Issuu on Google+

O Microchip Ano 4 Maio 2006 n.32 Intranet - Versão Beta

A página da Intranet já se encontra acessível na sua versão Beta. Neste momento, apenas o módulo de Recursos se encontra disponível, juntando-se às Avaliações. (Este módulo já estava online desde o final do 2º Período). Contamos, nesta fase, que os professores disponibilizem fichas de trabalho, apontamentos, testes, etc... aos seus alunos, incentivando ao uso deste novo recurso.

Programa mais exigente a partir de Setembro O Ministério da Educação pretende imprimir um grau de complexidade mais elevado aos programas de informática para professores, no próximo ano lectivo. O objectivo é que, depois da formação básica em TIC - Tecnologias da Informação e Comunicação, os docentes sejam capazes de elaborar uma página na Internet, sobre a escola, por exemplo, e de a ir actualizando, de acordo com as necessidades.

Festival Nacional de Robótica 2006 De 28 de Abril a 1 de Maio, Guimarães foi a capital nacional da robótica. No Pavilhão Multiusos desta cidade realizou-se o ROBOTICA’2006 – Festival Nacional de Robótica, que juntou alunos de escolas básicas, escolas secundárias, escola profissionais e universitários, de todo o país, em competições de robótica e em demonstrações dos seus trabalhos. Pretendeu-se com esta iniciativa não apenas motivar os alunos para uma área tecnologicamente avançada e altamente multidisciplinar, mas também dar um contributo positivo para o desenvolvimento da investigação em Robótica e Automação e uma maior divulgação da Ciência e Tecnologia no país. Estiveram presentes diversas ligas de futebol robótico, nomeadamente a liga de futebol dos robots médios (FRM), dos robots pequenos (FRP) e o RoboCup Júnior (futebol FRJ 1x1 e 2x2), robots de dança (DJ), e a prova de Busca e Salvamento (BS). Para além destas classes, mantém-se a já tradicional competição de Condução Autónoma (CA). Existiram ligas sénior (acima dos 19 anos), e duas ligas júnior (dos 9 aos 14 anos, e dos 15 aos 18 anos). A nossa escola participou, com o robot

Visita de Estudo de EMRC – Ensino Secundário Nos dias 27 e 28 de Abril os alunos do Ensino Secundário que frequentam a disciplina de EMRC participaram numa visita de estudo a Coimbra, Peniche e Óbidos. No primeiro dia, os alunos dirigiram-se a Coimbra a fim de visitarem a Associação de Defesa e Apoio da Vida – uma instituição que apoia futuras mães em dificuldades. Para além de terem ficado a conhecer melhor esta instituição, os alunos puderam oferecer vários donativos. Ainda em Coimbra, os alunos foram visitar a Universidade, onde foram recebidos por membros do Conselho Directivo da Faculdade de Direito e por Representantes dos Alunos que lhes fizeram uma visita guiada à Biblioteca Joanina, à Capela de S. Miguel, à Sala dos Capelos e à Faculdade de Direito. A noite foi uma festa! Instalados no INATEL da Foz do Arelho, os alunos puderam fazer um passeio à praia e entre guitarradas, cantigas e muitas

anedotas.... foram poucas as horas de sono!!! No dia seguinte, realizou-se uma visita guiada à Fortaleza de Peniche – uma antiga prisão política do Estado Novo - e a Óbidos, uma vila que guarda séculos de história entre as suas muralhas. Para além de ter contribuído para enriquecimento pessoal e cultural dos alunos, esta visita foi uma animação constante! A relação entre todos foi excelente e os alunos demonstraram ser merecedores de actividades do género, portanto... para o ano há mais!

“TEKIO”, na prova de Busca e Salvamento, com o professor Vitor Fernandes e uma equipa constituída pelos alunos do 12ºD: Carlos Pinho, Tiago Fontoura e Carlos Almeida. Este último substituiu o Tiago do Curso CEF de Electricista de Instalações por este se encontrar doente. A nossa equipa alcançou, para além da experiência, um honroso 13º lugar entre 76 equipas que concluíram a prova.

Manuais escolares: Novas regras diminuem gastos das famílias O Conselho de Ministros aprovou uma Proposta de Lei que visa estabelecer normas e regras que assegurem a conformidade dos manuais escolares com os programas dos ensinos básico e secundário (entre as quais a certificação), promovam a elevação do seu nível científico-pedagógico e, simultaneamente, proporcionem às famílias formas de utilização menos dispendiosas. Neste âmbito, é alargado para seis anos o período de vigência dos manuais adoptados e os preços convencionados são alargados aos manuais do ensino secundário e a outros r e c u r s o s d i d á c t i c o pedagógicos. Criam-se, ainda, mecanismos para, no prazo de três anos, assegurar às famílias mais carenciadas manuais do ensino básico gratuitos.


Água e nanoelectrónica geram memórias de ultra-densidade

Mostra de Actividades A nossa Escola esteve presente na 4ª edição da Mostra de Actividades de Formação Profissional realizada na Escola Secundária Ferreira de Castro. Nos dias 26 e 27 de Abril, além de entidades, institutos e organismos ligados ao ensino profissional, num total de 50 participantes, a mostra contou, também, com a presença de algumas universidades e de empresas. Os objectivos da Mostra são a divulgação de entidades formadoras, ofertas formativas, saídas profissionais e uma demonstração e representação de algumas empresas do concelho, proporcionando aos jovens fazer uma relação entre percurso formativo e empregabilidade.

Colocar água no computador não parece ser exatamente uma boa ideia. Mas investigadores de três universidades norte-americanas descobriram que a inserção de algumas moléculas de água pode ser o ovo de Colombo para a fabricação de uma nova geração de memórias para computador. As memórias ferroelétricas (FRAM) são uma das grandes promessas da tecnologia de armazenamento de informações para as próximas décadas. A sua principal vantagem é a manutenção dos dados, mesmo na ausência de energia. Para que essas novas memórias possam ser, além de eficientes, minúsculas, os cientistas estão a tentar manipulá-las e controlá-las em escala nanométrica. Foi então que descobriram que a junção de ferro e água no reino da nanoelectrónica, ao invés de gerar ferrugem, pode ser uma forma excepcional de estabilizar as memórias ferroelétricas. A trabalhar com nanofios de apenas 3 nanómetros - o que significa alguns poucos átomos de comprimento - os cientistas conseguiram estabilizar bits de memória com a simples adição de “fragmentos de água.”

A pesquisa demonstra que os bits ficam estáveis em dimensões muito menores do que se imaginava possível. É claro que memórias de computador construídas a partir desse conceito ainda terão de ser desenvolvidas. Mas já é possível ter-se uma ideia do impacto da descoberta. Com bits estáveis nas dimensões alcançadas, é possível a construção de memórias com uma densidade de 100.000 terabits por centímetro cúbico. Difícil imaginar o que isso significa na práctica? Basta imaginar que, com uma memória assim, o seu iPod conseguiria armazenar músicas MP3 suficientes para tocar durante 300.000 anos, sem repetições. Cansativo? Que tal então 10.000 anos de vídeo com qualidade de DVD?

Professores faltosos devem preparar aulas de substituição

S O L U Ç Ã O

S U | D O | K U

A ministra da Educação anunciou que os professores faltosos devem preparar antecipadamente um plano das aulas para que possam ser substituídos por colegas, de forma a facilitar a vida das escolas e tornar úteis todos os tempos lectivos. “Muitas das faltas dos professores são programadas, como consultas médicas ou reuniões, e o trabalho colectivo deve ser preparado previamente”, afirmou Maria de Lurdes Rodrigues. A ministra acrescentou que este “mecanismo visa facilitar a vida das escolas e tornar todos os tempos lectivos úteis do ponto de vista pedagógico” e, se ajudar nas actividades de substituição, “deve ser exigido por

F i c h a T é c n i c a Coordenação, ilustração, redacção e processamento de texto: Prof. Paulo Gonçalves Colaboração: Alunos do 12ºD e Prof. Luís Veloso (Esc. Sec. de Gouveia). Exemplares publicados: 150 Exemplares publicados via E-mail: 140 Escola Secundária Soares Basto (403003) 3720254 Oliveira de Azeméis Telefone: 256600590 Email: essbee@sapo.pt

S U | D O | K U 12

parte das escolas”. No entanto, Maria de Lurdes Rodrigues ressalva que estes mecanismos são hipóteses dadas à escola para facilitar a organização do trabalho lectivo e pedagógico. Maria de Lurdes Rodrigues explicou que, se um professor se ausenta com autorização do Conselho Executivo, tem como contrapartida entregar um plano de aulas de forma a ser substituído por um colega. “Se esse compromisso não for cumprido pode dar lugar a injustificação de falta”, disse, salientando que as ausências por motivos imprevistos “não cabem nestas orientações”.

M

I

C

R

O

T

O

O

N


Uchip32