Page 1

IMUNIZAÇÕES Imunização ativa e passiva


IMUNIZAÇÕES IMUNIZAÇÃO É DEFINIDA COMO A AQUISIÇÃO DE PROTEÇÃO IMUNOLÓGICA CONTRA UMA DOENÇA INFECCIOSA.

Jenner e a varíola (1798) Pasteur e o cólera (1798)


IMUNIZAÇÕES IMUNIDADE PASSIVA

Transferência de anticorpos de uma pessoa para a outra. Tempo de duração curto

IMUNIDADE ATIVA

Produção de anticorpos contra um agente específico. Tempo de duração: variável especificidade

Imunidade ativa

Imunidade passiva

Imunologia Celular e Molecular, Abbas – 5ª edição

memória


IMUNIZAÇÕES

TIPOS DE IMUNIDADE PASSIVA ANTICORPOS MATERNOS (PASSIVA NATURALMENTE ADQUIRIDA) Sistema imune das mucosas (MALT)  Sistema linfóide do recém nascido –

Placas de Peyer

Glândula mamária

desenvolvimento.  Ac maternos: transferência placentária e o colostro (IgG e IgA)  Ig principal no colostro: IgA.  Proteção: Ag virais e bacterianos. Mãe: sistema imune MALT – células do intestino produtoras de IgA – migração,

circulação

colonização e produção de anticorpos local.

Imunobiologia, Janeway – 5ª edição


TIPOS DE IMUNIDADE PASSIVA

INJEÇÃO DE GAMAGLOBULINAS (PASSIVA ARTIFICIALMENTE ADQUIRIDA)  Transferência de Acs.  Vantagens: proteção imediata  Desvantagens: período curto, doença do soro


TIPOS DE IMUNIDADE PASSIVA

IMUNOTERAPIA ADOTIVA (PASSIVA ARTIFICIALMENTE ADQUIRIDA) Transferência de células imunes entre indivíduos geneticamente semelhantes Vantagem: especificidade Desvantagem: risco de AIDS, rejeição enxerto x hospedeiro (GvH) Leucemia e vírus

Bone Marrow Transplantation (2007) 40, 93–104

Câncer

Nature Reviews Cancer (2008) 08,


TIPOS DE IMUNIDADE ATIVA ORGANISMOS VIVOS ATENUADOS (ATIVA ARTIFICIALMENTE ADQUIRIDA)  Vantagens: Dose única, Proteção duradoura, Resposta Humoral/Celular  Desvantagens: Risco de reversão da patogenicidade, Pouca definição da composição

Vírus isolado de um paciente cresce em cultura humana

Vírus utilizado em cultura de células de macaco

Paciente 3 meses, após injeção BCG

Vírus adquire mutações que levam ao crescimento em células de macaco

Vírus não crescerá em células humanas e será usado como vacina.

Imunobiologia, Janeway – 5ª edição


VACINAS ATENUADAS Vacina contra a tuberculose (BCG) Vacina oral contra a poliomielite (tipo Sabin) Vacina contra o sarampo Vacina contra a rubéola Vacina contra a caxumba Vacina tríplice viral (contra sarampo/ caxumba/ rubéola) Vacina dupla viral (contra sarampo/ rubéola) Vacina contra a catapora (varicela) Vacina contra a varíola (ERRADICAÇÃO) Vacina contra a febre amarela


TIPOS DE IMUNIDADE ATIVA

ORGANISMOS MORTOS (ATIVA ARTIFICIALMENTE ADQUIRIDA) Aquecimento, tratamento químico (formol) ou físico (UV)  Vantagens: Não há risco de reversão e transmissão (indicação a imunodeficientes)  Desvantagens: Reforços Composição pouco conhecida Patógeno cultivado in vitro Principalmente resposta Humoral Adjuvantes


Comparação Sabin x Salk (vacinas contra a poliomielite)

Albert Sabin

Jonas Salk Vacina contra o pólio – intramuscular – linfonodos.

Vacina com vírus mortos- produção de IgG – menos eficiente

Mistura de vírus atenuados – reprodução no intestino

Produção de IgA onde a proteção é necessária

Levinson& Jawetz, Microbiologia e Imunologia Médica, 7ª ed.


VACINAS INATIVADAS Vacina contra polio (tipo Salk) Vacina tríplice bacteriana (Difteria, Tétano e Coqueluche) Vacina Dupla (contra Difteria, Tétano) Vacina contra hepatite A Vacina contra hepatite B Vacina combinada contra as hepatites A e B Vacina contra o Haemophilus influenza b Vacina contra a doença meningocócica Vacinas contra a doença pneumocócica Vacina contra a Gripe (vírus influenza)


TIPOS DE IMUNIDADE ATIVA

SUBUNIDADES DE ORGANISMOS (ATIVA ARTIFICIALMENTE ADQUIRIDA) Fragmentos Antigênicos Vantagens: Composição conhecida,Produção em larga escala, Sem risco de patogenicidade. Desvantagens: Resposta humoral, Reforço, Adjuvantes

University of South Caroline – School of Medicine


TIPOS DE IMUNIDADE ATIVA

Tox贸ides Difteria (Corynebacterium diphtheriae)

Coqueluche/tosse comprida (Bordetella pertussis)

T茅tano (Clostridium tetani )


ADJUVANTES  Substancia distinta do Ag que aumenta a ativação de linfócitos T ( acúmulo de leucócitos).  Utilização para Ags fracos Tipo de adjuvante

Uso humano

Mecanismo de ação

Sais de alumínio (hidróxido)

Sim - vacina DTP

 Depósito no local injetado Formação de granuloma Estímulo antigênico prolongado (liberação contínua do Ag)

Adjuvante de Freund

Não

 Ag. em sol. Aquosa – liberação lenta Óleo mineral – resposta inflamatória local Ag: M. tuberculosis inativado

Lipossomas (vesículas de bicamada lipidica)

Sim

Formação de depósito Liberação de Ag. Preservação do Ag

Microesferas

Não

Interação com macrófagos Formação de depósito local Proteção do Ag Dose única


Vacina Ideal • Segurança • Proteção duradoura • Indução de anticorpos neutralizantes (ex. poliovirus x neurônios) • Baixo Custo • Fácil estocagem (Temp. ambiente) • Dose única


Doenças ainda sem uma vacina efetiva Algumas doenças para as quais não vacina efetiva Doença

Mortalidade anual estimada

Incidência Anual estimada

Malária Esquistossomose Verminoses (outras) Tuberculose Diarréia bacteriana Doenças respiratórias HIV/AIDS Sarampo Imunobiologia, Janeway – 5ª edição


Referências bibliográficas Imunologia Celular e Molecular – Abbas, 5ª edição Capítulo 14 – Fundamento de Imunologia – Roitt, 10ª edição Capítulo 14 – Imunobiologia – Janeway, 5ª edição

Imunologia e parasitologia aula 03 imunizações  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you