Page 77

Placas de Gesso Acartonado Placas de gesso contendo fibra de vidro, e, em alguns casos, vermiculita incorporada. Assim como a argamassa “cimenticious”, o gesso da placa perde moléculas de água de hidratação durante o aquecimento, mantendo baixa a temperatura do aço. Têm, internamente, uma malha de fibra de vidro, que mantém o conjunto esruturado quando exposto às elevadas temperaturas do incêndio. A placa é mantida, de modo geral, visível em estruturas, por motivos estéticos. Placas de Lã de Rocha São painéis de baixa densidade, rígidos ou flexíveis, feitos de materiais fibrosos, aglomerados pela adição de resinas termo-endurecíveis. A matéria-prima básica utilizada na confecção das placas é o basalto. São fixadas com pinos de aço soldados à estrutura metálica. Mantas Cerâmicas Produtos formados a partir de fibras silico-aluminosas, presas à estrutura através da utilização de pinos de aço soldados na estrutura. Tintas Intumescentes Correspondem ao terceiro grupo genérico de materiais de proteção passiva e são classificados como produtos aparentados das tintas. Seu nome deriva do verbo latim tumescere, que significa iniciar, expandir. Em situação de o incêndio, essas tintas especiais se expandem a partir de 200 C, formando uma espuma carbonácea rígida que isola eficientemente os gases quentes, gerados no incêndio, do aço. É importante ressaltar que as propriedades do aço não são alteradas a essas temperaturas. Antes da aplicação dessa tinta especial, a superfície deverá ser preparada conforme recomendações do fabricante, e um primer compatível deverá ser aplicado. Como essa tinta não apresenta grande resistência química e física, ela deve ser recoberta por uma tinta de acabamento de base acrílica ou poliuretânica, a critério do produtor (da tinta). Essa tinta pode ser aplicada a pincel, rolo ou spray (airless), e a aparência final do sistema (primer epoxídico, acrílico ou alquídico, tinta intumescente e tinta de acabamento acrílica ou poliuretânica) é sempre muito boa. Detalhes complexos podem ser facilmente recobertos e a manutenção é, como toda pintura, bastante facilitada. As tintas intumescentes têm, como principal vantagem, o apelo estético, permitindo que a estrutura seja exposta em toda sua plenitude, mostrando um acabamento atraente. As principais desvantagens das tintas intumescentes são o custo elevado quando comparado às outras formas de proteção e à aplicação on site, que requer condições atmosféricas favoráveis (além de necessitar várias demãos para atingir a espessura necessária). Outra desvantagem é que o tempo de proteção apresentado pela maior parte destas tintas não vai além de 60 minutos. Um número limitado de tintas intumescentes pode ser usado por períodos mais longos, tais como 90 e 120 minutos, mas o custo total é consideravelmente mais elevado do que a aplicação para 60 minutos.

88 COLETÂNEA DO USO DO AÇO

2-manuais_corrosao  
2-manuais_corrosao  

Volume 2 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Fábio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 2004 2ª Edição Colaboração: Carlos Gaspar - Revisão Andréa Vicentin -...

Advertisement