarem que a carga explodisse. Soltaram os cães, mas, em breve, tiveram de abater todos esses cães treinados. Porquê?

4 – O que é que, parado, deixa três marcas e, a andar, deixa uma? 5 – De dois indivíduos completamente carecas, qual é o mais careca?

Envie-nos as respostas no prazo de 10 dias e ficará habilitado a ganhar um livro, que sortearemos entre as recebidas.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Sudoku

PASSATEMPO

As anedotas do Barbosa

31

Soluções Edição Anterior

A que horas são servidas as ‘refêções’? Um casal alentejano foi conhecer Lisboa. Como o hotel onde ficaram estava longe do centro da cidade, o alentejano perguntou ao recepcionista: - Antão, amigo, diga-me lá. A que horas são servidas as ‘refêções’? O recepcionista: - O pequeno-almoço é das oito às dez e meia, o almoço é das doze e trinta às quinze e o jantar é das sete e meia às nove. O alentejano: - C´os diabos, homê! Antão, que tempo éi que nos fica para visitari a cidadi?!

Palavras Cruzadas HORIZONTAIS

1 – As partes laterais da cara. Põem os pés sobre alguma coisa. 2 – Põem abas. Conserve-se, mantendo as mesmas qualidades. 3 – Outorgar. Tornar rútilo. 4 – Xarope de vinagre com mel. Pesar. 5 – Iguaria feita de legumes, hortaliças ou frutos variados. 6 – Vara para fazer vogar uma embarcação. Leste, oriente. 7 – Grave, importante. 8 – Dó (Ant.). Ficamos. 9 – Ponha em revolução. Cidade do Peru. 10 – Relato do que se disse ou se fez em assembleias (pl.). Género típico das aceráceas. 11 – Parte do círculo compreendida entre dois raios e o arco respetivo. Velha. VERTICAIS

1 – Predestinam. Saras. 2 – Segurar pela gola do casaco, agredir (Pop.). Ato de espreitar, brincando (Pop.). 3 – Não têm o que é preciso. Vaticano (abrev.). 4 – Preposição. Pavoroso. 5 – Mel rosado. 6 – Árvore de São Tomé, de madeira avermelhada. Permanece. 7 – Posto militar imediatamente inferior ao de capitão. 8 – Pessoa que compõe idílios. Negação (Pref.). 9 – Ponto cardeal oposto ao norte. Relativo aos átomos. 10 – Cidade romena, junto do rio Maro. Família de peixes que têm por tipo o lúcio. 11 – Simples. Ousara (Arc.).

Horóscopo CARNEIRO Carta Dominante: 10 de Copas, que significa Felicidade. Amor: Sentirá que tudo corre na perfeição. Que a alegria de viver esteja sempre na sua vida! Saúde: Cuidado com os esforços físicos. Dinheiro: Não se descuide, pois está a ir por um óptimo caminho a nível profissional. Números da Sorte: 17, 23, 45, 2, 19, 40. Pensamento positivo: A felicidade alegra o meu coração! TOURO Carta Dominante: 9 de Copas, que significa Vitória. Amor: Poderá reencontrar um antigo amor. Esteja receptiva pois o Cupido pode bater-lhe à porta! Saúde: Evite situações de stress. Dinheiro: Faça contas à vida e veja bem com o que pode contar. Números da Sorte: 49, 15, 39, 22, 1, 30. Pensamento positivo: Tenho a capacidade para vencer todos os desafios que a vida me apresenta. GÉMEOS Carta Dominante: 5 de Ouros, que significa Perda/ Falha. Amor: Lute pelo verdadeiro amor, não se deixe influenciar por terceiros. Você merece ser feliz! Saúde: Não invente doenças quando realmente não as tem. Dinheiro: Este é um bom momento para investir, aproveite. Números da Sorte: 21, 30, 25, 11, 5, 32. Pensamento positivo: Acredito que posso recuperar o que perdi, estou sempre a tempo de vencer. CARANGUEJO Carta Dominante: Rainha de Espadas, que significa Melancolia, Separação.

Amor: Poderá ter que enfrentar uma separação. Procure ter pensamentos optimistas e ver as situações pelo lado positivo. Saúde: Possíveis dores de rins. Dinheiro: Avalie os seus gastos. Números da Sorte: 12, 41, 20, 36, 4, 17. Pensamento positivo: Enfrento com optimismo mesmo as situações mais difíceis. LEÃO Carta Dominante: 3 de Paus, que significa Iniciativa. Amor: Não viva ansioso com a ideia de perder a pessoa que tem ao seu lado, aproveite antes todos os momentos que tem para estar com o seu companheiro. Viva a sua vida para que o seu exemplo possa servir de modelo aos outros! Saúde: Não se desleixe e cuide de si. Dinheiro: As suas economias estão a descer, tenha algum cuidado. Números da Sorte: 12, 4, 32, 47, 19, 7. Pensamento positivo: Graças ao meu espírito de iniciativa alcanço aquilo que desejo. VIRGEM Carta Dominante: os Enamorados, que significa Escolha. Amor: Exprima os seus sentimentos sem ter medo de ser rejeitado. Com os nossos pensamentos e palavras criamos o mundo em que vivemos! Saúde: Cuidado com o calor. Dinheiro: Poderá ter que optar por um ou outro emprego que lhe surja. Números da Sorte: 33, 20, 4, 36, 19, 1. Pensamento positivo: Aprendo a escolher aquilo que é melhor para mim.

BALANÇA Carta Dominante: 8 de Ouros, que significa Esforço Pessoal. Amor: O seu coração está um pouco dividido, pense bem qual o caminho que deve seguir. Tenha a convicção de que é uma pessoa com um potencial intelectual enorme. Aprenda a soltar toda essa Força e Luz interior que desconhece. Saúde: Faça uma limpeza geral aos seus dentes para poder ter um sorriso radiante. Dinheiro: A vitalidade e esforço que tem demonstrado no trabalho estão a ser muito favoráveis para si. Números da Sorte: 20, 47, 6, 22, 45, 9. Pensamento positivo: Graças ao meu esforço e confiança em mim próprio consigo vencer todos os obstáculos. ESCORPIÃO Carta Dominante: Rei de Espadas, que significa Poder, Autoridade. Amor: A concórdia e o amor reinarão na sua relação afectiva. A felicidade na sua casa depende da educação que der aos seus filhos, por isso, preste atenção à formação que lhes dá. Saúde: Tente controlar as suas emoções para que o seu sistema nervoso não se ressinta. Dinheiro: Não haverá nenhuma alteração significativa. Números da Sorte: 24, 17, 46, 30, 9, 11. Pensamento positivo: Sei usar a minha autoridade com justiça e rectidão. SAGITÁRIO Carta Dominante: 6 de Paus, que significa Ganho. Amor: O seu companheiro poderá estar mais afastado mas não será nada de preocupante. A força do im-

pulso está em si e só você pode criar as circunstâncias propícias à realização dos seus projectos. Tome a iniciativa, é você que cria as oportunidades! Saúde: Muito favorável, aproveite e pratique exercício físico. Dinheiro: Notará que o seu esforço a nível de trabalho será recompensado. Números da Sorte: 41, 23, 47, 36, 21, 27. Pensamento positivo: Ganho o respeito dos outros porque me respeito a mim mesmo. CAPRICÓRNIO Carta Dominante: Valete de Paus, que significa Amigo, Notícias Inesperadas. Amor: Irá manifestar-se em si uma grande energia sensual. Enfrente os seus medos e as suas dúvidas e será feliz! Saúde: Não seja céptico quanto à medicina natural. Dinheiro: Resolverá os seus problemas facilmente. Números da Sorte: 22, 17, 36, 40, 9, 25. Pensamento positivo: Estou disponível para as alegrias que a amizade me traz! AQUÁRIO Carta Dominante: Valete de Copas, que significa Lealdade, Reflexão. Amor: Permita que a sua relação seja mais liberal, não é a prender a outra pessoa que conseguimos que ela nos ame. Seja paciente e compreensivo com as pessoas que vivem a seu lado! Saúde: Tente não andar muito tenso. Dinheiro: Sem preocupações. Números da Sorte: 14, 19, 23, 46, 2, 42. Pensamento positivo: Sou leal e sincero para com os outros e comigo mesmo. PEIXES Carta Dominante: Rei de Paus, que significa Força, Coragem e Justiça. Amor: Seja mais audaz no amor. “Ama o próximo como a ti mesmo” – Esta foi a mensagem que Cristo nos deixou; se a seguir será feliz! Saúde: O excesso de ansiedade não é favorável para a sua saúde. Dinheiro: Seja mais equilibrado nos seus gastos. Números da Sorte: 20, 13, 4, 26, 7, 10. Pensamento positivo: Tenho a força e a coragem necessárias para exercer a justiça na minha vida!

www.correiodoribatejo.com Semanário Regional Fundado a 9 de Abril de 1891 Fundador: João Arruda Director de Mérito: Virgílio Arruda DIRECTOR João Paulo Narciso (C.P. n.º 2097) paulo.narciso@correiodoribatejo.com REDACÇÃO Filipe Mendes (C. P. n.º 7984) filipe.mendes@correiodoribatejo.com COLABORADORES DE MÉRITO Joaquim Veríssimo Serrão, João Gomes Moreira, Bertino Coelho Martins e Mário Sousa Cardoso COLABORADORES Alberto Silva, António Canavarro, Cândido Azevedo, Domingos Cabral (Correio Policial), José Barbosa, José Raimundo Noras, Ludgero Mendes (Tauromaquia), Luísa Barbosa, Maria-Alzira Almeida, Martinho Vicente Rodrigues, Nelson Ferrão, Nuno Domingos, Teresa Lopes Moreira e Vicente Batalha COLUNISTAS António Filipe, Aurélio Lopes, Carlos Oliveira, Fátima Vasques, Francisco Morgado, Idália Serrão, Ilídio Tomás Lopes, José Augusto Rodrigues, Manuela Marques, Manuela Ribeiro, Maria Fernanda Barata, Massimo Esposito, Nuno Serra e Tiago Leite REDACÇÃO Rua Serpa Pinto, 98 2000-046 Santarém Tel: 243 321 116 geral@correiodoribatejo.com facebook@correiodoribatejo.com DEPARTAMENTO COMERCIAL/PUBLICIDADE Maria Lopes 910 719 513 243 321 116 geral@correiodoribatejo.com publicidade@correiodoribatejo.com Secretariado Carlos Benzinho 910 719 513 243 321 116 DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO E ASSINATURAS Carlos Benzinho geral@correiodoribatejo.com ASSINATURAS Semestral: 10 Euros Anual: 20 Euros Avulso: 0,70 Euros (IVA Incluído) DEPARTAMENTO GRÁFICO Kriamos www.kriamos.pt IMPRESSÃO CORAZE Oliveira de Azeméis DISTRIBUIÇÃO Vasp – Sociedade de Transportes e Distribuições, Lda. EMPRESA EDITORA E PROPRIETÁRIA Verdade das Palavras, Comunicação Social , Lda Rua Serpa Pinto, 98 2000-046 Santarém Tel.: 243 321 116 Capital social: 30 mil euros Depósito Legal: 66102/93 N.º de Registo do Título:102555 ISSN 1647 – 2608 Contribuinte n.º 510 075 398 Tiragem: 4600 exemplares


32

ÚLTIMA

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 28 DE MARÇO DE 2014

Um especialista disse que Portugal está em “alerta super vermelho” quanto a natalidade e afirmou que vamos ter de trabalhar pelo menos 20 anos se quisermos inverter essa tendência…

Não sei a que tipo de trabalho o especialista se refere… O certo é que se continuarmos a desaparecer a este ritmo vamos ser tantos quantos eramos na Idade Média…

Joaquina Romão, administradora do TorreShopping

Uma diminuição que demonstra uma enorme coerência com os salários que já recuaram até lá…

“A gestão está no ADN das mulheres” No próximo dia 01 de Abril o TorreShopping, em Torres Novas, assinala o seu nono aniversário. Projecto e investimento inicial do grupo Mateus, em 2006, o espaço foi cedido ao fundo alemão Deka, por 30,25 milhões de euros. Aquele que é o primeiro shopping do Médio Tejo, continua a ser uma referência na região e um ponto de encontro para muitas famílias, sobretudo ao fim-de-semana, recebendo uma média de 2,5 milhões de visitas anuais. A propósito da efeméride, o Correio do Ribatejo esteve à conversa com Joaquina Romão, administradora deste centro comercial que já se tornou um pólo de atracção e o ‘centro’ da vida de uma população alargada de cerca de 226 mil habitantes, distribuídos pelos concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Golegã, Ourém, Tomar e Vila Nova da Barquinha. Nesta entrevista, Joaquina Romão confessa que é difícil conciliar a vida familiar com a profissional e considera que a gestão está no ADN das mulheres porque, afinal, foram sempre elas “as gestoras dos orçamentos familiares durante gerações e gerações”. Como começou sua trajectória profissional? Muito diferente da que tenho agora. Como muitos jovens, deixei a escola no 9º ano porque queria trabalhar, mas logo percebi que para a construção do meu futuro fazia falta aprender mais e evoluir. Considera que as mulheres são melhores gestoras? Está no seu ADN, afinal sempre foram as mulheres as gestoras dos orçamentos familiares durante gerações e gerações... Na sua opinião, a sociedade portuguesa já aceita e respeita a mulher gestora ou

ainda existe algum preconceito? Cada vez sentimos menos esse preconceito embora, infelizmente, ainda exista em algumas áreas de negócio. Que desafios principais se colocam a uma mulher no comando de uma grande empresa ou organização, como é o caso do TorreShopping? O grande desafio é, sem dúvida, conciliar os deveres profissionais com os ‘deveres’ familiares. Como consegue conciliar esses dois aspectos? Tento dar o meu melhor todos os dias, mas tenho momentos “apertados”. São duas áreas muito importantes na minha vida. Os meus filhos sempre visitaram o meu espaço profissional para que percebam onde está a mãe quando não está junto deles. Portugal teria a ganhar se houvesse uma mulher no lugar do actual primeiro-ministro? Não sei, temos o exemplo da Merkel [Chanceler Alemã]... (risos) Lema de Vida? Recuso-me ser infeliz. Se pudesse alterar algum facto da História de Portugal qual alteraria? Não alteraria, todos tiveram uma razão para terem acontecido. Prato favorito? Vários, mas essencialmente comida portuguesa e, em especial, alentejana. Música? Várias e variadas… O que mais aprecia nas pessoas? Credibilidade, acções em concordância com as palavras. O que mais detesta nelas? Hipocrisia e mentes pequenas. Acordo ortográfico. Sim ou não? Não. Se os sete pecados mortais fossem oito, qual seria o oitavo? Falta de consciência ou irresponsabilidade, não terem em conta terceiros... Comportamentos que, embora não sejam ilegais, não deveriam existir.

PONTO FINAL paulo.narciso@correiodoribatejo.com

Um Grupo de Amigos do Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão iniciou uma recolha de fundos com o firme objectivo de erguer uma estátua ao Historiador na cidade de Santarém. Uma nobre decisão que engrandece quem a pratica e serve de agradecimento por tudo quanto o Professor nos doou. A estátua vai ser levantada junto ao Centro de Investigação com o seu nome e constituirá o reconhecimento dos cidadãos para com um Homem que sempre soube honrar a cidade de Santarém que tanto ama, o Ribatejo e o País que retratou em brilhantes livros de História. Uma estátua para Joaquim Veríssimo Serrão é sabermos respeitar e agradecer aos homens bons desta cidade, perpetuando um obrigado que sempre lhe deveremos, por tudo quanto fez por nós e pelo nosso futuro. Mais sentido terá fazê-lo em vida, para que o homenageado possa assistir a este caloroso abraço colectivo, em forma de sentido agradecimento. O perfil cívico de Joaquim Veríssimo Serrão, a obra escrita que nos deixa, merece que esse reconhecimento parta também do mundo académico e do próprio governo da Nação que lhe deve, igualmente, essa atenção, por tudo o que esta “figura singular de exaltante inteligência e saber profundo” deu ao País que serviu. Quem quiser contribuir com um donativo para ajudar a erguer este projecto poderá fazê-lo, através do envio de cheque ou vale postal, para Zito Manuel Videira (Amigos do Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão) Rua Bernardino Ribeiro, n.º 39, 2000-202 Santarém, ou através de depósito bancário (CGD) para o NIB 00350 727 0000 33580 6131. O Professor e Santarém merecem. Merecem, sobretudo, que a estatuária que se erga futuramente nesta cidade nos saiba transmitir bem mais do que apenas a visão de um artista e que nos toque a alma, como parte integrante da nossa história e, por isso, de nós próprios. João Paulo Narciso PUB

Cr 28 marco 2014  

Edição de 28 de Março de 2014 do Correio do Ribatejo

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you