Page 22

2.2.2 - Corrosão Localizada Este fenômeno ocorre, diferentemente da corrosão uniforme, quando o metal é colocado em presença de um ambiente não homogêneo. Estas diferenças podem advir de múltiplas origens, tanto ao nível do material (ligas multifásicas, presença de inclusões, defeitos localizados em revestimentos protetores, pares bimetálicos, etc) quanto ao ambiental (variação local de composição química, de pH ou da temperatura). 2.2.2.1 - Corrosão Galvânica A corrosão galvânica é uma das formas mais comuns de ataque em meio aquoso. Como o próprio nome indica, ela resulta da formação de uma pilha, promovendo um ataque localizado em um dos componentes do par. A figura 13 exemplifica este conceito. As regiões onde acontecem as reações anódica (a corrosão metálica) e catódica (redução do oxidante) são espacialmente distintas. Como mencionado anteriormente, esta seletividade das reações é devido às heterogeneidades existentes no material, no meio ou nas condições físicoquímicas da interface. Figura 13 - Mecanismo básico da corrosão galvânica ELETRÓLITO

O2

OHMe

z+

H 2O e-

ANODO

CATODO

MATERIAL HETEROGÊNEO Cada metal ou liga pode ser caracterizada pelo seu potencial de corrosão. Torna-se possível, deste modo, estabelecer o que se chama de série galvânica17, que fornece, para um meio considerado, uma classificação de diferentes metais e ligas segundo seu potencial de corrosão medido experimentalmente. A partir destas indicações, torna-se possível estimar a pilha que será criada pelo acoplamento elétrico dos dois metais diferentes. Observa-se o aumento da velocidade de corrosão do metal menos nobre (aquele que possui o menor potencial de corrosão) e uma diminuição da velocidade de corrosão do metal mais nobre (o que apresenta o 18 maior potencial de corrosão) naquele dado meio . 17 A série galvânica é uma série prática, experimental, obtida para diversos metais ou ligas mergulhados em um determinado eletrólito, como, p.ex.: a água do mar. 18 É importante ressaltar este conceito: antes do acoplamento elétrico, cada metal ou liga possui sua velocidade de corrosão, inerente a dado meio. Entretanto, após a conexão, um dos metais sofre um aumento em sua velocidade de corrosão, enquanto que o outro sofre uma diminuição em sua velocidade de corrosão. Isto significa dizer que um metal ou liga protege o outro, sacrificando-se. Daí vem o termo anodo de sacrifício.

27 COLETÂNEA DO USO DO AÇO

2-manuais_corrosao  
2-manuais_corrosao  

Volume 2 COLETÂNEA DO USO DO AÇO Fábio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 2004 2ª Edição Colaboração: Carlos Gaspar - Revisão Andréa Vicentin -...

Advertisement