{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

MÓVEIS

MOVÍRIS

Móveis . Colchões . Sofás VÁRIAS PROMOÇÕES E BONS PREÇOS 241 377 494 ALFERRAREDE

Ao lado da SAPEC, em frente às bombas combustíveis BP


ENTREVISTA /

Dr. Manuel Fernandes No passado dia 17 de Maio, teria feito 120 anos, se fosse vivo, Manuel Luís Fernandes, conhecido como o Dr. Manuel Fernandes (1897), homem a quem Abrantes muito deve. Para descobrir um pouco dessa personagem histórica, fomos ouvir o seu filho que vive entre nós, o Dr. Luís Fernandes, também médico, hoje com 80 anos.

série de organismos, entre eles o Dispensário Anti-tuberculoso, em 1933…

Na altura, em Portugal, a tuberculose ainda grassava com uma certa intensidade, não havia tuberculostáticos como há hoje, e o meu pai foi amigo pessoal do professor Lopo de Carvalho, o homem que fundou a atividade anti-tuberculose em Portugal, incluindo o sanatório da Serra da Estrela. Penso que, por essa amizade, conseguiu fundar o Dispensário Anti-tuberculoso em Abrantes.

Cria aqui uma série de organismos: o posto anti-rábico, o Posto de Protecção à Infância…

Era da sua índole, de facto. Um homem que não podia estar parado. Pretendia sempre fazer obra para o bem comum. Foi sempre uma coisa que transmitiu aos filhos.

Quem foi o Dr. Manuel Fernandes?

O Dr. Manuel Fernandes, meu pai, foi um médico, que se formou na então Escola Médica e Cirúrgica de Lisboa, em 1921. Nasceu na R. de S. José, em Lisboa, onde viviam os meus avós. Depois, ainda pequeno, foram viver para a R. Eduardo Coelho, onde está localizada a Academia das Ciências, porque o meu avô tinha ali fundado um colégio, o Colégio Calipolense.

… mas em 1935 é demitido num processo que acabou nos jornais da cidade. Faz ideia do que aconteceu?

O meu pai não falava muito, pelo menos comigo, sobre isso. Mais tarde, por amigos do meu pai, já ele tinha falecido, soube de alguns pormenores do que se tinha passado. Foram questões de política interna do hospital. Não sei mais nada.

Como era, então, formar-se médico?

Eram muito poucos os que se formavam nessa altura. Parte deles, que eu conheci – porque o meu pai por mais de uma vez convidou os colegas de curso para virem a Abrantes, e imediações, fazer o encontro de curso – parte deles foram mais tarde professores catedráticos da Faculdade de Medicina de Lisboa.

Que o leva a, no ano seguinte à formatura, vir fixar-se em Abrantes?

A minha avó era natural de Envendos. Casou nova, com o meu avô, que era natural de Proença-a-Nova, e foram muito novos para Lisboa, onde se fixaram. Um dia, o meu pai, vinha em viagem para Envendos e foi-lhe apresentado um médico, o Dr. Pedro Oliveira, que teria convencido o meu pai a vir exercer para Abrantes, porque havia aqui poucos médicos. O meu pai pensou no assunto e depois, numa reunião ou numa festa conheceu a minha mãe, natural de Abrantes, e decidiu fixar-se aqui.

Em 1923 ganha, em concurso público, o lugar de médico no velho Hospital do Salvador, da Misericórdia. Depois cria uma

/ MANUEL LUÍS FERNANDES 1897 – Nasce em Lisboa (17 de Maio) 1921 – termina o curso de Medicina 1922 – fixa-se em Abrantes 1923 – é provido, por concurso público, como médico do Hospital do Salvador. 1929 – cria o posto anti-rábico 1931 – cria o Posto de Protecção à Infância 1933 – é inaugurado o Dispensário Anti-tuberculoso. [A CMA recusase a estar presente no acto de inauguração, dado que a direcção do mesmo era da responsabilidade de Manuel Luís Fernandes.] 1935 – é demitido dos cargos de médico efectivo do Hospital pela Mesa da Misericórdia. 1936 – início do processo de construção da Casa de Saúde 1937 – inauguração da Casa de Saúde 1940 – inauguração do Colégio de N. Sra. de Fátima 1946 – constituição da Sociedade de Iniciativas de Abrantes 1949 – inauguração do cine-teatro de S. Pedro 1953 – primeira pedra do Hotel de Turismo 1953 – a CMA declara-o cidadão honorário de Abrantes. 1954 – inauguração do Hotel de Turismo 1957 – eleito deputado à Assembleia Nacional (distrito de Santarém) 1959 – morre, em Abrantes, de hemorragia cerebral 1959 – primeira pedra do futuro colégio masculino 1960 – inauguração do Colégio La Salle 1960 – inauguração do monumento ao Dr. Manuel Fernandes 1992 – a Escola Secundária N.º 2, antigo Liceu, passa a Escola Dr. Manuel Fernandes

Teria também a ver com as duas fações que existiam em Abrantes?

/ Luís Fernandes Ele era o pólo dinamizador de um grupo de amigos, creio que entre 30 a 40, alguns de fora de Abrantes.

Foi um salto arrojado. E depois, em 1954, abre o Hotel de Turismo.

O meu pai dizia que Abrantes precisava de uma unidade hoteleira, dava-lhe prestígio e era uma necessidade. Mais uma vez, congregou uma série de amigos, da terra e abrantinos que viviam fora, e arranjou capital para fazer o hotel. Foi inaugurado com o conjunto Mário Simões, de Lisboa, e quem serviu o jantar de gala foi o restaurante Gambrinos, também de Lisboa. Recordo de, em Lisboa, pessoas dizerem “Vamos a Abrantes, que tem uns acepipes famosos”. Vinham de fora cá almoçar.

Em 1957, é eleito deputado.

Foi uma atividade suplementar, que lhe prejudicou muito a saúde. Hesitou: “Eu não tenho tempo já para isto.” Insistiram… aceitou… morreu ainda deputado, de hemorragia cerebral.

Mas ainda lança a ideia de um colégio masculino.

Creio que sim. Abrantes foi, desde o Séc. XIX, uma terra de lutas políticas. E o meu pai estava mais ligado a uma fação política [da família Moura Neves]. Mas creio que houve também questões profissionais. O meu pai era homem de grande iniciativa e teria querido fazer algumas modificações no velho Hospital e provavelmente não teria sido bem aceite.

Dizia “Fez-se um colégio para raparigas em Abrantes, é preciso fazer um para rapazes.” De novo congregou amigos, que o acompanharam sempre, e foi confiado aos Irmãos de S. João Batista de La Salle. Foi inaugurado em 1960. O meu pai ainda conseguiu apresentar em Lisboa a maquete, mas já não viu a obra realizada.

Porque decidiu criar a Casa de Saúde?

Foi de uma grande capacidade de realização.

Ele era cirurgião, não podia fazer cirurgia no consultório.

Em 39-40 mobiliza a construção do Colégio de Fátima. Em 1946 lidera a constituição da Sociedade de Iniciativas de Abrantes.

Foi constituída, com um grupo de amigos, para a construção de um cine-teatro na cidade, que não existia. Havia apenas um barracão da Misericórdia, onde se passava cinema [em más condições]. E em 1949 é inaugurado o cine-teatro de S. Pedro. Não era só o meu pai.

Não podia estar quieto, foi isso que o levou à morte prematura certamente. Era um entusiasta pela cidade, dedicou-se de alma e coração. Dizia “Sou lisboeta de nascimento e abrantino do coração.” Era um homem ativíssimo, estava sempre a pensar em inovações. Não parava com entusiasmo. Alves Jana

junho 2017 / jornal de abrantes

3


PUBLICIDADE

REGIÃO / Abrantes

António Costa inaugurou Luna Hotel Turismo

/ António Costa oficializou a inauguração da unidade hoteleira O Luna Hotel Turismo, em Abrantes, foi inaugurado oficialmente no dia 2 de junho e contou com a presença do Primeiro-Ministro, António Costa. Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, referiu-se ao Hotel como “um equipamento que é muito querido da comunidade abrantina, porque foi feito pela comunidade abrantina, pelo esforço de muitos homens e de muitas mulheres que já na altura queriam que Abrantes tivesse uma unidade hoteleira que fizesse jus àquilo que era a sua aspiração e que continua atual”. A autarca destacou a presença de António Costa, referindo que “ficamos muito satisfeitos por perceber que o senhor Primeiro-Ministro faz questão de vir a esta abertura, percebendo o esforço que está a ser feito pelos promotores privados para alavancarem a economia nacional e também percebendo o esforço que as autarquias fazem, criando as melhores condições para que estes investimentos aconteçam. Porque a par dos bons resultados financeiros e da economia, que têm vindo a ser registados nos últimos tempos, o Primeiro-Ministro tem afirmado que este esforço só vale a pena quando conseguimos capitalizar esse mesmo esforço dos cidadãos

e das empresas para que possamos ter melhores condições de vida e possamos ser mais competitivos”. Quanto à importância do Hotel para a economia e desenvolvimento do Concelho, a presidente da Câmara Municipal de Abrantes lembrou que “a Câmara alienou um património Municipal muito importante” mas “congratulamo-nos também com o facto da Câmara de Abrantes ter tomado, em boa hora esta decisão, que permitiu capitalizar o investimento privado e tornar este equipamento, este serviço, como um serviço distinto em relação àquilo que é o panorama do alojamento na nossa região”. Relativamente à área envolvente do Luna Hotel Turismo, Maria do Céu Albuquerque explicou que “a Câmara encontra-se neste momento a fazer um esforço para melhorar todo o espaço envolvente, no sentido de dignificar aquela zona, que é um dos ex-libris da nossa cidade. Claro que ficamos muito satisfeitos com esta abertura, com a devolução deste equipamento à comunidade abrantina, mas que também serve de alicerce à estratégia que estamos a desenvolver, no âmbito do turismo. Encontramo-nos numa fase crucial e este investimento cai como a mosca no mel. É verdadeiramente importante”.

junho 2017 / jornal de abrantes

5


REGIÃO / Abrantes

Centro histórico vai ter ruas cobertas O centro histórico de Abrantes vai ter cara nova já por altura das Festas da Cidade, que se realizam de 13 a 18 de junho. Algumas intervenções serão já uma realidade nos próximos dias, mas outras surgirão em fases posteriores, como explicou Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, em reunião do Executivo realizada no dia 30 de maio. Já visível nas Festas da Cidade, será “a cobertura de algumas ruas do nosso centro histórico, onde o trânsito não passa, nomeadamente a Rua Nossa Senhora da Conceição e as ruas Dr. Bernardino Machado, Alexandre Herculano e Serpa Pinto”. A presidente explicou que o que se vai fazer é “a instalação de umas lonas, com uns triângulos ou umas figuras geométricas, que vão

cobrir e permitir a proteção a quem passeia nestas ruas, seja da chuva, seja do sol”. “Não é uma intervenção inédita”, avança a autarca que refere que “já existe em muitas cidades do nosso país, em Espanha e nos países mediterrâneos”. Esta é apenas a primeira fase, “nestas ruas em concreto”. Mas as esplanadas da cidade também vão ser alvo de atenção e, segundo Maria do Céu Albuquerque, “vamos instalar uns chapéus grandes, brancos, para que fique tudo homogéneo. Vamos instalar floreiras com corta-vento para possibilitar que nos dias de mais vento, seja verão ou inverno, as esplanadas possam ser utilizadas, e estamos também já a trabalhar com estes promotores que têm es-

Utentes do CRIA entregam réplica de mascote à PSP

planadas no centro histórico, no sentido de criar estrados que possibilitem que as esplanadas não estejam inclinadas”. Noutras intervenções previstas, Maria do Céu Albuquerque comentou também que “estamos a começar a recuperar algumas das nossas ruas de seixo rolado, como a Rua da Barca ou a Travessa do Tem-te Bem, não substituindo integralmente o seixo rolado, mas mantendo esta tradição, melhorando-o, e criando corredores com outro material que possibilitem que as pessoas possam caminhar com mais facilidade”. “No fundo, é o consolidar da estratégia de regeneração urbana”, referiu a presidente.

/ PSP de Abrantes tem dinamizado um conjunto de ações no CRIA Os utentes do Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA) entregaram, no dia 16, à PSP de Abrantes uma réplica da mascote oficial daquela força policial, o Falco. Numa cerimónia que reuniu as entidades policiais e civis, Nelson Carvalho, presidente do CRIA, agradeceu a parceria da instituição com a PSP, que afirmou ser para continuar e “o dia de festa que nos proporcionou”. “O que aqui fizemos permitiu um contacto muito próximo com o comando e os agentes da PSP de Abrantes. E a proximidade desta relação, olhos nos olhos, é para nós da maior importância e mostra que a PSP quer ter este espírito de proximidade junto da comunidade, junto das instituições e junto dos cidadãos”, afirmou Nelson Carvalho. O CRIA tem já agendada mais uma atividade em parceria com a PSP de Abrantes, no âmbito do projeto CLDS 3G, “neste caso será um trabalho dirigido a idosos no sentido de se prevenirem contra as tentativas de burla a que são

Patricia Seixas

Sec. de Estado: Abrantes é “exemplo” de trabalho na igualdade de género e na integração social

6

jornal de abrantes / junho 2017

Patricia Seixas

FOTO LEGENDA / / Autarca abrantina destacou o trabalho em rede pessoas tenham as mesmas oportunidades. É isto que nos move”, afirmou a governante. Por sua vez, Maria do Céu Albuquerque dirigiu-se à Secretária de Estado, dando conta que o Município está “a trabalhar para promover as questões da Igualdade de Género e da Cidadania”, referindo-se ao projeto “Bairro ConVida”, que se concentra em Vale de Rãs. “Falamos de rede, é de rede que estamos a falar (…) uma rede que é dinâmica e como todos os que estão na sala sabem, não se reduz a fazer um conjunto de reuniões formais, trabalha efetivamente todos os dias para poder contribuir para este desígnio de elevar a qualidade de vida dos nossos cidadãos”, fez notar

a autarca sobre o projeto “Bairro ConVida”. Maria do Céu Albuquerque referiu-se ainda ao Plano de Desenvolvimento Social, aprovado desde o passado mês de janeiro: “Este plano tem que estar sempre atualizado para poder corresponder a novas dinâmicas que sejam necessárias criar nas nossas comunidades e estamos absolutamente convictos que é desta forma de participação de toda a comunidade que vamos construir, uma comunidade mais viva, mais justa, mais solidária, de maneira a que todas e todos tenham o seu lugar”. Joana Margarida Carvalho

Fátima Saraiva

As Jornadas Sociais aconteceram nos dias 23 e 24 de maio, no edifício Millennium, no bairro residencial de Vale de Rãs, em Abrantes. Aos presentes, Catarina Marcelino, Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, disse que Abrantes é um “exemplo” onde se trabalha a igualdade de género e a integração social. “Trabalhamos para uma sociedade com igualdade de oportunidades para todos e para todas. Eu sei que Abrantes trabalha para isso. O exemplo dado pela senhora presidente deste espaço e bairro, é disto que nós precisamos. Nós precisamos de integração social. E as oportunidades são para cada um e cada uma de nós, para todos. É nessas oportunidades que em conjunto construímos uma sociedade melhor”, salientou a Secretária de Estado. Catarina Marcelino avançou que um dos objetivos do Governo para o próximo ano “é dar continuidade ao roteiro da cidadania em Portugal, que amanhã estará em Abrantes. A nossa carrinha que dinamiza a cidadania pelo país que anda abanar as comunidades para que falem de cidadania”. “Criar igualdade de oportunidades para todas as pessoas independentemente de serem de etnia cigana, serem afrodescentes, serem brancas, ricas ou pobres. Todos os dias trabalhamos para que as

muitas vezes sujeitos”. João Amado, comandante distrital da PSP também esteve presente na cerimónia e falou do “esforço significativo que a PSP está a fazer para melhorar a sua integração no meio social, através da adoção de uma resposta personalizada e adaptada aos problemas concretos da comunidade local, privilegiando especialmente os grupos mais vulneráveis”, referindo-se ao protocolo assinado em dezembro de 2014, intitulado Significativo Azul. Este protocolo entre o Comando Distrital da PSP de Santarém e o CRIA, através da esquadra de Abrantes, “veio estabelecer um projeto inovador no quadro da consagração dos direitos da cidadania das pessoas com deficiência e na sua relação com as autoridades que têm por missão garanti-los”. No final, a turma de têxteis do Centro de Atividades Ocupacionais entregou à PSP a mascote feita pelos utentes e que poderá agora ser vista na esquadra de Abrantes.

Mouriscas recebeu a primeira edição do Festival Mourisco nos dias 26, 27 e 28 de maio. As Mouriscas foram entregues os mouros com a “Chegada da Caravana Moura”, com o “Ataque dos Cristãos às Mouras” e com o momento “Duas Culturas em Harmonia”. Com o orçamento de 60 mil euros, o evento foi a segunda proposta mais votada entre as quatro vencedoras da 1ª edição do Orçamento Participativo de Abrantes.


PUBLICIDADE


REGIÃO / Vila Nova da Barquinha

Ministro de “coração cheio” com promoção da cultura científica em comunidade escolar O ministro da Educação disse no dia 17 de maio ter saído de “coração cheio” de Vila Nova da Barquinha, onde visitou o Centro Integrado de Educação e Ciências (CIEC), projeto pioneiro de promoção da cultura científica dentro da comunidade escolar. “É enternecedor ver este projeto pedagógico”, disse Tiago Brandão Rodrigues depois de duas horas em interação com professores e alunos do CIEC, onde não se furtou à par-

ticipação nas diversas atividades direcionadas para os alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico resolvendo equações, discutindo forças gravitacionais, o magnetismo ou as leis de Newton com os jovens estudantes, a quem deu ainda conselhos, sugestões de futuro e ajudou a construir transístores e circuitos integrados. A visita guiada permitiu-lhe conhecer as diversas vertentes didáticas da Escola Ciência Viva de Vila

Pérsio Basso

/ O projeto BTeam foi o vencedor O projeto BTeam, com 18 alunos conquistou o 1.º lugar entre cerca de 100 instituições de ensino a concurso. Fernando Freire, Presidente da Câmara Municipal, assistiu à entrega do prémio aos jovens barquinhenses, depois de ter apresentado uma comunicação no Congresso.

Na reunião de Executivo de Vila Nova da Barquinha, realizada no dia 10 de maio, foi aprovado, por maioria, o protocolo de cedência da utilização do Edifício Joaninha para a Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo, a ADIRN. O vereador do PSD, Luís Valente, votou contra pois, no protocolo consta que “o Município deverá garantir o funcionamento do espaço em matérias de licenciamento e segurança, os equipamentos necessários à utilização pública do mesmo para a promoção e comercialização de produtos locais e regionais adquiridos pela ADIRN”. Acrescenta ainda que os “custos da aquisição serão suportados pelo Município até ao limite de 10 mil euros” e que, no final da concessão, reverterão para o Município”. E foi neste ponto que surgiu a discórdia com o vereador Luís Valente, do PSD. Luís Valente não concorda com o que diz ser “concorrência desleal” para com os comerciantes do concelho e também com o facto da Câ-

Especialidades Gelados Tradicionais Crepes Tostas Croissants Scones

Sumos Chá

Café

/ Ministro visitou o CIEC no dia 17 maio e regressou no dia 2 de junho las”, tem 225 alunos do 1.º ciclo e é dirigido por Ana Rodrigues, da Universidade de Aveiro, instituição parceira da autarquia e do Agrupamento de Escolas neste projeto que

dá “formação específica aos professores para as aulas em contexto de laboratório”. Lusa

Protocolo de cedência de espaço à ADIRN levanta dúvidas a vereador da oposição

Alunos da Escola D. Maria II vencem Concurso Nacional de Turismo Militar

Os alunos da Escola Secundária D. Maria II, de Vila Nova da Barquinha, venceram o Concurso Nacional “Mentes Brilhantes para o Turismo Militar”, na categoria ensino secundário. O prémio foi anunciado no dia 16 de maio, na reitoria da Universidade de Aveiro, onde decorre o Congresso Internacional de Turismo Militar.

Nova da Barquinha, no distrito de Santarém, um “projeto pioneiro a nível nacional”, segundo a diretora do CIEC, e cujas infraestruturas representaram em 2013 um investimento de cerca de dez milhões de euros no estímulo ao gosto pela ciência na população mais jovem. O CIEC, integrado na Escola D. Maria II de Vila Nova da Barquinha, que Brandão Rodrigues disse ser um “exemplo” e que “deve ser replicado em tantas outras esco-

Batidos

Chocolate quente

mara pagar materiais que, segundo afirma, pode não conseguir reaver. “A informação diz o Município está responsável pelo pagamento/ fornecimento de água, gás e eletricidade. O que eu digo em relação à ADIRN é que eu acho que o Município deve participar no movimento associativo. E para que possa obter mais-valias para o Município, a Câmara deve participar. Agora a questão é pelo que eu tenho dito desde a primeira hora, e que tem como consequência o meu voto contra, é que estamos a criar condições e a ter custos acrescidos, que vão criar uma atividade paralela a atividade existente no concelho”, explicou o vereador. Quanto ao facto de ser o Município a adquirir os equipamentos para o novo espaço, Luís Valente deixou ainda outras dúvidas. A questão que se coloca é que “esse património passa a ser da ADIRN e é revertido a favor do Município quando acabar o contrato”. Luís Valente levanta então a questão: “fazemos a aquisição de um con-

junto de equipamentos e depois se a ADIRN entender vendê-los? Se a ADIRN entender colocar mais 2000 euros e colocar aqui um equipamento a seu gosto? Vende! Põe os 2000 euros porque já tem um crédito de 10 mil. E depois o Município vai buscar esse dinheiro onde?” Rui Constantino, vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha, explicou que era preferível ser a ADIRN a adquirir os equipamentos. Explicou que “quem analisou isto, chegou à conclusão que precisava de algum apoio e que era preferível ser a ADIRN a adquirir os equipamentos. Sendo que obviamente os custos devem ser controlados. Por isso é que temos aqui um valor máximo. E foi, de todos os orçamentos que aqui chegaram, o valor de 10 mil euros. Escolhem algum tipo de material, escolhem qual o tipo de material… não podem é passar daquele valor. Se quiserem passá-lo, passam às custas deles”.

Eventos

(Levamos os nossos gelados à sua festa) • Casamentos • Batizados • Aniversários • Outras festas

Lis Gelataria * Lg. Dr. Ramiro Guedes, nº 2, Abrantes * 241 377 276 * Horário Inverno: Segunda a sábado das 8h30 às 20h30 10

jornal de abrantes / junho 2017

Patrícia Seixas


REGIÃO / Sardoal

A Câmara Municipal de Sardoal tomou conhecimento no dia 23 de maio, através da CCDR, da aprovação do projeto incluído no PARU – Plano de Ação para a Regeneração Urbana, que diz respeito aos corredores centrais na zona histórica da vila e também da substituição de alguns pontos de recolha de resíduos sólidos domésticos por recolha subterrânea. “O projeto consiste na construção de corredores centrais na zona histórica para que as pessoas que lá habitam, mais facilmente se possam deslocar, especialmente as pessoas idosas e também aqueles que nos visitam”, explicou Miguel Borges, presidente da Câmara Municipal de Sardoal. Trata-se de um pequeno corredor, “entre 40 a 80 cm”, que facilitará a deslocação no empedrado das ruas. Miguel Borges adiantou que

“também neste projeto está incluído os locais de recolha dos resíduos sólidos domésticos, que na zona histórica são feitos por contentores, e passaremos a ter dois postos de recolha subterrâneos. Visualmente, tem um impacto completamente diferente e enquadra-se naquilo que queremos que seja o núcleo histórico de Sardoal”. O presidente frisou que esta obra terá duas fases, tem um orçamento total de 300 mil euros e, nesta primeira fase, de 150 mil euros, “inclui também algumas condutas subterrâneas para, mais tarde, podermos fazer passar os cabos que agora são aéreos e começam já a fazer algum ruído visual”. O contrato da obra será assinado nos próximos dias e o presidente Miguel Borges crê que dentro de 15 dias ou três semanas, a obra poderá iniciar-se.

Festa do Espírito Santo ou do Bodo a tradição voltou a cumprir-se A vila de Sardoal recebeu no dia 4 de junho, a Festa do Espírito Santo (ou do Bodo), uma das mais antigas manifestações religiosas do concelho. A Festa do Espírito Santo foi organizada pela Câmara Municipal de Sardoal e pela Paróquia de São Tiago e São Mateus, contando com o apoio da Santa Casa da Misericórdia, Juntas de Freguesia do concelho, Bombeiros Municipais, Guarda Nacional Republicana e associações concelhias. A Festa do Espírito Santo (ou do Bodo) integrou uma missa ao ar livre, realizada na Praça da República, com Guarda de Honra prestada pelos Bombeiros Municipais e pela Filarmónica União Sardoalense. Finda a missa, teve lugar a procissão até ao Convento de Santa Maria da Caridade. Nesta Procissão participaram vinte jovens vestidas de branco, enquanto símbolo de pureza, que transportam à cabeça os tabuleiros com o pão benzido na eucaristia. As jovens diferenciaram-se pelas cintas coloridas

Paulo Sousa

Intervenção no centro histórico arranca em breve

que envergavam, existindo quatro cores, uma por cada freguesia do concelho. Outros figurantes envergavam trajes usados no Sardoal, em finais do século XIX, ocasião em que as festividades se realizavam com grande imponência e vasta

participação do povo. A procissão culminou com um almoço convívio no Largo do Convento de Santa Maria da Caridade e contou com a atuação da Filarmónica União Sardoalense. A Festa do Bodo foi retomada em 2015, enquadrando-se na estratégia do Município sardoalense de preservar as tradições concelhias. O evento é assumido pelo atual executivo como importante pilar na estratégia de desenvolvimento do Turismo, em particular do Turismo Religioso e, subsequente, desenvolvimento socioeconómico do concelho. A realização desta festa remonta a um passado longínquo, sabendo-se que já se realizava antes de 1470. Em 1935 sofreu um interregno, tendo sido retomada pela Câmara Municipal e pela Paróquia em 1995, numa perspetiva mais vasta, moderna e de defesa dos valores culturais do concelho, mas por motivos vários voltou a ser interrompida em 2008, lê-se na informação do Município.

Sardoal recebeu 2º encontro do projeto eTwinning culturais, sociais e desportiva, lê-se na nota de imprensa. Os alunos italianos ficaram alojados em casa de alunos portugueses, uma experiência que envolveu famílias de acolhimento e que permitiu a integração dos alunos italianos. O 2º encontro do projeto eTwinning representou para muitos dos alunos “uma grande experiência de vida”, tendo contribuído para o seu enriquecimento pessoal e cultural uma oportunidade para o desenvolvimento do espírito voluntário e solidário entre a população escolar e para aprender a valorizar a diversidade cultural na Europa”, segundo a mesma nota.

/ Agrupamento de Escolas acolheu cerca de 70 alunos, alguns provenientes de Itália

O seu sorriso está pronto para o Verão?

ABRANTES 241 361 814 | 914 908 110 TOMAR 249 323 416 | 914 908 028

Conheça todas as nossas soluções de Branqueamento! junho 2017 / jornal de abrantes

11

PUBLICIDADE

No âmbito do projeto eTwinning “Together We Can Change the Word” realizou-se, no Sardoal, o 2º Encontro de uma Parceria Bilateral com a Escola Vocacional ITCG Enrico Fermi, de Tívoli, Itália. O Agrupamento de Escolas de Sardoal acolheu, entre os dias 26 e 30 de abril, cerca de 70 alunos e professores dos dois países, no âmbito do projeto de voluntariado e solidariedade. Os cinco dias foram marcados por dois dias de visita à escola e à vila de Sardoal e dois dias para visitas sociais e de estudo, nomeadamente, ao Santuário de Fátima, Nazaré e Lisboa. Entre as principais atividades realizadas, aconteceram workshops temáticos, atividades


REGIÃO / Mação

Vale do Ocreza onde a arte rupestre e a beleza natural convencem qualquer um O Museu de Arte Pré-Histórica de Mação organizou no dia 20 de maio, um passeio pedestre ao Vale do Ocreza, com visita guiada às gravuras rupestres gravadas nas rochas do rio. O passeio, que contou com cerca de 50 participantes, percorreu as margens do rio Ocreza que albergam dezenas de gravuras rupestres, sendo a gravura paleolítica do Cavalo de Ocreza, descoberta no ano 2000, uma das mais importantes da arte rupestre do Portugal central. Com um percurso de 14 quilómetros e um grau de dificuldade considerado difícil, a visita guiada, foi organizada pela Autarquia local e pelo Museu de Mação. Sara Garcês, bolseira de investigação e arqueóloga no Museu de Arte Pré-Histórica de Mação, foi quem guiou o passeio e em declarações ao JA referiu que a ação surge todos os anos para comemorar o Dia Internacional dos Museus, a 18 de maio. Sobre o passeio, a arqueóloga explicou que o mesmo passa por sítios “importantes, do Vale do Ocreza” e a ideia “é que as pessoas conheçam uma parte que é de difícil acesso, passando por todo o vale, que vai tendo algumas gravuras e onde se explica o seu contexto. Aí

temos um relaxamento do grupo antes da grande subida”. “Dizem-nos que o Vale do Ocreza tem uma ocupação muito antiga. Desde há 20 mil anos que as pessoas gravaram no Vale numa continuação que vai até a cerca de dois a três mil anos antes de Cristo. E estamos em contexto de povoado, estamos perto do sítio arqueológico do Caratão, do Pego da Rainha, ou seja um contexto arqueológico muito rico, que se complementa com outros sítios arqueológicos à volta, mas também com uma paisagem muito bonita e de difícil acesso”, explicou Sara Garcês. Sobre a gravura paleolítica do Cavalo de Ocreza, a responsável afirmou que a mesma se reveste de grande importância “ pela sua antiguidade, pelo facto ser a única gravura desta cronologia que temos em todo o Vale do Tejo. O Vale do Ocreza faz parte de um complexo muito grande de arte rupestre do Vale do Tejo, onde o núcleo mais conhecido são cerca de 40 km. Num conjunto muito grande de 7 mil gravuras, a única que nos reporta para uma cronologia mais antiga é esta pequena figura de um cavalo que assume grande importância histórica”. “Foi a partir desta descoberta

Praia Fluvial de Carvoeiro distinguida com “Qualidade de Ouro” A Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza, deu a conhecer as praias que distinguiu, em 2017, com “Qualidade de Ouro”. Segundo informação do Município de Mação, a Praia Fluvial de Carvoeiro, praia com bandeira azul, voltou a ser distinguida com “Qualidade de Ouro”. A Quercus tem como objetivo realçar as praias que ao longo de 5 anos apresentam sistematicamente uma água balnear de qualidade excelente, este ano foram

12

jornal de abrantes / junho 2017

distinguidas 396 praias, 36 delas localizadas no interior.

[do Cavalo de Ocreza] que o Museu de Mação nasceu e evoluiu. A partir da sua descoberta inicia-se uma nova era do Museu de Mação que culmina com o que é hoje o projeto em si com os mestrados, doutoramentos, com a vinda de alunos de qualquer parte do mundo para estudar arte pré-histórica e arqueologia em Mação”, aludiu. Quanto a objetivos futuros, Sara Garcês avançou que o Museu de Mação vai entrar em obras para renovar o seu piso inferior. As me-

lhorias vão passar por ampliar o espaço expositivo, construir uma parte para exposições temporárias de âmbito local, regional e nacional e melhorar a parte da loja. Neste verão, os colaboradores do Museu vão para o terreno para dar início a mais escavações e novas prospeções em relação à arte rupestre. “Este verão o Museu de Mação está no campo”, salientou Sara.

/ Sara Garcês do Museu de Arte Pré-Histórica

Joana Margarida Carvalho

Agrupamento de Escolas teve “Muito Bom” a triplicar O Agrupamento de Escolas Verde Horizonte, de Mação, divulgou no dia 9 de maio os resultados do relatório de avaliação externa, na presença da comunidade educativa. O Agrupamento alcançou muito bom nos três critérios de classificação: resultados; prestação de serviço educativo e liderança e gestão, distinguidos pela Inspeção Geral da Educação, no final de 2016. Os pontos fortes sublinhados pela equipa da Inspeção são a diversidade da oferta educativa, parcerias ativas com diversas en-

tidades, uma política educativa baseada na cooperação e relações interpessoais, a valorização da excelência como marca do Agrupamento com todos os recursos ao serviço da comunidade escolar e uma forte liderança na fixação das intenções educativas, lê-se no relatório. Distinguidos no ano anterior pela UNESCO, como a “cidade da aprendizagem”, a Direção do Agrupamento de Escolas não poderia estar mais satisfeita com os resultados obtidos. O diretor do Agrupamento,

José António Almeida, referiu dois grandes desafios futuros, “evitar o abandono e, só depois de evitar o abandono, é que conseguimos permitir o sucesso” do aluno. José António Almeida referiu alguns pontos que distinguem o Agrupamento de Escolas de Mação de outras da região, como o “Projeto Âncora”. É um projeto que distingue “a assiduidade, o comportamento e o aproveitamento a 100%”. O diretor concluiu que os resultados relativamente ao ano letivo 2015/2016 foram de 30,1% numa escala de 100.


Vamos à festa? Aurea, Pedro Abrunhosa e Abrantes Big Band, GNR e David Antunes são os cabeças de cartaz da edição de 2017 das Festas de Abrantes. Entre 13 e 18 de junho Abrantes prepara-se para receber milhares de visitantes para os eventos desportivos, culturais e recreativos que decorrem a diferentes horas e todos com entrada livre.


ESPECIAL / Abrantes

Maria do Céu Albuquerque

“O cidadão está no centro das nossas decisões” Maria do Céu Albuquerque, presidente da CM de Abrantes, fala, em entrevista, das festas, do concelho e dos desafios futuros.

Qual tem sido a marca que a Câmara Municipal tem deixado junto dos seus munícipes neste mandato?

Penso que a principal marca é a da aposta na proximidade. Na procura constante de soluções que contribuam para melhorar a qualidade de vida dos nossos cidadãos. Seja nas mais pequenas obras ou no desenvolvimento de projetos imateriais nas mais variadas áreas – cultura, desporto, educação, saúde – que promovam o desenvolvimento sustentável da nossa comunidade. Toda a nossa ação se tem orientado por estas premissas. O cidadão está no centro das nossas decisões e o aumento da sua qualidade de vida orienta a construção da nossa estratégia de ação.

Numa iniciativa de projetar a cidade e o concelho a nível nacional, não deixando que Abrantes fique para trás, qual tem sido a estratégia levada a cabo pelo Executivo que lidera?

Podemos talvez falar em duas grandes áreas. Por um lado, o reforço da atratibilidade do concelho para os investidores privados, procurando criar mecanismos diferenciadores como são por exemplo aqueles que se incluem no Abrantes Invest ou a aposta no Parque Tecnológico que é, sem dúvida, uma das “marcas” diferenciadoras do concelho de Abrantes, quer no território do Médio Tejo, quer no distrito de Santarém. Por outro lado, a clara aposta na Cultura, na oferta de pólos culturais atrativos e diferenciadores ca-

14

jornal de abrantes / junho 2017

pazes de trazer ao concelho novos visitantes, de o incluir em novos roteiros turísticos, ou de os associar a mercados que já existem e que, pela sua proximidade, podem e devem ser por nós aproveitados como elementos dinamizadores de fluxos de visitantes. Refiro-me, por exemplo, ao Turismo Religioso de Fátima ou ao emergente mercado do turismo de Natureza em que Abrantes se está claramente a posicionar, como o demonstra aliás o estudo recentemente divulgado pela Trivago, em que Abrantes ocupa o segundo lugar na lista de Destinos de Natureza e Cultura Emergentes em Portugal

As festas da cidade, em junho, têm assumido o mesmo modelo idêntico de ano para ano. Isto significa que o formato aplicado durante este mandato está a funcionar?

O que nos tem chegado é que este modelo resulta. Penso até que, neste momento, a sua alteração não seria bem recebida. É um modelo que permite circular pelos diferentes espaços e experienciar a cidade. É um modelo que também ele cria proximidade. Porque as pessoas circulam, absorvem as diferentes experiências e as atividades oferecidas, entram nos espaços comerciais. É um modelo que não limita, não confina as pessoas a um espaço único, mas antes confere a liberdade delas próprias escolherem “as festas” a que querem ir. É claro que todos os anos procuramos melhorar, introduzir inovação. Este ano, por exemplo vamos


ESPECIAL / Abrantes conferir ao artesanato e design urbano uma nova imagem e configuração que penso melhorarão em muito a sua atratibilidade. O ano passado, alteramos o modelo do concerto do Dia da Cidade quer no formato – juntando duas grandes vozes do panorama nacional - quer no local. Este ano vamos voltar a fazê-lo.

nas freguesias procurámos levar o centenário a todos e envolver as pessoas na sua construção. Mas mais importante, como já disse, acho que é esta marca que nos fica, de sermos uma cidade centenária, e que todos transportamos com um orgulho imenso, uma comunidade que se constrói com a participação de todos.

Que significado é que as festas ainda podem ter para a comunidade abrantina? O que as diferencia?

A Campanha Abrantes Invest já está a dar frutos?

Como diria o Professor Fernando Catroga, as Festas são um momento de celebração. De celebração da nossa identidade coletiva. Do que fomos, do que somos, do que queremos ser. Penso que uma das principais marcas diferenciadoras seja talvez a aposta no talento local. Dar voz e palco ao que é nosso. Aos nossos Ranchos, às nossas Bandas Filarmónicas, aos nossos Grupos de Cantares, às nossas bandas, mas também aos novos talentos. É uma aposta que temos vindo a fazer e que queremos continuar a fazer.

Qual é o investimento alocado na edição de 2017?

O orçamento previsional ronda os 170.000€, próximo daquele que foi o orçamento das edições mais recentes, exceção feita ao ano anterior em que, por ser ano de Comemoração do Centenário, o orçamento foi superior.

O ano de 2016 foi marcado pelo centenário de Abrantes. Como é que a cidade refletiu e homenageou os feitos passados e construiu os alicerces para o futuro?

Procurámos comemorar o Centenário com um programa vasto, mas sobretudo com um programa construído com a comunidade. Um programa construído com e para as pessoas. Foi um trabalho que exigiu um grande esforço e empenho de todos – dos Comissários aos diferentes agentes locais envolvidos. Mas foi um trabalho muito compensador. Que deixou marcas muito positivas. E não falo apenas das marcas que são visíveis, de algumas obras que ficarão associadas a este centenário como por exemplo a requalificação do Monumento a D. Nuno Álvares. Falo sobretudo dum trabalho em parceria, duma cultura para a construção de projetos conjuntos como por exemplo a Academia de Músicos de Abrantes que envolveu todas as bandas filarmónicas do nosso concelho. Uma cultura que fica como alicerce para a construção do próximo centenário.

Considera que a comunidade abrantina sentiu, vivenciou e participou nas celebrações? E os munícipes das freguesias? Acredito que sim. Na cidade e

A campanha Abrantes Invest não deve ser olhada como algo com um timing definido. É verdade que do ponto de vista dos meios de comunicação foi feita uma grande aposta no sentido de divulgar a estratégia do concelho e sobretudo os apoios financeiros que temos disponíveis nas várias áreas. Mas ela é sobretudo um processo, que implica o envolvimento real de parceiros de grande importância, como por exemplo a AICEP ou o IAPMEI, que dispõem agora também duma ferramenta estruturada que lhes permite também a eles fazer a promoção e a divulgação do concelho junto de potencias investidores, nacionais e estrangeiros. É, portanto, um processo que não se mede num espaço de tempo curto. Mas sim, temos recebido contactos diversificados e é com orgulho que digo também que muitos investidores nos têm feito chegar comentários muito positivos relativamente à forma como nos estamos a organizar e a apostar nesta área.

Abrantes tem sido referência a nível nacional na aposta tecnológica. Os munícipes já estão a aderir à Plataforma 360º? É este o tipo de interação que se pretende com o cidadão no futuro?

Os munícipes e as Entidades, sim. Paulatinamente e à medida que vamos disponibilizando novos serviços on-line. Temos prevista para breve, associada a novos desenvolvimentos que estamos a fazer na plataforma, a realização de uma campanha informativa que possa contribuir para tornar mais conhecida esta plataforma. A plataforma 360 é de fato emblemática do tipo de interação que queremos estabelecer com os cidadãos. Uma proximidade cada vez maior – à distância de um click – mas, sobretudo, uma interação que permita ao cidadão o exercício pleno da sua cidadania e a participação ativa na construção da cidade. A plataforma 360 é fundamental para que tal aconteça. É uma ferramenta fundamental, por exemplo, para a operacionalização do orçamento participativo. No fundo, cumprindo a visão de “uma única porta, uma única chave” o munícipe terá oportunidade de interagir com o município em todos os serviços por nós prestados. Do licenciamento à biblioteca, das águas à piscina, passando pelos eventos pontuais.

O centro histórico, apesar de alguns novos espaços comerciais, ainda apresenta alguns problemas. Considera que as intervenções previstas com a construção do MIAA, a requalificação do Edifício Carneiro e a requalificação do Castelo, serão um estímulo para uma maior vivência do próprio centro?

Essa é a nossa convicção. Esse é o grande objetivo da nossa estratégia. Porque a maior vivência do centro histórico, quer pelos locais, quer pela capacidade de atração de visitantes, tem necessariamente associada uma importante componente de desenvolvimento económico e de aumento da qualidade de vida. Aquilo que estamos a desenhar – O MIAA, o Museu Charters de Almeida, a requalificação da atual Galeria de Arte para acolher a Coleção de Arte Figueiredo Ribeiro que nos permitirão recriar o Centro Histórico enquanto Centro Cultural - a requalificação do Castelo/Fortaleza de Abrantes, os incentivos financeiros associados á regeneração urbana do centro histórico, o Programa + Comércio, a forma ativa como nos envolvemos conjuntamente a Turismo Fundos na procura de uma solução para o Hotel de Turismo – são vetores dessa estratégia de revitalização do Centro Histórico.

Que outros investimentos estão previstos concretizar até ao final do mandato por todo o concelho? Quais vão ser as prioridades?

A nossa prioridade é fazer intervenções em todo o território. Recordo que no início de 2016 disponibilizamos um pacote de investimento no valor de 731.000€ ao abrigo de contratos interadministrativos para delegação de competências nas 13 Juntas de Freguesia do Concelho para execução de diversas intervenções nos territórios respetivos, ao longo de 2017. Essa parceria com as Juntas de Freguesia permite operacionalizar obras

prioritárias como pavimentações, repavimentações; construção de passeios, ou construção de equipamentos. Essas intervenções e todas as outras que paulatinamente fomos fazendo ao longo do mandato – para além das obras fruto destes contratos, as Juntas de Freguesia executam obra e investimento a partir dos seus próprios orçamentos e de acordo com as suas competências e a Câmara Municipal por si só executa também obra de acordo com as suas competências – são sinónimo de politica de proximidade. Para além destas intervenções nas freguesias, gostava de destacar outras intervenções, como o inicio da construção da estrada de ligação entre S. Facundo e Vale das Mós – uma velha aspiração destas populações - ; Unidade de Saúde Familiar do Rossio ao Sul do Tejo; beneficiação exterior da Igreja de S. Vicente; Loja do Cidadão; ampliação do Cemitério de Santa Catarina; asfaltamentos em Água das Casas, Carvalhal e Souto; Pontão de Rio de Moinhos; a 2ª fase da requalificação do Pavilhão do Pego; o apoio financeiro à Junta de Freguesia e à iniciativa da sociedade civil para a obra da Praça Central de S. Miguel do Rio Torto e Polidesportivo, etc. Destaco ainda as obras de requalificação urbana, como a requalificação do Convento de S. Domingos para instalação do MIAA, que está a decorrer, e aquelas que brevemente se vão iniciar como a requalificação do mítico Edifício Carneiro, para instalação do Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida; a ampliação da Galeria Municipal de Arte, agora Quartel Da Arte Contemporânea de Abrantes – Coleção Figueiredo Ribeiro; o Parque de estacionamento e espaço para feiras e mercados do Vale da Fontinha e a requalificação do edifício do antigo Colégio de Fátima para instalação do Centro Escolar de Abrantes. Não deverá iniciar-se antes do final do atual mandato,

mas relembro que temos pronto o projeto para a requalificação do Largo 1º de Maio, com a inclusão de uma praça de táxis coberta. Ao nível dos Serviços Municipalizados, destaco essa grande obra, realizada por fases, de abastecimento de água ao sul do concelho a partir da Albufeira de Castelo do Bode, para este ano com o traçado adutor entre Vale das Donas, S. Miguel e Tramagal. Pretende-se ainda iniciar a execução do traçado adutor entre o nó de Vale das Donas e Pego. A renovação das redes de distribuição de água e ramais de ligação em várias localidades do concelho: Alferrarede; Mouriscas; Rio de Moinhos e Pego mas também a substituição da conduta adutora entre a Estrada Nacional 2 e o reservatório de Amoreira, a substituição da conduta adutora ao reservatório de Casais de Revelhos e a conduta adutora entre o reservatório de Casais Revelhos e Sentieiras, bem como reparar os reservatórios de distribuição de Matagosa, Vale de Açor e Água das Casas.

Costuma afirmar com alguma frequência: “se queremos ir longe, vamos juntos”. Considera que tem estado próxima dos seus munícipes para ir mais longe e levar mais longe o concelho de Abrantes?

Quando digo “ir longe” falo da obra – material e imaterial – e do investimento que estamos a fazer no presente mas também das sementes que estamos deixar para o futuro. Sinónimo disso é a criação de uma nova rede polinuclear de equipamentos culturais, associada à promoção do conhecimento de uma cartografia cultural e de uma agenda fortemente reconhecida na região. Este tipo de investimento poderá não ser facilmente compreendido e não dará frutos no imediato. Mas as atuais e futuras gerações dar-lhe-ão valor e beneficiarão deste investimento porque certamente acrescentarão valor à nossa economia local e ao nosso tecido social. Sublinho “vamos juntos” porque a Câmara de Abrantes não trabalha sozinha. Trabalha com os parceiros do seu território. Não pode ser de outra maneira. Ao nível da ação social, da educação, do desporto, da juventude, da cultura, de outras áreas intervenção, envolvemos, interagimos, dialogamos com os nossos parceiros: os clubes, as associações; as escolas; a instituições; as empresas; a sociedade civil. Esse trabalho em rede que há muitos anos praticamos em Abrantes é reconhecido pelos nossos parceiros e é tido como um bom exemplo fora do nosso território. Patrícia Seixas e Joana Margarida Carvalho junho 2017 / jornal de abrantes

15


ESPECIAL / Abrantes

Festas 2017 Aurea, Pedro Abrunhosa e Abrantes Big Band, GNR e David Antunes são os cabeças de cartaz da edição de 2017 das Festas de Abrantes. Entre 13 e 18 de junho Abrantes prepara-se para receber milhares de visitantes para os eventos desportivos, culturais e recreativos que decorrem a diferentes horas e todos com entrada livre. À semelhança de anos anteriores, a Câmara de Abrantes preparou um programa diversificado para chegar a diferentes públicos, fazendo das Festas’2017 o principal evento cultural e desportivo do concelho. Os motivos de atração são variados, a começar desde logo com o Concurso Nacional de Saltos – Hipismo, que terá lugar na Margem Sul do Aquapolis – Rossio ao Sul do Tejo, no fim de semana que antecede o início das festividades (nos dias 9, 10 e 11 de junho). Para o dia 9 de junho, está também marcada a inauguração da IX ANTEVISÃO DO MIAA, a exposição, sob o tema a Romanização do médio Tejo, estará patente no Museu D. Lopo de Almeida – Igreja de Santa Maria do Castelo até 21 de janeiro. Ambas as iniciativas fazem parte do programa associado à edição deste ano das Festas de Abrantes. O dia 13 de junho será a porta de entrada para as comemorações das Festas’2017 com os primeiros concertos. A par de grandes nomes da música portuguesa, integram o cartaz projetos locais, os Grupos de Cantares e Ranchos Folclóricos e a música popular, que abrilhantam os bailes no Jardim da República. Também o desporto será um dos pontos fortes do programa deste ano, com modalidades para todos desde o downhill urbano, o Abrantes na diagonal ou o uphill, a atividades náuticas (festival de canoagem), carrinhos de rolamentos, show motorizado, atletismo, jogos tradicionais, futebol e voleibol de praia e torneios de xadrez e sueca. Outros motivos de atração são o artesanato urbano, a animação de rua, as tasquinhas e os doces tradicionais que pontuam o Centro Histórico da cidade. A edição de 2017 das Festas de Abrantes ficará também marcada por ser o momento em que se encerram as comemorações do centenário da elevação de Abrantes à categoria de cidade.

Programação associada às festas de Abrantes DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES CONCURSO NACIONAL DE SALTOS DE ABRANTES – HIPISMO 9, 10 e 11. junho Margem Sul do Aquapolis – Rossio ao Sul do Tejo Org.: Alubox

CERIMÓNIAS OFICIAIS OFICIAL DIA DA CIDADE 10H30 // Castelo/Fortaleza de Abrantes

Inscrições // Informações www.alubox.pt ou alubox@zonmail.pt Tel: 217 271 766 Fax: 217 264 801

INSCRIÇÕES // INFORMAÇÕES Cidade Desportiva Abrantes – Tel: 241 330 100 – desporto@cm-abrantes.pt Inscrições online: www.cm-abrantes.pt // www. desporto.cm-abrantes.pt

EXPOSIÇÃO / FESTAS DE ABRANTES IX ANTEVISÃO DO MIAA – Romanização do médio Tejo 09.junho.2017 a 21.janeiro.2018 Museu D. Lopo De Almeida

DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES TORNEIO FUTEBOL PRAIA 10H00 // Aquapolis (margem norte)

ANIMAÇÃO / FESTAS DE ABRANTES GRUPO DE CONCERTINAS SONS LUSITANOS DE ABRANTES 16H00 – 19H00 // Centro Histórico

13 A 18 JUNHO ’17 // FESTAS DE ABRANTES - PROGRAMAÇÃO

DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES DOWNHILL URBANO 14H00 // Centro Histórico – Abrantes Org: Associação de Ciclismo de Santarém Inscrições // Informações Serão seguidos os critérios do Regulamento das Provas Nacionais de DownHill da Federação Portuguesa de Ciclismo. Os participantes terão de ter no mínimo 15 anos de idade. Inscrições gratuitas. Data limite de inscrições: 13. junho Cidade Desportiva Abrantes – Tel: 241 330 100 – desporto@cm-abrantes.pt Inscrições Online: www.cm-abrantes.pt // www. desporto.cm-abrantes.pt ANIMAÇÃO / FESTAS DE ABRANTES TOC’ABRIR 20H00 // Jardim da República Duo musical de Abrantes VOZES DE ABRANTES E CONVIDADO ESPECIAL 22H00 // Praça Barão da Batalha

(13.JUNHO ´17) ANIMAÇÃO / FESTAS DE ABRANTES ELSIO NUNES 20H00 // Jardim da República SEMÁFORO 20H00 // Jardim da República

FUNK YOU 23H30 // Praça Raimundo Soares

HANDMADE 22h00 // Praça Barão da Batalha AUREA + PEDRO ABRUNHOSA + ABRANTES BIG BAND 22H00 // CASTELO

DJ INÊS DUARTE 01h00 // Praça D. Francisco de Almeida

KWANTTA 23H30 // Praça Raimundo Soares

(16.JUNHO ‘17)

MI SANGA (Mossy) 01H00 // Praça D. Francisco de Almeida

ANIMAÇÃO / FESTAS DE ABRANTES REMEDIUM SANTU 20H00 // Jardim da República

(15.JUNHO ‘17)

DJ PAUL’S 01H00 // Praça D. Francisco de Almeida (14.JUNHO ‘17) DIA DA CIDADE / FESTAS DE ABRANTES HASTEAR DA BANDEIRA

16

jornal de abrantes / junho 2017

DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES TORNEIO VOLEIBOL PRAIA 10H00 // Aquapolis (margem norte) INSCRIÇÕES // INFORMAÇÕES Cidade Desportiva Abrantes – Tel: 241 330 100 – desporto@cm-abrantes.pt Inscrições online: www.cm-abrantes.pt // www. desporto.cm-abrantes.pt

ÁTOA 22H00 // Praça Barão da Batalha


ESPECIAL / Abrantes a subir o mais rapidamente possível a Calçada de São José, no Centro Histórico de Abrantes, com uma inclinação bastante acentuada 16%.

MIGUEL ESTRADA 23H30 // Praça Raimundo Soares

GNR 22H00 / /Praça Barão da Batalha

DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES ABRANTES NA DIAGONAL 19H00 - 20H00 // Centro Histórico – Abrantes Chegada dos participantes entre as 19H00 E 20H00 Dando continuidade ao projeto iniciado no ano de Abrantes, Cidade centenária, quatro partidas simultâneas, no dia 17 de junho, de Sagres, Vila Real de Santo António, Bragança e Caminha, numa travessia em bicicleta que levará os participantes a confluir a Abrantes.

TOC’ E FOGE 20H00 // Jardim da República

DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES TORNEIO DE XADREZ 14H00 // Centro Histórico Org: Sporting Clube de Abrantes DJ THE FOX 01h00 // Praça D. Francisco de Almeida (17.JUNHO ‘17)

HYUBRIS 23H30 // Praça Raimundo Soares

DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES FESTIVAL DE CANOAGEM 14h30 // Estação de Canoagem de Alvega Org: Casa do Povo de Alvega Inscrições // Informações Data Limite: 10.junho Valor: € 8,00 (Embarcação, Seguro de Responsabilidade Civil + oferta da t-shirt) Casa do Povo de Alvega – Tlm: 919523563 – cpalvega@gmail.com Cidade Desportiva de Abrantes – Tel: 241 330 100 (7 // 1) – desporto@cm-abrantes.pt Inscrições Online: www.cm-abrantes.pt // www. desporto.cm-abrantes.pt DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES CAMPEONATO REGIONAL DE JUVENIS 15H00 // Pista De Atletismo – Cidade Desportiva De Abrantes Org: Federação Portuguesa de Atletismo / Associação de Atletismo de Santarém DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES 13ª EDIÇÃO TORNEIO INTERCONCELHIO DE ESCOLINHAS FUTEBOL 16H00 // Campo de Jogos Aquapolis – Margem Norte ANIMAÇÃO / FESTAS DE ABRANTES CANTARES POPULARES – Grupo de Cantares Brisa do Tejo, Grupo de Cantares da Sociedade Recreativa do Souto e Grupo de Cantares do Agrupamento de Escolas N.º 1 de Abrantes 18H00 // Jardim da República

FH5 20H00 // Jardim da República

INSCRIÇÕES // INFORMAÇÕES: Inscrições gratuitas. Data limite: 18. junho até 13H00 Partidas semirrápidas de 20 minutos Cidade Desportiva Abrantes – Tel: 241 331 100 – www.cm-abrantes.pt // www.desporto. cm-abrantes.pt Inscrições: sportingclubabrantes@sapo.pt DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES TORNEIO DE SUECA 15H00 // Jardim da República Org: Casa do Benfica em Abrantes

DJ NUNO CALADO 01H00 // Praça D. Francisco de Almeida (18.JUNHO ‘17) DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES PASSEIO CHAPA AMARELA 09h00 // Abrantes Org: ACCA – Associação Amigos Chapa Amarela DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES CAMPEONATO REGIONAL DE JUVENIS 09H30 // Pista De Atletismo – Cidade Desportiva De Abrantes Org: Federação Portuguesa de Atletismo / Associação de Atletismo de Santarém DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES CAMPEONATO NACIONAL DE CARRINHOS DE ROLAMENTOS 14h00 // Açude Org: Trilhos do Zêzere Percurso: Descida do Açude Etapa integrada no Campeonato Nacional de Carrinhos de Rolamentos, recuperando e valorizando uma tradição de outrora numa vertente competitiva. Inscrições // Informações Trilhos do Zêzere - 919 675 275 / Aventurirequinte – Associação Inscrições online: www.cncr.pt DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES 3º UPHILL 16H00 // Calçada de S. José Org: Município de Abrantes e Branquinhos do Pedal – Associação Cultural Desportiva e Recreativa da Chainça (ACDR) Prova em bicicleta, que desafia os participantes

INSCRIÇÕES // INFORMAÇÕES: Inscrições gratuitas. Data limite: 18. junho até 13H00 Sede da Casa do Benfica em Abrantes ou Telemóvel: 938 490 438 casa.benfica.abrantes@ gmail.com Cidade Desportiva Abrantes – Tel: 241 330 100 – desporto@cm-abrantes.pt Inscrições Online: www.cm-abrantes.pt // www. desporto.cm-abrantes.pt DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES 15H00 // Jardim da República JOGOS TRADICIONAIS Inscrições gratuitas DESPORTO / FESTAS DE ABRANTES 18H00 // Alameda Carlos Lopes – Cidade Desportiva SHOW MOTORIZADO - STUNT - PERICIA – RALLY – KARTING – TODO O TERRENO – DRIFT - TRIAL Organização: Clube Aventura e Motorizado do Pego ANIMAÇÃO / FESTAS DE ABRANTES MODINHAS - Grupo de Modas e Brincadeiras do Rancho Folclórico de Casais de Revelhos e Escolinhas do Rancho Folclórico da Casa do Povo do Pego 18H00 // Jardim da República

DAVID ANTUNES & AMIGOS (Simone de Oliveira, João Paulo Rodrigues, Berg, Luís Jardim e CC) 22H00 // Praça Barão da Batalha EM SIMULTÂNEO / FESTAS DE ABRANTES Animação de rua - Centro Histórico 14 a 18. junho //17H00 - 20H00 Artesanato e Design Urbano – Ruas do Centro Histórico 13.junho // 18H00 - 24H00 14 a 17.junho //14H00 - 24H00 18.junho//14H00 - 23H00 Doces tradicionais – Ruas do Centro Histórico 13.junho // 18H00 - 24H00 14 a 17.junho//14H00 - 24H00 18.junho//14H00 - 23H00 Tasquinhas – Jardim da República 13.junho // 18H00 - 02H00// 14.junho e 15. junho // 12H00 - 02H00 16.junho // 18H00 - 02H00 17.junho //12H00 - 02H00 18.junho//12H00 - 24H00 BIA nas Festas de Abrantes 2017 BIAGENS COM LIVROS 14 a 17.junho.2017//18h00 - 22H00 Das 18h às 22h Promoção da leitura em pinturas faciais com livros e moldagem de balões, em parceria com BI-DOM Academia Criativa Das 19h às 21h Destinado ao público em geral Exposições: IX ANTEVISÃO DO MIAA – ROMANIZAÇÃO DO MÉDIO TEJO MUSEU D. LOPO DE ALMEIDA* & CACHIMBOS E CARTAS DE AMOR, ILUSTRAÇÃO SOBRE A OBRA DE CATARINA SOBRAL BIBLIOTECA MUNICIPAL ANTÓNIO BOTTO* & TEM-TE-BEM DE LUISA CUNHA, QUARTEL DA ARTE CONTEMPORÂNEA DE ABRANTES COLEÇÃO FIGUEIREDO RIBEIRO* junho 2017 / jornal de abrantes

17


ESPECIAL / Abrantes

Abrantes cidade inteligente

O município de Abrantes tem vindo a desenvolver duas perspetivas agregadoras e geradoras para o seu desenvolvimento sustentável. Por um lado, o reforço da estrutura interna do município e a aposta em ferramentas que apoiam o modelo de governança com uma estratégia que combina o potencial das infraestruturas e as tecnologias numa visão integrada de processos e disponibilidade de dados em tempo real, ajudando assim na tomada de decisões céleres e sustentadas. Esta é uma aposta gradual do município, resultado de um investimento nos últimos anos e consolidado nos projetos de gestão documental, desmaterialização de processos e na gestão de entidades municipais, mas também na utilização de ferramentas tecnológicas para a gestão e monitorização de áreas como a Recolha de Resíduos, a Gestão de Consumos Energéticos em Edifícios Municipais e em iluminação Pública, a Gestão da Frota Mucipal, ou a Gestão de Consumos de Água e atuação remota sobre a Rega de Espaços Verdes. Por outro lado, a inclusão do

CMA

Porque as cidades inteligentes se constroem para as pessoas e com as pessoas

cidadão no centro da decisão e participação, através de plataformas colaborativas que lhe permitem ser um elemento ativo, com contributos que melhore a sua qualidade de vida e ajude na criação de uma cidade mais sustentável. Para isso,

o município tem criado condições de infraestruturas e tem utilizado ferramentas que permitem, por um lado aproximar os cidadãos dos serviços, como é o exemplo da facilitação dos serviços online ou dos espaços do cidadão, mas tam-

CMA

Plataforma Abrantes 360

18

jornal de abrantes / junho 2017

bém com a oferta de ferramentas que permitem ao munícipe participar ativamente na governança da sua cidade e na sua construção enquanto cidade inteligente, como é o exemplo do orçamento participativo (já na sua segunda edição

cuja votação dos cidadãos decorre entre 1 de agosto e 15 de setembro), da plataforma Abrantes 360 ou ainda da aplicação móvel “Sou Cidadão” que promove a comunicação direta entre o poder local e o cidadão e assim estabelece uma maior proximidade. Um novo canal de comunicação bidirecional entre o munícipe e o município, para dispositivos móveis, que permite aceder a informação institucional do município, a notícias, eventos ou para reportar ocorrências. Neste último caso, qualquer cidadão que queira participar deverá primeiro proceder à sua autenticação na plataforma www.soucidadao.pt. Em qualquer altura e em qualquer lugar, sem complexidades, o cidadão pode fazer o alerta de uma ocorrência, pedir ou enviar informações, utilizando uma linha sempre direta e próxima do município. Para aceder à plataforma, basta descarregar, sem custos, a aplicação Sou Cidadão numa loja online da Google, Windows ou iPhone. Depois de se registar, o munícipe apenas terá de consultar e acompanhar o estado da ocorrência via smartphone ou através dos serviços online em https://abrantes360. cm-abrantes.pt.

Com a plataforma “Abrantes 360” o município disponibiliza aos seus cidadãos serviços da autarquia online, acessíveis sete dias por semana, 24 horas por dia, cumprindo o objetivo de alargar a interação e proximidade com os seus munícipes, mediante a simplificação de procedimentos. Registar-se na conta da entidade municipal é um procedimento fácil, único e rápido, que dá a possibilidade ao cidadão de aceder à informação da autarquia, numa única plataforma, quando mais lhe convier e onde quer que esteja. Damos como exemplo alguns dos serviços disponíveis nesta nova plataforma a que pode aceder: requisições de livros da Biblioteca Municipal, informação sobre o Orçamento Participativo, mas também, depois de se inscrever na conta da entidade municipal, obter informações sobre processos ou formulários que digam respeito a: Reclamações e sugestões; Pedido de marcação de audiências; Transportes; Toponímia; Agricultura e Florestas; Segurança e proteção civil; Pagamento de taxas e coimas; Obras particulares; Certidões; Cemitérios; Consulta e Reprodução de documentos; Veículos, estacionamento e sinalização; Desporto; Mercados, feiras, venda ambulante e festas; Comércio, serviços, restauração e ruído; Inspeções ou Ocupação de espaço público e publicidade. Consulte a plataforma em https://abrantes360. cm-abrantes.pt


ESPECIAL / Abrantes

Ana Ricardo

Abrantes Invest

A campanha “Abrantes Invest” é a marca de afirmação da vontade dos responsáveis autárquicos em permanecer ao lado das empresas e empresários e colaborar na criação de valor da economia local, regional e até nacional. Esta é uma ação que decorre da operacionalização do Plano Estratégico Abrantes@2020, enquanto referencial estruturante na alavancagem de um novo ciclo de desenvolvimento para o concelho. Trata-se de uma campanha

que tem em conta as três zonas de investimento identificadas como prioritárias para o Concelho de Abrantes: o Centro Histórico; as três Zonas Industriais e o TagusValley- Parque Tecnológico do Vale do Tejo. Um investimento que se reverte em apoios criados para a dinamização de espaços, designadamente o apoio a projetos empresariais de interesse municipal, corporizado por benefícios fiscais a investimentos que criem emprego, como é o exemplo da colaboração

para a criação de emprego qualificado no TagusValley-Parque Tecnológico do Vale do Tejo. Falamos ainda de incentivos para a reabilitação urbana do Centro Histórico, que se traduzem em isenções fiscais ou aplicação de taxas mínimas para reabilitação ou conservação de imóveis, habitação ou arrendamento, ou na criação de condições para a implementação de novos projetos comerciais. O pacote de incentivos que se promovem, de uma forma geral, são:

> Isenções fiscais e tributárias (IMT, IMI, Derrama); > Incentivo à Criação de Emprego Qualificado no Parque Tecnológico do Vale do Tejo; > Comercialização de lotes a preços reduzidos; > Apoio à instalação no Centro Histórico.

Esta campanha tem como objetivo aumentar a notoriedade externa do município e do investimento empresarial, com o pressuposto de que a captação, fixação e crescimento do investimento empresarial de Abrantes é determinante para gerar riqueza e emprego no concelho e na região, contribuindo também para fomentar a sua atratividade residencial e a qualidade de vida das populações.

Museu Metalúrgica Duarte Ferreira - Tramagal MEMÓRIA PATRIMÓNIO HISTÓRIAS ESTÍMULOS SENSORIAIS É um repositório do historial da Metalúrgica Duarte Ferreira (MDF), do legado inspirador do pioneiro da indústria metalo-mecânica em Portugal, Eduardo Duarte Ferreira e da memória da comunidade tramagalense. De vocação tendencialmente pedagógica, o Museu preserva para memória futura o espólio fotográfico e documental da MDF. Da Forja ao apogeu, da extinção às novas fórmulas de distinção industrial, este espaço honra todos e todas os que fizeram a história

daquela que foi uma das principais empresas metalúrgicas do país e concretiza uma velha aspiração da comunidade Tramagalense. Localizado nas instalações dos antigos escritórios da MDF, junto à estação da CP, o investimento resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Abrantes, a Junta de Freguesia de Tramagal e o Grupo Diorama. O projeto envolveu a comunidade local através da doação de espólio, na partilha de histórias ou na identificação do acerco.

Do acervo agora público, nos espaços expositivos e documentais encontram-se parte de documentos da própria empresa; livros sobre a metalurgia, mecânica e agricultura; desenhos projetistas de impressionante precisão; diplomas de honra, prémios e distinções; fotografias, incluindo a própria máquina fotográfica que pertencia ao fotógrafo permanente da fábrica; algum mobiliário como a secretária e cadeira do próprio fundador da fábrica; estiradores, relógios de ponto e outros móveis pertencentes aos escritórios; material de escritório, como o porta selos, porta canetas, máquinas de escrever; componentes de laboratório de ensaios mecânicos; símbolos de marca da MDF, a Borboleta, entre muitas outros. O visitante é convidado a viajar no tempo e a sentir diferentes momentos da história da empresa, através dos testemunhos na pri-

meira pessoa ou de imagens que apoiadas por acervo físico e enquadradas por um discurso simples e direto, ilustram bem o legado ali preservado. Durante a visita, pode ser visionado um filme documentário com testemunhos de antigos trabalhadores, antigos administradores e elementos do clã Duarte Ferreira. Este projeto enquadra-se numa visão integradora e estratégica municipal de criação de uma nova rede polinuclear de equipamentos culturais (Museu Ibérico de Arqueologia e Arte, o Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida e a QuARTel da Arte Contemporânea de Abrantes, Coleção Figueiredo Ribeiro), associada à promoção do conhecimento de uma cartografia cultural e de uma agenda fortemente reconhecida na região. Junta-se ainda à estratégia do Turismo do Centro em alargar os

anéis de atração do património mundial (Alcobaça, Batalha, Coimbra e Tomar) a novas áreas de intervenção ligadas à valorização do edificado, do turismo cultural e de reabilitação do património religioso (Igreja de Santa Maria do Castelo e Igreja de São Vicente, enquanto projetos em curso).

/ HORÁRIO E CONTACTOS: De 4ª a domingo, entre as 14h30 e as 19h00, para o público em geral; Manhãs de 4ª a 6ª feira, para visitas guiadas e serviços educativos. Marcações: museumdf@cm-abrantes.pt T: 241 330 100 (TECLA 6 + OPÇÃO 3)

junho 2017 / jornal de abrantes

19


PUBLICIDADE


Feira do Tejo para todos os gostos e idades 9 a 13 de junho Amor Electro, Arregaita, Ana Laíns, Moonshiners, e Orquestra Ligeira do Exército são nomes confirmados para os cinco dias de festa no parque ribeirinho Dia 9 de junho | sexta-feira 09h00 | Passeio Pedestre “Almourol é ali ao lado” - partida do Centro Cultural às 09h00 18h00 | Abertura da Feira do Tejo - Parque Ribeirinho 15h30-18h30 | Workshop de Canoagem - Parque Ribeirinho (Clube Náutico Barquinhense) 18h00 | Inauguração da Exposição “Nós, vós, eles: failed strategies”, de Anni Katajamäki - Galeria do Parque 22h30 | MOONSHINERS, Concerto Musical - Palco Principal 00h00 | Ultrarock, Concerto musical - Palco Ribeirinho Dia 10 de junho | sábado 09h00|13h00 | Passeio fotográfico “Espírito do lugar” - partida do Centro Cultural às 09h00 09h00 | Turisalmourol_Caminhada + Descida de Canoas - Rio Tejo (Clube Náutico Barquinhense) 09h00 | 2.º Passeio Motard Trilha-Milhas - Avenida dos Plátanos (Grupo Motard das Limeiras) 14h30 | Concentração de Vespas “XV Concentração Vespalmourol” - Largo 1.º de dezembro (Vespa Clube de VNB) 15h00 | Workshop “Cactos populares” - Largo 1.º de dezembro (org: Ass. Pais ECV) 16h00 | Apresentação dos alunos da escola de música “Quadras e Partituras” – Centro Cultural 16h00 | Animação de rua XPTO - Parque Ribeirinho 16h00 | Arraial Popular “Dia aberto à comunidade” - Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova da Barquinha (SCMVNB) 15h-20h | Mascotes Parade - Parque Ribeirinho (Atelier Mona Martins) 15h30-18h30 | Workshop de Canoagem - Parque Ribeirinho (Clube Náutico Barquinhense) 15h30-19h | 12º Festival de Estrelas do Mar - Piscina Municipal (Federação Portuguesa de Natação) 17h00 | MegaDance Kids - Palco Santo António (Catarina Gonçalves, Sara Silva) 17h30 | Caminhada “Rota da Imperial” - Parque Ribeirinho,

partida do Centro Cultural (Essência da Partilha) 18h00 | Demonstração de Hip-Hop da Academia de Danças Modernas/Urbanas - Palco Santo António (Cir Ex-Tuna de Moita do Norte_Mariana Leitão) 18h00 | Trail Santo António - Parque Ribeirinho / Castelo de Almourol (Grupo Cicloturismo Barquinhense) 19h30 | Animação de rua XPTO - Parque Ribeirinho 20h30 | Festival de Folclore: Grupo Folclórico “Os Pescadores de Tancos”, Casa do Povo de Lanheses - Viana do Castelo, Grupo Folclórico “As Lavradeiras da Casa do Povo de Amares” -Braga, Rancho Folclórico “Mensageiros da Alegria” - Vila Nova do Ceira - Góis - Palco Santo António (Grupo Folclórico “Os Pescadores de Tancos”) 22h30 | AMOR ELECTRO, Concerto Musical - Palco Principal 00h00 | Royal Pandemonium, Concerto Musical - Palco Ribeirinho Dia 11 de junho | domingo 08h30 | Concentração de Vespas “XV Concentração Vespalmourol” - Largo 1.º de Dezembro (Vespa Clube de VNB) 10h-18h | 12º Festival de Estrelas do Mar - Piscina Municipal VN Barquinha (Federação Portuguesa de Natação) 11h00 | Zumba Familiar - Palco Santo António (Ass. Pais JI VNB) 12h30 | XV Encontro Antigos Escuteiros - Parque Ribeirinho (CNE - Agrup. 583) 14h00-20h00 | Visita ao CEAC - O que somos - Centro de Estudos de Arte Contemporânea 15h00 | Entrega de diplomas FOS + Atuação diversas turmas Auditório do Centro Cultural (Essência da Partilha) 15h-20h | Mascotes Parade - Parque Ribeirinho (Atelier Mona Martins) 16h00 | Animação de rua XPTO - Parque Ribeirinho 17h00 | Barquinha Saudosa - Palco Santo António 17h30 | Corrida de Toiros - Praça de Touros de Vila Nova da Barquinha

18h00 | Demonstração de ballet e karaté - Palco Santo António (Escolinha ABC) 20h00 | Animação de rua XPTO - Parque Ribeirinho 22h30 | ARREGAITA & CONVIDADOS, Concerto Musical - Palco Principal 00h00 | Fun2Rock, Concerto musical - Palco Ribeirinho Dia 12 de junho | segunda-feira 14h00-20h00 | Dia de pintura no Atelier “Ser artista por um dia” - Centro de Estudos de Arte Contemporânea 21h00 | Marchas Populares: Ass. Pais Escola Ciência Viva, Associação de Pais da EB1 de Praia do Ribatejo e do JI de Praia do Ribatejo, Associação de Pais do Jardim de Infância de Vila Nova da Barquinha, Fundação Dr. Francisco Cruz, Centro Social Paroquial de Atalaia - Palco Santo António 22h30 | ANA LAINS, Concerto Musical - Palco Principal 00h00 | FUNKOFF, Concerto musical - Palco Ribeirinho Dia 13 de junho | terça-feira 15h-20h | Mascotes Parade - Parque Ribeirinho (Atelier Mona Martins) 17h | Caudal: Linhas pintadas para ti, ó Tejo… intervenção artística por Marília Aquino - Parque Ribeirinho 15h30-18h30 | Workshop de Canoagem - Parque Ribeirinho (Clube Náutico Barquinhense) 18h00 | Sevilhanas Las Rocieras da Golegã - Palco Santo António 18h30-20h00 | Visita guiada às esculturas do Parque concentração junto ao Centro Cultural 19h00 | Missa em honra de St.º António, seguida de procissão - Igreja Matriz de Vila Nova da Barquinha 21h00 | Danças de Salão - AquaPalco (Clube União de Recreios de Moita do Norte) 22h30 | Orquestra Ligeira do Exército, Concerto Musical sincronizado com pirotecnia - Palco Principal junho 2017 / jornal de abrantes

21


ESPECIAL /Vila Nova da Barquinha

Pérsio Basso

Templários voltam a Almourol

/ Alexandre Farto (Vilhs) numa Assembleia com a comunidade barquinhense

ARTEJO leva arte às aldeias O projeto “Arte Pública Fundação EDP” está em implementação no concelho de Vila Nova da Barquinha. Trata-se de um programa de âmbito nacional, orientado para territórios de baixa densidade populacional, que pretende democratizar o acesso à arte e permitir o envolvimento da população em novas experiências culturais, bem como estimular o desenvolvimento local através da realização de intervenções artísticas em espaço público. “Este é um projeto de arte urbana pura que resulta da parceria que temos com a fundação EDP”, afirmou Fernando Freire, presidente da CM de VN da Barquinha, ao JA. O programa é implementado

através de parcerias com instituições e coletividades locais, sociais ou culturais. Cada projeto decorre em quatro fases: num primeiro momento já foram realizadas as Assembleias de apresentação do projeto à população. “Nestas assembleias os artistas propuseram as obras que vão construir e perceberam até que ponto há alguma recetividade por parte das populações. O objetivo foi pôr a nossa comunidade a interagir com os artistas e a deixar sugestões”, aludiu o autarca. “Quem é autarca tem de ter esta sensibilidade de ouvir as pessoas. Fazer politica também é isto, é envolver as pessoas a participarem na decisão”, acrescentou. Dentro em breve, os artistas

irão realizar as intervenções em espaço público e, numa última fase, decorrem as visitas guiadas às obras. No concelho de Vila Nova da Barquinha serão desenvolvidas 10 intervenções artísticas distribuídas por 4 freguesias, a cargo de artistas como Alexandre Farto (Vilhs), Manuel João Vieira, Violant e Carlos Vicente, entre outros. “Vão ser projetos muito interessantes, implementados em espaços de grande visibilidade pública”, fez notar.

O cenário medieval do castelo de Almourol vai acolher a segunda edição da “Festa Templária Almourol”, entre 9 e 10 de setembro. A iniciativa pretende recriar o ambiente vivido pelos templários na Idade Média, desde a alimentação, com a realização de um Festival de Cozinha Medieval, passando pelas armas, com demonstrações de esgrima da época, à indumentária, com várias figuras a pulular pela margem e ilha do castelo. Danças medievais, milícias templárias, dramatizações e feira de artesanato compõem o programa que promete fazer recuar no tempo os visitantes. “Este ano é a segunda edição. O ano passado, verificámos até que ponto seria importantíssima esta nova atividade em termos da vi-

Vila Nova da Barquinha acolhe ZêzereArts 2017

Tanegashima e Viriato chegam a Almourol

O ZêzereArts 2017 – Festival Internacional de Música no Património vai acontecer no mês de julho. O evento, que vai na sua sétima edição e que tem apostado na ligação da música ao património, conta com três espetáculos em Vila Nova da Barquinha. “Desde a primeira hora que VN da Barquinha tem-se solidarizado para esta temática da música clássica e também para a vertente do jazz, onde todas as sextas-feiras, de quinze em quinze dias, faz-se grandes sessões de jazz no concelho”, lembrou Fernando Freire. Do ZêzereArts 2017 são esperados espetáculos na Escola Ciência Viva a 22 julho, na igreja de VN da

Nos dias 14, 15 e 16 de julho, às 21h21, nas duas margens do rio em Tancos acontece o momento teatral “Tanegashima”. Segundo o presidente da Câmara Municipal, o momento retrata “a chegada da primeira arma ao Japão. Vai ser um espetáculo muito interessante, com fogo-de-artifício, integrado nos 500 anos do Foral de Tancos que vamos comemorar com grande dignidade”. A Junta de Freguesia de Tancos, em parceria com o Município, vai promover diversas iniciativas para assinalar os 500 anos do Foral de Tancos, no dia 17 de setembro. É esperada uma recria-

Barquinha a 24, e depois a encerrar a 28 em Almourol. A escolha do mês de julho partiu do interesse de reforçar a atratividade turística do património da região, assentando a programação na realização de cursos de coro e master classes direcionados a músicos nacionais, e sobretudo internacionais, que ficarão em residência no Convento de Cristo. “VN da Barquinha diferencia-se pela ciência e pela arte. E é muito importante que para além da música que nos invade no dia-a-dia, termos aqui algumas novas variáveis no âmbito artístico, muito apreciadas”, finalizou.

ção histórica da atribuição do foral, um concurso de fotografia “Tancos, Vila Florida”, um grande prémio - Almourol em atletismo, exposições, entre outras. Todos os sábados, a partir das 19h19, o castelo de Almourol vai contar com a peça de teatro “Viriato”. Em cena desde 1999, a peça, baseada no livro “A voz dos deuses”, tem a participação de dezenas de atores e figurantes e inclui a entrada em cena de grupos de cavaleiros a galope. O público é “convidado de honra no banquete do casamento do Viriato”, feito “à imagem dos da

sibilidade de Almourol. De facto, o castelo é um local espetacular para este tipo de eventos”, referiu Fernando Freire. “Durante um fim-de-semana são esperadas várias atividades de dança, momentos de recriação histórica, jantares e almoços medievais, onde as pessoas apresentam fatos da época medieval e há uma interação entre a população e os artistas. Em paralelo, acontece ainda um festival de gastronomia mediaval nos restaurantes do concelho”, referiu o presidente. A Festa Templária é uma organização do Município de Vila Nova da Barquinha em parceria com a ADIRN (Associação de Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte) e conta com o apoio do Exército Português.

época dos romanos, com carne assada, pão, vinho e fruta da época, servidos pelos atores e participantes”. O grupo “Fatias de Cá”, criado em Tomar em 1979, tem atualmente seis centros de produção teatral, em Tomar, Vila Nova da Barquinha, Chamusca, Constância, Coimbra e Lisboa, com mais de 100 membros (entre permanentes, regulares e pontuais), privilegiando as atuações, que incluem uma refeição com o público, em património construído e paisagístico.

junho 2017 / jornal de abrantes

23


ESPECIAL / Vila Nova da Barquinha

Plano de Ação de Regeneração Urbana faz nascer uma nova vila

“Temos de facto o melhor que existe no país” / Praça da República O centro histórico de Vila Nova da Barquinha está a mudar. Os investimentos públicos feitos nos últimos anos estão a ter impacto na regeneração urbana da vila, impulsionada pela iniciativa privada. Obras públicas como o Parque Ribeirinho, o Centro de Estudos de Arte Contemporânea, a Residência Temporária para Criadores, a remodelação do Centro Cultural e a criação do Posto de Turismo, a remodelação do Edifício dos Paços do Concelho e a criação da Galeria do Parque, a Galeria Santo António e implementação das esculturas no parque, valorizaram todo o tecido urbano. As intervenções financiadas pelos anteriores quadros comunitários provocaram novos investimentos já concretizados na área do turismo e atraíram novos moradores para a zona baixa. “De facto, Vila Nova da Barquinha tem uma situação privilegiada quer pela A23, quer pela estação ferroviária do Entroncamento (…) As pessoas privilegiam este território devido à sua pacatez e à qualidade de vida que encontram”, afirmou Fernando Freire, presidente da CM de VN da Barquinha. “Temos de facto o melhor que existe no país e há muita gente que assume isso. Aliás até munícipes de outros concelhos e outras pessoas que falam comigo o assumem com frontalidade. Qual é a opção por Vila Nova da Barquinha, porque é central e está perto de tudo”, fez notar. Mas a revolução ainda não está dada como terminada. Além dos estabelecimentos comerciais e das residências privadas em construção, o Município prepara-se para

24

jornal de abrantes / junho 2017

concretizar o Plano de Ação de Regeneração Urbana (PARU), no âmbito de uma candidatura ao Programa Operacional Regional – Centro 2020. O PARU inclui várias intervenções que prometem fazer da Barquinha uma vila nova, reabilitando também a Câmara Municipal, desta forma, vários edifícios devolutos. No Largo José da Cruz, junto à Loja do Cidadão vai nascer o futuro Ninho de Empresas de Vila Nova da Barquinha. Projeto atualmente em fase de concurso público que consiste na reabilitação integral de dois edifícios para instalação de start ups, um investimento de cerca de 470 mil euros. O futuro Ninho de Empresas será constituído por dez gabinetes, três espaços de co-working, uma sala de reuniões, uma sala de formação, uma zona de convívio (com copa), uma sala de empreendedorismo e secretariado, uma sala para Gabinete de Inserção Profissional e uma loja de produtos endógenos.

“Sabores do Tejo” abre portas dia 9 de junho Já em fase de conclusão, o “Edifício Joaninha”, antiga cantina escolar paredes meias com a Galeria Santo António, vai transformar mais um edifício devoluto num moderno estabelecimento comercial. Vai albergar uma loja de produtos endógenos derivados da produção local “Sabores do Tejo”, explorado em parceria com a Associação de Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte (ADIRN). Uma empreitada que deverá cifrar-se em cerca de 78 mil euros e entrar em funcionamento dia 9 de junho.

/ Projeto do Ninho das Empresas “Será uma loja dedicada aos produtos endógenos da região favorecendo todos. Pertencemos a uma comunidade, a uma estratégia e devido aos visitantes que temos, que são muitos, podemos aqui alocar e promover os nossos produtos. Aproveitamos para ter ali um espaço de degustação dos produtos regionais”, adiantou o autarca barquinhense. A Praça da República e a confinante Rua Pedro Álvares Cabral, às portas dos Paços do Concelho também vão ter cara lavada. Esta será uma zona pedonal, com a eliminação da circulação e estacionamento automóvel nestas vias. A remodelação da praça mais emblemática da vila vai custar cerca de 105 mil euros, estando o respetivo concurso público a decorrer.

A praça irá contar com uma nova visão “de modernidade, com uma nova filosofia. Vamos libertar a praça das árvores e colocar-lhe iluminação e esplanadas. Esta zona vai ser toda pedonal, os veículos vão deixar de passar, para que as pessoas possam aproveitar as esplanadas e divertirem-se”, aludiu o presidente. Ainda numa primeira fase de intervenções no âmbito do PARU, o Município de Vila Nova da Barquinha irá intervir na Rua da Misericórdia. A obra prevê a reformulação do arranjo paisagístico do interior do quarteirão, envolvente exterior e espaço entre quarteirões. Nesta zona será colocado novo mobiliário urbano e equipamento infantil e juvenil. Será ainda criada uma zona verde com área pedonal. Trata-se

de um investimento de cerca de 200 mil euros para rejuvenescer a zona alta da sede de concelho. Para uma segunda fase deste programa de financiamento fica a qualificação do Largo José da Cruz e do Largo do Marechal Gomes da Costa, uma operação de arranjo paisagístico orçada em cerca de 150 mil euros. A obra contempla a reformulação dos pavimentos, colocação de mobiliário urbano e uma escultura no Largo José da Cruz, criação de zonas verdes e arborização do espaço assim como o condicionamento do acesso automóvel. O investimento total da candidatura é de cerca de um milhão de euros, com comparticipação de 85% do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).


Telmo Leitão

DESPORTO /

A festa do futebol do INATEL foi em Fátima centenas de pessoas que se deslocaram à terra dos pastorinhos, onde o futebol foi nota dominante, com os tempos mortos a serem ocupados por animação e actividades lúdicas, contando com uma organização de excelência. A manhã iniciou-se com a final da Série 2, entre o Grupo Cultural Desportivo e Recreativo Bairrense (concelho de Ourém) e a Casa Povo de São Miguel do Rio Torto (concelho de Abrantes), com a vitória a sorrir aos homens do Bairro. Num dia extremamente quente, a meio da tarde tivemos a final da Série 1, entre as equipas da Associação Recreativa Cultural e Social Juventude União Figueirense (concelho de Coruche) e o clube organizador, com a taça a ir para

PUBLICIDADE

Chegámos ao fim de mais uma época desportiva recheada de estórias e histórias, de momentos altos e baixos, de memórias inesquecíveis e de outras para esquecer. A época para alguns até correu bem, para outros ficou a desilusão. O pano caiu nos diversos campeonatos de futebol no distrito de Santarém, com o do INATEL a ter o seu fim, no passado domingo dia 22 de maio, no Estádio Municipal Papa Francisco, em Fátima. A festa do futebol do ano 2017 teve a organização do Grupo Desportivo e Cultural de Seiça (concelho de Ourém) e da Fundação INATEL, com o apoio do Município de Ourém. Um evento que decorreu ao longo do dia, existindo um ambiente festivo e de confraternização entre as

Fazenda das Figueiras. Os jogos das finais foram marcados por festejos constantes em que os saltos, abraços, sprints dos jogadores para o lado dos adeptos, que descem apressados os degraus da bancada já de braços esticados, os gritos, os cânticos, a explosão de alegria daqueles que fizeram quilómetros para apoiar o clube da sua terra no momento do golo e depois na conquista. A conquista traz o espumante, o banho antes do banho, a manhã, a tarde a continuarem a ser, a noite a aguentar-se dia, até despejar-se tudo, um ano inteiro acumulado e recalcado. Do outro lado, os braços caídos, os olhos no chão, lágrimas, a cabeça por cima dos pulsos, assente em cima dos joelhos, todos sentados na relva,

caneleiras na mão, as palmadas de consolação no pescoço, nas costas, de adversários ou companheiros aparentemente mais resistentes à desilusão, a resignação leva a que as bancadas se esvaziem sem olhar para trás, injustas, tão injustas como o banho sem palavras. Estes momentos são vividos de uma forma que muitas vezes extravasa aquilo que é normal e racional porque há aqueles que nunca sentiram na pele as vivências do jogo, nunca calçaram umas botas de futebol e pensam saber mais de futebol que todos. Mas, felizmente, este foi um sentimento que apenas durou os instantes após o apito final. De seguida veio a cerimónia da entrega dos prémios, onde estive-

ram presentes várias personalidades ligadas aos municípios das equipas que disputaram as finais e que entregaram os prémios aos vencidos e vencedores. A alegria, a diversão e o convívio entre os jogadores das quatro equipas foram uma constante, com o plantel de S. Miguel do Rio Torto a assumir “as despesas” e a serem os verdadeiros Reis da Festa. Também foram entregues os prémios de melhor marcador, João Mourato da Casa do Povo de Rio de Moinhos e da equipa mais disciplinada, Casa do Povo de São Miguel do Rio Torto. O futebol do INATEL está de parabéns! Carlos Serrano

Fisabrantes

Centro de Fisioterapoia Unipessoal, Lda. Médico Fisiatra Dr. Jorge Manuel B. Monteiro

Comércio de artigos de cabeleireiro e estética Av. das Forças Armadas - Edifício. Sopadel, loja 10 ABRANTES . 241 371 386 abrantes@haircenter.pt

Fisioterapeuta Teresinha M. M. Gueifão

Terapia da Fala Dr.ª Sara Pereira Psicóloga Clínica Aconselhamento

Ana Lúcia Silvério

Audiologia / aparelhos auditivos

Dr.ª Helena Inocêncio

Acordos: C.G.D., SAMS, PSP, SEGUROS, PT - Consultas pela ADSE -------------------------------------------------Telef./Fax 241 372 082 Praceta Arq. Raul Lino, Sala 6, Piso 1 - 2200 ABRANTES

CHAMBEL

MÓVEIS E ELETRODOMÉSTICOS, LDA.

ANTÓNIO PIRES DE OLIVEIRA ADVOGADO

J. A. CARDOSO BARBOSA

ABRANTES: Rua de Santa Isabel, n.º1 - 1.º Dt.º - Tel.: 241 360 540 - Fax: 241 372 481 MAÇÃO: Rua Ten. Cor. P. Curado, 2 - R/c Dt.º - Telef/Fax: 241 519 060 - Fax: 241 519 069

A23 TORRES NOVAS

OTORRINOLARINGOLOGISTA

CHAMBEL

(Ouvidos, Nariz Garganta)

Consultas e Exames de Audição ESCRITÓRIOS:

Móveis em todos os estilos, e por medida.

Edifício Tejo/Sopadel, Sala 1 - 1.º Piso (Junto ao novo Terminal Rodoviário)

Marcação de Consultas pelo Telefone 241 363 111

ZONA INDUSTRIAL NORTE ABRANTES

SARDOAL

Via Industrial 1, Abrantes 241 098 114 . 967 135 840

A23 CASTELO BRANCO

junho 2017 / jornal de abrantes

27


CULTURA /

O Curso de Teatro como oficina para crescer

PUBLICIDADE

A primeira turma está quase a terminar o Curso Profissional de Artes do Espetáculo - Interpretação, ao nível do ensino secundário, na Escola Dr. Manuel Fernandes. Começou em 2014-15 e o diretor

28

jornal de abrantes / junho 2017

da Escola, Alcino Hermínio, refere que se destina tanto a quem faz uma opção por Artes, como a quem não se revê no currículo mais tradicional. Isilda Jana, diretora do curso, reafirma que “não é só para

formar artistas, pois dá ferramentas que são importantes em qualquer profissão: falar em público, saber colocar a voz, ser capaz de se expor… são coisas que os alunos aprendem aqui”. Por isso, diz, “é

um curso bom para alunos que andam um pouco perdidos, mas querem fazer o 12º ano. Até porque eles gostam daquilo que estão a fazer e conseguem fazer coisas que as pessoas apreciam e, assim, ter sucesso, porque é um curso que pede competências diferentes.” E considera que os resultados são positivos. “Quer na maneira como eles cresceram, no percurso que eles fizeram como pessoas, quer na qualidade do trabalho apresentado, por isso há já um público para as peças que eles representam. Ir para cima de um palco faz crescer qualquer pessoa, sobretudo se o resultado é positivo.” E no estágio que foram fazer em Ponte de Sor, no Teatro da Terra, onde representaram ao lado de atores profissionais, “gostaram muito deles”, garante a diretora do curso. A professora de “interpretação e movimento”, Teresa Baguinho, também considera que o curso tem tido resultados importantes. Desde logo nos alunos, “tanto como seres humanos, como enquanto artistas, ajudando-os no processo das descobertas próprias da idade e criando-lhes competências importantes. Deram um passo bastante grande. ” Além disso, nota que os professores da Escola, mesmo os que não são da turma de teatro, “vêm agora mais aos espectáculos, sinal de que se

sentem curiosos por aquilo que o curso faz. Os pais, ganhámo-los logo no primeiro ano.” E acredita mesmo que está a ter um efeito positivo na cidade. Carla Dias, professora de “voz” e “prática simulada”, afirma que tudo se deve ao facto de os alunos entrarem “muito motivados e a Escola ter dado boas condições para trabalharem.” E explica que “no início havia uma ideia errada sobre para que servia este curso: não é só para fazer teatro. Aqui há um crescimento de competências que não passam só pelo teatro, são ferramentas transversais a qualquer rumo que os alunos venham a seguir.” Por isso, diz, “temos esperança de que o curso vingue, apesar de não haver muitos alunos na região”. O que não aconteceu no ano passado, em que não houve alunos e o curso não abriu. “Talvez porque ainda não se vê com bons olhos um curso profissional”, admite a diretora do curso. Entretanto, estão em apresentação os últimos espetáculos do ano. Depois… nem todos os alunos querem seguir a vida artística, mas talvez coloquem um pouco mais de arte naquilo que escolherem ou no que a vida lhes proporcionar. Alves Jana


ISABEL LUZEIRO

Médica Neurologista/Neurofisiologista Especialista nos Hospitais de Universidade de Coimbra

Consulta de Neurologia, Dor, Patologia do Sono, Electroencefalograma (EEG) e Exames do Sono Centro Médico e Enfermagem de Abrantes Largo S. João n.º 1 - 2200 - 350 ABRANTES Tel.: 241 371 690

l

241 371 566

l

241 094 143


PUBLICIDADE

Profile for Miguel Ramos

JA edição de junho de 2017  

Jornal de Abrantes, Sardoal, Mação, Vila de Rei, Constância e VN Barquinha.

JA edição de junho de 2017  

Jornal de Abrantes, Sardoal, Mação, Vila de Rei, Constância e VN Barquinha.

Profile for migangelo
Advertisement