Issuu on Google+

m

i

c

r

o

c

h

i

p

Abril 2003 Nº 4

MicroChip ONLINE

Conversas com Francisco José Viegas

O nosso microchip já está online. Com o Boletim Informativo queremos acima de tudo, manter toda a comunidade escolar informada do que vai acontecendo nesta escola que não é de ninguém mas é de todos. Queremos divulgar acontecimentos e actividades sejam eles da iniciativa dos professores, dos alunos ou dos funcionários. Queremos envolver todos vós no desenvolvimento de uma escola que, esperamos, adquira uma imagem com a qual todos se honrem e identifiquem e com a qualidade que se impõe na formação de jovens e profissionais, prestando assim um contributo válido para uma região e sociedade que legitimamente por ele anseia. A redacção do Microchip, através do professor Paulo Gonçalves, responsável por este projecto, estará pois de portas abertas para receber todas as sugestões e críticas que concerteza serão construtivas e enriquecedoras.

No dia 20 de Março este presente na nossa escola o escritor Francisco José Viegas. Um encontro com a comunidade escolar integrado nos encontros “Conversas com escritores”, promovido pela editora ASA.Francisco José Viegas nasceu em Vila Nova de Foz Côa em Março de 1962. Foi colaborador de vários jornais e revistas, e autor de programas de televisão como Escrita em Dia, Ler para Crer, Falatório, Prazeres, Um Café no Majestic ou Avenida Brasil. Actualmente, depois de ter dirigido a revista Ler durante treze anos, é director da Grande Reportagem e colunista do Jornal de Notícias e da Elle. A sua obra é considerada uma das mais inovadoras dos anos oitenta e noventa, ao conciliar géneros aparentemente tão diversos como o romance policial e a poesia. Parte da sua obra está já traduzida na Alemanha. Reproduzimos aqui algumas respostas do autor: Em criança, quais foram os livros que o http://www.microchip-essb.web.pt marcaram? Em criança, que me lembre, a partir dos sete ou oito anos, lia o que me aparecia. Aqueles que mais me ajudaram a criar o gosto pelos livros são – como o recordo hoje – os romances de Júlio Dinis, A Cidade e as Serras de Os Departamentos de Ciências Humanas e de Economia e Gestão Eça (que ainda hoje é promovem, durante o mês de Abril, o Concurso de Fotografia “A um dos meus dois Nossa Terra e as Nossas Gentes”, ao qual pode concorrer toda a livros de cabeceira, juntamente com A comunidade escolar. Este concurso visa desenvolver a criatividade, Brasileira de Prazins, de o sentido estético, a capacidade de observação do meio e sensibilizar Camilo), Seis Semanas os jovens para a preservação do património. em Balão e Viagem ao Centro da Terra, de Júlio Verne, as “obras

Concurso de Fotografia

Área Escola 12ºC

O nosso projecto de ÁreaEscola intitulado “Os 75 anos da escola”, tendo em conta a comemoração das bodas de diamante da nossa escola, consistiu em realizar uma página para colocar num “site” na Internet. Este site faz o historial na nossa escola dos cursos de Mecânica e Electrotecnia/ Electrónica. Cronologia, Destaques, e Fotos são algumas das informações que se podem aqui encontrar.

http://essbarea.com.sapo.pt

completas” do major Alvega (aliás, Jaime Eduardo de Cook e Alvega, aviador luso-britânico, segundo a “biografia oficial”), e uma série de livros avulsos que hoje não recordo, mas que sei que foram importantes. Acho que deixei de ser criança quando li o Miguel Strogoff, de Júlio Verne, e Olhai os Lírios do Campo, de Erico Veríssimo. O mundo nunca mais foi o mesmo. Lembra-se do primeiro livro que leu? Não, evidentemente. Mas um dos primeiros que li – e desse sim, recordo-me bem – foi A Ilha do Tesouro, a que se seguiu Ivanhoe, por cautela paternal, creio. Que livro sugeria a um amigo? Um clássico: do Tristram Shandy, de Sterne, ao Saga Fuga de JB, de Ballester, aí uns cinquenta – nunca conseguiria escolher um título. E o que anda a ler? Acabei de ler O Beijo de Esaú, de um escritor israelita chamado Meir Shalev – recomendo-o, é fabuloso. Também terminei a leitura de Inferno, da brasileira Patrícia Melo, e de A Festa do Chibo, de Vargas Llosa. Agora estou a ler um ensaio, A Ingratidão, de Alain Finkielkraut, e o mais recente de Mario Delgado Aparaín, publicado pela ASA.

Departamento línguas Estrangeiras O Departamento de Línguas Estrangeiras dinamizou várias actividades durante o mês de Março. Iniciou com o Peddypaper “Play and Fairplay”, os dias da gastronomia francesa (dia 10) e Alemã (dia 17) e ao longo do mês estiveram patentes exposições relacionadas com as culturas Inglesa, Francesa e Alemã no átrio de entrada da escola. Integrado nestas exposições o grupo de Francês organizou um concurso acerca da sua cultura.


Cada vez mais em menos No mundo da informática, o espaço é cada vez menos uma preocupação. A última invenção no espantoso mundo da nanotecnologia, chama-se Millipede e foi desenvolvida por pesquisadores da IBM Imagine-se um selo. Sim, um simples selo dos correios. Numa superfície idêntica, foi agora conseguida uma densidade de armazenamento de dados na ordem do bilião de bits. Muito, para uma área com pouco mais de dois centímetros quadrados. “Millipede” utiliza milhares de agulhas com uma escala nanométrica. Estas agulhas fazem cortes numa banda de plástico, em vez da utilização habitual dos instrumentos magnéticos ou electrónicos para o armazenamento de dados. O resultado é surpreendente. Nada mais nada menos do que uma nova versão, à escala nanométrica, dos antigos cartões perfurados dos primeiros tempos dos computadores. Para além disto, o sistema necessita menos energia do que os sistemas tradicionais de armazenamento de dados e é regravável. E assim se avança na fórmula de uma nova máxima que parece querer impor-se nos dias de hoje : cada vez mais em menos. Resta saber se será este o caminho do futuro.

Endiel 2003 A ANIMEE Associação Portuguesa das Empresas do Sector Eléctrivo e Electrónico vai, mais uma vez, promover a ENDIEL 2003 - 13º Encontro para o Desenvolvimento do Sector Eléctrico e Electrónico de 27 a 31 de Maio , FIL - Feira Internacional de Lisboa, no Parque das Nações em Lisboa. Num mundo em que as tecnologias da electrónica e da informação invadem o nosso quotidiano constituem indubitavelmente factores de modernização e progresso. Sendo a Endiel 2003 (Encontro Nacional para o Desenvolvimento das Indústrias Eléctricas e Electrónica) uma importante mostra destas indústrias a nível nacional, numa altura em que se esbatem as fronteiras tradicionais e se promove a multidisciplinaridade. Estando, hoje em dia, as tecnologias da informação em rápido desenvolvimento e implementação não pode, naturalmente, a Endiel ’2003 deixar de lhe dar o devido relevo. Permitindo dar um imagem tão real quanto possível do enorme desenvolvimento que este sector já, hoje, revela em Portugal.

Festival Nacional de Robotica 2003 Iniciativa de um conjunto de docentes do Instituto Superior Técnico, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e das Universidades do Minho e Aveiro, o Festival Nacional de Robótica teve a sua 1ª edição em 2001, em Guimarães e pretende divulgar a Ciência e a Tecnologia junto dos jovens dos ensinos básico, secundário e superior, bem como do público em geral, através de competições de robots. O Festival decorre todos os anos numa cidade distinta e inclui ainda um Encontro Científico onde investigadores e empresários nacionais na área da Robótica se reúnem para apresentar os mais

recentes resultados da sua actividade A 3ª edição do Festival Nacional de Robótica terá lugar em Lisboa, de 8 a 11 de Maio 2003, será organizada pelo Instituto Superior Técnico, e vem na sequência do grande sucesso da 2ª edição, que ocorreu em Aveiro. O tema principal será o Futebol Robótico, já que o Robótica 2003 servirá de ensaio para a organização nacional do RoboCup 2004. Estarão presentes a liga dos robots médios, dos robots pequenos e o RoboCup Junior (futebol e dança). Para além destas classes, manter-se-ão as já tradicionais classes de competição para Universidades e Institutos Politécnicos (UIP) e Escolas Secundárias e Profissionais (ESP).

Recuperação na indústria de tecnologias ameaçada pela guerra no Iraque A Guerra no Iraque foi considerada pelos quadros superiores das empresas europeias de tecnologia como uma das três principais ameaças à recuperação no mercado das tecnologias de informação. O estudo foi realizado pela Eurocom PR Network em Fevereiro e abrangeu perto de 150 executivos em empresas tecnológicas de 12 países europeus e ainda do Médio Oriente e África do Sul. Perto de 60 por cento dos inquiridos no âmbito deste trabalho referiu a Guerra como uma das três principais ameaças à recuperação económica do sector, sendo que 26% a identificaram como a principal ameaça. Em segundo e terceiro lugar os executivos identificaram a depressão económica nos Estados Unidos e a recessão global como factores que podem levar a uma retoma mais lenta do sector. “Se as hostilidades em curso forem suficientemente longas para começar a impactar negativamente as economias global e americana então a indústria tecnológica sofrerá um duplo revés devido à importância global do mercado norteamericano para o sector tecnológico”, explicou Alexandre Cordeiro, presidente da C&C - Consultores de Comunicação, o parceiro português da Eurocom PR Network, em comunicado. O nervosismo e a incerteza sobre a situação do Iraque está a atrasar as tomadas de decisões nas empresas o que é considerado mais uma barreira à recuperação, embora não a principal,

referiu também Tom Burgess, CEO e fundador da Eurocom PR Network. A empresa prevê anunciar em breve mais detalhes dos resultados globais deste estudo, que incluirão uma visão dos executivos das empresas tecnológicas da Europa, Médio Oriente e África sobre quando prevêem o início de uma recuperação do mercado das TIs. São também tema desta análise as tecnologias com maior probabilidade de promover o crescimento futuro, as expectativas sectoriais em matéria de emprego e de volume de negócios para os próximos 12 meses bem como sobre que país ou países melhor posicionados para se tornarem o “Silicon Valley” da Europa.

Passatempo

Ficha Técnica Coordenação, paginação, ilustração, redacção e processamento de texto: Prof. Paulo Gonçalves Colaboração: Alunos do 11ºD e Alunos do 12ºC. Colaboraram nesta edição: Prof. Maria da Luz, Prof. Benilde Petiz Exemplares publicados: 150 Escola Secundária Soares Basto (403003) 3720 Oliveira de Azeméis Telefone: 234600590 Email: essbee@sapo.pt


Uchip4