Page 1

SÉRIE O PROGRAMA 07 – UMA COMPANHEIRA PARA TITAN

Disponibilização e Revisão: Angéllica Gênero: Hetero / Contemporâneo


Você já quis namorar um vampiro? Mulheres humanas são obrigadas. Deve estar entusiasmada nas interações com vampiros. Deve estar disposta a passar por um exame médico rigoroso. Deve estar preparado para assinar um acordo contratual que inclua uma cláusula de confidencialidade. Posições limitadas disponíveis… Titan é um dos mais fortes guerreiros vampiros da equipe. Ele vai enfrentar qualquer um a qualquer hora, em qualquer lugar e com as próprias mãos. Não há muitas coisas que ele tem medo. Apenas uma coisa para ser exato. Fêmeas humanas. Ele está com muito medo de mulheres humanas. Por mais que tentasse, Titan não as entende. Nem um pouco Eles enviam sinais mistos e nem sempre dizem o que querem dizer.

Essa falta de compreensão fez com que ele fizesse algo de que está profundamente envergonhado. Ele está trabalhando duro para compensar, enquanto mantém distância. Este arranjo está funcionando perfeitamente, até que seus reis o enviem em uma missão. Uma que o enviará diretamente para um perigo incontável e desconhecido. Não são armas, facas e bombas que o assustam, é a única humana com o qual ele foi designado para trabalhar.

Lado a lado. Dia a dia. O mais perto que duas pessoas podem chegar e Titan não tem certeza de que ele sobreviverá.

2


COMENTÁRIOS DA REVISÃO

ANGÉLLICA Em um dos comentários da autora – ela diz que riu muito com esta história. Eu não vou dizer que ri muito (acho que nem ri), mas foi divertida. Isto sim!! Nastasha se igualou a Titan – não deixou ele ser superior a ela. Umas vezes recuava e outras atacava forte. Um sendo o escravo sexual do outro. Acho que este livro se estendeu mais do que o necessário – mas foi bom, na verdade ótimo. Bandidos descobertos e presos; Brant mais humano (se isto é possível kkk); guerreiros com suas companheiras; filhos e filhos chegando – cheiro de fim de série. Em várias noticias afirma-se que este é o último da série, mas não dá para saber. Afinal os autores estão revivendo as personagens após 2 ou 3 anos. Kkkk. Vamos ficar de olho!!

3


1 Quatro meses antes... A arma parecia pesada em suas mãos, que tremiam. Suas palmas estavam suadas e sua boca estava seca como um Martini com três azeitonas. O que ela não daria por um desses agora. Natasha colocou o revólver de serviço na mão esquerda e enxugou a outra palma contra o uniforme preto. Sem som, ela respirou fundo, segurando-o por alguns segundos antes de soltá-lo lentamente. Ela segurou a arma firmemente com as duas mãos novamente, engolindo em seco. Seu colete à prova de balas parecia muito apertado. Por apenas um segundo, ela se sentiu tentada a agarrar as bordas de velcro e arrancá-lo de seu corpo, virar e correr. Essas emoções rebeldes assustaram a vida dela. Isso não era como ela em tudo. Seu foco foi atraído de volta ao trabalho quando Rogers deu o sinal para dizer que ele estava prestes a entrar no armazém. Ele fechou os olhos com ela por um segundo e piscou. Idiota! O nervo. Não era como se ele piscasse para qualquer um dos outros membros da equipe. Esse era o comportamento típico de Rogers! Natasha estava na parte de trás. Seu trabalho era simples, pegar qualquer bandido que tentasse escapar e impedir qualquer reforço tentando entrar no flanco de sua equipe. Em outras palavras, ela precisava ficar parada e bonita, enquanto os homens enfrentavam o perigo real. Não havia como uma mulher realmente se controlar no meio das coisas durante uma operação como essa. Certo? Suas mãos tremeram um pouco mais. Sua língua ficou presa no céu da boca. Nesse ritmo, ela iria provar que eles estavam certos, mesmo que pudesse fazer isso. Na verdade, ela poderia lidar com qualquer uma das posições que os membros da equipe tinham tomado. Ela fez isso um milhão de vezes no passado. Ok, talvez não um milhão, mas uma tonelada de vezes. O suficiente para saber o que estava fazendo. Nada foi diferente sobre este tempo. Bem, exceto... desta vez ela tinha muito a provar. Uma gota de suor rolou pelo lado de sua têmpora.

4


Natasha estava no FBI há seis meses. Esta foi sua primeira operação real. Ela havia se destacado durante seu tempo na força policial, que era onde tinha estado antes de chegar lá. Natasha poderia atirar melhor, chutar mais forte e ultrapassar qualquer um em sua divisão. Era toda a razão pela qual a Repartição havia tomado conhecimento dela em primeiro lugar. No entanto, desde que chegou a bordo, foi tratada como uma novata. Como uma menina. A pior parte disso tudo era que ela estava começando a comprar as besteiras. Ela não podia acreditar que tinha apenas um metro e setenta e quatro e era curvilínea ‒ fazia isso muito curvilínea, apesar de tentar se esconder sob dois sutiãs esportivos apertados. Ela também não podia evitar que, apesar de estar um pouco gordinha, era considerada atraente com longos cabelos brilhantes e grandes olhos castanhos. Natasha tinha até um local de beleza como aquele modelo bem conhecido... Cindy alguma coisa. Pela vida dela, não conseguia lembrar o nome da mulher. Ela tinha ouvido os caras brincando uns com os outros sobre como eles gostariam de ter uma pequena sessão cara a cara com ela. Ou como gostariam de lhe mostrar sua ‘arma grande’. Inferno, eles tinham sido rudes em seu rosto muitas vezes para contar. A maneira como olhavam para seus peitos e bunda era doentia. Natasha sabia que não era tanto sobre como ela parecia, mas era mais uma coisa de domínio. Ela mostraria a eles. Parafusaria todos eles. Poderia fazer isso. Ela viveu por isso. Tinha desistido do casamento e das crianças por isso. Ela respirou fundo quando Rogers entrou no prédio, seguido por vários outros. Uma pequena equipe também estaria entrando na parte de trás do prédio. Natasha ampliou sua postura e forçou-a a segurar sua arma para aliviar. Ela se encolheu quando o primeiro round foi disparado. De jeito nenhum! Ela estava ficando macia. Desde quando recuou ao fogo do tiro? Nunca. Natasha estava filmando desde os doze anos. Seu pai havia ensinado tudo o que ela sabia. Sua primeira arma tinha sido um Winchester. Ela se lembrou de acordar na manhã de seu décimo segundo aniversário e abrir o papel de embrulho. A excitação que a percorreu

5


quando o nariz dela captou o cheiro revelador de óleo de arma. Ela ainda tinha aquela espingarda. Ela primeiro. Foi cuidadosamente embrulhado em um saco de armazenamento e colocado na prateleira de cima de sua arma segura. Sua coleção cresceu substancialmente ao longo dos anos. Outro tiro soou. Concentre-se, Walters! Esse segundo tiro provocou muito mais. Rodada após rodada. Houve gritos, algo caiu. Assim como a comoção estava morrendo. Assim que seu ritmo cardíaco começou a se normalizar, a janela ao lado dela se despedaçou e alguém passou por ela. Eles rolaram um par de vezes em uma chuva de vidro. Então a pessoa se levantou, com a arma na mão e se virou para ela. Era ele. O cara. O que eles estavam esperando capturar. Richard Montgomery, também conhecido como o traficante. Seus olhos se estreitaram nela e sua mão apertou sua arma. "Largue isso.” Ela instruiu, sua voz firme, apesar de seu coração disparar. Seus olhos se estreitaram um pouco mais, sua arma levantou uma polegada em sua direção. "Largue isso agora.” O idiota ia atirar nela e fazer uma pausa para isso. Em vez de obedecer, a arma levantou mais um centímetro. Seus olhos se estreitaram e sua mandíbula se apertou. A adrenalina subiu, seus anos de treinamento entraram em ação. Seu corpo agia como se estivesse no controle remoto. Dois tiros, ambos no coração. Richard Montgomery estava morto antes mesmo de cair no chão. Seus olhos se abrem e olham fixamente. Rogers saiu da porta do armazém, os olhos dele brilharam a esquerda e para a direita, a arma apontada a frente. Ele amaldiçoou quando seu olhar atingiu Montgomery. Rogers correu para o criminoso abatido e sentiu seu pulso desnecessariamente. Ele amaldiçoou novamente. Mais difícil desta vez. "Que porra aconteceu?" Ele rosnou, seus olhos ardentes se encontraram com os dela. "E... ele estava prestes a abrir fogo em mim.” Ela parecia um idiota.

6


“Eu pensei que você fosse um atirador afiado ou algo assim. Você ganhou prêmios, não é? Você atira pássaros de barro ou alguma merda.” Natasha assentiu. A evidência de suas habilidades estava morta no chão. Rogers suspirou pesadamente. "Qual foi o resumo?" "Bem, isso...” Merda! Merda… merda… merda! "Foi...” Ela mordeu o lábio inferior. “Nós deveríamos levá-lo vivo, Walters. Como o coração batendo e respirando. Vivo!” Ele gritou. “Ele deveria cantar como um pássaro. Nós quase tivemos o líder do cartel de toda esta operação!” Desta vez ele gritou com tanta força que a saliva voou. "Ele ia atirar em mim... eu reagi... eu... meu treinamento começou..." "Seu treinamento?" Ele olhou para ela com nojo. “Isso foi mais de um ano de trabalho. Aquela escória...” Ele apontou para o cadáver no chão. “... deveria nos dar nomes. Nós estávamos tão perto...” Ele ergueu o dedão e o dedo indicador a apenas uma polegada de distância. “... para pegar a cabeça da maior operação de drogas em todo esse maldito país e você estragou tudo.” "Ele apontou sua arma para mim.” Sua voz era estridente. Seu argumento fraco. A verdade era que ela poderia tê-lo pregado no braço ou no ombro. Seu objetivo era tão bom que ela poderia ter tirado ambas as orelhas, deixando-o de pé. Em vez disso, foi para a matança. Seu rosto estava quente. Foi o que ela aprendeu. Foi perfurado nela. Quando confrontado com a morte, vá para o tiro de matar. “Eu não dou duas fodidas, Walters. Você deveria ter usado o seu treinamento de fantasia e atirar nele no ombro ou algo assim. Você deveria ter desabilitado o criminoso, não o matado.” E ai estava. Ele estava tecnicamente certo! Parafusou seu treinamento, você sempre segue o breve. Ela estava mortificada. Apenas não estava nela para ignorar seu treinamento embora. "Sua arma foi apontada para o meu..." “Que parte de 'eu não dou a mínima' você não entende? Nesse caso, você deveria ter levado a bala. Você fodeu, Walters. Você está fodida de um jeito ruim.” Ele olhou para o cadáver aos seus pés e balançou a cabeça. "Isso nos coloca de volta anos."

7


"Me desculpe eu..." "Salve isso.” Ele guardou sua arma. “Tenho certeza de que há uma escrivaninha em algum lugar com seu nome nela. Você não pertence ao campo.” Talvez ele estivesse certo. Não, ele não estava. Então, novamente, e se ele estivesse? Isso pode ser exatamente o que eles precisavam para tirá-la do FBI. A cabeça de sua divisão estava sem sangue desde o começo. Ele pode apenas ganhar no final. O que diabos ela fez?

8


2 Ainda há quatro meses antes... "Obrigado por ter vindo." Brant ajeitou a gravata e depois desabotoou o elegante paletó e pendurou-o cuidadosamente nas costas de uma cadeira. Titan não tinha certeza de como ele sobreviveu a ser envolvido em todo aquele algodão e de qualquer coisa que diabos seu colete fosse feito. Seu rei usava joias também. O que houve com essa merda? O ouro e algumas ou outras pedras negras cintilavam nos punhos dele. Parecia estúpido. Qual foi o ponto de toda a apresentação? "Sim.” Zane suspirou. Ele passou a mão pelos seus couros. Ahhh… Agora havia algo que ele entendia. A espada curta do macho estava embainhada em suas costas, exatamente onde deveria estar. Ele era um guerreiro. Um verdadeiro vampiro. Nenhuma dessas outras besteiras. "Vamos ao que interessa." Brant voltou para eles e sentou-se. “A facção humana responsável pelo sequestro das mulheres humanas e a quase fatal tentativa pela vida de Zane está se tornando um incômodo.” "Colocando de leve.” Zane murmurou. Ele foi o único que havia sido soprado do céu. Zane quase morreu quando seu helicóptero foi derrubado, dando-lhe todo o direito de ficar chateado. “Acabamos de tomar uma postura defensiva sobre isso. Acabamos de esperar para ver o que eles fazem em seguida.” Brant passou a cada um deles um arquivo. Foi sobre o tempo do caralho! "Operação Kill the Motherfuckers¹, como eu gosto de chamar, começa na próxima semana." Zane sorriu, suas presas irromperam e seus olhos brilharam um pouco por uma fração de segundo.

¹Kill the Motherfuckers – Mate os Filhos da Puta.

9


Brant sacudiu a cabeça. “Chama-se Operação Encontrando Nemo. Encontramos os filhos da puta e nos certificamos de que eles sejam levados à justiça. Nós estaremos trabalhando com a aplicação da lei humana sobre isso.” Sempre a bocetinha. Titan preferiu a Operação Kill the Motherfuckers. Tinha um certo toque nisso. Ao mesmo tempo, porém, ele entendeu a necessidade de pisar com cuidado. Humanos estavam envolvidos. Eles sempre tiveram que ser cuidadosos quando os humanos estavam na mistura. Parecia que eles iriam trabalhar com a polícia local. Ele não gostou! Nem um pouco. "Desculpe minha intrusão, meu senhor." Titan se inclinou para frente. “Havia pelo menos um policial de Sweetwater envolvido em tudo isso. As chances são de que haverá mais.” O lábio superior de Gideon se curvou para trás. Era uma reação normal, considerando que o humano em questão havia sequestrado a fêmea do macho e agora se acasalou. O mesmo humano estava agora enterrado sem um coração. Serviu o bastardo certo. As fêmeas eram macias e tímidas. Especialmente mulheres humanas. Gideon deveria ter ficado longe dela em primeiro lugar. "É por isso que não vamos trabalhar com nenhuma das autoridades locais.” Disse Zane. “O FBI está enviando uma equipe, uma força-tarefa especial. O presidente quer que isso seja resolvido com urgência. Este tipo de comportamento de vigilante pode rapidamente virar para o sul. A última coisa que ele quer é uma guerra com os ‘não humanos’. Como é a última coisa que queremos também, estamos todos dentro, enviando uma equipe nossa.” “O programa é importante para nós. Nós queremos que os casais recém-acasalados se reproduzam...” Brant olhou intencionalmente para Gideon e depois em Griffin. “Nós também sentimos que seria melhor que homens com mulheres que estão com filhos permaneçam em território vampiros. Nós não queremos causar estresse desnecessário que colocaria nossos futuros filhos em risco.” Seus reis estavam procurando alguém para liderar este pequeno circo. Titan olhou ao redor da sala. Todos os machos, com exceção de York e Elliot, franziam a testa pesadamente. York estava com cara de pedra. Titan podia entender porque a maioria deles

10


não gostaria de se envolver nisso. Eles estavam todos acasalados. Todos, exceto ele, Lance e Elliot. Lance era um bastardo. Ele não jogou bem no melhor dos tempos. A apreensão de suspeitos significava mantê-los vivos. Porra! Titan tinha um mau pressentimento sobre isso. Elliot parecia estar salivando. Seus olhos estavam brilhantes e ansiosos. O macho estava tão molhado atrás das orelhas que era uma maravilha que sua camisa não estivesse encharcada. A boca de Lance se contraiu e ele suspirou, recostando-se na cadeira. O macho sabia que ele estava seguro de ter que trabalhar com os humanos. Sorte fodida! "Nós queremos que você encabece esse time, Titan.” E ai estava. Ele teve que lutar para não rosnar sua aversão. "Você vai representar o nosso povo." Zane deu a Titan um tapinha nas costas. "Nós temos a maior confiança em você para fazer o certo por nós." Ele sentiu o sangue drenar de seu corpo. Podia ouvir o som de seu próprio batimento cardíaco em seus ouvidos. Não havia jeito que ele estivesse se aproximando de qualquer humano. Se isso acabasse acontecendo ‒ e isso era um grande 'se' ‒ ele trabalharia sozinho. Titan não precisava de humanos para fazer o trabalho. “O que Zane está tentando dizer...” A voz de Brant o tirou de seu devaneio. “... não estrague tudo. Nós devemos trazê-los para dentro Não é uma caça às bruxas. Os perpetradores deverão ser julgados.” Brant se inclinou a frente, cotovelos nas coxas. "Mas... a casualidade estranha é de se esperar.” Sua expressão se apertou e sua mandíbula se apertou. Titan sacudiu a cabeça. "Eu não sou o homem certo para o trabalho." Zane fez um barulho bufando. "Você é profissional, equilibrado e a decisão foi tomada." “Com todo o respeito, desfaça-o. Eu não sou bom com humanos. Eu não os entendo.” Ele especialmente não queria estar perto de mulheres humanas. Eles já haviam esquecido o que aconteceu? Ainda estava fresco em sua mente. "O que há pra entender, porra?" Brant rosnou. "Você está ao redor de humanos todos os dias em sua posição atual."

11


Titan apertou sua mandíbula. "Isso é diferente. Terei que trabalhar de perto com qualquer mulher humana?” "Sim. Seu apelido é Ball Breaker², então eu acho que você vai ficar bem.” Brant sorriu, com os olhos enrugados nas bordas. Titan fez uma careta. "Eu não posso fazer isso então.” Ele trabalhou para manter o grunhido de sua voz. “Aconteceu perto um ano atrás. Você foi punido... Porra, Titan, deixe isso em paz. Mova a fodida merda.” Zane estreitou os olhos. Então eles não tinham esquecido. Claro que não. Por que eles o estavam fazendo passar por isso, então? Não fazia sentido. "Isso significa que podemos confiar em você para não tocar em nenhuma mulher humana." Brant era uma foda doente. Titan não estava com uma mulher desde que ele quase cometeu o maior erro de sua vida. Não conseguia fazer isso. Agora ele tinha sido escolhido para liderar este time por causa disso. "Não é uma merda." Cada músculo dentro de Titan se apertou. Ele cerrou os dentes para não rosnar. "Você pode fazer isso.” Zane falou suavemente. “Você tem trabalhado para manter os humanos seguros. Isso significa estar perto deles. Você fez um excelente trabalho. Não houve sinais mistos.” Brant riu. "Exatamente. Mantenha tudo em um nível de negócios e você ficará bem. Certifique-se de que os machos enviados com você entendam o mesmo e que estamos bem.” Era inútil lutar contra isso. O que seus reis não sabiam era que ele sozinho decidiria como isso aconteceu. Não haveria outros acompanhantes e escolheria os humanos que ele era forçado a passar algum tempo. Não haveria mulheres humanas em qualquer lugar perto dele. Porra, esqueça isso. Titan finalmente assentiu. "Bem.” Sua voz era rouca e atada com irritação. Não poderia ser ajudado.

² Disjuntor de Bolas.

12


"Bom." Zane respirou profundamente. “Que bom que está resolvido. Precisamos nos reunir mais tarde para decidir sua equipe e discutir a operação com mais detalhes. O que me leva ao próximo item da agenda ‒ seu substituto.” Zane anunciou Lance como seu substituto e o caos entrou em erupção. Titan não conseguia encontrar em si mesmo para dar à mínima. Esta foi provavelmente a primeira vez em toda a sua vida que ele sentiu pena de si mesmo. Iria configurar isso apenas para o certo. Encontre uma maneira de evitar as fêmeas humanas. Ele precisava chupar a porra da boca e aproveitar ao máximo essa oportunidade. Titan amou a ideia de eliminar este grupo de vigilantes. De encontrar todos e cada um dos bastardos e fazê-los pagar. Ele faria isso sozinho, ou não faria nada. Isso foi final.

13


3 Dias de Hoje A mulher usava um terno apertado. Moldava todos os contornos de seu corpo atlético. Ela era humana, mas não tinha nenhuma das curvas que a maioria das fêmeas humanas tinha. Exceto pelas grandes glândulas mamárias, mas até aquelas com aparência dura. Seus lábios eram gordos, como se tivessem sido picados por abelhas. Seu cabelo estava na altura dos ombros, cortado em linha reta. Sua calça foi pressionada. Seu perfume forte. Ela usava uma jaqueta apertada sobre uma blusa branca. A blusa parecia pura. Sua maquiagem estava endurecida em seu rosto, mas ela não usava joias. Seu sorriso não alcançou seus olhos. Eles eram azuis brilhantes. Gelado. Então, essa era a fêmea que eles chamavam de Ball Breaker. Titan não gostou dela. "Então, hum... Sr. Titan...” Ela sorriu novamente. Parecia errado nela de alguma forma. Como ela não quis dizer isso. Toda a sua aparência estava errada, como se tivesse passado o rosto ou algo assim. "Apenas Titan.” Ele acabara de chegar e já estava farto dessa besteira. "Claro, Titan é então.” Ela fez uma pausa. "Este é Richard Evans, ele lidera a Divisão de Investigação Criminal do FBI." Blá, porra, blá, blá. O macho deu um passo à frente. Seu terno era um ajuste perfeito. Os dois botões ainda estão prontos. Ele era um homem mais velho ainda, pelo seu físico, Titan poderia dizer que ele cuidava de si mesmo. “É bom conhecer você. Estou feliz por podermos ser úteis para a sua espécie.” Não foi a imaginação de Titan quando ele notou que o lábio do macho se curvou levemente em irritação, talvez até nojo. "A agente especial de supervisão Kimberly Stewart vai liderar o..." "Não.” Disse Titan. Ele cruzou os braços. O macho franziu a testa. "Não?" Ele pareceu surpreso por um segundo, então rapidamente se recompôs. "Como assim não?" Ele inclinou a cabeça.

14


"Vou liderar esta investigação.” Esses humanos eram um bando engraçado. Eles quase o fizeram querer rir. Ele estava aqui em uma missão. Ele tinha um plano cuidadosamente pensado, não havia como eles estarem fodendo. Todo o comportamento da mulher mudou. Seu queixo se levantou e suas costas se endireitaram. Ela não gostou da ideia de jogar segundo violino a um vampiro. Bem difícil merda. “Receio que isso não seja possível. O agente especial de supervisão Stewart liderou muitas operações bem-sucedidas. Dela..." "Eu não me importo." A mandíbula do macho se apertou. Ele franziu os lábios. A fêmea arregalou os olhos e soltou um suspiro. Em suma, eles não ficaram impressionados. “Essas ameaças foram feitas contra a minha espécie. Eu tenho interesse em um resultado positivo, portanto...” "Sr. Titan...” O macho começou. "Apenas Titan." "Bem.” Ele parou por um momento. “Titan, asseguro-lhe que estamos todos trabalhando para o mesmo fim. Eu entendo que você se sentiria mais confortável liderando esta investigação, mas...” "Sem ‘mas’, é assim que vai ser." Titan olhou para cada um deles por sua vez. "Minha breve foi clara.” O macho estava ficando grisalho nas têmporas. Ele balançou a cabeça, parecendo solene, ou tentando, pelo menos. "O mesmo aconteceu com o meu." Titan estava ficando doente dessa besteira. Ele terminou de brincar bem com os humanos. Infelizmente, ele estava em seu solo e teve que pelo menos tentar encontrá-los no meio do caminho. Seus reis o escolheram porque sentiram o que tinha nele. Ele só precisava cavar fundo. O diretor ‒ seja qual for o nome dele ‒ fez um barulho como se estivesse pensando nisso. Ele até esfregou o queixo. Por muito tempo, olhou nos olhos de Titan. “Receio que meu resumo fosse um pouco diferente do seu então. Meu diretor me contatou pessoalmente sobre

15


esse assunto e ficou bem claro. Eu tive que escolher um dos meus supervisores para chefiar este time e o Supervisor Especial Stewart é a pessoa certa para o trabalho.” Titan pegou seu celular do bolso e teclou um. "Sim.” Disse Brant. "Desculpe incomodá-lo, meu senhor." "Não me diga que já existem problemas.” Seu rei latiu. "Sem problemas, meu senhor." "O que está acontecendo?" “Há um desacordo sobre quem está encarregado desta operação. Discutimos os detalhes da minha tarefa e a maneira como planejo executá-la. Você e eu concordamos e foi no meu entendimento que tivemos que ir em frente.” "Então qual é o problema?" Brant parecia irritável. "Bem, alguém com o nome de...” Ele ergueu as sobrancelhas, olhando o macho nos olhos. "Diretor Assistente Executivo Richard Evans.” Disse o homem rapidamente, orgulho evidente em cada palavra. Titan tive que se impedir de cheirar e revirar os olhos. Ele retransmitiu o nome do macho, deixando de fora o título de fantasia. Richard Evans estreitou os olhos com a falta de formalidade. "Me dê meio minuto para resolver isso.” Disse Brant. "Obrigado, meu senhor.” O telefone ficou morto. Titan não se incomodou em colocá-lo de volta no bolso. "E?" Richard Evans enfiou a mão esquerda no bolso da calça. O macho estava tão seguro de si. "Vamos ter a nossa resposta em breve." Titan cruzou as mãos no meio dele. “Tenho certeza de que o registro foi correto. O que ele disse?" A fêmea deu um passo à frente, ela estava franzindo a testa pesadamente. Titã fechou os olhos com ela. "Paciência, mulher."

16


“Eu sou o agente especial de supervisão Stewart. Por favor, abstenha-se de me chamar...” Ela enrugou o nariz. ”... por qualquer outro termo. ” Titan a ignorou. O macho sacudiu a cabeça, claramente irritado. Dez segundos depois, ele olhou para o relógio, franzindo a testa. Dez segundos depois, ele se inclinou na beira da mesa. Seu telefone vibrou em sua mão e Titan respondeu. "Vai servir.” Ele entregou o telefone para Richard Evans. O homem mais velho franziu a testa. Ele não parecia ansioso para pegar o aparelho. Ele finalmente pegou o telefone. "Este é o Diretor Assistente Executivo Richard Evans.” Seu aborrecimento se misturava em cada palavra. Seus olhos se arregalaram e sua boca se abriu. Richard Evans pulou da mesa e tirou a mão que estava no bolso. "Sim, senhor Presidente.” Ele gaguejou. A fêmea ofegou, ela colocou a mão na boca. Richard Evans ouviu por alguns segundos. "Entendido, senhor.” Seu rosto ficou branco como um fantasma. "Certamente senhor." A chamada terminou. O macho não falou por mais tempo. Ele apenas olhou para o espaço. "Ahhh!" Ele murmurou alguma coisa. "Certo.” Ele olhou a mulher de frente. "Você estará se reportando a Titan nesta operação." Sua boca se abriu. "Você não pode estar falando sério.” Ela balançou a cabeça. “A ordem chegou do topo. Ele...” Richard Evans apontou para Titan, que teve que parar de rosnar para o macho. Quem diabos ele achou que era? O macho mais velho deve ter visto algo mudar nos olhos de Titan, porque ele rapidamente puxou a mão para trás. “Titan está no comando. Reúna sua equipe, para que eles possam ser informados sobre este assunto.” "Eu não estou interessada em trabalhar com uma equipe." Richard Evans soltou uma risada. "Isso é loucura!" Ele balançou a cabeça e arregalou os olhos. "Você definitivamente precisa trabalhar em conjunto com uma força-tarefa para tirar esses vigilantes."

17


"Nenhuma força-tarefa.” Ele estava ficando doente de ouvir sua própria voz. A boca do macho abriu e fechou algumas vezes. "Você tem que trabalhar em conjunto com o FBI.” Ele parecia convencido de repente. "Você vai liderar a equipe, mas precisa trabalhar conosco." Titan assentiu. "Isso é bom. Você pode me atribuir um de seus guerreiros.” "Uma pessoa." Richard Evans sacudiu a cabeça. “Sim, eu preciso trabalhar junto com o FBI, então você vai me designar uma pessoa. Faça isso agora! Quanto mais cedo eu souber com quem estou trabalhando, mais cedo posso começar.” "Você não quer dizer 'nós'?" A fêmea perguntou. "Quanto mais cedo 'nós' pudermos começar." "Claro.” Ele olhou para ela. "Vai sem dizer." “Temo que não posso permitir...” Richard Evans começou, mas a fêmea o interrompeu. "Parece que Titan sabe o que está fazendo, senhor.” Ela estreitou os olhos para o homem mais velho, como se estivesse tentando transmitir uma mensagem especial para ele. "Não estou convencido." Richard Evans cruzou os braços. "Eu tenho alguém em mente que seria perfeito para uma missão como esta.” Ela esfregou o nariz, depois baixou a mão para o lado. O homem franziu a testa e estreitou os olhos. Ele parecia longe de estar convencido. "Você não pode estar falando sério." “Oh, mas eu estou, senhor. Esse indivíduo é bem qualificado para...” "Apenas um agente, um...” Ele estalou a língua. "Eu não tenho certeza porque você está concordando com isso, Kim, ou..." "Nosso resumo acabou de mudar... senhor.” Ela acrescentou rapidamente. “Titan está no comando. Se ele quer apenas uma pessoa em sua força-tarefa, a quem devemos nos opor?”

18


Richard Evans pensou por um tempo. Ele finalmente assentiu. "Você está certa.” Ele deu um aceno de cabeça na direção da fêmea. "Boa.” Ela sorriu. Desta vez, chegou aos olhos dela. O que ela estava fazendo? Titan não confiava nela... qualquer um deles para esse assunto. Kimberly Stewart pegou o telefone em sua mesa e discou. Houve uma pequena pausa. “Eu tenho uma tarefa para você. Vá para o meu escritório agora.” Ela desligou o telefone antes que a outra pessoa na linha pudesse pronunciar uma palavra.

Uma tarefa. Dela. Talvez isso tenha sido algum tipo de erro. Após o incidente, ela foi enviada para uma divisão diferente e foi amarrada a uma mesa. Isso não a impediu de treinar duro na esperança de ser transferida um dia. Quando ela foi enviada para trabalhar em uma seção diferente dentro da Divisão de Investigação Criminal, esperava que as coisas fossem melhores. Ela tinha visto isso como uma oportunidade. Novos começos. Natasha estava errada. Ela deveria saber. Ainda estava trabalhando para o mesmo diretor, que não havia mudado. Seu supervisor tinha claramente sido encarregado de trabalhar com ela. Até a operação picada, tinha sido mais sutil. Desde que veio trabalhar para Stewart, ficou infinitamente claro. Eles a queriam fora. Além disso, Evans a queria fora. As intermináveis resmas de papelada. Ter que contabilizar cada minuto de cada dia. Até mesmo suas horas de trabalho, incluindo o horário de almoço, eram rigorosamente monitoradas. Natasha tinha se atrasado uma vez por causa de um pneu furado. Apenas uma vez e por um bom motivo. Ação disciplinar foi tomada contra ela. Uma marca negra em seu registro. Mais uma grave e ela estava fora.

19


Isto foi embora. Uma chance de se provar. Natasha não era desistente. Seu pai lhe ensinou a nunca desistir e lutar por algo, se você realmente acredita nisso. Ela sempre sonhou em fazer a diferença. Bom contra o mal. Certo contra o errado e tudo mais. Natasha alisou o casaco. Merda, ela deveria ter reaplicado um pouco de batom. A maquiagem de Stewart sempre foi impecável. Natasha muitas vezes esqueceu de colocar as coisas. Não era importante como agente de campo, mas no ambiente de escritório parecia ser uma exigência, mesmo que ninguém tivesse dito isso a ela. Lambeu os lábios, parando por alguns momentos fora da porta. Natasha respirou fundo. Ela se lembrou de todas as operações bem-sucedidas das quais fazia parte. Todas as competições de tiro que ganhou. Todos os seus prêmios e elogios. Ela não foi definida por seu tempo aqui ou sua única operação como um agente do FBI. Ela tinha isso. Natasha bateu duas vezes. "Entre.” Seu chefe sorriu quando ela entrou na sala. Sorriu. Só tinha visto a mulher sorrir um punhado de vezes e nunca para ela. Quando notou o homem de pé atrás de seu supervisor, ela tentou não demonstrar sua aversão ou seu medo. Odiava que ele trouxe aquela emoção nela. O que o Diretor Assistente Executivo Richard Evans estava fazendo aqui? De repente, tudo ficou claro. Ela estava prestes a ser demitida. Isso tinha que ser. Endireitou os ombros. Se ela estivesse saindo, seria com a cabeça erguida. "Você conhece o Diretor Assistente Executivo Richard Evans.” Disse sua supervisora. Natasha assentiu uma vez em reconhecimento e cumprimentando. Isso foi tudo que o idiota estava tendo dela. Ela se recusou a tocar sua mão. Seus olhos se afastaram ainda mais para a sala. Quando seu olhar encontrou o dele, não tinha certeza de como poderia ter sentido sua falta em primeiro lugar. Ele parecia um deus ou um viking. O cara poderia ser um duplo para Thor, tudo o que ele precisava era de um martelo grande. Só Deus sabia que ele tinha as armas para poder empunhar tal arma. Seu cabelo era grosso e longo o suficiente para ser amarrado na base de sua cabeça. Ele tinha uma

20


barba bem aparada. Seus olhos... oh wow... aqueles olhos. Eles pareciam que podiam ver diretamente através de uma pessoa. Algo se mexeu neles quando se trancaram com os dela. Eles passaram de frios e duros a francamente ferozes. O olhar de Thor deu um passo em sua direção. Suas calças de couro se apertaram em torno de suas coxas grossas. Sua boca estava seca. Aquilo era o cabo de uma espada nas costas? Havia uma lâmina presa ao lado de sua coxa e pela protuberância em seu tornozelo, ela sabia que ele tinha uma arma escondida ali. Tão sexy! Ele não estava feliz em vê-la. Isso era evidente. Suas narinas se abriram levemente e sua boca se virou nos cantos antes de ele franzir os lábios. Pela primeira vez desde o início de sua carreira, ela teve o impulso ridículo de puxar os ombros para trás. Empurrar os gêmeos e talvez puxar o cabelo para fora do seu rabo de cavalo. Sua garganta fez cócegas com uma risadinha. Uma que ela não iria soltar. De jeito nenhum! Ela realmente queria que esse cara a examinasse. Ele fez o oposto. O deus parecido com Thor olhou para seu supervisor, dispensando-a completamente com seu comportamento. "Quem é?" Sua voz era profunda e áspera. Ele parecia ainda menos impressionado do que parecia. Sua supervisora deu outro sorriso. Parecia que Stewart estava particularmente de bom humor esta manhã. “Esta é a agente especial Natasha Walters. Natasha...” Stewart olhou em sua direção. "O Diretor Assistente Executivo, Richard Evans, está aqui porque ele tem interesse neste projeto." O idiota ficou parado ali. Natasha podia senti-lo olhando para ela com aqueles olhos redondos dele. Qual projeto? O que Richard Evans estava fazendo aqui? Ela tinha a sensação de que estava prestes a descobrir e que não ia gostar disso. Natasha assentiu em sua direção, ainda não olhando para ele. Pelo canto do olho, ela podia ver que ele estava franzindo a testa pesadamente. Ele não parecia feliz no mínimo. Sua supervisora continuou. “Titan, esta é Natasha Walters; Walters, conheça Titan.” Então o deus viking tinha um nome. Titan. Era apropriado. "Natasha vai se juntar a você em sua missão"

21


"Eu não acho que a agente Walters é o ajuste certo para esta operação.” Disse o Diretor Assistente Executivo, Richard Evans. Ele sacudiu a cabeça devagar. "Eu tenho que concordar." Titan cruzou os braços. Todo o seu comportamento estava tenso, até sua mandíbula parecia apertada. Seus olhos brilhavam. O cara parecia chateado. Ele deve ter lido o arquivo dela, provavelmente sabia sobre sua última operação. Isso a incomodou em seu núcleo que ele a julgou naquele incidente. "Senhor...”

Stewart

se

dirigiu

a

Evans. "Titan...”

Ela

olhou

para

o

Thor

parecendo. "Natasha Walters é altamente qualificada.” Seu supervisor passou a listar as conquistas de Natasha. Incluindo chefe de acabamento de sua classe quando ela se juntou ao Bureau, suas habilidades de tiro, inúmeras operações bem sucedidas como um policial disfarçado. Stewart estava colocando no espesso. Que diabos? Algo fedia a isso. Até meia hora atrás, seu chefe a estava trabalhando fora do trabalho. O que mudou? O que era tudo isso? Este foi um oitenta, se ela já viu um. Foi tão abrupto que quase lhe deu chicotadas. Titan não parecia convencido. Se qualquer coisa, ele se irritou ainda mais. Seus bíceps se arregalaram. Evans levantou a mão. “Eu tenho certeza que a agente especial Walters tem um registro impecável ou ela não teria sido selecionada para se juntar ao Bureau em primeiro lugar. No entanto, suas ações durante sua última operação colocaram uma investigação inteira em risco. Ela..." “É perfeita para esta missão, senhor. Eu gostaria de ter uma palavrinha com você, se puder.” Evans fez um balanço parcial dos olhos e suspirou. Ele olhou para o relógio. “Nós precisamos encerrar isso. Eu tenho uma chamada de conferência com Quantico em dez minutos.” Sua supervisora assentiu e gesticulou para a porta. "Tudo o que peço são dois minutos do seu tempo.” Ela se virou para eles. "Desculpe-nos.” Ela olhou para Titan. Evans suspirou pela segunda vez e os dois saíram, fechando a porta atrás deles.

22


Natasha se virou para encarar Titan. “Eu posso ter estragado minha última missão, mas garanto que aprendi minha lição. Meu histórico de longo prazo fala por si.” Titan franziu a testa. Ele não disse nada. “Você acabou de ouvir minhas credenciais. Não deixe que um lapso de julgamento obscureça sua decisão.” Quem era esse cara de qualquer maneira? Ele não tinha sido formalmente apresentado a ela. "Eu não estava realmente ouvindo.” Ele parecia entediado. "Por que não?" Ela fez um barulho de frustração. “Você já decidiu com base no que aconteceu na minha última missão? Então, eu fui para o tiro de matar. Eu estava tecnicamente seguindo tudo o que aprendi.” Sua carranca se aprofundou. “Não tenho conhecimento de sua última missão. Eu apreciaria se você pudesse ficar em silêncio.” Seu foco voltou para a porta através da qual Evans e Stewart tinham acabado de desaparecer. Nada disso fazia algum sentido. Natasha não confiava em Stewart nem um pouco. Seu chefe era conhecido como o Ball Breaker e não foi por nada. O sorriso de Stewart significava que algo estava errado. Esta foi uma oportunidade embora. Por que esse cara Titan ‒ quem ele era ‒ recusou trabalhar com ela? Especialmente quando não conhecia a história dela. Por que ele iria... Havia apenas uma razão. Ela deveria ter percebido. Natasha reprimiu um bufo irritado e se forçou a contar até dez. Titan era um idiota, é por isso que não queria trabalhar com ela. Rangeu os dentes por um momento. "É porque eu sou uma mulher, não é?" Ela falou baixinho. Ela parou por um momento, esperando que ele negasse. Não podia esperar para ouvir suas desculpas besteiras. "Sim.” Ele deu um aceno de cabeça, mantendo os olhos na porta. Sua boca se abriu por um segundo. "O que? Você admite isso?” Essa foi à primeira vez. Honestidade ‒ algo que ela realmente poderia respeitar, mesmo que ele fosse um porco machista.

23


Titan finalmente olhou em sua direção. "Eu não quero uma mulher na minha equipe de trabalho." “Por que diabos não? Sou um homem melhor, sou mais rápida que...” "Nada disso importa.” Ele a olhou por um segundo antes de olhar de volta para a porta. “Claro que importa. Eu seria um trunfo para qualquer time. Minha experiência de campo...” “Não importa. Não é pessoal.” “Claro que é pessoal. Você não me conhece e ainda assim baseou sua decisão no fato de eu fazer xixi sentada.” Sua boca se contraiu. O idiota achou engraçado. Ele poderia honestamente ir para o inferno. “O fato de eu ser mulher não é importante. Para sua informação, eu não sou casada. Eu não tenho filhos.” Ela bufou, incapaz de conter a irritação por mais um momento. "Não que isso deva importar." "Eu sei que você não tem." Falso Ela se sentiu carrancuda. "Como você poderia possivelmente saber algo assim?" "Eu posso sentir o cheiro." O que? "Como você pode…?" "Fique quieta por um momento.” Seu olhar brilhou para sua boca, antes de trancar com seus olhos. O nervo. "Não! Você não pode simplesmente me dizer para...” Ele colocou a mão sobre a boca dela. Sua mão grande e quente e calejada. Ela fez um barulho abafado. Irritava-a o quão bom o cara cheirava. Como em ‘fora do gráfico’. Seus olhos se arregalaram. Ela estava prestes a se afastar dele ou sacudir a mão dele quando seus olhos se suavizaram. "Por favor.” Seus orbes azuis claros queimavam os dela. “Eu preciso ouvir o que eles estão dizendo. Eu não confio neles.” Ele olhou de volta para a porta.

24


4 Sua boca foi contra a mão. Seus lábios macios e exuberantes pressionaram contra ele. Foi a primeira vez que ele tocou uma fêmea no que parecia ser para sempre. Um ano e meio foi o tempo que realmente tinha sido, mas pareceu muito mais longo. Seu aroma era de rosas silvestres e doces. O tipo açucarado. Um deleite para ser saboreado. A raiva brilhou em seus olhos escuros. Eles eram ainda mais bonitos quando estreitados e resplandecentes. "Por favor. Eu preciso ouvir. Eu não confio neles.” Ele tirou a mão dele. Não havia como ele tocá-la novamente. Ele só podia rezar para que ela realmente o escutasse. A fêmea engasgou, colocou a mão sobre a boca por um instante. "Merda!" Ela sussurrou. "Você não é humano.” Ela murmurou para si mesma. Titan sacudiu a cabeça. Ele colocou um dedo nos lábios. "Shhhhh!" Richard Evans voltou para o corredor depois de uma pausa no banheiro. Se ele não prestasse muita atenção, perderia a agenda real. Aqueles dois tinham um plano e Titan apostaria muito dinheiro que não tinha o melhor interesse do seu povo no coração. Titan inclinou a cabeça para poder ouvir melhor. “Vamos nos mover um pouco pelo corredor. Esses vampiros têm excelente audição.” Disse o homem. Sim, nós temos! A outra mulher, Stewart, não disse nada. Dois conjuntos de passos podiam ser ouvidos recuando. Não longe o suficiente, idiota. "O que está acontecendo?" Um pouco mais suave, mas ainda audível. "Por que diabos você colocou Walters à frente?" Ele falou em voz baixa, seu tom era abrasivo. "Senhor, eu sei que você a quer fora e esta é a maneira perfeita de fazer isso.” A fêmea fez uma pausa. “Deixe o vampiro dirigir essa coisa toda. Deixe-o ter sua força-tarefa de dois.” Ela deu uma risada sem humor. “Nós dois sabemos que esta operação é uma receita para o fracasso. Não quero nada com isso e tenho certeza de que você sente o mesmo.”

25


“O presidente quer que isso seja resolvido.” Evans rosnou apesar do tom abafado. “Eu não posso lavar minhas mãos disto. Aquele idiota sugador de sangue está prestes a me levar para a água quente. Quando essa coisa toda explodir, é minha bunda na linha e eu estou levando você comigo.” "Isso não vai acontecer. Nos disseram para parar e é isso que precisamos fazer. O vampiro quer o controle ‒ bem, ele pode tê-lo. Bloqueie o estoque e o barril. Quando ele estragar tudo isso, vamos assumir e salvar o dia. Eu vou assumir com uma equipe real de agentes. Agentes qualificados. Você disse que queria que Walters fosse embora e esta é a melhor maneira de fazer isso acontecer.” "O que estão dizendo?" A fêmea, Natasha Walters, sussurrou enquanto se aproximava dele, quebrando sua concentração. "Quieta, eu preciso ouvir isso.” Titan rosnou baixinho. Ela deu um rápido aceno de cabeça. Ele focou na conversa acontecendo no corredor. "… para eles. Eu gosto disso.” Evans disse. “Você está em algo aqui. Quero dizer, quem faz esse sanguessuga achar que é? Como diabos ele vai encontrar esse bando de bandidos por conta própria? Ele vai se destacar como um polegar dolorido. Provavelmente se mate no processo.” O macho suspirou. “E quanto a Walters? Eu gosto da ideia de me livrar dela, trazendo-a a bordo. É como matar dois coelhos com uma cajadada só, mas o vampiro não parece interessado nela. Não posso dizer que o culpo. Ela tem sido uma decepção desde o começo.” “Não importa se ela trabalha em conjunto com o vampiro ou não. De qualquer maneira, podemos tirá-la daqui.” A fêmea riu, desta vez, o som era claro e arejado. Ela quis dizer isso! “Se Titan decidir não trabalhar com ela, faremos com que ele preencha uma queixa formal. Afinal, ele tem suas razões para não querê-la como parceira. Não posso dizer que o culpo. Será a última marca negra que precisamos para que ela seja dispensada. Se ele se recusar a assinar, ele será forçado a aceitá-la de qualquer maneira.” Titan soltou um grunhido profundo no fundo de sua garganta.

26


"O que é isso?" Natasha Walters sussurrou. Ele a ignorou, mantendo o foco na conversa do lado de fora. “E se ele a levar a bordo, é apenas uma questão de esperar que a bomba-relógio funcione sozinha.” Richard Evans riu. “Eu sabia que havia uma razão que eu gostava de você, Stewart. Devemos pegar uma bebida depois do trabalho hoje.” “Eu estou trabalhando até tarde. É o caso Marino.” Stewart parecia muito menos confiante. "Eu só estou na cidade por uma noite." "Ainda assim, senhor, eu..." Titan voltou sua atenção para Natasha. "O que é isso? Você acabou de ouvir a conversa deles, não foi?” Ele deu um aceno de cabeça. “Não temos muito tempo. Eu preciso que você seja muito honesto comigo.” Ela apertou a mandíbula, seus olhos brilharam com mais daquela raiva de antes, mas ela deu um aceno de cabeça afiado. "O que aconteceu para fazer Richard Evans não gostar tanto de você?" Ela franziu a testa. "Como você sabia…?" "Não temos tempo para nos aprofundarmos nisso.” Ele podia ouvir a conversa deles chegar ao fim. "O que aconteceu? Ele quer que você vá embora.” Os olhos da fêmea se moveram para o teto e ela soltou um suspiro. “Ele estava na minha cerimônia de formatura e veio me parabenizar pessoalmente depois. Eu pensei que era porque eu tinha sido designada para sua divisão. Ela olhou nos olhos dele. “Ele ficou em mãos. Eu não fui jogo.” "Mãos?" Passos soaram, eles se aproximaram. “Nós só temos segundos. Explicar." "Ele colocou as mãos em mim... minha bunda... minha ...” Suas bochechas ficaram rosa quando ela apontou na vizinhança geral de suas glândulas mamárias. "Ele iniciou o sexo?"

27


Ela assentiu. “Deixou claro que é o que ele queria. Me convidou de volta para o seu quarto de hotel para bebidas.” Titan apertou sua mandíbula. “Eu recusei e ele jurou arruinar minha carreira. Trabalhei muito duro por muito tempo para acabar assim. Estou fora, ele encontrou uma maneira de se livrar de mim. Eu estou certa, não estou?” Ela mordeu o lábio inferior, os olhos brilhando de raiva e frustração. Porra! A última coisa que ele precisava ou queria era fazer parceria com essa fêmea. Se não a levasse ela estava fora. Ela não era sua preocupação embora. Ele precisava manter seu plano original. Não incluiu esta fêmea ou qualquer mulher para esse assunto. Stewart e Evans voltaram para a sala e Titan teve que fechar suas mãos ao seu lado para evitar bater o olhar presunçoso do rosto do outro homem. Natasha olhou para os pés dela. Ela cheirou um par de vezes. Titan poderia dizer que estava tentando não chorar. Seja de tristeza ou raiva, ele não tinha certeza. “É com você, Titan. Este é o seu show.” Stewart continuou. Ela prendeu uma mecha de cabelo atrás da orelha. “Se você preferir que outro agente o ajude, posso mandar alguns arquivos para o seu quarto de hotel. Você estaria livre para entrevistar qualquer e todos os candidatos. Vou incluir o arquivo do agente especial Walter.” A fêmea olhou para Natasha, que levantou o queixo. A fêmea ficou alta. Mesmo em face da derrota, ela se recompôs. Titan a respeitava por isso. "Não.” Ele balançou sua cabeça. "Isso não será necessário." "Não tem problema, vou enviar-lhe um par de suplentes." A outra mulher piscou para ele e teve que parar de rosnar para ela. "Vou começar a papelada como discutido.” Ela olhou para Evans, que sorriu e acenou com a cabeça. “Você precisará assinar alguns papéis, por que decidiu não trabalhar com o Agente Especial Walters. Nada para se preocupar. Burocracia e tudo mais. Você pode ir, Walters.” Dura como pregos. A fêmea não se incomodou em olhar para seu subordinado enquanto falava.

28


Natasha não disse uma palavra. Ela manteve a cabeça erguida e saiu da sala. Ele podia ouvir seu coração batendo, podia sentir sua raiva e sua dor. A fêmea ficou ferida. Seu próprio ritmo cardíaco aumentou. Ele odiava ver tal injustiça. Com o canto do olho, notou Richard Evans verificando a bunda de Natasha enquanto ela se afastava. O macho sorriu. Idiota! O idiota era tanto sexista quanto intolerante. Seu corpo inteiro vibrava com a necessidade de pulverizar o rosto do macho. Titan tinha cometido alguns erros em seu passado. Ele pagou, continuou a pagar. Culpa ainda tinha gosto amargo em sua língua. Este babaca não viu nada de errado com suas ações. Foi tão errado e em muitos níveis. “Hum… Titan…” Kimberly Stewart parecia insegura, ela arregalou os olhos por um segundo. “Você está rangendo os dentes. Algo é o problema?” "Sim.” Ele fez uma pausa. "Não... não.” Ele acrescentou, parecendo um idiota. "Tudo está bem. Quando eu disse que enviar o arquivo da agente Walter não era necessário, você entendeu mal. Não preciso do arquivo dela, porque decidi fazer parceria com ela nessa operação.” A fêmea estreitou os olhos. "Você tem certeza? Você não precisa levá-la, sabe?” “Minha sensação inicial foi de que ela era superqualificada, mas como só estou levando uma pessoa comigo de volta para a Sweetwater, posso muito bem aproveitar o melhor.” "Na verdade..." Richard Evans começou. "Pensando bem, Titan.” Disse Kimberly, usando um tom paternalista. “Vou informar a Walters que ela estará acompanhando você.” O que diabos ele estava fazendo? Não era tarde demais para mudar de ideia. Ele não podia deixar a fêmea para seu destino, embora. Ele não podia fazer isso. Talvez tenha sido culpa por suas ações passadas. Seja qual for o motivo, o resultado ainda era o mesmo. Titan assentiu. O restante de seu plano permaneceria o mesmo. Ele iria manter a agente ‒ não importava que ela fosse uma mulher ‒ ocupado e fora do seu caminho. Ele iria encontrar os

29


bandidos e se certificar de que eles foram levados à justiça. Então voltaria para seus reis, seu castelo, suas pessoas e continuaria protegendo as fêmeas humanas que vieram para o território dos vampiros. Ele continuaria a reparar suas ações. Talvez um dia seja o suficiente.

30


5 Natasha olhou pela janela do Uber que a pegou do minúsculo aeroporto. Sweetwater era antiquada e não tão pequena quanto pensara. Os negócios estavam crescendo. Pelo menos uma casa em cada rua havia sido convertida em um B&B. Ela viu o que parecia ser uma lanchonete de fast food nos estágios finais de construção. Eles passaram por vários desses locais de construção ao longo do caminho. Até mesmo o pequeno aeroporto havia sido fechado em certas seções devido a reformas. Alguns minutos depois, entraram no estacionamento do Sweetwater Hotel. O motorista esperou alguns minutos enquanto ela fazia o check-in e largava as malas na pequena suíte. Lar doce lar para o futuro previsível. Ela ainda não conseguia acreditar que estava aqui. Natasha pulou de volta para o táxi que estava esperando... Próxima parada: O Gabinete do Xerife do Condado de Sweetwater. Sua chefa, Kimberly Stewart vulgo 'The Ball Breaker', tinha sido nada mais do que gentil com ela, desde que lhe deu o trabalho há alguns dias. Kimberly não era uma pessoa alegre e gentil. Algo estava acontecendo. De acordo com sua supervisor, ela convenceu Titan a dar uma chance a Natasha. Natasha não tinha certeza do que acreditar. Ela não confiava em sua chefa. Nem um pouquinho, mas achava difícil acreditar que Titan tivesse mudado de ideia, por conta própria, sobre levá-la a bordo. Então, qual foi? Ou Titan mudou de ideia sobre ela ou Kimberly o empurrou para dar uma chance a Natasha ‒ nenhum dos dois parecia viável. No final, não importava. Esta foi uma chance para provar a si mesma e estava tomando com as duas mãos. Titan era seu superior direto para o futuro imediato. Eles tinham que trabalhar juntos. Ela ia jogar legal. Colocar o passado para trás e virar uma nova página, como o pai dela diria. Sentiu instantaneamente saudades de casa. Natasha não só desistira de sua própria família, como também deixara seu pessoal, seu irmão e toda a sua vida para se juntar ao FBI. Até agora, foi um erro. Não! Um sonho ao longo da vida não foi um erro. Ela começou com o pé errado. Isso foi tudo. Richard Evans estava com aquele pé

31


errado. Natasha teve que ter sucesso. Não havia outra opção. Uma vez que ela se provasse, poderia se transferir para outra divisão ‒ uma não dirigida por Evans ‒ e construir uma carreira afastando os maus. Uma grande placa dizia: Gabinete do Xerife do Condado de Sweetwater. Mostrava uma foto do distintivo de um Xerife. Eles estacionaram em um estacionamento ao lado de um veículo de patrulha. O prédio era maior do que ela esperava. Era moderno e parecia ser novo. Outro sinal apontou a cadeia do condado. Era um prédio separado no mesmo quarteirão. Ela agradeceu ao motorista e entrou. O cheiro de tinta fresca atingiu suas narinas. O prédio tinha que ser novo. Isso ou completamente recondicionado. Uma mulher mais velha estava sentada atrás de uma mesa de recepção alta, ela sorriu calorosamente quando avistou Natasha. "Bom Dia.” Ela olhou para o relógio, seu sorriso se alargou. “Não, faça isso… boa tarde. Acabou de fazer doze horas.” "Olá. Estou procurando o Xerife Carter ou...” Ela olhou além da dama. Havia várias pessoas na sala. Alguns estavam sentados em mesas, enquanto outros pareciam estar se mexendo. "Titan.” Ela finalmente disse quando não viu o homem em questão. Seus olhos se encontraram com a recepcionista. "Oh... sim..." A senhora mais velha riu. Ela corou. Titan estava aqui, bom. Natasha poderia dizer pela reação da outra mulher. A recepcionista assentiu. “Titan pegou o escritório da esquina. Até agora, ele parece manter para si mesmo. O Xerife Carter pediu que eu o chamasse, no momento em que você chegasse. Ele queria recebê-lo pessoalmente para Sweetwater. Eu sou Milly, a propósito.” Seu cabelo estava bem cortado e completamente cinza, caía logo depois dos ombros. Apesar da cor do cabelo, o rosto de Milly era apenas levemente forrado. Ela tinha grandes olhos azuis e um sorriso caloroso. "Espere só um minuto e eu vou buscá-lo para você." Milly bateu na porta com a placa do Xerife. Apesar dos acabamentos modernos, algumas coisas ainda eram muito antigas. O Xerife saiu do seu escritório momentos depois. Ele era um homem mais velho. Natasha imaginou que ele estava com quase 50

32


anos. Tinha uma barriga bem arredondada e um grande sorriso. Suas bochechas estavam rosadas. Natasha decidiu que ele faria um excelente Papai Noel, basta adicionar uma barba e uma roupa vermelha. Ela não pôde deixar de sorrir quando se aproximou dela. "Você deve ser a Agente Especial Walters.” Ele deu a volta no balcão da recepção e apertou a mão dela com uma grande sacudida. Natasha assentiu. "Sim. Por favor, me chame de Natasha.” "Sou o Xerife Carter, mais conhecido como 'Big Bear Bill' pelos moradores locais.” Ele soltou uma risada, finalmente soltando a mão dela. “Bem-vindo a Sweetwater.” "Obrigada! Eu tenho que dizer, é muito maior do que eu esperava.” Ela olhou ao redor da área da recepção. “Ah sim, até recentemente nós tínhamos uma população de menos de seis mil. Foi apenas um punhado de pessoas que manteve esse departamento funcionando. Não houve crime, exceto pelo estranho roubo menor ou doméstico...” Ele desviou os olhos para o lado. "Se você souber o que quero dizer. As coisas mudaram quando os vampiros decidiram lançar seu programa de criação. Todo o inferno praticamente se soltou.” Ele sorriu largamente. “As pessoas começaram a migrar para a Sweetwater e morar aqui ou visitar. Nossos números de turismo estão no teto.” "Eu aposto.” Natasha entrou na conversa. Não admira que houvesse tantos B&B por toda a cidade. "As mulheres amam os ‘não humanos’.” Ele falou suavemente e por trás de sua mão. "Temos patrulhas extras na Shifter Night.” Natasha levantou as sobrancelhas. "Shifter Night?" Big Bear Bill concordou com a cabeça, ele enganchou os polegares em suas alças de calça. “Na maioria das noites de sábado, os shifters se reúnem… bem para…” "Causar problemas?" Ela perguntou. "Não exatamente. Vamos apenas dizer que eles estão aqui para se misturar... com as mulheres... se você me entende?” Ele piscou para ela.

33


“Hmmhmmm. Tenho certeza que sim.” Natasha sorriu. “Não são os ‘não humanos’ que causam o problema. São esses grupos de ódio e... eu não sei...” Ele balançou a cabeça. “Eu acho que os níveis de testosterona estão altos. Nós não somos uma cidade grande e vivemos perto de tantos ‘não humanos’. Como eu disse anteriormente, as mulheres amam.” Milly riu e corou um pouco mais. "Eu acho que poderia preferir os vampiros aos shifters.” Ela olhou diretamente para uma das portas fechadas que se alinhavam na parede mais distante. O escritório da esquina. Titan. Ele estava naquele escritório. Natasha engoliu em seco. O cara não era tão bonito assim. Ela o exagerou em sua mente. Alto, construído, facas amarradas à sua pessoa. Ok, essas coisas eram sexy. No entanto, o cabelo crescido em um homem estava errado em muitos níveis. Nele era supermasculino, porém, super ‒ em outro nível ‒ sexy. Uma barba em um homem nunca foi sua coisa também. Ainda sobre ele... Ela puxou seus pensamentos da sarjeta. Ela ficaria desapontada quando o visse de novo, ela apenas sabia disso. “Portanto, nossa missão é fornecer serviços públicos e segurança da mais alta qualidade, a fim de preservar, proteger e defender os direitos dos cidadãos e visitantes em Sweetwater. Nós não somos mais o pequeno escritório que uma vez fomos. Milly aqui administra a recepção e o administrador geral. Nós temos nossa própria divisão de correções.” "Eu vi isso quando cheguei." O Xerife Carter assentiu. "Oh sim. Nossa divisão de campo é vinte e três forte e depois há o departamento de registros. A Sweetwater tem até um pequeno laboratório agora. Não precisamos mais enviar todas as nossas evidências para serem processadas.” "Isso é ótimo! Há quanto tempo você está neste prédio?” "Apenas três semanas.” Ele sorriu com orgulho. “Estávamos explodindo nas costuras do prédio antigo. Não era nem mesmo um verdadeiro escritório. Nós estávamos em uma

34


casa convertida. Por um tempo, precisei usar uma dessas agências para me ajudar a encontrar funcionários.” “Então, Sweetwater é o lugar para estar então.” Natasha sorriu. “Parece assim. Eu estava saindo, mas antes de ir, vou apresentar alguns dos meus adjuntos.” "Esse é Emmet.” Milly falou baixinho. Ela apontou para o zelador. Ele estava ocupado esvaziando cestas de lixo no outro lado da sala. "Não ligue para ele, é um pouco sombrio e..." "Não diga assim." Big Bear Bill franziu a testa. "Ele é intelectualmente desafiado." Milly espantou o Xerife. “Simplificando... atarracando... ele é como uma criança de várias maneiras. Ele trabalha em uma mistura de turnos diurnos e noturnos. Ele é um garoto doce o suficiente, só não fique muito complicado quando...” "Isso é o suficiente, Milly." Big Bill não parecia muito feliz. "Eu vou apresentar-lhe para..." Ele olhou por cima do ombro para os oficiais indo sobre seus negócios. "Agente Especial Walters." Profunda, crua e intimidante. Sua voz era o suficiente para enviar arrepios acima e abaixo em sua espinha. Ela não exagerou aquela voz incrível em sua mente. Tão profundo, tão primitivo. Foi naturalmente rouco. "Eu preciso de você." Não tão ameaçador como ela se lembrava, mas tão enfumaçada e rica. Ele precisava dela. Necessário. Dela. Sua mão apertou a borda da porta. Ela podia ver a silhueta dele. "Agora, por favor.” Outro arrepio. Natasha tinha certeza de que ela estava arrepiada. Graças a Deus, decidiu usar um terno, completo com jaqueta. Ele não seria capaz de ver a carne em seus braços. Reúna-se, Walters. "Com licença.” Ela olhou para o Xerife e depois para Milly. "Claro, o dever chama." Big Bear Bill piscou para ela. Natasha assentiu e foi para o escritório de Titan. Suas mãos tremiam.

35


Natasha tinha que lembrar a si mesma que Titan não queria ser parceira dela. Ele provavelmente tinha sido falado nisso. Além disso, ele poderia ser quente, mas estava fora dos limites e, provavelmente, um idiota para arrancar. Natasha prendeu a respiração enquanto entrava no escritório. Titan estava debruçado sobre uma mesa e digitando algo em um laptop. Droga! Ele ainda usava aquelas calças de couro apertadas e um tipo de colete de couro. Seus braços estavam nus. Nenhum pânico! Seus bíceps eram maus construídos. Os caras do Bureau iriam se cagar para ter músculos assim. Seu cabelo estava amarrado com uma tira de couro. Foi bárbaro. Ele olhou para ela, uma carranca profunda na testa. "Bom dia... quero dizer... tarde.” Ela bufou. Titan deu um aceno de cabeça. Ele tocou uma pilha de arquivos em sua mesa. "Você precisa ler estes." Direto para os negócios. Bom! Ótimo! "OK.” Ela lambeu os lábios. "São relatórios detalhados de cada ataque, cada ato de vandalismo nos últimos dezoito meses." Natasha olhou para a pilha de arquivos e depois olhou Titan. Ela franziu a testa. “Eu já li todos os relatórios. Eu fiz minha pesquisa sobre este caso.” Ele balançou sua cabeça. “Você leu as coisas humanas. Estes são muito mais detalhados. Precisamos achar os filhos da puta responsáveis e levá-los à justiça.” "Entendido. Eu vou começar com eles então. Eu queria te agradecer por me levar a bordo.” Havia uma mesa vazia de frente para aquele com o laptop. "Isso é meu?" Ela apontou para a mesa. A mandíbula de Titan se apertou por uma fração de segundo. "Sim.” Ele não gostou da ideia deles compartilharem. Ele não parecia muito feliz em vê-la também. Bem, merda dura! Ela assentiu. "Perfeito." Titan tirou o celular do bolso e entregou a ela. "Eu preciso do seu número."

36


"Sem problemas!" Por que ele simplesmente não tirou o arquivo dela? Provavelmente ainda não tinha lido. “Vou lhe enviar o código Wi-Fi. Eu vejo que você tem um laptop.” Ele olhou intencionalmente para a bolsa em seu ombro. Ele colocou a pilha de arquivos em sua mesa. "Sim. Tudo pronto." "Eu vou mandar o macho da TI te preparar para que possa usar a impressora." Natasha

assentiu. Ela

programou

seus

detalhes

em

seu

telefone

e

o

devolveu. "Obrigado. Ouça ‒ ela fez uma pausa. “Eu sei que você não queria trabalhar comigo nisso. Que foi preciso algum convencimento para fazê-lo concordar...” Seus olhos se estreitaram. “Mas eu só queria que você soubesse que estou cem por cento a bordo. Eu estou..." "Bom!" Ele a cortou. “Eu tenho algumas coisas que preciso fazer. Devem levá-lo o resto da tarde. Eu planejo usar você como suporte desta operação.” "Suporte?" Ela não pôde deixar de franzir a testa. "Sim, para pesquisa e..." "Eu sei o que seria esperado.” Mais dever de mesa. Merda! Isso é uma merda. Titan

segurou

seu

olhar

por

alguns

momentos. “Isso

precisa

ser

tratado

metodicamente. Sabemos algumas das identidades dos machos. Vou começar por entrevistas com familiares, amigos íntimos e colegas.” Parecia uma perseguição selvagem. Natasha sabia que esses caminhos já haviam sido explorados sem que novas informações se concretizassem. Era padrão refazer todos os caminhos de qualquer maneira, então ela não disse nada, no entanto, se Titan quisesse encontrar este grupo e seus membros, ele precisaria ter um plano melhor. Merda! Ela também pode perguntar. Eles estavam trabalhando juntos nisso. "Qual é o plano?" Titan já estava a caminho da porta. Ele se virou de volta. "Acabei de te falar." Com isso ele se foi, a porta clicando atrás dele. Natasha fechou os olhos e soltou um suspiro que desmentia o quão profundamente frustrada se sentia. Como iria se provar se não tivesse

37


chance? Titan não tinha experiência em conduzir uma investigação como essa e ficou claro que ele não planejava usar o conhecimento dela. Além de frustrada, ela também se sentiu desapontada. Parecia que supervisionou ou realmente havia falado com Titan para levá-la adiante. Ele teria definido o recorde de outra forma. Não era algo que deveria incomodá-la, mas aconteceu. No final, uma coisa estava clara ‒ ele não a queria lá. Outra coisa era ainda mais clara ‒ ela teria que provar que ele estava errado.

38


6 Eu era o melhor. O olhar de mágoa que apareceu em seus olhos quase o fez querer corrigir o registro. Foi uma carga de touro. Ele fez a coisa certa. Não devia a fêmea uma coisa maldita. Ele a manteria naquela mesa e fora do seu caminho. Se ela não gostasse dele, seria um bônus. Não estava aqui para fazer amigos e definitivamente não fazer parceria com um humano. Certamente não é uma linda mulher. Não é uma merda! Deixe Natasha pensar que ele teve que ser convencido a aceitá-la. Isso o irritou que Kimberly Stewart mentiu. Não o surpreendeu, no entanto. A fêmea era uma má notícia. Depois de enviar uma mensagem rápida para Natasha, que incluía o código Wi-Fi e seu endereço de e-mail, ele guardou o celular e respirou fundo. A maioria dos policiais humanos tinha ido embora. Com patrulhando as ruas ou o que foi que eles fizeram. Milly estava ao telefone. Sua atenção momentaneamente no bloco de notas ao lado do dispositivo, enquanto ela recebia uma mensagem. Era agora ou nunca. Ele entrou no escritório do Xerife e parou por alguns segundos. Quando ninguém entrou depois dele, assumiu que não tinha sido visto e começou sua busca. Estava saindo daqui em poucos minutos, o que representaria o maior risco. Ele já tinha planejado como iria lidar com isso se fosse preso. Ele tinha que ficar quieto. Havia uma infinidade de esconderijos. Ele levantou outra moldura da parede e olhou cuidadosamente por trás dela. Examinou as paredes à procura de um buraco. Titan olhou para a mesa do Xerife. Seus olhos zonearam no telefone sem fio. Nah! Certamente isso era óbvio demais. Embora, obviamente, o caminho certo fosse o caminho certo. Ele desembainhou a faca amarrada na coxa e começou a trabalhar desmontando o dispositivo. Cuidadosamente abriu a casca e lá estava isto. Uma escuta. O telefone estava sendo tocado por um transmissor de rádio sem fio em miniatura. Este foi um modelo muito básico. Não rastreável, mas eficaz. Surpreendeu-o que esta agência de aplicação da lei não

39


varresse regularmente para este tipo de dispositivo. Eles tinham todos os tipos de protocolos no local fo castelo. Especialmente agora que havia humanos no local. Ninguém poderia ser muito cuidadoso, e isso era prova disso. Seu intestino estava certo. O Xerife era mais do que provável inocente. Isso provou isso. Ninguém tocou em si, a não ser, é claro, que eles estivessem tentando desviar a atenção. Todo mundo era um jogo justo neste momento. Titan desligou o telefone com cuidado. Ele tirou a carteira e o pequeno transmissor dentro dela. Colocou um aparelho próprio ao lado do que já estava dentro do telefone. Ele trabalhou rapidamente, com cuidado para não perturbar o aparelho. Ele não queria alertar o filho da puta que tinha colocado lá. Ele, no entanto, queria saber tudo o que eles estavam a par. Desta forma, pode ser capaz de ser um passo ou dois à frente do jogo. Ele pode ser capaz de adivinhar o próximo movimento. O único problema seria varrer todo este bloco do escritório para mais dispositivos desse tipo, sem ser detectado. Havia alguns lugares com os quais ele poderia começar e depois, lentamente, tentar cobrir todas as áreas. Titan terminou de proteger sua própria escuta e fechou o telefone de volta. Em seguida, concluiu a checagem do escritório do Xerife. A escrivaninha, cada gaveta, a cadeira e o arquivo no canto. Ele até verificou os troféus e molduras na mesa do macho, mas veio de mãos vazias. Claro que o transmissor no telefone era o único dispositivo, ele foi até a porta e parou para ouvir os sons de alguém por perto. Milly estava ao telefone novamente. Desta vez falou com o filho; ela estava perguntando sobre seus netos e sua esposa. Fazendo conversa geral. Ele podia ouvir o som de alguém arrastando papéis em uma mesa. Se essa pessoa olhasse tanto para a esquerda, ele seria preso. Alguém estava andando, mas os passos estavam diminuindo. Este foi um momento tão bom quanto qualquer outro. Titan saiu. Ele não tentou esconder o fato de que estava no escritório do Xerife. Ele fechou a porta e balançou a cabeça. Titan não era ator, esperava que qualquer um que o visse agora acreditaria que acidentalmente entrou no escritório errado. Era plausível desde que ele só chegou ao local esta manhã. Parecia que muitos humanos acreditavam que vampiros eram idiotas, então ele lucrava com esse tipo de pensamento.

40


Em seguida, Titan caminhou até seu próprio escritório e entrou, mantendo sua aparência exterior casual. Ele fechou a porta atrás dele, segurando um suspiro. Parecia que ninguém o notara e, se o fizessem, comprariam todo o escritório errado. A fêmea tinha vários arquivos abertos em sua mesa. Ela estava fazendo anotações em uma pasta, também aberta em sua mesa. Natasha olhou para cima quando ele entrou, mas rapidamente olhou de volta para o trabalho na frente dela. "Tudo certo?" Ele perguntou. "Apenas excelente." Curto e breve. Os músculos vigorosos de cada lado do pescoço se levantaram. Ainda chateado com ele. Perfeito! "Eu só parei para verificar você, mas desde que está bem, eu preciso voltar.” Ele apontou para a porta atrás dele. "Certo. Apenas deixe-me saber se você sair. Eu sou tecnicamente seu suporte, então se alguma coisa acontecer com você é minha bunda.” Acontece com ele. Esta fêmea foi um motim. “Eu sou difícil de matar, então não me preocuparia se fosse você, além disso, planejo ficar fora do radar. Quanto menos pessoas na Sweetwater souberem que estou aqui, melhor.” A fêmea riu. "Eu sinto muito.” Ela acenou com a mão. "É só que...” Ela riu mais um pouco. "Sob o radar...” Ela repetiu suas palavras. "... isso é tão engraçado.” Ela colocou a mão em sua barriga, ela estava rindo tanto. Titan franziu a testa. "O que é tão engraçado? A parte sobre ser difícil de matar? Porque é quase impossível matar um ‘não humano’.” A fêmea ficou sóbria num instante. “Primeiro, você pode ser difícil de matar, mas não é impossível. Você já perdeu duas vidas de vampiros para este grupo. Muitos de seus homens foram feridos. Eu acredito que a tentativa na vida de Zane foi quase bem sucedida.” Porra! Ela tinha feito o dever de casa. Ele não pôde deixar de ficar impressionado. "Então, em segundo lugar..." Um sorriso brincou com as bordas de sua boca exuberante. "Eu não sei como você planeja ficar sobre o radar desse jeito."

41


Titan olhou para baixo, assumindo sua aparência. Ele estava vestido em seus couros cheios. A mesma roupa que ele usava todos os dias. Ele era um guerreiro, um da elite. Um dos melhores. Natasha levantou-se de trás de sua mesa e caminhou ao redor dele, lentamente. Ela olhou para ele. Fique firme! A avaliação foi estritamente por razões profissionais. “Humanos não se vestem assim. Não me entenda mal, eu gosto de toda a faca que você está vendo, mas...” Ela balançou a cabeça, finalmente se permitindo sorrir. "Um humano nunca teria tantas lâminas amarradas à sua pessoa, especialmente aquela linda espada curva nas suas costas." “Não é uma espada, é uma cimitarra” "Bem, sua cimitarra é muito bonita." Titan notou como seus olhos rastrearam toda a extensão de sua lâmina. Eles brilharam de emoção por um momento. Não é para você, ele lembrou a si mesmo. A fêmea gosta de armas, é isso. Ela levantou as sobrancelhas. "Mas vai provocar muitos olhares se você for para a cidade vestido assim." A fêmea estava certa. Ele não planejara isso tão bem quanto pensara. "Anotado.” Ele rosnou. "Eu tenho algum lugar que eu preciso estar." "Certo.” Ela franziu a testa. “Espero que você vá me informar sobre os detalhes de nossa missão em algum momento. Não posso ser útil para você, se não souber qual é o nosso ângulo.” "Eu já informei a você.” Ele estreitou os olhos, desejando que a fêmea a fechasse. “Termine de trabalhar com isso. Vou começar a entrevistar a família e os amigos dos envolvidos amanhã. Alguém deve saber alguma coisa.” “Eu duvido que você consiga algo de qualquer um deles. Autoridades locais já tentaram. É bom que você esteja refazendo os passos, mas você precisa...” "Eu posso ser persuasivo.” Ele a cortou, curvando o lábio para trás e mostrando uma de suas presas. A fêmea não recuou ou ofegou ou qualquer outra coisa que os humanos normalmente faziam.

42


Se qualquer coisa, ele tinha certeza que viu interesse em seus olhos escuros. Seu peito pareceu se expandir um pouco mais, um pouco mais rápido. Ela gostou de suas presas. Não é uma merda! Ele estava lendo tudo errado. Titan lembrou a si mesmo que, embora trabalhasse com mulheres humanas, tinha muito pouca compreensão delas. Fase a isso, ele não tinha entendimento. Elas raramente diziam o que queriam dizer. Sinais mistos eram comuns. Ele tinha visto diariamente em suas relações com as criaturas. Elas diriam que não estavam interessadas em um macho, quando seus corpos estavam claramente excitados. Ou declarariam que não tinham sentimentos. e ainda assim poderia sentir mágoa ou raiva deles. Aconteceu com mais frequência do que poderia pensar. Isso confundia sua mente. Além disso, ele não se arrependeu o suficiente por suas ações. Empurrou as emoções rebeldes enquanto as memórias inundavam sua mente, envergonhando-o. "Boa rangida.” O olhar de Natasha estava firme em seus lábios. "Me faz pensar por que você precisa carregar tantas armas." "Eu gosto das minhas lâminas.” Ele colocou a mão no punho da faca em sua coxa e esfregou-a. Natasha seguiu o movimento. Ela lambeu os lábios. "Eu posso relacionar.” Ela desabotoou a jaqueta folgada, abriu-a de um lado e colocou a arma que estava presa debaixo do braço. Porra! O ar se apoderou de seus pulmões e seu pênis decidiu que era hora de sair e brincar. Obrigado, fodidamente por ele estar vestindo calças apertadas. Seus seios eram... eles eram... mag...foda..nifico. Tão grande para uma mulher tão pequena. Ele forçou o olhar a se mover para a mão dela, que ainda acariciava a arma. Tudo o que ele conseguia pensar era na mão dela em sua... Não há uma chance que esteja acontecendo. Nunca! Titan deu um sorriso tenso quando a olhou nos olhos. “Eu prefiro o combate corpo a corpo. Armas não são minhas coisas.” Ela estreitou os olhos por um momento. Era como se estivesse zangada com ele ou algo assim. Por que o comentário dele a deixaria com raiva? Uma pequena conversa e já estava fodendo isso. O que ele disse? Talvez fosse algo que não tivesse dito.

43


Combate corpo a corpo. Certo! Ela esperou que ele a convidasse para uma rápida sessão de sparring, uma que envolveria seu pau dentro dela. Ela também esperou pela familiar sensação de raiva apertar sua garganta. A onda de adrenalina que veio com isso. Houve um surto bom, só que não era adrenalina, era luxúria. Era todo o músculo, as armas amarradas ao seu corpo afiado. Era definitivamente a pequena fenda em sua mandíbula e aqueles olhos azuis assustadoramente lindos. Ela olhou para aqueles olhos agora; o cara tinha um olhar triste e perdido sobre ele. Isso trouxe coisas nela que ela nunca pensou que tinha. Como a necessidade de nutrir e a necessidade de resgatar, o que era um monte de merda. Ele não precisava de resgate. Além disso, o cara não gostava dela e era um sexista também. Não era melhor do que qualquer um dos outros babacas que foi forçada a trabalhar. O que ela precisava era atirar em algo, a saber, um par de alvos ou, melhor ainda, alguns pombos de barro. Alvos móveis eram muito mais divertidos. "Você não deve bater até tentar.” Ela finalmente disse. Quebrando o momento. Que momento? Isso não foi um momento. Titan limpou a garganta. "O que?" Ele deu uma pequena sacudida na cabeça. Ok, talvez tenha sido um momento. Ela abotoou a jaqueta. Oh, era isso, tinha tirado as garotas. Não admira que ele não pudesse pensar direito. Confie em um par de triplo Ds para fazer isso com um homem todas às vezes, apesar de usar dois sutiãs esportivos. Obrigado, Oprah, por essa pequena dica. Dois sutiãs, o segundo um tamanho pequeno demais. Só que ele mal havia olhado. Um olhar minúsculo e então seus olhos foram direto para a arma dela antes de trancar no rosto dela. Uau! Um primeiro com certeza. “Você não deve bater atirando, até que você tente. Eu acho que gostaria disso.” Ele balançou sua cabeça. "Duvidoso. Eu voltarei daqui a pouco.” "Certo. Bem.” Ela sentou-se e pegou o arquivo que estava ocupada. Natasha observouo sair. Ela notou que ele não pegou as chaves do carro, que ainda estavam na mesa. Podia relaxar e voltar ao trabalho. Por enquanto, Titan não ia a lugar nenhum.

44


Houve um total de seis incidentes. Apenas três deles tinham sido sérios. Os outros eram todos mesquinhos e possivelmente não relacionados. Coisas como jogar uma carcaça sangrenta na entrada do clube de propriedade de vampiros, Aorta. Alguém pintou uma das paredes no portão principal do castelo. Eles escreveram coisas como 'Vampiros devem todos morrer' e 'Abominações'. Um veículo de vampiro foi vandalizado da mesma maneira, quando um grupo de ‘não humanos’ entrou na Sweetwater, o que aconteceu de tempos em tempos. O veículo foi arranhado e os pneus esvaziados. Caso contrário, grupos de pessoas às vezes se reuniam do lado de fora dos portões do castelo. Havia aqueles que amavam os vampiros e aqueles que queriam que fossem embora. Até agora, nenhuma das campanhas havia escalado. Houve cantos e sinalizações, mas foi aí que terminou. Os três principais ataques foram distribuídos ao longo de um período de catorze meses. Eles foram todos planejados e tinham que ter sido o trabalho de alguém com formação militar ou de Forças Especiais. O primeiro foi em um helicóptero carregando um dos reis vampiros ‒ Zane. O helicóptero fora disparado do céu, matando o piloto. Zane sobreviveu ao acidente, mas foi embora e sumiu. Titan estava certo, os ‘não humanos’ eram hardcore. Eles quase conseguiram matar o rei. Desde aquele incidente, a segurança em torno da realeza dos vampiros tinha sido apertada. O segundo incidente ocorreu quando uma das mulheres escolhidas para o Programa foi sequestrada de um ponto de ônibus, depois de ser deixada por dois guardas vampiros. Os fascistas estavam monitorando o portão e haviam seguido e levado a mulher. Foi oportunista. Depois de entrevistar a abduzida, Jenna, ficou claro que os assaltantes não estavam operando sozinhos. Houve um poder maior no trabalho. Embora Jenna tivesse sido recuperada, mais informações nunca foram obtidas, porque todos os envolvidos haviam sido mortos. Três dos homens por um deles e o líder do cartel por um dos vampiros, enquanto resgatavam o humano. Então houve um ataque a um comboio levando uma mulher humana de volta a Sweetwater. Ela também foi uma das participantes do Programa. Um veículo que transportava

45


guardas vampiros foi explodido por um fuzil de assalto. A balística concluiu mais tarde que a artilharia usada era de um M20 Rocket Launcher. Dois vampiros morreram no ataque, o que deixou um terceiro gravemente ferido. O táxi que transportava a mulher também foi atacado. O taxista foi assassinado, o estilo de execução e o humano sequestrado. O plano era matá-la e enquadrar os vampiros para sua morte. Um guarda de vampiros havia perseguido e, eventualmente, sozinho, resgatado a mulher, mas novamente, nenhum dos humanos foram deixados para interrogar. Acontece que os vampiros não eram grandes em deixar sobreviventes. Pelo menos ela tinha algo em comum com os ‘não humanos’. Isso foi há alguns meses atrás. Parecia que o castelo estava sendo vigiado. Movimentos fora das muralhas do castelo estavam sendo rastreados. Era lógico que esse grupo já soubesse que Titan estava em Sweetwater. Até agora, os vampiros regulares não tinham sido alvo. Eram mulheres humanas e a realeza, mas isso não significava que não houvesse um alvo gigante nas costas. Ele precisava dela como seu apoio, se queria admitir isso ou não. Natasha olhou para o relógio. Ela precisava se reportar ao seu supervisor. A Ball Breaker esperava um relatório escrito por dia. Algumas coisas não mudaram, apesar de sua localização e atribuição. Natasha abriu o e-mail e digitou um memorando que listava todos os seus movimentos do dia. Era algo que estava acostumada, considerando que tinha escrito um relatório diário nos últimos dois meses. Ela leu o e-mail duas vezes para se certificar de que não havia erros de digitação e que havia incluído tudo e pressionou ‘enviar’. Nada aconteceu. Não, isso não era verdade, o e-mail foi salvo para o rascunho em vez de ser enviado. Merda! Não fazia sentido. Ela tinha conexão com a internet, então não era seu Wi-Fi que era um problema, era a função de e-mail em si.

46


Natasha tentou fechar o e-mail e reabrir. Ela se ressentiu do correio e a mesma coisa aconteceu. Em seguida, tentou reiniciar seu computador inteiro, mas isso também não ajudou. Dupla merda! Seu supervisor estaria esperando por esse e-mail. Kimberly iria servir-lhe a bunda se fosse mesmo alguns minutos atrasados. Só para estar segura, ela gostava de pegar a coisa mais cedo, porque mais uma grave e ela estava fora. Não iria surpreendê-la se Stewart usasse algo tão trivial como isto para conseguir sua bota. Ela não comprou toda a rotina ‘estou te dando outra chance’. Ela não estava se arriscando. Titan havia mencionado um cara da TI. Havia alguém neste prédio que poderia ajudála. Na pior das hipóteses, ela seria forçada a ligar para sua supervisora e explicar a situação, dar-lhe um relatório telefonicamente. Natasha não gostou. Havia uma coisa que todos os novos recrutas eram ensinados: quando se trata do lado da papelada, cubra o traseiro. Cubra esse bebê. Isso significava colocar tudo por escrito. Relatórios, follow-ups, reuniões, tudo isso. O campo era todo sobre equipe e ter suas costas. O escritório era sobre ter suas próprias costas. A caneta era realmente mais poderosa que a espada em alguns casos. Natasha endireitou a mesa. Ela fechou seu laptop e colocou-o em sua bolsa, antes de jogá-lo nas costas. Ela foi direto para a recepção. Todo o rosto de Milly se iluminou. "Feita para o dia?" Natasha tentou esconder sua surpresa. Acabara de fazer três horas. Seu dia estava longe de terminar. "Não, estou com problemas no computador.” Ela bateu na lateral da bolsa do laptop. Milly sorriu. "Eu nem saberia a primeira coisa sobre a troca de uma dessas coisas.” Ela sussurrou como se estivesse divulgando um segredo comercial. "Big Bear continua ameaçando me pegar um e me fazendo tomar um curso chique, mas vou resistir o quanto for humanamente possível." Natasha sorriu de volta. “Eu entendo que isso pode ser assustador. Você deveria tentar.”

47


Milly sacudiu a cabeça, parecendo com medo. Natasha riu. "Onde está o departamento de TI?" "Oh, nós não temos um departamento de TI, querida." "Eu pensei que Titan disse que havia um." "James Dawson dirige nosso pequeno laboratório, ele também funciona como nosso suporte de TI.” Milly ergueu as sobrancelhas. “Onde eu encontraria o laboratório?” Natasha perguntou quando era evidente que Milly não ia oferecer a informação. "Basta ir pelo corredor, James é a última porta à direita." Natasha assentiu. "Eu sei que você perdeu a turnê mais cedo." A mulher mais velha corou. Ela estava pensando em Titan novamente. Natasha podia ver os sinais reveladores. Milly tinha um olhar distante e bochechas rosadas. Houve um sorriso brincando com as bordas de seus lábios. "Você foi chamada por aquele belo espécime de um homem.” Ela disse. Natasha teve que tentar não rir. Milly tinha uma pequena queda pelo vampiro e, embora odiasse admitir, não podia culpar a mulher. "Sim, ele não é ruim para os olhos." "Não é ruim!" Milly pareceu chocada. “Você viu os músculos dele? Não é só isso, ele é bonito também. Longos cílios e aqueles olhos.” Ela fingiu desmaiar, apertando a borda da mesa dramaticamente. “Inferno sinos! Ele me dá calores e não é a menopausa falando.” Natasha riu. "Ele é um pouco Neandertal embora." “Ele vai direto ao ponto. Não há bobagem ou conversa fiada. Acho que ele seria o mesmo no saco.” Não pense nisso. "É melhor eu ir embora." Natasha podia sentir como suas próprias bochechas tinham aquecido. Titan não era a melhor conversadora, mas sabia que a mulher mais velha estava certa. Os lençóis queimariam com ele entre eles. Pare! Milly franziu os lábios por um segundo. Ela puxou uma respiração pelo nariz e fez contato visual com Natasha. As bochechas da recepcionista ainda estavam vermelhas. "Só para você saber, os banheiros estão lá, se precisar ir e espirrar seu rosto.” Ela piscou e

48


apontou para o outro lado da sala. “A cozinha fica a meio caminho do corredor à esquerda. Você passará quando for até o laboratório. Deixe-me saber se precisar de mais alguma coisa. Você tem sorte de estar compartilhando um escritório com aquele homem sexy. Não faça nada que eu não faria.” Ela piscou. Natasha revirou os olhos. Ela não pôde deixar de rir. "Obrigado pelas instruções.” Ela ignorou os comentários e foi para o corredor. Havia várias portas de cada lado. Elas estavam todos fechados. Havia uma abertura à esquerda. A cozinha era maior do que esperava. Tinha duas mesas no meio. Um cara sentado de costas para a entrada, ele parecia estar comendo. Ela continuou se movendo. A última porta à direita também estava fechada. Natasha bateu uma vez. Nada. Ela tentou uma segunda vez antes de abrir a porta. "Olá.” Ela olhou para dentro, esperando encontrar um quarto vazio. Titan encostou-se a uma das bancadas de trabalho. Seus braços estavam cruzados em seu peito. Ele levantou uma sobrancelha. "Oh!" Ele saiu em um sopro de ar. "É você." Que coisa estupida para se dizer. "O que você está fazendo aqui?" Ela rapidamente acrescentou. "Esperando.” Foi sua resposta de uma palavra. Natasha estreitou os olhos. "Por quê?" “Nós dois precisamos de acesso à impressora. O que você está fazendo aqui? Eu te disse que iria organizar tudo. Você não pode terminar de ler esses arquivos.” Ele estreitou os olhos e sua voz se aprofundou. Por apenas um segundo, parecia que ele a estava acusando de algo. Não fazendo o trabalho dela? Então ele desviou o olhar e, quando olhou para trás, o que quer que estivesse em seus olhos se foi. "Meu e-mail não está funcionando.” Ela podia ouvir a leve irritação em sua voz. "Preciso enviar algo como uma questão de urgência, então aqui estou eu." Embora ele parecesse completamente relaxado, ela não pôde deixar de notar como seus músculos se destacavam. Quem ela estava enganando? Músculos assim sempre se

49


incham. Eles não puderam se ajudar. Havia algo mais que a incomodava, mas não conseguia identificar exatamente o que era. Natasha estava prestes a perguntar quanto tempo ele planejava ficar por perto quando o cara da cozinha entrou. Ele usava a mesma camisa marinho, de colarinho bronzeado e calças. A maior oferta foi o cabelo dele. Era loiro e afinando pesadamente no topo. “Oh! Hum oi.” Ele estreitou os olhos e empurrou os óculos de volta para a ponta do nariz. “Eu não sabia que tinha pessoas esperando. Eu tive que dar uma pausa rápida no almoço, embora...” Ele olhou para o relógio. “Não é mais hora do almoço. Eu sou James Dawson. Como posso ajudar vocês dois? Titan apresentou Natasha a James e eles apertaram as mãos. "Nós dois precisamos ter nossos computadores adicionados à impressora.” Disse Titan. James assentiu. "Facilmente feito." Tanto ele quanto Titan continuaram a conversar, mas Natasha estava ocupada demais tentando descobrir qual era o sentimento persistente. Titan teria passado por James para chegar ao laboratório. Por que ele passaria o homem comendo o almoço e continuaria assim mesmo? Titan a apresentou a James, então era razoável que conhecesse o cara e o reconhecesse. Ele era um vampiro por causa de Cristo, então tinha sentidos superiores. Ela se recusou a acreditar que Titan andaria por ele e continuaria. Então, novamente, James pode ter estado no banheiro. O que foi isso? Por que essa coisa toda se sentiu de alguma forma? Foi provavelmente porque Titan foi um pouco rude com ela, insinuando que não estava fazendo seu trabalho. Não era algo que deveria incomodá-la. Ele não queria trabalhar com ela e estava acostumada a atitudes como a dele. "O que você disse que era o problema?" Repetiu James. Natasha percebeu que havia dirigido a pergunta para ela. Merda! "Eu... eu não posso enviar e-mails.” Ela desabafou, abrindo a bolsa em seu ombro e entregando seu laptop para James. Natasha olhou para Titan, que ainda estava encostado na mesa de trabalho, com os olhos focados em James. Ela estava apenas sendo uma idiota. A

50


sensação persistente ainda estava lá, junto com a sensação de que estava sendo mantida no escuro. Natasha não gostou.

51


7 Na manhã seguinte... Os arquivos foram fechados na sua mesa. Todas as anotações dela estavam em seu iPad e as mandara de volta para si mesma como cópia de segurança. Ela até fez pesquisas sobre todos os indivíduos que estavam prestes a entrevistar. Entre o Google, o Facebook e várias outras plataformas sociais, acumulou um pouco de informação. Surpreendeu-a o fato de poucas pessoas terem compromissos particulares envolvidos. Especialmente quando muitos indivíduos gostavam de postar sobre cada aspecto de suas vidas, incluindo fotos do que estavam comendo e para onde estavam indo. Era doido! Agora, ela estava girando os polegares. Onde estava Titan? Ela não podia continuar sem ele. Especialmente desde que não tinha ideia do que ele estava planejando, o que pensava. Seria desaprovado se ela conduzisse uma investigação por conta própria. Anotou algumas ideias. Esperando que ele estivesse aberto para pelo menos ouvi-la. De alguma forma, duvidou disso. Natasha não pôde evitar a risada que escapou no momento em que Titan entrou pela porta. Ela bateu a mão sobre a boca para tentar conter a explosão. Toda a sua postura ficou tensa e uma carranca apareceu em sua testa. "Sinto muito.” Ela finalmente disse uma vez que conseguiu se controlar. Seus olhos estavam marejados por conter o riso. Ela se sentiu mal com sua explosão inicial. "Eu entendo que a roupa não funciona?" Ele olhou para baixo. "Eles eram as únicas coisas que tinham que me servem.” Ele soou baixo e irritado, e de uma só vez. Isso a fez se sentir pior. Titan usava uma regata tipo "mulher-batedor.” Ele se esticou em seu peito largo e mostrou o abdômen rasgado através do algodão branco. Ela passou de se sentir culpada a sentir outras coisas. Coisas inapropriadas. Ela limpou a garganta. Suas calças eram horríveis, apenas olhando para elas, fez aquelas outras emoções descontroladas secarem um pouco. Eram shorts de cordão que pararam cerca de três quartos nas coxas, em vez de no joelho. Elas eram feitos de um material de tie-dye azul claro que tinha um visual

52


distintamente hippie sobre eles. Eles se encaixam quase como uma segunda pele, em vez de ficarem soltas como pretendido. Santo inferno! Isso era dele...? Ela rapidamente desviou os olhos, sentindo suas bochechas esquentarem. Virando o inferno, mas ele estava fazendo as malas. A menos que, claro, estivesse tentando esconder uma arma gigante em forma de salame. Uma que pendia distintamente à esquerda em um leve círculo. Jesus, mas ela era uma pervertida ‒ alguém que tinha obtido muito pouca ação nos últimos anos. Ela limpou a garganta uma segunda vez, tentando esvaziar sua mente de pensamentos sujos. Uma que incluiu seus quadris empurrando seu rosto definido em... Pare com isso! Pare com isso agora! "Eu vou e mudo.” Ele rosnou. Sua mandíbula estava firme e seus olhos ardiam. Merda, ela o irritou. “Eu sinto muito pela minha reação. Foi errado da minha parte rir.” Ele a ignorou e pegou uma mochila. "Não mesmo. Titan...” Ele balançou a bolsa de costas e se dirigiu para a porta. Foi muito ruim da sua parte perceber naquele momento, mas não pôde evitar. Sua bunda era tão boa, mesmo envolvida naquele tecido divino. Glúteos espessos e carnudos que foram claramente ganhos com dificuldade. Coxas duras feitas para escarranchar. Esse cara deve gastar metade de sua vida no ginásio. "Você está verificando minha bunda?" Titan rosnou. Oh sacudida. Ela estava totalmente perdida! "Hum... não!" Ela balançou a cabeça. “Eu não pude deixar de olhar. Essas calças são tão ruins assim. A camisa também não serve.” "Eu não consegui as camisas regulares para passar por cima do meu bíceps." Nenhuma maravilha enlouquecedora. Seus bíceps eram como troncos de árvores. Ele continuou. “Se as calças se ajustassem às minhas coxas, elas seriam grandes demais na minha cintura.”

53


Sim, bem, isso foi porque ele tinha uma cintura muito estreita com abdômen que poderia fazer uma mulher arrancar seus próprios olhos para se impedir de olhar. Pare de olhar, Natasha! Seus olhos finalmente se encontraram com os dele. “Onde comprou? Você poderia ter encontrado algo, com certeza.” “A grande loja da cidade. Tem tudo. As camisas eram largas o suficiente para caberem em meu peito e braços.” Ele deu um aperto no braço duro como uma rocha. ”Acabou parecendo estranho. O pescoço era grande demais.” “Oh, você quer dizer Bringmart. Sim! Não! Eu posso entender porque você não encontrou nada. Camisas de tamanho maior são feitas para formas de corpo acima do peso em vez de…” Espécimes enxutos, lindos e superaptos como você. Ela limpou a garganta. “… sua forma. Um físico saudável.” Pare de falar tanto! “Eles são especializados em eletrodomésticos, decoração e suprimentos de jardim. Definitivamente não roupa. Eles têm uma

pequena

seção

de

roupas,

mas

são

principalmente

as

importações

chinesas. Baratas. Desagradável e muito feias.” Ela balançou a cabeça. Não ajudava que ele usasse suas botas de amarrar do exército junto com meias pretas. Ela mordeu o lábio inferior para não rir mais. "Esqueça!" Ele perdeu a cabeça. "Eu vou usar meu...” “Não espere! Olha ... ”ela sorriu. "Deixe-me ajudá-lo, por favor." Ele balançou sua cabeça. "Vá e mude e nós podemos encontrar a você..." "Não há tempo.” Ele disse asperamente. "Eu quero começar com essas entrevistas." “Você precisará fazer tempo. Como eu disse antes, vai se destacar. Pode também escrever a palavra 'Vampiro' na sua testa. Faça em néon e piscando enquanto está nisso, porque é assim que está... gritante. Você disse que queria ficar fora do radar, bem, não vai acontecer vestido com seu uniforme e definitivamente não se estiver vestido assim.” Ela podia vê-lo remoendo. Isso irritou a merda fora dela. Por que ele simplesmente não a ouviu? O que foi tão difícil nisso?

54


"Por que você quer me ajudar?" Ele parecia cético. “Olhe, se adapte. Se você não quiser...” "Não mesmo!" Seu olhar penetrou no dela. "Por quê? Eu não queria trabalhar com você. Eu tive que ser coagido a isso. Eu prefiro fazer isso sozinho. Você conhece esses fatos, mas quer me ajudar de qualquer maneira.” O idiota estava certo. Ela não deveria estar lhe ajudando, mas não era como se tivesse alguma escolha no assunto. "Sim, e você está fazendo um trabalho estelar sozinho.” Sua voz tinha uma ponta irritada. Ela deu uma vez. “O fato é que estamos juntos nisso, gostemos ou não. Está preso comigo e estou presa com você. Se esta operação falhar, eu falho e não permitirei.” "Não vai falhar." "Mesmo? Seu plano brilhante é ficar longe do radar e refazer os passos da equipe de investigação anterior até agora. Estou certa?" Ele cruzou os braços. O pomo de Adão dele balançou quando engoliu. Titan finalmente deu um aceno de cabeça. “Bem, eu odeio quebrar isso com você, mas seu plano é péssimo. Você..." Seus olhos se arregalaram. "Eu vou mudar!" Explodiu. "Então pode me ajudar a encontrar algum traje adequado." Ok, agora ele estava a bordo? Sua mudança de atitude foi chocante. Ela pode precisar ser checada. Balançou a cabeça, preparando-se para discutir. "Por favor.” Sua expressão suavizou por um momento, então ele rangeu os dentes. "Eu adoraria isso.” E parecia ter levado tudo nele para fazer esse pedido. "Claro.” Desabafou. "Eu estou ajudando por mim e não por você." "Confie em mim, posso viver com isso.” Ele claramente não dava a mínima de qualquer maneira. Era como se estivesse tentando calá-la, humilhando-a. Idiota! Cinco minutos depois, ele estava de volta e vestido de couro cheio. Desde quando era atraente em um homem de couro? Por que ainda o achava atraente? Idiotas, mesmo se eles

55


estivessem ligados a bundas bonitas ‒ tudo lindo ‒ ainda eram idiotas. Ela não deveria achálo atraente porque ele chupou. Ok, isso não era inteiramente verdade. O cara parecia doce de alguma forma, embora, doce era provavelmente a palavra errada. Ele não parecia um cara mau. Titan era sexista, o que a irritou, mas não era um idiota viscosa como Richard Evans. Havia também aquela tristeza que se mostrava de vez em quando que a cobria. Verdadeiros idiotas não ficavam tristes, eles eram de pele grossa e não se importavam com ninguém, além de si mesmos. Ela não conhecia bem Titan, mas ele não a considerava indiferente e egoísta. Não podia lê-lo, o que também a irritava um pouco. "Devemos ir?" Ele gesticulou para a porta e ela percebeu que estava olhando. "Sim... sim... claro.” Ela parecia um idiota desastrado. Ela pegou sua bolsa e seu iPad. Ele abriu a porta e ficou de lado para que pudesse ir primeiro. Não é um movimento idiota. Não é um movimento sexista. Ela não sabia o que fazer com isto. Saíram juntos, Natasha empurrou o iPad na bolsa. "Tchau, vocês dois.” Milly acenou. Natasha notou como os olhos da mulher mais velha estavam colados na bunda de Titan. Natasha deu uma pequena sacudida na cabeça; ela teve que sorrir. O SUV era grande com janelas escuras. "Seu carro grita a aplicação da lei ou..." "Eu não sou aplicação da lei, embora." Titan destrancou o carro. "Ele grita disfarçado ou 'não olhe para mim'.” Ela abriu a porta do seu lado enquanto Titan andava ao redor. "É o nosso problema padrão.” Ele encolheu os ombros. "Todos os vampiros dirigem este tipo de veículo?" Ela perguntou quando os dois entraram. Era um carro muito legal. Uau! Ele deu um aceno de cabeça. “Sim, toda a nossa frota é a mesma marca e modelo. É à prova de balas.” Natasha tocou o painel. "Estou impressionada.” Ela odiava dizer isso. “Infelizmente, precisamos garantir outro carro. A menos que não se importe de dirigir em um carro

56


reconhecível. Qualquer um que conheça vampiros saberá instantaneamente que você é um. Se mantivermos o carro, você não precisará de roupas novas.” Titan pareceu pensar nisso por um momento. "Sim você está certa. Eu não quero me destacar. Vamos pegar algumas roupas novas, depois podemos estacionar e pegar um táxi para a locadora da cidade.” "Soa como um plano.” Ela afivelou, notando que ele fez o mesmo. "Eu pensei que você fosse invencível.” Ela olhou para o cinto dele. O lábio de Titan se contraiu. Foi tão perto de um sorriso quanto ela tinha chegado tão longe. “Não invencível, apenas difícil de matar. Se machucar ainda é uma cadela. Eu posso ser grande e ‘não humano’, posso curar muito mais rápido que os humanos, mas sinto dor.” Ele ligou o motor, checou o ponto cego do tráfego que se aproximava e saiu. "Onde estamos indo?" "Dirija devagar e eu vou deixar você saber." Natasha pegou o telefone e rapidamente pesquisou no Google para as lojas de roupas masculinas. Ela optou por usar o sistema de navegação do telefone e levá-los até lá. Em poucos minutos, pararam em uma pequena loja chamada 'Suit Up'. Havia dois manequins na vitrine imaculadamente vestidos em ternos masculinos. "Não... é uma merda!" Titan rosnou. "O que há de errado em usar um terno?" Natasha se virou para o vampiro carrancudo. "Eu não estou vestindo um desses." “É o que os agentes do FBI usam. O todo O filme Homens de Preto foi um pouco longe, mas você precisa parecer apresentável.” "Homens em quê?" Ele não esperou por uma resposta. “Eu vou parecer com Brant. Nós rimos dele, porque ele parece assim.” Titan apontou para os manequins. "Um pinguim." “Quem é Brant? Ah... ele é um dos reis vampiros, não é?” "Sim e ele usa ternos idiotas."

57


“Eu acho que você ficará muito bem. Não precisa ir ao mar. Apenas um terno e uma camisa de colarinho vai fazer o truque... oh... e alguns sapatos decentes.” "E as minhas facas?" Ela fez uma careta. “A das costas terá que ir. Você pode manter a faca no tornozelo.” Ele parecia aflito. "Eu gosto das minhas lâminas." “Eu não ficaria feliz se tivesse que deixar minha Glock em casa. Você pode colocar sua cimitarra no porta-malas.” Ela disse enquanto saía do SUV. Ele fez um barulho rosnante para mostrar sua insatisfação, mas deu um aceno de cabeça. Em poucos minutos eles estavam de volta ao veículo. Embora eles não tivessem roupas, não estavam completamente de mãos vazias. O dono da loja tinha lhes dado um número de alfaiate que trabalhava em uma loja na rua seguinte. O cara nem tentou se encaixar em Titan, ele apenas balançou a cabeça com uma expressão de diversão em seus olhos. Suit Up estocou roupas de prateleira. Nada disso caberia a um cara como Titan. Ele precisava de ternos sob medida. Eles foram direto para a nova loja. Duas voltas e eles estavam estacionando. Acontece que a loja estocou roupas femininas. Foi chamado 'Sass and Charm'. Os manequins usavam vestidos. "Este não pode ser o lugar certo." Titan parecia chocado. "Eu não vou entrar lá.” Ele balançou a cabeça, um olhar de horror no rosto. "Sim você vai. Ouviu esse cara, ele é o único alfaiate na cidade que será capaz de fazer o trabalho.” "Porra!" Titan resmungou. Ele revirou os olhos e soltou um suspiro. "Bem!" Um sino tilintou quando entraram na loja. Uau! Apenas Uau! Havia prateleiras inteiras de vestidos lindos. Longo, curto, preto. De vestidos a vestidos de cocktail. Havia uma seção de jeans e o que parecia ser uma estante vintage na parte de trás.

58


Natasha deu a um dos vestidos de verão um carinho amoroso. Ela poderia amar armas e pessoas em pânico ‒ quando justificado ‒ mas ainda era uma menina no coração. Gostava de saltos altos e um vestido sexy, tanto quanto a próxima dama. Alguém engasgou, ruidosa e ruidosamente, na parte de trás da loja. Ambas as cabeças apontaram na direção do corpo. Era um homem alto. Seus olhos estavam arregalados e ambas as mãos cobriam sua boca. Ele se aproximou, soltando as mãos quando as alcançou. "Oh meu!" Ele gritou, soando mais como uma menina da escola do que um homem adulto. "O que temos aqui?" Seus olhos se moviam de cima a baixo, enquanto ele observava Titan. Natasha não sabia se o parava ou ria. “Por favor, me diga que você está aqui para um ajuste. John da Suit Up acabou de ligar e bem...” Ele suspirou dramaticamente. "Eu espero que você seja ele." "Eu não sou." Titan se virou com a clara intenção de sair. "Não tão rápido." Natasha agarrou seu braço. "Precisamos fazer isso.” Disse ela em voz baixa. A pele de Titan estava quente, seu bíceps era tão duro quanto parecia. Ele endureceu sob o toque dela, mas parou de andar, então o soltou. Sua mandíbula estava tensa. “Não se preocupe, cara grande. Eu não mordo... muito.” Um ronronar do alfaiate. Titan rosnou. "Ele só está puxando sua perna.” Natasha tentou, implorando com os olhos. “Ohhhh! Embora eu adoraria puxar muito mais do que apenas sua perna, querida.” O cara gemeu. Titan estreitou os olhos e deu uma pequena sacudida na cabeça. Ela estreitou as costas, dando um pequeno aceno de cabeça. Ela murmurou ‘sim’ e ‘sem escolha’. Titan apertou os olhos e deu um aceno de cabeça. Ela voltou-se para o vendedor. Ele tinha um ótimo cabelo. Era grosso e cortado em um estilo moderno. Seus olhos eram um marrom amanteigado e tinha um sorriso atrevido no rosto. Ele usava um grande par de jeans de grife e uma camisa de botão que combinava com ele.

59


"Eu sou o Steve.” O sorriso aumentou. Estendeu a mão e ela sacudiu, seu aperto era surpreendentemente forte. Seus dedos eram longos e delgados. “Eu possuo esta loja. Quase tudo que você vê eu fiz. Não se deixe enganar, embora seja uma loja de roupas femininas, também me especializei na confecção de roupas masculinas sob medida. É minha coisa secundária.” Ele piscou para Titan, que fez uma careta. “Então nos disseram. Eu sou Natasha e este é Titan.” O vampiro rosnou. "Oh" Os olhos de Steve estavam encobertos quando voltaram para Titan. "O rosnado faz isso por mim.” Steve piscou para ele. "Por favor, podemos manter isto profissional?" Natasha tentou seu olhar implorando para Steve. Mais isso e Titan estava indo embora. Como Steve era o único alfaiate decente da Sweetwater, eles seriam feridos se isso acontecesse. "Que aborrecido!" Steve fez beicinho. “Eu amo brincar com vampiros sexys. O jeito de Brant é mais divertido.” "Não... é uma merda!" Titan latiu. "Você conhece Brant?" Ele franziu a testa com tanta força que ela pensou que sua testa poderia apenas quebrar se não fosse cuidadoso. "Você não pode conhecê-lo.” Ele balançou sua cabeça. Steve fez uma careta. “Se eu conheço Brant? Eu…” Ele bateu no peito com o dedo indicador. Natasha notou que suas unhas estavam bem cuidadas. “Se eu conheço Brant? Bem, claro que sim. Eu tenho costurado os ternos dos homens há uma idade.” Seus olhos puxaram para cima por um momento. “Pelo menos dez anos. Ele costumava entrar o tempo todo. Agora eu vou para o seu castelo uma vez, em uma lua azul. É tudo silêncio, silêncio.” Ele colocou o dedo sobre a boca. “Como está Tanya a propósito? Garota de sorte, tem dois desses espécimes lindos.” Seus olhos se voltaram para Titan. Titan estava franzindo a testa profundamente, então um pouco da tensão o deixou. “A rainha está bem. Suponho que, se você conhece Brant, não há problema em prosseguir. Você precisa saber que não me associo a machos.” Completamente impassível Natasha admirou sua fala direta, mas caramba! Titan não mediu suas palavras. E deu um passo em direção a eles, seus olhos em Steve. "Você não me interessa desse jeito."

60


“Mais é uma pena, anjo. Esqueça isso. Deixe-me ir e colocar a placa fechado e vamos fazer o que você quiser.” Steve desapareceu por um segundo ou dois. Ambos ficaram em silêncio. "Tudo bem, estamos todos bem.” Disse Steve enquanto voltava. Ele esfregou as mãos como se não pudesse esperar para colocá-las em Titan. Natasha quase sentiu pena do grande vampiro. "Certo. Eu preciso da minha fita métrica e do meu caderno. Ahhh... aqui estão eles.” Pegou os itens atrás do balcão. "Fique aqui, se quiser.” Ele gesticulou para o local ao lado dele e Titan se aproximou, virado para frente. "Você precisará remover suas armas.” Steve riu. "Eu não quero me machucar em nada longo e afiado.” Ele sacudiu as sobrancelhas. Natasha reprimiu uma risada. Ela podia ver que Steve estava bem. Titan não pareceu se importar com a brincadeira. Ele tinha se acalmado desde que ouvira falar que Steve havia feito muito trabalho para o rei Brant e desde então esclareceu o assunto sobre não ser gay. Titan soltou a bainha da espada nas costas. Ele colocou a arma na bancada com um estrondo. Em seguida, desafivelou a lâmina na coxa e, por fim, a que estava amarrada ao tornozelo. Colocou todos na bancada ao lado dele. "Tão bom quanto parece em você, este colete tem que ir.” Steve apontou para o colete de couro. Titan agarrou a parte inferior e ergueu a roupa sobre os ombros. Sua boca ficou completamente seca quando avistou a carne rasgada por baixo. Calor sádico. Ela mordeu o lábio inferior, tentando não babar ou gemer, gemer ou murmurar incoerentemente. Ou talvez, faça todos os itens acima e todos de uma vez. Ela teve a súbita vontade de apertar as coxas para impedir que a dor se acumulasse entre eles. O cara era a beleza masculina no seu melhor. Natasha lambeu os lábios, engoliu em seco e tentou desviar o olhar quando Steve mediu Titan. Encaixando a fita, cruze os ombros largos, ao redor da cintura, ao redor da base do pescoço. Apesar de toda a sua bravura e comportamento de paquera, notou como Steve nem sequer tocava um dedo nele. "Obrigado, menino grande!" Steve piscou para Titan.

61


"Eu não sou um menino.” Titan disse asperamente. "Não, você não é, mas é grande.” Steve sorriu. "Por que estou medindo você?" "Ternos e camisas de colarinho.” Natasha desabafou. Sua voz era um pouco estridente, mas pelo menos não vacilou nem quebrou. Pelo menos ela poderia dizer as palavras, o que foi um milagre, considerando que seu cérebro estava apenas disparando em metade de seus cilindros. "Também vamos precisar de sapatos e meias.” Ela acrescentou, satisfeita consigo mesma por lembrar. Steve examinou os pés de Titan. “Eu posso ajudar com calçados. Mantenho tamanhos maiores em estoque para o rei, mas o resto terá que ser feito especificamente para você, doçura.” "Quanto tempo vai demorar? Não precisamos de nada extravagante.” Natasha perguntou. “Um mínimo de cinco dias por naipe e isso está em uma ordem urgente, por isso vai custar mais. Eu vou assumir que você tem um daqueles cartões de crédito de platina... então o dinheiro não é um problema?” Steve dirigiu o comentário a Titan. "Ah Merda!" Natasha franziu a testa. “Cinco dias é muito tempo. Nós não temos cinco dias e quanto ao pagamento...” Ela fez uma careta. “Não é algo que pensei. Eu tenho uma conta de despesas limitada e meus fundos privados não são muito melhores.” Relocação era caro. Ela ganhou muito pouco durante seu treinamento. E esgotou a maior parte de suas economias. O pouco que tinha deixado para manter como uma segurança, se acabasse perdendo o emprego, o que era uma possibilidade distinta neste momento. "Eu tenho fundos.” Disse Titan, olhando em sua direção. Graças a Deus! “Acho que posso ter uma solução para o problema imediato da roupa também. Não é o ideal, mas pode funcionar.” Ele olhou de volta para Steve. “Termine de me medir. Cinco dias por traje terão que servir.” Steve sorriu. “Você precisará de três no mínimo. Vamos pegar seus sapatos e meias primeiro. Livre-se das suas botas. O par que ele escolheu se encaixou perfeitamente. Steve colocou os sapatos e alguns pares de meias em uma sacola, que deixou no

62


balcão. "Certo!" Steve bateu palmas. "Fique em seus suportes atléticos e nós vamos terminar de medi-lo.” Ele piscou para ela. Droga! Ela deveria sair ou pelo menos dar meia-volta ou algo assim. Em vez disso, Natasha assistiu em fascinação quando Titan tirou suas meias. Então, ele soltou as calças e abaixou o zíper. O barulho reverberou pela sala. Ela estava indo para o inferno, mas morreria feliz. Então, e se o visse em seus suportes atléticos? Não era como se ele estivesse ficando... Titan puxou as calças de couro e sua arma gigante em forma de salame saltou livre. Estava preso a bolas que pendiam pesadas entre suas coxas grossas e musculosas. Jesus! Titan saiu de suas calças. Uma perna de cada vez e seu pênis balançava de um lado para outro quando fez. Maldito inferno! Santa mãe de tudo que estava bem pendurado. Excessivamente bem suspenso. Ridiculamente bem assustado. Titan não estava nem um pouco perturbado, nem tímido, nem nada, o que era sexy em si. Era como se despir para o seu traje de aniversário uma ocorrência diária. Dito isto, se tivesse um corpo assim ‒ um pênis gigante como esse ‒ ela poderia se despir o tempo todo também. E ficaria cega também de brincar com a coisa. "Você é um menino grande.” Ronronou Steve, ajoelhando-se. Subestimação do século. "Abra suas pernas apenas um pouquinho, eu preciso medir sua parte interna da coxa." De jeito nenhum! Isso estava errado em todos os níveis. Ela estava perambulando por Titan, reduzindo-o a um pedaço de carne de homem, e isso estava errado. Odiava quando os caras faziam isso com ela. Natasha se virou e encarou a parede. Ela não podia simplesmente sair, embora. Ela era sua parceira. E se algum fascista doente tentasse matá-lo com o pau dele? Podia ficar de olho na periferia e não nele. Suas bochechas estavam quentes. Quem ela estava enganando? Se sentiu quente por toda parte. E úmida. Não esqueça molhada. Ela pode ter que jogar fora essas calcinhas. “Pare de me chamar de garoto e pode parar de cobiçar meu pau, enquanto está nisso. Eu te disse que não fodo homens, não durmo muito.” Disse o quê?

63


Suas orelhas praticamente começaram a bater naquele ponto. Ela se viu inclinada para trás e ouvir o que foi dito em seguida. "Você não fode?" Steve parecia completamente chocado. "Como em nada?" "De modo nenhum." A voz de Titan era profunda e crua. Ela tinha certeza que podia ouvir emoção em cada palavra. Tudo o que queria era se virar para poder ver o rosto dele, olhar em seus olhos. Ela provavelmente estava apenas ouvindo coisas que não estavam lá, mas Natasha não achava isso. "Então, você está perdendo seu tempo." Steve fez um barulho de desgosto. "Que desperdício! Uma pena. O que? Um pouco de mel quebrou seu coração?” Sem resposta. “Não importa o que aconteceu. A melhor coisa que você pode fazer depois de uma queda é voltar ao cavalo. Vá a passeio... ou rotina... ou o que quiser chamá-lo. Tem rebote o sexo! Você se sentirá melhor." "Duvidoso." Ah Merda! Ele definitivamente parecia triste. Tudo o que Natasha queria fazer era se virar. Para concordar com Steve e instar Titan a seguir o conselho do alfaiate. Inferno, ela queria se candidatar para a posição de foda rebote, mas isso era conversa louca. Trabalhavam juntos e ele não gostava dela. Ele também era sexista, então pode não se importar com a experiência dela. Esses caras eram os piores. Os que subiram, grunhiram algumas vezes e saíram. Ela tentou a coisa toda do relacionamento, mas nunca funcionou com as horas que manteve no trabalho, então teve uma noite muito estranha para se certificar de que as coisas não fechassem lá. Um noite foram atingidos e perdidos. Natasha se tornou muito boa em julgar se um cara seria bom. Os tipos arrogantes normalmente não davam a mínima, ou simplesmente presumiam que eram bons. Foram os caras de boa aparência com problemas de confiança os melhores, porque tentaram muito agradar. “Lá vamos nós e é um envoltório. Você pode se vestir agora.” Steve disse, rompendo seus pensamentos. Ela ouviu os sons reveladores. O rangido de couro. O farfalhar de uma perna na perna da calça.

64


“E você, querida, também precisa de um encaixe?” Steve falou um pouco mais alto. "Não, obrigado.” Ela respondeu rapidamente. Não havia como ela estar se despindo. “Você pode olhar agora, a propósito. Tudo limpo!" Houve um toque de humor nas palavras de Steve. Natasha se virou e chegou a tempo de ver Titan colocando seu membro em suas calças. Ele respirou fundo e fechou o zíper. Ele era até sexy como o inferno se vestindo... não é justo. "Um vestido, um par de sapatos ou talvez uma bolsa bonita?" Natasha afastou os olhos de Titan. Steve piscou para ela. Merda! Ele a pegou olhando o sexy como vampiro do pecado. Quem poderia culpá-la embora? Sabia que Steve entenderia totalmente. O dono da loja tinha praticamente fodido Titan pelo olhar enquanto o media. “Hum.. não obrigado. Hoje não.” O grande vampiro colocou suas botas, enquanto ela falava. "Talvez outra hora então?" Steve sorriu. "Talvez.” Ela assentiu com a cabeça, observando Titan puxar sua coisa de colete de couro sobre a cabeça. Que desperdício de toda aquela pele perfeitamente boa. Um corpo assim deveria estar nu. Natasha reprimiu um suspiro. "Eu preciso pagar agora?" Titan perguntou, puxou a faixa de couro de seu cabelo e passou a mão pelos fios soltos. Seu cabelo era um pouco mais longo do que ela pensava. Passou por seus ombros. Tão grosso. Era um marrom claro com mais listras louras por toda parte. Parecia que ele tinha colocado os destaques, mas sabia que não era o caso. Steve gemeu. "Você é realmente um gostoso!" Ele olhou para Natasha. "Você não acha que ele é um gostoso?" O alfaiate apontou para Titan com as duas mãos. O que ela diria sobre isso? Graças a Deus que antes que pudesse responder, Titan entrou na conversa. "Nós trabalhamos juntos." "Sim e…?" Steve revirou os olhos. "Eu não vejo o problema." "A fêmea é humana.” Titan puxou o cabelo para trás em um rabo de cavalo baixo. Ele disse que era desagradável. Natasha não queria estar com Titan ou qualquer outra coisa, mas

65


ela ainda não podia deixar de sentir desapontamento com a resposta dele. E um pouco chateado. Então, e se ela fosse humana, caramba. Ele disse que era uma coisa muito ruim. Uma coisa inaceitável mesmo. "Eu tenho a autoridade de que vampiros e humanos são ótimos juntos.” Steve sacudiu as sobrancelhas enquanto olhava para Titan e voltava novamente. "Não haveria um programa de outra forma." “O programa segue regras estritas. Qualquer confraternização com seres humanos fora do Programa é estritamente proibida e com boas razões. Precisamos ir, você precisa que eu pague agora?” "Não!" Steve acenou com a mão. "Eu sei que você é bom para isso.” Ele piscou para Titan. “Estaremos de volta em cinco dias. Venha, mulher!” Ele rosnou quando pegou a bolsa com os sapatos e as meias. A bunda se virou e foi embora, deixando-a soltar um adeus e seguir como um gatinho perdido. Apenas quando ela estava começando a suspeitar que poderia tê-lo errado. Que talvez houvesse mais nele. Começou a pensar que, por baixo de todo aquele exterior Alpha, era um cara legal... talvez. Ela tinha se provado errada nessa suposição e definitivamente errada sobre a emoção que tinha ouvido em sua voz. Titan era um idiota machista! Ele seria uma merda no saco. Era uma coisa boa que ele era um idiota e que seria uma merda, porque ela não precisava da distração. Não quando sua carreira estava em jogo.

66


8 No tempo que ela conseguiu voltar para o veículo, ele já estava dentro e em seu telefone. Parecia que estava mandando mensagens para alguém, o que a irritava um pouco mais. "Escute.” Disse ela enquanto se sentava ao lado dele e fechava a porta. “Não me chame de mulher. Eu sou Natasha ou Agente Especial Walters. Você pode até me chamar de Walters. Eu não sou mulher ou bebê ou bombom ou qualquer um dos outros nomes ridículos que eu fui chamada no passado. Eu tenho que dizer, porém, a fêmea é nova. Eu não gosto disso.” Ele continuou a digitar esse texto. O que era tão importante? Depois colocou o celular no bolso e se virou para ela. Titan franziu a testa. "Você é uma mulher, não vejo o problema." "Claro que não.” Ela murmurou para si mesma. "É depreciativo e eu não gosto disso." "Bem! Eu não vou te chamar de mulher novamente.” “Enquanto estamos sendo abertos e honestos. Eu também não gosto do jeito que você fala comigo, toda essa besteira 'vem mulher' é desnecessária.” Ela resmungou a parte 'feminina', tentando soar como ele e falhando tristemente. “Eu sou seu superior. Eu estava te dando uma ordem.” Titan puxou para a estrada. “Há dando ordens e depois há apenas ser grosseiro. Por favor, tente lembrar que, embora você seja meu superior e eu respeite isso, também sou sua parceira. Precisamos trabalhar juntos como uma equipe. Eu tenho suas costas e você tem as minhas.” Titan virou uma esquina e olhou para ela antes de olhar a estrada à frente. “Você não precisa assistir minhas costas. Eu sou um ‘não humano’ e um guerreiro no meu auge. Vou me certificar de que nada aconteça com você, então não se preocupe.” Ela revirou os olhos. "Eu sou um macho Alpha, me ouça rugir.” Ela bateu no peito. Titan bufou. "O que é que foi isso?" "Era você, ou minha impressão de você." Ele encolheu os ombros. "É assim mesmo?"

67


“Você não acredita que eu posso te proteger ou que tenho algum valor para você, não é? É porque sou mulher, não é? Pode também tirá-lo a céu aberto.” Era o elefante na sala. Não, era o brontossauro na sala. "Você tem valor.” Ele não elaborou. "Ok, certo!" Foi sua vez de cheirar. “Deixe-me adivinhar, sou valiosa como mãe ou cozinhar o jantar de alguém. Não vamos esquecer a lavanderia e outras tarefas domésticas. Eu também seria valioso nas minhas costas, de preferência com as pernas abertas... ” "Aguarde! Não vamos trazer sexo para isso... Você é uma mulher, o que a torna mais a o fim da história. É um fato simples.” “Eu tenho minha Glock e um objetivo que deixa a maioria dos homens envergonhada. Eu malho, terminei no topo da minha turma em treinamento tático.” Ela era a melhor candidata do sexo feminino, mas não ia contar isso a Titan porque, porra, ela poderia chicotear a maioria das bundas dos caras. “Eu pratico todos os dias. Sou inteligente e mais do que capaz de ter suas costas.” Titã sorriu. Ele se virou para ela e em pânico sorriu. Escolheu esse momento para desencadear a mais deliciosamente sensual ascensão daquela boca pecaminosa e beijável. Ele pode ser um idiota, mas era quente e ainda uma distração. Maldito seja ele! O sorriso devastador durou três segundos antes de guardá-lo e ela poder respirar novamente. Graças a Deus! Que bunda embora. Que bastardo! Seu primeiro sorriso em mais de vinte e quatro horas e foi às custas dela. “Você não acredita em mim. Está rindo de mim por dentro, não está?” Sua boca se contorceu e ela teve sua resposta. "Talvez você deva parar para que eu possa provar." Natasha olhou pela janela. Eles estavam dirigindo por um bairro suburbano. Se ela não estivesse procurando por um lugar para ir lado a lado com o vampiro, teria notado que Sweetwater tinha toda a coisa de cerca branca. Todos os gramados eram recém cortados e os jardins de flores tendiam a ser. Hummmmmm, um desses gramados planos e imaculados faria muito bem.

68


"Eu não estou encostando.” Anunciou ele. "Você não acha que eu posso me cuidar." “Não contra um vampiro, não. Eu supero você por um...” "Não importa, eu ainda posso chutar o seu traseiro.” Merda! O que ela estava dizendo? Ele superou ela por... estava perto do dobro do tamanho dela. Ele era superhumano, não havia como ela conseguir vencer o cara. Ela não teve disto embora. Ela só precisava fazê-lo sangrar um pouco antes de ele conseguir a vantagem. Ele deu uma risada suave. Por que ele tem que ser tão bonito? O som secou rapidamente quando ficou sério. “Disseram-me que você estava bem treinado e tenho certeza de que não teria problemas em derrubar um macho humano. Eu sei que você pode lidar consigo mesma, mas não pode lidar comigo.” Ele olhou em sua direção, seus olhos seguraram uma intensidade. "Eu também poderia.” Sua voz era suave e insegura. Droga! Quando disse que ela não podia lidar com ele, era como se não estivesse se referindo apenas ao trabalho. Ela estava lendo muito sobre isso embora. Melhor ela largar isso. "Tanto faz!" Ela murmurou. Natasha olhou pela janela em seu lugar. Ela percebeu que estavam viajando por uma área rural, provavelmente nos arredores de Sweetwater. Talvez uma das famílias dos membros fascistas falecidos vivesse aqui. Quando eles desligaram a estrada de alcatrão em um longo trecho de cascalho que claramente levava para fora da cidade, ela olhou na direção de Titan e depois de volta para a estrada. “Hum, aonde exatamente estamos indo? Não me lembro de nenhuma das pessoas da nossa lista vivendo tão longe.” Suas mãos apertaram o volante. "Eles não vivem.” Ele fez uma pausa, expirando pelo nariz. Até isso era sexy, droga ele. "Nós estamos indo para o castelo." "O castelo.” Ela repetiu. "Como em, o castelo de vampiro, aquele castelo?" Ele deu um aceno de cabeça. Puta merda! Eles estavam indo para o castelo dos vampiros. “Por que exatamente? Não que eu me importe ou nada.” "Você disse que eu precisava de alguns ternos."

69


“Uh-huh, precisa. Você precisa se deparar como um agente do FBI, o que não será possível se não for adequado. Também devemos encontrar algumas roupas casuais para você.” Ela não pôde deixar de sorrir. "Não na Bringmart embora." "Eu vou admitir que a Bringmart foi uma má escolha.” Progresso doce. Eles concordaram em algo. Finalmente. A estrada fazia uma curva para a esquerda e depois para a direita. Titan manteve o pé no acelerador. Alguns minutos depois, eles pararam nos portões principais. Dois grandes vampiros se aproximaram dos portões de ferro forjado. A propriedade estava murada por várias centenas de metros de cada lado do portão. O resto foi cercado. O perímetro inteiro ‒ ou pelo menos até onde ela podia ver ‒ tinha cercas elétricas. Havia câmeras de vigilância apontando para eles de ambos os lados do portão. Ela notou mais na guarita.

Eliot sorriu quando trancou os olhos com Titan. O macho deu um aceno de cabeça como saudação. Titan mal reconheceu o segundo homem que avançou quando Titan saiu do veículo. Era um homem que se candidatara à posição atual de Titan. "Quem é a fêmea?" O homem perguntou, seu olhar em Natasha, embora ela ainda estivesse sentada dentro do veículo. "Ela está comigo.” Titan rosnou. O macho balançou a cabeça e farejou o ar. "Ela é humana e vai precisar de autorização antes de poder entrar.” Ele cruzou os braços. "Eu disse que ela está comigo." Titan se adiantou. "Eu não a traria aqui se achasse que era uma ameaça." Eliot olhou para o outro macho. “Como você sabe, Titan é um da Elite. Se ele disser que a fêmea entre, então ela...” "Eu não dou a mínima para quem ele é.” O macho estreitou os olhos. “Eu sou responsável pela segurança do portão. Este é o meu relógio e eu digo sem autorização, sem entrada.” Ele balançou sua cabeça.

70


Que idiota. Fale sobre estar em uma viagem de poder. Foi quase risível. Não havia como ele deixar Natasha sozinha no portão. Ela pode ser um pato sentado. Não havia humanos no portão para uma mudança, mas isso não significava que ninguém estava assistindo... esperando. Foda-se isso! Ele recostou-se contra o SUV e cruzou os braços para espelhar o filho da puta que os bloqueava. Tentou não deixar isso chegar a ele demais. Tecnicamente, o macho estava fazendo o trabalho dele. "O que você está fazendo?" O imbecil rosnou. "Esperando." "Bem, você não pode esperar aqui.” Outro rosnado baixo. Eliot tocou o idiota no braço. "Calma, Luke." Era isso, o nome dele era Luke. O imbecil estreitou os olhos. “Titan está bloqueando os portões principais do castelo. É contra as regras. Você precisará se mover.” Ele dirigiu o último em Titan. "Agora.” Acrescentou ele, estreitando os olhos em Titan. Idiota! Ele pegou o cheiro de mulher quando a porta do veículo se fechou. O doce aroma de humanos atingiu suas narinas. Porra! O cheiro de sua excitação ainda era evidente, mas apenas justo. Era tentador. Isso o fez querer babar, fez com que ele quisesse separar suas coxas e enfiar sua língua... Não vai lá! Natasha se aproximou dele. "Há algum problema?" Ela estava franzindo a testa. O filho da puta do outro lado do portão deu a Natasha uma vez. Titan notou como seu olhar permaneceu em seus seios. Ele teve que reprimir um grunhido. Luke respirou pesadamente. “Ela é um espécime decente. Eu adoraria deixar você entrar, querida, mas...” "Veja o que você diz a ela.” Titan falou baixinho, seus olhos em Luke. O macho ainda estava olhando Natasha, algo feroz. Isso o irritou fodidamente. Natasha sacudiu a cabeça e suspirou suavemente. “Meu nome é Agente Especial Natasha Walters. Eu sou parceira do Titan.” Luke ergueu as sobrancelhas. “Seu parceiro você diz? Bem, Agente Especial Natasha Walters, alguém te avisou contra esse macho? Ele não foi apenas lá.” O idiota sorriu. Merda!

71


O pequeno filho da puta tinha acabado de ir lá. Luke respirou fundo, parecia que ele estava prestes a dizer muito mais. Não é uma chance! Foi picar assim que fez de sua vida um inferno. Titan estava fora do veículo em um piscar de olhos, ele agarrou o pescoço do macho e o puxou contra o portão. Seu rosto fez um ruído estridente quando a carne se encontrou com metal. "Quem diabos você pensa que é?" Sangue escorria de uma das narinas de Luke e sua respiração era alta e irregular. Ele tentou recuar e falhou. O filho da puta não era páreo para Titan. "Me deixar ir!" Sua voz tinha uma ponta lamentosa. A porta da guarita se abriu e um homem que ele reconheceu correu para eles, fechando o pequeno espaço rapidamente. Titan não conseguia lembrar seu nome. Ele segurou um pedaço de papel na mão. “A fêmea tem folga. Ah Merda!" Ele acrescentou quando notou como Titan tinha Luke pela garganta. Titan olhou para o homem imbecil. "Assista a sua boca." Com extrema relutância, ele liberou o pau. Luke cambaleou para trás, encontrando rapidamente seus pés. Ele limpou o sangue do rosto com as costas da mão. "Você não deveria ter feito aquilo." Titan não pôde deixar de rir. "Deixe-me adivinhar, é contra uma das suas regras." Luke assentiu. "Maltratar um oficial é contra..." "Maltratar você diz?" Perguntou Titan. Esse macho era uma bocetinha. “Eu não vejo nenhum homem por aqui. Vampiros são feitos de coisas mais duras ‒ pelo menos, deveriam ser. Apenas uma boceta me denunciaria, mas você é bem-vindo para ir em frente.” "Eu não vou ser intimidado por pessoas como você." Luke colocou a mão através de seu cabelo, então pegou o papel do macho que estava esperando e olhou por cima. “Não há foto da mulher aqui. Nenhum número de identidade listado. O que é isso?" Ele bateu na página. "Quem diabos deu permissão com base em informações tão limitadas?" "Brant fez.” O macho da casa da guarda se aproximou. "Olhe para a assinatura." Luke visivelmente empalideceu. O macho engoliu em seco. Ele piscou algumas vezes.

72


Titan franziu os lábios. Ele tinha algumas coisas que queria dizer ao homem. Coisas infantis. Por mais que desejasse mandar o macho abrir o portão ou chamá-lo de imbecil, ele não o fez; não era um para regozijar ou incitar, então manteve a boca fechada. O macho murmurou uma maldição em voz baixa e virou-se para o homem da guarita. "Deixe-os entrar.” Ele recuou. O macho deu um aceno de cabeça e voltou para a guarita. Eliot sorriu. "Apenas um dia na investigação e você já voltou." O portão abriu apenas o suficiente para acomodar uma pessoa. Titan recuou, ele olhou para Natasha. "Depois de você.” Disse Natasha. Ela era uma bunda tão dura. Ele balançou sua cabeça. "Eu insisto." "Eu também.” Ela olhou-o de frente. "Não podemos fazer isso agora... por favor.” Ele acrescentou o último com os dentes cerrados. "Bem." A fêmea finalmente entrou. Ele seguiu logo atrás, entregando as chaves para Eliot. "Estacione o carro para mim." O macho assentiu. "Sem problemas! Então, por que você está de volta tão cedo?” Eliot sorriu. "Parece que eu estou subembalado." Eliot assentiu. "Quem é sua amiga?" O macho olhou para Natasha. Seus olhos rastrearam seu corpo, suas narinas se alargaram. Ele tentou não permitir que isso o enfurecesse. Natasha tinha um perfume maravilhoso. Sua excitação anterior havia melhorado isso. Os machos não podiam ser culpados. Ele ainda teve que deixar de lado sua irritação. O olhar continuou e por um segundo irracional ele quis puxá-la pelas costas. Sabia exatamente o que esses machos viam quando olhavam para ela. A fêmea era bonita. Ela tinha cabelos longos, quase preto e brilhante. Foi amarrado em um rabo de cavalo solto. Parecia tão suave. Um par de fios caiu solto, eles emolduraram seu rosto. Seus olhos eram enormes. Embora fossem de um marrom escuro, havia manchas douradas em suas

73


profundezas. O corpo dela. Porra! Ele não queria pensar sobre isso. Recusou-se a olhar abaixo do pescoço, que tinha o pulso mais bonito. Ele vibrava sempre que ela ficava agitada ou brava. Talvez ele precisasse manter seu olhar apenas no rosto dela. Seus lábios exuberantes, sua boca atrevida. Não! Ele não olharia, ponto final. "Natasha é minha parceira.” Ele finalmente se sobressaltou, parecendo irritado. "Claro que ela é.” Eliot sorriu um pouco mais. Ele sabia exatamente o que estava passando pela mente do idiota. "Temos trabalho a fazer.” O macho estava errado. Sem pensar, ele colocou a mão na parte inferior das costas para levá-la à frente dele. Titan rapidamente puxou longe assim que ela começou a andar. Não toque! Sem olhar e sem tocar! Simples. "Sobre o que era tudo isso?" Natasha perguntou. "Apenas um macho querendo jogar seu peso ao redor." Ela assentiu. “Sim, eu sei como isso vai. Eu fui idiota por perguntar.” Ela sorriu. "Eu lidei com uma tonelada deles na agência." Eles se dirigiram para o castelo. Embora muitos dos vampiros por onde passaram olhassem em sua direção, ninguém parou para olhar. Eles estavam se acostumando a ver mulheres humanas. "Uau!" Ela jorrou. “O castelo é incrível. Quer dizer, eu sabia que era um castelo porque todo mundo chama de castelo, mas não sabia que era mesmo um castelo. Ela riu. "Estou parecendo um idiota, mas acho que estou um pouco admirado." Ele tentou ver através dos olhos dela. Eles não tinham nada assim em Sweetwater. Era grande e ousado e muito bonito à sua maneira. Mesmo que ele nunca tenha pensado nisso como tal até agora. “A estrutura parece muito antiga. Tem até quatro torres e bandeiras. Nenhum fosso, embora.” “Nós temos um lago. Se você olhar para lá...” Ele apontou. ”... você pode ver a borda da água piscando ao sol.”

74


"Uau! São esses cisnes?” Sua voz estava animada. "Sim...” Sua voz foi levantada em emoção. “Eles são cisnes. Que maravilha!” Seus olhos estavam arregalados. “É tudo tão lindo. Do castelo real para o jardim. Os jardins também são muito bem conservados.” "Você deveria ver os que estão atrás do castelo." Não que ele tivesse se importado ou realmente olhasse. "Mesmo?" Ele assentiu. "Há um pomar e um jardim de ervas.” Ele encolheu os ombros. Não foi um grande negócio. "Há também uma fonte e belos jardins de flores." Por que ele continuou falando sobre isso? "Eu adoraria ver o terreno." Por um momento ele ficou tentado a concordar. "Hoje não precisamos continuar com essa investigação." "Claro." "Estamos indo para o seu lugar?" Suas bochechas ficaram vermelhas e ela desviou o olhar. "Não.” Ele disse um pouco duramente. Não havia como ela chegar perto do quarto dele ou da cama dele. "Vê aquela torre ali.” Ele apontou para a torre oriental. "Precisamos visitar Brant." Natasha ofegou. “Um dos reis. Ele estará lá?” "Ele vai mais..." Um macho acenou com a mão. "Titan!" Ele gritou. "Ei olá!" Era Drago. Um dos mais novos membros dos ‘Dez'. O macho tinha acabado de entrar no grupo e deveria se encontrar com o próximo grupo de humanos, quando o próximo ciclo do programa começou. A última coisa que ele sentia era fazer conversa fiada, embora Drago fosse um dos poucos machos que ele considerava um amigo. Titan acenou, mas continuou andando. Eles já estavam na base dos degraus do castelo. Eles não tiveram tempo para brincar.

75


"Eu pensei que você estava em Sweetwater.” O macho continuou, entrando diretamente em seu caminho. "É bom ver você tão cedo.” Ele sorriu largamente, dando a Titan um tapa nas costas. "Eu sou Drago.” Ele estendeu a mão para Natasha, que se apresentou. Ela apertou a mão do macho. "Prazer em conhecê-lo." "O prazer é todo meu.” O macho teve a audácia de beijar o topo da mão dela. Drago era um favorito entre o sexo mais justo. Ele era forte, rápido e, de acordo com as fêmeas, muito atraente. Aparentemente, olhos azuis brilhantes e cabelos negros eram algo especial. O macho era um guerreiro decente. Ele acabou sendo um cara legal. Uma ‘pegadinha’, como ele ouvira algumas das fêmeas chamando-o. Algo apertou em seu intestino. Natasha não parecia muito interessada, ela até tirou a mão do fecho de Drago. Ainda assim, era difícil dizer, ele não tinha ideia quando se tratava de humanos. Que porra ele sabia? “Precisamos ir. Eu tenho uma reunião com Brant.” Disse Titan. Drago não se mexeu. Seu olhar ainda estava no humano. "Foi bom conhecer você.” Sem resposta. Drago tinha esse sorriso bobo no rosto. "Eu posso mostrar a Natasha, enquanto você..." "Não está acontecendo.” Ele não conseguiu manter o grunhido de sua voz. Drago encolheu os ombros. "Por que não? Eu...” "Não! Esqueça.” O macho estava ultrapassando sua marca. Isso irritou Titan. Natasha estava aqui com ele, ela não era uma das mulheres do Programa. Drago sorriu para Natasha e Titan teve que se impedir de rosnar. “O que você acha, Natasha? Gostaria de ver um pouco do castelo em vez de ir a uma reunião chata?” Ele piscou para a fêmea. "Eu acho que seria melhor se eu fosse com Titan, estamos trabalhando em um caso juntos, obrigado pela oferta, mas..." "Vamos!" O filho da puta esfregou o lado do braço dela. "Eu posso te mostrar algumas coisas que tenho certeza que você acharia muito mais interessante.” Ele piscou. A cara realmente piscou para ela. Titan ficou extremamente tentado a furar aquele olho fechado. Não haveria piscar por um tempo depois disso. Ele tinha que se lembrar que Drago

76


era seu amigo. Ele até apertou as mãos atrás das costas para impedir-se de machucar o macho. Natasha

deu

um

pequeno

passo

para

longe

de

Drago. Ela

parecia

desconfortável. Claro, ela era uma mulher bonita, mas isso era demais. Os machos vampiros perdiam seus cérebros quando eles estavam ao redor de mulheres humanas. Era parte da razão pela qual eles tinham um guarda humano e por que ele tinha fodido antes. "A mulher disse não." Havia uma ponta de aviso em sua voz. Ela assentiu uma vez. "Sim, eu realmente tenho que..." "Você é uma beleza real, sabe disso?" O olhar de Drago estava em seus seios. Ele lambeu os lábios. Suas narinas chamejaram quando ele sentiu o cheiro dela. “Você é surdo? Esta fêmea é uma agente do FBI altamente treinada. A Srta. Walters ganhou o campeonato nacional de tiro ao pombo por três anos seguidos.” O rosto de Drago ficou vermelho. “Aos dezesseis anos, ela não era apenas a mais jovem, mas a primeira mulher a ganhar este prestigioso título. Ela se classificou como melhor em sua classe na academia de polícia e ganhou vários prêmios desde então.” Foi à vez de Drago parecer desconfortável. O macho chutou a terra com a ponta da bota e enfiou os polegares nos bolsos. Ele olhou para Natasha, engolindo em seco. “Ela foi escolhida a dedo pelo Departamento Federal de Investigações e selecionou mais de cem agentes especiais para me ajudar na Operação Procurando Nemo. A Agente Walters não está aqui para ver as flores com você. Ou fazer qualquer coisa contigo." Ele colocou ênfase na palavra. “A Agente Walters é uma mulher inteligente e está aqui a negócios. Salve seu comportamento de flerte para o próximo calor do Programa. Agora, se você nos der licença.” Drago levantou as duas mãos. “Eu não quis ofender ninguém. Peço desculpas, Srta. Walters.” Natasha sorriu. "Certo. Sem problemas." "Sinto muito, Titan.” Ele parecia chateado.

77


Merda! Talvez ele tivesse sido muito duro com o macho. "Está tudo bem.” Disse Titan. “Não faça isso de novo embora. Eu vou te ver em breve.” Drago assentiu. Eles subiram as escadas e, embora tenham recebido alguns olhares e um ou dois homens o tenham saudado, não foram parados novamente. Ele andou rapidamente, fazendo a fêmea praticamente correr ao seu lado. Ele estava agradecido por ela não ter tentado preencher o silêncio. Titan quase soltou um suspiro de alívio quando chegaram às escadas da torre. Ele apertou o botão no painel de aço inoxidável. A fêmea preferiria mais a pegar o elevador "Você leu meu arquivo." Natasha parecia chocada. Ele não respondeu. O elevador estava tomando seu tempo doce. "Você realmente leu meu arquivo.” Ela parecia ainda mais chocada do que antes e parecia falar para si mesma. “Claro que sim. O que você esperava?" "Isso não. Não é o que acabou de descer. Eu assumi que você não queria trabalhar comigo.” Ele cerrou o queixo. "Eu assumi que era porque sou uma mulher, mas estava errada.” Ele podia ouvir que ela estava sorrindo. Droga. Ela estava sorrindo, ele podia ver seu reflexo no vidro. E tinha um sorriso bonito, iluminava o rosto todo. Titan revirou os olhos. “Você não estava errada. Não quero trabalhar com você. Eu não quero trabalhar com nenhum de vocês humanos. Eu especialmente não queria fazer parceria com uma fêmea.” Ela deu uma risada suave. Foi ofegante. "Mentiroso. Eu não acredito em você. Não estou dizendo que você está emocionado com a configuração, mas não é totalmente contra isso também. Deve haver algum outro motivo real para a sua aversão.”

78


Houve um barulho quando as portas do elevador finalmente se abriram. Titan entrou e apertou o botão para manter a porta aberta. Uma vez que Natasha estava dentro, ainda sorrindo, ele apertou o botão fechado. Até os olhos dela eram brilhantes e muito bonitos. Era uma pena que estivesse tão errada. “Olhe, acredite no que você quer. Eu particularmente não me importo de nenhum modo.” Ela assentiu, ainda sorrindo. “Obrigado, a propósito, você é a primeira pessoa que me defendeu por mais tempo. Não me lembro quando foi o último...” Os olhos dela nublaram. De repente ela parecia triste. "Você não apenas me vê como estes.” Ela apertou os seios através do terno preto que estava usando e ele teve que reprimir um gemido. Apontou para sua bunda e ele quase mordeu a própria língua. O que diabos ela estava fazendo? "Entenda.” Ela bateu no peito, seus olhos pareciam se encher de lágrimas. Lágrimas! Não é uma merda. Felizmente piscou para longe. "Significa muito para mim. Obrigada...” Ela deu um leve toque no lado do braço dele. "Parceiro.” Ela sorriu para ele desta vez. Titan reprimiu um grunhido. Esta fêmea não tinha ideia do que estava falando. Nenhuma que seja tão fodido. Ele tinha se masturbado na noite passada pensando em como ela ficaria sentada em seu pau. Imaginou como essas grandes glândulas mamárias saltariam com cada movimento para cima e para baixo. Esta manhã, se masturbou pensando em quão gloriosa sua bunda ficaria se ele a pegasse por trás. Como ela se aconchega... Cristo! Ele precisava parar de pensar nesse sentido. Era um idiota. Não o cara legal que ela achava que era. Ele era ruim. O pior! Odiava que ela tivesse a ideia errada sobre ele. E odiava a si mesmo. "Você está errada!" "Claro que estou.” Ela piscou para ele. "Você está.” Ele saiu do chão assim que as portas do elevador se abriram. Havia dois guardas posicionados ao lado da entrada principal. York acenou com a cabeça em cada uma das suas direções. Um dos machos fungou. O outro sorriu um pouco demais. “A mulher está comigo, então tenha cuidado com o que você diz e como age. Espero que mostre algum respeito.”

79


Ambos ficaram um pouco mais altos. "Brant está esperando por você.” O guarda da esquerda olhava a frente enquanto falava. Titan

bateu

na

pesada

porta

de

carvalho. Logo,

houve

passos

que

se

aproximaram. Titan podia ouvir o som da risada de uma criança. A rainha abriu a porta. Ela usava um longo vestido verde. E mordeu o lábio inferior. "Titan.” Curta e cortada. Ela claramente não o perdoou e quem poderia culpála? Então sorriu calorosamente quando sua atenção se voltou para Natasha. "Vamos lá!" Sua voz era calorosa e convidativa. As fêmeas se apresentaram umas às outras. Natasha sorriu da mesma maneira. Titan caminhou em direção à área de estar onde seu rei tinha seu filho pequeno erguido acima da cabeça. O pequeno Sammy riu muito, seu rosto estava vermelho. Brant também estava rindo. Era estranho ver o macho endurecido pela batalha tão relaxado e feliz. Titan sentiu uma pontada. Ele se sacudiu mentalmente e entrou na sala. “Bom te ver, meu senhor.” Brant deu um abraço no menino. Ele ainda estava sorrindo, as risadas do garoto se tornaram abafadas contra o peito dele. “Sente-se." Brant gesticulou para um grande sofá. As fêmeas estavam fazendo conversa fiada trivial. Para ser mais preciso, Tanya estava fazendo toda a conversa. Brant colocou o filho no colo e sentou-se numa poltrona do outro lado da mesinha de centro. "O que é isso sobre a necessidade de emprestar minhas roupas?" Ele franziu a testa. “E o que diabos aconteceu com o seu cabelo? A última vez que te vi, você estava bem barbeado.” O lábio de Brant se contraiu. Titan encolheu os ombros. "Você parece um Neandertal.” Embora Brant parecesse mortalmente sério, Titan sabia o contrário. As fêmeas entraram na sala de estar, assim quando Brant estava falando. Natasha franziu a testa quando ouviu o que seu rei tinha a dizer.

80


Brant sacudiu a cabeça. "Você vai assustar os humanos com essa aparência.” Sua voz continha um tom zombeteiro. "Eu acho que você está bem.” Natasha disse. Embora isso o tenha aquecido de que ela sentisse a necessidade de se defender, ele se encolheu internamente. O brilho que havia nos olhos de Brant desapareceu. "Os agentes federais estão sempre bem preparados.” Acrescentou, dirigindo suas preocupações para Natasha. "Não agentes de campo." Natasha sacudiu a cabeça. "Além disso, você pode ter cabelos longos e ainda ser bem preparado." Brant pareceu pensativo por um momento, depois assentiu, olhando para o caminho de Titan. "Seja como for, basta fazer o trabalho.” Seu tom se tornou duro. "Ignore meu marido." Tanya sorriu. "Seu companheiro.” Brant rosnou. "Mesma diferença." Tanya beijou o topo da cabeça de Brant. "Nem mesmo perto." Brant olhou para sua companheira. "O que seja." A voz de Tanya era zombeteiramente tímida. Ela se inclinou e beijou Brant, que segurou a parte de trás de sua cabeça e aprofundou o beijo no verdadeiro estilo de vampiro. Ele podia ouvir a frequência cardíaca de Natasha. O humano olhou para longe até que eles terminaram. Titan apertou as mãos atrás das costas. Quando Tanya veio para o ar, bateu levemente no braço de Brant. "Pare com isso!" Ela parecia ofegante e envergonhada: "Temos companhia.” "Eu quase nunca estou em casa durante o dia.” Seu rei sorriu. "Apenas aproveitando ao máximo.” Seu sorriso quase desapareceu quando ele os encarou novamente. “Eu sou Natasha. Hum...” O humano arregalou os olhos. "Devo fazer uma reverência ou me curvar ou..." Tanya riu. "Não! Não seja boba.” Natasha deu um passo à frente, o braço estendido para o rei. "Sou Agente Especial Walters."

81


"Brant.” Eles apertaram as mãos. “Você pode me chamar de Natasha… claro… quero dizer, você não precisa usar meu título ou qualquer coisa. Embora...” Ela continuou apertando a mão de Brant. "Eu sempre posso chamá-lo de rei Brant ou preferiria 'Sua Alteza'?" Mais agitando a mão. "Eu nunca conheci a realeza antes." Tanya riu. Brant também deu um sorriso. "Brant está bem.” Ele olhou para onde suas mãos ainda estavam unidas. Natasha continuou a apertar sua mão como uma coisa louca. Então sua boca se abriu. “Oh! Desculpa.” Ela finalmente soltou. "Você gostaria de algo para beber?" Tanya ainda sorria. “Uma água seria ótima.” Sua rainha entrou na cozinha aberta. Não foi perdido em Titan como ela não tinha estendido a oferta para ele. "Quem é esse lindo pequeno levado?" Natasha se inclinou na direção do jovem príncipe. Sammy estava farejando alto. "Ei!" Brant franziu a testa. "É rude cheirar alguém assim, Sam." O jovem príncipe farejou um pouco mais, apesar das tentativas de Brant de dissuadilo. "Está bem." Natasha deu ao cabelo do jovem uma massagem suave. Sammy virou-se e mordeu-a. Afundou suas presas de bebê na parte carnuda da palma da mão dela. Natasha gritou e puxou a mão para longe. "Sammy!" Tanya gritou. A rainha veio correndo, garrafa de água esquecida. "Não é grande coisa!" Brant parecia que ele estava tentando se convencer. "Claro que é!" Tanya soou em pânico "Ela está sangrando.” Natasha usou a outra mão para embalar a ferida. "Estou bem.” Ela balançou a cabeça. "Não se preocupe com isso." "Você tem certeza?" Titan fechou a distância entre eles. Colocou a própria mão sob a dela e levantou. Havia dois pequenos furos em sua carne macia. Foda-se, mas ela perfumava

82


incrível. Como doce. Não é de admirar que o garoto quisesse provar. Ele teve que reprimir um desejo de lamber sua ferida. Sua mão apertou a dela por um momento. Sua boca se encheu de lágrimas. Titan a soltou e deu um passo para longe. "Yum.” Disse o pequeno Sammy. "Mais, mais.” Ele tentou sair do colo de Brant, seus olhos estavam focados em Natasha. "Não... isso é uma coisa impertinente para fazer.” Disse Brant, usando uma voz firme. "Você não pode morder as pessoas, Sammy.” Tanya acrescentou, ela se virou para Natasha. Seu rosto estava cheio de preocupação. “Ele nunca fez isso antes. Não que tenhamos muitos visitantes humanos. Eu sinto muito." "Sem problemas!" Natasha sacudiu a cabeça. Ela deu uma pequena risada, parecendo nervosa. "Por que a coisa humana é um grande negócio?" "Sangue humano tem um gosto incrível, você não acha, Titan?" Brant estreitou os olhos nele. "Eu não saberia." Que tipo de pergunta foi essa? Titan cruzou os braços sobre o peito. "Bem, isso acontece.” Ele piscou para Tanya. "Seu perfume, seu gosto, é altamente atraente." Sammy se contorceu no colo de Brant. Ele fez gemidos, tentando sair das coxas de seu pai. "Ok, mas eu tenho que admitir...” Natasha parecia incerta. "... a coisa toda de olhos vermelhos era um pouco estranha.” Ela riu, parecendo nervosa. Olhos vermelhos. Oh foda-se! Brant ficou de pé, ainda segurando o filho. “Seus olhos estavam vermelhos? Você tem certeza?" Seu rei rosnou. Natasha engoliu em seco, ela ficou firme, o que era louvável. “Sim, as íris de seus olhos brilharam de vermelho. Isso me assustou um pouco, mas superei isso.”

83


"Oh meu Deus!" Tanya ofegou. "Ah não! Ele provavelmente tem sede de sangue. Ele deve ter herdado isso de você. Não é uma coisa tão ruim assim, é?” Ela mordeu o lábio inferior. Brant pareceu chocado, mas rapidamente se recompôs. "Está bem! Não é um problema.” “Exceto que ele poderia acabar matando um humano se não formos cuidadosos. Ele pode nunca ser capaz de tomar um como companheira. E a tradição?” Os olhos de Tanya estavam arregalados. "Acalme-se.” Brant pediu em um tom suave. "O que é sede de sangue?" Natasha perguntou. "Não parece bom.” Ela murmurou. "Não é nada.” Disse Brant. Como o inferno! "Minha companheira está exagerando...” Continuou Brant. "... aflições no desejo de sangue podem ser quebradas a longo prazo. Eu sou testemunho disso.” Esta informação era nova a Titan. O fato de que seu rei ainda tinha a aflição era novo para ele também. "Isso é sério. Eu sou a única que está preocupada?” Os olhos de Tanya estavam arregalados. “Nós vamos discutir isso assim que nossos convidados forem embora. Por favor, leve Sammy ao berçário, Cenwein.” Tanya parecia que queria discutir. "Por favor, meu amor." Brant aproximou-se de sua companheira, entregando a criança a Tanya. Sammy era quase grande demais para ser carregado pela pequena humana. "Foi bom conhecê-lo.” Disse sua rainha. “Sinto muito por…” Natasha deu de ombros. "Não é nada. Apenas um arranhão.” "Ainda assim...” Os olhos de Tanya estavam arregalados. "Mesmo. Estou bem.” Insistiu Natasha.

84


Sua rainha assentiu e saiu do quarto. Sammy começou a chorar, mas quando a porta se fechou, desligou a maior parte do barulho. Brant deu um pequeno aceno de cabeça. Ele limpou a garganta. “Certo, sobre o seu mau funcionamento do guarda-roupa. O que você precisa?" Titan respirou fundo. “Ternos e gravatas. Eu preciso me misturar e isso...” Ele apontou para o couro. ”... não vai funcionar.” Brant examinou-o. "Estamos quase na mesma altura.” Ele fez um pequeno barulho que dizia que estava pensando. “Seria apenas por uma semana ou duas, meu senhor. Três ternos, eu estou tendo eles feitos por essa pessoa Steve.” Disse Titan. Brant sorriu. “Steve é fantástico. A roupa vai se encaixar como uma luva.” Ele examinou Titan um pouco mais. “Seu peito é mais largo e seus braços podem ser um pouco mais grossos, mas eu sou maior em todos os lugares.” Ênfase na palavra em todo lugar. Titan teve que reprimir um sorriso. Os vampiros eram tão competitivos que era risível. Ele não se mexia mais, o que significava que ficava longe das exibições masculinas. Seu rei estava acasalado, mas claramente ainda afetado. Pode ser devido ao fato de que os dois reis tiveram que compartilhar Tanya. Testosterona poderia causar estragos em um macho. Qualquer macho. Mesmo os mais altos. "Sim, meu senhor." Natasha olhava pela janela, fingindo não se interessar pela conversa. "Bem! Eu tenho muito, apenas os traga de volta quando você terminar.” "Claro, meu senhor." "Pare com a besteira do 'meu senhor'." "Bem." Brant quase sorriu. "Algum progresso?" Titan olhou para o humano. "É muito cedo, mas as bolas estão rolando." "Como discutido?" Brant levantou as sobrancelhas. "Sim. Conforme apresentado e acordado.” "Bom!" Ele sorriu. "Eu tenho toda a fé no mundo em você."

85


"Eu sei meu... eu sei!" "Bom. Agente Especial...” Brant olhou para Natasha. A fêmea se virou. "Sim?" Um pouco animado demais. "Por favor, você pode sair?" E agora? Ela deu um aceno de cabeça. Sua mandíbula se apertou. Natasha não ficou entusiasmada com a perspectiva. "Foi bom conhecê-la.” Disse Brant. “Obrigado por nos ajudar nesta operação. Tenho certeza de que, é a pessoa certa para esse trabalho.” "Obrigada. Nós vamos trazer os responsáveis à justiça.” Brant assentiu. Assim que a porta se fechou, seu rei se virou para ele. "Que porra você estava pensando?" "Desculpe-me, meu senhor?" “Segure esse pensamento. Não...” Ele andou para o outro lado da sala antes de se virar. “Pense muito em uma resposta. Que porra você estava pensando em trazer aquela mulher a bordo?” Ele saiu do quarto. Titan sabia exatamente por que Brant estava tão abalado. Ele podia entender porque o macho estava tão chateado. Brant voltou alguns minutos depois com um par de cabides. "Suas roupas.” Ele os entregou a Titan. "Uma fêmea? Você escolheu trabalhar com uma mulher? Por favor, me diga que não teve escolha depois de tudo.” "Eu tive uma escolha.” Ele não podia mentir. Brant rosnou. Titan continuou a listar as coisas que mencionou para Drago. Todos os atributos e sucessos de sua carreira. "Teria sido errado excluí-la por causa de seu sexo.” Ele estava tão cheio de merda, ainda assim, parecia certo de alguma forma estar dizendo isso. Brant sacudiu a cabeça. “Está tornando isso mais difícil para você. Nós concordamos que quem quer que fosse não iria realmente ajudá-lo na tarefa real. Isso seria apenas para aparências externas. Quem dá uma merda sobre seu currículo?” Ouvir Brant dizer isso sobre Natasha irritou-se. Natasha era boa em seu trabalho. Ela era trabalhadora.

86


"Meu plano é claro.” Acrescentou o rei. Na verdade, Titan inventou todo o plano, sabia de trás para frente. Ele rangeu os dentes por um momento, em vez de corrigir Brant. “Eu sei, então quem se importa se a pessoa é homem ou mulher? Não importa para mim. Você sabe minha opinião sobre as mulheres, sabe onde estou.” "Você ainda tem um pau, a menos que eu esteja enganado." Brant olhou para Titan com os olhos apertados. "Você tem um pau?" Seu rei finalmente gritou. Mesmo? Essa linha de questionamento era necessária? O olhar de Brant não vacilou. "Sim, meu senhor." Titan tentou não suspirar. "Só porque você não usa isso, não significa que não está lá." "Eu sei disso.” Titan rosnou. Ele sabia disso muito bem. “Eu não planejo usálo. Certamente não em algum ser humano.” Cuspiu ele. "Bom! É melhor ficar em suas calças.” "Será, agora podemos, por favor, deixar esta conversa?" Brant olhou para ele por mais meio minuto. "Bom. Eu confio em você.” Ele revirou os olhos. “Você, de todos os machos. Tem uma boa cabeça em seus ombros. Você é um dos meus melhores. Claro, você fodeu, mas foi dado o final curto da vara. Para o registro, é muito duro consigo mesmo e deve colocar isso atrás de você... apenas não com ela.” Ele adicionou, desnecessariamente. "Posso mudar?" A conversa continuava longa demais para o seu gosto. "Use seu próprio maldito apartamento." Titan respirou fundo. “Está do outro lado do castelo. Eu tenho um humano a reboque, seria...” "Tudo bem.” Brant suspirou a palavra. "Use o banheiro." Parecia que demorou uma eternidade para vestir a roupa justa. Depois de tentar cinco vezes, Titan finalmente desistiu da gravata. Ele murmurou uma maldição sob sua respiração quando saiu do banheiro. "Mmmmm..." Brant assentiu. "Isso é um ajuste decente."

87


"É sufocante.” Disse Titan. "Eu não sei como você aguenta isso.” Ele puxou o colarinho engomado. "Os couros são mais apertados, então não sei qual é o problema." “Eles estão fora do pescoço e dos braços e se encaixam como uma segunda pele. Isso é...”Rosnou em vez de terminar a frase. Brant riu. "Permita-me.” Dentro de alguns segundos a gravata estava pronta e apertada em volta do pescoço dele, podia sentir que fechava seu suprimento de sangue. Ok, tudo bem, não era tão apertada, mas ainda assim, parecia restritivo prá caralho. Ele não gostou. Titan deixou o paletó no cabide. Ele não estava usando até que realmente precisasse. "Você precisa ir nessa coisa.” Disse Brant. Titan assentiu. Como se ele não soubesse. “E se sair à notícia que eu tenho… tive...” Brant enfatizou a palavra. “... sede de sangue, eu mesmo vou te matar.” Titan queria perguntar ao macho sobre isso, mas segurou a língua, assentindo em vez disso. “Como você disse, não é grande coisa. Seu segredo está seguro comigo." Brant desviou o olhar antes de trancar os olhos com Titan. “Foi um caso leve. Só espero que meu filho não seja gravemente afetado.” Linhas de preocupação apareceram em sua testa. "Eu preciso ir falar com Tanya, ela vai se preocupar." "Compreendo. Parece um pouco estranho que seu filho tenha sede de sangue, considerando que sua rainha é humana. Sammy bebe dela.” Titan podia sentir-se carrancudo. “Você deve lembrar que ela não é mais completamente humana. Ainda precisamos pesquisar a aflição.” "Tenho certeza que tudo vai dar certo." "Será!" Brant deu-lhe uma bofetada na lateral do braço. "Eu… Estamos todos confiando em você para encontrar esses bastardos. Titan assentiu. Nenhuma porra de pressão. Nenhuma mesmo.

88


9 Atire lateralmente! A boca de Natasha secou quando se abriu. Seus olhos saltaram do crânio. Santa Mãe da Alegria! Titan estava vestindo um terno, só sem a jaqueta. A camisa branca encaracolada encaixava-o como uma luva, moldando-se a cada contorno duro de seu corpo. As calças eram tão apropriadas. Era como se a coisa tivesse sido feita especialmente para ele. Um cinto de couro preto estava preso na cintura. Sua gravata era rosa, de todas as cores. Funcionou embora. Parecia quase perfeito perto de seu pescoço. Titan parecia sombrio. Havia linhas de preocupação entre os olhos e os músculos do pescoço estavam amarrados. Seus lábios foram pressionados juntos com força. Ele carregava um par de sacos de terno em uma mão. Natasha assobiou. "Você limpa bem." Merda! Sua voz soou um pouco rouca. Pare de encarar o cara. Pare com isso! Titan não pareceu notar sua avaliação dele. "Sim.” Um dos guardas sorriu. “Você está bem de verdade Boa. Deveria usar um macacão de macaco com mais frequência.” “Deixe o rei ouvir você dizer isso. Este é o terno de Brant, idiota.” Se olhares pudessem matar, aquele cara estaria morto e enterrado. Titan finalmente quebrou o contato visual com o guarda que se contorcia. "Vamos sair daqui.” Ele olhou em sua direção. Natasha assentiu e foi até o elevador e apertou o botão. "Adeus, fêmea.” Disse o outro guarda. Antes que ela pudesse responder em espécie, Titan se virou e rosnou para ele. Parecia um animal cruel. Seu lábio ainda se curvou para longe de seus dentes. Lá estava de novo, sua presa. Não foi o tempo que ela imaginou que os caninos vampiros fossem. Ainda o fazia parecer perigoso. Seu coração bateu um pouco mais rápido. Porra, ele estava seriamente

89


gostoso. O cara era quente, apesar de agir como algum tipo de animal selvagem... ou então, novamente, talvez fosse por causa disso. Entraram no elevador e as portas se fecharam. Ela tinha entendido tudo errado. Não havia como Titan ser o idiota sexista que fingia ser. Ele a olhou. Sempre insistia em permitir que ela fosse primeiro, a menos que houvesse problemas ou problemas aparentes. Não estava perdido nela quando se moveu na frente dela no portão, conforme aquele guarda lhes dava problemas. Ele se levantou para ela, mais de uma vez. Ele até leu seu maldito arquivo. Estudou a coisa. O cara provavelmente sabia mais sobre ela do que a maioria. "Você pode parar de sorrir." Titan olhou para frente. "Eles estavam apenas tentando ser legais." "Legais minha bunda.” Ele resmungou. "Você é um cara legal, Titan." Ele flexionou o pescoço para o lado. "Você está errada." “Eu não sei porque coloca uma frente tão grande. Você é um cara doce.” Bufou. "Doce?" Ele balançou a cabeça, sua expressão facial lhe disse que a achava que ela havia perdido a cabeça. "Não! Nada doce ou legal comigo. Você me entendeu errado. Eu matei e matarei novamente.” “Eu também, isso não te faz mal. Não, a menos que assassinou alguém a sangue frio.” Ele balançou sua cabeça. “Eu fiz pior, mas não estou discutindo ou debatendo isso com você. Eu não sou quem pensa que sou. Não sabe nada sobre mim. Agora pare com o sorriso e os elogios. Nós não vamos de repente sermos amigos. Nós temos um trabalho a fazer. Estou limpo?" Não era como se ela quisesse ser uma maldita amiga... ela queria? Não! O ponto era, podia ver através de suas besteiras. Esta foi apenas a parede falando. Ela se perguntou o que havia acontecido para fazê-lo agir dessa maneira. Fazia muito tempo desde que alguém realmente a tinha de volta. Desde que alguém se levantou por ela. As ações de Titan falaram mais alto que suas palavras, mas ela não queria discutir, especialmente quando isso não

90


adiantaria. Finalmente assentiu. “Sim, alto e claro. Você não vai se arrepender de sua decisão de me levar a bordo.” Titan não respondeu. Eles desceram pelos vários corredores. "O que é sede de sangue?" Ela perguntou. Titan suspirou, por um momento pensou que ele não iria responder. “O sangue humano é altamente palatável para os vampiros. É suposto ser mais doce.” Ele tinha um olhar entediado no rosto. "Eu não tenho certeza das estatísticas.” Ele franziu a testa. ”Algo como um ou dois em dez vampiros sofrem de sede de sangue. O sangue será tão divino que há uma chance deles beberem até a última gota. Eles acabam matando a pessoa de quem bebem. Não é possível parar ou pensar.” “Oh uau! Isso é terrível! Já aconteceu antes? Um vampiro realmente matou um humano? Se sim, eu não sabia.” Titan sacudiu a cabeça. “Felizmente nunca aconteceu. É por isso que a mistura de nossa espécie ocorre sob regras estritas. Os machos são testados para a aflição. Aqueles que sofrem de sede de sangue podem não participar do Programa.” "Isso é compreensível.” Disse ela enquanto caminhavam para um vasto espaço. Eles estavam quase na entrada principal. Parecia uma área comum. Havia alcovas sentadas em todo o espaço. Natasha não tinha certeza do que esperar, mas não era isso. Foi generoso. Dos grandes lustres de cristal aos tapetes de lã macios e ao brilhante chão de mármore. O decorador tinha ido com clássico e moderno. Até a obra de arte era linda. Havia muita cor e pinceladas ousadas. A área estava ocupada. Havia vampiros indo e vindo. Havia grupos de pessoas em pé ou sentados juntos nos sofás. Uma coisa era certa, os vampiros eram lindos. Os homens eram masculinos e ferozes em sua beleza e as mulheres eram simplesmente lindas. Alta e atlética. Tudo, desde o cabelo até as pernas longas e magras. Eles usavam shorts minúsculos, pequenos tops com... ela tentou não olhar. Nenhum deles usava sutiãs. Não é um. Uma senhora vampira passou por eles. Usava a menor saia e um top transparente. Natasha podia realmente ver seus seios

91


pequenos e altos. Ela olhou para longe. A vampira olhou para Titan, parecia que estava lhe dando um olhar sujo. Titan continuou andando. Ou ele não tinha notado ou não dava a mínima. Alguns dos homens deram um aceno a Titan. Um ou dois caras tentaram envolvê-los na conversa, mas Titan os ignorou. Ele os levou até onde seu veículo estava estacionado, a uma curta distância do portão. Eliot correu. Ele sorriu quando entregou as chaves para Titan. "Obrigado.” Disse Titan. "Certo.” Eliot olhou para ela. Havia interesse em seus olhos. "Então, vocês estão saindo?" Ele se virou para Titan, que assentiu. "Você virá e visitará novamente em breve?" Titan sacudiu a cabeça. “Não por uma semana ou duas. Eu vou estar muito ocupado pegando esses filhos da puta para...” "Nós.” Disse ela. "O que?" Titan franziu a testa. "Nós vão ficar muito ocupados.” Ela sorriu para ele. A mandíbula de Titan se apertou. "As coisas vão estar ocupadas." "Bem.” Disse Eliot. "Boa sorte e esteja seguro... vocês dois.” Ele olhou para ela. Natasha acenou com a cabeça uma vez enquanto se aproximava do seu lado do veículo. "Deixando-nos tão cedo?" A voz estava zombando. Era o guarda de antes, Luke. Por que o cara era tão idiota? Ela notou que o inchaço vermelho ao redor do nariz sumira. Titan nem parecia assim. Ele abriu sua própria porta, os olhos ainda em Eliot. "Até a próxima." "Fêmea.” Luke chamou a ela em um áspero grossa. Natasha também decidiu ignorá-lo. Ela tinha a sensação de que ele ia bater nela ou derrubar Titan de alguma forma. Por qualquer motivo, não parecia gostar de seu parceiro. "Fêmea!" Mais alto desta vez.

92


Ela continuou a ignorar o cara. Ele era um idiota. Natasha estava apenas entrando no SUV quando Luke gritou alguma coisa para ela. "Você não está seguro com ele!" Pelo menos, parecia que tinha dito isso, mas não podia ter certeza. Natasha se impediu de deslizar até o assento. "Pare com sua merda, Luke.” Eliot virou-se para o guarda-chefe. "Largue. Você não sabe do que está falando. Você não tem a história completa.” "Como foda-se!" Luke parecia muito chateado. “Esse humano não está seguro com os gostos dele. Eu não tenho ideia de como fez a cabeça da segurança humana... como ele conseguiu essa tarefa em primeiro lugar. Nossos reis perderam a cabeça.” “Isso é blasfêmia. Pare com isso agora! Você não tem ideia do que está falando.” Eliot levantou a voz. "Vocês dois se inscreveram para o título de Chefe da Guarda Humana e Titan foi promovido... dê o fora disso." "Essa posição não tem nada a ver com isso!" Luke gritou. "Embora...” Ele deu uma risada sem humor. "... eu não posso compreender porque ele..." Luke apontou para Titan, que deu um rosnado silencioso. "... iria conseguir um papel que implica trabalhar com mulheres humanas." Luke sacudiu a cabeça. "Entre no carro!" Titan rosnou para ela. Merda! Ele parecia mais irritado do que ela já tinha visto alguém antes. Seu rosto estava vermelho, os olhos brilhando. Ambas as presas estavam fora e em toda a sua glória. Seus olhos pareciam brilhar, um azul mais claro... frio e gelado. Duro como pregos. Natasha engoliu em seco e pulou no veículo, ela agarrou a maçaneta, mas antes que pudesse fechar a porta, Luke gritou alguma coisa. As palavras fizeram seu sangue gelar. Não poderia ser. Não! Ela não acreditou. Esse cara, Luke, era um idiota. Titã rugiu, parecendo mais um leão do que um humano. Seus músculos se agruparam quando ele foi em direção a Luke em uma corrida plana. O covarde correu para a guarita e fechou a porta com um estrondo. Eliot agarrou Titan ao redor do tronco, assim que ele alcançou a porta. Titan se soltou.

93


Eliot disse algo para Titan que o fez parar em suas trilhas. Eliot disse outra coisa. Titan se virou, seu rosto era ao mesmo tempo uma máscara de raiva e de dor... talvez ela estivesse lendo demais sobre isso, mas se ele estivesse magoado com as palavras, talvez houvesse verdade nelas. Não poderia ser. Os dois falaram por alguns segundos, a conversa esquentou. Então Titan esfregou a mão no rosto e assentiu. Ele olhou para ela, seu rosto solene. Sua postura toda tensa. Um arrepio percorreu sua espinha quando se lembrou do que Luke havia dito. Não! Ela não tinha medo de Titan. Na verdade, ela chegaria ao ponto de dizer que confiava nele. Estava crescendo até mesmo como o cara. Seu intestino a decepcionou? Não! Titan andou a passos largos em sua direção. Ela esperou que a adrenalina aumentasse e suas mãos ficassem suadas. Isso não aconteceu. Luke era um imbecil gigantesco. Ela lidou com o tipo dele antes. Poder faminto e disposto a fazer qualquer coisa para chegar ao topo. Ele agiu como se estivesse com ciúmes de Titan, porque havia sido promovido antes de Luke. Talvez o cara estivesse apenas espalhando boatos. Sim! Isso tinha que ser. O idiota estava falando besteira, ele estava com ciúmes de Titan. Isso tinha que ser. Ela podia respirar mais facilmente. "Coloque seu cinto de segurança.” Disse Titan quando inverteu o carro em um spray de cascalho. Ele esperou enquanto ela fazia o que disse. Assim que a fivela se encaixou, pisou no chão. Seus pneus gritaram na calçada. O motor rugiu quando saíram dos portões. Seu coração batia descontroladamente em seu peito. Sua respiração veio em ofegos. Acalmese! Respire! Não era como se ela não tivesse estado em um veículo de alta velocidade antes. Ela teve seu quinhão de perseguições ao longo dos anos e participou de vários cursos avançados de direção. Logicamente, ela sabia que seu coração acelerado não tinha nada a ver com a velocidade que eles estavam viajando.

94


A parte traseira do SUV deslizou para a esquerda. O cinto de segurança dela mordeu. Titan

se

virou,

recuperando

o

controle. Ele

lidou

com

o

veículo

como

um

profissional. Natasha deu uma olhada em sua direção. Suas mãos estavam brancas no volante. Sua mandíbula estava cerrada. Alguns minutos depois, Titan abrandou um pouco. Ele estava tão tenso quanto. Na verdade, parecia que havia desenvolvido um tique em sua mandíbula. "Sua camisa está rasgada.” Disse Natasha, olhando incisivamente para seu bíceps. Houve uma pequena lágrima no tecido. Provavelmente de quando ele foi atrás de Luke. Titan olhou para baixo e xingou. “Vou ter que substituí-la. Brant não será feliz.” “Não é tão ruim assim, você pode usar uma jaqueta para cobri-la. Tenho certeza de que Steve conhece as medidas de Brant. Quero dizer, Brant usa Steve então...” Ela deu de ombros, parando no meio da frase. Ela estava balbuciando. Seu peito estava apertado. Ele deu um duro aceno de cabeça, ainda havia linhas profundas de testa na testa. Ele não disse mais nada. Seus olhos continuaram treinados na estrada à frente. "Não se preocupe, não acreditei no que ele disse.” Natasha finalmente soltou. Alguém teve que abordar o que acabara de acontecer. Titan franziu os lábios. Eles precisavam conversar sobre isso. Saia ao ar livre. “Que idiota. Você deveria ter derrubado aquela porta e chutado a merda dele.” O lábio de Titan se contraiu antes de juntá-los novamente. Ele respirou pesadamente pelo nariz. “Não, você deveria denunciá-lo ou algo assim. As pessoas não devem ser autorizadas a espalhar mentiras e rumores. Não é justo, isso...” "Eu não vou denunciá-lo porque o que ele disse é verdade." As mãos de Titan se apertaram no volante. "O que? Não...” Ela se sentiu carrancuda. O que ele estava dizendo? "Você não…" "Sim!" Rosnou. "É fodidamente verdade, agora podemos, por favor, deixar cair?" As palavras de Luke passaram por sua cabeça. De novo e de novo.

95


“Titan tentou se forçar em uma fêmea. Gosta de violar mulheres humanas.” Luke tinha zombado quando ele disse isso. Como se estivesse se divertindo. Força. Estupro. Ela bufou. “Eu não acredito nisso. Nem por um segundo. Você não faria algo assim.” "É melhor você acreditar.” Disse Titan, com a voz calma. "Certo, tudo bem! Você está dizendo que estuprou alguém? É isso que está dizendo, porque eu tenho dificuldade em acreditar ” “Eu não dou a mínima se acredita em mim ou não. Eu sou perigoso. Eu não sou legal Nem mesmo perto. Você faria bem se lembrando disso.” Merda! Ele tinha...? Estuprado alguém? Ele fez algo tão horrível? Tão horrível? Ela podia ouvir sua respiração entrando e saindo em rápida sucessão. Seu coração estava quase batendo no peito. Natasha não conseguia controlar seu pânico. “Por que você não está na cadeia? Se estuprasse alguém, estaria na cadeia.” Havia uma sugestão de pânico em sua voz. "Não importa. Isso não muda os fatos.” Sua mente correu. Não poderia ser. Por que ele não estava negando isso? Não podia ser verdade... Poderia? "Eu não vou te machucar.” Sua voz era suave e gentil. "Eu não vou nem mesmo colocar um dedo em você." "Eu não tenho medo de você.” Um sussurro. Era verdade. Apesar do que ele dissera que fizera, ainda confiava nele. Ela ficou completamente louca? Era obviamente estúpida, mas não podia deixar de se sentir segura com esse homem. Estava apenas chocada em seu núcleo. A ideia de ter que trabalhar tão de perto com um estuprador não lhe agradava. O fato de que ainda não o viu naquela luz a assustou mais. O fato de que ela ainda se sentia confortável com ele, além disso, que ainda o achava atraente, a aterrorizava. Ela podia sentir o perfume masculino dele. Era atraente. Definitivamente havia algo muito errado com ela.

96


Titan riu. O som não tinha humor. "Você está fodidamente aterrorizada e com uma boa causa." "Está errado! Estou enlouquecendo, mas não tenho medo de você.” "Você deveria estar." "Eu não estou. Você disse isso antes, não precisamos ser amigos. Nós nem precisamos ver olho no olho. Nós precisamos trabalhar juntos.” Ela tirou um arquivo de sua bolsa de laptop. "Eu ainda estou tendo dificuldade em acreditar nessa coisa toda.” Ela não podia dizer isso. “Eliot disse que foi um mal entendido. Ele disse que Luke estava errado e não sabia a história completa. Há partes para isso que não está me dizendo.” "Tanto faz! Eu te avisei e vamos deixar por isso mesmo.” Seu olhar voltou para a estrada onde ficava. Ele parecia resoluto. “Boa ideia, vamos seguir em frente.” Ela tentou soar assertiva. “A primeira pessoa que precisamos entrevistar é a mãe de Liam Stevenson, June, e depois seu irmão mais novo. Carl Stevenson ainda mora em casa. Ele está desempregado.” “Você pode voltar para o escritório. Eu vou entrevistá-los.” "Besteira! Eu preciso cobrir suas costas, quer você queira ou não. É protocolo. Ou nós...” Colocou grande ênfase na palavra. ”... fazemos isso junto ou eu vou voltar para Oregon. ” "Você será demitida se voltar." "Não, isso... vira!" Ela se sentiu como uma idiota. "Foi sua decisão de me levar para bordo não do meu chefe, mas do seu." Ele respirou fundo. “Nem tente negar isso. Está escrito em todo o seu rosto. Não sei por que você deixaria aquela vaca receber o crédito. Olha, eu vou com você e é isso. Ou eu vou no meu próprio veículo atrás de você ou podemos fazer isso da maneira mais fácil e ir juntos. Você pode decidir." Titan rangeu os dentes juntos. Apenas quando ela tinha certeza que ia lhe dizer que fosse para o inferno, ele assentiu. "Fique fora do meu caminho."

97


"Feito.” Ela parecia triunfante. Titan assentiu. "Primeiro vamos garantir um veículo alugado." "Sim. Vamos fazer isso e depois vamos para o Stevenson's”. Seu coração ainda batia como uma coisa louca. Eles dirigiram em silêncio por um tempo. Natasha continuou roubando pequenos olhares para ele. Sua mente trabalhava horas extras. Se Titan era um estuprador, ele forçou as mulheres. Mulheres humanas. Se esse fosse o caso, por que foi nomeado chefe da Guarda Humana? Um guarda que, pelos sons das coisas, cuidava da segurança das mulheres humanas na propriedade dos vampiros. Por que ele estava aqui nesta tarefa? Colocado entre os humanos. Por que ele parecia tão chateado... como se estivesse com dor? Ele disse que não fazia sexo... nunca... isso tem algo a ver com isso? Nada disso foi adicionado. Ficou claro que ela não iria tirar mais nada de Titan sobre o assunto. Quanto mais pensava sobre isso, mais sabia que havia um pedaço inteiro da história faltando. Titan não estava sendo honesto com ela sobre si mesmo ou sobre esta investigação. Precisava ter cuidado ao redor dele, embora ainda sentisse que podia confiar nele. Essa situação toda fedia. Titan estacionou o estacionamento do hotel e estacionou o carro. Então pegou o telefone e fez um pedido para um Uber. "Você está deixando seu SUV no meu hotel?" Titan franziu a testa. "Eu também estou ficando aqui." Oh... oh!! Ele ficou no mesmo hotel que ela. Certamente deveria começar a entrar em pânico com sua segurança agora? Nada! Ela tem grilos. Era bem simples, abaixou a cabeça e fez seu maldito trabalho. Isso é para o que estava lá.

98


10 O dia seguinte... Natasha jogou sua escova de dentes em sua bolsa de higiene e pegou sua escova de cabelo. Correu a coisa pelo cabelo algumas vezes antes de passar o esfregão em um rabo de cavalo desarrumado. Ela dormiu demais. Inacreditável! Então, novamente, tinha tanta coisa em mente depois de tudo que tinha caído ontem que ajustou o relógio para o pm em vez de am. Titan estava esperando por ela no andar de baixo. Natasha olhou para o relógio. Porra, já estava dez minutos atrasada. Ela enviou-lhe uma mensagem e pôde ver que a lera. Claro que não tinha respondido, o que dizia seus volumes. Ela puxou alguns saltos baixos e enfiou a mão em um pouco de brilho labial. Ela se deu uma vez no espelho. Cabelo bagunçado. Blusa ligeiramente enrugada. Natasha suspirou, teria que servir. Depois enfiou o iPad na bolsa, pegou a bolsa do laptop e saiu. Natasha engasgou quando se virou para fechar a porta. Havia uma escrita rabiscada na madeira com tinta vermelha feia. Vá para casa Amante de Vampiro cadela! As pinceladas eram largas e apressadas. Quem fez isso? Certamente o grupo fascista não os descobrira tão rapidamente. Então sentiu a parte de trás do pescoço arrepiar. Ela rapidamente colocou um dedo na tinta e se virou, observando o ambiente. Não havia nada para ver. Ninguém mais estava no corredor. Ouviu-se o som de um chuveiro correndo e pratos tinindo juntos. Nada fora do comum. Ela levantou o dedo. Estava limpo, então a tinta estava seca. Isso aconteceu horas atrás. Um arrepio percorreu sua espinha. Ela não tinha sido a mais sábia. Natasha não tinha dormido bem, se jogou e se virou, mas não tinha sido a mais sábia. Ela não tinha ouvido nada.

99


Os fascistas sabiam que ela estava aqui e com base na mensagem, sabiam o porquê. Ela sabia que eles descobririam mais cedo ou mais tarde, mas isso era insano. Era cedo demais. Muito amaldiçoado em breve. Isso só poderia significar uma coisa. Ela tirou o celular da bolsa. Seu dedo pairou sobre o número de Titan. Se ele aparecesse aqui, saberia o número do quarto dela. Ela revirou os olhos e apertou o botão. Não era como se não pudesse descobrir em que quarto ela estava se realmente quisesse. Terminou de enlouquecer com o que aconteceu ontem. As coisas não estavam somando. No final, só podia confiar em duas coisas: seu intestino e sua Glock. Foi bom descansar em seu coldre ao lado dela. Seu intestino lhe disse que Titan estava mentindo sobre muitas coisas. Apesar disso, sentiu que poderia confiar nele com seu bem-estar. O telefone tocou uma vez. "O que está demorando tanto?" Uma profunda grosa. Bom dia para você também, Brilho do Sol! "Eu preciso que você venha até o terceiro andar." Ele suspirou. "Eu não tenho tempo para isso." "Nós..." Ela levantou a voz. "... você precisa começar a dizer que nós." "Natasha.” Ela não ia gostar de como seu nome soava em seus lábios. De jeito nenhum. “Hum… eu… você precisa subir. É importante. Estou no quarto 304.” Titan fez um barulho de rosnado e terminou a ligação. Parecia segundos depois e ele virou a esquina, caminhando pelo corredor com um olhar determinado em seu rosto. Ele estava de terno completo, vestindo uma gravata azul desta vez. Isso trouxe seus olhos... Não vai lá! O que diabos estava errado com ela? "O que é isso?" Ele fungou, olhando para a porta. "Porra!" Murmurou sob sua respiração. “Precisamos tirar a perícia. Eles devem espanar para impressões e… ” "Eles não vão encontrar nenhum, mas você está certa, devemos tentar."

100


Natasha manteve os olhos nos dele por algumas batidas. “Isso é por causa de um vazamento interno. Alguém no escritório do Xerife. É isso ou alguém da minha equipe. Não há como esse grupo ter chegado tão rapidamente a nós, a menos que houvesse uma escuta.” "Eles provavelmente nos viram entrando e saindo do castelo ontem.” Ele encolheu os ombros. "Eles poderiam ter nos seguido." "Não havia ninguém por perto ontem.” Ela franziu a testa. Titan levantou as sobrancelhas. "Eles poderiam ter usado um drone." "Eu pensei que os vampiros usavam dispositivos para evitar drones voando sobre o seu território." “Nós usamos, mas não podemos parar o que acontece fora de nossas cercas. Eles poderiam estar observando o escritório do Xerife.” Era possível, mas Natasha não comprou. Ela havia feito uma extensa pesquisa sobre os vampiros e seu território, e os drones não conseguiam voar perto deles. Um drone não teria chegado perto o suficiente. Era possível que alguém os visse, mas também não achava que fosse o caso. Ela foi treinada para monitorar seus arredores. Era fácil identificar um rabo se soubesse o que procurar. "Uma escuta não deve ser excluída." Isso fazia mais sentido. Parecia malditamente certo. “Concordo, mas estamos nos ater ao nosso plano. A família e os amigos dos membros devem poder esclarecer este grupo.” “Vampiros mataram seus entes queridos. Você viu como as coisas foram ontem com a mãe de Liam.” A mulher mais velha tinha ido de chorar para insultar e depois voltar a soluçar seu coração novamente. "Foi o mesmo com o irmão dele." Ainda pior, eles não tiraram duas palavras da juventude com cara de espinha. Ele tinha vinte e poucos anos e não trabalhava. Natasha notou que ele estava usando roupas de marca e novos tênis caros. O garoto estava ganhando dinheiro de algum lugar. Valeria a pena dar uma olhada mais de perto nele. Eles não tinham falado com a aplicação da lei antes, não esperava que as coisas fossem diferentes desta vez.

101


“Vamos trabalhar o nosso caminho através dessa lista e identificar aqueles que precisam de uma consideração mais próxima, como o homem de Stevenson. Podemos rastreá-los e ver aonde isso leva.” "OK." Natasha poderia dizer que não iria chegar até ele. Por que era tão inflexível sobre como as coisas precisavam ser executadas? Começar com um plano era imperativo, mas o plano precisava ser maleável com base em como a investigação prosseguia. Não houve doação quando chegou a Titan. Pensamento lateral zero. Ela iria junto, por enquanto. “Você precisa embalar. Eu vou para a recepção.” Disse Titan. "Uma vez que for feito, isso...” Ele apontou para a porta. "... precisa ser limpo, e eu vou pedir que lhes designem um novo quarto." “Sim… não é uma má ideia. No segundo pensamento, talvez devêssemos encontrar outro lugar para ficar.” Titan fechou os olhos por um momento. Ela notou que eles pareciam um pouco injetados. Então, balançou a sua cabeça. "Nenhum ponto!" Ele parecia cansado. "Só temos que ser mais vigilantes.” Titã estava certo. Esses caras tinham encontrado uma vez, iriam encontrá-los novamente, não importa onde fossem. Ela precisaria ser ainda mais vigilante. Natasha assentiu, sentindo-se cansada.

Isso foi cansativo passando pelas moções de entrevistar todas as famílias dos membros fascistas mortos. Parecia uma perda de tempo. Ele precisava garantir que mantivessem o truque embora. Ninguém poderia descobrir o que realmente estava acontecendo nos bastidores. Titan havia trabalhado até tarde para rever a filmagem da câmera. Ele então ouviu todas as conversas telefônicas do dia anterior. Felizmente, os dispositivos só começaram a gravar quando alguém realmente falou. Ainda assim, onde o Xerife estava preocupado, era uma tonelada de filmagens. Especialmente considerando que ele falou com alguém a quem se referiu como o seu ‘Honey Bunny’ quinze, se não vinte, vezes por dia. A fêmea o chamou

102


de ‘Teddy Bear’ e em uma voz irritante que deveria ser sexy. Toda a conversa ‘pomba do amor’ foi nauseante, para não mencionar a conversa de sexo sujo, o que ele poderia passar sem ouvir por acaso. De qualquer forma, ele teve que ouvir cada uma dessas conversas e tentar procurar mensagens escondidas ou significados. A humana, Natasha, estava no local, havia uma escuta no departamento do Xerife e Titan ia encontrar o filho da puta. Não demoraria muito para que falassem. Ele encontraria esse grupo. Não estava prestes a tomar a rota direta embora. Se a toupeira soubesse que estava sobre eles, todo o seu plano seria disparado para o inferno e o filho da puta iria se esconder. Ele precisava impedir Natasha de bisbilhotar. A fêmea precisava ficar no escuro. Seus pensamentos voltaram para os aparelhos de escuta; o Xerife também falou regularmente com seus representantes. Até agora, o macho parecia estar limpo. Assim como o técnico de laboratório James Dawson. O departamento de prisão e os departamentos administrativos também estavam limpos. Era cedo, embora. Titan não esperava que as respostas caíssem do céu. Ele ia ter que trabalhar nisso. Se isso significava correr por aí fingindo estar em busca de um ganso selvagem durante o dia e passar por imagens de vigilância à noite, então que assim seja. Além disso, ainda havia alguns telefones dos oficiais que precisavam ser grampeados, e Milly, da recepção, também precisava de um aparelho colocado em seu aparelho. Foi um trabalho em andamento. Titan precisava pisar com cuidado, não planejava ser preso. Seria melhor se Natasha acreditasse no truque. O escritório do Xerife estava grampeado, encontrou dispositivos espalhados por todos os vários departamentos. Até agora, o escritório dele e de Natasha estava limpo. Ele montou uma câmera para que, se o babaca tentasse plantar um aparelho, os pegasse em flagrante. A questão era que os filhos da puta tinham orelhas por toda parte, se o humano fizesse um deslize, seriam pegos. Ele gostou da ideia de abordar essa coisa de ambos os ângulos. Cavar fundo nunca foi uma coisa ruim. Natasha entrou. “James está processando as impressões, enquanto falamos. Eles levantaram catorze sets completos e nove parciais. Ele ligará se alguma coisa entrar.”

103


"Eu não iria segurar minha respiração." Que foi exatamente o que sentiu vontade de fazer agora. Seu perfume estava levando-o à distração. Titan estava com sede. Ele tinha comido dois dias atrás, então não deveria precisar beber tão cedo. Especialmente desde que sua geladeira estava cheia de sangue. A única coisa era que o sangue de uma bolsa não era tão satisfatório quanto o sangue de uma veia. Ainda assim, tirou sangue de Drago há apenas dois dias, então não deveria precisar de sangue até mais tarde na semana, no mínimo. Só de pensar no macho o fez se sentir culpado. Ele reagiu duramente quando Drago flertou com Natasha. O idiota deveria ter sabido melhor do que fazer um movimento assim e especialmente na frente dele. Embora Lance estivesse preenchendo para ele, Titan ainda era oficialmente responsável pela divisão que cuidava dos humanos, enquanto estava em território de vampiros. Fodendo com as fêmeas humanas era um completo e absoluto não/não. Não importava que Drago fosse um dos dez e que já tivesse sido testado por sede de sangue. O que importava era que Natasha não era uma das mulheres do Programa. O babaca tinha sido rude com ela em cima disso. Era algo que não toleraria. A fêmea em questão se aproximou. O aroma de rosas silvestres e doces encheu suas narinas. Era tudo o que podia fazer para não sentir o cheiro dela, cheirar o ar. Seu estômago roncou. Ela lhe deu um sorriso triste. "Se você precisar fazer uma pausa para a comida, posso preencher esse relatório para você." "Não.” Ele disse rápido demais. O relatório era para o seu rei, detalhando todos os passos dados até agora. Não tinha nada a ver com o incidente desta manhã como havia dito. "Eu estou bem.” Ele acrescentou, mais suave desta vez. "OK. O que você gostaria que eu fizesse?" Ela cruzou os braços. "Você pode trabalhar nos relatórios das entrevistas de ontem e preparar uma lista de perguntas nas programadas para esta tarde." Sua mandíbula se apertou, mas assentiu. “O próximo da lista é a avó de Earl Fish e seu pai. A mãe é listada como falecida. A avó do cara está em uma casa para idosos. Está em condição frágil.” Natasha fez uma careta. "Eu não tenho certeza de quanta informação poderemos tirar dela."

104


"Nenhuma pedra deixada sobre pedra." "OK. Se você diz.” Ela soltou um suspiro. A fêmea era esperta. Titan viu quando ela começou a trabalhar, fazendo o que pediu. Não houve conversa fiada esta manhã. Seus sorrisos fáceis também secaram. Bom! Era melhor que ela soubesse exatamente quem ele era e do que era capaz. Ele não era legal, doce ou gentil ou qualquer um dos outros adjetivos que usava para descrevê-lo. Ele admitiria que gostava de ouvi-la dizer. Aquele algo nele tinha aquecido, mas não merecia tal elogio. Ele estava longe de ser digno. Era melhor assim. Melhor que pensou o pior dele. Nunca poderiam ser amigos, e muito menos mais. Ele fechou os olhos e esfregou a têmpora. Ele apenas desejou que ela não tivesse que odiá-lo. Foi bom ter alguém para vê-lo de uma forma tão boa. Para que uma mulher acredite nele e desfrute de sua companhia para variar. Era mentira. Isso foi para o melhor. A fêmea continuou digitando em seu laptop. Seus lábios se moveram enquanto relia algo que acabara de escrever. Titan assistiu com fascinação quando ela traçou a ponta da língua em seu lábio em um deslizamento lento e fácil. Puxou o lábio inferior em sua boca e chupou levemente. Poderia apenas imaginar aqueles lábios ao redor de seu pênis. Ela chupou novamente e ele jurou que podia sentir isso em seu pênis. Seu saco contraiu. Porra! Titan sabia que seu sangue seria grosso, quente e tão fodiod. Seria um delicioso arrebatamento. Ele podia ouvir cada batida de seu coração, podia ouvir o sangue correndo em suas veias, ansiava por um gosto. Ansiava por muito mais. Titan tinha se masturbado cinco vezes na noite passada e mais duas vezes esta manhã. Você não pensaria assim se desse uma olhada no pau dele agora. Difícil e latejante. Ele era o maior pau vivo. Natasha tinha medo dele e por um bom motivo. Seu estômago roncou. A fome a roeu. Ele não tomara café da manhã, então era compreensível. Embora precisassem de rajadas regulares de sangue para manter seu metabolismo, como os humanos, os vampiros ainda precisavam comer também. Quanto

105


maior o vampiro, mais precisavam consumir. Tanto em termos de sangue e comida. Os machos precisavam de mais sangue e calorias do que as fêmeas. Suas taxas metabólicas mais altas exigiam isso. "Você precisa de algo da máquina de venda automática?" Perguntou. "Um...” Ela olhou para cima de seu laptop e balançou a cabeça. "Estou bem, obrigada.” Então voltou a trabalhar. Ele dirigiu-se para a área aberta principal e foi em direção à máquina de venda automática. Não havia muita seleção. Titan estava prestes a colocar algumas moedas na fenda quando uma voz familiar soou atrás dele. "Você realmente não deveria comer esse lixo." Ele

se

levantou

e

virou-se. A

fêmea

perfumada

de

lavanda. Ela

sorriu

largamente. "Você deve ser o novo cara.” Ela piscou, mas Titan poderia dizer que não estava flertando tanto quanto tentando ser amigável. "Eu sou Tessa." Tessa, ou como o Xerife gostava de chamá-la, Honey Bunny, enfiou a mão no cesto e tirou um sanduíche embrulhado. Ele podia sentir que era peru com alface, tomate, maionese e uma pitada de mostarda. O pão branco e crocante, provavelmente assado naquela manhã. Titan pegou o sanduíche dela. "Obrigado!" "Então, você é o cara disfarçado.” Ela disse ‘disfarçada’ por trás da mão e olhou ao redor da sala. "Eu sou Tessa.” Ela disse novamente, estendendo a mão; Titan sacudiu. “Big Bear disse que você está aqui em um negócio secreto. Que as pessoas do FBI estão na cidade. Não se preocupe, ele não diria mais nada. Eu não tenho ideia do que é tudo isso. Emocionante, não é?” Seus olhos estavam arregalados e faiscavam de excitação. Titan assentiu. "Obrigado por isso.” Ele levantou o sanduíche na mão. "Querida.” Disse o Xerife, do outro lado da sala. "Eu pensei ter ouvido sua voz." “Pensei em trazer almoço para você e Emmett. Com licença." A fêmea foi até o Xerife e deu-lhe um beijinho no rosto. Era difícil acreditar que Big Bear Bill se permitisse ser amarrado por esta pequena fêmea e espancado com um chicote. Humanos eram estranhos. Ele não os entendia.

106


Milly fungou. Seu olhar estava firme no casal. Seus olhos estavam estreitados e os ombros tensos. "Eu não gosto dessa mulher.” Disse ela em voz baixa, finalmente olhando para Titan. "Eu não confio nela." "Por que você diz isso?" Milly encolheu os ombros. "Eu não sei. Não posso colocar meu dedo nisso.” Ela balançou a cabeça. Titan sentiu o cheiro dela. Milly estava triste. Havia uma amargura que lhe dizia que também estava com ciúmes. A fêmea possivelmente tinha sentimentos por seu chefe. Pode ser por isso que não confiava em Tessa. "Há quanto tempo os dois estão se vendo?" “Pouco mais de um ano. Eles comemoraram seu aniversário há cerca de um mês.” Seus olhos nublados por um segundo. "Eles ficaram noivos." "Você não parece muito feliz." Milly encolheu os ombros. “Não me importe. Eu me importo com o velho bobo, isso é tudo. Eu conheço Bill há anos. Ed e eu costumávamos ir jantar na casa de Bill e Jeans, e viceversa. Nossos cônjuges morreram apenas dois meses separados. Nós ajudamos e apoiamos um ao outro durante um período escuro de verdade. Então ele conheceu Tessa.” Ela franziu os lábios. "Ah bem! Desejo-lhes tudo de melhor, eu desejo... mas...” O telefone tocou. Milly sorriu. "Com licença." Titan assentiu. Sim, a fêmea estava com ciúmes. Não havia mais nada, mas o fez pensar em outro ângulo. Ele voltou para o escritório. Havia também aqueles que tinham acesso ao escritório do Xerife em uma base regular. Ele pode ter tudo errado. O informante pode não estar no interior, eles só precisavam estar aqui regularmente o suficiente. Titan pegou seu telefone. Mandou uma mensagem para Lance. O macho era um gênio com computadores e aplicativos e tecnologia em geral. Talvez ele pudesse hackear o sistema. Titan precisava de uma lista de fornecedores. Além de continuar monitorando o que estava acontecendo por dentro, era um bom lugar para começar.

107


11 Cinco dias mais tarde... As letras eram brancas contra um pano de fundo preto ‒ The Dark Horse. Um braço de metal estava pendurado acima da porta. Uma silhueta preta de metal de um cavalo balançava a frente e para trás na brisa leve. Titan segurou a porta aberta para ela e entraram. Estabeleceram em alguma coisa de uma relação de trabalho e fizeram um bom trabalho em trabalhar na lista de entrevistas. Como ela suspeitava, ainda não conseguiam nenhuma informação nova ou reveladora. Ela e Titan tinham seguido Carl Stevenson por um dia. O dinheiro para seus novos tênis vinha da venda de drogas e não porque era afiliado ao grupo fascista. Eles encaminharam o caso para um dos oficiais e seguiram em frente. Se alguma coisa aparecesse, ódio ao grupo, eles teriam deixado Titan e ela saberem disso. O bar era grande dentro do que parecia da rua. Tinha uma sensação antiquada sobre isso. Tinha chão de madeira e uma longa barra de carvalho. Havia uma área de estar em um nível superior ao lado e uma pequena pista de dança com uma jukebox colorida. Foi logo depois das cinco ‒ happy hour ‒ e o bar em si foi bastante lotado. Havia duas mesas. Ninguém dançou. Natasha suspeitava que aquele lugar provavelmente arfasse quando a noite caía noite adentro. Especialmente porque era quinta-feira e quinta-feira era, afinal de contas, uma mini sexta-feira. Ambos os garçons estavam preparando bebidas. Uma era uma dama, então passaram por sua seção encontrando um espaço aberto do outro lado. Não demorou mais de um minuto para o servidor masculino se inclinar em um braço. "O que eu posso pegar você?" Ele tinha um pano de prato na mão. "Vou tomar um refrigerante e meu amigo vai tomar uma cerveja." Titan franziu a testa. "Não, eu...” "Tudo o que você tem na torneira vai ficar bem.” Ela ignorou Titan.

108


O garçom assentiu e se virou para pegar suas bebidas. "O que é que foi isso?" Perguntou Titan. "Nós queremos nos misturar.” Ela sussurrou. "As pessoas bebem em bares." "Temos um compromisso com o cara.” Respondeu Titan. “Ele sabe quem somos. Se não, ele vai em breve.” "Ainda assim, nem todo mundo neste lugar precisa saber." A contragosto, assentiu. Não demorou muito para ele trazer de volta as bebidas. Ela estava remexendo em sua bolsa quando Titan entregou ao barman algum dinheiro. "Fique com o troco." "Obrigado!" "Onde devemos esperar por você, Simon?" O bartender ficou boquiaberto, percebendo de repente quem eles eram. "Oh... hum... sim...” Ele visivelmente se recompôs. "Você pode se sentar ali.” Ele apontou para a seção sentada. "Meu intervalo começa em dez." Natasha tomou seu refrigerante. "OK. Nós estaremos esperando.” Titan pegou sua cerveja e se dirigiram para a mesa mais próxima. Ele esquecido o bar. Houve um lote misto de pessoas. Alguns dos clientes usavam ternos de gola e gravata, enquanto outros usavam jeans e camisetas. Havia um cara de macacão sujo. A maioria deles eram homens. Um casal sentou-se no final do bar. À primeira vista, parecia que eles estavam ficando muito confortáveis um com o outro. Em uma inspeção mais próxima, ela viu que eles estavam em uma discussão profunda. Titan tomou um gole de sua cerveja, colocando o copo para baixo com um leve estrondo. Ele fez uma careta. "Eu não tenho certeza porque os humanos bebem essas coisas." "Você não deveria realmente beber isso, a propósito, nós estamos oficialmente no relógio." Titan deu outro grande gole. Ele lambeu a espuma dos lábios. E parecia divertido. “Álcool não vai me afetar. Além disso, não faço parte do seu FBI.” "O álcool realmente não afeta você?"

109


Ele balançou sua cabeça. Sentaram em silêncio por eu estar em silêncio .As coisas eram definitivamente estranhas entre eles. Discutiram o caso ‒ mal ‒ e foi isso. Ela tentou abordar o assunto sobre sua admissão no outro dia, mas ele a fechou. Assim como suspeitava que faria. Titan deixara infinitamente claro que não estava discutindo o que havia acontecido e foi isso. "Então, Simon é o filho distante de Chester Todd?" Ela perguntou, embora soubesse a resposta. O silêncio estava deixando-a louca. Especialmente neste ambiente onde as pessoas estavam rindo e conversando... interagindo. Titan assentiu. "Você realmente acha que ele tem algo a acrescentar do seu testemunho anterior?" Natasha estava doente e cansada de correr em círculos. Ela concordou que algumas das pessoas entrevistadas anteriormente precisavam ser revisadas, mas não todas. Simon não via o pai há anos. Ele não tinha relações com o cara. O que eles poderiam entender disso? Titan assentiu. "Nós não estaríamos aqui de outra forma.” Ele bocejou, colocando a mão sobre a boca. "A cama do seu hotel é desconfortável?" Ela desabafou. Dia a dia, ele parecia cada vez mais cansado. Seus olhos estavam vermelhos e havia manchas sob seus olhos. "Está bem." "Você não parece que dormiu muito desde que chegou em Sweetwater." "Estou bem.” Ela podia ver que ele queria bocejar novamente. "Se você diz." Natasha estava cansada de tentar tirar alguma coisa dele. "Podemos também pedir algo para comer enquanto estivermos aqui.” Ele pegou um menu. "Nós vamos pedir para viagem." Natasha também pegou um cardápio e começou a folhear. No momento em que praticamente decidiu o que queria, Simon se sentou em uma cadeira ao lado dela. "Eu só tenho quinze minutos.” Ele olhou dela para Titan e de volta novamente. Simon era alto e desajeitado, com cabelo preto curto e curto. Ele usava um avental preto com um esboço de

110


um cavalo na frente. “Eu não sei por que vocês querem falar comigo de novo. Achei que deixei claro que não sei muito sobre meu pai. Saí de casa há oito anos e não vi nenhum dos meus pais desde então.” "Por que isso, Simon?" Ela perguntou. Seus olhos se tornaram trovejantes. “Meu pai gostava de ser pesado quando bebia, o que era quase todas as noites. Minha mãe é uma covarde. Ela assistiu ele me bater e não fez nada. Eu saí logo que terminei a escola. Não demorará muito para eu sair dessa cidade de um cavalo.” "Então, você está me dizendo que nos últimos oito anos nunca viu seu pai, nem mesmo uma vez?" Titan olhou Simon de frente. “Eu acho isso difícil de acreditar, já que mora em uma cidade de um cavalo... como você diz.” "Tudo bem.” Simon bufou. “Eu costumava vê-lo de vez em quando, mas nunca me aproximei do cara. Eu não dava a mínima para o que ele estava fazendo.” "Onde você o viu?" Natasha perguntou. Simon encolheu os ombros, ele fez uma careta dizendo que achava que a pergunta dela era absurda. "No posto de gasolina. À volta da cidade. Eu o vi na loja de ferragens algumas semanas antes dele morrer.” Simon fez uma careta como se fosse a pior experiência de sua vida. “Eu literalmente encontrei com ele. Foi tão fodido vê-lo tão perto.” Isso era novo. Talvez falar com Simon não tenha sido uma má ideia, afinal. "Você não pode dizer isso.” Um cara gritou de baixo para o bar. Alguém mais riu alto. Mais pessoas haviam chegado desde que tinham chegado. Os níveis de ruído estavam aumentando. Natasha tentou manter o foco em Simon. "O que ele estava fazendo na loja de ferragens?" “Não sei e não me importo. Eu me virei e saí. O bastardo nem sequer tentou ir atrás de mim ou falar comigo ou qualquer coisa. Você pensaria que ele se importava ‒ mesmo um pouco, mas não... O bastardo sorriu para mim.” Ele balançou a cabeça e apertou a mandíbula. "Meu pai...” Ele disse como um palavrão. "... não poderia dar a mínima. Não

111


naquela época e não agora se ainda estivesse vivo. Eu com certeza não vou colocar flores no túmulo dele.” "Pare, Cindy.” O mesmo homem gritou. "Espere." Todos os três se viraram para o barulho. Um homem tinha uma mulher pelo pulso, ambos estavam de pé. Seu rosto parecia beliscado. Era o casal que esteve falando tão intimamente antes. Talvez eles não fossem tão aconchegantes quanto pareciam. A mulher disse alguma coisa, ela não conseguia entender o que era. "Não, você não é." A voz do cara foi levantada. "Por favor, deixe-me ir.” Ela tentou se soltar, mas o cara não estava escutando. "Quero dizer.” Ele estreitou os olhos. "Você precisa se acalmar e me ouvir." "Eu já disse tudo o que há para dizer.” A mulher implorou. O homem se inclinou para frente e sussurrou algo em seu ouvido. A mulher fechou os olhos e assentiu. "OK?" Ele soltou o pulso dela e esfregou o braço para baixo do lado. O toque era terno e suave. A mulher assentiu novamente. O cara colocou o braço em volta dela e sussurrou outra coisa e bam, eles pareciam todos aconchegantes novamente. Deve ter sido um pequeno mal entendido. Natasha deu um suspiro. Graças a Deus, por um segundo lá... Titan empurrou a cadeira para trás e ficou de pé. Seus olhos foram treinados no casal que se dirigia lentamente para a porta. "O que é isso?" Natasha perguntou. Titan a ignorou. Seus músculos se arquearam, puxando o tecido ao redor de seu bíceps. Esqueça as escadas. Quem precisava de escadas? Ele pulou do lado da plataforma elevada pousando graciosamente no andar de baixo. Natasha não teria acreditado se não tivesse visto por si mesma. Um dos caras no bar soltou seu copo e uma mulher deu um grito. Todo o barulho diminuiu em um instante. Houve apenas o som da música de fundo, caso contrário, tudo ficou em silêncio. "Pare.” Titan rosnou.

112


Embora o sujeito com o braço ao redor da garota endureceu, ele continuou a conduzindo para a porta. O homem pegou o ritmo. Natasha notou que a dama não estava andando tão rápido que seus pés estavam se arrastando. Não parecia certo. Titan obviamente sabia algo que eles não sabiam. "Eu disse pare." Titan se moveu rápido. Ele fechou a distância entre o casal e ele mesmo em um flash, colocando a mão no ombro do cara. O homem não era pequeno, ele tinha músculos e provavelmente deu certo. Ele usava uma jaqueta de couro marrom e jeans. Ele arqueou as costas e se virou. "Tire suas mãos de mim!" Titan o ignorou e se virou para a mulher que parecia realmente com medo. "Você quer sair com este bozo?" "Quem diabos você está chamando de bozo?" O cara bateu no peito com Titan. O vampiro se elevou sobre ele. "Dê um passo para trás.” Advertiu Titan. "Foda-se você!" O cara acertou no rosto de Titan. Aconteceu tão rápido, que quase errou ‒ Titan virou a cabeça para trás e bateu no rosto do homem. Houve um barulho de estalo e ele caiu como uma pedra. Apenas amassado em uma pilha no chão. O cara não se mexeu. Seu nariz sangrou profusamente. O que Titan estava fazendo? Até agora ela estava tão estupidificada que não se moveu. Natasha deu um salto tão rápido que o cabelo quase caiu para trás. "Titan." A mulher olhou para o namorado, marido, quem quer que fosse o cara e começou a chorar. Ela cobriu a boca e soluçou em sua mão. Natasha começou a descer as escadas. Ela precisava se desculpar. Precisava desarmar a situação. "Eu estou tão..." "Obrigado.” A mulher perturbada chorou. Ela estava olhando para Titan. "Eu estava com tanto medo." O que? Natasha franziu a testa, ela andou o resto do caminho. "Não há necessidade de me agradecer.” Disse Titan.

113


“Eu preciso te agradecer.” A mulher, ainda soluçando, correu para Titan e jogou os braços ao redor dele. "Você salvou minha vida.” Seus soluços ficaram mais altos. A multidão começou a conversar alto um com o outro. Titan apenas ficou parado olhando nitidamente desconfortável. A mulher chorou contra o peito dele. "Chame a polícia." Titan olhou por cima do ombro para Simon. "Esse idiota poderia passar alguns dias atrás das grades.” Ele gentilmente pegou a mulher pelos ombros e a puxou para fora dele. "Qual é o seu nome?" Sua voz era gentil e cheia de simpatia. "É C... Cindy.” Ela estava tremendo. "Cindy, você tem um membro da família ou amigo que podemos chamar?" Ela assentiu. "Minha a... amiga Rebecca." "Bom!" Titan soltou-a. "Vamos pegar algo quente para beber enquanto isso.” Ele olhou intencionalmente para Simon, que assentiu.

Duas horas depois... Cindy se virou e deu um aceno, foi dirigido a Titan. A moça estava sorrindo. Titan acenou de volta. Ele suspirou quando a porta se fechou. "Como você sabia?" Natasha perguntou. "Você é um herói, sabe disso?" Titan mudou seu peso, parecendo desconfortável. "Não, eu não sou. Tenho boa audição e um bom olfato e é isso.” “O que o cara disse para ela?” “Ele disse que ela era dele. Que ela tinha esquecido a quem pertencia. Foi assim que disse isso...” Titan olhou para o teto por um momento antes de trancar os olhos com ela. “... colocou o braço ao redor dela como se fosse querida e amada e disse que ela precisava de outra lição. Foi quando senti o aroma dela. Foi de medroso para aterrorizado. Ela estava apavorada com aquele idiota.” Com um bom motivo. Acontece que o namorado de Cindy tinha estado mentalmente e fisicamente abusando dela por um par de meses... desde que se mudou com ele. Ela pediu

114


para encontrá-lo em um lugar público, para que pudesse terminar. Seu material estava empacotado e no carro. Titan a convenceu a testemunhar contra o idiota. Natasha ainda estava chocada com o quão doce e gentil ele tinha sido para Cindy. Que paciente. Cindy foi morar com sua amiga e apresentou uma ordem de restrição, ela também estava pressionando as acusações, e tudo por causa de Titan. Ele até deu a Cindy seu número e disse para ligar se o seu ex-babaca aparecesse sem ser convidado. "O que você está comendo?" A voz de Simon a trouxe de volta de seus pensamentos. "Oh, desculpe!" Ela balançou a cabeça. "Eu vou ter o chili, por favor." Titan também fez o pedido dele. "Nós vamos tê-los para viagem.” Disse ele. "Sim claro.” Simon sorriu. "É por conta da casa. Eu sei como é ser abusado desse jeito. Obrigado por ajudá-la. Você terá que me mostrar como fez aquela coisa com a sua cabeça.” Simon apontou a cabeça para frente algumas vezes. Ele fez uma careta ao fazê-lo. Titan riu. “Não é tão difícil. Sua testa é muito dura... Veja se...” “Você deveria realmente estar ensinando alguém ‒ um civil ‒ como dar uma cabeçada?” "Por que não?" Titan levantou as sobrancelhas. "Todos devem saber se defender.” Ele olhou de volta para Simon. “Deve ser usado apenas para fins de autodefesa. A chave é usar a testa, não o rosto, no rosto do seu oponente. No nariz funciona muito bem.” "Sim!" Simon estava animado. "Eu vi isso. E...” Simon olhou em sua direção. "Eu não pretendo usá-lo em qualquer pessoa.” Ele sorriu. “Você é um cara fodido. Quanto você trabalha?” "Todo dia. Geralmente por algumas horas.” "Horas?" Simon arregalou os olhos e sua boca se sobressaltou ‘O’ “Mesmo?" Titan riu. “Sim, mas esse nível de dedicação não é necessário. Uma hora por dia, quatro ou cinco vezes por semana e verá a diferença, garantida. Você também deve pensar em aulas de autodefesa ou em artes marciais.”

115


"Obrigado pela dica.” Simon assentiu. “Eu acho que posso fazer exatamente isso. Não é divertido ser a vítima.” Sua mandíbula se apertou. “Ainda me sinto vítima às vezes, mesmo depois de todos esses anos. Eu não sou o maior cara por aí.” Ele levantou um dos braços. “O tamanho não importa tanto quanto você pensa. Além disso, pode não ter muito músculo, mas é alto e magro.” Titan olhou em sua direção. "Natasha pode tirar a maioria dos machos...” Ele limpou a garganta. "... homens, e veja como ela é pequena." "De jeito nenhum!" Simon não parecia convencido. “Acredite em mim, ela poderia ter feito um trabalho tão bom quanto eu. Talvez até com uma mão amarrada atrás das costas.” Seu elogio a aqueceu. Natasha teve que sorrir. "Eu não sei sobre uma mão sendo amarrada atrás das minhas costas." "Pare de ser modesta." Titan olhou para Simon. "Você também pode fazer isso." Simon assentiu, depois olhou por cima das cabeças deles. “Parece que o seu pedido está pronto. Mais uma coisa… naquele dia em que vi meu pai na loja de ferragens, ele não estava sozinho. Havia um cara com ele. Mais velho, e me lembro de pensar que ele parecia... não sei.” Simon encolheu os ombros. Ela podia vê-lo pensando sobre isso. "Rico, como se não pertencesse a um perdedor como meu pai." "O que esse cara estava vestindo?" Natasha perguntou. Simon estreitou os olhos em pensamento. “Um terno de negócio. Nenhuma gravata, embora. Ele estava bem preparado e tinha aquela coisa toda grisalha acontecendo com o cabelo dele.” Natasha assentiu. "Talvez ele fosse o gerente da loja." Simon olhou para ela como se estivesse bravo. “Tyler e seu pai são donos da loja de ferragens. Eu nunca vi esse cara antes. Pelo menos não acho que tenha.” "Você o reconheceria se o visse de novo?" "Eu devo." Não tão promissor quanto teria gostado, mas era algo. Eles teriam que fazer qualquer gravação de CCTV que pudessem encontrar na área. Era um tiro longo, mas talvez

116


a loja tivesse filmagens que pudessem usar. Foi provavelmente um beco sem saída, mas vale a pena tentar. Natasha assentiu. "Obrigado." "Eu vou buscar sua comida, está pronta e finalizada." Eles assistiram enquanto Simon pegava o pedido deles. Ele trouxe para eles. “Você tem certeza que não vai ficar? Bebidas na casa?” "Não, nós precisamos ir." Titan pegou a bolsa. "Eu incluí uma fatia da nossa famosa torta de abóbora para cada um de vocês... obrigado novamente." "Apenas fazendo o nosso trabalho.” Disse Titan. Natasha tinha certeza de que suas bochechas estavam um pouco vermelhas. Foi difícil dizer. A iluminação no bar foi discreto. Titan parecia envergonhado por um segundo ou dois. Foi doce. Eles se despediram e se dirigiram para o carro de aluguel. Um sedan discreto. O carro lotou alguns cavalos de potência, mas não gritou ‘olhe para mim’. Foi perfeito para as suas necessidades. Titan destravou o veículo e colocou a bolsa no banco de trás. Então ele deslizou ao lado dela. "Eu sei que você não machucou ninguém.” Natasha desabafou. Ela não pôde se conter. "Vamos voltar para o hotel." Titan ligou o veículo. "Tem sido um longo dia." "Você não poderia ter machucado alguém dessa maneira, especialmente uma mulher." "Eu não sei porque você insiste sobre isso.” Ele se retirou. "Eu te disse a verdade, pode acreditar no que diabos quiser.” Suas mãos apertaram o volante. “Eu vou, não acredito que você possa machucar alguém dessa maneira… Eu simplesmente não sei. Você é um cara legal, Titan.” "Você está errada." Havia uma tonelada de raiva e emoção por trás das palavras. "Você está realmente muito errada.” Disse ele, mais suavemente e mediu desta vez. “Eu machuquei alguém muito mal uma vez. Estou tentando compensar isso. Estou tentando ser uma pessoa melhor, mas não sou. Nem mesmo perto."

117


"Você é. Não se dá crédito suficiente. O que fez por aquela senhora lá atrás...” Ela apontou para o bar. "Qualquer um teria feito o mesmo." “Não, eles não teriam. É loucura, quantas pessoas veem o abuso acontecendo bem debaixo de seus narizes e escolhem dar a outra face. É preciso coragem para se levantar assim.” Titan bufou. “Aquele homem humano não teve chance contra mim. Coragem minha bunda.” “Você se importava genuinamente com Cindy. Tomou o tempo e o esforço para ajudála, e foi tão legal com ela depois. A maioria das pessoas não podia ser incomodada.” "Isso não muda o meu passado.” Rosnou. "E não quero falar sobre isso.” Ela o assistiu desligar. Ele disse que ela podia acreditar no que queria e faria. Titan era um cara legal. Ele pode não acreditar em si mesmo, mas isso não fez dele uma pessoa má. Isso não aconteceu. Tinha que haver alguma explicação razoável para o que aconteceu em seu passado. Apenas sabia disso.

118


12 Natasha abriu os olhos. O quarto estava escuro e por um momento ela não sabia onde estava. A cama era enorme. Um tamanho King Size. Os lençóis eram macios, uma contagem de fios mais alta do que estava acostumada. Eles cheiravam a recém lavados. O quarto estava escuro como breu devido às cortinas de escurecimento. Nem mesmo a luz da lua escorregou para o espaço. Ela estava apenas alcançando o interruptor para a lâmpada na mesa lateral quando ouviu um barulho. Um rangido de uma tábua no chão e o som de uma palavra sussurrada. Talvez tenha sido o vento. Talvez ainda estivesse meio adormecida. Houve outro rangido, mais perto desta vez. Não é imaginação dela! O ar se apoderou de seus pulmões. Ela não queria se mover por medo de alertar quem quer que fosse do outro lado da porta. Definitivamente havia alguém lá e eles não pertenciam. O hotel a transferira para o décimo primeiro andar. As suítes da cobertura ficavam no último andar. A melhor vista e as residências mais espaçosas. Este apartamento tinha dois quartos, uma sala de estar e jantar e até uma kitchenette. Eles viraram camas no décimo primeiro andar. Substituíram as garrafinhas de xampu e sabonete líquido diariamente. Havia até mesmo uma garrafa de água parada esperando por ela quando chegasse em casa e um roupão dobrado ordenadamente na cama. Quem estava na sala ao lado estava em seu apartamento... sem ser convidado. Se alguém tivesse sussurrado, significava que havia pelo menos uma outra pessoa, possivelmente mais. Merda! Sua Glock estava em um coldre ao lado de sua cama. Ela não tinha escolha a não ser colocar as mãos nela, mesmo que isso significasse derrubar os babacas. Movendo-se rapidamente, mas o mais silenciosamente possível, pegou sua arma, soltou o coldre e se sentiu instantaneamente calma, enquanto o metal frio da arma se encaixava perfeitamente contra sua mão. Ela desmarcou a segurança assim que a porta do quarto se abriu lentamente.

119


Por apenas um segundo, a mão dela tremeu. Alguns de seus medos e dúvidas mais recentes surgiram nela, mas os empurrou para baixo. Parafusou! Quem estava em seu quarto não tinha sido convidado e estava aqui para causar dano a ela. De um jeito ou de outro, eles estavam lá para machucá-la. Se fosse necessário, estava lutando de volta e não tendo nenhum prisioneiro. A porta se abriu mais devagar e silenciosamente. Eles esperavam não acordá-la. Tarde demais, idiotas! Natasha podia distinguir uma silhueta, era de um homem de médio porte, havia uma arma na mão. Era ela ou ele. Simples. Apertou o gatilho, uma vez, duas vezes, coração e cabeça. Mate tiros. Ele deixou cair. Morto antes mesmo que percebesse. Houve um estalo áspero que a lembrou da quebra de madeira, seguida por um forte suspiro e outro ruído quando alguém caiu como peso morto. Era um som que ela ouvira vezes suficientes. Que diabos? Isso não fazia sentido. A silhueta seguinte para encher a porta era enorme. Sua mão apertou o gatilho. Ele era familiar, então tirou a mão do gatilho. Nenhum humano poderia ser tão grande assim. "S... sou eu." Foi o ranger profundo que ela veio a conhecer bem. "Titan?" Sua voz era calma, embora seu coração batesse como um louco. "Sim." Ela empurrou uma respiração pesada e abaixou sua arma. "Eu poderia ter atirado em você.” Ela clicou na segurança. "Mas você não atirou.” Ela pensou ter detectado uma pitada de humor. "É melhor ligarmos para isso." "Tenho certeza que metade desse andar ouviu esse tiro.” Ele se inclinou contra o batente. "A cavalaria está a caminho." "Ainda.” Ela caiu de costas contra os travesseiros. Havia uma tonelada deles, grossa, macia e cheia de nuvens. Pelo menos era assim que eles se sentiam. Depois de puxar algumas respirações muito necessárias, estendeu a mão e apertou o interruptor, acendendo a luz. A lâmpada deu o brilho perfeito. O suficiente para ler e para... bem, ver homens nus. Natasha

120


sentiu os olhos arregalarem-se e a garganta se fechar. Invertendo o inferno, mas você é malditamente sexy nua. Seus ombros endureceram. Titan se levantou em linha reta. Seu pau lindo balançou ligeiramente. "Isso não é realmente apropriado." Ah Merda! Ela realmente disse isso em voz alta? Opa! “Você está nu e no meu quarto. Quem é o pote chamando a chaleira de preto?” "O que?" Ele franziu a testa. “O que os utensílios de cozinha têm a ver com isso? Eu os ouvi invadir sua suíte e aqui estou eu.” Ele abriu os braços. “Eu durmo nu, não achei que tivesse tempo de me vestir.” "Você pode querer...” Ela apontou para seu pau ‒ tão bonito. Longo, grosso, levemente curvado ‒ ele engoliu em seco, forçando o olhar de volta para os olhos semicerrados. "... Antes da cavalaria chegar aqui.” Ela tirou as cobertas e saiu da cama. Quando ela se virou para Titan, a boca dele estava a meio mastro e os olhos estavam rastreando seu corpo... faminto. Merda! Ela olhou para sua camiseta branca e shorts de algodão. Opa! Puta merda! Seu pau se contraiu. A coisa moveu-se do seu próprio acordo maldito. Não apenas isso, não estava mais livre, semiereto e crescia rápido. Titan cobriu seu lixo com uma mão. “Eu vou e mudo. Eu sugiro que você faça o mesmo.” Sua voz era rouca. “Estou na porta ao lado. Você deveria esperar lá.” Oh! Ele estava ao lado. Natasha não conhecia aquela pequena pepita de informação. Estaria aqui, neste exato quarto, uma coincidência? De alguma forma, duvidou disso.

Titan nunca se sentiu tão cansado em toda a sua maldita vida. Para piorar a situação, ele estava atrasado para verificar as gravações de vigilância e vídeos. Estava mudando as fitas quando ouviu o barulho ao lado. Ele agradeceu aos deuses por sua decisão de movê-la

121


para perto dele, então novamente ‒ Titan sorriu ‒ Natasha poderia lidar consigo mesma, ela provavelmente teria ficado bem. Sua capacidade de derrubar um inimigo estava seriamente excitante. Almoçando como seu corpo. Porra! Melhor ele não pensar nisso agora. Melhor ele não pensar sobre o cheiro de sua excitação enquanto ela tinha o olho fodido mais cedo também. Não entendia a fêmea. Explicou o que ela estava lidando. Que tipo de macho ele era. Quem era e o que tinha feito, e ainda assim ainda estava atraída por ele. Então, novamente, só porque ela cheirava a excitação não significava que o queria de alguma forma. Ele sabia que a mente de uma mulher humana nem sempre estava de acordo com o corpo dela. Ele aliviou a respiração reprimida. Havia fita amarela em sua porta com as palavras: Não Entre e Investigação Policial, escritas. "Merda.” Anunciou ela, tocando a fita. "E agora?" Natasha olhou para o relógio. “Eu acho que é quase de manhã. Podemos muito bem ter ficado no escritório e tomado café da manhã lá. Eles preencheram relatórios e responderam a muitas perguntas. Os corpos foram identificados. Ambos eram criminosos de pequeno porte, ambos moradores de Sweetwater.” Titan sacudiu a cabeça. “Precisamos dormir algumas horas. Eu tenho um quarto de reposição.” Ele não tinha acabado de dizer isso. De jeito nenhum. A última coisa que ele queria era ela em seu espaço. Já era ruim o suficiente que estivessem juntos o dia todo. Essa fêmea iria atrapalhar. Não apenas fisicamente, mas também de outras formas. "Só por esta noite.” Acrescentou em um tom áspero. Ele deveria levá-la em outro quarto e nesse exato segundo, mas não podia deixar de se preocupar com sua segurança. Claro, ela era forte e bem treinada, mas e se eles mandassem mais homens armados da próxima vez? E se eles mandassem muitos para ela resolver sozinho? Porra! Isso foi fodido em todos os níveis. “Eu posso ver que você odeia a ideia. Vou tentar ver se eles têm outro quarto para mim.” Ela começou a se virar. "Não!" Um rosnado suave. "Shhhh" Natasha levou o dedo aos lábios. "Nós vamos acordar os vizinhos... de novo."

122


“Eu não gosto da ideia de compartilhar, mas não temos muita escolha. Eu tenho dois quartos no meu apartamento, então faz sentido.” Adicionou quando ela parecia cética. Natasha colocou as mãos nos quadris. "Você tem certeza disso?" “Só vai durar algumas horas. Olha...” Ele puxou uma respiração pelo nariz.” Se você não se sente confortável em estar no mesmo...” Natasha revirou os olhos. “Eu te disse, acho que você é um cara legal. É você quem tem o problema, não eu. Eu sou mais do que bem compartilhando.” Ela bocejou. "Estou totalmente batida e você parece um inferno." "Obrigado.” Resmungou. Ele se sentiu como o inferno! "Não mesmo. Estou um pouco preocupado em ver seu apartamento. Não pode ser nada tão lindo quanto o meu. Os travesseiros não podem ser tão confortáveis e os lençóis tão macios.” "Está perfeitamente bem." "Por que você não está dormindo então?" "Estou dormindo bem." Não era uma mentira descarada, ele estava dormindo muito bem, quando realmente se permitiu dormir. Ele não deveria dormir, porém, tinha trabalho a fazer. Titan pegaria uma soneca e depois voltaria ao trabalho. Ela suspirou, esfregando os olhos. Titan usou o cartão e eles entraram em seu apartamento. Natasha andou em círculo na sala de estar. "É exatamente o mesmo que o meu.” Ela abriu uma das portas do quarto. “Mesma cama também. Deveria estar dormindo como um bebê.” Titan ignorou o humano. Ele deslizou a corrente pela fechadura. Então pegou a poltrona e colocou isso contra a porta também. No momento em que um intruso violasse isso, estaria pronto e esperando. "Estou assumindo que você está fazendo isso porque não havia sinais de quebra e entrada no meu apartamento.” Disse Natasha atrás dele.

123


“Exatamente, eles conseguiram colocar as mãos em um dos cartões-chave. Isso pode acontecer novamente.” Ela fez um som de acordo. "Eu não sei se comprei todo o assalto à mão armada que deu errado." O oficial encarregado do caso estava convencido. Titan também tinha suas reservas. “Eu não acredito em coincidências. Primeiro a tinta spray na sua porta e depois dois homens armados decidiram entrar no seu apartamento. Eu não compro isso.” “Sim, eu também. Especialmente considerando que minha bolsa estava na mesa de café na sala de estar. A televisão de tela plana estava lá também. Ambos estavam armados até os dentes. Não é o MO normal para pequenos crimes. Tenho certeza de que eles estavam atrás de mim.” Titan apertou sua mandíbula. Ele tinha um desejo irracional de puxá-la para trás. Protegê-la desse inimigo invisível e desconhecido. Ele engoliu algumas respirações muito necessárias. "Você está bem?" “Apenas chateado que eles estavam aqui. Você poderia ter sido seriamente ferida.” Ela balançou a cabeça. “Eles eram amadores. Eu realmente me sinto um pouco mal que estão mortos. Eu tenho esse mau hábito de ir para o tiro de matar.” "Bom! Você estava certa em fazer isso.” Titan sacudiu a cabeça. “Eles não hesitariam em te machucar. Se alguém vier atrás de você novamente e não puder te proteger, precisa me prometer que vai derrubá-lo.” Ela inclinou a cabeça para o lado e cruzou os braços. A fêmea olhou para ele como se tivesse apenas crescido chifres e uma cauda. "Eu posso cuidar de mim mesma." Titan bufou. "Eu sei disso. Porra! É uma das coisas que realmente gosto em você, mas...” Que porra ele tinha acabado de dizer? Ele não queria lhe dar uma ideia errada. Titan optou por ignorar suas palavras e continuar em seu lugar. “Se for necessário, você as abaixa. Você faz o que é preciso para se manter segura.” Ele pegou um olhar em seu rosto

124


que disse que ela achava que ele estava cheio de merda e, francamente, não tinha certeza por que estava insistindo sobre isso. "Apenas prometa já, droga!" "Vai sem dizer." "Prometo.” O que diabos estava errado com ele? Ele precisava abandonar isso. Que diferença isso fez? “Sim… ok… sim. Claro que eu vou!" Ela sorriu para ele. Algo aliviou nele. Titan assentiu. "Bom.” Ele fez uma pausa. “Esse é o quarto de hóspedes. Se você quer aquele...” Ele apontou para o quarto em que estava dormindo. “... é bem-vindo a isso. "Eu não levei você para o tipo de carinho.” "O que?" Franziu a testa. "Não! Eu quis dizer…" Ela começou a rir e caminhou em direção à cozinha. “Estou brincando com você. Relaxe! O quarto de hóspedes está bem. Embora, se você quiser abraçar, eu seria um jogo. ” Que diabos? Ela riu mais um pouco. Seu rosto todo se iluminou. "Estou brincando. Você deveria ver o olhar horrorizado em seu rosto. Eu posso conseguir um complexo ou algo assim.” Titan não conseguia pensar em nada melhor do que dividir a cama com essa fêmea. De segurá-la perto. Moldando seu corpo macio para o dele. Fazendo muito mais. "Não é você. É...” Suspirou. "Você precisa de algo para dormir?" Ele pegou seu traje. Ela colocou uma de suas calças antes de entrarem no escritório do Xerife. Natasha assentiu. "Isso seria bom! Vou mandar alguns artigos básicos de higiene pela manhã.” Titan assentiu. Ele entrou em seu quarto e revirou o armário, pegando uma das novas camisas que pegou no outro dia. Era uma camiseta cinza clara. O pequeno humano se afogaria na coisa, mas funcionaria como uma roupa de dormir. Quando saiu do quarto, viu a fêmea abrindo a geladeira. "Espere, eu..."

125


Muito tarde. “Santo cavalo! O que diabos é...?” Ela pegou o lado da geladeira com uma das mãos, a boca aberta. Natasha se virou, olhando por cima do ombro, encolheu os ombros e ergueu as sobrancelhas. “Eu suponho que você é um vampiro, então eu não deveria me surpreender. Certo?" "Certo.” Esta foi à parte em que ela fez barulhos que lhe disseram que estava enojada ou mudou de ideia sobre ficar no mesmo apartamento que ele. "Um vampiro tem que... comer... eu acho." Em vez de sair, ela se inclinou na geladeira, olhando para as bolsas de sangue dele. “E eu suponho que mastigar humanos seria considerado rude e que atacar um banco de sangue era a próxima melhor solução.” Ele teve que sorrir. "Mastigar um ser humano, como você diz, seria contra todas as nossas lendas." "Ah.” Ela assentiu. "Sim... você mencionou isso no outro dia." Ela pegou uma das bolsas cheias de sangue. “Hummmm. Interessante. Eu vejo que você tem diferentes tipos de sangue estocados. Eu não posso deixar de notar que A+ positivo é mais proeminente. Isso é uma coincidência? Ou é tudo o que você poderia conseguir?” Ela olhou por cima do ombro. Titan cruzou os braços. “Os diferentes tipos de vampiros são como sabores diferentes para os humanos. A+ positivo é o meu favorito.” Natasha sorriu, ficando de pé. "A+ Positivo é o meu tipo de sangue, devo estar preocupada?" Seu sorriso se transformou em um sorriso atrevido e ela apertou ambas as mãos em volta do pescoço, fingindo se proteger dele. O ar entre eles pareceu engrossar. Não só isso, tudo chiou. O espaço entre eles parecia diminuir. O apartamento de repente pareceu minúsculo. Seu ritmo cardíaco aumentou. Ele podia ouvir cada batida bonita como se fosse seu próprio órgão. Claro que o sangue dela era A+ positivo. Isso fazia todo o sentido. Foi por isso que o cheiro dela o atraiu tanto. Ele queria babar, engoliu em vez disso e desceu a vontade de passar a mão pela boca. Seus dentes eram

126


afiados, especialmente dois dentes em particular. A necessidade de perfurar sua pele macia, beber seu sangue quente o atingiu. Isso o atingiu com força. O sorriso atrevido ficou sério, os olhos dela ficaram encobertos. "Sim...” Titan tinha certeza de olhar nos olhos dela enquanto falava. "... você deveria estar preocupada." Ela puxou o lábio inferior entre os dentes e mordeu por um segundo. Ele podia ver os dentes dela amassando sua carne macia. "Bem eu não estou.” Ele tinha certeza que detectou uma sugestão de insolência. Suas palavras soaram muito como flertar para o seu gosto. "Você deveria estar.” Ele nunca quis uma fêmea mais. Desistir do sexo parecia fácil. Isso

parecia

certo. Neste

momento,

dezoito

meses

pareciam

longos. Muito

amaldiçoado. "Boa noite.” Ele entrou no quarto e fechou a porta atrás de si, encostando-se à madeira fresca. Havia algo muito errado com aquela fêmea. Em vez de ter medo dele, ela estava excitada. Apenas a olhou como se fosse um jantar de peru no dia de Natal e ela estava excitada. Confusão tomou conta dele.

127


13 Natasha precisou da cabeça dela examinada. Ela era louca. Até agora, até uma ala psiquiátrica provavelmente não a levaria. Titan apenas olhou para ela como se quisesse rasgá-la, como se quisesse chupá-la e fodê-la com força ao fazê-lo. Sua reação... espere por isso... calcinha molhada. Eles estavam encharcados. Mesmo agora, seu clitóris latejava em antecipação. Ela estava tentada a tomar um banho e aliviar algumas das suas frustrações, mas isso não ajudaria. Ela tentou isso de manhã e de noite desde que conheceu o grande vampiro e nada disso estava ajudando. Ele lhe disse que deveria se preocupar. Tentou assustá-la e, embora não acreditasse nele, seguiria o seu conselho. Titan não era apenas seu parceiro, ele era seu superior no futuro previsível. Misturar negócios e prazer nunca foi uma coisa boa. Era uma regra que nunca quebrou apesar de receber muitas ofertas. No final, a cama parecia convidativa demais, então tirou os calcanhares, tirou o terno e a blusa, pendurando-os cuidadosamente sobre a cadeira. Quem sabia quando ela teria acesso de volta ao seu quarto? Espero que até amanhã à noite. Essas coisas podem levar tempo. Natasha tirou o sutiã e vestiu a camiseta. Ela se afogou nela. A bainha desceu para logo abaixo do meio da coxa. Era perfeito. Em seguida, ela usou o banheiro, lavou o rosto e enxaguou a boca o melhor que pôde. Então se arrastou para debaixo das cobertas e caiu no sono mais profundo. Não durou, embora. Coberta de suor e torcida nas cobertas, acordou. Em seu sonho, os caras tinham chegado a ela. Apesar de disparar várias vezes, eles a agarraram. Arrastando-a da cama, puxando-a para trás como um saco de batatas. Ela tentou gritar, mas nenhum som saiu, tentou lutar, mas seus membros estavam fracos demais. Eles arrastaram-na pelo corredor, provocando-a, dizendo-lhe todas as coisas que planejavam fazer com ela. "Combate um-contra-um.” O homem dissera, piscando sugestivamente. "Eu vou lhe mostrar minha grande arma.” O outro zombou.

128


A coisa mais horrível de tudo foi que o primeiro cara tinha dois buracos de bala nele. O segundo tirou a metade de trás do crânio. O pescoço do segundo cara estava tão torcido que a cabeça dele estava quase completamente na direção errada. Seu coração ainda estava acelerado e sua respiração estava irregular. Foi apenas um pesadelo. Morte. Matando pessoas. Nunca ficou mais fácil. Foi à única coisa que veio com o trabalho que ela odiava. Pesadelos eram um dado. Ela sabia que eles diminuiriam lentamente com o tempo. O fardo ficaria mais fácil, pelo menos até a próxima vez que fosse forçada a puxar o gatilho. Natasha verificou a hora em seu celular que estava ao lado de sua cama. Acabara de fazer seis horas. Ela mal dormiu por duas horas. Não é de admirar que se sentisse tão exausta. Bocejou enquanto deslizava da cama. Ela estava muito ligada para dormir. Depois de salpicar o rosto, ela foi para a cozinha. Natasha tinha visto algumas garrafas de água entre todo o sangue. Ela teve que sorrir quando se lembrou do olhar horrorizada no rosto de Titan. Realmente achava que ela iria olhá-lo de forma diferente por ser ele mesmo. Um vampiro. Infelizmente, o oposto era verdadeiro. Não vai lá. Ela notou que a porta dele estava aberta apenas um pouquinho. Estava errado, mas não pôde deixar de espiar pela fresta, especialmente porque uma das luzes laterais estava acesa. Titan estava com medo do escuro? A cama estava amarrotada de um lado, mas vazia. Ele sentou-se sobre o computador em um canto do café da manhã. Deste ângulo, ela não conseguia distinguir a tela. Podia ouvir uma voz suave. Soou como uma mulher. Talvez ele não tivesse conseguido dormir e estivesse assistindo a um filme. Ela se aproximou, abrindo a porta só um pouquinho. Talvez devesse acordá-lo. Não poderia estar confortável dormindo no teclado desse jeito. Titan deu um leve ronco e ela teve que sorrir. "Oh, menino grande...” Ela podia apenas ver o que a mulher no computador de Titan estava dizendo. "Eu não posso esperar para espancar sua bunda até que esteja brilhante e

129


vermelha.” Embora Natasha mordeu o lábio inferior, ela não conseguiu reprimir o riso que saiu dela. Merda! O que diabos Titan estava assistindo? Empolgado pelo som, Titan sentouse, seus olhos estavam atordoados. "Mmmmmm, eu amo o som disso.” A voz de um homem. Era profundo e misteriosamente familiar, embora ela não pudesse dizer o porquê. “Me espanque com força e…” Os olhos de Titan se arregalaram quando a viu em sua porta, eles brilharam para a tela. Freneticamente empurrou as chaves aleatórias. "Uma vez que sua bunda é boa e quente..." A mulher continuou. Titan cortou o que ela estava prestes a dizer quando ele bateu o laptop com um estrondo alto. Esfregou a mão sobre o rosto e soltou um suspiro. Natasha não pôde deixar de rir atrás da mão dela. "Eu sinto muito!" Finalmente conseguiu sair. “Eu me intrometi em sua privacidade. É só que a sua porta não estava bem fechada e vi que estava dormindo. Eu estava pensando em acordar você.” Ela mordeu o lábio inferior, tentando segurar outra risada. Titan parecia horrorizado. "Olha...” Ela levantou a mão. "... não há nada de errado com o BDSM. Quero dizer, você gosta do que gosta, certo?” Ele franziu a testa. "O que é BDSM?" "Apanhando, correntes, chicotes, grampos de mamilo, sabe?" Ela arregalou os olhos. Sua carranca se aprofundou. “Mamilo o que? Não!" Ele balançou a cabeça com veemência. "Eu não estou em tudo isso." "Tanto faz." Como o inferno ele não estava! Ela sabia o que acabara de ouvir. “Não há nada de errado com pornografia. Você é um cara e bem... tudo bem. Eu assisti um par de filmes eu mesma.” "Pornografia como em...?" Ele balançou a cabeça, passando a mão pelo cabelo, que estava solto. "Não, você está errada.” Ele pegou o telefone. "Ainda é cedo, o que você está fazendo?" "Eu não consegui dormir.” Ela balançou a cabeça. “Pesadelos. Eu os recebo algumas vezes depois de matar alguém.” "Eles mereciam morrer.”

130


Natasha assentiu. "Eu sei, mas isso ainda me afeta." "Você é uma boa mulher, Natasha.” Seu olhar caiu para o peito dela. Seus ombros ficaram tensos e seus olhos se aqueceram. Merda! Ela estava vestindo a camisa. Algodão fino e sem sutiã. Giro! Ela estava dando a ele uma olhada. Ele desviou o olhar e engoliu em seco. Natasha deveria saber que ele iria passar uma oferta para cobiçar seu peito. “Você não deveria andar por aí vestida assim.” "Por quê? Porque você é um cara tão ruim? Porque você vai pular?” Ele não disse nada, mas manteve os olhos afastados dela. “Eu poderia andar nua e você não iria mais do que colocar um dedo em mim. Ações falam mais alto que palavras, eu não acredito que tenha estuprado alguém. Eliot disse que foi um mal-entendido. Eu acredito. O que aconteceu é o seu negócio, mas...” "Sim, é.” Ele rosnou, olhando para ela, mantendo os olhos nos dela. Toda a sua atitude estava começando a irritá-la. Isso estava atrapalhando essa investigação. “Deve ser muito difícil assumir tudo. Você tem um plano bem definido para descobrir esses fascistas e ainda assim não me dirá o que é. Eu não sou um idiota, Titan. Eu sei que você tem uma agenda escondida. Uma que não me envolva. Bem, aqui está o comando, eu já estou envolvida.” Sua voz foi levantada, mas ela não conseguia parar. Não queria que isso acontecesse, mas depois de um dia tão emocionalmente carregado, ela precisava. “Você vai se jogar no chão. Estou aqui para ajudar, você sabe. Eu fui designada para este caso e você não vai me usar.” “Você está me ajudando; Eu te designei...” “É tudo besteira. O que você está escondendo de mim? Deixe-me ajudá-lo.” "Está ajudando, você..." "Besteira!" Ela deu um passo em sua direção. “Que ângulo você está trabalhando? O que está escondendo de mim? Você também pode me dizer, porque eu vou descobrir. Vou cavar e incomodar até...” “Há um informante, ok?” Titan rosnou. "Você estava certa.” Ele acrescentou, mais suave desta vez.

131


"Diga-me algo que eu não sei." "Bem!" Ele exalou. “Estou ativamente tentando descobrir quem é, o que estou mantendo de você. Eles não podem saber que estamos neles ou vão desaparecer. Eu preciso dessa pessoa para pensar que estamos alheios e liderar essa investigação em uma direção totalmente diferente. É imperativo.” Algo aliviou dentro dela. Ela imaginou isso, mas precisava ouvir. Natasha assentiu. "Obrigado por me dizer. Por que você não me confidenciou mais cedo?” Titan franziu a testa. "Porque eu não confio em humanos." "Sério! Eu acho que você não teria me dito a menos que forcei isso?” Ela cruzou os braços. "Você pode confiar em mim, sabe?" Titan assentiu. Ele a olhou nos olhos. "Sim, eu sei.” Ele desabafou. “Eu acho que confio em você. Isso não significa que somos amigos ou qualquer coisa.” Ele acrescentou rapidamente. Natasha revirou os olhos. Ela andou o resto do caminho até o quarto dele e se sentou na frente dele. “Eu também não lhe disse porque preciso dele ‒ o informante ‒ para comprar que estamos explorando isso externamente. Que estamos revendo velhos ângulos.” “De tão pouca fé. Eu sou muito bom em trabalho secreto, o que implica em ser capaz de desempenhar um papel. Eu pensei que você leu meu arquivo.” Ele assentiu. "Deixe-me ajudá-lo." Titan assentiu novamente. Ele passou os quinze minutos seguintes examinando tudo o que tinha feito e descoberto até agora. Cada escuta que tinha plantado, bem como uma atualização sobre cada pessoa que trabalhava no escritório do Xerife, incluindo empreiteiros. Natasha teve que rir. "O que?" Titan franziu a testa. “Isso é o que você estava fazendo naquele dia no laboratório. Você estava plantando uma escuta, não estava?”

132


Titan assentiu. "Não foi tão óbvio, foi?" “Eu sabia que estava tramando algo. Não fazia sentido que tivesse ido ao laboratório esperar o cara da tecnologia quando ele estava sentado ali no refeitório. Não era óbvio, não, mas sentia-se desligado.” "Você estava certo." Titan sorriu por um segundo ou dois. "Você quase me flagrou." "Você esteve se esgueirando por todo esse tempo." Titan assentiu. "Sim! Eu não estou perto de terminar.” "Nós." Titan fez uma careta. "Nós precisamos fazer o perfil de cada pessoa que tem acesso a esse edifício. Alguém plantou aquele aparelho de escuta no escritório do Xerife. Pode haver mais, então não podemos falar sobre isso no trabalho. Eu faço uma varredura diária do meu apartamento para que possamos conversar abertamente aqui.” Titan concluiu. “Até agora, minha vigilância não produziu nenhum resultado, mas é apenas uma questão de tempo antes de descobrir algo.” "Nós." Natasha estreitou os olhos. “Você realmente precisa começar a usar a palavra nós. Você não está sozinho nisso.” Algo suavizou nos olhos de Titan. "Sim, nós.” Ele meio que sorriu por um segundo. Natasha não pôde deixar de sorrir. "Então, isso era Big Bear Bill e sua namorada?" Ela apontou para o computador. "Só agora, foram eles?" E teve que rir. Titan abriu um sorriso e deu um aceno de cabeça. “Eles telefonam um para o outro várias vezes ao dia, não sei como fazer alguma coisa, é doloroso escutar.” "Quem é a senhora?" “Sua namorada… noiva… Tessa Hoole. Eles estão juntos há mais de um ano e, recentemente, ficaram noivos.” "E ela gosta de espancá-lo?" Natasha deu uma risadinha. “Sim, e ele gosta de fazer sexo por telefone durante o expediente. Ele está sempre tentando iniciar um final feliz.”

133


"Não! Você quer dizer que eles realmente...?” Ela podia sentir o quão largo seus olhos estavam. Titan assentiu. "Só chegou tão longe um par de vezes, mas sim...” Ele fez uma careta. Ambos riram. “Nós somos ruins, não deveríamos estar rindo sobre isso e você não deveria ouvir seus momentos… privados. Quero dizer, se você puder ajudar.” Sua expressão escureceu. "Eu tenho que.” Ele fechou a boca com força. “É altamente improvável, mas o informante poderia ser um deles. Ou os dois.” "Sim você está certo." "Então é isso que você tem feito noite após noite, ouvindo todas as escutas?" Titan assentiu. "Sim." "Por que você não mandou alguém do castelo passar elas para você?" "Eu considerei isso.” Depois de alguns momentos de contemplação, ele balançou a cabeça. “Eu acho que não confio em ninguém para fazer isso. E se eles perderem alguma coisa? Não estou dizendo que sou especialista em comportamento humano, mas sei mais do que a maioria. Alguém pode perder algo pequeno, algo sutil. Inferno.” Ficou tenso na mandíbula.” Eu posso sentir me perder. É por isso que me concentro como louco e reescuto certas partes. Se eu estragar, outra mulher pode ser sequestrada. Pode haver outro ataque à realeza ou eles podem vir atrás de você.” O jeito que ele olhou para ela foi tão intenso. “Não estou apenas ouvindo o que é dito diretamente, mas também a que informações podem ser extraídas das conversas que estão ocorrendo. Há muito o que fazer e muito monitoramento que precisa ser feito.” Seus olhos estavam vermelhos. Seu rosto apertou. Natasha se inclinou para frente e tocou seu antebraço. "Eu vou ajudá-lo.” Ele ficou tenso e olhou para onde seus dedos descansavam em seu braço. Titan fechou os olhos e recostou-se na cadeira. Parecia que ele apreciava o toque dela, mesmo que apenas por alguns segundos. Então puxou o braço para longe. "Vamos dividir o trabalho.” Continuou ela. "Eu sou um vampiro. Eu não preciso dormir tanto. Eu cuidarei disso." “Você está cheio de merda! Você precisa de ajuda, por que não vai admitir isso?”

134


"Bem! Eu poderia pedir-lhe para checar algumas gravações.” "Não!" Ela balançou a cabeça. “Eu quero ajudar nisso. Eu sou sua parceira, não sei por que tenho que continuar te lembrando disso, mas está ficando velho e rápido.” Titan expirou lentamente pelo nariz. Ela se inclinou para frente. “Eu realmente acho que alguns dos indivíduos que entrevistamos precisam ser seguidos. Nós podemos passar por uma tonelada de filmagens de vigilância enquanto em vigia.” Toda a postura de Titan relaxou e ele afundou ainda mais em sua cadeira. "Essa é uma ótima ideia.” Ela podia vê-lo morder um bocejo. As manchas negras sob seus olhos eram mais pronunciadas. “Acho que devemos dormir mais algumas horas e depois podemos resolver isso. Nós podemos enfrentá-lo juntos.” Ela empurrou a cadeira para trás e levantou-se. "Nenhuma destas vigias de merda daqui para frente." "Sim, estou bem com isso." Ela deu um pequeno aceno de cabeça e se dirigiu para a porta. "Durma bem." "Você também.” A voz profunda de Titan raspou atrás dela. "Parceira." Ouvi-lo dizer que causou arrepios nos braços dela. Ouvir aquela pequena palavra a fez sorrir como uma idiota, pelo menos por um momento. "Talvez um dia você confie em mim sobre algumas outras coisas.” Ela manteve os olhos para frente. "Não vai acontecer.” Merda! Ele parecia triste. Levou tudo nela para evitar voltar e mastigá-lo novamente. "Eu posso lhe dizer mais sobre tentativas patéticas do Diretor Especial Richard Evans para..." "Isso pode me fazer ir atrás do filho da puta, então não recomendaria isso." "Vejo.” Ela se virou, a mão na porta. "Você é um cara legal." Seus

olhos

se

tornaram

tempestuosos

e

um

músculo

marcou

em

sua

mandíbula. Claramente ele não concordou. “Estou aqui se você quiser conversar sobre isso. Para o registro, acho que te ajudaria a esclarecer tudo.”

135


"Você me odiaria." "Eu pensei que não éramos amigos, então por que se importa?" Ela segurou a respiração. “Temos que trabalhar juntos. Isso poderia afetar a investigação.” Titan era todo negócio, cem por cento correto. Ainda assim, Natasha não pôde deixar de sentir decepção. O que ela esperava que ele dissesse? Talvez se importasse com o que pensava dele. Parecia que eles estavam se tornando amigos. Pelo menos foi para ela. Acontece que ela estava errada. Isso doeu. Não deveria, mas aconteceu.

136


14 O dia seguinte... Titan parecia no limite. Ele se levantou e depois se sentou de novo. Ele estava todo inquieto. "O que esta acontecendo com você?" "Nada.” Seus olhos estavam para frente. “Você fala tanto lixo. Apenas me diga já.” "Drago está chegando.” Ele não parecia feliz com isso. "Por quê?" "Ele precisa me trazer alguma coisa." Críptico. Ah bem. Não era da sua conta. Ela encolheu os ombros. "OK." Após cerca de dois minutos de silêncio em que ela leu e releu a mesma página da revista duas vezes, Titan se virou para ela. “Você não vai perguntar por quê? Ou me pergunte o que ele está trazendo?” "Não é da minha conta.” Ela queria tanto saber. Estava lhe matando. Amaldiçoado se ela ia lhe dizer embora. Titan franziu a testa. Ele não disse mais nada. Um par de minutos depois e houve um telefonema da recepção. Titan respondeu. Ele olhou para o teto enquanto a outra pessoa falava. "Sim, você pode deixá-lo.” Ele desligou o telefone. Natasha virou a página. Mesmo que ela ainda não tivesse recebido uma única palavra daquele artigo. Ela começou a ler o próximo. Leitura sem compreender. Nada. Houve uma batida na porta e Titan deu um pulo. "Ei, amigo.” Drago disse quando entrou, ele agarrou Titan pelo pulso. "Obrigado por ter vindo."

137


"Sem suor.” Drago olhou por cima do ombro de Titan e sorriu quando a viu. “Ei, Natasha. Como você está?" "Ela está bem.” Titan respondeu por ela. "Eu estou bem. Estamos todos ótimos.” Titan agarrou Drago pelo braço, mas ele o sacudiu. "Se acalme. Você está tão desesperado?” Ele revirou os ombros. "Eu sei que prefere o pulso, mas o pescoço pode ser melhor." "Não... porra!" Titan olhou em sua direção. "Eu não queria... esquece.” Ele murmurou. Oh… vire! Isso é o que significava. "Não se importe comigo.” Ela levantou as mãos. "Enlouquecendo." Titan gemeu. Ele revirou os olhos. “Vamos para o meu quarto. Obter alguma privacidade.” Ele lhe deu um olhar sujo e então deu a Drago um ainda mais sujo. Eles desapareceram em seu quarto. Pulso ou o pescoço. Atire! Havia algo realmente errado com ela, porque tudo o que queria fazer era assistir. A porta estava firmemente fechada e Titan nunca iria para algo assim. Embora ela tenha notado que o estoque de sangue estava diminuindo lentamente, ainda não o viu beber uma gota. O que não daria para ser uma mosca na parede. Uma mosca realmente intrometida e de olhos esbugalhados. Uma mosca levemente pervertida. Natasha suspirou. Ela pegou sua revista e tentou, sinceramente, ler a coisa. Dez minutos depois, a porta de Titan se abriu e os dois saíram. "Você deveria tê-lo visto em ação.” Drago estava dizendo. "O cara tem habilidades.” Então ele bateu nas costas de Titan. "Eu sinto sua falta irmão. Apresse-se e pegue esses filhos da puta já.” Natasha não tinha percebido que esses dois eram tão bons amigos. Amigos. Isso significava que eles estavam perto. Merda! Por que ela não pensara nisso antes? Droga! Poderia simplesmente funciona. Talvez. "Um...” Ela sorriu. Pense rápido! Pense rápido! “Acabei de pedir algumas pizzas daquele lugar na estrada. Você conhece o único.” Eles tinham comido lá antes. Ela olhou para Titan. "Sim, mas eles não entregam.” Titan franziu a testa.

138


“Luigi's fazem autêntica italiana e as melhores pizzas. Eu imaginei que, uma vez que Drago estava aqui, ele poderia ficar comigo... Eu sei como você se preocupa.” Ela sorriu docemente para ele. "E você pode ir buscar as pizzas." Titan rosnou. “Essa é uma má ideia, especialmente considerando que Drago estava apenas saindo.” Ela fingiu estar chocada. “Você não pode fazê-lo sair sem alimentá-lo. Ele apenas te alimentou... direto de sua veia.” Drago riu. “Eu gosto dessa mulher. Não me importo de ficar com ela, enquanto você vai buscar as pizzas.” Titan estreitou os olhos. “Tenho certeza que você gosta da Natasha. O nome dela é Natasha, não mulher. Ela não gosta de ser chamada de mulher.” "Natasha." Ele disse com cuidado e incisivamente. "Está certa! Eu mereço ser alimentado.” Drago sorriu, caindo no sofá ao lado dela. "Nós ficaremos bem. Drago será o cavalheiro perfeito. Ele aprendeu sua lição.” Ela se moveu, colocando algum espaço entre eles. “Ouça Natasha. Ela está certa. Nós somos amigos.” Drago se recostou. Titan olhou para cada um deles por sua vez. “Eu volto em dez minutos. É melhor você não tentar nada.” "Eu vou atirar nele se fizer.” Sua arma ainda estava no coldre debaixo do braço. Ela abriu a jaqueta e apontou para isto. "Uau.” Os olhos de Drago saltaram da cabeça dele. "Estes são grandes...” Ele limpou a garganta. "... essa é uma grande arma que você tem ai." Ela o ignorou e lutou para não revirar os olhos. Titan não parecia convencido. Apenas quando ela tinha certeza de que ele iria mudar de ideia, suspirou e pegou as chaves. "Eu voltarei antes que você perceba.” Ele olhou para Drago enquanto falava. Então ele se foi e Drago estava deslizando para o lado dela do sofá. "Eu quis dizer isso, quando disse que atiraria em você se tentasse alguma coisa."

139


Drago pareceu chocado. "Mas eu pensei que você estava tentando se livrar dele para que..." "Pare. Não!" Ela balançou a cabeça. "Esqueça isso." Seus olhos ainda tinham aquele olhar vidrado. "Pare agora. Você e eu nunca vamos acontecer.” "Por que você orquestrou para que pudéssemos ficar sozinhos?" Ele franziu a testa. “Eu queria descobrir... Oh merda! Eu nunca pedi aquelas pizzas.” Ela pegou o telefone e olhou para cima do Luigi’s, depois fez um pedido urgente para três de seus especiais. "Eu sou todo ouvidos.” Disse Drago, assim que terminou a ligação. "Isso tem que ser bom." “Ok, não temos muito tempo. O que aconteceu com Titan? Ele disse que violou uma mulher, mas não acredito nele.” Drago se endireitou. Ele passou de sorrir para completamente sério em um instante. "Por que ele diria isso?" Suspirou. "O que é isto para você?" Natasha engoliu em seco. “Ele está machucado. É fácil ver que carrega esse peso ao redor. Ele é um cara legal. O Titan que eu conheci não machucaria alguém dessa maneira. Eu simplesmente não consigo entender...” "Ah Merda!" Drago sorriu. "Você gosta dele. Você fodidamente gosta dele.” "Não!" Ela foi rápida em responder. “Quero dizer sim, como amigo e colega. Não mais nada, no entanto.” Drago olhou para ela como se não acreditasse. Então ele sorriu um pouco mais. "Você fodidamente gosta da merda dele!" Ela agarrou seu antebraço por um segundo. “Não, escute. Eu quero ajuda-lo. E não sei como.” "OK. Eu gosto de você, mulher. Espero que consiga ajudá-lo. Deus sabe que eu tentei.” Ele fez uma pausa. “Eu vou te dizer, porque acho que pode ser boa para ele. Ele precisa de uma pausa.” Drago continuou. “Titan entrou em uma fêmea muito excitada. Não

140


vou entrar nos detalhes, porque não temos muito tempo. Ela havia recentemente esburacado. Perfumado de ‘não humanos’. A fêmea era humana. Titan pegou seu cheiro. Apanhou sua necessidade e praticamente a jogou por cima do ombro ‒ não literalmente, mas você entendeu o que queria. O problema era que ela foi despertada por outro homem e não ele.” "O que? Ele a agarrou e apenas a levou embora. Por que ele faria isso?" Drago encolheu os ombros. “Desde então, aprendemos mais sobre as fêmeas humanas. Você deve entender que nesse estágio tínhamos pouco ou nenhum contato com humanos. Nenhum contato em uma capacidade pessoal. Vampiros são básicos quando se trata de sexo. Se duas pessoas sentem necessidade e excitação umas das outras, eles agem.” "Você vai sentir o cheiro de alguém com tesão e vai e...?" “Sim, vamos nos meter. Nós vemos o sexo como uma função, como comer ou respirar. Fique com tesão... foda. Fique com fome... coma. Nenhuma diferença.” "OK. Nenhuma pergunta feita. Não há discussões?” Ela tentou não soar tão chocada. “É só isso. Não. Titan poderia sentir sua necessidade. Ele reagiu. O fato de que ela disse não várias vezes, não se registrou. Ele literalmente não a ouviu.” "Meu Deus!" Ela estava franzindo a testa com força. Seu coração estava batendo. “Não o julgue com muita severidade. Ele agonizou sobre isso desde então.” "Então, ele realmente a estuprou.” Ela podia ouvir o choque em sua própria voz. “Eu não posso acreditar. Eu tinha tanta certeza...” "Não!" Drago segurou o braço dela. “Ele foi retirado dela por um macho que agora é seu companheiro. É uma longa história. Titan foi espancado inconsciente. Ele jura que percebeu que a fêmea estava com medo e estava prestes a se desculpar com ela, quando foi retirado. Eu acredito nele. Meus reis acreditam nele. Qualquer um que conhece o homem acredita nele. Titan nunca machucaria uma fêmea. Ele era bastante convencido e arrogante naquela época. Todas as fêmeas gostavam dele. E teve sua escolha de parceiros de rotina.” "Ele fez...?" Ela estava com muito medo de perguntar. "Ele a estuprou, embora?"

141


"Não! A fêmea ainda estava completamente vestida. Houve um pequeno rasgo em sua camisa. Ele pediu desculpas e explicou tudo para ela. Assim como os reis. Ela o perdoou, mas ele ainda não se perdoou.” “Foi um mal entendido então? Um caso de duas culturas diferentes atravessando seus fios?” Drago assentiu. “É exatamente isso. Ele foi punido, mas a punição que força a si mesmo está em andamento. Ele se odeia pelo que aconteceu. Não socializa muito. As vampiras fêmeas não o deixam perto delas, porque estão zangadas com o que aconteceu. Eles se lembravam dele como sendo um macho realmente excitado. Eles estão cheios de merda. Não importa, porém, porque ele não está interessado de qualquer maneira. Suspeito que, se ele se aproximasse de alguém, ela seria rápida em deixá-lo entrar na cama, mas nunca o faz.” Drago levantou os olhos. "Eu ouvi alguma coisa.” Ele sussurrou. “Espero que você possa ajudá-lo a ver as coisas como elas realmente aconteceram e não como ele se lembra delas. Titan é um bom macho. Ele merece realmente viver sua vida. Para me divertir." Drago voltou para o outro lado do sofá e colocou um dedo sobre os lábios para silenciá-la. "Que tipo de coisas devo dizer a uma mulher humana se a acho atraente?" "Seja honesto. Se você gosta do cabelo dela, então lhe diga.” Ela rapidamente soltou, tentando parecer normal. A porta se abriu e Titan entrou carregando duas caixas. Ele parecia chateado. Por um segundo, ela teve certeza de que ele sabia o que estava acontecendo. “E se eu acho que tem seios deslumbrantes? Posso ser honesta e contar a ela?” Natasha ficou boquiaberta. Drago riu. "O que? Por que isso é ruim?” "Você não pode dizer algo assim para um humano.” Titan rosnou. "Eles são muito tímidos.” Ele colocou as pizzas na mesa na frente deles. "Você poderia lhe dizer que tem um corpo sexy.” Disse Natasha. Drago parecia estar pensando. Natasha podia ouvir Titan pegando pratos. “Eu acho que seria honesto e direto. Eu diria a ela que tem seios realmente ótimos.”

142


Titan revirou os olhos. Natasha riu. Ela pensou em todas as vezes que os caras fizeram comentários indecentes ou analogias estúpidas. "Eu acho que você pode se dar bem com isso, Drago." Titan fez uma careta. "Eu gosto de você, mulher.” Disse Drago. "Natasha.” Advertiu Titan. Drago piscou para ela.

143


15 Um dia depois... Parecia tão bom poder andar de pijama e não sentir desagradável. A maioria dos caras a teria despido com os olhos. Ou faria comentários estúpidos. Não Titan. Apesar do fato de saber que ele estava atraído por ela, o cara não parecia. Na verdade, iria mais longe ao dizer que ele propositalmente olhou para longe sempre que seus caminhos colidiam. Por mais que gostasse, também a incomodava. Tanto que se viu quase levando-o a olhar, o que estava realmente errado dela. Muito errado. Havia um roupão perfeitamente bom dobrado em sua cama, mas ela não usou a coisa. Ah não! Ela usava seu short de dormir. O par rosa com as bolinhas e arco verde hortelã pouco na frente. Isto veio com um top rosa com tiras e um pequeno arco verde hortelã no decote. Os shorts cobriam sua bunda muito bem, mas deixavam as pernas nuas. O top tinha um sutiã embutido... ok, na verdade não... ele tinha um painel duplo na área do peito, o que pouco fazia para manter os gêmeos sob controle. Havia clivagem em todos os lugares e bem, ela tinha mamilos decentes em seus seios amplos, então aqueles eram meio que em seu rosto também. Ela realmente não deveria estar fazendo isso, mas não podia se conter. Era como se fosse obrigada a obter uma reação dele. Qualquer coisa serviria. Natasha não tinha certeza do porquê. Não foi com a intenção de começar algo com ele. Um relacionamento, mesmo sexual, não ia acontecer. Eles trabalharam juntos e Titan era um celibatário auto imposto. O cara poderia ter alguém que ele quisesse e sem sequer tentar. Ela viu o modo como as mulheres, de todas as idades, olhavam para ele. Drago tinha dito que ele poderia conseguir uma mulher vampira se realmente tentasse. Natasha tinha certeza de que eles poderiam inicialmente ter ficado chateados com ele pelo incidente de agressão, mas estavam mais chateados hoje em dia, porque não poderiam tê-lo. Então, a coisa do celibato foi definitivamente auto imposta. O que ela estava procurando era uma reação, qualquer coisa. Precisava tirá-lo de qualquer que fosse o fodido

144


em que ele estava. Titan precisava falar sobre seu passado. As paredes, o celibato, tudo isso estava relacionado. Ele precisava tirá-lo a céu aberto. Se empinar em torno seminua tem uma reação fora dele e que provocou uma discussão que por sua vez o tinha conversando, mesmo com raiva, ela seria feliz. Precisava de ajuda. Ele era um cara legal. Ele merecia... mais. Não era porque tinha sentimentos por ele. De modo nenhum! Ela estava atraída por ele? Isso aí! Ela o queria? De jeito nenhum! Titan entrou na cozinha já completamente vestido. Terno calças, camisa branca e uma gravata azul royal que não parecia certo. Ele entrou na cozinha, avistou-a e virou-se. Fugindo. Tão típico! Natasha revirou os olhos. "Eu fiz café." Ele parou em suas trilhas. "Aqui. Não fuja. Deixa-me servir uma xicara.” Ela tentou não sorrir. Ele era tão fofo quando corria. "Não é isso..." Ainda de frente para o outro lado. "Sem problemas.” Ela já tinha uma caneca para fora. Natasha se serviu antes que ele pudesse impedi-la. "Do jeito que você gosta." Titan se virou. Sua mandíbula estava definida, toda a sua postura tensa. Seus olhos foram do rosto dela para a caneca que tirou dela. Então ele olhou para algum lugar por cima do ombro dela. Tão bonito quando evitou olhá-la. Suas bochechas estavam um pouco vermelhas e sua mandíbula definida. Então, não tão afetado quanto fingiu ser. "Você dormiu bem?" Titan assentiu. "Sim.” Ele tomou um gole. Oh garoto, se ele agarrasse aquela caneca mais forte a porcelana iria quebrar. “Vou conversar com alguém na recepção hoje sobre conseguir outro quarto.” Não que ela quisesse sair. Ela gostava... bem... disso. Se isso a fizesse distorcer, então que assim seja. Natasha segurou um suspiro. Sua vida realmente era o epítome de chato e chato. Seu único consolo era que Titan parecia tão ruim, talvez até mais. Eles eram um par de desculpas.

145


Seus olhos se encontraram com os dela. "Houve algum feedback sobre como esses idiotas ganharam acesso ao seu quarto?" Ela balançou a cabeça. "Não. Embora tenham câmeras no saguão, parece que são para mostrar e não gravam nada.” "Qual é o ponto?" Ele tomou outro gole. Ela encolheu os ombros. "É um impedimento." "Algum feedback sobre as impressões da porta?" Ela balançou a cabeça. “Até agora, nada de anormal surgiu. As filmagens de CCTV do outro lado da estrada mostram os criminosos estacionando e entrando pelas portas da frente. Eles pareciam pertencer. Ao contrário do incidente anterior da pintura em spray, que mostrava uma pessoa entrando por volta das três da manhã. Eles usavam roupas folgadas e um casaco com capuz que cobria o rosto. A pessoa tinha uma estatura leve e poderia ter sido homem ou mulher.” “Não adquira outro apartamento.” Natasha franziu a testa. "Mas…" "Não é seguro.” Ele olhou de volta nos olhos dela. “Apenas meu humor, ok? Tenho certeza que você quer seu próprio espaço. Eu sei que pode cuidar de si mesmo, mas não precisa arriscar.” "Alguém tem que ter suas costas.” Ela riu. Ele sorriu. "Há também isso." Natasha olhou para o material bagunçado em sua garganta. "O que está acontecendo com essa gravata?" Titan fez uma careta. “Eu ainda não tenho ideia de como fazer uma dessas coisas. Isto é o que parece depois de assistir a alguns vídeos do Youtube e dias de tentativas. Ainda não consigo acertar.” "Quantas vezes eu tenho que te dizer para deixar a gravata comigo?" Ela andou até ele. Titan franziu a testa. “Eu sou um macho crescido. Eu preciso aprender como fazer isso sozinho.”

146


"Eu vou te ensinar.” Desfez a bagunça que ele fez. “Você precisa prestar atenção especial. Primeiro atravessa a extremidade larga sob o estreito fim...” Ele olhou para onde ela estava trabalhando. Seu olhar pousou em seu decote por um momento. Seu corpo inteiro ficou tenso. Então ele soltou um suspiro e se concentrou em suas mãos. "Puxe a ponta larga para o lado mais estreito, como assim..." Ele engoliu em seco quando a mão dela roçou no peito dele. "Pegue a ponta larga através do laço.” Ela falou com ele durante o resto do processo. "Então você aperta o nó até o colarinho.” Ela deu um passo para trás. "Isso parece ótimo." "Obrigado.” Ele cerrou os dentes, desta vez seu olhar estava em seu pescoço. Ele lambeu os lábios. Seus lábios realmente lindos e beijáveis. Por um momento eles apenas ficaram parados, olhando um para o outro. Seus mamilos se apertaram. Seu peito parecia esculpido sob o algodão branco de sua camisa. Sua barba estava bem aparada. Seus olhos eram tão intensos. Titan deu um pequeno passo em sua direção. Ele cerrou as mãos ao lado do corpo por um segundo antes de se virar e segurar o balcão. "Você deve se preparar.” Sua voz era muito profunda. Ainda mais que o normal. "Hum...” Sua voz era muito alta em comparação. "Eu ia fazer um café da manhã primeiro." “Eu vou fazer alguma coisa. Você vai e… veste algumas roupas.” Ele se inclinou e pegou uma panela. “Vou mexer alguns ovos. Nós saímos em vinte, então você precisa se apressar.” "OK, claro." "E, Natasha...” Ele manteve as costas para ela. "Você não deve andar meio nu’ assim." Ela não pôde evitar o riso que foi puxado dela. "Por que não? Não é como você se importa.” Ela parecia emotiva sobre isso. Como se realmente se importasse. Como se quisesse que ele procurasse por outras razões. além de fazê-lo falar sobre seu passado. Isso foi bobo e não é verdade.

147


“Não é apropriado. Eu sou seu supervisor.” Ele se virou e ‒ surpresa, surpresa ‒ ele não olhou. Ele mal a olhou nos olhos. “Não é grande coisa. Eu vi você completamente nu mais de uma vez. Suas mulheres vampiras andam por aí usando menos. Nós não somos amigos e você não faz sexo... nunca. Qual é o problema?" “Eu sou um homem e você é uma mulher. Estamos compartilhando um pequeno espaço por enquanto. Eu posso ter a ideia errada.” "Mas você não vai, e mesmo se fizer, não fará nada sobre isso.” Ela soou como se quisesse que ele fizesse algo sobre isso. Ela quis? Não. De jeito nenhum. Isso não tinha nada a ver com querer levar sua atração ainda mais. Titan suspirou. "Não, eu nunca...” Ele deixou a sentença morrer. "Você tem menos de vinte minutos.” Ele olhou no seu relógio. Ele era tão irritante. Titan a frustrou sem fim. Ela precisava que ele contasse o que havia acontecido. Natasha odiava vê-lo assim. Essa tristeza, essas paredes. Ela só esperava que pudesse ajudá-lo. Que ele iria deixá-la.

148


16 Seis dias depois... O carro era pequeno. Sufocante assim. Natasha sentou no banco do passageiro. Tão perto que se ele se aproximasse, poderia tocá-la... facilmente. Porra! Ele queria tocá-la tão mal. Não era só a beleza dela, era ela. E era doce, gentil, engraçada, inteligente e malhumorada. Extremamente malvada. Ela também estava irritante. Era seguro dizer que o irritava de hora em hora. Era como se vivesse para fazê-lo sofrer. “Caramba. Está quente aqui.” Ela tirou a jaqueta. Os três botões da blusa estavam abertos. Seu decote era profundo e de dar água na boca. Titan desviou o olhar, revirando os ombros. A fêmea era irritante prá caralho, mas ainda gostava dela, o que o irritava ainda mais. "Então, você é uma elite.” Ela levantou as sobrancelhas, dobrando o casaco sobre o colo. "O que exatamente é uma elite?" Ela perguntou todo tipo de perguntas irritantes também. “Os Elite são geralmente os melhores guerreiros comprovados. A nata da colheita.” "Como vocês se provam?" Ela abriu o laptop e ligou. Estavam fora de um dos apartamentos do ‘suspeito’ por quinze minutos. Era hora de começar a repassar as gravações do dia anterior. Foi ótimo realmente dormir um pouco à noite. Ele se sentiu como um novo macho. Embora ainda não tivessem descoberto nada, Titan tinha a sensação de que era apenas uma questão de tempo. "Você faz um teste escrito ou algo assim?" Ela perguntou quando ele não respondeu. Ele sorriu. Um teste? Ok, certo! “Não, nós não fazemos um teste escrito. Vampiros são um bando simples. Nós brigamos... sem restrições.” Ele ergueu os punhos. Seus olhos se arregalaram de admiração. "Como em sangue e tripas e os nove metros inteiros?" Seus olhos brilhavam de excitação. Porra, ele gostava dessa fêmea... um pouco demais. Foi o que aconteceu quando você passou tanto tempo junto com outra pessoa.

149


A fêmea ainda estava dormindo em seu quarto de reposição, ela mudou suas coisas dentro, desembalado. Eles estavam morando juntos. Era uma foda! Ele não a queria lá e ainda assim não suportava o pensamento dela saindo. E poderia ser mal-humorada, mas ainda era humana e se algo acontecesse com ela, nunca se perdoaria. “Sim, sangue, coragem e tudo. Nós principalmente lutamos, mas de vez em quando é tudo. Membros são quebrados, lábios quebrados e às vezes até matamos um ao outro.” "Não.” Ela disse a palavra em um alto exalar. Titan teve que rir. “Nós somos difíceis de derrubar, Natasha. Nós principalmente voltamos dos mortos.” "Vocês voltam? Então existem zumbis entre vocês? Vampiros zumbis?” Sua voz estava cheia de choque. Ele riu e se sentiu bem. Ele não conseguia se lembrar da última vez que riu assim. Titan limpou a garganta e se recompôs. “Não, nossos corações realmente começam a bombear novamente. Nós não nos tornamos zumbis.” Ele revirou os olhos. "Onde você consegue essas coisas?" "Eu estou assistindo uma série de zumbis, Nightmares Walking, você viu?" Ele balançou sua cabeça. "Eu não sou um grande fã de TV." “O que você faz por diversão então?” Titan poderia pensar em algumas coisas que gostaria de fazer por diversão. Não ajudou que Natasha se sentisse completamente relaxada em torno dele. Ela gostava de usar esses pequenos shorts que vinham com camisetas iguais ou, ainda pior, tops com tiras. Sem sutiã. Nunca um maldito sutiã. Era como no momento em que chegavam em casa, ela mal podia esperar que a coisa saísse. Não era algo que normalmente se importaria. Fêmeas de vampiro não usavam as capas humanas. Não foi um grande negócio. De modo nenhum! Apenas foi. Porra! Foi um grande negócio onde ela estava preocupada. Mesmo aqueles pequenos shorts eram um grande negócio, suas pernas eram incríveis. Suas coxas pareciam macias, perfeitas para apertar, melhor ainda por ocupar sua cintura... Merda! Titan se contorceu em seu assento.

150


Natasha acenou com a mão na frente do rosto dele. "Sim, desculpe... o que foi isso?" Caminho para ir até Titan! Saia da sarjeta. "O que você faz para se divertir?" "Eu trabalho." Natasha franziu a testa. "Não mesmo! Deve haver alguma coisa.” "Eu me exercito. Eu treino com os outros machos para ficar no topo do meu jogo. Neste momento, eu ouço a filmagem de vigilância.” Ela revirou os olhos. “Você é um caso triste. Há uma razão pela qual eles chamam isso de trabalho, é trabalho.” "Eu gosto da queimadura.” Ele flexionou seus músculos sob a camisa justa de colarinho apertado. Como os homens usavam essa coisa no dia a dia lhe escapavam. “Eu também, mas isso não significa que é divertido, como na diversão real. Você nunca sai? Encontros?" Titan sacudiu a cabeça. "Não e não." Por que ela insistiu em descer por caminhos que não se sentia confortável? "Você nunca sai e toma uma bebida, nunca descontrai?" “Não, eu gosto de trabalhar. É a minha maneira de me descontrair.” "Não é de admirar que você esteja tão machucado então." "Eu não estou!" Que porra é essa! Ela riu. “Você tem alguma ideia de quão tenso parece agora? Olha, ela levantou a mão tentando acalmá-lo. “É preciso um para conhecer um. Eu quase nunca saio sozinha. Eu trabalho demais. Não tenho nenhum passatempo… Isso não é verdade ‒ tiro ao alvo é meu hobby. Isso e colecionar armas, mas é tecnicamente todo relacionado ao trabalho.” "Eu coleciono espadas." Por que diabos disse isso a ela? Isso estava ficando muito aconchegante e ele estava gostando demais de suas pequenas conversas. "Você deve me mostrar sua coleção em algum tempo.” Ela parecia animada. Seu primeiro instinto foi concordar. Ele adoraria mostrar uma fêmea como Natasha suas armas. Ela apreciaria o artesanato. Então percebeu o que estava pensando. Não é uma

151


merda! “Você pode me mostrar a sua e depois eu posso mostrar minha coleção. Até te ensinarei como manejar uma lâmina.” Colocou no grosso, certificando-se que ela sabia que ele estava sendo sarcástico. “Você pode me ensinar como atirar. Quão divertido seria?" Não ia acontecer. “Eu amo a ideia. Eu acho que seria muito divertido, mas já que você não está falando sério.” Ela respirou fundo. "Devemos sair para uma bebida em vez disso." Titan estreitou os olhos. "Por que diabos nós faríamos isso?" “Para sair, relaxar um pouco. Por que mais?” Então seus olhos se arregalaram e ela pareceu chocada. "Oh, você não acha que eu quis dizer ir a um encontro ou algo assim?" "Não! Não passou pela minha cabeça.” Foi à primeira coisa que ele pensou. "Eu não preciso tomar uma bebida para relaxar." Infelizmente, ele poderia pensar em algumas coisas que funcionariam bem. Todos eles envolviam Natasha. Só que eles precisariam ficar em casa... na cama dele. Ele era tão idiota. “Vamos fazer isso de qualquer maneira hoje à noite. Podemos ir ao The Dark Horse.” "Não!" Ele balançou sua cabeça. Foi uma ideia terrível. O pior. Ela suspirou. "E sábado. Na verdade, deveríamos estar de folga. Não me entenda mal, não me importo de trabalhar, mas tem que haver um equilíbrio.” "Obrigado por apontar isso.” Ele tinha certeza de ficar inexpressivo. Ela precisava saber que ele estava falando sério. "Vou.” O problema era que Natasha era tão inexpressiva quanto séria. "Não, você não é!" Foda-se isso! Ele precisava dela onde pudesse ficar de olho nela. Natasha não estava segura. Isso ficou claro. "Com licença! O que eu faço fora do horário de trabalho é da minha conta. Eu vou ao The Dark Horse hoje à noite.” "Não é seguro." "Venha comigo então.” Sua voz estava implorando. Seus grandes olhos também imploravam a ele. "Não!" Ele balançou sua cabeça.

152


Natasha deu de ombros. "Ah bem! Eu preferiria que você se juntasse a mim, mas sou capaz de cuidar de mim mesmo. Eu vou, então a menos que me amarre na minha cama...” "Eu poderia apenas fazer isso.” Ele rosnou. "Eu vou espancá-la por sua insolência, enquanto eu estou nisso." Natasha deu uma gargalhada. “Não em BDSM… tá certo! Eu acho que Big Bear e sua namorada se cansaram de você.” Ainda rindo, ela assentiu uma vez, fingindo pensar nas coisas. Até coçou o queixo. "OK." Merda! Titan sentiu seus lábios tremerem, não havia como ele estar rindo. Não foi engraçado. "Certo o que?" "Ok, você pode me amarrar na cama e me espancar, mas precisa saber que eu poderia gostar.” Sua voz era rouca. Seus olhos encobertos. Ela estava flertando com ele? De jeito nenhum! Não poderia ser. Ele estava lendo tudo errado. Então sentiu o cheiro de sua excitação. Natasha lambeu os lábios. Até a ponta da língua dela era uma coisa linda. Maldito inferno! Porra! "Você não deveria dizer coisas assim para mim." "Por quê?" "Você sabe porque." Porra, sua voz estava rouca. Seu pau duro, empurrado contra o zíper. Tão fodidamente desconfortável, mas algo com o qual ele deveria estar acostumado. Especialmente desde que ele passou tanto tempo com essa fêmea. “Não, eu não sei. Por que você não me diz exatamente por quê?” "Não está acontecendo." "Por que você insiste em se punir?" Titan gemeu, ele esfregou a mão no rosto. "Você não vai desistir, vai?" "Não.” Ela balançou a cabeça. “Eu acho que você é muito duro consigo mesmo sobre tudo. Eu quero ouvir sua história.” "Por quê? Por que diabos é tão importante para você?” "Eu gosto de você, Titan, é por isso." "Isso não é uma razão boa o suficiente."

153


"Bem.” Ela encolheu os ombros. "Terá que servir.” Então ela abriu uma das batidas de som e a voz de Milly encheu o pequeno espaço. Titan finalmente conseguiu uma escuta no telefone da recepcionista. "Escritório do Xerife de Sweetwater.” Disse a idosa. Titan se recostou na cadeira. Obrigada, porra, ela deixaria a coisa toda... por agora. Ele não tinha ilusões, mas Natasha deixaria isso para sempre. Ele tinha a sensação de que ela estava certa. Se derramou suas entranhas, ele poderia ser capaz de colocar a coisa toda para trás e seguir em frente com sua vida. Só que ele não sentiu que merecia poder seguir em frente... ainda não. Nem mesmo perto.

Filho da puta! Titan sentou-se ereto, as costas saindo do sofá em menos de uma fração de segundo. Deixou cair a garrafa de água que segurava e subiu para pegá-la antes que vazasse demais no chão de ladrilhos. "Eu entendo da sua reação que você acha que pareço bem?" Suas sobrancelhas estavam levantadas. Uma ponta de seus lábios cheios e muito vermelhos puxou em um meio sorriso. Titan podia sentir que ele estava boquiaberto. Seu aroma delicioso encheu a sala com o cheiro de gel de banho frutado e o cheiro de hortelã da pasta de dente. "É melhor que isso não seja o que eu acho que é.” Ele balançou sua cabeça. Natasha esfregou as mãos juntas. "Esta é a parte em que você me joga por cima do seu ombro, me amarra na cama e me espanca?" Ela usava jeans apertados e um suéter creme. Era um número fora dos ombros. Seu pescoço era comprido, suas clavículas eram uma coisa de beleza. Clavículas? Uma coisa de beleza? Desde quando? Ele estava perdendo a cabeça. A fina malha do suéter moldava seus seios. Tão gordo, tão fodidamente deslumbrante. Não olhando! Um par de botas fodidas completou o conjunto. Esta fêmea seria fodida se ela saiu para um bar parecendo assim. Literalmente!

154


"Olá.” Ela fez um pequeno aceno. "Estou esperando pela minha surra." Assim como, coloque-a sobre o ombro, amarre-a na cama, bata nela até que sua boceta brilhe e então. “Não faça piadas assim. Não é engraçado." Um estrondo profundo. Natasha inclinou a cabeça. "Você foi o único que ofereceu mais cedo.” Ela riu. “Calma… você deveria ver seu rosto. Vai ter um ataque cardíaco se não se acalmar.” "Você não vai sair por conta própria!" Suas palavras saíram soando mais como um rosnado baixo. "Bom! Eu estava esperando que você dissesse isso. Vai vestido assim?” Titan olhou para as calças cinza e preta. Ele franziu o cenho. “Eu acho que você está ótima, mas não tenho certeza se eles têm um código de vestimenta ou não. Você provavelmente deveria usar os jeans que compramos para você no outro dia. Mas...” Ela deu um assobio baixo que fez seu pau se contorcer. ”... Se você decidir manter o moletom, você pode querer usar suporte atlético. Ir de commando com moletons não é a melhor ideia. Todo mundo vai ficar de olho. Você não é exatamente o menor no departamento de pau.” Fêmea enfurecedora. "Eu não vou." "OK.” Ela assentiu. “Eu te vejo mais tarde então. Você não deve me perturbar se houver uma meia na maçaneta da porta.” "Que porra é essa!" Um grunhido total. "Você não pode ir e definitivamente não pode trazer machos de volta..." Titan respirou fundo. Ele precisava se acalmar. Nesse ritmo, ela poderia pensar que ele estava com ciúmes. “Houve uma tentativa em sua vida. Parece que você já esqueceu isso. "Eu tenho minha arma.” Ela colocou a bolsa sobre o ombro. “Olha, eu vou, então você pode mudar e vir comigo, ou pode ficar aqui e de mau humor.” Mau humor? Como o inferno! Titan colocou os pés em cima da mesa de café e cruzou as mãos atrás do pescoço. "Não diga que não te avisei." O que diabos estava errado com essa mulher?

155


"Bem!" Ela parecia zangada. "Fique com você mesmo.” Mais calmo. Ela caminhou em direção à porta da frente e abriu-a. “Eu vou pegar um Uber para o bar. Não espere e lembrese, se houver uma meia...” Titan rosnou. Natasha riu quando fechou a porta. A fêmea o deixou louco. Ele pegou o controle remoto da televisão e ligou. Titan mudou os canais, passando pelos mesmos programas repetidas vezes e não encontrando nada que quisesse assistir. Grande surpresa. Ele jogou o controle remoto no sofá ao lado dele e colocou a cabeça entre as mãos por alguns segundos. Então levantou-se. "Porra!" Ele perdeu a cabeça. A fêmea poderia cuidar de si mesma. Ela ficaria bem. Melhor que bem. Titan começou a andar.

156


17 O Dark Horse estava bombando. Era quase inacreditável que fosse o mesmo estabelecimento que eles frequentaram na semana passada. Natasha teve que se mexer até o bar. Ela estaria perfeitamente segura entre essa multidão. De qualquer forma, não planejava ficar muito tempo. Ela ficou desapontada com o fato de Titan não ter saído com ela. Esse era o plano, realmente, sair com ele. Divirta-se um pouco ‒ juntos. Ela olhou ao redor do lugar. Era apenas sua imaginação ou havia uma tonelada de mulheres lá esta noite? Elas estavam vestidas impecavelmente. Saltos altos, vestidos minúsculos e saias ainda menores. O decote sendo mostrado em volta da sala era obsceno. Parecia que The Dark Horse era o lugar para se estar em uma noite de sábado. Então, novamente, se ela realmente olhasse, havia alguns caras lindos também. Havia alguns caras grandes, construíram caras, tinham pele bronzeada e aparência robusta. Talvez um bando de garotos de fazenda à espreita. Eles com certeza pareciam que faziam trabalho físico todos os dias para dar conta desses físicos. Era isso ou um monte de lutadores de MMA ou lutador da WWE estavam tendo uma convenção... Em Sweetwater? Não é provável. Os olhos de Simon se iluminaram quando a avistou. "Agente especial…" “Estou de folga. Dê uma folga a uma garota.” Ela olhou em volta, fingindo verificar se alguém o ouviu. “Me chame de Natasha.” "É bom ver você de novo, Natasha.” Simon teve que gritar para ser ouvido acima do barulho. "Você também. É sempre assim embalado no fim de semana?” "É sábado.” Disse ele a título de explicação. "Ah eu vejo." Não eram sextas-feiras normalmente o dia mais movimentado da semana? Ela não tinha certeza por não sair muito. "O que eu posso pegar você?" Ele limpou a barra com um pano de prato. "Eu vou ter um Martini, três azeitonas, por favor.” Ela sorriu.

157


Simon piscou. "Vindo bem." Um par de minutos depois, ele colocou a bebida na frente dela. "Diga, você está aqui sozinha?" Ela assentiu, tirando vinte da bolsa. “Sim, eu estou na cidade a negócios, então não havia ninguém que pudesse se juntar a mim. Não tenho amigos na cidade.” O que era verdade. Titan não era seu amigo. Ele era seu chefe. Por que estava pensando nele? Senhor rabugento. Simon assentiu. "Você veio ao lugar certo.” Ele sorriu. “O Dark Horse é o ponto quente da Sweetwater.” Opa! Ela cometeu um grande erro vindo aqui então. Apesar de provocar Titan, ela não estava olhando para ficar com ninguém. Foi à última coisa em sua mente. Se ela ia ficar com alguém, e não queria, mas, se o fizesse, Titan seria sua primeira escolha. Mas, sim, desde que ele era um vampiro, seu chefe e um caso lastimável, não poderia seguir esse caminho. Não! Não há conexões para ela. Como se fosse uma sugestão, um daqueles garotos da fazenda, bonitões e rabugentos, se aproximou dela. Ele parecia muito jovem, apenas com idade suficiente para se barbear, mas não com idade suficiente para ela. Mais uma vez, não que estivesse procurando ou qualquer coisa, porque não estava. As coisas eram complicadas o suficiente para ela no momento. Titan. Por que ela estava pensando nele? Novamente? Ainda? Por quê? Talvez porque estava claro que ambos estavam atraídos um pelo outro. Havia eletricidade suficiente entre eles para abastecer uma pequena aldeia. Mais de uma pequena aldeia. Ela nunca esteve tão excitada em toda a sua vida, mas olhar para esse cara realmente fofo a deixou com frio. O que havia de errado com ela? "Eu vou pegar isso.” O cara fofo olhou para sua bebida, então ele se mudou para seu espaço pessoal. Ela teve que esticar a cabeça para manter contato visual. Inferno estava um humano que era quase tão alto quanto Titan. Essa era a parte em que seus pedaços de dama começavam a formigar ou as borboletas começavam a vibrar.

158


Ela segurou a respiração... Nada! Nem uma coisa maldita. "Eu posso pagar minha própria bebida, obrigado.” Ela virou-se de modo que sua barriga estava contra o balcão do bar e entregou a Simon os vinte. "Eu gosto de uma mulher que pode cuidar de si mesma.” Sua voz também era profunda e rouca. Não causou arrepios na espinha como a voz de um certo vampiro. Então ela pensou sobre o que o cara tinha dito. O que havia com caras que chamam todas de mulher ultimamente? Pelo menos Titan tinha uma desculpa. Ele era um vampiro. Qual foi a desculpa desse cara? Ela revirou os olhos e Simon riu. Então ela tomou um grande gole de seu Martini e decidiu que a vida não era tão ruim assim. Que talvez tenha sido mesmo bom. Que talvez tudo desse certo no final. Ela tomou outro gole e suspirou. Ela precisava se livrar do cara fofo, para que pudesse ter seu Martini muito necessário em paz. "Eu sou Dane.” Ele finalmente soltou. O Cara da Fazenda estendeu a mão. Natasha suspirou, torceu seu corpo um pouco para ele e deu um pequeno aceno de cabeça, apertando a mão do sujeito com a mão livre. Não havia nenhuma maneira no inferno que estava colocando sua bebida. Não por amor ou dinheiro. "Eu sou Natasha, não estou aqui para ligar...” Por falta de uma palavra melhor. "... ou qualquer coisa. Estou aqui para relaxar e tomar uma bebida.” Ela levantou o Martini. O cara sorriu e saiu algumas covinhas. "Isso está perfeitamente bem.” Ele levantou as duas mãos. Mãos realmente grandes. "Se você não se importa, eu vou tentar mudar sua opinião sobre isso." Tão doce e despreocupado. Ele parecia gentil e honesto. Ele não parecia que tinha um ponto de bagagem. Não havia linhas de preocupação em seu rosto. Seus olhos brilhavam e brilhavam com feliz abandono. Não havia dor e escuridão assombrando suas profundezas. Ele não a interessou nem um pouco. Ela sorriu para o pobre rapaz. "Você estaria perdendo seu tempo." Ele encolheu os ombros muito largos. "É a minha hora de perder.” O olhar de Dane caiu para sua boca e depois baixou. "Eu não consideraria nem meio segundo em sua companhia desperdiçada."

159


Suave. Ela não ficou impressionada e o fato de seus olhos permanecerem colados ao peito a impressionou ainda menos. Ela sabia que Titan estava atraído por ela, mas ele não lhe deu olhares persistentes. Aquecidos? Certo. Mas, todo ele a despiu com os globos oculares? Nunca. Ele era muito respeitoso. Muito bom. Chamando Titan legal era risível e, no entanto, ele estava bom. Era fundamentalmente bom. Ela só queria que ele pudesse se ver na mesma luz. Desejou que ele se abrisse com ela. Contasse todos esses segredos profundos e sombrios. Desembaraçar-se... E então o que? Merda! Ela realmente não deveria ir para lá. Infelizmente, não achava que seria capaz de se ajudar. Natasha sorriu para o pobre rapaz. Não pareceria galanteador ou quente e pesado. Ele provavelmente seria capaz de ler pena e talvez um pouco de cansaço. "Você realmente está perdendo seu tempo.” Ela tentou uma última vez. O plano era encontrar um lugar tranquilo em algum lugar nos fundos, beber seu Martini em paz e depois voltar para o apartamento. Esperançosamente Titan estaria dormindo quando ela voltasse. O cara certamente não desistiu facilmente. Ele enganchou os polegares em seu jeans, dando-lhe um olhar que a maioria das mulheres acharia adorável. “Eu realmente sou paciente e...” "Você ouviu a fêmea, cachorro." Uma raspagem baixa que ela reconheceria em qualquer lugar. Traga uma boa dose de calafrios; Eles correram por sua espinha. O som tirou o ar de seus pulmões e teve adrenalina percorrendo suas veias. Isso causou borboletas para ir selvagem dentro de sua barriga. Natasha se virou, segurando firmemente seu copo. Titan parecia chateado. Seus músculos estavam amontoados e suas mãos estavam fechadas em punhos ao seu lado. Aqueles belos olhos azuis pálidos brilhavam com uma intensidade que a chocou e a excitou. Dane cheirou o ar, suas narinas dilatadas. "Quem diabos te convidou?" Ele rosnou, não soando tão amigável mais. Não soando totalmente humano também. Ela tinha perdido alguma coisa?

160


"Eu não preciso de um convite de pessoas como você.” Titan rosnou de volta. "Da última vez, verifiquei que esse era um território neutro." Parecia que eles se conheciam. Ou um do outro. "Titan.” Outro homem corpulento se aproximou dos dois homens quando estavam prestes a ir para lá. A voz do cara estava cheia de choque. Titan

olhou

para

o

lado. Sua

postura

toda

relaxou...

apenas

um

pouquinho. "Enzo?" Sua voz ainda era profunda. "Bom te ver.” O recém-chegado era um homem grande e moreno, com olhos verdes vívidos. Titan se afastou de Dane. "Você também.” Ele sorriu por cerca de meio segundo e eles seguraram um ao outro no pulso. Foi uma maneira estranha de cumprimentar alguém. Muito estranho. Esses

caras

não

poderiam

ser

humanos.

O

que

diabos

eles

eram?

Vampiros? Também não parecia se encaixar. "Você deveria marcar sua fêmea melhor.” O cara novo olhou para ela, havia humor atado em sua voz e seus olhos brilhavam com isso também. "Natasha e eu não estamos... Estamos trabalhando juntos em algo." "Ótimo!" Dane esfregou as mãos juntas. "Então você não vai se importar se..." "Foda-se!" Titan rosnou, toda a sua postura se tornou rígida e agressiva. "A mulher disse para deixá-la sozinha.” Seus olhos brilhavam um pouco, tornando-os o mais belo azul que ela já tinha visto. "Não." O Cara da Fazenda não parecia mais tão seguro de si. “Eu acredito que a mulher disse que não estava interessada. Há uma diferença.” "Não de onde eu estou de pé." Todos os músculos inchavam e amarravam sob a camiseta preta. Aquelas calças jeans pareciam incríveis nele. O robusto cara de olhos verdes se colocou entre eles. Colocou a mão no estômago de Dane. "Deixe sozinho.” Então ele deu uma risadinha. "Titan tem isso daqui.” Enzo olhou para o caminho de Titan e o grande vampiro assentiu. Titan ainda tinha os olhos fixos no Cara da Fazenda. Titan e Enzo foram pareados. Embora Dane fosse tão alto, ele não era tão largo.

161


"Tanto faz.” Dane se virou e foi embora. "O que você está bebendo?" Enzo perguntou. "Posso pegar uma cerveja para você?" "Certo.” O olhar de Titan mudou para ela. Aja legal! Não é grande coisa. Ele parece ciumento, mas não está. Só está cuidando de você. Apenas sendo legal. "Então, você mudou de ideia.” Ela tentou não sorrir. Não deveria ser tão feliz em vê-lo, mas estava. Titan desviou o olhar antes de trancar os olhos com ela. Eles se estreitaram. "Alguém tem que ficar de olho em você." "Eu posso cuidar de mim mesma." "Como o inferno! Isso foi um metamorfo... Um metamorfo, pelo amor de Deus. Oh! OK! "São más notícias shifters então?" "Sim! Eles são filhos da puta com tesão.” O que? Ele realmente estava começando a ficar com ciúmes. Era uma coisa ser atraído por alguém, era outra coisa inteiramente começar a ficar com ciúmes sobre eles. Sentimentos normalmente precisavam ser envolvidos antes que alguém ficasse com ciúmes. Titan tinha sentimentos por ela? Não, ele não fez. Por um segundo... Deixe isso em paz, Natasha! "Mãe com tesão ‒ Isso está sendo um pouco grosseiro.” Disse ela. “Grosseiro minha bunda. Eles entram na cidade procurando pela cauda. Eles estão com tesão! Confie em mim sobre isso.” "Talvez com tesão é o que estou procurando.” Ela desabafou. Titan cruzou os braços e fez uma careta tão forte que seu rosto parecia rachar. Enzo riu, Natasha podia ver todo o seu corpo tremer. Pelo menos alguém achou engraçado. Esse alguém certamente não era Titan. Ele fechou o espaço entre eles. "O que você está jogando?" "Eu não estou jogando nada.” Merda! Ela está brincando? Por que estava aqui? Por que estava tão feliz? Foi porque Titan estava aqui? "Estamos indo embora." "Não, não estamos.” Ela tomou um gole de seu coquetel, assim que Enzo chegou com as cervejas.

162


"Nós estamos indo.” Disse Titan. "Não, não estamos.” Natasha sorriu. Titan fez uma careta e Enzo riu mais um pouco. Ah Merda! Atire! Outro tipo de shifter realmente grande e mal-encarado lhe deu uma olhada e começou a caminhar na direção deles. Ela deu um pequeno passo em direção a Titan e desviou o olhar do metamorfo que se aproximava. Atire! Ela ainda podia vê-lo vindo do canto do olho. Ah não! Talvez ele não estivesse vindo para cá. Suas esperanças foram frustradas quando ele parou bem na frente deles. "Esta mulher está com você?" O cara perguntou quando chegou. Ele olhou para o caminho de Titan antes de abrir a boca para ela. Ele era mais velho que Dane. Não tão alto quanto Titan, mas apenas construído. "Sim.” Ela disse. "Não.” Ele disse, ao mesmo tempo. Eles se entreolharam. Titan parecia chateado. Havia um tique distinto em sua mandíbula. "Não.” Disse ela. "Sim.” Ele disse, novamente ao mesmo tempo. Enzo riu, tentando não derramar a cerveja. "Eles estão juntos.” Ele falou ao shifter. O cara assentiu. "Entendo. Deixe-me saber se as coisas mudarem.” Ele piscou para ela. Titan rosnou baixo. O shifter sorriu e se afastou. Titan colocou a mão na parte inferior das costas por um momento. Seu toque era tão bom. Dentro de meio segundo ele se afastou. "Nós realmente devemos ir.” Ele se inclinou para que ela pudesse ouvir. "Uma bebida.” Ela ergueu um dedo. Titan rosnou suavemente. “Eu vou acabar dando um soco em alguém. Isso não é uma boa ideia. A menos, claro, que você queira que um desses machos te pegue.” Ela tentou não sorrir. “Não, não é isso que eu quero. Estava brincando mais cedo sobre tesão.”

163


"Aqui.” Enzo entregou uma das cervejas para Titan. Ele estava sorrindo como uma coisa louca. "Eu sou Enzo.” Ele estendeu a mão e ela sacudiu. "Natasha." Titan parecia se eriçar. O tique no queixo dele piorou. Enzo estava se divertindo imensamente. Ele soltou a mão dela. "Há um espaço mais aberto lá atrás.” Enzo apontou para um lugar no outro lado do bar. "Podemos ir e beber em paz.” "Ei, você é um fofo." Uma senhora com um minúsculo vestido cambaleava até Titan. Era vermelho-fogo, o cabelo dela era longo e loiro. Enrolou suavemente ao redor do rosto dela. Seus lábios combinavam com seu vestido, assim como suas unhas. A mulher zoneava em Titan. “Adoro a barba!” Ela gritou acima da música e tagarelice, fechando a pequena distância deixada entre eles, como se ela fosse o rato e ele o queijo. Não, faça isso, como se ela fosse um rato faminto com longas garras parecidas com ratos. A loira agarrou seu braço e empurrou seu peito contra ele. E espremeu seus peitos contra ele. De jeito nenhum! Titan odiava ser tocado. Detestou isso. Ela podia vê-lo tenso. Ele rangeu os dentes. Também pode ter prego a um quadro ou mastigado em voz alta no ouvido dele. Ele tentou se afastar, mas a mulher deu outro passo, esticando o pescoço. "Onde você está indo, bebê?" Sua mandíbula estava tensa. "Eu não estou interessado. Eu…" A senhora rato colocou uma mão no peito de Titan e outra na bunda dele. Sua bunda. Santa merda, mas ela estava à frente. Titan não parecia feliz. "Não... eu...” Ele colocou as duas mãos no ar. "Ei!" Natasha gritou. A mulher finalmente olhou para ela. "Deixe-o em paz." A mulher deu-lhe um olhar sujo. “Eu acho que ele é grande o suficiente para ser capaz de cuidar de si mesmo. Há mais para dar a volta, então pegue o seu próprio.” Ela olhou para Enzo.

164


Natasha se aproximou da mulher e agarrou-a pelos cabelos. Ela não a puxou para longe de Titan. Ela apertou as madeixas da mulher com força suficiente para garantir que as raízes puxassem. Os olhos da dama rato se arregalaram e ela engasgou. “Afaste-se dele ou vai se arrepender de verdade.” Natasha falou calma e claramente, olhando a dama rato diretamente em seus olhos redondos. "Me solte.” Disse a dama rato, com os olhos ainda impossivelmente amplos. Ela franziu os lábios. Natasha notou que suas garras ainda estavam firmemente em Titan. Os que estava em sua bunda incluídos. Seu sangue ferveu em suas veias. "Afaste-se." Natasha apertou seu aperto e a dama rato gemeu. Sim, isso estaria doendo agora. "Você não pode fazer isso!" A voz da dama rato ficou um pouco estridente. Sua mão ainda segurava o traseiro de Titan. Natasha sentiu vontade de quebrar cada um desses dedos. Isso parecia muito com uma boa dose de seu próprio ciúme. Ela não queria analisar isso agora. “Estou prestes a prendê-la por agressão indecente. Largue ou você pode se foder.” Como o inferno, se a dama rato não a soltasse, ela iria bater essa cadela em uma polpa. Não haveria prisões. Então, novamente, talvez Natasha acabasse sendo presa por agressão, mas ela lidaria. A senhora rato deixou Titan ir embora. Natasha segurou firme. "Peça desculpas." A mulher moveu seus olhos na direção de Natasha. "Eu sinto..." “Não, não para mim. Peça desculpas a ele.” A senhora franziu a testa, mas olhou a frente na direção de Titan. "Eu sinto muito." Titan assentiu uma vez. Natasha deixou ir. A mulher se afastou dela. "Você é louca!" Ela esfregou a parte de trás de sua cabeça. "Realmente maluca.” Então se virou e foi embora. Seus saltos altos impediram que ela fosse muito rápida.

165


Enzo riu baixinho. "É noite de shifter.” Ele fez uma pausa. “Vocês estão no meio de uma grande ligação. Eu sugeriria que fingisse estarem juntos ou saíam.” "Eles são todos assim?" Natasha perguntou. "As mulheres?" Enzo encolheu os ombros. "Elas estão aqui para se juntar a nós.” Ele bateu no peito. “Então, sim, eu acho que sim.” "E todos os shifters são filhos da puta com tesão.” Titan rosnou. "Sim, nós somos.” Enzo sorriu. "Puta merda!" Natasha sorriu também. Por um momento ela ficou tentada a tentar fazer Titan colocar um braço em volta dela ou algo assim, mas sabia que ele não estaria disposto a isso. Ela bebeu sua bebida. "Vamos sair daqui." Titan deu um suspiro. “Obrigada! Adeus, lobo!” “Adeus, otário de sangue. Fêmea.” Ele acenou para Natasha como uma maneira de dizer adeus. Ela ficou chocada quando Titan passou um braço em volta de sua cintura e começou a tirá-la do quarto. No momento em que eles saíram, a soltou. "O carro está lá." Ele abriu a porta para ela. Cerca de mil perguntas correram por sua mente. Todos elas tinham uma resposta e isso assustava a vida dela. Eles voltaram em silêncio. Então pegaram o elevador e andaram pelo corredor em mais silêncio. Seu intestino se agitou. Ele pegou o cartão e recuou para poder entrar primeiro. Então fechou a porta, trancoua e colocou a cadeira na frente dela. Ele finalmente entrou na sala de estar. "Talvez você escute da próxima vez que eu recomendar que fiquemos em casa." Um sorriso brincou com os cantos de sua boca. “Talvez da próxima vez eu vá para outro lugar. Talvez da próxima vez você vá comigo.” Ele suspirou. Titan se virou para ela. "Não pode haver uma próxima vez, Natasha." "Sim, não pode.” O cara era teimoso e irritava-a que gostasse dele. Realmente, realmente gostava dele. “Titan eu...”

166


"Obrigado.” Ele desabafou, interrompendo-a. Merda! Ela estava prestes a lhe contar seus sentimentos. "Pelo que?" Ela enfiou as mãos no bolso da calça jeans. "Por ter minhas costas." “Você também tem minhas costas. Somos parceiros É isso que os parceiros fazem, certo?” Ele assentiu. "Estou indo para a cama.” Ele se virou e caminhou em direção ao seu quarto. Indo para a cama. Ok, certo! Mais como fugir ‒ de novo. Por apenas um segundo ela ficou tentada a deixá-lo ir. "Espere." Titan continuou indo. “Eu não posso. Nós não podemos.” Ele entrou em seu quarto e fechou a porta. Droga! Ele era um idiota. Natasha ficou do lado de fora da porta por um minuto. Seus olhos seguiram os grãos na madeira. "Vá para a cama.” Ela ouviu-o rosnar de dentro de seu quarto. "Não!" Ela gritou pela porta. "Tô entrando." "Não.” Foi sua resposta abafada. "Sim!" Ela agarrou a maçaneta. "Aqui vai algo.” Ela sussurrou. Natasha abriu a porta e entrou.

167


18 Titan estava em seu jeans. Sem camisa. O jeans estava baixo nos quadris. Muito baixo. Sua camisa estava jogada no chão aos seus pés. Seu abdômen tinha gomos. Seus peitos exigiam ser lambidos. Com quem ela estava brincando, cada músculo em seu peito esculpido exigia ser lambido, mordiscado e lambido um pouco mais. Os músculos dos dois lados do pescoço eram obscenos. Eles fizeram a cabeça dela girar. Ela pegou a camisa e entregou a ele. "Você pode querer se vestir." Ele tirou a camisa dela, mas não fez nada para vesti-la. "Você deveria ir." "Você não deveria ter fugido e então talvez nós pudéssemos ter essa conversa em uma zona mais neutra como dois adultos." "Nenhum lugar é neutro com você.” Seus olhos se estreitaram nos dela. Tão azul e linda. Sua camisa ainda estava na mão. Natasha engoliu em seco. "Justo.” Ela respirou fundo, segurando-a dentro dela por um momento antes de lentamente soltá-lo. "Eu preciso me desculpar com você por algumas coisas." "Não, você não precisa.” Ele jogou a camisa no chão. “Você não precisa dizer nada. Pode ir, podemos esquecer que essa louca noite já aconteceu e...” "Não. Há algumas coisas que precisam ser ditas, coisas que preciso dizer.” Ele passou a mão pelo rosto, à barba pegando. "Não faça isso." “Não tente me impedir de fazer isso. Precisa acontecer, Titan.” “Tudo bem, mas saiba que, dependendo do que precisa desesperadamente me dizer, eu poderia ser forçado a fazer um pedido de seu substituto pela manhã. Isso significaria perder seu emprego. Você está disposto a arriscar sua carreira?” "Espero que não chegue a isso.” Ela rezou para que o oposto fosse verdade. "Você espera...” Ele bufou. "Basta soltar isso." Havia uma ponta de desespero em sua voz.

168


“Eu não posso. Eu preciso dizer a minha parte e, em seguida, se você quiser me substituir, pode.” Os olhos de Titan ficaram nublados por um momento. Seu pomo de Adão se balançou. Merda, parecia que ele sentia algo... talvez por ela. Como se não quisesse perdêla. Então desligou suas emoções e cruzou os braços. "Não diga que não avisei você." “Eu não deveria ter andado pelo apartamento seminua. Estava errada. Não tenho certeza porque fiz isso... Ok, isso não é inteiramente verdade, eu já percebi o porquê, mas ainda não faz direito.” "Está tudo bem, apenas pare de fazer isso." “Sinto muito por ajudar com aquela mulher mais cedo. Não era certo ter crédito por isso. Você não deveria ter me agradecido.” Ele franziu a testa e deixou as mãos caírem para os lados. “Você estava bem. Ela não deveria ter colocado as mãos em mim. Você estava tentando ser legal.” Ele desviou o olhar, parecendo magoado e confuso. Tinha tudo a ver com o que aconteceu em seu passado. Ele se sentiu mal por não gostar daquela mulher bunda de rato colocando as mãos sobre ele. Como se ele merecesse ser assediado por ela. Quando olhou para trás, porém, foi inexpressivo mais uma vez. “Você se levantou para mim e teve minhas costas. Estava fazendo o seu trabalho. Você é minha parceira.” Natasha riu. Soava triste. Mesmo que o que ele tinha acabado de dizer fosse malditamente hilário. “Isso é besteira, eu não fiz isso porque estava fazendo a coisa certa. Eu não fiz isso porque sou legal. Nem mesmo perto. Agarrei-a pelos cabelos, porque estava com ciúmes. Muito ciumento! Eu queria tanto quebrar os dedos dela, mas não porque o que ela estava fazendo era errado, porque eu não queria suas mãos em você. Titan apertou sua mandíbula. Seus olhos se estreitaram. “É por isso que ando meio nua. Estou tentando tirar uma reação de você. Eu quero que você me olhe. Pela primeira vez, quero que alguém mostre interesse mas você não. Me deixa louca." “Eu sou um vampiro, sou seu superior. Isso é inadequado. Toda essa conversa é...”

169


“Eu gosto de você Titan. Estou atraído por você e tenho certeza que sente o mesmo por mim. Por que não podemos simplesmente...” "Não!" Ele rosnou. “Nós nem somos amigos. Eu te falei isso. Como isso se transformou em algo mais do que isso?” “Somos amigos, caramba, mas eu quero mais.” Lá estava fora… finalmente. “É por isso que me esforcei tanto para conseguir que você se abrisse. Para derrubar as paredes que tem em torno de si mesmo. Eu quero mais.” Sua voz tremeu tanto que ela mordeu o lábio inferior para se impedir de chorar. Ela era uma menina grande e meninas grandes não choraram. Não tão facilmente, de qualquer maneira. “Eu acho que você pode querer mais também. Lá no fundo." Titan gemeu, parecendo frustrado. "Isso não vai acontecer. Vamos deixar de lado o fato de que minhas tradições claramente proíbem qualquer tipo de relacionamento entre nossa espécie. Vamos colocar todo esse caso de lado, porque vamos encarar, você e eu, como coelhos, poríamos essa investigação em risco. Eu continuo dizendo que sou um macho ruim, mas você não vai ouvir. Essa é a principal razão pela qual você e eu nunca vamos acontecer.” “Mais mentira! Você continua dizendo como fez essa coisa terrível, mas aqui está o problema: eu não acredito. Você está me dizendo que mudou tão drasticamente desde que aconteceu? Não é essa pessoa terrível e malvada que continua dizendo que é. Ações falam mais alto que palavras. Você é doce e gentil e...” “Eu quase estuprei alguém. Não há nada legal ou gentil em mim. Eu não a ouvi quando ela disse que não, quando me implorou para parar. Eu não estava escutando.” Ele parecia angustiado. Seus olhos estavam assombrados; podia ver que ele estava recordando o evento. "Quando isso aconteceu?" Sua voz tremeu. “Um ano e meio atrás. Nós tivemos muito pouca interação com humanos. Não havia nem mesmo falar sobre o Programa ainda. Eu não sei o que diabos estava pensando. Não estava pensando. Eu era esse idiota enorme. Eu estraguei tudo o que mudou e todos eles adoraram.” Ele enfiou a mão pelo cabelo e caminhou para o outro lado da sala. "Eu posso

170


fazer uma dúzia de desculpas, todas soariam viáveis, mas a verdade é que eu era um idiota arrogante, que não acreditava que fosse possível para uma mulher me rejeitar." "Quem era ela?" “Uma humana, o nome dela é Becky. Ela estava no cio de dois machos.” "Dois?" Ele deu um sorriso sem humor. “Não é um grande problema para ‘não humanos’. Se estamos excitados, estamos no cio. É muito mais simples. É sempre mútuo embora. Ambas as partes precisam ser despertadas e, se acontecesse com mais de uma pessoa em um dia, ou duas pessoas ao mesmo tempo, assim seja.” Ele encolheu os ombros. “Nós vemos isso como beber, comer ou respirar; é uma função corporal que precisa acontecer, como qualquer outra.” Ele soou como Drago. Puta merda! "Você já teve relações sexuais com mais de uma pessoa em um dia?" Ela sentiu seus olhos se arregalarem. "Ou mais de uma pessoa de cada vez?" Titan assentiu. “Eu costumava ser altamente sexual. Eu corri à vontade. Eu era popular entre as mulheres. Muito fodidamente popular para o meu próprio bem.” Ele passou a mão pelo cabelo novamente e rosnou. "Eu estou fazendo desculpas novamente." Se movendo! "Você disse que Becky era uma humana... não era contra as tradições?" Titan assentiu. “Sim, completamente. Os machos que ela havia enfiado estavam ambos na masmorra por desobedecer nossas lendas e ela os estava visitando.” "Ok, eu vejo." Tipo de. “Eu devo ter interrompido alguma coisa quando desci para checar os prisioneiros, porque a fêmea estava muito excitada. Nós brincamos antes sobre colocar você por cima do meu ombro, mas não é uma piada.” Rosnou, parecendo tão magoado. “Eu levei a fêmea embora. Eu lhe disse que ela iria se divertir se a enlouquecesse. E poderia ter tido qualquer mulher. Eu era bom em dar prazer...” Ele cerrou os dentes. “Eu poderia sentir sua necessidade. Foi enlouquecedor. Eu não ouvi uma coisa que ela disse. Eu deveria ter, embora. Estou dando desculpas. Não é sempre não! Por que diabos eu não escutei?” "Você está dizendo que literalmente não ouviu ou que a ouviu, mas a ignorou?"

171


Ele balançou sua cabeça. “Eu escutei com meu nariz, não meus ouvidos. Eu lhe disse que iria fazê-la gritar e que ninguém iria ouvir. Eu não quis dizer isso como soou. Porra!" Seus olhos estavam cheios de horror. “Eu pretendia dar-lhe prazer, lhe dar o que ela precisava. Eu a toquei, rasguei suas roupas; Foi quando me atingiu o fedor do medo dela. E percebi o que estava fazendo. Ouvi as palavras dela. A fêmea estava apavorada. Eu percebi o que parecia. Eu estava prestes a me desculpar, por...” Ele enxugou os olhos. Merda! Parecia que ele poderia estar chorando. "O que aconteceu?" “Um dos machos a libertou. Ele veio até mim e me derrubou antes que eu pudesse explicar.” "Você deveria ter falado depois.” Sua voz era estridente. Titan sacudiu a cabeça. “Nunca deveria ter chegado tão longe em primeiro lugar. Estou fodido. Eu não sou digno de nenhuma fêmea... nunca mais.” "Chore-me um rio.” Ela murmurou. “Você parece alguém que sente pena de si mesmo. Por que simplesmente não vai e senta em um quarto escuro então? Além disso, por que não está na cadeia ou na sua masmorra?” “Eu expliquei as coisas para meus reis. Eu me senti quebrada por dentro. Não pode ser nem metade do que aquela fêmea passou.” “Eu entendo que ela aceitou mal. Não deixa ninguém se aproximar dela e precisa consultar um psicólogo duas vezes por semana?” Natasha não estava tentando esclarecer o que havia acontecido. Titan estava errado, mas não merecia o tratamento que fez para si mesmo também. Ela estava tentando ajudá-lo a ver a lógica. Titan sacudiu a cabeça. “Não, ela é felizmente uma fêmea muito forte. Ela está acasalada com ambos os machos e grávida de seu primeiro filho. Eu acho que é feliz.” Seus olhos brilhavam e ele parecia estar mais ereto. "Eu pedi desculpas e ela me perdoou, mas..." "Mas o que?" “Ela era muito legal com isso. Ela disse que entendeu. Eu fiz uma coisa terrível. Não sinto que mereça o perdão dela.”

172


"Você faria isso de novo?" “Claro que não, aprendi muito sobre humanos desde então. Isso nunca aconteceria novamente.” Ele olhou diretamente para ela. "Eu posso ver o que você está tentando fazer e não vai funcionar." “Estou apenas tentando chegar ao fundo disso. Tentando entender melhor as coisas. Você disse que seus reis acreditavam quando contou a eles o que havia acontecido.” Titan parou por um momento. “Sim, eu ainda fui punido. Recebi trinta chicotadas e tive que passar três semanas na masmorra, mas meus reis acreditaram em mim. Eu teria sido morto de outra forma.” “Áspero, mas justo. Por que acha que eles acreditavam em você?” Titan franziu a testa. "Como assim por quê?" “Por que seus reis acreditaram em você? Eles teriam que ter sua palavra para isso. Por que eles fariam isso?" Ele franziu a testa. "Eles me conhecem, sabem que eu nunca..." "Exatamente!" Ela meio gritou. “Você não vê isso? Eles acreditavam em você. Além disso, acreditavam dentro você. Eles te fizeram chefe de segurança humana e te enviaram aqui, para trabalhar com humanos. Seu rei... Qual o nome dele? Brant... ele não te tirou desse caso no momento em que viu que estava trabalhando com uma mulher humana. Ele não parecia preocupado.” "Ele estava preocupado.” Titan respondeu. “Ele estava preocupado que você iria me estuprar? Eu me esforço para comprar isso.” “Não, que eu faria… que nós iríamos…” "Porra? Que iríamos foder?” Ela levantou as sobrancelhas. Titan assentiu. “Ele nunca se preocupou que você tentaria me forçar a fazer qualquer coisa. Seus reis acreditavam em você. Ainda tem muitos amigos próximos. Você não foi morto ou condenado ao ostracismo. Ok, talvez a senhora vampira não esteja mais tão interessada, mas essa é a sua perda.”

173


"Como você sabe que as fêmeas da minha espécie não estão interessadas?" "Um palpite." Ah Merda! Ele a examinou por um segundo. "Isso é treta! Eu só disse que não me importei, nunca disse nada sobre...” "Bem! Eu planejei contar a você, então pode ser agora e não daqui a cinco minutos. Eu queria que você derramasse as coisas e fizesse as coisas ao ar livre. Eu queria provar para você que não é esse imbecil malvado que pensa que é e que...” "Apenas me diga como sabe." Aqui vai nada. "Drago me contou o que aconteceu e eu tenho que dizer que ele pintou as coisas de uma maneira diferente." "Que porra é essa?" O peito de Titan se expandiu e contraiu a cada respiração. "Eu vou matá-lo." “Não, por favor, não. Ele está preocupado com você. E esperava que eu pudesse ajudá-lo a superar sua merda.” “Minha merda. Minha merda?” Titan sacudiu a cabeça. "Eu quase...!" "Você cometeu um erro. Um que nunca faria de novo. Sua cultura é muito diferente da nossa em alguns aspectos. Você confia em seus sentidos enquanto os humanos falam. Nunca teria passado por isso. Becky estava completamente vestida e, apesar de abalada, ela superou o incidente. Ela é felizmente casada. E está feliz... tempo. Ela te perdoou. Por que você não se perdoa? Precisa..." "Não! Você está ultrapassando sua marca, mulher.” Seus olhos brilhavam. “Alguém precisa. Eu me importo com você, Titan.” "Você nem me conhece." "Eu conheço!" Ela fechou a distância entre eles, estendeu a mão e segurou sua bochecha. Tocá-lo era como tocar um cavalo assustado. Ele estava nervoso, pronto para virar e correr, mas querendo confiar do mesmo jeito. “Eu te conheço o suficiente para saber que quero saber mais... muito mais. Eu sei que gosto de você. Não tenho medo de você."

174


Titan fechou os olhos e inclinou a cabeça para trás. Ele parecia saborear o toque dela. Por um momento, ela teve certeza de que finalmente chegara até ele. Então deu um passo para trás, quebrando o contato. "Não.” Ele parecia crescer em estatura. "Essa conversa acabou." "Por que você não me deixa entrar?" “Eu te avisei, Natasha. Eu tentei te dissuadir. Você precisa arrumar suas coisas.” "Perdoe á si mesmo. Solte suas paredes. Pare de se espancar.” "Pare! Você falou com Drago pelas minhas costas e...” "O que?" ela franziu a testa. “Não foi assim. Pedi-lhe que me dissesse o que aconteceu e ele fez por preocupação mútua por você. Seu amigo se importa.” “Você ultrapassou a marca. Vou fazê-lo sangrar na próxima vez que o vir.” “Não, não faça! Eu fiz ele me dizer. Não é dele...” Titan riu. "O fez? Ok, certo. Não importa. Arrume suas coisas e reserve um voo amanhã. Vou fazer um pedido para a sua substituição.” "Não faça isso." "Você fez isso. Eu não!" Um rosnado. "Ainda podemos trabalhar juntos.” Ela havia lido tudo errado? Ele balançou sua cabeça. “Você admitiu ter sentimentos por mim... as coisas não são mais profissionais entre nós. Nosso relacionamento de trabalho seria muito tenso.” "Você também tem sentimentos por mim.” Ela tinha visto. Foi mais do que apenas uma atração. Havia mais e ela sabia disso. "Você está errada!" Titan projetou sua voz, parecendo mortalmente séria. Isso machuca. Ela mal o conhecia, na verdade não. Eles não tinham dormido juntos e ainda assim doía. Ele estreitou os olhos. “Eu não tenho sentimentos por você. Eu acho que você é uma mulher atraente. Tem curvas atraentes. Eu sou um homem, claro que notei, mas é aí que termina. Eu não ligo para você e não vou te levar para a minha cama. Tire isso da sua mente.”

175


Merda! Isso machuca. Isso realmente doeu. Chupe isso, Natasha. Chupe o inferno. Ela respirou fundo. “Eu tinha tudo errado então, mas não sinto muito por ter falado. Eu não sou uma covarde.” Sua mandíbula se apertou. "Tudo ainda valeu a pena.” Ele parecia chocado com a sua admissão. "Eu não me importo se perder o meu emprego.” Ela encolheu os ombros. “Só espero que você pense sobre essa conversa nos próximos dias e semanas. Que você talvez até pense nos acontecimentos daquele dia. Experimente e faça de maneira imparcial. Só posso esperar que comece a se perdoar e se permita curar. Eu te desejo uma vida incrível. Você merece isso. Merece amor, um futuro e diversão. Se um dia perceber isso por causa de algo que surgiu dessa conversa, tudo valeu a pena para mim.” Ela podia sentir as lágrimas formigando seus olhos. Seu coração estava pesado. Natasha saiu do quarto piscando o tempo todo para não chorar.

176


19 Titan não tinha dormido uma piscadela na noite anterior. Nem por um minuto. A primeira coisa que fez depois que Natasha partiu foi digitar um e-mail solicitando uma substituição. Ele corrigiu várias vezes, pairou sobre o botão de envio e finalmente o salvou. Era tarde demais para enviar um documento assim. Ele esperaria até a manhã. Então ficou acordado olhando para o teto. Ouvindo cada carrapato do relógio dele. Ouvindo Natasha se virando e se virando na sala ao lado dele. Titan tinha avisado ela. E se recusou a sentir um pouco de culpa. Ele estava tomando a decisão certa a mandando embora. Ele repetiu a conversa deles. A fêmea havia interferido. Ele lhe pediu para não, praticamente implorou para deixar as coisas, mas não podia fazê-lo. Por que não podia sair bem o suficiente sozinha? Incapaz de ficar lá mais um momento, ele tomou banho e ficou pronto para o dia, uma hora inteira mais cedo. Então tentou fazer a gravata dele. Natasha havia amarrado a coisa para ele todas as manhãs. Cada dia, ela dizia para prestar atenção, mas a cada vez só podia prestar atenção em uma coisa. Nela. Seu perfume. Seu calor sendo tão perto dele. Sua beleza. Como malditamente sexy ela era. Em última análise, só podia prestar atenção a Natasha, não a gravata maldita. Por isso ainda não sabia como amarrar a coisa. Era melhor que ela estivesse saindo. Uma maldita dádiva de Deus. Ele pegaria um café e um café da manhã, e então mandaria o e-mail. Deixando sua maldita gravata desfeita, saiu de seu quarto. Porra! Ele quase recuou, mas já era tarde demais para isso. Natasha já o havia visto. Ela parou, parada na ponta dos pés. "Oi... eu queria colocar um pouco de café.” Ela usava shorts azuis ‒ shorts minúsculos ‒ e uma camiseta branca com a YOLO na frente, também em azul claro. A camisa estava apertada. Ele estava fodido se ela não parecia requintada. Seus mamilos enrugaram através do tecido fino. Ele podia distinguir sua cor mais escura através do branco. Ela olhou para seu traje, deve ter rastreado seus olhos e o fato de que estavam meio fora de seu crânio e sobre ela.

177


“Hum… eu esperava sair e voltar para o meu quarto antes de acordar. Você me pediu para não andar mais assim e eu não tinha planejado...” "Está bem.” Sua voz era grossa. Titan limpou a garganta. "Não, realmente eu só vou e...” Ela apontou na direção do seu quarto. "Está bem." "Oh" Ela parecia derrotada. Parecia tão malditamente triste. "Entendi. Não importa mais, porque eu estou indo embora então... sim, bem...” Ela se virou para o balcão e começou a trabalhar para pegar o café. “Eu estarei fora do seu caminho em um minuto. Menos de um minuto." Titan tentou não olhar para a bunda dela. Tão esculpida. Suas coxas estavam... Ele exalou ruidosamente. Natasha olhou para ele por cima do ombro. Pegou olhando para sua bunda. Ela franziu a testa e então corou, desviando o olhar. "Posso te fazer uma xícara?" Titan sacudiu a cabeça. "Eu posso fazer meu próprio café.” Ele não conseguia tirar os olhos dela. Não podia acreditar que ela tinha sentimentos por ele. Uma fêmea incrível como ela realmente sentia algo por alguém como ele. "Certamente você pode.” Ela mexeu sua caneca e virou, bebida na mão. "Eu só vou...” Ela apontou o polegar para seu quarto novamente. "... sair do seu cabelo.” Então seu olhar se moveu para a gravata dele. A que pendia solta em volta do pescoço. Ela sorriu. Foi melancólico. "Ainda está lutando com essa gravata, eu vejo, mesmo depois da nossa lição de ontem." Ele assentiu. "Sim." Ela riu baixinho. "Quem vai ajudá-lo com isso quando eu for embora?" Ele não respondeu. Sua garganta ficou entupida com o pensamento dela saindo. De nunca mais a ver. Era o melhor. “Talvez mais uma lição então?” Ela levantou as sobrancelhas. Ele sorriu. "Sim, isso seria ótimo."

178


Natasha baixou a caneca e se aproximou. Não olhando. Não olhando. Era um mantra que repetia dia após dia. "Como esta é a última vez que vou mostrar a você, é melhor fazermos um bom trabalho.” Ela tirou a gravata do pescoço e colocou em si mesma. "Você está prestando atenção?" Titan assentiu. Ele estava prestando bem atenção. "Primeiro..." Até a voz dela era sexy. "Você..." Titan prestou muita atenção em quão cheios e macios seus seios pareciam. Seus mamilos estavam apertados. Como se quisessem fazer furos através da camisa justa. Bicos pequenos rechonchudos e apertados, ele definitivamente poderia distinguir sua coloração mais escura contra o branco. Suas mãos continuavam atrapalhando, assim como a gravata explodida enquanto se movia. Sua boca se abriu. Merda, mas ela era linda. Então a gravata foi feita. Pendurou entre sua luxuriante… "Eu deveria fazê-lo mais uma vez?" "Um... o quê?" Levou um momento para registrar o que ela dissera. Sua mente estava completamente embaçada pela necessidade. Uma fome tão grande que parecia estar consumindo-o. Seu pau empurrou contra seu zíper. Nesse ritmo, o metal deixaria um sulco profundo em sua carne. Natasha deu uma risadinha. Seus olhos brilhavam com diversão. "Devo mostrar-lhe novamente?" Titan sacudiu a cabeça. "Não. Eu... hum... Ontem à noite você disse que tem sentimentos por mim? Ela ficou séria, puxando o lábio entre os dentes. "Sim.” Ela assentiu. "Eu tenho. Sei que não nos conhecemos há tanto tempo e isso...” Ela parou de falar quando ele agarrou seu quadril com a mão. Tão macio. Tão malditamente macio. "Você se importa comigo?" Ela assentiu. "Sim..." Um sorriso tímido. "Eu me importo.” Sem hesitação. “Você se importa apesar do que fiz e…”

179


"Aquele momento não define você, Titan.” Ela fez um pequeno ruído ofegante quando ele agarrou seu outro quadril e conduziu-a para o balcão. Movendo-se até suas costas tocaram os armários. "Você está atraída por mim.” Ele olhou para os lábios dela e depois para os lindos olhos castanhos. Ela engoliu em seco e assentiu. "Eu te quero tanto.” Ele gemeu, sua voz grossa com a necessidade. Natasha estendeu a mão e segurou seu rosto, como ela havia feito na noite anterior. Nunca tive um toque tão bom assim, certo. "Eu quero você também." Um sussurro. Ele não podia embora. Eles não puderam. “Sexo é bom. Está bem. Não há nada de errado com duas pessoas gostando de estarem umas com as outras dessa maneira. Explorando.” Ela colocou a outra mão no peito dele e acariciou-o ali. Ele teve que sorrir. Esta fêmea estava além do doce. Além do tipo. Ele não a merecia, mas não havia como impedir que isso acontecesse. Era tarde demais para isso. Seria como tentar parar um trem de carga com as próprias mãos. Não é possível. "Eu adoraria explorá-lo e tê-lo" Ela engasgou quando ele virou-a de modo que sua barriga estava pressionada contra o balcão. Ele se apertou contra o traseiro dela. Sua ereção era espessa e dura. Sua bunda era macia e linda prá caralho. Natasha gemeu. Ele podia sentir sua excitação. "Você me quer dentro de você?" Sua voz era baixa e rouca. Sua respiração ficou um pouco irregular, suas mãos estavam abertas no balcão. "É isso que você quer, Natasha?" Ele disse, quando ela não respondeu. "Sim." Um soluço “Eu quero você, Titan. Eu quero você desde o primeiro momento em que te vi. Todos os dias desde então.” Isso é tudo que ele precisava ouvir. A urgência que passou por ele era quase mais do que poderia aguentar. Ele colocou um pequeno espaço entre eles. "Eu não vou te machucar.” Ele rosnou quando arrancou sua bermuda. "Abra suas pernas."

180


Natasha fez o que ele disse e empurrou a bunda dela. Sua respiração estava entrando em ofegos curtos. Titan apertou seu monte. "Tão molhada.” Ele sussurrou, ouvindo a admiração em sua própria voz. Natasha sugou o ar entre os dentes cerrados. Ela balançou contra a mão dele, insistindo com ele. Empurrou um dedo em sua carne acolhedora. Apenas um. Ela arqueou contra ele e gemeu. Tão receptiva. Seu pau latejava. O zíper deu um pouco mais nele. Titan bombeou dentro e fora algumas vezes antes de adicionar um segundo dedo. Ela gemeu novamente, desta vez mais alto. Ele usou o polegar e esfregou contra o clitóris a tempo com cada empurrão. Sua vagina inundou, tornando-se mais lisa. Seus gemidos se tornaram mais pronunciados. Natasha balançou os quadris, empurrando contra a mão dele. Sua respiração estava irregular. "Oh Deus! Oh!” Ela empurrou mais rápido, mais forte. "Eu vou... eu estou quase... Oh!!" Sua voz era aguda. "Você deveria parar.” Muito tenso. "Eu vou gozar." Um gemido "Isso é o tipo de ponto.” Ele se levantou, inclinando-se para que pudesse dizer as palavras diretamente em seu ouvido. Ele continuou trabalhando seu clitóris, empurrando seus dedos dentro e fora de sua carne acolhedora. "Oh... Oh!!" Ela parecia chocada. Sua vagina flutuou em torno de seus dedos. Titan inseriu um terceiro, mantendo suas ministrações suaves e fáceis. Então Natasha apertou a mão dele, se arqueou contra ele. Passou de gemer e ofegar para completamente em silêncio por um momento. Então ela gemeu. Longo e profundo. Sua vagina se contraiu. Ela balançou contra ele, pegando o que precisava. Uma vez que terminou, ele agarrou seus quadris, firmando-a. "Eu gostaria de..." "Sim!" Sua voz estava cheia de necessidade. "Eu estou tomando pílula e sim para tudo.” Ela estava ofegante. Titan rasgou a frente de suas calças abertas. Ele dobrou os joelhos, agachou-se sobre Natasha e entrou em sua boceta apertada como uma foda em um impulso. Ele rosnou quando seus quadris bateram em sua bunda, enquanto suas bolas batiam contra ela. Natasha

181


gritou quando ele entrou nela. Podia ouvi-la ofegante. Titan descansou a testa contra a parte de trás da cabeça dela. "Você se sente tão bem.” Ele murmurou, seu peito expandindo e retraindo em rápida sucessão. Natasha choramingou, ela empurrou de volta contra ele com sua bunda. Suas mãos ainda estavam no balcão na frente dela. "Por favor, não tenha medo.” Ele sussurrou. Suas presas estavam fora. Ele tinha certeza de que parecia feroz. Seus olhos podem até estar vermelhos. É por isso que ele a virou. Fazia tanto tempo. Estava tão desesperado por essa fêmea. Por Natasha. Ela estava certa. Ele tinha sentimentos por ela. Tentou ignorá-los, fingir que não estavam lá, mas era impossível. “Eu não tenho medo de você, Titan. Eu quero você.” Sua voz estava implorando. E parecia tão desesperada, quanto ele por ela. Sua vagina encaixou como uma luva de veludo. Molhada e tão apertada que estar com ela quase doía. Ele gemeu quando puxou e depois mergulhou de volta. Tive que tentar e ir fácil. Tive… Ele dobrou os joelhos um pouco mais quando ele empurrou de volta para ela, tentando aliviar seu aperto em seus quadris. Sua cabeça foi jogada para trás. Ele empurrou de novo e de novo. Difícil e profundo. Natasha gemeu e gemeu e miou e ofegou. Suas mãos apertaram contra o granito da bancada. Seus sacos bateram contra sua carne. Tão quente, tão apertado, tão incrível. Titan parou de se mover. Ele era profundo e ofegante, sua boca estava seca. Ele a segurou por trás, seu corpo ao redor dela. Ele se forçou a aliviar o aperto em seus quadris. Suas unhas se alongaram, afiadas demais. Não deve machucá-la! Suas presas pulsaram. Seu saco contraiu tão apertado. Seu pau latejava. Tudo estava bem apertado. "Eu vou gozar.” Ele disse. Porra! Teve que aguentar. Isso era sobre ela. Não ele. Poderia esperar. E teve que tentar pensar em outras coisas. Certamente não sobre o quão confortável era sua boceta ou seu doce sorriso, a cor de seus olhos quando ela ria. Natasha riu. Soava tenso. Ela também estava ofegante. "Esse é o tipo de ponto.” Ela empurrou sua bunda contra ele. "Cedo demais.” Ele não conseguia recuperar o fôlego. "Você não tem..."

182


"Não se preocupe comigo só... goze...” Mais se contorcendo, ainda mais ofegante. Ela apertou seus músculos internos ao redor dele. Parecia tão bom. Titan se empurrou nela com um gemido. Fazia tanto tempo e ele estava com ela. Com Natasha. Titan fechou os olhos com força quando sentiu seu aperto ao redor dele apertar. E então ele estava gozando e gozando e gozando. Ele rugiu quando o prazer correu através dele. Empurrou e empurrou e agachou sobre esta fêmea. Natasha. Ele segurou-a como uma tábua de salvação. Mesmo depois que parou de se mover, apenas a sentindo. Com admiração de como ela se sentia incrível, como ela era incrível. Uma vez que sentiu um pouco de controle, a puxou e virou. Seus olhos brilhavam com luxúria. Por ele. Ela sorriu docemente. Para ele. "Você está bem? Eu fui muito áspero? Deixe-me ver seus quadris. Eu te arranhei?”

183


20 O cabelo dele estava solto. Em algum lugar entre fazer a gravata e este momento, saiu a tira de couro. Suas bochechas estavam um pouco coradas e sua testa brilhava. Ele era lindo. Seus olhos azuis brilhavam com preocupação enquanto corria as mãos para cima e para baixo em seus quadris procurando por danos. "Estou bem.” Seu gotejamento desceu pela parte interna de suas coxas. "Mais do que bem.” Sua voz tinha um tom rouco de todos os ruídos que ela estava fazendo. Um suspiro o deixou e a tensão diminuiu de seus ombros. "Você tem certeza? Você não está apenas dizendo isso?” Ela balançou a cabeça. "Estou perfeita. Melhor que perfeito.” "Sim, você é.” Ele ficou sério de repente. Seus olhos se estreitaram nos dela. Ele a pegou, mantendo os olhos nos dela. "Você esta pronta para mais?" "Sim, claro, mas eu já... você sabe... gozei." "Não com meu pau dentro de você." Uau! Ele tinha acabado de dizer isso? Ela se sentiu boquiaberta. Sua barriga se encheu de calor. Seu clitóris deu um pequeno zunido. Ainda carregando-a, ele fez uma curva, colocando-a na mesa ao lado da cozinha. Tinha que haver regras para fazer coisas assim numa mesa de hotel. Ela esqueceu sua linha de pensamento quando Titan desabotoou o cinto e tirou as calças arruinadas, uma perna de cada vez. Seu pênis estava totalmente ereto. Tinha uma ligeira curva, embora ele fosse duro. Titan se moveu entre as pernas dela, seu olhar estava firme... ali. Em seu paraíso não barbeado. Se ela tivesse tido um pressentimento de que as coisas iriam nessa direção, teria pelo menos tentado se recompor. Seus olhos estavam encobertos. Sua voz era ultra profunda. "Enganche suas coxas em volta da minha cintura."

184


Natasha fez o que ele disse. Titan passou um dedo pela sua fenda e Natasha gemeu. "Tão bonita.” Ele murmurou. "Se incline para trás em suas mãos ou segure firme.” Sua mandíbula se apertou. "Eu vou te foder até você gozar." "Oh!" Toda a sua área feminina deu uma forte necessidade. "Tudo bem.” Acrescentou ela. Ele com certeza estava à frente. Então, novamente, não deveria ter esperado mais nada de Titan. Natasha se recostou, apoiando-se nos cotovelos. "Desculpe.” Ele rosnou quando rasgou sua camisa aberta. Todo o caminho aberto. Era quente! Suas narinas chamejaram quando a levou. Titan olhou para ela como se pertencesse à capa de uma revista, possivelmente a edição de maiô. Essa foi à outra desvantagem de ter seios tão grandes. Especialmente desde que eram reais. Eles não eram essas coisas altas e alegres. Certamente não desde os trinta anos. "Você é tão linda.” Titan murmurou, colocando um dos seios em sua mão grande e quente. "Então, maldito...” Ele gemeu quando apertou seu seio, esfregando o polegar sobre o mamilo. Ele mordeu o lábio inferior e franziu a testa, parecendo irritado. Então agarrou sua coxa, puxou-a mais alto em seu corpo e enfiou seu membro em sua abertura com a outra mão. "Não tenha medo." "Ei.” Ela se inclinou a frente e segurou sua bochecha. “Claro, você é muito grande e musculoso e é bem rude, mas gosto de algo grande. Eu gosto muito de áspero e gosto muito de você. Eu sei que não vai me machucar.” Ele assentiu, ainda parecendo feroz. Natasha sabia que ele estava realmente excitado. "Obrigado por confiar em mim." "A qualquer momento.” E quis dizer isso. Ela quis dizer tudo. Natasha se afastou, apoiando-se nos cotovelos. Mantendo contato visual, ele lentamente empurrou dentro dela. Ela ainda estava muito molhada. Sua carranca se aprofundou com cada centímetro. Ele fez um grunhido suave, enquanto deslizava por todo o caminho para casa. Natasha mordeu o lábio. Ele era muito grande. Não tinha certeza de que seria capaz de levá-lo. Pode não ter sido possível se ele tivesse sido maior. Titan não se moveu, o suor brilhava em sua testa. Seus músculos

185


estavam fora e em toda sua glória. Seu abdômen… oh… coisas de pura beleza. Titan chupou o polegar e depois usou-o lentamente sobre o clitóris. Santa maldita mãe! Ela respirou fundo e seus olhos se arregalaram. Titan estava profundamente dentro dela, esticando-a até a capacidade e não se movendo nem um centímetro. Foi apenas o polegar molhado que deslizou, círculos preguiçosos em torno de seu clitóris, que parecia realmente inchado. Ela puxou uma baforada de ar e soltou lentamente. Titan lhe deu o menor dos sorrisos e se inclinou, prendendo sua boca quente sobre um de seus mamilos. Suas costas se curvaram. Entre a boca e o polegar, Oh Deus! Oh! Ela tentou se mover, queria mais, mas o corpo dele a segurava no lugar, mais precisamente, o pau dele a segurava firmemente no lugar. Ela gemeu. Foi um som áspero que reverberou pela sala. Titan beliscou seu mamilo e um vigor de necessidade se espalhou como fogo, percorrendo todo o seu corpo. Seu polegar mal tocou sua carne enrugada. Pequenos círculos suaves e escorregadios que a fizeram gritar de desespero. Ele moveu para o outro seio dela e a chupou. "Oh... oh meu Deus.” Sua voz era grossa. Sua respiração entrando em grossos goles. Outro beliscão a fez gemer tão profundamente que machucou sua garganta. Então ele estava se endireitando, seus joelhos tinham que ser dobrados, do contrário não seria capaz de alcançá-la. Ele agarrou suas coxas, levantando suas pernas para que elas se prendessem aos seus ombros. "Deite-se." Ela fez o que ele disse, mal cabendo na pequena mesa. Seu clitóris pulsou. Seus mamilos estavam tão apertados que quase doeram. Titan se inclinou sobre ela, olhando-a nos olhos. Seus joelhos não estavam tão longe de seu rosto ‒ ela não sabia que era tão flexível assim. Seus olhos perfuraram os dela; foi intenso. Nunca esteve tão excitada em sua vida. Ela nunca esteve tão desesperada por gozar. Quando ele começou a se mover, a mesa rangeu. Dentro e fora. Lento, mas duro. Profundo. Controlado. Sua boca se abriu e parecia que seus olhos estavam realmente revirados em seu crânio. Titan respirou fundo pelo nariz. Natasha só esperava que o serviço de arrumação ficasse longe. Esperando que nenhum dos outros hospedes tenha reclamado do barulho. Ela

186


não suportaria se fossem interrompidos. Não quando aquela sensação de enrolamento já havia começado profundamente dentro de sua barriga. Não quando podia sentir que isso poderia ser o melhor orgasmo de sua vida. Ela agarrou seu bíceps espesso. Ele continuou. Lento e duro. Mais forte do que já havia sido tomada antes. Deveria ter sabido que preferiria assim a suave e gentil. Ela estava gemendo a cada estocada. Titan fez um grunhido aqui e ali. Isso a transformou ainda mais em saber que ele estava gostando disso tanto quanto ela. Seu olhar se dirigiu para os peitos dela, que estavam empurrando com cada empurrão dentro dela. Ele engoliu em seco. "Fodidamente perfeito.” Ele rosnou, mal parecendo humano. De alguma forma, mesmo isso foi excitante. Ele inclinou a cabeça para trás e fechou os olhos como se estivesse saboreando-a. Ele fez um gemido, suas presas estavam afiadas. Ele era tão impressionante que quase a deixou sem fôlego. A sensação de enrolamento tornou-se quase demais. A mesa estava rangendo mais alto e deslizara até o chão com um arranhão. Lento e profundo se tornou duro e rápido. Suas bolas bateram contra ela a cada estocada. Houve um ruído de sucção úmida de onde seus corpos se juntaram. Mesmo isso a excitou. Ela enfiou os dedos no braço dele. Seus seios balançaram com tanta força, mas não se importou. A mesa raspou novamente e rangeu tão alto que teve certeza de que iria quebrar a qualquer momento. Ela não se importava com isso também. Nada importava neste momento. "Titan.” Ela soluçou seu nome quando o enrolamento atingiu o seu pico. Seus quadris se sacudiram e sua cabeça caiu para trás. Uma onda de êxtase correu através dela, começando em sua barriga. Ela deu um grito quando tudo se soltou. Apontou os dedos dos pés e apertou ainda mais os braços dele. Então Titan estava gemendo. Empurrou nela. O som do amor deles reverberando pela sala. Tapa, chupando, ofegando e gemendo. Os sons que ambos fizeram foram misturados com prazer intenso. Titan diminuiu a velocidade, seus quadris rolaram contra ela enquanto ele torcia a última gota de prazer dela. Sua carranca estava de volta, sua boca franzida. Os

187


movimentos diminuíram até que se acalmou completamente, permanecendo unido a ela. Titan estava respirando com dificuldade. Então, novamente, ela também estava. Ele soltou suas coxas, colocando-as ao redor de sua cintura. Então descansou a cabeça no peito dela. Natasha passou os dedos pelo cabelo dele. Não sabia o que dizer. Ela deixou claro que isso era mais para ela do que apenas sexo, mas como se sentia? Ele não tinha realmente dito nada sobre seus sentimentos por ela, agora que pensava sobre isso. "Por que você ficou tensa?" Ele se afastou para poder olhá-la nos olhos. Ela encolheu os ombros. “Nós nunca falamos sobre nós. Eu acho que te disse meus sentimentos, mas nunca me disse o seu. Se isso fosse apenas sexo para você ‒ e tudo bem se fosse ‒ mas se fosse... apenas sexo que é... precisa me dizer agora.” Ele suspirou e saiu dela. Foi nesse momento que ela percebeu que ele ainda estava semiereto. "É tão complicado.” Ele roncou. Merda! O coração dela deu um pequeno aperto. Ela não tinha pensado na possibilidade de ele dormir com ela por causa do sexo. Titan não parecia esse tipo de cara. Quem ela estava enganando? Ele disse que costumava ter muito sexo com pessoas aleatórias, às vezes até duas diferentes em um dia. Às vezes até duas de uma só vez. Abriu uma das gavetas e pegou um pano de prato, depois molhou o pano e recuou entre as pernas dela. Titan usou o pano quente para limpá-la, fazendo movimentos suaves. “Tenho certeza de que o sexo na mesa da cozinha e usar um pano de prato... para isso... tem que ser contra tantas regras tácitas. Especialmente desde que estamos em um hotel.” “Eu vou comprar um novo. Essa e a coisa." Titan parecia solene. “Isso nós… é contra todas as tradições do livro. Não podemos começar um relacionamento. Não importa o que eu quero ou como me sinto, não podemos ficar juntos.” Merda! Doeu e mais do que ela pensou que seria. Claro que sim, eles dormiram juntos. Ela gostava do cara ‒ muito ‒ e eles jogaram o sexo na equação.

188


“Eu posso ver que você está desapontada. Por favor, saiba que eu tenho sentimentos por você, Natasha. Eu teria adorado ter explorado isso...” Ele apertou o queixo dela. "Nós, mas isso não será possível." Ela assentiu. "Compreendo. Você me avisou.” "Eu sinto muito. Nunca foi minha intenção que isso acontecesse ou por... ” "Não é sua culpa. Eu praticamente implorei a você.” Ela revirou os olhos, sentindo-se uma idiota. "Fêmea.” Um rosnado. “Você não teve que implorar. Você pode confiar em mim sobre isso. Eu também te quero desde o primeiro dia. A química entre nós está fora dos mapas malditos. Eu queria tanto que pudéssemos... continuar fazendo isso. Ver aonde vai, mas...” Ele balançou a cabeça. "OK. Você está certo. Eu gostaria que as coisas fossem diferentes.” "Eu também.” Ela podia ver que ele estava falando sério. Aqueceu-a, apesar de estar com medo de sair. "Eu vou apenas...” Ela tirou a camisa rasgada. "... tomar banho e então vou reservar um voo para casa.” Titan soltou um lento ronco. Ele parecia com raiva, só que desta vez não tinha nada a ver com estar ligado. Ele realmente estava chateado. E balançou sua cabeça. “Eu quero você na minha cama… só uma vez. Fique esta noite. Eu sei que é errado da minha parte pedir isso, mas...” Seu coração pulou. Seu coração muito estúpido, muito ingênuo, era uma merda de macaco no peito. “Sim. Eu adoraria isso.” Seus olhos brilharam. "Podemos sair para jantar ou..." "Eu vou cozinhar.” Ela não queria sair. Natasha o queria para si mesma. Foi a primeira e única noite juntos, então queria que cada momento fosse apenas para ela. Titan sacudiu a cabeça. "Vou organizar-nos algo especial.” Ele se inclinou a frente e bateu narizes com ela. Ela riu.

189


"Porra! Desculpa.” Suas bochechas coraram com um pouquinho de rosa. Então ele inclinou a cabeça um pouco para o lado e beijou-a suavemente nos lábios. Um roçar rápido e desajeitado de sua boca contra a dela. Isso fez seu coração disparar. Titan sorriu para ela. Tinha essas covinhas profundas em cada uma de suas bochechas. Ela nunca os tinha visto antes. Esta foi a primeira vez que sorriu assim. Ele era tão quente. Assustadoramente quente. "Parece muito melhor em você.” Ele pegou a gravata. A gravata dele. Ainda estava em volta do pescoço dela. "Eu acho que você deveria usá-la mais tarde." "O que, apenas a gravata?" Ele assentiu. "Sim, e talvez um par de saltos.” Seus olhos adquiriram aquele olhar encapotado e seu pomo de Adão se balançou. "Eu vou rasgar qualquer outra coisa imediatamente." Ela riu. “Ainda bem que eu não estava muito apegado àqueles pijamas. Devo dizer que foi meio quente. O todo rasgando minhas roupas. Talvez da próxima vez você possa usar uma de suas facas. A grande...” Os olhos dela estavam brilhantes. "Sua cimitarra." “Você é uma mulher estranha, Natasha. Acontece que eu sou muito parcial ao estranho.” Então seus olhos nublaram. Ela picou e engoliu em seco. Não havia como estar deprimida. Eles ainda tinham hoje e estava aproveitando ao máximo. “Eu vou pular no chuveiro. Quer se juntar a mim?” Titan sacudiu a cabeça. “Ainda temos trabalho a fazer. Se eu tomar banho com você, serei forçado a lavá-la com a minha boca.” Aquele mesmo zunido de necessidade percorreu-a, tinha seu clitóris latejante e outras partes dela se franzindo e inchando. Titan farejou o ar. "Não" "Não o que?" “Você está excitada. Está me fazendo te querer de novo. Vá e tome banho. Precisamos encontrar o informante. Talvez hoje seja o dia. Então você não terá que ser substituído. Eu odeio a ideia de você perder seu emprego.”

190


"Eu vou ficar bem. Não se preocupe comigo.” Ela mentiu. Natasha não sabia o que faria se não pudesse eliminar os bandidos e proteger os inocentes. Era tudo o que sabia. Tudo o que queria. A carranca de Titan se aprofundou. "Realmente.” Ela tentou soar despreocupada e feliz quando sentiu qualquer coisa, mas não. “Eu juro que vou ficar bem. Eu sempre aterrisso de pé.” “Tenho certeza que faz. Agora vá tomar o banho antes de eu te levar para a minha cama agora mesmo.” Pelo som crescente de sua voz, ela sabia que estava falando sério.

191


21 Titan passou a mão por cima da mesa, sentindo o grão da madeira. Tudo o que conseguia pensar era em como a deslumbrante Natasha parecia esparramada sobre ele. Mesmo depois de gozar, teve que trabalhar muito para evitar que isso acontecesse cedo demais pela segunda vez. Ela se sentiu tão bem, parecia tão sexy, tão absolutamente comestível. Mesmo agora, sua boca se encheu e suas presas se tornaram afiadas. Suas gengivas latejavam. Ele teria que chamar Drago novamente em breve. Idiota do caralho! Ele balançou a cabeça e sorriu. Ele teria que dar ao macho um pedaço de sua mente, mas no final sabia que o filho da puta agira por preocupação. Drago havia expressado sua preocupação em várias ocasiões, mas Titan tinha sido rápido em calá-lo. Assim como ele teve com Natasha. Sentira-se livre para falar sobre isso. O que realmente fez a diferença para ele foi que Natasha acreditou nele desde o começo. Mesmo antes de falar com Drago. Acreditava nele mais do que ele mesmo. Ela o perdoou mais do que si próprio. Natasha era mais do que merecia. Desejou que pudesse tê-la. Tudo dela. Para sempre. Ele deu um rápido aceno de cabeça. Não era pra ser. Não adianta ir por esse caminho de pensamento. Apenas doeria. Ele abriu a gaveta próxima e tirou alguns jogos americanos, colocando-os sobre a mesa. Em seguida, fez o mesmo com os talheres. Ele começou a trabalhar arrumando a mesa, terminando com algumas flores em um vaso no centro. Ele colocou alguns fósforos ao lado de

uma

vela. Titan

passou

uma

hora

pesquisando

os

detalhes

do

namoro

humano. Esperando que isso tenha sido perfeito. Ele parecia inteligente casual em uma camisa e um par de jeans. Ele acabara de grelhar alguns espetos de frango, que serviria com um molho satay e um pouco de tzatziki. Ele não tinha certeza do que Natasha gostaria. Ela gostava de comer carne e coisas picantes, mas ele nunca a viu comer amendoim e satay não era para todos. Todo mundo gostava de tzatziki, então, novamente... talvez não... espero que ela goste ... se não, sempre houve o satay. Porra!

192


Ele estava pensando demais nisso. Tudo ia ficar bem! Não, seria perfeito. Ela gostava de carne... amava as coisas. Eles tinham isso em comum. Então, além dos três tipos de salada e do pão e manteiga, também havia bifes. Grande e grosso. Eles foram amadurecidos extra com uma fina faixa de gordura ao longo de um lado. Porra! Ele nunca se sentiu tão nervoso. Que diabos? Titan queria que esta noite fosse especial. Ele queria que fosse apenas certo. Natasha merecia isso. Ela merecia muito mais, mas desde hoje a noite era tudo o que poderia lhe dar. Ele faria tudo para garantir que tudo desse certo. Titan olhou para o relógio. Ela deveria chegar em meia hora. A mesa parecia boa, ele parecia decente. A comida estava pronta. Tudo, exceto os bifes, que ele pediu. Isso deixou a espera até que ela chegou lá. A porta se abriu e Natasha enfiou a cabeça ao redor do batente. "Eu deveria bater ou... me desculpe, eu estou cedo, eu..." "Espere." Titan levantou a mão. "Só um minuto." Seus olhos se arregalaram e ela fechou a porta. Porra! Ele não queria afastá-la. Rapidamente acendeu a vela e colocou a caixa de fósforos na gaveta. "Ok, entre." Agrupe-se fodidamente! Ele ainda estava usando um avental. Ele se esforçou para desatar e sobre sua cabeça. A porta se abriu e uma visão entrou. Natasha roubou a respiração dele. Ele sentiu a boca cair aberta. "Eu sei." Natasha corou como um louco. "É muito. Eu disse a Steve que...” "Você está maravilhosa. Uau!" Ele caminhou em sua direção. Titan gemeu. "Linda.” O vestido era branco, perfeito para a pele morena. Foi um número envolvente que parou logo acima do joelho. Ele abraçou suas curvas de um jeito que tinha a boca cheia de gosto e as mãos coçando para um aperto. O decote era baixo. Muito baixo. "Eu normalmente não iria...” Ela colocou as mãos sobre o espaço entre os seios generosos. Aonde suas curvas brincavam de esconde-esconde, fritando circuitos em seu cérebro.

193


"Estou feliz que você fez. Está maravilhosa. Não... Ele andou até ela e segurou as mãos dela. “Nunca se cubra. Não quando você está comigo.” "OK.” Ela parecia um pouco sem fôlego. "Se você diz.” Ela riu nervosamente. Isso fez dois deles. Então seus olhos se arregalaram. “Oh, uau! A mesa parece incrível. Ah, Steve disse que o seu terno final estará pronto em dois dias.” Ela se aproximou, tocando os guardanapos materiais e depois as rosas. Seus cabelos caíram em cascata sobre os ombros. Parecia que tinha sido levemente enrolado. "Você realmente fez um trabalho incrível." Titan teve que sorrir. Ela se preocupou tanto. Seu pau saltou para a atenção quando viu um par de saltos vermelhos em seus pés. Eles eram mais altos do que ela normalmente usava e tinham uma correia ao redor do tornozelo. Ela os usara de propósito? Ela o pegou encarando. "Para mais tarde.” Ela piscou para ele. "Espero que você tenha afiado sua espada." Seu peito retumbou e seu pau se contraiu. “Não, mulher, é cedo demais para essa conversa. Eu preciso te alimentar primeiro.” "Quem disse?" Ela balançou as sobrancelhas. Ele deu um passo para trás. “Cada site mencionado menciona não esperar sexo em um primeiro encontro, mas pelo menos garantir que seu encontro esteja bem alimentado antes de ir para lá. Tanto quanto eu amaria…” Ele permitiu que seu olhar passasse por seu corpo lindo antes de trancar com seus olhos. Natasha sorriu maliciosamente. "Você pesquisou no Google?" Ela parecia surpresa. Titan assentiu. "Eu nunca namorei ninguém antes, então não tinha ideia de como..." Porra! Seus olhos se encheram com o que parecia um inferno de muito como lágrimas. "Você está bem?" Ela assentiu e sorriu. Seus olhos ainda estavam brilhando. "Sim..." Natasha engoliu em seco. "Absolutamente. Eu simplesmente não posso acreditar que este é seu primeiro encontro. Que eu sou... não importa.” Ela piscou algumas vezes. “É melhor fazermos isso direito, então. A mesa parece incrível e você parece bonito. Ela estendeu a mão e beijou-

194


o. Seus lábios eram macios. Eles se sentiam bem contra os seus. “Posso ajudar com alguma coisa?” Ela perguntou. "Não. Tudo pronto. Por que você não se senta? Espere...” Ele alcançou a mesa e puxou uma cadeira e então gesticulou para ela se sentar. Natasha sorriu e agradeceu. "Eu estou servindo... Espere...” Ele respirou fundo. “Eu esqueci de pegar seu pedido de bebida. Eu não tenho ideia do que você teve na outra noite... e sinto muito mesmo. Eu tenho vinho, embora. Uma seleção de vários tipos. Há vermelho, branco ou poderia tentar...” "Eu adoraria um copo de vinho tinto, por favor." “O dono da loja jurou que...” Titan pegou uma garrafa. “... isso funcionaria muito bem com o prato principal.” "Tenho certeza que será perfeito." Titan abriu a garrafa e serviu para cada um deles. Em seguida, colocou os espetos de frango, colocando-os em uma cama de rúcula. Ele colocou cada um dos molhos ao lado do prato dela. Natasha sorriu. “Isso parece incrível. Eu amo tzatziki. Há grego do lado da minha mãe.” Titan baixou o prato e sentou-se. "Conte-me mais sobre sua família." “Somos muito unidos ou costumamos ser. Eu me mudei para um estado diferente deles seis meses atrás e não nos vimos desde então. Ligamos um ao outro regularmente, mas não é o mesmo. Eu sinto falta deles.” "Você tem irmãos ou irmãs?" "Eu tenho um irmão mais jovem. Ele ainda está estudando e dando cabelos grisalhos aos meus pais. Ele está trabalhando em seu terceiro grau. Está custando aos meus pais uma pequena fortuna e ainda mora em casa. Ele tem vinte e sete anos...” Ela levantou as sobrancelhas. “Só podemos esperar que ele saia e consiga um emprego quando se formar na primavera.” "Ele é um menino de festas?"

195


Ela balançou a cabeça. "É o contrário. Ele fica em casa. Jake é um pouco recluso. Ele é um cara ótimo, um pouco genial. Ele vai se dar muito bem quando finalmente se aproximar. Costumava vir e ficar na minha casa às vezes e acabávamos tomando sorvete à meia-noite. São as coisas que realmente sinto falta.” Ele podia ver a emoção em seus olhos. "E você?" Ela empurrou o frango do espeto e colocou um pedaço na boca. "Meus pais passaram durante a grande guerra como muitos dos anciãos." Um peso caiu sobre ele. Tantos foram levados. De muitas maneiras, eles foram uma geração que se criou. Não é de admirar que os reis tivessem sido tão rigorosos e a necessidade de obedecer às regras da carta tivesse prevalecido. Ele sentiu uma pontada de culpa, mas rapidamente a empurrou para baixo. Isso não estava errado. Como poderia estar errado quando se sentiu tão certo? Ele se recusou a acreditar. Natasha sorriu, parecendo um broto recém-aberto ou um arco-íris depois de uma tempestade. Ela era incrivelmente linda. Titan sentiu vontade de se beliscar. "Mmmm, isso é delicioso.” Ela lambeu um pouco do satay do dedo e olhou para ele por baixo dos cílios. "Você tem irmãos ou irmãs?" Ela jogou sua pergunta de volta para ele. Ele empurrou um suspiro pesado. "Eu tenho um irmão." Ela franziu o nariz. "Pelo olhar em seu rosto, eu entendo que ele é uma criança problemática." “Você poderia dizer isso cem vezes. Eu trabalho duro, aprendi algumas lições difíceis. Eu não sou perfeito.” Ele tentou não insistir em suas deficiências. Em seus erros. Não vai fodidamente lá. Não essa noite. “Ele me lembra de muitas maneiras. O mais jovem, com certeza, que acabou fodendo. Estou preocupado com ele.” "Isso é difícil. A coisa é, é a sua vida para viver e os seus erros para cometer. Você pode estar lá para ele. Tente ajudá-lo da melhor maneira possível, mas o resto depende dele.” "Você está certa.” Ele comeu a última mordida do espeto. “Eu não acho que devamos perder uma noite perfeitamente boa falando sobre o meu irmão mais novo burro. O que você vai fazer quando voltar? Preciso apresentar um relatório descrevendo as razões para solicitar

196


uma substituição. O que devo dizer? Não quero que você perca seu emprego. A pequena quantidade de comida que ele tinha comido cimentou em seu estômago.” Natasha sorriu. Parecia forçado. Ela estava tentando parecer não afetada, mas ele podia ver através de seu ardil. Ela estava preocupada e fingindo que tudo estava bem. Natasha era uma mulher forte, mas também não era impermeável. “Apenas diga que tivemos um choque de personalidades. Acontece." “Isso vai refletir mal em você. Parece que é difícil trabalhar com você.” Natasha olhou-o nos olhos. Ela estendeu a mão e tocou seu antebraço. “Outra conversa é melhor deixar para outra hora. Como amanhã. Não vamos pensar sobre isso. Eu pensei que íamos nos divertir.” Titan assentiu. "Você está certa."

Natasha podia ver quão preocupado Titan estava. Isso fez algo dentro de seu aperto. Ele foi cuidadoso. Tinha sentimentos por ela. E quis dizer isso quando disse que queria mais. Aqueceu-a em um nível e a destruiu em outro. Não vá lá. Esta noite foi para aproveitar cada momento agridoce. Amanhã seria sobre voltar a ficar juntos e seguir em frente... eventualmente. Esperançosamente. Talvez. Ela certamente nunca o esqueceria, mas poderia tentar. Ela teria que fazer isso. O trabalho dela. Não poderia se importar menos com sua carreira agora. O que a matou foi deixar este homem... esse vampiro. Ela gostou disso sobre ele. Que era sobrehumano. Forte e corajoso. Base e cru. Tão totalmente masculina que lhe tirou o fôlego. Ela até gostava de suas presas e da ideia dele mordê-la. Isso foi louco? Provavelmente. Então, novamente, ela sempre foi um pouco diferente. Gostava de brincar com os bonecos de seu irmão, tanto quanto gostava de brincar com bonecas. Ela adorava se vestir em coisas bonitas, mas gostava de brincar na lama também. Brincar na lama em suas lindas coisas a deixara em apuros em muitas ocasiões. Titan limpou os pratos. "Vamos relaxar um pouco antes de preparar nossos bifes?"

197


“Mmmmm, bife. Um cara atrás do meu coração.” Ela corou quando percebeu o que havia dito. "Eu não quis dizer isso assim." Atire! Ótimo, agora ele teria a ideia errada. Titan andou até onde ela estava sentada, se abaixou na frente dela. "Eu gostaria que isso fosse verdade." "Eu sei que você gostaria." Natasha se inclinou a frente e o beijou. Ele tinha uma boca tão incrível. Tais lábios cheios para um cara. Ele manteve os olhos abertos. Ela agarrou um punhado de camisa e o beijou novamente, desta vez tocou os lábios dele com a língua. Apenas um golpe rápido. Em vez de aprofundar o beijo, Titan arregalou os olhos e sorriu quando se afastou. Essas lindas covinhas estavam de volta. "Você deveria fazer isso mais vezes.” Sua voz soou sem fôlego. "Você tem um grande sorriso." "Obrigado.” Ele olhou para o lado. Se não soubesse melhor, diria que ele era tímido. Então trancou os olhos com ela. “Eu não sou muito beijador. Eu ouvi que os humanos gostam do toque dos lábios. Você gosta disso?" "Eu suponho que também não sou muito beijadora." Uma noite não se tratava de emoções ou de ficar íntimo. Eles estavam prestes a sair e ir para casa. “Eu gostaria de beijar você, embora. Eu acho que beijar pode ser muito divertido com a pessoa certa.” "Eu acho que pode estar certa.” Ele lambeu os lábios e olhou para a boca dela. Titan a beijou novamente. Realmente suavemente e com cuidado. Ele foi o único a aprofundar o beijo desta vez. Ela colocou as mãos em volta do pescoço dele. Ele segurou a coxa dela em sua grande mão e fez um som estrondoso que pareceu vibrar através dela. A outra mão dele passou pelos cabelos dela, apertando-a atrás do pescoço. Ele a beijou profundamente e tão profundamente que seus dedos dos pés se enrolaram e seu ritmo cardíaco subiu um pouco. Foi um pouco áspero, um pouco desajeitado e muito sexy. Titan interrompeu o beijo, seus olhos permaneceram fechados por alguns segundos e então ele lançou um meio sorriso sexy. "Eu poderia apenas ser convertido." "Eu também.” Mais sem fôlego.

198


Por um momento, ela ficou tentada a dizer-lhe para o inferno com o prato principal, mas se preocupou tanto. Titan a soltou. "É melhor eu pegar esses bifes na grelha." "Parece bom." Ele foi até a geladeira. Sua bunda parecia boa naqueles jeans. Eles conversaram enquanto cozinhava a carne e conversavam muito mais enquanto comiam. A comida estava deliciosa. Natasha afastou o prato e olhou para o segundo copo vazio de vinho. Ela cobriu o copo enquanto Titan tentava recarregá-lo. "Eu vou ter um pouco de água, obrigada.” Ela queria aproveitar hoje à noite, o que não ia acontecer se ela estivesse engessada. Titan pegou uma garrafa de água da geladeira e colocou na frente dela e então se ocupou em limpar a mesa. "Por favor, posso ajudá-lo?" Ela começou a empurrar a cadeira para trás. Ele balançou sua cabeça. "Não, você fica bem aí.” Ele colocou os pratos na pia e começou a limpar os balcões. Natasha foi até onde ele trabalhava e colocou a mão sobre a dele. "Deixe-me fazer isso enquanto pega a sobremesa.” Ele olhou para onde estavam se tocando. Seu peito estava tocando seu lado. Seu calor penetrou nela. Ela podia sentir o cheiro dele. Isso a fez querer se inclinar e enterrar a cabeça contra o peito dele. Foi o equilíbrio perfeito de limpo e masculino. Suas narinas se alargaram, como se ele gostasse do jeito que ela cheirava também, mesmo que não estivesse usando nenhum perfume. Ela chegou a perceber que isso muitas vezes significava que ele estava com tesão. Titan franziu a testa, parecendo feroz. Sim, ele estava definitivamente excitado e com um toque tão pequeno. Ela o queria. Tinha esperado o maldito dia. "Você se deu ao trabalho de fazer sobremesa?" Ela mordeu o lábio inferior e o olhar dele acompanhou o movimento. Ele balançou sua cabeça. "Não. De modo nenhum.” Ele se virou para ela, colocando-os de peito a peito. “Vindo a pensar sobre isso, estou me sentindo muito bem completo. Isso foi um inferno de um bife.”

199


"Sim e...” Ela exalou. “Meu vestido está se sentindo muito apertado por causa de toda a comida. Suas calças provavelmente também estão bem apertadas agora.” Ele soltou uma risada. "Você não tem a mínima ideia.” Ele passou um braço em volta da cintura dela e puxou-a contra ele. "Estou levando você para a minha cama desta vez... não como animais." "Que pena.” Ela fingiu estar chateada. Seu domínio sobre ela relaxou apenas um pouquinho. "Eu preciso mostrar a você...” Ele engoliu em seco e roçou os lábios contra os dela. “Para mostrar o que significa ser valorizada. Você deveria ser estimada, Natasha.” Outro beijo suave. Rápido e doce. Oh Deus! Ele não tinha acabado de dizer isso, tinha ele? Seu coração praticamente bateu em seu peito. “Gostaria disso." Titan pegou-a. Fácil como torta. Apenas a levantou e caminhou até o quarto dele. Ele a colocou no pé da cama. Ele recuou um centímetro, seu olhar devorando-a inteira. Ele estendeu a mão para ela. "Espere! Não rasgue meu vestido. Eu gosto muito disso.” "Você parece bem nisso, mas prefiro o que está por baixo." Natasha sorriu. "Isso é muito bacana.” O vestido envolveu-a, reunido com um clipe dourado ao seu lado. Ela empurrou o fecho e abriu com um clique suave. Natasha balançou as sobrancelhas. "Legal não é? Steve desenhou este vestido.” "Lembre-me de agradecê-lo da próxima vez que formos para lá." Nós. Ele disse e falou sobre eles como se fossem um item ou algo assim. Foi um deslize da língua. Ele não quis dizer isso. Ela puxou o vestido e jogou-o em uma cadeira próxima. Titan fez uma careta, franziu a testa e depois riu. "Que diabos são esses?" Natasha lambeu os lábios e cobriu os seios. Titan sacudiu a cabeça. "Não os esconda de mim.” Ele olhou para as mãos dela que ainda estavam cobrindo os gêmeos. "Eu sinto muito! Eu não queria rir... é só, eu nunca vi... eu não tenho ideia do que…”

200


Natasha riu. “Eles são chamados de costeletas de frango. Eles são adesivos de silicone. As mulheres as usam em vez de sutiã para tentar levantar um pouco e cobrir os mamilos.” “Você não precisa deles. Você tem seios incríveis!” "Sim..." Houve hesitação em sua voz. "Um pouco de elevação é sempre bem-vindo em meus mamilos" "É perfeição." Ela teve que rir de quão sério ele era. "Eles são meio que fora lá, embora." "Você anda sem sutiã por semanas e de repente precisa desses filés de frango?" Natasha teve que segurar sua barriga, ela estava rindo muito. "Costeletas!" Ela riu mais um pouco. “Não files. Embora Steve os chamasse de costeletas de peru por precisar de um conjunto tão grande. As garotas são bem grandes.” "Não há mais coberturas.” Ele parecia chateado. Então, novamente, pela protuberância em suas calças, ela diria que era mais um caso sério de bolas azuis. Natasha tirou cada uma das costeletas. Ele olhou para ela como se quisesse comê-la inteira e de uma só vez. Ela usava um pedacinho de renda branca sobre suas mechas femininas e seus saltos vermelhos sensuais. "Não tenho certeza por onde começar.” Sua voz era tão profunda e sexy. Em si uma excitação. "Tire sua camisa.” Ele tinha quase o melhor peito que já tinha visto em um homem... incluindo a televisão e toda revista masculina que encontrou. Tudo isso. Ele balançou a cabeça e pegou-a. "Não?" "Ainda não." Titan virou-se e colocou-a na cama. Ele se abaixou e puxou sua calcinha. Um rasgo rápido e saiu em sua mão. Foi realmente sexy o jeito que fez isso. Até mesmo sua carranca era sexy e o jeito que franzia os lábios. Ele colocou uma das pernas dela por cima do ombro, segurando o calcanhar no outro pé. Então estava entre as pernas dela, seu rosto apenas uma ou duas polegadas

201


dela... bem de lá .Ele estava tão perto que podia sentir sua respiração contra ela. Ofegos curtos e rápidos de calor. Parecia que ele estava cheirando também. De repente, se sentiu muito insegura. Ela tentou fechar as pernas. Titan rosnou. "Eu lhe disse para não se cobrir de mim, só estou olhando." "Hum, está bem." Atire! Ela ainda não tinha arrumado as coisas lá embaixo. "Se eu soubesse, eu teria me depilado ou algo assim." "Sua boceta é impressionante." Essa foi à primeira vez. Ela limpou a garganta. "Obrigado. Eu acho que..." “Tão rosa. Eu amo sua pele.” Pele? O que? Então ele teve sua língua tão longe que seu cérebro entrou em curto circuito de uma só vez. Dentro e fora um par de vezes e estava chupando seu clitóris. Então girando a língua ao redor do pequeno broto de nervos antes de mergulhar fundo novamente. O cara poderia beijar. Ele poderia beijar tudo bem. Ele podia beijar da maneira mais contada. Natasha segurou a cabeça dele. Ela balançou os quadris. Ela gemeu e arqueou as costas. Seu poder de permanência foi épico. Um para os livros de registro. Meio minuto depois, ela gozou com tanta força que seus olhos se encheram de lágrimas. Quando olhou para baixo, ela estava apertando o cabelo de Titan e suas pernas estavam segurando-o como um biscoito de noz. "Oh merda... desculpe.” Ela estava sem fôlego. Titan levantou a cabeça e lambeu os lábios. "Tem um gosto tão bom quanto parece." Natasha colocou a mão sobre o rosto. "Você não acabou de dizer isso." Ele sorriu para ela. Em seguida, mostrou as covinhas e os dentes brancos. Seus brancos afiados e perolados. "Seus dentes nem sempre são tão afiados, são?" Ele beijou sua coxa e depois colocou outro beijo em sua barriga. "Não.” Outro beijo logo abaixo do seu umbigo. “Estou excitado. É natural que os vampiros tomem sangue durante o sexo. Então nossas presas entram em erupção.”

202


"Ah eu vejo." “Isso aumenta o prazer do ato. Os parceiros tomam o sangue um do outro como forma de fortalecer o vínculo.” Ele beijou seu umbigo. “Oh, tudo bem. Você pode tirar de mim, se quiser.” Ele gemeu e se moveu para uma posição sentada. "Eu não gostaria de mais nada, mas não posso.” Ele desabotoou os primeiros botões da camisa. Ela se sentiu como uma idiota. "Claro que não... merda... desculpe... quero dizer que não somos assim, juntos, então..." "Não é isso. Eu já estou quebrando as regras apenas por ter você na minha cama. Seria inaceitável se eu pegasse seu sangue também.” Seus olhos brilhavam em um lindo azul brilhante. O pomo de Adão de Titan balançou e seu olhar se moveu para o pescoço dela. “Eu não posso ir tão longe. Não importa o quanto eu queira. Obrigado mesmo assim.” Ele a olhou nos olhos. “Por confiar em mim. Não muitos humanos seriam tão generosos.” "Eu confio em você." “Não é só isso. A maioria dos humanos seria prejudicada. Eu posso estar errado, mas você parece realmente gostar das minhas presas.” "Elas são uma parte de você, sim, eu gosto delas." Titan puxou a camisa por cima da cabeça e tirou as botas. Então tirou as meias e abriu os botões de seus jeans. "Hum, Titan?" Ela perguntou quando ele se levantou ao pé da cama. "Sim?" Ele abaixou as calças. Sua boca ficou seca. Ele era tão lindo assim. Ombros largos, abdômen esculpido em granito. Coxas grossas e bíceps. Uma cintura estreita. Até o cabelo comprido e a barba faziam isso por ela. Foi como olhar para uma lenda. Como olhar para Thor, só que ele não precisava de um martelo, e tinha um embutido. "O que é tão engraçado?" "Nada, eu continuo pensando em você... isso... como uma arma." "É uma arma, uma arma feita para dar prazer.” Ele colocou um joelho na cama. “Dar prazer a você.”

203


Ela teve que rir. "Isso é tão brega, mas gosto do som disso de qualquer maneira." Ele agarrou seu pau em uma mão e depois se acariciou de ponta a ponta. Foi uma das coisas mais eróticas que já viu. A fez rir secar logo. "Você queria me perguntar uma coisa?" Ele deu ao seu pau outro golpe saudável. "O que?" Seus globos oculares ainda estavam por toda a sua arma de destruição em massa... faça isso, sua destruição. "Você queria me perguntar uma coisa." “Oh! Sim.” Ela levantou o olhar. Não foi fácil. “Você disse que gostou da minha pele e achei isso um pouco estranho. É só que, bem... a maioria dos homens gosta que as mulheres fiquem bem barbeadas ou, no mínimo, bem aparadas. Você sabe, uma ‘pista de pouso’.” “Pista de pouso? A sério?" Titan parecia enojado. "Acho que não. Eu pareço que estou tentando pousar um avião?” "Um airbus talvez.” Ela teve que trabalhar para não rir. Titan riu. Ele deslizou em cima dela, colocando nariz a nariz. Ela abriu as pernas e de repente ele estava lá. Ali. “Eu não preciso ser mostrado o caminho. Eu amo sua pele. Você também tem olhos incríveis.” Ele estava descansando a maior parte do seu peso nos cotovelos. Titan segurou seu rosto. "E um inferno de uma boca.” Ele a beijou. Suavemente e ternamente. Então estava dentro dela. Lentamente trabalhando em seu caminho. Uma polegada de cada vez. Ele puxou a perna para cima, rolando os quadris em vez de empurrar tudo. Ele se moveu para o pescoço dela e a beijou lá. Ela podia sentir suas presas, pressionando contra sua carne, mas não quebrando a pele. Seu peito estava encostado contra o dela, esmagando seus seios contra ele. Então ele foi todo o caminho. O movimento de rolamento causou atrito contra seu clitóris. Ela gemeu. “Tão fodidamente apertada. Outra coisa que amo. Sua voz estava tensa. Titan grunhiu. Sua boca encontrou a dela. Ele salpicou beijos em seus lábios, em cada um dos olhos dela. Seus movimentos eram lentos e controlados. Ele beijou seu pescoço. Ele parou, segurando-se em posição com os braços. "Coloque seus pés no meu peito." "Mas os saltos vão..." Ela estava ofegante.

204


"Faça!" Ele não estava mais se movendo. "Tão mandão.” Ela ainda estava ofegante. Natasha fez o que ele disse. Titan empurrou nela. Então, ele continuou, usando pequenos movimentos curtos e apertados que ainda eram de alguma forma profundos e duros. Ela gritou. O barulho soava mais como algo que uma pessoa torturada faria. Ele continuou indo. Duro, profundo, pequenos movimentos bruscos. Os espinhos dos saltos cavaram em seu peito, mas não parecia se importar. Suas feições eram sérias e beliscadas. Seu cabelo caiu para frente em ambos os lados do rosto. Seus bíceps se arregalaram. Ele estava grunhindo alto a cada estocada. Ela agarrou seus braços, precisando de uma âncora. Curto, apertado e conciso. Cada pequeno impulso estava certo contra aquele ponto dentro dela. O local projetado para disparar lançadores de foguetes. Ela estava fazendo os barulhos mais ridículos. Não é possível parar. Não é possível fazer nada além de sentir. Então tudo estava apertando e tudo de uma vez. Todo músculo, todo ligamento, todo tendão. Cada um deles. Ela estava lutando por ar. Sua boca estava aberta, os olhos arregalados. Lutando por... e então tudo relaxou de uma vez... tudo se deixou ir. Suas terminações nervosas enlouqueceram. Houve uma corrida. Um empurrão. Uma sensação de queda Natasha gritou. O som veio de algum lugar dentro dela. Em algum lugar primitivo. Titan se curvou no meio. Seus olhos arregalados, a boca frouxa. Seu corpo empurrou contra a dela. Esses saltos cavando mais fundo. Ele gemeu, não soando totalmente humano. Um som feroz. Era, assim como ele, lindo. Rangeu os dentes, continuando a tremer. Seus

impulsos

não

eram

mais

tão

controlados,

tão

profundos

quanto

poderosos. Depois de mais alguns empurrões, desacelerou, seus grunhidos se tornando mais suaves. Seu rosto ainda estava tenso, seus olhos selvagens. Ele sorriu para ela através da luxúria, através dos tremores de um inferno de um orgasmo. Derreteu-a, transformou-a em

205


uma pilha de gelatina no chão. Fez um órgão em particular pular uma batida. Ele aliviou suas pernas de volta em ambos os lados dela. Ainda com bolas profundas. Ambos estavam respirando com dificuldade. Ela percebeu que estava sorrindo também. Deve parecer uma mulher louca. Natasha não se importou. "Isso foi...” Ela mal podia recuperar o fôlego. “Isso foi incrível. Tão bom!" Seu peito se expandiu e contraiu contra ela. Ele aninhou em seu pescoço. "Sim, foi." Ela teve que rir. "O que é tão engraçado?" Ela podia ouvir que estava sorrindo também. “Você vai me dar um complexo se continuar rindo de mim. Especialmente tão logo depois do sexo. O que aconteceu para me fazer sentir valorizada? Para não foder como animais?” Ele levantou a cabeça, olhando-a nos olhos. “Eu acho que sou péssimo em ser romântico. Eu sinto muito.” Ele a beijou. "Eu vou fazer melhor da próxima vez." “Eu gostei muito bem. Eu acho que foder como animais pode ser do jeito que gosto.” "Bem?" Ele havia se fixado nessa única palavra. "Apenas bem?" Ele ergueu as sobrancelhas e sacudiu a cabeça. "Eu realmente tenho que fazer o meu jogo então." Titan saiu dela e sentou-se de joelhos. Seu pênis estava tão ereto como antes. Ele se projetou de entre suas coxas. Estava desarrumado, suado e francamente, muito sexy. "Foi mais do que apenas bem.” Ela notou as marcas profundas que os saltos tinham feito em sua pele. “Ah, vire. Seu peito, me desculpe.” Ele olhou para baixo. "Isso não é nada. Menos que nada.” Ele esfregou a mão sobre a área. “Vai ser curado em um minuto. Eu gostaria de você em suas mãos e joelhos.” Sua voz ficou rouca. "Sério?" Ele espalmou seu pênis novamente. Atire, uma garota poderia se acostumar com esse tipo de visual. "Ou...” Ele franziu a testa, soltando seu pau. Que vergonha. "Se você está muito cansada ou sensível..."

206


"Eu estou bem.” Ela virou de barriga para baixo e empurrou a bunda para o ar enquanto se movia de quatro. Titan rosnou baixo em sua garganta. "Tão sexy.” Ele murmurou. Ela sentiu uma bagunça pegajosa correr pela parte interna das coxas. “Eu estou coberta de seu sêmen. Você pode querer buscar uma toalha primeiro.” Ele fez um barulho que disse que não concordava. "Eu amo minha semente em você.” Ele se inclinou sobre ela, seu peito contra as costas dela, seu pau empurrado contra sua fenda. Titan mordeu a base do pescoço dela. Mais uma vez, ela podia sentir o arranhão dos dentes dele. Estava bem. Ele colocou a boca ao lado da orelha dela. "Significa que posso fingir que você é minha.” Ele agarrou sua coxa e empurrou nela. Em todo o caminho. Ela respirou fundo. “Meu perfume em você, minha semente.” Ele parecia primordial em seu raciocínio. Deve ser uma coisa de vampiro. "Minha.” Ele sussurrou enquanto enrolava a mão em torno de sua barriga. Parecia possessivo e amoroso. Estava bem. Bom demais. Minha. Se apenas. Então ele começou a tomar sua mente, um impulso de cada vez. Era seu doce sorriso e beijos desajeitados que estavam roubando seu coração.

207


22 "Oh meu Deus!" Natasha gritou. Onde? O que? Na próxima sala. Titan pulou da cama quase caindo de bunda, porque o lençol estava enrolado em volta dele. Ele puxou a coisa enquanto corria para a cozinha quase derrubando a porta. Natasha ofegou. "O que está errado? Por quê…?" "Porra!" Ele gemeu, apertando a mão contra o peito e tentando recuperar o fôlego. Ele se inclinou contra o balcão. “Eu pensei que eles tivessem você. Porra!" Ele beliscou a ponta do nariz. "Oh, desculpe.” Ela arregalou os olhos. "Eu não queria te assustar." “Bem, você assustou. Merda! Eu quase tive um maldito ataque cardíaco.” "Eu sinto muito.” Suas sobrancelhas estavam levantadas. "É só que... eu vi isso.” Ela levantou o prato de torta da geladeira usando as duas mãos. “É irreal. Pensei que você disse que não se dava a nenhum problema.” "Sem problemas." Levara uma hora para fazer. Ele realmente gostou disso. "Eu segui a receita e...” Ele sorriu. “Esse site adorou essa sobremesa em particular. Eles disseram que as fêmeas adoram cheesecake. Especialmente cheesecake de framboesa com cobertura de chocolate branco. Foi garantido para ajudar um homem a ter sorte.” Ela se inclinou contra a geladeira. "Sorte, hein?" Seu sorriso se alargou. "E você nem precisou disso no final." “O sol ainda não se levantou. Ainda poderia me fazer alguma ação.” "Não, não tem e sim, poderia.” Seus pequenos olhos gananciosos estavam em seu pau, que subiu bastante substancialmente. Ele amava como ela olhava para ele. Como não conseguia o suficiente. O sentimento era mútuo. Seu cabelo era um emaranhado selvagem de

208


todo o seu cio. Seus lábios estavam inchados de seus beijos. Ela sentiu um forte cheiro dele. Ele gostou, um pouco demais. Então ela olhou para o cheesecake, um olhar de saudade no rosto. "Que tal comer e, em seguida, você pode me mostrar o quanto aprecia todo o esforço." Ela sorriu. "Isso soa muito bem." Titan notou o quão bom ela parecia em sua camiseta. Ela se afogou na coisa, mas adorava vê-la nela. Titan se aproximou e pegou a travessa dela. "Então...” Ela girou o dedo no bolo e lambeu. Foda-se se seu pau não tomou conhecimento. "Você tem uma coisa para vir em meu socorro completamente nu." "E você ama isso.” Ele roçou os lábios contra os dela. "Eu vivo por isso.” Ela o beijou. "Eu poderia apenas fingir ataques com mais frequência.” Ela sussurrou contra sua boca. Então se afastou e seus olhos nublaram quando percebeu que não haveria uma próxima vez. Ele também sentiu isso. Dentro de momentos, ela se recompôs. "Não é como se alguém atacasse de qualquer maneira.” Ela rapidamente seguiu em frente. "Eles poderiam.” Ele ficou sério em um instante. O pensamento daqueles filhos da puta indo atrás de Natasha o irritou. Ela revirou os olhos. "Ok, certo. Não com um vampiro grande e corpulento na casa.” “Eles poderiam trazer prata. Eles sabem o que a prata faz conosco e não é bonito. Eu seria inútil para você.” "Então eu vou atirar neles cheio de buracos." "Ok, certo.” Ele olhou para ela incisivamente. "Onde está a sua Glock?" "Está na minha bolsa, que e...” Ela apontou para a bolsa no chão da sala. Opa! Mal movimento. “Eu acho que estava distraído. É sua culpa." “De agora em diante você usa a coisa, começando agora. Você só pode estar aqui por mais algumas horas, mas eu te quero segura.” "Eu não posso exatamente usá-lo no chuveiro." "Leve com você então, espertinha.” Ele se inclinou para frente e beliscou sua orelha.

209


"Ow!" Ela riu. Merda! Ele precisava assistir com a mordida. Estar com ela parecia tão natural, ele estava inclinado a apenas afundar os dentes dentro Suas gengivas pulsaram com o pensamento. “Eu irei pegar meu coldre então, está no meu quarto.” Ela espalmou seu pau e ele gemeu. "Você faz isso.” Sua voz era profunda. “Eu vou cortar um cheesecake. Temo que seja uma pequena fatia.” Natasha deu uma risadinha e se virou. “Não esqueça o leite. Pode ser um lanche da meia noite.” Ele olhou para o relógio. "Mais como lanche de manhã cedo." Ela deu um aceno apertado antes de olhar para frente e desaparecer no quarto com sua bolsa. Ele começou a trabalhar cortando e cobrindo a sobremesa. O tempo estava voando. Agora, ele odiava cada e todo carrapato do relógio. Estava indo rápido demais. Eles tinham adormecido depois de foder três vezes. Ele não pretendia, o plano era aproveitar ao máximo cada minuto, mas segurá-la em seus braços trouxera tanta paz. Não havia nenhuma maneira maldita que ele estava dormindo novamente. Eles podiam falar e tocar, haveria muito toque ... ele não estava pronto ... não por um longo tiro. Mais algumas horas teriam que ser o suficiente. "Onde está meu cheesecake?" Ela entrou correndo quando ele estava derramando o leite. "Aqui está.” Ele entregou-lhe um prato e um garfo. "Mmmmmmm....” O som foi direto para o seu pênis. "Isso parece tão bom." “Certamente é.” Ele estava olhando para ela. Havia uma protuberância reveladora sob o braço esquerdo. A ideia de ela usar sua arma o excitou. Ele era um bastardo doente. "Vamos comer... rapidamente." Natasha riu. "Estou saboreando cada mordida.” Ela pegou o copo de leite.

210


"Sem problemas! Saboreie.” Ele sorriu. "Mas eu tenho que avisá-la para ter cuidado, sem engasgar." "Por que diabos eu sufocaria?" Eles caminharam até o seu quarto. "Você estará saboreando as últimas mordidas com meu pau dentro de você." Sua boca se abriu. "Você é sempre tão grosseiro?" Ele assentiu. “Eu digo o que quero dizer e quero dizer o que digo. Chame isso crasso se quiser. Eu sei que você disso.” "Como você saberia disso?" Eles se sentaram na beira da cama. Ela estreitou os olhos para ele. “Eu posso cheirar sua excitação. Você está molhada para mim agora, não é?” "Talvez." Natasha se contorceu. "Sim, ok... sim, eu estou... Vamos comer rápido.” O cheiro ficou mais forte fazendo suas bolas puxarem para cima, mesmo que ele ainda tivesse que tocá-la. Natasha deu sua primeira mordida e gemeu. “Oh, meu bom galã! Isso é bom.” Ela falou em torno de sua comida. Ele também deu uma mordida. Era bom, mas ele conseguia pensar em outras coisas que gostaria mais de falar. Ela deu uma segunda mordida e colocou o garfo no prato. "Eu sei que nós concordamos em não conversar, mas há algo que eu queria conversar com você." "Agora mesmo?" “Nós estamos comendo agora, então eu posso mencionar isso. Eu estou saindo de manhã assim... ” Ela deixou a sentença morrer, seus olhos nublando por um momento. Ele assentiu, sentindo-se como o maior babaca vivo. Natasha lambeu a borda da boca. “Todo este caso está levando seu tempo doce. Você percebe que esse informante pode nunca se dar a conhecer. Eles têm suas escutas configuradas, eles estão ouvindo. E estão sentados apertados.” Ele fez um som de acordo. "Eu sabia que levaria tempo ‒ até mesmo meses."

211


“Poderia demorar uma eternidade, e essa é a coisa… por que não forçar a mão deles? Lave-os para fora.” “Você quer dizer uma configuração? Dar-lhes informações falsas e depois interceptar?” “Sim, isso poderia funcionar também." Ela levantou as sobrancelhas. Ele podia ver que ela estava pensando sobre isso. “Pensei nisso e isso não ajudaria. Tudo o que fariam é solidificar o fato de termos um informante, que já conhecemos. Nós ainda não saberíamos quem eles eram. Nós pegávamos caras como aqueles que invadiram sua suíte de hotel. Seria os caras no final da cadeia. O peixinho.” Ele suspirou. "Eu quero o SOB do lado de dentro." “Sim, é por isso que você precisa ser um pouco mais hábil. Você obtém dispositivos chamados jammers automáticos. Eles são projetados para evitar que erros de áudio sejam transmitidos. Seria um caso simples de colocar estrategicamente um. Eu sugeriria o escritório do Xerife, baseado em nossas gravações, é onde a maioria das informações deve ser obtida por pessoas de fora. É o transmissor de que eles mais precisam, já que o Xerife está com o dedo em cada pulso.” Titan assentiu. "Ok, então paramos o bug em seu escritório de transmitir, mas como isso vai expulsar a toupeira?" “Também vamos montar uma câmera espiã sem fio no escritório do Xerife, apontando-a para a mesa dele. Deixaremos todos os outros equipamentos de escuta em funcionamento, para que pareça que esse dispositivo falhou. Esperançosamente..." Foi brilhante! Titan soltou uma risada. "O informante esperançosamente será forçado a substituir o transmissor e nós vamos pegá-lo no filme!" "Exatamente." Natasha colocou o prato na mesinha e tomou um gole do leite. “Por que não pensei nisso? Por que não fizemos isso antes?” Ele colocou seu próprio prato no chão. “Teria sido suspeito se a escuta falhou no mesmo dia em que chegamos. Pode ainda ser um pouco suspeito.”

212


"Você é um génio! Eu acho que vai funcionar. Na verdade...” Puxou-a para ele. “... tenho certeza disso.” Ele a colocou no colo e colocou os braços ao redor dela. “Não, não é um gênio. É meu trabalho, lembra? Eu trabalho com esse tipo de coisa todo dia. Eu deveria ter pensado nisso antes... acho que eu tinha outras coisas em mente.” "Como o quê?" Seu olhar caiu para os lábios dela. Ele estava gostando da coisa toda de beijar. Ele encontrou-se querendo acasalar com a boca o tempo todo. Foi o primeiro para ele. O beijo não serviu a um propósito. Ele esteve com mulheres no passado puramente por prazer mútuo. Era diferente com Natasha, ele se viu querendo tocá-la e não apenas sexualmente. Querendo estar com ela e não apenas por isso. "Um certo vampiro e seu grande pênis podem ter tomado uma boa parte do meu pensamento cognitivo.” Ela olhou para ele por baixo dos cílios. "Você tinha pensamentos ruins sobre o meu pau?" Ela assentiu. "Isso aí! Eu me toquei todos os dias pensando sobre o que você poderia fazer comigo se introduzisse essa coisa em mim.” Ela o montou. Titan deixou a cabeça cair para trás. Ele gemeu. “Eu gostaria de ter sido uma mosca na parede quando você estava se tocando. Se isso ajuda, eu provavelmente estava me puxando pela sala, só pensando em estar dentro da sua boceta apertada.” Ela se inclinou e o beijou. Foi tanto com fome e desejo. Seu sexo estava corado contra ele, estava molhada por ele. Tão molhada. Natasha colocou as mãos nos ombros dele e se levantou. Titan manteve os olhos nos dela. Usando uma mão, segurou seu quadril. Ele posicionou sua ponta na abertura dela com a outra. Os dois gemeram quando ela se afundou nele. Trabalhou-se para cima e para baixo em seu pênis, afundando lentamente mais fundo. Natasha jogou a cabeça para trás e fechou os olhos. Ela mordeu o lábio. Não ficou muito melhor. Apenas sangue levaria um par de entalhes. Foi isso. Ela finalmente afundou todo o caminho. Titan agarrou a bainha de sua camisa. Natasha estava respirando pesadamente. Ela levantou os braços para que ele pudesse retirá-lo. "Por sangue.” Ele gemeu. "Você é incrível com isso."

213


"Eu pensei que você não gostasse de armas.” Ela tocou a arma no braço debaixo do braço. "Eu mudei de ideia.” Seu pau se contraiu dentro dela. Seu coldre de couro preto tinha uma alça sobre cada ombro. Tinha uma aba de velcro segurando a coisa, a alça correu sob seus seios, que estavam nus e tão fodidamente exuberantes. Titan se inclinou para frente e chupou um de seus mamilos. Ela se contorceu em seu pau. Incapaz de se segurar por mais tempo, ele sentou-se e segurou seus quadris. Então começou a fodê-la por baixo. Moendo em seu apertado enquanto fodia sua boceta. Natasha fez os mais belos sons. Ela não se conteve. Seus dedos cravaram em seus ombros. Ela deu o melhor que conseguiu, pulando em seu pênis como se fosse sua tábua de salvação. Seus seios saltaram com força a cada impulso. Tão cheio e exuberante... ainda mais impressionante do que ele jamais imaginou. Sua cabeça ainda estava arremessada para trás, seu pescoço era longo e esguio. Seu pulso disparou. Seu perfume. Seus gemidos. O corpo dela. Dela. Ele cerrou os dentes. Ele estava grunhindo alto. Fazendo tanto barulho, ele deveria ficar envergonhado, mas não dava à mínima. Nunca foi tão bom assim. Muito bom demais. Ele não ia durar. Não com ela parecendo assim. Não com o que ela se sentia. Não com o que se sentia por ela. Usando o polegar, acariciou seu clitóris inchado. Suave e rápido. Então ela estava gritando quando sua boceta apertou ao redor dele. Estrangulando a foda dele. Tão apertado. Tão quente. Tão molhada. Ele rosnou quando jatos quentes vieram. Mais do que ele pensava ser possível. Especialmente depois do cio tantas vezes já. Seu grunhido se transformou em um gemido e ele enterrou a cabeça em seu pescoço, tendo que lutar contra a necessidade de morder, chupar, foder com mais força. Ouvi-la gritar com o prazer desenfreado que apenas beber dela traria. Titã cerra os dentes ao ponto da dor. Era difícil manter a boca fechada sobre as presas que tinham que parecer assustadoras. Elas eram tão longas e afiadas. Ele respirou profundamente pelo nariz, tentando domar sua sede furiosa.

214


Não ajudava que Natasha ainda estivesse se movendo para cima e para baixo. Ela ainda estava gemendo baixinho enquanto sua vagina tremulava com o último de seu orgasmo. Seus seios eram suaves contra o peito dele. Seus mamilos ainda duros, esfregando contra ele. Sua respiração irregular era alta no pequeno espaço. Encheu o quarto inteiro. "Eu quero mais.” Ela sussurrou. Ele não tinha certeza se ela estava falando sobre sexo ou o tempo que passavam juntos. "Eu também.” Ele sussurrou contra sua pele macia.

215


23 As cortinas de escurecimento fizeram um trabalho fantástico. Não havia um único raio de sol visível. Embora não fosse mais escuro, era mais cinza escuro do que preto. Nenhum deles definiu um alarme. Eles normalmente estariam na estrada agora. Pelo menos, Natasha tinha certeza que eles seriam. Parecia tarde. Não havia como ela estar se movendo para descobrir. Uma de suas pernas estava sobre as coxas dele. O braço dela estava sobre o peito dele e estava deitada na dobra do braço dele. Um cobertor cobriu-os. O peito de Titan subiu e caiu em um ritmo profundo. Não é de admirar que ele estivesse exausto. Eles tinham ido nisso como coelhos em opiáceos. Quente, dura e pesada. Até mesmo seu clitóris se sentiu um pouco cru. Ela se sentiu espremida e completamente saciada. Doendo, mas em todos os lugares certos. Ela teve sexo quente e pesado antes. Ela teve sexo violento antes. Ela teve um sexo realmente bom antes, mas nunca tão bom. Era como se eles tivessem sido feitos um para o outro. Como se ele soubesse como tocá-la, onde tocá-la. Quando ir duro e quando ser suave. Titan aprendeu rápido também. Ele disse que não era muito beijador. Ela tinha sido capaz de dizer que não era algo que ele tinha praticado muito antes, mas garoto, oh, puto garoto, ele estava aprendendo as cordas. Eles tinham beijado uma tempestade, até seus lábios pareciam um pouco sensíveis. Natasha não queria que ele acordasse. Ela não queria que o dia começasse. Para isso acabar. Ah Merda! Ela percebeu que a respiração dele não era mais profunda. Titan colocou um braço ao redor dela, puxando-a ainda mais apertado. Ela fechou os olhos, saboreando o momento. "Bom Dia.” Ele esfregou sua coxa com a outra mão. "Manhã.” Ela não conseguia dizer a parte boa. "Que horas são?" Sua voz estava grogue, ainda cheia de sono.

216


Ela encolheu os ombros. "Eu não faço ideia." "Você já esteve acordado por muito tempo?" "Alguns minutos." Pelo menos meia hora, mas quem contava? Não era como se ela tivesse verificado o tempo real ou algo assim. Titan se aproximou e pegou seu telefone na mesa lateral. Ele gemeu baixinho antes de colocar o telefone de volta e esfregar os olhos. "Já é depois das nove." Opa! Realmente estava atrasado. Eles estavam normalmente na estrada às oito. "Não é muito ruim, considerando.” Ela parecia tão grogue. Vindo para pensar sobre isso, sua garganta estava arranhada. De todos os gemidos. Ela se afastou. "Eu vou tomar banho no meu quarto, para economizar um pouco de tempo." Titan balançou a cabeça, apertou os braços ao redor dela e a puxou de volta para ele. Ela deixou seu calor penetrar nela e ficou lá por um minuto, aproveitando apenas estar com ele. Preso dentro de seus braços fortes, contra seu peito largo. “Tanto quanto eu estou gostando disso...” Ela se afastou e ele a deixou. “Eu realmente acho que é melhor irmos. Eu tenho um voo para reservar e você precisa colocar um substituto.” Ela estendeu a mão e acendeu a luz. Não adiantava adiar o inevitável. Ela precisava retirar o band-aid em um movimento rápido. Isso doeu menos. Embora, pela forma como ela estava se sentindo, ela só poderia precisar de cirurgia depois que o band-aid estivesse desligado. Maior cirurgia de coração aberto. "Não." "Como assim não?" Ela se recusou a sentir qualquer esperança. Ele não ia lhe dizer para ficar. Não ia acontecer. Mesmo se ele fizesse, recusaria. A menos, claro, que ele expressou seu amor eterno por ela e dissesse que estava disposto a arriscar tudo e fazer qualquer coisa para tê-la. Talvez então. "Estamos tomando banho juntos." Ela sentiu seus olhos se arregalarem. “Oh, tudo bem, embora eu seja um pouco sensível. Por mais que eu realmente queira fazer sexo, tenho certeza de que...”

217


Titan riu. “Eu estou lisonjeado que você quer mais sexo, embora talvez deva estar preocupado. Eu teria esperado que você tivesse o seu preenchimento agora.” "Foi fantástico. Eu sinto que estou na nuvem nove. Um pouco maltratada e machucada, mas...” Sua

testa

se

enrugou. "Você

está

ferida?" Ele

começou

a

inspecionar

seu

corpo. "Merda!" Ele rosnou, passando as mãos pelo quadril direito. "Você tem uma contusão e foda.” Ele rosnou: "Eu deixei marcas de dentes em um dos seus seios.” Ele estava prestes a abrir as pernas dela, para que ele pudesse inspecioná-la lá também. "Espere! Pare!" Ela sorriu e agarrou seu pulso. "Estou bem! Melhor que bem. Então, se o seu aperto foi um pouco difícil aqui ou ali. Tenho certeza de que minhas… partes de garotas são bem malfeitas… eu tive isso… ”Ela apontou para o pau dele. “Dentro de mim metade da noite, mas adorei cada minuto. Estou um pouco dolorida, mas é uma dor boa.” "Você tem certeza? Devo levá-lo para a sala de emergência?” "Não se atreva." Ele suspirou. "Eu sinto muito." "Eu não sinto." “Não faça pouco disso. Você é um humano, eu deveria ter sido mais cuidadoso.” “Eu não sou uma flor murcha. Eu estou bem, o suficiente com as desculpas. Esse foi o melhor sexo da minha vida inteira.” "Sim.” Ele sorriu, conseguindo parecer tímido e triste. "Foi para mim também." Eles ficaram sentados por alguns segundos, olhando um para o outro. Titan foi o primeiro a quebrar o contato visual. Ele se levantou da cama e estendeu a mão. “Vamos economizar tempo tomando banho juntos. Eu lavarei suas costas ‒ sem necessidade de favores sexuais.” Natasha segurou sua mão e permitiu que ele a colocasse de pé. Uau! Os humanos não foram feitos para fazer sexo muitas vezes. Para orgasmo muitas vezes. Todo músculo doeu. Um banho parecia bom. Ela engasgou quando ele a pegou. "Eu posso andar você sabe?"

218


“Você não deveria poder, o que significa que fiz um trabalho terrível. Humor comigo.” Ele andou a passos largos para o banheiro. Ela ficou chocada quando ele não riu ou piscou. Era como se ele estivesse falando sério. Titan a colocou no tapete macio do banheiro e começou a trabalhar para o banho. Depois de ajustar cuidadosamente a temperatura da água, ele a pegou e a colocou na tenda. Ela teve que rir de como ele estava se comportando. "Pare com isso.” Ela deu-lhe uma leve palmada no braço. Embora, no fundo, ela possa gostar de sua mimada ‒ mas só um pouquinho. Ele parecia tenso. Titan franziu a testa enquanto ensaboava uma lavagem. Ele caiu de cócoras. "Coloque o pé na minha mão e segure o lado da baia." "Eu sou bem capaz.” Disse ela. Ele olhou para ela, parecendo adorável enquanto a água caía em cascata por seu corpo. Seu cabelo estava grudado na cabeça. Ok, adorável não era a palavra certa. Mais como irresistível ou bonitão. Seus olhos se estreitaram. "Natasha." Um aviso. "Está bem, está bem.” Ela pegou o pé, que ele apertou na mão e começou a lavar com movimentos regulares. Sua carranca se aprofundou. Ele não estava excitado, tanto ela podia ver, então não era isso. Havia algo em sua mente embora. Ele não parecia feliz. Lavou seu outro pé e lentamente subiu por suas pernas usando movimentos suaves e uniformes. Titan lavou o pano. Ele a olhou nos olhos dela. "Abra suas pernas." "Eu posso gerenciar essa parte minha." "Aberta.” Um pouco mais forte. "Mandão como o inferno.” Ela murmurou. "Sim, bem, tecnicamente ainda sou seu chefe.” Ele meio que sorriu e então gentilmente a limpou lá. Natasha estremeceu e fez um ruído sibilante. Titan lavou o pano e continuou andando. Macio, fácil e gentil. Então ele se inclinou para frente e a beijou ‒ suavemente ‒ bem ali.

219


Ela fez um barulho que estava em algum lugar entre um gemido e um assobio e agarrou a cabeça entre as mãos. Titan sorriu, ele olhou para ela. Aquelas malditas covinhas a matariam um dia desses, seus belos olhos zoneavam nela, eles eram emoldurados por cílios molhados. "Lá.” Ele anunciou. "Tudo melhor." Ela riu. "Você é louco." Ele levantou-se, de repente parecendo sério. “Eu estive pensando em algo. Eu tenho essa ideia que não me deixa ir.” Ele esfregou a parte de trás da cabeça. "OK." A água caía sobre eles. "O que é isso?" "Eu não acho que você deva ir ainda." Natasha não disse nada. Retire o band-aid e vá embora. Arrancá-la. Sem atrasos. Ela tentou se lembrar de sua conversa anterior. “Eu acho que seu plano pode simplesmente funcionar. Era o seu plano, caramba e você deveria estar aqui para ver. Aqui está o acordo, eu vou buscar uma dessas câmeras hoje, bem como uma daquelas coisas de bloqueio.” "Auto jammer" “Sim, um auto jammer. Veja...” Ele fez uma pausa. "Eu preciso de você." "Qualquer agente do FBI saberia disso." Oi carranca estava de volta ‒ ele parecia chateado dessa vez ‒ como se quisesse arrancar a cabeça de alguém. "Eu não confiaria em ninguém além de você." "Com o tempo você pode." "Não está acontecendo." "Isso é o que você disse sobre mim.” Ela inclinou a cabeça. “Natasha, isso não vai acontecer. Confie em mim sobre isso. Você é um humano especial, um em um milhão de humanos.” "Eu não estou. Eu sou um corredor regular da fábrica...” “Você é especial para mim e quero que você, por favor, veja isso. Nós podemos fazer isso juntos. Pregar esse bastardo e salve o maldito dia. Eu não quero que perca seu

220


emprego. Eu também não quero que vá também. Nós podemos fazer isso, você e eu, parceiros. O que você diz?" Ela podia sentir-se desabar. Suas palavras... oh suas palavras doces e doces. Ela suspirou. “Sim, tudo bem, mas só porque não suporto a ideia de você fazendo isso sozinho. Eu sei que não vai deixar outro agente do FBI ajudá-lo nisso. Você vai voltar a puxar todas as noites.” Ela estava tentando se convencer. Titã sorriu. Ele jogou os braços ao redor dela e apertou. Ela gemeu. "Dói... ai." Ele a soltou. "Eu sinto muito.” Então ele pegou o pano e ensaboou-a com sabão. “Eu estou lavando você e te colocando de volta na cama, então estou te alimentando. Vou organizar o equipamento de que precisamos... e alguns analgésicos também. Vou ficar aqui para ficar de olho em você.” "O que? Espere! Não preciso voltar para a cama.” "Você precisa! Descansar. Confie em mim sobre isso. Você vai precisar do seu sono.” “Ok, eu entendi agora. Você vai me fazer sua escrava sexual pessoal. Manter-me aqui não tem nada a ver com o caso.” Titan soltou uma risada. “Escrava sexual? Onde você consegue essas coisas?" "Eu assisti este pornô uma vez onde..." "Você assiste muita televisão maldita.” Ele a beijou na boca. Então puxou de volta. “Uma coisa ‒ sem sexo durante o horário de trabalho e precisamos ter pelo menos seis horas... cinco horas de sono por noite.” "Em outras palavras, eu sou sua escrava sexual o resto do meu tempo aqui?" Titan sacudiu a cabeça. "Não, eu sou seu escravo sexual o resto de nosso tempo aqui." Ele a beijou novamente. Desta vez ela se afastou. “Isso não pode demorar muito, Titan. Eu não posso dormir com você todas as noites semana após semana e depois ir embora. Eu estou...” Ela queria dizer que estava se apaixonando por ele. Isso já estava acontecendo. Ela estava louca para fazer isso.

221


Titan deu um passo para trás e quebrou todo o contato. “Nós não temos que dormir juntos. Podemos manter as coisas como eram antes.” Ela começou a rir. "Ok, certo. Se eu ficar, estamos dormindo juntos. Seria estúpido fingir o contrário ou tentar manter as mãos longes umas das outras porque não vai funcionar.! "Você está certa.” Ele deslizou seus braços ao redor dela. "Eu não poderia manter minhas mãos longe de você, se eu tentasse." “Então, há um limite de tempo nisso então. Espero que não leve mais que alguns dias para eliminá-los. Então eu vou embora.” Titan assentiu. "Isso é justo. Eu configurarei hoje. Então é só uma questão de esperar e assistir.” "Está bem então.” Ele a pegou, embalando-a em seus braços. No fundo, ela sabia que estava cometendo um erro terrível, mas não era como se pudesse rejeitá-lo. Natasha não possuía esse tipo de força de vontade. Não onde Titan estava preocupado. Ela lidaria com as consequências depois.

Houve uma batida na porta. Titan fechou seu laptop, se aproximou e abriu. Isso não foi grande coisa. Ação normal! "Ei.” Drago sorria. Seu sorriso instantaneamente desapareceu e suas narinas se abriram. Os olhos do macho se arregalaram e ele sorriu. "Oh meu filho da puta!" Ele rosnou. Nada demais! "Entre aqui." Titan agarrou-o pelo braço e puxou-o para dentro. "Você e Natasha...” Drago apontou para Titan, com os olhos arregalados. "Shhhh.” Titan repreendeu. "Minha fêmea está dormindo." Drago ergueu as sobrancelhas. “Sua fêmea? É assim que vai ser?" Ele sufocou uma risada suave, mantendo o barulho sob sua respiração. "Estou muito feliz por você." "Não!" Titan tentou não rosnar. “Não é assim. Natasha não é minha. Não é assim. Ela só está aqui por mais alguns dias enquanto encerramos este caso.”

222


Drago olhou para ele incisivamente. "Ok, se você diz isso." “Eu digo, porra. Você trouxe os itens?” Seu olhar se moveu para o saco nas costas de Drago. "Sim, nós tivemos um auto jammer em estoque, mas levou algumas horas para rastrear uma câmera adequada.” Ele enfiou a mão na bolsa e pegou os itens, entregando-os a Titan. As narinas do macho queimaram novamente e Titan pôde ver o sorriso voltando. "Obrigado! Você pode ir agora.” Disse Titan rapidamente. Ele não sentiu vontade de ter essa conversa. "Você cheira..." "Não faça isso!" Titan avisou. “Por

que

não

podemos

falar

sobre

isso? É

que

eu

não

posso

acreditar. Você? Finalmente? É sobre o maldito tempo.” Drago deu um tapinha nas costas dele. "Estou tão feliz que você está de volta." “Eu não estou de volta. De que diabos você está falando? Volta. O que há de volta? Eu era um filho da puta arrogante antes, então se é isso que quer dizer na época, não, eu definitivamente não estou de volta.” "Eu não quis dizer isso assim.” Drago franziu a testa. “Do jeito que as coisas eram, simplesmente não era saudável. Eu sugiro que você experimente a próxima rodada do Programa. Você definitivamente se qualifica. Você…" "Não!" Um rosnado. Titan olhou para a porta do quarto. "Eu não estou interessado em participar do Programa.” O pensamento o deixou frio. Como blocos de gelo, neve, fundo do oceano frio. "Por que não?" “Eu não estou, ok? Largue isso já.” "Oh seu filho da puta!" Os olhos de Drago se arregalaram. “Você tem sentimentos pelo humano. Claro que você tem." "Pare! Só para saber, você e eu estaremos tendo isso. Você nunca deveria ter falado com Natasha sobre minha merda pessoal.”

223


“Essa mulher se importa com você. Ela tem sentimentos. Realmente queria ajudar e, francamente, senti que precisava.” Ele ficou sério. “Você é meu amigo, Titan. Não falaria sobre esse dia. Você se culpou. Estou feliz por ter contado a Natasha. Você pode bater na minha bunda, se isso te fizer sentir melhor.” Não o faria se sentir melhor. Titan nunca se sentiu tão feliz e tão triste, e de uma só vez. "Nós vamos discutir isso quando eu estiver de volta." Drago estreitou os olhos. “Então você planeja deixar Natasha. E seguir seus caminhos separados?” Titan assentiu. “Que escolha nós temos? Não é como se alguma vez tivéssemos permissão para ficar juntos.” “Então você também tem sentimentos por ela? Não foi apenas sobre o cio para você?” “Não, não foi apenas sobre o cio. Nem mesmo perto." Titan segurou a parte de trás do seu pescoço. “Não podemos ficar juntos, no entanto. Os próximos dias, semanas no máximo, serão os últimos que veremos um ao outro.” "Você será capaz de ir embora?" Titan engoliu em seco. "Sim. Não há outra escolha." Drago assobiou e balançou a cabeça. “Vocês dois estão brincando com fogo.” Titan franziu a testa. "Por quê? Eu confio em você para não dizer nada. Ninguém jamais saberá." "Não é isso. Quanto mais tempo estiverem juntos, mais seus sentimentos crescerão um pelo outro. Você só vai tornar mais difícil para você. Deveria ir embora agora.” “Não é como se tivéssemos uma escolha. Se Natasha voltar agora, ela perderá o emprego. Eu não posso assumir a responsabilidade por isso. Ela é muito boa no que faz. Não!” Ele balançou sua cabeça. "Nós dois sabemos que vai acabar em breve, então teremos que estar em guarda." “Eu não acho que existe tal coisa. Brincando com fogo, eu te digo.” Drago franziu a testa.

224


“Olha, vamos pegar os filhos da puta e seguir caminhos separados. Vai ser difícil, mas nós podemos fazer isso.” "Você deve lutar por ela, se a quer.” Drago colocou as mãos nos bolsos. “Você está falando maluco. Brant nunca permitirá isso. Não só não vou ter Natasha, mas provavelmente terminarei na masmorra e rebaixado. Aquele desgraçado Luke provavelmente tomaria minha posição.” Ele acabaria se reportando ao bastardo. Ele ainda não teria sua fêmea então... ele precisava parar de se referir a ela como tal. Natasha não era dele. Ela nunca foi e nunca seria. Nunca. "Sim.” Drago assentiu. "Você pode estar certo. Ainda assim, se ela significa muito para você...” "Eu gosto muito dela. Eu sinto que, dada uma chance, poderíamos ter algo real, mas não é para ser.” O peito de Titan estava apertado. "Seja cuidadoso." "Eu não vou ser pego fora." "Não é só isso.” Disse Drago. O macho estendeu o pulso. "Com sede? Eu posso sentir que não tomou o sangue dela, o que provavelmente é uma coisa boa. Eu estou aqui, então você pode muito bem tomar uma bebida.” Titan estava com sede de foda, mas suas gengivas não pulsavam ao ver o pulso de Drago. Sua boca também não estava seca. Ele queria o sangue de Natasha. Ele a queria e só ela. Titan assentiu. "Sim, acho que você está certo.” Ele não poderia tê-la. Poderia. Não. "Não tome o sangue dela.” Alertou Drago. "Isso tornará a separação ainda mais difícil." "Eu não vou." Apesar de sua necessidade de dirigir, Titan quis dizer isso.

225


24 Três Dias mais tarde... "Obrigado." Natasha sorria de orelha a orelha e ele adorava. Amava que ele tinha sido o único a colocar esse sorriso lá. "Eu tive um tempo tão fantástico.” Ela deu um giro. Uma bailarina com uma arma. Não ficou muito melhor. “Eu pude ver isso, e tenho que dizer, você é boa… Melhor que boa… é incrível de assistir em ação. Eu estava atordoado e ligado e em igual medida.” Ela lhe deu um olhar sujo. “Isso é errado. Você ficou duro me vendo atirar?” Ele assentiu. "Eu ainda estou duro." Ela soltou uma risada e balançou a cabeça. "Besteira.” Ela andou até ele e agarrou seu pênis. Não era de admirar que ele estivesse se apaixonando por essa fêmea. Ele grunhiu quando seus pequenos dedos se fecharam sobre ele. "Meu Deus! Você está duro. Eu tenho que dizer que é muito bom com uma arma para um novato. Tem certeza de que nunca esteve no campo de tiro antes?” Ela o deixou ir. Ele soltou uma gargalhada. "Ok, certo. Não poderíamos ter ambos olhado para os mesmos alvos.” "Você acertou o alvo duas vezes e estava nele na maioria dessas rodadas.” Ela levantou as sobrancelhas. Ainda chocado com o quão bem ele tinha feito. “Claro que tenho certeza. Eu não sei... poderia ter feito melhor.” Ela olhou para ele com repulsa fingida. "Melhor? Do que você está falando? Você é natural. Sabe como segurar o aperto. A maioria das pessoas comete o erro de mantê-lo apertado demais. Houve recuo zero, tanto quanto você estava preocupado, naturalmente apertar o gatilho em vez de tentar puxá-lo. Estou impressionada. Apenas lembre-se de expirar enquanto fotografa e leve seu tempo, você estará conectando o alvo a qualquer momento, em nenhum momento.”

226


Ele assentiu enquanto ela falava. “De muitas maneiras, o esgrima e o disparo de uma arma são os mesmos. Em primeiro lugar, a postura, pernas ligeiramente separadas e dobradas nos joelhos. A única diferença é que um pé está um pouco à frente do outro...” Demonstrou dando um passo à frente com o pé que o guia. ”... ao segurar o punho.” Ele pegou a bainha e tirou a cimitarra do estojo. Os olhos de Natasha se iluminaram. "Uau!" Ela soprou a palavra. "É tão bonita.” Ela estendeu a mão a frente. "Sem tocar.” Ele rosnou e ela puxou a mão para trás. "Então, eu posso olhar, mas não posso tocar?" Ela revirou os olhos, um sorriso brincando com as bordas da boca. “Você pode tocá-la, só não na própria lâmina. É afiada.” "Claro que é.” Seus olhos estavam cheios de luxúria, só que eles foram direcionados para sua lâmina e não para ele. Porra, mas ela era alguma coisa. "Aqui.” Ele segurou a cimitarra para ela, primeiro em punho, e ela pegou. "Nós ainda temos filmagens de vigilância para assistir, mas tenha uma ideia primeiro." Ela estava sorrindo, olhos brilhantes. "É mais pesado do que parece.” Sua voz estava cheia de admiração. "Eu não posso acreditar que você está realmente me deixando tocar sua arma.” Sua voz estava atada com excitação. "Eu pensei que você não deixasse ninguém tocar em suas lâminas." "Você deve saber agora que pode tocar em qualquer coisa minha.” Ele se moveu atrás dela. "Você não é apenas alguém." Ela engoliu em seco. "Eu quero dizer isso.” Disse ele "Eu sei que você quer. Não muda nada, então não deve dizer coisas assim para mim.” Havia um toque de raiva em sua voz. Ela estava certa. Ele era um idiota por ir lá. A coisa era, ele se esqueceu em momentos como este. “Não, isso não muda nada. Eu queria que você soubesse ‒ ele fez uma pausa. Era melhor apenas seguir em frente. “Amplie suas pernas e coloque seu pé à frente. Esse é o

227


mesmo lado que o braço segurando a arma. É isso aí. Agora, dobre seus joelhos. Isso vai ajudar...” "Para colocar meu centro de gravidade baixo e central, o que ajudará no equilíbrio.” Ela terminou para ele. "Exatamente. Você pode cortar e aparar com a arma, mas certifique-se de usar pequenos movimentos do seu cotovelo.” Ele escovou o braço dela. Natasha fez o que ele disse. Indo devagar no começo e depois se tornando mais ousado. "É isso.” Ele pediu. Ela soltou um suspiro depois de meio minuto. "Eu pensei que estava em forma, mas diabos, essa coisa já está ficando pesada." Ele moveu-se em suas costas e levantou o braço da espada deslizando a mão sobre a dela. Titan levou-a através de um par de movimentos de defesa, seguidos pelos principais ataques. Ela gritou de emoção, movendo-se com ele. "Isso é incrível!" "Sim, eu amo isso.” Disse ele. “Você precisa ter força e delicadeza para poder empunhar uma lâmina como essa. Eu ouvi o ato de lutar com espada sendo descrito como uma dança, mas não concordo. É um trabalho difícil. É sangrento e confuso e muito mais violento do que qualquer briga de armas poderia ser. Você precisa se aproximar do seu oponente. No

início,

perto

o

suficiente

para

estudá-los. Conhecer

suas

forças

e

fraquezas. Mais tarde, você precisa se aproximar o suficiente para matá-los.” Ela estremeceu. "Eu sei que é errado pensar, muito menos dizer, mas...” Ela fez uma pausa. "... isso é sexy.” Titan riu. “Eu também penso assim, fêmea. Vou soltar o seu braço agora.” "OK." Ele a soltou. “Me dê à cimitarra ‒ legal e fácil.” Ele avisou. Ela segurou a lâmina para ele da mesma forma que tinha lhe dado. Natasha foi um estudo rápido. "Eu adoraria ver você em ação com isso.” Disse ela enquanto tomava dela.

228


"Talvez um dia.” Ele embainhou sua arma, colocando-a de volta na mesa. "Você não deveria dizer coisas assim." A raiva estava de volta. Ela ficou preocupada com o lábio inferior por alguns segundos antes de olhá-lo nos olhos. "Eu estive pensando." Ele fodidamente odiava o som disso. Titan rangeu os dentes. "Mais um dia e depois vou ter que sair.” Ela desviou o olhar. "Dê uma chance. Uma semana. Você precisa dar pelo menos uma semana. Isso é mais alguns dias.” Sua voz estava implorando. Titan não suportava o pensamento dela saindo. "Eu não posso.” Sua voz estava cheia de emoção. "Eu... merda!" Ela se afastou dele. "Eu estou começando a ficar um pouco profundo aqui, Titan.” Ela se virou. "Como sobre minha cabeça profunda.” Ela olhou nos olhos dele. "Sim!" Sua voz era áspera. "Eu sei o que você quer dizer." “O que estamos fazendo a nós mesmos aqui? Nós estamos fingindo. Brincando de casa.” Ela desviou o olhar. "Precisamos arrancar o band-aid.” Ela disse o último mais para si mesma. "Não! Mais alguns dias não fará diferença.” Ele estava se enganando. Alguns anos com essa fêmea não seriam suficientes. “Esses últimos dias já fizeram a diferença. Quanto mais tempo fico, mais eu caio. Quanto mais caio, mais vou bater.” Havia lágrimas nos olhos dela. "Esta é a minha autopreservação chutando dentro É para você tanto quanto para mim. Você vai me agradecer algum dia.” “Obrigado… eu duvido seriamente disso. Eu estou apaixonado por você." Ela esfregou a mão sobre o rosto. "O que você está dizendo?" Um par de lágrimas caiu, mas ela as enxugou. "Você não pode dizer coisas assim para mim." "É verdade, no entanto." "Não importa." "Sim.” Ele pegou o rosto dela com as duas mãos e forçou-a a olhá-lo. "Pertencemos um ao outro. Nós nos encaixamos. Nós nos entendemos. Eu não quero viver sem você.” “E quanto as suas tradições? Seus reis?”

229


“Eu não dou a mínima! Não sei por que demorei tanto tempo para perceber, mas nada disso importa.” “Claro que importa. O que você está dizendo? Você pode acabar na cadeia ou espancado até uma polegada de sua vida ou pior.” “Eu posso ser banido do território de vampiros. Eu provavelmente vou ser chicoteado, mas valeria a pena. Eu amo você, Natasha. Eu quero estar com você. Não apenas por alguns dias ou semanas. Eu quero que nós sejamos parceiros.” Seus olhos eram tão intensos. E zonearam nos dela. "Sério. Não apenas nove a cinco.” "Mesmo?" Ela gritou.

Ele

estava

falando

sério?

Ele

não

podia

estar

falando

sério. Isso

estava

acontecendo? Ela queria se beliscar ou beliscá-lo. Talvez não estivesse pensando direito. Ela podia sentir seus olhos se enchendo de lágrimas. Ela não podia impedi-los. Natasha fungou. Ela piscou algumas vezes. “Não chore. Por favor, não faça isso.” Titan estava respirando com dificuldade. Sua voz estava embargada de emoção. "Apenas me diga que vai pelo menos pensar sobre isso... por favor." "Não." “Vamos, estou te implorando aqui. Vou até cair de joelhos.” "Eu não tenho que pensar sobre isso.” Ela agarrou seus pulsos. "Você deve. Não vou te deixar sair até pensar em tudo.” “Você não vai me deixar sair. Mesmo?" Ele era tão fofo quando estava sendo mandão. "Sim.” Seu pomo de Adão se balançou. "Eu vou te jogar no meu ombro, amarrá-la na cama e espancá-la, até que concorde em pelo menos pensar sobre isso.” Ele estava tentando amenizar isso, embora sua voz fosse grossa. Seus olhos implorando. Eles nublaram. “Sinto muito, isso foi uma piada terrível. Eu nunca deveria...”

230


“Foi uma piada incrível. Isso significa que você está começando a seguir em frente.” Ela levantou a mão. “Antes de dizer mais alguma coisa, você precisa saber que eu não tenho que pensar sobre isso, porque não é nada óbvio. Eu também te amo. Nós podemos fazer isso se estamos juntos. Se nós temos um ao outro.” "Ouça..." Um grunhido. "Sim?" "Você sabe quando eu disse nenhum sexo durante o horário de trabalho?" "Não é horas de trabalho.” Ressaltou. "Sim, mas deveríamos estar trabalhando desde que decolamos cedo." "Trabalho suficiente.” Ela admitiu. "Bem, estamos quebrando essa regra, só desta vez.” Ele a pegou e ela colocou as pernas em volta da cintura dele. "Eu estou triste com isso.” Sua voz estava rouca em um instante. Ele a apoiou na parede mais próxima e a beijou. Difícil, profundo, como um profissional. Ele chupou sua língua e mordeu o lábio inferior antes de devorar sua boca como se ele fosse a escuridão e ela o sol, a lua e as estrelas. Houve um barulho alto e violento e um puxão forte em suas calças de terno. Titan os arrancou. Ele puxou sua tanga para o lado e zoneava em seu clitóris. Traços firmes e firmes que a fizeram se queixar da palavra se foram. Então mergulhou um dedo dentro dela e ela arqueou contra ele tentando balançar seus quadris. Agarrou-o com força ao redor de seus ombros e ofegou como uma mulher possuída. Assim que o calor começou a se acumular na boca do estômago, ele parou. Natasha fez um barulho de frustração. Houve o som de um zíper descendo. Titan olhou em seus olhos quando ele empurrou nela. Seu rosto ficou comprimido, seus olhos foram direto para meio mastro. Sua cabeça caiu para trás e ele gemeu. Como se juntar a ela era tudo. Então ele estava puxando as pernas para cima de seu corpo, ancorando-a contra a parede de modo que suas costas estivessem niveladas contra ela e empurrando dentro dela. Duro e rápido desde o começo.

231


"Oh... oh...” Ela gemeu quando ele se inclinou um pouco nos joelhos para que pudesse bater nela por baixo. Gemendo, Titan se afastou da parede, segurando-a. "Envolva suas pernas em volta de mim." Ela trancou os tornozelos nas costas dele. Ele era tão grande e grosso dentro dela. Esticando o inferno fora dela. Titan foi até o sofá e sentou-se. Ele arrancou o casaco dela. Botões foram voando. Ela tentou remover o coldre. "Não." Titan sorriu. Foi tenso. Seu pênis pulsou dentro dela. "Deixe-o ligado." Ele falava sujo, podia foder como um demônio e gostava de violência. Não admira que ela estivesse apaixonada por ele. Natasha sorriu. "Quem precisa de renda quando há muitas armas e couro por aí?" “Absolutamente fodidamente! Só…” Ele agarrou sua camisa e rasgou a frente. Mais botões foram voando. Natasha mordeu o lábio inferior. "Se você continuar fazendo isso, eu vou ter que andar nua em breve." "Eu não vou reclamar." “Você tem sorte de achar sexy, é só que não tenho muitas roupas e sair vai ser um problema.” "Nós vamos ficar em casa." "Indefinidamente." Natasha abaixou-se e soltou o sutiã, descobrindo seus seios da melhor forma possível, considerando que seu coldre estava no caminho. "Melhor?" "Muito.” Ele olhou para os peitos dela. "Eu vou ser motivo de chacota quando for forçada a prender esse informante em nada além do meu coldre." Titan ficou tenso, seu olhar ficou tempestuoso. “Não foda, vou comprar mais roupas para você. O que quiser." "Titan?" "Sim."

232


"Podemos ter essa conversa outra hora." "Acordado." Titan se abaixou e sugou seus mamilos. Ele revirou os quadris, segurando a dela para impedi-la de se mover. Foi uma lenta moagem que a deixou ofegante, foi o suficiente para deixá-la louca de necessidade, mas não o suficiente para afastá-la. Ele mudou de um peito para o outro. Lambendo e chupando. Agora ele estava fazendo movimentos circulares com os quadris terminando em um pequeno impulso. Merda! Foi bom. Ele erai bom. Então ele estava beijando e lambendo seu pescoço e chupando seus lóbulos da orelha. Ele estava empurrando nela, mas usando pequenos movimentos minúsculos, permanecendo profundo. "Você está me deixando louca.” Ela mal conseguia dizer as palavras que estava respirando com tanta força. "Oh Deus! Oh! Apenas um...” Ela gemeu. "Só esfregue meu clitóris.” Outro gemido duro. "Eu vou sair como um foguete." Pesado ofegante. "Não esfregando seu clitóris." "Não?" Ela parecia devastada e sem fôlego. "Não." Profunda e gutural. “Mais então. Eu preciso de mais." "Não." "Eu te odeio." Titan riu. "Oh meu!" Ela engasgou em alarme e prazer. Titan continuou usando esses pequenos movimentos profundos. "Suas presas.” Eles eram longos e afiados. Elas pareciam muito más. Não é de admirar que ele tivesse parado de beijá-la. Pode cortá-la bem aberta com essas coisas. Ela sentiu medo e excitação. Ele parecia envergonhado e fechou a boca. "Desculpe.” Ele murmurou. Ele parou de se mexer. Sua boceta reclamou grande momento apertando. Seu clitóris latejava... implorando para ser acariciado. “Não, não esteja. Você disse que é natural.”

233


Ele assentiu, olhou para a cabeça. “Eu acho que estou com muita sede. Todo instinto está me dizendo para beber de você. Nós normalmente não parece tão ruim assim. É agitado! Eu sei que pareço assustador, mas nunca te machucaria.” Sua carranca era mais proeminente. Sua boca, uma arma em si, seus olhos eram muito mais leves, eles brilhavam misteriosamente. "Você é lindo." Titan riu, estalou suas presas em toda a sua glória. “Você é muito feminina. Mais do que eu poderia esperar”. Ele ficou sério. "Eu te amo, Natasha.” Ele colocou um pouco de cabelo solto atrás da orelha. “Eu também te amo, todo você. Eu quero que beba de mim.” Seus olhos se estreitaram. "Não." Um grosseiro áspero. Ele limpou a garganta. "Eu…" “Sim, nós vamos ficar juntos. Já quebramos algumas das principais regras e podemos acrescentar mais uma.” Ele parecia estar pensando sobre isso. "Você tem certeza?" "Sim, claro. A menos que prefira continuar bebendo de Drago.” Ela ergueu as sobrancelhas. “Você...” Ele empurrou dentro dela, cortando o que estava prestes a dizer. "Não. Eu quero beber da minha fêmea... de você.” Empurrou com força algumas vezes, fazendo-a gritar, mas depois voltou àquelas lentas e enlouquecedoras investidas profundas. Só que desta vez se moveu mais depressa. Foi um pouco como montar um vibrador. "Ah Merda!" Ela gemeu. “Sim, oh sim… apenas assim. Foda-se...” Ela nunca sentiu nada parecido antes. Titan segurou seus quadris e fodeu-a profundamente dentro. Tão profundo quanto ele poderia conseguir. Cada movimento rápido produziu uma pequena protuberância contra o clitóris que estava fazendo uma dança feliz. Seu ponto G estava latejando. Seus olhos reviraram quando seu orgasmo a levou em um estrangulamento de proporções épicas. Suas costas ficaram rígidas e então tudo se espalhou. Titan rugiu. Sua cabeça foi para trás e depois caiu em seu pescoço. Ele começou a empurrar e grunhir. Ela podia senti-lo vindo assim que ela estava descendo. Houve uma leve

234


pressão na base do pescoço dela. Ele chupou e ela sentiu o puxão em seus mamilos, seu clitóris e profundamente dentro dela e tudo de uma vez. O ar se apoderou de seus pulmões. No segundo puxão, ela sentiu como se estivesse convulsionando, era tão bom assim. Suas costas se curvaram, seus mamilos se apertaram um pouco mais. No terceiro puxão, ela estava gritando, o êxtase era quase demais. Então ele estava engolindo e sorvendo. Chupando, chupando, chupando. Foi tudo demais. "Não!" Um sussurro. "Pare..." Um gemido. Já não era agradável. Isso machuca. Natasha gritou novamente, desta vez com dor. Ela tentou se afastar, mas Titan segurou-a em seu aperto de vício. Suas presas afundaram mais fundo. "Titan!" Desesperada. Dor. Dor. Dor. Mais engolindo. Suas mãos estavam apertando em seus quadris. Ferida! Pare! Não! Seus olhos estavam arregalados. O medo correu por ela. Ele ia matá-la. Titan estava em um desses frenesi. Ele tinha que estar. Engolindo. Engolindo. Sucção. Dor. Seus dedos cravaram nela. Ele estava rosnando e grunhindo, soando como um animal selvagem em uma matança. Ela precisava fazer alguma coisa. Sua arma. Natasha usou toda a força que ainda possuía e estendeu a mão, soltando o coldre. Ela curvou as costas para tentar abrir espaço. Ela teve que trabalhar para pensar claramente através da dor. Ela puxou sua arma e desengatou a segurança e colocou o cano no peito de Titan. Ela tentou empurrar o metal contra sua pele.

235


Ele não recuou. Não parou. Não parece se registrar. "Pare!" Um coaxar. Sua cabeça estava girando. Era agora ou nunca. Natasha soluçou quando puxou o gatilho. O tiro foi alto. Titan congelou, meio sugado. Ele ficou suspenso por um momento. Então ele soltou um suspiro. Era um som que ouvira antes. Foi seu corpo expelindo seu último suspiro. Ele caiu de volta. O sangue escorria de sua boca escancarada. Seus olhos estavam fechados. O sangue floresceu, irradiando de um pequeno buraco em sua camisa. Sua camisa lentamente ficou vermelha. O tecido cresceu mais e mais a cada segundo que passava. Fora isso, tudo ainda estava. Titã estava morto. Ela o matou.

236


25 Que diabos ela fez? Natasha colocou a mão sobre a boca para não gritar. Se ela começasse a gritar agora, nunca poderia parar. Lágrimas escorriam pelo seu rosto. A bala parecia ter atingido seu coração. Outro maldito tiro de morte. Não era como se ela tivesse tempo para planejar. Não era como se pudesse ver o que diabos estava fazendo. Oh Deus! O que ela fez? Suas lágrimas estavam caindo quentes e grossas. Um telefone tocou. O som estridente no pequeno espaço. Era o telefone do hotel. Merda! Dupla merda! Natasha enxugou as lágrimas e respirou fundo. Ela largou a arma e se levantou. Demorou alguns segundos para a tontura passar. Então rapidamente colocou a televisão e pegou o telefone ainda tocando. "Olá.” Brilhante e alegre. Espero que não seja demais. “Boa tarde, senhorita Walters. Um...” Houve uma pausa. "Está tudo bem aí?" "Espere um segundo.” Ela cobriu metade do receptor. "O que é que foi isso? Ah sim, vou tomar um refrigerante.” Ela fingiu falar com alguém... Titan. Não vá lá .Seu coração estava batendo no peito. “Sim.” Falou ao telefone. Mais uma vez, soando leve e alegre. "Tudo está bem. Por quê?" “Recebemos um convidado do décimo andar. Algo sobre gritar e o que soou como se fosse um tiro.” “Não! Estamos assistindo a um filme. Tenho certeza que foi isso.” Ela mentiu através de seus dentes. "É uma ação.” Ela acrescentou, estremecendo. Esperando que ela não esteja colocando muito grossa. "Ok, senhorita. Bem... hum .. tenha uma boa noite então." "Você também.” Ela terminou a ligação e voltou para Titan. Natasha sentou-se na beira da mesa de café e engoliu um pouco de ar. Ela estava se sentindo fraca e tonta. Depois de mais alguns pulmões profundos, ela começou a se sentir melhor.

237


O bocal estava diretamente contra o peito de Titan quando ela disparou o tiro. Abafou a explosão. É por isso que os outros convidados não conseguiram ouvi-lo tão bem. Houve algumas queixas nos últimos dias por causa de seu sexo alto. Desde então, Titan alugou todos os quartos do décimo primeiro andar e os hóspedes foram transferidos. Outra graça salvadora. Lágrimas começaram a fluir novamente. O que Titan havia dito? Algo sobre vampiros sendo difíceis de matar. Algo sobre eles serem capazes de voltar dos mortos, mas nem sempre. Não havia como ele voltar disso. Natasha mordeu o lábio inferior para não soluçar. Ela precisava pensar. Talvez houvesse algo que pudesse fazer. Algo que tinha que fazer para trazê-lo de volta. Ela precisava de ajuda. Brant. O rei. O cara provavelmente teria um ataque cardíaco quando ouviu o que aconteceu, mas ela não deu à mínima. Ela precisava tentar ajudar Titan. Precisava agir agora. Seu telefone. Onde diabos foi isso? Ela levantou. Mais devagar dessa vez. A tontura atingiu, mas não tão ruim. Ela foi até onde ele havia deixado suas armas. Sua carteira e telefone estavam na pilha. Ela voltou para Titan e usou o dedo indicador para desbloquear o telefone. Ela percorreu os contatos dele e apertou o botão. "Olá! Espero que seja uma boa notícia.” Era o rei dos vampiros. "Brant.” Sua voz era frenética. “Que porra é essa! Por que você está ligando? O que aconteceu?" Ele não parecia feliz. Natasha retransmitiu os eventos com pressa. Ela lhe contou que eles fizeram sexo, contou a ele sobre o frenesi de Titan. E disse sobre atirar nele. Ela contou tudo a ele. Tudo isso. "É por isso que existem tradições.” Ele rosnou. "Eu não dou a mínima para suas tradições."

238


"Claramente!" Ele gritou. “Se você tivesse, isso não teria acontecido. Há quanto tempo vocês estão transando?” "Podemos conversar sobre isso em outro momento?" Ela estava soluçando. Tentando duramente segurar as emoções, mas não podia. "O que eu preciso fazer para ajudálo?" Natasha gritou, se ele não ajudasse Titan, estava indo até lá e atirando nele também. "Ele vai ficar bem.” Brant parecia entediado. “Você não ouviu uma coisa que eu disse? Ele está morto. Não respirando. Bala no coração e tudo mais.” "Eu ouvi." Ainda entediado. “Você deveria verificar se a bala saiu da cavidade torácica. Um através e passando, irá curar mais rápido. Se houver uma bala nele, pegue uma faca de cozinha... algo para arrancá-la. Faça isso agora antes que ele volte. Caso contrário, seu corpo terá que expelir a bala antes que possa curar. Seria ainda mais excruciante e levaria mais tempo. Agora, quanto tempo vocês dois estão fodendo?” Ela ignorou a pergunta. "Tem certeza que ele vai ficar bem?" "Oh, esqueci de verificar, as suas balas são de pratas?" "Não, elas são um padrão.” Ela puxou Titan para frente. Havia uma ferida de saída, do tamanho de uma fruta grande, nas costas. Ela fez um barulho soluçante. "Fantástico. Não se preocupe então.” "Como diabos ele vai se curar disso?" “Titan é um macho forte. Ele apenas bebeu uma porcaria do seu sangue. Vou supor que fizeram muito sexo nas últimas semanas.” "Dias.” Ela o corrigiu. "Os últimos quatro ou cinco dias." "Bom

o

bastante. Isso

vai

ajudá-lo.”

Ele

fez

uma

pausa. “Hmmmmm…

interessante. Drago mentiu através de seus dentes quando eu perguntei sobre vocês dois.” Titan se encontrou com Drago há três dias quando ele deixou o equipamento de espionagem que precisavam. “Deixe Drago sozinho. Ele estava apenas sendo um bom amigo para Titan.”

239


"Foi ele?" Brant perguntou. “Titan tem sede de sangue. Você poderia ter morrido, mulher. O que então? Está colocando Titan nesse tipo de situação sendo um bom amigo? Titan não teria sido capaz de viver consigo mesmo se ele a tivesse matado. Ainda bem, porque eu o teria matado se você tivesse morrido. Eu ainda posso...” "Não!" Ela gritou. "Você não vai. Você de todas as pessoas deve saber como se sente. Você teve sede de sangue. Seu filho..." "Deixe Sammy fora disso!" Um rosnado. Ela podia ouvir que ela atingiu um nervo. Titan abriu os olhos e respirou fundo. Houve um som de chiado e sangue esguichou da ferida no peito. Ele tossiu, sangue escorria de seus lábios. "Titan!" Ela gritou. "Mulher.” Disse Brant. "Tenha Titan me ligando assim que ele estiver bem o suficiente.” Ela desligou o telefone e se aproximou dele. Mais sangue esguichou da ferida, mas não tanto desta vez. Seus olhos estavam arregalados e cheios de dor. Suas feições estavam presas. Sua respiração soou rápida, úmida e áspera. Ele tossiu de novo, mais sangue escorria de seus lábios. "O que eu posso fazer?" Ela parecia em pânico. Graças a Deus ele estava de volta. Talvez Brant estivesse certo. Talvez isso acabasse bem, afinal. Titan engoliu em seco. Ele ofegou um pouco mais e então tentou se sentar. Suas mãos correram para a compra. "Não. Fique parado.” Ela segurou seus ombros. "Apenas Respire." Respirações mais ásperas. Ele piscou descontroladamente e engoliu sem parar, seus pulmões ainda ofegando. Eles ainda pareciam molhados. Não havia mais sangue esguichando da ferida. Estava escorrendo. Um pouco a cada batida de seu coração despedaçado. Titan continuou engolindo. Ele grunhiu e cerrou os dentes, agonia escrita em todo o rosto. "Eu sinto muito!" Ela afastou o cabelo do rosto dele. "Estou mais ou menos..."

240


"Não.” Um sussurro. Mais sangue escorria de seus lábios. Ela limpou com a mão. Natasha olhou em volta e encontrou um pouco da sua camisa rasgada, que ela usou para limpar a boca dele. "Nat... a... sha." Sua voz estava tensa. "Não. Não fale. Não se mova e não fale. Estou aqui. Você vai ficar bem.” Seus olhos ardiam, mas ela conteve as lágrimas. Ela precisava ser forte para ele. "Não.” Mais forte desta vez, embora o chiado parecesse pior. "Obtenha-se. Longe.” Ele balançou a cabeça e tossiu. Houve mais sangue. Não tanto desta vez. Ele tentou empurrá-la com uma das mãos. "O que?" Ela franziu a testa. Ela tinha que ter ouvido errado. "Longe.” Seus olhos não estavam tão focados. "De mim." "Não. Esqueça isso. Eu estou aqui para ficar. Estou aqui para ajudar.” "Não!" Mais suave... mais fraco. "Eu. Mau. Eu...” Sua respiração era mais rasa. Ele agarrou o braço dela. Seu aperto surpreendentemente forte para alguém com um buraco no peito. Direto através de seu coração. Alguém que estava respirando com um pulmão que parecia ter sido picado. "Vá embora.” Ele parecia que quis dizer isso. Então caiu para trás, os olhos fechados. Por um momento ela teve medo de que estivesse morto. De verdade dessa vez. "Titan!" Ela gritou. "Por favor.” Ela acrescentou, em um soluço. Seu peito subiu e desceu. Embora ainda houvesse chiado e raspado.

241


26 Na manhã seguinte... Tudo doía. Respiração. Cada batida de seu coração. Mover-se... não vai acontecer. Ele montou consciência e dormiu. Preferindo ficar para baixo o maior tempo possível. Menos doloroso assim. Algo se mexeu. Algo quente. Ele podia cheirar... Porra! Titan se forçou a acordar. Sentir. Angústia. Desespero. Ódio, tanto ódio. Isso e amargo desapontamento. Tudo voltado para si mesmo. Ele machucou Natasha. Sua fêmea. O amor da sua vida. Ele machucou o que era mais precioso para ele do que a própria vida. Titan sentou-se com um gemido alto. Natasha caiu no sofá. Como os dois se encaixaram na coisa estava além dele. Ela estendeu a mão para ele, mas deu de ombros. "O que você ainda está fazendo aqui?" Sua voz era rouca por desuso e crua de emoção. “Você está bravo por eu ter atirado em você? É melhor que não esteja...” "Não, foda-se!" Ele falou mais asperamente do que pretendia. "Não.” Mais suave desta vez. "Eu magoei-te.” Ele sentou-se todo o caminho, colocando os pés no chão. "Estou com raiva de mim mesmo.” Movendo-se para a borda do sofá. Ele empurrou as palmas das mãos nos olhos, tentando apagar os acontecimentos da noite anterior. Eles eram um borrão. No cio, bebendo. O sangue dela. Ele gemeu quando se lembrou. Mesmo agora, suas gengivas latejavam. Sua boca estava seca. A necessidade de beber correu através dele. Tão decadente. Então... Ele gemeu novamente. "Eu poderia ter matado você." Suas mãos estavam sobre ele. Tocando, acariciando. Suave. “Mas você não fez.” "Eu quase matei você." “Não se iluda. Não foi nem perto.” Natasha sentou ao lado dele.

242


Ele olhou em sua direção. Não sendo capaz de olhá-la nos olhos. Ela estava de pijama. "Onde está sua arma?" Enquanto ele falava, viu na mesa de café. “Você deveria estar usando. Você não está segura.” "Sim eu estou." "Não.” Ele estendeu a mão, agarrando-a e entregando a ela. "Você realmente não está." Natasha

pegou

a

arma

e

colocou

no

colo. “Então,

precisamos

ser

mais

cuidadosos. Tudo vai dar certo." "Mais cuidadoso?" Ele esfregou a mão no rosto. “Eu nunca posso te machucar novamente. Isso significa que nunca mais poderei te ver.” "Que diabos você está falando?" Ela balançou a cabeça, os olhos arregalados. "Eu te amo.” Ele segurou sua bochecha e olhou em seus lindos olhos cor de avelã. "Eu te amo tanto." "Eu também te amo." "Eu te amo o suficiente para ir embora.” Doeu dizer as palavras, mas ele as quis dizer. “Então está de volta em toda a auto aversão, ai da minha viagem? Pare com isso! Tenha mais fé em mim.” "Eu tenho fé em você, mas não é páreo para um vampiro no seu auge." "Ouça-me rugir.” Ela bateu no peito, falando em voz profunda. Era algo que ela tinha feito logo depois de conhecê-lo. Então estreitou os olhos. "Eu matei você, idiota!" Ela meio gritou. Esta fêmea, com certeza era alguma coisa. “Eu te matei uma vez e com certeza posso fazer de novo. É disso que se trata o amor." Ele tentou não sorrir. Seus lábios fizeram essa coisa de contração. “Matando um ao outro. Como você acha que é amor?” Ele franziu a testa. “Não matando uns aos outros, mas sim uns pelos outros. Em bons e maus momentos. Na doença e na saúde... mesmo na morte.” Ela sorriu. “É aceitar alguém por quem eles são. Até as partes ruins. Está ajudando-os a superar suas coisas.” "Besteira não é algo para ser tomada de ânimo leve."

243


“Nem a minha Glock. Eu coloquei uma maldita bala no seu coração, então acho que essa droga é minha agora. ” "Era seu antes." “Meu humor aqui. É mais meu do que era antes. Eu possuo esse otário.” Titan riu. Doeu como uma mãe, então acabou em um grunhido. "Você está bem?" "Estou preocupado. Sobre você que é. Subavaliação de todo o século. Eu não quero te machucar novamente. E se…?" “Pare com isso! Bem entende. Nós como em nós juntos.” Seu telefone tocou. O nome de Brant apareceu na tela. Titan franziu a testa. Por que seu rei o chamava? Ainda era cedo. "Oh" Natasha mordeu o lábio. "Um...” Suas bochechas ficaram nitidamente vermelhas. "O que?" Oh foda-se! É melhor que isso não seja o que ele achava que era. Ela levantou os ombros e os segurou lá. "Eu poderia ter ligado para Brant ontem à noite depois de ter atirado em você." "Porra! Você não fez.” "Eu fiz.” Ela deixou cair o ombro para baixo. "Eu entrei em pânico. Havia muito sangue e você estava morto... eu entrei em pânico.” "Está bem.” Ele pegou o telefone. "Olá." "Bom, estou feliz que você esteja de pé." Por que Brant soava tão animado? "Eu deveria ter suas bolas, mas eu acho que ser baleado por sua fêmea é punição suficiente.” Brant riu. O filho da puta riu! Titan esperou. Finalmente, ele desacelerou com o riso e cheirou. “Oh uau! Isso é engraçado.” Ele cheirou novamente. Ele estava chorando de rir? De jeito nenhum. "Meu rei, havia algo que precisava de mim ou está checando para ver se eu estou bem?" "O primeiro.” Cortou. Titan deveria ter sabido. "Quais são seus sentimentos por esta mulher?"

244


"O nome dela é Natasha e estamos apaixonados." "Parabéns.” Ele não soou como se quisesse dizer isso. O que diabos estava acontecendo? "Você está planejando acasalar com ela?" "Eu adoraria, mas tenho esse problema... toda vez que bebo dela, tenho uma boa chance de matá-la." Titan sabia que sua insolência poderia colocá-lo na masmorra, ou pior, mas não dava a mínima agora. “O que há com todas as perguntas? Porque, com respeito, meu senhor, eu amo Natasha e lutarei para estar com ela. Ela quer estar comigo apesar da minha sede de sangue. Nós vamos encontrar uma maneira de resolver isso.” Ele ainda não estava completamente convencido de que era a coisa certa a fazer. Certamente era o egoísmo, mas Natasha estava certa. Ela possuía seu coração. Sua mulher possuía tudo dele. Natasha agarrou o peito. Ela murmurou: "Eu te amo.” Titan se preparou para uma discussão quando Brant puxou uma respiração. "Fico feliz em ouvir isso.” Brant parecia satisfeito. “Hum… me desculpe? Por que você ficaria feliz com isso? Você não ouviu o que eu disse?” “Oh, eu ouvi você. Como sabe, Sammy tem sede de sangue. Meu caso foi leve, mas acho que ele é mais grave. Precisamos trabalhar em uma cura. Precisamos tentar ver se ele pode ser gerenciado. O meu melhorou com o tempo. Só não tenho certeza se alguém com um caso realmente ruim pode ser ajudado.” A preocupação fez seu peito apertar. Se alguma coisa acontecesse com Natasha... “Você precisa trazer sua fêmea aqui. Você será acompanhado de perto. Nada vai acontecer com ela. Eu pessoalmente vou me certificar de que ela esteja protegida.” "Com todo o respeito, você pode estar acostumado a um trio, mas..." "Eu não espero que você tenha um caminho de três, porra." "Eu não vou machucar minha mulher com outra pessoa na sala." "Relaxe. Vamos trabalhar em um sistema que seja agradável para vocês dois. De qualquer forma...” Ele parecia estar sorrindo. ”... parece que aquela sua fêmea pode cuidar de si mesma. ” Sim, ele estava finitamente sorrindo.

245


"Então, você essencialmente quer que a gente seja cobaia?" "Sim. Você ajuda com isso ‒ não apenas para Sammy, mas para os outros com a aflição ‒ e, em troca, você pode ter sua fêmea.” "E se eu não puder ser curado?" "Não está acontecendo, porra." Havia emoção na voz do rei e Titan percebeu que Brant estava pensando nas implicações para seu filho. Isso foi mais do que apenas eles. "Eu não tenho certeza se minha mulher estaria disposta a ir morar no castelo.” Ele olhou para Natasha e ela levantou dois polegares. Ela estava disposta a desistir de tudo por ele. Era demais. Ele não a merecia. "Ela tem uma carreira que ama." Natasha sacudiu a cabeça e baixou os polegares. Titan teve que sorrir para ela. E sorriu de volta. Na verdade, era seguro dizer que ela estava radiante. “Sua fêmea é muito boa no que faz. Ela seria uma vantagem para o nosso povo. Não apenas no combate a esses grupos de ódio, mas em como podemos melhorar nossos sistemas de segurança. Até o nosso jogo em geral. Eu estive pensando em treinamento de arma. Precisamos nos armar contra esses filhos da puta. Eu acho que as coisas progrediram além das espadas e facas. Precisamos combater fogo com fogo. Eu quero criar um campo de tiro. Eu gostaria de consultar sua mulher em tudo isso. Bem como em quais armas comprar. Nós precisaríamos montar um programa de treinamento. Ela poderia liderar o projeto. Inferno, eu posso pensar em uma lista inteira de projetos que ela poderia executar. Quando ela pode começar? Ontem trabalharia para mim.” Titan olhou para Natasha. "Meu rei quer lhe oferecer um emprego?" "Você quer dizer diferente de ser sua escrava sexual pessoal?" Brant riu. “Sim, espertinha. Você quer vir morar comigo no castelo?” Ela voou para os braços dele e trancou os lábios com ele. Doeu, mas ele não se importou. "Titan!" Brant gritou. "Titan! Pare de brincar, não terminei.”

246


"Aguente.” Ele se afastou. "Ow... espere...” Ele riu, tendo que arrastar Natasha fora dele. "Titan!" Um rugido. Ah Merda! Ele colocou o telefone contra o ouvido. "Sim, meu senhor. Desculpe, meu senhor.” Brant suspirou. “Ligue para Drago.” "Agora?" "Sim, porra agora.” Brant rosnou. “Ele examinou as fitas de vigilância das últimas 48 horas e encontrou algo interessante.” "Eu vou ligar pra ele." "Bom e…" "Sim, meu senhor?" "Pare com a besteira de 'meu senhor'." Brant fez uma pausa. "Nenhuma foda até você voltar ao solo vampiro." "Ok, meu... tudo bem." Brant desligou o telefone. "O que ele disse?" Natasha levantou as sobrancelhas, olhando para ele com expectativa. "Drago encontrou algo nas fitas de vigilância.” Ele tentou não ficar excitado. Ela franziu a testa. "Eu pensei que ninguém mais as estava verificando." "Eu acho que Brant deve ter atribuído Drago." "Provavelmente como punição por não contar sobre nós.” Ela deve ter visto seu olhar confuso, porque acrescentou rapidamente. "Brant perguntou especificamente a Drago sobre nós e ele mentiu por entre dentes, disse que nada estava acontecendo quando sabia que havia." "Porra!" "Sim." Titan discou Drago. "Vamos ver o que ele encontrou."

247


Mais tarde naquele dia... Emmett Hoole sentou-se encolhido na mesa no meio da sala vazia. Ele se abraçou e seu lábio inferior tremeu. "Eu vou e tenho uma conversa com ele." Big Bill parecia preocupado, ele pôs a mão no vidro de mão única por um segundo, seus olhos ainda no zelador. "Tem que haver uma explicação razoável." "Você viu a fita.” Disse Titan. "É muito claro." Bill balançou a cabeça, Natasha podia vê-lo remoendo. "Não. Não pode ser. Nah!” Ele fez uma careta. "Não pode ser. Eu recuso...” Ele se segurou e esfregou a mão em suas calças. “Ok, você vai e faz a entrevista, agente especial. Parece que estou muito perto disso.” Felizmente o Xerife finalmente viu a razão. Ela estava esperando não ter que jogar o cartão de jurisdição. “Você tem que saber, Tessa não tinha nada a ver com isso. Se acontecer que Emmet seja culpado, eu mesmo darei a notícia para ela. Minha noiva é extremamente sensível. Ela não vai levar essa notícia de ânimo leve.” Sensível? Natasha tentou não reagir. A essa altura, Big Bill sabia que seu escritório havia sido grampeado. Ele tinha que saber que eles sabiam sobre suas conversas telefônicas. Aquelas em que uma muito sensível Tessa Hoole falou sobre chicotear seu noivo, até que sua bunda brilhou. Aquelas em que ela falava em usar couro da cabeça aos pés, usando saltos de dez centímetros e colocando um freio humano no bom Xerife e montando-o como um pônei. Não havia dúvida na mente de Natasha de que eles realmente faziam todas essas coisas. As correntes, os chicotes e os freios ‒ tudo aconteceu. Natasha não era puritana. Ela não tinha nada contra nenhuma dessas coisas. Tessa era a instigadora, a dominatrix nas festividades. Natasha não tinha ilusões de que Tessa Hoole fosse sensível. Apenas não foi possível. "Eu vou por mim mesma.” Ela olhou intencionalmente para Titan.

248


Ele assentiu, parecendo entender sua linha de pensamento. Ou seja, se Emmet fosse parte de um movimento fascista, ele estaria mais propenso a conversar apenas com ela na sala. Natasha entrou, fechando a porta atrás dela. Ela se sentou em frente a ele. O único sinal que Emmet deu que tinha registrado sua presença era balançar mais rápido. Ela colocou o arquivo na mesa na frente dela e removeu um par de lustrosas fotos de oito por dez. Natasha colocou as fotos na frente dele. Emmet fez um barulho estridente e desviou o olhar. "Eu quero ir para casa. Eu quero minha mãe.” Ele falava como um menino de oito ou nove anos, numa situação como essa. "Emmet, eu quero que você olhe para as fotos, por favor." Ele balançou a cabeça furiosamente. "Não.” Soando mais como um menino de seis anos. "Eu quero minha mamãe." "Bem. Não olhe.” Natasha se recostou e cruzou os braços. "Eu vou rapidamente dizer o que está sobre elas." Emmet enfiou os dedos nos ouvidos e fez barulho. Isso estava cansando rapidamente. "Emmet.” Ela levantou a voz. "Pare com isso." Ele fechou os olhos e fez barulhos mais altos. Ela continuou indiferente. “Você se formou na faculdade. Você tem direito. Você não tem desafios intelectuais. Você pode parar agora.” Emmet a ignorou, continuando a fazer barulhos altos. “De acordo com essas fotos, você foi visto removendo o telefone do escritório do Xerife aos treze minutos depois das doze na noite 13 de abril. Isso é duas noites atrás. Você usou um truque de mão, fingindo estar limpando a mesa. Às doze e cinquenta e três da manhã, você colocou o telefone de volta. O que aconteceu quando limpou a mesa novamente. Duas vezes em um dia? Ela inclinou a cabeça, olhando para ele enfaticamente. “Temos o aparelho de escuta que você plantou. É um dispositivo diferente do que plantou originalmente, embora seja a mesma marca e modelo. Nós marcamos o anterior.” Emmet continuou a fazer os ruídos.

249


Natasha pegou o arquivo e folheou suas anotações. “Você nunca foi internado no hospital. Seu arquivo no escritório do Xerife claramente lista você como tendo uma deficiência intelectual, mas nunca recebeu nenhum tratamento para essa condição. Há evidências fotográficas de você dirigindo o veículo de sua mãe no dia 21 de julho, apenas três semanas atrás. Você correu um sinal vermelho. Isso mostra claramente que fuma. Alguém com uma deficiência intelectual, como lista no seu arquivo, teria dificuldade em lidar com o manuseio de um veículo. Afirma ainda que você não tem permissão para dirigir e que não está licenciado para isso.” Ela fez uma pausa. “A evidência que mostra como você tocou o telefone de um alto funcionário público é esmagadora. Você será condenado. Isso é de dois a cinco anos, com certeza.” Ela mentiu. Foi mais de quatro a seis meses em um empurrão. Emmet parou de fazer os ruídos. Ele manteve os dedos nos ouvidos e seus olhos se fecharam. “São dois a cinco se você for condenado apenas por tocar no telefone. Houve um incidente de vandalismo no hotel Sweetwater e um segundo incidente em que homens armados entraram no quarto de hotel de um agente do FBI. A mesma pessoa envolvida no incidente de vandalismo também esperou no que parecia ser um carro de fuga. Temos uma testemunha que pode identificar essa pessoa em fila.” Outra mentira. “Tenho certeza que sei para quem eles estarão apontando. Isso é outra condenação...” Ela fingiu pensar sobre isso. ”Doze a quinze... fácil. ” Ele tirou as mãos e abriu os olhos. Emmet Hoole a olhou diretamente. "Estou pronto para conversar."

250


27 Natasha segurou sua Glock com as duas mãos, a arma estava trancada e carregada. Ela sinalizou para o policial manter sua posição no flanco. Então sinalizou para o resto da equipe, informando que estava prestes a entrar e, portanto, cobri-la. A pessoa nos fundos da casa estaria pronta e esperando. Pode parecer um exagero, mas não estava se arriscando. Tanto o Xerife quanto Titan estavam sentados, tanto para o seu aborrecimento. Particularmente Titan. Ela olhou para onde ele estava esperando no SUV estacionado. Big Bear estava de volta ao escritório. Provavelmente ainda pálido e andando de um lado da sala para o outro. Ela sentiu por ele. Isso realmente não poderia ser fácil para o cara. Emmet trabalhou para uma pessoa. Ele não era o informante, mas o assistente. Que mãe colocaria seu filho na linha de fogo assim? No final, ele confessou a ambos pintar com spray na porta de seu hotel e dirigir o veículo de fuga durante o seu sequestro fracassado. Ela reprimiu um arrepio. Os três homens estavam fora de sangue, ou seja, dela. Eles planejaram fazer um exemplo do que aconteceria com amantes de vampiros, como ela. Tudo orquestrado por um coelhinho doce muito sensível. Tessa Hoole era farmacêutica de profissão. Não que ela praticasse mais. Serviu oito anos nas forças armadas. Ela era uma pessoa bem lida e altamente inteligente; também era uma intolerante que amava odiar. Natasha iria apreendê-la e trazê-la viva. Não matar com tiros desta vez. Era imperativo que eles prendessem os bastardos mais acima nesta organização. Pela primeira vez, a mão dela tremeu. Natasha aliviou seu aperto. Ela respirou fundo. Tinha isso. Usando uma mão, ela contou. O policial do outro lado usou um aríete para tirar a porta. Houve um estrondo e ela entrou primeiro na casa da arma e foi imediatamente recebida com um jato de balas. Natasha saltou para o lado, aterrissando atrás de um sofá. As balas tinham vindo do quarto no final do corredor. Quarto da Tessa. O Xerife havia dado um layout detalhado da propriedade.

251


De volta ao sofá, Natasha esperou até que Tessa parasse de atirar. "Este é o agente especial Walters, abaixe sua arma e entregue-se." "Nunca!" Tessa gritou, soando mais como uma pessoa louca do que a bem colocada, mulher muito mais velha que havia conhecido no outro dia. Houve outro borrifo de balas. Natasha se sentou firme. Ela seria capaz de ouvir se Tessa estivesse em movimento. De acordo com a vigilância infravermelha da propriedade, havia apenas uma pessoa na casa. Tessa Hoole estava sozinha e com medo. Uma combinação perigosa "Sua casa está cercada.” Natasha disse entre tiros. “Você pode desistir também. Não há escapatória. Você está deixando com algemas ou num saco de cadáveres. Não posso garantir que serão algemas se não se render.” Infelizmente, isso era verdade. Houve um barulho soluçante no final do corredor. Estava cheio de raiva, medo e frustração. Tessa

era

um

pato

sentado

e

sabia

disso. "OK.”

Ela

parecia

derrotada. "Bem." Resoluto "Eu estou colocando minha arma para baixo e saindo." Essa foi à parte difícil. Natasha não tinha a menor ilusão de que Tessa faria o que ela dissera. Ela tinha visto um policial novato ser morto, porque confiava em um criminoso em uma situação como essa. "Faça!" Natasha gritou. Ela ouviu algo bater no tapete. Soava como uma arma, mas não podia ter certeza. "Chute a arma no corredor." Houve um ruído de deslizamento de metal contra azulejo. Natasha se abaixou quase até o chão. "Certifique-se de estar de pé onde eu possa vê-lo e coloque as mãos atrás da cabeça.” Ela rapidamente olhou ao redor do sofá, mantendo a cabeça tão baixa quanto possível no chão. Tessa estava na porta do quarto dela. Suas mãos estavam levantadas. Sua arma estava no chão na frente dela. "Eu disse as mãos atrás da sua cabeça.” Ela tinha certeza de usar um tom autoritário. Tessa fez o que ela disse. Os olhos da outra mulher estavam cheios de ódio e uma tonelada de raiva.

252


"Não se mova.” Natasha instruiu. Agora, a parte mais complicada de todas. Ela precisava sair a céu aberto. Nenhum tiro mortal. Nenhum tiro mortal. "Não tente nada." Natasha saiu de trás do sofá, mantendo a arma apontada para o criminoso. Ela levantou-se, sem tirar os olhos da outra mulher por um segundo. Os olhos de Tessa brilharam. "Você é uma amante de vampiro, cadela.” Ela arremessou. “Eles vão se casar conosco até que nosso sangue não seja mais puro. Eles são não humanos. Isso significa que não são humanos. Você gosta de foder com algo que nem é um de nós?” Natasha não respondeu. "Você deixou essa coisa sugar seu sangue?" Natasha se aproximou da outra mulher. Ela ignorou os insultos. “Você fez, não é? É doentio. É nojento. Você vai se reproduzir com essa escória, não é?” Natasha virou a cabeça ligeiramente, mantendo os olhos em Tessa. "Pode entrar." Assim como ela disse, Tessa foi para algo na parte de trás de seu jeans. Merda! "Não.” Natasha advertiu. "Não faça isso!" Ela gritou enquanto observava a outra mulher puxar uma arma. Por que oh, por que? Essa mulher não era uma idiota, então por que ela estava agindo como uma? Ela não tinha outra escolha senão agir. Natasha puxou o gatilho. Ela meio que esperava ver Tessa cair sem vida no chão. Em vez disso, a arma voou de sua mão e ela agarrou seu ombro direito com um grito. "Não se mexa!" Natasha gritou. Tessa não escutou, ela caiu de joelhos e correu para a arma. Que diabos? A mulher teve um desejo de morte. Natasha deu uma joelhada no rosto. Tessa voou para trás, aterrissando com um baque surdo. Ela deu um grito e tentou se esgueirar. Uma mão dela tateando inutilmente no chão. Seus olhos estavam arregalados e ela fez gemidos barulhentos.

253


"Acabou." Natasha virou Tessa e colocou o braço bom nas costas. "Apenas me mate.” Tessa gemeu. "Eu sou tão boa quanto morta." Houve um som de passos altos quando o apoio dela entrou no prédio. "Tessa Hoole, você está presa.” Ela puxou o braço da mulher um pouco mais nas costas. "Você vai falar." "Apenas me mate.” Tessa gemeu.

254


28 Três Meses mais tarde... Titan colocado para o cara grande. Sua lâmina brilhava ao sol, enquanto se movia de um lado para o outro em amplos arcos. Ele se moveu graciosamente, tão leve em seus pés. Quase rápido demais para os olhos dela se registrarem. Seus sentidos se aguçaram nos meses em que ela esteve lá. Estava mais forte e ficando ainda mais poderosa a cada dia. Seu companheiro. Uma onda de emoção brotou nela. Uma semana ontem. Se fosse por eles, teria sido mais cedo, mas como acabou, bater a sede de sangue foi difícil. Realmente difícil! Ela não podia acreditar como ele era corajoso. Quão duro lutou por ela. Por eles. Seus olhos se encheram de lágrimas. Ela teve que atirar nele mais quatro vezes. Todos tiros de matar. Quando sob séria ameaça ‒ e sejamos francos, um vampiro no meio da sede de sangue era tão sério quanto era ‒ quando, nesse tipo de situação, ela não sabia como atirar. Seu objetivo automaticamente se alinhava para lhe matar. Tantos anos de treinamento significavam que ela nunca perdia de perto. Titan ainda teve que trabalhar duro para lutar contra seu desejo por seu sangue humano. Todo dia. Um trabalho em andamento. Era mais fácil agora que estavam emparelhados. Ficaria mais fácil enquanto ela ficou ainda mais forte. Quando assumiu mais traços de vampiro. Seu sangue estava mudando. Chame-a de louca, mas sua sede de sangue era uma das coisas que amava sobre ele. Titan não fez as coisas por meias-medidas. Nem mesmo perto. Ele era apaixonado e feroz. Sua sede de sangue era um sintoma disso. No final, Tessa tinha agarrado em um acordo com as duas mãos e tinha nomeado ‒ choque e horror ‒ ninguém menos que Richard Evans como uma das pessoas envolvidas. Exatamente quando eles pensaram que teriam que deixar o idiota sair por causa de sua

255


palavra contra a dele, o barman, Simon, o identificou em um alinhamento como o homem não identificado que estava com o pai na loja de ferragens. Este evento ocorreu pouco antes do sequestro de Jenna. Richard Evans foi suspenso da Agência enquanto aguardava a investigação e parecia que eles poderiam ser capazes de garantir uma condenação. Foi incrível como muitas mulheres se apresentaram acusando o Diretor Assistente Executivo Richard Evans de assédio sexual e, em alguns casos, até agressão. Isso incluiu sua ex supervisora Kimberly Stewart. Seu antigo patrão tinha sido bastante emocional sobre os anos de abuso que ela sofreu nas mãos de Evans e até mesmo quebrou na arquibancada. Então, parecia que mesmo que eles não pudessem amarrá-lo aos grupos de vigilantes, provavelmente cairia por mais de um caso de agressão sexual. O bastardo! Titan e o outro cara entraram em confronto, trazendo-a de volta ao presente. Faíscas voaram. O outro cara ‒ muito maior que seu companheiro ‒ cambaleou para trás. Sim! "Pegue ele!" Ela gritou. "Coloque-o para fora!" Adicionou. Titã foi para o bruto, mas usou sua força contra Titan e conseguiu conectar um punho ao seu rosto. Foi a vez de Titan cambalear de volta. Droga! "Pegue ele!" Ela gritou, apertando as mãos ao redor de sua boca. "Cortare a cabeça.” Ela pediu. Titan soltou uma gargalhada, quase ficando com raiva do gigante. "Ei!" Gritou. “Ele estava distraído. Não é justo!" Titan colocou a mão no braço do grandalhão. "Eu sinto muito.” Ele estava rindo tanto que tremeu. Titan finalmente olhou em sua direção. "Você não pode dizer coisas assim, amor." "Por que não?" Ele estava sorrindo largamente. Parecendo tão bonitinha, ela sentiu que deveria se beliscar para lembrar a si mesma que ele era dela. Especialmente o coração dele. Ela possuía aquele otário. Titan baixou a lâmina. “Um tirar a cabeça de um vampiro na verdade os mata… estamos brigando, lembra? Nós revisamos isso.” "Então, morte e desmembramento são permitidos, mas não decapitação?"

256


"Sim. Isto resume tudo.” Ele caminhou até ela. “Você é seriamente quente quando está lutando. Eu já te disse isso?” Perguntou, baixinho. "Maioria dos dias.” Ele embainhou sua espada e, em seguida, pegou-a. Natasha enganchou seus tornozelos ao redor dele. Titan voltou-se para o bruto, que esperava pacientemente. "Por que você não vai checar sua companheira, Lazarus?" O grandalhão sorriu. Era assustador ver. Como se ele estivesse se preparando para te matar, mas com um sorriso no rosto. "Sim! Eu gostaria disso, obrigado. O pequeno Luke e o Kyle são os mais fofos. Você e seu cônjuge devem vir em algum momento.” "Sim, parece ótimo" Titan assentiu. "Felicidades!" O grandalhão gritou enquanto se afastava. “A companheira de Lazarus teve gêmeos. Assim…" "Ele encontrou uma companheira?” Ela cuidou de suas costas recuando. "Esse grande bruto realmente encontrou alguém para procriar?" "De vez em quando, milagres acontecem." Titan sacudiu a cabeça. "Estou brincando. Ele parecia doce.” Titan olhou para ela como se tivesse perdido a cabeça. “Lazarus está longe de ser doce. Chega de conversa fiada. Vem escrava sexual, vamos tirar um bom uso de você.” Ele apertou os braços ao redor dela e começou a caminhar de volta para o castelo. Natasha olhou para o relógio. "Eu tenho uma reunião com Brant em meia hora." Titan sorriu. "Eu posso fazer você vir cerca de quatro ou cinco vezes em meia hora." "Não pode e eu pensei que você fosse meu escrava sexual. Foi uma parte do nosso acordo.” “Somos escravos sexuais um do outro. E eu definitivamente posso fazer você gozar... vamos fazer isso seis vezes em meia hora.” "Besteira. Você quer apostar?”

257


"Sim.” Ele não pôde deixar de sorrir. "Eu te amo tanto.” Ele se virou para o apartamento e saiu correndo.

FIM

258

Charlene Hartnady Série o programa( A Mate for Titan ) uma companheira para titan # 7  
Charlene Hartnady Série o programa( A Mate for Titan ) uma companheira para titan # 7  
Advertisement