Page 1

Caro assinante: Está a pagamento a assinatura deste Jornal. Regularize a sua situação e continue a recebe-lo em sua casa.

Fundado em 1891 por João Arruda - Director: João Paulo Narciso

CORREIODORIBATEJO.COM

ANO: CXXII NÚMERO: 6403

SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014 PUB

Luis Vasconcellos e Souza

Santarém

Agromais Plus assinala 15 anos ao serviço do agricultor

Câmara avança com “peritagem jurídica” ao estacionamento tarifado

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS PÁG. 13

Estrada Nacional 3 - Km 41,2 Portela das Padeiras - 2000-646 Santarém Tel.: 243 356 000 - Fax: 243 352 113 geral@pneusol.pt

SOCIEDADE PÁG. 06

Dia Internacional da Mulher

A visão das mulheres numa política feita por homens No distrito de Santarém, apenas cinco dos 21 municípios são conduzidos por mulheres. Na véspera do Dia Internacional da Mulher, o Correio do Ribatejo lança um conjunto de entrevistas com as autarcas, onde estas fazem a sua leitura da “Política no Feminino” e falam sobre o (ainda) visível défice de representação nos órgãos de decisão da comunidade.

PÁG 02 A 04

Inauguração

40 anos do 25 de Abril

Comemoração

Lar de Idosos de Vale de Figueira inaugurado por Pedro Mota Soares

Comemorações já arrancaram numa cidade que “está na história do 25 de Abril”

Teatro Sá da Bandeira assinala o 10º aniversário da sua reabilitação

SOCIEDADE PÁG 08

SOCIEDADE PÁG 09

CULTURA PÁG 11

Edição de 6ª -feira - Preço: € 0.70 - Semanário Regional T. 243 321 116 / 910 719 513 Redacção: Rua Serpa Pinto Nº 98 2000-046 SANTARÉM Aponte o seu smartphone e instale já a aplicação Correio do Ribatejo para iOS e Android PUB


2

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

A visão das mulheres numa política feita por homens Em Julho de 1998 foi aprovada pelo Conselho de Ministros uma Proposta de Lei cujo objectivo passava por impor uma percentagem média de 25% de mulheres nas listas de cada partido nas legislativas de 1999 e atingir os 33,3% em 2007. A medida visava corrigir o défice

de participação feminina na política. Logo nesse ano, várias vozes questionaram a pertinência desta proposta porque entendiam que as quotas serviam apenas de peneira para tapar o sol e não resolviam a questão de fundo. Perto de 16 anos depois, é certo

que o número de mulheres em posições de liderança cresceu. Mas ainda é tímido. Amanhã, assinala-se o Dia Internacional da Mulher e esta foi a oportunidade encontrada pelo Correio do Ribatejo para reflectir sobre o papel da mulher na política e o (ainda) visível défice da sua representação

Maria do Céu Albuquerque Presidente da Câmara Municipal de Abrantes O clima de austeridade propiciado pela crise leva a um aumento do desemprego, da dependência económica, de situações de violência de género.

1

Há que ter em consideração que a própria crise leva à diminuição da natalidade, mas a par disso começa a haver uma questão social: é uma opção de vida. De qualquer forma, creio que é uma situação que deixou de ser conjuntural e que corre o risco de se tornar estrutural.Nesta matéria já se fez muito: as licenças de maternidade e parentalidade e o subsídio parental inicial, são um bom exemplo disso. Por outro lado o facto da escola pública ter passado a ser a tempo inteiro, as questões relacionadas com os horários de trabalho (flexibilidade, possibilidade de ter uma bolsa horas ou a jornada contínua), a ocupação de tempos livres nas férias e a nível local, a existência da creche do Centro Social do Pessoal

2

do Município como uma resposta concreta às necessidades das famílias. Precisamos de maior estabilidade social, económica e financeira para poder estimular a natalidade. A criação de mais emprego é uma condição essencial para a fixação de jovens e de famílias e para a promoção da desejada estabilidade social. Sabemos que em relação às mulheres o desemprego é maior. O número de vítimas de violência doméstica também tem vindo a aumentar. Nesta matéria a Rede Especializada de Intervenção na Violência Doméstica de Abrantes, tem vindo a desenvolver um importante trabalho ao nível da sensibilização para as questões da violência de género e da proteção das vítimas.

3

4

As pessoas perguntaram-me muitas vezes o que ía fazer ao meu marido e às minhas filhas… e eu respondia sem-

pre se tinham perguntado o mesmo ao meu antecessor, que entrou para a Câmara em condições idênticas. Senti o peso do preconceito por ser mulher e por ser jovem. Felizmente, hoje as pessoas aceitam bem o facto de terem uma mulher como presidente da Câmara. Haver um conjunto de homens e mulheres que acreditaram na minha capacidade e que acharam que eu tinha condições para aceitar este desafio. O facto de sentir que podia dar mais alguma coisa à comunidade. Como dizia Maria de Lourdes Pintasilgo: “ Se queremos um futuro melhor, o futuro começa hoje e está nas nossas mãos”!

5

Na história recente, Maria de Lourdes Pintasilgo pelo seu percurso e pelo trabalho de uma vida na luta pelos direitos das mulheres.

6

Fernanda Asseiceira Presidente da Câmara Municipal de Alcanena A crise que estamos a viver não é uma crise de igualdade de género!! A crise económica e financeira que enfrentamos, com reflexos em toda a vida na sociedade, nas famílias, nas empresas… precisa de todos e de todas para ser ultrapassada. Pelo contrário… a posição da mulher sairá também reforçada pois está em igualdade de dificuldades com o homem!!

1

Ao estado económico e social a que chegámos, têm que ser medidas em várias áreas: - Promover a oferta de emprego estável para que os jovens não tenham que emigrar e casar e constituir família noutros países. Atualmente as entidades públicas estão obrigadas a reduzir anualmente o número de trabalhadores em 2% ao ano. Essa redução podia ser compensada se fossem contratados jovens na mesma proporção da redução verificada; - Promover o arrendamento jovem com rendas acessíveis e com reduções estabelecidas de acordo com o número de

2

filhos: - Maiores benefícios fiscais na educação e na saúde para os casais com filhos e aumentando proporcionalmente ao número de filhos. As mulheres estão já habituadas a enfrentar e a superar grandes dificuldades, todo o seu percurso foi feito de lutas e de conquistas,… mas todos sabemos e sentimos que a generalidade das pessoas e das famílias passam por maiores dificuldades. A falta de emprego, os baixos salários, menores rendimentos para assumirem as despesas… as situações agravam-se quando há problemas de saúde associados e filhos em idade escolar!

3

Foi um processo que evoluiu com naturalidade… fui aceitando desafios… fui estando à altura de os assumir!! E isso só aconteceu porque as pessoas foram acreditando e confiando em mim. E é esse que continua a ser o meu grande desafio… as pessoas continuarem a acre-

4

ditar e a confiar em mim! É a maior recompensa que posso ter no exercício das minhas funções políticas. Tudo começou quando aceitei o convite de ser Delegada do INATEL em Santarém… a seguir veio o convite para ir na lista à Câmara Municipal de Alcanena…. Perdemos… mas eu fiquei… até Hoje!! Constatei que gostava da causa pública… de trabalhar para contribuir para melhorar a vida das pessoas!

5

Maria de Lurdes Pintassilgo, Natália Correia e Maria Barroso. Através destas três personalidades, permitam-me que neste dia 08 de Março de 2014,dia em que em Alcanena, lançamos oficialmente as comemorações do centenário do concelho… que preste uma homenagem a todas as mulheres que ao longo destes 100 anos, contribuíram para a criação e para o desenvolvimento do concelho de Alcanena!

6

nos órgãos de decisão da comunidade. Nesta edição, lançamos entrevistas às cinco mulheres que foram eleitas para liderar os destinos de autarquias no distrito de Santarém e representam apenas 23 por cento do total de presidentes de Câmara na região.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

1

De que modo a crise está a contribuir para haver um retrocesso na emancipação da mulher?

2

Quais as políticas que, na sua opinião, poderiam contribuir para promover a natalidade e a conciliação da vida familiar com a profissional?

3

Que percepção tem, enquanto autarca, da situação económica e social no distrito, nomeadamente em relação às mulheres?

4 5

Que dificuldades sentiu quando decidiu seguir uma carreira na política?

6

Qual é a personalidade ou personalidades nacionais que, na sua opinião, merecem um lugar de relevo na História, pela luta da emancipação da mulher?

O que motivou essa entrada?

Isaura Morais Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior Penso que são questões que nada têm de comum. A emancipação da mulher não é posta em causa, embora ela seja, em grande parte dos casos, a verdadeira “gestora” das consequências que a crise tráz às famílias. No que diz respeito ao emprego, sabemos que o mercado de emprego de hoje é difícil mas penso que afeta de igual forma homens e mulheres

As dificuldades sociais sentidas em Santarém são comuns aos restantes distritos do país. Tivemos que cumprir um programa de ajustamento muito duro, socialmente e economicamente falando, e a economia portuguesa de hoje, apesar de apresentar alguns dados muito positivos que, espero eu, se refletirão a breve prazo nos nossos homens e mulheres.

Como sabe não tenho um percurso politico partidário que muitos dos meus colegas têm, costumo dizer que cheguei onde cheguei por mero acaso, porque um dia me desafiaram a ser candidata a Presidente da Junta de Freguesia de Rio Maior e, depois de muito pensar, aceitei, sem saber que esse sim me traria ao lugar que ocupo hoje.

Na minha opinião, as medidas poderiam vir a passar por incentivos monetários ao aumento da natalidade, maiores períodos de permanência dos pais com as crianças, a possibilidade de negociar com os empregadores um banco de horas que pudesse dar ao horário de emprego dos pais alguma flexibilidade. Poder-se-ia vir a considerar também que a mãe ou pai que assuma como seu encargo o cuidar dos filhos em regime exclusivo estaria a prestar um serviço que poderia ser encarado como “público”, sendo por isso esse tempo contabilizado para fins da reforma e merecedor de uma subvenção social.

Eu não decidi seguir uma carreira política, foi um conjunto de situações que me levou a assumir uma candidatura a um cargo politico que me trouxe ao lugar que hoje ocupo como Presidente da Câmara. A minha única preocupação hoje é conseguir satisfazer os interesses do meu concelho e dos meus munícipes, nada mais. As dificuldades para quem ocupa um cargo público são relacionadas principalmente com a maior exposição da nossa vida, da nossa família, a que nunca nos habituamos. O que me motivou a assumir o desafio de ocupar um cargo político foi o poder fazer mais e melhor pelos meus concidadãos.

Não me atrevo a escolher uma personalidade ou personalidades que ocupem um lugar de relevo naquilo que se chama hoje luta pela igualdade do género. Penso que todas as mulheres no seu dia-a-dia, no seu local de trabalho, nas associações de que fazem parte, nos partidos políticos e em todas as áreas da sociedade têm um papel relevante neste capítulo. A afirmação da mulher na sociedade é resultado deste todo, que mostra que têm a formação e a capacidade de trabalho necessária para ocupar os altos cargos públicos e privados que as mulheres já exercem hoje no nosso país.

1

3

2

4

5

6

Anabela Freitas Presidente da Câmara Municipal de Tomar As mulheres são as verdadeiras heroínas desta crise. Os dados demonstram que são mais afectadas pelo desemprego e têm maior tendência para situações de pobreza extrema. Contudo, a emancipação feminina é um processo incontornável, como pode ser facilmente visível pelo número crescente de mulheres em lugares que devemos considerar como chave. Só no nosso distrito, o número de Presidentes de Câmara aumentou significativamente. Somos agora cinco e certamente no futuro seremos muitas mais. A emancipação é mesmo isso, a escolha não ser feita pelo género, mas sim pelas capacidades e competências.

1

As politicas demográficas, se não estiverem alicerçadas em políticas sociais e de crescimento económico, não tem qualquer efeito. Um país onde 300 jovens emigram por dia é um país certamente com problemas demográficos. Um país onde 40% dos jovens estão desempregados, é um país onde,

2

certamente, os índices demográficos caem abruptamente, como é visível em Portugal. Agora, além desse desafio temos de ter políticas concretas de apoios sociais aos nascimentos, como existem em alguns estados nórdicos, como verdadeiros incentivos fiscais. E, mais importante que tudo isso, é necessário que, em plena segunda década do século XXI, nenhuma mulher possa ser perseguida no seu posto de trabalho por engravidar. Infelizmente ainda acontece. Em Tomar, temos procurado conciliar a vida familiar com a profissional, através da manutenção das 35 horas semanais e de uma política de incentivos aos trabalhadores, com vista a conciliar vida familiar com vida profissional. O país atravessa uma situação económica e social muito complexa. A pobreza, a miséria e o desânimo vivem lado a lado com a insegurança pelo dia de amanhã, com os cortes salariais e com o desemprego. Não foi por este país que as gerações que nos antecederam

3

fizeram o 25 de Abril. O Governo está cego na sua visão de mercearia de cortar e mais cortar, esquecendo que por trás das estatísticas estão pessoas. E as pessoas são o activo mais importante de um país. As mulheres, no contexto desta crise, são ainda mais afectadas com taxas de pobreza e desemprego superiores. Enquanto autarca, os meus munícipes sabem que podem contar comigo para, com políticas públicas concretas e com parcerias, encontrar resposta para as situações sociais dramáticas. É a minha visão de autarca. Proximidade. A política não é uma carreira. A política é um serviço público. Sou Técnica de Emprego, essa é a minha carreira profissional, com muito orgulho. Quer como deputada à Assembleia da República, quer agora como edil do concelho de Tomar, sempre olhei para a política como um serviço à comunidade que é prestado por conta dos cidadãos em determinado momento da vida. Os princípios da ética repu-

4

3


4

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

blicana são isso mesmo. Dificuldades por ser mulher? Olho para o facto de ser mulher como uma mais valia, temos uma maneira diferente de ver a sociedade e o mundo. A maior dificuldade na entrada foi mesmo a forma como funcionam os partidos políticos. Temos de

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

os aproximar da sociedade e dos cidadãos. A minha motivação foi de discussão e de aprendizagem, como forma de ajudar a construir um concelho, um distrito e um país mais jus-

5

tos e solidários. A minha motivação foi contribuir para o desenvolvimento económico, para a criação de empresas e para combater desigualdades. É isso que procuro todos os dias.

6

Identifico duas, entre muitas ou-

tras. Carolina Ângelo, a primeira mulher a votar em Portugal. E Maria de Lurdes Pintassilgo, a única mulher até aos dias de hoje a chefiar um governo em Portugal.Dois exemplos que devemos seguir.

1

Sendo que as mulheres são ainda as principais responsáveis pela realização das tarefas domésticas e por cuidar da família (dos filhos e dos idosos), não posso deixar de expressar o quão nefasto foi para a conciliação da vida profissional e familiar o aumento do horário de trabalho semanal para as 40 horas, na Administração Pública. Também o aumento de casos de violência doméstica é preocupante e mais do que nunca o velho ditado popular “Casa onde não há pão …” poderá estar na origem deste grave problema. Naturalmente que estas e outras situações que se observam no país são verificadas no distrito e no concelho.

2

Sendo que a maternidade deve ser encarada como uma função social, o aumento da natalidade pressupõe a implementação de políticas intersectoriais que favoreçam a estabilidade da família, nas áreas do emprego, do aumento dos salários, na proteção social, na saúde, na educação … Enfim, que os jovens tenham condições financeiras para se tornarem independentes, e constituírem família mais cedo e ainda que tenham recursos financeiros para que possam proporcionar aos seus filhos condições condignas para o seu desenvolvimento em todas as esferas da vida. Quanto à conciliação da vida familiar e profissional, não é de mais registar que as mulheres gastam em média, por semana mais de 16 horas que os homens em atividades domésticas e familiares, pelo que há necessidade de combater estereótipos que responsabilizam as mulheres por estas tarefas, designadamente com a introdução de conteúdos programáticos e treino de competências sobre estas temáticas. Por outro lado, no âmbito do mercado de trabalho, através de compromissos firmados entre o estado e as entidades patronais e os sindicatos, conforme preconiza a Resolução do Conselho de Ministros nº 5/2011. Em suma, “Garantir a execução das políticas públicas no domínio da cidadania e da promoção e defesa da igualdade de género e de combate à violência doméstica…” conforme preconiza a Missão da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, que depende diretamente da Presidência do Conselho de Ministros.

3

Não gostaria de dizer carreira política. De facto, o que aconteceu foi um processo natural de participação cívica que se manteve ao longo dos anos e que culminou por via da vontade popular e das equipas de que fiz e faço parte, no cargo de Presidente da Câmara Municipal.

4

5

Em 1990 quando fui eleita presidente de Junta de Freguesia trabalhava e conciliava a tarefa de presidente de Junta com o

miradourocr@gmail.com

Miradouro de S. Bento O Mexilhão

Júlia Amorim Presidente da Câmara Municipal de Constância Apesar do Princípio da “Igualdade entre mulheres e homens e a não discriminação”, estar expressa na Constituição da República Portuguesa, bem como inúmeras medidas estarem legisladas em Portugal e na União Europeia com vista à promoção dessa igualdade, a verdade é que as desigualdades continuam a existir. Não obstante o reconhecimento dos progressos alcançados, a igualdade entre as mulheres e os homens no quotidiano ainda não é uma realidade. Subsistem desigualdades a nível económico, político, social e cultural. Considerando que para a emancipação da mulher é determinante a sua independência financeira, no atual contexto de crise económica a mulher é mais vulnerável, aumentando ainda mais o número de mulheres desempregadas e com trabalho precário. Também com o aumento do custo de vida e com as dificuldades de acesso às instituições de apoio às crianças e idosos (creches, centros de tempos livres, lares, centros de Dia, etc.), as mulheres carregam diariamente com o peso da gestão doméstica, verificando-se que são Elas que se dirigem em situações de dificuldade extrema às cantinas e lojas sociais e são Elas que dão a cara ao pedirem ajuda para resolverem situações do sobre-endividamento da família e até de trabalho para os “seus homens”. As mulheres a coberto da família expõem-se a situações humilhantes mas de grande coragem.

Opinião Francisco Morgado

restante tempo disponível pois o cargo não era a tempo inteiro. Em 1995 fui mãe. A conciliação da vida familiar e de vereadora foi possível não só porque eu acreditava que teria que o ser, sob pena de defraudar as minhas convicções sobre a importância do papel das mulheres na tomada de decisões e também porque foi possível partilhar as tarefas familiares. De todo o modo e fazendo uma retrospetiva, os momentos de lazer pessoal e individual a que todas/os temos direito ficaram e estão aquém do que me parece justo e necessário. De entre muitas personalidades, destaco Maria Lamas, natural de Torres Novas: escritora, tradutora, jornalista, e conhecida ativista feminista portuguesa.

6

Pois é. Quando as marés estão revoltosas e há prenúncios de tempestades, o mar bate na rocha e quem se lixa é o mexilhão, claro! Só que, neste dizer tão popular, o mexilhão toma formas de gente, porque é disso que se trata. Na Ucrânia, nas terras frias do leste europeu, está um país em convulsão. Há gente inocente enrolada no turbilhão dos acontecimentos; há interesses e politicas internacionais que se jogam nas ruas e nas praças; há as vozes roucas dos manifestantes, empurrados por uma onda de coletivo; há esperanças de que as palavras que ouviram e que lhes deram alento e força, se transfomem em realidade, por um simples toque de mágica. Este mexilhão humano, tem a desdita de estar agarrado a este país que tem uma importancia geoestratégica fulcral para a Rússia, para os Estados Unidos e para a Europa. Com alguma desumanidade, deram a esta gente a ideia de que seria possível, integrar o seu país na comunidade da Europa. Deram-lhes esperanças vagas, mas esperanças. E todos sabemos que se há coisa que dê impulso aos humanos, é um amanhã melhor. Comentam os defensores pró russos, que as manifestações da capital, que acabaram por levar à deserção do seu presidente, tinham logistica profissional por detrás. Argumentam os pró europeus que “as patadas de força” dadas na Crimeia, são intoleráveis, porque violadores de todos os tratados, que afinal todos assinam, mas que cumprem, ou não, segundo as suas próprias conveniências e argumentos. O grande drama deste país à beira do colapso financeiro, da paragem económica e da banca rota a nu, porque é aqui que irá desaguar, é que agora chegou a vez de se apresentarem em palco os profissionais da palavra. Os políticos. A Rússia invadir a Ucrânia? Nem pensem nisso! No dia em que se mexeu, a sua bolsa perdeu mais do que o custo dos jogos olimpicos de inverno. Quarenta e dois mil milhões de euros! E logo vieram as ameaças económicas, de que a nova oligarquia russa nem quer ouvir falar. Há muitas contas bancárias milionárias em Chipre, há filhos a estudar nos melhores sitios ingleses, há casas de férias na Riviera francesa e no Algarve, onde os russos são os segundos da lista dos vistos gold e mais, muito mais. Mas os russos também têm as suas armas económicas. São os maiores fornecedores de gás da Europa, de petróleo e de gasóleo. E esta Europa, a verdade é esta, não está em condições de acolher na sua família, mais um membro deserdado de fortuna, ela que já tem mais do que alguma vez desejou ter. No meio, sempre no meio, o mexilhão. Que fatalmente se vai lixar. Serviu de bala para o canhão apontado, mas agora vai ficar entregue às suas consequências. Não tardarão muito as vozes que então denunciarão a venda de gato por lebre e o abandono a que estão a ser votados. Hoje já não há guerras frias, com espiões e golpes de mão. Hoje as guerras são feitas diante dos computadores, que debitam “deves e haveres”, tão mortais como as balas que saíam das espingardas de outrora.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

PUBLICIDADE

Recrutamento de Formadores

Recrutamento de Desempregados

No âmbito da Medida Vida Ativa, a NERSANT está a recrutar formadores com disponibilidade para ministrar formação em horário laboral Local de formação: todo o distrito de Santarém Disponibilidade: imediata em horário laboral, de segunda a sexta-feira Perfil: habilitação académica de nível superior concluída; Detentor do Certificado de Competências Pedagógicas (CCP/CAP). Ações de formação a desenvolver: Técnico/a Auxiliar de Saúde Técnico/a Comercial Técnico/a de Comércio Internacional Técnico/a de Secretariado Técnico/a de Vendas Agente em Geriatria Para efectuar a candidatura deverá remeter mail, mencionando a acção/acções a que se candidata, anexando o curriculum vitae, certificado de habilitações e CCP/CAP para dfq@nersant.pt . Só serão consideradas as candidaturas que reúnam estritamente as condições do perfil anunciado, acompanhadas de curriculum vitae, certificado de habilitações e CCP/CAP. Todas as candidaturas que não cumpram rigorosamente os requisitos não serão consideradas. Para conhecer os conteúdos programáticos de cada acção deverá consultar informação sobre a Medida Vida Ativa em www.nersant.pt .

No âmbito da Medida Vida Ativa, a NERSANT promove ações de formação com a duração de 300 horas, em horário laboral Destinatários: Desempregados inscritos/encaminhados pelos Centros de Emprego Ações de formação a desenvolver: Técnico/a Auxiliar de Saúde Técnico/a Comercial Técnico/a de Comércio Internacional Técnico/a de Secretariado Técnico/a de Vendas Agente em Geriatria Os formandos poderão ter direito a: Bolsa de formação Subsídio de refeição Subsídio de transporte Subsídio de acolhimento Estas ações têm como objetivo potenciar o regresso ao mercado de trabalho, através de uma rápida integração em ações de formação de curta duração, que permitam a aquisição de competências relevantes, ou a valorização das competências já detidas. Locais de realização: Alferrarede Entroncamento Ferreira do Zêzere Mação Sardoal Tomar

Torres Novas Benavente Rio Maior Salvaterra de Magos Santarém

Para mais informações poderá consultar nersant.pt, contactar a Nersant através do telefone 249 839 500 ou o Centro de Emprego a sua área de residência. Financiamento

5


6

SOCIEDADE

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Opinião Manuela Marques

Porta do Sol

Anúncio Daqui para a frente os dias vão crescer. A luz brilha mais tempo e reduzem-se as noites. Veremos mais céu, mais estrelas, vamos notar quando é lua cheia. Sementes, ervas, árvores repetirão ciclos de renascimento, os animais ficarão activos, atentos, interventivos. A humanidade sentirá a primavera e voltará a sorrir. Inevitavelmente, crianças brincarão nos jardins. Os passaritos soarão em ruído de fundo de manhãs ocupadas. O desemprego será mais doce, a fome menos intensa, os prazeres menos dispendiosos, os telejornais menos ouvidos, os governantes (ainda) mais desprezados. Enfim… aparentando nada mudar… tudo mudará! Todos os dias, subtilmente, mudanças vão acontecendo. Nós, distraídos nem percebemos a introdução de mais uma hora no calendário diurno, como não percebemos como os filhos ficaram adultos, os amigos que se ausentaram de vez, o crescimento das árvores que estão lá todos os dias… O automatismo comandanos a vida sem tempo. Até que um dia… há um perfume no ar, uma luz renovada no verde, um brilho que já quase esquecêramos! Um ABRIL que às vezes chega em Março, num ambiente morno (como a barriga de mãe), gostamos mais de nós, dos outros, da vida. Uma vontade de amar como se um suavizado cio se cumprisse. A terra, cansada de introversão, desdobra-se sobre si própria explodindo no ar artifícios de folhagens e promessas floridas. O direito à esperança, (impossível ignorá-lo) espreguiçase, sobra-nos, sai pelos poros da pele, nos gestos, nos olhos, nas vozes. Alguns surpreendem-se, assustam-se - outros exultam porque sentem chegar o tempo de acontecer coisas extraordinárias. Março, o marcial mês, anuncia o desejado ABRIL que ainda não se cumpriu!

Câmara avança com “peritagem jurídica” ao processo do estacionamento tarifado em Santarém A câmara de Santarém vai avançar com uma “peritagem jurídica” a todo o processo do estacionamento tarifado à superfície e à construção do parque de estacionamento subterrâneo, aberto desde Outubro de 2010, e que resultou de uma parceria público-privada realizada pela autarquia no âmbito da construção do Jardim da Liberdade, que domina a principal artéria do planalto da cidade. Na última sessão da Assembleia Municipal (AM), o presidente do município, Ricardo Gonçalves, informou os deputados municipais que os serviços jurídicos da Câmara vão efectuar uma peritagem a toda a documentação constante do processo. Recorde-se que a Abispark, empresa do

grupo ABB, a quem foi concessionado todo o estacionamento tarifado na cidade, rescindiu recentemente o contrato que mantinha com a empresa municipal ‘Viver Santarém’ para a fiscalização dos parquímetros e contratou uma empresa de segurança privada para o efeito, uma situação que é “ilegal”, nas palavras do autarca. A par disso, a autarquia vai recorrer aos Tribunais para reclamar cerca de 700 mil euros que diz ter a receber da Abispark, um montante referente às rendas que a empresa se comprometeu a pagar, no valor de 241 mil euros anuais, no âmbito do contrato de concessão. Na forja, está também a preparação de uma nova versão do regulamento municipal que enquadra o estacionamento pago

na cidade. No projecto inicial, a empresa ganhadora do concurso e com quem foi contratualizada a construção do jardim e do parque de estacionamento subterrâneo, comprometeu-se a construir neste 754 lugares, sendo-lhe concedida a concessão por 50 anos comprometendo-se esta a pagar à Câmara, durante este período, uma renda anual. Contudo, que foram construídos pouco mais de 400 lugares. Por outro lado, em relação ao estacionamento à superfície, a concessão foi por 20 anos, pagando também a empresa à Câmara uma remuneração anual, o que não se tem verificado. FM

Câmara de Santarém envolvida em 139 processos de dívidas A Câmara Municipal de Santarém apresenta uma elevada taxa de litigância, com processos a arrastarem-se nos Tribunais há vários anos. Dos 179 procedimentos actualmente esgrimidos nos Tribunais, 139 são respeitantes a processos de dívidas, sendo que, em mãos de 90 por cento dos casos, o município faz-se representar por “mandatários externos”, contratados para o efeito. No extenso rol de processos, há um que salta à vista, quer pelos montantes envolvidos, quer pelo autor do processo. No Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria está a decorrer um processo interposto pelo presidente da autarquia, Ricardo Gonçalves, contra a própria autarquia, no valor de mais de 4 Milhões de Euros. O elevado valor motivou um pedido de

esclarecimento por parte da bancada socialista na Assembleia Municipal, na voz de Ludgero Mendes. Ao que o nosso jornal apurou, este processo está relacionado com a anulação de uma deliberação da Câmara Municipal de 3/06/2013, relativa a um pagamento ao CNEMA – Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas. Para que a autarquia não seja forçada obrigada a efectuar este pagamento tem de anular a decisão, o que ocorre com o recurso à acção judicial. Na lista de processos, há litigâncias para todos os gostos, montantes e em diversas varas criminais. No Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra, por exemplo, corre um processo movido por Maria Luísa Oliveira Feijão

Monteiro, no valor de perto de 8 Milhões de Euros e, com valores mais modestos, corre no Tribunal Judicial de Tomar uma Acção de Processo Ordinário da Artonus - Produções Artísticas, Ldª, no montante de 72.500,00 mais Custas judiciais, em que é reclamada a condenação do município a pagar a quantia de 56.783,60 €, a que correspondem juros à taxa de 10% desde Junho de 2007. Outro exemplo é a acção movida pelo Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública em que pede o reconhecimento do direito ao recebimento de subsídio de refeição devido nos dias de exame prestado pelo Associado João Paulo Duarte Carvalho, no valor de 14 963,97 €. FM

Apartamentos da ex-EPC poderão ser vendidos O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, não descarta a hipótese de alienar, em praça pública, o bairro de apartamentos deixado pelos militares da Escola Prática de Cavalaria (EPC), quando esta foi transferida para Abrantes, no final de 2006. A hipótese foi avançada na última sessão da Assembleia Municipal (AM), em resposta a uma interpelação lançada pela bancada socialista que questionava o elevado valor apresentado pela autarquia para a reabilitação daquele bairro. “O valor de 1,6 ME, apresentado para a recuperação do bairro da Ex-EPC é extremamente elevado”, fez notar Ludgero Mendes, líder da bancada socialista na AM. “Consideramos que este montante, que corresponde a cerca de 50 mil euros por apartamento é manifestamente excessivo”, acrescentou o deputado municipal, alertando para a contínua degradação que o espaço está a sofrer. Na resposta, o presidente da autarquia reconheceu que as 32 habitações dos oficiais da antiga Escola Prática de Cavalaria em Santarém estão a degradar-se, mas disse que o valor avançado, de 1,6 ME, seria para reconverter aquele bairro numa Residência de Estudantes. “Ainda não temos um projecto final”, reconheceu Ricardo Gonçalves, adiantando que, neste momento, existem vários cená-

rios em cima da mesa. Uma das hipóteses, segundo afirmou, poderá passar pela alienação daqueles apartamentos ou a sua recuperação “simples”, o que, neste caso, custaria à autarquia pouco mais de 500 mil euros, segundo adiantou. Está ainda a ser estudado o cenário de reconversão daquele bairro num espaço de habitação social ou de rendas apoiadas, projecto que custaria à autarquia cerca de 2,2 ME. Nesta sessão da AM, a bancada socia-

lista apresentou uma recomendação para que fosse criada uma comissão de acompanhamento ao projecto de recuperação dos apartamentos da Ex-EPC. Segundo explicou Ludgero Mendes, o papel desta comissão, composta por elementos de todas as forças políticas e movimento de cidadãos na AM, seria o de acompanhar o processo de decisão junto da autarquia e “ajudar a resolver este problema preocupante”. Os objectivos de trabalho desta comissão seriam o de apurar o estado de preservação dos apartamentos da antiga EPC, determinar as condições necessárias para assegurar a eventual utilização dos apartamentos, analisar toda a documentação, desde a transmissão deste património para o município ate à presente data e averiguar a que razões se deve o elevado custo estimado como sendo necessário suportar para a requalificação dos ditos apartamentos. Esta proposta acabou por ser chumbada pelas bancadas do PSD e CDU, o que motivou uma tomada de posição do PS concelhio. Em comunicado, o PS afirma que o executivo PSD “persiste em não querer assumir as suas responsabilidades, escondendo as suas reais intenções quanto a esses imóveis, demonstrando deste modo total ausência de transparência nas decisões fundamentais”. FM


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Estátua de Salgueiro Maia poderá mudar novamente de local

SOCIEDADE

Ecocardiografia Fetal

Drª. Mónica Rebelo Médica Cardiologista Pediátrica A Cardiologia Pediátrica é uma especialidade, a que a G.F.S. - Serviços Médicos do Coração, vem dedicando a maior atenção, assegurando sempre uma resposta da mais elevada qualidade. A Ecocardiografia Fetal é um exame da maior relevância e tem sido um dos objetivos da Clinica assegurar esse serviço.

Sete anos após a inauguração do ‘Jardim dos Cravos’, para onde foi transferida a estátua de Salgueiro Maia, precisamente para o local onde o militar foi recebido pela população em 1974, após ter liderado o golpe que a 25 de Abril derrubou a ditadura do Estado Novo, o monumento poderá ser novamente mudado de local. Anteriormente, o monumento estava localizado junto a um veículo militar, no Largo Cândido dos Reis, mas as obras de requalificação do espaço para um armazém da Câmara. Aí ficou durante ano e meio até que o executivo liderado por Moita Flores decidiu colocar a estátua no mesmo sítio onde Salgueiro Maia foi recebido pela população de Santarém como herói popular da Revolução, quando regressava de Lisboa. A localização da estátua do militar que liderou a coluna que saiu da Escola Prática de Cavalaria foi objecto de polémica por parte dos partidos e associações locais, mas a autarquia de então (PSD) decidiu avançar com o projecto. Agora, na última sessão da Assembleia Municipal (AM), o líder da bancada PSD, Ramiro Matos, que era então vice-presidente da autarquia, decidiu lançar a pro-

posta para a relocalização do monumento. “Salgueiro Maia mereceria ir para o Jardim da Liberdade [em frente ao Tribunal de Santarém] ou para a rotunda do Largo Cândido dos Reis”, disse Ramiro Matos, propondo que se faça um debate “célere” para que seja encontrado consenso entre as várias forças políticas e materializar a intenção no dia 25 de Abril deste ano. “Estes dois espaços dariam mais visibilidade ao monumento e dariam um maior destaque a este ícone de Abril”, afirmou o deputado municipal, propondo ainda a alteração da toponímia do Largo Cândido dos Reis para Largo Salgueiro Maia. Questionado pelo Correio do Ribatejo, Ludgero Mendes, líder da bancada socialista do PS disse ver com bons olhos a proposta que, aliás, já vem sido aventada no seio da Comissão das Comemorações Populares do 25 de Abril de Santarém. “A actual localização do monumento não tem a devida visibilidade”, disse Ludgero Mendes, acrescentando que o espaço nunca foi convenientemente requalificado. Recorde-se que o ‘Jardim dos Cravos’ custou 90 mil euros à autarquia e foi apresentado como “a maior mancha de cravos da Europa”.

Opinião António Filipe Deputado do PCP eleito por Santarém

Correio do Parlamento

Foi terça-feira Mais uma vez este ano, a terça-feira de Carnaval não foi feriado para todos. Passos Coelho foi o segundo primeiro-ministro da nossa era a privar os portugueses do feriado de terça-feira de carnaval. O primeiro foi Cavaco Silva, e essa insólita decisão foi um dos atos que marcou o princípio do fim do consulado de Cavaco em São Bento. A insistência de Passos Coelho em recusar o feriado de terça-feira de carnaval tem como motivação principal aumentar a exploração dos trabalhadores. Tem uma lógica semelhante à do roubo dos demais feriados: aumentar a exploração dos trabalhadores. Um feriado a menos é um dia de trabalho gratuito a mais para milhares de trabalhadores. O roubo de cindo feriados significa uma semana de trabalho gratuito por ano. O valor dessa semana de trabalho vai direitinho para os bolsos do patronato. Por outro lado, o roubo da terça-feira

de carnaval revela um profundo desprezo pelas tradições populares. Que os portugueses disfrutem do carnaval desde tempos imemoriais não diz nada a governantes que revelam um total desprezo pelo povo, pelos seus direitos e consequentemente, pelas suas tradições. Em termos económicos, o país nada ganha com o roubo deste feriado. Pelo contrário. O carnaval tem, em muitas localidades do nosso país, uma grande importância económica, que o Governo despreza, em nome de outros valores. Finalmente, o que ainda vale ao carnaval, é que a muitas autarquias têm mais respeito pelo Povo que pelo Governo e, em muitas localidades, serviços e empresas, houve mesmo feriado. Houve e haverá, porque este Governo será derrotado e as boas tradições populares hão-de prosseguir muito bem sem ele.

É com muito gosto que informamos que passamos a realizar quer a Ecocardiografia Fetal quer o Eco-Doppler Fetal, tendo para tal assegurado a colaboração da uma especialista amplamente reconhecida. A Drª. Mónica Rebelo desenvolve atualmente a sua atividade na Unidade de Medicina Reprodutiva do British Hospital, no Hospital Dr. Fernando da Fonseca e agora também na G.F.S. - Serviços Médicos do Coração.

www.gfscoracao.pt

Marcações: 243 328 890 (09h às 20h)

Estrada de São Domingos Lt. 13, 2º e 5º Dto, 2005-324 Santarém Acordos: Serviço Nacional de Saúde, ADSE (reg. reembolso), Sub-Sistemas e Seguradoras

7


8

SOCIEDADE

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Opinião Aurélio Lopes

Lar de Idosos de Vale de Figueira inaugurado

aurelio.rosa.lopes@sapo.pt

Esfinge Nascido para unir A iniciativa de constituir uma plataforma de reflexão acerca da problemática regional ribatejana (a que se determinou chamar Forúm Ribatejo), surgiu há quatro anos numa reunião de agentes culturais, realizada em Alpiarça. Agregar pessoas ligadas à cultura na região, que não necessariamente à cultura da região (desde o estudioso local dedicado à sua terra ao professor universitário, do autodidata ao investigador académico, do animador cultural ao dirigente associativo, do diretor do museu ao chefe de divisão cultural municipal) foi desde sempre sua intenção, tentando assim contrariar uma tendência classista e grupal que, nas últimas décadas, fragilizou a região ribatejana e a tornou presa fácil de diversificadas poderes fragmentadores, ditos regionalistas. Liderados por Lacões e Relvas (esse, mesmo; o da “licenciatura Farinha Amparo”) desagregaram a região ribatejana em “Ribatejo” e “Templários”, “Lezíria” e “Médio Tejo” e o mais que o seu criativo interesse pessoal e partidário exigiram. Numa região em que as forças vivas (políticas e afins) têm lutado por dividir, o Fórum Ribatejo nasceu para unir! Sem diferenças políticas ou sociais, culturais ou académicas, religiosas ou partidárias, territoriais ou outras que tais. Hoje, quatro anos passados, dezena e meia de reuniões/assembleias realizadas em dezena e meia de concelhos e algumas iniciativas culturais de que se destaca a realização do I Encontro de Museus do Ribatejo (realizado em 2013, em Abrantes), o Fórum Ribatejo corporiza um novo impulso operativo, sempre numa óptica de dinamização e parceria organizacional. Em que a existência precede a essência, de uma funcionalidade potencial: não obrigatória mas preferencial. Em 5 de Abril de 2014, o Fórum Ribatejo irá realizar, na Golegã, o “I Encontro de Historiadores Locais do Ribatejo”. Dando voz a quem tanto faz pela história local e regional e tão poucas vezes é reconhecido. Como oportunidade de diálogo, convívio e interação reciproca. Desencadeadora, com certeza, de sequentes realizações. Aquelas, afinal, que os participantes quiserem!

O ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares inaugurou no passado dia 27 de Fevereiro a Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI) do Centro de Bem Estar Social de Vale de Figueira (CBESVF). O equipamento, que já se encontra a funcionar desde o início de Janeiro, teve o valor total de 1,4 milhões de euros e foi enquadrado pelo Programa Operacional do Potencial Humano na Tipologia de Intervenção 6.12 “Apoio ao Investimento a Respostas Integradas de Apoio Social”, sendo o apoio concedido de cerca de 600 mil euros, tendo permitido a criação de 15 postos de trabalho. Na sua intervenção, José Alexandre Silva, presidente do CBESVF, lembrou que Vale de Figueira “é uma aldeia com cerca de 1200 habitantes e S. Vicente do Paúl 2000, com uma população envelhecida e carenciada, baixos rendimentos, fraca escolaridade e sem empregabilidade”. “Com uma existência funcional de quase 17 anos, tudo temos feito em prol da melhoria de condição de vida das pessoas e das famílias, nas freguesias onde trabalhamos, promovendo serviços em Centro de Dia, Apoio Centro de Convívio e agora com esta nova valência de ERPI, que nos permitirá desenvolver novos serviços ino-

vadores”, afirmou o responsável. Na sua leitura, com esta nova estrutura, a instituição “vai garantir maior coesão social na região, através da criação e manutenção de 30 postos de trabalho”. Aproveitando a presença do ministro Mota Soares, o presidente do CBESVF alertou que “o Estado não pode sair do regime de cooperação que tem com as Instituições de Economia Social, sob pena da grande maioria encerrar as suas portas”. “Este projecto teve a participação empenho e apoio de muitas pessoas, e deveu-se à garra dos nossos colaboradores, que tiveram vontade de o fazer, afirmou.

José Alexandre Silva homenageado

Nesta cerimónia, José Alexandre Silva foi homenageado pela forma e empenho como preside a esta instituição de solidariedade social desde a sua fundação, há mais de 15 anos, sendo o principal mentor e responsável pelo seu desenvolvimento. O Presidente do CBESVF foi surpreendido pelos membros dos órgãos sociais do CBESVF, pelos técnicos e funcionários que prepararam a homenagem em segredo, e colocaram uma placa com o nome de José Alexandre Silva à entrada da nova valência, de modo a perpetuar o seu empenho que foi determinante para a construção e

entrada em funcionamento do Lar, tendo em conta que se debateu com problemas no financiamento a fundos comunitários, depois de lhe terem sido negados duas vezes. Para Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara de Santarém, “este novo equipamento permitirá reforçar as respostas de lar, disponíveis nesta freguesia e no concelho de Santarém”. “Este alargamento da rede de apoio à população idosa do concelho e da freguesia permite a criação de vagas e a criação de novos postos de trabalho”, afirmou o autarca. A nova Estrutura Residencial para Idosos do Centro de Bem Estar Social de Vale de Figueira – CBESVF já conta com 38 pessoas, para além da lista de espera, e conta com o apoio do ISS – IP – Instituto de Segurança Social, Instituição Pública com 28 acordos. A nova valência teve um custo de cerca de um milhão e quatrocentos mil euros, funciona 24 horas por dia e possui um gabinete médico e de enfermagem, para além de um gabinete de estética, cabeleireiro e apoio psicológico. O novo edifício alberga a cozinha e lavandaria, comum a todas as respostas sociais da instituição.

Opinião Tiago Leite

Nos tempos que vivemos, cada vez mais somos geridos por interesses, cada vez mais temos dificuldade em perceber o que é a amizade, o companheirismo. Mas vou aqui deixar um pequeno testemunho. No ano de 1971, um conjunto de amigos reuniu-se para almoçar numa quarta-feira, eram apenas, sim digo apenas, amigos. Não eram colegas de partido político, não eram sócios de um mesmo clube de futebol, não trabalhavam na mesma empresa, nada os unia a não ser o simples facto de serem amigos. Claro que têm algo em comum estes amigos, todos gostam de comer e beber um copinho a acompanhar o almoço.

Mas a história não fica por aqui, eles combinaram almoçar juntos todas as semanas, e para tornar o programa mais interessante criaram uma regra, cada semana é um a marcar o restaurante onde se reúnem na quarta-feira. Assim todas as semanas mudam de restaurante e de ementa, aproveitam para conhecer os vários restaurantes da região, assim como as diversas iguarias. Mas o que torna esta história diferente de muitas outras é que no ano de 2014 este grupo ainda se reúne à quarta-feira, alguns membros já partiram, mas outros vão chegando, hoje este grupo é composto por 14 elementos, o mais velho tem 83 anos e o mais novo 42.

Eu tenho o prazer de fazer parte deste grupo, fui convidado em 2009 e desde essa data faço todos os possíveis para não faltar, e porquê? Porque aqui encontrei um conjunto de amigos que nada esperam uns dos outros, não querem favores uns dos outros, não querem fazer negócios uns com os outros… Apenas querem falar sobre tudo e sobre nada, rir uns com os outros, aproveitar uma hora bem passada, beber um bom vinho, comer um bom petisco. A eles agradeço por se tornarem meus amigos, mas mais do que isso, por me mostrarem como é bom estar num almoço em que somos apenas... Amigos!


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Opinião Ilídio Tomás Lopes

SOCIEDADE

9

Comemorações dos 40 Anos do 25 de Abril de 1974

“Santarém está na história do 25 de Abril”

paradoxos.correio@gmail.com

Paradoxos

Realidades mascaradas Ainda que envolto em manifestações fundamentalmente pagãs, o carnaval acontece em cada ano, 47 dias antes do dia de Páscoa. Marca na sociedade católica e numa linguagem puramente cristã, o adeus à carne (carnis valles), uma espécie de jejum que se prolonga por 40 dias, antecedentes da semana santa. Porém, o desenvolvimento mercantilista das sociedades dá-lhe hoje um cunho essencialmente folclórico que vai desde a manifestação satírica à exteriorização de comportamentos individuais e coletivos, eventualmente só explicáveis por ciências como a sociologia ou a psicologia. Independentemente da nossa identificação individual com esse tipo de exibição, é inegável o impacto económico, e até social, que o carnaval parece ter na rotina dos cidadãos. Assinala-se como um marco de calendário, no qual se esquece o normal devir dos dias, se catapulta para o domínio do imaginário tudo aquilo que possa estar interiormente contido ou possa ser socialmente condenável. Enquanto mecanismo de eventual exteriorização do “verdadeiro eu”, o carnaval é objeto de contradições interpretativas, de múltiplos julgamentos individuais e sociais, e até de veementes condenações éticas. Em contraposição, é sinónimo de folia, de libertação energética, de (re)equilíbrio emocional e de manifestação artística. Durante os três dias que marcam a quadra carnavalesca, a sátira social é sempre o ingrediente base dos múltiplos desfiles que proliferam por todo o país. Em nome das tradições e do desenvolvimento regional, justificam-se as tolerâncias do ponto e desculpam-se os mais diversos comportamentos desviantes. Expõem-se nas ruas múltiplos quadros, numa crítica semiconsentida à classe governativa, enfatiza-se ainda mais a degradação dos sistemas sociais, traz-se para a rua o calor de outras latitudes. Tudo isto em puras atitudes proféticas de mudança. O período carnavalesco que na passada terça-feira se esfumou, não degenerou nos seus básicos contornos tradicionais. Excetua-se talvez a intervenção meteorológica cujas lágrimas vertidas mais faziam lembrar a satírica cumplicidade silenciosa de uma sociedade, alinhada nos seus soberanos propósitos e desígnios. É este fenómeno sociológico de folia que encontra no lado de lá do atlântico o seu expoente máximo. Por cá, vamos importando esses modelos folclóricos de traços quentes e cores vivas, na tentativa desenfreada de exorcizar os mais recônditos desejos e anseios. Neste turbilhão de realidades mascaradas em que vivemos, iniciámos há dois dias o nosso período de jejum, na esperança de que também por cá, se possa um dia anunciar a “Boa Nova”.

Várias instituições do concelho de Santarém juntaram-se para dar à cidade um papel de destaque na comemoração dos 40 anos da Revolução de Abril, realçando o seu papel, sob a liderança de Salgueiro Maia, no derrube do Estado Novo. Salgueiro Maia, o então capitão que conduziu a coluna que partiu de Santarém para Lisboa e que esteve envolvida na ocupação do Terreiro do Paço e na detenção do presidente do Conselho, Marcello Caetano, vai ser alvo de várias homenagens, a primeira das quais no dia 03 de Abril, assinalando a data da sua morte. O vasto programa de comemoração foi apresentado na última quinta-feira à noite, dia 27, numa sessão solene realizada no salão nobre dos Paços do Concelho e que contou com os testemunhos de dois homens que participaram no movimento dos capitães e no envolvimento da Escola Prática de Cavalaria de Santarém nos acontecimentos que marcaram a madrugada de 25 de Abril de 1974. Garcia Correia e Correia Bernardo, actualmente coronéis na reforma, lembraram o contexto histórico da época e os episódios que envolveram a preparação e o desenrolar do golpe, sublinhando a “responsabilidade acrescida” de Santarém de comemorar a data “com maior dignidade”. Garcia Correia lembrou que Santarém “tem responsabilidades acrescidas nas comemorações”, tendo em conta que “foi nesta cidade que muito se conspirou em termos militares e donde se saiu com a Coluna Militar rumo a Lisboa”. O representante da Associação 25 de Abril referiu que “o País ficou com a eterna dívida de gratidão que terminou com o regime autoritário que durante mais de 40 anos governou Portugal, e que permitiu e constitui exemplo para o Mundo.” Para Garcia Correia “devemos ter consciência de que comemorar Abril é um acto patriótico e a liberdade não tem preço”. O Coronel e companheiro de Salgueiro Maia faz votos para “que todos estejam atentos aos valores de Abril, tendo em conta que a crise que vivemos na Europa e em Portugal é má conselheira”. Correia Bernardo lembrou, por seu turno, que “a história da cidade de Santarém está na história do 25 de Abril.” “Santarém estava destinada a ser o pólo de resistência, no caso da Coluna de Salgueiro Maia ter que regressar”, revelou. O responsável explicou que o golpe das Caldas, que teve lugar na madrugada de 16 de Março de 1974, e que era suposto juntar diferentes unidades militares espalhadas pelo País, e que acabou por se limitar ao Regimento de Infantaria 5, nas Caldas da Rainha, “foi espoletado antes do tempo,

mas serviu de balão de ensaio para o 25 de Abril”. “Esse golpe falhado serviu para que nos preparássemos melhor”, referiu, revelando que, na madrugada de 25 de Abril, foi preparada a defesa da Escola Prática de Cavalaria (EPC) e “seis pontos estratégicos da cidade foram fortificados”, entre os quais a zona da Rafoa, do Moinho de Fau, do Cemitério, das Portas do Sol e São Bento. A par disso, o Movimento de Capitães preparou a forma como iria dar a conhecer à população o que se estava a passar: “os habitantes da cidade foram os primeiros a ter conhecimento da situação”, afirmou. “Logo às 07h00, foi distribuído um folheto contendo a Declaração de Princípios do movimento”, recordou. (ver caixa). “Em Santarém uma pequena multidão estava à porta da Escola Prática de Cavalaria”, demonstrando o seu apoio e “participação que aqueceu os militares e lhes deu ainda mais ânimo”, concluiu Correia Bernardo. O presidente da Câmara Municipal de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), nascido depois do 25 de Abril de 1974, referiu o legado de valores de Salgueiro Maia - de que são “fieis depositários” os que fizeram a Revolução “e os que nasceram depois” -, e apelou para que a comemoração sirva para “debater o futuro”. Tiago Fernandes, membro da Comissão das Comemorações Populares do 25 de Abril de Santarém, também ele nascido após a ‘Revolução dos Cravos’ lembrou que “a perda de identidade de Portugal faz com que os jovens se interroguem sobre o que os faz pertencer a Portugal”. Para Tiago Fernandes, a situação “dos jovens estarem a sair do País, significa que o futuro está a ser lançado ao ar, e que os portugueses estão a deixar o seu País e que estamos a perder pessoas”.

“Medo não pode voltar a Portugal”

Já João Luís Madeira Lopes lembrou que “o medo da política da censura, da opressão, da tirania, da falta de liberdade de opinião, não pode voltar a Portugal”. Este representante da Comissão das Comemorações Populares do 25 de Abril de Santarém afirmou que “importa reavivar a memória”, e deu exemplos das várias iniciativas que integram o Programa das Comemorações dos 40 anos do 25 de Abril: cinema, coros, música, teatro, poesia, homenagens a presos políticos, às duas Marianas – duas das mulheres mais importantes de Santarém, relativamente aos valores de Abril, homenagem a José Niza, Zeca Afonso, Salgueiro Maia e Fernando Castelo. João Luís Madeira Lopes lembrou que

Salgueiro Maia foi sempre uma presença assídua nas diversas iniciativas do 25 de Abril, mesmo impedido de falar. Nos anos 80 rompeu o silêncio, num almoço, nas Oficinas da antiga Citroen, perto da Ribeira de Santarém, onde se insurgiu contra aqueles que “tentavam denegrir o golpe militar”. Madeira Lopes referiu que “Santarém sente e sentiu a sua importância”, bem como de “Manuel Alves Castela, Francisco Pereira Viegas, Mariana Ginestal Machado, Helena Stoffel e Fernando Castelo.” “Mais importante do que as personalidades, foi desde sempre, “o dia límpido”, numa alusão ao poema O Nome das Coisas, de Sophia de Mello Breyner Andresen, “que nunca será demais lembrá-lo”, realçou Madeira Lopes, acrescentando que “os mercados financeiros conduzem ao descrédito. Que se abra a caça aos vampiros que um novo dia lá vem”. A cerimónia contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Castelo de Vide, de onde Salgueiro Maia era natural e onde foi enterrado em campa rasa como foi seu desejo expresso.

Programa variado

Um espectáculo com Pedro Barroso e Manuel Freire na noite do dia 24 de Abril no Convento de S. Francisco, um tributo a José Niza, autor do poema “E depois do Adeus” (cuja música serviu de senha para a Revolução), uma evocação de Fernando Castelo (dinamizador cultural) e uma homenagem aos presos políticos (com testemunhos) são algumas da iniciativas agendadas. A evocação de personalidades com intervenção reconhecida na cidade começa amanhã, dia 08 de Março, Dia da Mulher, com homenagens a Mariana Ginestal Machado e Mariana Viegas, estando agendadas até maio iniciativas que passam por exposições, colóquios, bailes, sessões de cinema, de música e de poesia. A presença de militares de Abril nas escolas, para conversas com alunos do terceiro ciclo, pinturas no Jardim da Liberdade por crianças, árvores decoradas por imigrantes de várias comunidades, distribuição de poemas pelas ruas da cidade, exposição nas montras do centro histórico de criações artísticas e literárias de alunos do primeiro e do segundo ciclos são outras actividades previstas. O programa resulta de uma organização conjunta da Comissão das Comemorações Populares do 25 de Abril, da Associação José Afonso, da Câmara Municipal de Santarém, das juntas de freguesia e de associações e colectividades do concelho.


10

EDUCAÇÃO

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Joaquim Veríssimo Serrão encabeça Comissão de Honra de Jorge Justino à presidência do IPS O historiador Joaquim Veríssimo Serrão, Catedrático e Jubilado da Universidade de Lisboa e primeiro presidente do Instituto Politécnico de Santarém (IPS) encabeça a Comissão de Honra da candidatura de Jorge Justino à presidência daquele instituto. As eleições estão marcadas para o próximo dia 25 e Jorge Justino já deu a conhecer as linhas fundamentais desta candidatura, que passam por “uma estratégia em termos de sustentabilidade e valorização do instituto”. “O Instituto Politécnico de Santarém deve ser uma referência no país e no estrangeiro, de forma a competir com os seus pares e ser considerado como um parceiro de eleição, com mérito reconhecido”, considera Jorge Justino, actual presidente do politécnico. Neste contexto, diz o candidato, “a Presidência do Instituto deve manter uma acção determinante e eficaz, em termos de gestão e de racionalização de recursos humanos e de equipamento. A nossa instituição deve primar pela qualidade e excelência e cooperar com outras instituições de igual nível, de forma a escolher a melhor opção na reorganização da rede do Ensino Superior”, afirma. Para isso, Jorge Justino conta com apoiantes de peso, nomeadamente: Adelino Costa Bernardes, presidente da Associação para a Promoção do Desenvolvimento Rural do Ribatejo, Dúnia Palma, engenheira química e presidente da direc-

ção da Delegação Distrital de Santarém da Associação de Solidariedade Social de Professores, Gabriel Pascoal, Director Comercial da Caixa Geral de Depósitos da Região de Santarém ou João Salgueiro, presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós. Da extensa lista de apoiantes, fazem ainda parte Joaquim Botas Castanho, Cônsul Honorário do Brasil, José Miguel Noras, professor Honoris Causa do Instituto Politécnico de Santarém e Luís Soares, professor Catedrático da Universidade do Minho e ex-Presidente do CCISP. Para esta candidatura, Jorge Justino conseguiu ainda o apoio de Maria da Graça Carvalho, deputada do Parlamento Europeu e ex-ministra da Ciência, Inovação e Ensino Superior, Marina Lemos, Secretária da Escola Superior de Desporto de Rio Maior, Mário Mota, Ex-Administrador do Instituto Politécnico de Santarém, Mário Rebelo, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Santarém. Pedro Canavarro, Professor Honoris Causa do Instituto Politécnico de Santarém, Pedro Rui Branco, Estudante da Escola Superior de Gestão e Tecnologia Pilar del Rio, presidente da Fundação José Saramago, Ramiro Marques, Professor Coordenador Principal Instituto Politécnico de Santarém e Raúl Capaz Coelho, Secretário-geral do Ministério da Educação e Ciência, são outros dos nomes que compõem esta Comissão de Honra.

867.º Aniversário da reconquista Cristã de Santarém assinalado no Politécnico com conferência

O 867.º Aniversário da Reconquista Cristã de Santarém vai ser assinalado no Instituto Politécnico de Santarém, na próxima sexta-feira, dia 14, às 17h30, no Auditório da Escola Superior de Educação de Santarém, no Complexo

Andaluz, nesta cidade, com a comunicação intitulada “Os dois primeiros filhos de D. Afonso Henriques, o seu sucessor e Santarém, «a melhor vila do reino, pela nobreza e abastança do seu assento»” que será proferida por José

Miguel Correia Noras, Professor Honoris Causa deste Instituto Politécnico, Investigador do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Académico Honorário da Academia Portuguesa da História.

Alexandre Caldas quer Politécnico a liderar a criação da Região da Inovação e Conhecimento da Lezíria, Ribatejo e Oeste Alexandre Caldas, candidato a Presidente do Instituto Politécnico de Santarém, pretende dinamizar um projecto para definir a Identidade do Politécnico de Santarém (IPS) como Instituto que lidera a Região da Inovação e Conhecimento (RIC) da Lezíria, Ribatejo e Oeste. Esta quarta-feira, Alexandre Caldas reuniu no restaurante TéJá, nas Portas do Sol, em Santarém, dez personalidades da região, entre autarcas, docentes e professo-

res para debater o futuro do Politécnico e lançar para discussão a ideia da Região da Inovação e Conhecimento. José Frois, gestor na Lourini, Paulo Neves (Agrosport) Teresa Varela (Consultora de Empresas), Rui Barreiro (ex-presidente da Câmara de Santarém), Luísa Mesquita (professora, autarca, ex-deputada), Jean Campiche (IPS - Educação), Fátima Reis (Faculdade de Letras e Academia de História da UL) e Teresa Bento (IPS - Des-

porto) responderam à chamada para este debate. Alexandre Caldas, candidato á liderança do IPS explicou que o grande objectivo estratégico desta medida é, através da valorização dos activos da região, “promover a qualificação e o emprego na região de Santarém, a capacitação dos jovens e a empregabilidade directa dos estudantes no mercado de trabalho, empresas em particular e sociedade em geral”. Segundo disse, o RIC da Lezíria, Ribatejo e Oeste abrangerá inicialmente” três Desafios da Sociedade” , que passam pela Fileira Agro-Industrial e Alimentar, a fileira do Envelhecimento e a das Tecnologias da Informação e Conhecimento. “Estas fileiras estão perfeitamente alinhadas com o Programa Regional de Ordenamento do Território (PROT) do Ribatejo e Oeste, promovendo assim a estratégia de desenvolvimento e inovação regional”, explicita o ex-presidente do conselho geral do IPS. Para Alexandre Caldas, esta “arquitectura de futuro” enquadra-se na nova modalidade de financiamentos Europeus de Investimentos Territoriais Integrados, e da Estratégia de Especialização Inteligente, que integram em Parceria estratégica o Ensino Superior, as Comunidades Intermunicipais da Região e as Empresas bem como com extensão a parcerias com Uni-

versidades. O candidato à presidência do Politécnico não tem dúvidas que o projecto RIC “vai ter resultados a curto prazo, com financiamentos previstos para um prazo imediato de seis meses”. E, segundo adianta, no âmbito do projecto estão já previstos alguns eixos de actuação, nomeadamente a criação de uma Academia MICROSOFT, a instalar no Politécnico de Santarém, a integração da Rede TIC e Sociedade no Consórcio Europeu EIT ICT (KIC das Tecnologias da Informação), a integração do Politécnico de Santarém como parceiro associado numa candidatura às Comunidades da Inovação e Conhecimento (EIT KIC) na área do Envelhecimento Activo, entre outras medidas. A intenção passa também por orientar a oferta formativa do IPS (Ensino, Investigação e Serviços à Comunidade) para as áreas do Agro-Alimentar: Ciências Agrárias, Gestão e Saúde, Envelhecimento Activo: Saúde, Desporto, Gestão e Educação e Agrária e TIC para o Futuro: Gestão e Educação. “A concretização do projecto RIC permite ao Politécnico de Santarém alcançar a sustentabilidade e financiamento estrutural de médio e longo prazo do Instituto”, concluiu Alexandre Caldas.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

CULTURA

Teatro Sá da Bandeira assinala o 10º aniversário da sua reabilitação

O Teatro Sá da Bandeira (TSB), em Santarém, assinala este mês de Março o 10º aniversário da sua reabilitação com uma programação variada e transversal a pensar em vários tipos de público. Numa altura de crise, pela qual o País atravessa, a autarquia e a ‘Viver Santarém’ não deixam cair o investimento na área cultural, como vincou António Valente, presidente da empresa municipal. “Estamos a fazer tudo para que a crise não se reflicta na oferta cultural do concelho”, afirmou o responsável na conferência de imprensa que serviu para a apresentação do programa que vai marcar este aniversário. “mesmo com falta de verbas e dificulda-

Orquestra Típica Scalabitana assinala 68.º aniversário

Vai ter lugar no próximo dia 22 de Março no salão da Casa do Campino em Santarém, pelas 21h30, a Gala Comemorativa do 68.º Aniversário da Orquestra Típica Scalabitana. O Concerto será composto pela apresentação da Orquestra com músicas do reportório tradicional, seguida da apresentação do tenor Carlos Guilherme que irá interpretar temas com músicas da autoria do maestro António Gavino e também de Arlindo Carvalho, com poemas de autores diversos, entre eles, José Luís Nazareth Barbosa, António Lúcio Vieira, Arlindo Carvalho entre outros. A Orquestra Típica Scalabitana tem, nestes 68 anos de vida e actividade contínua, levado a música de Santarém, do Ribatejo e de Portugal a todo o País e também ao estrangeiro.

des acrescidas, a cultura continuará a ter uma aposta forte”, vincou António Valente. Para o vereador responsável pela área da cultura, António Melão, “a reabilitação do Teatro veio em boa hora”, uma vez que, ao longo desta década “esteve permanentemente ocupado e com uma programação regular”. Destacando a “multiutilização” do espaço, que é palco de diversas iniciativas culturais ligadas às artes performativas, mas também de colóquios, palestras e encontros de negócios, o vereador destacou a “transversalidade de públicos” que o teatro tem sabido captar. Segundo Ana Rita Sousa, coordenadora do TSB, a programação definida para as-

sinalar a efeméride “pretende celebrar a vida quotidiana” de um teatro que é a peça principal da oferta cultural do concelho. Assim, foram preparados espectáculos direccionados para as escolas, com teatro de sombras e marionetas e houve também a preocupação de levar a família ao teatro. “Temos a preocupação constante de dar visibilidade e palco aos artistas locais”, frisou a responsável do TSB, destacando também a projecção de Cinema, em parceria com o Cineclube de Santarém. E porque Março marca este aniversário, “o Teatro vai sair à rua”, com um “Baile dos Candeeiros” que decorrerá no Jardim da Liberdade, de forma a “envolver toda a comunidade”. Além da sala de espectáculos, com 203 lugares e acessibilidades para cadeira de rodas, o Teatro Sá da Bandeira dispõe ainda de um estúdio, bar/galeria (para exposições ligadas às artes do palco) e piano/ bar, valências que funcionam diariamente das 10h00 às 24h00, procurando prolongar a permanência dos escalabitanos no centro histórico da cidade. A obra de recuperação, que terminou em 2004, custou 2,45 milhões de euros e foi financiada em 39 por cento pela autarquia, em 41 por cento pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e em 20 por cento pelo Programa de Investimento e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central. O Teatro Sá da Bandeira, aberto em 1924 com a fachada que a obra manteve, foi erguido sobre as ruínas do antigo Hospital de Jesus Cristo (1426), mantendo-se alguns vestígios (como a porta na zona do actual bar/galeria).

CIJVS lança 1º livro “Saldanhas / Condes e Marqueses de Rio Maior” O CIJVS - Centro de Investigação Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão vai lançar o seu primeiro livro: “Saldanhas / Condes e Marqueses de Rio Maior”, da autoria de Martinho Vicente Rodrigues, no dia 15 de Março, às 16h00, no Convento de S. Francisco, com o apoio da Câmara Municipal de Santarém e da União de Freguesias de Santarém (Marvila, Santa Iria da Ribeira de Santarém, S. Salvador e S. Nicolau). A sessão do lançamento do livro, que tem entrada livre, conta com a intervenção de João Vicente de Saldanha Oliveira e Sousa, Marquês de Rio Maior, seguida da apresentação do livro pelo autor, Martinho Vicente Rodrigues e encerramento por Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Santarém. O autor da obra pretende demonstrar que “Os Saldanhas deixaram marcas, no espaço de doze séculos, na História de Espanha e Portugal. O historiador quis quebrar o silêncio da função, de uma das Casas mais antigas de Portugal, a dos Condes de Rio Maior, que tiveram o seu berço em Saldanha (Espanha) no século VIII, e chegaram a Santarém no tempo de D. Afonso V.” Martinho Vicente Rodrigues,

nesta obra, apresenta um diálogo permanente entre os “Saldanhas / Condes e Marqueses de Rio Maior”: “Assistiu-se ao florescimento de uma plêiade de protagonistas Saldanhas, na História de Portugal, sonho pragmático dos Saldanhas de precioso contributo, valor intrínseco dado em sacerdotes venerandos, homens dados à inovação e ciência tecnológica, militares briosos, estadistas consumados e diplomatas célebres”. O livro apresenta no I Capítulo, a origem dos Saldanhas, na encruzilhada entre História e Lenda dos Condes de Saldanha, distinguindo, como primeiro protagonista, Bernardo del Cárpio. A obra expõe ainda os mares, guerras, revoluções e serviços de Estado, até ao Século XXI.

11

Ourém na corrida aos melhores do Turismo

Ourém e Big Time estão na corrida para Melhor Autarquia e Melhor Empresa de Animação Turística, respectivamente, nos Publituris – Portugal Trade Awards 2014. Entre 13 categorias, os melhores do Turismo em Portugal serão conhecidos nos Trade Awards 2014, realizados todos os anos pelo Publituris, em parceria com a BTL – Feira Internacional de Turismo, evento a ter lugar no próximo dia 12 de Março (quarta-feira) pelas 11h00, no Pavilhão 1 da FIL, da BTL.

Cartaxo deu as boas-vindas ao Carnaval Apesar da chuva e do frio que se fizeram sentir no passado fim-de-semana, o Carnaval não deixou de se festejar no concelho do Cartaxo. Depois das crianças e jovens terem dado as boas-vindas ao Carnaval na sexta-feira, no desfile organizado pela Câmara Municipal, várias associações e colectividades locais prepararam iniciativas no fim-desemana para receber o Carnaval com muita animação e alegria. Na noite do dia 1 de Março, os foliões fizeram a festa na cidade do Cartaxo, na Ereira, em Vila Chã de Ourique, em Pontével e Vale da Pedra. Numa iniciativa da tertúlia “Os Loucos Aficionados”, a festa foi feita ao som da música de Sérgio Gonçalves, no Pavilhão Municipal de Exposições, na segunda-feira à noite Os Loucos vão trazer os foliões para as ruas do Cartaxo, num desfile que promete muita diversão. Nessa mesma noite, na Ereira, a Casa do Povo recebeu um Baile de Carnaval, organizado pelo Rancho Folclórico local, que contou com animação do Dj Big Formiga. Em Vila Chã de Ourique também se dançou, numa noite dedicada à fantasia e à diversão. O Baile de Carnaval foi organizado pelo Centro Social Ouriquense, na sede da colectividade, e contou com uma recriação de cegadas e com a actuação dos Geração XXI. Em Pontével, foram os Quarentões 2014 a organizarem um baile de Carnaval, também na noite de sábado, no salão da Casa do Povo. O evento proporcionou muita animação e as receitas angariadas reverteram a favor da realização dos festejos anuais da freguesia.


12

CULTURA

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Comemorações do 39º Aniversário

8 de Março de 2014 Sabádo, 21.30 horas

Domingo há teatro para crianças no Círculo Cultural Scalabitano

Noite Cultural Choral Phydellius Associação Cultural de Bem Estar Danças Sevilhanas e Dança Oriental

Música com Carolina Alves

Tocata de Cavaquinho Tuna da UTIS

Rancho Folclórico do Bairro de Santarém Grainho e Fontainhas

Como se definiu o instrumento de medida: metro? … E quem o fez? … E Quando? … E uma mala de curiosidades? … Sabe o que é? As respostas a estas perguntas podem tê -las no espectáculo ‘Cabinet Portatil 1799’ que a Casa da Balança traz este domingo (dia 9), às 16h00, ao Círculo Cultural Scalabitano, em Santarém, num espectáculo para pais e crianças a partir dos cinco anos de idade. Quando Pierre Méchain e Jean Delambre, dois ilustres sábios geodésicos, membros da Academia de Ciências de Paris partiram para a difícil missão de medição do meridiano, (1792 e 1799) a comunidade científica estava longe de compreender o alcance desta aventura. Em França vivia-se o difícil tempo da revolução francesa e essa circunstancia também não ajudava nada. Na verdade, esta aventura veio a marcar profundamente a vida do homem à escala universal, pois foi a partir daqui que se definiu o metro e o sistema métrico decimal. Depois, abre-se uma mala de viagem, que pertenceu à famosa colecionadora parisiense Madame Paulline Pelletier, com materiais históricos surpreendentes deste período que marca o nascimento da época contemporânea. O Cabinet Portátil 1799 é a proposta que a Casa da Balança, núcleo museológico municipal de Évora nos traz para este domingo e vai ao encontro do público com uma curta-metragem onde os dois sábios contam as suas aventuras. Depois é o sortilégio da mala e das suas curiosidades.

Espaço C com fotografia e comédia O Espaço C do Círculo Cultural Scalabitano recebe hoje, sexta-feira, pelas 21h30, uma exposição de fotografias sobre Santarém da autoria de Zeferino Silva. Um olhar emotivo, atento, contemporâneo e simultaneamente intemporal sobre a nossa cidade, pela objectiva do escalabitano Zeferino Silva A exposição permanecerá patente ao público até 31 de Março. Amanhã, sábado, dia 8 de Março, pelas 22h00, o Grupo An!mal apresenta a comédia Novela “Diarreia de Amor”. Em versão de longa duração, o An!mal propõe-nos mais um episódio de talento, humor e boa disposição

Opinião Nuno Domingos

Reflexos Atenção criançada, a temporada de teatro do círculo está aí para vosso deleite e descanso dos pais. Como todos os anos de Março a Maio, sempre às 16.00 horas, aí está mais uma vez o “Domingo Há Teatro para Crianças”, no Círculo Cultural Scalabitano. Fantoches e Marionetas, Palhaços e animação com preocupações educativas, são as propostas para este mês de março, numa programação marcada pela diversidade de ofertas. Logo no domingo dia 9, às 16.00 horas, com o Petit Cabinet 1799 vamos conhecer a grande aventura dos dois ilustres sábios geodésicos Pierre Méchain e Jean Delambre, membros da Academia de Ciências de Paris que nos contam as suas aventuras durante a missão da medição do meridiano de Paris de 1792 e 1799, no tempo da revolução francesa, que originou a medida do metro e o sistema métrico decimal. Depois, é o surpreendente mundo das curiosidades da famosa colecionadora parisiense Madame Paulline Pelletier. Abre-se a sua mala de viagem, e vamos conhecer materiais históricos surpreendentes deste período que marca o nascimento da época contemporânea. Esta proposta é-nos apresentada pela Casa da Balança, da Câmara municipal de Évora, nascida da antiga oficina do aferidor, hoje um núcleo museológico dedicado à metrologia. A 16 e a 23 de Março, sempre às 16.00 horas, duas companhias de teatro de Marionetas de Évora. Primeiro, a 16.03, TRULÉ a companhia de Manuel Dias, considerado um dos mais importantes marionetistas do mundo, várias vezes premiado em festivais da especialidade nos cinco continentes, propõe-nos em espetáculo que é uma deambulação pelas suas marionetas favoritas. O espetáculo “As minhas MAIS… Marionetas”, por ser antológico, sintetiza um percurso de mais de trinta anos de pesquisa e entendimento das várias técnicas de construção e manipulação de marionetas. É um espetáculo de pura poesia visual em que os bonecos, tocados por graça infinita e pelos dedos mágicos do bonequeiro, nos mostram pedaços de vida em histórias de sonhar e encantar. Depois, a 23.03, será a vez da companhia “Era Uma Vez” e a seu espetáculo Princesa Ziah. Companhia fundada em 1991, por José Carlos Alegria, tem corrido toda a Europa e a Africa portuguesa, granjeando destacado reconhecimento. O espetáculo fala-nos do músico Guesti e do seu Urso, do palácio do Rei Largo, da Princesa Ziah e das aventuras. Vêm também o corvo Poli e o crocodilo verde. A história termina depois de Guesti e o Crocodilo Azul prepararem uma boa armadilha ao Rei Crachus que fez chorar de riso o Corvo Poli e o Urso Sera. A encerrar o mês, os Palhaços Branquinho Pantufa e Cabeça de Nabo farão como sempre as delícias da pequenada em improváveis aventuras e confusões, num mês dedicado aos mais pequenos, muito rico e apetecível. A temporada de teatro para crianças do Círculo Cultural Scalabitano/ Veto teatro Oficina vai decorrer de Março a Maio, sempre aos domingos, às 16.00 horas, no Teatro Taborda, ali junto à Igreja de são João do Alporão, próxima da Torre das Cabaças, a caminho do Jardim das Portas do sol.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

13

EMPRESAS&EMPRESÁRIOS Agromais Plus assinala 15 anos ao serviço do agricultor A Agromais Plus assinalou, no passado dia 27 de Fevereiro, nas suas instalações da Golegã, o seu 15º aniversário, fazendo coincidir a data com o Encontro Anual de Agricultores que juntou mais de 350 pessoas. Constituída em 1999, a Agromais Plus destaca-se, presentemente, como uma das empresas de comercialização de factores de produção para a agricultura a nível nacional com mais peso. Passados 15 anos da sua constituição, Luís Vasconcellos e Souza, presidente da Agromais, não tem dúvidas em afirmar que a Plus apresenta “uma forte capacidade negocial”. “Temos, neste momento, conhecimento e nome de mercado”, disse ao Correio do Ribatejo, salientando: “chegámos até aqui porque não cedemos ao facilitismo”. “Estamos bem na vida”, declarou, acrescentando que a Agromais Plus representa “uma alavanca para a região” que permite “olhar para o futuro de uma forma mais optimista”. “Nos dias de hoje, a criação de uma dimensão crítica torna-se fundamental para aumentar a capacidade negocial da produção nacional”, referiu, por seu turno Jorge Durão Neves, administrador da Plus. “O manancial de trabalho administrativo que recai sobre a produção, a necessidade constante de formação profissional por via da legislação do sector, bem como as grandes alterações a que temos assistido ao nível de recursos tecnológicos disponíveis

que se traduzem, por exemplo, na redução significativa do portefólio de soluções que a produção tem ao seu dispor para a protecção das suas culturas, leva-nos a concluir que “uma voz única” para fazer face a todos estes desafios que se colocam hoje à produção, fará todo o sentido”, considerou o responsável. Foi precisamente nesse sentido que a Agromais criou a Agromais Plus e se iniciou no negócio dos factores de produção para os seus associados. Nestes 15 anos, a Plus já movimentou mais de 104 ME e tem uma carteira de mais de 800 clientes distribuídos por 81 concelhos de 21 distritos do país. “Estes 15 anos são a prova que é muito interessante integrar a aquisição de factores de produção em estruturas organizadas ligadas à produção”, considerou Jorge Durão Neves. “Faz claramente a diferença em termos económicos e comerciais uma proximidade estreita com o consumo. Negociar com fabricantes e distribuidores dos diversos factores de produção podendo colocar em cima da mesa das negociações perto de 10.000 ha de consumo potencial faz toda a diferença e inverte, de algum modo, alguma falta de capacidade negocial tradicional da produção”, referiu. Por isso, para o responsável, “faz todo o sentido” concentrar a formação, a produção e a comercialização dos inputs agrícolas numa única “plataforma”, e é essa a “vocação” da Agromais Plus.

Financiamento

Ambiente

Agro-Indústria

Vinhos

Sistema de águas de Alcanena poderá ser financiado pelo actual quadro comunitário

Chamusca vai receber unidade de incineração de resíduos hospitalares perigosos

Lezíria quer tornar-se território de referência na agro-indústria

Vinhos do Tejo querem continuar a crescer no Brasil em 2014

A Lezíria do Tejo quer aproveitar o próximo quadro comunitário para se tornar um território de referência nacional e internacional no sector agro -industrial, criativo e inovador, com recursos humanos altamente qualificados e de elevada qualidade ambiental. Estes são alguns dos objectivos da estratégia Lezíria 2020 - Programa Territorial Integrado (PIT), que a Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT) tem vindo a discutir com 19 parceiros da região com vista a definir os projectos a candidatar ao novo período de programação de fundos comunitários 2014-2020. Pág. 17

Na próxima semana, dez produtores do Tejo rumam ao Brasil para a grande prova anual da região e para o lançamento da caravana dos Vinhos do Tejo. Pág. 23

Os projectos para reabilitação do sistema de tratamento de águas residuais de Alcanena vão ser considerados prioritários na reafectação de verbas do Programa Operacional de Valorização Territorial, numa tentativa para que sejam realizados ainda durante o actual Quadro Comunitário. Pág. 15

A Ambimed, empresa de gestão de resíduos hospitalares, quer instalar no Ecoparque do Relvão, na Chamusca, um Centro Integrado de Gestão de Resíduos, cujo estudo de impacte ambiental está em consulta pública até hoje, 7 de Março. Pág. 16


14

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Missões empresariais a Cabo Verde e Angola

África é destino da NERSANT em Maio A NERSANT vai estar em África no próximo mês de maio. A Associação Empresarial da Região de Santarém está a organizar duas missões empresariais ao território africano, a Cabo Verde e Angola. As empresas interessadas em fazer prospecção ou procurar novos negócios em Cabo Verde e Angola, poderão contactar a NERSANT. A associação encontra-se a preparar a realização de duas missões empresariais distintas, aos mercados cabo-verdiano e angolano, onde as empresas vão poder também participar em feiras onde poderão exponenciar o objectivo da missão empresarial. De 1 a 6 de Maio de 2014, a NERSANT irá realizar uma missão empresarial a Cabo Verde, que coincidirá com a 2.ª Feira Internacional de Agronegócios – Fei-

ra de actividades económicas ligadas aos sectores agrícola e pecuário. Este certame realiza-se na Cidade da Praia, Ilha de Santiago, nos dias 2,3 e 4 de Maio, sob o lema “Promovendo a investigação e a inovação na agricultura familiar”. Para além da exposição, venda de produtos e actividades paralelas (workshops), esta feira visa promover o sector da agricultura e pecuária nas suas variadas dimensões, contribuindo desta forma para a elaboração de uma estratégia que lhe permita um novo papel no mercado, assumindo-se como circuito comercial e turístico de modo mais profissional e com serviços associados de qualidade. Cabo Verde, apesar da pequena dimensão da sua economia, é um importante parceiro comercial de Portugal, designadamente enquanto destino das exportações portuguesas. A missão empresarial a Cabo Verde tem um carácter multi-sectorial, englobando para além da presença na

2.ª Feira Internacional de Agronegócios, contactos institucionais e reuniões com empresas locais, de acordo com os interesses das empresas participantes. Também em Maio, mas de 13 a 18, a NERSANT irá realizar uma missão empresarial a Angola. A realização desta acção coincide com a realização da FIB - Feira Internacional de Benguela 2014, feira multi-sectorial anual, que constitui o maior evento comercial com dimensão internacional em Benguela. A economia angolana tem apresentado fortíssimas taxas de crescimento ao longo dos últimos anos, em resultado fundamentalmente do estabelecimento de um clima de paz no país, a partir de 2002, e do comportamento do sector petrolífero, tanto em termos de produção como de preços internacionais. O forte crescimento da economia tem sido acompanhado por uma tendência de redução gradual da taxa de inflação, que nos últimos anos se terá

situado na casa dos 12%, quando em 2005 atingia quase 25%. A 4.ª edição da Feira Internacional de Benguela visa promover o potencial económico e industrial da região sul de Angola e atrair investimentos nacionais e internacionais capazes de apoiar o desenvolvimento da região. Com a realização das missões empresariais, a NERSANT pretende apoiar a internacionalização das empresas da região, melhorando o seu posicionamento no mercado global, permitindo que estas iniciem exportações ou reforcem o seu potencial exportador, consolidando quotas de mercados e / ou diversificando os seus mercados. Os interessados em participar nas missões empresariais da NERSANT, devem contactar o Departamento de Apoio Técnico, Inovação e Competitividade da NERSANT, através dos contactos datic@ nersant.pt ou 249 839 500.

Tomar acolhe celebrações do centenário da primeira central sindical portuguesa É já neste domingo, dia 9 de Março, que se iniciam em Tomar, na sede da União de Freguesias, as comemorações do centenário da primeira central sindical portuguesa, a União Operária Nacional, que foi fundada nesta cidade, no mês de Março de 1914. Organizado por um grupo de activistas de diferentes organizações e tendências sindicais, o programa começará com debates sobre questões laborais da actualidade. O primeiro será às 16h00 e abordará as experiências de criação de comissões de trabalhadores e de recurso a fundos de greve. Contará com a participação de Alexandre Huchet e Stella Reis, representantes da Comissão de Trabalhadores do BNP Paribas Portugal, e de João Paulo Correia, dirigente do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa (SPGL), afecto à FENPROF. Este debate será moderado

por Paulo Reis, activista tomarense do Sindicato Nacional da Indústria e Energia (SINDEL), afecto à UGT. O segundo debate está agendado também para o dia 9, às 17h45, e versará sobre horário de trabalho e sobre o trabalho por turnos. Serão oradores Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses e José Calisto, dirigente do Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul (SIESI), afecto à CGTP. A moderação estará a cargo de Virgílio Saraiva, activista tomarense do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL). Dia 15 de Março, a partir das 9h45 da manhã, haverá mais debates, sobre juventude e precariedade laboral, com Tiago Pinheiro, da Associação de Combate à Precariedade-Precários Inflexíveis, e sobre democracia e organização de trabalhadores, com António Mariano, presidente do Sindicato dos Estivadores, e com António

Chora, da Comissão de Trabalhadores da Volkswagen Autoeuropa. Para além dos debates, no dia 14, sextafeira, ao meio-dia, será inaugurada uma exposição histórica na Escola Secundária Jacome Ratton. E no dia 15, às 15h00, haverá também uma concentração, junto ao Cineteatro Paraíso, local onde em 1914 foi fundada a União Operária Nacional. Em Abril, deverão decorrer mais actividades, conjugando o centenário da primeira central sindical portuguesa com o 40º aniversário do 25 de Abril. No início de Fevereiro foi apresentado um manifesto intitulado “Vencer o medo”, que recorda a fundação da União Operária Nacional e cruza essa memória histórica com os problema actuais dos trabalhadores, nomeadamente o desemprego, a precariedade e a degradação das condições de vida.

Esclarecimento da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas No dia 21-02-2014 foi publicado, no Correio do Ribatejo um artigo, com o título “Investimento de 10 ME realizado pela águas do Ribatejo em Almeirim considerado fundamental”, no qual se refere que “a responsabilidade social que assegura redução na factura para famílias de menores recursos económicos, famílias numerosas,…” Gostaríamos de emitir o seguinte esclarecimento: Em todo o país, os tarifários da água estão construídos de forma a, efectuada uma análise dos consumos de uma habitação, penalizar os consumos excessivos através de um aumento progressivo por escalões de acordo com o aumento do consumo global da habitação. Temos, portanto, tarifários em que quanto maior é o consumo global de água numa casa, maior é o custo por m3. Ao não se entrar em linha de conta com a dimensão da família que ocupa uma habitação, sendo apenas avaliado o consumo total, e não sendo avaliado o consumo per capita, as famílias mais

numerosas são largamente penalizadas, pagando por vezes o dobro ou o triplo do preço unitário da água. O que se pretende com a criação dos tarifários familiares da água, não é um favorecimento das famílias numerosas, mas antes e apenas a sua despenalização, permitindo a estas uma aproximação justa ao preço do tarifário dos agregados de menor dimensão, uma vez que o que acontecia até ao momento era que a água era mais cara para as famílias numerosas, e a verdadeira justiça passa por dar um tratamento diferente ao que é uma realidade diferente com o objectivo de no fim todos terem uma situação idêntica face à lei. Relativamente ao município de Almeirim, uma família de 5 pessoas pagaria a água, por pessoa e por m3, 33% mais cara relativamente a uma família de 3 pessoas. No entanto com a aplicação do Tarifário Familiar da água, o preço por preço por m3 é igual para ambas as famílias (ver quadro ao lado).

Família de 5 pessoas

Família de 3 pessoas

Nº pessoas agregado familiar

5

3

Consumo mensal per capita

3,6

3,6

Consumo mensal da família

18

10,8

Valor a pagar Tarifário Base

14,63 €

6,75 €

Valor a pagar per capita

2,93 €

2,25 €

Preço por m3

0,81 €

0,62 €

Valor a pagar Tarifário Familiar

11,39 €

6,75 €

Valor a pagar per capita

2,28 €

2,25 €

Preço por m3

0,63 €

0,62 €

A Associação Portuguesa de Famílias Numerosas aproveita a ocasião para congratular a Câmara Municipal de Almeirim pela adopção desta medida que caminha no sentido da despenalização

de que as famílias numerosas são alvo a vários níveis e conduz a uma igualdade de tratamento. Associação Portuguesa de Famílias Numerosas


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

15

Sistema de águas de Alcanena poderá ser financiado pelo actual quadro comunitário Os projectos para reabilitação do sistema de tratamento de águas residuais de Alcanena vão ser considerados prioritários na reafectação de verbas do Programa Operacional de Valorização Territorial, numa tentativa para que sejam realizados ainda durante o actual Quadro Comunitário. Esta tentativa de recuperação das acções previstas num protocolo assinado em 2009 pelo Ministério do Ambiente, a Câmara Municipal de Alcanena e a Associação de Utilizadores do Sistema de Tratamento de Águas Residuais de Alcanena (AUSTRA) foi apresentada sexta-feira pelo ministro do Ambiente aos autarcas de Alcanena e de Santarém e aos deputados eleitos pelo distrito. Fernanda Asseiceira, presidente da Câmara Municipal de Alcanena, disse que

na reunião realizada com o ministro Jorge Moreira da Silva e com o secretário de Estado do Ambiente foi apresentada como solução para o avanço do processo a procura de financiamento ainda no âmbito do actual quadro de financiamento comunitário. Nesse sentido, técnicos da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), do Programa Operacional de Valorização Territorial (POVT), do município e da AUSTRA vão reunir-se para uma actualização do protocolo de 2009, nomeadamente em termos de enquadramento e valores. A autarca considerou que se tratou de uma “boa reunião de trabalho”, entendimento partilhado pelo presidente da Câmara Municipal de Santarém, Ricardo Gonçalves, que referiu o “grande consen-

so” gerado em torno desta “oportunidade” para resolver um processo “que se arrasta há 40 anos”. Fernanda Asseiceira afirmou que a sua preocupação se prende com a capacidade de concluir fisicamente as obras previstas até ao final do mês de Dezembro de 2015, sendo um dos aspectos a analisar a possibilidade de se avançar com várias frentes de obra. Em causa estão em concreto a reabilitação e separação da rede de colectores (separando os efluentes industriais dos domésticos), cujo promotor da obra será o município, e a reabilitação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), que terá como promotor a AUSTRA. Quanto ao processo da remoção das lamas não estabilizadas para um dos centros

de gestão de resíduos industriais perigosos existentes no Ecoparque do Relvão, na Chamusca, da responsabilidade da APA, Fernanda Asseiceira afirmou que “está a avançar”. Ricardo Gonçalves adiantou que há igualmente o compromisso de acabar a reabilitação do mouchão de Pernes. A degradação do sistema de tratamento de águas residuais de Alcanena (que trata os efluentes da indústria de curtumes, sector predominante no concelho), construído nos anos de 1980, tem provocado descargas poluentes no rio Alviela (sentidas em particular no concelho de Santarém) e problemas ambientais (poluição do solo, devido a roturas nas condutas, e qualidade do ar) em Alcanena.

“Direitos Digitais do Consumidor” em debate “Direitos Digitais do Consumidor” é o nome da conferência que a Câmara Municipal de Santarém em parceria com a DECO vão promover no dia 13 de Março, entre as 14h30 e as 18 horas, no Teatro Sá da Bandeira, em Santarém, no âmbito do ciclo de conferências “NETTalks” – Achas que tudo o que vem à rede é fixe?” O evento, com uma forte presença de elementos digitais e uma aposta na interactividade, assinala as comemorações do Dia Mundial dos Direitos dos Consumidores (dia 15 de Março), assim como o 20º aniversário do Núcleo de Informação Autárquica ao Consumidor (NIAC) da autarquia scalabitana e o 40.º aniversário da DECO. Esta conferência que destina-se aos alunos do 3 º ciclo do ensino básico, da secundária e do ensino profissional tem como principal objectivo alertar os estudantes para assuntos como os direitos digitais, as regras de segurança e de privacidade online.com, o que são direitos de autor, os

cuidados que se deve ter com publicidade e nas redes sociais, os downloads ilegais, o cyberbullying, entre muitos outros. “Direitos Digitais do Consumidor” vai ter como oradores João Galego, Centro de Competência TIC da Escola Superior de Educação de Santarém e João Poseiro, jurista da DECO – Delegação Regional de Santarém. A animação também não vai faltar com o DJ Alameiras. A apresentação do tema e dos convidados vai estar a cargo de um speaker. Não faltará ainda um hacker experiente que terá como função “descobrir” a pegada digital de um ou dois jovens presentes na plateia. A conferência será comentada em tempo real nas redes sociais (Facebook e Twitter) onde serão destacadas as principais ideias com fotos no momento com a finalidade de serem comentadas e chamar a atenção dos seguidores para o livestreaming.

Águas de Santarém alerta clientes para falsos telefonemas em nome da empresa A Águas de Santarém (AS) emitiu um comunicado no qual dá conta que alguns dos seus clientes estão a receber telefonemas de entidades que “supostamente se fazem passar por representantes da Águas de Santarém solicitando resposta a um

conjunto de questões e marcando visita à residência para análise à água da torneira.” Em nota enviada ao Correio do Ribatejo a AS afirma desconhecer a origem deste contacto e remeteu o assunto às autoridades competen-

tes. “Alertamos todos os nossos clientes para o facto de não estarmos a proceder a quaisquer contactos desta natureza”, afirma a AS no mesmo comunicado. A AS aconselha, “caso seja contac-

tado por número não identificado, para responder a questionário e/ ou marcar visita por entidade que se faça representar pela Águas de Santarém, deve contactar as autoridades (PSP ou GNR) e a Águas de Santarém e denunciar a situação”.

Barquinha lança programa para atrair investimento Com o objectivo de criar medidas de atracção ao investimento, o município da Barquinha anunciou a implementação do projecto “Barquinha 2020”, uma nova estratégia direccionada para as empresas com vista ao melhor aproveitamento dos fundos comunitários. O presidente da Câmara de Vila Nova da Barquinha disse que a autarquia pretende “apostar no desenvolvimento económico aproveitando factores de valor acrescentado que o município disponibiliza pela sua centralidade”, assumindo a autarquia um “papel activo” na criação de emprego, captação de investimento externo e apoio aos empresários do concelho. “O território da Barquinha, e a região envolvente, oferece condições que se podem considerar como de valor acrescentado para os empresários tendo em conta

a sua centralidade, a cerca de uma hora de Lisboa, sendo servido pela Linha do Norte, em termos de ferrovia, pela A 23 e pelo IC 13, em termos rodoviários, e ainda pelo Terminal Multimodal do Vale do Tejo, em Riachos”, fez notar Fernando Freire (PS)). “Barquinha 2020” é o nome do Plano que resulta de uma sinergia entre o Gabinete de Apoio ao Desenvolvimento e Empreendedorismo Local (GADEL) – serviço de apoio técnico do município – e a empresa municipal “CDN – Gestão e Promoção do Parque Empresarial de Vila Nova da Barquinha”. O objectivo é o de implementar uma nova estratégia com vista ao aproveitamento dos fundos do próximo Quadro Comunitário de Apoio (2014-2020), direccionado para as empresas, “desde

grandes projectos a PME’S e a micro empresas, estas na vertente rural”, frisou. Esta medida de promoção do empreendedorismo tem como novidade a criação da “Via Verde ao Investimento”, um ferramenta que dará prioridade aos processos relacionados com o desenvolvimento económico, acelerando a sua análise e licenciamento por parte da Câmara Municipal. Fernando Freire disse ainda que o município pretende criar “redes de desenvolvimento económico e de promoção do emprego concelhio”, através da criação de uma rede de parceiros e de uma plataforma de emprego municipal, onde empresários e desempregados possam inserir os seus dados, e divulgar, quer a procura quer a oferta existente, fomentando a empregabilidade no concelho.

“O “Barquinha 2020” irá promover também visitas de alunos das escolas a empresas, estágios e sessões de empreendedorismo junto das crianças em âmbito escolar”, notou. Segundo o autarca, está ainda previsto o desenvolvimento do projecto “viveiro de empresas”, com a criação de um espaço físico para alojar novos projectos empresariais em fase de início de actividade ou de implementação no concelho. O projecto contempla a realização de diversas acções de divulgação desta nova valência do município, bem como de promoção do território a potenciais investidores quer através de suportes audiovisuais, quer através da criação de um espaço no futuro portal do município para divulgação de actividades económicas das empresas do concelho.


16

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Chamusca vai receber unidade de incineração de resíduos hospitalares perigosos

Onde comer bem...

...em Santarém

Onde comer bem...

...em Anteporta - Rio Maior

A Ambimed, empresa de gestão de resíduos hospitalares, quer instalar no Ecoparque do Relvão, na Chamusca, um Centro Integrado de Gestão de Resíduos, cujo estudo de impacte ambiental está em consulta pública até hoje, 7 de Março. Paulo Queimado, presidente da Câmara Municipal da Chamusca, esclarece que a empresa quer começar a laborar no primeiro semestre deste ano num pavilhão que está a ser construído pela Resitejo, Gestão e Tratamento dos Lixos do Médio Tejo, e que vai ser arrendado para instalação do centro. A unidade visa aumentar a capacidade de tratamento de resíduos hospitalares, sobretudo do grupo IV (de incineração obrigatória) e que têm sido exportados (para países como Espanha, França, Bélgica e Alemanha), que pretende eliminar com produção de energia. De acordo com o resumo não técnico do estudo de impacte ambiental (EIA) para a nova unidade, a Ambimed pretende aumentar a capacidade de tratamento, cessando a exportação de resíduos hospitalares do grupo IV e podendo mesmo dar resposta a parte dos resíduos incineráveis de Espanha. A localização no Ecoparque do Relvão é apresentada como vantajosa em termos de localização estratégica e central face aos produtores e por se inserir num espaço distante de aglomerados populacionais e com possibilidade de sinergias com outros operadores de gestão de resíduos. A unidade vai ser implantada num pavilhão com 800 metros quadrados pertencente à Resitejo, uma nave industrial que será dotada de equipamento de incineração e tratamento de gases, produção energética e mecanismos de monitorização. Esperando iniciar a exploração no segundo trimestre do ano, após a emissão da Declaração de Impacte Ambiental, do licenciamento e dos testes, a unidade terá uma capacidade máxima de incineração de 5.400 toneladas/ano de resíduos. Esta capacidade permite abarcar “todos os resíduos hospitalares de grupo IV produzidos no país”, uma vez que o Plano Estratégico para os Resíduos Hospitalares estima, para 2016, 2.500 toneladas/ano, bem como outros resíduos equiparados e com afinidade, como medicamentos, resíduos animais e subprodutos de origem animal. Os resíduos hospitalares representarão 65% (75% com os medicamentos), prevendo a empresa um movimento diário de dois veículos pesados e dois ligeiros. O EIA afirma que os gases resultantes da unidade terão uma “influência nula na qualidade do ar”, sendo “insignificantes” os riscos para a saúde pública nos piores cenários analisados, o mesmo acontecendo para o solo, as plantas e os animais. O estudo propõe medidas de gestão e monitorização e prevê a criação de uma comissão de acompanhamento que poderá integrar a que está a ser criada para o Ecoparque. Paulo Queimado disse ainda que o município quer que seja feita a “monitorização contínua” do Ecoparque do Relvão, numa estrutura que vai integrar técnicos da Protecção Civil, do Ambiente e das Florestas. “Já adjudicámos a monitorização das linhas de água”, disse, lamentando não ter sido criado no início do processo um “ponto zero” e a monitorização contínua, ambiental e económica. O autarca disse esperar que a comissão de acompanhamento do Ecoparque do Relvão comece a funcionar em breve, recordando que a primeira reunião para a sua instalação se realizou há dois anos. A comissão será parceira da Associação

para o Desenvolvimento do Ecoparque do Relvão, também ainda em projecto.

Autarcas reclamam melhores acessibilidades

O Ecoparque do Relvão, na Chamusca, vai receber nos próximos meses mais um conjunto de empresas da área da recolha, tratamento e valorização de resíduos, o que para o presidente do município torna mais premente a questão das acessibilidades. Para Paulo Queimado, há uma série de investidores interessados em instalar-se num espaço dedicado à ecovalorização de resíduos, não sendo aceitável que o parque, que resolve um problema nacional, seja condicionado pela não construção das acessibilidades que foram previstas. O autarca confessa estar “desgostoso” e “preocupado” com a informação dada pelo presidente da Estradas de Portugal, António Ramalho, numa recente visita ao concelho, de que “pelo menos até 2028 não haverá condições para a construção de vias como a projectada ligação Almeirim/ Vila Nova da Barquinha do IC3, com uma nova travessia sobre o Tejo. “Está tudo feito, expropriações, projecto, falta a adjudicação”, disse, adiantando que já foi proposto que a via se faça, não com quatro, mas com duas faixas de rodagem com a nova travessia, dados os constrangimentos colocados pela actual ponte da Chamusca à passagem de viaturas pesadas. A única coisa que vai ser equacionada “é a colocação de semáforos nas entradas da ponte”, afirmou o autarca, adiantando que já fez chegar à tutela um documento que aponta os constrangimentos da actual travessia, elaborado em conjunto com o vizinho município da Golegã. Paulo Queimado frisou que, além do aumento de tráfego previsto pela instalação de novas unidades, os centros de recolha, tratamento e valorização de resíduos industriais perigosos estão a importar resíduos, tendo crescido a circulação de camiões de transporte internacional. “Até ao momento, temos 100 milhões de investimento feito no Relvão e temos as empresas a queixarem-se das acessibilidades. É preciso perceber que este é um problema nacional”, declarou. O Ecoparque do Relvão, construído na freguesia da Carregueira, tem instaladas unidades de recolha, tratamento e valorização de resíduos sólidos urbanos, industriais perigosos, de óleos, de baterias, de pneus, de veículos em fim de vida, entre outros. A questão das acessibilidades preocupa, também, o presidente da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, e também presidente da Câmara de Almeirim (uma das localidades atravessadas pelos camiões que se dirigem ao Relvão), que pede uma “definição” em relação a vias estruturantes para a região. “Das duas uma, ou temos o IC3 e a nova ponte sobre o Tejo, já que as travessias quer na Chamusca quer em Constância não são alternativa ou, pelo menos, dêemnos a possibilidade de candidatar as variantes, as circulares urbanas, que retirem a circulação dos pesados das localidades”, afirmou. O autarca advertiu para a ocorrência, “um dia destes, de um problema sério com os resíduos”, lembrando que os camiões que se dirigem ao Ecoparque do Relvão, na Chamusca (onde se encontram instalados os dois únicos centros de gestão de resíduos industriais perigosos existentes no país), atravessam centros urbanos.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

EMPRESAS & EMPRESÁRIOS

17

Lezíria quer tornar-se território de referência na agro-indústria A Lezíria do Tejo quer aproveitar o próximo quadro comunitário para se tornar um território de referência nacional e internacional no sector agro-industrial, criativo e inovador, com recursos humanos altamente qualificados e de elevada qualidade ambiental. Estes são alguns dos objectivos da estratégia Lezíria 2020 - Programa Territorial Integrado (PIT), que a Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT) tem vindo a discutir com 19 parceiros da região com vista a definir os projectos a candidatar ao novo período de programação de fundos comunitários 2014-2020. “O que distingue a Lezíria é a agricultura e a agro-indústria”, frisou o secretário executivo da CIMLT, António Torres, referindo a importância de acrescentar valor ao sector, nomeadamente apostando fortemente nas parcerias que promovam a investigação e a inovação. A par dessa aposta, o PIT preconiza a diversificação da base produtiva da região em áreas como a logística (já com forte implantação nos concelhos da Azambuja e de Benavente) e o turismo/visitação, com incidência nos percursos na natureza.

A promoção da competitividade e da internacionalização das empresas constitui outro vector do eixo que defende o alargamento da base económica regional e a promoção da inovação, apontando para “uma economia de maior valor acrescentado nos produtos e de maior intensidade tecnológica”, com reforço do capital humano e aposta na aprendizagem ao longo da vida. O segundo eixo visa a promoção da coesão social e da empregabilidade, com apostas na economia social, na inovação e no empreendedorismo, de forma a promover a inclusão social e a luta contra a pobreza, a aumentar a qualidade de vida das populações, a usar as novas tecnologias como factor de inclusão social e a melhorar as acessibilidades e a mobilidade na região. A requalificação e a sustentabilidade territorial constituem o terceiro eixo estratégico, que aponta para a preservação da biodiversidade, a valorização dos recursos naturais, a protecção dos solos e do património ambiental, paisagístico e natural, a prevenção de riscos, a melhoria dos sistemas de abastecimento de água, sa-

neamento e de resíduos e ainda a redução da dependência energética. Por outro lado, preconiza a qualificação e revitalização dos centros urbanos e áreas comerciais de forma a promover a atractividade residencial e empresarial, a salvaguarda do património cultural construído, a promoção da mobilidade sustentável (contribuindo para a redução das emissões de carbono) e o desenvolvimento de novas actividades associadas ao meio rural. O envolvimento de todos os actores regionais relevantes e a modernização e eficiência dos serviços públicos dominam o quarto eixo, relacionado com a governa-

ção estratégica e a eficiência da administração pública. “Há uma preocupação grande na criação de emprego e nas parcerias. Queremos ter áreas de excelência, aproveitando o que têm de bom as empresas da região e trazer valor acrescentado”, sobretudo através da ligação ao ensino superior e à investigação, sublinhou Pedro Ribeiro, presidente da CIMLT e da Câmara Municipal de Almeirim. A CIMLT integra os municípios de Almeirim, Alpiarça, Azambuja, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém.


18

CLASSIFICADOS

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

CLASSIFICADOS COMPRA-SE VENDE-SE

ALUGAM-SE

ALUGAM-SE

COMPRO

uartos a meninas, Q em casa independente, próxima das Finanças

par tamento (2 quartos) na Av. Bernardo Santareno – Santarém, com mobília, renda 300 €. Pede-se fiador. Contactos: 918 685 312

2343

M

8325

obílias e móveis soltos, usados. Vou a casa. Av.ª Padre Ramalho, 15, telefone 243429302 ou telemóvel 917217668 – Alcanhões.

e Praça de Touros. Telemóvel: 917 439 950

5185

M

óveis modernos, recheios de casa, sofás, electrodomésticos. Pagamos a dinheiro. Telémovel: 962 430 689

partamento T1, A 1 quarto, cozinha, WC. Local: Avenida Bernardo Santareno, nº4, Santarém. Preço: 175 euros. Pede-se fiador. Contacto: 918 685 348

VENDEM-SE

A

partamento de r/c sem mobília, com 3 quartos, sala cozinha e wc, perto da rodoviária. Contactos: 962 450 772

V

ivendas, terrenos, apartamentos e permuta-se. Trata Júlio Figueiras, Constantino & Filhos, Soc.de Construções, Lda., Telefone: 243 769 334 ou 919 700 709 5166

VENDE-SE ropriedade c/ 9 P ha., com sala de ordenha, na zona de Santa5214

rém, por motivo de saúde. Contactos: 915 069 819 e 962 318 329

COMPRA E VENDA e todo o tipo de D antiguidades/velharias, colecionismo. Con-

ARRENDA-SE partamento T3, A mobilado e cozinha equipada, junto à 5173

Rotunda do Forcado, em Santarém. Contactos: 917 442 513

ALUGA-SE 5112

A

ARRENDA-SE

º andar T2, na Rua 2 Gonçalo Mendes da Maia nº 3, São Domingos.

/c de moradia, com R água e luz incluída, a rapariga ou senhora, a 20

5188

Contactos: 914 162 015

ALUGAM-SE

QUARTO luga-se com serA ventia de cozinha, boas condições, na Rua do

Colégio Militar – Santarém (perto do W-Shopping). Passa-se recibo. Contactos: 243 112 721 – 916 714 553

uartos a alunos e Q professores, em casa independente, próximo da Escola Ginestal Machado, Casa do Campino e Instituto Polítécnico. Contactos: 965 016 641 966 765 309

ARRENDA-SE partamento de 4 A assoalhadas, sem mobília, boas áreas e boa 5203

ARRENDA-SE ndar c/ 3 assoaA lhadas, junto à Zona Industrial de Santarém. 5229

Contactos: 926 535 705

5169

0189

ALUGAM-SE

D

ois quartos em vivenda, na Portela das Padeiras. Contactos: 243 322 230 – 966 350 971 5198

ARRENDA-SE

C

localização em Santarém (S. Domingos). Contactos: 962 419 998

asa de habitação, com 1 assoalhada, anexo e logradouro, no Rio das Patas – Vale de Santarém. Contactos: 964 830 112

ARRENDA-SE

ARRENDA-SE

5123

da Porteira Casa na rua Vasco da

Gama – Santarém, junto às finanças. 200€, pede-se fiador. Contactar: 918 685 348

ALUGA-SE

RÉS-DO-CHÃO ARRENDA-SE , na zona do T2 convento de S. Francisco com alguma 5200

mobília ou sem. Pedem-se referências. Contactos: 966 880 281

ARRENDA-SE 5124

5217

ARRENDA-SE

C

asa c/ 4 assoalhadas, despensa e terraço, na Póvoa de Santarém. Contactos: 917 631 810 5230

da porteira na Casa Av. Marquês de

Pombal nº 84 – Santarém. 200€, pede-se fiador. Contactar: 918 685 348

oradia c/ 3 asM soalhadas, garagem e quintal, em Almodolim

– Ponte de Celeiro. Contactos: 964 724 512 – 963 531 867

ALUGA-SE 5207 Apartamento T3, no

Alto do Bexiga, preço 300 €. Contactos: 919 865 830

do – Santarém. Renda 325 €. Pede-se fiador. Contactos: 918 685 312

O Correio do Ribatejo no seu dispositivo móvel! Ofereça uma assinatura digital do Correio do Ribatejo aos seus amigos...disponível para iPhone, iPad e Android.

SOLUÇÕES DE DESIGN, WEB E MOBILE

ACEITAM-SE IDOSOS

m vivenda, com E quartos equipados com material hospitalar, mé5220

dico e enfermeira, ambiente familiar. Preço 660,00€/ mês, zona de Almoster. Contactos: 963 090 607 e 914 951 363

CAVALHEIRO eformado do estaR do, artista plástico, deseja conhecer senhora 5223

compatível. Contactos: 912 856 625

PRECISO

5231

par tamento (3 A quartos) mobilado, junto à rotunda do Forca-

Criamos a Aplicação iPhone, iPad e Android para a sua Empresa!

DIVERSOS

ARRENDA-SE

5236

EMAIL: geral@kriamos.pt TELEMÓVEL: 912 840 292 / 967 468 349

www.kriamos.pt

Km de Santarém. O próprio. Contactos: 962 450 772

G

aragem, c/ 74 m2, junto aos “Móveis Leandro”, preço 150 €/mês. Contactos: 967 805 782 5227

5224

tactos: 966 372 342

5196

ARRENDA-SE

ARRENDA-SE 4211

MÓVEIS USADOS COMPRAMOS

4994

ARRENDA-SE

art-Time, disponiP bilidade de horário. Contactos: 966 372 342 5225

SENHORA ferece-se, para O serviço doméstico ou tomar conta 5232

de crianças, com carta de recomendação. Contactos: 918 092 804


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

PROFISSÕES

FERNANDO MARTINHO SOFIA MARTINHO JOSÉ CARLOS PÓ ADVOGADOS

Rua António José de Almeida, 17-1.º Esq.º (Junto ao Antigo Banco de Portugal) Telef. 243326821 Fax 243333830 – SANTARÉM

MARIA JOÃO ALVES e MARIA MANUEL ESTRELA

SOCIEDADE DE ADVOGADOS, RL Largo Cândido dos Reis, 11 - 3.º Esq.º (Frente ao Hospital Velho) Telfs. 243323641 e 243332829 Fax 243332156 – 2000-241 SANTARÉM E-mail:mja.mme.adv@oniduo.pt

HELENA MARQUES DUARTE ADVOGADA Rua Pedro de Santarém, Nº 2 - 2ºA 2000-223 SANTARÉM Telf.: 243 352 407 -Tlm.: 912 507 658 E-mail:hmduarte-16362l@adv.oa.pt

Andreia Correia Bernardo SOLICITADORA Cédula Profissional n.º 5637 Rua Pedro de Santarém, n.º 33, 1.º Dt.º, Sala 3 2000-233 Santarém Telf./Fax: 243306484 Telm. 916274191/963237874 Email: 5637@solicitador.net

OLIVEIRA DOMINGOS ADVOGADO Largo Cândido dos Reis, n.º 3 - 1.º Telef. 243326310 Fax 243333587 2000-241 SANTARÉM

SOLICITADORES

ADVOGADO Rua Dr. Jaime Figueiredo, 24 - A - 1.º Esq.º Telef. 243325036 – 2000-237 SANTARÉM Praça da República, 29-1.º Esq.º - Almeirim Telefs. 243597997/8 – Fax 243597999

O Correio do Ribatejo no seu dispositivo móvel! Entre em 2014 com uma assinatura digital do Correio do Ribatejo ou ofereça uma aos seus amigos... disponível para iPhone, iPad e Android.

ORLANDO MENDES TERESA PINTO FERREIRA Sociedade de Advogados, R.L.

Travessa do Fróis, 3 - 1.º e 2.º 2000-145 SANTARÉM Telef. 243328444 – Fax 243391079 E mail: orlandomtpf_socadv.rl@mail.telepac.pt

ANA MARTINHO DO ROSÁRIO ISABEL ALVES DE MATOS VICTOR BATISTA ADVOGADOS Av.ª do Brasil, 1.º C (Edifício Scálabis) Telef. 243326242 – SANTARÉM

MÉDICOS

ADVOGADO Largo Cândido dos Reis, 11-4.º Esq.º Telefones 243321706/7 Fax 243321708 – 2000 SANTARÉM

ANTÓNIO NOBRE

ANÁLISES CLÍNICAS

ADVOGADO Rua Pedro de Santarém, 59, r/c Telf. 243770372 – Fax 243770381 2000-223 SANTARÉM

DR.ª FÁTIMA CONSCI NCIA Laboratório: Rua Luís de Camões, 10 Telef. 243309780 – Fax 243309781 SANTARÉM

SAÚL BAPTISTA

Endoscopia Alta, Colonoscopia Consulta de Gastrenterologia, Euromedic - Imagem Médica Rua Prof. Pinto Correia Lote 6 Telef. 243 303 180 - Santarém

ENGENHEIRO CIVIL L. Padre Francisco Nunes da Silva, 1 r/c Dt.º - Tel. 243305270 SANTARÉM

Joaqui m Pedroso da Costa MÉDICO ESPECIALISTA

Cirurgia Geral SURGIMED Telef. 243305780 – SANTARÉM

Dr.ª Maria do Rosário M. Faustino

J. M. MILHEIRO DE CARVALHO

Carla Moura Gonçalves

Rua Colégio Militar, Lote B - 1.º Frente Telef. 243322396 – SANTARÉM

DR. MÁRIO GALVEIAS OTORRINO

Rodrigo Raposo Fernandes Médico Dentista

DR. BART LIMBURG

MÉDICO DENTISTA

MARIA JOÃO CATROLA

ADVOGADA Rua Pedro de Santarém, 33 - 1.º Esq.º 2000-223 SANTARÉM Telef./Fax 243591648 – TM. 919100473 e-mail: mariajoaocatrola-1457 e @adv.oa.pt

MÉDICA ESPECIALISTA OUVIDOS – NARIZ – GARGANTA Rua Colégio Militar, Lote B - 1.º Frente Telef. 243322396 – SANTARÉM

MÉDICO DENTISTA HOLAND S Av.ª Bernardo Santareno, 13 - 1.º Dt.º (Av.ª do Hospital Novo) Telef. 243332757 – SANTARÉM

ADVOGADO Rua Dr. Ginestal Machado, 13 - 1.º Telef. 243357290 – Fax 243357291 2005-155 SANTARÉM

L. M. MARTINHO DO ROSÁRIO

DR. MANUEL ROSÁRIO

Consultas: segundas, quartas e sextas-feiras.

A. PEREIRA GOMES

SOLICITADOR Av. D. Afonso Henriques, 55, 1.º Dt.º 2000-179 SANTARÉM TM. 917232393 d.cabral@sapo.pt

BALCÃO ÚNICO DO SOLICITADOR

LISZT DE MELO PAULO M. NAZARETH BARBOSA RICARDO PEDROSA DE MELO

DOMINGOS CABRAL

DR. FERNANDO SARAIVA

Especialista em Reumatologia Médico do Hospital de Santa Maria DOENÇAS REUMÁTICAS Cons.: Rua Padre Inácio da Piedade de Vasconcelos, 11 - 1.º Telef. 243326449 – SANTARÉM

JORGE HUMBERTO MALACAS Rua Pedro de Santarém, 59 – r/c 2000-223 Santarém Tel/Fax: 243 326 500 * 919 000 120

19

Informa todos os seus pacientes que se encontra a partir de agora a exercer na Clínica do Exmo. Senhor Doutor Eduardo Lopes, CLIMECO, na Rua Vasco da Gama 23, Loja B e C, 2000-232 Santarém Tel.: 243 328 303

MÉDICA DENTISTA

Rua do Colégio Militar, Lote C-26/F Telef. 243 33 29 61 2000-230 SANTARÉM

Telm.: 917 856 456 Telm. Pessoal 919 837 070

Médico Especialista

PIEDADE GARCIA

OUVIDOS – NARIZ – GARGANTA

ADVOGADA

Marcações: Telef. 243591521, das 15 às 19 horas.

Largo do Município, n.º 21 - 1.º Esq.º Apartado 192 – Santarém Telef. 243332341 – Fax 243322941 Telemóvel 914453138

Rua Dionísio Saraiva, Lote 4-1.º - Dt.º ALMEIRIM

DR. JOÃO ROQUE DIAS

JOSÉ FRANCISCO FAUSTINO PEDRO GOULÃO JOÃO RAFAEL FRANCISCO ANTUNES LUÍS FRANCISCO LOPES LEITÃO

MÉDICO Doenças Pulmonares Alergias Respiratórias Consultório: Urb. da Antiga Praça de Touros, Lote 8-4.º Dt.º Telefone 243326957 – 2000 SANTARÉM

ADVOGADOS Rua Reitor Pedro Calmon, n.º 6 - 1.º – SANTARÉM Telefone 243327159 – Fax 243327160

PSICÓLOGA Maria do Céu Dias

CARDIOLOGIA

Graça Ferreira da Silva – Consultas – Exames de Diagnóstico Marcações: 243 328 890 (09h às 20h) Estrada de São Domingos Lt. 13, 2.º e 5.º Dt.º 2005-324 Santarém Acordos: Serv. Nac. Saúde, ADSE (reg. reembolso), Sub-Sistemas e Seguradoras

Mestre em Psicologia de Educação

J. LOURO DOS REIS RUTE REBOLA

Contacte-nos: 243 321 116

ADVOGADOS

NATIVIDADE CARDOSO SOLICITADORA

Av.ª do Brasil, Edifício Scálabis, 17, 1.º Dt.º – 2005-136 Santarém Telef. 243328393 – Telemóvel 938590759 Fax 243328522

FRANCISCO PEDRÓGÃO ADVOGADO Rua Pedro de Santarém, n.º 65 - 1.º Dt.º Telef. 243 042 631 – Fax 243 357 674 2000-223-SANTARÉM

MADEIRA LOPES FRANCISCO MADEIRA LOPES ADVOGADOS Telef. 243323700 – Fax 243332994 Rua Elias Garcia, 24-1.º Apartado 173 – 2001- 902 SANTARÉM

JOÃO NEVES VELOSO

ADVOGADO Praça Sá da Bandeira, n.º 22 - 1.º Esq.º 2000-135 SANTARÉM Telef. 243 333 556 – Fax: 243 325 159

FÁTIMA MADEIRA

ADVOGADA Largo Cândido dos Reis nº11-2º Esqº • 2000-241 Santarém Telf/Fax. 243 322 728 • Telm. 913 258 563 962 756 540

TERAPIA DA FALA Maria Paula Rondão

Acordos: PT - ACS - CGD Av.ª Bernardo Santareno, n.º 23 - r/c Dt.º – 2000-153 SANTARÉM Telefone 243329105 Telemóvel 917548644

DR.ª ISABEL MONTEIRO MÉDICA CARDIOLOGISTA • Consultas de Cardiologia • Electrocardiogramas • Ecocardiogramas Modo M, 2 D e Doppler a Cor R. Dr. António José de Almeida, 11-4.º Dt.º Telef. 243326957 – 2000 Santarém

PAULA CHAMBEL

FISIOTERAPEUTA FORMADA EM ALCOITÃO Telemóvel 925 341 092 – ALMEIRIM

DR.HELENA ESTEVES GINECOLOGISTA/OBSTETRICIA Telefone: 243321147 Telemóvel: 918775207 DR. CÉSAR MARTINS DERMATOLOGIA Telefone: 243321147 / 918775207

DR. MARTINHO DO ROSÁRIO UROLOGISTA – Doenças dos Rins, Vias Urinárias e Aparelho Sexual Masculino – Consultas às 2.ª, 4.ª e 6.as-feiras – Urofluxometria diariamente – Biópsias da Próstata Eco-Dirigidas com resposta Histológica em 3 dias Marcações diárias das 9 às 12 e das 15 às 20 horas Consultório: R. José Saramago, 17 - 1.º – 2005-143 SANTARÉM – Telef. 243327431


20

NECROLOGIA

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Agência Funerária Scalabitana

LOPES & BENAVENTE, LDA. AGÊNCIAS FUNERÁRIAS

iço serv artir de: m u a lh ap Esco alizado on s r e p

João da Silva Aniceto e João Aniceto

Santarém Av. Bernardo Santareno, Lt 4 (Frente ao Hospital)

Telef.

amento

e Orç tação d

n

Aprese

Grátis

Serviço Funerário Permanente 24 Horas

ALEIXO, LDA.

FUNERAIS – CREMAÇÕES JAZIGOS

www.lopesebenavente.com

Número Nacional Grátis 800 204 222

www.servilusa.pt

Agência Funerária

995€

A CONFIANÇA CONSTRÓI-SE... HÁ MAIS DE 30 ANOS A SERVIR...

ACHETE

TELEF. 243 323 888

Carlos Lopes 912 505 600

Empresa 100% portuguesa

Acácio Benavente 916 151 250

Ex-Sócios-Gerentes da Agência Scalabitana

(Frente à Rotunda Luminosa, ao lado da Farmácia Confiança) S. DOMINGOS – 2005-242 SANTARÉM Filial: FAZENDAS DE ALMEIRIM – Rua Dr. Guilherme Nunes Godinho, 280 – Telefone 243 593 800 ALCANHÕES

SANTARÉM

SANTARÉM

ILDA DOS SANTOS LOURENÇO VIEIRA

CARLOS MANUEL DA PIEDADE COELHO

243 328 115 Fax

243 328 818 Telems. 966007049 968041420 964052764

Sede: Santarém – Praceta Cidade Badajoz, n.º 15 c/v Filial: Alpiarça– Rua Silvestre Bernardo Lima nº 61-B Telef. 243558315/964052764

A Funerária Jorge Almeida, Lda. SERVIÇOS FÚNEBRES PARA QUALQUER PARTE DO PAÍS Telemóvel 917 273 370 Telef. 243 441 246 Fax 243 441 038 Escritório: Rua S. Vicente – Sobral 2000-700 S. Vicente do Paúl

Paula Telem. 917 848 011

Sandra Telem. 919 006 899 Sede: Rua Oriol Pena, 103 – 2000-493 Pernes Telef. 243 449 444 – Telem. 917 273 370 Email: geral@afuneraria.com.pt Site: www.afuneraria.com.pt

ANTÓNIO DA CONCEIÇÃO RIBEIRO AGRADECIMENTO N. 5/03/1927 - F. 28/02/2014

5222 Seu filho, nora, neto, e restante família agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada, ou que de qualquer outra forma lhes manifestaram o seu pesar. AGÊNCIA FUNERÁRIA LOPES & BENAVENTE, LDA. TELEF. 243 323 888 – SANTARÉM

ANTÓNIO PEREIRA SIMÕES 20 ANOS DE ETERNA SAUDADE 6/3/1994 - 6/3/2014

5221 Sua filha, genro e netos, participam que será celebrada missa pelo seu eterno descanso, e de sua esposa, no próximo domingo dia 9, às 10:30 horas, na igreja de Alcanhões, agradecendo desde já a quem se dignar assistir a este piedoso acto.

ALBERGARIA – ABITUREIRAS ARNEIRO DAS MILHARIÇAS – SANTARÉM

AGRADECIMENTO

N. 20/01/1920 - F. 28/02/2014

N. 26/07/1964 - F. 26/02/2014

5226 Seus filhos, noras, netos, bisnetos e restante família agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram acompanhar a sua ente querida à sua última morada, ou que de qualquer outra forma lhes manifestaram o seu pesar. Particuipam que será celebrada missa de 7º. dia pelo seu eterno descanso, hoje sexta-feira dia 7 às 19 horas, na Igreja de S. Nicolau, agradecendo desde já a quem se dignar assistir a este piedoso acto. A todos bem haja!

5228 Sua esposa e filhos agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada, ou que de qualquer outra forma lhes manifestaram o seu pesar. AGÊNCIA FUNERÁRIA LOPES & BENAVENTE, LDA. TELEF. 243 323 888 – SANTARÉM

PÓVOA DE SANTARÉM

AGÊNCIA FUNERÁRIA LOPES & BENAVENTE, LDA. TELEF. 243 323 888 – SANTARÉM

Assine o

VIRGÍLIO CARDANA MONTEZ FALECEU A 8/02/2014 MISSA DO 30º. DIA 6/3/1994 - 6/3/2014

O Correio do Ribatejo no seu dispositivo móvel! Ofereça uma assinatura digital do Correio do Ribatejo aos seus amigos...disponível para iPhone, iPad e Android.

AGRADECIMENTO E MISSA DE 7º DIA

5233 Sua esposa, filhos, netos e restante família participam que será celebrada missa pelo seu eterno descanso no próximo domingo, dia 9 às 16 horas, na igreja de Abitureiras, agradecendo desde já a quem se dignar assistir a este piedoso acto.

JOÃO DA CONCEIÇÃO CARVALHO 5/03/2009 - 5/03/2014 5 Anos de Eterna Saudade

5234 Sua esposa, filhos, nora, sogra e netos, recordam com profunda dor e saudade a passagem do 5º aniversário do seu falecimento.

Correio do Ribatejo por 20€/ ano Contacte-nos:

243 321 116

JOAQUIM ANTÓNIO DA SILVA PAULINO 72º. ANIVERSÁRIO NATALÍCIO 10/03/1942 - 10/03/2014

5235 Praticaste o bem na terra por isso te damos valor não podemos compensar-te mas ficamos com a dor. Tua esposa, filhos, netos, noras e genro.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

A nossa carteira

Fazem Anos 7 de Março Maria Judith Pinto Gonçalves Nogueira Maria Dolores Cordeiro Carvalho João Francisco da Cruz Ferreira Silvia Reis Pereira de Morais Cristina Isabel Guedes Raposeira João Rafael Pereira 8 de Março Laura Soares Louro Natália Maria Melo Maria Madalena Inácio de Jesus Ana Maria da Silva Mendonça Maria Ivone António Pedro António Augusto Ferreira José da Silva Santos Artur Francisco Alvares Marques da Cruz Gonçalo Nuno Batista Martins Faria Rui Paulo Carvalho Jorge Rodrigues Calarrão Maria do Carmo do Rosário Apelato Bernardino 9 de Março Maria de Lourdes Pires d’Oliveira Maria Warisch Lopes Maria Olívia Semedo Soutelo Augusto Domingos Maia José Rodrigues Gonçalves Jorge Daniel de Carvalho Nuno Pereira Pestana Ascenso Pires Paula Cristina Lopes Maia Inês Nunes Beirante 10 de Março Nazaré Pereira de Matos Belo Catarino Luís Fernando Nisa Antunes Mendes Júlio Manuel da Cruz Isabel Maria Veloso Vieira Maria Rita Correia Pereira 11 de Março Maria das Mercês Bagulho Cortes Carlos Saramago Eloy Godinho Maria Emília Duarte Cintrão Ana Margarida Leote Ramos Vieira Sandra das Neves Cadima Gouveia Maria de Lurdes Leonardo Belo Ambrioso Graciete Fortunato de Oliveira Batista Mário Paulo dos Santos Bernardes 12 de Março Maria Celeste da Cunha Avelar Maria Gabriela Duarte Bastos Dias Miguel Maria da Conceição da Cruz Ribeiro da Costa Luís Miguel Moreno de Dias Miguens Vieira Cristina Margarida Gomes Casanova de Pereira Martins Élia A. Santos Cruz Paula A. Monteiro de Vila-Lôbos Risques Carvalho Serra 13 de Março Rosalina Fausto Violante Ferreira Maria Carolina Eloy Santos Paulo Nuno Abreu Daniel Gabriela Ramiro Pombas Cabelo

MEMÓRIA

Correio Centenário

21

Opinião Fátima Vasques

O Escravo

in Correio da Extremadura de 07 de Março de 1914

O filme que venceu a estatueta dourada, distinguido pelos membros da Academia como O filme de 2013, conta a autêntica história de Solomon Northup, um homem de Nova Iorque tomado como escravo em 1841 e levado para o Sul, como tantos outros escravizados. Comove, não apenas pela infelicidade da escolha, mas principalmente pela vontade que o leva a agir, idealizando, sempre, o seu futuro, enquanto homem livre. Repor a ordem na desordem e o equilíbrio no desequilíbrio; vitória da claridade sobre a sombra. Na hora das palavras, a diplomacia política cruza-se de norte a sul, este e oeste, sentada em gabinetes aquecidos artificialmente, nos plenários reconhecidos como promotores da Paz, conversando em corredores conhecidos pelas inúmeras filmagens dos correspondentes, palco das negociações entre fracos e fortes, mais fortes e ainda mais fracos. Sobre todos estes se fala, na incógnita da ambição imperial, em crónica do século 21. O que esperar? Falemos, então, de fuga e do caminho ambicionado. Salvarse, a si e aos seus, numa hora em que a História é relembrada e avaliada: sobra fugir. O-maisforte está aí, novamente. Parece querer voltar, no mesmo sentido de poder, a mesma ânsia de se impor sobre os menores. Era uma vez, no Ontem da Europa, quando uma porta se fechou. Não se olha para trás. Foge-se, reconhecendo-se o perigo de gerações. Ela, grávida do segundo filho, carrega o futuro-outro. Ele carrega os sacos e leva o outro rapazinho, pela mão. Soldados encapuzados, anónimos na ausência de distintivos militares que os identifiquem, embalam nos braços as metralhadoras. Ainda secas. Cumprem ordens. É fácil prever a sua origem. Na Crimeia, a minoria Tártara enceta a evasão. Ei-los, novamente em fuga. Há poucas décadas, foram assassinados de fome e maus tratos. Escravos de hoje. Assim ganhou o óscar o filme “12 Anos Escravo”. Nada a acrescentar.


22

PUBLICIDADE

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Pernes C.R.L.,

Convocatória Nos termos do número 2 do artigo 22º e da alínea c) do artigo 23º dos Estatutos da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Pernes C.R.L., pessoa colectiva nº 500 990 689, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Santarém sob o mesmo número, com sede na Rua Eng.º António Torres, 140, em Pernes, convoco todos os associados desta CCAM que se encontrem no pleno gozo dos seus direitos, a reunirem-se em Assembleia Geral, em Sessão Ordinária, no próximo dia 22 de Março de 2014 (Sábado), pelas 17,00 horas, na sede desta CCAM, com a seguinte ORDEM DE TRABALHOS: 1.Deliberar sobre o relatório de gestão, o balanço e as contas do exercício de 2013; 2.Deliberar sobre a proposta de aplicação de resultados do exercício de 2013; 3.Proceder à apreciação geral da administração e fiscalização da Caixa Agrícola; 4.Outros assuntos de interesse colectivo. O Relatório e Contas da Administração e o Parecer do Conselho Fiscal relativos ao exercício em análise encontram-se na sede da Caixa para consulta dos associados a partir do dia 13 de Março. Se à hora marcada para a reunião não estiverem presentes mais de metade dos associados, a Assembleia reunirá, de harmonia com o n.º 2 do artigo 25º, com qualquer número, às 18,00 horas. Pernes, 27 de Fevereiro de 2014 O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Manuel Joaquim Botequim Costa (Dr.)

COOPERATIVA DE HABITAÇÃO ECONÓMICA LAR SCALABITANO E DE SOLIDARIEDADE SOCIAL, C.R.L.

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA CONVOCATÓRIA Nos termos do número um do artigo vigésimo quarto dos estatutos da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Ribatejo Sul, C.R.L., pessoa colectiva 504091735, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Almeirim, sob o nº. 16, com sede na Rua Direita, nº. 99 – Benfica do Ribatejo, convoco todos os associados desta CCAM que se encontrem no pleno gozo dos seus direitos, a reunirem-se em Assembleia Geral Ordinária no próximo dia 28 de Março de 2014 pelas 17 horas, na sede desta CCAM, com a seguinte: ORDEM DE TRABALHOS 1.Apresentação, discussão e votação do Relatório, Balanço e Contas do Concelho de Administração e Parecer do Concelho Fiscal, respeitante ao ano 2013; 2.Deliberar sobre a proposta de aplicação de resultados; 3.Proceder à apreciação geral da administração e fiscalização; 4.Apresentação do relatório com os resultados da avaliação anual das politicas de remuneração praticadas na Caixa Agrícola; 5.Qualquer outro assunto de interesse colectivo e/ou cooperativo. Nos termos do Artigo vigésimo quinto dos Estatutos, se à hora marcada não houver número suficiente de presenças, a Assembleia funcionará validamente, uma hora depois, com qualque número de associados. Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Ribatejo Sul, 26 de Fevereiro de 2014 O PRESIDENTE DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL a) SÉRGIO LUIS COUTINHO DOS SANTOS

CONVOCATÓRIA Nos termos do disposto do artigo 36º. dos ESTATUTOS, convoco a ASSEMBLEIA GERAL DA COOPERATIVA DE HABITAÇÃO ECONÓMICA LAR SCALABITANO – COOPERATIVA DE RESPONSABILIDADE LIMITADA, a reunir em sessão ordinária, no dia 28 de Março de 2014, pelas 20 horas na Secretaria (Sede) da Cooperativa de Habitação, situada na Rua Brigadeiro Lino Dias Valente, Lote 3 em Santarém, com a seguinte: ORDEM DE TRABALHOS 1 – ANÁLISE APRECIAÇÃO E APROVAÇÃO DO RELATÓRIO E CONTAS DE 2013. BEM COMO O PARECER DO CONSELHO FISCAL. 2 - OUTROS ASSUNTOS DE INTERESSE PARA A COOPERATIVA. Não havendo número legal de sócios para deliberar à hora marcada, convoco desde já a mesma ASSEMBLEIA GERAL, a reunir em segunda convocatória, local e dia, meia hora depois, com a mesma ordem de trabalhos, deliberando então com qualquer número de sócios presentes. Santarém, 3 de Março de 2014 O PRESIDENTE DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL Leo Manuel Weitzenbaur Goyanes Machado Nota: Os cadernos da Aprovação do Relatório e Contas encontram-se à disposição na Secretaria da Cooperativa.

CENTRO CULTURAL E RECREATIVO DAS FONTAÍNHAS E GRAÍNHO

Assembleia Geral Ordinária CONVOCATÓRIA Em cumprimento das disposições estatutárias, convoco a Assembleia Geral para reunir no próximo dia 15 de Março de 2014 (Sábado), pelas 21,00 horas, na sede desta, com a seguinte ORDEM DE TRABALHOS 1.Apresentação, discussão e votação do Relatório de Actividades e Contas do ano de 2013 2.Eleição dos Corpos Gerentes para o ano 2014 NOTA: 2ª. Convocação 1 hora depois com qualquer número de sócios. O presidente da Assembleia Geral Hélder Lourenço

E.A.C.A. - Empresa das Águas Cloretadas de Alcanhões, S.A. Sede em Alcanhões Sociedade Anónima registada na Conservatória do Registo Comercial de Santarém Capital Social Subscrito e realizado de 500 000 Euros Pessoa Colectiva 500 343 535

ASSEMBLEIA GERAL CONVOCATÓRIA A pedido da Administração, convoco os accionistas para uma Assembleia Geral a ter lugar na sede social, Quinta das Martanas, Alcanhões, no dia 05 de Abril de 2014, pelas 09 horas com a seguinte ORDEM DE TRABALHOS: 1.Apreciar e votar o Relatório da Administração e as Contas do exercicio de 2013. 2.Deliberar sobre a proposta de Aplicação de Resultados. 3.Proceder à apreciação geral da Administração e da Fiscalização da Sociedade. Nota: nos termos do artigo 11º. dos estatutos, se à hora indicada não estiver representado 25% do Capital Social, a Assembleia funcionará uma hora mais tarde, independentemente desse número. Alcanhões, 27 de Fevereiro de 2014 O Presidente da Mesa da Assembleia geral Rui Manuel Batista Lourinho

O Correio do Ribatejo no seu dispositivo móvel! Ofereça uma assinatura digital do Correio do Ribatejo aos seus amigos... disponível para iPhone, iPad e Android.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

VINHOS

23

Depois de um crescimento de 42 por cento em 2013

Vinhos do Tejo querem continuar a crescer no Brasil em 2014

MasterClass Vinhos do Tejo no Brasil

Na próxima semana, dez produtores do Tejo rumam ao Brasil para a grande prova anual da região e para o lançamento da caravana dos Vinhos do Tejo Os ‘Vinhos do Tejo’ irão relançar este mês o seu plano de promoção para o mercado brasileiro com o objectivo de manter os níveis de crescimento deste mercado, anunciou a Comissão Vitivinícola da Região do Tejo (CVR Tejo). Actualmente, o Brasil é o 4º mercado extracomunitário da Região do Tejo e o 2º mercado de investimento da região, o que explica, assim, o crescimento que tem tido ao nível da exportação, que em 2013 atingiu os 42 por cento. Para conseguir cumprir os objectivos traçados, os Vinhos do Tejo vão rumar já na próxima semana, dia 13 de Março, para o Brasil, de modo a organizarem a Grande Prova Anual Vinhos do Tejo e o lançamento do projecto Caravana Vinhos do Tejo. “Os resultados positivos que temos vindo a registar no Brasil estão muito relacionados com os projectos que a região tem vindo a desenvolver e estas duas iniciativas são dois desses exemplos”, explica José Pinto Gaspar, presidente da CVR Tejo. A Grande Prova Anual Vinhos do Tejo realiza-se no dia 13 de Março, em S. Paulo, no Tivoli Mofarrej e contará com a pre-

sença de 10 produtores da região que vão apresentar cerca de 100 vinhos. Do programa da prova fazem, também, parte um conjunto de Master Class onde se pretende demonstrar a qualidade e a versatilidade dos Vinhos do Tejo. Por sua vez, o projecto Caravana Vinhos do Tejo, pela qual já passaram mais de mil pessoas e que conta com a adesão de 11 produtores da região, é lançado igualmente no dia 13 de Março, na Grande Prova Anual Vinhos do Tejo em S. Paulo. “A tipologia das acções que temos em 2014 para o projecto da Caravana são muito idênticas às de 2013, isto é, continuam a ser focadas no consumidor e na restauração, sendo que este ano haverá uma componente educativa da região para importadores e as acções terão algumas novidades na sua dinâmica, sobretudo em locais por onde a Caravana já tenha passado”, explica o presidente dos Vinhos do Tejo. Os 10 produtores da CVR Tejo que irão participar nestas iniciativas no Brasil são: Adega Cooperativa do Cartaxo, Casal Branco, Casa Cadaval, Casal da Coelheira, Casal do Conde, Falua, Quinta da Badula, Quinta da Lapa, Quinta do Casal Monteiro e Quinta Vale de Fornos. A Comissão Vitivinícola da Região do Tejo (CVR Tejo) é a entidade responsável pela promoção e certificação dos vinhos da região. A região dos vinhos do Tejo é compos-

Prova de Vinhos do Tejo no Brasil

ta por um total de 19 mil hectares, que produzem, anualmente cerca de 630 mil hectolitros. Entre 2008 e 2013 a exportação da região cresceu 78%, sendo que em 2013, o desempenho global ao nível das exportações de Vinhos do Tejo para o mercado internacional (União Europeia e países terceiros) ultrapassou os 14 milhões de

garrafas. Os três maiores mercados da região foram, em 2013, Angola, Suécia, China, sendo que os EUA, Polónia e Brasil, revelaram-se nesse ano os melhores mercados da região. A Região do Tejo inclui as seguintes sub -regiões: Almeirim, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Santarém e Tomar.


24

SAÚDE

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

César Martins Dermatologista na Clínica WMed

Novos tratamentos em Dermatologia Eterna Giovinezza O Eterna Giovinezza é um equipamento que cumpre as normas de segurança e eficácia da FDA – entidade americana que regula os medicamentos e aparelhos médicos. As indicações para uso do Eterna Giovinezza são baseados na absorção seletiva da luz emitida por cromoforos naturais, como a melanina e a hemoglobina. O Eterna Giovinezza foi desenhado efetivamente para a remoção de lentigos solares, assim como telangiectasias faciais e acne. A melanina presente no folículo e na camada basal hiperpigmentada são o alvo do tratamento que se desenvolve através da seleção uma correta fluência e impulso do aparelho. No tratamento do acne o equipamento fotoativa as porfirinas, substâncias que por sua vez aumentam o oxigénio e radicais livres provocando a morte do propionibacterium acnes. Este microrganismo, em conjunto com outros fatores, é responsável pelas lesões de acne que afetam sobretudo os adolescentes. O mecanismo da remoção das manchas – lentigos solares e melasma – pelo Eterna Giovinezza é baseado na destruição seletiva dos melanócitos e melanosomas da epiderme. Esta destruição provoca apenas algumas pequenas crostas por dano epidérmico, que desaparecem no entanto rapidamente em menos de uma semana. A finalidade do uso do Eterna Giovinezza nas lesões vasculares é a veia tornar-se imediatamente invisível sem dano na pele suprajacente. O vaso sanguineo irá escurecer nas 2448 horas subsequentes e desaparecer definitivamente pelos 5-7 dias. Pode assim ser usado com segurança na cuprose e dilatações vasculares faciais.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

SAÚDE

Abrantes

Câmara avança com incentivos para atrair médicos de família A Câmara Municipal de Abrantes anunciou ter recebido autorização da Administração Regional de Saúde (ARS) para avançar com incentivos financeiros de 9.000 euros por ano aos médicos de família que queiram instalar-se no concelho. Em declarações à agência Lusa, a presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque (PS), disse que a ARS de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) informou “não ter nada a opor” aos incentivos financeiros que a autarquia quer dar a médicos para estes se fixarem em Abrantes, concelho com cerca de 40 mil habitantes e que tem actualmente 40% dos utentes sem profissionais de saúde de proximidade. No início do ano, a ARS-LVT havia negado a pretensão da autarquia, tendo então considerado que o incentivo de 9.000 euros anuais criado pela autarquia para a instalação de médicos na futura Unidade de Saúde Familiar (USF) era um “factor de promoção de desigualdade entre municípios”, uma leitura assente na disponibilidade financeira que Abrantes demonstrou ter e que poderia diferir em outros municípios. Maria do Céu Albuquerque, presidente da autarquia, não concordou com o chumbo aos incentivos à contratação de médicos e reclamou da decisão, tendo referido que a decisão “não fazia sentido” e vincado a “enorme quantidade de utentes do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo sem médico de família”, em particular no concelho de Abrantes. “Sem mais explicações, a ARS-LVT simplesmente informou agora nada ter a opor”, disse a autarca.

Além dos incentivos, o município já adjudicou as obras no valor de um milhão de euros para requalificar o edifício da antiga rodoviária de Abrantes, no centro da cidade, e ali colocar a funcionar a USF e o novo centro de saúde, que será deslocalizado da unidade hospitalar de Abrantes, onde está actualmente sediado. “A obra física já está adjudicada, está agora no Tribunal de Contas, mas precisamos de profissionais de saúde que queiram integrar esta equipa no âmbito da Unidade de Saúde Familiar”, reforçou Maria do Céu Albuquerque. O incentivo financeiro, que servirá de complemento salarial, será suportado pelo orçamento camarário e durará dois anos, podendo ser prorrogado por mais um.

Maria do Céu Albuquerque

25

Recolhas de Sangue este fim de semana promovidas pelo Grupo de Dadores de Sangue de Pernes


26

DESPORTO

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Associação Académica de Santarém

Juniores eliminados da Taça do Ribatejo nos penalties Os Juniores da Associação Académica de Santarém (AAS) empataram a um golo no final do tempo regulamentar, mas perderam após a marcação de grandes penalidades e foram eliminados da Taça do Ribatejo pelo A.C. Alcanenense. A AAS quebrou nos penalties (2-4) perante uma forte equipa, pecando a Briosa pela falta de eficácia no tempo regulamentar para resolver a partida antes do recurso à marca de grande penalidade. Aí o Alcanenense foi mais forte. Nota para o facto de o Alcanenense se ter apresentado com cinco jogadores brasileiros no seu “onze” inicial e teve no seu guarda-redes o homem do jogo (defendeu três penalties). Quinzinho marcou logo aos 7, mas aos 80 minutos desperdiçou um penalti, que poderia mudar radicalmente a história deste jogo. Amanhã, sábado, a AAS recebe o N. S. Rio Maior, no Campo da Escola Superior Agrária, às 15h00, e onde tudo se irá decidir em termos de Campeonato. Os Juvenis perderam na recepção ao N. S. Rio Maior, por 2-1. A equipa nunca virou a cara a luta e procurou o golo do empate até final, no entanto, a equipa de Rio Maior, mais forte fisicamente e mais experiente, acabou por não o permitir. Os Iniciados ‘A’ perderam frente ao Moçarriense, por 4-2. A derrota penaliza a péssima 1ª parte da Académica. No reatamento, tudo foi diferente, mas a equipa não conseguiu recuperar da desvantagem com que se chegou ao intervalo. Já os Infantis ‘A’ deslocaram-se ao Seixal para defrontar, em jogo particular, o S. L. Benfica. Na estreia no futebol 11 para a equipa da Académica, os pupilos de Nuno Teixeira, apesar da derrota por 4-1, estive-

Atletas da Briosa na Selecção Inter-Regional de Sub-14

Os atletas da equipa de Iniciados da Associação Académica de Santarém Bruno Alcobia, Guilherme Silva, Eduardo Noronha, João Colaço e ram em muito bom nível. Marcou ao Benfica o ‘estudante’ David Silvestre. Na Terçafeira, deslocaram-se ao Cartaxo para mais uma jornada do Campeonato e venceram por 4-2. Boa exibição na casa do 3º classificado que agora se encontra a 11 pontos do líder Académica de Santarém. Marcaram pela Briosa, Salvador Coutinho (2), Francisco Oliveira e Miguel Henriques. Os Infantis ‘B’ venceram no terreno do Footkart ‘B’, por 2-0, com golos de João Marecos e Francisco Oliveira. Com este resultado a AAS lidera isolada a Série A do Nível 2. Os Infantis ‘C’ conquistaram uma vitória justa, mas sofrida, frente à U. D. Chamusca ‘B’, por 4-3. Valeram à AAS os golos de

João Cruz foram convocados para o 1º Treino da Selecção D14 (Concelhos de Alpiarça e Santarém) com vista à participação no Torneio Inter-Selecções José Dias (2) e Tiago Freitas (2). Os Sub-11 ‘A’ terminaram em 4º lugar o Torneio do Carregado, de elevado grau de dificuldade, em que á frente da Académica só ficaram os chamados “grandes” do futebol Português. Marcaram pela Briosa neste Torneio: Rafael Alcobia (3), Francisco Geada e 1 autogolo. Na terça-feira, em mais uma jornada a contar para o Campeonato, a equipa deslocou-se ao Cartaxo para defrontar a equipa local e venceu por 4-1, aumentando para oito pontos a vantagem sobre o 2.º classificado. Os Sub-10 ‘A’ venceram o N. S. Rio Maior ‘A’, por 2-1, através de um bom golo

Regionais - Tejo Cup 2014 - promovido pela Associação de Futebol de Santarém e que terá como patrono João Vieira Pinto. de Tomás Neves, quase no cair do pano, quando quase todos já se contentavam com o empate. Já os ‘B’ perderam frente ao Vale da Pedra por 3-2, quando a 10 minutos do fim a AAS vencia por 2-0. Os Sub-10 ‘C’ perderam no terreno do C. D. Torres Novas, por 6-1, com o tento solitário dos ‘estudantes’ a sair dos pés de Marta Melão, enquanto os ‘D’ também perderam, desta feita frente ao G.D. Benavente, por 4-1. No confronto contra o líder, a equipa nunca deitou a toalha ao chão, batendo-se bem e procurando fazer face à evidente superioridade do adversário.

Hóquei Clube de Santarém no Torneio de Vila Franca de Xira

Escolares derrotam espanhóis na final Com a participação de quatro equipas no Torneio de Vila Franca de Xira os jovens hoquistas do Hóquei Clube de Santarém (HCS) realizaram 13 jogos no fimde-semana de Carnaval, numa maratona hoquista que dificilmente irão esquecer. Os Iniciados defrontaram os franceses de Villejuif no primeiro jogo e saíram derrotados pela margem mínima. A turma francesa era de outro escalão e logo composta por jogadores mais velhos, o que influenciou, nomeadamente devido à maior compleição física dos franceses, o resultado final da partida. Nos outros dois jogos, o HCS registou um empate e uma vitória o que lhe conferiu o 2º lugar no torneio, tendo a equipa dado excelentes indicações para o futuro. Os escolares estiveram quase irrepreensíveis mostrando um hóquei muito adulto comparativamente à terra idade que possuem. No primeiro jogo golearam o Parede empatando no segundo com a equipa da casa – o Vilafranquense. Perante estes resultados, o desfecho

com o Oeiras ditaria quem iria à final com o Réus, um ‘gigante’ de Espanha que venceu com facilidade todos os jogos disputados. Com uma primeira parte de luxo o HCS venceu o Oeiras por 2-0 e conquistou, assim, a merecida presença na final que se avizinhava bastante complicada. Só que no decorrer da final, o Réus nunca conseguiu fazer fluir o seu jogo, dada a constante pressão exercida em todo o ringue pelos hoquistas escalabitanos, essencial para que o troféu do 1º lugar tivesse ficado em terras Lusitanas. Por sua vez, os Benjamins obtiveram um terceiro lugar na competição, fruto de duas derrotas e de uma vitória, continuando o seu processo de aprendizagem. Por último, os Bambis classificaram-se no quarto lugar do Torneio cumprindo na íntegra os objectivos traçados pelo HCS que passam, essencialmente, pelo contacto com outras equipas e realidades, para que possam evoluir de forma equilibrada, uma vez que se tratam de jo-

vens hoquistas que na presente época começaram a aprender a patinar e que têm entre quatro a seis anos de idade. Os próximos jogos do HCS são os seguintes: amanhã, sábado, dia 8, 16h30,

Escolares, HCS-HC ‘Os Tigres’; 15h00, Bambis, Alenquer B-HCS. Domingo, dia 9 de Março, 15h00, Iniciados, HCS-‘Os Tigres’ e, pelas 17h30, Escolares, UF Entroncamento – HCS.

Ténis de Mesa

Caixeiros nos Campeonatos Nacionais Individuais e de Pares Nos passados dias 1 e 2 de Março, disputaram-se na cidade algarvia de Lagos, os Campeonatos Nacionais Individuais e de Pares de Ténis de Mesa, nos escalões de Infantis e Séniores. O Grupo de Futebol Empregados no Comércio esteve representado nos dois escalões, com três atletas infantis, entre 52 jovens praticantes, e um atleta júnior que competiu no escalão de Séniores, onde disputaram o título nacional

59 mesatenistas. A delegação scalabitana foi orientada pelo técnico João Duarte. No escalão de Séniores, Filipe Quina não logrou a passagem ao mapa final, tendo sido derrotado em todos os jogos da fase de grupos. Sorte idêntica teve Afonso Vagarinho no escalão de infantis. Manuel Rodrigues, após garantir o acesso ao mapa final num grupo em

que também participou o Campeão Distrital de Lisboa e número dois do ranking nacional da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa, foi afastado nos 16-avos de final pelo número um do mesmo ranking, Tiago Li, atleta que viria a revalidar o título de Campeão Nacional. Destaque para João Matos, que, com apenas seis meses de modalidade, garantiu também o acesso ao mapa final,

tendo sido eliminado nos 16-avos de final pelo número quatro do ranking. Na competição de pares, Manuel Rodrigues e Afonso Vagarinho foram eliminados nos oitavos de final pelo par constituído pelos mesatenistas classificados em número três e cinco do referido ranking, mas tendo oferecido uma excelente réplica, perdendo dois dos três sets pela diferença mínima.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

DESPORTO

27

União Desportiva de Santarém

Formação defronta Benfica em jornada de muitos golos e convívio Na tarde invernosa de domingo, dia 2 de Março, todas as equipas do futebol de formação da União Desportiva de Santarém (UDS), das variantes de 5 e 7, deslocaram-se a Lisboa a convite do Sport Lisboa e Benfica (SLB), para realizar quatro jogos particulares que constituíram um momento marcante para os jovens escalabitanos. A UDS fez deslocar uma comitiva com cerca de 50 jogadores, todos os seus técnicos e um alargado número de pais e familiares, conferindo aos jogos num verdadeiro clima de festa. Os primeiros a entrar em acção foram os Sub-8 da UDS frente aos Sub-7 do SLB, uma partida que a equipa unionista constituída por Moisés Mendes, Francisco Madruga, Henrique Gonçalves, Bernardo Santos, António Pita, António Ribeiro, Rodrigo Stoffel, Martim Martinho, André Pacheco e Cristiano Bernardino, decerto não irá esquecer, dado ter-se tratado de uma experiência nova para a equipa, pois foi a primeira vez que jogou futebol de 6 (5+GrxGr+5). Apesar desta condicionante a UDS fez um excelente jogo, defendendo com muita qualidade e criando diversas situações de golo. O jogo foi disputado até ao final, mantendo-se empatado a um, até perto do fim, altura em que o SLB conseguiu marcar dois golos, estabelecendo o resultado final em 3-1 a seu favor. O golo solitário da UDS foi marcado por António Ribeiro, após um primeiro remate de Rodrigo Stoffel. De seguida, os Benjamins Sub-10 “B” da UDS defrontaram a equipa de 2006 do SLB. Os 6-0 finais, favoráveis á turma lisboeta não mancham o grande jogo da UDS que se bateu galhardamente perante uma equipa muito mais “adulta”. Os Sub-10 “A” da UDS defrontaram uma formação Sub-9 do SLB, num confronto com uma realidade completamente diferente, já que a partida foi de 60 minutos, mais 10 que no Distrital e sempre com

uma intensidade alta, pelo que se compreende o desequilíbrio no marcador a favor dos ‘encarnados’ de Lisboa: 1-12. O golo unionista foi marcado por Tomás no dia em que festejou o seu 10.º aniversário. Na resposta ao desnível verificado na partida de Sub-10 ‘A’ estiveram os Infantis da UDS que, apesar de defrontarem jogadores com menos dois e três anos, foram, desta vez, os autores de uma goleada imposta ao SLB, traduzida num claro 13-1 final que não reflecte a competitividade e o bom futebol praticado por ambos os conjuntos. A UDS esteve, no seu todo, muito bem, jogando com muita qualidade e abrindo as portas para mais jogos desta natureza.

Benjamins empatam em Glória no distrital

A equipa de Sub-10 “B” da UDS, empatou sem golos em Glória do Ribatejo, em jogo a contar para a 10.ª jornada do cam-

peonato distrital de Benjamins, nível III. A exibição foi boa, reflexo da evolução que a equipa vem registando nas últimas semanas. Na próxima ronda defrontam a Académica, no Campo Chã das Padeiras (9h30). Os Benjamins Sub-10 “A” da UDS mantêm o segundo lugar, reforçando a possibilidade de passar para fase final do campeonato distrital, nível II. Na recepção ao Salvaterrense, líder destacado da competição, a vitória esteve muito perto de acontecer na sequência de uma exibição plena de garra e determinação, num jogo em que a UDS esteve sempre em vantagem no marcador e em que só viria a conceder o empate já parte final, fixando o resultado em 2-2, com golos de Kiko e Crespo para as cores unionistas. Na próxima jornada a UDS defronta a Académica de Santarém, actual terceiro classificado. Ainda na manhã do passado sábado, em jogo a contar para 9ª jornada do campeo-

nato distrital de Infantis, nível II, a UDS deslocou-se a Salvaterra e, num jogo difícil, perante uma formação reforçada com jogadores de 2.º ano no escalão, conseguiu uma derrota tangencial (4-3) o que evidencia alguma melhoria na equipa da UDS. Na próxima jornada, a UDS recebe o Samora Correia. Já no domingo de manhã, os Iniciados da UDS defrontaram a formação “B” do Núcleo Sportinguista de Rio Maior, num jogo bastante disputado com duas equipas sempre à procura do golo. O empate a uma bola traduz o equilíbrio verificado ao longo da partida, apesar da formação unionista ter jogado os últimos 15 minutos em inferioridade numérica em virtude da expulsão de Igor. O Rio Maior marcou primeiro, mas um pontapé fortíssimo, do meio da rua, do promissor Vítor conferiu a justiça no marcador. Pior sorte tiveram os juniores da UDS que, a meio da semana, foram derrotados pelo Amiense por claros 5-0.

Infantis “A” do Vitória Clube de Santarém batem recorde absoluto de goleada do futsal distrital

ET com 34 dedos aterroriza gentes do Entroncamento

Infantis do Vitória Clube de Santarém violaram todos os limites impostos, com 34 golos no Entroncamento

Foi mais um fim-de-semana “paranormal” para o Vitória Clube de Santarém: no passado domingo, na cidade do Entroncamento, famosa pelos fenómenos paranormais que, segundo os relatos mitológicos dos locais, tradicionalmente assombram a zona, a equipa “A” de infantis do clube escalabitano foi avistada a realizar uma exibição extraterrestre frente ao UF Entroncamento, transportando o máximo absoluto de goleada no futsal distrital para uma galáxia inalcançável. 34-0 é o novo resultado recorde de uma equipa do distrito de Santarém em provas oficiais! O conjunto comandado por Ivo Costa, detentor de um registo avassalador diante do adversário em causa nas últimas tem-

poradas, partiu para este desafio com o objectivo bem delineado de conquistar bem mais do que os três pontos em disputa: a ambição passava por um lugar na História… ou, antes, um lugar mais destacado, pois, afinal, o anterior máximo também pertencia aos vitorianos (27-0, já esta temporada e também… no Entroncamento). Logo à passagem dos 4 minutos, o virtuoso Jony Ribeiro já havia rubricado um hat-trick, contando com os contributos de João Peitaço, Diogo Madeira, Miguel Morais, Garcia, Brites e companhia para que se alcançasse a maior vantagem de sempre ao intervalo em jogos das provas distritais: 18-0. No segundo tempo, e apesar de o esféri-

co beijar os postes do Entroncamento em cinco ocasiões, o resultado alargar-se-ia mesmo até números impensáveis, transcendentais, dificilmente igualáveis em anos vindouros. João Peitaço, o Messi do Arneiro dos Borralhos, com 10 tiros certeiros, além de estabelecer a sua melhor marca pessoal no mesmo desafio, tornou-se o melhor marcador absoluto de sempre do Vitória Clube de Santarém, entre todos os escalões, contabilizando 117 golos oficiais. Jony, com 9 tentos, ficou próximo dessa marca individual, e, em apenas uma época com o emblema azul ao peito, soma já 47 golos. Impressionante! O feito adquire ainda mais relevo se se atender à (ainda assim) boa temporada realizada pelo grémio do Entroncamento, que recentemente foi ao difícil terreno do CAD Coruche empatar a cinco bolas e, inclusivamente, goleou o Ribeira Fárrio por… 15-0. Com este triunfo folgado, os vitorianos ficam a somente três pontos de conquistar o bicampeonato distrital deste escalão, proeza que pode ficar matematicamente selada já no próximo domingo, dia 9 de Março, às 11h30, na Nave Municipal de Santarém, frente ao 2.º classificado da geral, Os Patos. Em caso de triunfo, o Vitória somará o 6.º título distrital da sua história, assumindo-se cada vez mais como uma das grandes potências do futsal distrital e, inclusivamente, nacional, pois os escalabitanos encontram-se no topo dos clubes portugueses com mais atletas federados na modalidade. No Entroncamento, o invulgar ET de 34 dedos encarnou nos corpos de Tomás

Faustino, Diogo Madeira (4 golos), Jony (9), João Francisco (4) e João Peitaço (10); Bernardo Garcia (2), Miguel Oliveira (1), Miguel Morais (2), Marcelo Guerra (1), Bernardo Brites (1) e Bernardo Fazenda.

Seniores femininos já preparam Taça Nacional

Num fim-de-semana em que a equipa sénior masculina viu o seu encontro em S. Vicente adiado devido à humidade do piso, as seniores femininas, de Frederico Condeço, encerraram a sua participação no Campeonato Distrital da categoria, com uma derrota por 1-3 no reduto do Fazendense. Com o título distrital já assegurado, as vitorianas encararam a partida com alguma descompressão, aproveitando inclusivamente para estrear durante breves minutos a reforço Leonor Meneses, que, ausente desde a pré-época devido a lesão, viu assim premiada a sua presença constante no dia a dia da equipa ao longo da mais épica caminhada do historial do clube no escalão. Marlene Fernandes apontou o último tento azul nesta edição da prova, em vésperas da estreia do Vitória Clube de Santarém na prestigiada Taça Nacional, na qual se disputará o acesso ao lote restrito de emblemas que integrarão o Campeonato Nacional em 2014/15. Numa ronda em que folgaram quase todos os escalões competitivos, a actividade vitoriana contaria ainda com a actuação da equipa “B” de infantis, que recebeu e venceu o CAD Coruche por 3-1, com golos de Bernardo Brites e Miguel Tomé (2).


28

DESPORTO

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Natação

Nadadora da Viver Santarém qualifica-se para a Final dos 3000 metros

Maria Beatriz Dias (foto de arquivo)

Maria Beatriz Dias, nadadora da Viver Santarém, qualificou-se para a Final dos 3000 metros a realizar no próximo dia 26 de Abril, na Piscina de Rio Maior, informa a Viver Santarém em nota enviada ao Correio do Ribatejo. A qualificação da nadadora foi alcançada após a conquista de um nono lugar, (5.ª na Zona Sul e 6.ª a nível nacional em Juvenis A), ainda que tenha realizado um tempo aquém da sua melhor marca, no passado dia 1 de Março, durante o Campeonato Nacional de Longa Distância – Fase de

Apuramento, disputado em Rio Maior. Uma organização da Federação Portuguesa de Natação e da Associação de Natação do Distrito de Santarém na qual participaram quatro nadadores da Empresa Municipal Viver Santarém na categoria de Juvenis e Seniores, entre mais de 16 Clubes, no total de 59 nadadores em competição, informa a mesma empresa. Em representação da Empresa Municipal Viver Santarém, estiveram ainda os nadadores Tiago Campos, Patrícia Baeta, João Baeta acompanhados pelo treinador Renato Rodrigues, os quais, dignificaram as cores de Santarém, tendo-se classificado o nadador Tiago Campos (3000m) na categoria de Juvenis B em 3º Lugar na Zona Sul e 5.º a nível nacional; Patrícia Baeta (3000m) na categoria de Juvenis B em 3º Lugar na Zona Sul e 6.ª a nível nacional; e João Baeta na categoria de Seniores em 7º Lugar (5000m) na Zona Sul e 13.º a nível nacional. Decorreu no passado sábado, dia 1 de Março, nas Piscinas Municipais da Póvoa do Varzim (Zona Norte) e de Rio Maior (Zona Sul), O apuramento para o Campeonato Nacional de Longa Distância (3000m para os Juvenis e 5000m para Juniores e Seniores) decorreu no passado sábado nas Piscinas da Póvoa do Varzim (Zona Norte) e de Rio Maior (Zona Sul) prova organizada pela Federação Portuguesa de Natação e que contou com a participação de 119 nadadores, em representação de 26 clubes, sendo 10 da Zona Norte e 16 da Zona Sul. Para a final apuraram-se os 10 melhores tempos de Juvenis (A e B) e as 10 melhores performances de Seniores e Juniores (três seniores, três juniores e quatro melhores tempos dos dois escalões), a nível nacional.

Nadadores do Clube de Natação de Torres Novas em Estágios da Selecção Distrital

Os atletas Inês Ramos, Bernardo Simões e Paulo Vakulyuk do Clube de Natação de Torres Novas foram convocados para um estágio da Selecção distrital de Cadetes, organizado pela Associação de Natação do Distrito de Santarém e sob orientação da Federação Portuguesa de Natação, a realizar no próximo domingo,

dia 9 de Março, em Salvaterra de Magos. Já nos passados dias 2 e 3 de Março, os nadadores Miguel Frade, Marta e Rita Oliveira participaram no estágio de capacitação para infantis que juntou os melhores nadadores do Torneio Nadador Completo, das associações de Lisboa e Santarém.


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Ecos do Burladero Ludgero Mendes

O novo Regulamento Tauromáquico foi aprovado na reunião do Conselho de Ministros do passado dia 27 de Fevereiro, o que ocorre muitos anos depois de ter sido elaborado... O documento deverá ser promulgado pelo Presidente da República dentro de dias e posteriormente será publicado no “Diário da República”, entrando em vigor de imediato. Porém, este processo pode levar até dois meses, o que irá acontecer já com a temporada em curso, exigindo-se, posteriormente, uma rápida adaptação às novas normas. Do Comunicado do Conselho de Ministros, divulgado no próprio dia da aprovação, consta no seu ponto nº 4, o seguinte: “O Conselho de Ministros aprovou uma proposta de lei que estabelece o regime de acesso e exercício da atividade de artista tauromáquico e de auxiliar de espetáculo tauromáquico, conformando-o com a di-

TAUROMAQUIA

29

Governo aprova novo Regulamento… retiva comunitária que estabelece os princípios e as regras necessárias para simplificar o livre acesso e exercício das atividades de serviços, bem como com o regime jurídico do Sistema de Regulação de Acesso a Profissões (SRAP). Esta proposta de lei visa fomentar uma maior responsabilização dos intervenientes pela atividade que exercem, bem como clarificar as regras e requisitos em relação a quem pode atuar neste tipo de espetáculos. Foi também aprovada a revisão do regulamento do espetáculo tauromáquico, conformando-o com o regime de acesso e exercício da atividade. Promove-se, ainda, uma identificação clara das responsabilidades dos profissionais do sector, com a definição das correspondentes obrigações.” Entretanto, a “comunidade tauromáquica” deverá promover algumas reuniões

para analisar os efeitos práticos deste regulamento, de modo a adequar-se às exigências aí consagradas. Por sua vez a Prótoiro, que acompanha desde o início todo este processo, anuncia que irá convocar uma

conferência de imprensa assim que o novo Regulamento for publicado no “Diário da República”, com o objectivo de o analisar e dar a conhecer as alterações que foram feitas em relação ao anterior. Ainda bem!

Sábado, 22 de Março, há Toiros em Santarém

Diogo Sepúlveda, actual Cabo dos Amadores de Santarém, brinda a sua sorte a Pedro Graciosa, a quem sucedeu no comando do Grupo

No âmbito das Festas do Concelho de Santarém, que decorrerão entre os dias 19 e 23 de Março, a Monumental “Celestino Graça” – que este ano assinala as suas Bodas de Ouro – abrirá as suas portas para acolher a corrida inaugural desta festiva temporada. Inicialmente estava prevista a data de 23 de Março, domingo, para a realização desta já habitual corrida, porém, a Empresa Aplaudir, Lda., concessionária do tauródromo escalabitano, optou por a antecipar para a véspera, posto que no domingo será transmitido a partir de Santarém um programa televisivo, o que constituiria forte concorrência com a tourada, pelo que andou muito bem João Pedro Bolota ao promover esta alteração de data. Em praça estarão os cavaleiros Rui Salvador, que comemora este ano trinta anos de alternativa, Luís Rouxinol, que continua a ser um dos toureiros nacionais mais populares entre os aficionados ao toureio equestre, Duarte Pinto, jovem marialva que cultiva o toureio de emoção, estribado num estilo mais clássico, e a jovem amadora Mara Pimenta, que se apresenta em Santarém vindo precedida de enorme

expectativa quanto às suas faculdades toureiras. No que concerne às pegas teremos a oportunidade de assistir a um sempre desejado confronto entre dois dos mais antigos e prestigiados Grupos de Forcados: os Amadores de Santarém que estão a viver já a sua centésima temporada e que no próximo ano irão celebrar o centenário da data da sua fundação (1915-2015), e os Amadores de Montemor, prestigiado Grupo que partilhou com os forcados escalabitanos o cartel inaugural da Monumental “Celestino Graça”, em 7 de Junho de 1964. Os três marialvas enfrentarão toiros da Ganadaria de Prudêncio, anunciados como terroríficos, e a jovem amazona lidará um novilho de Passanha. Que nesta importante temporada para a Monumental escalabitana, que igualmente será palco de homenagem a Celestino Graça, pela comemoração do centenário do seu nascimento, o público aficionado português não deixe de estar presente, pois, muitos dos mais relevantes fastos da história taurina dos últimos cinquenta anos tiveram esta praça como cenário.

Houve Toiros na Granja

Amadores de Évora no México

João Moura Jr. sai pela Porta Grande

O Grupo de Forcados Amadores de Évora, capitaneado por António Alfacinha, encontra-se no México, onde está a participar numa série de corridas, a primeira das quais ocorreu já no pretérito sábado, dia 1 de Março, em Autlán de la Grana, cujo cartel incluía o rejoneador Emiliano Gamero e os matadores Joselito Adame, “El Payo” e Diego Silveti, enfrentando toiros de El Vergel. Na passada segunda-feira, dia 3, os Amadores eborenses pegaram juntamente com o grupo mexicano dos Forcados Mazatlecos, em Mazatlán, numa corrida em que competiram mano-a-mano Pablo Hermoso de Mendoza e o matador Alejandro Amaya. Lidaram-se toiros de Cuco Peña. Esta digressão assinala o regresso do prestigiado Grupo de Forcados Amadores de Évora a arenas mexicanos, que ali pegara pela última vez há 33 anos, então comandado pelo seu cabo-fundador, João Nunes Patinhas.

O cavaleiro João Moura Júnior cortou duas orelhas – uma em cada toiro – e saiu em ombros pela porta grande, no final da corrida de sábado em Aguilar de la Frontera (Córdoba). A corrida com que iniciou a sua temporada de 2014 fica para já assinalada com a primeira saída em ombros, após haver triunfado na lide dos dois toiros do seu lote. Foi, contudo, frente ao seu segundo que a lide foi mais completa, e apenas pelo facto de ter estado mal com o rojão, não lhe foram concedidas as duas orelhas. João Moura Júnior começou, assim, em plano de triunfo esta nova etapa da sua carreira, com expectativas renovadas até pela importância do seu actual apoderamento, confiado a Rui Bento. Nesta corrida Moura Jr. alternou com os rejoneadores espanhóis Leonardo Hernández (orelha-orelha) e Manuel Moreno (duas orelhas-orelha), que o acompanharam na saída em ombros. Os toiros pertenciam à ganadaria de Soto de la Fuente e deram bom jogo em geral. [C]

Luís Rouxinol Jr. protagonizou na Granja a lide mais emotiva do festival, que registou razoável entrada de público, apesar da instabilidade do tempo. O jovem cavaleiro de Pegões enfrentou pela primeira vez um novilho-toiro da ganadaria Murteira Grave e esteve à altura, protagonizando uma lide desenvolta e que “chegou ao público”. O festejo deste sábado, dia 1 de Março, na Granja (Mourão), que ficara adiado no passado dia 8 de Fevereiro devido à chuva intensa que então se fez sentir, contou ainda com boas prestações dos cavaleiros Luís Rouxinol, Gilberto Filipe, Brito Paes, Marcelo Mendes, que substituiu João Salgueiro, e João Salgueiro da Costa. Lidaram-se novilhos-toiros de várias ganadarias e pegaram, sem problemas, os Grupos de Forcados Amadores de S. Manços, da Póvoa de S. Miguel e de Monsaraz. Dirigiu, correctamente, Agostinho Borges e os subalternos estiveram em bom plano de eficácia e luzimento.

José Luís Gonçalves não está melhor…

Segundo a revista “Nova Gente”, na sua edição on-line da passada semana, o estado de saúde do antigo matador de toiros José Luís Gonçalves voltou a piorar. Internado numa clínica de reabilitação em Cascais, depois de em Julho do ano passado ter sofrido um gravíssimo traumatismo crânio-encefálico na sequência de uma queda de uma escada, nos ensaios do programa “Dança com as Estrelas” da TVI, José Luís tem conhecido avanços e retrocessos na evolução clínica da sua doença, cujos diagnósticos continuam a ser imprevisíveis. Segundo a “Nova Gente”, o toureiro sofreu esta semana “novo retrocesso” e “está pior”. Ainda de acordo com esta revista, José Luís Gonçalves “neste momento não consegue mexer-se nem falar, apesar da ajuda da fisioterapia”.


30

CORREIO POLICIAL

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Problema policial, por R.P.

Quem matou o pequeno Dick? Domingos Cabral Rua Serpa Pinto 98 2000-046 Santarém geral@correiodoribatejo.com d.cabral@sapo.pt

O pequeno Dick morrera com todos os sintomas de envenenamento. Queixara-se de muita sede, comichão na garganta, vómitos, dores no estômago: depois, uma prostração completa, delírio e, assim se ficou. O seu tutor fizera tudo quanto possível para o salvar. Logo aos primeiros sintomas, sem saber do que se tratava, pois Dick já estava doente há dois dias, mandara de novo chamar o médico. Este, que na véspera lá tina estado e receitara um purgante de calomelanos, que o pequeno tomara de manhã, tardou um tanto como o tutor de Dick sabia, pois o Dr. Fischer, único da terreola, tinha que ir, nesse dia, assistir a um parto, a uns quilómetros do solar. Ainda tentou uns vómitos, mas Dick, já em estado de prostração, não teve forças para reagir e morrera nas mãos do médico. Este estranhou bastante aquele incidente, pois nada o fazia prever. O pequeno tivera na véspera um simples desarranjo, e ele receitara-lhe o purgante para aquela manhã, recomendando, como sempre, os cuidados indispensáveis. Dick era riquíssimo e Steve e os seus dois filhos, Jack e John, eram os únicos herdeiros. O dr. Fischer sabia que Jack e John tinham um profundo ódio a seu primo Dick, por terem de viver, por assim dizer, a suas expensas. Steve, que também mostrava a Dick uma certa frieza, tratava-o contudo com mais

simpatia. O dr. Fischer, não se conformando de modo algum com a morte de Dick, a quem adorava e que deixara na véspera com uma leve indisposição, impôs a presença da polícia para deslindar o caso. O Inspector X, encarregado das investigações, ouviu as declarações do dr. Fischer e anotou as de Steve e dos seus filhos. Ei-las resumidas: Steve, de manhã, deu o purgante a Dick, a seguir ao que foi dar uma volta pela quinta, onde se demorou uma boa hora. Tomou o pequeno-almoço e, como Dick não podia ainda comer, mas estava com apetite, deulhe um copo de água de Vichy. Quando Steve tornara a sair, chegavam os seus filhos que ficaram com Dick. Aqueles tomaram o pequeno-almoço e Jack saiu com Dick, enquanto John foi para a biblioteca. Jack e Dick estiveram no jardim da quinta algum tempo até que Dick foi para casa. John estivera a ler um livro de toxicologia, pois queria arranjar um veneno para exterminar os ratos que infestavam a quinta e estivera a preparar um produto de base arsenical. Quando Dick entrou, estava um pouco entontecido, foi-se deitar e pediu a John que lhe levasse à cama um copo de água. John levou-lho e depois saiu para ir espalhar o veneno. Jack, que ficara no jardim, foi pouco depois para casa e encontrou Dick, que se queixava de umas dores leves no estômago. Disse-lhe para esperar e foi à pro-

cura do pai. Quando o encontrou, contoulhe como encontrara Dick. Steve mandou então chamar o dr. Fischer mas Jack não o encontrou, pois o dr. saíra. Quando de tarde foi ao solar, encontrara Dick em coma e não pode fazer nada. O dr. Fischer, a uma pergunta do Inspector, respondeu: dei ordem para não lhe darem senão leite até eu vir. O Inspector pergunta então a John: Então os raios pegaram no isco? John atrapalha-se e, por fim, respondeu: só amanhã poderei saber. Steve diz: Sim, o dr. tinha dado ordem para dar só leite a Dick; eu dei-lhe um copo de água de Vichy, nunca julguei que lhe fizesse mal. O Inspector mandou retirar todos e ficou só com o dr. Fischer. Conversaram uns momentos e o dr., confirmando o que o Inspector lhe acabara de expor, afirma: Foi ele, sim, foi ele! Os nossos leitores responderão: - Quem foi “ele”? - Porque pensa assim? - Como explica a morte de Dick? As respostas deverão ser enviadas, no prazo de 10 dias, para um dos endereços supra indicados. Entre as recebidas sortearemos um livro. A solução e o nome do contemplado serão publicados no próximo dia 21.

Solução do problema “Mentiras”, publicado no dia 21 de Fevereiro:

Jogos de Lógica 1 – O tio Rui veio à cidade visitar a irmã Ana. No decorrer de um pequeno passeio pediu à irmã para esperar enquanto ia saber das melhoras de um sobrinho doente. Ana replicou: - Bem, como não tenho nenhum sobrinho para me preocupar, vou para casa. Qual seria o parentesco de Ana com o tal sobrinho misterioso? 2 – Abreu, Paulo e Saúl são três taxistas que utilizam não respectivamente um Mercedes, um Volvo e um BMW. Paulo tentou encontrar o condutor do Volvo mas foi informado que estava num casamento com o BMW do Saúl. Qual o carro que pertencia a cada um? 3 – Um pedreiro ia colocar argamassa de cimento e areia num bloco de betão, que tem um buraco vertical de cerca da 75 cm de fundo quando descobre um pássaro ainda bebé que caiu no buraco. Não quer magoar o pássaro, o buraco é estreito para caber o braço. Qual a forma de o tirar sem usar paus ou laços? Sortearemos um livro entre os concorrentes que nos enviarem as respostas certas.

Foram muitas as mentiras proferidas pelo pai desnaturado: Disse que andou dias e dias sozinho pelas montanhas de Andes. Mas as temperaturas baixíssimas, sobretudo de noite, os temporais e as próprias dificuldades de acesso jamais lhe permitiriam andar como diz e muito menos sem um guia especializado. Os Andes ficam na América do Sul, abaixo da linha do Equador. Por isso, nunca ele poderia orientar-se pela Estrela Polar que indica o norte e apenas é visível no hemisfério norte. Na passagem do ano, refere que a Lua era uma grande bola (portanto em fase de lua cheia) fazendo-lhe recordar a cara

bolachuda do filho. Isso quer dizer que por alturas do Natal a Lua estaria a crescer e portanto em fase de quarto crescente, o que ele associa ao nome do filho. Tudo estaria bem se ele não falasse da Estrela de David, a estrela de seis pontas, revelando que o miúdo se chamava David; a Lua não lhe podia recordar o nome do filho, porque no hemisfério sul a Lua não é “mentirosa”: em quarto crescente aparece como um “C” e em quarto minguante como um “D”. É precisamente ao contrário do que nós aqui vemos. Andou pelas florestas nunca visitadas por brancos na Amazónia, onde conheceu tribos que nunca viram ninguém exterior a eles. Mas a verdade é que o pai

da história diz que lhes contou e ouviu histórias. Em que língua e por que forma, ninguém sabe e ele não diz. Nunca poderia entender-se assim tão fácil e amigavelmente com tribos desconhecidas. Diz que tentou telefonar ao filho no dia dos anos, mas o azar bateu-lhe à porta porque não havia telefone numa estação de correios – como se isso fosse possível, e ainda por cima por ser dia 5 de Outubro, feriado em Portugal. Só que a história passava-se na Bolívia e lá não se comemora nada nessa data. Concorrente contemplado: “Rapsag”

Burlas, Burlões e outros Aldrabões Em 1568, aos catorze anos, foi coroado o rei D. Sebastião de Portugal (1554-1578). Audaz, devoto, querido por todos, batizado como “o novo Alexandre”, as únicas críticas apontavam o seu excesso de entusiasmo marcial e religioso: “Cavalga e reza d mais para o bem da nação”. No seu afã de alargar o domínio português em África, iniciou uma campanha militar em Marrocos, que se saldaria por uma grande derrota perante forças mais numerosas em Alcácer-Quibir. Quase de certeza, o rei morreu nesse batalha, embora muitos tenham preferido pensar que tinha conseguido escapar. Tal crença avivarse-ia a partir do domínio espanhol de Portugal, transformando-o no sonho de ver o rei desaparecido regressar um dia para libertar o povo. Alimentados por essa esperança, depressa começaram a surgir “sebastiões” que afirmaram ser o Desejado. Do primeiro que se tem notícia é de um jovem moreno (o rei era loiro), condenado às galés por se fazer passar pelo monarca. A experiência não o desanimou e, tempos depois, fez-se passar pelo duque da Normandia. O segundo pretendente foi um monge renegado, com o cabelo da mesma cor que o do rei e um notável gosto cénico, já que “revelou” a sua identidade enquanto fazia penitência pela sua responsabilidade na queda de Portugal, contando, entre suspiros e ge-

midos, o que tinha acontecido na batalha de Alcácer-Quibir. O impostor recebeu crédito suficiente para tentar organizar um exército, mas os espanhóis não tardaram a fazê-lo prisioneiro. Apanhado, confessou que não era o rei e que o seu plano era libertar Portugal e garantir depois que o povo elegesse um novo governante. Os seus captores enforcaramno, estriparam-no e esquartejaram-no. O terceiro “Sebastião” foi um pasteleiro de setenta anos. O monarca tinha vinte e quatro quando morreu e tinham decorrido dez anos sobre a sua morte, pelo que a história do pasteleiro não foi levada a sério por quase ninguém, mas, seja como for, foi executado. Em 1598 apareceu um quarto “Sebastião”, em Veneza, o qual contou ter estado todo aquele tempo fechado, num mosteiro, mas um sonho indicara-lhe que devia regressar para liderar o seu povo. Foi posto à prova perante as autoridades venezianas, foi interrogado e saiu-se airosamente do desafio. Para muitos era bastante suspeito o facto de não saber falar português, mas os seus partidários diziam que era uma promessa, que o rei tinha prometido não falar o seu idioma durante um determinado número de anos. Também lhe foi perguntado por que razão não era loiro como o rei D. Sebastião, ao que ele, simulando total surpresa, respondeu: “O que terá acontecido aos meus cabelos loiros?” Nem sequer em Portugal foi levado

a sério e, então, as autoridades venezianas, pressionadas pelos espanhóis, encarceraram-no. Então tudo mudou, pois se aquele irritava os espanhóis poderia ser esse um indício de que era um verdadeiro candidato. Dois anos depois saiu da prisão. Já tinha aprendido a falar português (ou tinha finalizado a sua promessa) mas é exactamente nesse momento que a sua fraude é revelada; a sua verdadeira mulher, uma italiana por ele abandonada, denuncia-o como sendo Marco Catizzone, da Calábria. A sorte de Catizzone muda completamente: é de novo preso e, pouco depois, executado. O tempo passaria e a lenda do regresso de D. Sebastião manter-se-ia como um desejo nacionalista, o qual se reavivaria sempre que a pátria passava por apuros. Em 18º7, teria sido ele a derrotar Napoleão; em 1813, um doido vestido de mouro apareceu em Lisboa afirmando ser um “enviado de D. Sebastião”; em finais do século xix, durante a guerra de Canudos, os lavradores brasileiros afirmavam que o rei regressaria para os ajudar na sua luta conta a “república brasileira “ateia””… (Do livro “História Insólita do Mundo”, de Gregório Doval, Editora Marcador, com a devida autorização desta).


CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Sudoku

PASSATEMPO

As anedotas do Barbosa

31

Soluções Edição Anterior

Nunca disse uma mentira… Sentados num banco de jardim, dois idosos reformados, recordavam tempos passados. Diz um, a certa altura: - Tenho oitenta e dois anos e não me lembra de ter dito uma mentira em toda a minha vida. E o outro: - Acredito. Nestas idades já ninguém pode confiar na memória…

www.correiodoribatejo.com Semanário Regional Fundado a 9 de Abril de 1891 Fundador: João Arruda Director de Mérito: Virgílio Arruda DIRECTOR João Paulo Narciso (C.P. n.º 2097) paulo.narciso@correiodoribatejo.com REDACÇÃO Filipe Mendes (C. P. n.º 7984) filipe.mendes@correiodoribatejo.com COLABORADORES DE MÉRITO Joaquim Veríssimo Serrão, João Gomes Moreira, Bertino Coelho Martins e Mário Sousa Cardoso COLABORADORES Alberto Silva, António Canavarro, Cândido Azevedo, Domingos Cabral (Correio Policial), José Barbosa, José Raimundo Noras, Ludgero Mendes (Tauromaquia), Luísa Barbosa, Maria-Alzira Almeida, Martinho Vicente Rodrigues, Nelson Ferrão, Nuno Domingos, Teresa Lopes Moreira e Vicente Batalha

Palavras Cruzadas HORIZONTAIS

1 – Afeção no coração. 2 – Respirar com dificuldade. Abrilhante com as cores do íris. 3 – Língua provençal. Balcão nas igrejas destinado ao canto. De boa qualidade. 4 – Lufa-lufa. Criancinha, bebé. (Fam.). 5 – Dá validade. Grande quantidade. 6 – Muito minaz. 7 – Proteção (Fig.). 8 – Faixa estreita e comprida. Que alimenta (Poét.). 9 – Indicação de limite. Furo para passar o atacador. Prasiodímio (s.q.). 10 – Nome de um brinquedo (pl.). Impute culpa a alguém. 11 – Próprio para fazer suspender.

VERTICAIS

1 – Desordem. Assassinais. 2 – Arcaico (abrev.). Foi a casa de alguém. 3 – Duas consoantes. Roubareis (Gír.). 4 – Forma combinada da prep. de com o adv. acolá. Opus (abrev. mus.). 5 – Que revela ironia. Baía na costa de Honshu (Japão). 6 – Fundamental, essencial. 7 – Devoto. Presilhas. 8 – O espaço sobre a terra. O m.q. samouco ou faia. 9 – Do Tibre ou das suas margens. Cidade da Caldeira. 10 – Que cristaliza segundo a mesma lei. Letra grega correspondente ao nosso grupo Ps. 11 – Diz-se dos santos que não são celebrados em dia especial. De bronze, de cobre.

Horóscopo CARNEIRO Carta Dominante: Valete de Espadas, que indica uma pessoa Vigilante. Amor: Vai precisar muito do carinho do seu par. Procure ter uma vida de paz e amor. Saúde: Estará cheio de energia. Dinheiro: Esteja atento pois poderá ter boas oportunidades de trabalho. Números da Sorte: 11, 25, 26, 38, 44, 49. Pensamento positivo: Estou atento às oportunidades que surgem. TOURO Carta Dominante: 6 de Copas, que significa Nostalgia. Amor: Poderá sentir saudades da sua infância. Ao aceitar o passado todas as mágoas se dissiparão e você viverá em paz! Saúde: Cuidado com o aparelho digestivo. Dinheiro: Tenha cuidado com os falsos amigos, pois nem sempre as pessoas que nos sorriem são as mais verdadeiras. Números da Sorte: 1, 5, 17, 22, 36, 40. Pensamento positivo: Concentro-me mais no presente! GÉMEOS Carta Dominante: 4 de Espadas, que significa Inquietação, agitação. Amor: A paixão poderá invadir o seu coração. O optimismo é próprio de quem procura estar bem com a vida fazendo com que os outros também estejam. Saúde: Estável. No entanto, esteja atento. Dinheiro: Seja cauteloso, não gaste de mais. Números da Sorte: 9, 11, 22, 36, 44, 47. Pensamento positivo: Sossego o meu coração através da Fé.

CARANGUEJO Carta Dominante: 7 de Ouros, que significa Trabalho. Amor: Tenha paciência com os defeitos dos outros. Lembre-se que também os tem. Por muitos erros que os outros possam cometer, não os critique, dê-lhes antes a oportunidade de os corrigirem! Saúde: Poderá sofrer de dores de cabeça. Dinheiro: Nada o preocupará. Números da Sorte: 2, 29, 31, 36, 44, 49. Pensamento positivo: Empenho-me com trabalho na conquista dos meus objectivos.

Pensamento positivo: O Amor ilumina o meu coração.

LEÃO Carta Dominante: Rei de Copas, que significa Poder de Concretização, Respeito. Amor: A sua relação estará em profunda harmonia. Olhe tudo com amor, assim a vida será uma festa! Saúde: Cuidado com o sistema nervoso. Dinheiro: A sua vida financeira tem tendência para melhorar significativamente. Números da Sorte: 9, 17, 19, 25, 33, 39. Pensamento positivo: Sei que tenho o poder de concretizar os meus sonhos.

ESCORPIÃO Carta Dominante: 7 de Copas, que significa Sonhos Premonitórios. Amor: Estará muito sensível. Levará a mal certas coisas que lhe digam. Não dê tanta importância a assuntos triviais. Dê sempre em primeiro lugar um bom exemplo de conduta! Saúde: Imponha um pouco mais de disciplina alimentar a si próprio. Dinheiro: Tendência para gastos excessivos. Números da Sorte: 2, 11, 19, 26, 29, 34. Pensamento positivo: Eu acredito nos meus sonhos!

VIRGEM Carta Dominante: 2 de Copas, que significa Amor. Amor: Antes de falar, pense bem naquilo que vai dizer. Não julgue o seu próximo, procure não pensar mal das pessoas! Saúde: Faça análises com maior regularidade. Dinheiro: Poderá ter a oportunidade de aumentar a sua capacidade financeira. Números da Sorte: 8, 11, 29, 36, 44, 49.

SAGITÁRIO Carta Dominante: 5 de Espadas, que significa Avareza. Amor: Não seja mal -humorado para os que lhe são queridos. Plante hoje sementes de optimismo, amor e paz. Verá que com esta atitude irá colher mais tarde os frutos da alegria. Saúde: Faça alguns exercícios físicos mesmo em casa. Dinheiro:

BALANÇA Carta Dominante: o Papa, que significa Sabedoria. Amor: Invista e dê mais de si na sua relação. A sua felicidade depende de si! Saúde: Não se desleixe e zele por si. Dinheiro: Pense bem antes de pôr em causa o seu dinheiro. Números da Sorte: 3, 6, 19, 35, 47, 48. Pensamento positivo: A minha intuição é a mais sábia conselheira!

Não deixe para amanhã aquilo que pode fazer hoje. Números da Sorte: 4, 10, 15, 22, 29, 36. Pensamento positivo: Eu sei dar valor a tudo o que tenho! CAPRICÓRNIO Carta Dominante: Cavaleiro de Copas, que significa Proposta Vantajosa. Amor: Um amigo poderá declarar uma paixão por si. Domine a sua agitação, permaneça sereno e verá que tudo corre bem! Saúde: Cuide melhor da sua alimentação. Dinheiro: Pode ter uma nova proposta de trabalho. Números da Sorte: 1, 4, 17, 21, 29, 33. Pensamento positivo: O meu coração ajuda-me a escolher aquilo que é melhor para mim. AQUÁRIO Carta Dominante: o Eremita, que significa Procura, Solidão. Amor: Tente adaptar-se a uma nova vida, não esteja dependente de ninguém. Que o seu sorriso ilumine todos em seu redor! Saúde: Lembre-se que se não estiver de boa saúde dificilmente conseguirá atingir os seus objectivos, cuide mais de si! Dinheiro: Pense bem antes de pôr em marcha qualquer tipo de projecto. Números da Sorte: 9, 26, 28, 31, 39, 47. Pensamento positivo: Encontro as respostas de que preciso dentro do meu coração. PEIXES Carta Dominante: a Imperatriz, que significa Realização. Amor: Apague de uma vez por todas as recordações do passado que não o fazem feliz, esteja em paz consigo. Olhe em frente e verá que existe uma luz ao fundo do túnel! Saúde: Não se automedique, procure o seu médico. Dinheiro: boa altura para fazer um investimento desde que analise bem a situação. Números da Sorte: 8, 12, 19, 25, 33, 44. Pensamento positivo: Sei que posso realizar os meus projectos, eu acredito em mim!

COLUNISTAS António Filipe, Aurélio Lopes, Carlos Oliveira, Fátima Vasques, Francisco Morgado, Idália Serrão, Ilídio Tomás Lopes, José Augusto Rodrigues, Manuela Marques, Manuela Ribeiro, Maria Fernanda Barata, Massimo Esposito, Nuno Serra e Tiago Leite REDACÇÃO Rua Serpa Pinto, 98 2000-046 Santarém Tel: 243 321 116 geral@correiodoribatejo.com facebook@correiodoribatejo.com DEPARTAMENTO COMERCIAL/PUBLICIDADE Maria Lopes 910 719 513 243 321 116 geral@correiodoribatejo.com publicidade@correiodoribatejo.com Secretariado Carlos Benzinho 910 719 513 243 321 116 DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO E ASSINATURAS Carlos Benzinho geral@correiodoribatejo.com ASSINATURAS Semestral: 10 Euros Anual: 20 Euros Avulso: 0,70 Euros (IVA Incluído) DEPARTAMENTO GRÁFICO Kriamos www.kriamos.pt IMPRESSÃO CORAZE Oliveira de Azeméis DISTRIBUIÇÃO Vasp – Sociedade de Transportes e Distribuições, Lda. EMPRESA EDITORA E PROPRIETÁRIA Verdade das Palavras, Comunicação Social , Lda Rua Serpa Pinto, 98 2000-046 Santarém Tel.: 243 321 116 Capital social: 30 mil euros Depósito Legal: 66102/93 N.º de Registo do Título:102555 ISSN 1647 – 2608 Contribuinte n.º 510 075 398 Tiragem: 4600 exemplares


32

ÚLTIMA

CORREIO DO RIBATEJO, SEXTA-FEIRA, 07 DE MARÇO DE 2014

Li aqui no Correio do Ribatejo que afinal os apartamentos da antiga Escola Prática de Cavalaria poderão ser vendidos.

Sempre é uma solução melhor do que pagar 1,6 Milhões para reconverter o bairro numa Residência de Estudantes. Assim a Câmara sempre ganha com o negócio…

Eu tenho outra ideia. Como a autarquia está tesa, em vez de concorrer ao Programa de Apoio à Economia Local, tinha concorrido ao Programa ‘Querido mudei a casa’, podia ser que lhe fizessem as obras de borla!...

Entrevista a Paulo Fonseca, presidente da Câmara Municipal de Ourém

“Portugal é um país cada vez mais centralista, e portanto afastado da realidade” Paulo Fonseca, presidente da Câmara Municipal de Ourém, eleito pelo Partido Socialista, é o único autarca da região que integra o conselho directivo da Associação Nacional de Municípios Portugueses. Para o autarca, a Lei dos Compromissos é “um bom exemplo do perigo que é entregar a tarefa de legislar a quem vive longe da realidade”. Paulo Fonseca, é o único autarca da região que integra o conselho directivo da ANMP – Associação Nacional de Municípios Portugueses. Que desafios se colocam hoje ao poder local? O desafio da resistência. Portugal é um país cada vez mais centralista, e portanto afastado da realidade. As autarquias, enquanto expressões democraticamente legítimas da realidade, têm hoje uma tarefa de resistência em nome das populações que têm problemas muito difíceis para resolver. Todos os dias há problemas de desemprego, falta de esperança, fome, pobreza, insolvência, insegurança…e as autarquias, para além das suas atribuições legais têm o dever de protagonizar estas dificuldades, procurando almofadas para as pessoas… A Lei dos Compromissos continua a ser a maior dor de cabeça dos autarcas? A Lei dos Compromissos é um bom exemplo do perigo que é entregar a tarefa de legislar a quem vive longe da realidade. Se se impusesse uma Lei que obrigasse a uma redução das dívidas das autarquias todos os anos ou que esclarecesse excepções de resposta às populações, seria aceitável. Uma Lei cega não é aceitável pois a realidade é diferente de caso para caso. O Santuário de Fátima é a ‘pérola’ do Turismo Religioso em Portugal. De que forma é que pode ser potenciado? Fátima é uma marca mais conhecida no Mundo que a marca Portugal. Nesse sentido, Portugal deveria assumir-se com uma estratégia de valorização dos seus activos que, de todo, tem escamoteado ao longo dos anos. Um exemplo de aritmética económica: a Polónia é um país Europeu, católico, com 42 milhões de habitantes. Imagine que se investiam 500.000 € numa campanha promocional na Polónia e que, por via dessa estratégia, se conseguiam quinhentos mil visitantes Polacos em 10 anos. Se cada um gastasse 600 € para estar em Portugal uns dias, valor que não é exagerado para comer, dormir e restantes despesas, ficariam em Portugal 300.000.000 €. Aqui tem um exemplo simples de um bom investimento, real. Se eu for propor isto ao Terreiro do Paço, logo pensarão que se trata de um provinciano iludido… Considera que o Turismo Religioso

deve ser trabalhado de uma forma autónoma? Não. O Turismo é o sector económico com maior capacidade de crescimento para gerar riqueza e emprego, tal como exportação. Todavia deve ser enquadrado na globalidade da oferta de produto. No exemplo acima, da Polónia, obviamente que os visitantes não estariam em Fátima todo o tempo. É necessário levá-lo ao Convento de Cristo, ao Castelo de Almourol, ao Santíssimo Milagre, ao Mosteiro da Batalha, à Nazaré, a Lisboa, etc… E darlhe a provar a nossa gastronomia e a usufruir da nossa paisagem, etc… A passagem do polo de Turismo de Leiria-Fátima para a competência da Turismo do Centro foi uma medida benéfica? É a vida. A realidade é esta e, portanto, é nela que vamos apostar fortemente. Eu próprio sou membro da Direcção do Turismo do centro que, apesar de ter sede em Aveiro, me merece todo o respeito e empenhamento. Lema de Vida? Há dois tipos de pessoas: os positivos, para quem um problema se constitui numa oportunidade, e os negativos, para quem uma oportunidade se constitui num problema… Se pudesse alterar algum facto da História de Portugal qual alteraria? A cegueira intelectualmente pedante que se apoderou das elites depois da implantação da República com alvos estúpidos como a perseguição Clerical como prioridade. Tal conduziu ao 28 de Maio de 1926 e a 48 anos de atraso doloroso para o país. Se a 1ª República estivesse empenhada na resolução de problemas reais e promovido a educação e a democratização do país, não teríamos alguns dos problemas que

temos hoje, estruturalmente marcantes e difíceis. Prato favorito? A pergunta deveria ser: de que prato não gosta? (risos) Um título para o livro da sua vida? O insustentável peso da utopia. Música? Toda…Com essa “pistola” apontada, diria: ‘Imagine’, de John Lennon, ‘Sympathy for the devil’, Rolling Stones, ‘Igreja de Santo Estêvão’, Fernando Maurício, ‘Wake Me Up’, Avicii ou…’Desfado’, Ana Moura… Livro de cabeceira? Agora? ‘Cancro com Humor’, de Martine Antunes. O que mais aprecia nas pessoas? Lealdade, Sensibilidade, Honestidade. O que mais detesta nelas? Ordinarice. Aqueles que são capazes de fazer mal a outro por razões de estratégia…e, para alguns, vale tudo… Acordo ortográfico. Sim ou não? Sim, sim, sim. Percebo que haja oposições a isto. O que está em causa é garantir que daqui a 100 anos ainda somos a quarta ou quinta língua mais falada no mundo e, para isso, temos de nos abrir em convergência… O maior património que temos hoje chama-se Língua Portuguesa e poderia abrir-nos portas brutais se não fosse o nevoeiro do Terreiro do Paço… Eu quero que os meus bisnetos ainda possam usufruir desse grande património cultural, mas também social e económico que é o grande trunfo de um país como o nosso.

PONTO FINAL paulo.narciso@correiodoribatejo.com

Este Ponto Final surge motivado pelo interesse de querer semear flores no meu jardim e de não saber quais as que se adaptam melhor a este tempo. A internet ensina-nos quase tudo, vai daí, parti em busca de um site que me ensinasse a fazê-lo. Encontrei um, disposto a ensinar-me a plantar flores, “mês a mês”, no meu jardim. Num florido preâmbulo, o site ensina-me que manter um jardim sempre bonito exige, para além de uma manutenção contínua, saber em que mês devo semear ou plantar as flores que mais tarde lhe vão dar cor e alegria. Se o Janeiro, que já lá vai, era generoso para as begónias e jacintos, o Fevereiro, que já passou, tinha sido favorável aos crisântemos e às paciências. Março, onde estamos, deixa-me plantar açafates-de-ouro, amarílis, amores-perfeitos, boas-noites, bocas-de-lobo, chagas, cóleos, cravos, crisântemos, dálias, esporas, papoilas, ranúnculos e trevos de quatro folhas… Decidi-me pelos cravos porque o mesmo site garante que, com as alterações climáticas que vivemos nos dias de hoje, Abril já não é bom para eles, mas sim para as assembleias, perpétuas, saudades... O maduro Maio volta a ser bom para os cravos, mas também para os melindres, trepadeiras e afins que não é nome de flor, mas serve-me para rematar o texto que só termina em Dezembro, com lírios e roseiras. O site só não me diz qual o melhor mês para voltar a plantar uma estátua no sítio certo, se numa rotunda oval, ou se numa praça com muita pedra e pouca gente, depois de efémeras passagens por um largo, um armazém, ou por um jardim-paragem de autocarro que os cravos há muito apanharam. Mas se Abril não é bom mês para os semear, façam-no agora que estamos em Março. Senão, corremos o risco de voltar a adiar a trasladação de um herói, de um chaimite e da “maior mancha de cravos da Europa” anunciada num jardim sem flores, para um local mais nobre da cidade, onde todos os olhem e não esqueçam, contemplem e não deslembrem, admirem e não olvidem. Se plantar, em Março, cravos no meu jardim quando é que os verei florir? Isso, o site (não há nenhum perfeito) não diz. Nem há tempo nem paciência para esperar mais 40 anos. João Paulo Narciso

Cr 07 mar 2014  

Correio do Ribatejo de 07 de Março de 2014