Page 1

Quinta da Confusão – O nascimento de um império Os animais que sabiam do destino dos 3 cartógrafos, 4 horas e meia após a sua partida, começaram a inquietar-se. Seria normal eles demorarem tanto tempo na exploração que queriam fazer? Ou ter-lhes-ia acontecido algo de mal que impedisse o seu regresso? Alguns acharam que eles insistiram na exploração, mas outros preferiam tentar encontrá-los. Assim, subiram para os cavalos e começaram a procurar na região. Os 3 cartógrafos haveriam de estar nalgum lado, e os animais que andavam à sua procura sabiam que mais tarde ou mais cedo os encontrariam.

21:30 Os animais que partiram à procura dos 3 cartógrafos regressaram à Quinta da Confusão, sem os terem conseguido encontrar. Sabiam que eles tinham partido para este, portanto focaram-se nessa mesma direcção para as suas buscas. Porém, ao fim de 10 km de caminho e de algumas horas de procura decidiram parar, pois os 3 cartógrafos tinham partido a cavalo e decerto estariam muito longe naquela altura. No regresso, porém, descobriram uma nova quinta: a Herdade dos Ovos. Os animais, sabendo das experiências da descoberta da Quinta da Perfeição, tiveram cuidado ao entrar na quinta. Tinham a vantagem de ser noite, pelo que puderam andar facilmente na zona. A Herdade dos Ovos era uma quinta muito povoada, tendo centenas de habitantes, e pelo menos a largura era igual à da Quinta da Confusão, 500 metros, uma vez que os animais não tinham andado por toda a quinta. Havia uma feira (por cima da qual vivia o presidente da Herdade dos Ovos) e dois abrigos nocturnos, para além de uma mina de carvão. Os animais não tinham visto mais nada, porque entretanto decidiram regressar à Quinta da Perfeição. Na viagem, calcularam que a distância entre a Herdade dos Ovos e a Quinta da Confusão era de 3 km, portanto 7 km ao todo dessa quinta à Quinta da Perfeição. A descoberta foi então adicionada pelos cientistas fabricantes de instrumentos aos mapas que a Quinta da Confusão possuía. Ao empreenderem a viagem em busca dos 3 cartógrafos, os animais que a fizeram compreenderam então porque motivo eles não tinham voltado. Se podiam continuar em frente, se tinham condições para avançar e explorar mais territórios, para quê voltar para trás? Certos de que eles estariam algures por aí, explorando novos territórios que divulgariam à Quinta da Confusão no regresso, os animais voltaram aos seus trabalhos e deixaram de se preocupar com eles. A jornada que tinham feito até servira para descobrir uma nova quinta e tudo. Para juntar à notícia da descoberta da Herdade dos Ovos, correu a notícia de que finalmente a Mina de Carvão da Quinta da Perfeição, situada 1 km a oeste da quinta, fora finalmente encontrada. As buscas para encontrar a mina tinham sido pouco a pouco abandonadas, até que um

188


Quinta da Confusão – O nascimento de um império animal decidiu retomá-las e conseguiu por fim encontrar a mina. Todas as minas da Quinta da Perfeição estavam agora descobertas e a ser exploradas pela Quinta da Confusão, uma vez que rapidamente houve animais que foram explorar a mina para dar ao império o carvão que este queria.

Império da Quinta da Confusão Quintas (2) – Quinta da Confusão e Quinta da Perfeição Minas de Ferro (1) – Quinta da Perfeição Minas de Ouro (1) – Quinta da Perfeição Minas de Carvão (1) – Quinta da Perfeição Área: 1 km2

Ilustração 21 – Mapa do Império da Quinta da Confusão em finais do Dia 7. Legenda: Vermelho – Quinta da Confusão; Verde – Quinta da Perfeição; Cinzento – Mina de ferro; Preto – Mina de carvão; Amarelo – Mina de ouro; Azul-escuro – Ribeira; Castanho – Nascente da ribeira; Tracejado – Estrada Quinta da Perfeição – Quinta da Confusão (construção em decurso)

O carvão, devido ao seu poder calorífico, teve grande sucesso entre os animais. Ambas as feiras do império registaram quebras na procura da madeira, mas por ser mais barata do que o carvão continuou a ter uma procura satisfatória. Assim, carvão e madeira alimentavam centenas de fogueiras espalhadas pelas duas quintas do império, que iam poluindo o ar com dióxido de carbono. Mas a ecologia era um tema desconhecido para os animais: alguns deles tinham ouvido os donos falarem no aquecimento global, no aumento do efeito de estufa e no dióxido de carbono, mas como não sabiam o que isso era não ligaram ao assunto depois de se terem tornado animais racionais. Assim, foram queimando o carvão altamente poluente nas fogueiras do império, e libertando mais CO2 para a atmosfera.

23:00 Depois de 15 horas de trabalho, os animais decidiram que era altura de ir dormir. Em comparação com o dia anterior, o Dia 7 tinha sido muito mais calmo, sem guerras nem batalhas. Assim, até porque a feira da Quinta

189


Quinta da Confusão – O nascimento de um império da Perfeição já estava fechada havia 1 hora, os animais aos poucos foram parando de trabalhar e indo dormir, quer fosse no abrigo nocturno da quinta quer fosse em carruagens. Os trabalhadores da estrada Quinta da Perfeição – Quinta da Confusão também decidiram parar as obras e retomá-las no dia seguinte, mas como o abrigo nocturno já estava cheio deitaram-se ali mesmo. A estrada de terra batida, lisa e sem pedras, raízes ou neve, era sem dúvida um local melhor para dormir do que o campo, pelo que os animais não tardaram a adormecer. Assim, ao menos já estavam no local de trabalho para retomarem as obras assim que acordassem. Após 10 horas de treino, os 4 oficiais das Forças Armadas da Quinta da Confusão acharam que já tinham treinado o suficiente os recrutas. Com efeito, estes estavam cansados e com sono após tantas horas de corrida, lutas simuladas e outros exercícios e o que mais ambicionavam era irem para os quartéis dormir uma noite de sono merecida. Os oficiais cederam. Também eles estavam cansados, e nenhum deles já sabia o que fazer mais para treinar os novos soldados profissionais do império. Assim, deram os treinos por concluídos. A partir desse momento, a Quinta da Confusão tinha já 250 soldados profissionais para a defender, entre os quais estavam os seus 4 oficiais. Estes escolheram então mais um, para ser o Comandante da Artilharia (os restantes eram o Comandante da Infantaria; o Comandante da Cavalaria; o Comandante Supremo do Exército e o Comandante Supremo da Marinha), e em seguida ordenaram às tropas que os seguissem rumo aos quartéis. Os soldados, animados por finalmente irem dormir, seguiram os seus oficiais. Os quartéis, pela primeira vez desde que foram construídos, receberam os soldados a que se destinavam, dois por camarata. Estes tiraram o peitoral e o cinto e deitaram-se, não tardando a adormecer depois de 10 horas de treinos militares. Mal sabiam eles, porém, que no dia seguinte lhes esperaria o confronto contra um país poderoso, um país imensamente povoado e com uma arma devastadora para a qual a Quinta da Confusão não tinha nenhuma defesa.

23:30 Onze e meia da noite. Todos os habitantes do Império da Quinta da Confusão, incluindo os touros, estavam deitados. Alguns ainda não tinham adormecido, mas mesmo assim esforçavam-se por se entregar ao sono e só despertar no dia seguinte. Entre os animais que estavam nessa situação encontravam-se dois dos membros do antigo Grupo de Oposição ao Touro, extinto em meados do Dia 6 com o fim da III Guerra dos Animais. Um deles, ao ver que não tinha sono, começou a falar discretamente com o outro animal, até que decidiram convocar de novo o Grupo de Oposição ao Touro. Era preciso alguém para tirar os dois touros da capital do império, e

190


Quinta da Confusão – O nascimento de um império não havia ninguém melhor preparado para isso do que o Grupo de Oposição ao Touro. Com efeito, os seus 5 membros já tinham a experiência do confronto contra o touro da III Guerra dos Animais, experiência essa que não tinha sido agradável para nenhum dos animais. Os outros 3 membros do grupo, que estavam a dormir em carruagens, aceitaram com agrado o regresso do Grupo de Oposição ao Touro. Assim, subiram para carroças pertencentes a dois dos membros do grupo e, munidos com cordas, encaminharam-se para a Quinta da Confusão. Encontrar os touros não seria tarefa fácil: haviam 50 hectares de terreno onde procurar, e o facto de os touros serem negros e de não se verem bem de noite ainda dificultava mais a tarefa. Mas o grupo era persistente, de modo que os seus membros se separaram à entrada da Quinta da Confusão para começarem a procurar os touros. Cada carroça seguiu por onde os seus ocupantes bem entenderam, iluminada apenas por duas tochas que consistiam na única fonte de luz dos animais para além do luar. Durante alguns minutos, os animais vaguearam pela Quinta da Confusão em busca dos touros, sem sucesso. Haviam vários rastos de pegadas no chão, indício de que os touros teriam andado pela quinta durante horas, e mesmo marcas maiores e mais profundas na neve nos locais onde os touros tinham parado para dormir. As pegadas eram tantas que os animais as ignoraram, pois tanto podiam ter minutos como horas de existência. Por fim, quando as duas carroças estavam próximas uma da outra, os membros do Grupo de Oposição ao Touro depararam-se com os dois corpulentos touros que haviam afugentado os animais da Quinta da Confusão. Dois negros e possantes animais, que repousavam lado a lado sem se terem apercebido de que tinham companhia. O grupo tinha agora um problema: como prender os touros sem que estes acordassem? Os animais perceberam que não tinham outra alternativa senão acordar os touros, e prendê-los assim que estes se levantassem. A estratégia era arriscada: bastava que um dos touros conseguisse escapar para terem pela frente horas de árdua luta, tal como se sucedera na III Guerra dos Animais. Porém, não tendo outra hipótese de libertar a capital do império dos touros, os animais foram em frente. Para sua sorte, tudo correu bem. Os touros foram acordados com gritos, e mal estes se levantaram os animais atiraram-se a eles com as cordas e ataramlhes as patas. Depois ergueram-nos e, com grande dificuldade, conseguiram embarcá-los nas carroças. A parte mais difícil já estava então feita, restava agora ir para Carrazeda de Ansiães entregar os touros às autoridades. Foi o que os animais fizeram. Subiram para as carroças e arrancaram, alcançando a capital do concelho ao fim de alguns minutos de caminho. Mas a esquadra da polícia estava fechada, pelo que os animais decidiram pernoitar ali mesmo. Estacionaram as carroças em frente à esquadra e ali mesmo passaram a noite. No dia seguinte logo despachariam os touros.

191


Quinta da Confusão – O nascimento de um império

Saldo do Dia 7 População e densidade populacional 490 350

375

515

410

490 515 350 375

410 Densidade populacional

30 10 :0 0 11 :0 0 13 :0 0 18 :0 0

População

550 500 450 400 350 300 250 200 150 100 50 0 0:

550 500 450 400 350 300 250 200 150 100 50 0

0:30 10:00 11:00 13:00 18:00

Saldo da população: +165 habitantes Saldo da densidade populacional: +165 hab.\km2

192

26-Liberta-se uma quinta, descobre-se outra, defende-se outra  

Páginas 188 a 192

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you